Deltan Dallagnol diz que corrupção reage à Lava Jato: “O rolo compressor político quer o retrocesso”

Foto: Geraldo Bubniak / Agência O Globo

Deltan Dallagnol, em entrevista à Época, falou sobre a reação de setores da classe política à Lava Jato.

Segundo o coordenador da força-tarefa, o “rolo compressor político quer o retrocesso”. “A corrupção reage”, afirma.

“Existe um oportunismo de buscar e identificar qualquer brecha para atacar a operação, distorcer fatos e atacar os personagens que acabaram tendo protagonismo na operação. E o objetivo disso, a meu ver, não é atacar a pessoa do Deltan, a pessoa do Moro. É atacar o caso, a Lava Jato”, disse.

Dallagnol afirmou ainda:

“O que a sociedade precisa reconhecer é que não é suficiente um grupo de procuradores, policiais, juízes, auditores, de pessoas, lutarem contra o sistema corrupto. Talvez a ilusão tenha sido em algum momento acreditar que a Justiça iria se sobrepor ao sistema político.”

O Antagonista com Época

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Getro disse:

    Juízes e promotores tem sempre uma resenha antes de uma sentença…… é normal……

  2. Pepê disse:

    Dr Deltan, fique tranquilo, a essa altura do campeonato, depois de Dr Moro o senhor já é o terceiro da fila ok?? Enquanto os esquerdopatas, só tem o preso, Lula da silva.
    Isso quer dizer, que podem espernear, PT ladrão nunca mais.
    Tchau corruptos.

  3. Mário Villar Ribeiro Dantas disse:

    Enquanto a chamada força da natureza composta pela banda corrupta da política, a banda corrupta do empresariado e a banda comprada da imprensa não acabar com a lava jato ela não desistirá, até porque não tem outra saída para sobreviver e continuar roubando à população e destruindo o país ,em beneficio próprio.

  4. Olimpio disse:

    Se na nossa justiça existisse uns 10 Moro e uns 10 Deltan nosso país era outro.

  5. Raimundo da Silva disse:

    Vejo pessoas defendendo seus lados na política, vejo gritos em favor de um e outro, vejo que realmente dividiram o país politicamente.
    Nisso tudo existe algo INCONTESTÁVEL: " O QUANTO A VERDADE VEM INCOMODANDO".
    Incomoda tanto que muitos vivem das ilusões criadas para NÃO SENTIR A DOR QUE A VERDADE causa.
    Impressiona ver o quanto esse país foi levado, dominado e doutrinado a viver de utopias criadas em nome da continuidade no poder.
    Temos uma parte significativa do povo brasileira devidamente ADESTRADOS, DOUTRINADOS, MANIPULADOS para só ouvir, entender e seguir o que 01 partido fala, cria e vende. O domínio na mente dessas pessoas é tão FORTE e SIGNIFICATIVO que eles se olham não se vêem. VÃO GRITAR E ACUSAR OS OUTROS DE SER E FAZER AQUILO QUE PRATICAM. Com isso fica a pergunta: Fazem propositalmente ou por desespero?????

  6. Allan Penalva disse:

    Entendo ele, mas o que se está discutindo são os meios que ele queria usar para atacar as pessoas envolvidas nos processos, disso ele não falou, ou seja tá mesmo esperando o coice de Gilmarzinho, que deve tá a caminho e disso não tenham dúvidas.

  7. Antonio Turci disse:

    Na condição de brasileiro e da liberdade de opinião, embora reconhecendo minha humildade, externo minha total confiança em Deltan, Moro e demais bravos que levam adiante a Operação Lava Jato. Pena que parte significativa do país não faça o mesmo e, agindo assim, contribua para dificultar a moralização do país.

Demóstenes Torres inelegível por 14 anos

MPF-GO quer manter inelegibilidade de Demóstenes até 2027

Ex-senador tenta reduzir prazo em que fica impedido de se candidatar. Político foi cassado em julho de 2012 por quebra de decoro parlamentar

O Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO) se posicionou contra o recurso do ex-senador Demóstenes Torres (sem partido) para reduzir seu período de inelegibilidade. A decisão, proferida na tarde de terça-feira (8), quer que o senador cassado fique inelegível até 31 de janeiro de 2027, como determinou a 1ª Zona Eleitoral de Goiás.

Cassado por quebra de decoro parlamentar em julho de 2012, Demóstenes ficou inelegível por oito anos. Ele entrou com recurso para reduzir de 2027 para 2023 o período em que fica impedido de se candidatar. A defesa do ex-senador pede que o prazo comece a contar a partir de 2012, quando ele perdeu o mandato.

Mas o MPF argumenta que, de acordo com a Lei Complementar 64/90 (Lei das Inelegibilidades), o prazo começa a contar a partir de 2019, quando terminaria o mandato do ex-Democrata. “A dupla contagem de um mesmo período para dois prazos distintos não merece acolhida, devendo haver contagem sucessiva, como em todas as demais hipóteses de inelegibilidade”, diz o parecer do órgão.

O pedido de redução foi devolvido à juíza do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO) Doraci Lamar, relatora do processo, mas só deverá ser julgado após o dia 21 de janeiro, quando termina o recesso eleitoral.

Demóstenes teve o mandato de senador cassado no dia 11 de julho, por quebra de decoro parlamentar. Ele foi acusado de usar o mandato parlamentar para beneficiar o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Fonte: MPF/GO

Henrique Alves está entre os 100 parlamentares mais influentes do Congresso Nacional

O líder do PMDB na Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (RN), está na lista dos 100 políticos mais influentes do Congresso Nacional pela 13ª vez. O levantamento foi divulgado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar. A lista do DIAP incluiu o líder entre os 61 deputados e 39 senadores considerados “Cabeças” do Congresso Nacional. Dezesseis parlamentares do PMDB, na Câmara e no Senado, integram o estudo do DIAP.

O DIAP está integrado a 900 entidades sindicais de trabalhadores e se consolidou como um dos principais observatórios da política brasileira. Antônio Augusto de Queiroz, Diretor de Documentação do DIAP e responsável pelo estudo, explicou no site do instituto que Henrique Alves está no levantamento na categoria “articulador”. A principal característica do deputado é a capacidade de se relacionar com a bancada, atualmente com 79 parlamentares, e de negociar com as demais lideranças do governo e da oposição.

Henrique Alves se sentiu honrado com o reconhecimento do DIAP. “Mais uma vez agradeço ao DIAP o respeito em incluir nosso nome entre os 100 mais influentes e atuantes Deputados e senadores”, disse o líder. Ele explicou que o trabalho é muito árduo no exercício da liderança. “Tenho múltiplas funções, dentro e fora da Câmara. Nos Ministérios, Tribunais e reuniões com o Governo”.

O líder também acompanha os deputados em muitas audiências fora da Câmara, quando convocado pelos colegas, além de participar das discussões em diferentes áreas de Governo durante reuniões preparatórias para votações e projetos.

O trabalho do líder conta com o apoio de 18 vice-líderes, 6 deles no plenário, que falam pelo deputado quando o líder se ausenta durante as votações mais simples. “Nas discussões e votações mais decisivas, estamos sempre presentes para encaminhar e até na expectativa de influenciar outros votos”, disse o deputado.

Henrique Alves também resaltou a importância dos demais parlamentares do Rio Grande do Norte. “Toda nossa bancada é muito atuante. Cada um no seu estilo. Mas todos honram o nosso Estado”, comentou o líder. O senador José Agripino (DEM), como “debatedor” e a deputada Fátima Bezerra (PT), em “ascensão”, também figuram na lista do DIAP.

Quatro brasileiros em lista internacional de corrupção. Tem político citado mais de uma vez!

No momento em que os brasileiros acompanham o desenrolar de mais um escândalo de desvio de dinheiro público, o Banco Mundial lança um banco de dados em que cita 150 casos internacionais de corrupção. São diversas ocorrências em todo o mundo. E o Brasil não passa despercebido. Entre os representantes estão o deputado Paulo Maluf e o banqueiro Daniel Dantas.

Batizado de The Grand Corruption Cases Database Project, o projeto reúne informações de casos em que foram comprovadas movimentações bancárias de pelo menos US$ 1 milhão relacionados à corrupção e lavagem de dinheiro. A ideia teve origem em um relatório publicado pelo Banco Mundial no fim do ano passado. Segundo o estudo, a corrupção movimenta cerca de US$ 40 bilhões por ano no mundo.

O banco de dados coloca à disposição documentos e informações dos processos de cada caso, mas não há um ranking dos mais corruptos ou de qual país concentra casos mais graves e onerosos aos cofres públicos.

Entre os brasileiros presentes no levantamento, chama a atenção a dupla aparição do ex-prefeito da capital paulista e deputado federal, Paulo Maluf. Na primeira vez em que aparece no sistema, ele é acusado pelo procurador-geral de Nova York de movimentar US$ 140 milhões no Banco Safra, entre 1993 e 1996. Em outro processo, é acusado de desviar dinheiro de pagamentos fraudulentos para contas em bancos em Nova York e na Ilha de Jersey, no Reino Unido. O assessor de imprensa de Maluf, Adilson Laranjeira, disse ontem que “Paulo Maluf não tem nem nunca teve conta no exterior”.

O banqueiro Daniel Dantas também é citado no banco de dados criado pelo Banco Mundial pelo caso do Grupo Opportunity, em 2008, quando teve US$ 46 milhões bloqueados em contas do Reino Unido. Em nota, o Opportunity afirma que esse relatório é datado de 2008 e está desatualizado. “Em 2008, a farsa da Satiagraha ainda não havia sido desmascarada em toda a sua extensão. Por conta de possíveis erros como esse, o Banco Mundial expressamente não garante a veracidade das informações.”

O fundador e ex-presidente do Banco Santos Edemar Cid Ferreira também aparece na relação. Edemar rechaçou a publicação, alertando sobre a existência de um disclamer – segundo ele, um aviso da própria instituição de que “as constatações, interpretações e conclusões expressas no banco de dados não refletem necessariamente a opinião dos diretores executivos do Banco Mundial ou dos governos que eles representam”.

O caso do propinoduto, que envolveu o ex-subsecretário de Administração Tributária do Rio Rodrigo Silveirinha Correa e outros três fiscais e quatro auditores da Receita Federal, também é citado. “Meu cliente é acusado de corrupção passiva, mas até hoje não foi identificado nenhum corruptor”, afirmou o advogado de Silveirinha, Fernando Fragoso. Segundo ele, o fiscal não tomou conhecimento da citação do seu caso na lista.

Fonte: Estadão

Doze políticos com contas reprovadas ainda podem ter decisão reformada

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) divulgou uma nota na tarde desta quarta-feira (7) informando que houve um erro na divulgação do nome do deputado estadual George Soares como sendo um dos que tiveram suas contas reprovadas. Além disso, a Corte disse que alguns dos políticos que não tiveram as contas referentes ao pleito de 2010 aprovadas,  ainda podem ter a decisão reformada.

Nota na íntegra

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte – TRE/RN, a exemplo de outros tribunais do país, disponibilizou nesta segunda-feira, dia 5, para alguns veículos de comunicação, a pedido deles, uma relação contendo nomes de candidatos que disputaram o pleito de 2010 e tiveram suas contas desaprovadas pela Corte.

O TRE/RN, no entanto, em nenhum momento, afirmou que estes candidatos estariam inelegíveis ou impedidos de se candidatarem ao pleito de 2012, até porque cada caso precisa ser examinado de forma concreta, além da eventual possibilidade de a decisão do TSE ser posteriormente modificada.

Quanto à lista de candidatos com contas desaprovadas, divulgada pela imprensa, faz-se necessário tecer as seguintes observações:

1) O nome de George Montenegro Soares não deveria ter constado da lista, pois suas contas de campanha foram aprovadas com ressalvas pelo TSE em grau de recurso;

2) Alguns nomes da lista ainda podem reverter o status do julgamento das suas contas no TSE, pois interpuseram recursos que se encontram em tramitação naquele Tribunal. São eles: Flaviano Moreira Monteiro, Francisco Dantas da Rocha, Jocsã Cerqueira Cunha, Lucélia Ribeiro Dantas, Maria do Socorro de Queiroz Silva, Maria Tereza de Oliveira e Rosano Taveira da Cunha.

3) O candidato Genivan de Freitas Vale também poderá ser beneficiado, porque interpôs embargos de declaração ao próprio TRE/RN, impedindo, portanto, o trânsito em julgado da decisão, podendo, ainda, recorrer ao TSE.

4) A decisão de desaprovação das contas ainda não transitou em julgado para as seguintes pessoas, em razão de ainda se estar na fase de intimação das respectivas decisões: Gilberto Medeiros de Melo, Hélcio de Castro Guimarães, Lourival Ribeiro da Silva e Luiz Carlos de Mendonça Martins.

Assessoria de Comunicação Social

Ministro defende fim do foro privilegiado para políticos

Celso de Mello (Foto: STF)

Por interino

Mais antigo dos integrantes do STF (Supremo Tribunal Federal), onde despacha há 23 anos, o ministro Celso de Mello, 66, defende a extinção do foro privilegiado para todos os políticos e autoridades em matéria criminal.

Em entrevista a Rubens Valente, Fernando Mello e Felipe Seligman, publicada na Folha deste domingo (26), o ministro diz que o benefício não tem similar no mundo e deveria ser limitado a casos de delitos cometidos em razão do mandato.

A mudança só seria possível se o Congresso aprovasse uma emenda à Constituição acabando com o privilégio, mas o ministro afirmou em entrevista à Folha que pensa em propor a seus colegas no STF uma solução alternativa.

Rosalba pode apoiar Micarla, Rogério Marinho ou Felipe Maia e deixa Hermano de lado

As eleições 2012 estão vindo por aí e a governadora Rosalba Ciarlini já declarou que o primeiro critério para definir os apoios será a reciprocidade a quem a apoiou nas eleições de 2010. Será que ela vai apoiar a prefeita de Natal Micarla de Sousa? Pela declaração, pode-se dizer que sim.

O blog não quer desmerecer o trabalho feito pela prefeita de Natal. Pelo contrário, o que ela fez, fez bem feito. O único problema é a imagem desgastada que a Borboleta tem hoje pelo que não fez ou pelo que fez que a população considera mal feito.

Questionada sobre os apoios, durante o café de hoje com os colegas da imprensa, ela foi direta: “Cada município é um caso, mas vamos primeiro olhar para quem esteve com a gente, nos apoiando em 2010”, disse.

Será que nas próximas eleições municipais teremos uma brisa em Natal fazendo a Rosa e a Borboleta voarem juntas? Ou será que teremos reviravoltas com nomes “novos” como o de Felipe Maia ou de Rogério Marinho que também a apoiaram?

Pelo discurso, uma coisa é certa: Hermano Morais, hoje na base do Governo dentro da Assembleia Legislativa, é carta fora do baralho, por ter apoiado a candidatura de Iberê Ferreira de Souza. Hermano só entra na lista, se ele participar de um segundo critério.

A mesa de apostas está aberta e Micarla está apostando todas as fichas nela mesma. Afinal quem não quer o apoio da máquina do seu lado?

Mensalão da Vila: Prefeito e vereadores são transferidos para o sistema prisional estadual

Todos os presos da Operação “Mensalão da Vila”, deflagrada pelo Ministério Público, nesta segunda-feira (19), foram transferidos agora há pouco para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Macaíba. Entre eles, estão o prefeito da cidade de Vila Flor, Grinaldo Joaquim de Souza e os seis vereadores.

Todos foram detidos durante a operação coordenada pela Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) e pelo Grupo de Atuação Especializada de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que desbaratou um esquema corrupção instalado na cidade para compra de apoio político no valor de R$ 500. Uma espécie de “mensalão”, daí o nome da operação.

Estão presos o prefeito e seis vereadores acusados de participação no crime. Além deles também foram presos o secretário de Obras e o ex-secretário de Administração – identificado como principal articulador do esquema. Como os documentos ainda estão sob análise, mais pessoas podem ser presas.

Mais 12 políticos infiéis entram na berlinda

A Procuradoria Regional Eleitoral no Rio Grande do Norte (PRE/RN) ingressou com mais 12 ações na Justiça Eleitoral, motivadas por desfiliação sem justa causa. Tratam-se de desfiliações de vereadores ocorridas nos municípios de São Tomé, Ielmo Marinho, Rafael Godeiro, Lucrécia e Almino Afonso. Com a nova remessa, agora são 75 ações que pedem a perda do cargo eletivo em razão da infidelidade partidária, esse ano, dentro do estado.

O somatório é resultado do trabalho realizado até o momento pela PRE/RN, juntamente com as promotorias eleitorais, contando ainda com a contribuição de denúncias dos próprios cidadãos.

Vale destacar que a legislação estabelece um prazo de 30 dias a contar da data de desfiliação para que o próprio partido ajuize a ação. Somente após esse período, abre-se novo prazo de 30 dias para que qualquer pessoa com interesse jurídico ou o Ministério Público Eleitoral ingresse com ação de decretação de perda de cargo eletivo, caso considere não ter havido justa causa para a desfiliação.

Mais de 50 políticos podem perder o mandato no RN

O Ministério Público Federal (MPF) está com a mesa abarrotada de processo de partidos pedindo seus mandatos de volta por causa dos chamados políticos infiéis, aqueles que trocam de partido sem justa causa.

É tanto processo, que a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) está trabalhando praticamente em ritmo de mutirão para dar conta. São 45 cargos de vereadores, 4 de prefeitos e outros 8 de vice-prefeitos, que estão na disputa entre os seus atuas titulares e seus antigos partidos. Tem de tudo que é gosto, de tudo que é jeito, de tudo que é partido.

Pela nova legislação só pode se desfiliar sem perder o madato, os políticos que forem vítimas de graves perseguições, ou queles que mudaram de partido por causa de uma incorporação, fusão ou criação de novas legendas. Tem muita gente que se arrependeu e que está reccorendo às “discriminações” com medo de perder o mandato.

No total, a infidelidade partidária já motivou 63 ações, submetidas à análise da Justiça Eleitoral potiguar. Confira, abaixo, a lista dos políticos que são alvo das ações ajuizadas até o momento.

RELAÇÃO POR MUNICÍPIO:

Caraúbas: Prefeito Ademar Ferreira da Silva (desfiliou-se do Partido Socialista Brasileiro – PSB), Vereador Francisco de Assis Batista (desfiliou-se do PSB);

Tibau do Sul: Prefeito Edmilson Inácio da Silva (desfiliou-se do Partido Democrático Trabalhista – PDT), Vereador Wlademir Carlos da Silva (desfiliou-se do PDT), Vereador Paulo de Lima Ferreira (desfiliou-se do PDT);

Areia Branca: Vereador José Nazareno de Lemos (desfiliou-se do Partido Progressista – PP);

Currais Novos: Vice-prefeita Milena Galvão F. de Souza (desfiliou-se do PP);

Mossoró: Vereador Claudionor Antônio dos Santos (desfiliou-se do PDT); Vereadora Maria Auxiliador do Nascimento (desfiliou-se do Partido Social Liberal – PSL); Vereador Flávio Tácito da S. Vieira (desfiliou-se do PSL);

Pilões: Prefeito Francisco das Chagas de Oliveira Silva (desfiliou-se do PR); Vice-prefeito Raimundo Reinaldo de Oliveira (desfiliou-se do Partido da Social Democracia Brasileira – PSDB); Vereadora Maria Vicente de Sousa Paiva (desfiliou-se do PTB); Vereador Risonaldo de Oliveira Monteiro (desfiliou-se do PSDB);

São Rafael: Vereador Wagner Moura Brito (desfiliou-se do Partido da Mobilização Nacional – Partido da Mobilização Nacional – PMN);

Lagoa D´Anta: Vereadora Valdira Lopes Bezerril Campos (desfiliou-se do Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB);

Almino Afonso: Prefeito Lawrence Carlos Amorim de Araújo (desfiliou-se do PP); Vice-prefeito Isauro Maia Fernandes (desfiliou-se do PP); Vereador Jorge Batista Torres (desfiliou-se do PP); Vereador Metuzael F. da Silva (desfiliou-se do PP); Vereador Francisco das Chagas Carlos (desfiliou-se do PP);

João Dias: Vice-prefeito Sebastião M. O. Sobrinho (desfiliou-se do PP);

Ceará-Mirim: Vereador Renato Pereira Coutinho (desfiliou-se do PP); Vereador Ronaldo Marques Rodrigues (desfiliou-se do PMDB);

Doutor Severiano: Vice-prefeito João Antônio Dantas Filho (desfiliou-se do PTB); Vereador José Nilton de Souza (desfiliou-se do PTB); Vereadora Maria Lobo da Cunha Gonçalves (desfiliou-se do PSB);

Boa Saúde: Vereador Jaime Antônio Félix (desfiliou-se do PMDB); Vice-prefeito Pedro Francisco dos Santos (desfiliou-se do PR);

Passa e Fica: Prefeito Pedro Augusto Lisboa (desfiliou-se do PP);

Felipe Guerra: Vereador José Wandilson Oliveira (desfiliou-se do PMDB);

Itaú: Vereador Antônio Dias Pinheiro (desfiliou-se do PR);

Jardim de Piranhas: Vereador Otoniel Rodrigues da Silva (desfiliou-se do PDT); Vereadora Rosimira A. dos Santos (desfiliou-se do PDT); Vereador João Dantas Saraiva (desfiliou-se do PDT); Vereador Francisco Júnior Alves (desfiliou-se do PDT);

Caicó: Vereador Nildson Medeiros Dantas (desfiliou-se do PR); Vereador Dilson Freitas Fontes (desfiliou-se do PDT); Vereador Milton Teixeira Batista (desfiliou-se do PR); Vereador Valdemar Araújo Medeiros (desfiliou-se do PR);

Monte das Gameleiras: Vereador José Gilvanilson Rodrigues Felix (desfiliou-se do Partido Popular Socialista – PPS);

São José do Campestre: Vereadora Maria de FÁTIMA Bernardo CHAGAS (desfiliou-se do PSDB); Vereador José André de Mendonça (desfiliou-se do PSDB);

Ouro Branco: Vereador Iranildo Alcântara de Souto (desfiliou-se do PMDB);

Serra Caiada: Vereadora Ana Angélica B. Azevedo (desfiliou-se do PDT);

Parnamirim: Vice-prefeito Epifânio B. de Lima (desfiliou-se do PMDB);

Coronel Ezequiel: Vereador Ivan de Araújo Pereira (desfiliou-se do PMDB);

Jaçanã: Vereador José Gelzo N. dos Santos (desfiliou-se do PTB);

Extremoz: Vereador Jaeusdes José Xavier de Lima (desfiliou-se do PSDB);

Macau: Vereadora Odete M. de Araújo Silva Lopes (desfiliou-se do PPS); Vereador José Severiano Bezerra Filho (desfiliou-se do PP);

Lajes: Prefeito Luiz Benes Leocádio de Araújo (desfiliou-se do PP);

Angicos: Vereador Francisco Batista Filho (desfiliou-se do PMDB);

Fernando Pedroza: Vereador Francimário de Souza Araújo (desfiliou-se do PMDB);

Santana do Matos: Vereador João Maria Cadó de Macedo (desfiliou-se do PMDB);

Venha Ver: Vice-prefeito Ellan Klayton Fernandes Salviano (desfiliou-se do PR);

Apodi: Vereador Antônio Ângelo de Souza Suassuna (desfiliou-se do PP);

Severiano Melo: Vereador Francisco Getúlio de Oliveira Andrade (desfiliou-se do PSL);

Serra do Mel: Vereador José Elpídio de M. Filho (desfiliou-se do PT);

Olho D’Água do Borges: Vereadora Célia Maria Q. Morais (desfiliou-se do PPS);

Bento Fernandes: Vereador Paulo Cesar M. Fonseca (desfiliou-se do PSB);

Lagoa Nova: Vereador Luciano Silva Santos (desfiliou-se do PP); Vereador Aldo Torquato da Silva (desfiliou-se do PPS).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Josericardogomes1 disse:

    sera que estes politicos suplacitados irão perde realmente os seus respequitivos carcos????????????????????????.