Assaí Atacadista abre vagas temporárias para o fim de ano no RN

Foto: Divulgação

O Assaí Atacadista, rede de atacado de autosserviço que mais cresce no Brasil, está selecionando profissionais para mais de 1800 vagas temporárias em todo o País. A empresa irá reforçar os times de suas 176 lojas para o fim de ano, período de maior movimento para o setor. Há vagas para os cargos de Empacotador, Repositor, Operador de Caixa, Operador de Depósito e Fiscal de Prevenção de Perdas, com oportunidade de efetivação.

Podem se candidatar maiores de 18 anos com ensino médio completo e disponibilidade para trabalhar em escala 6×1. Em razão da pandemia de Covid-19, o processo seletivo da rede foi adaptado para ser realizado 100% on-line. No Rio Grande do Norte, os interessados podem consultar as vagas disponíveis e cadastrar o currículo no site da empresa AST Consult até o dia 10 de novembro. A rede oferece salário e benefícios compatíveis com o mercado.

Negócio de atacado de autosserviço do GPA, maior varejista alimentar da América do Sul, o Assaí atende pequenos e médios comerciantes e consumidores em geral que buscam economia em compras de grande volume. Atacadista que mais cresce no Brasil, a rede está presente nas cinco regiões do País, com 176 lojas distribuídas em 22 estados e no Distrito Federal. Conta com uma plataforma própria de serviços financeiros, o Passaí, composta por cartão próprio e uma maquininha de cartão de crédito e débito. Anualmente, o Assaí recebe mais de 250 milhões clientes em suas unidades. Em 2020, foi eleito o atacadista mais admirado do País pelo ranking IBEVAR-FIA.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria Cristiana Borges disse:

    Gostaria de fazer parte junto com a equipe Assai atacadista sou uma pessoa responsável comunicativa organizada e responsável e pontual procuro uma oportunidade o mercado de trabalho.

  2. HUGO disse:

    AINDA NÃO VI VAGAS NO SITE DA EMPRESA PARA NATAL

  3. Matheus botão sá disse:

    Juntos iremos crescer.

  4. Marlon Rodrigues Lopes disse:

    Farei o possível para contribuir para o crescimento da empresa

  5. Maria de Lourdes da silva souza disse:

    Estou desempregada tenho ensino médio completo. Meu primeiro emprego trabalhei.15 anos.tenho 56.anos.ai tudo fica difícil.as empresas não querem dar mais oportunidades. Por causa da idade..

  6. Alexia Sandriely disse:

    A procura de uma oportinidade de um emprego

  7. Camila ingrid costa da silva disse:

    Quero muito te oportunidade de trabalha com vcs

  8. SOLANGE DAVID BORGES disse:

    Estou a procura de uma vaga,pois estou a dipocisao

  9. SOLANGE DAVID BORGES disse:

    Gostaria de fz parte desse guadro de fucionario

  10. Jussanra disse:

    Onde ta o saite?

  11. Renato Silva disse:

    gostaria de fazer parte dessa empresa Assaí estou a disposição

  12. Camila ingrid costa da silva disse:

    Obrigado to atraz de trabalhat

  13. Maria Eduarda Farias do nascimento disse:

    Estou precisando de uma vaga de emprego

  14. Bruna dias Soares disse:

    Eu preciso de uma oportunidade de emprego gostaria que me ajuda com uma vaga

  15. Rosemberg lima da silva disse:

    Olá Boa tarde eu gostaria de faze parte desta equipe

  16. Ronaldo José da Silva disse:

    Estou a procura de emprego.

  17. Rogerio Nascimento da Silva disse:

    Quero muito ter a oportunidade de trabalhar com vocês só preciso de uma oportunidade por favor mim ajudem

  18. Luma Gabriela Carvalho da Silva disse:

    Boa tarde eu estou precisando de um vaga

  19. Isabele Cristina De Lima Neres disse:

    Atrás de trabalhar

‘Não temos que celebrar nem Ano Novo, nem carnaval diante de uma pandemia’, diz Doria sobre megaeventos

Queima de fogos marca a passagem de ano no réveillon na Avenida Paulista. — Foto: Ricardo Bastos/Fotoarena/ Estadão Conteúdo

O governador João Doria (PSDB) disse na tarde desta quarta-feira (15) que megaeventos como Réveillon e carnaval não deverão ser celebrados diante da pandemia do coronavírus. Segundo Doria, tais eventos só poderão ser comemorados em São Paulo com a criação da vacina contra a Covid-19.

“O Brasil está prestes a alcançar 2 milhões de casos confirmados e milhares de mortes. É a maior tragédia da história desse país em qualquer tempo. Não há nada a celebrar, não há nada a comemorar. E muita atenção àqueles que diante de um quadro como esse ainda querem fazer atividades festividades de Ano Novo ou de carnaval. Nós não temos que celebrar nem Ano Novo, nem carnaval diante de uma pandemia. Apenas com a vacina pronta e aplicada, e a imunização feita, é que podemos ter celebrações que fazem parte do calendário do país, mas neste momento, não!”, afirmou Doria.

Representantes do chamado Centro de Contingência Contra o Coronavírus, comitê de especialistas criado pelo governo estadual para orientar o combate à pandemia, anunciaram no início do mês de julho que eventos com público em pé, com entrada controlada e que respeitem o distanciamento social de 1,5 metro poderiam voltar a ocorrer a partir da fase verde do Plano São Paulo. No entanto, eventos com aglomeração não estão no radar do grupo ainda.

O Plano São Paulo regulamenta a flexibilização ou endurecimento da quarentena em todo o estado.

Na terça-feira (14) o coordenador-executivo do comitê de saúde de São Paulo, João Gabbardo, também afirmou que a realização de grandes eventos no estado, como festas de Réveillon e Carnaval, é um tema que “obviamente tem uma dependência muito grande da situação da vacina”.

“O centro de contingência já discutiu e aprovou a questão dos eventos, mas são eventos com entrada controlada, com capacidade reduzida, a partir da fase verde. Megaeventos, onde não há controle de quantas pessoas participam e há ,definitivamente, uma aglomeração enorme, não estão na visão, vamos dizer, próxima”, disse Paulo Menezes, atual coordenador do comitê.

Menezes disse ainda que eventos de grande porte são algo que o centro de contingência não considera possível nesse momento.

“Serão no mínimo para fase azul [do Plano São Paulo], e não pra situação que nos temos para as próximas semanas ou meses até. Eu diria que é compreensível a necessidade de planejamento desses megaeventos, mas frente à situação que nós temos hoje da pandemia, da ameaça de transmissão na população aqui no estado de São Paulo, isso não é algo que o centro de contingência considera possível nesse momento”, completou.

Vacina

Um dos projetos de vacina para a Covid-19 que está sendo testado em voluntários do estado de São Paulo é a vacina contra o coronavírus da Universidade de Oxford, do Reino Unido, que está na fase 3 de testes.

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Fundação Lemann são os responsáveis pelos testes em São Paulo da vacina ChAdOx1 nCoV-19, que já foi testada em 2 mil voluntários em São Paulo. Ao todo, 50 mil pessoas participam dos testes em todo o mundo, 10% delas no Brasil: 2 mil em São Paulo, 2 mil na Bahia e outras 1 mil no Rio de Janeiro.

Esse é o projeto mais avançado do mundo. Se for comprovada a eficácia, a vacina poderá ter o registro liberado em junho de 2021.

O instituto Butantan também está desenvolvendo, em parceria com um laboratório chinês, uma vacina contra o coronavírus que está em fase final de testes. O projeto será testado em 9 mil voluntários brasileiros.

Se bem sucedida nos testes, a vacina poderá ser produzida no país e disponibilizada no SUS a partir de junho de 2021, segundo previsão do governo paulista.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lúcia de Medeiros Dantas disse:

    Agora , ele vai falar isso? E o desse ano que ele resolveu contrariar as ordens do Nosso Presidente!!!! Palhaço mesmo!!!

  2. Eu disse:

    …“O Brasil está prestes a alcançar 2 milhões de casos confirmados e 316 mil mortes. "…

    De onde tiraram esses números?

  3. José disse:

    Esse Doriana é um PALHAÇO! E o carnaval desse ano??? Ele já sabia do coronavírus e fez um super carnaval em São Paulo…PALHAÇO!

Juiz escreve carta especial de fim de ano para presos em SC e texto é alvo de elogios e críticas

Mensagem de fim de ano escrita por juiz e endereçada aos detentos da Comarca de Joinville. — Foto: Reprodução/Facebook

O juiz João Marcos Buch, da Vara de Execuções Penais de Joinville, no Norte catarinense, enviou aos detentos do município uma carta com mensagem de fim de ano que teve milhares de curtidas e centenas de compartilhamentos nas redes sociais. No texto, o magistrado diz que atua para fazer com que os presos não fiquem atrás das grades além do tempo estabelecido pela justiça e que ele mesmo é vítima da falta de comentários odiosos e agressivos.

“A intolerância que atinge vocês que estão presos também é destinada a mim. Como juiz da execução penal sou tachado de defensor de bandido, sou olhado de canto de olho, sou hostilizado por parte da sociedade, cega em seus traumas, ódios e medos”, escreveu o juiz na carta, com data de 16 de dezembro de 2019.

O sistema prisional de Joinville tem cerca de 2.050 presos, contando presídio e penitenciária, informou Buch.

Ao G1, o juiz contou que costuma mandar e receber cartas de detentos, anexando-as a processos e decidindo sobre os pedidos que os presos fazem, mas que a situação atual é diferente em relação aos anos anteriores e por isso resolveu falar sobre os preconceitos que ele próprio enfrenta por ser da Vara de Execução Penal.

“Em 2019 a população carcerária aumentou muito e programas de ensino técnico acabaram terminando, não sendo renovados. A situação do sistema prisional brasileiro que já era muito complicada se tornou mais difícil ainda este ano. Então o que um juiz da execução poderia encaminhar para pessoas que estão presas no sentido de dar um alento em que a lei seja cumprida, a Constituição seja cumprida? Então não seria eu que falaria sobre as condições que eles se encontram, porque eles sabem melhor do que eu”, explicou.

O magistrado falou ainda que só teve noção da repercussão da carta quando atendeu um telefonema de um ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

“De alguma forma caiu no domínio público. Eu fiquei sabendo disso quando recebi a ligação do ex-ministro Ayres Britto me cumprimentando, dizendo que estava muito sensibilizado com a minha carta e que a Justiça deveria funcionar dessa forma, aliando o direito, a lei, o positivo com a justiça, a humanidade, e que era aquilo ao enviar esta carta”, explicou.

Conforme Buch, ele já foi até a unidade prisional distribuir a carta, mas que neste ano, como já tinha estado dias antes na localidade, não teria como ir novamente. Por isso, digitalizou a mensagem e mandou à direção do Complexo Prisional de Joinville, que imprimiu uma cópia para cada cela.

“Tive alguns retornos de que os detentos receberam muito bem. Familiares, visitantes que eu encontrei me disseram que uma mãe falou: ‘Meu filho recebeu a sua carta’. Ela estava muito emocionada e ela tinha certeza que a carta tinha sensibilizado o filho dela e dado algum alento, alguma esperança para a vida dele dentro do cárcere”, disse.

Sobre as reações negativas ao conteúdo da mensagem, Buch disse que as encara com naturalidade, “ainda mais num tempo sob império de um discurso de ódio, de violência, de polarização, de eliminação do outro”, que atribui isso ao desconhecimento do conteúdo da carta e da falta de empatia, e que houve mais elogios do que críticas.

“Meu pensamento é que essa carta atingiu o seu fim, especialmente porque chegou às pessoas que estão presas, alcançou, tocou essas pessoas. E na sociedade em geral trouxe à discussão a pessoa que está encarcerada, especialmente no final do ano em um país que é cristão, majoritariamente cristão, e que deve agir dentro dos princípios dos fundamentos cristãos, que é a fraternidade, a solidariedade e o amor entre as pessoas. Foi isso que tentei transmitir”, disse.

Contraponto

Motivado pela carta do juiz, o promotor de Justiça Alexandre Carrinho Muniz, do Tribunal do Júri da comarca de Palhoça, na Grande Florianópolis, também divulgou uma mensagem de fim de ano, mas endereçada aos familiares das vítimas. O texto tem data de 19 de dezembro de 2019 e foi pensado para ser divulgado pelas mídias sociais porque, segundo o promotor, ele estava sem tempo para entregar pessoalmente.

Mensagem de fim de ano escrita por promotor de Justiça e endereçada aos familiares de vítimas. — Foto: Reprodução

“Vendo aquela carta que foi escrita endereçada aos presos me pareceu injusto deixar de fora as pessoas que são as que realmente se tornam mais vulneráveis nesses momentos, num momento de um processo que são as vítimas e notadamente os familiares das vítimas. Então não podia deixar de lado de modo algum os familiares das vítimas que sofrem tanto com o processo e que depois que o processo se encerra, elas continuam sofrendo e que mesmo depois que o acusado é condenado e cumpre a pena, elas vão continuar sofrendo o resto das suas vidas”, disse o promotor ao G1.

O texto foi escrito de forma semelhante ao da carta redigida pelo juiz. “Achava muito injusto que uma carta fosse feita a eles e não fosse feita a elas [famílias das vítimas] e o que eu quis utilizar foi justamente as mesmas palavras. Isso foi proposital pra que se demonstrasse dos valores que nós temos aqui”, disse o promotor ao G1.

Porém, Muniz disse que “de modo algum” quer tornar essa carta “uma espécie de oposição ou exclusão a direito de quem esteja preso” e que essa não foi a intenção dele, embora reconheça que a interpretação de cada um “pudesse levar a isso.”

“Foi principalmente, no sentido de que: ‘olha, nós temos familiares das vítimas’. Elas nunca ou quase nunca são lembradas. Então nós precisamos mostrar à população que elas existem, que elas sofrem e que elas sofrem por um tempo muito superior ao tempo de pena que o preso cumpre. Por isso, justamente o que eu aproveitei essa situação pra fazer essa lembrança”, declarou.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sincero disse:

    Juiz hipócrita.

Bolsonaro embarca para Base Naval de Aratu, na Bahia, para recesso de fim de ano

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro embarcou nesta sexta-feira (27) para a Base Naval de Aratu, no litoral da Bahia, onde deve passar uma semana de recesso. Segundo o Palácio do Planalto, a previsão é de que ele retorne a Brasília no próximo dia 6.

Bolsonaro deixou o Palácio da Alvorada às 14h40, e embarcou na Base Aérea de Brasília acompanhado da filha Laura. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, ficará na capital federal porque, segundo o presidente, pode ser submetida a uma cirurgia nos próximos dias.

“Não [Michele não vai à Bahia], ela está com um problema de…Problema não, vai fazer uma, talvez uma cirurgia nesses dias aí […] Outra coisa, eu vou para pescar, mas geralmente ela não gosta de pescar. Então, para ela não ficar chateada, deixa ela ficar aqui”, disse Bolsonaro a jornalistas mais cedo nesta sexta, enquanto cumprimentava apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

Pouco depois de o presidente ter feito as declarações, a própria primeira-dama foi até entrada do Palácio da Alvorada. Questionada por jornalistas sobre a possibilidade de cirurgia, ela respondeu apenas que “não, não é grave”. Michelle não deu mais detalhes.

O recesso acompanha o descanso dos ministros – alguns só voltam a despachar na Esplanada dos Ministérios na segunda semana de janeiro. A comitiva que acompanha o presidente não foi divulgada pelo Planalto.

Outros parentes de Jair Bolsonaro devem passar pelo local nos próximos dias, entre eles os filhos Flávio, Carlos e Eduardo, devem passar pelo local nos próximos dias.

Refúgio presidencial

A base de Aratu fica na península do Paripe, em Salvador, e funciona como apoio logístico para equipes das três Forças Armadas que atuem nas águas. A construção completou 50 anos em 2019.

O local é vigiado constantemente pela Marinha, e as instalações de lazer incluem uma casa colonial na praia privativa de Inema. Além da função estratégica, Aratu foi escolhida como local de refúgio e descanso pelos últimos cinco presidentes do Brasil.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso passou o réveillon de 1996 na base, e voltou ao local em 1997 e 1998. O ex-presidente Lula também escolheu Aratu para a maior parte dos períodos de recesso, entre 2003 e 2010.

A ex-presidenta Dilma passou quatro réveillons na base, além de algumas folgas durante o Carnaval. Em 2017, Temer levou a primeira-dama Marcela, o filho Michelzinho e a sogra, Norma, para passarem o Carnaval em Aratu.

O espaço é reservado, mas fica a poucos metros de praias públicas como Tubarão e São Tomé de Paripe, na Baía de Todos os Santos. Em anos anteriores, frequentadores das praias acenaram e tiraram fotos com os ex-presidentes na base.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aleonardo disse:

    Por que bases militares tem estrutura para veraneio?? Quanto custam?? Quem as utiliza durante o ano??

Justiça concede saída temporária de fim de ano a 1 mil presos em Natal

Foto: Ilustrativa

A Vara de Execuções Penais da Comarca de Natal concedeu, neste mês de dezembro, autorização para a chamada “Saída temporária de final de ano” a cerca de mil presos que passaram a ter direito ao benefício na Capital do Estado. A saída é prevista pela Lei de Execuções Penais e autoriza o juiz a conceder até cinco saídas durante o ano, com no máximo sete dias de cada vez. Neste mês, as saídas vão do Natal ao Ano Novo, com os presos retornando no dia 02 de janeiro.

Confira todos os detalhes aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flavio disse:

    Aberração do judiciário, só no Brasil acontece isso , desses 1.000 presos metade não voltam e cometem outros crimes , a sociedade que se proteja .

  2. N.A. disse:

    E isso aí, bandidos nas ruas e as famílias se tranquem dentro de casa para não serem as próximas vítimas. Viva o Brasil!!!!

  3. Jailson Dias disse:

    Isto é um absurdo, é "um crime legalizado", imaginem só a quantidade de pais e mães de família que já foram mortos por detentos que gozavam desse direito (…)

  4. Irany Gomes disse:

    Presente de ano novo para a população, que tem que ficar presa em suas casas!

Museus e parques administrados pelo Governo têm horários especiais no fim de ano

Os equipamentos públicos do Governo do Estado do Rio Grande do Norte contam horários especiais para visitação neste neste fim de ano.

O Parque das Dunas, em Natal, funcionará nesta terça-feira (24) e no dia 31 entre 7h30 e 12h, sendo aberto para coopistas credenciados a partir das 4h30. Nos dias de Natal (25) e 1º de janeiro o parque administrado pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) estará fechado.

Já em Parnamirim, o Cajueiro de Pirangi, também sob responsabilidade do Idema, estará aberto entre 7h30 e 17h30 na véspera de Natal, fechando no dias 25, 31 e 1º de janeiro.

O horário também é diferenciado para a Cidade da Criança. A estrutura administrada pela Fundação José Augusto (FJA) estará fechada até o dia de Natal, reabrindo na quinta-feira com funcionamento entre 6h e 17h e voltando a fechar no dia 30. A reabertura só acontecerá no dia 7 de janeiro.

O Memorial Câmara Cascudo não abrirá no dias 24, 25, 31 e 1º de janeiro. Nos demais dias o museu funcionará normalmente das 8h às 17h (segunda à sexta) e 8h às 13h (sábado). O Museu Café Filho ficará fechado durante o período de fim de ano para manutenção interna.

Urbana informa funcionamento de serviços de limpeza e coleta neste fim de ano; confira

Foto: Divulgação

A Companhia de Serviços Urbanos de Natal (Urbana) informa que nos dias 24, 25, e 31 de dezembro haverá limpeza de praias e feiras normalmente, além de coleta domiciliar.

No próximo dia 1° de janeiro não haverá serviços de limpeza da empresa na cidade (coleta domiciliar, coleta de podas e entulhos), apenas limpeza de praias e feiras.Desse modo, pedie à população para não colocar lixo para coleta nas calçadas neste dia.

Os garis da Urbana só suspendem seus trabalhos em duas datas: no Dia do Gari, 16 de maio, e no dia 1° de janeiro de cada ano. No dia 02 de janeiro os serviços voltam à sua normalidade.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio Neves disse:

    Urbana: por favor passem na Mor Gouveia e na Norton Chaves em Potilândia.
    Vcs estavam indo tão bem até uns três meses atrás.

NO DINHEIRO: Daniela Mercury é a atração principal do show de fim de ano do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN

Foto: Divulgação

A cantora baiana Daniela Mercury, conhecida por sucessos como “O Canto Dessa Cidade” e “Rapunzel”, será a atração principal do show de fim de ano do SINTE/RN voltado para seus filiados. A programação musical também contará com o som dos artistas da terra Valéria Oliveira e Zé Hilton. O evento acontecerá no dia 28 de dezembro (sábado), a partir das 19h, na Arena do Imirá, Via Costeira. A festa é exclusiva para os trabalhadores em educação associados ao SINTE.

As senhas serão entregues, impreterivelmente, na sede estadual do Sindicato, em Natal, somente ao filiado, nos dias 19 e 20 de dezembro ou até quando durar o estoque. O horário para entrega será das 8h às 17h, na sede estadual do SINTE/RN, mediante apresentação do último contracheque e documento com foto. Cada filiado terá direito a duas senhas. De antemão, o SINTE avisa que as senhas são limitadas.

Novo formato ampliará quantidade de senhas para filiados de Natal e interior

O novo formato da confraternização de fim de ano do SINTE/RN vai ampliar a quantidade de senhas para os filiados que residem em Natal e no interior do Estado. A mudança visa atender às reclamações dos associados que gostariam de participar da confraternização, mas ficavam de fora por causa das limitações de espaços fechados na capital.

Neste ano, o Sindicato está trocando o buffet em um ambiente fechado pela realização de três shows, um deles de uma artista de renome nacional. A mudança vai permitir o acesso de mais de 7 mil filiados.

SINTE-RN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. LEANDRO disse:

    Pão e Circo para os funcionários do RN em educação. …….professores doutrinados……….para doutrinar…………futuros comedores de pão com mortadela…………..e não lembrarem do abandono do poder público. ……

  2. Yago disse:

    Pense num show sem futuro, era melhor ter chamado a caneta azul, pelo menos esse cara é honesto, e o Danielo sem a Lei Rouanet nada é.

  3. Sergio disse:

    O sindicato esta estribado. Mas essa não enche nem mais uma Kombi. Vai ser preciso distribuir sanduiche de mortadela.

  4. Gustavo disse:

    Só sindicato mesmo pra ressuscitar artista do ostracismo. Essa daí merece o limbo em que está.

  5. Zanoni disse:

    Show porcaria.

  6. Manoel disse:

    Essa aí só sobrevive às custas de dinheiro público … Como não tem mais, que venha o dinheiro dos sindicatos…

Festas de fim de ano devem abrir mais de 570 mil vagas temporárias

Número de vagas temporárias deve ter alta de 13,86% entre setembro e dezembro. Foto: Bruno Rocha/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo – 14.08.2019

O número de vagas temporárias abertas para atender as demandas das festas de final de ano, como Natal e Ano Novo, além do Dia das Crianças, deve crescer 13,86% entre setembro e dezembro de 2019 em comparação com o mesmo período do ano passado. A previsão, feita pela Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário), aponta que poderão ser disponibilizadas mais de 570 mil vagas nesse período. Em 2018, foram 500 mil oportunidades temporárias.

De acordo com o levantamento, o mês de outubro, devido ao Dia das Crianças, terá crescimento de 19,84% em comparação com 2018, e dezembro, em razão das festas de final de ano, com acréscimo de 21,82%, devem ser os meses com maior volume de vagas.

Os dados mostram que São Paulo, com cerca de 366 mil vagas, é o estado brasileiro com maior participação na geração de empregos temporários, seguido por Paraná (36.889), Rio de Janeiro (34.688), Santa Catarina (26.870) e Amazonas (26,701).

Hoje estagiária, a estudante Gabriela de Sá Rocha trabalhou como temporária numa loja do varejo no final do ano passado, e conta que, como primeiro emprego, o trabalho informal é uma oportunidade positiva, principalmente jovens.

Gabriela trabalhou como temporária. Foto: Reprodução/Instagram

“Eu aprendi a ser consumidora estando do outro lado. Aprendi como agir dentro de uma loja, o que você tem que fazer. Eu vejo essa experiência como uma coisa muito boa para jovens, que procuram um emprego como forma de pagar a faculdade, por exemplo. Então o trabalho temporário é uma coisa muito positiva, porque não importa como esteja a economia, as pessoas sempre vão comprar, e sempre vai existir essa demanda e essa necessidade”, diz Gabriela.

Segundo o diretor administrativo e financeiro da Asserttem, Alexandre Leite Lopes, esse aumento na demanda se dá tanto na indústria quanto no varejo. “Essas demandas de final de ano são complementares e são caracterizadas pelos seguintes aspectos: nos primeiros meses, entre setembro e outubro, há uma demanda maior na indústria. Porque há a necessidade de produzir mais bens e produtos para vender e distribuir no comércio, para que depois seja vendido para os consumidores”.

“E, posteriormente, essa demanda migra para o varejo, em novembro e, principalmente, dezembro. Porque aí há o Natal, o aumento de vendas por conta das festas e o comércio precisa de mais gente trabalhando”, explica Lopes.

Retomada

De 2014 a 2016, a oferta de vagas temporárias de fim de ano sofreu, assim como em diversos setores da economia, com a crise econômica que atingiu o Brasil. A recuperação teve início em 2017 e, neste ano, segundo previsão da Asserttem, passa por um bom momento, registrando alta em relação a anos anteriores.

Segundo Lopes, o momento de retomada não tem uma única causa. Para ele, é a somatória de alguns aspectos que resultam na estimativa de crescimento desse ano. “O primeiro é que a gente tem acompanhado o índice de confiança do comércio, medido pela FGV (Fundação Getúlio Vargas), e que mostra um crescimento nos últimos três meses. Então há uma tendência por parte do comércio de que os meses daqui para frente serão melhores, em termos de venda, como já vem acontecendo na pratica nesses últimos meses”.

“Além disso, as empresas estão com o quadro de empregados efetivos muito enxutos, então quando surge uma demanda extraordinária, elas precisam contratar uma mão de obra extra para atender essa demanda e com isso são contratados trabalhadores temporários. Por fim, está tendo, por parte das empresas, um maior conhecimento dessa modalidade de contratação”, explica Lopes.

Lei 6.019 de 1974

Ao contrário da impressão que existe em setores da sociedade, Lopes afirma que o trabalho temporário não se trata de precarização ou informalidade. Na verdade, existe uma regulamentação por trás dessa modalidade de contratação, que exige uma empresa que faça o intermédio na relação entre empregado e empregador.

“Existem empresas que são certificadas na atual secretaria do Trabalho e Previdência, para poderem prestar esse serviço para outras empresas que realmente demandam esse tipo de trabalho. Então o contrato de trabalho temporário só é válido se for feito por essas empresas intermediadoras certificadas para isso. Sendo feita dessa forma, é um trabalho legal, regulamentado”.

“O trabalhador temporário tem, praticamente, todos os direitos de um trabalhador CLT. Ele tem férias proporcionais, 13º, ele contribui para o INSS, então consequentemente conta o tempo para a aposentadoria dele também, ele é registrado, é um trabalho formal. E isso desde a lei de 1974”, explica.

Gabriela conta que entrou para trabalhar na Black Friday e ficou até o Natal, não deixando de receber as garantias e benefícios que um contratado pela CLT tem. “Quando saí, eu tive direito ao FGTS, eu tinha vale refeição, baixo, mas tinha, e também vale transporte, que era depositado direto na conta”, disse.

“É uma oportunidade de emprego. Além de tudo, pode ser uma porta aberta para uma vaga efetiva. Se mostrar um bom desempenho, o profissional pode ter uma chance depois do fim do contrato”, completa Lopes.

R7

 

Pensou em reformar a casa para o fim de ano? O momento para gastar menos é agora!

Período é propício para promoções que podem fazer a diferença no orçamento da obra

Fotos: Ambientes reformados/Divulgação

Faltam quatro meses para as festas de fim de ano e muita gente já começou a pensar na reforma da casa e do apartamento. Mas para que as mudanças no ambiente residencial saiam das ideias e se concretizem, é necessário planejar o orçamento. E esse é o melhor momento para aproveitar as promoções que podem deixar o preço dos materiais bem mais em conta.

A pesquisa de preço é um elemento muito importante para que a reforma saia do papel e não se transforme em uma dor de cabeça. “Nesse período são comuns promoções e condições especiais, facilitando o orçamento e possibilitando, muitas vezes, até a ampliação da reforma. Fica mais fácil também para seguir um cronograma, escolher os revestimentos certos, sempre aproveitando as oportunidades. Uma loja especializada, como O Borrachão, oferece essa assistência diferenciada ao cliente, além de permitir que ele economize mais na hora das compras”, destacou a diretora de relacionamento do O Borrachão, Renalle Diniz Costa Gurgel.

Escolher bons fornecedores também é um ponto primordial para a execução de um bom serviço. “O cliente deve avaliar bem a empresa que está ofertando os produtos, se ela tem bons parceiros e fornecedores, como nós temos aqui no O Borrachão. Isso significa que ele vai fazer um investimento seguro, sem se arrepender depois”, aconselhou a diretora.

Risco de infarto é maior durante festas de fim de ano

Foto: Pixabay

Um estudo publicado no “British Medical Journal” que aponta que o risco de acidentes cardíacos é maior durante as festas de fim de ano.

De acordo com os pesquisadores das universidades de Lund, Estocolmo, Uppsala e Orebro, na Suécia, o risco máximo acontece em torno das 22 horas.

Um estudo realizado com 283 mil pessoas que deram entrada em hospitais suecos com infarto do miocárdio, entre 1998 e 2013, aponta que a maior incidência de acidentes cardíacos acontece na noite do 24 de dezembro – uma alta de 37% em relação ao resto do ano – seguido pela noite do Ano Novo – com uma alta de 20%.

Segundo os autores da pesquisa, a maior incidência desses acidentes cardíacos pode ser ser explicada pelos excessos de bebidas alcoólicas e alimentação nesta época do ano. O risco aumenta conforme o avanço da idade e em pessoas que sofrem de diabetes ou de doenças do coração, destaca o jornal francês “Le Figaro”.

Entrevistado pelo diário, o cardiologista francês Pierre Aubry descarta a possibilidade de evitar as festas de fim de ano, mas recomenda moderação nos jantares e também o controle das emoções. Além disso, sugere que as pessoas procurem o pronto-socorro logo que forem detectados sintomas como dores ou sensação de pressão no peito, no ombro ou braço esquerdos, falta de fôlego ou desmaios.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fran disse:

    Sendo nós brasileiros os riscos de infartos é diário.

Armazém Pará divulga horários especiais de fim de ano

Para atender à demanda dos clientes que buscam aproveitar as liquidações de fim de ano, as lojas Armazém Pará da Avenida Engenheiro Roberto Freire e da Avenida Antônio Basílio, ambas na zona Sul da capital potiguar, funcionarão em horários especiais.

Nos dias 24 e 31 de dezembro, véspera de Natal e Réveillon, respectivamente, as unidades ficam abertas das 7h30 às 15h. No dia 26, o horário de funcionamento será um pouco mais estendido: das 8h às 18h. Nos feriados de 25 de dezembro e 1º de janeiro, quando é comemorado o Dia da Confraternização Universal, as lojas permanecem fechadas.

Studio Corpo de Baile estreia 22º espetáculo de fim de ano: ‘Aventuras no Mar-O coração de Te Fiti’

Escola de dança independente mais longeva de Natal, o Studio Corpo de Baile chega ao 22º espetáculo de final de ano com o repertório “Aventuras no Mar-O coração de Te Fiti”, que será apresentado nos dias 1 e 2 de dezembro, no Teatro do Centro de Convenções na Via Costeira, em dois horários, às 16h30 e 19h30 (sábado e domingo). Os ingressos estão à venda na Unidade Morro Branco do Studio Corpo de Baile até sexta-feira. No fim de semana, estarão disponíveis na bilheteria do Teatro ao preço de R$ 40.

“O coração de Te Fiti” é livremente inspirado na saga Moana, sucesso do cinema de animação que conta a história de uma destemida garota, filha do chefe de uma tribo da Polinésia, escolhida pelo oceano para resgatar e devolver o coração da deusa Te Fiti, que fora roubado pelo semi-deus Maui. A direção geral do espetáculo é de Anna Thereza Miranda e a direção artística dos coreógrafos e professores Charles Sales e Simone Feitosa.

O espetáculo envolve mais de 200 integrantes, entre corpo de professores, bailarinos profissionais da Cia Domínio, companhia mantida pelo Studio Corpo de Baile, alunos do infantil ao adulto de ballet clássico, ballet avançado, jazz, sapateado, dança de rua e de dança do ventre. “Esta é a primeira vez que convidamos os alunos do curso de dança do ventre, pois vamos explorar um ambiente que permite inserir danças étnicas”, comenta a diretora Anna Thereza. O professor ?‍? Charles Sales destaca a riqueza cênica do tema que motivou a criar o espetáculo: “A ilha onde se passa a história tem essa riqueza musical, de cenários naturais de mar e vegetação nativa e na diversidade cultural muito semelhante ao Brasil”.

Para recriar o Mar da Polinésia e os cenários onde ocorre a aventura, desde as praias e o fundo do mar, a produção combinou projeções mapeadas e cenários criados pelo artista plástico e cenógrafo Carlos Sérgio Borges, que também assina figurinos e adereços de todo o elenco. Uma equipe de costureiros especializados em dança, executa as peças do elenco infantil ao adulto. “Os figurinos do ballet são a grande produção anual deles”, disse Anna Thereza.

Outra novidade será a trilha sonora executada ao vivo pelo grupo musical Harmonium. Além das intervenções de canto, a abertura e o encerramento contarão com a banda no palco e show de percussão. Nos papéis principais como Moana, o pai e a avó, o elenco profissional conduzirá as cenas em que cada grupo dançará. Efeitos de luz estarão nas mãos do experiente Ronaldo Costa e as projeções foram elaboradas pela equipe da Datashow. As cenas originais da produção da Disney não serão usadas, mas Anna Thereza destaca um momento que pode emocionar o público, na cena de despedida da avó de Moana.

O Studio Corpo de Baile está em atividade há pouco mais de 22 anos e além de escola possui as companhias de dança, a Domínio, voltada para a dança contemporânea, Grupo Clássico e o grupo de Sapateado. Todos os anos a partir do mês de julho começa a maratona de construção do roteiro de um novo espetáculo. A montagem torna-se um exercício de criação não só para a equipe, mas para alunos da escola.

SERVIÇO

Espetáculo de dança “Aventuras no Mar-O Coração de Te Fiti”.
Dias 1 e 2 de dezembro, no Centro de Convenções, Via Costeira.
Horários: 16h30 e 19h30 (sábado e domingo).
Preço: R$ 40.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria Eduarda disse:

    Tudo que essa escola faz é de muita qualidade e profissionalismo.

Walfredo Gurgel registra redução de atendimentos durante festas de fim de ano

Por interino

Um levantamento feito pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) por meio do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) identificou que o número de atendimentos uma semana antes do início das festas de fim de ano, ficou acima do total registrado durante o dia do Natal e do réveillon. Da 0h00 do dia 24/12 até às 23h59 do dia 25/12, foram atendidas 416 pessoas. Já da 0h00 do dia 31/12 até às 23h59 desta quinta-feira (01/01), foram assistidos 451 pacientes. Ambos os números são menores que o período da 0h00 do dia 17/12 até às 23h59 do último dia 18, quando foram computados 466 atendimentos.

A diretora geral do HMWG, Maria de Fátima Pereira Pinheiro, acredita que a diminuição maior do número de atendimentos no Natal foi devido a característica familiar da festa. “É uma comemoração basicamente em família. Apesar de muitas pessoas beberem, elas ficam mais em casa, junto dos parentes e amigos e, talvez por isso, tenha havido essa diferença com os atendimentos do fim de ano”, especulou.

Dentre as especialidades que mais foram solicitadas no PSCS estão: ortopedia com 85 atendimentos (do dia 17 ao dia 18/12), 69 (do dia 24 ao dia 25/12) e 84 (do dia 24 ao dia 25/12); clínica médica com 107, 88 e 101 e cirurgia geral com 132, 153 e 163, respectivamente.

QUEIMADOS

Pelo segundo ano consecutivo, o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do HMWG não registrou nenhum atendimento a vítima de queimaduras durante as festividades de fim de ano. Nem mesmo por fogos de artifício (item indispensável em praticamente todas as comemorações de passagem de ano e cujo manuseio, sem os devidos cuidados, podem causar sérios acidentes, inclusive com mutilações das partes atingidas).

Na última sexta-feira (2), apenas quatro pacientes estiveram sob os cuidados das equipes do setor. Todos com data de internação anterior aos últimos 20 dias. “Nunca tivemos períodos de fim de ano tão calmo como esses”, afirmou o cirurgião plástico, Melquisedech Pacelli. Inaugurado em 2006, o CTQ permanece como a única unidade de saúde do Rio Grande do Norte (RN) referência para o tratamento de pacientes vítimas de queimaduras.

Fim de ano: confira os 12 golpes virtuais mais comuns

01Fim de ano, espírito natalino, 13º salário no bolso… a época é bastante propícia para você que deseja presentear pessoas queridas ou, então, se dar aquele presentinho após um ano inteiro de economia, não é mesmo? No entanto, um alerta: é nesta época do ano que aumenta o potencial de ameaças e golpes de cibercriminosos.

Para estar atento, a McAfee, empresa focada em soluções de segurança virtual, divulgou os 12 golpes mais comuns de fim de ano, a fim de orientar os consumidores sobre as ameaças mais comuns neste período. Os golpistas aproveitam todos os tipos de dispositivos, plataformas de rede social e aplicativos móveis para tirar vantagem da distração dos internautas.

Confira aqui e proteja-se!

Terra

Acidentes nas rodovias do RN crescem 77% no fim de ano

A Polícia Rodoviária Federal no Rio Grande do Norte registrou um aumento de 77% em número de acidentes no feriado de fim de ano, comparado ao ano anterior. De acordo com o órgão, a estatística mostra que 90% dos acidentes estão relacionados a alguma negligência ou imprudência do condutor.

Para se ter ideia dos números alarmantes, entre 31 de dezembro de 2013 e 1º de janeiro de 2014, foram registrados 32 acidentes, números bem superiores aos de 2012-2013, com 18.

Segundo o balanço da PRF, quando aprofundado ao número de mortos e feridos nos períodos comparados, a situação é alarmante: enquanto na virada de ano (2012-2013) apenas cinco ficaram feridos e dois morreram, na virada de (2013-1014), vinte e quatro ficaram feridos e três morreram.

Fiscalização intensa não foi suficiente

Entre os dias 18 a 31 de dezembro do ano passado – com a deflagração da operação Rodovida, no Rio Grande do Norte foram fiscalizados 8.560 veículos e realizados 2.316 testes de bafômetro.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. verdade disse:

    A verdade é que as lei não são cumpridas…

    Para que se permite que se compre um carro que anda 200,300 km por hora quando o maximo permitido nas estradas é 110 km, se não é para andar acima de 110 km. porque se tem um carro que ande acima de 110 km, acho que 100% dos carros tem um velocimentro maior que 110 km e olhe lá. As estradas são verdadeiras pistas de corrida para pessoas descontroladas e sem nenhum respeito ao proximo que acham que pode fazer o que querem e matam, matam e morrem a cada dia fazendo do seu veículo uma verdadeira arma, e depois aparacem com a maior cara de repariga dizendo que foi uma catastrofe , fatalidade, que deveria ter sido ele… pelo amor de deus..tamanha palhaçada

    Com relação a infração por ingerir bebida alcoolica, acho que não merece comentários, ou melhor acho que só fez impedir que quem bebia no maximo uma cerveja não bebesse mais…

    Porque quem é acostumado, viciado em fazer desgraça.,.. não deixa não meu amigo.. pode botar multa de 20 mil… vai ter bebida do mesmo jeito…o pessoal bebe e dirige com a porra mesmo… quem é que não sabe disso, querem enganar quem pelo amor de deus…é só olhar os bares e festas no fim de semana, cheio de carro que num cabe nem no parque aristofanes fernandes.todo mundo bebendo e dirigindo, o pessoal quer o mau mesmo e pronto.