Idoso com tornozeleira eletrônica, embriagado, atropela mulher e é preso com droga em Natal

FOTO: ILUSTRATIVA

O portal G1-RN destaca nesta sexta-feira(25) que um idoso de 67 anos foi preso após atropelar uma mulher enquanto dirigia embriagado, na noite dessa quinta-feira (24) em Natal. O que chamou a atenção da polícia é que o suspeito já respondia por outros crimes e usava, inclusive, uma tornozeleira eletrônica. Pedras de crack foram encontradas dentro do veículo dele. O caso aconteceu no cruzamento das Avenida Presidente José bento (Avenida 3) com a Rua dos Canindés (Avenida 6), no bairro Alecrim, na Zona Leste da cidade. A vítima passa bem.  Veja como foi a ocorrência aqui em texto na íntegra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aof disse:

    Só prova que são irrecuperáveis.

  2. Gustavo disse:

    Esse daí é mais um inocente até o trânsito em julgado. Não façamos juízo de valor sobre esse pobre idoso injustiçado.

    • Diogo disse:

      Com certeza, além de tudo é um usuário de crack, o adereço na canela dele não o faz um criminoso.

FOTO: PRF prende três mulheres pernambucanas com droga na BR 406, na Grande Natal

Foto: Divulgação/PRF

A Polícia Rodoviária Federal prendeu, na tarde desta quarta-feira (07), três mulheres pernambucanas, com 80 gramas de maconha, durante fiscalização, na BR 406, em São Gonçalo do Amarante/RN.

Ao abordarem um veículo do tipo Punto de cor preta, os policiais desconfiaram do nervosismo das ocupantes. A condutora, uma mulher de 29 anos, e as outras duas passageiras ficaram bastante nervosas. Após questionamento, elas informaram que eram natural do estado de Pernambuco e que estavam indo de Natal para São Gonçalo do amarante.

Após busca minuciosa no interior do veículo, foram encontrados 80 g de maconha, uma pequena quantidade de haxixe e vários utensílios para uso da droga.

A ocorrência foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil de São Gonçalo do Amarante.

PM detém cinco suspeitos de crimes em Mossoró e apreende arma e drogas

IMG-20160316-WA0064Policiais das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM) do 12º Batalhão de Polícia Militar (12º BPM) detiveram na tarde desta quarta-feira (16), na Avenida Antônio Bento, no Conjunto Nova Vida, no Bairro das Malvinas, em Mossoró, cinco pessoas suspeitas de assaltos e outros crimes naquela região. Com eles a PM apreendeu um uma pistola caseira calibre 38 com três munições, além de seis trouxinhas de maconha e dinheiro fracionado.

O grupo foi localizado em uma residência naquela localidade. Entre eles estava Andro Alex Almeida da Silva, 23 anos, que já este preso acusado de assalto. Os outros suspeitos sendo um menor apreendido foram conduzidos pela para a Delegacia Especializada em Narcóticos (DENARC) para melhor apuração dos fatos e devidas autuações.

Desde o início do ano, os policiais do 12º BPM já apreenderam 20 armas de fogo em sua área de atribuição. No RN, em 2015, a PM apreendeu uma média de 80 armas mês.

Sistema Municipal de Políticas sobre as Drogas é discutido na CMN

Sessão CMN 09.03.16 - Foto ELPÍDIO JÚNIOR (12)A Prefeitura Municipal de Natal encaminhou projeto de lei à Câmara dos Vereadores (CMN) que cria o Sistema Municipal de Políticas Públicas sobre as Drogas. O projeto Nº 03/2016 foi colocado em votação na sessão ordinária desta quarta-feira (9), em regime de urgência, mas retirado após posicionamentos divergentes entre bancada do governo e oposição sobre o processo de votação da matéria.

O texto começou a ser apreciado em urgência à pedido do vereador Luiz Almir (PR), após explicações feitas presencialmente pelo Promotor de Justiça Onofre Neto, representando o Ministério Público na defesa do projeto. A proposta inicial da Mesa Diretora era votar a matéria em primeira discussão hoje e em segunda discussão na sessão de amanhã (10). No final das discussões entre os vereadores, a sessão foi suspensa.

“Tive a iniciativa de colher as assinaturas dos vereadores para garantir a votação em regime de urgência. Quando se trata de drogas, não podemos esperar nenhum minuto”, destacou Luiz Almir. Para Sandro Pimentel (PSOL), a importância do tema requer mais tempo dos vereadores para apreciação do projeto com responsabilidade e de maneira coerente.

“Nós tivemos conhecimento do projeto hoje e nos foi solicitado a votação em regime de urgência. A explicação do promotor sobre o projeto e sobre a necessidade de urgência foi esclarecedora, mas precisamos de mais tempo para poder apresentar emendas, que é um direito regimental nosso. Dei minha assinatura concordando com o regime de urgência, acreditando que poderíamos ter alguns dias para apreciar o texto com mais calma”, afirmou Sandro.

Com o projeto Nº 03/2016 , o Governo visa intensificar as ações em políticas públicas na prevenção ao uso abusivo de drogas, no acolhimento e reinserção social aos usuários e dependentes e na repressão ao tráfico de drogas em Natal.

O Sistema de Políticas sobre as Drogas terá uma natureza de ações multidisciplinares, com integração de diversas secretarias, como nas áreas de saúde, educação, segurança, assistência social, entre outros. “Ele será gerido pelo Executivo, através de um Comitê Gestor, por um Conselho Municipal e receberá recursos federais para financiamento das ações”, comentou o promotor Onofre Neto.

PM captura foragido da Justiça e apreende drogas e arma em Pau dos Ferros

Ocorrência Pau dos Ferros (2)Policiais militares da Rádio Patrulha capturaram na tarde desta segunda-feira (21), na Rua Maria do Espirito Santo, 313, no Bairro Conjunto Manoel Deodato, no município de Pau dos Ferros, o foragido Erison Gleidson de Lima Pereira, vulgo “Erim”. Com ele a PM apreendeu um revólver calibre 32, com capacidade para seis munições, contendo duas intactas. Também foi localizado de posse do infrator uma faca peixeira e um tablete de maconha, além de outros objetos.

Erison Gleidson tinha em seu desfavor um mandado de prisão pela prática de alguns furtos e roubos na cidade de Pau dos Ferros, sendo o mesmo suspeito de um assalto ocorrido no Bairro Princesinha. No momento de sua prisão, estavam com ele outras duas pessoas que também foram conduzidas à Delegacia de Polícia Civil para melhor apuração dos fatos.

[VÍDEO] Polícia Rodoviária Federal apreende quase 60 quilos de maconha na BR-101

A Polícia Rodoviária Federal (PRF), em uma operação conjunta com a Secretaria Estadual de Tributação (SET), aprendeu na tarde de segunda-feira (26), no km 174 da BR 101, no posto de fiscalização da divisa RN/PB, em Canguaretama, cerca de 57 kg de maconha prensada.

A droga foi encontrada em caixas de papelão, no porta malas de um ônibus que fazia a linha de São Paulo para Natal. O que chamou a atenção dos policiais foi o forte cheiro de naftalina exalado do compartimento de bagagens do ônibus.

O entorpecente estava na posse de um adolescente de 17 anos, natural de Barueri/SP. Segundo o jovem, a droga seria entregue a um desconhecido na estação rodoviária de Natal e que receberia a quantia de três mil reais pelo transporte. Ocorrência encaminhada à Delegacia de Plantão zona sul de Natal.

IMG_2737

Homem é preso com arma de fogo e drogas no Bairro Nazaré em Natal

Policiais das Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (Rocam) prenderam na tarde desta segunda-feira (24), Werton Fernandes da Costa, de 25 anos. A PM estava realizando um patrulhamento de rotina, na Rua Vicente Celestino, no Bairro Nazaré, na Vila Martins, quando se deparou com Werton Fernandes em atitude suspeita.

Um acompanhamento tático foi realizado e já no interior de sua residência foi apreendida certa quantidade de maconha e cocaína, uma balança de precisão, 60 reais em dinheiro fracionado, um revólver calibre 38 com 13 munições, sendo sete intactas, cinco percutidas e não deflagradas e uma deflagradas.

O infrator foi conduzido à Delegacia de Plantão da zona Sul para melhor apuração dos fatos e realização dos procedimentos legais.

Detran/RN e CPRE: Blitzen no fim de semana apreendeu 60 veículos, droga e ainda 10 CNHS foram retidas pelo teste do bafômetro

O Detran/RN e o Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE) realizaram durante a noite da última sexta-feira (07) e a madrugada do sábado (08) duas blitzen com intuito de preservar vidas, inibindo o tráfego de ciclomotores irregulares na cidade e a condução de veículos por parte de condutores alcoolizados. A operação foi iniciada na comunidade do Alto da Torre, na zona Norte da capital, e teve como foco a abordagem aos condutores de motonetas.

Nesse sentido, foram abordados 78 veículos, sendo 65 notificados por apresentar irregularidades e 60 apreendidos e removidos ao pátio do Detran. “As infrações mais comuns são do condutor não possuir CNH ou portar documentação do automóvel atrasada, como também por adulteração das especificações originais do veículo, como mudança de escapamento ou alteração de retrovisores”, explicou o coordenador de Educação e Fiscalização de Trânsito do Detran, Adryano Barbosa.

A fiscalização também deteve quatro motoristas que foram conduzidos a Delegacia de Plantão Zona Norte. Três desses foram flagrados portando 138 pedras de crack e um revólver calibre 38. Já o outro, era detento do semiaberto do Sistema Penitenciário Estadual e tinha em seu poder 10 comprimidos de Rivotril.

Lei Seca

Em um segundo momento, a Operação foi sequenciada na Praia de Cotovelo, nas proximidades do restaurante Barramares, onde estava ocorrendo um evento festivo. A ação dos técnicos do Detran e dos policiais militares teve como alvo os condutores que insistem em beber e dirigir. Foram fiscalizados 42 motoristas, sendo registradas 17 infrações. Desse total, 10 condutores foram autuados administrativamente por dirigir sob influência de álcool e tiveram as CNHs retidas.

“O propósito é promover a conscientização e segurança dos condutores e pedestres no intuito de preservar vidas, mas nós também estamos reprimindo os infratores”, concluiu o coordenador do Detran/RN, Adryano Barbosa.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Blitzen para bebados,, motos e carros irregulares apreendidos, faltar apreender motos com scaps barulhentos.
    Polícia na rua prendendo bandidos, chegando junto aos fatos ou se antecipando.
    Parabéns, Parabéns, Parabéns.

Mulher é presa ao tentar entrar em presídio de Natal com tablete de maconha, celular, cabo USB e fone de ouvido dentro da vagina

Virou uma modalidade de transporte. O que antes era noticiado com certa surpresa, hoje virou banal. Pois bem. Nesta quarta-feira (2), uma mulher de 25 anos foi presa ao tentar entrar no Presídio Provisório Raimundo Nonato Fernandes, em Natal, com nada mais, nada menos, que um tablete de maconha, um celular, um cabo USB e um fone de ouvido dentro da vagina.

Segundo a direção da unidade, a mulher disse que levaria o material para o marido, e que teria sido obrigada. Após o flagrante constatado pelo detector de metais, ela foi encaminhada ao Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) para q retirada dos objetos e da maconha. Em seguida, foi autuada por tráfico de drogas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcus Paulo disse:

    Vagina Cibernética…….

  2. Robson disse:

    Homem ….. enche isso de água e leva para irrigar as plantações no interior do estado

  3. Carvalho disse:

    E ainda tem inocente que defende o fim da revista íntima com a alegação de ser uma violação aos princípios e garantias fundamentais.
    A CCJ do senado brasileiro aprovou recentemente um projeto que proíbe a revista íntima (sem roupa) em estabelecimentos penais do país.
    Pela proposta, todos os visitantes devem ser revistados por meio de equipamentos eletrônicos como detector de metais ou raio-x. Nos casos em que houver necessidade de revista mais detalhada, ninguém será obrigado a tirar a roupa.
    Quem é o relator do projeto? senador do PT, Humberto Costa.
    Para ele, o objetivo do projeto é acabar com as "situações degradantes" a que são submetidos os visitantes.

  4. lampejão disse:

    …..E AINDA DIZ QUE É ARROCHADA…..rs

  5. Sergio Nogueira disse:

    Esqueceu de levar a TV de 40" e o home?

  6. ventura disse:

    Isso não é uma vagina, é um cacimbão.

  7. Eliésio disse:

    Na caixa? ou fora da caixa?

  8. Arthuro Bongiatto disse:

    O que um preso vai fazer com um tablet se já tem celular?? Absurdo

O "esconderijo" – (novo episódio em Alcaçuz): com maconha na vagina, mulher é detida durante visita

Não é o mesmo texto publicado recentemente. Mais uma vez, na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no dia de visita íntima, nesta quarta-feira (15), uma mulher foi presa com 82 gramas de maconha escondidas na vagina. O flagrante foi realizado durante a manhã.

A acusada é companheira de um detento que cumpre pena por tráfico de drogas e assalto. Segundo Dinorá Simas, diretora da penitenciária, a suspeita foi levada para revista íntima, resistiu e foi alertada que seria encaminhada até o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep). Encurralada, decidiu retirar o tóxico de dentro de sua genitália.

Alcaçuz: dois tabletes de maconha e frasco de óleo são encontrados em vagina de jovem durante visita íntima

Foi presa em flagrante na manhã desta quarta-feira (8), por volta de 7h30, com drogas na vagina, uma jovem de 20 anos no instante em que tentava entrar com drogas na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta.Vale destacar que a quarta-feira é dia de visita íntima.

Segundo Dinorá Simas, diretora da unidade, com jovem foram encontrados dois tabletes de maconha e um frasco de óleo. A suspeita foi concretizada depois de uma revista íntima.

A jovem conseguiu colocar a droga no seu órgão genital prensando a maconha e embrulhando em um saco plástico com fita isolante. O material seria levado para um detento que cumpre pena por tráfico de drogas e assalto.

Mulher passa por cirurgia em genitália após tentar entrar em presídio do RN com droga

Uma mulher foi parar na Urgência do Hospital Regional de Caicó, para retirar das partes íntimas certa quantidade de drogas. Tudo começou quando a jovem de 21 anos, residente em Carnaúba dos Dantas, tentou entrar na Penitenciária Estadual do Seridó, com drogas na vagina, mas, foi flagrada na entrada da Unidade.

Levada ao Itep, a droga não foi retirada porque era grande a quantidade, e teve que ser levada ao Hospital Regional. Somente com anestesia é que os enfermeiros conseguiram. Depois, a mulher foi encaminhada para a Delegacia de Polícia Civil, onde passa por autuação em flagrante.

A mulher disse que foi ao presídio para visitar seu marido que cumpre pena na Unidade.

Com informações do blogueiro e radialista Sidney Silva

Polícia Civil faz a maior apreensão de drogas na cidade de Mossoró em 2013‏

20130830_171137

Policiais Civis da Delegacia Regional e da Denarc de Mossoró prenderam no início da tarde desta sexta-feira o casal identificado como João Paulo da Silva Bezerra, gesseiro, e Salezia Ernesto de Souza, dona de casa, ambos de 26 anos.  Eles são acusados de tráfico de drogas.

O casal vinha sendo investigado há algum tempo. A prisão aconteceu por volta do meio dia na residência em que moravam, localizada na Rua Chico Xavier, 161, Planalto 13 de Maio, em Mossoró. Na ocasião foram apreendidos 6 quilos de crack  e um quilo e meio de cocaína, além de 3 balanças de precisão: uma grande, uma média e uma pequena.

Os presos prestaram depoimento e já foram encaminhados para o sistema prisional.

 

Polícia de SP identifica droga com efeito alucinógeno de até 30 horas

capsulavento

A Polícia Civil de São Paulo identificou uma droga que causa efeito alucinógeno de até 30 horas e que é pouco conhecida no Brasil, presente nas chamadas “cápsula de vento”, assim chamada por conter apenas uma quantidade mínima de droga dentro invólucro. Segundo a TV Globo, a droga foi apreendida em novembro do ano passado, na cidade de Jundiaí, interior de São Paulo, mas só agora ficou pronto o laudo da perícia no material.

A droga sintética, produzida em laboratório, foi encontrada no bairro Jardim São Camilo, em uma operação policial em que 73 pessoas foram presas. Com Alexandro Silva de Jesus, os policiais encontraram uma grande quantidade de maconha, cocaína, haxixe e comprimidos de ecstasy. Mas os policiais ficaram intrigados com uma outra droga achada e mandaram o material para análise.

Esta substância, normalmente encontrada na “cápsula do vento”, foi encontrada em Jundiaí no formato de selos. No Brasil, há poucos registros de apreensões desse tipo de droga, oriunda da Europa. Segundo a TV Globo, esta é a primeira vez que esta substância é achada em formato de selos.

— É preocupante porque trata-se de uma droga agressiva demais, abala o sistema nervoso central. Estamos nos preparando para tirar essa droga de circulação — disse Florisval Silva Santos, delegado da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (DISE) de São Paulo.

O Globo

Ex-ministros da Justiça defendem descriminalização do porte de droga para consumo próprio

Sete ex-ministros da Justiça dos governos Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva decidiram apoiar campanha a favor da descriminalização do porte de droga para consumo próprio. Os argumentos são apresentados em ofício ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, que receberá os ex-ministros em audiência hoje (16).

Assinam o documento Nelson Jobim, José Carlos Dias, José Gregori, Aloysio Nunes, Miguel Reale Junior, Márcio Thomaz Bastos e Tarso Genro. Eles apoiam movimento já iniciado por entidades da sociedade organizada como Viva Rio, Avaaz, Fundação Oswaldo Cruz e Associação Nacional dos Defensores Públicos.

O ministro Gilmar Mendes foi procurado porque é o relator de um recurso que ganhou, em 2011, status de repercussão geral – ou seja, a decisão nesse caso será aplicada a todos os demais processos sobre o mesmo tema no próprio tribunal e em instâncias inferiores. (mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodolfo disse:

    A FAVOR
    Permitir o acesso às drogas: esta hipótese assusta qualquer pessoa de bom senso. Melhor que não haja acesso. Melhor ainda seria que sequer houvesse drogas. Mas não é esta a realidade. A proibição prevista em lei não vigora. Drogas são vendidas em toda parte em que há demanda, independentemente da qualidade das polícias e dos gastos investidos na repressão. A guerra às drogas fracassou. Como os EUA demonstraram vencendo a guerra fria, nenhuma força detém o mercado. Pode-se apenas submetê-lo a regulamentações. É uma ironia que este mesmo país defenda a erradicação das drogas ilícitas.

    Eis o resultado do proibicionismo: crescem tráfico, corrupção e consumo. Estigmatizados, os usuários padecem da ignorância sobre as substâncias que ingerem, escondem-se em vez de buscar ajuda, e, mesmo quando não passam de consumidores recreativos eventuais, involuntariamente, alimentam a dinâmica da violência armada e do crime que se organiza, penetrando instituições públicas.

    Além disso, o Estado impõe aos escolhidos e classificados como “traficantes” -pelo filtro seletivo de nosso aparato de segurança e Justiça criminal- o futuro que pretende evitar: a carreira criminal. Digo “escolhidos” porque sabe-se que a mesma quantidade de drogas pode ser avaliada como provisão para consumo (quando o “réu” é branco de classe média) ou evidência de tráfico (quando o “preso” é pobre e negro).

    Retornemos à primeira evidência: o acesso às drogas –não o impedimento– é a realidade. Ora, se esta é a realidade e nenhum fator manejável, no campo da Justiça criminal, pode incidir sobre sua existência para alterá-la, a pergunta pertinente deixa de ser “deveríamos ou não proibir o acesso às drogas?”. Trata-se de indagar: em que ambiente institucional-legal o acesso provocaria menos danos? Que política de drogas e qual repertório normativo seriam mais efetivos para reduzir custos agregados, sofrimento humano e violência?

    Há ainda uma dimensão não-pragmática a considerar. Não considero legítimo que o Estado intervenha na liberdade individual e reprima o uso privado de substâncias, sejam elas álcool, tabaco ou maconha. A omissão do álcool no debate -droga cujos efeitos têm sido os mais devastadores- revela a artificialidade (alguns diriam, hipocrisia) das abordagens predominantes.

    Se o atual modelo foi derrotado pelos fatos, qual seria a alternativa? Proponho a legalização das drogas, e não apenas a flexibilização na abordagem do consumidor. O tráfico deveria passar a ser legal e regulado. Isso resolve o problema das drogas? Não, mas o situa no campo em que pode ser enfrentado com mais racionalidade e menos injustiças –e com menos violência, ainda que esse seja somente mais um argumento e não a única ou principal justificativa para a legalização.
    Há quem considere que uma eventual legalização não exerceria impacto sobre a violência, uma vez que os criminosos migrariam para outras práticas. Discordo. Acho que o efeito não seria desprezível: (1) sem drogas seria mais difícil financiar as armas;(2) mudaria a dinâmica de recrutamento para o crime, que perderia vigor, pois outros crimes envolvem outras modalidades organizativas e outras linguagens simbólicas, muito menos sedutoras e acessíveis aos pré-adolescentes; (3) entraria em colapso a maldição do crack e seus efeitos violentos; (4) se esgotaria a principal fonte de corrupção; (5) finalmente, como pesquisas demonstram, em cada processo de migração o crime perderia força e capacidade de reprodução.

    Opiniões respeitáveis aprovam esses argumentos, mas alertam: nada podemos fazer antes que o mundo se ponha de acordo e decida avançar rumo à legalização das drogas. Discordo. Se não nos movermos, não ajudaremos o mundo a mover-se. Com prudência, mas também com audácia, temos de nos rebelar contra esse perverso relicário de iniquidades.

    Luiz Eduardo Soares
    (Professor da UERJ e da Universidade Estácio de Sá, coautor de Espírito Santo [Objetiva, 2009] e ex-secretário nacional de segurança pública)

  2. armando disse:

    futuro do brasil, uma naçao de drogados.

Maconha é consumida diariamente por 1,5 milhão de brasileiros

No Brasil, 1,5 milhão de pessoas usa maconha diariamente. O índice de dependentes deste tipo de droga chega a 37%. E os homens usam três vezes mais a maconha que as mulheres. Os dados constam do II Levantamento Nacional de Álcool e Drogas – Uso de Maconha no Brasil, realizado pelo Instituto Nacional de Políticas de Álcool e Outras Drogas (INPAD) da Unifesp, em 149 municípios em todo o país, apresentados nesta quarta-feira pelo psiquiatra Ronaldo Laranjeira, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

De acordo com Laranjeira, o consumo entre adolescentes cresceu 40%, principalmente no sexo masculino, entre 2006 e 2012. E eles experimentam a droga cada vez mais cedo, antes dos 18 anos. Isso pode levar a ter surtos psicóticos na vida adulta.

– O índice de dependência também nos chamou atenção, 37%. Eu achava que ficaria em torno de 20%. Algo muito sério em termo de saúde pública, já que faltam programas e centros de tratamentos para usuários de droga no país – explica o psiquiatra. Segundo ele, dos 1,5 milhão de usuários diários de maconha, cerca de 500 mil são adolescentes. No grupo de jovens, os índices de dependência alcançam 10%. – Destes 500 mil, estima-se que 50 mil podem ficar psicóticos e vão precisar de tratamento psiquiátrico. Uma grave questão de saúde pública. Qual o impacto desse aumento do ponto de vista da saúde mental dos adolescentes? – diz Laranjeira.

A pesquisa aponta que 62% revelaram ter usado a maconha pela primeira vez antes dos 18 anos. E ainda que 7% da população adulta (8 milhões de pessoas) já provaram a droga. E 3% (3 milhões de pessoas) admitiram o uso no último ano. – Quando a pessoa admitia ter usado no último ano, era entregue uma segunda parte do questionário dentro de um envelope, para abordar o uso diário. Desta forma aumenta a confiabilidade – explica Laranjeira.

As entrevistas foram realizadas em domicílios, com 4.607 pessoas com idade a partir de 14 anos. Os questionários foram respondidos de maneira sigilosa.

O índice de dependência – 37% – surpreendeu o especialista. – Eu achava que ficaria em torno de 20%. Claro que, no Brasil, o consumo não é algo estrondoso como nos Estados Unidos, Canadá e alguns países europeus. Mas cada país tem que buscar a solução – avaliou o psiquiatra. Enquanto no Brasil 3% admitem ter usado a droga no último ano, nos EUA o percentual é de 10% e no Canadá, 14%. Na Itália, 11%.

Contra a legalização

A discussão em torno da legalização do uso da maconha também foi abordado na pesquisa da Unifesp. A maioria – 75% – não concorda. Já 11% concordam e 14% dizem ainda não ter uma opinião formada.

– Quem defende a legalização não nos dá a resposta sobre como tratar os dependentes – aponta Laranjeira.

Para ele, mais provável é que tenha havido um aumento do consumo de maconha nos últimos anos após o que ele chamou de “ frouxidão” legislativa. No Brasil, o porte de drogas, mesmo que para consumo próprio, é crime, mas o usuário é punido com penas restritivas de direitos, e não da liberdade.

– Os países com menor consumo de maconha, como Suécia e Japão, têm mais rigor e restrições. A solução não é colocar os usuários na prisão, mas nesses lugares há uma certa intolerância com o consumo. Que tipo de país queremos? – questiona o psiquiatra.

Fonte: O Globo