Política

Bolsonaro pede eleições “limpas e transparentes”, duvida de pesquisas e diz que não é “Jairzinho paz e amor”

Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo

Após pesquisa do Datafolha apresentar diversos indicadores negativos para o governo federal, o presidente Jair Bolsonaro atacou nesta segunda-feira o instituto e disse que, caso as pessoas acreditem no levantamento, não precisam votar nas eleições presidenciais do ano que vem, porque o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já estaria eleito. Bolsonaro também disse que não é “Jairzinho paz e amor”, em referência a uma expressão criada por Lula para referir-se a si próprio.

Na semana passada, o Datafolha apontou que Lula tem 46% das intenções de voto, contra 25% de Bolsonaro. Em um segundo turno entre os dois, o petista venceria por 58% a 31%. A mesma pesquisa apontou que a rejeição ao presidente chegou a 51%, maior taxa desde o início do governo.

— Se a gente confiar no Datafolha, a gente nem vai votar. (Lula) Já está eleito, mesmo. O Datafolha disse em 2018 que eu perderia para todo mundo, até para o Cabo Daciolo — disse Bolsonaro, em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

Apesar do presidente criticar a atuação do Datafolha nas eleições de 2018, o instituto estimou, na véspera do segundo turno, que Bolsonaro teria 55% dos votos válidos, o que de fato aconteceu. O presidente e seus apoiadores costumam citar levantamentos anteriores, em momentos diferentes da campanha, para criticar a atuação de institutos de pesquisa.

Após citar na semana passada a possibilidade de não realização das eleições, fala que foi criticada por diversas autoridades, Bolsonaro voltou a afirmar nesta segunda-feira que haverá uma “fraude” se as eleições não foram “limpas e transparentes”. O presidente vem defendendo uma mudança no sistema de votação, apesar de não apresentar nenhuma evidência de irregularidade no modelo atual.

— Nós todos queremos eleições limpas e transparentes. Porque se não for assim, não é eleição, isso é fraude. Vamos fazer de tudo para que tenhamos eleições limpas e transparentes, para o bem do Brasil. Se não for assim, é sinal de que já está escolhido quem vai nos comandar. E as pessoas que chegam na fraude não tem compromisso com vocês. Não sou Jairzinho paz e amor.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Datafolha não tem credibilidade. Meu instituto de pesquisa é o INSTITUTO MOTOCIATA. Parece mais um maremoto de gente acompanhando o mito.

  2. Então é assim!!
    Se as eleições fossem hoje, o data fôia tinha mostrado o resultado certo ontem.
    65% pra Bolsonaro e o resto se dividiam pros outros concorretes e estaria reeleito no primeiro turno.
    Essa é a pesquisa que o data povo tá revelando por onde o Mito passa, fora disso é só cachorrada desses corruptos, ladrões comilões do dinheiro público.
    O povo tá vendo muito claramente as armadilhas dessa galera, a começar com a rede globo lixo, mídia e uma CPI circense instalada só pra desgastar a imagem do governo.
    Fora abutres!!!!!!

  3. O DATAPOVO está nas ruas todos os dias com Bolsonaro, um mundo de gente em suas visitas. Segundo as pesquisas feitas sabe-se lá onde, o ex presidente corrupto ganha.
    Enquanto Bolsonaro está nas ruas ao lado do povo, sendo recepcionado pelo povo, o ex presidente fica preso em salas onde só entra quem é comprovadamente seu seguidor.
    Enquanto os institutos recebem milhões para fabricar pesquisas falsas.
    Se o voto não puder ser auditável, 80% do povo está com Bolsonaro e vota nele, mas o resultado das eleições deve eleger outra pessoa.
    Qual a razão de não permitir um modelo para que o voto possa ser auditável.

  4. O cagão se elegeu em várias eleições com o sistema que ele diz ser fraudado, seus filhos a mesma coisa é nunca foi lá dizer que houve fraude nas eleições e deveriam ser anuladas. Diante da impossibilidade de se reeleger, o que faz o cagão? Merda. Quer denunciar a eleição caso venha a perder e vai. O que ele quer é motivar o chifrudos cagões a tumuarem as eleições. As consequências disso poderam ser trágicas. Estamos falando de gente miliciana (matadores) puxando os bichos de chifres cagões.

  5. Se apresentar as provas de fraude na urna eletrônica poderá contribuir para isso, mas pelo visto é só conversa pra boi dormir

  6. O desespero do MINTO das rachadinhas é grande… Popularidade derretendo com escândalos de peculato e corrupção do governo dele! Vai perder para qualquer um que vá com ele pro segundo turno…

    1. Pois é, tá na hora do gado escolher um candidato pra concorrer e derrotar Lula. Bozo tá fora. Não ganha nem pra síndico.

    2. Peculato onde? .. Corrupção onde? Agora virou jurista?.
      A tentativa de corrupção sempre existirá onde houver grandes recursos, mesmo no setor privado sempre existirá alguém querendo ser mais esperto.
      O que torna um governo corrupto é a falta dos controles internos para evitar a consumação dos desvios, e isso está funcionando perfeitamente no governo, que segue sem qualquer caso de corrupção consumada.
      O ridículo é criticarem o governo por ter servidores identificando problemas nos contratos, quando a missão deles é exatamente esta, e é o que faz com que o governo siga sem nenhum caso de desvio de recursos públicos.
      Procure se informar mais sobre administração pública.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Novas pesquisas confirmam: café faz bem ao organismo e evita doenças

Foto: Istock/Getty Images

O poeta gaúcho Mario Quintana (1906-1994), que sabia das boas coisas da vida, mas também das pequenas e grandes agruras do cotidiano, escreveu algumas linhas definitivas em torno de um de seus hábitos: “O café é tão grave, tão exclusivista, tão definitivo que não admite acompanhamento sólido. Mas eu driblo, saboreando, junto com ele, o cheiro das torradas-na-manteiga que alguém pediu na mesa próxima”. Todos os anos, cada um dos brasileiros como Quintana bebe, em média, de três a quatro xícaras diárias. A relação com a bebida quentinha começa aos 18 anos, mas é a partir dos 40 que o consumo se torna mais intenso. Muito já se disse em torno do líquido feito a partir do grão torrado, que faz mal ao organismo, atalho para insônia e que anularia os efeitos positivos da vitamina C e do cálcio. E então renovadas pesquisas indicavam o contrário, reafirmando as qualidades da semente do cafeeiro. Até que, ufa, novos estudos apontassem o oposto, em um ciclo infinito. É gangorra que está com os dias contados — e, tal qual já aconteceu com o ovo (ora feito vilão, ora transformado em mocinho, mas que foi definitivamente reabilitado), pode-se dizer que o café faz bem.

Uma coleção de novos estudos realizados em todo o mundo revela que a ingestão de quatro a cinco xícaras de café diariamente (ou cerca de 400 miligramas de cafeína) estaria associada a taxas de mortalidade reduzidas. A mais recente evidência veio dos laboratórios das universidades de Southampton e Edimburgo, no Reino Unido. A partir do acompanhamento de cerca de 500 000 pessoas durante onze anos, verificou-se que o consumo regular de café — moído, instantâneo e até descafeinado — tem potencial para reduzir o risco de doenças hepáticas em 20%. “No geral, apesar de várias preocupações que surgiram ao longo dos anos, o café é extremamente seguro e tem uma série de benefícios relevantes”, diz o clínico geral e endocrinologista Fabiano Serfaty.

Não há um único e salvador composto responsável pelo efeito protetor. Os benefícios são deflagrados por uma combinação de substâncias. Não é só a cafeína. “Existem outros elementos, como os polifenóis, que parecem favorecer esse processo de proteção, em todos os níveis”, diz Antonio Carlos do Nascimento, doutor em endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Os polifenóis atuam como um potente antioxidante, combatendo os radicais livres, atalho para o envelhecimento do corpo e a formação de placas de gordura nas artérias.

Ressalve-se, porém, que café não é remédio. No entanto, um relatório da Escola de Saúde Pública de Harvard recomendou o consumo com moderação como “parte de um estilo de vida saudável”. É o avesso do que indicou a Organização Mundial da Saúde em 1991, ao informar que a cafeína tinha efeito cancerígeno. A conclusão foi revista, com a constatação de que fumar, e não beber café (os dois frequentemente andam de mãos dadas), era o responsável pelo perigo alegado.

Convém sempre ficar atento também aos danos reais. A cafeína pode prejudicar o sono, causar arritmia e gastrite. Na gestação, pode haver risco de aborto e parto prematuro. “O consumo da bebida com grandes quantidades de açúcares e gordura pode comprometer seus efeitos positivos”, diz o nutrólogo Daniel Magnoni, do Hospital do Coração. “A melhor forma de desfrutar o café é de maneira equilibrada e com moderação.”

Tomando emprestado o conhecido verso do Soneto da Fidelidade, de Vinicius de Moraes, de um amor que seja infinito enquanto dure, posto que é chama, em relação ao café é possível dizer que a relação sentimental agora pode ser incondicional, irrecorrível, embora sem exageros — é o que diz a ciência da alimentação. E o que autoriza os fãs de Brigitte Bardot, hoje com 86 anos, terem ido ao Instagram, em 1º de outubro do ano passado, para exibi-la ainda jovem, com uma xícara em mãos, para celebrar o Dia Internacional do Café — que pode ser todo santo dia, sem dor na consciência.

Veja

Opinião dos leitores

  1. O que me deixa mais chateado é que este povo esquerdista não veem o que esta acontecendo no resto do mundo socialista que estão todos se revoltando contra a escravidão destes países e querem mais liberdade…Este povo acha fácil dividir tudo por igual para quem não quer trabalhar…Não sou contra a divisão desde que vocês trabalhem para ter este direito…Bando de Folgados.. Só querem consumir maconha e ficar de boa em quanto os outros trabalhão para eles…Só esquecem que depois que o governo socialista estiver no poder a perseguição contra eles será igual a todos,,,

    1. Calígula tenha calma com os seus comentários vc está saindo do prumo vc está desrespeitando os leitores do BG e nós não merecemos isso vc tá igual ao seu líder Jair Bolsonaro, não perca a compostura ainda tá cedo, pelo amor de Deus vc ainda é muito moço pra infartar agora e deixar a viuvinha nova e aposentada. kkkkkkkkkkkkkkk.

    2. A militância esquerdopata remunerada pelos cofres públicos está sempre ouriçada. Se não defenderem a chefe e não atacarem o Bozo, perdem a “boquinha”. Nos, o “gado bolsominion”, estudamos, trabalhamos, vivemos por nossos méritos. E não defendemos bandidos, talkey? Rsrsrs

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

HOMENAGEM DE ARREPIAR – (VÍDEO): Cientista líder das pesquisas da vacina Oxford/AstraZeneca é ovacionada de pé em Wimbledon

A mulher que lidera as pesquisas da vacina Oxford/AstraZeneca, Sarah Gilbert, recebeu uma grande homenagem na Inglaterra.

A cientista estava na plateia de um jogo do Torneio de tênis de Wimbledon quando foi surpreendida ao ouvir seu nome ser citado no sistema de alto-falantes e ser aplaudida de pé pelos presentes no estádio.

Veja vídeo abaixo:

Band News

Opinião dos leitores

  1. Essa manifestação, revela com muita intensidade, o grau de civilização de um POVO. Quando será que o Brasil vai atingir esse estágio???

    1. Aqui se ovaciona político corrupto de estimação e ultimamente os que negam vacina e distanciamento social…

    2. Aqui, temos uma boa parcela da população que, ao invés de se unir no combate ao verdadeiro inimigo, o VIRUS, prefere a politicagem, visando derrubar o presidente e devolver o poder a um ex-presidiário comprovadamente corrupto, que chefiou o maior esquema de corrupção já visto no Brasil. E passam o dia todo, todos os dias, empenhados nessa tarefa.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Associação de pesquisas do RN estranha contratação de instituto de pesquisa do Piauí por quase R$ 2 milhões pelo Governo do RN

A ASSINP – Associação dos Institutos de Pesquisa do Rio Grande do Norte, que tem em seu quadro de sócios os maiores Institutos de Pesquisa do Estado, ante noticiários locais que atestam que o Governo do Estado do Rio Grande do Norte firmou contrato para execução de pesquisas junto a um Instituto do estado do Piauí, com dispensa de licitação e com valores próximos a dois milhões de reais, vem a público externar sua surpresa com esta contratação, narrar e indagar ao Governo do Estado do Rio Grande do Norte o que segue:

Primeiramente cabe ressaltar que reconhecemos a importância da referida pesquisa, sendo necessário para o planejamento e estudo do combate ao Covid-19 em nosso estado.

Indagamos o motivo de nenhum dos Instituto filiados à ASSINP – Associação dos Institutos de Pesquisa do Rio Grande do Norte terem sido consultados sobre o interesse em participar da referida pesquisa, em que pese existirem Institutos em nossos quadros com mais de 25 anos de experiência, com serviços prestados em diversos estados, estando todos aptos a realizar tal trabalho.

Nesta oportunidade registramos nosso protesto pelo fato de em um quadro de crise econômica que o estado vivencia, sequer termos sido consultados para um serviço desta magnitude, esperando que nos próximos serviços o Governo do Estado do Rio Grande do Norte se lembre das empresas do seu próprio estado.

Natal, 24 de março de 2021.

Atenciosamente,

Diretoria da ASSINP – Associação dos Institutos de Pesquisa do Rio Grande do Norte

Opinião dos leitores

  1. Por quê não usou esses dois milhões para abrir um hospital de campanha ou para comprar respiradores ??? Tá sobrando dinheiro ??? É muito estranho o silêncio dos órgãos fiscalizadores!!!

  2. Não compreendo essa estranheza. Essas maracutaias fazem parte do petismo desde tempos de antanho. Sempre foi assim e assim permanecerá…..até esvaziar o erário.

  3. Aluguel de ambulâncias, 5 Milhões que sumiram, contrato de pesquisas, compra de respiradores quebrados, fechamento de hospitais, fura filas de vacinas, lockdown, toque de recolher, marginalização de trabalhadores, não fez hospital de campanha, entre outros absurdos desse DESGOVERNO. Ainda falam que o genocida é Bolsonaro.

  4. Dos 5 milhões, 2 milhões já apareceu falta o restante. A pesquisa é mais importante que respiradores, RN sem sorte.

  5. Foi com dispensa de licitação, tem que ser rigorosamente auditado! Alô, Tribunal de Contas do RN.

  6. 5 milhões desviados, sem hospital de campanha, compra de respiradores quebrados, compras suspeitas, ambulâncias super…, RN com vacinação atrasada e dados desatualizados, Agora essa. kkkkKkkk, eu avisei

    1. Governo catastrófico. NADA de positivo para o RN. Triste.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Instituto abre chamada para inscrição de voluntários em Natal que desejam participar de protocolos de pesquisas para vacinas contra Covid-19

Fotos: Divulgação

O Instituto Atena de Pesquisa Clínica tem como missão desenvolver protocolos de pesquisa clínica abriu chamada para inscrição de voluntários que desejem participar de protocolos de pesquisas em Covid-19. Os estudos serão anunciados conforme o avanço do processo de aprovação regulatória, mas já é possível efetuar inscrições para interessados.

O centro de pesquisa médica é focado, hoje, em vacinas contra COVID e está atuando para trazer diversas vacinas em Fase 3 para o RN, que serão oferecidas gratuitamente para voluntários.

Em razão da extensa experiência da equipe, em particular os mais de 20 anos de engajamento de Dra. Maria Sanali Paiva, médica e pesquisadora potiguar que lidera o grupo, o Instituto Atena foi selecionado para receber incentivo da Fundação Bill e Melinda Gates, com a finalidade de adequar-se às necessidades que as pesquisas com vacinas para COVID exigem. Com esse apoio foi possível adquirir equipamentos e readequar o Instituto às mais modernas práticas de excelência em pesquisa clínica.

“Nossa missão é conduzir o desenvolvimento desses protocolos com excelência, tanto no que diz respeito à ética em pesquisa, como à qualidade e confiabilidade dos dados. No que tange os protocolos de vacinas e drogas contra COVID, buscamos também agilidade, visto a urgência na aprovação desses medicamentos” explica a pesquisadora.

Dra. Maria Sanali Paiva, cardiologista intervencionista, doutora em cardiologia pela FMUSP, especialista em Pesquisa Clínica pela Harvard TH Chan School of Public Health, trabalha há mais de 20 anos executando protocolos de pesquisa principalmente na área de cardiologia.

Vacinas têm sido usadas por mais de 200 anos para prevenir doenças, e a maior parte das vacinas atualmente usadas estão no mercado há décadas. Semelhante a qualquer medicamento, todas as vacinas precisam passar por extensos e rigorosos testes para assegurar que são seguras.

Na maior parte das vezes protocolos de pesquisa em Fase 3 ocorrem em muitos países simultaneamente, cada um com múltiplos centros de pesquisa, para que se tenha certeza que os resultados se aplicam a muitas populações diferentes.

Quem pode participar

Independente das condições de saúde, idade ou histórico com COVID, quem tiver interesse em participar de protocolos para vacinação já pode se inscrever pelo site https://atena.institute/ . O formulário foi elaborado com uma série de perguntas permitirá a triagem dos voluntários de acordo com os protocolos nos quais melhor se enquadram. Quanto maior o número de inscritos, mais protocolos poderão vir para o RN.

Opinião dos leitores

  1. Desejo participar deste projeto e pretendo me inscrever para os testes para Covid-19.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

PESQUISAS VEREADOR NATAL: Confiram os 106 mais citados em 7 pesquisas. Luiz Almir, Preto Aquino, Kleber Fernandes e Paulinho Freire lideram

O BLOGDOBG disponibiliza a lista dos 106 nomes mais citados para vereador em 7 pesquisas que tivemos acessos.

Estamos publicando os candidatos que tiveram acima de 6 citações, independente de partido.

Essas 7 pesquisas representam um total de 9000 entrevistas realizadas nos meses de setembro e outubro.

São quarto pesquisas do instituto SETA, duas do instituto Exatus e uma do instituto CONSULT.

No total das 7 pesquisas, foram 333 candidatos citados.

Nunca é demais lembrar, que essa lista é apenas para mostrar os que tiveram acima de 06 citações nessas sete pesquisas, a computação dos votos no sistema eleitoral é por partido.

CONFIRA ABAIXO:

 

Opinião dos leitores

  1. Gilmar deposito.para mudar camara de Natal. Fazer o bem para todos natalense vote tourense gilmar deposito 40.999

  2. A Câmara Municipal precisa ser renovada com pessoas compromissadas e competentes. Por isso, meu voto é de Glacia Marillac- 19180.

  3. Não consigo entender por que o povo fala tanto em querer RENOVAR, SI os artistas globais continuam atuando.
    Por isso votarei em HILDA MARIA 35.555

  4. As pesquisas da seta realmente não existem…
    Tanta gente nova vai surpreender nessa eleição …. Inclusive aqueles candidatos de bairro onde os jornalistas politicos muitas vezes nem falam…

  5. Vamos com fé em Deus e a vontade do povo pra mudar a Câmara!!!por isso eu voto 7️⃣7️⃣2️⃣2️⃣2️⃣ lailson das tapiocas

  6. Glácia Marillac com certeza está com índice muito maior do que o que apareceu nesta pesquisa.
    Natal vota numa renovação com amor e competência.
    Minha família toda está com ela.
    1️⃣9️⃣1️⃣8️⃣0️⃣

  7. Que horror !Tanta gente boa que poderia renovar a Câmara!E só aparece os nomes dos parasitas.Ô povo sem noção

  8. Minha família vota na repórter Glácia Marillac, pois ela é humanitária e capacitada para tal cargo. Acredito que na política temos que renovar e oportunizar candidatos que apresentam propostas coerentes e viáveis, que tenham formação acadêmica e experiência com ações político-sociais. Por isso que Glácia Marillac (19.180) já começa a aparecer nas estatísticas.

  9. Será q vai continuar tudo do mesmo????
    Precisamos de mudanças URGENTES
    Minha vereadora será Glacia Marillac, com ações, integridade e amor é possível fazer esse virada de chave que Natal merece.

  10. Meu candidato a vereador é sério, honesto, fiel, trabalhador, está realmente interessado em ajudar o país e não em resolver seus problemas financeiros. Não é corrupto nem filiado a partido envolvido em corrupção. Se perder a eleição não irá negociar seus votos por cargos no governo e irá manter sempre sua palavra no interesse do desenvolvimento da cidade. Pesquisei muito e não tem nenhum candidato com esse perfil. Não voto em ninguém.

  11. Glacia Marillac 19.180 é o nome que vai se eleger do PODEMOS.
    Quem deseja renovação, precisa pesquisar sobre ela.

  12. VAI DAR MARGARETE REGIA NA CABEÇA….CONTA OUTRA BG….AFINAL QUEM ESTA PATROCINANDO ESSA PESQUISA MESMO

  13. Meu voto é para Glácia Marillac e acho que ela está com mais votos do que o indicado na pesquisa. Natal quer renovar a Câmara, e vai renovar com ela que é uma candidata honesta, prega e pratica o amor ao próximo e ao planeta, uma voz jovem e competente. 19.180 com certeza.

  14. Meu candidato não apareceu nessa pesquisa, mas será um grande estouro nas urnas. Renovação, compromisso e honestidade!
    Marcelo Monte 40789

  15. Glacia Marillac é a candidata mais bem preparada para assumir a Câmara Municipal de Natal. Para renovar de verdade eu e minha família votará 19180 Glacia Marillac.

  16. O PDT 12 de CIRO é duro!….O partido véio é duro!……Pense num partido duro!
    Pelo que estou vendo em 2022 vai dar CIRO e CARLOS EDUARDO no primeiro turno. Kkkkkk.

    1. Dois derrotados e uma cambada de candidatos pra comer o deplorável, vergonhoso fundo partidario de uma legenda de Aluguel.

  17. Nina Souza, a mulher que tem trabalho em todas as áreas de Natal. Acompanhe @ninasouzarn o número é 12123

  18. Nina Souza em um mandato já mostrou muito trabalho por Natal em todas as zonas da cidade. Mulher merecedora! 12123

  19. Putz…os mesmos sugadores de sempre! Tem tanta gente boa merecia uma chance. Mas o povo não quer mudança nunca.

  20. Margarete Régia 90111 é a candidata que realmente merece chegar a câmara municipal de Natal.Faz muito tempo que Margarete trabalha pelo povo carente da nossa cidade.

  21. Rapaz!!
    BG meu querido, ainda ontem saiu uma pesquisa aqui no blog um tal de Leo Souza em segundo lugar, hoje o cara nem apareceu.
    O que danado aconteceu??
    Perdeu os votos todinhos de ontem pra hoje??
    É complicado, não sei lê pesquisas.
    E a Glaucia Marilac, por onde anda nessa pesquisa???
    De todo modo fou ficar ON com essas pesquisas,,, só pra no final do pleito, comparar.

  22. Qual o partido de Júlia Arruda, observo que nos panfletos dela não tem nome e cor do partido, assim como procura esconder outras referências partidárias.

  23. Imoral, os mesmos de sempre, políticos profissionais. O povo não sabe votar e depois fica reclamando.

    1. O NOVO é aquele partido que tinha um candidato a prefeito muito mentiroso, que foi desmascarado, inventou uma doença e correu com medo da vergonha que estava passando?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Blog do BG divulga pesquisa SETA em São Gonçalo nesta quarta e em Natal na quinta

O Blog do BG divulga nesta quarta-feira (21) mais uma rodada de pesquisas eleitorais. Dessa vez, no município de São Gonçalo do Amarante, do instituto SETA.

Já na quinta-feira(22), também pelo Instituto SETA, o Blog publica a pesquisa na capital potiguar.

As pesquisas trarão números da corrida eleitoral na disputa das prefeituras de cada uma das cidades, nomes mais citados para as câmaras municipais dos dois municípios e as avaliações administrativas de Prefeitura, Governo do Estado e Presidência.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Ser sexy e feliz na cama não tem a ver com seu tipo de corpo, diz pesquisas

Foto: iStock

Do que você precisa para ter satisfação sexual? E o que faz você se sentir atraído por alguém? Ter um corpo dentro dos padrões de beleza convencionais não aparece entre as principais respostas da maioria das pessoas para nenhuma das perguntas, de acordo com Ana Canosa, apresentadora do podcast Sexoterapia. Segundo a sexóloga, os estudos mostram que, para a primeira questão, sobre satisfação sexual, as principais características pessoais citadas são: autonomia, autoestima e empatia. Para a segunda, sobre atração, em primeiro lugar estão a personalidade e o carisma (60%), em segundo o psiquismo (30%), e por último vem a aparência (10%). Veja a discussão completa no vídeo abaixo:

Por que, então, nos preocupamos tanto em ter um corpo considerado padrão, em nos “encaixar”? A resposta, segundo Ana, tem relação com a nossa autoestima, que é uma avaliação subjetiva que vamos construindo de nós mesmos a partir da infância. Ela explica que essa autoavaliação é criada a partir das características que nos são atribuídas, sejam comportamentais (inteligente, divertida, simpática), sejam físicas (baixinho, gordo, magrelo). “Estas últimas vão tornando as pessoas prisioneiras de um estigma corporal.”

Bonita de corpo

Foi assim com a influenciadora digital Bia Gremion, 23. Ela foi uma criança gorda e nunca teve um corpo padrão, e por isso sofreu todo tipo de bullying vindo de colegas, familiares e desconhecidos. Bia conta que cresceu com a sensação de não pertencimento, achava que tinha alguma coisa errada com seu corpo, que ele precisava ser consertado.

Após percorrer um árduo caminho de desconstrução, a hoje modelo plus size conseguiu fazer as pazes com seu corpo, com seus relacionamentos e com sua sexualidade, em uma espécie de ciclo virtuoso pouco explorado pelas pesquisas. “Os estudos que investigam a relação entre autoestima e sexualidade sempre vão para a influência negativa de uma sobre a outra. Ninguém fala sobre a autoestima como resultado de experiências sexuais satisfatórias”, afirma. “O sexo de forma positiva e saudável realmente mudou a minha vida. Me fez entender que não tem nada de errado no meu corpo, que sou gostosa, sou bonita, que vou ser desejada e não preciso ficar refém de um relacionamento ruim.”

Universa – UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pesquisas desenvolvem tecidos que inativam vírus da Covid-19; entenda a eficácia e aplicação da tecnologia

 Foto: Divulgação Nanox

Nos últimos meses, diversos pesquisadores vêm desenvolvendo tecidos capazes de inativar a quantidade de Sars-Cov-2, vírus responsável por causar a Covid-19, em suas superfícies. No início de junho, uma pesquisa brasileira ganhou destaque pela eficácia.

A Nanox, uma Startup que já produzia tecidos que evitam a proliferação de fungos e bactérias, desenvolveu um tecido composto por poliéster, algodão e duas micropartículas de prata em busca de combater o vírus. De acordo com Luiz Gustavo Pagotto Simões, diretor da Nanox, as micropartículas conseguem oxigenar o vírus.

“O tecido tem esse ativo de prata e o vírus Sars CoV-2 tem uma camada lipídica, uma camada de gordura, e a prata oxida ela e quebra a barreira de proteção do vírus. Então, ele destroi o RNA e inativa o vírus”, explicou.

O produto foi mandado para testes ao Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) e, em parceria com a Universitat Jaume I, da Espanha, e com o Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), foi comprovado que a composição do tecido inativa até 99,9% de SARS-CoV-2 em dois minutos de contato.

Na Suíça, um estudo semelhante ao realizado em São Paulo comprovou a mesma eficácia no início de junho em testes com máscaras faciais.

Mas afinal, os tecidos são eficazes no combate ao coronavírus? Qual a sua aplicação? E o custo desses tecidos, é muito mais alto? O G1 ouviu os pesquisadores do projeto brasileiro e um infectologista para respoder a estas questões.

Como foi comprovada a eficácia do tecido?

Para testar a eficácia do tecido, os pesquisadores utilizaram uma grande quantidade do vírus em laboratório e isolaram essa amostra. Dentro de um frasco, o tecido foi enxarcado com uma enorme carga viral e foi observado se haveria a inatividade da Sars-Cov-2 (veja na imagem abaixo).

Segundo Luiz Gustavo Pagotto Simões, diretor da Nanox em dois minutos de contato do tecido de poliéster, algodão e duas micropartículas de prata com o vírus, 99,9% da Sars-Cov-2 foi inativado.

“Ali (na amostra) você vai ter mil unidades de vírus. Eliminando 99,9% você abaixa para cinco unidades de vírus. Então você tem uma redução drástica no vírus. O produto também é um anti fungo, antiodor e elimina a bactéria”, afirmou o diretor em entrevista ao G1.

O Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), responsável por isolar o SARS-Cov-2 no Brasil, realizou os testes dos tecidos, liderado pelo professor Lúcio Freitas Junior, pesquisador ICB-USP, que explica como o procedimento foi realizado:

“Infectamos um tecido sem modificação, outro com as duas modificações e um com o vírus que ficou dentro de um tubinho, sem nada, durante todo esse tempo. A gente teve que assumir o caos e testar todas as possibilidades possíveis, e deu um resultado interessante. O tecido normal (sem modificação) já elimina 20% do vírus. No pano com a modificação, elimina 99,9% do vírus. Simplesmente isso”, afirmou o professor.

Qual a aplicação no dia a dia?

Ao ir a um supermercado ou em algum comércio, por exemplo, a pessoa está constantemente em contato com vírus e bactérias. Em uma suposição em que essa pessoa encosta em um objeto contaminado com o coronavírus e logo em seguida passa a mão na camisa, o tecido com a tecnologia desenvolvida consegue desativar 99,9% do vírus em dois minutos.

Com isso, o contágio através do contato pode sofrer uma redução em determinadas situações. O infectologista Alexandre Barbosa, da Sociedade de Infectologia de São Paulo, no entanto, alerta que o contato NÃO é o maior causador da transmissão do vírus da Covid-19.

“Ainda que os estudos mostrem que esses tecidos realmente possam ser protetores no sentido de inativar a Covid, outros vírus, bactérias e fungos, isso tem uma aplicabilidade, uma importância menor, secundária em relação à Covid, visto que a transmissão por contato ela não é tão importante. O que eu quero dizer: não é a mais importante. Cerca de 70%, 80% das pessoas se contaminam por gotículas, forma respiratória”, comenta Barbosa.

Nas máscaras faciais, porém, o infectologista acredita que há uma importância maior e o tipo de tecido pode ser um aliado no combate à propagação do vírus.

Quais produtos podem ser confeccionados?

Os tecidos podem ser utilizados na confecção de diversas roupas: jeans para a produção de calças e jaquetas, camisas sociais, uniformes de empresas, roupas de academia, jaleco médico e aparatos médicos em geral.

De acordo com o professor Lúcio Freitas Junior, empresas que trabalham na confecção de madeira e plástico já o procuraram para fazer testes nesses materiais. Não há, porém, uma sinalização de que esses testes serão realizados neste momento.

Qual a durabilidade do tecido?

Os testes realizados mostraram que o tecido pode ser lavado até 30 vezes até que o efeito contra o vírus comece a ser prejudicado. Os pesquisadores querem aumentar essa durabilidade nas próximas confecções.

Qual o custo do produto?

Luiz Gustavo Pagotto Simões estima que os produtos feitos com o tecido de poliéster, algodão e duas micropartículas de prata sejam de 3% a 5% mais caros dos que os comuns vendidos nos comércios.

Segundo Simões os tecidos tecnológicos já estão à venda na grande São Paulo e no interior do Estado.

Outros testes pelo mundo

Em outros países, tecnologias em tecidos para o combate ao coronavírus também estão sendo desenvolvidas.

Em Indiana, nos Estados Unidos, cientistas desenvolveram um tecido capaz de inativar o coronavírus usando um campo elétrico fraco com baterias de microcélulas. O estudo mostra que a taxa de eletricidade não é prejudicial à saúde humana.

Já em Israel, uma empresa desenvolveu um tecido com revestimento de nanopartículas de óxido de zinco, que também destrói bactérias, fungos e vírus. De acordo com a agência Reuters, um teste piloto com os tecidos está sendo realizado na Itália em veículos e no transporte público.

Bem Estar – Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Universidades federais conduzem mais de 800 pesquisas para mapear coronavírus e encontrar uma vacina, diz associação

Foto: Reprodução/TV Globo

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) apresentou, nesta segunda-feira (11), as principais iniciativas promovidas por 46 universidades federais brasileiras no combate à pandemia. Segundo a entidade, 823 pesquisas estão em andamento para mapear o novo coronavírus e encontrar uma vacina contra a Covid-19.

Os estudos buscam, principalmente:

identificar o genoma viral do Sars-CoV-2, procedimento fundamental para a produção da vacina;

elaborar sistemas informatizados para a detecção de novos casos da doença;

descobrir tipos de testes mais baratos

e fabricar nacionalmente peças para ventiladores mecânicos.

Além disso, as instituições de ensino disponibilizaram 489 leitos de UTIs e 2.228 leitos de atendimento comum. Ações preventivas também estão em andamento: há 96 projetos de produção de produtos de limpeza, responsáveis pelo fornecimento de 992.828 litros de álcool gel e de 912.000 litros de álcool comum.

Segundo a Andifes, as universidades também colaboram para a fabricação de equipamentos de proteção aos profissionais de saúde e aos cidadãos comuns: mais de 160 mil protetores faciais, 104 EPIs, 85 mil máscaras de pano, 6 mil aventais e 2 mil capuzes foram produzidos pelas instituições de ensino.

“As universidades são lugares de combate ao obscurantismo”, afirma o presidente da Andifes e reitor da Universidade Federal da Bahia (UFBA), João Carlos Salles Pires da Silva.
Segundo ele, o investimento em pesquisas e no Sistema Único de Saúde (SUS) mostram-se ainda mais fundamentais durante a pandemia.

Lista de universidades participantes

Abaixo, confira quais são as 46 universidades federais que forneceram informações sobre suas ações de combate à pandemia:

1. UFJF
2. UFRN
3. UFCSPA
4. CEFETMG
5. UFV
6. UFBA
7. UFU
8. UFPR
9. UNIFAL
10. UFPI
11. UFJ
12. UFMS
13. UFRRJ
14. UFMA
15. UFRB
16. UFPB
17. UFOB
18. UNILA
19. UNIPAMPA
20. UFRGS
21. UFSB
22. UFSC
23. UFF
24. UTFPR
25. UFMT
26. FURG
27. UFRPE
28. UFPel
29. UFABC
30. Unifesspa
31. CEFETRJ
32. UFERSA
33. UFRA
34. UFOP
35. UFMG
36. UFM
37. UFPE
38. UFRJ
39. Unifesp
40. UFFS
41. UFLA
42. UFSM
43. UFES
44. UFSCar
45. UFTM
46. UFG

G1

Opinião dos leitores

  1. Essas universidades do Brasil tão mais para produzirem sibalena kkkkk, meu Deus….cambada de malas…

  2. Boa!!!! Ótima notícia!

    Em vez de todo mundo se juntar e estudar saídas para o enfrentamento dessa guerra, ficamos gritando esquerda e direita.

    Juntos somos mais fortes! Eles nos querem brigando…

    1. As dezenas de milhares de formados q trabalham na iniciativa privada e pública justificam e muito os "bilhões " investidos, menos para quem acredita na terra plana, né?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

SE LIGA, RN: IBGE telefona para casas e empresas para manter pesquisas durante pandemia

Com o objetivo de fazer um raio-x da situação socioeconômica do Rio Grande do Norte, mesmo durante a pandemia de Covid-19, o IBGE agora liga para os entrevistados de suas pesquisas em vez de ir de casa em casa. Um desses levantamentos é a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, que mede o nível de trabalho formal, informal, renda, educação e outros assuntos no Brasil.

Antes de entrar em contato por telefone, o IBGE enviará uma carta com o número de telefone e outros dados do entrevistador que ligará.

O Instituto também está em contato com as empresas. Para ter um retrato fiel da nova realidade econômica em meio a pandemia, as empresas precisam responder a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) e Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)

Além da carta, para verificar se realmente quem está ligando é um entrevistador do IBGE basta entrar nesses canais de atendimento:0800 721 8181 e www.respondendo.ibge.gov.br

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Remédios têm resultados positivos em pesquisas para o tratamento do coronavírus; veja 4 possibilidades

Ilustração histórica criada pelo governo dos Estados Unidos promove o tratamento da malária usando a cloroquina como método preventivo — Foto: CDC

Quatro medicamentos apresentaram resultados positivos em pesquisas científicas no tratamento da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Esses remédios atuam em diferentes estágios de contaminação das células. Os resultados ainda são preliminares.

São eles:

Cloroquina
Remdesivir
Lopinavir/Ritonavir
Favipiravir

Este último foi divulgado nesta quarta-feira (18) e é vendido comercialmente no Japão com o nome de “Avigan”. Ele foi desenvolvido pela empresa Toyama Chemical, do grupo Fujifilm, e é usado há mais de 5 anos contra a Influenza.

Consultada, a Anvisa informou que não existe pedido de registro ou mesmo de pesquisa clínica envolvendo o produto no Brasil. O Remdesivir também não tem uso liberado no mundo. Já a Cloroquina e o Lopinavir/Ritonavir existem no país.

Medicamentos em testes:

Favipiravir

O favinapiravir é um inibidor da enzima RNA polimerase, responsável pela síntese do RNA e que pode replicar o genoma de vírus como o coronavírus dentro das células. “O favipiravir não deixa que o material genético do vírus se reproduza”, explicou o infectologista Renato Grinbaum.

Autoridades médicas chinesas anunciaram que o remédio foi eficiente contra a doença e não apresentou efeitos colaterais. Pessoas que estavam com o vírus apresentaram um resultado negativo – o micro-organismo não foi mais detectado – depois de 4 dias de uso do favinapiravir. Pacientes tratados com o medicamento também apresentaram uma melhora nas funções pulmonares.

Cloroquina

A cloroquina é um remédio usado para o tratamento da malária desde a década de 1930. Ela também foi usada no tratamento de doenças autoimunes, como lúpus e artrite reumatoide.

A droga passou por testes laboratoriais e impediu a entrada do vírus nas células, além de evitar a disseminação das células infectadas. Um estudo publicado pela “Nature” mostrou que a cloroquina bloqueia a infecção por vírus porque altera o pH das estruturas necessárias para o vírus entrar na célula.

“A cloroquina deixa o pH das vesículas internas das células mais alcalino. Os estudos indicam que o fato de alcalinizar essas vesículas impacta na multiplicação do vírus no interior das células. Por modificar drasticamente o interior das células, ela mexe com vários receptores que o vírus usa para se modificar”, explicou o imunologista do Instituto de Ciências Biomédicas da USP Claudio Marinho.

A ação anti-inflamatória do remédio também pode ser efetiva contra o vírus. “A cloroquina diminui a resposta inflamatória que o nosso corpo usa pra destruir o vírus”, disse o professor especialista em medicina tropical da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Marcelo Burattini.

Remdesivir

O Remdesivir é um remédio que age evitando a síntese do RNA (material genético) do vírus nas células, de acordo com Burattini.

A farmacêutica americana Gilead detém a patente de uso do Remdesivir. Seus testes clínicos começaram em 2015 para um série de vírus, entre eles a malária e a influenza, mas ele não é uma droga aprovada para uso.

“A Gilead ofereceu o remédio para teste em um pequeno grupo de pacientes em colaboração com as autoridades chinesas e os resultados foram promissores, mas ainda são muito preliminares”, disse o professor Burattini.

Segundo o professor, o Remdesivir já foi usado compassivamente por duas vezes: em 2016 e em 2018, durante surtos do Ebola. Ele foi aprovado para testes nos Estados Unidos, mas ainda não há resultados conclusivos, feitos com uma amostragem grande de pacientes.

Lopinavir e Ritonavir

É um dos componentes de coquetéis antivirais. Foi usado no Brasil nos anos 1980 e 1990 para tratar o HIV. “Era muito popular no Brasil, mas foi abandonado porque surgiram drogas de novas gerações que são mais efetivas e têm menos efeitos colaterais”, disse Burattini.

O Lopinavir impede a formação da Protease, enzima responsável pela quebra da proteína, explicou Grinbaum. Já o Ritonavir é um remédio complementar, que impede que o Lopinavir seja destruído pelo fígado.

“O inibidor de protease quebra grandes cadeias proteicas em pequenos pedaços. Isso é importante para impedir a montagem final do vírus na célula, porque o vírus se insere no nosso genoma celular e passa a comandar a célula, seu genoma usa o nosso material celular para fazer cópias dele mesmo”, explicou Burattini.

O inibidor de protease impede que o vírus tenha sua cadeia quebrada e as proteínas reestruturadas em novos vírus. Em comparação com os outros medicamentos, o Lopinavir atua em uma fase mais tardia da infecção.

“Os inibidores têm potencial de causar efeitos adversos razoavelmente importantes porque interferem em funções celulares, mesmo que muito específicas”, explicou o professor. O composto pode causar toxicidade no fígado, intolerância gastrointestinal, náuseas e vômito.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Estudo da UFRN com saguis abre novas portas para pesquisas sobre depressão em seres humanos

As doenças neuropsiquiátricas são as patologias não contagiosas mais conhecidas no mundo e serão, até 2020, a principal causa de incapacidade humana, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Como os fatores desencadeadores desse problema são muito diversificados, apenas um terço dos pacientes apresenta alguma resposta aos medicamentos receitados.

A ciência tem trabalhado para achar respostas mais urgentes, porém ainda existem muitas limitações que dificultam a acurácia dos resultados observados. No entanto, um recente estudo do Instituto do Cérebro (ICe), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), abre uma nova janela em favor das pesquisas nesta área.

O estudo, desenvolvido pelos pesquisadores Viviane Brito Nogueira, Danilo Imparato e Sandro Souza, sob orientação da neurocientista Bernardete Sousa, chefe do Laboratório de Endocrinologia Comportamental do ICe, investigou a expressão gênica no córtex frontal de seres humanos e saguis (Callithrix jacchus) e constatou que a semelhança entre as duas espécies também aparece em nível molecular.

A conclusão publicada na Brain and Behavior trouxe duas descobertas importantes para a ciência: a existência de uma expressão semelhante em termos de genes, vinculada a determinadas doenças neuropsiquiátricas, e um viés análogo na expressão de genes em machos e fêmeas de ambas as espécies. Estas descobertas confirmam o sagui como um modelo importante para estudar as doenças neuropsiquiátricas, já que os seres humanos não podem ser manipulados a nível laboratorial e em teste de drogas.

Por compartilhar 45,01% dos genes enviesados por sexo com os humanos no córtex frontal, o sagui já vem sendo utilizado como modelo animal nas neurociências há algum tempo. Porém, a nível molecular e considerando a diferença entre os sexos, o novo estudo é uma grande novidade no mundo.

Segundo biotecnóloga Viviane Nogueira, estudo é uma grande novidade no mundo – Foto: José de Paiva rebouças

Conforme a pesquisa, a diferenciação no cérebro de machos e fêmeas não reflete simplesmente na distinção dos hormônios gonadais (esteroides sexuais), mas também dos mecanismos de sinalização sináptica. Isso pode ajudar a explicar melhor por que homens são mais propensos a desenvolver autismo e esquizofrenia, enquanto as mulheres estão mais susceptíveis a ansiedade e depressão.

Testes anteriores

A UFRN é referência nas pesquisas com sagui porque já o utiliza em estudos sobre doenças neuropsiquiátricas como modelo importante na adolescência. No mundo, os animais mais comuns nas pesquisas em neurociências são ratos e camundongos.

“Os primatas, por terem características mais próximas dos seres humanos, têm um poder de validação maior em relação a uma transposição de dados, com os cuidados que se deve ter, em relação aos seres humanos”, contextualiza Bernardete Sousa.

Professora Titular da área de Neuroendocrinologia do Instituto de Cérebro – Foto: Anastácia Vaz

Testes anteriores de indução de quadros de depressão realizados em outros estudos da UFRN mostraram que estes animais respondem aos sintomas com características semelhantes aos humanos. Eles apresentam alteração no peso corporal, anedonia e diminuição de mobilidade, todos os fatores que apontam para um quadro que lembra a depressão.

Banco de dados molecular

Uma importante ferramenta em bioinformática criada durante esse novo estudo reúne um banco de dados molecular de saguis. O CajaDB fornece uma interface intuitiva para visualizar e explorar dados de genômica, transcriptômica e de splicing alternativo desse modelo animal.

O aplicativo não apenas permite que o usuário navegue pelos dados, mas também oferece suporte a análises biológicas, como análise de enriquecimento funcional (ontologia) e rede proteína-proteína.

O objetivo é que esses recursos centralizados forneçam benefícios aos pesquisadores no tratamento de questões científicas. O aplicativo está disponível aqui.

Com informações da UFRN

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Desempenho do senador Geraldo Melo nas pesquisas pauta seminário do PSDB

O crescimento do senador Geraldo Melo (PSDB) nas pesquisas dominou o tom da conversas nas rodas políticas do I Encontro Estadual dos Vereadores do Partido da Social Democracia Brasileira. O evento lotou o Auditório Deputado Cortez Pereira, na manhã desta segunda-feira (7), na Assembleia Legislativa. O nome de Geraldo Melo tem crescido e tomado robustez eleitoral a cada pesquisa eleitoral para o Senado da República, estando empatado tecnicamente nas primeiras colocações.

Para Ezequiel Ferreira, presidente do Partido, a pré-candidatura de Geraldo Melo está forte, disse em seu discurso, assim com o deputado Rogério Marinho e o vereador Dickson Nasser Jr., ressaltaram o desempenho surpreendente de Geraldo Melo, que fez discurso de agradecimento e de convocação aos vereadores para fazer o PSDB cada vez mais forte nos municípios e consequentemente no estado.

Opinião dos leitores

  1. Kkkkk notícia fake. Deve ser encomenda do PSDB. Geraldo Melo não ganha nem pra presidente do clube de bocha.

  2. Pra quem não sabe esse cidadão deixou nosso estado em ruínas salários atrasados três meses ,o banco estadual fechado e fornecedores sem recebe pesquisa e reflita antes de votar.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Ibope incluirá nome de Flávio Rocha a partir das próximas pesquisas para Presidência

FLA8685 SÃO PAULO 03/08/2016 ECONOMIA FLÁVIO ROCHA Flávio Rocha, presidente da Riachuelo durante entrevista na Tv Estado. FOTO JF DIORIO /ESTADÃO

O Ibope incluirá nas próximas pesquisas de intenção de votos o nome do potiguar Flávio Rocha, presidente da Riachuelo.

O empresário tem o apoio do MBL, mas ainda não avançou nas negociações com partidos. No PSDB, inclusive o grupo de Fernando Henrique Cardoso, é avesso ao perfil dele.

Apesar disso, o próprio FHC decidiu testar o nome de Rocha depois que a Globo deu a Luciano Huck o ultimato sobre seu projeto presidencialista. Huck reafirmou que não será candidato.

Opinião dos leitores

  1. Tem meu voto. Empresário de sucesso. Precisamos renovar e colocar pessoas com visão empresarial. A ideia do imposto único que ele propôs quando foi candidato foi um ótimo exemplo.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Zika pode ter relação com outras complicações congênitas, dizem pesquisadores

aedesO vírus Zika pode estar associado a outras alterações congênitas, além da microcelafalia. É o que aponta mais um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e do Instituto de Pesquisa Professor Joaquim Amorim Neto, Ipesq, na Paraíba.

Em coletiva de imprensa no campus do Fundão da UFRJ, na zona norte, os pesquisadores da instituição, Amilcar Tanuri e Rodrigo Brindeiro, explicaram que ao analisar o líquido amniótico e tecidos cerebrais de bebês, foi encontrada uma série de outros problemas no cérebro e em outros órgãos do bebê, incluindo lesões oculares.

Os bebês foram acompanhados em Campina Grande (PA). As amostras analisadas em laboratórios da UFRJ e da Fiocruz.

Dos oito fetos acompanhados durante a gestação, dois tinham o vírus no tecido cerebral e acabaram morrendo 48h depois do parto. Um deles não tinha microcefalia, mas o tecido cerebral estava severamente comprometido. Todos os bebês que sobreviveram tinham microcefalia e em dois deles foram encontrados Zika. O sangue dos outros quatro ainda serão analisados.

“A novidade da análise é que a infecção do vírus Zika no cérebro pode ter uma gama de alterações, desde implicações simples a alterações graves, como as lesões destrutivas que causaram a morte dos dois bebês”, disse Tanuri, que é especialista em genética de vírus. “Estamos tentando sistematizar uma síndrome congênita do Zika e tentar ajudar os colegas a identificá-la em outros casos”, afirmou.

Eles ressaltaram que os números de casos são muito pequenos e que há muito ainda a ser estudado, para que seja possível garantir causa e efeito entre Zika e microcefalia.

“Na história da medicina, todas essas doenças congênitas demoraram um longo tempo para serem desvendadas”, comentou Tanuri. Ele disse que, até o momento, a estimativa é que haja de dois a cinco bebês com microcelafalia a cada 100 grávidas infectadas com Zika.

Para os pesquisadores, o estudo é importante para lançar luz sobre o problema para pesquisadores no Brasil e pelo mundo. “Precisamos formar um padrão. O próximo passo será estudar como o Zika agride o tecido cerebral.”

Outra descoberta foi que todos os vírus que circulam na América Latina são idênticos, com base no sequenciamento do genoma do Zika a partir do líquido amniótico de um feto.

“É mais uma pecinha que se encaixa nesse quebra-cabeça, para indentificarmos ou não a causalidade do vírus no cérebro”, disse Brindeiro.

Um fato que surpreendeu os pesquisadores foi a constatação da permanência do vírus durante toda a gestação nos dois bebês que acabaram morrendo após o parto.

“O vírus permaneceu no bebê, agredindo o sistema nervoso da criança. Isso foi bem impressionante”, relatou Tanuri.

Os pesquisadores lamentaram a falta de recursos para tocar os estudos.”Estamos fazendo um sacrifício sobre-humano, as verbas estão cada vez mais curtas e essa epidemia bateu no Brasil em uma hora muito ruim”, destacou o virologista.

Fonte: Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Tem cientista que diz que não se pode descartar nenhuma hipótese sobre microcefalia
    Quero só ver o que os incompetentes PTistas irão dizer se no final ficar comprovado que o PesTicida pyriproxifen causou a microcefalia.
    Aliás, esse produto é fabricado pela Monsanto (aquela empresa demonizada pelos selvagens do MST).
    Em falar em coisa ruim, por que será que o Movimento não foi protestar na frente do Palácio do Planalto?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *