WhatsApp teve sua pior falha de segurança: brecha deixou vulnerável dados dos usuários e também todos os aplicativos instalados no celular

O WhatsApp alertou seus 1,5 bilhão de usuários no mundo todo para que o aplicativo de celular fosse atualizado. Uma brecha de segurança da plataforma permitiu que hackers instalassem um vírus para monitorar o uso do aparelho.

Segundo o professor da FGV Arthur Igreja, do ponto de vista técnico, o “WhatsApp teve sua pior falha de segurança.”

O especialista em tecnologia afirma que o WhatsApp tinha como uma de suas prioridades a segurança e a privacidade das mensagens trocadas entre os usuários. Porém, foi usado para expor todos os demais aplicativos instalados no aparelho.

“O vírus instalado pelos hackers permitia espionar 100% do uso do celular. Isso criou uma vulnerabilidade para aplicativos de bancos, e-mails e para outros serviços usados pelo celular”, explica o professor.

Os cibercriminosos usaram uma chamada de voz pelo aplicativo para conseguir instalar o vírus. A vítima não precisava atender a ligação para ter o celular invadido. O histórico de chamadas ainda era apagado para não deixar pistas. Isso dificultava a descoberta de que algo irregular estava ocorrendo.

O professor Igreja alerta que ainda é cedo para ter a dimensão real do ataque. “O WhatsApp não revelou o número exato de quantas pessoas foram vítimas dos hackers. É possível que não tenha sido algo tão pontual”, afirma.

Procurado pelo R7, o WhatsApp enviou o seguinte posicionamento:

“O WhatsApp incentiva as pessoas a atualizarem o nosso aplicativo para a versão mais recente, assim como manter o sistema operacional dos dispositivos atualizados, a fim de proteger contra possíveis ataques destinados a comprometer as informações armazenadas em dispositivos móveis. Estamos trabalhando constantemente ao lado de parceiros da indústria para fornecer os aprimoramentos de segurança mais recentes para ajudar a proteger nossos usuários.”

R7

Site especializado em hospedagem é condenado pela justiça potiguar por falha na prestação de serviço

A Segunda Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais do Rio Grande do Norte mantive a condenação da empresa Booking.Com por danos materiais no valor de R$ 200,00 e condenou o site de hospedagem ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 6 mil, em razão de falha na prestação de serviço a um advogado de Currais Novos.

O autor ajuizou ação indenizatória alegando que realizou uma reserva junto ao Booking.Com Brasil Serviços de Reserva de Hoteis Ltda. porém quando chegou ao estabelecimento contratado percebeu que se tratava de um motel, motivo pelo qual requereu que fosse realizado o checkout e devolução do valor, o que não foi atendido. Por isso, ingressou com demanda judicial requerendo a condenação em danos materiais e morais.

O autor, que é residente na cidade de Currais Novos, disse que organizou uma viagem para a cidade de Campina Grande, com o objetivo de prestar Concurso Público para Universidade Estadual da Paraíba, Cargo de “Advogado”, Edital Normativo de Concurso Público Nº 001/2017 – UEPB, com realização da prova escrita objetiva para 17 de dezembro de 2017, conforme edital anexado.

Afirmou que – por possuir conta junto ao Booking.Com, que é um sítio eletrônico de auxílio de viagens e reservas de hotéis, pousadas e acomodações turísticas, além de carro e voos, e por já conhecer o serviço prestado, tendo em vista que já realizou várias reservas de hospedagens com a ajuda do aplicativo, e tendo em vista a grande procura por hotéis e pousadas da cidade de Campina Grande/PB – realizou a reserva de duas diárias no valor total de R$ 200,00 com check in em 15 de dezembro de 2017 (sexta-feira) e check out em 17 de dezembro de 2017 (domingo – data da prova), numa Pousada no centro da cidade de Campina Grande, denominada “Pousada de Amante”.

Como prova, anexou prints da reserva, dados da pousada, dados da conta do autor junto ao Boonking.com e extrato da fatura do cartão de crédito pelo qual realizou o pagamento no valor mencionado.

Assim, chegando dia 15 de dezembro de 2017, o autor viajou de Currais Novos à cidade de Campina Grande para realização da prova que seria no domingo, fazendo o “check in” na Pousada por volta das 18 horas.

Surpresa

O autor informou que, para sua surpresa, a Pousada tratava-se de um Motel, ao entrar no quarto, ao ligar a televisão o canal transmitia conteúdo pornográfico, o que imediatamente incomodou o autor, percebeu-se também dos artigos encontrados, preservativos, gels e lubrificantes sexuais entre outros apetrechos, além da entrada e saída de muitos casais, inclusive alcoolizados.

Ele disse que ficou extremamente aborrecido com a situação, tendo em vista que realizaria a prova no domingo, e naquele local seria impossível realizar as revisões dos estudos, com muito barulho nos quartos vizinhos, além do constrangimento que quando tivesse que sair da suposta pousada, sabendo que os populares locais sabiam da procedência do ambiente (motel).

Salientou que imediatamente solicitou a atendente que fizesse o “check out”, o que foi recusado, momento em que o autor entrou em contato com alguns amigos que moravam na cidade, estes imediatamente riram e até debocharam da situação inusitada do autor.

Contou que, no mesmo dia do check in (15 de dezembro de 2017, às 18 horas), às 23 horas, por sorte, ele conseguiu junto a um amigo um local para ficar, solicitando o “check out” em razão de não se sentir à vontade naquele ambiente, utilizado para relações sexuais, sendo recusado qualquer devolução de valor pela atendente que entrou em contato também com a proprietária do estabelecimento.

Assim, com menos de cinco horas de hospedagem, o autor insistiu ainda no cancelamento de apenas uma diária, já que o valor total das duas diárias foi de R$ 200,00, o que foi negado. Na verdade, lhe foi negado qualquer tipo de cancelamento e devolução do valor pago no cartão de crédito. O que deixou o autor extremamente aborrecido, desenganado, e extremamente ofendido e frustrado, que deixou imediatamente aquele ambiente às 23 horas do dia 15 de dezembro de 2017, e indo para a casa de um amigo.

Condenação

No final de 2018, o juiz leigo Talys Fernando de Medeiros Dantas condenou o Booking.Com ao pagamento do valor de R$ 200,00 pelos danos materiais, acrescidos de juros legais e correção monetária. O pedido de danos morais foi negado. A sentença foi homologada pela juíza Maria Nadja Bezerra Cavalcanti para que surta seus jurídicos e legais efeitos.

O autor recorreu da decisão, tendo o recurso cível virtual sendo apreciado pelos Juízes da Segunda Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais do Rio Grande do Norte, que, à unanimidade de votos, condenaram o Booking.Com ao pagamento de indenização por danos morais no valor de R$ 6 mil.

Recurso Inominado nº 0010314-28.2018.8.20.0103
TJRN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Nunes Filho disse:

    Pousada de Amante? O gênio que fez a reserva achou que com esse nome era oq? Retiro da igreja?

Falha no Facebook não deixa usuário curtir nem compartilhar

facebook-problema-curtir-like-ptg-reproUsuários do Facebook reclama por volta das 10h25 desta segunda-feira de falhas na hora de curtir e compartilhar posts no Facebook. No Twitter, usuários também comentam que não conseguem comentar conteúdos.

O Terra testou a rede social e também não conseguiu interagir. O problema acontece também quando o usuário tenta postar em páginas. O aplicativo apresenta a mesma falha, segundo usuários.

O problema também está ocorrendo nos Estados Unidos e em outros países, segundo o Mashable.

O serviço de mensagens Messenger continua funcionando.

Procurado, o Facebook ainda não se manifestou sobre o problema.

Terra

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gabriel disse:

    #Facebug .. e é assim que o Facebook abre brecha para concorrentes..
    Esse é meu ver !

Falha do Chrome mostra senhas salvas a qualquer pessoa que usar seu computador

1793.3164-Atualizacao-Google-Chrome-21

O navegador Chrome, da Google, possui uma falha de segurança que permite a qualquer pessoa com acesso ao seu computador, mesmo que por alguns segundos, descobrir todas as senhas para sites e redes sociais que estejam salvas no browser. Apesar disso, a Google informou que não pretende fazer nada a respeito.

A vulnerabilidade foi descoberta por Elliott Kember, desenvolvedor de software neozelandês baseado na Reino Unido. Explorá-la não requer qualquer conhecimento avançado de computadores e leva apenas alguns segundos, bastando clicar em alguns botões de configuração.

Faça o teste: clique no ícone que fica à direita do campo para endereços de sites e selecione a opção “Configurações”; no pé da página, clique em “Mostrar configurações avançadas…”; na seção “Senhas e formulários”, clique em “Gerenciar senhas salvas”, que estará grafado em azul; a tela exibirá agora um caixa com todas as senhas salvas no navegador, mas elas estarão ocultas sob asteriscos; para revelá-las, é preciso clicá-las e selecionar a opção em destaque “Mostrar”.

Em um fórum de internet, o chefe de desenvolvimento do Chrome, Justin Schuh, afirmou, porém, que a Google não vê problemas nisso:

“Queremos deixar claro que, quando você dá a alguém acesso à sua conta, essa pessoa terá acesso a tudo.”

O inventor da Web, Tim Berners-Lee, expressou no Twitter sua insatisfação com a resposta da Google.

O jornal “Guardian” lembrou que outros navegadores, como o Firefox e algumas versões do Internet Explorer, foram alvo de críticas no passado por possuir a mesma vulnerabilidade mas concordaram em corrigi-las. Desde então, esses browsers exigem uma senha mestra para exibir as senhas salvas.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcio disse:

    Nao entendo esse tipo de noticia. Eu uso isso a uma penca de tempo, principalmente quando tenho que formatar o micro e o google sincroniza e salva as senhas que as vezes esqueço.
    Se voce pede pra salvar a senha no seu computador, a responsabilidade é sua. simples assim.

Hacker descobre falha no iPhone que permite roubo de dados

Um hacker descobriu e divulgou uma falha que supostamente está presente desde as primeiras versões do sistema operacional móvel iOS até a última, de número 6, ainda por ser disponibilizada ao usuário final.

Segundo “pod2g“, o erro possibilitaria o acesso a dados privados de qualquer usuário que responder SMS ou correios de voz infectados. De acordo com a análise do pesquisador de segurança, o bug se aproveita de um protocolo chamado PDU, que controla o recebimento de mensagens, e por isso conseguiria acessar o cabeçalho dos textos e com isso acessar as informações pessoais. Além disso, se o conteúdo do SMS contiver outros dados eles poderão ser facilmente roubados também.

A Apple ainda não se pronunciou sobre a falha. Recentemente, outro hacker descobriu que o sistema operacional da companhia norte-americana tinha uma brecha que permitia o download gratuito de qualquer aplicativo pago, assim como a compra de bens in-app.

Fonte: Olhar Digital

Fantástico encerra com Zeca Camargo falando sozinho

Zeca Camargo foi deixado falando sozinho no fim do “Fantástico”, ontem, em decorrência de uma falha técnica.

Os problemas começaram após apresentador anunciou uma reportagem com a dançarina Débora Colker.

No lugar da matéria, a tela ficou preta. Em seguida Zeca reaparece, avisando que houve um problema e eles vão encerrar o programa.

Porém, enquanto ele se despede, o áudio é cortado, deixando-o falar sozinho enquanto os créditos sobem e a luz do estúdio é apagada.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ZOgpT709R4M

Fonte: F5