Saúde

3ª dose da vacina AstraZeneca produz forte resposta imune, diz estudo de Oxford, sobre eventual necessidade no futuro: “nenhuma exigência de que será”

Foto: © REUTERS/Dado Ruvic/Direitos Reservados

Uma terceira dose da vacina contra covid-19, produzida pela AstraZeneca com a Universidade de Oxford, produz forte resposta imune, disseram pesquisadores nesta segunda-feira (28), acrescentando que ainda não há evidências de que essa dose de reforço é necessária, especialmente devido à falta de vacinas em alguns países.

O estudo, da Universidade de Oxford, mostrou que uma terceira dose da vacina aumenta as respostas imunes de anticorpos e de células T. Ao mesmo tempo, a aplicação da segunda dose pode ser adiada para até 45 semanas após a aplicação da primeira e, ainda assim, levar a um aprimoramento da resposta imune.

O governo do Reino Unido diz que analisa planos para uma campanha de aplicação de doses de reforço no outono do Hemisfério Norte, com três quintos dos adultos já com as duas doses de vacinas contra covid-19 aplicadas.

Andrew Pollard, diretor do Grupo de Vacinas de Oxford, afirmou que as evidências de que a vacina protege contra as variantes existentes por um período sustentável significam que uma dose de reforço pode não ser necessária.

“Temos de estar numa posição em que podemos aplicar a dose de reforço caso isso se mostre necessário. Não temos, no entanto, nenhuma exigência de que será”, disse ele a jornalistas.

“Neste momento, com uma alta taxa de proteção na população do Reino Unido e nenhuma evidência de que isso foi perdido, aplicar terceira dose no Reino Unido, enquanto outros países têm zero dose, não é aceitável.”

Estudos anteriores mostraram que a vacina, criada pela Universidade de Oxford e licenciada pela AstraZeneca, tem eficácia maior quando o intervalo de aplicação entre as doses é ampliado para 12 semanas, em vez de quatro.

A pesquisa anunciada hoje foi divulgada sem a revisão de outros cientistas e analisou 30 participantes que receberam uma segunda dose tardia e 90 que receberam uma terceira dose. Todos os participantes tinham menos de 55 anos.

O estudo ajuda a amenizar preocupações de que vacinas contra covid-19 baseadas em vetores virais, como as da AstraZeneca e da Johnson & Johnson, possam perder sua potência se aplicações anuais forem necessárias, dado o risco de que o corpo produza resposta imune contra os vetores que carregam as informações genéticas da vacina.

“Tem havido algumas preocupações de que não poderíamos usa essa vacina num regime de doses de reforço, e certamente não é isso que os dados estão sugerindo”, disse a autora do estudo Tereza Lambe, do Instituto Jenner, de Oxford, à Reuters.

Agência Brasil, com Reuters

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro diz que Lula ‘só ganha na fraude’ e chama Renan Calheiros de ‘crápula’

Foto: Julio Nascimento/Presidência

Ao fim de uma semana em que uma pesquisa do Datafolha mostrou vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas eleições de 2022 e que a CPI da Covid indicar uma demora do governo federal em comprar vacinas, o presidente Jair Bolsonaro atacou nesta sexta-feira Lula e o relator da comissão, o senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Bolsonaro chamou Lula de “bandido” e disse que ele “só ganha na fraude”, ao mesmo tempo em que chamou Renan de “crápula” e criticou os trabalhos da CPI.

— Um bandido foi posto em liberdade, foi tornado elegível. No meu entender, para ser presidente. Na fraude. Ele só ganha na fraude o ano que vem — disse o presidente, durante evento de entrega de títulos de propriedade em Terenos (MS).

Bolsonaro fez referência à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que anulou as duas condenações que Lula havia sofrido, o que devolveu a elegibilidade ao ex-presidente. Uma pesquisa do Datafolha, divulgada na quarta-feira, indicou que Lula lidera as intenções de voto para 2022 e venceria Bolsonaro no segundo turno por 55% a 32%.

O presidente voltou a defender o voto impresso e disse que, caso o Congresso aprove a proposta, “outros Poderes” terão que respeitar, em referência ao STF, que já considerou inconstitucional proposta semelhante.

— E eu tenho falado, se o Congresso Nacional votar e promulgar uma PEC do voto impresso, teremos voto impresso no ano que vem. Eleições dali para frente, só com o voto impresso. Eu respeito as decisões do Parlamento brasileiro. Os outros Poderes também têm que respeitar.

No mesmo discurso, Bolsonaro também criticou a composição e o escopo da CPI da Covid, destinada principalmente a investigar omissões do governo na pandemia. Sem mencionar o nome de Renan Calheiros, o presidente lembrou declaração em que o relator disse que o objetivo principal da comissão não é investigar falta de recursos.

— Faz uma CPI com aquela composição que puxa vida, para não falar puxa outra coisa, para apurar omissões no governo federal. Mas na hora de convocar governadores, ela é contra. E o crápula ainda diz: “essa CPI não é para investigar desvios de recursos”.

Nesta semana, o ex-presidente da Pfizer no Brasil Carlos Murillo e o ex-secretário de Comunicação Fabio Wajngarten prestaram depoimento e relataram a demora do Brasil em responder as ofertas de vacinas feitas pela farmacêutica.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Começou o Mimimi da anta…. já está sentindo a batata dele queimando. Não ganha mais nem para presidente de Grêmio estudantil.

  2. O desespero chegou!
    E ainda falta mais de um ano pra eleição…kkkkkkk
    Vai endoidar até lá…chora mais Bozo, chora mais que tá lindo de ver…🤣🤣🤣

  3. A esquerda vai a loucura com a verdade. A verdade é o pior remédio contra a esquerda, com a devida comprovação científica.
    A turma da bandidolândia continua apoiando seus corruptos de estimação.
    Nem precisava tanto, 85% do Brasil sabe, sem qualquer dúvida as condutas do ex presidente de de Renan Calheiros que já traiu 05 Presidentes e sempre foi para onde era melhor e dava mais lucro.
    Se existe dúvida quanto a toda corrupção existente entre 2002 e 2016 é bom o sujeito procurar um psiquiatra, talvez tenha salvação com uso de choque e remédios controlados. Talvez, ainda dê tempo, mas acho difícil.

  4. 30 anos de mandados conquistados com o sistema fraudulento???? Foi isso que eu entendi??? Ou eu entendi errado??? Acho então que quem ganhou a eleição pra presidente em 2018 foi Haddad…..Será????

  5. É o próprio flautista de Hamelin tupiniquim. O gado adora.
    Toca o berrante, seu moço.

    1. Q desespero por esse voto impresso… tanta coisa pra fazer e esse homem só fala nisso de voto impresso… isso é no mínimo intrigante…pra bom entendedor meia palavra basta.

    1. Bangú é para CORRUPTOS condenados por corrupção em todas as instâncias, para quem rouba do cofres públicos, para quem comanda os MENSALÕES e PETROLÕES, para quem governa o país gastando BILHÕES em Copa do Mundo e Olimpíadas enquanto os hospitais públicos estavam super lotados e sem condições de atender a população.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pesquisa exclusiva CNN/Instituto Real Time Big Data mostra Bolsonaro em 1º, dez pontos à frente de Lula em eventual disputa em 2022

Fotos: Reprodução/CNN

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aparece na liderança das intenções de voto em pesquisa realizada pela parceria CNN/Instituto Real Time Big Data sobre as eleições presidenciais de 2022.

O levantamento indica Bolsonaro com 31% dos votos, dez pontos percentuais a mais que o segundo colocado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP). A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Este é o primeiro levantamento após a decisão do ministro Edson Fachin de anular as condenações de Lula na operação Lava Jato, o que o torna elegível para as próximas eleições.

A pesquisa traz como possível cenário para a eleição presidencial uma disputa entre oito candidatos. Atrás de Bolsonaro e Lula, há um empate técnico no terceiro lugar entre quatro candidatos: Sergio Moro (10%), Ciro Gomes (9%), Luciano Huck (7%) e João Doria (4%).

Os possíveis candidatos João Amoêdo e Marina Silva também empatariam tecnicamente, segundo a pesquisa. Amoedo registou 2% das intenções de voto e Marina Silva somou 1%.

Votos brancos e nulos somam 12%, enquanto 3% disseram que ainda não sabem como irão votar ou não responderam.

Segundo turno

Foto: Reprodução/CNN

Considerando o cenário de um segundo turno entre os candidatos que lideram a pesquisa, Bolsonaro e Lula, a pesquisa estimulada registrou 43% das intenções de votos para o atual presidente, e 39% para o ex-presidente Lula.

Levando em conta a margem de erro de três pontos percentuais, eles estão tecnicamente empatados no segundo turno.

Ainda considerando um possível segundo turno em 2022, a pesquisa aponta que votos brancos e nulos somam 15%. Já 3% dos entrevistados não sabem ou não responderam essa etapa da pesquisa.

Decisão de Fachin

A pesquisa foi conduzida entre os dias 8 e 9 de março, após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin anular, em decisão monocrática, as condenações de Lula definidas pela 13ª Vara da Justiça Federal em Curitiba.

Os entrevistados foram questionados se concordam com a decisão do ministro em anular as condenações do ex-presidente Lula. Os resultados mostram que 36% do público concorda com a decisão de Fachin, enquanto 54% não concordam. 10% não sabem ou não responderam.

Condução da pesquisa

A pesquisa ouviu 1.200 pessoas de todo o Brasil, sendo que a margem de erro é de três pontos (para mais ou para menos) e o nível de confiança é de 95%. Isto significa que se a mesma pesquisa fosse feita 100 vezes, o resultado seria o mesmo, dentro da margem de erro, em 95 oportunidades.

A metodologia adotada foi a quantitativa, realizada via abordagem telefônica, com entrevistadores humanos. A divisão regional da pesquisa foi realizada por setores:

Setor 1 – Sul (15%)

Setor 2 – Sudeste (42%)

Setor 3 – Nordeste (28%)

Setor 4 – Norte / Centro-Oeste (15%)

A pesquisa não é registrada no Tribunal Superior Eleitoral, pois a lei só permite registro em período eleitoral.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O egocentrismo exacerbado de Lulla destruiu seu capital político, hoje ele não passa de uma figura desgastada, com um apego exagerado pelo poder, seu discurso já não encanta mais, pois vimos que a prática é diferente. Não quero nem levar para o mérito das acusações e dos processos.

  2. É uma vergonha o q o deputado Francisco do PT postou no seu Instagram dizendo que LULA foi absolvido dos crimes que praticou. Trouxe Desinformação aos desavisados e informação aos PTJegues.

  3. LULA TÁ MORTO POLITICAMENTE.
    É UM LADRÃO QUE SÓ A PATOTA DOS DESACREDITADOS DO STF E MILITONTOS PROTEGER.
    NAS URNAS JÁ PERDEU TRÊS VEZES, AGORA O POVO SABENDO QUEM ELE É, PERDE FEIO, LUGAR DE LADRÃO É NA CADEIA.
    QUEM QUER A VOLTA AO PODER DE.
    ZE DIRCEU
    DELUBIO SOARES
    etc etc etc…
    Deus nos livres dessa gente desonesta.
    Vai voltar o roubo??
    Vai voltar os investimentos nos países vizinhos comandados pela Odebrecht??
    Não acredito, esse não é o sentimento da grande maioria dos brasileiros, esse corrupto do Lula nem em segundo lugar chega.
    Mito reeleito em primeiro turno.
    Não temos adversário.
    Pode vir, quem vier.

  4. Lula foi liberado tem nem 48 hs e já empatou! kkkkk Segura as pregas aí Bolsominions. Ficou com raiva, morde as costas. É Lula de novo com a força do Povo!

  5. O tiro saiu pela culatra, elegeram o Mito 2022 sem esforço nenhum…. pobre esquerda que vibra com bandido livre! Coitados…

  6. Queria uma urna agora para votar novamente no MIIIIIIIITOOOOO, Vida longa ao rei !
    Petralhas nunca mais !

  7. Kkkkk!
    Vai ser a mesma diferença de votos entre o Presidente Bolsonaro e o Poste.(Hadad). O presidiário vai levar uma pancada tão grande, que vai deixar até de beber. Esse percentual, vai se repetir sempre. É o número de pessoas idiotas, acéfalas e ou corruptas mesmo, que existem em todo lugar. Aqui no Brasil, a quantidade é essa aí; infelizmente!
    Bolsonaro 2022!!!!

  8. O Bozo vai ganhar fácil. Eu votaria no Moro, mas para aniquilar no 1° turno vou logo em Bolsonaro. Dados de 2° turno: Bolsonaro 43% x Lula 39%; Bolsonaro 46% x Hulk/Globo 31%; Bolsonaro 44% x Ciro 35%. O pobre do Dória tranca rua nem aparece no mapa. Tem 4%.

    1. poderei votar em Sérgio Moro no 1° turno. para derrubar esse COVID22!
      Votando em Sérgio Moro, anula se essa polarização! se queremos um Brasil novo, temos que votar em algo novo!!

    2. Essa questão de polarização é narrativa. Desde de 1988 as eleições no Brasil são entre dois candidatos. A decisão sempre estará entre dois polos. O centro no Brasil é o PSDB, uma esquerda camuflada. Nunca voto no o PSDB, nessa turma do Aécio, Dória, Serra, Alckmin e Rodrigo Maia

  9. Nenhum eleitor de Bolsonaro acredita em pesquisa. Essa armação nós já conhecemos muito bem. Quando chega na reta final das eleições começam a manipular os números para influenciar os eleitores indecisos e que não querem perder o voto. Nunca é demais lembrar que os institutos de pesquisas diziam que Bolsonaro perdia no segundo turno para qualquer candidato e vejam que o mesmo ganhou do quadrilheiro por mais de 10 milhões de votos.

  10. Dentro da margem de erro hj. Com os efeitos da decisão do STF, Lula passa a frente e fora da margem de erro.

  11. Quando o presidente começa a falar as besteiras dele começa a contagem regressiva pra ele pegar o beco.

    1. Aquele que derrotou toda turma da corrupção junta.
      Aquele que se elegeu gastado 5% de seu adversário direto, que gastou bilhões numa campanha mentirosa.
      Aquele que representa 80% do povo brasileiro.
      Aquele que não tem na corrupção sua marca de governo.
      Aquele cuja esposa não vai deixar uma herança de R$ 72 milhões sem nunca ter trabalhado.
      Aquele que não é amigo de ditadores e manda recurso público a Cuba, Argentina, República Dominicana, Venezuela, Bolívia países com ditadores e falidos.

    2. João do Povo, como ele representa 80% do povo, se ele foi eleito com 55% dos votos. Vai estudar matemática mané.

  12. Tomara que esse bandido de nove dedos possa mesmo se candidatar e levar uma surra só assim ele acaba de vez já que não tem justiça mesmo.

    1. Tá tristinho? Fica tristinho não. Quando elegermos o Lula presidente você vai poder voltar a comer carne. Bote fé ? Vote 13

  13. Todos sabem que a eleição vai para o segundo turno e segundo essa pesquisa os dois estão empatados, imagina vcs, em apenas dois dias que os brasileiros sabem que Lula poderá concorrer, segura as lágrimas extrema direita vcs irão perder
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Não têm quem tome de lula na próxima. Uma vergonha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Ministério Público junto ao TCU pede que Petrobras interrompa troca de comando até Corte julgar se Bolsonaro interferiu na empresa

Foto: Arquivo/Agência O Globo

O procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, entrou com representação para que a Corte determine, em caráter cautelar, que a Petrobras não realize qualquer atividade relacionada ao comando da empresa até que o órgão julgue se o presidente Jair Bolsonaro interferiu na estatal.

O Conselho de Administração da empresa está reunido nesta terça-feira para avaliar a troca do atual presidente, Roberto Castello Branco, pelo general Joaquim Silva e Luna, atual líder de Itaipu, anunciada por Bolsonaro na semana passada, entre outros temas.

O pedido se estende também à decisão do presidente Jair Bolsonaro em reduzir impostos federais sobre os combustíveis e o gás de cozinha sem apontar de onde viriam as receitas para cobrir essa renúncia fiscal.

Indícios de ‘sobreposição de interesses particulares’

Na avaliação do procurador, as medidas tomadas pelo presidente Bolsonaro são indícios de “sobreposição de interesses particulares com fins eleitoreiros ao interesse público e desvio de finalidade do ato administrativo, com ofensa aos princípios constitucionais da legalidade e da moralidade”, diz trecho do pedido.

Entenda: Como Bolsonaro conseguiu demitir Castello Branco apesar da resistência do Conselho da Petrobras

Furtado solicita que o TCU avalie os motivos da substituição do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, pelo general Joaquim Silva e Luna, anunciada na última sexta-feira por meio de redes sociais de Bolsonaro.

Também questiona as razões do corte nos impostos federais sobre o gás de cozinha e o diesel, além de realizar controle prévio a fim de conhecer os interesses de Bolsonaro ao dizer que vai “meter o dedo na energia elétrica”.

‘Minha preocupação se acentua ao notar que há indícios de interesses do atual governo em intervir politicamente em outras empresas estatais’, diz o procurador.

No representação, Furtado conclui:

“Fazendo-se presentes, no caso ora em consideração (…) determine V. Ex.ª, o Plenário do TCU ou o relator desta representação, em caráter cautelar, que a Petrobras se abstenha de realizar qualquer atividade relacionada ao comando da empresa, em especial relacionada a troca de pessoas no posto de presidente da estatal, até que o Tribunal decida sobre o mérito da questão”.

Abertura de processo

O pedido foi apresentado nessa segunda-feira. O próximo passo será a abertura de um processo junto à área técnica do TCU.

No entendimento de um interlocutor, há limites na atuação do TCU sobre a conduta de presidente da República, pois quem julga as contas do governo é o Congresso.

Mudou de tom: Em programa de campanha, Bolsonaro dizia que Petrobras deveria seguir flutuação internacional de preços

Contudo, a expectativa é que as medidas tomadas pelo presidente no caso específico da Petrobras devem analisadas em procedimento específico porque há maneiras de trocar o comando de uma estatal sem causar prejuízos a empresa e gerar ruídos e desconfiança no mercado e entre investidores.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Eles querem tomar o governo na marra.
    É a síndrome de abstinência do dinheiro público que está chegando no limite.

  2. Exatamente como aconteceu com o governo Dilma, o estrago já foi feito. E não se resume à Petrobras mas ao extermínio da pouquíssima credibilidade que ainda restava ao presidente que, assim como traiu seus projetos eleitoreiros relacionados à justiça, com aparelhamento dos principais órgãos de combate à corrupção , mostra agora que o liberal que dizia ser, nunca existiu, foi só outra mentira pra se eleger. RIP Bozo.

  3. Mudar dirigentes de estatais é prerrogativa do Presidente. Os inconformados que engulam o Mi-mi-mi.

  4. Simples, isso estava claro que iria acontecer porque tem muito pessoa do MP Que tem parentes ou são donos de posto de gasolina.

  5. Quando medo ó, quando pavor… A esquerda em mais um estado explícito de pânico.
    Quem tem medo, tem sujeira a esconder.
    Só lembrando:
    FHC trocou 3 presidentes da petrobrás;
    Lula trocou 2 presidentes da petrobrás e depois foram condenados por corrupção;
    Dilma trocou 3 presidentes da petrobrás e respondem a processo por corrupção;
    Temer em 02 anos trocou 02 presidentes da Petrobrás.
    Será mesmo que a petrobrás tem a tal "caixa preta" de coisinhas impublicáveis?

    1. XILINDRO PARA ESSA FAMÍLIA DE BASTARDOS LADROES
      FORA PILANTRAS
      FORA BOLSOTRALHAS

  6. Agora deu mesmo, é ou não é prerrogativa do presidente nomear-se exonerar o presidente de estatal ?

    1. Acho que deveriam acabar com esse cargo de presidente. O cara não manda em nada. Só mandava os da esquerda. Tudo que o cara quer fazer um partido de esquerda entra com uma ação na justiça e a justiça barra. Pra que serve um cargo desse?

    2. Só quem pode é a esquerda. A esquerda pode tudo. Isso já ficou bem claro há tempos.
      Quando é cortada as tetas de alguém, que a grande maioria lá entrou na época da esquerda, eles começam a espernear.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Favorito para ser eleito presidente da Câmara, Arthur Lira deve anular eventual pedido impeachment se Rodrigo Maia assinar nesta 2ª feira

Foto: Sérgio Lima/Poder360

O favorito para ser eleito presidente da Câmara nesta 2ª feira (1º.fev.2021), Arthur Lira (PP-AL) deve anular a eventual assinatura de um pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro que seja despachado hoje por Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O Poder360 apurou que o caminho a ser seguido por Lira sustentará a argumentação, um tanto controversa, de que Rodrigo Maia somente poderia ter tomado esse tipo de decisão até domingo (31.jan.2021). Para o grupo que apoia Lira, a única função a ser desempenhada hoje por Maia é convocar e presidir a sessão preparatória na qual será eleito o novo presidente da Câmara.

Por essa tese, poderá ser anulada qualquer decisão de Maia, excluindo a sessão que vai escolher o novo presidente da Câmara.

Se Rodrigo Maia realmente assinar o pedido de impeachment e Arthur Lira vier a ser eleito, são reais as chances de o eventual processo (ou anulação do processo) contra Bolsonaro ser contestado no STF (Supremo Tribunal Federal).

Uma leitura da Constituição e do Regimento Interno da Câmara indica que é difícil sustentar essa tese.

No artigo 57 da Constituição está escrito apenas o seguinte, em seu parágrafo 4º: “Cada uma das Casas [Câmara e Senado] reunir-se-á em sessões preparatórias, a partir de 1º de fevereiro, no primeiro ano da legislatura, para a posse de seus membros e eleição das respectivas Mesas, para mandato de 2 (dois) anos, vedada a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente”.

O Regimento Interno da Câmara dos Deputados estabelece o seguinte em seu artigo 6º (o que mais chama a atenção é o parágrafo 3º):

“Art. 6º No terceiro ano de cada legislatura, em data e hora previamente designadas pelo Presidente da Câmara dos Deputados, antes de inaugurada a sessão legislativa e sob a direção da Mesa da sessão anterior, realizar-se-á a eleição do Presidente, dos demais membros da Mesa e dos Suplentes dos Secretários.

1º (Revogado).
2º (Revogado).
3º Enquanto não for eleito o novo Presidente, dirigirá os trabalhos da Câmara dos Deputados a Mesa da sessão legislativa anterior”.

Há um entendimento consolidado no STF segundo o qual o Tribunal não deve se envolver em assuntos internos dos outros Poderes. Ou seja, por essa tese, não caberia ao Supremo se posicionar sobre se Rodrigo Maia teria ou não poderes para tomar decisões hoje como presidente da Câmara, inclusive assinando o pedido de impeachment de Bolsonaro.

No domingo (31.jan.2021), Rodrigo Maia ameaçou assinar algum pedido de impeachment contra Bolsonaro depois que a Comissão Executiva Nacional do Democratas decidiu não entrar no bloco de apoio ao deputado Baleia Rossi (MDB-SP) para presidir a Câmara. Em seguida, ao saber da decisão do DEM, o PSDB também optou por não participar do grupo pró-Baleia.

Poder 360

Opinião dos leitores

  1. Aguardem, os escândalos ainda não começaram. Vocês vão ver o que pessoas à margem da lei são capazes de fazer com esse já desacreditado congresso nacional. Vai pegar fogo o c—–.

  2. Tá tudo dominado. Não foi a toa que o MINTOmaníaco distribuiu tantos recursos e cargos pro centrao… Vamos ver se disso vem alguma reforma que ajude o país a se reerguer.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap emite nota de esclarecimento sobre eventual “perda” de vacinas contra covid durante campanha de imunização no RN

NOTA
Natal (RN), 20 de janeiro de 2021

A Secretaria de Estado da Saúde Pública esclarece que esse valor de perda operacional é estabelecido em norma técnica tanto federal, conforme pode ser consultado no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, como estadual, e que no próprio transporte realizado pelo Ministério da Saúde pode ocorrer.

A Sesap destaca que mesmo sendo considerada, essa perda pode não acontecer, o que permitirá ampliar a distribuição das doses e mais pessoas que estão previstas como prioridade nessa primeira etapa da fase 1 podem ser vacinadas.

É importante também esclarecer que uma perda operacional pode se dar pela quebra de algum frasco do imunobiológico em caso de transporte inadequado, por acidente em alguma sala de vacina resultando em quebra de frasco, ou em decorrência de oscilação da temperatura de armazenamento, inviabilizando o uso das doses.

Este percentual em estoque, indicado pelo Programa Nacional de Imunização, torna-se imprescindível para que se possa repor as doses que por ventura possam ser “perdidas”, visando garantir a vacinação do público estimado nesta etapa. Cabe lembrar ainda que o sistema RN+ Vacina prevê o monitoramento e auditoria da perda técnica de imunobiológicos para a Covid-19.

Opinião dos leitores

  1. Ô povo pra conversar besteira! Vão estudar, comedores de capim. Essa perda possível e prevista está relacionada com fatores alheios aos simples desejos dos gestores. Cada dia mais me envergonho dessa espécie ignorante, mais conhecida como gado.

  2. Fátima do PT faltou com a verdade quando disse que o Estado estava preparado pra receber a vacina.
    Um lote aparentemente pequeno, ja vai haver desperdício imaginem um lote maior.
    Esse governo é fraco e mentiroso.
    Lamentável.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Não é momento de discutir um impeachment, diz Maia

Foto:  (Marcos Corrêa/PR/Flickr)

Com mais de 60 pedidos de impeachment à espera de uma avaliação sua, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não descartou a possibilidade de abertura de um processo para destituir Jair Bolsonaro da Presidência da República no futuro, mas disse que, no momento, o foco do Legislativo deve ser o combate à pandemia. Ele afirmou ainda que uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) poderá ser aberta para investigar ações e omissões do governo no enfrentamento do coronavírus.

“Nesse momento, com tantas vidas perdidas pelo Brasil, com o caso dramático de Manaus, esse tem de ser o nosso foco. Não que o tema do impeachment, em algum momento no futuro, não deva entrar na pauta, ou uma CPI para investigar tudo o que aconteceu na área de saúde durante a pandemia, mas acho que nesse momento, a gente tiraria o foco do enfrentamento do coronavírus”, disse Maia.

Com Exame

Opinião dos leitores

  1. Antes cedo do que tarde, ninguém aguenta mais dois anos com esse incompetente, desqualificado.
    Pior que o COVID-19, é termos o Brasil nas mãos deste louco.

  2. NÃO exister momento pra isso.o governo Bolsonaro completou dois anos sem escândalos de corrupção.
    E o povão sabe disso, se engana quem pensar diferente.
    Kkkk
    Chupa nhonhom.
    Kkkkķ

  3. Bem colocado ! Não gosto de Rodrigo mas ele tem razão. Lutei tanto na Campanhia de Bolsonaro, mas ele cada dia é uma decepção nova.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Jorge Jesus tem acordo com o Benfica por 7 milhões de euros anuais, noticia imprensa portuguesa

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Jorge Jesus já terá acordo com o SL Benfica para se transferir ainda esta temporada, avança o Correio da Manhã. O treinador do Flamengo e Luís Filipe Vieira deverão reunir-se nos próximos dias para discutir os pormenores do contrato do técnico português.

A mesma publicação adianta que Jorge Jesus terá direito a um salário de 3,5 milhões de euros anuais limpos, cerca de sete milhões de euros brutos.

Embora tenha renovado recentemente com o Flamengo, Jorge Jesus nunca excluiu um eventual regresso ao Estádio da Luz. A incerteza em relação às competições na América do Sul levam o veterano treinador a repensar a saída do emblema do Rio de Janeiro. O futebol volta a ficar suspenso esta quinta-feira, após o jogo da final do Campeonato Carioca. Além disso, ainda não há data para a realização da Taça Libertadores.

Perante este panorama, Jesus deverá abandonar o Brasil após o jogo da final com o Fluminense. De acordo com o CM, Bruno Macedo é o emissário que tem liderado as negociações com o Flamengo por Jorge Jesus.

O Record escreve que Jesus está à espera de saber quais as condições que os ‘encarnados’ têm para lhe oferecer. O técnico de 65 anos quer ainda garantias de que terá condições para decidir sobre a política de contratações e dispensas, escreve o diário desportivo.

Jesus esteve seis épocas no Benfica, tendo ajudado a equipa a conquistar três títulos de campeão nacional. Depois de sair das ‘águias’, em 2015, o treinador mudou-se para o Sporting, onde esteve três temporadas antes de se juntar ao Al Hilal, da Arábia Saudita. Está no Flamengo desde 2019, onde conquistou o Campeonato Brasileiro, a Supercopa, a Libertadores e a Recopa Sudamericana.

Zap Aeiou

Opinião dos leitores

  1. Bora mister!!
    Se decida portuga.
    Renato Gaúcho ta labemdo uma rapadura pra ir pro Mengão.
    Kkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

‘Com Moro de vice, Bolsonaro ganha no primeiro turno’, diz ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos

Foto: Adriano Machado / Reuters

Articulador político do Palácio do Planalto, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, avaliou que uma dobradinha entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça, Sérgio Moro, seria imbatível na disputa de 2022. “Eu falei para o presidente que, se hoje ele fosse tentar a reeleição, com Moro de vice, ganhava no primeiro turno, disparado”, afirmou Ramos ao Estado, sem mencionar o atual vice, Hamilton Mourão.

O general disse, porém, que Bolsonaro não enxerga essa possibilidade. “Ele não vê nada disso.” Ex-juiz da Lava Jato, Moro enfrenta resistências para emplacar o pacote anticrime no Congresso e é alvo de questionamentos, mas ainda mantém a popularidade e foi aplaudido de pé, anteontem, em show do cantor Roberto Carlos, em Curitiba.

O governo prepara uma reforma ministerial?

O presidente ficou um pouco contrariado com notícias que saíram sobre isso. Ele brincou comigo: “Ramos, eu vi logo que era fake news porque seu nome não estava lá (entre as possíveis mudanças)”.

Mas, nos últimos dias, muitos pediram, por exemplo, a cabeça do ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Quando acontece isso, aí é que ele não tira. Se o presidente tiver interesse em mudar, (será) no ano que vem… Agora é chance zero de isso ocorrer.

O “ano que vem” já está aí…

Eu digo março, abril.

Mas o ministro Weintraub não exagera nas redes sociais?

Sim, mas… Até o general Fernando (Fernando Azevedo, ministro da Defesa) ficou chateado com aquela postagem do Dia da República, que ele botou o Deodoro da Fonseca ao lado do presidente Lula (no Twitter, Weintraub chamou a Proclamação da República de “o primeiro golpe de Estado no Brasil”). Agora, ele tem de responder pelo que fala. Eu não posso falar nada. Tenho 72 mil seguidores, mas não ligo para esse bichinho aqui (aponta para o celular). Você tem de tomar cuidado com o que escreve e posta, porque pode cometer um erro grosseiro, ofender pessoas.

Essa situação preocupa?

Esquece o Weintraub. Estamos vivendo, graças a Deus (bate na mesa três vezes), um momento feliz, de muita serenidade nas mídias sociais.

Sem o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) nas redes…

Vocês é que falaram, não fui eu. Não estou dizendo que o Carlos está fora, nada disso.

É uma coincidência?

Eu não sei.

O governo adiou o envio da proposta de reforma administrativa ao Congresso por medo de protestos de rua?

Não. O Paulo Guedes (ministro da Economia) ficou chateado, mas o presidente achou que este projeto agora ia dar ruído. Havia coisas que iam bater no Judiciário e ficaram algumas pontas soltas. A reforma será apresentada com melhoramentos.

Por que o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro, não avançou no Congresso?

Eu acho que não correspondeu ao clamor da sociedade. Mas o ministro Moro tem razão. Eu, por exemplo, tive um sobrinho de 31 anos assassinado numa saidinha de banco, no Rio. Agora teve um sargento assassinado porque o bandido queria o celular.

O ministro Moro poderá ser vice numa chapa liderada pelo presidente Bolsonaro, em 2022?

Eu falei para o presidente que, se hoje ele fosse tentar a reeleição, com Moro de vice, ganhava no primeiro turno, disparado. Mas o presidente não vê isso como uma possibilidade. Mas não vê porque não vê nada disso (risos). Seria importante ele ter, sim, um novo mandato para arrumar a casa. Sinceramente, em quatro anos não dá para consertar tudo.

O ex-presidente Lula ainda pode ser o principal adversário de Bolsonaro, caso volte a ficar elegível?

Ué, mas ele não foi condenado de novo? Pergunta difícil, mas eu acho que não. Lula saiu com muito ódio (da prisão). Passou do ponto.

O que o sr. acha de propostas que tramitam no Congresso para retomar a prisão após condenação em segunda instância?

Sou da opinião do ministro Moro: é necessário retomar a segunda instância para a segurança pública e a jurídica. Temos o sentimento de impunidade pela quantidade de recursos que existem. Esquece o presidente Lula. Vamos falar de traficantes, assassinos… Olha o tanto de gente que foi solta.

O Supremo Tribunal errou?

Não. Só que tomou uma decisão, em 2018, de manter a segunda instância e, um ano depois, mudou. Quem é que mudou o voto ali? Rosa Weber. O que houve? Pressão? Não sei.

O presidente corre o risco de não conseguir aprovar no Tribunal Superior Eleitoral a Aliança pelo Brasil a tempo de o novo partido disputar as eleições municipais. Isso não pode prejudicar o projeto de reeleição?

É muito cedo para traçar qualquer quadro. O partido pode não concorrer (em 2020), mas isso não quer dizer que o presidente não possa ter candidato na eleição nem que esse nome não possa mudar para a Aliança depois. Não façam uma leitura equivocada de um craque na política. Prefeito pode mudar de partido.

E quem ele vai apoiar em São Paulo?

Só acho que não vai apoiar a Joice Hasselmann (deputada do PSL e ex-líder do governo no Congresso), pelo que houve. É dedução minha, porque em política acontece muita coisa.

Em recente reunião, deputados do Centrão ameaçaram travar votações, caso o governo não pagasse emendas nem liberasse cargos. Como resolver isso?

Já resolvemos, graças a Deus. Confesso que, no dia dessa reunião, havia um déficit e não sabíamos como resolver. Diziam assim: “O senhor não pode ir lá. Vai enfrentar os leões do Centrão?”. Eu respondi: “Qual é o problema? Participei de negociação no Haiti, Copa, Olimpíada, pancadaria. Ninguém vai bater em mim”. Logo depois, o presidente determinou que o Paulo Guedes desse uma solução, com R$ 2 bilhões para a Câmara e R$ 400 milhões para o Senado. Até o fim do mês, cada parlamentar receberá os seus R$ 20 milhões em emendas para sua base eleitoral.

E isso não é toma lá, dá cá?

Espera aí. No início do governo foi dito que, para esse ano, teríamos a reforma da Previdência e outras pautas. Então, houve esse acordo. O deputado do Paraná, por exemplo, foi eleito por causa de municípios, que exigem dele recursos para hospitais, colégios, etc. Se no passado isso permitia desvio, é outra coisa. Nós exigimos projeto. Agora, só vão votar se der o dinheiro? Eu acho que não. Na MP 890 (que instituiu o programa Médicos pelo Brasil) houve mesmo um pouco de pressão. Faz parte. A democracia é assim.

Mas há fogo amigo na relação entre o sr. e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, por causa da articulação política.

Não existe fogo amigo entre mim e Onyx. Esquece. Eu gosto muito do Onyx e estou dando continuidade ao excepcional trabalho realizado por ele. Peguei um trem em movimento. Não sei quem é que faz a intriga, mas o meu setor não é.

O governo vai agora apoiar a abertura de cassinos no País?

O presidente disse que tem de debater a ideia com a sociedade, com os evangélicos. Uma coisa é abrir um cassino em Brasília, que não faz sentido. Outra é na Amazônia, em uma área que precisa se desenvolver, como foi feito em Atlantic City ou Las Vegas (EUA). Mas é preciso ver os efeitos colaterais, as possíveis associações com drogas, contravenções.

Estadão

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *