Diversos

União reconhece situação de emergência nas 144 cidades do RN

Através da portaria nº 44, publicada hoje no Diário Oficial da União, A secretaria Nacional de Defesa Civil reconheceu a situação de emergência de 144 municípios potiguares, motivada pela seca.

A portaria levou em consideração  o Decreto Estadual nº 23.288, de 15 de março deste ano, em que o governo do Rio Grande do Norte litou os municípios mais problemáticos.

Confira a lista completa. 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Fazendeiros estão desviando água de adutoras e comprometendo consumo de cidades

Por interino

Além da queda o coice. Como se não bastasse a seca, que já está comprometendo o abastecimento de várias cidades, a Caern identificou que a água das adutoras (tratadas e próprias para o consumo) estão sendo desviadas para propriedades particulares. A estimativa é de que se constate um prejuízo próximo a R$ 10 milhões.

Algumas cidades, de acordo com a Caern, estavam com 50% de seu abastecimento comprometido por causa desses desvios. Os responsáveis por esses desfalques serão indiciados criminalmente por roubo e terão que pagar pela quantidade de água roubada.

Há casos em que o desvio em uma única propriedade superou os R$ 30 mil em água.

O problema se repete por quase todos os 2 mil km de adutoras.

Opinião dos leitores

  1. É por isso que empresa pública não tem futuro. Só serve pra cabide de emprego e o rombo só aumentando.
    Privatização já.

  2. Isto é que nem a historia do marido traído.A CAERN é a ultima a saber
    de um fato publico e notório(é só andar pelo trajeto das adutoras) que
    ocorre a anos.E tem muito "cabra"importante no esquema.
    Será que vai dar em alguma coisa?DUVIDO!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

SECA: Carro-pipa que abastece hospital em município do Seridó precisa ser escoltado pela polícia

Equador é uma das 15 cidades potiguares em que há o colapso total no abastecimento também da zona urbana. Para atender aos 8 mil habitantes, a Caern fornece 4 carros-pipa, o que é insuficiente. Para atender ao hospital, a prefeitura está contratando um trator extra, mas antes de chegar ao destino, a população saqueia a água.

O cenário é de guerra. De acordo com a prefeita Noeide Sabino, só é possível mandar água para os locais públicos se o trator for escoltado por uma viatura da polícia.

Na lista dos municípios cuja zona urbana enfrenta o desabastecimento total de água, estão também Luis Gomes, Riacho de Santana, Água Nova, Pilões, João Dias, Antônio Martins, Olho D’água dos Borges, Serrinha dos Pintos, Carnaúba dos Dantas, São José do Seridó, Doutor Severiano, Serra Negra, Paraná e Coronel Ezequiel.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

SECA: Quase 60% dos poços instalados no estado estão quebrados

Uma saída para a seca é a perfuração de poços. Eles garantem a utilização das águas subterrâneas, quando as de superfície já estão escassas. E no Rio Grande do Norte há um quantidade razoável deles: 6 mil espalhados por todo o estado. O problema é que mais da metade, 58%, deixaram de funcionar por falta de manutenção.

Este dado preocupante foi apresentado ontem pelo secretário de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Gilberto Jales. Ele apontou ainda que há outros mil poços que não foram a instalados ainda. Foram feitas apenas as perfurações.

Emergencialmente, foram instalados recentemente 170 e se espera instalar outros 250 nos próximos dias.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

SECA: governo prorroga estado de emergência em 144 municípios potiguares

Em virtude da seca, o Governo do Estado decidiu prorrogar por mais 144 dias o estado de emergência em 144 municípios. A decisão foi tomada a partir de um relatória da Secretaria do Estado de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).

CONFIRA QUAIS SÃO OS MUNICÍPIOS QUE TIVERAM O ESTADO DE EMERGÊNCIA PRORROGADO:

1) Acari, 2) Assu, 3) Afonso Bezerra, 4) Água Nova, 5) Alexandria, 6) Almino Afonso, 7) Alto dos Rodrigues, 8) Angicos, 9) Antônio Martins, 10) Apodi, 11) Areia Branca, 12) Baraúnas, 13) Barcelona, 14) Bento Fernandes, 15) Bodó, 16) Brejinho, 17) Boa Saúde, 18) Bom Jesus, 19) Caiçara do Norte, 20) Caiçara do Rio do Vento, 21) Caicó, 22) Campo Redondo , 23) Caraúbas, 24) Carnaúba dos Dantas, 25) Carnaubais, 26) Cerro-Corá, 27) Coronel Ezequiel, 28) Campo Grande, 29) Coronel João Pessoa, 30) Cruzeta, 31) Currais Novos, 32) Doutor Severiano, 33) Encanto, 34) Equador, 35) Felipe Guerra, 36) Fernando Pedroza, 37) Florânia, 38) Francisco Dantas, 39) Frutuoso Gomes, 40) Galinhos, 41) Governador Dix-Sept Rosado, 42) Grossos, 43) Guamaré, 44) Ielmo Marinho, 45) Ipanguaçu, 46) Ipueira, 47) Itajá, 48) Itaú, 49) Jaçanã, 50) Jandaíra, 51) Janduís, 52 ) Japi, 53) Jardim de Angicos, 54)Jardim de Piranhas, 55) Jardim do Seridó, 56) João Câmara, 57) João Dias, 58) José da Penha, 59) Jucurutu, 60) Lagoa Nova, 61) Lagoa Salgada, 62) Lagoa d’Anta, 63) Lagoa de Pedras, 64) Lagoa de Velhos, 65) Lajes Pintadas, 66) Lajes, 67) Lucrécia, 68) Luís Gomes, 69) Macaíba, 70) Major Sales, 71) Marcelino Vieira, 72) Martins, 73) Messias Targino, 74) Monte das Gameleiras, 75) 76) Monte Alegre, 77) Mossoró, 78) Nova Cruz, 79) Olho d’Água dos Borges, 80) Ouro Branco, 81) Passagem, 82) Paraná, 83) Paraú, 84) Parazinho, 85) Parelhas, 86) Passa e Fica, 87) Patu, 88) Pau dos Ferros, 89) Pedra Grande, 90) Pedra Preta, 91) Pedro Avelino, 92) Pendências, 93) Pilões, 94) Poço Branco, 95) Portalegre, 96) Porto do Mangue, 97) Serra Caiada, 98) Rafael Fernandes, 99) Rafael Godeiro, 100) Riacho da Cruz, 101) Riacho de Santana, 102) Riachuelo, 103) Rodolfo Fernandes, 104) Ruy Barbosa, 105) Santa Cruz, 106) Santa Maria, 107) Santana do Matos, 108) Santana do Seridó, 109) Santo Antônio, 110) São Bento do Norte, 111) São Bento do Trairi, 112) São Fernando, 113) São Francisco do Oeste, 114) São João do Sabugi, 115) São José do Campestre, 116) São José do Seridó, 117) São M. de Touros, 118) São Miguel, 119) São Paulo do Potengi, 120)São Pedro, 120) São Rafael, 121) São Tomé, 122) São Vicente, 123) Senador Elói de Souza, 124) Serra Negra do Norte, 125) Serra de São Bento, 126) Serra do Mel, 127) Serrinha dos Pintos, 128) Serrinha, 129) Severiano Melo, 130) Sítio Novo, 131) Taboleiro Grande, 132) Taipu, 133) Tangará, 134) Tenente Ananias, 135) Tenente Laurentino Cruz, 136) Tibau, 137) Timbaúba dos Batistas, 138) Touros, 139) Triunfo Potiguar, 140) Umarizal, 141) Upanema, 142) Venha-Ver, 143) Viçosa e 144) Vera Cruz.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Câmara pode votar nesta semana MP que beneficia atingidos pela seca

O Plenário pode votar nesta semana a medida provisória que beneficia famílias de agricultores atingidos pela seca do ano passado.

A MP concede um aumento adicional do Seguro-Safra e do Auxílio Emergencial Financeiro para agricultores atingidos pela seca que tiveram perdas na safra 2011/2012. Em seu parecer, Gomes de Matos incorporou novos aumentos nesses benefícios.

Segundo o texto, os agricultores do Nordeste afetados pela seca receberão um pagamento adicional de R$ 560 (Garantia-Safra) ou de R$ 320 (auxílio). Com isso, eles receberão um total de R$ 1.240, se participantes do Garantia-Safra; ou R$ 720, se contemplados pelo auxílio emergencial. Os valores normais são, respectivamente, R$ 680 e R$ 400.

O Fundo Garantia-Safra contempla agricultores familiares residentes na área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), que abrange os nove estados do Nordeste e municípios do Vale de Jequitinhonha, em Minas Gerais, e do norte do Espírito Santo.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Felipe Maia tentou obstruir votação que liberou R$ 381 milhões contra seca no Nordeste

Deu no www.tribunadonorte.com.br

O deputado Felipe Maia (DEM-RN) tentou obstruir a votação da Medida Provisória 572/12, que abre crédito extraordinário no valor de R$ 381,2 milhões para socorrer comunidades atingidas por desastres ou calamidades, principalmente no Nordeste. O crédito foi aberto Comissão Mista de Orçamento  em favor do Ministério da Defesa, a fim de permitir a pronta atuação do Comando do Exército em atividades de apoio à população.

A oposição vem obstruindo as votações na comissão com o argumento de que o governo não cumpriu acordo feito em julho, quando se comprometeu a liberar recursos para emendas parlamentares do Orçamento deste ano.O deputado potiguar disse que, apesar de a Medida Provisória permitir a liberação imediata de R$ 381 milhões, apenas R$ 200 mil foram liberados até agora.

Conforme a medida provisória, o dinheiro será utilizado na compra de veículos, reboques, carros-pipa, reservatórios para transporte de água, bombas d’água, geradores, máquinas e equipamentos, entre outros bens e serviços relacionados ao combate à seca. Também estão previstas a execução de obras emergenciais, a capacitação de pessoal para uso dos equipamentos, a contratação de mão de obra terceirizada, a obtenção e a manutenção de postos de abastecimento de combustíveis para atendimento aos moradores.

O deputado Claudio Puty (PT-PA) disse que as emendas ainda não pagas estão relacionadas a problemas técnicos ou de gestão, como falta de documentos.

* Com informações da Agência Câmara

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Municípios do Seridó realizam manifesto em favor de ações mais sólidas contra a seca

Movimentos sociais e entidades do campo e da cidade, com atuação no Seridó, insatisfeitos com a inoperância dos governos federal, estadual e municipais em relação às ações de convivência com a seca, efetividade das politicas públicas e desrespeito aos direitos da classe trabalhadora, realizarão O GRITO PELOS DIREITOS DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS DO CAMPO E DA CIDADE, na próxima quarta-feira, dia 29 de agosto, na cidade de Caicó.

O grito denunciará a falta de resposta dos governos aos documentos entregues pelos movimentos sociais e sindicais rurais do RN para a convivência com a seca 2012, o descaso generalizado com as políticas públicas de saúde e educação e o esmagamento dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras do serviço público federal, estadual e municipais.

O grito, em forma de marcha contará com milhares de pessoas nas ruas de Caicó para cobrar, dos governos, trabalho, ação, diálogo e cumprimento dos acordos, bem como, convocar a sociedade para tomar consciência da necessidade de se mobilizar para garantir seus direitos.

O evento se concentrará na Praça da boa passagem e, a partir da 8h00 sairá pelas avenidas Rui Mariz, Carlindo Dantas e Coronel Martiniano, no centro de Caicó.

“Nós, trabalhadores e trabalhadoras, povos da cidade e do campo residentes no território do Seridó, exigimos políticas e ações dos governos nesta região, pois não suportamos mais o descaso, a falta de investimento público e as injustiças sociais e ambientais praticadas contra o povo trabalhador e o meio ambiente.  Seguiremos em marcha, mobilizados em unidade e luta e, solicitamos a solidariedade de todos os segmentos organizados da sociedade seridoense para conosco caminhar e gritar em defesa da justiça, da igualdade e da sustentabilidade”, declarou o diretor do Sindsaúde, Joaquim Sobrinho.

O movimento é organizado pelo Fórum dos Movimentos Sociais e Entidades do Seridó que conta com a participação do Sindsaúde RN.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Em virtude da seca, Conab renova oferta de milho para o RN

Nas últimas semanas, depois de insistentes pedidos da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern) e do deputado federal Henrique Eduardo Alves, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), resolveu renovar a oferta de milho para o RN.

Na segunda-feira, dia 16 de julho, a Companhia disponibilizou 101.590 toneladas para o armazém da cidade de Caicó e 100.360 toneladas para o da cidade de Currais Novos. Ambas, localizadas na região Seridó e uma das mais afetadas pelos efeitos da seca no interior potiguar.

No dia 18 de julho, um carregamento de 37.830 toneladas foi destinado para o armazém de Natal, 104.390 toneladas para o da cidade de Mossoró e 51.050 toneladas para o do município de Assu. No dia 19 de julho (quinta-feira), a Conab enviou 88.820 toneladas para Natal e 49.720 toneladas para o armazém de Assu. Na sexta-feira, dia 20 de julho, enviou a remessa de 102.910 toneladas para o armazém de Currais Novos.

De acordo com presidente da Faern, José Álvares Vieira, esses carregamentos são importantes e fundamentais, mas ainda se mostram tímidos, na visão do representante dos produtores rurais do Rio Grande do Norte. “Acredito que esse volume pode ser bem maior. Com essa seca brava que nos atinge, esses carregamentos acabam rápido nas cidades e os problemas continuam para os criadores que necessitam de mais. E um dos problemas apontados pela demora é o custo do frete, que é muito alto para o estado. Outro problema é o valor cobrado pela saca de milho. Ele também pode ser diminuído. Afinal, estamos em um momento crítico da seca. Em um momento de desespero dos inúmeros produtores do RN. Por isso, pedimos uma maior compreensão da Conab e do Governo Federal”, ressaltou Vieira.

Segundo semestre

No segundo semestre, entre agosto e setembro, a Conab prometeu destinar 22 mil toneladas de milho ao estado. No total serão 51 mil toneladas para este ano. “Vamos aguardar os novos carregamentos e pedir, novamente, uma diminuição nos preços. Pelo menos, nessa época tão nebulosa para os nossos criadores e famílias rurais. Para tanto, a Federação da Agricultura do RN pede um maior empenho de nossa classe política. De nossos deputados e senadores”, explicou José Álvares Vieira.

Números

>> Atualmente, o milho é fornecido para cerca de quatro mil criadores e produtores cadastrados na Conab-RN.

>> Esse número poderá dobrar com a inclusão de pequenos produtores do Programa de Agricultura Familiar (PRONAF).

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Seca: Governo do Estado prorroga Situação de Emergência por mais 90 dias

Nesta quarta-feira (11), o Governo do Estado prorrogou o Decreto nº 22.637, de 11 de abril de 2012, que declarou situação de emergência nos municípios do Rio Grande do Norte, afetados por desastres naturais relacionados com a intensa redução das precipitações hídricas em decorrência da estiagem.

O Governo levou em consideração o monitoramento da Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte – EMPARN, que registrou uma irregular distribuição temporal e espacial das chuvas no ínterim dos meses de janeiro e fevereiro de 2012. Assim, fica claro o predomínio de ocorrência de poucas e irregulares chuvas durante o mês de março, que segundo a climatologia é um dos meses, juntamente com o mês de abril, que apresenta maiores índices pluviométricos.

O documento também destaca outras considerações como, a falta de água para a produção agrícola e pecuária, bem como para o consumo humano e animal na zona rural. As pancadas de chuvas de inverno até o presente momento foram insuficientes para a formação de estoques de água nos principais reservatórios; açudes, tanques, poços tubulares, barreiros e principalmente cisternas, importante recurso para o suprimento da população rural com água potável.

Levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (SAPE) aponta 139 municípios do RN sofrendo com a estiagem, com uma população rural afetada em torno de 500 mil pessoas, cuja situação tende a agravar-se à medida que se agudiza a escassez hídrica na zona rural.

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC-RN) atesta o quadro característico de Situação de Emergência, ainda de acordo com o parecer Técnico nº 002/2012, de 10 de abril de 2012.

O representante da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), 2º Tenente BM Júlio César, visitará, nesta quinta-feira (12), municípios em situação de emergência, como Caicó e Mossoró. A visita tem como objetivo verificar, por amostragem, a situação nos municípios, bem como apoiar no que for necessário, inclusive nas orientações, quanto aos procedimentos adotados nesta situação.

 

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Câmara aprova MP que libera R$ 706,4 milhões para vítimas da seca no Nordeste

Brasília – A Câmara dos Deputados aprovou, na noite de hoje (3), a Medida Provisória (MP) 566 que libera recursos de R$ 706,4 milhões para atender às vítimas da seca na Região Nordeste. O dinheiro é destinado aos ministérios da Integração Nacional e do Desenvolvimento Agrário. A MP segue agora para a apreciação do Senado.

A aprovação da medida provisória ocorreu após longo processo de obstrução dos partidos de oposição, que lançaram mão de dispositivos regimentais para adiar a votação. O DEM e PSDB obstruíram os trabalhos em protesto pelos critérios de liberação das emendas parlamentares ao Orçamento da União, com o argumento de que o governo vem privilegiando os partidos da base aliada.

O PSDB declarou, por meio de nota, que a discrepância na execução das programações orçamentárias “tem provocado uma grande ineficiência na alocação dos recursos públicos para as pequenas comunidades que não têm acesso aos aparelhos públicos”. O partido também argumenta que os municípios representados pelos parlamentares da oposição “deixam de receber recursos, que levariam à satisfação de necessidades essenciais”.

Com a dificuldade nas votações de hoje, os líderes partidários acordaram em adiar para amanhã (4), em sessão extraordinária, prevista para as 11 horas, a continuidade das votações de mais duas medidas provisórias que estão na pauta de votações. As MPs são a 567, que trata das novas regras de remuneração da poupança, e a 568, sobre reajustes salariais de diversas categorias do serviço público.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Felipe Maia lembra que recursos para combate à estiagem ainda não chegaram

Cerca de 19 milhões de pessoas estão sendo afetadas com a estiagem do Nordeste e os recursos anunciados pelo governo federal ainda não foram aplicados na sua totalidade, segundo o deputado Felipe Maia (DEM-RN).

“Quem assiste aos noticiários da televisão, ou lê as reportagens dos jornais e revistas, deve imaginar que a região está sendo irrigada por bilhões e bilhões de reais. No entanto, tais recursos tão enfaticamente anunciados ainda não chegaram ao seu destino”, afirmou.

Ao citar a Medida Provisória 566/12, que prevê R$ 706,4 milhões para socorrer a região, o deputado destacou que até agora nada foi pago efetivamente. “O que a sociedade quer saber é onde este volume de recursos está sendo aplicado, pois as obras estão paradas”, disse.

O parlamentar relatou que em março fez visita ao município de Mauriti, no sertão do Ceará, para conferir a realização das obras de transposição do rio São Francisco. Segundo ele, não existe nada no local em que deveria haver 44 quilômetros de canal sendo concluídos. “Deparamo-nos com o descaso e o abandono do governo. Em meio a tantos números fantásticos divulgados, nos deparamos com uma realidade muito diferente da noticiada”, criticou.

Fonte: Jornal da Câmara

Opinião dos leitores

  1. Esperamos que não sejam desviados antes de chegar. Ai sim será pior. A questão é que verba para festas chega fácil, para uma necesidade destas fica demorando. O Brasil emprestou Bilhões ao FMI para socorrer países da Europa e demora nos recursos para resolver os problemas internos.  Quem explica!!!!!!!!
    R.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Verba para combate a seca está parada porque prefeituras ainda não entregaram documentações

A maioria dos municípios do Rio Grande do Norte – dentre os 139 considerados em situação de emergência – ainda não está apta a receber auxílio financeiro do Governo Federal para combater os efeitos da seca. A questão foi colocada durante a reunião do Comitê Estadual de Combate aos Efeitos da Seca, realizada na noite desta segunda-feira (11), na Governadoria.

O problema está sendo ocasionado pela demora das Prefeituras em atender as solicitações da Defesa Civil Estadual quanto à entrega da documentação necessária para a criação de uma conta no Banco do Brasil, em nome do município, para que seja entregue o Cartão Bolsa Estiagem. Apenas 66 dos 139 municípios em situação de emergência deram entrada na documentação. Já em relação ao Seguro Garantia Safra, apenas duas cidades – Itajá e Tabuleiro Grande – estão com toda a documentação pronta e aptas a receberem os recursos que serão repassados pelo Governo do Estado.

Diante disso, a governadora Rosalba Ciarlini solicitou que nesta semana cada Prefeitura seja contatada e, caso necessário, seja prestado auxílio para que o laudo de perdas exigido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) seja preenchido e encaminhado ao Governo Federal. Segundo a Governadora, os recursos para pagamento do Seguro Garantia Safra – cerca de R$ 1,2 milhão – já estão disponíveis e vão beneficiar 37.108 famílias do RN com um auxílio de R$ 680, para cada uma, dividido em cinco parcelas de R$ 136,00.

Além dessas questões, foi discutida a liberação de R$ 10 milhões pelo Governo Federal, através do Ministério da Integração Nacional, para serem aplicados em ações de socorro, assistência às vítimas e restabelecimento de serviços essenciais relacionados à problemática da seca no RN. Para que esse recurso financeiro seja repassado ao Governo do Estado é preciso que haja um representante legal designado especificamente para administrá-lo. De acordo com o secretário-chefe do Gabinete Civil, Anselmo Carvalho, a governadora Rosalba Ciarlini já assinou o Decreto que cria essa função – que integrará o quadro da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc), da qual a Defesa Civil Estadual faz parte – e, em breve, uma pessoa será nomeada por meio de Portaria da Sejuc para assumir o cargo.

A reunião do Comitê Estadual de Combate aos Efeitos da Seca teve também a presença dos secretários de Estado Gilberto Jales (Semarh), Luiz Eduardo Carneiro (Sethas), Rodrigo Fernandes (Seara); o diretor presidente da Caern, Yuri Tasso; o coordenador da Defesa Civil Estadual, Cel. Josenildo Acioli; o comandante do Corpo de Bombeiros, Cel. Elizeo Dantas; além de representantes da Emater, Idema, Conab, Banco do Nordeste, entre outros.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Nélter Queiroz critica atuação do Ibama

O deputado Nelter Queiroz (PMDB) soltou o verbo pra cima do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama) durante a sessão plenária dessa terça feira (5) da Assembleia Legislativa. De acordo com o parlamentar, o Ibama está descumprindo a Lei Complementar 140, atrapalhando as ações do Governo do Estado e desempregando pessoas, ao fechar fechando cerâmicas e balneários.

“A maior seca do Estado é o terror do Ibama que não está respeitando a lei e causando prejuízos aos municípios do Estado. Está fechando empreendimentos de forma arbitrária, gerando desemprego de muitas famílias”, afirmou.

O deputado disse ainda que no final de semana o Instituto fechou  o balneário Portal do Vale, que funciona em Jucurutu,  que está com processo em tramitação para conseguir o licenciamento  junto ao órgão de fiscalização ambiental. Ele propôs uma audiência pública a ser realizada na Assembleia Legislativa para discutir essas questões de licenciamento e fechamento das empresas.

“Essa foi mais uma atitude sem base legal, pois a Lei é clara e diz que quando a empresa está funcionando e com processo de aquisição do licenciamento não pode ser multada nem fechada. O Ibama está com questões políticas para atrapalhar o governo de Rosalba”, afirmou.

Opinião dos leitores

  1. Não sabia nada sobre o Sr. Nelter Queiroz. Mas  impulsionada em mandar uma mensagem para este cidadão, procurei no Google o e-mail dele; e o endereço deste blog apareceu no Google com o nome dele.  
    Aproveito a oportunidade para te dizer que nunca tinha ouvido ele falar, muito menos o tenha  visto, entretanto hoje, 14/06/12 de manha liguei o rádio local e estava tento uma conversa entre duas pessoas e as vezes um jornalista falava. Só não mudei de estação porque este Sr. estava tão exaltado, suas palavras chispavam ódio, ele foi agressivo com outro interlocutor, mal educado, etc. Qual meu espanto quando falaram Deputado. Ai eu fiquei chocada em saber que um homem político seja tão grosseiro com um cidadão. E como mudei recentemente para esta cidade, uma coisa posso afirmar que já escolhi o primeiro politico que NUNCA votaria nele. O assunto me despertou curiosidade, fui ler na internet o assunto. Ai que piorou, pois minha conclusão é que ele está se esforçando para apoiar o descumprimento da lei vigente sobre a Via Costeira. Esta defendendo interesses econômicos (não sei de quem). Ele demonstra não gosta de Natal, talvez ele seja do interior e não ligue para Natal, o turismo, o meio ambiente, o direito das pessoas poderem ter a paisagem como bem comum. Um dia virão outros para substituir pessoas com este senhor. Sou favorável ao Governo, estadual e municipal cumprirem a lei e proteger a Via Costeira: não deixar que seja construído mais hoteis . E os que existem deveriam ser demolido os andares que estão acima da linha da calçada. 

  2. Bravo, Nelter!!!!!!!!!!! Chamo ainda a atenção para a Resolução 237 do CONAMA e seu art. 14. Neste sentido, o órgão ambiental não cumpre seus prazos para se manifestar quanto a expedição ou não de uma licença ambiental dentro do prazo de 6 meses a um ano (se depende deEIA/RIMA) e o particular que gera emprego e renda neste Estado é quem paga e sofre o constrangimento. EMPRESÁRIO È CIDADÂO e como tal, merece respeito!!!!!!!!!!!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

SECA: Moradores da zona urbana de Luís Gomes e Antônio Martins também dependem de carros-pipas

A seca que devasta lavouras e rebanhos no sertão nordestino avança sobre as áreas urbanas, provocando racionamento ou falta de água potável em 158 cidades, segundo levantamento da Folha nos nove Estados da região.

Dezenas de reservatórios que abastecem as cidades entraram em colapso. Carros-pipa, que até então atendiam apenas a zona rural, são vistos agora no centro de pequenos e médios municípios.

No Rio Grande do Norte, o governo afirma gastar R$ 200 mil por mês para levar todos os dias 160 mil litros de água às áreas urbanas de Luís Gomes (442 km de Natal) e Antônio Martins (375 km de Natal). Os reservatórios da região secaram, e as cidades dependem dos carros-pipa.

Em Luís Gomes, onde vivem 9.610 pessoas, há quem ainda pague por mais água. Para garantir o abastecimento da sua pizzaria, Raimundo Fernandes compra de mil a 2.000 litros por semana.

“Desde novembro a situação está assim. Antes, a gente tinha água na torneira.” O microempresário paga R$ 20 por mil litros. No final do mês, o gasto extra chega a R$ 160.

Fonte: Folha de São Paulo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Senador José Agripino afirma que problema da seca é “exemplo da ineficiência do Governo Federal”

O senador José Agripino afirmou que o problema da seca no Nordeste é o exemplo da “ineficiência do Governo Federal”. O parlamentar potiguar participou do seminário “Desastres Naturais – Ações Emergenciais”, promovido pelo Tribunal de Contas da União.

“Em 1983 quando era governador, enfrentei uma das piores secas do Rio Grande do Norte. Com recursos estatuais, consegui amenizar parte do sofrimento da população da zona rural. Mas se naquela época o governo federal já tivesse estabelecido um plano de ações baseado em estudos técnicos, hoje esse problema crônico, já poderia ser controlado com maior facilidade”, lembrou Agripino citando ainda a enchente enfrentada por ele, como chefe do executivo potiguar, em 1985.

Além de debater as dificuldades causadas pelos desastres naturais, autoridades públicas, técnicos, especialistas e acadêmicos discutem até amanhã alternativas de ações emergenciais para serem adotadas pelo governo federal nesses casos. As proposições serão reunidas em um documento.

Fonte: Panorama Político

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *