Ministério da Saúde nega ato de desabilitação de leitos de UTI

Foto: Agência Brasil

O Ministério da Saúde afirma à Coluna que não houve e nem há nenhum ato administrativo de ‘desabilitação’ de leitos de Unidade de Terapia-Intensiva para Covid-19.

A informação diverge de levantamento feito pela entidade de secretários de Saúde (Conass) o qual mostra que, em dezembro de 2020, dos 20.770 leitos então em uso, 12.003 encontravam-se habilitados, ou seja, financiados pelo Ministério da Saúde.

Em janeiro, o número de leitos caiu para 7.717 e, neste mês, para apenas 3.187. Segundo o MS, os leitos adicionais criados e custeados em virtude do Estado de Calamidade Pública tinham vigência limitada ao ano fiscal de 2020.

“No dia 30 de dezembro de 2020, conforme a portaria GM/MS número 3.896, a pasta permitiu que estados continuassem a executar R$ 864 milhões em recursos não gastos com o enfrentamento à pandemia em 2020 no ano fiscal de 2021”, diz a pasta.

O Supremo Tribunal Federal (STF) já recebeu duas ações – dos governos do Maranhão e de São Paulo – para que o Governo Federal retome o financiamento e reabilite os leitos de UTI em todo o País. Partidos de oposição também acionaram a Procuradoria-Geral da República (PGR) com pedido de providências.

O Ministério da Saúde já fez duas solicitações de recursos adicionais ao Ministério da Economia para financiar os leitos, mas sem resposta. “Uma vez obtidos os créditos extraordinários, os repasses serão feitos com a maior brevidade possível, atendendo a critérios objetivos, pelo governo federal a estados, DF e municípios”, posiciona.

Coluna Esplanada

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    E existe ministério da saúde no Brasil???

TCU dá 10 dias para Manaus responder se foi pressionada pelo Ministério da Saúde a usar cloroquina

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler deu 10 dias para a Secretaria de Saúde de Manaus responder se foi pressionado pelo Ministério da Saúde a tratar pacientes com Covid-19 com os remédios cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina.

Os três remédios são ineficazes para o combate à doença, de acordo com estudos científicos realizados no Brasil e no exterior. No entanto, desde o início da pandemia o presidente Jair Bolsonaro insiste no tratamento com os medicamentos.

O Ministério da Saúde adquiriu comprimidos de cloroquina e hidroxicloroquina e produziu um protocolo em que recomenda no SUS o uso dos remédios para tratar a Covid-19.

No despacho, Zymler faz menção a uma visita de uma força-tarefa do Ministério da Saúde a Manaus, no início de janeiro, quando a cidade já registrava disparada nos casos de Covid-19. Dias depois, o sistema de saúde de Manaus entrou em colapso.

“Informe se houve algum tipo de pressão por parte dos membros da força-tarefa do Ministério da Saúde quando da visita feita no dia 11/1/2021, para que essa unidade de saúde difundisse a utilização de medicamentos como cloroquina, hidroxicloroquina e/ou ivermectina no tratamento precoce dos pacientes com Covid-19 nesse município”, escreveu o ministro.

Zymler tomou a decisão com base em pedido do Ministério Público de Contas. O MP de Contas também queria que o TCU determinasse que o Ministério da Saúde parasse de ordenar o uso dos medicamentos.

O ministro não acatou essa parte do pedido e argumentou que, no momento, não há comprovação de que a pasta esteja obrigando o uso dos medicamentos sem eficácia.

No fim de janeiro, Zymler escreveu em despacho que a cloroquina só poderia ser fornecida pelo SUS no tratamento à Covid-19 se houvesse autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ou de autoridades sanitárias estrangeiras, o que não ocorreu.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco disse:

    O TCU é responsável pela fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial dos órgãos e entidades públicas do país quanto à legalidade, legitimidade e economicidade. O que tem pra o TCU se meter nisso? No Brasil se cada um fizesse seu papel e esquecesse a política as coisas andariam melhor. Os Tribunais de Contas são execráveis, formado por membros com interesses escusos, é um órgão que apura, instrui, denuncia e julga. Tem cabimento?

  2. ZéGado disse:

    Não precisa perguntar ao governo do Amazonas, eu respondo.
    Foi sim!

Lewandowski nega pedido para afastar Pazuello do Ministério da Saúde

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil (17.jan.2021)

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, negou nesta quinta-feira (21) pedido da Rede Sustentabilidade para afastar o ministro Eduardo Pazuello do Ministério da Saúde.

“Com relação à pretensão de afastamento do Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anoto que compete privativamente ao Presidente da República, nos termos do art. 84, I, do texto constitucional “nomear e exonerar os Ministros de Estado”, falecendo autoridade a esta Suprema Corte para fazê-lo”, disse o ministro.

Segundo o ministro, a ação apresentada pelo partido tem vários pedidos que precisam de comprovação. “A mera solicitação de informações às autoridades sanitárias, ou a exortação para que executem certas políticas públicas, podem ser levadas a efeito sem a intervenção do Judiciário, por meio da competência atribuída à Câmara dos Deputados e ao Senado, ou às suas comissões”, explicou.

O partido Rede Sustentabilidade apresentou ao STF, na quarta-feira, um pedido para que o ministro da Saúde fosse afastado do cargo pelo que entende ser erros na condução do combate à pandemia de Covid-19. A sigla também pedia que fossem informados os estoques de oxigênio nos estados do Norte e que seja apresentado, em 24 horas, um plano para que não falte o insumo nessa região.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raimundo disse:

    Tem nada de negar.
    Ele não pode.

  2. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    Vão tomar no símbolo de cobre seus Esquerdopatas do cão.

    • Aluísio Valença disse:

      Calma, amigo. Você está muito nervosinho. Não dá nem pra entender direito o que escreveu tamanha é a sua ira. Tome um Rivotril e seja feliz.

  3. Tico de Adauto disse:

    Milici sem futuro

  4. Sino disse:

    Não tem motivos pra isso

  5. ZéGado disse:

    Milico fantoche

COVID: Ministério da Saúde confirma 1º caso de reinfecção por variante do Amazonas; mulher foi diagnosticada pela primeira vez em março e a outra em dezembro, com sintomas leves

FOTO: PIXABAY

O Ministério da Saúde confirmou nesta sexta-feira (15) o primeiro caso de reinfecção pela variante do coronavírus do Amazonas. Trata-se de uma mulher de 29 anos do Estado do Amazonas. Ela está com sintomas leves da covid-19.

A mulher foi diagnosticada com a doença duas vezes, sendo a primeira em março e a segunda, em dezembro – nove meses depois. A segunda análise revelou que ela havia sido infectada pela variante do coronavírus do Amazonas, a B.1.1.28.

Essa variante foi detectada pela primeira vez em viajantes japoneses que tinham passado pela região amazônica. Estudo realizado pela Fiocruz mostra que a mutação detectada na variante é um fenômeno recente, originada entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021.

Até o momento, três casos de reinfecção com linhagens já circulantes no país já foram confirmados. O primeiro no Rio Grande do Norte, o segundo, em São Paulo e o terceiro no Rio Grande do Sul, segundo o Ministério.

Um caso de reinfecção notificado na Bahia causado pela variante da África do Sul ainda não foi confirmado e está em investigação.

A pasta afirma que tem recebido diversas notificações de casos suspeitos de reinfecção por covid-19, mas que elas não cumprem os critérios necessários para confirmação.

“Um caso de reinfecção da covid-19 exige que o indivíduo apresente dois resultados positivos de RT-PCR em tempo real para o vírus SARS-CoV-2, com intervalo igual ou superior a 90 dias entre os dois episódios de infecção respiratória, independente da condição clínica observada nos dois episódios”, afirma.

O ministério da Saúde ressaltou a importância de manter o uso de máscara e higienização constantes das mãos e uso de álcool em gel, sem mencionar o distanciamento social, que faz parte das medidas de prevenção da covid-19.

A variante do Reino Unido, a mais disseminada até o momento, sendo já registrada no Brasil, Chile, Paquistão, Hong Kong, Cingapura, Canadá e Israel, entre outros países, é 70% mais transmissível que o vírus padrão, mas não agrava a infecção, segundo análise do ECDC (Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças). Já as variantes do África do Sul e do Amazonas ainda estão sendo analisadas.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo disse:

    BOLSONARO REELEITO EM 2022,NO 1º TURNO,CHORA PETRALHAS ,KKKKKKKKKKKKKK

  2. O Rei da Rachadinha disse:

    Bolsonaro acabou de disser que fez um rigoroso estudo científico em seu condominio, onde, 200 pessoas tiveram covid, mas graças a cloroquina e ivermectina ninguem foi internado. Ora, pra que vacina se temos a solução? Parabéns ao nosso presidente, ele merece o prémio de cientista do ano.

  3. ZéGado disse:

    Esse governo consegue ser pior que o governo collor.
    Esse ministro parece uma barata tonta, não sabe ABSOLUTAMENTE DE NADA!
    E para fechar com chave de ouro, tem a boiada espalhando fake news, dizendo que a doença não existe.
    Estamos fudidos.

    • Brasil disse:

      Ótimo foi o seu ladrao condenado LULA, o maior ladrao da história da humanidade, esse FDP preferiu construir estádios ao contrário de hospitais, esse mesmo VAGABUNDO que doou bilhões para países DITADORES , você é BURRO , IDIOTA ou cego , ou pior os 3 ???
      Vá trabalhar VAGABUNDO

    • Manoel disse:

      O discurso dos bolsopetistas se resume a: se não apoiar o MINTOmaníaco vc eh comunista, petista, lulista, doriano… Eh impressionante a riqueza de argumentos! Kkkk.

    • Fernando Gomes disse:

      Calma Brasil. Ninguém tá falando de Lula. Será uma fixação sexual sua? Sóestá sendo dito que o Bozo, teu ídolo de merda, é incapaz no que eu concordo plenamente.

Governadores cobram Ministério da Saúde sobre cronograma de vacinação

Foto: JOE RAEDLE / AFP

Diante do avanço da vacinação em outros países do mundo, o Fórum de Governadores cobrou do Ministério da Saúde um cronograma para o início da imunização no Brasil. Em reunião com membros da pasta nesta terça-feira, o representante do grupo, o governador Wellington Dias (PT), do Piauí, pediu que o governo estabeleça datas para vacinação e também para treinamento dos profissionais que participarão do trabalho.

— Claro que queremos segurança e a garantia de eficácia, mas também queremos agilidade— disse Dias, que é presidente do Consórcio Nordeste e coordenador da temática de Vacina do Fórum Nacional de Governadores. Ele acrescentou:

— Por que (ainda) não temos um cronograma para o início da vacinação? Outros países começaram protegendo aquela parte mais vulnerável, isso requer menos doses de vacina. Mas é preciso ter um cronograma agora! Não é razoável que o mundo inteiro já tenha começado vacinação e um país como o Brasil, que tem laboratórios, que tem produção, não ter (iniciado a) vacinação.

Nesta terça-feira, a Argentina começou a vacinação contra Covid-19 com a utilização do imunizante Sputinik V, produzido pela Rússia. No último domingo, a União Europeia também começou sua campanha de vacinação.

Há duas semanas, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a previsão da pasta é a de começar a distribuir as doses de vacina contra a Covid-19 em meados de janeiro. Segundo Pazuello, a expectativa era entregar 24,5 milhões de doses ainda no primeiro mês de 2021. Até o momento, no entanto, a pasta não detalhou o cronograma para a vacinação dos brasileiros.

Segundo Wellington Dias, a previsão dada aos gestores estaduais pelo governo era de que o treinamento dos profissionais de saúde que atuarão na aplicação de vacinas fosse feito antes do Natal, o que não aconteceu.

— Não foi. Vai ser mesmo na primeira semana de janeiro? Qual a data ? Porque nós temos que mobilizar todos os municípios brasileiros para fazer essa formação de profissionais que trabalharão com a vacinação— disse.

A reportagem questionou o Ministério da Saúde sobre as datas para a vacinação no país e perguntou o motivo do atraso na qualificação dos profissionais de saúde, mas ainda não obteve resposta.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mgil disse:

    Esses governadores é uma pilantragem só, com apoio da imprensa. Não enxergaram que com as redes sociais o povo não é mais enganado facilmente. Tentam carimbar uma narrativa política contra o presidente, narrativa mentirosa, claro. O povo já percebeu essa malandragem e é por isso que toda pesquisa nos mais diversos questionamentos, aponta o alto índice de aprovação do Presidente. Que continuem assim agindo como idiotas.

  2. Aparecida disse:

    Chile e Argentina já começaram a vacinar a população. Enquanto no Brasil idiotas ainda polemizam a qualidade das vacinas. Todas as vacinas contra Civis, TODAS, tem contribuição japonesa. Vc q tem filhos sabe a origem das vacinas ministradas a seus filhos?? Enquanto por aqui se discute a largura da calça de Doria. Pelo menos ele se moveu para trazer a vacina.

    • Victorino disse:

      Qual a vacina já estar liberada pela Anvisa mal informada?? Acorda para realidade, tire o cabresto, se liberte.

  3. Tico de Adauto disse:

    Governo irresponsável!
    O PR é um sádico. Tenho fé que esse dejeto será condenado pelo TPI por crime de genocídio contra o seu povo.

  4. Especialista disse:

    Pixukkkkkkkleco kkkkkkk, tu és um comentarista muito fraco, igual ao calça justa, aguado que só caldo de bila. Cuidado com seu deltoide.

  5. Pixuleco disse:

    O ministro da saúde é especialista em “LOGÍSTICA “. Na sua última missão estratégica o conceituado meganha 👮‍♀️, deixou vencer um “ ruma “ de testes para o covid . Conclusão : estamos realmente encrencados nessa área . Mas por outro lado temos o TONHO da LUA . O artilheiro ( pelas caridades ) , o mister cloroquina e também ex aluno da academia militar. Resumindo . Na histórica academia saíram mercadorias não tem vem habilitadas para a função . Em se tratando de cronograma de vacinação capitaneados por esses estrategistas , imagino que será meio complicado de acreditar . Ainda bem que temos o grande gestor , administrador DÓRIA . O eficiente líder vai nos ajudar e nos tirar das mais dos negacionistas . Já estou com meu bracinho pronto .

    • Victorino disse:

      O calcinha apertado que foi se vacinar em Miame, nos "esteite"? Quanto vc ganha da esquerda para postar tantas merdas? Aceita e passa KY que vai doer menos.

    • Netto disse:

      Quanta mentira, hein? O MS comprou testes que só saem mediante demanda de estados e municípios. Só lhes resta apelar pra esse ripo de pilantragem mesmo.. E a vacina tá chegando.

    • ZéGado disse:

      Victorina, tu só fala essas merdas aqui, quero falar na rua

  6. Ivan disse:

    O MS deveria perguntar aos governadores pq os hospitais gerais estão sempre com falta de medicamentos, insumos e até macas…

Ministério da Saúde retira presos da lista de prioridades para vacinação de Covid

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde retirou a população carcerária da lista de grupos prioritários para tomar a vacina contra a Covid-19. Não há, até agora, qualquer explicação para a decisão.

Faz somente oito dias que o Ministério da Saúde definiu os quem seriam os primeiros da fila de um plano de vacinação previsto para quatro etapas.

Primeiro, os profissionais da área da saúde, idosos com mais de 75 anos (ou a partir de 60 que morem em asilos) e os indígenas.

Depois, seriam imunizados os idosos com idade entre 60 e 74 anos.

Em seguida, portadores de doenças crônicas (pressão alta, cardíacos e aqueles com diabetes).

E, finalmente, trabalhadores da área da segurança, como policiais e funcionários do sistema prisional, e também os detentos — estes últimos agora foram rifados.

Lauro Jardim – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Esse ministro só me dá alegria!!!! Grande General!!!! Deixem os cães latirem, a nossa caravana não vai parar!!!!

  2. Santos disse:

    Já?
    Retirou foi?
    Mas tava, num tava?
    O gado véi burro!
    De massa de manobra o presidente entende bem.
    kkkkkkkkkkkkkkk

  3. duendevermelho disse:

    Se o "Minion Alienado" está preocupado com os presos, que os leve para sua casa pra cuidar de cada um deles!

    Cada uma!

  4. Uma potiguar arretada disse:

    Certíssimo …É pra ser os últimos a serem vacinados …

  5. Calígula disse:

    Preso tem que se fud&£ mesmo, ficar por último. Os carcereiro monitorarem de longe.
    Nos presídios não tem nem um santo.

    • Maria Cícera Lima de Oliveira disse:

      Ainda bem que temos um presidente que muitos procuram denegrir a imagem do mesmo mais; nestes últimos 20 anos jamais tivemos um presidente tão bom quanto ele. E macho não engole safadeza de gente safada e já fez muitos mais por todos nós que muitos que ocuparam o mesmo cargo e só roubaram e destruíram o nosso País tão rico e belo. Ache ruim quem quiser mais e a pura verdade.

  6. Lucis disse:

    O importante é que a vacina alcance todos

  7. Ricardo Carvalho disse:

    Desde quando bandido tem que ter prioridade, por mim só vacinava quando a população que trabalha e produz for imunizada, se sobrar, aplica nos vagabundos!

    • Zuza disse:

      O problema é que quando um marginal morre sob os cuidados do Estado (preso), temos um prejuízo enorme com as indenizações arbitradas pela justiça.

    • Manoel disse:

      Imaginem essa turma negacionista terraplanista vendo jesus falar para os dois bandidos crucificados ao seu lado: logo mais vcs estarão no céu comigo.
      Por isso que a Biblia diz: é mais fácil um bandido ir para o céu que aqueles falsos cristão. Amém.

  8. João disse:

    Muito bem!Primeiro a população de bem, e depois esses anjinhos que estão lá porque são vitimas da sociedade má.Eita pais que passa por uma inversão de valores.Por mim nem aplicava.

    • Minion alienado disse:

      Lamento pela saúde dos agentes penitenciários e daqueles, com entes no sistema prisional, e prestam serviços aos negacionistas de plantão. A prioridade "cidadão de bem" é cômica.

Com pesquisa realizada em domicílio, Ministério da Saúde realiza inquérito de cobertura vacinal pelo país

Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde está realizando o inquérito de cobertura vacinal que tem como objetivo conhecer se as crianças nascidas em 2017 e que vivem nas áreas urbanas das capitais brasileiras estão com as vacinas em dia.

Também será possível

• Estimar as coberturas vacinais relativas as vacinas BCG, hepatite B, poliomielite, pentavalente, rotavírus humano, febre amarela, meningococo conjugada C, pneumococo conjugado 10 valente, influenza, hepatite A, tríplice viral, varicela e reforço para DPT e Poliomielite;

• Estudar o acesso aos serviços para obtenção da primeira dose de vacina avaliada por meio da cobertura para a primeira dose de DPT (penta ou tetravalente) no primeiro ano de vida;

• Comparar as doses aplicadas e os dados de produção dos serviços de atenção básica;

• Estimar a proporção de crianças que utilizam serviços privados para imunização;

• Estudar as coberturas vacinais, esquema completo, as condições de vida predominantes nas áreas ou estratos correspondentes e dados socioeconômicos das famílias.

Mais detalhes:

Trata-se de um inquérito com o objetivo de estimar a cobertura vacinal de crianças nascidas no ano de 2017, em três momentos de sua vida: aos 12, 18 e 24 meses de idade, e residentes nas áreas urbanas das capitais brasileiras.

Uma Pesquisa Nacional que será realizada nas capitais de 19 Estados e no Distrito Federal, incluindo Natal-RN.O Inquérito de Cobertura Vacinal 2020 tem o professor Dr. José Cássio de Moraes, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, como responsável a nível nacional da pesquisa, e a nível estadual, no município de Natal-RN, a coordenação está sob a responsabilidade da professora Drª Isabelle Ribeiro Barbosa, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e integrando a equipe estadual do Rio Grande do Norte, duas bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A pesquisa será realizada no domicílio da família previamente selecionada, pela SCIENCE, uma empresa especializada em coleta de dados, selecionada por intermédio de licitação. Os entrevistadores estarão devidamente treinados, identificados, fazendo uso de equipamentos de proteção individual e coletivo (máscara, protetor facial), além de manter uma distância segura dos entrevistados.

A pesquisa terá início em dezembro de 2020, com duração de 28 dias para as coletas de campo.

Em casos de dúvidas e esclarecimentos em relação a pesquisa, a população poderá entrar em contato através do disque saúde: 136 ou pelo: 0800 025 0174, disponibilizados pelo Ministério da Saúde. Para informações locais será possível entrar em contato por meio do número: (84) 99897-9171.

Além desses telefones, as nossas redes sociais irão compartilhar diariamente informações a respeito da pesquisa:

Instagram: inqueritonatal2020

Twitter: ivacinal

Facebook: Inquérito Vacinal Natal

Ministério da Saúde quer vacina de dose única contra Covid-19 e Johnson & Johnson faria “perfil”, enquanto Pfizer, Sinovac, Moderna precisam de maior estrutura; entenda

Foto: Dado Ruvic – 03.nov.2020 / Reuters

O “perfil da vacina desejada” pelo Ministério da Saúde é de um imunizante com proteção contra o novo coronavírus garantida apenas com uma dose. Além disso, ele quer que a substância seja termoestável por longos períodos em temperaturas de 2ºC a 8ºC. As informações foram divulgadas durante um evento nesta terça-feira (1º).

De acordo com a pasta, esse perfil é o ideal pela logística e pela economia, mas entende-se que as escolhas podem não seguir esses desejos.

A dose única é o primeiro impeditivo. O Brasil só testa uma vacina que tem a proteção garantida com a dose única: a da Johnson & Johnson em parceria com a Janssen.

O imunizante da Universidade de Oxford, para a qual o governo federal já fechou contrato de compra de 100 milhões de doses, utiliza a proteção dupla, assim como a da Pfizer-BioNTech (franco-norte-americana), da Moderna (norte-americana), da Sinovac (chinesa) e do Instituto Gameleya (russa).

A questão do armazenamento também pode ser um problema. As duas vacinas que já solicitaram autorização de uso emergencial nos EUA e na Europa precisam de uma temperatura muito abaixo das geladeiras dos postos de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS). A da Pfizer precisa de -70ºC e a da Moderna, -20ºC.

Plano Nacional de Imunização

O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, falou sobre o perfil da vacina logo após o lançamento da campanha da prevenção contra a Aids. O evento foi realizado no auditório do Ministério da Saúde, em Brasília, e contou com a participação de integrantes da pasta.

Além do perfil, o secretário retomou pontos do Plano Nacional de Imunização (PNI) que serão discutidos pela Câmara Técnica nesta terça, às 14h, virtualmente. O grupo é composto por mais de 100 pessoas de diversas entidades da saúde como o Ministério da Saúde, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o Instituto Butantan, o Conselho Federal de Medicina e conselhos de secretários de saúde municipais e estaduais.

Durante o encontro, deve ser estabelecida uma proposta preliminar do PNI, já que o plano definitivo só será divulgado com uma vacina registrada pela Anvisa.

CNN Brasil

DE ANÔNIMOS AO PRESIDENTE: Vazamento de senhas do Ministério da Saúde expõe informações de pacientes suspeitos ou confirmados para Covid-19; ao menos 16 milhões

Informações pessoais de pacientes com diagnósticos suspeitos ou confirmados de Covid-19 ficaram disponíveis na internet por quase um mês depois que senhas do Ministério da Saúde foram publicadas em uma plataforma aberta, segundo o jornal “O Estado de S. Paulo” em uma reportagem publicada nesta quinta-feira (26).

As senhas permitiam acesso a dados como CPF, endereço, telefone e doenças pré-existentes de pelo menos 16 milhões de pessoas em todo o país, segundo o jornal (veja detalhes mais abaixo).

Os dados foram publicados por um funcionário do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, em um site de compartilhamento de códigos de programação usado por programadores e cientistas de dados, também de acordo com o “O Estado de S. Paulo”.

Em nota divulgada na quarta-feira (25), o hospital disse que “tomou conhecimento” de que “um colaborador que presta serviços ao Ministério da Saúde teria arquivado informações de acesso a determinados sistemas sem a proteção adequada” (veja íntegra do texto ao final da reportagem).

Em comunicado, o Ministério da Saúde afirmou que o Einstein estava adotando medidas para “um possível vazamento de arquivos contendo login e senha para acesso das informações” por meio de um mecanismo de busca de dados aberto chamado Elastic Search.

Ainda de acordo com a pasta, o hospital informou que “uma planilha foi equivocadamente publicada em uma plataforma de hospedagem de código-fonte”. (Veja íntegra do texto ao final da reportagem).

Nem o Einstein, nem o Ministério da Saúde confirmaram o número de pacientes cujas informações podem ter ficado expostas após a publicação das senhas.

Senhas e planilha

De acordo com o “O Estado de S. Paulo”, com as senhas publicadas, era possível acessar registros relacionados à Covid-19 em dois sistemas do governo federal: um com notificações de casos suspeitos e confirmados da doença e outro com as internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG).

A SRAG pode ser causada por vários vírus respiratórios, mas, neste ano, quase 98% dos casos no Brasil têm o vírus da Covid-19 como causa, segundo dados da Fiocruz. Os dados das internações por SRAG têm sido usados para estimar com mais precisão o número de casos de Covid no país – que são subnotificados por causa da pouca testagem.

O jornal disse que recebeu uma denúncia com o link para página onde as senhas estavam disponíveis. Segundo a reportagem, a planilha com os dados foi publicada em 28 de outubro.

Na nota de quarta-feira (25), o Einstein disse que as informações “foram removidas e o fato comunicado ao Ministério da Saúde, para que fossem tomadas as medidas para assegurar a proteção das referidas informações”.

O Ministério da Saúde informou que o Departamento de Informática do SUS (DataSUS) “revogou imediatamente todos os acessos dos logins e das senhas que estavam contidos na referida planilha”.

Ainda de acordo com a Saúde, os bancos de dados “não são de fácil acesso, uma vez que apenas login e senha não são suficientes para se chegar às informações contidas nos bancos de dados – e sim um conjunto de fatores técnicos”.

Dados de membros do governo

A reportagem afirma que o presidente Jair Bolsonaro e ao menos outros 7 ministros foram afetados pelo vazamento – incluindo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello; o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni; e a ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

Também tiveram os dados expostos o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e outros 16 governadores, além dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), de acordo com o jornal.

Ainda segundo a reportagem, “tanto pacientes da rede pública quanto da privada tiveram seus dados expostos”, porque a notificação de casos suspeitos e confirmados de Covid é obrigatória a todos os hospitais.

Nota do Hospital Albert Einstein (25/11):

“Prezados Senhores,

O Einstein tomou conhecimento na tarde de hoje que um colaborador que presta serviços ao Ministério da Saúde teria arquivado informações de acesso a determinados sistemas sem a proteção adequada.

Imediatamente estas informações foram removidas e o fato comunicado ao Ministério da Saúde, para que fossem tomadas as medidas para assegurar a proteção das referidas informações.

O Einstein reitera seu compromisso com a segurança das informações e a proteção de dados, bem como que tomará as medidas administrativas cabíveis.

Atenciosamente,

Edson Amaro Jr.

Superintendente de Ciência de Dados e Analytics da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira

Albert Einstein”

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PEDRO VERDADEIRO. disse:

    Tem como petista aloprados e burro vai ter que traduzir, fácil de resolver é do procurar Pixuleco e Touro sentado, o muuuuuuuu eu traduzi, adeus Nove dedos, a o emprego está voltando e os ladrões estão na cadeia, PT nunca mais…..kkkkkk, muita coisa para um mugido.

  2. PEDRO VERDADEIRO. disse:

    Mané, afora é assim kkkkkkkk, ohm i ohm i ohm i ohm i ohm i ohm i ohm, ohm ohm ohm ohmmmmmmm.

  3. Moisés de Almeida Filho disse:

    Se tivesse usado o mesmo aplicativo da urnas eletrônicas, as informações estariam em segredo e seriam invioláveis.
    Não usa o mesmo sistema das urnas, a acontece isso.
    Por sinal, qual a razão desse sistema inviolável e impenetrável das urnas eletrônicas não ser adotado pela CIA, Inteligência Russa, pelos japoneses, indianos e todas as outras potências mundiais em informática?
    As urnas são a maior revolução no mundo da informação, será mesmo?
    Quem é mesmo que defende as urnas?

TCU: Contrato do Ministério da Saúde para comprar reagentes de testes da Covid-19 no valor de R$ 133,2 mi tem suspeita de irregularidades

Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo

Um contrato do Ministério da Saúde para aquisição de 10 milhões de kits de reagentes usados em testes da Covid-19, firmado em agosto por R$ 133,2 milhões, está sob suspeita de irregularidades. A informação foi repassada pela Diretoria de Integridade (Dinteg) da própria pasta ao Tribunal de Contas da União (TCU), durante o trabalho de fiscalização periódica das medidas relacionadas à pandemia.

Em relatório produzido pela Secretaria de Controle Externo da Saúde do TCU, que embasou acórdão aprovado na última quarta-feira na Corte, a equipe relata “diversas alterações na especificação do objeto a ser contratado” ao longo do processo de compra.

Aponta ainda que um pedido de reconsideração apresentado pela empresa que ficou em segundo lugar no processo de aquisição emergencial, alegando direcionamento à vencedora, foi ignorado pelos setores responsáveis e mantido fora do conhecimento de outros integrantes da pasta.

O Ministério da Saúde informou que avalia “anular o contrato”, “reavaliar a real necessidade de contratação dos testes” e “instaurar procedimento para apurar a responsabilidade dos envolvidos”, aponta o documento do TCU. A compra está listada pelo tribunal como um dos dez maiores contratos de aquisição direta feitos pela pasta no contexto da pandemia da Covid-19.

“Conforme explanado por um dos integrantes da Dinteg (Diretoria de Integridade do Ministério da Saúde), a partir da documentação relacionada à contratação, é possível verificar a existência de indícios de irregularidades na contratação, o que evidencia a falta de planejamento e coordenação por parte do Ministério da Saúde para a aquisição”, aponta o relatório do TCU.

O contrato sob suspeita foi assinado em 21 de agosto, já na atual gestão do ministro Eduardo Pazuello.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. mily disse:

    Esse país é movido a corrupção, que vergonha viu!

“Não houve qualquer compromisso com São Paulo na aquisição de vacinas contra Covid-19. Tratou-se de um protocolo de intenção, sem caráter vinculante”, informa Ministério da Saúde

Fotos: Reprodução/TV Brasil

O Ministério da Saúde atualizou nesta quarta-feira (21) as informações sobre a vacina CoronaVac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan. O secretário executivo da pasta, Elcio Franco, realizou pronunciamento, transmitido pela TV Brasil, para prestar esclarecimentos sobre a carta de intenções para aquisição da vacina do Butantan-Sinovac/Covid-19.

“Qualquer vacina, quando estiver disponível, certificada pela Anvisa, e adquirida pelo Ministério da Saúde, poderá ser oferecida aos brasileiros por meio do Programa Nacional de Imunizações, e no que depender desta pasta, não será obrigatória”, informou o secretário executivo.

Segundo o secretário, não houve qualquer compromisso com o governo do estado de São Paulo no sentido de aquisição de vacina contra a covid-19. “Tratou-se de um protocolo de intenção entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan, sem caráter vinculante, por se tratar de um grande parceiro do Ministério da Saúde na produção de vacinas para o Programa Nacional de Imunizações [PNI].

Franco esclareceu que é “mais uma inciativa para tentar proporcionar vacina segura e eficaz para a nossa população, neste caso como uma vacina brasileira” e se estiver disponível antes da vacina da AztraZeneca/Oxford ou da Covax. “Não há intenção de compra de vacinas chinesas”, ressaltou.

O secretário reforçou que qualquer vacina depende de análise técnica e aprovação da Anvisa, pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) e pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) do Sistema Único de Saúde (SUS). Franco reafirmou que quando qualquer vacina estiver disponível, certificada pela Anvisa e adquirida pelo Ministério da Saúde, ela será oferecida aos brasileiros por meio do PNI e, “no que depender desta pasta, não será obrigatória”.

CoronaVac

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (21) que o governo federal não comprará a vacina CoronaVac. De acordo com ele, antes de ser disponibilizada para a população, a vacina deverá ser “comprovada cientificamente” pelo Ministério da Saúde e certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Veja a nota do Ministério da Saúde:

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PABLO disse:

    Chora não Petralhada,em 2022 vai ser no 1° turno,é o Luladrão voltará para onde nao deveria ter saído…..cadeeeeeeeeeeeeeiaaaaaaaaaaaaa……kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Pedro disse:

    Nordestino vc com certeza vc não é, um dos ícones da nossa amada região, de ilustres brasileiros, um dia cantou: "Seu doto os nordestinos,teem muita gratidão pelo auxílio dos sulistas nessas secas do sertão, mais doto uma esmola ao homem que é São, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão…." como pode sentir, talvez vergonha vc não tenha, eu tenho, viciado não sou, mais parece que vc É.

  3. Patriota disse:

    Os Bolsominions só tem produtos Ching ling nas suas casas, mas não podem tomar a vacina comunista. A alienação e a estupidez não tem limites pra eles. Que a seleção natural cumpra o seu papel 🙏🙏🙏

  4. Cuecão & Cuequinha disse:

    Veterinários vão ter trabalho quando começar essa vacinação

  5. Nordestino disse:

    Já aplicaram aftosa no gado

    • Fernando disse:

      Sua vacina anti trabalho vc tomou aonde? Vou ri quando vc tiver fora da idade produtiva e sem um chefe criminosos petralha pra te dá uma esmola. Rsrsrs

    • Bruno disse:

      Não aplicaram aftosa, mais estão colocando tornozeleira eletrônica nos petistas, quer pegar a fila?

    • Bolsovirus disse:

      Eles agora estão comendo um tal de capim gordura, segundo eles mata o coronavirus.

    • Devolva o Brasil para os Índios disse:

      Nordestino, além de biangulados eles são binários, para eles ou vc é Bolsonaristas ou vc é Lulista, são limitados.

    • Zanoni disse:

      Booooa! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Manoel disse:

      Se a vacina contra aftosa for chinesa eles nao tomam mas se for made in USA ou UK ele descem logo as calças.

Ministério da Saúde aprova estudo da CBF para volta de 30% do público no Brasileiro

Foto: Antonio Scorza

O Ministério da Saúde aprovou o estudo enviado pela CBF para a volta de até 30% do público aos estádios do Brasil, nos jogos do Campeonato Brasileiro da Série A, a partir de outubro.

Segundo a reportagem apurou, a entidade já recebeu o aval do órgão, através de ofício do Ministro Eduardo Pazuello, que endereçou documento ao presidente Rogério Caboclo.

A única exigência é que cada município ou estado adote a sua política sanitária e um protocolo de saúde. A CBF entende que a liberação deve ser feita de forma uniforme em todo o Brasil.

O processo de liberação para a volta parcial do público aos estádios de futebol do Rio terá novos capítulos essa semana no Rio. Depois de a Prefeitura do Rio anunciar na última sexta-feira que pretende ter 20 mil pessoas no Maracanã em outubro, autoridades municipais, estaduais e federais se encontram na próxima quinta-feira para avaliar os dados apresentados pela CBF ao Ministério da Saúde.

O documento leva em consideração o que foi enviado pela CBF. Mas a entidade ainda tem sua participação aguardada na reunião. A Comissão Médica da CBF ainda não foi convidada para tratar do assunto.

Vale lembrar que decreto de sábado do governador em exercício, Claudio Castro, ainda proíbe o público em eventos no Rio até o dia seis de outubro.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joas andrade disse:

    livres e conscientes!

Ministério da Saúde quer sugestões sobre protocolo para tratamento de obesidade

Foto: © Ginecomastia.org/Direitos Reservados

O Ministério da Saúde abriu, nessa quarta-feira (29), consulta pública para receber contribuições sobre o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) do Sobrepeso e Obesidade em adultos.

Representantes da sociedade civil e profissionais de saúde podem contribuir por meio de produções científicas ou relatos de experiências até o dia 10 de agosto.

De acordo com a pasta, o material foi elaborado para subsidiar profissionais, gestores e usuários para a importância de práticas de cuidado multiprofissionais como instrumento para prevenção e controle da obesidade e do sobrepeso no país.

O protocolo tem informações sobre prevenção, diagnóstico e tratamento da condição de sobrepeso e obesidade. Inclui ainda orientações relacionadas ao monitoramento, além de indicações para gestores.

A obesidade é uma das doenças que mais tem crescido nos últimos anos em nível global. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que os índices de obesidade e sobrepeso quase triplicaram desde 1975. Em todo o mundo, existem pelo menos 650 milhões de obesos.

De acordo com Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018, no Brasil uma em cada cinco pessoas é obesa e mais da metade da população das capitais estão com excesso de peso.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raimundo disse:

    Eu sugiro a abertura de centros de combate à obesidade nas cidades.
    Seriam formados grupos com orientações, atividades físicas e metas, tipo o programa medida certa da Globo onde famosos eram acompanhados por um período.
    Deveriam ser locais espaçosos tipo Sesi onde pudesse haver atividade física e até restaurantes com refeições com calorias contadas.
    Tipo fornecer pratos com 350 calorias para acostumar as pessoas.
    Os grupos fariam reuniões semanais, com a participação de nutricionistas, psicólogos para conscientizar a população.
    O governo também proibir restaurantes de incentivar a obesidade.
    Tipo, o suco de 300 ml é 10 reais. Leve o de 500 ml por 12 reais.
    Onde já se viu alguém "encher a barriga" com meio litro de líquido?
    Ou pipocas de um litro em cinema.
    Antigamente era aquela pipoca pequena.

    • Manoel C disse:

      Amigo, sobre a quantidade, deixa o mercado vender o que quiser ao preço que quiser.

  2. Josmari de Sales Costa disse:

    Dieta, exercicio físico, e principalmente, vontade, paciencia, disciplina.
    Pronto aí o protocolo.

Lacen/RN reclama que aguarda há quatro meses o Ministério da Saúde renovar contrato para fornecimento de kits de extração automatizada para realização dos exames

Foto: Sandro Menezes

As ações da administração estadual no combate à Covid-19 reforçam o trabalho do Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte Dr. Almino Fernandes (Lacen/RN) na testagem dos casos suspeitos. Desde o início da pandemia, o Lacen liberou 21.584 resultados de exames. Deste total 10.152 positivos, o que representa percentual de 47,03%.

A estatística mensal mostra que em fevereiro foram liberados 28 exames, nenhum deles positivo. Em março o número subiu para 722, sendo 12,32% positivos. Em abril foram realizados 3.415 exames, dos quais 22,72% deram resultado positivos. No mês de maio houve 5.001 exames, sendo 50,90% positivos. Em junho, a marca de exames realizados atingiu 6.631 e mais da metade deles (60,86%) foram positivos. De 1º a 21 de julho, o laboratório já havia realizado 5.787 exames com 46,74% de resultados positivos.

O diretor administrativo do Lacen, Derley Galvão, informou também que o Governo do Estado investiu mais de R$ 800 mil em equipamentos que já estão em uso. “E temos uma próxima compra estimada em R$ 1,5 milhão para equipar as regionais do Lacen em Natal, Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros”, declarou, acrescentando que entre os investimentos foram aplicados ainda mais de R$ 2 milhões em insumos e material de consumo para exames de Covid.

Derley Galvão afirmou que o Lacen aguarda há quatro meses o Ministério da Saúde renovar o contrato com Laboratório Abbott para fornecimento dos kits de extração automatizada para realização dos exames. Para não atrasar as análises, o Governo do RN se antecipou e fez três compras – duas concluídas – no valor de R$ 312 mil. “Infelizmente há investimento do Ministério da Saúde em centrais analíticas e não há nos Laboratórios Centrais, o que causa problemas de logística. Seria muito mais fácil os municípios enviarem os testes para o Laboratório Central analisar no Estado, do que enviar para o Lacen e os excedentes serem enviados para o Rio de Janeiro, por exemplo, como é a modelagem de hoje. O melhor seria os laboratórios estaduais fazerem diretamente as análises”, argumentou.

Os investimentos do Governo do Estado no Lacen permitiram a contratação de sete profissionais para a área de biologia molecular, setor responsável pela análise dos testes de RT-PCR, o que ampliou a capacidade de liberação de exames que acontecem em até 24 horas.

Recentemente o Programa “Diagnosticar para cuidar” do Ministério da Saúde emitiu nota técnica determinando que todos os pacientes com suspeita de síndrome gripal sejam testados no modelo Swab. O Ministério da Saúde vai enviar os testes para o Estado repassar aos municípios de acordo com necessidades. “No primeiro momento o Lacen vai fazer a análise dos exames e, se houve excedente à nossa capacidade, as amostras serão enviadas para a Fiocruz no Ceará e Rio de Janeiro”, informou Derley.

DADOS ATUALIZADOS

A taxa geral de ocupação de leitos hoje no RN é de 85%. A maior concentração está na região de Pau dos Ferros (100%), seguida das regiões Metropolitana de Natal (89%), Oeste (80%), Mato Grande (75%) e Seridó (70%).

Nas redes de hospitais públicos, privados e filantrópicos há 529 pessoas internadas, sendo 276 em leitos críticos e 253 em leitos clínicos. A fila de regulação tem 4 pacientes aguardando vagas para leitos críticos, 4 para leitos clínicos e 12 aguardando transporte sanitário. O cenário epidemiológico tem 45.184 casos confirmados, 57.202 suspeitos e 69.856 casos descartados. Os óbitos confirmados são 1.636 (11 nas últimas 24 horas) e há 200 óbitos em investigação.

A Sesap iniciou hoje levantamento junto as todos os municípios para otimizar o fluxo de envio de informações atualizadas. Nos últimos dias houve instabilidade junto à disponibilidade de dados pelo Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde anuncia habilitação de mais 43 leitos de UTI para o RN em custos que ultrapassam R$ 5 milhões

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde anunciou a habilitação de mais 43 leitos de UTI para tratamento de pacientes com a Covid-19 para o Rio Grande do Norte. Ao todo, o Ministério da Saúde fez um aporte na ordem de R$ 1,3 bilhão, pago em parcela única, para que estados e municípios possam custear esses leitos pelos próximos 90 dias ou enquanto houver necessidade em decorrência da pandemia. Nessa segunda-feira (13), foram habilitados mais 146 leitos de UTI, ao custo de R$ 21 milhões. As habilitações contemplaram municípios nos estados do Rio Grande do Norte, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. Conforme visto em quadro, no Estado, o valor ultrapassa a casa dos R$ 5 milhões.

O pedido de habilitação para o custeio dos leitos COVID-19 é feito pelas secretarias estaduais ou municipais de saúde, que garantem a estrutura necessária para o funcionamento dos leitos. O Ministério da Saúde, por sua vez, realiza o repasse de recursos destinados à manutenção dos serviços por 90 dias ou enquanto houver necessidade de apoio federal devido à pandemia.

Para solicitar a habilitação, basta que estados e municípios enviem um ofício ao Ministério da Saúde solicitando a abertura desses leitos. Os critérios para habilitações são bem objetivos e simples, para dar celeridade e legalidade na publicação de portaria habilitando leitos e transferir o recurso necessário o mais rápido possível.

https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/47199-mais-146-leitos-de-uti-para-covid-19-habilitados-no-brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nando do oeste disse:

    Será se ninguém vai defender o trabalho da governadora para defender os potiguares dessa Pandemia? nem os cargos comissionados dela? Isso só deixa mais claro mais uma vez, que os incompetentes pt só decepciona seus cegos eleitores.

  2. .40 disse:

    Um bando de papangu defendendo o governo federal, o dinheiro é nosso, são nossos impostos, tem que mandar dinheiro mesmo para os estados e municípios, tem que pagar auxílio emergencial. Bozo e Fatão são mais dos mesmos. Acordem, político tem que ser cobrado e não bajulado.

  3. Muda Brasil disse:

    Ainda tem uma récua que insiste em acusar o presidente de genocídio, é muita falta do que fazer e do que pensar, magote de besta e cegos.

  4. Augusto Santos disse:

    A Dona Fátima achando que ia pegar carona nós feitos do Governo Bolsonaro.
    É assim que se faz com 5 MILHÕES.
    Enquanto isso, os 5 MILHÕES que a Governadora enviou para o consórcio de esquerda, foi parar na mão de uma empresa fantasma.
    Esse é consórcio do PDT, PT, PSB, tá mais para um consórcio da morte.

    • CIDADAO55 disse:

      Prezado Augusto.

      Como FATÃO BOKU'S gosta de terceirizar tudo, vai acabar falando que a culpa dela ter gasto quase 15 milhões de reais com o consórcio NE, OS e ambulâncias é do PR JB que enviou recursos para o RN, mesmo o governo estadual sendo oposição ao governo federal. Isso, prospectando seu argumento futuro, seria um modo de sabotar o governo dela.

      Kkkkkk

  5. Olimpio disse:

    Ai da população se não fosse o governo federal e as prefeituras.

  6. David disse:

    5 milhões = 43 leitos de uti, UTIs que faltaram no estado do RN, e que teriam salvado muitas vidas de entes queridos, mas Fátima entregou irresponsavelmente esse dinheiro pra o consórcio nordeste. E vai ficar por isso mesmo? Totalmente impune? SOS

  7. Cabo Silva disse:

    A única medida divulgada pelo governo estadual foi a abertura de leitos de UTI.

    Como está provado, o financiamento é FEDERAL.

    FATAO não fez absolutamente nada.

    • M.D.R. disse:

      Desde GOVERNADORA, ñ espere algum veja o que ELA fez com os PELAGAS na linha de FRENTE ; zero reajuste salarial, 11 anos sem reposição, os PROFESSORES o aumento devidiu em várias prestações para 2021, Reforma da PREVIDÊNCIA , é uma verdadeira humilhação se observarmos em relação do Presidente BOLSONARO.

  8. CIDADAO55 disse:

    Que a governadora FATÃO BOKU'S venha tomar pra si a habilitação desses leitos entregues pelo MS, governo federal

Governo obedece ordem do STF, e Ministério da Saúde volta a divulgar dados completos da covid

Página do Ministério da Saúde volta a exibir dados acumulados sobre a Covid-19 — Foto: Ministério da Saúde/Reprodução

O Ministério da Saúde voltou a divulgar, na tarde desta terça-feira (9), os números acumulados e os índices proporcionais dos contágios e mortes em decorrência do coronavírus. Esses dados estavam ausentes da divulgação oficial deste a última sexta (5).

Durante esse intervalo, o portal do ministério sobre a covid-19 divulgou somente os casos e mortes confirmados nas 24 horas anteriores.

A mudança gerou críticas de autoridades e especialistas. Na noite de segunda (8), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou a retomada do formato original.

Até as 16h30 desta terça, o portal ainda exibia os dados compilados na noite de segunda-feira. De acordo com esses números, o Brasil registrou 707.142 casos confirmados e 37.134 mortes.

Os números, de acordo com o site, indicam uma incidência de 336,6 casos e uma mortalidade de 17,7 mortes para cada 100 mil habitantes.

Com o formato atualizado nesta terça, o Ministério da Saúde cumpre, na íntegra, os dados solicitados na ação. A lista de dados inclui:

número de casos confirmados, pacientes recuperados e óbitos em decorrência da Covid-19 nas últimas 24 horas;

número total de casos confirmados, pacientes recuperados e óbitos em decorrência da Covid-19;

número de casos, óbitos e recuperados por dia de ocorrência;

número de hospitalizados com confirmação de Covid-19 e com SARS (síndrome respiratória aguda) em enfermaria e UTI por unidade de saúde, município e estado.

Com G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mito do Gado disse:

    O interessante é a forma como o Ministério da Saúde informa o número de mortos. A letra é bem pequenininha. Mal da pra ler!

  2. Ricardo disse:

    Bruno, procure saber pq SESAP RN não atualizar diariamente o número de curados. Em Ceará mirim a prefeitura diz q manda diariamente todos os dados atualizados para SESAP.