VÍDEO – LEMBRA DELE? Champinha liderou rebelião em SP e fez agente de saúde refém na madrugada desta quarta

Foto: Reprodução/Record TV

O detento Roberto Aparecido Alves Cardoso, o Champinha, liderou uma rebelião em uma Unidade Experimental de Saúde, administrada pela Secretaria de Saúde e Secretaria de Administração Penitenciária, na madrugada desta quarta-feira (4), na zona norte de São Paulo. As informações são da Record TV.

Acompanhado de outros dois detentos, o líder fez um enfermeiro refém ameaçando-o com um espeto. O grupo se trancou na enfermaria do local para reivindicar mais direitos e comodidade na reclusão.

Champinha ficou conhecido pelo sequestro e morte do casal, Liana Friedenbach, na época com 16 anos, e Felipe Caffé, que tinha 19, em 2003. Liana ainda foi abusada várias vezes pelo próprio Champinha e os comparsas. Quando foi preso, Champinha era menor de idade e foi para as dependências da Fundação Casa, onde poderia permanecer por até três anos.

Porém, passado esse período, o Ministério Público pediu sua interdição civil. Considerado sem capacidade psicológica de conviver em sociedade por sofrer de distúrbios mentais e desvio de caráter, a Justiça acatou o pedido do Ministério e ele foi encaminhado para a unidade experimental de saúde que fica dentro da Fundação Casa. A unidade é exclusiva para infratores com distúrbios mentais.

A rebelião já chegou ao fim e o enfermeiro foi resgatado sem nenhum dano de saúde. Em nota, a SES-SP (Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo) informa que o tumulto foi controlado em menos de meia hora e que os atendimentos multidisciplinares aos internos seguem sem qualquer anormalidade. Esclarece, ainda, que não pode divulgar qualquer detalhe sobre os internos lá atendidos por questões de segurança e porque as informações são mantidas sob sigilo de Justiça.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Hulkenberg disse:

    Quem lembra muito bem desse traste, é o presidente Bolsonaro.
    Era justamente esse vagabundo que a Maria do Rosário defendia, na discussão com o então deputado Jair Bolsonaro. Ele
    Responde processos até hoje, por causa desse troço ruim.

  2. Observador disse:

    Pai da menina morta é advogado. Contrario a redução maioridade penal. Basta pesquisar no google.

  3. VTNC disse:

    O estado deveria interna-lo na cidade dos pés juntos , lixo tem que ser descartado !

  4. Joao Maria disse:

    Tem que matar logo. Um escroto desse só dá prejuízo à sociedade. Vai acabar matando mais gente.

  5. SE AJEITE NÃO disse:

    Lembro sim, o menino de ouro de Maria do Rosário.

Estado é condenado a indenizar família de detento morto em rebelião no Presídio de Alcaçuz

Foto: Josemar Gonçalves/Reuters

A companheira e três filhos menores de idade de um detento morto e decapitado durante uma rebelião ocorrida dentro do Presídio de Alcaçuz em Nísia Floresta, no dia 14 de janeiro de 2017, serão indenizados pelo Estado do Rio Grande do Norte, com o pagamento da quantia de R$ 20 mil para cada um, a título de indenização por danos morais, mais juros e correção monetária.

A sentença é do juiz Bruno Montenegro Ribeiro Dantas, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Natal, que condenou, ainda, o Estado a pagar indenização material, sob forma de pensão mensal em favor dos filhos, condizente aos lucros cessantes que suportam diante da morte de seu pai, retroagindo esta obrigação à data do óbito.

Leia matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Charles disse:

    É uma imoralidade atrás da outra da nossa justiça, tem que indenizar às vítimas desses demônios. Oh Brasil véi bom pra bandidagem.

  2. Ivan disse:

    Decisão bem "cabulosa" essa…e a família da vítima desses badidos…fica como?

  3. Toni disse:

    PORRAAAAAAAAAAAAA!!!!!!! TÃO DE SACANAGEM COM A MINHA CARA E ISSO NÃO TO ACREDITANDO MERDA QUE PAÍS E ESSE AQUI BANDIDOOOOOOOO!!!!!! TEM VEZ TO MUITO PUTOOOOOO!!!!!!

  4. Aroldo Pontes disse:

    Quem tomou essa decisão deveria pagar do próprio bolso ou então levar a família desses vagabundos pra eles próprios sustentarem.

  5. Manoel disse:

    O PT está provando do próprio veneno, sempre defendeu a bandidagem, agora Fátima vai ter que pagar as famílias dos bandidos mortos.

  6. Só olhando disse:

    Que essa indenização possa ir para as vitimas desses vagabundos.

  7. Lope disse:

    Aqui no Brasil o crime sempre compensa!!!!

  8. Marcel disse:

    Um absurdo. A alegação de que estava o preso sob a tutela do estado e por isso a família precisa de indenização é balela. Afinal de contas, não estamos todos sob a tutela do estado? Pq as vítimas destes marginais também não são indenizados da mesma forma? Com direito a pensão e tudo?

  9. Ricardo disse:

    E a(as) vítima (s) deste detento terá indenização?.

Rebelião deixa 52 mortos no presídio de Altamira, sudoeste do Pará

Detentos do Centro de Recuperação Regional de Altamira, no sudoeste do Pará, fizeram uma rebelião por cerca de cinco horas na manhã desta segunda-feira (29). De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), 52 detentos foram mortos, sendo 16 deles decapitados e o restante asfixiado. Dois agentes penitenciários, que chegaram a ficar reféns, foram liberados.

Uma briga entre organizações criminosas provocou a rebelião. Segundo a Susipe, internos do bloco A, onde estão custodiados presos de uma organização criminal, invadiram o anexo onde estão internos de um grupo rival. A Superintendência ainda não identificou os grupos.

Posteriormente, a sala foi trancada e os presos atearam fogo no local. A fumaça invadiu o anexo e alguns detentos morreram por asfixia, de acordo com a Susipe. A ação começou às 7h e terminou por volta das 12h.

Uma cúpula da Segurança Pública do Pará viaja para Altamira, para acompanhar o caso, na tarde desta segunda. A unidade prisional tem capacidade para 200 detentos, mas era ocupado por 311 presos.

Esse é o segundo maior massacre em presídios de 2019. Em maio, 55 presos foram mortos sob custódia do estado no Amazonas.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    Massacre ou Favor? Massacre seria se fossem inocentes. Os bandidos matadores de colegas fizeram grande Favor à sociedade.

ALCAÇUZ: Presos estariam organizando “revanche” aos membros do PCC, no Pavilhão 5

Foto: ZAPBG

Um áudio que seria de um agente de segurança circula nesta segunda-feira(16), fala de como teria ocorrido a carnificina no fim de semana na Penitenciária de Alcaçuz, e chama a atenção para a possibilidade um novo confronto e banho de sangue na unidade prisional, classificadas como “revanche e Batalha Final”.

Segundo o agente de segurança, presos de pelo menos dois pavilhões, que integram a fação Sindicato do Crime, planejam uma invasão ao Pavilhão 5, local em que se encontram todos os integrantes do PCC. O objetivo: a revanche e vingança ao ataque do sábado.

Em meio as fortes ameaças, em uma outra “corrente”, informações dão conta que presos nos telhados, que pertenceriam ao Sindicato do Crime, estariam exigindo transferência imediata de todos os integrantes do PCC.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Charles disse:

    Tá na hora da revanche. Precisamos desafogar o sistema. Pega fogo cabaré. Kkkkkkk

  2. Rng disse:

    É difícil para nós, cidadãos, saber se é motivo de alívio ou tristeza.
    Caso existam mais confrontos e mortos, mais números de mortes lá e consequentemente, não existiria uma resposta disso aqui fora?
    Estamos indefesos e com medo pelas ruas.
    Só no resta rezar pela nossa segurança.

    • Silvestre Medeiros disse:

      Não há dúvida, a falta de qualidade do ensino público brasileiro leva muitos a bandidagem. Quem não sabe pensar, não sabe ler e interpretar, não sabe somar, muito mal escreve, não tem muita chance no mercado de trabalho. Se não tem escola de qualidade, o resultado é a construção de presídios.
      Isso foi diagnosticado a mais de 100 anos e nessas terras o ensino não passa de discurso político.
      O PT criticou e critica o ensino, passou 13 anos no poder e não fez nada pela qualidade.
      O PT piorou o ensino, baixou as média de 7 para 5.
      O PT proibiu a reprovação para apresentar índices favoráveis aos órgãos internacionais;
      O PT criou cotas para colocar nas universidades alunos sem a menor condição em aprender;
      O PT NUNCA DIVULGOU o QUANTITATIVO de alunos que entraram com COTAS e DESISTIRAM dos cursos. O número é acima dos 60%, qualquer um dentro das universidades pode comprovar.
      A educação brasileira, assim como a segurança, a saúde e a economia precisa ser reinventada

  3. Conrado disse:

    Muito bem postado Breno Trindade:
    "Tinha uma lei na física que dizia que “toda ação tem efeito contrário e imediato”.
    O crime no Brasil mudou isso. Efeito imediato e contrário só quando bandido é preso ou morto.
    Se um bandido matar um cidadão, não há efeito contrário, muito menos imediato. Nossas leis estão aí para proteger e deixar em liberdade a bandidagem.
    Os direitos dos "manos" vencendo o Estado, o MP, a polícia militar e civil, calando o jornalismo, tirando o direito de defesa do povo. Quando falam que o Brasil precisa de uma radical mudança, diante de tais acontecimentos, começamos a entender a apoiar essa mudança"

    Infelizmente vivenciamos exatamente isso, por aqui, quem tem fez são os fora da lei, o cidadão de bem está acuado e sem direito de defesa. Começaram a tirar o direito de defesa do cidadão através da lei de desarmamento, "vendida como a solução para insegurança". Hoje temos os piores índices da história brasileira, é uma matança geral. As autoridades continuam fazendo de conta que "nada demais acontece" que "tudo está dentro da normalidade" e tome mortes, dentro e fora dos presídios.
    Sabe quando vai mudar? QUANDO MUDARMOS NOSSOS VOTOS, ESCOLHENDO REPRESENTANTE DE CARÁTER E MORAL FAMILIAR E SOCIAL

  4. Andinho disse:

    Não vai ter é nada, cachorro que muito late não morde.
    Se quisessem uma revanche o pau já tinha cantado no dia do confronto, que ficaram por 14 horas com o domínio completo da penitenciária.
    Querem é holofotes e tumultuar a segurança pública e eventualmente por conta disso conseguir uma fuga.
    A melhor coisa que aconteceu nos últimos 15 anos no sistema prisional do RN é esta briga de facções, que certamente ajudará a resolver o problema de superlotação dos presídios e fará uma grande faxina na banda podre da sociedade.

  5. joao marcelo disse:

    Isso é mais empolgante do que fim de novela das 9. O inferno é aqui

  6. ALEX disse:

    Pelo que vejo vai abrir mais vagas por lá……

Presos fazem nova rebelião no Pereirão em Caicó

Os presos da Penitenciária Estadual do Seridó, mais conhecido como “Pereirão”, iniciaram uma nova rebelião na unidade.

Pelo que o blog apurou, os detentos dos pavilhões A e B tentaram invadir o pavilhão E para vingar a morte de outro detento.

Fogo, quebradeira e muitos tiros são vistos e ouvidos por quem está de fora. Polícia Militar e agentes penitenciários já estão no local.

Governo do Maranhão confirma ao menos nove mortos e 20 feridos em rebelião

Ao menos nove presos morreram e 20 ficaram feridos nessa quarta-feira (9), durante rebelião no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís (MA). O saldo foi divulgado na manhã de hoje (10) pela Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap). A imprensa local, contudo, informa que o número de mortos pode ser maior. Três detentos já haviam sido mortos durante rebelião na mesma penitenciária, no começo do mês.

A Sejap informa que a Polícia Civil e a corregedoria da própria secretaria estão investigando as causas do motim. A Secretaria Estadual de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania (Sedihc) também está acompanhando o caso. A situação, hoje, está sob controle.

Em nota divulgada há pouco, a Sejap diz que, de acordo com informações preliminares, a última rebelião teria sido causada pela guerra de facções no presídio e o desmonte do bando conhecido como Bonde dos 40, um dos maiores do estado, com a prisão de 16 integrantes nesta semana, em ação da polícia em São Luís.

Ainda segundo a imprensa maranhense, o conflito na Casa de Detenção coincidiu com atos de vandalismo nas ruas de São Luís. Nas últimas horas, pelo menos dois ônibus foram incendiados e quatro veículos foram alvo de vandalismo.

A procuradora-geral de Justiça, Regina Lúcia de Almeida Rocha, reuniu-se na segunda-feira (2), com a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Minc, na sede do Ministério da Justiça, em Brasília, para debater a situação do sistema de segurança pública estadual. A representante do Ministério Público pediu o investimento do governo federal em ações que previnam a violência e combatam a impunidade.

No mês passado, o governo maranhense pediu o apoio do governo federal para combater a violência. Solicitou que, em caráter emergencial, o Maranhão fosse incluído no Programa Brasil Mais Seguro, que integra o Plano Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça. O programa visa, entre outras coisas, a combater as organizações criminosas e a melhoria do sistema prisional. Segundo o ministério, a solicitação ainda não foi atendida, o que deve ocorrer em breve.

Agência Brasil

Nove morrem e 11 ficam feridos durante rebelião em cadeia pública do Ceará

Nove detentos foram mortos e 11 ficaram feridos em uma rebelião ocorrida na madrugada desta segunda-feira (11) na Casa de Privação Provisória de Liberdade de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (CE). Segundo informações da Secretaria de Justiça e Cidadania do Ceará, o motim teria começado nos primeiros minutos desta segunda-feira, quando duas facções rivais começaram a brigar no interior do presídio.

A confusão aconteceu no Pavilhão 1, depois que um dos presos teria desrespeitado as regras internas, criadas pelos próprios internos, com relação a visitas, que acontecem aos domingos. O motim, pelo que foi apurado teria sido motivado pelo detento Carlos Pitombeira da Silva, que agrediu outros presos durante a visita de familiares. Isso foi diretamente de encontro às normas de convivência entre os presos imposta pelos presos, que não permite brigas quando os visitantes estão na cadeia. A rebelião, então, iniciou-se na madrugada desta segunda-feira, causando uma briga generalizada entre as duas facções rivais.

Homens do Grupo de Ações Táticas Especiais da Polícia Militar cearence, agentes penitenciários e agentes do Grupo de Apoio Penitenciário foram chamados para separar a briga, mas encontraram resistência das facções, que tocaram fogo em colchões. Essa, até então, acredita-se ter sido a causa da morte dos nove detentos, uma vez que peritos forenses alegam que as vítimas vieram a óbito devido a queimaduras ou asfixia.

Dos 11 que saíram feridos, três foram liberados após atendimento no maior hospital de emergência de Fortaleza, o Instituto José Frota (IJF). Oito presos permanecem internados com queimaduras graves correndo risco de vida. Eles tiveram mais de 40% do corpo queimado, segundo o plantão do IJF.

A Secretaria de Justiça identificou cinco dos nove mortos, até então: Antônio Maurício dos Santos Aguiar, Benedito Freitas Vieira, Jonathan de Oliveira Albuquerque, José Reinaldo de Lima e Paulo Roberto Pinto de Oliveira.

Carlos Pitombeira da Silva, que teria provocado a rebelião saiu ferido, e se encontra isolado no presídio. O clima é de tensão, mesmo com a rebelião tendo sido controlada no início da manhã desta segunda-feira.

Agentes penitenciários impedem fuga e controlam rebelião em Alcaçuz

Uma princípio de rebelião foi registrado hoje no presídio de Alcaçuz. A informação foi repassada pelo Sindicato dos Agentes e Servidores Penitenciários (Sindasp).

De acordo com o Sindicato, a rebelião foi iniciada no Pavilhão 01 de Alcaçuz, depois que os agentes penitenciários de plantão impediram uma fuga no pavilhão, que é o mais lotado da unidade.

Com a fuga abortada, os presos reagiram iniciando um motim, mas o tumulto foi controlado pelo Grupo de Operações Especiais (GOE).

O efeito cascata da rebelião contra Dilma no Congresso

Os partidos da base aliada em rota de colisão com a presidente Dilma Rousseff deram início a uma ofensiva ao Planalto com ameaças a ministros e desengavetamento de projetos que dão arrepios ao governo.

Escolhido pelo PMDB para relatar o Orçamento de 2013 depois do despejo da liderança governista no Senado, Romero Jucá (RR) trabalhará a favor da emenda constitucional que implanta o orçamento impositivo. A proposta obriga o governo a cumprir a lei orçamentária tal qual saiu do Congresso. Se aprovada, o governo não poderá, por exemplo, mexer nas emendas dos parlamentares. Neste ano, ao anunciar um corte R$ 55 bilhões no Orçamento, o ministro Guido Mantega (Fazenda) passou a tesoura nos R$ 18 bilhões destinados pelos senadores e deputados a obras em suas bases, justo num ano eleitoral.

O PR do líder no Senado, Blairo Maggi (MT), que anunciou o ingresso na oposição na quarta-feira, tentou ajudar PSDB e DEM ontem a convocar a ministra Miriam Belchior (Planejamento) à Comissão de Infraestrutura do Senado. A justificativa é banal: falar sobre a construção de uma siderúrgica no Pará.

Em outra via de retaliação, o PMDB prepara nos bastidores uma manobra para salvar as emendas parlamentares de 2013. A ideia é aproveitar a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano que vem e incluir no texto um artigo tornando compulsória a liberação de recursos para emendas.

Na LDO deste ano, a base aliada ensaiou um movimento para tornar obrigatório o atendimento aos políticos, mas não teve coragem de enfrentar a pressão do governo. Agora, com a crise instalada em todos os partidos, os defensores dessa proposta acreditam que sairão vitoriosos.

O prazo para as liberações de recursos em ano eleitoral se encerra em 30 de junho e a LDO tem de ser aprovada até 17 de julho. Como a expectativa geral é de que a base não será atendida nas liberações das emendas que tiveram o pagamento suspenso pelo governo, os patrocinadores da proposta acham que o combustível para a aprovação será a irritação redobrada dos aliados à véspera da eleição.

Rebelião em cascata. Os problemas para o Palácio do Planalto ultrapassam o PMDB e o PR. A bancada evangélica luta contra a autorização para a venda de bebidas alcoólicas dentro dos estádios de futebol durante a Copa da Fifa de 2014. O governo insiste que tem um acordo com a Fifa para liberar o álcool.

No PV, o desgosto é com o novo Código Florestal e a possibilidade de anistia a quem desmatou ilegalmente áreas de preservação permanente. Setores do PSB não digeriram a pressão do PT para a sigla apoiar a candidatura de Fernando Haddad à Prefeitura de SP. O PC do B cobra do PT apoio a candidaturas e uma diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O PDT luta para manter o Ministério do Trabalho.

Fonte: Estadão

Falta de comida provoca inicio de rebelião em Alcaçuz

Um princípio de rebelião na penitenciária estadual de Alcaçuz, no município de Nísia Floresta, foi registrado na noite desse domingo (15).

De acordo com o agente Joelson Garlucio, chefe da segurança do presídio, o tumulto aconteceu por falta da alimentação completa no jantar.

Na ocasião, a empresa responsável pelo fornecimento da comida não fez a entrega no presídio, obrigando os agentes penitenciários a fazerem um improviso distribuindo arroz, carne e um pão para cada apenado.

Segundo o chefe de segurança do presídio, irritados com a alimentação racionada, os apenados queimaram colchões, fizeram ameaças e promoveram um bate-bate dentro das celas.

Segundo o coordenador do sistema prisional do RN, José Olímpio, a situação em Alcaçuz já foi normalizada.

Com informações do DNonline

Presos da penitenciária de Caicó se rebelam. Tiros são ouvidos de dentro das celas

Os presos da Penitenciária Estadual do Seridó estão rebelados desde às primeiras horas da manhã desta sexta-feira, 23 de dezembro.

Eles protestam por causa da ida de detentos para o chamado “castigo”.

Ontem, um preso da tal cela, foi punido e seria encaminhado para o castigo que na verdade é o pavilhão “A”.

Por causa disso, os colegas de cela se revoltaram. Hoje pela manhã o tumulto teria se generalizado atingindo todos os pavilhões.

De acordo com informações de pessoas que trabalham no local, os apenados chegaram a quebrar cadeados e tentar invadir a cozinha.

Duas guarnições do GTC estão no presídio, além de policiais da ROCAM, Rádio Patrulha e da própria guarda da unidade.

Os policiais do GTC já usaram bombas de efeito moral.

Segundo as pessoas que moram próxmo ao local, tiros já foram ouvidos de dentro das celas.

*Fonte: Blog do Sidney Silva e Rosyvam Amaral

Pavilhão Rogério Coutinho Madruga inaugurado há menos de um mês tem primeira rebelião

Os presos do Rio Grande do Norte promoveram mais uma “quebra-quebra” dentro das unidades prisionais do estado. Desta vez, o local do motim foi o presídio Rogério Coutinho Madruga, que tem 88 detentos. Na tarde deste domingo (6), colchões e toda a estrutura hidráulica das celas foram destruídas pelos presos.

De acordo com a vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte, Vilma Batista, o motivo aparente para o motim foi a falta de regalias para os presos da unidade, que não têm acesso a equipamentos de som ou televisão e também não podem receber alimentação dos parentes. Hoje, em dia de visita, os detentos quebraram os vasos sanitários, chuveiros e as pias das celas e chegaram a tentar queimar os colhões, mas não conseguiram porque não havia isqueiros. Com isso, os detentos optaram por destruir o material.

Na opinião da sindicalista, a estrutura do novo pavilhão ainda não é adequada e a quantidade de agentes penitenciários é insuficiente. Além disso, ela acredita que a aplicação do novo regime, da forma como foi proposta, não poderia ser realizada da forma como ocorreu. “Tiraram os presos do pavilhão 4, onde eles faziam de tudo, e colocaram lá, sem estrutura médica, sem treinamento para os agentes para o novo regime”, ponderou Vilma Batista.

O grupo de intervenção formado por agentes penitenciários foi acionado não houve feridos. A situação na unidade já está controlada. A reportagem da Tribuna do Norte tentou o contato com a Coordenação do Sistema Penitenciário, mas não obteve êxito.

O pavilhão Rogério Coutinho Madruga foi inaugurado pela primeira vez em 2010, ainda na gestão do então secretário de Justiça e Cidadania Leonardo Arruda. Contudo, a unidade, que fica localizada na lateral do pavilhão 4 de Alcaçuz, foi interditada menos de um mês após a inauguração devido a falta de estrutura. Há menos de um mês o pavilhão voltou a receber os detentos.

Tribuna do Norte

Começa rebelião em penitenciária de Parnamirim

A Tribuna do Norte canta, mais uma vez, essa pedra: começou uma rebelião na Penitenciária Estadual e Parnamirim.

Embora a matéria da TN não traga ainda os motivos, não é difícil de presumir: condições, estrutura, superlotação.

Equipes da polícia se mobilizam para conter a movimentação e contabilizar os primeiros saldos do motim.

*Atualizado às 9h25: a rebelião foi gerada por um atraso no banho de sol dos apenados. Partes do pavilhão 2 ficaram inutilizadas. Cerca de 200 presos participaram do motim.

Secretária de Segurança acredita que ataques partiram de Alcaçuz

Tribuna do Norte

No final de uma semana marcada por duas rebeliões em presídios estaduais e ameaça de greve por parte de agentes penitenciários, uma série de atentados a ônibus instalou o caos na capital. O sistema de transporte público de Natal começou a parar por volta das 20h30. A Secretaria Estadual de Segurança Pública acredita, segundo o secretário Aldair Rocha, que os ataques partiram de Alcaçuz. “Tudo leva a crer que os ataques têm origem em Alcaçuz, por tudo o que tem acontecido desde quarta-feira, quando houve a rebelião”. No fim da noite de ontem, 16 presos foram transferidos de Alcaçuz para o Presídio Federal de Mossoró.

Foram registrado oito ataques a ônibus, que se estenderam das 14h até às 20h20. No roteiro de atentados, diferentes bairros da cidade, como Cidade Verde, Felipe Camarão, Brasília Teimosa e Golandim, além de uma ocorrência em Parnamirim. Os atentados foram coordenados, com maior concentração entre 14h e 16h30. Praticamente simultâneos, os ataques tiveram características comuns: homens a pé ou em motocicletas com recipientes contendo gasolina. Em alguns casos, o bandido ateava fogo a veículos parados. Em outros, os ônibus  eram incendiados durante o trajeto.

“São muito fortes os indícios de que as ações foram coordenadas, mas ainda não sabemos por qual motivo e o nível de envolvimento de grupos criminosos organizados”, disse Aldair Rocha, em entrevista coletiva. E complementou: “É uma realidade no país inteiro a existência desses grupos organizados dentro das prisões, tanto no nosso Estado quanto no resto do país. Também não é segredo a entrada de celulares nos presídios. Então, os indícios são fortes dessa participação dos presos de Alcaçuz”.

(mais…)

Rebelião em Alcaçuz tem 75 mulheres envolvidas

Vem da Tribuna do Norte a preocupante informação de que a rebelião em Alcaçuz conta com 75 mulheres.

O texto não informa se elas são reféns ou simplesmente aderiram ao motim. Hoje foi dia de visita íntima no presídio. 89 mulheres passaram por lá; 14 saíram.

A rebelião seria em face de os presos reivindicarem a volta do 4º pavilhão, interditado desde ontem por causa de uma tentativa de fuga.

Alcaçuz está daquele jeito.

Deputados liderados no PMDB rebelam-se contra Henrique Alves

Josias de Souza

Líder do PMDB da Câmara, o deputado Henrique Eduardo Alves (RN) jactava-se de ter produzido a união de sua bancada.

Em movimento inverso, o líder do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), passou a conviver com um grupo de “independentes”, logo batizado de G-8.

Pois bem. Para desassossego do Planalto, a unidade trombeteada por Henrique ganhou o adorno de um motim. Mal administrada, a rebelião pode produzir um G-38.

O Painel, editado pela repórter Renata Lo Prete na Folha, esmiúça a encrenca em três notas. Leia:

(mais…)