Judiciário

Alexandre de Moraes derruba decisão que antecipava retorno de professores do RN para aulas presenciais

Foto: Jorge William/O Globo

O ministro do STF, Alexandre de Moraes, derrubou a decisão da primeira instância do judiciário potiguar que determinou o retorno imediato dos professores para aula presencial para que seja retomado o plano de retomada gradual.

O ministro deferiu o pedido impetrado pelos advogados do SINTE-RN contra decisão da 2ª Vara da Fazenda Pública que havia diminuído o período de avanço das fases de retorno de 14 dias, retornando o período anterior de maior tempo.

Matéria completa AQUI no Justiça Potiguar

Opinião dos leitores

  1. Me diz aí… pq tem professor que fica passeando nos shopping, praia, pegam filas em supermercado, vão pra cinema e até festas. Mas pra dar aula, não podem. Certeza, vão tomar a segunda vacina, mas não irão querer voltar, vão inventar outra desculpa, não querem nem ensino híbrido e com os devidos distanciamento, querem eh ficar em casa..

  2. Isso é uma vergonha,o interesse da governadora é economizar: luz,água, merenda,vale transporte,contrato com novos professores e etc.simplesmente agora que ela iniciou as reformas nas escolas quando já deveria tá tudo funcionando.

  3. ALGUEM assistiu a entrevista do CEO da Animã? ASSISTAM porque a aula da revolução industrial 4.0 é virtual. Chega de sermos uma vila no meio do mundo! Conservadorismo nessa hora não traz evolução. Aula presencial merece a falencia de vez. Não traz qualidade de vida p/ quem ensina e ainda aumenta os custos p/ pagar professores no presencial com instalações e etc. O Google é um bom espelho de como uma empresa e o governo deve tratar seus colaboradores. Vejam a qualidade de vida e vntade de trabalhar deles. A Animã tem o mesmo pensamento de futuro. Mas os conservdores ainda gostam do quadro de giz. A Animã salvo engano ia comprar ou comprou a UNP, Estácio, Mauricio de Nassau e etc, é a maior empresa de educação do pais, veja o quanto eles detestam as aulas presenciais

  4. Nós professores estamos trabalhando mais agora do que estávamos em sala de aula. Pois tivemos que aprender as novas tecnologias, temos que gravar aula,editar,e além do mais temos que corrigir e ir atrás dos alunos mesmo sendo por celular. Não somos vagabundos, somos vencedores, nos reiventamos todos os dias e sou da Paraíba, não é sol,praia e diversão, e sim,trabalho, trabalho .

    1. Tem professor que não sabe nem usar um computador, verdadeiros analfabetos digitais

  5. Vocês que serão chamando professor de vagabundo deveriam olhar pra si mesmo e respeitar a categoria. Vocês não sabem o que pisar numa sala de aula para estar com vários alunos que exigem proximidade ainda mais os bem pequenos. Respeitem minha profissão nós trabalhamos e muito mais que essa sociedade podre que nos julga e ainda compramos as coisas do nosso bolso porque governo nenhum da nada pra gente trabalhar não!! Vcs queriam estar trabalhando para um órgão ou empresa e ter que arcar tudo do bolso de vcs para o trabalho. Tou falando de coisas pessoais não. Tou falando de presentes, dinheiro, material para doar a crianças carentes e pobres que não tem e se a gente não comprar, não conseguimos trabalhar!!! Agora os professores deveriam dar uma lição nessa sociedade que os julga e se valorizar, deixar eles verem a educação parar, e os filhos e netos desses pais não terem gosto de ir pra escola porque lá não tem nada, brinquedo nada e achar um saco aprender. E a gente ficar lá dando aula só com a cara mesmo e deixar esse povo maldoso sentir na pele o que a gente passa! Acordem professores, se valorizem!

    1. Agente respeita a sua profissão.
      O que agente não entende porque vcs não querem trabalhar.
      Médicos, enfermeiros, permissionário dos Ceasas e o agro negócio não parou um único dia.
      Se parar quem peoduz alimentos no campo, você morre de fome.
      E aí??
      Vc tem essa consciência??
      Vá trabalhar, larga de mimimi e de preguiça.
      Voto limpo ja!

  6. Os professores já estão vacinados, uma boa parte com as duas doses…! seja por alguma comorbidade, ou por idade e os demais com pelo menos uma dose….
    Infelizmente há um descaso do governo da “professora Fátima” em não ter tomado providências na infraestrutura das escolas e dos mestres que sabem que a maioria dos alunos não tiveram nem tem acesso ao ensino remoto.
    Mas quem importa são os pobres que foram e serão os únicos prejudicados e morreu Maria Preá…

  7. Eu tenho um parente, primo, que já fez uns 15 concursos público e não passou em nenhum. É bolsonarista e vive metendo metendo o pau em servidor público. Mas o frustrado vive fazendo concurso. Ai em baixo tem alguns frustrados, que não passam nem em prova fundamental. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  8. Você tem como provar que os professores estão sem trabalhar? Sr Jacinto a sua expressão de julga-los de vagabundos é defamação gravíssima!!! Arquive as provas.. eles podem te processar por esse meio. A questão os professores estão trabalhando.. as escolas é que não abrem as portas devido a condições sub-humanas. Critério nas palavras!!!

  9. Isso não era pra nem STF ter jurisdição… Quem deveria decidir a esse
    respeito era a justiça local.

  10. Está do jeito que alguns professores vagabundos gostam, ficarem ganhando dinheiro sem trabalhar, mas também de quem vem a decisão não é pra menos

    1. Jacinto é frustrado pessoal! Ele já fez vários concursos públicos e não passou em nenhum. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  11. Ótima notícia. Chega de mortes. É preciso imunização completa para os professores. Quem sabe o Estado toma vergonha e compra logo a vacina da Johnson para os professores. Coisa que já deveria ter feito a muito tempo.

  12. Tá ou não tá precisando fazer uma FAXINA geral em cima dessa vagabundagem??
    Sei não!
    O cara ser contra a volta de aulas, é de lascar.
    O tempo que deu pra preparar as escolas e o desgoverno grelo duro não fez nada, pelas caridades.
    A coisa ta feia.
    Se o povo não botar quente a favor desse voto limpo, esse país junto com os brasileiros vai se fuder.
    Bolsonaro tem toda razão, TODA.
    estão usando a tal democracia pra lascar o país de cabo a rabo.
    Tá tudo aparelhado, combinado.
    Só o povo mesmo, pra botar quente pra cima desses caras, e mesmo assim tá difícil, estão ignorando as manifestações da maioria da população brasileira.
    Só não vê quem não quer.
    Mas já está em curso um plano macabro, diabólico pra cima de nós.
    O vagabundo do Ze Dirceu falou, vamos tomar o poder, e estão tomando.
    Prestem muita atenção no que esses caras estão fazendo tá??
    Muito preocupante.
    Muito!!!!

  13. Os professores não tem o ensino público, como prioridade.
    O governo do Estado da Sra Fátima Paraíba também não.
    Professores querem praia e Sol.

  14. O magistrado não tem compromisso com a educação dos brasileiros. Medo de ser engolido por eles.

    1. O compromisso do magistrado é com a LEI. Mas eu sou só um b*sta que aprendo tudo pelo whatsapp e acho que minha opinião é mais importante do que a daquele que foi escolhido para ser JUIZ.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Sindicato dos Trabalhadores em Educação(Sinte-RN) orienta que professores da rede estadual não retomem trabalho presencial

A Tribuna do Norte noticia nesta segunda-feira(19) que o sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (Sinte-RN) solicitou aos professores da rede estadual de ensino para que sigam apenas em atividades remotas até que se cumpra o esquema vacinal de todos os funcionários da Educação do Estado.

Conforme calendário da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC/RN), A partir desta segunda-feira (19), os professores devem retornar às atividades presenciais. Vale destacar, especialmente, que no próximo dia 26 está previsto o retorno dos estudantes às aulas presenciais, de forma híbrida e gradual.

Opinião dos leitores

  1. Tem que cortar os salários desses sem futuros que só pensa em não trabalhar, tá na hora da PREFEITURA E GOVERNO DO RN, colocar essa gente sem futuro para trabalha, tá recebendo da PREFEITURA E ESTADO DO RN, pra ficar em casa . ESSA CLASSE DE SEM FUTURO TEM QUE TRABALHAR.

  2. Gostaria de respeito aos professores. Tem uns ignorantes aqui, que tem a mania de dizer que somos vagabundos. Vagabundos são aqueles que não tem noção do que é ficar mais de oito horas, sentado em uma cadeira ou em pé apresentando , demonstrando e falando, com recursos próprios, aumento de internet , compra de computador e celular mais potente, para dá aulas a mais de 180 alunos, entrando final de semana, onde muitos usam o watzap para dúvida e atividades. Sem horário fixo. Isso é uma falta de respeito. O outro fala , corta os salários deles, como se iso fosse resolver o problema. Pioraria mais. Porque sem salários, saliento, baixo, como iriamos comprar material para aula e para sobrevivência? Tenham respeito!!Façam concurso e venham para o nosso lugar!!!

    1. Leao, 1º parabenizo você pelo trabalho. Não é fácil e eu já falei isso aqui. Alguns alunos usam o celular do pai (único aparelho da casa em alguns casos).
      Outra coisa, essa boiada imunda não tem respeito por nada e nem por ninguém.
      É uma raça que poucos passaram por escolas, são ignorantes, praticamente uma raça criada em laboratório.

    2. Ainnnnn tadinho!! Buaaaaa !!! Coitado desse professor, ele trabalha tanto ! Vamos deixar eles mais 1 ano em casa ! Ahhh vai te catar !

  3. Casta superior de trabalho ! Todos voltaram, menos ELES ! Pq ? São especiais? Estão acima de todos os outros profissionais de todas as outras profissões? Não merecem ! O recolhimento que tinham, esta sendo jogado na lata do lixo, por pura ideologia política barata !

  4. Com a palavra a justiça, aprendi que decisão judicial não se discute, se cumpre, será que ainda vale este ditado?
    Será que um sindicalista vai peitar um desembargador, e sua excelência vai aceitar calado a desobediência?

  5. Essa turma de Lula e Fátima inventam narrativas, o que porta tem haver a mulher de Roni Lessa com o que tá acontecendo. O problema é a compra das vacinas não colou, gabinete paralelo não colou entre outras qual será a próxima narrativa desses malucos.

  6. Ainda bem que um filho meu estuda no CEI e outro na UNP.
    Todos tendo aulas normais e remota , com qualidade.

  7. Engraçado que os professores da ativa estão com os salários em dia pq são pagos com recursos do gov. federal, estão esse tempo todo a maior parte sem fazer nada, foram vacinados e os demais servidores, muitos ainda sem a vacina são obrigados a irem trabalhar presencialmente.
    Tenho um amigo que é professor, não quer retornar, mais tdo fds posta nas redes sociais fotos em pipa, bares e restaurantes.

  8. acho é pouco… xinguem mais os professores, fosse eu ainda botava um atestado de depressão e só voltava em 2023

  9. Santos, BG não vai fazer a “postagenzinha” porque a mulher do Ronnie Lessa é ou pode ser do crime, mas, não é professora sindicalizada, pelo menos não se sabe ainda, outra coisa não fique entrando e saindo de casa não dá um azar danado as vezes engancha na porta visse. Tú sabe o quê né

  10. O blog num vai fazer uma postagenzinha sobre a prisão da esposa do Roni Lessa por tráfico de armas? Pq?

    1. Aínda pergunta?
      Não pode postar nada que vá contra a família dos bolsoloides.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Em assembleia convocada pelo Sinte, 91% dos professores decidem não voltar às aulas presenciais no RN

Em assembleia remota convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte/RN), 91% dos professores  deliberaram por não voltar às aulas presenciais na rede estadual de educação. Pelo planejamento da Secretaria, publicado nesta sexta-feira (16), às escolas estaduais começam a abrir na próxima segunda-feira (19) para planejamento e passam a receber alunos, professores e funcionários uma semana depois. As informações são do Saiba Mais – Agência de reportagem.

Segundo o texto, em assembleia ocorrida na manhã desta sexta (16), os professores não confirmaram greve, mas que continuariam a trabalhar remotamente, até que todos os trabalhadores das escolas tenham sido imunizados com a vacina contra a Covid-19.

A categoria ingressou esta semana com uma ação na Justiça contra a retomada das aulas presenciais, sem que a imunização dos trabalhadores não tenha sido concluída, mas a decisão não sairá antes da data prevista para reabertura das escolas (dia 19). Sem uma definição sobre o pedido do Sindicato, continua valendo a decisão da 2ª vara da Fazenda Pública de Natal, publicada no último domingo (11), que determina o retorno presencial na rede estadual a partir do dia 19 (segunda-feira).

Com acréscimo de informações do Saiba Mais – Agência de reportagem

 

Opinião dos leitores

  1. Alguém sabe dizer se Deputados, Juízes e Promotores já voltaram totalmente ao trabalho presencial?

  2. Porque, não corta os salários desses que não querem trabalhar, é bem simples não trabalha não recebe. RESOLVIDO O PROBLEMA DESSA CLASSE DE GRANDES TRABALHADORES DA NAÇÃO. KKKKKKK

  3. Quem disse que esses ai são professores, esses ai são ladrões do ESTADO E DA PREFEITURA , estão ganhando dinheiro sem fazer nada simplesmente a gente paga impostos para sustentar esses vagabundos disfarçados de professores.

  4. Colaboração espontânea dos cumpanheros ao excelente desgoverno de Fatao, que está mais para circo de meia lona.

  5. Que vê eles voltarem pianinho logo, é só no dia 30 agora suspenderem os salários delles. E manda eles irem buscar o dinheiro no sinte.

  6. Com essa mentalidade dos professores, estaremos decretando o fim educação pública. Quem sair por último que apague a luz!

  7. Por causa desses vagabundos que os servidores públicos estão sendo criticados pelo povo. Já pensou se a saúde parasse a espera da vacina?

  8. Ainda bem, que sou professor professor da rede pública, mas meus filhos estudam na privada.

  9. Pense numa vagabundagem instituída por esse sindicato dos professores, isso é uma imoralidade. O tribunal de justiça através de algum magistrado tem que mandar trancafiar esses safados desses sindicalistas preguiçosos que só fazem mal a sociedade e ao cidadão de bem. Garanto que as farras de final de semana da classe continuam s todo vapor nos barzinhos das cidades e nas casas de praia daqueles que possuem.

  10. V A G A B U N D A G E M …esse vírus só ataca escolas públicas, supermercados, postos de gasolina etc NÃO 🤮🤮🤮

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Secretário de Educação diz que alunos da rede pública do RN voltam às aulas presenciais no dia 26 de julho

Após mais de 16 meses , as escolas da rede pública do Rio Grande do Norte voltarão às atividades presenciais na próxima segunda-feira (19), porém com acolhimento de professores e pais, para planejamento da retomada, segundo a Secretaria Estadual de Educação. Em entrevista ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi, nesta sexta-feira (16), o secretário Getúlio Marques, afirmou que os alunos deverão voltar às salas de aula no dia 26 de julho.

Segundo esclarecido pela Secretaria de Educação, as aulas deverão ser retomadas com um terço dos alunos nas aulas presenciais. No caso de uma turma com 30 estudantes, por exemplo, as escolas poderão se organizar para que um grupo de 10 alunos tenha aula presencial a cada semana.

 

Opinião dos leitores

  1. No SEMEI ns de Fátima em f camarão, só voltará as aulas, quando a engenharia da prefeitura resolver o problema do formigueiro, trocar as lâmpadas, e consertar as pias dos banheiros e da cozinha, fontes da informaçães, os gestores do SEMEI.

  2. Para recuperar esse tempo perdido, Será muito difícil, pois o Governo do estado não tem interesses e Os professores muito menos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Aulas presenciais retornam em Natal nesta quarta-feira

A cidade de Natal retoma, nesta quarta-feira (14), as aulas presenciais em 43 unidades de ensino, em todas as regiões da cidade, sendo a maioria delas Centros Municipais de Ensino Infantil (CMEIs).

Para o retorno, há a garantia de obediência de protocolos, distanciamento social e higienização dos espaços para os estudantes da capital.

As aulas presenciais na capital estavam paralisadas desde o dia 18 de março de 2020 em função da pandemia de coronavírus.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Secretário de Educação diz que condições permitem retorno das aulas presenciais

Foto: Reprodução/Saiba Mais

Em entrevista ao Balbúrdia, do Saiba Mais – agência de reportagem, o secretário estadual de educação, Getúlio Marques, disse que com a melhora e manutenção dos índices epidemiológicos da pandemia no Rio Grande do Norte, a retomada das aulas presenciais nas escolas públicas do estado acontece no próximo dia 19 de julho. A informação surge mesmo diante de um indicativo de greve votado em assembleia do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (SINTE) e o anúncio de que a entidade acionará a Justiça para manter o formato remoto das aulas até a imunização completa dos profissionais, o retorno presencial, que será gradual, foi reafirmado pelo titular da pasta. Os trabalhadores reivindicam que seja completado o ciclo de vacinação, com a aplicação da segunda dose.

Na entrevista, o secretário disse que respeita a decisão e está aberto ao diálogo, mas o plano elaborado pelo governo estadual condicionava, desde o início, a volta das aulas presenciais à melhora dos indicadores quanto à taxa de transmissão da Covid-19, que precisava ser menor que 1, e ocupação de leitos, inferior a 70%. Getúlio destaca, ainda, que a maior parte das 586 escolas da rede estadual estão preparadas para seguir protocolos de biossegurança.

Por fim, Getúlio Marques informou que a decisão segue as recomendações do comitê científico e seguirá observando os índices epidemiológicos: “do jeito que nós abrimos, nós fechamos”, caso haja aumento na transmissão da doença e ocupação de leitos. “O cumprimento desses aspectos permitirá o retorno gradual, híbrido e facultativo”.

Confira íntegra da entrevista AQUI no Saiba Mais.

Opinião dos leitores

  1. Existem condições sim nesse momento, agora essas murrinhas que dirigem esse sindicato ultrapassado dos professores do RN e que não possuem coragem para trabalhar e vivem sem fazer nada, só querem ver o quanto pior, melhor.

  2. Onde tem PT… Escolas fechadas a mais de 1 anos, estudantes pobres sendo prejudicados e professores recebendo salários sem trabalhar e vivendo no ócio. Fazem TUDO na vida menos trabalhar. A vagabundagem oficializada.

    1. Como os professores vão voltar? Estão todos turistando, nas suas casas de praias e de campo… esquerdalha quer salário e não trabalho!

  3. As escolas privadas funcionando desde sempre, só houve interrupção por um rápido período até que entendessem a situação e tomassem as medidas protetivas.
    Professor do ensino público não dá aula no ensino provado? Em um vai, no outro só quanto todos estiverem imunizados, protegidos e o ambiente seja 1000% seguro? Essa hipocrisia fede!
    Alunos das escolas públicas sem aula a mais de 01 ano e os professores recebendo seus salários normalmente. Essa conta só fecha nos governos de esquerda que não sabem fazer conta, mas se apropriam dos recursos públicos com zero de produtividade.
    O único sindicato que se pronunciou durante esses 15 meses de pandemia foi dos professores, para lutar por não trabalhar usando todo tipo de subterfúgio e continuar recebendo sem trabalhar.
    A voltas as aulas será um grande engodo, no máximo vão passar trabalhos em grupo para os alunos e aprovar no final do ano.
    Assim vive a esquerda que se diz preocupada e trabalhando para o povo, provando ser uma farsa, um erro, um eterno prometer e não fazer.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Após pedido do MPRN, Justiça confirma retomada das aulas presenciais no Estado a partir do dia 19 de julho

Foto: Reprodução

Após um pedido de cumprimento de sentença feito pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), a Justiça potiguar confirmou a retomada das aulas presenciais na rede pública de ensino do Estado para o próximo dia 19 de julho. A decisão da 2ª vara da Fazenda Pública de Natal foi publicada neste domingo (11).

A Justiça, também acatando pedido formulado pelo MPRN, alterou o prazo entre as fases de abertura proposto no Plano de Retomada apresentado pelo Governo do Estado, que caiu para 14 dias. Esse retorno às aulas será de forma híbrida, gradual e segura. O pedido de cumprimento de sentença foi proposto pelo MPRN em desfavor do Estado devido ao não cumprimento do acordo homologado pela 2ª vara da Fazenda Pública de Natal.

Pela decisão publicada neste domingo, os professores retornam às atividades presenciais na próxima segunda-feira (19), tendo a semana de acolhimento. Sobre a antecipação do tempo estabelecido para avanço das fases previstas no plano, a Justiça acatou o pedido do MPRN “tendo em vista o estado avançado de vacinação, em termos etários – atualmente em 39 anos ou com tendência a diminuir a idade da população geral – e da própria recomendação expedida pela Secretaria de Estado da Saúde Pública, em Nota Informativa nº 16/2021, de 2 de julho”.

A Justiça já determinou a intimação do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Procuradoria Geral do Estado, da governadora do Estado e do secretário estadual da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer para cumprimento da decisão.

Matéria completa AQUI no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Para a justição o virus acabou? Foi declarado o fim da pandemia? A Própria justiça ja tem atendimento presncial? A justiça sabe a gravidade do virus? Sabe também quantos brasileiros perderam a vida?

  2. Os professores já estão combinando uma greve? O sindicato já deve estar se articulando para isso.

  3. A nossa incompetente (des)Governadora não preparou nenhuma escola para ter os protocolos adequados para receber alunos e professores! O governo do RN acabou de matar a nossa educação estadual, que já agonizava.
    E agora joga a população contra os professores e deixa que eles levem a culpa pela falta de aulas.
    FORA FÁTIMA

  4. A questão de não voltar as aulas seriam pq a Governadora vai ter que dar manutenção em várias escolas que estão paradas, como ela gastou a verba só Deus sabe aonde, ela vai está em situação complicada com os problemas que virão a seguir. Até o momento ela usou do corona vírus para protelar, mas agora ela ficou encurralada.

  5. o próprio judiciário possui protocolos e atendimento presencial só por agendamento. E audiências são online

  6. Agora os professores vão fazer o gosto da Governadora e irão entrar em Greve.
    Muitas escolas do Estado, estão em péssimo estado de conservação e limpezas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Aulas presenciais na rede pública do RN serão retomadas em 19 de julho de forma híbrida e gradual, diz secretário de Educação

A Secretaria de Educação do Rio Grande do Norte começará o processo de retomada das aulas presenciais nas escolas públicas do estado no dia 19 de julho, segundo o secretário de educação do Rio Grande do Norte, Getúlio Marques. A informação foi confirmada pelo secretário durante entrevista ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi, nesta terça-feira (6). A retomada, porém, será gradual, seguindo um planejamento que foi apresentado à Justiça, mas que não trazia prazos para a retomada.

As aulas presenciais da rede pública do Rio Grande do Norte estão suspensas desde o dia 17 de março de 2020, por causa da pandemia da Covid-19.

“Nesse primeiro momento, no dia 19, são os alunos do ensino fundamental anos iniciais e do 3º ano, que vão fazer o Enem. As escolas que não tenham esses anos, que só tenham ensino fundamental anos finais, por exemplo, também já podem retomar com 33%. Nossa preocupação é que nenhuma escola tenha mais do que isso para garantir as condições de segurança”, afirmou o secretário.

Veja mais detalhes AQUI.

 

Opinião dos leitores

  1. Chegando a hora de organizar a greve por aumento de salário.
    Salário em dia está.
    Recebendo sem trabalhar estão.
    Aluno da rede pública estadual sem aprender.
    Despesas das escolas mantidas, mesmo sem aula.
    Educação que é bom, nada, então para continuar no paraíso os professores só tem a saída da greve.
    Se bem que essa enrolada da forma hibrida, presencial e não, dará para continuar recebendo sem trabalhar ou trabalhando quase nada

  2. PTralhas não gostoso de trabalhar , antes era a desculpa da vacina , esses cabras já foram vacinados , falta oque ?? Vergonha na cara🤮

    1. Vc disse certo : foram vacinados porém ainda não estão imunizados.( Imunização só após a segunda dose).A vacinação dos professores ainda está acontecendo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Prefeitura de São Gonçalo retoma aulas presenciais na rede municipal de ensino

Foto: Divulgação

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), retomou, nesta quarta-feira (12), as aulas presenciais na rede municipal de ensino nos níveis I e II do ensino infantil e do 1° ao 5° ano do ensino fundamental. Já no último dia 5 de maio, as 53 unidades escolares reabriram suas portas para receber os alunos dos níveis III e IV do ensino infantil, em sistema híbrido, ou seja, aulas presenciais e remotas.

Para o retorno, a SME disse que desde 2020 vinha se preparando para que esse momento acontecesse da forma mais segura, incluindo diálogos entre pais e instituições para orientação dos procedimentos a serem adotados. “Elaboramos 53 protocolos com as comissões escolares baseados no protocolo ‘mãe’ da Secretaria de Educação. Cada escola com a sua realidade”, explica o secretário Othon Militão.

O documento matriz, construído com base nos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Fundação Oswaldo Cruz (Friocruz), orienta o retorno de, no máximo 50% dos estudantes nas escolas, além da aferição de temperatura, instalação de lavatórios de mãos, uso individual de materiais, maior limpeza dos espaços de uso coletivo, cuidados durante o intervalo e recreação, entre outros. “Compramos garrafas de água e máscaras para cada aluno e servidor. Nossa orientação e sinalização estão desde a entrada do estudante no ônibus escolar, a chegada na sala de aula e a volta pra casa”, destaca Militão.

Ainda de acordo com a gestão, todas as ações serão mapeadas e avaliadas quinzenalmente pela Secretaria Municipal de Educação.

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

MPRN recomenda que Prefeitura de Natal apresente em 5 dias úteis calendário de retorno de aulas presenciais

Foto: Reprodução

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) recomendou à Prefeitura de Natal e à Secretaria Municipal de Educação que apresentem, no prazo de 5 dias úteis, calendário de retorno gradual e híbrido definindo datas para o início das aulas presenciais de cada etapa da Educação Básica, especialmente da Educação Infantil e Ensino Fundamental I – etapas já autorizadas ao retorno presencial, conforme Decreto Estadual n. 30.516, de 22/04/2021.

A recomendação foi publicada na edição desta quinta-feira (6) do Diário Oficial do Estado (DOE). O documento destaca que, antes da efetiva reabertura do espaço escolar, o Município deve disponibilizar material de higienização adequado à rede pública de ensino, tais como lavatórios em funcionamento e em quantidade suficiente, sabão líquido, gel alcoólico 70%, toalhas de papel, bem como máscaras e demais itens de biossegurança, conforme uso obrigatório determinado pela legislação vigente e recomendações das autoridades nacionais e internacionais, bem como do “Protocolo para Retorno das Atividades Escolares da Rede Municipal de Ensino”.

A Prefeitura também deve esclarecer a toda a comunidade escolar as formas de monitoramento e medidas de isolamento de casos de eventual contágio no ambiente escolar e também adotar as ações necessárias para a implementação dos programas suplementares ao ensino, inclusive nos períodos de reforço pedagógico, como alimentação, transporte e material didático.

Outra medida recomendada é que a Prefeitura de Natal e a Secretaria de Educação considerem a possibilidade de adoção de fluxos e horários diferenciados das turmas e turnos da educação básica, incluindo redução do número de alunos por turnos e turmas, de modo a manter o distanciamento social no ambiente escolar.

Matéria completa AQUI no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Até os comentários por aqui “entregam” o ódio que a turma tem do trabalho. Muitos profissionais estão trabalhando, possibilitando a “vida boa” dessa turma. Preguiça e malandragem são coisas contagiantes.

  2. Que absurdo, os professores da rede pública não podem deixar a boa vida, recebendo sem trabalhar. Olhe que um e outro, a minoria, ainda se dão ao enorme esforço de passar trabalho. A categoria dos professores mostrando a essência do socialismo. É isso que você quer para seus filhos?

  3. Quanto aos colégio do estado?
    A escolas estaduais estão sujas e abandonadas, será que, os profissionais da área de limpeza estão trabalhando em home-office?

  4. O Supremo já deu o parecer. Quando tivermos vacinas e estrutura sanitária, certamente volta temos com o maior prazer.

  5. Será que vao terminar a volta ao trabalho presencial os Promotores. MP a suspensão foi por tempo inderterminado. E os Juízes vão voltar ao trabalho presencial? Os Desembargadores vão voltar também?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Alunos do Neves soltam carta aberta pedindo retorno das aulas presenciais

CARTA ABERTA AO GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

A pior cegueira é a mental, que faz com que não reconheçamos o que temos a frente. Desde o começo da pandemia em nosso Estado, em março de 2020, a educação vem passando por mudanças em sua estrutura. Mudanças essas que fortaleceram o negacionismo estatal, e que deixaram milhares de crianças, adolescentes e adultos com sua saúde mental extremamente abalada.

Um breve resumo do cenário atual, caso ainda não tenha ficado claro o suficiente em suas mentes: estudantes da rede pública sem aulas há mais de um ano. Sua situação, que já era difícil, teve uma piora. Profissionais se desdobrando para tentar ajudar esse público, e o Estado dificultando cada vez mais. Recursos que deveriam ser destinados a manutenção das escolas, mais uma vez sendo desviados para outros setores por desorganização e falta de comprometimento do Estado.

Alunos da rede privada, ainda com o privilégio de aulas remotas, estão esgotados mentalmente. Profissionais com o dobro de carga, trabalhando a todo o momento para garantir o funcionamento da educação. E quanto aos alunos com necessidades especiais? Estes, mais do que ninguém, necessitavam de aulas presenciais, mas o Estado, mais uma vez, finge não ver este público, e chega a irracional decisão de que o ensino remoto também supre suas necessidades cognitivas.

Desmotivação. Essa é a palavra que cerca diversos estudantes e profissionais atualmente. Tentamos, e tentamos todos os dias, mas já se tornou algo extremamente exaustivo. Pedimos para que parem de disputas ideológicas, e trabalhem em conjunto para o bem comum. Afirmar que o ensino remoto supre as necessidades é mais uma prova do negacionismo público.

Caso não haja capacidade racional o suficiente por parte de seu governo para trabalhar com soluções, aqui vão algumas: vacinação prioritária dos profissionais de educação, investimento em protocolos sanitários para rede pública, e fiscalização sanitária para as instituições privadas. O que não pode continuar é uma disputa de poder, em um cenário extremamente delicado como este que estamos vivenciando.

Apelamos para o retorno das aulas presenciais, pois a educação é sim essencial. Como diria Paulo Freire: “Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.”

Em nome dos estudantes do Colégio Nossa Senhora das Neves.

(Abaixo-assinado AQUI).

Opinião dos leitores

  1. O que mais me incomoda em praticamente todos os comentários é a completa ignorância sobre a situação dos professores. E antes que alguém venha vociferar que estão recebendo sem dar aula, prestem atenção que estamos falando de uma escola privada e que estes profissionais da educação em nenhum momento pararam de dar aula, muito pelo contrário, estão usando toda sua estrutura pessoal de computadores e internet para que possam continuar com suas atividades. Mas vejo, em cada comentário aqui, que os professores realmente são relegados a último plano, infelizmente.

  2. Infelizmente tenho que concordar com o trecho inicial desta infame e descompassada opinião de cunho político, que (assim como as opiniões e “notícias” oriundas desse meio tebroso de manipulação midiática), envenena nossa sociedade com discursos de ódio e envoltos em mentiras discaradas. Está estampado para qualquer cego ver que o negacionismo no contexto em que vivemos, está entranhado no governo federal (cujo proprietário deste meio de “comunicação” defende a todo custo). Vale salientar que tal carta, não representa a opinião da minha família (alunos e alunas sempre neves), nem dos nossos conhecidos que também amam e fazem parte do corpo de alunos da escola. Foi e é no Neves que aprendemos que o verdadeiro conhecimento liberta, por isso não aceitamos ser utilizados como gado de manobra. Que as aulas retornem com as medidas necessárias e efetivas de segurança da população, dos nossos colegas de sala, dos nossos professores e profissionais da educação e, principalmente, das nossas famílias. Não queremos mentiras, não queremos manobras políticas, queremos vacina em massa!

    1. Se for verdade o que vc diz (permita-me duvidar), é muito fácil resolver, basta não levar seus filhos à escola. O problema é quando vc tenta impor seu pensamento aos demais, na tentativa de impedir os filhos alheios de frequentar aulas. Essa sua obsessão finda em trair suas verdadeiras intenções, já que não vislumbro qualquer relação direta entre a saúde da sua família e o desejo dos demais alunos pelo retorno das aulas presenciais. Fique em casa, meu caro, mas deixe os outros viverem em paz.

  3. CONCORDO com aulas presenciais, com os devidos protocolos de segurança como a carta sugere.

  4. Como aluna desejo ter pelo menos a escolha de ensino híbrido, mesmo estando em um momento conturbado, precisamos ter o direito de expor nossas opiniões sobre o sistema de educação . Sou #aulaspresenciaisjá e como direito de estudante o certo é ter uma escolha!!

  5. Esses doidinhos vermelhos, estiveram uma chance de governar o país, fizeram um bando de montinhos pelos cantos, muitos passaram pela porta da Universidade, por isso não sabem somar dois + dois como a Anta e o molusco, e ainda se acham de chamar os outros de alienados, kkkkkkkkk, seu égua, vc sabe o que é ser alienado? Vá no espelho e depois corra para o Aurélio.

  6. ASSUSTADOR É EXISTIR PESSOAS USANDO ARGUMENTOS QUE SERIAM VÁLIDOS SE NÃO EXISTISSE UMA PANDEMIA. O NEGACIONISMO DA GRAVIDADE DA PANDEMIA DEVE SER ATRIBUÍDO AOS IGNORANTES E NÃO A UM GOVERNO QUE PRIORIZA A VIDA ACIMA DE TUDO. COM VIDA PODEMOS TER ESTUDO E TRABALHO, SEM ELA NÃO.

  7. Solicito a retirada imediata ou correção da Carta aberta em questão, por não representar a opinião unânime de todos os alunos do NEVES. Tendo em vista que minhas filhas são alunas da escola e a referida não representa a opinião delas e nem a opinião da nossa família. A liberdade de expressão está aí para todos se posicionarem, desde que não generalizem suas opiniões como sendo a de todo um grupo.

    1. Errata*
      Em nome de uma parcela significativa dos alunos do Colégio das Neves.
      Um número expressivo de alunos segue assinando a petição, demonstrando um enorme interesse pela causa.

    2. Queremos voltar as salas de aula sim!!! #aulaspresenciaisjá queremos ter pelo menos o direito de escolher voltar, ninguém é obrigado a ir não!!

    3. Tem o meu apoio! E sem dúvidas da maior parte dos alunos da escola.

    4. Angélica, acredito que esse comentário está totalmente enganado, em nenhum momento a autora generaliza como sendo uma opinião de todos os alunos, em alguns momentos ela utiliza até palavras como: diversos estudantes ou diversos profissionais, mas ela não generaliza

    5. A carta fala sobre os alunos que estão a favor das aulas presenciais, agora se as SUAS filhas querem optar pelo ensino remoto escolha delas, porém existem pais e alunos querendo a volta das aulas presenciais. Na carta não fala que essa é a decisão da maioria, mas sim da decisão das pessoas que preferem as aulas presenciais, a aluna usa termos como: diversos alunos ou diversos profissionais, no entanto a palavra diversos não abranje uma quantidade extada de pessoas que preferem o ensino presencial, entretanto sabemos que várias pessoas optam por esse modelo de ensino, se não a escola não mandaria uma enquete referente a escolha do modelo de ensino que os alunos fazem quando é liberado a volta do presencial.

    6. A autora assinou: “Em nome dos estudantes do Colégio Nossa Senhora das Neves”. Em vez de “Uma aluna do colégio das NEVES. Para a assinatura seria suficiente, tendo em vista que uma pessoa apesar de ter adesão de uma maioria, não pode falar pela totalidade. Em relação a Pandemia não queria me posicionar pois já são mais de um ano nessa situação de saúde publica, com mais de 400,000,00 mortos, informações científicas suficientes e eu não vou perder meu tempo debatendo com negação de um fato. Os princípios Cristãos são para serem praticados e não só verbalizado. Já se foi provado que só sairemos dessa situação com atitudes coletivas. Abrir mão de uma normalidade por amor ao próximo e para salvar vidas, nessa situação que vivemos não é uma decisão individual. Precisamos lutar pela Vacinação em massa. Esses mesmos alunos muitas vezes não cumprem o protocolo, se aglomeram nós pátios da escola e usam a máscara no queijo, principalmente os adolescentes. Como pais devemos ensinar aos nossos filhos passarem por situações difíceis da melhor forma possível e sempre com decisões que favoreçam toda a sociedade, pois vivemos em uma.

    7. Me perdoe, mas a aluna que fala sobre o assunto, está falando em nome de todos, não em nome dela, principalmente porque provavelmente ela deva ser ou do CCE-MANA ou do Colegiado, que eles sim, tem uma autoridade maior entre os demais, o CCE tem essa obrigação de levar a opinião dos alunos, se a senhora quiser que suas filhas fale sobre ESSE assunto que é voltado ao retorno presencial, é só entrar em contato com o insta deles ou com a própria escola, se não, é só deixar suas filhas em casa, simples.

    8. Angélica, não, os alunos seguem os protocolos muito bem. Tem vários funcionários de olho sempre no que os alunos estão fazendo. Nosso país está sim, numa situação extremamente crítica, porém não podem punir uma escola por um ato do governo! A gente está assim porque não compram vacinas, abrem bares, restaurantes e shopping, que é local onde mais tem aglomerações! Criança tem que tá na escola, É UM DIREITO! A governadora é professora e deveria se colocar no nosso lugar, a aprendizagem está difícil, nossa saúde mental também está péssima, e precisamos do convívio com as pessoas! Se a senhora quiser deixar suas filhas em casa, direito seu, mas nós alunos que não aguentamos mais ficar em casa, vamos lutar pelo nosso direito!

    9. Angélica, não culpe as escolas por um ato do governo! Nosso país está assim pelo governo. Se ele tivesse comprado vacinas, nada estaria assim. Punir as escolas porque alegam que fazem aglomerações? Me poupe. Escola é um meio essencial, lugar de criança é na ESCOLA, é um DIREITO! Fechar escolas e deixar abertos bares, restaurantes e shopping, qual o sentido? Escolas tem funcionários que ficam direto de olhos em nós alunos, e nada passa despercebido. A senhora já foi no Neves ver como está a situação? Acho que não, e por isso falou isso. A governadora como professora deveria se colocar no nosso lugar. Educação remota não funciona para todos, temos alunos que não aprendem, ficamos em casa direto, e nosso saúde mental, como fica? Precisamos de convívio com as pessoas. Se a senhora não quer suas filhas na escola, tudo bem, é um direito seu, mas nós, alunos, vamos lutar pelos nossos direitos!!

    10. Angélica, não culpe as escolas por um ato do governo! Nosso país está assim pelo governo. Se ele tivesse comprado vacinas, nada estaria assim. Punir as escolas porque alegam que fazem aglomerações? Me poupe. Escola é um meio essencial, lugar de criança é na ESCOLA, é um DIREITO! Fechar escolas e deixar abertos bares, restaurantes e shopping, qual o sentido? Escolas tem funcionários que ficam direto de olhos em nós alunos, e nada passa despercebido. A senhora já foi no Neves ver como está a situação? Acho que não, e por isso falou isso. A governadora como professora deveria se colocar no nosso lugar. Educação remota não funciona para todos, temos alunos que não aprendem, ficamos em casa direto, e nosso saúde mental, como fica? Precisamos de convívio com as pessoas. Se a senhora não quer suas filhas na escola, tudo bem, é um direito seu, mas nós, alunos, vamos lutar pelos nossos direitos!!

    11. boa noite Angélica, então, a carta aberta tem como um objetivo argumentar sobre determinado assunto e foi isso que clara quis falar na carta aberta que fez, você tem a sua opinião como os outros alunos, pais e profissionais, mas não é porque SUAS filhas não querem voltar que você pode tirar o direito das outras crianças, adolescentes e profissionais de irem para a escola. A carta foi assinada em nome de todos os alunos, até porque a MAIORIA tem a consciência que o ensino online não é o suficiente, até porque as crianças e adolescentes se distraem muito nas aulas, fazendo com que não aprendam tão bem o conteúdo. Não sei se suas filhas voltaram para o presencial, mas pode ter certeza que o neves esta seguindo sim os protocolos, não é atoa que tem o selo da verificação lá na lanchonete de que foi aprovado o funcionamento. Da mesma forma que você sugeriu a modificação da carta, sugiro que visite ao neves quando possível, e veja como está acontecendo as coisas.

  8. VERGONHA é o que estão fazendo com a educação, total descaso.
    É um absurdo, mais de um ano sem aula e nada de se estabelecer o retorno. Já passou da hora da Secretaria de Educação do Estado resolver o problema.
    Estão usando a vacina como desculpa, o que ocorre é falta de vontade de resolver o problema. Não é possível que nada possa ser feito.
    Muitos outros profissionais seguiram trabalhando na pandemia: saúde, segurança pública, comércio essencial, etc., mas na educação a vontade de NÃO trabalhar parece que supera tudo.

  9. E os alunos foram tão “bonzinhos” que até fizeram um agrado a boa parte dos “educadores”, citando Paulo Freire, um dos grandes responsáveis pela péssima qualidade da educação brasileira. Vamos ver, governadora, a senhora que se diz professora tem que abrir as escolas. Os alunos querem estudar.

    1. O mundo todo admira Paulo Freire, mas vc deve ser um expert em educação ainda não descoberto…

    2. Sérgio, ele é sustentado pelos pais, nunca estudou, muito menos trabalha.
      É um alienado. Não perca seu tempo.

    3. O “seu” mundo, “cumpanhero”. Isso só comprova sua visão míope e deturpada do mundo. Os resultados do ENEM e de testes internacionais de aferição exibem a péssima qualidade da educação brasileira, dominada pela teoria desse “revolucionário de araque”. Nem vou citar a falta de visão crítica e de poder de análise. Já seria demais.

    4. Impressiona ver a riqueza de argumentos desse sujeito “esclerosado” nos seus comentários. É o tipo resultado da “geração Paulo Freire”. Prova instantânea do que digo. Captou?

    5. Não Amigo! Paulo freire é o terceiro mais citado no Mundo atrás apenas do filosófo thomas kuhn e do sociológo Everest Roger.mas isso deve ser coisa de site Comunista, os vário prêmios e.catedrás que ele Recebeu de várias universidades do Mundo são nada diante de um Digitador de blog expert em facebbok e Graduado em Grupo de Whatzap. Vc tem toda Razão..

    6. Colégio de rico, e cômodo pedir volta às aulas.

    7. Caro “governador”, não confunda quantidade com qualidade. Número de citações nunca será critério de avaliação de qualidade. O ENEM e o Pisa comprovam a péssima qualidade do ensino brasileiro. Muitos comentários por aqui também.

    8. Ô “governo do ovo”, eu não ia citar mas, dá uma corrigida no seu comentário, talkey? Muitos erros que não foram devidos ao corretor. Se vc quer elogiar a educação da “geração Paulo Freire”, deixa a arrogância de lado e começa melhorando a qualidade da sua escrita.

    9. *Sérgio, quem se identifica como Direita Honesta, é o pai da autora da carta. Que na verdade foi quem ajudou a escrever a mesma.

  10. Parabéns pelo texto e no próximo ano tem eleições e precisamos escolher melhor nossos governantes

  11. Infelizmente está muito cômodo para os governos manterem as escolas fechadas recebendo grandes verbas e até o ano passado com o apoio de boa parte dos pais e alunos, hoje a maioria viu que foram usados por esses governos como também ficou claro o grande prejuízo em vários aspectos para os estudantes e suas famílias; já passou da hora de todos cobrarem mais efetivamente pela solução desse grave problema social que se tornou o fechamento das escolas.

  12. OS GADOS CATÓLICOS ESQUECERAM DE ENDEREÇAR A CARTA À PESSOA CERTA: AO PRESIDENTE DESSE DESGOVERNO…. QUEM COORDENA O PLANO NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO E PODE MANDAR VACINAR PROFESSOR. ELES SABEM AO MENOS O NOME DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    1. Para o bem dos alunos, tomara que vc não seja professora. É sua governadora, segundo decidiu o STF, que detem o poder de manda abrir ou fechar as escolas. E ela quer fechar TUDO, como já demonstrou. Recorre até ao STF para não deixar os alunos estudar. É uma vergonha, para quem se gaba de ser professora.

    2. Provavelmente vc não é católica e não tem amor ao próximo…os professores precisam de imunização para voltarem as salas de aula e os alunos precisam estudar, seja de escola pública ou particular o direito de estudar é de todos perante a CONSTITUIÇÃO. Vamos aprender a fazer o certo e ter um aprendizado descente .

    3. Graçita louisinha, se vc for professora é uma piada de péssimo gosto, como comentarista outro desastre, no comentário e no português, tenha vergonha e vá estudar, ensinar está proibida.

  13. Sinceramente, chegue a ser assustadora a maldade que a Governadora Fátima Bezerra vem fazendo contra as escolas particulares, bares, restaurantes e o turismo como um todo. Parece ser algo direcionado para prejudicar esses segmentos e a economia do estado. Não sei o que se passa na cabeça dela e de quem a orienta. Governadora no próximo ano a senhora vai pagar muito caro pelo que está fazendo e o que é pior, ficará sozinha e abandonada pelos que hoje só sabe, balançar a cabeça e puxar o seu saco concordando com os seus erros.

    1. É isso mesmo. Pena que ainda não surgiu uma “concorrência” para o governo do estado capaz de assustar. É preciso desalojar do poder essa governadora incompetente e sem atitude, junto com sua cambada de preguiçosos. O RN já vem sofrendo há algum tempo e não suportará mais 4 anos de desgoverno, como esse que aí está. Já passamos da metade do seu mandato e essa senhora NADA fez pelo RN até o momento. Recebeu MUITO dinheiro e ajuda do governo Bolsonaro, que ela odeia, e não se sabe onde aplicou. Até mesmo os salários atrasados dos servidores, ela pagou apenas uma ninharia. É o governo da mentira e do blá-blá-blá.

  14. Parabéns aos alunos Neves, retratou a íntegra a situação atual da Educação no nosso Estado.

  15. Parabéns a essa pessoa que escreveu, resumiu todo o cenário Pandêmico e político que estamos vivendo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Alunos de escolas de Natal defendem, nas redes sociais, retorno das aulas presenciais

Carolina Barbalho, aluna do Colégio Porto. (Foto: Divulgação)

Estudantes do Colégio Porto e da Maple Bear Natal publicaram vídeos nas redes sociais na manhã desta sexta-feira (23) defendendo o retorno das aulas presenciais para os alunos de todos os níveis de ensino. Entre outros argumentos, os alunos destacaram o ambiente seguro das escolas, o desgaste mental provocado pelo prolongamento das aulas on-line e a garantia constitucional de acesso à educação. Nas postagens, as crianças e adolescentes usaram as hashtags #EscolasAbertasSim e #EducaçãoéEssencial para marcar o movimento.

A presidente do grêmio estudantil do Colégio Porto, Vitória Leal, destacou que o cansaço mental e o baixo rendimento no período de aulas remotas é inevitável, mesmo com todas as medidas tomadas pela escola para garantir o bem-estar dos adolescentes. “São muitas horas em frente ao computador, aliada a uma longa rotina de estudos que a gente tem diariamente. Em casa, nós temos muitas distrações e é muito mais complicado ter foco e dedicação”, detalhou.

O aluno José Morais, da 3ª série do Ensino Médio, enxerga uma inversão de valores em relação ao fechamento das escolas para aulas presenciais. “Qual o sentido em fechar um serviço essencial que, comprovadamente, não possui parcela de culpa no aumento de casos de covid-19? É triste ver que mesmo cumprindo todas as exigências de biossegurança, as escolas têm sido culpadas por razões resultantes da negligência”, apontou.

José Morais, aluno da 3ª série do Colégio Porto. (Foto: Divulgação)

O movimento dos alunos ocorre no contexto em leis municipal e estadual já colocam a educação no patamar de atividade essencial no RN, e projeto semelhante passou pela Câmara dos Deputados em Brasília. O Ministério Público Estadual também já se pronunciou em favor das aulas presenciais. Por outro lado, decretos do Governo do Estado e da Prefeitura do Natal divergem sobre o retorno para todos os níveis de ensino.

Clara Carneiro, aluna da 2ª série do Colégio Porto, entende que a pandemia afeta setores sociais e econômicos, mas argumenta que a educação é um direito garantido por lei e defende o retorno pela qualidade do ensino. “Um país precisa de vertentes educacionais sólidas e fixas para que, no futuro, o país possa continuar crescendo”, completou.

O pensamento de Clara é compartilhado também pela estudante Carolina Barbalho, que vai além e defende o direito de escolha dos alunos e da família em relação às atividades presenciais. “Se eles se sentem seguros e acreditam nas medidas de biossegurança, que eles tenham a opção de retornar”, ponderou. O aluno Newton Huck expõe a necessidade de convívio social no retorno às escolas. “Colégio é lugar de estabelecer relações sociais entre as pessoas e, dentro desse contexto de pandemia, em que as pessoas estão cada vez mais em casa, é necessária uma maior interação social”.

Alunos do fundamental se somam

E não é só os adolescentes do ensino médio que defendem a volta das aulas no ambiente escolar. Entre crianças, estudantes do ensino fundamental, a opinião também prevalece. É o caso de Sofia Barros, aluna do 7º ano da Maple Bear Natal. Segundo ela, há comprovação científica de que as crianças precisam de relações sociais para o seu desenvolvimento. A falta desse convívio está trazendo problemas de saúde. “Por falta de socialização, crianças e adolescentes vêm desenvolvendo grandes problemas como ansiedade, depressão e outros problemas de saúde mental. Por isso eu sou a favor que as aulas presenciais voltem”, defendeu.

Laura Porpino e Carolina Haderman, que são alunas do 6º ano, também falaram sobre a importância de frequentar o ambiente da escola para o ensino. “As aulas presenciais precisam voltar para melhorar o aprendizado e melhorar o desempenho dos alunos”, disse Laura. “É ruim ficar o dia inteiro em frente a uma tela de computador. Aulas presenciais são melhores”, afirmou Carolina.

Carolina Haderman, aluna do 6º ano do Maple Bear Natal. (Foto: Divulgação)

Decretos

As aulas presenciais na rede privada de Natal foram autorizadas nesta sexta-feira (23), depois da publicação de um novo decreto pela prefeitura da capital. De acordo com o documento, o retorno está autorizado para as escolas de ensino infantil, fundamental e médio, atendendo às regras estabelecidas em protocolo. Também ficou assegurado aos pais e responsáveis o direito de escolha entre as modalidades remota ou presencial, recomendando-se que sejam intercaladas as duas modalidades.

O Governo do Estado também publicou novo decreto que permite aulas em formato híbrido nas turmas até o 5º ano do ensino fundamental e na 3ª série do ensino médio, nas escolas da rede pública e privada. Os demais níveis permanecem em formato remoto.

Instagram da Maple Bear Natal: https://instagram.com/maplebearnatal
Instagram do Colégio Porto: https://instagram.com/colegio.porto

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

São Gonçalo autoriza aulas presenciais na rede pública e privada; escolas vão seguir protocolo aprovado

Nessa segunda-feira (5), a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN editou decreto com novas medidas e autorizou as aulas presenciais na rede pública e privada de ensino até o 5º ano do fundamental I. As escolas devem seguir as normas de segurança estabelecidas em protocolo aprovado pela Comissão Municipal Educacional de Gerenciamento da Pandemia Covid-19.

A rede particular já pode retomar a partir desta segunda-feira (5). Na pública a previsão é para início de maio. De acordo com Othon Militão, secretário municipal de Educação, o município está preparado para o retorno das aulas presenciais e a decisão foi acertada com o prefeito Paulo Emídio após reunião com o Ministério Público nesta segunda-feira.

“Autorizar apenas a escola privada é uma exclusão aos alunos da rede pública. Essas crianças em sala de aula é a garantia da seguridade social, nutricional e pedagógica. Já temos todos os equipamentos de proteção individual (EPIs), estruturamos, sinalizamos e adaptamos as escolas e os ônibus, e vamos solicitar à Saúde vacinação para os profissionais de Educação”, disse Othon.

As escolas deverão estabelecer o sistema de ensino híbrido, com 50% da capacidade, e serão monitoradas pela Secretaria Municipal de Educação e fiscalizadas pela Vigilância Sanitária do município.

As aulas presenciais para os demais níveis permanecem suspensas, devendo manter, quando possível, o ensino remoto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

MPRN aciona Governo do Estado na Justiça para obrigar retorno às aulas presenciais

Foto: Ilustrativa

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) ajuizou uma Ação Civil Pública (ACP) para que o Governo do Estado seja obrigado a permitir o retorno das aulas presenciais em todas as instituições de ensino públicas e privadas, estaduais e municipais, em quaisquer das etapas da Educação Básica. Esse retorno deve ser de forma híbrida, gradual, segura e facultativa. A ação foi ajuizada nesta segunda-feira (5) com pedido de antecipação de tutela, para o Estado permitir a volta das aulas presenciais, em todas as etapas da educação básica da rede privada e da rede pública de ensino.

A ação civil é baseada na Constituição Federal e no Estatuto da Criança e do Adolescente. Para o MPRN, a educação deve ser tratada como atividade essencial, sendo a primeira a retornar e a última a paralisar. E essa paralisação deve ocorrer apenas em caso de justificada necessidade sanitária.

Para abertura e funcionamento das escolas da rede privada, deve haver o cumprimento do que está determinado nos Protocolos Sanitários vigentes, de modo que as medidas de biossegurança sejam rigorosamente cumpridas. Em relação à abertura e funcionamento das escolas das redes públicas estadual e municipais, isso deve ocorrer de acordo com os respectivos Planos de Retomada de Atividades Escolares Presenciais que contemplem os protocolos sanitários e pedagógicos, devidamente elaborados, aprovados e publicados pelos Comitês Setoriais Estadual e Municipais.

Na ação, o MPRN pede que, em caso de eventual necessidade de suspensão das atividades escolares presenciais nas redes pública e privada da educação, o Governo do Estado confira tratamento igualitário, abstendo-se de autorizar apenas a retomada das atividades escolares de forma presencial na rede privada de ensino, em descompasso com a rede pública de ensino.

No entender do MPRN, o Decreto Estadual 30.458/2021, que passou a vigorar nesta segunda (5), “estabelece marco diverso para retomada da mesma atividade e, portanto, com os mesmos riscos epidemiológicos, elegendo como fator de diferenciação o fato de os estabelecimentos pertencerem à rede pública ou privada, o que gera discriminação odiosa, acentuando as desigualdades em vez de reduzi-las, como quer a Constituição Federal”.

Para o MPRN, não se concebe mais retardar a retomada presencial das atividades das redes estadual e municipais de ensino, visto que desde março de 2020 os alunos atendidos por essas redes estão sem atividades escolares presenciais, ou seja, há mais de 1 ano.

Contexto histórico

O Ministério Público do Rio Grande do Norte vem acompanhando a questão da educação durante a pandemia desde o seu início. O Governo do Estado, desde março de 2020, vem expedindo decretos estabelecendo obrigações e restrições, para os setores público e privado, com o objetivo de enfrentar a situação de emergência da saúde pública. Assim, em 17 de março do ano passado, foi expedido o Decreto Estadual 29.524, estabelecendo em seu art. 2º a suspensão das atividades escolares presenciais nas unidades da rede pública e privada de ensino, no âmbito do ensino infantil, fundamental, médio, superior, técnico e profissionalizante. Seis meses depois, com a melhora da situação epidemiológica do Estado, por meio do Decreto 29.989, de 18 de setembro de 2020, foi autorizada a retomada das atividades escolares presenciais da rede privada de ensino.

Naquela oportunidade, no art. 1º do Decreto, restou determinada a suspensão das aulas presenciais na rede pública de ensino do Rio Grande do Norte, no ano de 2020, diante da criação do Comitê de Educação para Gestão das Ações de combate da Covid-19 no âmbito do Sistema Estadual de Ensino do Rio Grande do Norte, através do Decreto Estadual nº 29.973, de 9 de setembro de 2020, com o objetivo de construir diretrizes para orientar as redes de ensino na elaboração de protocolos e normas para o enfrentamento da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus, com desdobramentos e tomadas de decisões para a Educação.

Ou seja, o Estado decidiu não reabrir as atividades escolares presenciais na rede pública de ensino no ano inteiro de 2020 com o fito de construir e implementar os protocolos sanitários para a reabertura gradual e segura das escolas da rede pública no ano de 2021. Em 1º de janeiro de 2021, sem qualquer impedimento normativo para a retomada das aulas de forma presencial na rede pública, seja do estado ou dos municípios, as escolas públicas em todo o estado permaneceram fechadas, sem a oferta de atividade presencial, com a previsão de retomada de alguns municípios no período de março a abril de 2021, tempo suficiente para concluir a implementação dos protocolos necessários nas unidades escolares. Ocorre que, diante do aumento de casos de infecção pelo coronavírus, foi editado o Decreto 30.388, de 5 de março de 2021, suspendendo as aulas presenciais nas unidades das redes pública estadual e privada de ensino, excepcionando as escolas e instituições de ensino fundamental das séries iniciais e do ensino fundamental I (sem fazer distinção da rede pública e privada).

Com o agravamento da situação epidemiológica no estado, o decreto seguinte, de nº 30.419, de 17 de março de 2021, suspendeu todas as atividades presenciais da rede pública e privada de ensino, em seu art. 7º, com vigência até 2 de abril de 2021, mantendo em funcionamento todos os serviços considerados essenciais

Diante desse decreto não ter considerado o serviço de educação como de natureza essencial, o Ministério Público Estadual expediu, em 31 de março passado, a Recomendação Conjunta n. 01/2021 ao Estado do Rio Grande do Norte, representado pela governadora de Estado, para que adote as medidas legais pertinentes para incluir as atividades/serviços educacionais presenciais, em todas as etapas da educação básica, das redes de ensino pública e privada, no rol das atividades/serviços essenciais nos decretos estaduais a serem expedidos acerca das medidas para o enfrentamento do novo coronavírus no âmbito do Estado e que confira às atividades educacionais presenciais o mesmo tratamento normativo em relação aos demais serviços essenciais quando da aplicação de medidas sanitárias restritivas.

Mesmo após a exposição de argumentos jurídicos e científicos ao Governo do Estado acerca da necessidade de se corrigir tamanha distorção, desproporcionalidade e ilegalidade em não considerar a educação como serviço essencial e impor às atividades educacionais medidas restritivas de funcionamento enquanto não se impõe medidas tão severas a outros serviços de natureza essencial. Ainda assim, foi expedido o atual decreto.

Para o MPRN, o decreto estadual em vigor “foi editado em total descompasso com a Recomendação Ministerial citada. A uma, por não ter considerado a educação como serviço essencial. A duas, ao ter conferido tratamento diferenciado ao serviço de educação restringindo-o bem mais do que outros serviços sequer considerados essenciais, como centro comercial, shopping center, galeria, lojas, academia, estúdio de pilates, food park, bar, restaurante, salão de beleza. A três, por ter tratado de forma desigual e bastante reprovável os alunos da rede pública da rede privada de ensino”.

Ainda no entender do MPRN, o Estado e todos os Municípios precisam, urgentemente, discutir o retorno às aulas das escolas públicas, pois essas são as mais afetadas durante o curso da pandemia. As crianças e adolescentes inseridas em famílias socioeconomicamente vulneráveis já foram bastante impactados pela suspensão das aulas presenciais há mais de um ano, aspecto que com certeza intensifica a desigualdade social no RN. O atual decreto estadual é ainda eivado de inconstitucionalidade por violar o princípio da igualdade de condições para o acesso e permanência na escola e da garantia do padrão de qualidade.

 

 

Opinião dos leitores

  1. Educação, assim como segurança e saúde e essencial. Óbvio!!! Mas por ser essencial, que deveriam pensar nisso , desde de março do ano passado. Com planejamentos, estruturas, organização, finanças e vacina. Mas ninguém, no Brasil fez ou pensou. Agora, temos que esperar a vacina. Não tem jeito!! E mais, não só a vacina, mas as condições necessárias e dignas de trabalho.

  2. Só uma dúvida. Porque o MPRN não volta a atender presencialmente? Eles querem que as escolas, que recebem uma demanda de pessoas bem maior do que o recebido pelo MPRN, abram, mas não voltam a atender presencialmente os cidadãos. Vamos abrir tudo MPRN, inclusive as atividades de vcs.

    1. Tudo remotamente igual aos vereadores que mandam professores para salas de aula e vivem longe do trabalho presencial.

  3. Engraçado, o MP esta trabalhando de forma remota. Quando e mesmo que eles vão voltar a atender presencialmente?

  4. Engraçado, passaram 1 ano assistindo aos descalabros sem fazerem nada e acordaram somente agora? Será que tiveram seus privilégios contrariados em alguma coisa e estão querendo dá o troco ou forçar uma recuada do governo? e os 5 milhões jogados no lixo, vão ficar assim mesmo?

  5. O MP deve ser revisto o primeiro a diminuir seus poderes e benesses no serviço público e o último a ter regalias.

  6. É válido e bom lembrar q os Professores, equipe pedagógica e todos os funcionários q trabalham em ESCOLAS sejam assegurado-lhes o direito à VACINA ANTES DO RETORNO ÀS AULAS PRESENCIAIS. TENHO DITO!

  7. Que foi que houve? MP acionando o GE?! Não eram tão parceiros pela vida?! Ou quem quer enganar quem?

  8. NUNCA obrigarão meu filho a ir à escola e trazer esse vírus maldito para dentro de casa. Quem quiser se contaminar que envie. Boa sorte!

  9. Insanidade do ministerio. Infelizmente. Tá me remetendo à forçaçao do poder económico.
    A contaminação podera certamente vir das crianças para seus pais e avós e outros. Insanidade.

  10. Parabéns ao MP. Essa decisão e a condução nessa situação não pode ser unilateral, tem que haver um ajuste e ações efetivas para o retorno seguro daa aulas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Governo de Pernambuco autoriza retomada gradual das aulas presenciais

Foto: © Studio Formatura/Galois

O governo de Pernambuco anunciou a retomada das aulas presenciais no estado a partir da próxima segunda-feira (5). A volta das atividades presenciais começará nos colégios da rede particular de ensino infantil e fundamental. No segundo caso, o retorno será apenas para as turmas do 1º ao 5º ano, ou seja, dos anos iniciais do ensino fundamental – e faculdades.

Os estudantes dos anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e do ensino médio de escolas privadas poderão voltar à sala de aula a partir do dia 12. Nas escolas da rede estadual, as atividades pedagógicas presenciais para alunos do 3º ano do ensino médio, da educação infantil e do fundamental – anos iniciais serão retomadas no dia 19. No dia 26, voltam às aulas os alunos do 2º ano do ensino médio e do fundamental – anos finais (9º e 8º). Em 3 de maio, retornam os do 1º ano do ensino médio e do fundamental – anos finais (7º e 6º ).

O calendário que o governo estadual divulgou nesta quarta-feira (31) autoriza as escolas municipais a retornar às atividades pedagógicas presenciais partir do dia 26. O retorno, contudo, depende do aval das prefeituras, às quais cabe definir data e protocolos sanitários complementares.

Flexibilização

O governo de Pernambuco também flexibilizou as medidas que restringiam o funcionamento de várias atividades, como o comércio e feiras de confecção. O chamado Plano de Convivência, com normas para a região metropolitana do Recife diferentes das demais regiões do estado, entrou em vigor hoje (1ª).

Os horários de funcionamento por atividade econômica estabelecidos pelo Decreto 50.485 podem ser consultados na internet.

Em mensagem no Twitter, o governador Paulo Câmara afirmou que os 14 dias de quarentena em todo o estado contribuíram para desacelerar a disseminação do novo coronavírus, embora a covid-19 ainda seja uma ameaça que exige que a população continue adotando as medidas recomendadas pelas autoridades sanitárias, como usar máscara, evitar aglomerações e higienizar mãos e objetos regularmente.

Ontem, durante o anúncio de flexibilização da quarentena, o secretário estadual de Saúde, André Longo, observou que, apesar de ter-se reduzido o ritmo de avanço da doença em Pernambuco, a situação ainda é preocupante.

Conforme boletim epidemiológico divulgado na tarde de ontem pela secretaria, em 24 horas, foram confirmadas 57 mortes decorrentes da covid-19 e 2.431 novos casos de doença em todo o estado. Por outro lado, André Longo destacou que, após 14 dias de quarentena, o número de pedidos de internação em leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) caiu pela primeira vez nos últimos dias, diminuindo 4,4%. Foi a primeira queda no indicador desde o fim de fevereiro.

De acordo com o secretário, esses dados ainda não são reflexo do período de quarentena, encerrada ontem, mas sim do período anterior, e não dão direito de comemorar nada. “Vale destacar que, em Pernambuco, as restrições impostas pela pandemia tiveram início ainda em dezembro e foram progressivamente aumentando, até chegar à quarentena rígida, que completou um ciclo de 14 dias, cujos efeitos começaremos a colher a partir das próximas semanas”, afirmou o secretário.

Agência Brasil, com informações do governo de Pernambuco

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

MP defende retorno de aulas presenciais nas escolas públicas e privadas no RN

Foto: Reprodução

O Ministério Público do RN encaminhou ofício ao Comitê Científico do Estado defendendo o retorno das atividades escolares nas escolas públicas e privadas observando os critérios sanitários.

Segundo o documento, “SOLICITAMOS que esse insigne Comitê emita parecer quanto à possibilidade da retomada das atividades escolares presenciais, levando em consideração a atual situação epidemiológica da pandemia da COVID-
19 no Estado do Rio Grande do Norte, como também a importância indiscutível dessas atividades para o desenvolvimento físico, emocional, educacional, afetivo e social das milhares de crianças e adolescentes do Estado do Rio Grande do Norte”.

Ainda segundo o MP, cumpre ressaltar que o respeitável Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde – LAIS da UFRN, na data de ontem, publicou Relatório “A Evolução da Epidemia da COVID-19 no RN: Os primeiros impactos das medidas mais restritivas de 2021”, recomendando no item 03 que “Após a Páscoa, deve ser iniciado o retorno às aulas em formato híbrido com 50% da capacidade para as atividades presenciais”.

Confira documento na íntegra AQUI no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Eu acho que tem algo errado ou somos muito burros: temos um comité científico estadual em que o chefe é engenheiro elétrico e é formado por uma turma de amigos da UFRN( sabe Deus as suas profissões ) e de Fátima governadora, que a impressa , judiciário e partidários o seguem sem questionar. Temos um comitê Municipal , formado por Drs em medicina e afins, que é questionado toda hora em suas ações. Agora, após 1,5 anos de peia e sofrimento, sindicatos , professores e autoridadss contras,seguindo o tal comitê científico Estadual da lacracão, onde após 15 dias de toque de recolher e 15 dias de lockdoaw, os casos de infecções e mortes por covid estão bombando, o MP ( aliado do governo) recomenda volta as as aulas… ??? Tem algo muito errado e estranho no RN.

  2. Entendo e até concordo com a urgência de vacinar os professores, porém se for para esperar ter aulas só após a vacinação deveria então dispensar todos os motoristas de ônibus, taxi, aplicativo, particulares, caminhoneiros, empregadas domésticas, caixas de supermercado, frentistas de postos, etc.., afinal de contas somos todos nós iguais oi não??

  3. aí libera por qual motivo? não tem estrutura nem nas escolas privadas, quanto mais as públicas e estão esquecendo que os ônibus estão lotados sem os alunos irem a escola, quanto mais com a volta as aulas. Não está tendo um estudo como realmente deveria ter. Aqui no RN as vidas não importam…só as vidas dos mais favorecidos.

  4. Fátima genocida teve tempo de sobras para preparar o retorno as salas de aulas.
    Tá passando da hora, de começar, do contrário vão preparar uma legião de atrazados gerando um problema social gravíssimo.
    O ensino público no RN já é ruim, imagine parado.
    Nunca os alunos de escolas públicas vão se formar, vai ficar só olhando a galera de escolas particulares virarem doutores.
    Lamentável essa atitude dessa desgovernadora fraca.

    1. Não são só as escolas estaduais não.As municipais estão uma sucata.

  5. O MP trabalha no home office. Na pior fase da pandemia, querem o retorno às aulas. Certamente estão preocupados com o atraso salarial, caso o Estado tenha as arrecadações reduzidas.

  6. Até que enfim criaram vergonha na cara e estão admitindo a segueira e outros arroubos dos ditadores de tiranetes, né MPRN.

    1. Você nunca pisou em uma escola pública p ver a realidade. Não tem segurança sanitária p aluno e nem p professor.
      Tire sua bunda da cadeira e saia da frente do computador.

  7. Impressionante. demoraram 1 ano para perceber a necessidade da escola na vida de todos. Infelizmente, as escolas privadas pagaram o preço da incompetência dos governos estadual e municipal que não fizeram nada nas suas escolas no sentido de retornarem as atividades. Espero que o Ministério Público não fique desmoralizado por esse comitêzinho que não conhece nada para ser chamado de científico. São na verdade comedores de gratificações pagas com o nosso dinheiro.

  8. Só pra vacinar professores? se não vacinar também os alunos dá no mesmo, alunos não respeitarão os protocolo da pandemia, e são fontes de contaminação. Deixe como está

    1. Isso mesmo sr. Francisco. O grande problema esta aí "observando os critérios sanitários"….
      Tem escola privada de Natal que está usando álcool comum, sem ser o 70%. Salas de aulas lotadas. Professores trabalhando doentes mesmo com atestado. Ninguém fiscaliza. Professor e funcionário não pode abrir a boca pois perde o emprego.
      Digo porque tenho provas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *