Política

Guerra das vacinas: Irmão de Miranda visitou laboratório dos EUA dias antes da denúncia

Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação

O enrolado com a Justiça deputado federal Luís Miranda (DEM-DF), pivô do tititi ontem sobre suspeita de compra irregular da vacina Covaxin pelo Ministério da Saúde, não contou a história toda ainda.

A bomba jogada por ele no noticiário, de que alertou o presidente Jair Bolsonaro sobre suposto esquema na pasta, saiu dois dias após o retorno dos Estados Unidos de seu irmão, Luís Ricardo Miranda, chefe da Divisão de Importação do Departamento de Logística do Ministério.

Segundo consta no D.O. da União, em pesquisa pela reportagem, ele ficou em Miami por seis dias, em missão oficial, para acompanhar tratativas de doação e possível negociação de vacinas do laboratório Janssen Cilag.

Luis Ricardo pode ter muito a contar para a CPI da Pandemia sobre sua visita. E o deputado encrenqueiro terá de explicar, também na Comissão, por que só revelou há dias algo sério que aconteceu em março – e não deu publicidade quando ocorreu há três meses.

Luís Ricardo Miranda é servidor de carreira da Saúde e foi promovido para o cargo atual em 2018, no Governo Michel Temer, pelo então ministro Gilberto Occhi. O deputado Luís Miranda, um neobolsonarista, acusado de picaretagem e estelionato, é filiado ao DEM, opositor ao Governo. Ele tenta proximidade com o presidente, que não o recebeu mais. Bolsonaro suspeita de sua ligação com o ex-ministro Luís Mandetta.

Conforme a Coluna noticiou meses atrás, há uma guerra velada de laboratórios dentro do Ministério da Saúde por vendas das vacinas em contratos vultosos. Miranda chegou a perder a função na gestão Pazuello, mas o ministro recuou e o manteve.

Coluna Esplanada

Opinião dos leitores

  1. “Terá de explicar, também na Comissão, por que só revelou há dias algo sério que aconteceu em março”, porque se ele conta logo tudo como fez o Sergio Moro ele corre o risco de ser achincalhado, crucificado e talvez correndo risco de vida como está acontecendo com o Moro.

  2. Só tem meninos bons esses acusadores e acusados. Tudo no bem bom e o povo se ferrando. E a ainda defedem essa mundiça.

  3. Dizia a minha saudosa e honesta mãe que ” Mentira tem pernas curtas”, ou, ” Pior do que a primeira mentira, são as seguintes para segurar a primeira” deixa investigar mesmo, como muitos vermelhinhos disseram “quem for podre que se tore”, nada de passar a mão na cabeça de ninguém, isso no Brasil tem que acabar, para o bem dos que tanto sofrem e precisam.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

VÍDEO: Polêmica sobre origem da Covid esquenta após imagens de morcegos no que seria laboratório de Wuhan

Assista reportagem AQUI

O vírus da Covid-19 teria escapado de um laboratório chinês, antes de se espalhar pelo planeta? O debate em torno desta possibilidade está cada vez mais quente. Foram divulgadas agora imagens mostrando morcegos vivos no que seria o interior do laboratório de Wuhan, uma instalação de segurança máxima.

O laboratório, inaugurado com grandiosidade em 2017, agora é alvo de uma discussão internacional, após a divulgação de um vídeo que traz imagens de morcegos vivos no que seria o interior do laboratório.

Os chineses e os seus parceiros científicos do Ocidente sempre negaram que houvesse criação de morcegos no Instituto de Virologia de Wuhan. O fato pode reforçar a possibilidade de que o vírus da Covid-19 não tenha vindo de um animal na natureza, mas sim que ele tenha escapado de um laboratório chinês.

O engenheiro Gilles, francês que mora na Nova Zelândia, faz parte de um grupo virtual chamado ‘Drastic’ – são detetives amadores da internet, que investigam as origens do vírus da Covid-19. Foram eles que acharam o vídeo em um site chinês. “Não é fácil encontrar um vídeo desses, porque o título nem sempre traz as palavras-chave para facilitar a busca. Tem de vasculhar muito, até tropeçar naquilo que interessa”, diz Gilles.

Outra descoberta do grupo ‘Drastic’ foi em 2020: em um artigo científico, pesquisadores de Wuhan revelavam ter encontrado, sem explicar direito como, um novo vírus. Foram eles que descobriram que este vírus já tinha aparecido, só que com outro nome, em um outro artigo chinês, e que o vírus tinha sido colhido pelos pesquisadores em uma caverna infestada de morcegos, em 2012. Veja a reportagem completa acima.

Fantástico – Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Relatório dos EUA conclui que coronavírus pode ter vazado de laboratório em Wuhan

Foto: Pixabay

Um relatório sobre as origens da Covid-19 realizado por um laboratório nacional do governo dos Estados Unidos concluiu que a hipótese de que o vírus vazou de um laboratório chinês em Wuhan é plausível e merece uma investigação mais aprofundada, de acordo com pessoas familiarizadas com o documento confidencial.

O estudo foi preparado em maio de 2020 pelo Laboratório Nacional Lawrence Livermore, na Califórnia, e foi usado pelo Departamento de Estado americano quando conduziu uma investigação sobre as origens da pandemia nos meses finais do governo do ex-presidente Donald Trump. Uma porta-voz do Lawrence Livermore se recusou a comentar o relatório, que permanece em sigilo.

Uma pessoa que leu o documento, datado de 27 de maio de 2020, disse que ele era um forte argumento para uma investigação mais aprofundada sobre a possibilidade de o vírus ter vazado de laboratório. O estudo também teve grande influência na investigação do Departamento de Estado sobre as origens da Covid-19. Funcionários receberam a pesquisa no final de outubro de 2020 e pediram mais informações, de acordo com um cronograma do escritório de controle e verificação de armas da agência, que foi revisado pelo The Wall Street Journal.

Não está claro o quanto as descobertas do relatório fizeram avançar a compreensão sobre a origem do novo coronavírus. O relatório também conclui que o vírus pode ter se desenvolvido naturalmente.

O documento esteve disponível para alguns legisladores desde o ano passado, fontes do Congresso americano disseram à CNN. O relatório agora ganhou peso político porque a hipótese do surgimento do vírus por um acidente de laboratório tem sido mais abertamente discutida, depois de ter sido descartada como uma teoria da conspiração.

Legisladores americanos consideram que o relatório sigiloso é relevante por ter dado algum apoio a essa teoria no momento em que a comunidade de inteligência dos EUA afirmava, pelo menos publicamente, que não acreditava que o vírus teria sido “criado por humanos”.

Gazeta do Povo com Estadão

Opinião dos leitores

  1. É muita hipocrisia e canalhice ! Bolsonaro e Trump estavam certos desde de lá do início! Cadê que agora a”grande” mídia vai cair em cima da China ?? Vai nada ! !! Vao ficar tudo bem caladinhas esperando outra verdade ser dita pelo presidente (que ainda n tenha sido comprovada tecnicamente, cientificamente, paradoxalmente) p ficar batendo. Bolsonaro é igual a massa de pão , quanto mais bate mais cresce

  2. Que isso, esse vírus não veio da China, quem falar isso deve se desculpar de imediato, pois pode prejudicar o país com sanções severas, essa cidade de Wuhan fica num povoado do interior do Pará, né isso?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Dupla assalta laboratório na Zona Sul de Natal

Uma dupla armada realizou um assalto no DNA Center na Rua São José, no bairro de Lagoa Nova, na Zona Sul de Natal. Na ação criminosa no fim da manhã desta segunda-feira(07), os marginais levaram celulares e joias de funcionários e clientes.

Opinião dos leitores

  1. O que esperar de um governo do PT, que prefere deixar os bandidos livres e felizes do que proteger o cidadão de bem que paga impostos?

  2. O negócio ta sério pro meu amigo Roberto, semana passada foi o da Airton Senna, agora esse..

    1. Enquanto isso a “guinvernadora goipi” esta no seu bunker escondida, ninguém sabe ninguém ver.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia prende assaltantes que realizaram arrastão em laboratório em Natal nesta segunda-feira

A polícia prendeu os assaltantes que realizaram um arrastão ao DNA Center da Avenida Airton Senna em Natal, na manhã desta segunda-feira(31). Detalhes da eficiente ação policial ainda não foram informados até a publicação desse post.

Opinião dos leitores

  1. Parabéns aos policiais! E investimentos e valorização a governadora por trazer mais policiais com concursos e na medida do possível investimentos e valorização!!!

  2. Parabéns a polícia e zero para governadora que não investe na formação, equipamentos e valorização das polícias.
    Se não fosse a ajuda do Governo Federal, na área da Segurança Pública do estado, a frota e equipamentos já estavam sucateadas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Bandidos fazem arrastão em laboratório em Natal

Imagens internas de câmeras de segurança registraram uma ação criminosa no início da manhã desta segunda-feira(31), na capital potiguar. Na ocasião, dois homens realizaram um arrastão no DNA Center na Avenida Airton Senna. Entre vítimas, funcionários e clientes.
Vídeo cedido abaixo:

Opinião dos leitores

  1. Cara Ana, triste e infeliz o seu comentário. Poderia ser vc ou alguém da sua família (espero que tenha), no momento do assalto. Uma pergunta, a vc, cara Ana: vc é contra a família? Bons costumes, etiqueta e educação, você é contra? Cuidado, a vida dá muitas voltas. Realmente, esquerdismo é uma doença. João Macena.

  2. Essas “vítimas da sociedade” agem livremente porque existe um “establishment intelectual” de esquerda que apoia esses criminosos. É por isso que querem o fim da Polícia Militar e estão sempre a favor de traficantes e contra a sociedade.

  3. Valha..um ladrão patriota (com a camisa do Brasil)… Será que TB é defensor da família e dos bons costumes?

  4. O Governo do RN precisa urgente aumentar as rondas nas ruas para proteger a população – ninguém nem exames pode fazer mais, clinicas, casas,escritórios, tudo sem proteção.
    A população tá presa e acuada e os bandidos soltos matando e tirando tudo da população que paga seus impostos e o minímo é ter direito a segurança.
    O ministério público poderia cobrar isso do governo, mais todos moram em casa e predios luxuosos de condominios fechados e com direito total a segurança.
    Ainda querem que o RN e Natal melhorem no turismo.
    Como, nem a praia temos segurança, nas estradas assaltos direto.
    Fátima faça alguma coisa – não adianta colocar auditório – policial tem que tá na rua protegendo a população.

  5. Esses são os que luladrao e seus cúmplices defendem, dizendo que rapazes inocentes e roubam apenas celulares e vez ou outra da um tiro e mata um cidadão. Só menino inocente.

  6. O nosso estado está entregue aos bandidos. O cidadão de bem virou refém e está cada vez mais acuado. O nosso (des)Governo nada faz.

    1. A jornalista não foi grosseria, nem estimulou assaltos a também não falou em política.
      Apenas publicou um assalto a uma unidade do DNA Center. Acho que houve uma má interpretação por parte de quem fala em denegrir a família ou em qualquer coisa diferente desse fato. A Verdade será Sempre a Verdade, doa em quem doer! Não distorção os fatos!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Comunidade de inteligência dos EUA analisa teorias sobre origem da Covid-19, entre elas, que o vírus teria ‘escapado’ de laboratório na China

Foto: Thomas Peter/Reuters 

O Escritório da Diretora de Inteligência Nacional (ODNI) dos Estados Unidos emitiu uma declaração pública incomum na quinta-feira (27) sobre o status de sua coleta de informações sobre as origens da pandemia de Covid-19, divulgando divisões dentro da comunidade de inteligência sobre se o vírus escapou de um laboratório na China ou ocorreu naturalmente.

A declaração segue uma ordem do presidente norte-americano, Joe Biden, na quarta-feira para a comunidade de inteligência redobrar seus esforços para descobrir a causa da pandemia nos próximos 90 dias.

A porta-voz da ODNI, Amanda Schoch, reiterou o anúncio de Biden de que a comunidade de inteligência ainda está trabalhando para determinar como o vírus se originou “mas se aglutinou em torno de dois cenários prováveis: ou surgiu naturalmente do contato humano com animais infectados, ou foi um acidente de laboratório”.

Schoch repetiu o que Biden disse na quarta-feira, que há uma diferença de opinião entre várias agências de inteligência e seus graus de confiança nas teorias.

“Enquanto dois elementos da Comunidade de Inteligência tendem para o primeiro cenário e um se inclina mais para o último – cada um com confiança baixa ou moderada. A maioria dos elementos dentro da comunidade não acredita que haja informações suficientes para avaliar uma como mais provável do que o outra”, disse Schoch.

A comunidade de inteligência sob a administração Biden tem sido notavelmente mais transparente sobre seu entendimento sobre certas questões-chave e está disposta a divulgar publicamente as diferenças de opinião entre as 18 agências de inteligência mais do que nos governos anteriores.

No início do ano, foram divulgados diferentes níveis de confiança entre as agências de inteligência sobre a existência de recompensas oferecidas pela Rússia ao Taleban para matar soldados americanos no Afeganistão.

A declaração de quinta-feira também é notável porque mostra que a comunidade de inteligência fez pouco progresso na determinação das origens do vírus desde sua primeira declaração sobre o assunto em abril do ano passado.

Em uma audiência no Congresso no mês passado, a Diretora Nacional de Inteligência, Avril Haines disse ao Comitê de Inteligência do Senado que as agências de inteligência dos EUA ainda não sabem “exatamente onde, quando ou como o vírus da Covid-19 foi transmitido inicialmente” na China.

Mas há uma nova pressão sobre o governo para resolver o problema depois que o Wall Street Journal e a CNN relataram novas informações que ressaltaram a plausibilidade da teoria do laboratório, bem como novos comentários de Anthony Fauci – o principal conselheiro médico de Biden – que reconheceu que ele e outros cientistas podem ter sido muito definitivos em declarações públicas anteriores descartando essa possibilidade.

Um relatório de inteligência dos EUA descobriu que vários pesquisadores do Instituto de Virologia de Wuhan, na China, foram hospitalizados em novembro de 2019 com sintomas consistentes com Covid-19 e outras doenças sazonais – um novo detalhe sobre a gravidade e o momento em que seus sintomas.

A China relatou à Organização Mundial da Saúde (OMS) que o primeiro paciente com sintomas semelhantes aos de Covid foi registrado em Wuhan em 8 de dezembro de 2019.

O diretor do Laboratório Nacional de Biossegurança de Wuhan, que faz parte do Instituto de Virologia de Wuhan, negou veementemente o relatório, chamando-o de uma “mentira completa” para o tabloide estatal chinês Global Times.

Os legisladores no Capitólio também pressionaram Biden a se aprofundar na origem da Covid-19, já que o governo chinês afirma que o vírus se originou e se espalhou naturalmente.

A senadora democrata Patty Murray, de Washington, presidente do Comitê de Saúde, Educação, Trabalho e Pensões do Senado, pediu na quarta-feira “respostas claras” da comunidade de inteligência sobre as origens do coronavírus e disse que seu painel exploraria quaisquer opções adicionais que pudesse.

Também na quarta-feira, a legislação apoiada pelos senadores republicanos Josh Hawley, do Missouri, e Mike Braun, de Indiana, foi aprovada por consentimento unânime exigindo que o governo Biden, especificamente Haines, tire o sigilo de qualquer material relacionado às ligações entre o Instituto de Virologia de Wuhan e as origens da pandemia de Covid 19.

Enquanto isso, os EUA e seus aliados continuam a pressionar a China “para participar de uma investigação internacional completa, transparente e baseada em evidências e a fornecer acesso a todos os dados e evidências relevantes”. O governo chinês também resiste a se envolver na segunda fase de investigação da OMS.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Para o vagabundo-mor, todo dia é sexta-feira. #DireitaVagal

  1. Tem que ser feito por um laboratório de ciências científicas da china comunista, comunismo só trás merda,covid criado por cientistas comunistas para acabar com o mundo,ainda ficam conversando merda, safados, comunismo só faz merda

    1. Apoiado Max Dantas, essa corja de pilantras que adora viver das migalhas do estado, estão ficando sem discurso. Tudo leva a crer que essa teoria é verdadeira, brincar com isso não tem graça, taí o preço, inclusive, esses eternos defensores do comunismo deviam ir viver lá, país simpático, lindo, livre, precisando de trabalhadores, justo, eles, defensores dos regimes totalitários deviam saber que a coisa lá pega, destrói, manda para campos de concentração, humilha e envergonha a família.

    2. A China é mais capitalista e desenvolvida que o Brasil. Vão estudar.
      Comunismo acabou só existe na loucura de vcs!

    1. A canalhice de vcs chega a ser até engraçada. Kkkkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Diretor de laboratório de Wuhan diz que relatório dos EUA sobre vários pesquisadores hospitalizados em novembro de 2019 é “mentira completa”

Foto: Reuters

O diretor do Laboratório Nacional de Biossegurança de Wuhan disse à mídia estatal chinesa na segunda-feira que a alegação em um novo relatório da inteligência dos Estados Unidos de que vários pesquisadores do laboratório foram hospitalizados em novembro de 2019 era “uma mentira completa”.

“Essas alegações são infundadas”, disse o diretor do laboratório, Yuan Zhiming, ao tablóide nacionalista Global Times. “O laboratório não tem conhecimento dessa situação, e eu nem sei de onde veio essa informação.”

A CNN entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores da China para obter uma resposta. O ministério realizará sua coletiva de imprensa diária na segunda-feira, às 15 horas, horário local (4h00, no horário de Brasília)

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. E alguém acharia que a DITADURA chinesa iria se incriminar? Dá prá acreditar que esse diretor do laboratório iria contrariar o Partido Comunista Chinês? Essa grande mídia é uma piada.

  2. O engraçado é que o texto notícia que a CNN entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores da China para obter resposta, como se a China não fosse uma ditadura e que, portanto, a resposta seria a verdadeira. Ridícula essa imprensa. Acham que o leitor é idiota.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTO: Polícia Civil desativa laboratório de drogas no Paço da Pátria em Natal

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis da Delegacia Especializada de Narcóticos (DENARC), em ação conjunta com a Força-Tarefa de Combate ao Crime Organizado do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), coordenada pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (SEOPI/MJSP), desativaram, na manhã desta sexta-feira (12), um laboratório de drogas na comunidade do Paço da Pátria.

As diligências foram iniciadas após uma denúncia anônima informando que um imóvel naquela comunidade estaria sendo usado como laboratório para o refino de crack e cocaína. Chegando ao local, as equipes constataram a veracidade da informação.

Com a chegada das equipes, diversos fogos foram soltados, como forma de aviso, e com isso os ocupantes do imóvel conseguiram fugir. Porém, foram apreendidos, no local, uma prensa hidráulica para compactação da droga, um tablete de crack, balanças de precisão, radiocomunicadores, rolos de papel filme e cadernos de anotações.

As investigações continuarão no sentido de identificar os responsáveis pelo material encontrado. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. Só para ajudar a Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS, que o correto é "PASSO" (com ss significa local de passagem estreita e difícil, desfiladeiro) e não "PAÇO" (com ç significa "palácio)".

  2. O negócio está tão fácil e bom que daqui a pouco vamos virar exportadores. A tentativa nefasta de liberar o uso de drogas, as facilidades de circulação permitidas nos últimos anos, só nos levam ao perigo da degradação e morte.

    1. Até agora a política de enfrentamento ao problema é um grande sucesso. Pra que mudar? Mete os ratinhos na jaula enquanto quem manda são os leões.

    2. Francisco de Assis, um deputado de esquerda do Rio (Alexandre Molon, do PSB) pediu ao STF para proibir a polícia de entrar nas favelas do Rio e de usar helicópteros.
      A Globo também vive falando mal da polícia.
      Por que a esquerda e a imprensa vivem falando mal da polícia?
      Bolsonaro queria colocar o exército.
      Se colocar a esquerda e a Globo vão chiar.
      Preferem traficantes.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Laboratório em SP detecta variante do coronavírus; mutação não é mais letal do que outras, mas pode ser mais transmissível

Foto: LMMV/IOC/Fiocruz, LVRS/IOC/Fiocruz e Nulam/Inmetro 

Pesquisadores da Dasa anunciaram nesta quinta-feira (31) a identificação de uma nova variante do SARS-CoV-2 em São Paulo. A cepa B117 do vírus já foi detectada no Reino Unido e em outros 18 países, como Portugal, Dinamarca, Austrália, Índia, Coreia do Sul e Canadá. Segundo o labortatório, a descoberta já foi informada ao Instituto Adolgo Lutz e à vigilância sanitária.

A confirmação da nova cepa em circulação no Brasil foi feita através do sequenciamento genético em dois pacientes, realizado pela Dasa e pelo Instituto de Medicina Tropical da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IMT-FMUSP).

A mutação não é mais letal do que outras variantes dominantes, mas pode ser mais transmissível. A pesquisadora do IMT Ester Sabino afirmou que a descoberta aumenta a necessidade de manter os cuidados sanitários. “Dado seu alto poder de transmissão, esse resultado reforça a importância da quarentena e de manter o isolamento por 10 dias, especialmente para quem estiver vindo da Europa.”

O diretor médico da Dasa, Gustavo Campana, ecoa a fala de Sabino. “A prevenção ainda é o método mais eficaz para barrar a propagação do vírus: lavar as mãos intensificar o distanciamento físico, usar máscaras e deixar os ambientes sempre ventilados”, enumera.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Pobretão em argumentos, só xinga com o que sempre o conceituaram. Picaretagem

    2. Falou o zumbi contaminado com o comunavirus, que passa dia e noite em redes sociais sem falar coisa com coisa e espumando pela boca feito um cão raivoso…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Hong Kong identifica possível surto em laboratório que estuda covid-19

Foto: Anthony Kwan/Pool via REUTERS

Um laboratório da Universidade de Hong Kong em que pesquisas sobre o coronavírus estão sendo realizadas pode ser a origem de um dos mais recentes surtos detectados na cidade semi-autônoma chinesa, informou a imprensa local nesta segunda-feira (21).

De acordo com a televisão pública RTHK, as autoridades confirmaram no sábado (19) um caso entre funcionários do laboratório, sendo que o coronavírus foi encontrado em 14 das 37 amostras ambientais coletadas nas instalações, localizadas na Escola de Saúde Pública.

Assim, mais de 40 colegas do trabalhador infectado foram colocados em quarentena, embora nenhum deles tenha testado positivo até agora.

As amostras do coronavírus analisadas em laboratório não eram contagiosas, e as autoridades sanitárias do município garantiram que não há evidências de que a infecção tenha ocorrido nas instalações.

Na verdade, o centro tem submetido todos os funcionários a exames semanais como medida de precaução.

Laboratório sob comando de renomado virologista

O jornal local South China Morning Post destacou hoje que o laboratório está sob o comando do renomado virologista Malik Peiris, um dos principais pesquisadores do vírus causador da pandemia do novo coronavírus em Hong Kong.

Suas realizações incluem ter sido o primeiro a confirmar a infecção em um cachorro em março e colaborar com o governo local em estudos sorológicos e de resposta imunológica.

Peiris não terá que ficar em quarentena porque não esteve na cidade recentemente e está atualmente no Sri Lanka, segundo fontes citadas por aquele jornal.

Situação na região

A situação em Hong Kong melhorou nas últimas semanas, após um verão turbulento devido a uma terceira onda de infecções, que começou no início de julho e quadruplicou o número de infectados após ter detectado apenas cerca de 1,2 mil até o final de junho.

No domingo, porém, a cidade registrou 23 infecções – quatro delas importadas de outros países -, o maior número em quase um mês, e contrasta com a situação do último dia 15, em que nenhum caso foi detectado pela primeira vez desde o início da terceira onda.

A ex-colônia britânica tem mais de 5 mil casos e 103 mortes por covid-19 até agora.

EFE

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

BRINCANDO COM O DESCONHECIDO? Micróbios de 100 milhões de anos são “ressuscitados” em laboratório

(Foto: JAMSTEC/Nature)

Em um novo estudo publicado na terça-feira (28) na Nature Communications, pesquisadores da Agência Japonesa de Ciência e Tecnologia Terra-Marinha (JAMSTEC) conseguiram “ressuscitar” microrganismos com mais de 100 milhões de anos. Eles foram coletados há 10 anos no sistema de correntes marítimas Giro do Pacífico Sul, a região desse oceano com menor produtividade e nutrientes disponíveis.

“Nossa principal pergunta era se a vida poderia existir em um ambiente com poucos nutrientes ou se essa era uma zona sem vida”, disse Yuki Morono, líder do estudo, em declaração. “E queríamos saber quanto tempo os micróbios poderiam sustentar sua vida quase sem comida.”

No fundo do mar, existem camadas de sedimentos orgânicos provenientes de poeira e partículas que são transportadas pelas correntes de vento e do oceano. Nesses detritos, ficam presos diversos tipos de microrganismos — e foram exatamente esses micróbios que os japoneses decidiram investigar.

Usando uma sonda, os cientistas perfuraram núcleos de sedimento por cerca de 100 metros, a quase 6000 metros abaixo da superfície do mar. Os cientistas descobriram que o oxigênio estava presente em todas as regiões exploradas, sugerindo que, se o sedimento se acumular lentamente no fundo do mar a uma taxa de não mais de um ou dois metros a cada 1 milhão de anos, o oxigênio estará presente nestas camadas.

As amostras de microrganismos coletadas foram incubadas e alimentadas durante um longo período — e aí veio a surpresa: a grande maioria dos micróbios ainda estavam vivos. “No começo eu estava cético, mas descobrimos que até 99,1% dos micróbios em sedimentos depositados 101,5 milhões de anos atrás ainda estavam vivos e prontos para comer”, contou Morono.

A equipe de pesquisa espera aplicar uma abordagem semelhante a esta em outros estudos geológicos. De acordo com Morono, a vida desses microrganismos é muito mais lenta que a nossa e, portanto, a velocidade evolutiva deles também é menor. “Queremos entender como ou se esses micróbios antigos evoluíram”, disse o pesquisador. “Este estudo mostra que [os sedimentos no fundo do oceano] são um excelente local para explorar os limites da vida na Terra.”

Galileu

Opinião dos leitores

  1. Não se deve manipular a natureza dessa forma… mexer no q tá quieto é perigoso… pode vir mais pandemias por aí… ninguém pode garantir a segurança desse tipo de pesquisa…

  2. Agora a terra veia quebra de vz.
    Daqui a pouco vai aparecer alien saindo dos bucho do povo e vão dizer q não sabiam de nada.
    Mexer no que tá quieto só dá prejuízo.
    Vamos aguardar os próximos capítulos

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), da UFRN, seleciona bolsista nas áreas de Jornalismo e Língua Portuguesa

(Foto: Reprodução)

O Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), divulgou edital para a seleção de bolsista de iniciação científica para o Projeto de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Aplicado a Esclerose Lateral Amiotrófica. As inscrições podem ser feitas até o dia 16 de agosto, por meio da Plataforma de Processos Seletivos do LAIS, disponível no endereço https://selecoes.lais.huol.ufrn.br/. Veja o edital.

O processo visa a seleção de alunos de graduação que estejam regularmente matriculados em curso da UFRN nas áreas de Comunicação Social/Jornalismo e Letras – Língua Portuguesa, todos a partir do 5º período do curso. Os candidatos aprovados no processo seletivo comporão uma lista de cadastro de reserva, sendo então convocados conforme a ordem do resultado final da seleção, a disponibilidade de eventuais vagas e a validade do processo seletivo.

Os candidatos convocados deverão, no âmbito do Projeto revELA, desenvolver atividades e pesquisas relacionadas com a acessibilidade de materiais didáticos impressos e audiovisuais ou qualquer outro produto desenvolvido pelo Projeto.

Para participar da seleção é preciso ter disponibilidade para cumprimento de até 20 horas semanais, conforme plano de trabalho a ser definido no início das atividades. O valor da bolsa é de R$ 600,00, mensais.

UFRN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Cientistas brasileiros testaram com sucesso droga que combate a aids contra o coronavírus Sars-CoV-2 em laboratório

Foto: AFP

Uma droga usada no tratamento de pessoas com Aids se tornou uma esperança para o combate à Covid-19. Cientistas brasileiros testaram com sucesso contra o coronavírus Sars-CoV-2 em laboratório o antirretroviral fumarato de tenofovir desoproxila, empregado contra o HIV. Dentro de duas semanas, ele deve começar a ser testado em pacientes com Covid-19 de baixa e média gravidade.

O tenofovir não faz parte da lista de drogas selecionadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para testes em larga escala no mundo. Mas um grupo de cientistas de São Paulo descobriu que sua composição o torna um candidato em potencial para combater o Sars-CoV-2.

Ele tem a capacidade de se ligar num trecho específico de uma proteína importante para o coronavírus se multiplicar dentro de células humanas infectadas, explica Eurico Arruda, professor titular de virologia da Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto e um dos autores do estudo.

O trabalho começou quando o pesquisador Norberto Lopes, do Núcleo de Apoio a Pesquisa em Produtos Naturais e Sintéticos (NPPNS), da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP de Ribeirão Preto, viu que a estrutura química do tenofovir o tornava promissor contra o Sars-CoV-2. Lopes estuda há anos formas de simplificar e baratear síntese no Brasil de antirretrovirais usados no tratamento da Aids, conhece bem sua estrutura, e trabalhou no projeto em associação com Giuliano Clososki, também da Faculdade de Ciências Farmacêuticas.

Arruda e Luis Lamberti da Silva, que também é da Faculdade de Medicina, testaram a droga contra Sars-CoV-2 em cultura e verificaram que o tenofovir inibia a produção de vírus, por emperrar o mecanismo de multiplicação do coronavírus.

Emperrado, sua replicação fica ineficiente, e a infecção não vai adiante. Em cultura de células, a droga conteve o causador da Covid-19, e o passo seguinte é descobrir se o sucesso no laboratório se repete em pacientes — não custa lembrar que muitas substâncias fracassam nessa etapa.

Os testes clínicos com doentes de Covid-19 serão realizados em parceria com o Hospital São José de Doenças Infecciosas, em Fortaleza. A instituição do governo estadual do Ceará participa de estudos contra a Covid-19 e se interessou pelo tenofovir.

Em duas semanas

Após receber a autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), diz Arruda, os testes com pacientes devem ser iniciados dentro de duas semanas num projeto com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Os testes devem ser realizados com pacientes cujo quadro ainda não evoluiu para a chamada tempestade imunológica, quando o ataque descontrolado do sistema de defesa se torna mais grave do que a ação do coronavírus em si. São pacientes de leve e média gravidade, mas que poderiam ter o avanço da doença revertido por medicamentos.

Será testado tanto o tenofovir sozinho quanto em combinação com outro antirretroviral chamado entricitabina. Os dois já são usados juntos no coquetel anti-Aids cujo nome comercial é truvada.

— Nenhuma dessas drogas de uso redirecionado é a solução para a Covid-19. Mas, potencialmente, podem ajudar muito os doentes num momento em que não existe tratamento específico, vacina, e o Brasil já passa do meio milhão de infectados — frisa Arruda.

Extra – O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Macacos atacam laboratório, roubam sangue infectado com Covid-19 na Índia e criam temor de maior disseminação do vírus em áreas residenciais

Foto: PvanDijk/ Pixabay

Um grupo de macacos atacou um laboratório médico na Índia e levou amostras de sangue de pacientes que foram diagnosticados com novo coronavírus, disseram autoridades nesta sexta-feira (29).

O ataque ocorreu nesta semana, quando um técnico de laboratório andava no campus de uma faculdade de medicina estatal em Meerut, 460 quilômetros ao norte de Lucknow, capital do estado de Uttar Pradesh.

“Os macacos pegaram e fugiram com as amostras de sangue de quatro pacientes com Covid-19, que estão em tratamento… tivemos que colher as amostras de sangue novamente”, disse o médico S. K. Garg, um dos responsáveis pela faculdade.

As autoridades locais afirmaram não saber se os macacos haviam derramado as amostras, mas as pessoas que moram perto do campus disseram temer uma maior disseminação do vírus caso os macacos tenham levado o material orgânico para áreas residenciais.

Garg disse que não está claro se os macacos podem contrair o novo coronavírus caso entrem em contato com o sangue infectado. “Não foram encontradas evidências de que os macacos possam contrair a infecção”, disse o médico à agência Reuters.

Acredita-se que o novo coronavírus tenha passado para humanos a partir de animais infectados em um mercado de animais silvestres na cidade chinesa de Wuhan no final do ano passado.

Nos últimos tempos, cada vez mais os macacos estão se deslocando para ambientes humanos na Índia, causando distúrbios e até mesmo atacando pessoas. Ambientalistas dizem que a destruição do habitat natural é a principal razão pela qual os animais se mudam para as áreas urbanas em busca de comida.

De acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, a Índia tem mais de 167 mil casos de Covid-19 e, ao menos, 4.797 mortes causadas pela doença.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Nossa, o mesmo problema que nós temos com animais! A diferença é que o nosso problema é com bovinos…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

EUA investigam a possibilidade de o novo coronavírus ter vazado de laboratório chinês

Foto: Getty Images

A origem da pandemia de Covid-19 virou um motivo de disputa entre os Estados Unidos e a China. Donald Trump afirmou que o governo americano investiga rumores envolvendo um instituto de virologia da cidade de Wuhan.

Um estudo de autores da própria China, publicado em janeiro na revista científica The Lancet, já colocava em dúvida a explicação do governo chinês para a origem da infecção. De acordo com essa explicação, os primeiros pacientes teriam sido infectados em um mercado de Wuhan.

A linha de investigação dos americanos é que a transmissão em humanos tenha se iniciado no Instituto de Virologia de Wuhan (conhecido pela sigla WIV).

Nesse local, são estudados coronavírus que atingem morcegos. O que os americanos estão investigando é se foi nesse laboratório que um vírus de morcego infectou um humano pela primeira vez –seria esse o paciente que, sem querer, levou o Sars-Cov-2 para fora e o espalhou.

Esse foi o primeiro laboratório da China a receber a maior certificação de segurança, em 2015. No entanto, um texto publicado no “Washington Post” nesta semana afirma que diplomatas americanos visitaram o laboratório em 2018 e ficaram preocupados com as fragilidades.

Em janeiro daquele ano, diplomatas e cientistas dos EUA visitaram o WIV e depois enviaram dois telegramas diplomáticos (relatórios) ao governo em Washington. O laboratório não tinha condições de segurança adequadas, e que os estudos com coronavírus eram arriscados, afirmavam.

Esses relatos dos diplomatas pediam mais atenção ao tema e ajuda para lidar com problemas de segurança no laboratório WIV.

Na ocasião, os americanos que visitaram as instalações afirmaram que estavam preocupados com a falta de treinamento dos funcionários do laboratório, de acordo com um texto publicado pelo “Washington Post”.

O francês Luc Montagnier, vencedor do Nobel de Medicina de 2008, afirma que o coronavírus SARS-CoV-2, causador da covid-19, foi criado em um laboratório de Wuhan, na China

Investigações ainda são inconclusivas

Até agora, as investigações sobre isso são inconclusivas, disse o general Mark Milley, chefe do Estado Maior das Forças Armadas dos EUA.

A origem do Sars-Cov-2 ainda é um mistério, mas “o peso das evidências” indica que o novo coronavírus é natural e não foi criado em um laboratório, afirmou ele na quarta-feira (16).

Uma pesquisa publicada na revista científica Nature concluiu que o Sars-Cov-2 não foi desenvolvido nem manipulado em laboratório.

Pesquisador nega rumores

O principal pesquisador do WIV, Shi Zhengli, nega que a transmissão em humanos tenha se iniciado no instituto.

A França também afirmou que não há evidência de nenhum elo entre o novo coronavírus e o laboratório com a maior certificação de segurança que existe.

Um representante do gabinete da presidência da França disse que não há evidência factual que corrobore a história.

G1

Opinião dos leitores

  1. Não é a primeira vez que a China causa grandes problema de saúde para populaçao mundial,quem nao lembra da gripe aviária,peste suina,h1n1,e agora esse vírus chines,,,,Canalhas têm que serem punidos!!!!

  2. Gostaria de entender pq esses galados manipulam virus mortais em laboratorio

    Esta faltando oq ainda p explicar q esses chineses criaram o virus p se beneficiarem agora superfaturando material hospitalar e provavelmente ja tenham a vacina tbm so estao esperando vender mais os produtos p finalmente vender a vacina.

    O que o dinheiro e o poder nao fizer so o satanas faz.

  3. E de onde os EUA tem credibilidade para investigar? Pais maia mentiroso do mundo. Alguém lembra das armas químicas só Iraque? Até hoje não acharam…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *