FOTO: Assaltantes morrem em confronto com PMs no interior do RN

Foto: PM/Divulgação

O portal G1-RN destaca nesta segunda-feira(19) a morte de dois assaltantes durante um troca de tiros com policiais militares na cidade de Santana do Matos, na região Central potiguar, na noite do sábado (17). De acordo com a PM, os dois homens, que estavam em uma motocicleta, haviam roubado uma pessoa, e estavam cometendo um segundo crime quando um policial militar à paisana percebeu a ação. Na ocasião,  houve reação e troca de tiros.

Segundo a PM, um dos bandidos foi baleado e morreu no local. O segundo ainda tentou escapar, mas logo em seguida foi baleado ao também trocar tiros com outro policial militar. Com os dois bandidos os policiais apreenderam duas pistolas de fabricação caseira.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lope disse:

    Deveriam ganhar um bônus por cada bandido morto!!!… ou desculpem estamos no RN, onde família de bandido que mata e rouba, e indenizada e as vítimas são condenadas… 😡

  2. Costa disse:

    Esse POLICIAL deve ser condecorado por BRAVURA, CORAGEM e CUMPRIMENTO DO DEVER LEGAL, que os superiores assim façam valer o real valor desse GUERREIRO!!!!

    • PAULO disse:

      Menos, vamos guardar às condecorações para ocorrências de risco real…

MPRN e Governo do Estado firmam acordo para retirada de PMs das guaritas de presídios

Pelo termo, substituição dos policiais militares por agentes penitenciários na guarda externa das unidades prisionais potiguares deve ser concluída até o dia 31 de dezembro de 2022

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Governo do Estado para a retirada gradual de policiais militares das guaritas de unidades prisionais potiguares. O documento foi assinado pelos secretários da Administração Penitenciária e de Segurança Pública e da Defesa Social. Pelo que foi acordado, a substituição dos PMs por agentes penitenciários na guarda externa dos presídios do RN deve ser concluída até o dia 31 de dezembro de 2022.

O TAC estabelece que a Secretaria da Administração Penitenciária poderá conceder até 20 diárias operacionais por mês ao agente penitenciário que voluntariamente, em período de folga, trabalhar na custódia de presos, inclusive na guarda externa de unidade prisional, independentemente do regime de trabalho.

A Seap deverá providenciar a assunção gradativa, pelos agentes penitenciários, da responsabilidade pela guarda externa das unidades prisionais que ainda possuem policiais militares na atividade de vigilância em guaritas. Essa substituição deverá ser cumprida nos próximos três anos, sendo pelo menos um sétimo do número atual a cada semestre.

No TAC, o MPRN lembra da necessidade de se aumentar o efetivo de agentes penitenciários nas unidades prisionais em razão da gradativa retirada de policiais militares que atuam na guarda externa, bem como da iminente inauguração de novos pavilhões nos presídios de Nísia Floresta (416 vagas em Alcaçuz e 315 vagas no presídio Rogério Coutinho Madruga) e Mossoró (420 vagas no complexo Mário Negócio).

O MPRN também destaca a necessidade de que sejam criados e providos novos cargos de agente penitenciário até que se alcance a proporção de um agente penitenciário para cada grupo de 5 presos.

O Termo de Ajustamento de Conduta foi publicado na edição desta quinta-feira (25) do Diário Oficial do Estado (DOE), passando a estar em vigor.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge disse:

    Muito bom.
    Agora quando os PM’s que está à disposição do MPRN vão voltar para a PM?
    Hipocrisia muita!

Assaltantes morrem em troca de tiros com PMs após perseguição em Natal

Dois assaltantes morreram na noite dessa segunda-feira (20) ao trocarem tiros com policiais militares na Zona Norte de Natal. De acordo com a Polícia, o confronto aconteceu no conjunto Alvorada, após quase dois quilômetros de perseguição. A dupla estava em um Kia Cerato roubado. Na ocasião, duas armas de fogo foram apreendidas.

Segundo a Polícia, os bandidos roubaram o Cerato no conjunto Parque dos Coqueiros, no bairro Nossa Senhora da Apresentação. Durante a ação criminosa, chegaram a pé e renderam o dono do veículo, que estava parado na frente da casa dos filhos. O detalhe é que um dos bandidos usava uma muleta. Logo após o assalto, a Polícia Militar foi chamada e começou afazer buscas pela região.

Ainda segundo a Polícia, o veículo roubado foi localizado quando transitava pela Av. Pompeia, onde deu início a perseguição. Em fuga, já na Rua Vale do Sol, os bandidos bateram o Cerato em um caminhão, e começaram a atirar contra os policiais. No revide, os dois assaltantes foram baleados. Eles ainda foram socorridos ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiram aos ferimentos.

O carro roubado ficou com dezenas de marcas de tiros na lataria. A viatura da PM também levou vários tiros, mas, felizmente, nenhum policial foi atingido.

Com acréscimo de informações do G1-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ana leticia disse:

    -2
    .PM

  2. Carlos disse:

    Parabéns aos policiais e a nossa gloriosa Polícia Militar do RN.

  3. LULADRÃO disse:

    Finalmente uma notícia boa. Continuo acreditando que um projeto de lei deveria ser aprovado nos Poderes Legislativos para premiar o policial que matasse bandido. Seria concedido desconto progressivo no IPTU, IPVA….

Senador Styvenson Valentim fala que existem policiais que usam drogas como crack e cocaína e defende exame toxicológico, destaca UOL

O capitão Styvenson Valentim (Podemos-RN) é o senador mais votado do Rio Grande do Norte nas eleições de 2018. Imagem: Diego Bressani/UOL

“Defendo que todos os policiais façam exame toxicológico”, afirma o senador Styvenson Valentim (Podemos-RN) em entrevista ao UOL. “Sabe por quê? Você sabe quantos policiais hoje estão segurando um fuzil 5.56, uma calibre 12, que usam crack? Que cheiram cocaína? Sabe por que não sabemos qual é esse número? Porque não é feito o exame toxicológico obrigatório. Pode acreditar que não são poucos.”

Para provar que não fala da boca para fora, Styvenson, que é capitão da Polícia Militar do Rio Grande do Norte, publicou recentemente seu exame toxicológico em suas redes sociais (os resultados foram negativos), e defende que seus colegas façam o mesmo. “Falo por mim, mas qual o motivo de quem não quer fazer isso? Qual o problema? O que tem para esconder? “, questiona.

“Fiz para mostrar que não sou usuário de drogas e tenho capacidade de trabalho. Eu defendo que a população exija retidão e capacidade e moralidade de todos os seus representantes. Agora, ninguém me exigiu isso não”.

“Como que você vai atuar na rua, no policiamento, muito doido? Primeiro que o policial que está na rua lidando com o público não pode estar alterado, drogado, para não colocar a população em risco. Segundo, é que um cara desse pode ser também corrupto. vai prender um traficante e tomar a droga dele”, afirma o capitão da PM, que atuou na força por 15 anos. Na opinião dele, um antidoping por amostragem, como é feito entre os atletas em competições oficiais, poderia ser estabelecido entre os policiais.

Exame toxicológico na escola

Ele conta que quando codirigiu uma escola militarizada (gerenciada em parceria entre estado e militares) na periferia de Natal, implantou o exame toxicológico por amostragem entre os alunos. “Se você sabe que vai ser testado, isso já tem um efeito de dissuasão né”, acredita. Ele diz que na época a ideia causou polêmica — a medida não tem amparo legal e nenhum estudante pode ser obrigado a fazer um exame do tipo em escolas públicas — mas no final a comunidade aprovou o estilo dos PMs na cogestão da escola. O resultado é incerto. “Nunca pegamos ninguém no teste.”

“Robocop” apreendeu carteira do próprio chefe

Famoso no Rio Grande do Norte como o “Robocop da Lei Seca”, apelido que ganhou pelo porte físico aliado ao rigor na aplicação de multas e apreensão de carteiras de habilitação quando comandava as blitz da Lei Seca em Natal, o capitão Styvenson é um fenômeno da chamada “nova política” — parlamentares e governantes eleitos no ano passado, notoriamente pregressos da área de segurança pública, que nunca tinham disputado uma eleição e nem tinham experiência na administração pública.

O capitão chegou a apreender a carteira de motorista do ex-ministro Henrique Eduardo Alves (MDB-RN) e do próprio comandante dele na PM.

O mais votado do estado

Styyvenson abandonou a PM e elegeu-se o senador mais votado do Rio Grande do Norte, com 745.827 votos pela Rede (já trocou a legenda pelo Podemos, após conversar com o senador Álvaro Dias). Na disputa, desbancou nomes tradicionais e fortes da política no estado, como o ex-ministro e ex-governador Garibaldi Alves Filho.

“Quando eu ganhei fiquei apavorado. Pode parecer arrogância e presunção, mas eu sabia que era o que a população queria. Eu praticamente fui obrigado a concorrer, na rua, nas redes sociais, todo mundo me pedia, foi algo natural”.

Projetos de lei

Montado no discurso da moralidade, o capitão elegeu como suas bandeiras no Senado a segurança pública e a educação — apresentou 18 Projetos de Lei em pouco mais de quatro meses, um volume expressivo.

A maioria relacionada a esses temas, mas não somente: melhora no rastreamento de projéteis de munição vendidos; uso do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para pagar faculdade, tratamentos médios e cirurgias; criação de critérios objetivos para penalizar empresas por crime ambiental; cotas para estudantes carentes no ensino técnico federal; condicionar a devolução da carteira de habilitação a motoristas que a perderam a avaliação médico-psicológica; entre outros medidas.

Por hora, o exame toxicológico para os policiais ainda não está entre os projetos do capitão. Mas o combate às drogas é feito em outras frentes.

Nova legislação para drogas

A prioridade de Styvenson neste início de mandato é o PLC 37/2013, já aprovado na Câmara e que tramita há seis anos no Senado. O texto endurece a legislação brasileira sobre drogas aumentando penas. O senador assumiu a relatoria nas comissões de Assuntos Econômicos e Assuntos Sociais da Casa.

Entre os pontos mais polêmicos, o projeto traz a previsão de internação compulsória de viciados e regulamenta a atividade das comunidades terapêuticas, criando políticas para tratamento e acompanhamento das vítimas de abusos de substâncias.

Para tentar evitar a aplicação de pena de tráfico a usuários, a proposta cria um atenuante na lei. O projeto prevê a redução da pena quando o acusado não for reincidente e não integrar organização criminosa, ou se as circunstâncias do fato e a quantidade de droga apreendida demonstrarem o menor potencial lesivo da conduta. Nesse caso, a pena deverá ser reduzida de um sexto a dois terços. A norma, contudo, continua sem estabelecer critérios objetivos. Segundo o relator, caberá ao juiz avaliar caso a caso.

Para Styvenson, definir uma quantidade aceitável para o usuário seria, na prática, legalizar as drogas. “Esse projeto não se trata do quantitativo, mas do acolhimento, do cuidado, de onde serão cuidados e como serão reinseridos. Eu entendo que colocar um quantitativo seria uma permissão hoje para o uso de drogas no nosso país”, afirma.

A matéria foi aprovada na quarta-feira (8) nas duas comissões onde é relatada por Styvenson, e agora segue para o plenário da Casa. “Foi uma vitória importante por que havia muita resistência a passar o texto original, como conseguimos. O principal deste projeto não é o endurecimento de penas e outros pormenores, e sim a criação de um sistema de tratamento que funcione e seja aplicado visando o bem das pessoas afligidas pelo problema do vício”, diz.

Discussão sobre FGTS e universidade particular

Esse começo de mandato também não foi livre de polêmicas: em reportagem da “Veja” publicada em abril, Styvenson foi apontado como representante do lobby das universidades privadas por conta do PL 1539/2019, apresentado por ele e que prevê o uso do FGTS para o pagamento de mensalidades universitárias — a família de sua mulher é dona de uma Universidade particular em Natal.

A permissão é uma reivindicação antiga da Anup (Associação Nacional de Universidades Privadas). De acordo com a reportagem da revista, o PL é uma articulação da associação.

Styvenson refuta a ligação. “Meu sogro é dono de uma universidade sim, mas não precisa da minha ajuda e isso não tem nada a ver. O projeto trata, principalmente, do uso do FGTS para cirurgias”, diz ao UOL.

O senador subiu ao plenário da casa para se defender. “A quem interessa impedir um maior acesso do trabalhador ao seu FGTS se o dinheiro já é dele? A quem interessa impedir que o FGTS seja utilizado para educação do trabalhador, como meu projeto prevê? A quem interessa, deixar o trabalhador sempre à mercê — agora falando de saúde — de uma impossibilidade, de uma insuficiência ou baixa produtividade de resposta do SUS? A quem interessa ver o trabalhador cada vez mais vulnerável?”, questionou ele no discurso.

O projeto ainda não tem prazo para ser apreciado no Senado.

UOL

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    O capitão cumprindo à risca seu papelão em Brasília. Aliás, nas últimas eleições o RN elegeu sua pior bancada de todos os tempos. E de quebra ainda ganhou de presente um João da Prata.

  2. A verdade disse:

    Tenho algumas perguntas caro SENADOR de onde saíra o dinheiro para a realização destes exames? Do SUS? Da sua cartola?
    Bem, todos os potiguares sabem bem do sucesso midiatico deste SENADOR. A segurança potiguar está na UTI a anos esperavamos açoes mais efetivas da bancada potiguar. A pm potiguar não conta com orçamento proprio, estrutura ineficiente, efetivo nanico, material de uso individual inexistente ai me aparece este senhor dando declarações bombasticas.
    Outro fato curioso se o EX CAPITÃO fala com tanta propriedade presenciou algum fato que deveria ter coibido com rigor, nas entrelinhas fica duvida se foi omisso.

    • Fernando disse:

      Vc tem que concordar que entre um drogado com arma na mão e a falta desse, mais prudente e menos arriscado é que ele não esteja na rua, pois drogado com uma arma letal, cresce enormemente o risco de cometer uma insanidade.

  3. Flávio A disse:

    Agora que está na Corte em Brasília,resolveu dedurar os colegas de farda, que no mais das vezes por causa dos baixos salários e condições adversas de trabalho devem utilizar uma cervejinha ou whisky para relaxar do stress. Agora chegar a dizer que os colegas utilizam crack e cocaína,ele deveria nominar quem conhece e que faz uso dessas drogas,pois ele era um comandante e tinha a obrigação de fazer. Ou não tinha?

    • Delano disse:

      Corretíssimo senador, tem que defender a sociedade de um doente, se é viciado em drogas ou álcool, tem que ser afastado pra se tratar. Com uma limpeza dessa, com certeza, o nível da aprovação da instituição irá subir. Credibilidade só com policiais sadios.

  4. Realista disse:

    Pelézão, já começou fazendo o exame por vontade, como mesmo se falou, é válido se forem testes supresas e aleatórios. Sabemos que o que você curte não é drogas, é mais fama e dinheiro. Isaac Leão assumiu a lei seca, faz diversas blitzs, e não tem 10% da tua mídia, isso é que é ser servidor.

  5. M. Cristina disse:

    Apareceu o rapaz. Até agora não convenceu aos potiguares. Atuação pífia .

Justiça do RN mantém absolvição de PMs acusados de tortura

Os desembargadores que integram a Câmara Criminal do TJRN negaram Apelação Criminal movida pelo Ministério Público Estadual e mantiveram o julgamento que absolveu os policiais militares Paulo Victor Severiano do Nascimento, Francisco de Assis de Lima e Leandro Medeiros Urbano da suposta prática do crime de tortura e também de constrangimento ilegal majorado. A decisão teve a relatoria do desembargador Gilson Barbosa, acompanhado à unanimidade de votos.

De acordo com a denúncia do MP, em 30 de junho de 2009, no Projeto Crescer, centro de Governador Dix-Sept Rosado, os denunciados prenderam ilegalmente e constrangeram a vítima, Adgleuson da Silva Melo, com emprego de violência e grave ameaça, com o fim de obter a confissão sobre suposto crime de furto.

Segundo a peça acusatória, a vítima foi surpreendida com a chegada dos acusados, os quais a arrastaram até o quintal de sua casa e desferiram diversos chutes e o levaram até um local de pouca movimentação na zona rural e atiraram com um revólver próximo ao seu ouvido, a fim de lesionar seu sistema auditivo.

A decisão da Câmara Criminal acompanhou o entendimento de primeiro grau, que definiu que a materialidade do crime não ficou comprovada de forma suficiente a amparar uma condenação.

Segundo os autos, a vítima confirmou toda a narrativa exposta na denúncia, mas sua versão se encontra isolada no conjunto probatório, não havendo outra prova que a ratifique ou exclua inteiramente a dúvida acerca da tipicidade da conduta dos agentes policiais denunciados.

O atestado aponta a presença de lesões corporais de natureza leve no corpo da vítima, porém, segundo o julgamento no órgão julgador, não há como atribuir certeza na existência de relação entre as lesões atestadas e o suposto fato atribuído aos réus.

Outra testemunha, Francisco Valterlândio Freitas da Silva, que estava preso na cadeia para a qual a vítima foi conduzida pelos acusados, afirmou em juízo que o acusado não estava sujo de lama – como argumentou – e tampouco aparentava ter sofrido qualquer agressão.

“Com isso, apesar da equivocada abordagem de um ‘suspeito’ e da má condução de sua apreensão – tanto que foram os réus punidos administrativamente pela Corregedoria da Polícia Militar por sua conduta, mas com base no conjunto probatório construído nos autos, não há como condenar os réus nas penas do hediondo crime de tortura”, define o julgamento na Câmara.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LOL disse:

    Ainda há juízes de vergonha. A coisa mais fácil para um juiz (e talvez a mais "humana") é condenar um policial militar, tal como deseja o perseguidor MPE.

    Meus parabéns aos magistrados pela decisão.

Canoa em que estavam PMs que trocaram tiros com criminosos em Natal é encontrada

As equipes de busca encontraram na tarde desta sexta-feira (11) a canoa em que estavam os policiais militares que trocaram tiros com criminosos no Rio Potengi, próximo à comunidade do Passo da Pátria, na Zona Leste de Natal. O barco estava no próprio rio, em uma região de lama. Na canoa, que tem marcas de tiros, foi encontrado o material de pesca usado pelos PMs. O subtenente PM aposentado Amaurí Soares Firmo segue desaparecido no rio.

As buscas foram realizadas por uma lancha do Corpo de Bombeiros, uma lancha da Marinha, uma da Escola Náutica e três jets skis cedidos. Depois de encontrar a canoa, as buscas continuam na tentativa de localizar o subtenente Amaurí Firmo.

Segundo o comandante do policiamento metropolitano, tenente-coronel Zacarias Mendonça, estavam no mesmo barco nesta quinta (10) o subtenente aposentado, o sargento João Maria da Silva e mais um amigo deles, que é civil. “O subtenente tem o hábito de pescar ali no rio”, afirmou Mendonça.

G1RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flavio disse:

    e o helicóptero?? cade??

PMs não se reconhecem durante abordagem e atiram no outro em Natal

A InterTV Cabugi destacou uma confusão envolvendo policiais que por pouco não terminou em tragédia na noite dessa quarta-feira(21),  o bairro das Quintas.  De acordo com a Polícia Militar, dois policiais da instituição, sendo um à paisana, não se reconheceram durante uma abordagem e iniciaram uma troca de tiros. Na ocasião, enquanto o PM fardado iniciava a abordagem, o segundo, que estava no veículo, abriu fogo. O resultado acabou com os dois baleados e socorridos.

Segundo a matéria, o soldado fardado voltava para casa depois de trabalhar em uma blitz na Avenida Bernardo Vieira . No caminho, visualizou um Golf que seria suspeito e decidiu realizar a abordagem. O desfecho e falta de comunicação só não foi pior por sorte. O PM fardado foi atingido no abdômen, enquanto o outro policial foi atingido por dois tiros no braço esquerdo. Ambos passam bem.

A Polícia Militar, através de seu comandante, o coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, confirmou que uma investigação interna será instaurada para averiguar o caso, no mínimo, estranho.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Elson disse:

    Imagine , saber que seria essa a policia que defende a população ! Ilario , kkkkkk

  2. Adalberto disse:

    Essa é policia do RN.

  3. Bruno Tx disse:

    Esses caras ainda vivem querendo aumento, um monte de Mobral !

  4. Silvio disse:

    O soldado NÃO reconheceu a farda do colega?

"Só estamos tomando água hoje porque fizemos uma vaquinha pra comprar um tambor", diz PM em Caicó

O Blog da Associação dos Praças da Polícia e Bombeiros Militares do Seridó(APBMS) divulgou nesta quarta-feira(14), a informação de um policial militar, que desabafou sobre a situação caótica em que os profissionais trabalham. “Só estamos tomando água hoje porque fizemos uma vaquinha pra comprar um tambor”.

Confira na íntegra clicando no endereço http://apbms.blogspot.com.br/2014/05/so-estamos-tomando-agua-hoje-porque.html

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. TITICO disse:

    ACREDITE; É A ROSA, GARI E JAJÁ. É NISSO QUE DÁ.

Após assassinato de soldado em Parnamirim, PMs se revoltam e convocam protesto nesta quinta, em frente ao Midway

Através das redes sociais, policiais militares, indignados com mais uma morte violenta de um companheiro de farda, no fim da noite dessa quarta-feira (26), em Parnamirim, enquanto fazia um bico (Veja mais aqui), começam a convocar a classe para um protesto nesta quinta-feira (27), na capital potiguar. Na “chamada”, os PMs falam que acabaram de acordar um grande gigante. Confira abaixo:

“Companheiros espalhem nesse momento em seus faces e grupos de whatsapp: chega de impunidade. 12h, em frente ao Midway Mal, todos os companheiros de serviço e folga, inclusive, as viaturas, que é para nos dar apoio ao movimento temporário. Luto e indignação pela morte do nosso irmão.  Vamos lá companheiros, chegou a hora. Vamos a luta! Espalhem , irradiem quem estiver de serviço pelo rádio , vamos todos para lá irmãos. Comandantes de viaturas, levem suas vtrs e informem pelo rádio mesmo o motivo de estarem indo para lá. Companheiros de folga, saiam das suas casas agora, tomem café, espalhem o movimento e vão pra lá. Quem sabe eles não acabaram de acordar um grande e poderoso gigante”

Do local de encontro e protesto, os PMs seguirão em comboio para o município de Arez, onde o soldado será enterrado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mauro disse:

    Então a lei não respeita a lei? E o nosso direito de ir e vir, como fica? Pessoal, vão protestar noutro canto! Que tal a casa da governadora?

  2. Rosaldo disse:

    Não entendi este protesto… É contra os bandidos??????? Se a obrigação de prender bandidos é da polícia, eles vão protestar contra quem??????

  3. Sergio Nogueira disse:

    O pecado que o Midway cometeu deve ser muito grave mesmo. Qualquer um marca manifestação para lá. Será que cabe aos lojista a solução dos problemas do mundo? Deve ser.

  4. Rafael Vale disse:

    PQP vão protestar em frente a sede do Governo ou em frente a casa da governadora, tem que acabar com essa mania de prejudicar a população com esses protestos em frente ao Midway.

  5. reginaldo disse:

    quando merrem pessoas comuns não há revolta.

MP investiga supostas agressões de PMs em menores infratores após tumulto em Ceduc de Caicó

Segundo reportagem do portal G1-RN, pelo menos 14 policiais militares estão sendo apontados como suspeitos de terem espancado – a chutes, socos e golpes de cassetete – adolescentes apreendidos no Centro Educacional (Ceduc) para menores infratores de Caicó. O promotor Vicente Elísio de Oliveira Neto, titular da 1ª promotoria de Justiça da comarca da cidade, disse que as agressões teriam ocorrido na noite desta última segunda-feira (24), por isso, foi instaurado um inquérito civil para “apurar as circunstâncias em que se deu o espancamento de 19 dos 19 socioeducandos internos no Ceduc Caicó”.

Ainda segundo a reportagem, as supostas agressões, segundo o promotor, aconteceram após os adolescentes terem ateado fogo em um pedaço de colchão. Depois da confusão controlada, os PMs teriam enfileirado os menores em um corredor e iniciaram a pancadaria.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Henrique disse:

    Homem isso deve ter sido só um corretivosinho, só para os "meninos" aprenderem que colchão não se queima, coisa inerente ao processo educativo ao qual estão submetidos esses menores, a Polícia estava fazendo o que os Pais não fizeram em casa, somente isso!!!

    Agora eu apoio uma investigação rigorosa para saber quem foi que abriu as celas para estes educando saírem após eles terem iniciado inquebrável quebre e ateado fogo nos colchões, tinha era que ter cercado tudo e deixado o fogo fazer a parte dele.

  2. Guimarães disse:

    Me dá vergonha de ser brasileiro a cada dia que se passa! O MP só sabe defender vagabundo e gente sem futuro! Que ver se eles vão atrás de justiça quando morre um policial… Por isso que as coisas estão assim. É daí para pior! Num país onde vagabundo é cheio de direito e cidadão de bem cheio de deveres, só o que tem de se esperar é isso, injustiça e aumento da safadeza!! Realmente a justiça é cega(para algumas coisa e algumas pessoas)!!

Capitão e soldado da PM são indiciados por morte de universitário do CE após furo de barreira em Mossoró

JFCReprodução: Facebook

A Delegacia Especializada de Homicídio em Mossoró, através do delegado Cleiton Pinho, indiciou um capitão e um soldado da Polícia Militar do RN pela participação na morte do universitário cearense José Fernandes Castelo, de 19 anos, baleado nas costas em abril do ano passado, depois de furar uma barreira policial na cidade de Mossoró.

Segundo o delegado, em entrevista ao G1-RN, o oficial que comandou a ação foi indiciado por adulteração da cena do crime, pois ficou comprovado durante a reconstituição que ele removeu o veículo em que o jovem estava quando foi baleado. Já um dos soldados, acusado de efetuar os disparos que atingiram o carro e as costas do rapaz, também foi indiciado. As identidades dos policiais militares não foram divulgadas.

Por fim, segundo o delegado Cleiton Pinho, caberá ao Ministério Público decidir se representa pela qualificação do crime como homicídio doloso ou culposo. O MP recebeu o inquérito, mas ainda não ofereceu a denúncia ao Tribunal de Justiça.

Com informações do G1-RN

PMs no RN perdem direito a preencher vagas em novo concurso

 Um grupo de policiais militares moveu o Agravo de Instrumento n° 2013.009318-4 contra uma decisão da 4ª Vara da Fazenda Pública de Natal, com o objetivo de obter o direito a preencher vagas para o curso de formação de Cabos, sob o argumento de que foram aprovados no concurso anterior, realizado em 2002.

Um recurso que não obteve provimento no julgamento da 3ª Câmara Cível, sob relatoria do desembargador João Rebouças.

Segundo a decisão, mesmo com os fundamentos trazidos pelos PMs e os elementos probatórios juntados aos autos, percebe-se que os autores do recurso foram sim aprovados, mas classificados fora do número de vagas previsto no edital, o que não confere aos candidatos direito subjetivo à nomeação, mas apenas expectativa de direito.

A decisão acrescenta que o certame era eliminatório e classificatório, uma vez que somente se submetiam à fase seguinte os candidatos aprovados na fase anterior e que estivessem aprovados dentro do número de vagas, de acordo com o item 4, capítulo IV do edital.

Fora da quantidade de vagas

“Dessa forma, os agravantes não se tornaram aptos a realizarem a segunda fase do concurso, pois foram aprovados na 1ª fase (prova intelectual) fora do número de vagas estabelecido”, destaca.

Para decidir, o desembargador também ressaltou que a validade do certame expirou em 2006, e dentro do prazo de validade do concurso não houve abertura de vagas que abrangesse a colocação dos recorrentes.

Assim, o fato de os agravantes haverem logrado aprovação, fora do número de vagas, na seleção anterior (Portaria n.º 1079/01), não assegura suas vagas, automaticamente, no concurso atual (2012) para o qual sequer concorreram, a menos que o Edital deste ano previsse tal possibilidade, o que não é caso, já que sequer consta tal informação nos autos.

TJRN

Polícia Militar paga diárias aos policiais que trabalharam no Carnatal

Os Policiais Militares, que foram empregados durante o Carnatal 2013, já podem retirar nesta sexta-feira (13) os respectivos valores relativos às suas Diárias Operacionais.

A ordem de pagamento foi assinada pelo Comandante Geral da Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte, Coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, logo após o evento.

Durante toda a festividade, foram empregados cerca de 300 Policiais Militares diariamente, os quais garantiram a segurança e a tranquilidade para os foliões e público presentes. O Carnatal 2013 foi realizado no último fim de semana e foi considerado um dos mais tranquilos para a Polícia Militar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. luiz disse:

    ACHO ENGRAÇADO QUE ESSE TIPO DE NOTICIA, MAURICIO GIOVANNI E O 'DELATOR' NAO SAO HOMENS O BASTANTE PARA COMENTAREM. RUMA DE COXINHA REACIONARIO!

  2. EVILÁSIO JR. disse:

    Fazer uma festa grandiosa, privada e rentável com recursos provenientes de impostos pagos pela população é muito cômodo. Pobre de nós contribuintes.

PMs realizam protesto na BR-101, em frente ao Arena das Dunas

111111111 22222222222 333333333333 PM-PROTESTOFotos: Claudio Abdon/Abrahão Jr através do Via Certa Natal

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do RN – ACSPMRN e demais entidades representativas de praças do Estado vem realizando um processo de conscientização da tropa e da própria sociedade com objetivo de alertar sobre a falta de estrutura encontrada pelos policiais militares no seu ambiente de trabalho e os riscos que isso traz para a segurança desses profissionais, bem como, o comprometimento da qualidade do serviço prestado a população.

O movimento denominado “segurança com segurança” tem mostrado para a população em geral a “poeira que estava debaixo do tapete”, ou seja, uma deficiência dos recursos materiais utilizados pelos policiais militares que não era visto pela sociedade, haja vista que era comum a maioria das viaturas saírem para o policiamento diário com pneus carecas, com freios danificados, dentre outras irregularidades, algo que não está mais sendo tolerado pelos militares.

Além de denunciar a falta de estrutura, essa campanha deflagrada pela tropa e que recebe o suporte logístico e jurídico das entidades, visa também a busca pela valorização profissional dos militares estaduais, o que passa necessariamente pela aprovação da Lei de Promoção das Praças, algo que irá reparar a injustiça que ocorre atualmente, onde um soldado entra e sai da corporação depois de trinta anos na mesma graduação.

Para dar maior notoriedade e chamar a atenção da sociedade para esse problema, a ACSPMRN e demais entidades, militares estaduais e seus familiares iniciariam uma concentração no acampamento da Governadoria, e saíram até o entorno do estádio Arena das Dunas,a partir de 14h desta segunda-feira(9), e realizaram um “abraço” simbólico no estádio.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Napoleão disse:

    O que falta no setor público em qualquer área é o comprometimento do funcionário público,pois ele fez o concurso público para receber o salário e não gratificações.Vão trabalhar onde a maioria não quer dar uma hora de trabalho!!!!

  2. José Antônio disse:

    Esses caras querem o que? entrar soldado e sair Coronel? ora, vão tarbalhar que vocês não fazem é nada, incompetentes.

    • Kleilton disse:

      Incopentente é vc José Aldo que nunca vestiu uma farda, nunca correu atras de ladrao, assaltante, estrupador e etc, e fica julgando quem protege a sua vida. Và trabalhar vc que só basta ver uma pessoa mal vestida na rua que ja sai chamando a PM. Vc se acha tao machao, pq nao vai falar isso pra os q estao emfrente a Governadoria acampados? Somos seres hulmanos e merecemos respeito, procure saber mais antes de falar besteira, pois diferente de vc nois produzimos…

  3. Francisco Ferdinando disse:

    Olha só quem está protestando agora… bala de borracha e gás lacrimogênio neles!!

TJRN: PMs são absolvidos da acusação de Improbidade Administrativa

 O juiz Cícero Martins de Macedo Filho, da 4ª Vara da Fazenda Pública de Natal, julgou improcedente uma ação de improbidade administrativa contra três policiais militares pela prática de  ato de improbidade administrativa consistente em enriquecimento ilícito (art. 9º, da Lei nº 8.429/92).

De acordo com o Ministério Público, a improbidade administrativa consistiu no fato de que os acusados, no exercício dos cargos de policiais militares e mediante uso de ameaça, exigiram e obtiveram vantagem econômica de terceira pessoa, uma vez que a conduziram a um supermercado e o obrigaram a realizar um saque de R$ 20,00, que era o saldo disponível de sua conta bancária; a realizar compra de alimentos e um aparelho de barbear no valor de R$ 32,17; e a lhes repassar o dinheiro sacado e os produtos adquiridos.

Os acusados se defenderam das acusações e juntaram aos autos processuais cópia de sentença proferida no Juízo Criminal da 11ª Vara de Natal, de uma Ação Penal em que todos os três foram absolvidos. Pediram pela improcedência da ação.

Posteriormente, o próprio MP entendeu que a prova é insuficiente para uma condenação dos réus, e pediu pela improcedência da ação. Isto porque considerou que os depoimentos prestados na instrução importam em fundadas dúvidas acerca da veracidade das informações prestadas pela vítima, as quais não puderam ser dirimidas na instrução processual.

Para o magistrado, realmente nos autos não há a mínima prova dos atos ímprobos atribuídos aos réus, de sorte que entendeu desnecessárias, na sentença, maiores considerações, diante das claras observações ofertadas pelo MP, não havendo outro caminho senão o de que declarar a improcedência da presente ação.

TJRN