Sesiclube de Lagoa Nova em Natal está proibido de realizar atividades que provoquem poluição sonora

Foto: Ilustrativa

O Serviço Social da Indústria (SESI – DR/RN) deve abster-se de realizar atividades que provoquem ruídos superiores aos autorizados na ABNT para Área mista, com vocação comercial e administrativa (60dbA no período diurno e 55dbA para o período noturno) em sua unidade localizada na Avenida Capitão-Mor Gouveia, em Lagoa Nova, na Capital.

A determinação é da 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça que, à unanimidade de votos, reformou parcialmente sentença que impôs ao Serviço Social da Indústria (SESI – DR/RN) essa abstenção apenas para substituir a multa diária pela imposição de multa para cada descumprimento atestado em fiscalização, regular ou provocada, de autoridade competente.

No acórdão, os desembargadores ainda deixaram em aberto a possibilidade de aumento da multa em caso de recalcitrância, na fase de cumprimento de sentença, bem como eventual interdição do estabelecimento, por decisão fundamentada do Juízo da execução.

Na primeira instância, o Ministério Público Estadual afirmou na Ação Civil Pública que recebeu um abaixo-assinado dos moradores do Condomínio Smile Village Lagoa Nova, pedindo providências contra os transtornos ambientais que estariam sendo provocados pelo SESI, que diariamente, a partir das seis horas e com término às 19 horas, produz poluição sonora através do uso de microfones em atividades esportivas, bem como, eventualmente, realiza campeonatos esportivos com uso de som alto.

O Ministério Público alega ainda a realização de festas na área de churrasqueira do SESI, com palcos para shows de música ao vivo e som amplificado, com enormes paredões de som. Relatou também que o SESI funciona sem a devida licença de operação. Por isso, defendeu que o estabelecimento está violando normas de proteção ao meio ambiente, com a produção de poluição sonora, violando o direito da coletividade.

A 5ª Vara Cível de Natal julgou a ação favorável ao MP. Com isso, a entidade paraestatal recorreu ao Tribunal de Justiça, buscando reformar totalmente a sentença. Alegou que o Sesiclube está localizado em área mista com vocação recreacional ou, na pior das hipóteses, em área mista com vocação comercial, sendo este fato notório que prescinde de prova.

Confira análise e todos os detalhes aqui no Justiça Potiguar.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Socorro Carvalho disse:

    Por não morar no condomínio referido não assinei essa petição. Mas assinaria de bom grado. Moro vizinho ao SESI, sei do valor inequívoco da entidade, mas garanto que o barulho perturba bastante. Quem acha que estamos errados sugiro que venha passar um dia por aqui no período dessas atividades.

  2. Cigano Lulu disse:

    A locais públicos como teatros, arenas e casas de show deveria ser condição 'sine qua non' equipar-se com materiais de isolamento acústico que evitem poluição sonora ao meio ambiente. Em Natal não faltam revendedores de materiais e profissionais especializados nesse ramo. Ao poder público, contudo, parece faltar maior rigor e seriedade na fiscalização e controle de eventuais abusos.

  3. Antonio Turci disse:

    Deveriam fazer essas farras no arquipélago de São Pedro e São Paulo, na ilha Rata, na ilha das Cobras, nas ilhas Trindade e Martin Vaz ou na p.q.p.

  4. Curioso disse:

    Perguntinha bem simples, que estava lá primeiro?
    Quem chegou depois?
    Agora que deveria apenas ter um bom senso de ambos os lados, barulho a as 22:00 e pronto, pois no condominio é assim e ninguém reclama de nada,.

  5. J. Dantas disse:

    Faz sentido, fica ao lado do fórum…..

  6. Lúcifer disse:

    Deviam também coibir a prática deliberada de farras em posto de gasolina!
    Pense, numa coisa perigosa e inconveniente! Chato prá c…!
    Tanto lugar prá fazer farra mas um posto de combustíveis parece ser o mais adequado!!!
    Cadê os orgãos competentes, hein???
    Chega a ser um paradoxo estúpido: Tanto "zêlo" de um lado e tanto descaso de outro.
    Enquanto não acontecer uma tragédia…

Uso de capacetes fechados dentro de estabelecimentos comerciais passa a ser proibido no município de Parnamirim

Prefeito sancionou projeto de lei de autoria do vereador Gustavo Negócio e aprovado à unanimidade pela Câmara de Parnamirim

Condutores de motocicletas estão proibidos de adentrarem estabelecimentos comerciais do município de Parnamirim usando capacetes fechados, que não permitam reconhecimento do portador. Projeto de lei do vereador Gustavo Negócio e aprovado à unanimidade pela Câmara Municipal foi sancionado pelo prefeito Rosano Taveira e publicado na edição do Diário Oficial de Parnamirim desta terça-feira, 19.

A Lei, que ganhou o número 1.972/2019 foi sancionada no último dia 14 e está disposta em cinco artigos. No parágrafo único do artigo 1º justifica que a proibição se deve a motivos de segurança pública. No 2º artigo, a lei municipal autoriza o Poder Executivo “através dos órgãos competentes”, a fiscalizar, multar e apreender os capacetes encontrados na cabeça dos condutores dentro dos estabelecimentos comerciais.

No artigo 3º, a lei estabelece que os gerentes dos estabelecimentos comerciais ou qualquer cidadão que presencie atos de desobediência à norma legal, poderão acionar a polícia para que seja lavrado o boletim de ocorrência.

Caberá ao Poder Executivo Municipal a regulamentação da lei, definindo as penalidades.

INSEGURANÇA

Autor do projeto de lei, o vereador Gustavo Negócio (sem partido) diz que tomou a iniciativa de legislar sobre o assunto como forma de contribuir para a redução da insegurança no município. “A lei foi aprovada à unanimidade pelos meus colegas vereadores e tem como objetivo inibir a ação dos ladrões em nosso município”, justifica o vereador. “A ideia nasceu do contato direto e de conversas com os comerciantes”, complementa.

Gustavo Negócio pretende, após a sanção e publicação da lei, realizar um trabalho de conscientização junto ao comércio para que os estabelecimentos possam difundir a proibição do uso de capacetes fechados. “Será uma forma de também conscientizarem os condutores de motocicletas”, conclui o vereador que está no exercício do seu segundo mandato eletivo.

Decreto de armas: Exército diz que cidadãos podem comprar espingardas e carabinas, mas porte é proibido

O Exército divulgou na semana passada a lista de armas que podem ser adquiridas pelo cidadão comum, mas a legislação ainda não deixava claro se as classificadas como longas (como carabinas e espingardas, por exemplo) também estavam liberadas. Questionado pelo G1, o Comando do Exército esclareceu que, sim, a compra será permitida, mas o porte, não.

No primeiro semestre, o presidente Jair Bolsonaro publicou uma série de decretos que alteraram as regras sobre armas. Uma das mudanças foi a ampliação da potência dos dispositivos que cidadãos comuns podem adquirir.

A definição de quais são essas armas classificadas como de uso permitido ficou sob responsabilidade do Exército.

Essa relação inclui:

armas curtas, como revólveres e pistolas – a partir dos decretos de Bolsonaro, elas passaram a ser chamadas de armas “de porte”;
armas longas, como espingardas e carabinas – estas passaram a ser chamadas de “portáteis”.
Há, entretanto, uma divergência entre dois decretos do presidente:

o nº 9.845 diz que “não será concedida autorização [de compra] para armas de fogo portáteis [longas]”;
o nº 9.847, publicado no mesmo dia, não faz essa restrição e autoriza a venda de armas portáteis pelos comerciantes.

Questionado, o Exército informou que cidadãos comuns poderão adquirir armas portáteis, como carabinas e espingardas, para tê-las em casa – ou seja, terão autorização de posse. Entretanto, essas armas não poderão ser levadas para fora de casa.

Esse impedimento está no decreto 9.847, mas não no 9.845.

A concessão do registro de posse e porte de arma de fogo para o cidadão comum é feita pela Polícia Federal. O Exército é responsável pelas autorizações para os Caçadores, Atiradores e Colecionadores (CACs).

O G1 consultou a PF sobre essa questão às 9h45 desta segunda-feira (19), mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Fuzis impedidos

Dentre as armas agora permitidas ao cidadão comum estão calibres de pistolas que antes eram de uso restrito das forças de segurança, como a 9mm e a .45. Os fuzis de diversos calibres, como 5.56mm e 7.62mm, foram classificados como restritos — ou seja, não podem ser adquiridos pelo cidadão comum.

A lista abaixo mostra as armas que ficam, atualmente, liberadas para o cidadão comum, seja apenas para posse (portátil, neste caso) ou também para posse e transporte (de porte).

Polêmica envolveu fuzil brasileiro

Um ponto polêmico em relação à questão da compra de armas de fogo surgiu com a divulgação pela empresa brasileira Taurus de que um de seus fuzis — o T-4, de calibre 5.56mm — ficaria com energia cinética dentro do limite permitido aos cidadãos pelos novos decretos de Bolsonaro, que vai até 1.620 joules.

O Exército, porém, fez testes, e o fuzil brasileiro superou a carga prevista para o uso permitido à população, atingindo 1.748,3 joules.

“Por esta razão, passa a ser classificado como de uso restrito”, informaram os militares. As armas restritas só podem ser usadas pelas forças de segurança, como policiais e militares.

Em nota, a Taurus afirmou que, com a portaria do Exército que determinou os calibres proibidos e permitidos, “terá a oportunidade de oferecer ao mercado brasileiro quase toda a sua linha de produtos, com diferentes tipos de calibres em vários modelos de armas”.

“Até então [até a publicação da portaria] só oferecíamos uma pequena parcela deste portfólio. Isso certamente vai incrementar as vendas da companhia e nos aproximar muito dos nossos clientes, fortalecendo a marca”, completa a nota da fabricante.

Arte mostra armas que poderão ser usadas por cidadão comum — Foto: Rodrigo Sanches/Arte G1

Votação de projeto de lei

A Câmara dos Deputados deve analisar nesta semana projeto de lei que altera as regras para o porte e posse de armas. O texto foi enviado por Bolsonaro em junho e permite a definição, por meio de regulamentos, quais são as categorias que podem ter porte de armas. Também prevê porte de armas para caçadores e colecionadores e estabelece a extensão da posse da arma ao longo de toda a propriedade (urbana e rural), entre outros pontos.

Na última quarta-feira, o relator do texto, Alexandre Leite (DEM-SP) divulgou o parecer sobre o tema, horas depois de a Câmara aprovar um requerimento de tramitação em urgência (o que permite a votação diretamente em plenário, sem votação em comissões).

No relatório, Leite sugeriu mudanças em relação ao texto enviado pelo governo federal, entre as quais:

retirada do trecho que previa concessão do porte a categorias profissionais por regulamento (sem mudança na lei);
inclusão das regras para caçadores, atiradores e colecionadores que constava de um projeto do Senado.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Quero saber disse:

    Não entendi, continua proibido que armas mesmo?
    Então me digam quais as armas que os "excluídos sociais" usam nos morros e locais de tráfego? Fuzis estão proibidos para quem? É aquele proibido que a bandidagem usa e ao ser preso, são liberados nas audiências de custódia? Quando os bandidos atiram em helicópteros da PM, eles usam baladeiras ou qual arma permitida?

Maca peruana: ‘kit para engravidar’ proibido se espalha nas redes e é investigado no Brasil

“Meninas, o que vocês estão fazendo para conseguir o positivo?”, pergunta *Ana em uma rede social.

Ela tem 36 anos, tenta engravidar desde 2016 e, no Instagram, descobriu e comprou o que vários perfis diziam ser infalível: um kit para engravidar, com maca peruana.

De um deles, a brasileira recebe a seguinte mensagem, atribuída a uma mulher que teria finalmente engravidado após 10 anos de tentativas frustradas: “Tenho que agradecer a Deus e a Maca Peruana por ser uma luz em nossas vidas! Tive meu positivo no primeiro teste depois de tomar. Um único embrião e hoje tenho meu Vitor nos Braços (sic)”, diz o “print” do depoimento que a reportagem da BBC News Brasil identificou como falso, ao lado de outros indícios de irregularidades na venda e promoção de um produto que se espalha no País com a ajuda das redes sociais.

Nos Estados Unidos, maior importador mundial de maca em pó, em farinha e em sêmola, a Food and Drug Administration (FDA)- agência do Departamento de Saúde do governo – encontrou Viagra escondido em uma das marcas, com riscos para pessoas com diabetes, pressão alta, colesterol alto e doenças cardíacas. E orienta, desde junho, os consumidores a não usarem o produto.

A maca peruana é uma raiz cultivada e exportada principalmente pelo Peru.

É produzida a mais de 4 mil metros de altitude, nos Andes, e promovida oficialmente pelo país como “superalimento” que “ganhou o mundo”.

Não só isso. “Ela oferece múltiplos benefícios à saúde de quem consome, devido ao seu alto valor nutritivo e medicinal”, diz um material promocional enviado à BBC News Brasil pela Promperú, órgão vinculado ao governo peruano que promove produtos locais.

O texto diz que o consumo da raiz “é associado a melhorias de pressão alta, depressão, ansiedade e, ‘de um jeito ainda não totalmente entendido’, também ao equilíbrio de hormônios”. A propaganda oficial não faz referência aos supostos benefícios à fertilidade.

O Brasil, que há 10 anos aparecia em 20º lugar entre os maiores compradores da maca em pó, farinha e sêmola, passou à segunda posição, atrás apenas dos Estados Unidos.

As importações em 2018 somaram US$ 862 mil (R$ 3,22 milhões) e um volume de 280.420 kg – com alta de 62% sobre 2017.

‘Energizante’

Mas o que está por trás desse avanço?

Para exportadores, seria o poder “energizante” da planta, aliado a uma demanda crescente por produtos naturais.

Mas é prometendo bem mais do que isso que cápsulas supostamente recheadas com esse pó se espalham, vendidas no Brasil como “supermedicamentos” para “engravidar rápido” e combater a infertilidade.

“São muitas positividades, que fazem você crescer o olho e criar esperança”, diz *Ana.

Ela teve as chances de engravidar reduzidas porque anos atrás fez uma cirurgia de ligação de trompas.

“Fui mãe muito nova, tive quatro filhos e já me sentia completa. Não queria mais engravidar”, diz à BBC News Brasil.

“Mas aí me casei de novo, meu marido não tem filhos e eu decidi fazer a operação para ‘desligar'”.

“A médica disse que eu posso engravidar, mas até agora não consegui e resolvi comprar a maca para ver se me ajuda nisso”.

Investigação

A BBC News Brasil mergulhou durante um mês nos meandros desse negócio.

A reportagem verificou um estímulo ao consumo através de propaganda enganosa e sem comprovação científica que enaltece os poderes de aumentar a fertilidade, e incrementar a libido. Os produtos são oferecidos online a preços que variam de R$ 97 a R$ 2 mil.

A BBC News Brasil encontrou também outros indícios de irregularidades: depoimentos forjados de supostos consumidores satisfeitos, como o da mulher citada no início desta reportagem, uso indevido de registros farmacêuticos e venda irregular de tratamentos.

Os sinais foram identificados em perfis no Instagram, Facebook e YouTube, que remetem a lojas online, contrariando regras das próprias plataformas.

Nas redes sociais, conteúdos recheados de propagandas para vendas não autorizadas se multiplicam, chegam a ser visualizados por milhões de pessoas e levam parte delas, como *Ana, a comprarem – e consumirem – o que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) chama de “produto clandestino”.

A Anvisa afirmou à BBC News Brasil que vai abrir “investigação para averiguar possíveis irregularidades”.

O Facebook e o Instagram disseram, após contato da reportagem, que estão investigando o caso e que removerão conteúdos que violem as políticas das plataformas.

Ajuda a engravidar?

Segundo a presidente da Sociedade Brasileira de Reprodução Humana (SBRH), Nilka Donadio, a maca não é indicada “nem como ajudinha, nem como medicamento”.

“A Sociedade Brasileira de Reprodução Humana contraindica o uso da maca como tratamento. Existem pouquíssimos trabalhos científicos na área, trabalhos sérios, em revistas renomadas e que tragam avaliação da metodologia do estudo. Todos os que existem têm estatísticas muito pequenas. Então, não há embasamento científico. Eu não posso dizer que uma mulher vai tomar e engravidar em 30 dias. Isso não existe. Isso é impossível. Isso está errado. Não tem o menor cabimento falar isso”, disse ela, que é PhD em Infertilidade e Fertilização in vitro.

Maca liberada?

A venda do produto no Brasil só é liberada como alimento (Consulte aqui marcas autorizadas).

Como medicamento que auxilia na fertilidade, ele precisaria ter um registro da Anvisa comprovando tal benefício, com sua segurança e qualidade atestadas.

Mas esse registro não existe, ao contrário do que diz, por exemplo, o perfil @engravidar.macaperuana.

“O comércio sem registro caracteriza infração sanitária e crime contra a saúde pública”, disse a Anvisa à BBC. “É uma irregularidade atribuir propriedades terapêuticas, funcionais ou de saúde relacionadas ao consumo da maca peruana, pois essas não foram avaliadas e aprovadas pela Anvisa”.

Também “não constam em nenhuma política, diretriz ou recomendação técnica do Brasil a utilização do kit para engravidar, nem mesmo evidências científicas para o uso da substância, derivados ou preparações com maca peruana”, segundo o Ministério da Saúde.

‘Infrações’

A Anvisa diz que anúncios apontando a maca, por exemplo, como “supermedicamento 100% natural” capaz de “aumentar a fertilidade, diminuir a mortalidade dos embriões e aumentar a produção de espermatozoides” não são, portanto, permitidos. É assim, no entanto, que eles aparecem nos sites andesprimemaca.com.br e kitparaengravidar.com.br.

Leia reportagem completa da BBC aqui

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ted disse:

    BG meu querido.
    A receita infalivel pra fazer engravidar e a seguinte, todos os dias, mas todos os dias mesmo! Pela manhã, por volta das 6:30 o cabra enMACAcá a companheira pelo menos duas vezes ou mais, até a hora de se levantar, durante todo período fértil da mulher.
    Não precisa de maca peruana coisa nenhuma, basta o casal trabalhar direitinho, que em pouco tempo aparece o resultado. Bingo!!!!
    Com nove meses tem brasileirinho nascendo.
    Façam!!!
    É infalível.

  2. Maria Lúcia Santos de Sousa disse:

    Quais as marcas liberadas

Justiça proíbe homem de xingar na sua própria casa

Depois de perturbar durante meses os vizinhos em Waltham Abbey (Inglaterra) com gritaria e palavrões, Paul Crick, de 45 anos, está proibido pela Justiça de xingar em locais públicos, privados e na sua própria casa. A proibição vale pelos próximos cinco anos.

Paul tem histórico de abuso de álcool, noticiou o site “SWNS”. Por causa do vício, entre abril de 2012 a agosto deste ano, ele ligou mais de 170 vezes para o serviço público de emergências. Na maior parte das vezes, sem qualquer motivo. O inglês também está proibido de acionar o sistema, a não ser que tenha uma real emergência.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. TITICO disse:

    DIRCE: MEU ORGULHO, MEU COMPANHEIRO.VIVA O BRASIL QUE CRESCE.

Justiça Eleitoral proíbe candidato Gija de fazer campanha em Tangará

O juiz Eleitoral Flávio Amorim determinou hoje a retirada, imediata, do nome e da fotografia do candidato a prefeito Giovannu César, conhecido como Gija, que disputaria a Prefeitura de Tangará. O registro do político foi negado em primeira e segunda instância. Com isso, o Ministério Público Eleitoral pediu ao Judiciário que fosse retirado o nome do pré-candidato e a fotografia do sistema de urna eletrônica e ainda proibido campanha eleitoral e o uso do programa de rádio e televisão.

O pedido foi aceito integralmente pelo juiz de Tangará. “Ora, considerando a documentação juntada pelo peticionário, dando conta que os registros dos candidatos foram indeferidos pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, com publicação do acórdão pela Corte Eleitoral deste Estado, há de ser procedente o requerimento do Parquet Eleitoral, uma vez que em consonância com o texto normativo supracitado”, escreveu o juiz na decisão.

Ele observou ainda que a nova redação atribuída ao artigo 15 da Lei nº 64/90, estabelece, textualmente: “Art. 15. Transitada em julgado ou publicada a decisão proferida por órgão colegiado que declarar a inelegibilidade do candidato, ser-lhe-á negado registro, ou cancelado, se já tiver sido feito, ou declarado nulo o diploma, se já expedido”.

Fonte: Ana Ruth Dantas

Justiça determina que operadoras não vendam celular bloqueado

Empresas de telefonia celular não poderão vender aparelhos bloqueados, de acordo com decisão tomada  pela 5ª turma do Tribunal Regional Federal 1ª Região (TRF-1). Em caso de descumprimento, as empresas devem pagar multa de R$ 50 mil diários. Ainda cabe recurso da decisão.

A sentença do TRF-1 foi motivada por recurso do Ministério Público Federal que contestava entendimento da primeira instância da Justiça, segundo o qual as empresas poderiam vender celular bloqueado por um ano, como forma de fidelização.

O TRF-1 derrubou esse entendimento em votação unânime. O relator do caso, desembargador Antônio Souza Prudente, argumentou em seu voto que “o bloqueio técnico dos aparelhos celulares configura uma violência contra o consumidor”. O tribunal decidiu que mesmo os bloqueios temporários, que costumam ser impostos pela operadora no ato da venda, são ilegais.

Em sua defesa, representantes de empresas de telefonia celular manifestaram, na ação, que “para conceder determinados benefícios, a operadora arca com o preço do aparelho e acaba por transportar determinados encargos para o mercado”.

O argumento das operadoras foi rebatido no julgamento pela desembargadora federal Selene Almeida.“Ao obrigar o consumidor a ficar fidelizado a determinado plano, está caracterizada a venda casada, uma afronta, pois, aos direitos do consumidor, pois o que as empresas de fato estão fazendo através de descontos concedidos em troca de aparelhos é restituírem-se do desconto com a prestação do serviço, já que o valor das mensalidades acaba por pagar, com sobras, os benefícios concedidos”, afirmou a desembargadora.

Fonte: G1

MRV proibida de vender novos imóveis em Natal

A construtora MRV Engenharia está proibida de vender apartamentos e lançar empreendimentos enquanto não resolver as pendências com seus clientes. Em documento despachado ontem, o Procon/RN aplicou uma sanção administrativa para suspender temporariamente as atividades da empresa no Rio Grande do Norte. Pivô de um imbróglio referente aos seguidos atrasos na entrega de imóveis, a MRV já participou de mais de 150 audiências na Justiça com consumidores prejudicados.

O coordenador geral do Procon/RN, Araken Farias, conta que mesmo com as audiências os problemas dos clientes não vêm sendo resolvidos. O caso mais grave é do empreendimento Nimbus Residence Club, localizado na avenida Abrel Cabral, que já teve a entrega adiada mais de cinco vezes. No despacho assinado por Araken Farias, o Procon/RN estabelece uma multa de R$ 50 mil por apartamento vendido durante a suspensão temporária. em caso de descumprimento.

Além da MRV Engenharia, a Ancona Engenharia, empresa responsável pelas obras, também foi alvo da sanção. Deacordo com Araken Farias, a empresa vem anunciando a entrega das chaves, porém a Caixa Econômica Federal, que financia os empreendimentos, não está liberando os imóveis, pois a averbação só é feita com a entrega completa dos complexos habitacionais.

Como a construtora vem realizando a entrega em etapas, pessoas que receberem as unidades continuarão pagando a taxa de evolução de obra até a entrega total do empreendimento.

Anteriormente, em nota enviada no mês de maio, a MRV se comprometeu a compensar os clientes pelos atrasos com ressarcimentos no pagamento de aluguel e taxa de evolução de obra. Além do Nimbus, a empresa tem outros seis empreendimentos lançados oficialmente no estado.

Fonte: DN Online

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge Pontual disse:

    essa construtora é só decepção. Já estou morando no imovel ha 4 meses e ainda continuam cobrando taxa de evolução de obra… só picaretagem!!

  2. Ralyneara disse:

    Estou com batante medo..pois me aventurei em comprar um e agora n sei o que fazer!

  3. Antoniobaiarn disse:

    Penalidades imposta pelo PROCON  contra  Construtora MRV, proibindo essa empresa de vender imóveis em Natal,  é o minimo  que pode ser aplicado, considerando que ela é líder nacional de reclamações pelos péssimos serviços que presta para quem se aventura comprar imóveis dela.

Prefeito proíbe população de morrer

Por meio de uma lei municipal, o prefeito de uma cidadezinha na Itália deu vida eterna a toda a população, de cerca de 4 mil pessoas. Desde o início do mês está proibido morrer em Falciano del Malssico, no sul do país.

Por decreto, ninguém está autorizado a ir para o além, pois não há cemitério na cidade e o do município vizinho, onde eram enterrados os mortos de Falciano, está lotado.

Até a instalação de um novo cemitério, “fica proibido ultrapassar as fronteiras da vida na Terra”, diz o decreto.

No entanto, duas pessoas morreram, desobedecendo o decreto. Mas elas não devem ser punidas, pois o prefeito nada disse sobre perseguição de almas.

Fonte: G1

Picolé Caseiro Caicó proibido de fazer zuada

Da redação do DIARIODENATAL.COM.BR

Os desembargadores que integram a 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) deram provimento a um recurso de uma moradora da rua Rita Pereira de Medeiros, no Barro Vermelho, em Natal, e proibiram a empresa responsável pela marca “Picolé Caicó” de produzir, no local, a emissão de som e ruídos causados pelos carrinhos através de alto-falantes.
(mais…)
OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ailton disse:

    Notamos que todos os vendedores de picoles deveriam trabalhar respeitanto os niveis de tolerância sonora, para assim respeitando a lei de proteção ambiental,exercer suas atividades com dignidade e aceitação da população.
    AILTON OLIVEIRA
    NATAL/RN

  2. Diogo disse:

    Devia ser proibido em toda a cidade. É muito chato estar em sua casa e ouvir aquele barulho, que é abusivo. O cara anuncia o picolé umas 10 vezes só na mesma rua.
    Atrapalha mesmo, no ano do meu vestibular eu perdi as contas de quantas vezes perdi a concentração porcausa desse picolé caseiro. Depois desse abuso eu dexei de ser consumidor desse sorvete.

Prefeito atropela Mercedes estacionada em local proibido com tanque de guerra

Leiam a matéria da Folha.com e depois vejam o vídeo:

O prefeito de Vilna, capital da Lituânia, decidiu levar ao extremo sua campanha contra os motoristas que estacionam ilegalmente na faixa dos ciclistas.

Arturas Zuokas entrou em um veículo militar blindado e passou sem piedade por cima de uma Mercedes-Benz S-Class –que ficou completamente esmagada.

De terno e camisa, um figurino um tanto estranho para um tanque, Zuokas sorri todo o tempo.

(mais…)

MP atua Bar da Cueca. Som proibido e mudança de local

Alô, frequentadores do Bar da Cueca, em Pirangi. A festa no bar de Fernando Laerte Moreira pode estar com os dias contados.

Doravante hoje, está proibido som ao vivo ou amplificado, ou seja, vão beber em silêncio sepulcral, no máximo.

E mais, até o dia 28 de fevereiro do próximo ano, o bar deve ser fechado. Rá.

O bar fica na Rua das Alagoas e ocupa espaço público… deve ser devolvido ao Município.

Tudo isso foi combinado em Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público.

O não cumprimento vai acarretar multa de R$ 50 mil.

Não tem cueca que dê vencimento.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aristótelles disse:

    Exemplo de urbanização e paisagismo? Onde pelo amor de Deus? Uma cigarreira ocupando um espaço público com som na altura que bem entender seus frequentadores e cheio de bebuns e coisas pior, tem mesmo é que fechar.
    É muito bom fazer sucesso sem pagar impostos e a revelia das obrigações sociais.
    Assim até eu.

  2. Paulo disse:

    Realmente um público bem fiél e diferenciado…

  3. Fábio Leonardo disse:

    Bom dia, infelizmente algumas pessoas não podem ver o sucesso dos outros, mais isso faz parte do nosso dia a dia. Fica uma pergunta será que essa punição vai ser só para o Bar da Cueca? ou todos os bares em Natal que se encontram na mesma situação vão ter a mesma punição? acho que não! lembrando que esse mesmo espaço era ocupados por vandalos e "entre outras mais" e vivia escuro ao relento pela própria prefeitura, ao contrario de hoje que serve de exemplo com urbanização e paisagismo! hoje o Bar da Cueca tem um publico fiel e diferenciado e creio que a mudança de local não vai interferir em um dos melhores Bar de Natal.
    Sds. Fábio Leonardo!

    • bruno disse:

      Caro Fábio. Só para lembrar o Arena Bar também fez um TAC e fechou.