Arrombaram o Escritório que foi de Anderson Miguel na Madrugada e levaram computadores

Novo Jornal:

O ESCRITÓRIO ADVOGADOS & Associados, localizado na Avenida Miguel Castro, no bairro de Lagoa Nova, local onde o advogado e empresário Anderson Miguel da Silva foi executado a tiros no último dia 1º de junho, voltou a ser cenário de um crime. Na madrugada de ontem, por volta das 3h, três bandidos entraram no imóvel e levaram dois notebooks.

Não há informações da subtração de valores em dinheiro, ou seja, apenas os computadores foram roubados. Coincidência ou não, o fato aconteceu justamente três dias após o delegado aposentado Maurílio Pinto de Medeiros dar declarações ao NOVO JORNAL afirmando que o pistoleiro que matou Anderson foi contratado dentro da penitenciária de Alcaçuz.

(mais…)

Maurílio Pinto na 95FM: Polícia já sabe quem matou Anderson Miguel

Na estreia do Jornal da Manhã, da 95 FM, apresentado por Gerson de Castro, Salatiel de Souza, Paulo Wagner e Mariana Vieira, o delegado Maurílio Pinto de Medeiros, aposentado na semana passada, disse que a polícia já tem quase certeza de quem são os autores intelectual (mandante) e material do assassinato do advogado e empresário Anderson Miguel. Disse também que o crime tem relação com a Operação Hígia, que tem entre seus envolvidos o advogado Lauro Maia, filho da ex-governadora Wilma de Faria, Anderson Miguel foi morto a tiros em seu escritório, na tarde de 1 de junho passado.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Borges Neto disse:

    Aguardemos, pois, a entrevista das Polícias sobre a elucidação do caso e as consequências políticas, sociais, financeiras e jurídicas desse homicídio. Só fiquei com uma pulga atrás da orelha… Será que esse anúncio feito pelo Xerife Pinto não foi para despistar uma pista de outra vertente?…

Bandido que matou PM é assassinado em frente a delegacia de Felipe Camarão

O famoso Boy Leo, que foi preso ontem por estar envolvido na morte do PM Guimarães, assassinado no dia 17 de junho, em Felipe Camarão, zona oeste de Natal, foi solto hoje com o beneficio da nova lei de prisão preventiva.

Lei essa que passou a valer desde o último dia 4, e estabelece que quem cometer crimes leves – punidos com menos de quatro anos de prisão – e que ainda não tenha sido condenado por outro delito, só será preso em último caso.

Trata-se da Lei nº 12.403/2011, que altera 32 artigos do Código de Processo Penal.

Beneficiado pela nova lei, o Boy Leo foi preso ontem e foi liberado hoje à tarde.

Mas, imediatamente após ser liberado, o Boy Leo foi morto a tiros em frente à delegacia policial de felipe camarão.

Boy Leo não teve tempo de aproveitar a impunidade concedida pela nova lei que deixa assassinos em liberdade.

Ontem o outro envolvido no assassinato do PM Guimarães, indentificado como Júnior, numa  troca de balas, com a polícia, acabou atingido e morreu no terreno onde já funcionou a garagem de uma empresa de ônibus, no Parque das Jangadeiras, por trás da rua Bem Me quer.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ricardo disse:

    queria nem ri

  2. GercinoSilva disse:

    Será que tem alguem chorando? O ruim nisto é que ele não teve oportunidade de salvar sua alma. Poderia haver o arrependimento dos males que ele praticou.

  3. borgesneto12 disse:

    A sociedade potiguar agradece.

Madrugada violenta em Natal e Parnamirim. Três assassinatos

A madrugada do domingo foi violenta em Natal e região metropolitana. Os policiais da Delegacia de Plantão zona Sul registraram três assassinatos na na madrugada de hoje (10). Dois jovens, um de 18 e outro de 20 anos, foram alvejados enquanto urinavam na área externa de uma festa que ocorria próximo ao Posto Chianca, em Parnamirim. O rapaz de 20 anos morreu no local. O mais novo levou quatro tiros (nas costas, abdomên e peitoral). Ele foi socorrido ao Hospital Deoclécio Marques onde passou por intervenção cirúrgica. Devido à gravidade dos ferimentos, corre o risco de morrer.

Segundo testemunhas, Maxwell de Lima e Silva, de 20 anos, e Jamilson Quirino da Silva, de 18 anos, estavam no banheiro quando foram surpreendidos por um homem não identificado, que os alvejou e fugiu do local com destino desconhecido.

Maxwell foi atingido por cerca de 6 disparos e morreu na hora, já Jamilson, mesmo ferido por cerca de 4 tiros, conseguiu chegar até a residência de um tio e foi socorrido para o hospital, onde passou por uma cirurgia e permanece internado.

De acordo com a polícia, nenhum suspeito foi detido, porém pelo fato de ter sido encontrado um papelote de cocaína em um dos bolsos da calça do Maxwell, suspeita-se do crime ter sido motivado pelo envolvimento dele com drogas.

Em Natal, dois homens foram assassinados. Um dos crimes ocorreu no conjunto Gramoré, na zona Norte. A vítima foi atingida por uma espingarda calibre doze e morreu na hora. Em Mãe Luiza, um jovem foi baleado na Rua Atalaia, de acordo com informações dos policiais da Delegacia de Plantão zona Sul. Ele chegou a ser levado ao Pronto Socorro Clóvis Sarinho, mas não sobreviveu. A Polícia não soube informar as causas dos crimes, mas acredita que todas estão ligadas ao tráfico e consumo de drogas.

Deputada Fátima Bezerra, todo dia matam gente no RN!!!

A deputada federal Fátima Bezerra comunicou, via Twitter, que solicitou ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, providências para investigar o assassinato, hoje, do presidente do PT em Serra do Mel.

A deputada cumpriu o seu papel. Afinal, crime com característica de pistolagem e, possivelmente, por motivos ligados a terras e política, devem ser apurados e seus autores – material e intelectual – punidos.

Mas, tendo tanto prestígio e proximidade com o Poder em Brasília, a deputada poderia solicitar ao ministro e companheiro petista a investigação da onda de homicídios que varre Mossoró há meses. E todos os dias.
Coisa que eu não vi ela falar até agora.

Fátima Bezerra, eleita deputada federal pelos potiguares de todos os do RN, também nunca solicitou a intervenção federal para apurar inúmeros crimes que são praticados na periferia de Natal e nas cidades da região metropolitana.

Por que, então, somente considerar grave e digno da investigação federal, o crime que teve como vitima um companheiro de partido?

As vitimas – centenas, senão milhares – não mereceriam igual atenção?

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Chagas Lourenço disse:

    Concordo plenamente.
    O corporativo do PT é impressionante.

    • Luciana Melo disse:

      Dessa forma seria interessante tirar os cargos da Governadora Rosalba, da Prefeita Micarla e da Prefeita Fafá e deixar somente Fatima Bezerra administrando RN. Né não?!

Jane Alves sob proteção da Polícia Federal

Tribuna do Norte:

A ex-mulher do advogado Anderson Miguel da Silva, Jane Alves de Oliveira Miguel da Silva, está recebendo escolta de agentes da Polícia Federal. O pedido partiu da própria empresária, que está temendo pela vida após o assassinato do ex-marido, ocorrido quarta-feira passada. A informação foi confirmada pela Justiça Federal, que, no entanto, não esclareceu qual órgão teria concretizado a solicitação e ordenado a segurança.

Tanto o Ministério Público Federal, que acompanha as investigações do caso, quanto a Polícia Federal, responsável pelo inquérito, informaram através das assessorias de imprensa que não darão mais detalhes sobre a proteção prestada. De acordo com o advogado Rogério Lara, representante de Jane Alves,  a escolta não ocorria durante os depoimentos da Operação Hígia, tendo começado no final da semana passada.

O advogado também se negou a prestar maiores esclarecimentos alegando um suposto pedido do juiz federal Mário Jambo para que Jane não concedesse entrevistas. A informação foi desmentida por Jambo que, através da assessoria, disse não ter dado nenhuma orientação a ré do processo federal nesse sentido.

“Não podemos falar nada agora sobre o depoimento prestado por Jane, nem detalhes do pedido de escolta de forma que não haja comprometimento das investigações”, alegou Lara.

Em duas oportunidades distintas durante a semana passada a reportagem teve contato direto com a empresária Jane Alves; em ambas, não notou a presença de policiais federais. O primeiro encontro ocorreu na manhã da quinta-feira passada na sede do Itep, no bairro da Ribeira.

Sempre acompanhada por três advogados, Jane não disse sequer uma palavra aos órgãos de imprensa. Entrou e saiu do órgão sempre “escoltada” apenas por seus representantes na Justiça.

O segundo contato ocorreu no sepultamento de Anderson, na manhã de sexta-feira passada no cemitério Morada Paz. A mulher passou menos de cinco minutos ao lado do caixão do ex-marido e deixou o local dirigindo o próprio carro e acompanhado apenas da filha.

(mais…)

Ex-BBB assassinado tinha dívidas com agiotas

Veja On Line:

O ex-BBB André Luis Gusmão de Almeida, morto com um tiro na nuca na madrugada da última quarta-feira, em Alumínio (SP), tinha dívidas com agiotas. Ele foi cobrado por três credores em março deste ano e acabou discutindo com eles por não concordar com o total do débito, que ficou aberto.

A informação obtida pelos investigadores foi confirmada pela mulher da vítima, Luciana Gusmão de Almeida, em depoimento prestado nesta quinta-feira na delegacia da cidade. Luciana, no entanto, acredita que o marido foi morto por ladrões. Ela disse que um televisor e um notebook teriam sido levados pelos autores do crime.

A mulher e os filhos não conseguiram dar mais informações sobre os possíveis criminosos. Segundo Luciana, a chácara é mal iluminada e tem vários pontos de saída. Também não há vizinhos próximos.

A polícia continua investigando a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte), mas não descarta uma outra linha de investigação. Já se apurou que Almeida estava devendo parte do valor que pagou por sua chácara e não tinha completado o pagamento de um carro. Ele teria ainda dívidas do lançamento de uma revista, um negócio mal sucedido.

Almeida ficou conhecido por sua participação na 9ª edição do reality show Big Brother Brasil, da TV Globo, em 2009.

A Rotina de Anderson Miguel

Com informações da Tribuna do Norte:

O advogado Anderson Miguel estava freqüentando cada vez menos o escritório onde foi assassinado na tarde da quarta-feira passada. Ele passava um média de duas horas por dia e na próxima semana deixaria em definitivo o local, vendido a um colega há menos de um mês. A informação passada por  uma fonte ligada ao escritório de advocacia pode indicar que o assassino tenha estudado ainda mais os movimentos da vítima antes de matá-la.

Além disso, a pessoa, que terá a identidade preservada pela reportagem, abre uma nova linha de investigação para o crime. Não acredito que a morte tenha sido encomendada por pessoas ligadas a Operação Hígia. Ele tinha dívidas com agiotas, que podem ter aproveitado a oportunidade da repercussão para apagar o Anderson, disse.

O escritório onde Miguel foi assassinado foi vendido há 20 dias e a movimentação com o advogado Gilberto Pires teria envolvido R$ 500 mil. A data de 10 de junho era o prazo dado pela própria vítima para deixar o local; foi morto nove dias antes.

A maioria das causas trabalhistas de Anderson já não estavam sendo tratadas na sede na avenida Miguel Castro, em Lagoa Seca. O local da nova sede é desconhecido.

A venda do local, que também pertencia a Jane Alves, foi decidida em consenso e viria sanar parte dos problemas da vítima. Parte do espaço divido em nove salas já serviu para Jane Alves, sediar o setor financeiro da sua empresa de limpeza, transferido posteriormente para a casa vizinha.

O relacionamento com a ex-mulher era tido como normal e por vezes se cruzavam nos corredores do escritório. No momento do crime, Jane estava na sala da amiga identificada apenas como Ana, advogada. O aluguel por um mês no local custa em torno de R$ 1 mil  e antes da chegada de Gilberto Pires, que trouxe mais três advogados, quatro salas estavam vazias.

O crime encomendado foi idealizado e ainda intriga a polícia. As imagens do circuito interno de segurança não eram gravadas, mas serviam para autorizar a entrada de pessoas e o acesso até as salas dos advogados. No escritório, apenas Anderson e Gilberto Pires possuíam o dispositivo.

Anderson controla a entrada de pessoas na sua sala com um botão automático após aprovação com a recepcionista. Mas as vezes que tive acesso, a porta estava destrancada e não tive dificuldade em entrar, contou a fonte.

Duas das três testemunhas conduzidas à PF na noite de quarta-feira eram funcionárias do local. A recepcionista e a empregada da copa, que se encontrava na recepção no momento do crime, passaram para polícia informações fundamentais para a investigação. O primeiro contato do assassino ocorreu com a recepcionista e não foi de forma agressiva. O criminoso ainda não havia sacado a pistola. A terceira testemunha era cliente de Anderson e também estava na entrada.

O criminoso entrou no escritório de forma tranqüila e pediu para ser recebido pelo advogado. Menos de um minuto depois, Anderson estava morto dentro da sua sala alvejado por quatro disparos.

(mais…)

Novidades do caso Anderson Miguel

Passadas mais de 20 horas da morte do advogado Anderson Miguel da Silva, o corpo dele ainda não foi liberado para sepultamento. O motivo da demora é a indecisão sobre o divórcio entre Anderson Miguel e a empresária Jane Alves de Oliveira Miguel da Silva.

Os dois estão em separação de corpos há alguns meses, mas o divórcio ainda não foi legalmente reconhecido. A atual companheira e a família de Anderson Miguel querem a liberação para velar o corpo e enterrá-lo no município de Maxaranguape.

Jane Alves, que pela Lei tem o direito de escolher o local de sepultamento do marido, não concorda, que que o enterro seja em Natal

A empresária chegou no final da manhã à sede da Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) para reconhecer o cadáver, o que já foi feito. Mas ela não liberou o corpo para sepultamento.

Os advogados da família de Jane disseram que divórcio dela com o advogado não está concretizado. Já a defesa de Anderson Miguel alega que a separação já foi homologada.

Hoje pela manhã Policiais Federais realizaram uma nova perícia técnica no escritório onde o advogado  foi executado, na avenida Miguel Castro.

Preocupada com o esclarecimento do assassinato do advogado Anderson Miguel, a seccional da OAB no RN instituiu comissão para acompanhar o caso.

Em entrevista ao jornal Tribuna do Norte, o vice-presidente da Ordem, Aldo Medeiros Filho, afirmou que toda a categoria se mostra preocupada, considerando que a execução foi no escritório de Anderson Miguel.

A comissão é constituída pelos advogados José Maria Bezerra, da Comissão de Direitos Humanos; e Antônio Carlos de Souza, especialista em direito criminal. Além deles, comporão, a presidência Caio Graco Pereira e Leonardo Dias, amigo pessoal de Anderson..

Enquanto isso, segue um mistério a identidade do assassino.

Ainda ontem, quando diligências foram realizadas, um suspeito foi conduzido à sede da Polícia Federal, em Lagoa Nova.

Acareação com três testemunhas do crime, somada a exames periciais, descartaram a possibilidade de envolvimento do suspeito.

Daqui a pouco, a PF deve esclarecer como andam as investigações – ou se o assassino já foi identificado – em coletiva na sede da PF.

Anderson Miguel. Passo a Passo

Tribuna do Norte:

Operação Hígia

A Operação Hígia foi uma investigação da Polícia Federal que, no dia 13 de junho de 2008, cumpriu 12 mandados de prisão e 42 ordens de busca e apreensão em Natal e em João Pessoa, devido a possíveis fraudes em licitações da Secretaria Estadual de Saúde e recebimento de propina por parte de pessoas influentes no Governo do Estado, durante a gestão de Wilma de Faria. Entre os presos estava o filho da então governadora, Lauro Maia.

As investigações davam conta de possíveis irregularidades no contrato da Secretaria Estadual de Saúde com a empresa A&G, que prestava serviços gerais à Sesap. De acordo com as investigações e os depoimentos colhidos, ocorria o que se chama de “tráfico de influência” por parte de membros do primeiro escalão do Governo do Estado e familiares da então governadora. Eles supostamente trocavam cargos por apoios políticos e cobravam propina para membros de empresas terceirizadas para que o pagamento dos contratos fosse efetuado.

Além de Anderson Miguel, são réus na Operação Hígia Edmílson Pereira de Assis, Francinildo Rodrigues de Castro, Francisco Alves de Souza Filho, Genarte de Medeiros Brito Júnior, Herbert Florentino Gabriel, João Henrique Lins Bahia, Jane Alves de Oliveira Miguel da Silva, Lauro Maia, Luciano de Souza, Marco Antônio França de Oliveira, Maria Eleonora D’Albuquerque Castim, Mauro Bezerra da Silva, Rosa Maria da Apresentação Caldas Siminetti e Ulisses Fernandes de Barros

Depoimento

Em depoimento no dia 25 de novembro de 2010, Anderson Miguel, proprietário da A&G, confirmou o esquema de corrupção e citou os nomes de outras pessoas que poderiam estar envolvidas, incluindo o irmão da ex-governadora Wilma de Faria, Fernando Faria, e o ex-deputado estadual Wober Júnior (PPS).

Apesar de não haver confirmação por parte do réu, nem do Ministério Público ou da Justiça, foi levantada a hipótese de que Anderson Miguel tivesse conseguido o benefício da delação premiada.

Briga

A empresária Jane Alves, ex-mulher de Anderson Miguel, rebateu o depoimento do ex-marido. No dia 17 de dezembro do ano passado, Jane Alves disse que foi ameaçada por Anderson Miguel e que houve a tentativa de impedir que ela levasse ao depoimento documentos referentes aos contratos da A&G com o governo do Estado.

(mais…)

Interrogatório do suspeito de matar Anderson Miguel encerrado

Já acabou interrogatório na PF do suspeito de matar o advogado Anderson Miguel. O Suspeito se chama Wesclei e, não há confirmação que foi ele. Wesclei alegou não saber do que se trata.

A PF está nesse momento em diligências e vai colocar o suspeito para fazer exame residuográfico (exame para encontra pólvora) na própria Superintendência da Polícia Federal.

Em instantes mais novidades

Suspeito da morte de Anderson Miguel será submetido a exame

Nominuto.com

O suspeito de envolvimento no assassinato do advogado e empresário Anderson Miguel, ocorrido à tarde em Lagoa Nova, será submetido a um exame residuográfico na Superintendência da Polícia Federal.

O objetivo é encontrar algum vestígio de pólvora nas mãos, índicio que pode incriminá-lo quanto ao uso de arma de fogo.

Após ser submetido ao exame, o suspeito vai participar de uma acareação com três testemunhas que estavam no escritório de Anderson Miguel no momento do crime.

Ele foi detido por policiais militares perto do forno do lixo, no Planalto, e estava em um Siena branco, que bate com a discrição dada a polícia do veículo usado pelos assassinos

Morte encomendada!!!

Foto Canindé Soares

A morte do advogado e empresário Anderson Miguel, incriminado e também denunciante na Operação Higia, vai trazer o rumoroso caso de volta ao noticiário. Por enquanto e até que a Policia apresente conclusões sobre o assassinato ou apresente os autores, o campo está aberto a muita especulação, mesmo que velada.
O Blog do BG não quer fazer especulações, mas somente algumas perguntas:
A quem interessava a morte de Anderson Miguel?
Ele vinha recebendo ameaças?
O autor dos disparos só chegou a sala depois de se fazer anunciar. O assassino já estivera antes no escritório, já fora visto nas proximidades ou era conhecido pelo advogado?
Além dos negócios envolvidos na Operação Higia, a que outros negócios se dedicava o advogado?
A resposta a estas perguntas pode dar o rumo das investigações e apontar quem armou o assassino de Anderson Miguel.
Porque de uma coisa é possível ter certeza: o crime foi uma execução ousada, porque o assassino não escondeu o rosto e entrou no escritório com um único propósito: eliminar o advogado

Preso suspeito de matar Anderson Miguel

Blog Jackson Damasceno

O homem preso agora há pouco pela Rocam, suspeito de matar Anderson Miguel, está sendo levado para uma unidade da PM para ser reconhecido por testemunhas. Pelo menos três pessoas disseram quem são capazes de reconhecer o homem que matou o empresário. O suspeito foi detido em um Siena Branco, no Planalto. O mesmo carro usado no crime. Os tiros que mataram o empresário são de pistola .40

Anderson Miguel assassinado à queima roupa

Anderson Miguel

As 16:50 de hoje um sujeito moreno entrou no escritório do advogado Anderson Miguel (que estava envolvido na operação Higia). O homem foi anunciado, entrou na sala do advogado e deu 4 tiros à queima-roupa. A recepcionista  do escritório só veio dar conta do assassinato quando escutou gritos e o sujeito saiu correndo. Tudo indica que havia um Siena Branco na rua lateral esperando pelo assassino. Advogados associados do mesmo escritório só vieram perceber o crime com a chegada da polícia, que por coincidência tinha um viatura por perto. O escritório, apesar de ter câmeras de segurança que filmaram tudo, não têm as imagens registradas por que o sistema não gravava.

O corpo está no chão da sala dele, neste momento. Também há cápsulas no chão, o que indica que os tiros foram de pistola.

* Está confirmado que o assassino fugiu num Siena de cor branca. Não se sabe se mais homens participaram da ação. A forma que foi assassinado o advogado mostra claramente que foi um crime de pistolagem.

Relembre o Caso Hígia:

A Operação Hígia foi deflagrada em 2007 pela Polícia Federal para apurar irregularidades nas contratações de serviços terceirizados à Secretaria Estadual de Saúde.

Anderson Miguel, cuja empresa foi contratada, revelou ano passado em depoimento ao Ministério Público Federal, um esquema de propina e facilitação de pagamentos que envolvia o filho da então governadora Wilma de Faria, Lauro Maia, e outros servidores de primeiro e terceiro escalão.

Anderson Miguel era investigado por envolvimento em outros crimes.

*Em instantes mais detalhes