Projeção de flexibilização e retomada econômica no RN será a partir de 17/06

O decreto que será publicado no início da tarde desta quinta-feira traz uma data para o início de reabertura e flexibilização da economia potiguar.

A partir de 17 de junho, tendo uma margem de segurança de ocupação de UTIs, o governo vai começar a flexibilizar.

Segundo apuramos, isso vai acontecer se tivermos menos de 75% das UTIS ocupadas.

Se no dia 16 a ocupação atingir essa expectativa, será iniciada a abertura da economia do Estado em estágios.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. duendevermelho disse:

    Só esqueceram de combinar com o vírus.

  2. TATA disse:

    AINDA BEM QUE AQUI SO TEM ESPECIALISTAS EM EPIDEMIAS, ACHO QUE VOU DEIXAR DE OUVIR A CIÊNCIA QUANDO DIZ QUE ONDE HOUVE UM RELAXAMENTO DO AFASTAMENTO SOCIAL AUMENTOU O NUMERO DE CASOS, MAIS AQUI COMPLETO DE DRAUZIOS VARELA, VOCES DEVERIAM E TER VERGONHA E INCENTIVAREM O DISTANCIAMENTO PELO MENOS ENQUANTO ESTIVERMOS NA SITUAÇÃO QUE ESTAMOS

  3. Gustavo disse:

    Empresas e órgãos públicos que puderem deixar boa parte dos funcionários em teletrabalho, deixa. Quem puder trabalhar de casa, trabalhe. As demais pessoas que precisarem sair de casa devem saber como se portar e agir. Não tem bebê. Libera as atividades e pronto.

  4. Seboso disse:

    O povo aqui é SEBOSO , morrendo de dengue e ZIKA , no quintal de casa cheia de lixo , o vagabundo deitado na rede , esperando o agente de saúde do município matar o mosquito….Vergonhoso, você acha que irão fazer isolamento, lavas as mãos??? O povo toma refrigerante e atira a lata na frente de casa , o bacana na LANDROVER atira a embalagem de biscoito pela janela , é falta de educação …cultural

  5. Socorro disse:

    Se querem que se fale só o que lhe agrada, É melhor não comentar. O nosso RN estar ótimo e ninguém estar morrendo de nada.

  6. Ricardo disse:

    Todo o mundo sabe como se proteger. Cada um que assuma as suas responsabilidades. Mãozinha s limpas e rosto com máscara. Pô, tá lidando com retardados? E avisa: se pegar, pode se arrombar por falta de leito. Prorroga as aulas e libera o resto com as mesmas medidas tomadas por supermercado.

    • Matheus disse:

      Exatamente! Ninguém é retardado para o papai Estado dizer se devemos ou não sair de casa. Uso de máscara, higiene nas mãos, evitar aglomerações e isolamento de grupos de risco já é o suficiente. Ninguém pode viver em isolamento total assim.

  7. Anti-Político de Estimação disse:

    Se o nosso povo fosse mais educado e tivesse colaborado de verdade desde o início dessa pandemia, já estaríamos iniciando a retomada da nossa combalida economia. É como diz o velho ditado popular : "Quando a cabeça não pensa, o corpo padece".

    • Socorro disse:

      Se a governadora tivesse usado os recursos corretamente que recebeu do governo Federal, não estávamos nessa situação. Toda minha família estar desde 15/03., em isolamento. Quantos novos leitos e hospitais de campanha ela fez? Ela não sabe nem o que dizer. Falar só o povo não faz sua parte é fácil.

  8. Ricardo disse:

    Todo o mundo já sabe como se proteger. Agora quem vive de atividade "não essencial" (pra quem?) fica dependente da i(i) responsabilidade dos outros. Que horror! A Assembleia precisa conter essa senhora. Bote áí mais um mês de proibição.

Número de casos graves de Covid-19 no país é pelo menos o dobro do registrado, diz projeção

Agentes de saúde ajudam paciente com Covid-19 em UTI do hospital de campanha municipal Gilberto Novaes. O Amazonas é um dos estados mais atingidos pelo novo coronavírus no país. — Foto: Bruno Kelly/Reuters

O número de casos graves de Covid-19 que exigiram internação no Brasil é pelo menos o dobro do registrado, segundo estimativa feita pelo Núcleo de Dados do Jornalismo da Globo com base em informações do Infogripe da Fiocruz. O total de pacientes hospitalizados pode chegar a 13 mil.

De acordo com o Ministério da Saúde, 6.043 pessoas foram internadas com Covid-19 até esta terça-feira (14). Esses pacientes foram testados e o coronavírus foi confirmado.

Mas havia ao menos 15 mil testes aguardando resultado no país, segundo dados do Infogripe. Desses, entre 7 mil e 11 mil devem testar positivo para a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), segundo estimativa do Núcleo.

O cálculo leva em conta o percentual de testes positivos para Covid-19 em cada semana e a parcela de testes positivos em relação aos resultados totais (leia mais sobre a metodologia no fim da reportagem).

“Apesar dos modelos matemáticos utilizados para avaliar a evolução da Covid-19 no país, o ideal seria que tivéssemos os números exatos”, afirma Leonardo Weissmann, médico infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia.

“Não há testes para toda a população, o que já é um fator para a subnotificação dos casos. A demora no resultado dos exames é outro ponto importante, fazendo com que tenhamos um ‘retrato atrasado’ na evolução, o que pode influenciar diretamente no planejamento e tomada de medidas”, avalia Weissman.

O epidemiologista Paulo Lotufo, da Faculdade de Medicina da USP, reitera a análise de Weissman.

“Se o teste da Covid estivesse disponível num estalar de dedos, ótimo. Mas não está. Está demorando 10, 15 dias para ser feito – então tem gente que acaba internando, vai embora e vai ver o resultado depois. E o diagnóstico de alta sai como alguma outra coisa. Não dá para confiar”, afirma.

“O que dá para confiar é nas médias históricas. Para mim, é [uma projeção] perfeitamente aceitável – eu poderia até dizer que [a estimativa] está conservadora, acho que está bastante fidedigna”, avalia o epidemiologista.

“[É um dado] muito sólido – está pegando um dado, mostrando isso no meio da pandemia, só pode ser a Covid. Você não vai achar que é outra coisa. É uma desgraça”, diz Lotufo.

Testes afetam tratamento e planejamento, dizem especialistas

Tânia Vergara, presidente da Sociedade de Infectologia do Rio de Janeiro, lembra que os testes são importantes para determinar que intervenções serão feitas em um paciente na UTI, por exemplo.

“[Mas] existem outras coisas que estão sendo propostas – como plasma convalescente, anticoagulação maciça. Isso vai variar com a gravidade, com os protocolos dos hospitais, com a disponibilidade do que eles têm. Você não vai fazer um plasma convalescente em uma pessoa que não tem diagnóstico de Covid”, afirma a infectologista.

Além disso, ter um diagnóstico é determinante para o tratamento, também, de outras doenças, reforça a pneumologista Patrícia Canto Ribeiro, da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz.

“Nós estamos diante de uma pandemia, então a primeira desconfiança é sempre relacionada a Covid-19, mas outras doenças também podem causar Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e têm tratamentos específicos. Saber se é gripe comum ou Covid-19 já faz uma grande diferença. Para gripe, você tem tratamento. Tem medicamento com algum grau de eficácia dependendo do momento em que se inicia a medicação”, explica Ribeiro.

Identificar rapidamente a doença é importante não só para o tratamento, mas também para direcionar os recursos de saúde, acrescenta a pneumologista.

“Se tem um paciente que você não tem certeza que tem Covid-19, vai para o isolamento”, explica. “O profissional de saúde que vai entrar naquele leito está consumindo recursos, tem que se paramentar todo, com todo o equipamento, touca, luva, máscara N95. Então também é recurso que economiza quando se sabe o que aquele paciente tem.”

Por outro lado, Paulo Lotufo, da USP, avalia que a prioridade brasileira não deve ser investir mais em testes, e sim em recursos para o atendimento aos pacientes.

“Não faz sentido testar as pessoas. Eu acho que não. O dinheiro é finito: eu colocaria no atendimento às pessoas, contratar mais enfermeiros. O que salva a vida em UTI é enfermeiro, o fundamental é a qualidade do atendimento. Estão faltando EPIs [equipamentos de proteção individual]. Eu gastaria dinheiro comprando máscara, avental”, opina.

Entenda a metodologia

O Infogripe, comandado pela Fiocruz, registra o número de internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) em hospitais públicos e privados do país a cada semana epidemiológica. O sistema também registra o número de testes e os resultados para cada semana. Além do Sars-CoV-2, que causa a Covid-19, entram na lista também: Influenza A e B, VSR, Adenovírus, Parainfluenza 1, 2 e 3.

No Infogripe, estão registrados os testes em cada semana que ainda não tiveram resultado. Para chegar ao número de prováveis casos de Covid-19 nos testes sem resultado, o Núcleo de Dados calculou o percentual de resultados positivos para Covid-19 na semana em que cada teste foi feito e multiplicou pelo número de testes sem resultado naquela semana. Com isso, chegou ao número máximo de 11 mil potenciais positivos para coronavírus.

Para calcular o número mínimo, foi considerado também o percentual de testes positivos para todos os vírus em relação ao total de resultados. A estimativa, então, foi de 7 mil casos positivos para Covid-19 entre os testes ainda sem resultado.

O cálculo é uma aproximação a partir dos dados disponíveis e considera que todos os que estão aguardando seguem a mesma distribuição de vírus detectados entre os positivos. Também não leva em conta outros fatores como faixa etária, tempo desde os primeiros sintomas até a coleta, qualidade da coleta, qualidade do material usado, armazenamento adequado, transporte adequado e sensibilidade do teste.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. mauricio disse:

    ESSE MINISTRO DA SAUDE É UMA PEADA, TODO DIA TEM PROJEÇÃO, OU SEJA: ASUSTAR A POPULAÇÃO, JA DEVERIA TER IDO EMBORA, COMO ELE É CONTRA O BOLSONARO, VIROU QUERIDINHO DA IMPRENSA COMPRADA

  2. Brasil disse:

    Manual do jornalismo da Globo/folha
    Se o número de mortes no Brasil estiver baixo, dê destaque diário ao número de 𝗰𝗮𝘀𝗼𝘀 𝗰𝗼𝗻𝗳𝗶𝗿𝗺𝗮𝗱𝗼𝘀, pois eles são maiores (mesmo que depois as pessoas se curem).

    2 – Se ainda estiverem baixos, informe também os 𝗰𝗮𝘀𝗼𝘀 𝘀𝘂𝘀𝗽𝗲𝗶𝘁𝗼𝘀 (mesmo que depois eles não se confirmem). É 𝘃𝗶𝘁𝗮𝗹 𝗮𝘀𝘀𝘂𝘀𝘁𝗮𝗿 𝗮 𝗽𝗼𝗽𝘂𝗹𝗮çã𝗼.

    3 – Para reforçar, informe os internados em 𝗲𝘀𝘁𝗮𝗱𝗼 𝗴𝗿𝗮𝘃𝗲 (mesmo que não se transformem em óbitos). 𝗜𝘀𝘀𝗼 𝗮𝘂𝗺𝗲𝗻𝘁𝗮 𝗼𝘀 𝗻ú𝗺𝗲𝗿𝗼𝘀 𝗱𝗮 𝘁𝗿𝗮𝗴é𝗱𝗶𝗮.

    4- Informe cada morte como se fosse uma 𝘁𝗿𝗮𝗴é𝗱𝗶𝗮 𝗶𝗻𝗰𝗼𝗺𝘂𝗺 (mas nunca compare com as mortes diárias bem maiores, por dengue, gripe comum, acidentes de trânsito, homicídios, etc.)

  3. quarentena gourmet disse:

    so na chamada… “Diz projeções “ já mostra que não nenhuma prova do q se ta falando; e continua: … segundo especialistas(?) ta dificil acreditar em qualquer um dos lados

  4. Antenado disse:

    Ótimo. Quanto maior o número mais rápido a endemia passará. O mais importante é o número de mortes. Será que até o dia 02/05 chegaremos a 10.500??

  5. Cidadão disse:

    "Cezário", vc está correto.
    O resto só comenta asneiras.

  6. Manoel disse:

    Acredito que esteja errado se for ver realmente aí tem todo tipo de óbito que o covid19 tá pagando o pato por todas.

  7. Fernando disse:

    Seria bom também deixar claro que a subnotificação dos infectados também é muito baixa, na realidade, o número de infectados é 15 vezes maior que o já constatados nos exames divulgados, o que leva reduz bastante o índice de letalidade. Bom deixar isso bem claro, pra a notícia não ter somente o lado alarmista.

  8. Afonso Camargo disse:

    As projeções estão errando, errando muito, a começar pelos parâmetros adotados, alinhando o Brasil com o resto do mundo. Sequer tiveram a responsabilidade de ver que na Europa e EUA a população de idosos chega a média de 20%, enquanto aqui, são apenas 8%.
    Outro erro que agora aparece, é o período de pico, nos demais países isso aconteceu entre 20 a 40 dias de isolamento. Aí no Brasil estão querendo impor um confinamento com 60, 90 ou mais dias. O erro em número de mortes passa dos 15 mil, entre o projetado e a realidade.
    Na verdade o uso político dessa situação, vem provar que o povo não é respeitado, mas usado como uso fruto para fins de eleição e realizações pessoais daqueles que foram eleitos pelo povo.

  9. Cezario disse:

    Essa fonte, o G1, não tem a menor credibilidade!

Coronavírus: Sesap projeta 157 mil infectados no RN e colapso da Saúde em 2 de maio

Uma projeção da Secretaria Estadual de Saúde, incluindo subnotificações, estima 157 mil pessoas infectadas no Rio Grande do Norte no dia 02 de maio.

A Secretaria Estadual de Saúde(Sesap) informa que se confirmada, a projeção resultará no colapso da rede estadual de saúde.  Mais detalhes aqui.

Com informações da Tribuna do Norte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cidadão Potiguar disse:

    Realmente se continuar assim vai morrer essa quantidade pessoas, ou mais, mas de Fome!

  2. Silva Santos disse:

    Ontem seriam 21 mil infectados até o início de maio; hoje, 157 mil. Qual a previsão correta? Acho que a SESAP está meio perdida…

  3. Silva Santos disse:

    ONTEM , A SESAP anunciou 21 MIL; HOJE, 157 MIL INFECTADOS. QUAL O NUMERO CORRETO? COM A PALAVRA A SEinãoSAP

  4. Eduardo disse:

    São os mesmos q anunciaram em março q ontem (06.04.2020), teríamos 5.500 mortos? Estão superlativando os números para lá na frente dizerem q conseguiram segurar o vírus ou será q é para manter o confinamento? Imprensa faz terrorismo midiático. Por que não mostrar os números e curados? Pq não mostrar os tratamentos q estão funcionando? Querem ir caos? Querem o pânico?

  5. Junior disse:

    Se vai colapsar mesmo e não terá nenhum leito de UTI a mais nessa data, porque essa safadeza de deixar as pessoas em casa para quebrar o país.

  6. Paulão disse:

    Números loucos totalmente fora da realidade. Por ele teremos agora mais 6.280 pessoas infectadas por dia até 02 de maio no RN. Quem foi o pirado que inventou isso? Se estamos a 18 dias isolados e tem apenas 254 confirmados, agora vem um doidão da Sesap chutar esses números sem o menor sentido? Qual a intenção dele com isso? Deveria ter mais responsabilidade em chutar números tão fora da realidade como esses são. Se não vamos ver até sexta a quantidade de infectados. Poe esses números, sem noção, chegaremos na sexta (10/04) com 25.374 pessoas doentes pelo vírus. Com a palavra, a vida real!

  7. manezinho disse:

    Estranho isso. Segundo os petistas do intercept e cuja a rede bobo tomou como referencia a reportagem, no dia 06 de abril teríamos 5500 mortos no país. No dia 06 de abril teríamos o pico da pandemia no RN. Agora será no dia 06 de maio e serão necessarios 300 milhoes de reais pra saude nao entrar em colapso no RN. Pensei que ja estavamos em colapso ha muitos anos…

  8. Tito disse:

    Sinceramente, o que eu acho que o cabra que fez esses cálculos e aí finsl, não se concretizar deveria ser preso! Vai tocar no inferno sujeito, tem alguma coisa de criminoso nesses números ou pelo menos um estado de terror.

  9. José disse:

    Isso quer dizer que luladrão era um indivíduo totalmente sem noção e irresponsável quando optou por copa do mundo e olimpíadas, construindo estádios e aeroporto injustificáveis, ao invés de equipar e construir hospitais, e que os bilhões roubados farão uma falta enorme falta para sobrevivencia dos brasileiros nessa pandemia? Ou não?

  10. Márcio Sá Dantas disse:

    Rapaz, quero crê que estão completamente errados. Além de trazer o pânico e contribuir para alteração da pressão de muitos cidadãos, foram irresponsáveis na forma de dar a notícia. Fica uma pergunta no ar: o que acontece ao governo se chegar em maio e a previsão não se concretizar, como acredito estarmos todos torcendo por isso. Vamos continuar a fazer a nossa parte ficando em casa. Definitivamente, por Deus, vamos torcer para que hoje tenha sido a maior barrigada da história.

  11. Aluizio disse:

    Carlos, já q vc e o único banbanban em matemática q visita esse blog, explique como é feito então, pq imagino q os números vao aumentar muito, mas pra chegar a esses números, nessa aula eu faltei

    • Flavio disse:

      Blz Aluízio, TB perdi. Mesmo tendo feito mais de um curso na área de Engenharia, não assisti essa aula. Kkkkkkk

  12. Ceará-Mundão disse:

    Essa doença já circula o mundo desde dezembro do ano passado, e ainda não atingiu 1,5 milhão de infectados. Portanto, apenas apelando à lógica, é possível identificar o absurdo dos números apresentados. E vejam que o nosso clima quente não favorece a multiplicação do vírus. Olha, quando vejo notórios petistas que conheço divulgando os números de contaminados e de óbitos cm brilho nos olhos, como que comemorando os efeitos da epidemia, fica claro a que esses números se prestam. Eles são os verdadeiros criminosos.

  13. Ivan disse:

    E então SESAP? Quantas uti´s que estão inutilizadas serão disponibilizadas? Teremos hospital de campanha na Arena? Qual a previsão? Os respiradores doados pelos empresários, já estão operantes e salvando vidas? Já encomendaram máscaras às fábricas de confecções e álcool junto às usinas????? Como estão as ações práticas?? Vão ficar só nos decretos de "#FIQUEEMCASA"…???

  14. Neco disse:

    Não é pq a situação é grave que se pode chutar pra Lua os números (e em cima disso matar a economia).

  15. Diogo Barros disse:

    Mais de 6000 infectados por dia. Tá imoral essa mídia, misturada com esses governos

  16. Daniel disse:

    Para de promover o terror!

  17. Francisco Lima disse:

    Quanto terror! Voltemos aos bancos escolares pra estudar como esses "especialistas" chegaram a esses números assombrosos.

  18. Lirinho disse:

    Isso é causar pânico, terror, medo!!!

  19. Fernando Peres disse:

    Fica do só adiando fazendo um grande terror psicólogo na população, estou em casa alguns dias e a movimentação é mesma feira livre funcionando, coleta de lixo sem nenhuma proteção específica contra o vírus, vendedores ambulantes passando e vida que segue esses governo do RN, só terror na população.

  20. Marcos Ângelo disse:

    Não foi só isso, o especialista afirmou que no dia 15 de maio o RN teria 2milhoes de infectados e 11700 mortes .
    Isso dá 52600infectados e 308 mortes por dia

    • Emerson disse:

      Só digo uma coisa tomara que isso não se concretize e se Deus quiser Não vai acontecer, só nos diz uma coisa, nossos especialistas não são tão especialistas assim, e não foi pelas medidas que adotaram porque até pra montar o tal hospital de campanha está essa bagunça.

  21. Antonio Barbosa Santos disse:

    PQ não mostram como chegaram a esse número?
    Fica parecendo que querem apavorar, criar as condições para contratações duvidosas, aí nada acontece, como não aconteceria mesmo, e vem a público dizer que foi graças a ação tomada.
    Não que no RN isso possa acontecer, não. Nunca.

    • Carlos disse:

      A maioria do povo que comenta aqui não entenderia como são feitos os cálculos.

ALARMANTE: Projeção da Sesap é de 300 mortes por Covid-19 nos próximos 30 dias no RN

O secretário-adjunto de Estado de Saúde Púbica Petrônio Spinelli afirmou que o Governo do Estado trabalha com uma projeção de 300 mortes por Covid-19 nos próximos 30 dias. A informação foi repassada aos jornalistas em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (3).

Até o momento, quatro óbitos foram confirmados no Estado, sendo três em Mossoró e um em Natal. Todas as mortes ocorreram no período de uma semana.

Spinelli voltou a defender a necessidade do isolamento social no Rio Grande do Norte.

“As pessoas precisam entender que precisam estar em casa de verdade. Nosso maior dilema é gente chegar precisando de respirador e não ter para todo mundo”, desabafou.

Leia matéria completa aqui no Saiba Mais – Agência de Reportagem.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Izaac disse:

    Meu Deus do céu, é impressionante e triste vervoessias ainda minimizando a situacao. Só lembrando que estamos vivendo é uma subnotificacao por falta ou demora nos testes no Brasil, os óbitos por covid 19 só são anunciados qdo os testes sao confirmados. E outra coisa, uma pessoa que tem diabetes e leva um tiro morre do tiro, nao da diabetes, portanto os que estao morrebdo do covid é do covid mesmo, e nao de doenças pre-existentes, essas apenas sao agravantes.

  2. Junior disse:

    Opiniões são validas,desde que esqueçamos fanatismo!
    A OMS já deveria ter catalogado fanatismo doença

  3. Rosi Sampaio disse:

    Pode ser que a pessoa morra de um acidente, queda, AVC, etc… Se apresentar sintomas ou se for suspeito de contaminação pelo covid19 entrará para as estatísticas até que o resultado do teste seja concluído. Isso é possível em tempos de pandemia. Não vejo nada de anormal!

  4. Ivan disse:

    Esse número vai depender da dispnibilidade de leitos disponíveis p/atender os casos graves, portanto, corram pra providenciar os leitos extras, consertar os defeituosos e deixem de fazer política rasa…É muito cômodo ficar apenas mandando as pessoas ficarem em casa…

  5. NILDO disse:

    37 MILHÕES SERÁ QUE DAR PRA COMPRAR QUANTOS APARELHO RESPIRADOR? NAS MINHAS CONTA 37 MILHÕES DÁ PRA COMPRAR MUITO, MAS NA CONTA DO PT DEVE SER SÓ UNS 100

  6. Junior Play disse:

    Dez mortes por dia aqui no estado ???

  7. Tarcísio Eimar disse:

    Na minha projeção matemática, pelo andamento da curva no gráfico ministério da saúde é de 1600 mortos até o final do mês e um acumulado de 18000 mortos em todo o BR nesse período

    https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/04/03/meu-pai-so-saiu-para-ir-ao-mercado-diz-filha-de-morto-por-coronavirus.htm

  8. Said disse:

    Correto,só não pode botar na conta do corona vírus até os que morrem de acidente de trânsito. Vamos ficar de olho…

    • Riva disse:

      Said, não tem o que dizer fica quieto. O que está acontecendo é o contrário não estão testando nem a metade.

    • Said disse:

      Quieto eu estou obedecendo o isolamento,agora cego e surdo eu ainda não sou ok?abra os olhos e limpa os ouvidos .😉

EFEITO CORONAVÍRUS: Governo reduz a zero a projeção de crescimento do PIB em 2020

Técnicos da equipe econômica anunciam medidas para reduzir impactos do coronavírus Foto: Gustavo Raniere / Ministério da Economia

O governo reduziu para zero (0,02%) a projeção de crescimento da economia brasileira neste ano, por conta dos efeitos da pandemia de coronavírus na atividade econômica.

A revisão, divulgada nesta sexta-feira pelo Ministério da Economia, ocorre pouco mais de uma semana depois da pasta ter anunciado uma piora na projeção de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, de 2,4 para 2,1%. Naquele momento, os números do governo já estavam defasados em relação ao dados do mercado.

Bancos e consultorias já preveem um resultado muito fraco da economia brasileira este ano, com chance, inclusive, de uma nova recessão por causa da pandemia de coronavírus.

Apesar de ainda não prever resultado negativo no ano, o governo já trabalha com a possibilidade de o país registrar uma recessão técnica, caracterizada por dois trimestres consecutivos de retração do PIB.

— Esse cenário, infelizmente, já está sendo previsto (recessão ). Existe uma boa chance de termos um PIB não muito favorável no primeiro trimestre, e uma redução significativa no PIB do segundo trimestre. Mas, tomando as medidas, acreditamos que no segundo semestre vamos ser capazes de gerar uma retomada econômica para fecharmos o ano de uma maneira melhor — disse o secretário de Política Econômica, Adolfo Sachsida, responsável pelas projeções.

Sachsida destacou que o choque foi inesperado e sem precedentes. Para ele, é possível garantir o início de uma retomada a partir do segundo semestre, desde que seja mantido o compromisso com o teto de gastos, regra que limita o crescimento das despesas públicas:

— No mês de março ocorreram seis “circuit breakers” (parada de negociação) na Bolsa de Valores. Isso é algo absolutamente inéditos. Os efeitos da crise originados pela Covid-19 se espalharam de maneira muito rápida ao redor do mundo.

A FGV prevê que o ano termine com uma retração de 4,4% do PIB. Se confirmada, seria a maior retração registrada no país desde 1962, quando iniciou a série disponível no site do Banco Central.

O cenário simulado pela FGV considera que a economia brasileira sofrerá com efeitos de mesma magnitude que os registrados durante a crise financeira de 2008, dada a redução da atividade global, especialmente nas economias chinesa, europeia e americana. Também são considerados impactos domésticos similares aos registrados no pós-greve dos caminhoneiros, em maio de 2018.

Em 2019, a economia cresceu 1,1%. Em 2018, 1,3%.

Petróleo em queda

Para diminuir o impacto da pandemia de coronavírus na economia, o governo tem anunciado uma série de ações nos últimos dias. Ao todo, com as medidas anunciadas até agora, o impacto total é de R$ 180 bilhões, informou o governo.

O governo atualizou ainda outros parâmetros importantes para a economia.

A expectativa é que o barril seja negociado a uma média de US$ 41,87 ao longo do ano. Antes, a expectativa era de US$ 52,70. Hoje, o produto está na casa dos US$ 30, abaixo das previsões do governo. Essa redução fará o governo arrecadar R$ 9,4 bilhões a menos, neste ano, com petróleo.

O Ministério da Economia também subiu a previsão da cotação do dólar neste ano. Pela contas da pasta, a moeda americana terá uma cotação média de R$ 4,35. Antes, a estimativa era de um câmbio a R$ 4,20.

O governo reduziu ainda a projeção de inflação medida pelo IPCA em 2020. A estimativa é que a inflação fique em 3,05%. Antes, eram 3,12%.

Eletrobras fora

A equipe econômica reduziu em R$ 32,7 bilhões a previsão de arrecadação neste ano. A revisão foi feita principalmente porque o governo deixou de contar com a privatização da Eletrobras, que poderia render aos cofres públicos R$ 16,3 bilhões, como antecipou O GLOBO.

O governo também aumentou em R$ 6,3 bilhões a estimativa de despesas para o ano. Só em recursos extras para o Ministério da Saúde combater o coronavírus o impacto é de R$ 5,1 bilhões.

Com as novas estimativas, a equipe técnica calculou que seria necessário um contingenciamento de R$ 37,5 bilhões para adequar o Orçamento à meta fiscal de R$ 124,1 bilhões.

Esse bloqueio, no entanto, não será necessário porque o Congresso aprovou mais cedo o reconhecimento do estado de calamidade, que libera o país de cumprir essa regra fiscal.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Anota aí… -4,5

  2. David disse:

    Ainda melhor que 2015 que foi -3,6 e -3,8 em 2016 sem crise internacional.

  3. joao disse:

    Já iria ser zero…agora vai ser negativo…muito burro/incompetente esse governo..

  4. Observando disse:

    Semana passada diziam que seria uma queda de 2,5 para 2,1. Assim dizia Paulo Guedes. Agora dizem que vai ser zero. Entao acreditem. Vai ser PIB negativo. E ai vao dizer que para sair da crise é necessario mais reformas. Como a tributaria. Adivinha o que essa reforma tributaria vai fazer? Aumentar tributos sobre pobres para suprirem o prejuizo dos ricos.

Governo reduz projeção do PIB de 2020 de 2,40% para 2,10%

Foto: Bruno Domingos/Reuters

O Ministério da Economia revisou sua expectativa para o crescimento da economia brasileira em 2020 e projeta agora alta de 2,1% no PIB (Produto Interno Bruto), segundo informações do jornal “O Estado de S. Paulo”. A estimativa de avanço anteriormente era de de 2,4%.

A nova estimativa da SPE (Secretaria de Política Econômica) gera impacto negativo nas contas do governo e deve reduzir a verba dos ministérios. Uma revisão das despesas previstas para o ano deverá ser anunciada até o dia 22.

A redução anunciada pelo governo também foi adotada pelo mercado. Na segunda-feira (9), analistas reduziram a estimativa de crescimento da economia brasileira para menos de 2% em 2020. De acordo com o relatório Focus, divulgado pelo Banco Central, a projeção das instituições financeiras passou de 2,17% para 1,99%.]

A nova previsão do Ministério da Economia foi anunciada em um momento de incerteza sobre o desempenho da atividade econômica diante do avanço do novo coronavírus.

O secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, admitiu na terça-feira (10) que a retomada mais lenta deve comprometer as receitas e causar bloqueio de despesas para não comprometer a meta fiscal. O déficit previsto para o ano é de até R$ 124,1 bilhões.

O choque nos preços do petróleo no mercado internacional também pode influenciar a execução do orçamento. Quando a lei orçamentária foi feita, em 2019, a expectativa de cotação média do barril de petróleo Brent era de US$ 58,96. A commodity encerrou o pregão de terça-feira (10) a US$ 37,22.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jailson disse:

    Vai ser recessão. E se o governo não fizer nada, vai ser recessão das braba!

CNC revisa projeção de crescimento do PIB de 2019 de 1% para 1,2%; taxa é a maior para um terceiro trimestre desde 2012

Foto: Arquivo/Agência Brasil

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revisou a projeção de crescimento para este ano do Produto Interno Bruto (PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país) de 1% para 1,2%.

De acordo com as Contas Nacionais, divulgadas hoje (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB cresceu 0,6% no terceiro trimestre deste ano em relação ao trimestre anterior, mostrando evolução de 1,2% em comparação ao mesmo período do ano passado. Segundo a CNC a taxa observada é a maior para um terceiro trimestre desde 2012 (1,5%) e a mais elevada para qualquer período de três meses desde o primeiro trimestre de 2018 (0,7%).

“A gente revisou a projeção por conta de um resultado ligeiramente acima do esperado. O PIB não está bombando. Longe disso”, disse à Agência Brasil o economista da CNC, Fabio Bentes. Ele destacou que o crescimento do PIB per capita, isto é, por indivíduo, está muito baixo. “Crescer 1,2%, como a gente está esperando, significa distribuir pela população a taxa de crescimento muito próxima de zero”. Segundo Bentes, o resultado do terceiro trimestre surpreendeu os economistas da CNC.

Outro motivo que contribuiu para a revisão do PIB de 2019 é a grande possibilidade de que, no último trimestre, a economia cresça mais, “basicamente porque o consumo das famílias está se dando em um ritmo acima do crescimento da própria economia, ou seja, do consumo do governo, do setor externo”. A confiança para isso é dada pelos dados positivos relativos ao quarto trimestre do ano que já começam a sair, afirmou Bentes.

Fatores de impulso

Os economistas da CNC percebem nesse cenário que se abre três fatores claros que podem impulsionar a economia neste final de ano para um ritmo mais forte. O primeiro deles é a inflação baixa medida pelo Índice de Preços do Consumidor Amplo (IPCA), que é a menor dos últimos 21 anos, da ordem de 2,5%. “É uma inflação que em um primeiro momento corrói pouco e mais lentamente o poder de compra da população e abre espaço para quedas mais audaciosas na taxa de juros”.

O segundo fator envolve as condições de crédito. A CNC já detectou aumento na demanda por crédito, menos por conta da redução de juros de balcão e mais pela ampliação dos prazos. “Com prazos mais longos, as famílias conseguem encaixar mais facilmente uma prestação com financiamento no orçamento”.

O terceiro ponto é a liberação dos recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para o consumo. Os resultados apurados na Black Friday, por exemplo, mostram que os dados de consumo estão favoráveis e devem empurrar o consumo das famílias para cima no último trimestre. Para 2020, a expectativa é de que a taxa de juros básica (Selic) caia a 4,5% ao longo do ano. “Isso abre espaço para que o cenário positivo do ponto de vista do consumo perdure pelo menos até metade do ano”.

PIB de 2020

Por isso, a CNC espera expansão do PIB para 2020 de 2,2%. O economista da CNC admitiu que não é um crescimento espetacular. “É um crescimento abaixo da média mundial ainda, mas é um resultado melhor do que nos últimos três anos, já considerando 2019”, porque a economia cresceu 1,3% nos anos de 2017 e 2018 e agora deve evoluir 1,2% este ano. As expectativas do mercado para o PIB do próximo ano são de crescimento entre 2% e 2,5%.

Como a perspectiva para 2020 não prevê novas liberações de recursos, Bentes disse que o que contrabalanceia um pouco isso é a expectativa de que os juros caiam mais. “Só que não basta a Selic cair. É preciso estimular concorrência no mercado bancário”. O economista da CNC analisou que a Caixa Econômica Federal está trilhando esse caminho e puxando alguns bancos privados. A limitação dos juros do cheque especial a 8,5% ao mês, embora seja uma taxa muito elevada, pelo menos coloca algum teto nisso. “Que se estabeleça um teto mesmo porque a grande maioria da população não sabe o que significa uma taxa de 8,5% ao mês”.

Mercado de trabalho

Outro desafio não só para 2020, mas para a próxima década, é destravar o mercado de trabalho, sinalizou Bentes. “Mesmo com o crescimento que a gente teve até agora, a taxa de desemprego ainda está muito alta”. Isso vai depender de uma agenda de resgate da produtividade do trabalhador. “Não pode cortar gastos com educação”, asseverou Fabio Bentes. Caso esses problemas não sejam atacados, o economista acentuou que “a gente cresce 2,5% no ano e no outro cria um excesso de demanda na economia, aumenta a inflação e aí corta o ciclo de novo”. Por isso, enfatizou ser importante atacar os problemas estruturais de um mercado de trabalho mais produtivo, aumentar a concorrência bancária. “Acho que esses dois fatores terão efeito mais perene no ritmo de crescimento do PIB, nos próximos anos.

Agência Brasil

Projeção de economistas para crescimento do PIB em 2020 sobe a 2,17%

Foto: Ilustrativa

Economistas elevaram a projeção do PIB para 2020 pela segunda semana consecutiva, segundo pesquisa Focus do Banco Central (BC) divulgada nesta segunda-feira e que reúne as estimativas das principais instituições financeiras do país. A nova previsão de crescimento para o ano que vem é de 2,17%.

Na semana passada, era de 2,08%, superando a projeção de 2% que vinha sendo apontada pelos analistas há algumas semanas, sem alteração.

Os economistas preevem ainda inflação sob controle, em 3,6% em 2020, e a Selic (a taxa básoca de juros) a 4,25% ao fim do ano que vem. Na semana passada, a projeção para os juros esram de 4,5%.

O BC reduziu a Selic nas últimas três reuniões e sinalizou que deve fazer mais um corte neste ano. Hoje, a taxa está em 4%. Os economistas ouvidos pela Focus preveem a taxa em 4,5% no fim de 2019, como já apontava a pesquisa na semana passada.

Outros indicadores para 2019 não sofreram alteração, como o PIB, cuja projeção foi mantida em 0,92%. A previsão de inflação foi revisada levemente para cima, a 3,33%, ante 3,31%.

O Globo

[FOTOS] Projeções em prédios de Natal destacam o “Fora-Dilma” e “Xô Lula”

IMG_3910

O Blog acaba de receber as imagens dos protestos por Natal. Mais especificamente nos prédios de Natal. A empresa Megalume está projetando imagens com as declarações “Xô Lula” e “Fora Dilma” no Quartier Lagoa Nova.

As imagens são protestos contra a nomeação de Lula como ministro-chefe da Casa Civil. O que para alguns é tratado como tentativa de resgatar o país da crise político-econômica, mas que para muitos é tratada como uma artimanha do PT para livrar Lula das investigações da operação Lava Jato sob o comando do juiz federal Sérgio Moro. Como ministro, Lula ganha direito ao foro privilegiado e passa a ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A imagem feitas para o blog foi registrada agora há pouco na fachada do condomínio Quartier Lagoa Nova, nas proximidades da Arena das Dunas. Vale lembrar que no Midway também houve registros de protestos.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Na bandeira do meu país não existe a cor vermelha disse:

    Bela e exemplar manifestação de repúdio a esse governo ridículo, desastrado, incompetente, corrupto, desqualificado, desacreditado, incapaz, desequilibrado e irresponsável.

  2. Júnior disse:

    Essas imagens tem que rodar o Brasil amanhã. Muito bonito e inovador.

Governo prevê queda maior do PIB também em 2016 e inflação de 6,47%

Após piorar a previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, o governo admitiu oficialmente, nesta segunda-feira (23), que o nível de atividade da economia deverá registrar um desempenho pior no ano de 2016 e, também, que deverá arrecadar menos com um eventual retorno da CPMF do que estimado anteriormente, em setembro.

Em mensagem enviada à Comissão Mista de Orçamento (CMO), o Ministério do Planejamento estimou um “encolhimento” de 1,9% para o PIB no ano que vem, contra a previsão anterior de um recuo de 1%.

O governo tem informado que utiliza as projeções do mercado financeiro para as suas estimativas oficiais. Se a previsão se concretizar, será a primeira vez que o país registrará dois anos seguidos de contração na economia – a série histórica oficial, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tem início em 1948.

Para os economistas do mercado financeiro, o PIB deverá registrar uma contração de 3,15% neste ano e de cerca de 2% em 2016. As previsões foram feitas na semana passada e divulgadas também nesta segunda-feira pelo Banco Central, que faz levantamento com mais de 100 instituições financeiras.

Inflação

Para o comportamento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial, o governo também enviou nova estimativa para o ano que vem – com piora.

No documento enviado ao Legislativo, o governo passou a prever uma alta de 6,47% para o IPCA do próximo ano, conta a previsão anterior, feita há menos de um mês atrás, de 5,94%.

O mercado financeiro, porém, já acredita que a inflação deverá estourar o teto de 6,5% do sistema de metas brasileiro no próximo ano – somando 6,64%.

Pelo sistema de metas de inflação vigente na economia brasileira, o BC tem de calibrar os juros para atingir objetivos pré-determinados. Para 2015 e 2016, a meta central de inflação é de 4,5%, mas o IPCA, que serve de referência, pode oscilar entre 2,5% e 6,5% sem que a meta seja formalmente descumprida.

Fonte: G1