COVID-19: Análise em cima de série de estudos destaca efeitos positivos da ivermectina e confirma eficácia no tratamento precoce ou logo após o aparecimento de sintomas

Foto: Getty Images

Estudos significativos sobre o uso de ivermectina para COVID-19 mostram o tamanho do efeito e o valor associado para resultados em comparação com um grupo de controle. Conforme análise, a ivermectina é eficaz contra o novo coronavírus.

Em cima da interpretação de estudo (em destaque na íntegra no fim do post) disponibilizado nesta quinta-feira(26), 100% das análises relatam efeitos positivos. A probabilidade de um tratamento ineficaz gerar resultados tão positivos quanto os 19 estudos até o momento é estimada em 1 em 524 mil (p = 0,0000019).

“O tratamento precoce é mais bem-sucedido, com uma redução estimada de 91% no efeito medido usando uma meta-análise de efeitos aleatórios, RR 0,09 [0,02-0,40]”, diz introdução.

A introdução do estudo ainda destaca que 100% dos 8 Ensaios Controlados Randomizados (RCTs) relatam efeitos positivos, com uma redução estimada de 72% no efeito medido usando uma meta-análise de efeitos aleatórios, RR 0,28 [0,13-0,59].

“Também foi realizada uma análise simples da distribuição dos efeitos do estudo. Se o tratamento não fosse eficaz, os efeitos observados seriam distribuídos aleatoriamente (ou mais provavelmente negativos se o tratamento fosse prejudicial). Podemos calcular a probabilidade de que a porcentagem observada de resultados positivos (ou superior) possa ocorrer devido ao acaso com um tratamento ineficaz (a probabilidade de> = k caras em n lançamentos de moeda ou o teste de sinal unilateral / teste binomial). A análise do viés de publicação é importante e podem ser necessários ajustes se houver um viés para a publicação de resultados positivos”.

A Figura em destaque(abaixo) mostra os estágios de possível tratamento para COVID-19. A Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) refere-se a tomar medicamentos regularmente antes de ser infectado, a fim de prevenir ou minimizar a infecção. Na Profilaxia Pós-Exposição (PEP), a medicação é tomada após a exposição, mas antes que os sintomas apareçam. O Tratamento Precoce refere-se ao tratamento imediatamente ou logo após o aparecimento dos sintomas, enquanto o Tratamento Tardio se refere ao tratamento mais tardio.

Foto: Reprodução

Discussão

A publicação é frequentemente enviesada para resultados positivos, que precisaríamos ajustar ao analisar a porcentagem de resultados positivos. Para ivermectina, atualmente não há dados suficientes para avaliar o viés de publicação com alta confiança. Um método para avaliar o viés é examinar estudos prospectivos e retrospectivos. É provável que estudos prospectivos sejam publicados independentemente do resultado, enquanto estudos retrospectivos são mais propensos a exibir viés. Por exemplo, os pesquisadores podem realizar análises preliminares com esforço mínimo e os resultados podem influenciar sua decisão de continuar. Os estudos retrospectivos também fornecem mais oportunidades para as especificações da extração de dados e ajustes para influenciar os resultados. Embora alguns efeitos não sejam estatisticamente significativos quando considerados isoladamente, atualmente todos os estudos com ivermectina relatam efeitos positivos. Notamos que 12 dos 19 estudos são estudos prospectivos.

As metanálises típicas envolvem critérios de seleção subjetivos, regras de extinção de efeitos e avaliação do viés do estudo, que podem ser usados ​​para desviar os resultados em direção a um resultado específico. Para evitar vieses, incluímos todos os estudos e usamos um método pré-especificado para extrair os resultados de todos os estudos. Notamos que, atualmente, para a ivermectina, seria uma forma extrema de escolha seletiva por meio de critérios de seleção, regras de extração de efeito e / ou avaliação de viés, a fim de evitar um resultado positivo estatisticamente significativo.

Conclusão

A ivermectina é um tratamento eficaz para COVID-19. A probabilidade de um tratamento ineficaz gerar resultados tão positivos quanto os 19 estudos até o momento é estimada em 1 em 524 mil (p = 0,0000019). O tratamento precoce é mais bem-sucedido, com uma redução estimada de 91% no efeito medido usando uma meta-análise de efeitos aleatórios, RR 0,09 [0,02-0,40].

Íntegra de estudo pode ser conferida em https://ivmmeta.com/#fig_treatment.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    A resposta para esses tipos de tratamento sem " DADOS CIENTIFICOS" é, toma quem quiser, se você quer pelo menos tentar diminuir o efeito do vírus tome ele e outros, se não quiser por não acreditar em nenhum medicamento porque não tem nada comprovado cientificamente, aguarde a tubalina e boa sorte.

  2. Arthur Santana disse:

    O estudo é bom pra quem não entende de pesquisa, porque pela discussão você já vê que trata-se de um amontoado de estudo sem qualidade. Na ciência, quando não se tem evidências suficiente a hipótese é numa!
    Xau.

  3. Rebecca disse:

    Kkkkk… Milhares de pessoas morrendo mundo e o município de Natal com todo conhecimento da cura.
    Vacina pra quê???
    Kkkkkkk…

  4. Luciano Brito disse:

    Não tome e fique em casa, você só vai ao hospital pelas mãos dos outros.

  5. ricardo disse:

    Marca Bruno Araújo aí e as pessoas que ele convenceu a não tomar (e se lascaram)

  6. Antonio Turci disse:

    Ivermectina para todos. Vantagem: o vírus pode até entrar. Mas não mata.

  7. N Oliveira disse:

    Este estudo foi publicado em periódicos e revisado por pares? É apenas enas uma revisão, na verdade um amontoado de estudos e relatos de casos, sem qualidade suficiente para estabelecer a eficácia da Ivermectina. Não muda nada em relação ao que já tínhamos. Não há um estudo clínico de qualidade (randomizado e controlado) mostrando eficácia dessa medicação.
    A maioria das pessoas se recupera de Covid com ou sem Ivermectina. Por outro lado, nas UTIs Covid há pacientes muitos que fizeram uso desse fármaco.

  8. Inácio Boulos disse:

    Não tomem o remédio do Bôzo. Fiquem em casa. Inclusive fique em casa o resto a gente ver depois!

  9. Gustavo disse:

    Só procure atendimento médico em caso de falta de ar. Foi o que disse o antigo ministro da saúde, com ampla divulgação e apoio dos cientistas midiaticos e o pessoal da esquerda fique em casa.

  10. Pepe disse:

    A sociedade de infectologia do Brasil e dos EUA têm que analisar os dados e defenir uma posicão,a priori o estudo foi feito,com ampla bibliografia.

  11. Santos disse:

    Eu já sabia! Aqui em casa, todos tomamos preventivamente. Zero infecção (Ou, se alguém foi contaminado, zero sintomas).

    • Maria disse:

      Qual é a posologia para covid ?
      Obrigada.

    • Santos disse:

      Posologia Ivermectina:
      Como prevenção: 1 comprimido 6mg para cada 30 kg de peso. Repetir 30/60 dias.
      Crianças com menos de 30 kg não devem tomar. Grávidas e mães que amamentam devem consultar seu médico antes.
      Como tratamento precoce, procurar orientação médica, pois, além da Ivermectina, os médicos (com algumas variações) estão receitando também Hidroxicloroquina, antibiótico, anti-inflamatório, anticoagulante, suplementos de Vitaminas C, D e Zinco, etc

  12. PEDRO VERDADEIRO. disse:

    Difícil fazer com que alguns doutores saibam. interpretar essa matéria, fazer o que? Se para alguns doutores, ávidos por exposição na mídia, isso é difícil, imagine para os Pixulecos, touros tungoes E Manoeis Manes da vida, todos interesseiros ou burros mesmo.

  13. Chico 200 disse:

    Lógico que isso tinha salvado a vida de milhões de pessoas, se não fosse a questão política, inclusive, do "maneta" .

Família na Grande Natal faz campanha para custear tratamento de menino de 3 anos com doenças raras

Ravi tem 3 anos e nasceu com uma deficiência na perna esquerda — Fotos: Cedidas

O portal G1-RN destaca o drama de família de um menino potiguar de três anos que tem duas doenças raras está fazendo uma campanha para tentar custear o tratamento da criança no Paraná e evitar a amputação da sua perna.

Manoel Ravi Carvalho tem três anos de idade, mora em Parnamirim, na Grande Natal, e já enfrentou muitos desafios desde o nascimento. Ele tem duas doenças raras: neurofibromatose – doença que provoca a formação de tumores no cérebro, na medula espinhal e nos nervos – e pseudoartrose congênita da tíbia – uma doença caracterizada por uma “articulação falsa”.

No primeiro ano de vida, os médicos não tinham esperanças de o menino andar. “A médica falou que Ravi nunca iria andar enquanto não fizesse a cirurgia. Quando eu recebi a notícia, meu mundo caiu, desabou”, conta Ingrid Sayonara, mãe do garoto.

O tratamento disponível no Rio Grande do Norte é a base de muitas cirurgias e com possível amputação da perna. “Aqui no estado o processo envolve várias cirurgias para serrar o ossinho dele. Já pensou? Todo esse sofrimento, serrando o osso? Até chegar o momento de amputar a perninha dele. Eu não aceito”, diz Ingrid.

Leia reportagem completa com contato para ajuda clicando AQUI.

COVID: Médico e deputado Albert Dickson destaca pesquisa sobre ivermectina para uso profilático que aponta “redução de 92 % de chances de adquirir a doença”

Foto: Reprodução/Instagram

O médico oftalmologista e deputado estadual Albert Dickson (Pros-RN), voltou a destacar a Ivermectina de uso profilático (antes da doença chegar), no combate ao novo coronavírus, com pesquisa em destaque que apresenta redução de 92 % de chances de adquirir a doença.

O médico destaca em suas redes sociais a pesquisa em anexo publicada pela Universidade de Zaga Zig. “Confirma nosso protocolo implementado a 5 meses. Por isso continuo defendendo a ivermectina antes de chegar a doença”, disse.

Íntegra de posts com documentos abaixo:

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Rodrigues disse:

    Mais uma vez Dr Albert Dickson trazendo a informação correta a população. Sem as informações dele no início da pandemia muitos estariam mortos .

  2. Manoel disse:

    Universidade de Zagazig?
    Será que Trump e os imstitutos de pesquisas dos EUA nao leram esse artigo, Sr. Dickson?
    Será que as pessoas nao pensam?
    A maior potência do mundo nao indica esse remédio contra VERME pois nao funciona.

  3. Marcia disse:

    Excelente, grande dr Albert dikson

  4. Chicó disse:

    Quantas vidas teriam sido salvas se não fosse o radicalismo ideológico da esquerda ??? Pregavam que toda vida importa, mas com suas ações condenaram muitos a morte. Aos poucos a verdade está aparecendo.

  5. Henrique disse:

    A ivermectina pode até ser eficaz; já o português do doutor está na UTI (há) tempos!

    • Marcia disse:

      O português de Dr Albert está excelente.ja o seu português e a sua inveja está grande.deus te abençoe

Álvaro Dias determina disponibilização de kits de medicamentos como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina, azitromicina e outros para o tratamento de COVID-19 na rede SUS/Natal

LEI N. º 7.044 DE 08 DE JULHO DE 2020

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, determinou a disponibilização gratuita de kits de medicamentos, como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina, azitromicina ou outros fármacos, para o tratamento de COVID-19 na rede SUS/Natal durante o período de pandemia, e ainda deu outras providências. O documento foi publicado no Diário Oficial do Município desta sexta-feira(31). Veja abaixo:

O PREFEITO DO MUNICÍPIO DO NATAL,

Faço saber que a CÂMARA MUNICIPAL DO NATAL aprovou e que sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º Fica a Secretaria Municipal de Saúde – SUS/Natal, autorizada a disponibilizar, gratuitamente, 01 (um) kit de medicamentos aos pacientes infectados pela COVID-19 que possuam receita médica com a indicação de tratamento com tais fármacos como hidroxicloroquina, cloroquina, ivermectina azitromicina ou outros fármacos que venham a ser liberados e preconizados pelo Ministério da Saúde, Conselho Federal de Medicina (CFM) e Conselho Regional de Medicina – RN (CREMERN).

I – O uso das medicações está condicionado à avaliação médica, a partir do momento de identificação de sintomas ou sinais leves da doença, com realização de anamnese, exame físico e exames complementares, em Unidade de Saúde.

II – O médico é responsável pelo tratamento do paciente e, caso prescreva os referidos medicamentos, deverá aplicar o Termo de Ciência e Consentimento caso prescreva o uso da Cloroquina.

Parágrafo único. O kit de medicamentos constantes no Art. 1º será distribuído de acordo:

a)com a receita médica utilizando o protocolo regulamentado pelo Ministério da Saúde;

b)adultos (maiores de 18 anos);

c)o kit deverá ser entregue em um sistema organizado por etapas, de forma que evite aglomerações à população;

d)o receituário médico deve ser de controle especial em nome do paciente;

e)para retirar o medicamento, o paciente, acompanhante ou responsável pelo paciente, deverá apresentar receita médica legível em nome do paciente e documento oficial com foto.

Art. 2º Esta Lei terá o prazo de vigência em consonância com o período de aplicação das medidas e restrições de deslocamento decorrentes do vírus COVID-19 estabelecidas pela

Prefeitura do Natal.

Art. 3º O Poder Executivo regulamentará a presente Lei.

Art. 4º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação

Palácio Felipe Camarão, em Natal, 08 de julho de 2020.

ÁLVARO COSTA DIAS
Prefeito

íntegra leia AQUI na página 1.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Dantas disse:

    Lei Municipal da Ex Vereadora Carla Dickson (agora Deputada Federal), e Lei Estadual do Deputado Albert Dickson

  2. ricardo disse:

    Palmas, palmas, palmas

  3. CANINDE MACEDO disse:

    CANINDÉ MACEDO
    PARABÉNS PREFEITO, CONTO CONOSCO.

  4. Isabel disse:

    Parabéns Prefeito!!
    Lucidez e iniciativa nesta disponibilização, em respeito aos médicos que, de acordo com seus conhecimentos e convicções técnicas, prescrevem o que compreenderem devido para seus pacientes. Tão lógico e razoável que cansa.

  5. Augusto disse:

    Aí sim!!!! É isso que se espera de um gestor. Coragem e atitude!! Excelente iniciativa !!!

Ministério da Saúde quer sugestões sobre protocolo para tratamento de obesidade

Foto: © Ginecomastia.org/Direitos Reservados

O Ministério da Saúde abriu, nessa quarta-feira (29), consulta pública para receber contribuições sobre o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) do Sobrepeso e Obesidade em adultos.

Representantes da sociedade civil e profissionais de saúde podem contribuir por meio de produções científicas ou relatos de experiências até o dia 10 de agosto.

De acordo com a pasta, o material foi elaborado para subsidiar profissionais, gestores e usuários para a importância de práticas de cuidado multiprofissionais como instrumento para prevenção e controle da obesidade e do sobrepeso no país.

O protocolo tem informações sobre prevenção, diagnóstico e tratamento da condição de sobrepeso e obesidade. Inclui ainda orientações relacionadas ao monitoramento, além de indicações para gestores.

A obesidade é uma das doenças que mais tem crescido nos últimos anos em nível global. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que os índices de obesidade e sobrepeso quase triplicaram desde 1975. Em todo o mundo, existem pelo menos 650 milhões de obesos.

De acordo com Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018, no Brasil uma em cada cinco pessoas é obesa e mais da metade da população das capitais estão com excesso de peso.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raimundo disse:

    Eu sugiro a abertura de centros de combate à obesidade nas cidades.
    Seriam formados grupos com orientações, atividades físicas e metas, tipo o programa medida certa da Globo onde famosos eram acompanhados por um período.
    Deveriam ser locais espaçosos tipo Sesi onde pudesse haver atividade física e até restaurantes com refeições com calorias contadas.
    Tipo fornecer pratos com 350 calorias para acostumar as pessoas.
    Os grupos fariam reuniões semanais, com a participação de nutricionistas, psicólogos para conscientizar a população.
    O governo também proibir restaurantes de incentivar a obesidade.
    Tipo, o suco de 300 ml é 10 reais. Leve o de 500 ml por 12 reais.
    Onde já se viu alguém "encher a barriga" com meio litro de líquido?
    Ou pipocas de um litro em cinema.
    Antigamente era aquela pipoca pequena.

    • Manoel C disse:

      Amigo, sobre a quantidade, deixa o mercado vender o que quiser ao preço que quiser.

  2. Josmari de Sales Costa disse:

    Dieta, exercicio físico, e principalmente, vontade, paciencia, disciplina.
    Pronto aí o protocolo.

Pesquisa da UFRN desenvolve reator para tratamento de maiores volumes de águas residuárias em menor tempo

O desenvolvimento físico do produto foi realizado nas dependências do Laboratório de Eletroquímica Ambiental e Aplicada (LEAA) – Foto: Anastácia Vaz

Um reator eletroquímico com efetiva função para tratamento de rejeitos domésticos, hospitalares, das indústrias têxteis e das indústrias do petróleo, que não utiliza de agentes químicos tóxicos para realizar o tratamento – nem agentes biológicos, é o resultado do mais novo depósito de pedido de patente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

As discussões sobre tratamento de águas residuais vêm sendo desenvolvidas há muito tempo, visto que há preocupação sobre como a sociedade descarta o que produz. Segundo Djalma Ribeiro da Silva, um dos cientistas autores do pedido, o tratamento dos efluentes é relevante pois estas ‘águas descartadas’ contêm altas concentrações de matéria orgânica, capazes de poluir o meio ambiente quando são despejadas diretamente em rios, oceanos ou mananciais. Ele pontuou que, sem o tratamento, os processos de regeneração dos biomas ficam prejudicados, o que pode comprometer o acesso das futuras gerações aos recursos naturais.

Por sua vez, Júlio César Oliveira da Silva, doutorando, autor da tese que deu início ao desenvolvimento da nova tecnologia, explicou que procurou, em sua pesquisa, gerar novas técnicas ou aprimorar algumas, de forma a ter uma utilidade para a sociedade. “Devido à sua estrutura inovadora, o reator permite ao processo de tratamento em fluxo, em que o efluente passa pela primeira câmara interna do reator e, logo em seguida, pela segunda câmara interna do reator antes de retornar ao reservatório, uma otimização ao processo de oxidação anódica, permitindo o tratamento de maiores volumes de águas residuárias em menor tempo, consequentemente diminuindo os custos operacionais”, colocou o estudante do Programa de Pós-graduação em Química e professor de Ensino médio da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do RN.

O terceiro autor do pedido de patente, o docente Carlos Alberto Martínez Huitle, listou vantagens da invenção. “Destaca-se, por exemplo, a sua facilidade de transporte e montagem para fins de tratamento de efluentes contendo uma larga faixa de contaminantes orgânicos e inorgânicos, das mais variadas concentrações, o que favorece seu emprego nos processos de tratamento e na pesquisa em planta piloto e sua posterior aplicação nas próprias indústrias que produzem as águas residuárias ou nas estações especiais de tratamento”, afirmou Carlos Alberto.

Há um crescente aumento dos índices de contaminantes em países em desenvolvimento e industrializados, principalmente os caracterizados como Poluentes Orgânicos Persistentes, os POPs, e os Hidrocarbonetos Aromáticos derivados de petróleo, os HPAs, que não são facilmente degradados em processos de tratamentos convencionais de efluentes, dos esgotos domésticos e hospitalares, do descarte das indústrias têxteis e das indústrias do petróleo.

O depósito de pedido de patente foi denominado Reator eletroquímico de dupla câmara interna e ânodo biativado para tratamento de efluentes. O dispositivo utiliza da energia elétrica, seja ela solar ou convencional, e foi projetado para tratar maiores volumes de efluentes do que os que são pesquisados no laboratório, de forma a ser empregado em estações de tratamento. A característica é possível pois o reator utiliza duas faces de trabalho do ânodo otimizando o tratamento, ou seja, diminui o tempo de tratamento consequentemente reduz o gasto energético. “É um equipamento versátil que pode utilizar tanto ânodos de oxidação direta como também de oxidação indireta, sendo de fácil montagem e locomoção. Nos testes aos quais foi submetido apresentou ótimos resultados” citou Júlio César.

Júlio César Oliveira da Silva, autor da tese que deu início ao desenvolvimento da nova tecnologia, procurou gerar novas técnicas com utilidade para a sociedade – Foto: Anastácia Vaz

Agir/UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gibira disse:

    É só parar de investir em balbúrdia e investir em pesquisas , ciências e tecnologia que o resultado é positivo.

‘Não recomendo’, diz Bolsonaro sobre tratar coronavírus com hidroxicloroquina sem supervisão médica

Foto: Getty Images

O presidente Jair Bolsonaro fez uma live no Facebook nesta quarta para confirmar que seu segundo teste para coronavírus também deu positivo. Bolsonaro aproveitou e comentou sobre o tratamento que está fazendo com a cloroquina.

“Estou medicado desde o início com hidroxicloroquina. Tenho recomendação médica para isso. Estou me sentindo bem desde o dia seguinte. Não tive nenhum sintoma forte, uma febre pequena na segunda-feira retrasada, de 38 graus, um pouco de cansaço e dores musculares”, disse. Apesar dos bons efeitos que o medicamento está tendo sobre ele, o presidente falou: “Não recomenda nada, recomendo que você procure seu médico.” O medicamento não tem comprovação científica sobre sua eficácia contra a doença.

“Coincidência ou não, sabemos que o tratamento não tem nenhuma comprovação científica mas deu certo comigo”, analisou o presidente.

Bolsonaro aproveitou para dizer que o medicamento está passando por testes e que também tem apoio de alguns médicos para aprovação da substância. “Não estou fazendo nenhuma campanha, o custo é baratíssimo. Deve ser até por isso que existem algumas pessoas contra. Outras, pelo que parece, é uma questão ideológica”, explicou.

O presidente deve fazer ainda um terceiro exame para verificar se pode retomar suas atividades.

Segundo a CNN Brasil, Bolsonaro não apresenta quadro febril há mais de uma semana, não estaria com falta de ar e nem sem paladar.

Yahoo Notícias

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Xha do Amazonas disse:

    Porque CONTRA A MALÁRIA ele FUNCIONA. Já contra a COVID não.

  2. JR & JR disse:

    Pense que essa conversinha com o Ministro Gilmar Mendes onde ele alerta ao mais novo covideiro sobre crimes contra a humanidade, o q significa, onde pode ir parar e as consequências disso tudo se ele continuar com esse mínimi de Cloroquina ágil mais rápido do que o próprio medicamento. Ou "cavalo de pau" bem dado que chega a poeira subiu, lá no meu interior dizem que quem tem "Bittencourt tem medo"…né ?

  3. CUIDADO disse:

    Parece que o presidente sentiu o pancadão da cloroquina no coração. Já deu pra saber que pode matar. Existem médicos se sentindo pressionados pelas famílias dos pacientes, a ministrar esse perigoso medicamento no tratamento. Já existem muitas evidências de que não cura, como também já tem muitas evidências de que mata.

    • Chicó disse:

      Porque não proibiram esse medicamento contra a malária ???

    • Silva disse:

      Para muitos tem que desenhar, até mesmo para o autor da matéria. Quando o presidente fala que não recomenda, pq o mesmo não é médico e não pode receituar a medicação a ninguém. Por isso o msm pede para procurarem o médico. Será que precisa desenhar?

    • Chicó disse:

      Porque não proibiram esse medicamento contra a malária ??? Seja coerente. Quando você adoecer não tome nada, fique apenas na dipirona.

Deputado Albert Dickson enaltece tratamento precoce na luta contra a Covid-19 em Natal

Foto: Reprodução

O tratamento precoce e o uso da medicação ivermectina no tratamento dos pacientes acometidos com a Covid-19 foi tema do discurso do deputado estadual Albert Dickson (PROS) durante sessão ordinária desta terça-feira (14) por Sistema de Deliberação Remota. Durante seu pronunciamento o parlamentar associou a redução nos números de pacientes graves nos hospitais ao trabalho preventivo que vem sendo realizado em Natal.

“O grande segredo dessa redução é todo esse trabalho de prevenção que vem sendo realizado. O uso de medicamentos como a ivermectina impede que o paciente chegue a fase 3 da Covid-19. O Estado é pioneiro nesse tratamento e já começamos a colher os frutos”, comemorou o parlamentar ao ressaltar os investimentos do Governo Federal para o Rio Grande do Norte e o trabalho da deputada federal Carla Dickson (PROS) que destinou R$ 2,5 milhões em emendas parlamentares para o combate ao coronavírus no Estado.

Albert Dickson falou também sobre a sua visita ao Centro de Tratamento Precoce de Natal, instalado no Ginásio Nélio Dias, na zona Norte. “É um modelo inovador e pioneiro, onde 20 médicos atendem os pacientes e já entregam o medicamento necessário para o tratamento”, explicou ao citar também a carta divulgada e assinada por 300 médicos da capital, que enaltecem o uso de medicamentos preventivos no tratamento dos pacientes com Covid-19.

“Me somei e assinei a carta dos colegas médicos por entender que estamos no caminho certo”, disse Albert que durante o pronunciamento informou sobre a sua participação em uma videoconferência da Câmara Federal onde falará sobre os resultados positivos do uso da ivermectina no tratamento precoce da Covid-19.

ALRN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mércia almeida disse:

    De todos os deputados DR. Albert é o melhor..Sempre preocupado com população

  2. Antônio disse:

    Parabéns DR ALBERT DICKSON, SEMPRE FAZENDO O BEM…

  3. Kaiser Castro disse:

    Muito decepcionado com o Senhor! Votou contra o funcionalismo público, defendeu tanto a vida com o uso da ivermectina pra gente morrer sem conseguir se aposentar.

  4. Chicó disse:

    Parabéns doutor !!!

  5. Maise lima disse:

    Parabéns Dr.Albert Dickson e Dra.Carla Dickson.

  6. Silvia disse:

    👏👏👏👏👏valeu Dr Albert dikson

FOTOS: Família no RN descobre tumor cerebral em filho de 03 anos e faz campanha para arcar tratamento e cirurgia de extrema urgência

 

Ver essa foto no Instagram

 

Quanto vale uma vida? Pois é, me vi hoje desesperado, meu filho, que sempre foi uma criança saudável e feliz, hoje teve um diagnóstico de um tumor cerebral e precisará se submeter a uma cirurgia URGENTE. Diante de todo esse desespero, precisamos levantar um valor de aproximadamente 250.000,00 e estamos desesperados pois não possuímos esse dinheiro e a cirurgia é de extrema urgência. Iremos nos desfazer de nossos bens e do que for preciso, faremos rifas, vaquinhas, tudo que for necessário, pois a vida dele não tem preço. Então você que está lendo isso, você que é um pai, mãe, avô, avó, tem amigos, sobrinhos, se coloque no nosso lugar, não tenha vergonha, eu peço ajuda de vocês, seja qualquer quantia, será muito bem vinda. Deus é conosco, e irá nos ajudar a salvar a vida do nosso filho. Conto com a ajuda de vocês. Segue nossas contas: Bradesco Ag 1038 Cc 1605-5 Pedro raphael pereira da Silva CPF 120.598.687-18 Nubank Ag 0001 Conta 432545-7 CPF 120.598.687-18 Pedro raphael pereira da Silva PicPay @pedro.silva.raphael

Uma publicação compartilhada por Pedro Raphael (@pedroraphael_1) em

“Quanto vale uma vida? Pois é, me vi hoje desesperado, meu filho, que sempre foi uma criança saudável e feliz, hoje teve um diagnóstico de um tumor cerebral e precisará se submeter a uma cirurgia URGENTE. Diante de todo esse desespero, precisamos levantar um valor de aproximadamente 250.000,00 e estamos desesperados pois não possuímos esse dinheiro e a cirurgia é de extrema urgência”. O apelo é do pai Pedro Raphael e da mãe Francimara, pelo filho Pietro Vinicius, de 3 anos.

A mensagem, que vem sendo compartilhada nas redes sociais, ainda completa:

“Iremos nos desfazer de nossos bens e do que for preciso, faremos rifas, vaquinhas, tudo que for necessário, pois a vida dele não tem preço. Então você que está lendo isso, você que é um pai, mãe, avô, avó, tem amigos, sobrinhos, se coloque no nosso lugar, não tenha vergonha, eu peço ajuda de vocês, seja qualquer quantia, será muito bem vinda. Deus é conosco, e irá nos ajudar a salvar a vida do nosso filho. Conto com a ajuda de vocês”, finaliza.

Segue as contas para ajuda:

Bradesco

Ag 1038
Cc 1605-5
Pedro raphael pereira da Silva
CPF 120.598.687-18

Nubank

Ag 0001
Conta 432545-7
CPF 120.598.687-18
Pedro raphael pereira da Silva

PicPay
@pedro.silva.raphael

Foto: Reprodução/Instagram

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Teresa Cortez disse:

    Como faço para entrar em contato com a mãe ou o pai?

  2. Antonio disse:

    Li na Tribuna do Norte que a família já está em SP com o garoto Pietro. Com a campanha já arrecadaram 75% do necessário para a cirurgia. Caso arrecade mais que o valor necessário, a família doará a quantia excedente a entidades que tratam de crianças com câncer. Agora ê torcer para que a cirurgia, que deverá ocorrer no sábado próximo, seja um sucesso e Pietro retorne ao RN, curado, se Deus quiser! Que bonito esse gesto de solidariedade, apesar da crise que o país enfrenta. Deus abençoe a todos. Embora não conheça essa família, não tem como não se emocionar com essa situação.

  3. Souza disse:

    O art. 6º da Constituição Federal de 1988 afirma que a SAÚDE é um direito social, além da educação, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância e a assistência aos desamparados.

    Nesse caso, diante do custo e da URGÊNCIA, pergunta-se: quem garantirá a Pietro o direito consagrado na Constituição do nosso País? Há alguma autoridade constituída CAPAZ de garantir esse direito, ou será que seus pais terão que abdicar de outras garantias ou conquistas suas na tentativa de salvar a vida do seu filho?

  4. Cláudia disse:

    Vamos fazer uma corrente do bem para ajudar essa criança e sua família. O q mais me indigna é q qdo foi pro vagabundo fazer a remoção da tatuagem “sou ladrão e vacilão” um monte de imbecis logo correram pra contribuir com a vaquinha e arrecadaram mais do que o valor. Num caso como esse a adesão da turma da lacrolândia é pífia. De políticos, então, é esperar muito!

  5. José Marcos disse:

    Verdade será que o governo do estado não pode fazer nada por essa criança? Agora e a hora de retribuir o voto recebido pela população. E os deputados também tevem mostrar trabalho também e ajudar na cirurgia dessa criança

    • JOSÉ CLAUDIO PEREIRA disse:

      O estado tem de garntir todos os custos dessa complexa cirugia, pois se não o fizer, recorreremos ao judiciário onde ocs deuses das Togas que em determinadas circunstância chegam a receber altíssimos salários incluido seus peduricálhos farão uma peça de públicidade diante do sensível fato e darão urgente liminar em prol do caso. Com o poder do senhor essa crianaça terá êxito nesse ploblema tão complexo para alegria de todos nós cidadãos de boa fé.

  6. Antonio disse:

    Será que o governo do estado ou mesmo a prefeitura não poderiam autorizar a cirurgia dessa criança? Professora Fátima Bezerra e/ou Dr. Álvaro Dias, tomem uma providência urgente. Senhores Deputados, Vereadores, Ministério Público, abracem essa causa. Não deixe essa criança sem essa cirurgia. O caso é uregente. Pensem no sofrimento de Pierto e dos seus pais. Consigam essa cirurgia, mesmo pelo SUS, mas em caráter de emergência.

Ventiladores não são mais a primeira opção no tratamento de casos graves de coronavírus, diz pesquisa

Foto: Edilson Dantas

Para reduzir a mortalidade pela Covid-19, uma estratégia tem feito a diferença em UTIs. A velha e boa prática médica de qualidade, com recursos conhecidos, tem feito a diferença, afirmou ontem o pneumologista Carlos Alberto Barros Franco, um dos primeiros médicos do país a tratar a Covid-19.

— Dos primeiros casos no Brasil para cá, as coisas mudaram no que diz respeito ao procedimento com os pacientes graves. O tratamento mudou radicalmente e a sobrevivência aumentou. Ventiladores não são mais a primeira opção — disse Barros Franco, um dos pneumologistas mais respeitados do país, durante o simpósio “Covid-19 — Que doença é essa?”, organizado pela Academia Nacional de Medicina (ANM).

O evento, transmitido por plataformas digitais, reuniu alguns dos maiores especialistas do Brasil para avaliar o que se aprendeu e os desafios no combate à pandemia de coronavírus no país. O coordenador do simpósio, o hematologista e oncologista Daniel Tabak, destacou que a queda da mortalidade nas UTIs está relacionada ao melhor cuidado. Antes, os respiradores eram necessários, hoje pacientes recebem pronação (uma manobra para estimular a respiração) e fisioterapia e se recuperam melhor.

— O melhor tratamento não é um remédio. É a boa prática médica. Ventilação em prona, autoprona, oxigênio a baixo fluxo, fisioterapia, tudo isso tem sido usado. Hoje, a ventilação mecânica invasiva é o último recurso para tratar um paciente de Covid-19. Isso é uma mudança radical — observou Barros Franco.

Os respiradores, vistos como essenciais no início da pandemia, perderam o protagonismo à medida que os médicos aprendem mais sobre a doença. Ventilação precoce não é mais uma indicação médica na maioria dos casos, de acordo com o pneumologista, que destaca que ainda há muito o que descobrir para melhorar o tratamento.

Mais de 29 mil estudos foram publicados, mas o coronavírus e a doença que ele causa continuam um desafio e um mistério. Um desses mistérios é a possibilidade da existência da chamada persistência. Isto é, se o coronavírus consegue permanecer no organismo de uma pessoa mesmo após o desaparecimento dos sintomas da Covid-19.

Também discutida no evento da ANM, a persistência lança dúvidas desconcertantes. Ela gera incerteza sobre se uma pessoa recuperada, sem sintomas, mas ainda positiva, poderia continuar a transmitir o vírus ou corre o risco de adoecer de novo.

O professor titular de virologia da USP de Ribeirão Preto Eurico Arruda, considerado um dos maiores especialistas do país em vírus respiratórios e um dos poucos que já estudava os coronavírus antes da pandemia, está convencido de que a persistência existe. Mas sua dimensão precisa ser conhecida.

— Acho que existem pessoas com persistência viral. Pessoas que estão PCR positivas há um mês, 40 dias. E não têm mais doença. Vimos isso num estudo pequeno. Precisamos aprender mais — disse Arruda.

Para ele, o critério de alta de pacientes que tiveram um quadro grave de Covid-19 e já se recuperaram da doença deveria ser ter dois resultados negativos consecutivos de exames de PCR.

O professor titular de virologia da UFRJ Amílcar Tanuri, cujo grupo fez um dos maiores estudos de sorologia de Sars-CoV-2 do país, tem opinião semelhante.

— Nosso grupo investiga a possibilidade de uma “cronicidade” do vírus. É raro, mas acontece. É impressionante. Mas é esse o dado — frisou Tanuri, que observou que essas pesquisas estão no início.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    — O melhor tratamento não é um remédio. É a boa prática médica. Ventilação em prona, autoprona, oxigênio a baixo fluxo, fisioterapia, tudo isso tem sido usado. Hoje.
    Esse texto acima foi o que o médico relatou. Ele diz que o remédio não é o melhor tratamento, esse cidadão nunca teve covid se pegar eu dúvido que não tome nenhum medicamento e que fique somente na ventilação em prona.
    Não precisa nem ser médico para dizer que irá morrer se seguir este tratamento.

  2. Gibira disse:

    Rapaz e os milhões gastos com respiradores? E os 5 milhões que o Desgoverno do Estado enviou para o consórcio Nordeste comprar os ventiladores, vai ficar por isso mesmo?

  3. Lvt disse:

    Ele tem razão jr pq sempre falou em prevenção!

  4. Teodósio disse:

    SE tivessem adotado o uso da hidroxicloroquina e os demais remédios do kit, logo nos primeiros sintomas dos pacientes, não seria necessário despesas com hospitais de campanha, roubalheira na compra de respiradores a preços superfaturados, pois mais de 90% das pessoas que se trataram logo no início se curaram em casa, sem a necessidade de se internar em hospitais. Mas claro que os governadores e prefeitos não queriam isso, pois como eles iriam receber os bilhões do governo federal?

  5. Francisco Lima disse:

    O Bolsonaro tem razão.

Grupo de infectologistas potiguares não chega ao consenso sobre eficácia de medicamentos no tratamento à Covid-19

(Foto: Reprodução)

Uma comissão de especialistas do Departamento de Infectologia da Universidade Federal(UFRN) discutiu sobre o uso de medicações para a prevenção a infecção pelo novo coronavírus e para o tratamento de pessoas que contraíram a doença.

Conforme documento em destaque, uma parte entende que medicamentos como cloroquina, hidroxicloroquina, azitromicina ou lopinavir/ritonavir não se mostram eficazes no controle da replicação viral em ensaios clínicos humanos. Sobre a ivermectina, esse grupo de especialistas diz que não foi identificado nenhum ensaio clínico relacionado ao uso no seu tratamento da Covid-19.

Vale ressaltar, no mesmo documento, duas especialistas não aprovam a recomendação assinada.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alex disse:

    Me desculpem , essa classe está desacreditada ( UFRN )
    Sem comentários .

  2. José disse:

    Importante: o documento é dirigido para MÉDICOS e para A COMUNIDADE ACADÊMICA DA UFRN.

  3. José disse:

    É isso. É ciência. Contra a ciência não há achismo nem politicagem. Não é dessa vez que Natal terá protagonismo.

  4. José Antônio disse:

    Parabéns as doutoras Eliana e Denise!

  5. genésio disse:

    Tô nem aí prá esse povo. Já tomei minha ivermectina e quem achar ruim que se lasque.

  6. Chicó disse:

    Ou seja, se depender da UFRN você vai pra casa tomar dipirona e paracetamol !!!

  7. Flávio Martinez disse:

    E uma pesquisa muito interessante. Deve ser levada em consideração. Comprova a eficácia do antiviral Remdesivir e a eficiência do Corticoide – ambos os fármacos em caros estágios da enfermidade. Registro: NÃO podemos politizar o uso de medicamentos.

  8. Manoel disse:

    Quanto mais ignorante o cabra, mas certeza das coisas ele tem. Darwin em 1870 já dizia isso.
    EM NENHUM LUGAR DO MUNDO estão receitando essa ivermectina mas no Brasil, cheio de especialistas de WA, é a redenção.

  9. Guto disse:

    Sem sombra de dúvida, todos já estão tomando Ivermectina de forma profilática.

  10. Bezerra disse:

    Gente!
    Quanta desesperança!
    Haja teoria desse povo! Qual o protocolo que está sendo adotado por este país afora para tratamento da doença? Algum iluminado desses pesquisou? Nenhuma bibliografia existente ou conhecida?

  11. Antonio Turci disse:

    Iluminados da UFRN jamais aceitarão receitar qualquer medicação reconhecida pelo Governo Bolsonaro. Além de estupidamente vaidosos a maioria é PeTralha.

  12. Manoel C disse:

    Assim, dos remédios citados, tomar a ivermectina talvez não ajude, mas também não atrapalha, dado que aconselham a tomar 1x ao ano. Então, acho que compensa, contanto que o preço seja justo.

  13. Cigano Lulu disse:

    Além da vaidade acadêmica, o ranço burocrático: ô povo iluminado!

  14. Abreu Neto disse:

    Eles querem que o povo se lasque.
    Nada funciona, nada tem comprovação.
    Estão iguais a OMS.

    Se não fosse esses medicamentos o pessoal do Norte do país estariam na lama.
    Após a utilização dos medicamentos, no estágio inicial, as mortes reduziram em mais de 90%.
    Na Unimed Belém, eles trataram mais de 55 mil pessoas no início da doença com esses medicamentos e teve zero mortes.
    Isso explica porque lá eles venceram a Covid, aqui no RN com esse bando de petistas nós estamos lascados.

    Nós hospitais particulares de São Paulo da mesma forma.

  15. Observando. disse:

    Li, mas não vi nenhum medicamento indicado. Afinal quando chegam na UTI tao sendo tratados com o q? Agua benta? Feijao apostolo Waldomiro?

  16. Neto disse:

    Esses "especialistas" nao se pronunciaram mes passado com as filas nas farmacias em busca da ivermectina.

  17. Djalma disse:

    Bem, gostaria de saber se rezar é permitido e se tem algum estudo rodomizado com duplo cego para covid-19, se tem alguma contra indicação ou se rezar é ato para alguns filiados a ideologia de direita ou de esquerda… cara.. agora sério, não ofereceram nada, somente desesperança. Digam pelo menos que se pode usar Cibalena. Sim, e se o conhecimento empírico foi abolido da UFRN

  18. Flávio disse:

    Gostaria que este comitê analisasse e emitisse nota técnica e científica, sobre os protocolos usados em algumas cidades do Brasil que estão mostrando resultados satisfatórios. Pois se não são estes protocolos que estão tendo resultados positivos, então obque seria ? A população precisa de soluções, de dúvidas já basta a OMS para confundir.

  19. Flávio disse:

    Espero que não ocorra como ocorreu na Inglaterra, aonde 5000 mortes poderiam ter sido evitadas se tivessem utilizado a dexametasona, antes da confirmação científica.
    Acredito que em um momento como este a observação clínica e experiência médica do dia a dia , seja mais adequada do que esperarmos a confirmação científica.
    Pois depois não adianta pedir desculpa e nem reconhecer erros por não usar estes medicamentos, estas atitudes não trarão nenhum morto de volta.

Bolsonaro volta a defender o uso da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, e diz: “viverei ainda por muito tempo”

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o uso da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes que, como ele, estão com Covid-19.

“Aos que torcem contra a hidroxicloroquina, mas não apresentam alternativas, lamento informar que estou muito bem com seu uso e, com a graça de Deus, viverei ainda por muito tempo”, tuitou.

Segundo Bolsonaro, “todas as medidas de isolamento adotadas por governadores e prefeitos sempre visaram [a] retardar o contágio, enquanto os hospitais se preparavam para receber respiradores e leitos [de] UTIs”.

Ele escreveu ainda:

“Nenhum país do mundo fez como o Brasil. Preservamos vidas e empregos sem propagar o pânico, que também leva a depressão e mortes. Sempre disse que o combate ao vírus não poderia ter um efeito colateral pior que o próprio vírus.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. uma flor disse:

    Concordo com Anti-Político de Estimação.
    A doença do Presidente Bolsonaro é mais um fake .
    O governo precisa justificar o investimento de mais de 1 milhão com cloroquina.
    Aí criou a doença para fazer propaganda e vê se é utilizado. Mas, não é um remédio tão necessário atualmente.

  2. Cesar Bomone disse:

    Enquanto os ESQUERDOPATAS fanáticos condenam a CLOROQUINA, sem apresentar qualquer outra alternativa, o PRESIDENTE se trata. E logo estará curado para seguir comandando o país.

  3. Pepe disse:

    Ja teve.Tem sorologia positiva há muito tempo.Este deve ser um adeno virus.Deve ter interferon alto,morcegão.

  4. Guto disse:

    Notável comentário de "alguém". Das duas uma: ou tem muito rancor desse governo ou pura ignorância. Fico com a 2a hipótese.

  5. OSORIO SAMPAIO disse:

    SERA QUE O EXAME E DELE, POIS ELE MESMO DIZE QUE NÃO COLOCAVA O NOME NOS EXAMES ERAM TODOS NOME FALSO E AGORA O FALSO E ELE.

  6. LULA LADRAO disse:

    OOOOHHHHH VEEEEIIIIII DURO!!!!

  7. Chicó disse:

    Essa esquerda é uma vergonha !!! Quando o Mito não estava doente, não aceitaram. Agora que ele está doente se recusam a acreditar.

  8. Antenado disse:

    Chorem não hienas. O véi é duro na queda. Mito 2022.

  9. alguem disse:

    Anti-politico, eu também tenho o mesmo entendimento que o seu. E muita coincidência, os três primeiros exames ele não quis mostrar nem a pau e nesse apresentou logo. Na viagem que ele fez com a comitiva para os EUA praticamente todos pegaram menos ele e agora só ele.

    Esse cara é uma fake.

  10. Lucian disse:

    Ôôô véi duro da gota serena.
    Mito 2022!!!

    • Anti-Político de Estimação disse:

      Será que o Presidente está doente mesmo ?? ou será que é só jogada de marketing ?? é tanta mentira espalhada por todos os lados que fica cada vez mais difícil distinguir o que é "mito" e o que é real.

    • Tota disse:

      Pra quê que ele ia inventar isso??
      Ajuda em quê??
      Procure ocupar sua mente vazia.

  11. Cigano Lulu disse:

    E agora, teremos no comando o vice ou um Capetão Virtual internado na residência oficial?

Paciente está há 17 meses sem vírus HIV após tratamento brasileiro inédito

Foto: Flickr/NIH Image Gallery/Creative Commons

Um estudo brasileiro da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), coordenado pelo infectologista Ricardo Sobhie Diaz, conseguiu eliminar o vírus HIV de um paciente que vivia com o vírus há sete anos.

O estudo foi feito unicamente com pessoas que estavam com o vírus indetectável — ou seja pessoas que têm a carga viral baixa e não transmitem a doença, por mais que vivam com o vírus. O intuito era “acelerar” o que o tratamento já estaria fazendo por estas pessoas (diminuir a quantidade de células infectadas). Foram recrutadas pessoas que iniciaram o tratamento com infecção pelo HIV relativamente recente e pacientes em tratamento com carga viral indetectável há mais de 2 anos. O estudo iniciou-se em 2013.

O paciente com o vírus eliminado, que preferiu não se identificar, conversou com exclusividade com a CNN e mostrou o teste para diagnóstico do HIV realizado este ano, onde constava que o paciente tinha amostra não reagente para HIV. “Eu me sinto livre”, diz.

Até hoje, dois casos de cura da Aids foram reconhecidos pela comunidade científica: Timothy Ray Brown, conhecido como “paciente de Berlim”, e Adam Castillejo, conhecido como o “paciente de Londres”. Em ambos, eles foram submetidos a um transplante de medula óssea. Por uma mutação rara, eles ficaram livres do vírus HIV.

Como funcionou o estudo

Para diminuir a replicação do HIV, o estudo selecionou pessoas que viviam com o vírus indetectável e que estavam tomando os coquetéis. “A gente intensificou o tratamento. Usamos três substâncias no estudo, além de criar uma vacina”, conta Diaz. Foram usadas combinações variadas de remédios, além de uma vacina produzida com o DNA do paciente.

Segundo o infectologista, a próxima fase do estudo deve contar com 60 pessoas e vai incluir mulheres como voluntárias — a primeira fase contou apenas com homens. A pesquisa está paralisada por causa da pandemia do novo coronavírus no país.

A doença no mundo

Segundo a Unaids, programa conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids, até dezembro de 2018, havia cerca de 37,9 milhões de pessoas em todo o mundo vivendo com HIV. Destas, cerca de 79% conheciam seu estado sorológico positivo para HIV, ou seja, já tinha sido diagnosticadas. Isso significa que cerca de 8,1 milhões de pessoas ainda não tinham conhecimento de que estavam vivendo com HIV (não haviam feito o teste para o diagnóstico).

Ainda segundo a Unaids, 32 milhões de pessoas morreram de doenças relacionadas à AIDS. Desde 2010, a mortalidade relacionada à Aids caiu 33% — em grande parte graças à evolução do tratamento antirretroviral e ao maior acesso destas pessoas ao tratamento.

CNN Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julia Victoria disse:

    Fantástico! Parabéns à equipe !

Caseiro afirma que Queiroz estava há poucos dias em residência de advogado: “o rapaz estava ficando aqui para o tratamento de saúde, ele está com câncer”

Foto: CNN Brasil

Caseiro do imóvel onde Fabrício Queiroz foi encontrado e preso na manhã desta quinta-feira (18), Orlando Novaes disse à CNN, nesta quinta-feira (18), que o local funcionava como um consultório de advogacia e afirmou que não tinha convivência com o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

“É um consultório de advogacia mesmo, entendeu? Mas o rapaz estava ficando aqui para o tratamento de saúde, ele está com câncer e essas coisas”, declarou.

“[Não estava] convivendo, não. Tem poucos dias que está aí, vi ele entrando [e tem] uns quatro dias que não vem aí com negócio de saúde”, acrescentou ele.

No muro da casa, em Atibaia, no interior de São Paulo, uma placa diz: “Wassef e Sonnenburg – Sociedade de Advogados”. O primeiro sobrenome faz referência ao advogado Frederick Wassef, que representa Flávio Bolsonaro.

À CNN, o delegado Osvaldo Nico Gonçalves, que foi o responsável pelo cumprimento do mandado de prisão em São Paulo, afirmou que a residência é uma casa grande, mas que Queiroz “estava em um quartinho com os pertences, incluindo dois celulares dele”. “No fundo, tinha uma guarita onde estava um casal de caseiros” completou.

O delegado ainda detalhou que Queiroz disse ter tomado remédio para dormir e demorou a atender a campainha, mas que não ofereceu resistência à prisão. “Ele só falou que tem problema de saúde. Não houve nenhum contratempo”, afirmou o delegado. “A reação dele foi tranquila. Ele permaneceu calado, mas falou que não precisava disso, que se chamasse ele iria”, acrescentou.

A prisão

Queiroz foi preso em Atibaia, no interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (18). Ele foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) na capital paulista para fazer exames, antes de se dirigir à sede da Polícia Civil em São Paulo, de onde será encaminhado para o Rio de Janeiro.

A prisão faz parte de uma ação conjunta entre o Ministério Público do Rio de Janeiro e o Ministério Público de São Paulo, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) dos dois estados.

Fabrício Queiroz foi assessor e motorista de Flávio Bolsonaro até outubro de 2018, um mês antes do início da operação que apura esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), na qual é investigado.

A mulher dele, Márcia Oliveira de Aguiar, como não foi encontrada na ação policial, é considerada foragida.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. RICARDO LÚCIDO disse:

    Há controvérsias cara pálida . Esses poucos dias são muito questionados . Há quem diga que o sr Queiroz , estava lá a um bom tempo . O serviço reservado da polícia civil , vinha monitorando , inclusive com todo cuidado pois existia a notória sensação de contra inteligência por parte dos seus protetores .

  2. Gerdson disse:

    Todo cego e cego? Nao, mais os bobos da corte acham que sao?…. o sata naro enganou e engana os indolentes..

  3. Cigano Lulu disse:

    Até que é simpática a fachada do casebre. Se o dono tiver a fim de fazer jogo numa tenda seminova, é só me procurar no privado. Dependendo da volta, pode até rolar um futebol.

“Dia histórico no tratamento da Covid-19”, comemoram infectologistas sobre dexametasona

Foto: Ilustrativa

A Sociedade Brasileira de Infectologia comemorou, em comunicado, fato de o anti-inflamatório dexametasona ter certa efetividade no tratamento da Covid-19, como constatou um estudo sério conduzido pela Universidade de Oxford.

“Temos o primeiro tratamento farmacológico para Covid-19 que mostrou impacto em reduzir a mortalidade! Finalmente temos uma boa notícia”, diz o comunicado.  “Dia histórico no tratamento da Covid-19”.

A recomendação é a de que pacientes com um quadro mais grave de Covid-19 recebam uma dose diária de dexametasona, ao longo de dez dias.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Se o JB indicar ela perde toda credibilidade.
    Irão aparecer médicos dizendo esse novo medicamento não é apropriado é um placebo. Kkkkk

  2. Flávio disse:

    Para nós do RN, não é novidade, basta olhar os protocolos indicados por alguns médicos potiguares . Mas como é uma informação vinda de fora, agora é válida.
    Parabéns aos Médicos que tiveram a coragem de exercer a medicina baseado nas suas experiências clínicas.

  3. Paulada disse:

    P…Q…P……Sempre aparece alguém torcendo contra. Vá ser pessimista assim no QUINTO DOS INFERNOS………….

  4. Mito do Gado disse:

    Não importa. Para o Presidente da República, o único fármaco eficaz é a Cloroquina

  5. Mateus Santos disse:

    Daqui a pouco os esquerdistas falarão mal, devido a indicação do Presidente.

  6. Francisco Lima disse:

    Se não matar o paciente pela elevação do diabetes, tudo bem.

  7. Dilermando disse:

    Tomara que realmente surta efeito. Pelo menos é uma medicação comum. O famoso "Decadron", Melhor uma "formigada nas partes baixas" do que morrer por COVID. Kkkkkkk

Agência americana revoga liberação de emergência da hidroxicloroquina como tratamento para a Covid-19

 Foto: Dirceu Portugal/Fotoarena/Estadão Conteúdo

A FDA (Food and Drug Administration, em inglês), agência que atua como a Anvisa nos Estados Unidos, revogou a permissão de emergência para o tratamento com a hidroxicloroquina contra a Covid-19. O órgão americano disse em documento nesta segunda-feira (15) que “não é mais razoável acreditar que as formulações orais de hidroxicloroquina e de cloroquina podem ser eficazes”.

“Nem é razoável acreditar que os fatores conhecidos e os potenciais benefícios desses produtos superem seus riscos conhecidos e potenciais. Por conseguinte, a FDA revoga o uso emergencial de hidroxicloroquina e cloroquina nos EUA para tratar Covid-19”, disse o documento.

A agência explica que tomou a decisão com base em novas informações e em uma reavaliação dos dados disponíveis no momento da liberação de emergência para pacientes com Covid-19 no país, publicada em 28 de março.

A revogação da agência aponta alguns critérios que levaram à suspensão do uso:

A FDA diz acreditar que as dosagens para hidroxicloroquina não têm um efeito antiviral;

Estudos anteriores sobre a diminuição do vírus com o tratamento da hidroxicloroquina e cloroquina não foram consistentemente confirmados, e uma pesquisa recente randomizada disse que não há diferença e eficiência no uso contra o Sars CoV-2;

Diretrizes médicas dos EUA não recomendam o tratamento com as substâncias e o NIH (Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos) não defende o uso fora de pesquisas clínicas.

Na data da liberação, a FDA permitiu o tratamento apenas para pacientes com casos graves da Covid-19 e internados em hospitais. O medicamento deveria ser administrado por um profissional de saúde com uma receita médica.

Bem Estar – G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justus disse:

    Caros especialistas muito bem informados deste blog, por que não se dão ao trabalho de se informar sobre os países que adotaram a HCQ?. Sugiro também que entrem no site do NIH, pesquisam lá e leiam jornais confiáveis estrangeiros. Ah, vão dizer que sou bolsonarista e para postar o que sei. Não sou. Procurem. Mas é mais fácil ser maria-vai-com-as-outras.

    • Neco disse:

      É gente sem um pingo de humanidade, Justus. Quando não, incapazes de interpretar textos no vernáculo (ou só se lê o título e saem emitindo sentenças com a b da0). O que dirá de textos em línguas estrangeiras. Não espere que deem o braço a torcer.

  2. Neco disse:

    Olha a satisfação das 'pessoas' diante de uma possível opção (a mais barata e massificável) a menos no tratamento da doença.

    Agora lendo o último parágrafo, a FDA tinha liberado para uso em casos graves. Já foi dito mais de mil vezes que esse medicamento é para os estágios iniciais da doença.

  3. OSORIO SAMPAIO disse:

    TRUMP AGORA VAI FAZER O QUE COM A OMS, ELE E O IMBECIL DO NO PRESIDENTE.

    • Beto disse:

      Deveria ouvir sua opinião qto a QUAL medicamento usar. Eu já diria! Pesquisem o q foram usados na Índia, um país de mais de um bilhão e trezentos milhões de habitantes vc pouco 8 mil mortes pelo COVID….O resto é mimimi e caô caô.

  4. Patriotafiel disse:

    Eu realmente não consigo entender como Donald Trump permite que os comunistas e petralas se opoderem da FDA para atacar nosso presidente. Toda semana Trump apunhá-la atraves de seus ministro e instituições, nossa patria e nosso presidente afim de desmerecê-lo. Mais a verdade é que o Brasil está em melhores condições que os EUA, e isso tá sendo insuportável para o Trump. Pura inveja da capacidade do presidente brasileiro. Trump se fez de amiguinho agora nao aceita voos do Brasil, diz que aqui vai ter mais morte do que lá, diz que cloroquina não funciona (mas mandou 2mil comprimidos pra cá, talvez esses seja de farinha), a verdade é que Trump vai cair e não aceita o sucesso de Bolsonaro. #foraTrump! #fechadoconBolsonaro! Numca mais pt

    • Luiz Antonio disse:

      Vamos fazer arminha pra Trump.

      A dupla pato Donald e o Pateta.

    • Manoel disse:

      Kkkkkkk
      Se isso nao for ironia, sugiro q procure um hospital psiquiátrico.

    • Barba disse:

      Olha o Nick do cara! Patriotas fiel! Esse aí bote passar lá no RH e pegar o diploma de boi!

    • Minion alienado disse:

      Vai chegar novo lote de cloroquina dos 🇺🇸?

    • Papa Jerry Moon disse:

      Esse Trump é comunista, já desconfiava faz tempo. Posa de capitalista mas desovou a HCQ aqui no Brasil para prejudicar o Bolso.