PSL: Delegado Waldir reafirma que se sente “traído”, e diz que não retira nada do que falou

Foto: Fernanda Calgaro / G1

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO), afirmou nesta sexta-feira (18) que o presidente Jair Bolsonaro, o governador goiano, Ronaldo Caiado (DEM) e o líder do governo na Casa, Major Vitor Hugo (PSL-GO), atuam para derrubá-lo do comando do diretório do partido em Goiás.

O G1 entrou em contato com as assessorias do Palácio do Planalto, do governo de Goiás e do deputado Vitor Hugo. As respostas ainda não haviam chegado até a última atualização desta reportagem.

Delegado Waldir disse que a tentativa de retirá-lo do cargo acontece há três meses. O PSL vive uma crise interna, que se acentou na semana passada, após Bolsonaro fazer críticas ao partido e ao presidente da legenda, deputado Luciano Bivar (PE).

“Há três meses o senador Ronaldo Caiado, do qual estou adversário político, junto com o Major Vitor Hugo, tentam me tirar da presidência do PSL [em Goiás]”, afirmou. “Pediram ao presidente da República, e o presidente da República determinou ao presidente [do PSL] Luciano Bivar. Mas isso não foi concretizado”, afirmou o deputado.

Delegado Waldir disse ainda que se sente traído. Ele citou a tentativa do grupo do PSL ligado a Jair Bolsonaro de colocar o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, na liderança do partido na Câmara. No entanto, o grupo bolsonarista perdeu e Waldir permanece no posto.

Na quinta-feira (17), apareceram gravações nas quais Waldir afirmou que vai “implodir” Bolsonaro e chamou o presidente de “vagabundo”. Nesta sexta, o líder do PSL na Câmara afirmou que não retira as declarações.

“Eu fui traído. O presidente pessoalmente está interferindo para me tirar da liderança. Isso não é traição? Se eu sou fiel a ele desde 2011, isso é mentira. Se ele, pessoalmente, junto com o líder do governo, Vitor Hugo, e o senador Ronaldo Caiado trabalham para me derrubar diretório de Goiás, e assim está fazendo com outros parlamentares do país todo, isso não é traição, isso não é vagabundagem? “, questionou o parlamentar.

“Então eu não retiro nada do que eu falei, eu simplesmente baixei o ritmo porque foi um debate interno, mas os fatos são verdadeiros. A minha indignação de traição ela permanece”, completou.

O deputado falou com a imprensa na chegada a uma reunião da Executiva do PSL, em Brasília. Segundo ele, um dos temas do encontro deve ser alterações no estatuto do partido. Ele não detalhou as mudanças que devem ocorrer.

Waldir declarou também que não é chamado ao Planalto para discutir pautas do governo com o presidente, como líder da sigla na Câmara. “Quantas vezes você acha, que como líder do PSL, eu fui chamado no Planalto para discutir as pautas do governo com o presidente da República? Nenhuma vez. Nenhuma vez. Nunca”, afirmou. “Eu não criei essa crise”, completou o deputado.

Ele afirmou ainda que as tentativas de interferência tornam difícil sua permanência no cargo.

“É muito difícil um líder como eu permanecer, considerando que o presidente usa o Palácio do Planalto pessoalmente, ligando para parlamentares, interferindo no parlamento. É extremamente difícil você competir quando ministros, pessoalmente, ligam para cada parlamentar e estão pedindo para assinar a lista que leva para a liderança o filho do presidente”.

Votações no Congresso

Sobre o impacto da disputa na relação do governo com o Congresso, ele afirmou que, nas pautas onde houver “convergência”, seu grupo aliado vai votar a favor do governo. Mas que isso não vai acontecer em todas as pautas.

“Nossa pretensão é votar da mesma forma. Nós temos várias pautas em comum. As pautas que forem em comum, de defesa do Brasil, de combate à corrupção, geração de empregos, infraestrutura, reforma tributária, reforma administrativa, o que for pauta de interesse de toda a sociedade brasileira e pro avanço do brasil, com certeza nós estaremos juntos”. Ele completou: “Nós não entregamos 100%. Toda unanimidade é burra. Nós entregamos 98%. Sinal que em alguns momentos nós divergimos do governo”.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Eram 13 candidatos, mas o povo escolheu a mundiça. O Bradil merece isto mesmo.

  2. Rômulo© disse:

    O deputado deveria divulgar para a imprensa a gravação que pode implodir o Bozo! O país tem o direito de saber o que ele tanto esconde que pode destruí-lo politicamente!

TJRN mantém condenação de prefeito na Grande Natal por pintar prédios nas cores do partido

A 1ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do RN, por unanimidade de votos, reformou sentença que condenou do atual prefeito do Município de Monte Alegre, Severino Rodrigues da Silva, por ato de improbidade administrativa, consistente na pintura de prédios públicos com as cores do partido político ao qual estava filiado, em seu primeiro mandato entre 2013 e 2016.

Ao julgarem o recurso interposto pelo ex-prefeito, os desembargadores alteraram as penalidades impostas a ele na primeira instância e aplicaram-lhe apenas a sanção de multa civil no valor equivalente a três vezes a sua última remuneração no cargo de Prefeito daquela Municipalidade, já que reconheceram que houve promoção pessoal do então gestor municipal.

A notícia com todos os detalhes você acessa aqui no portal Justiça Potiguar.

Corrente majoritária do PT ignora Lula e pressiona Haddad a assumir comando do partido

Candidato à presidência em 2018, Haddad não tem preferência de Lula para assumir o comando do PT Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo (04/06/2019)

A corrente interna Construindo um Novo Brasil (CNB), que é majoritária dentro do PT , intensificou nos últimos dias a pressão para que candidato derrotado à Presidência da República, Fernando Haddad , assuma o comando do partido no lugar da atual presidente, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR). A eleição vai ocorrer durante o congresso da legenda, em novembro.

A posição em favor de Haddad, hoje tida como dominante na CNB, contraria o desejo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que defende a permanência de Gleisi. A deputada paranaense também tem intenção de continuar no posto. Haddad e Gleisi têm uma relação cordial publicamente, mas colecionam uma série de desavenças desde a campanha eleitoral do ano passado.

Um integrante da CNB com assento na executiva da legenda afirma que, com Haddad na direção, o PT deixaria claro para a sociedade que pretende construir um projeto para voltar ao poder. Com Gleisi, em sua avaliação, a legenda se limita a fazer “resistência”. Para não confrontar Lula, os integrantes da CNB não têm tornado pública a preferência.

Veja reportagem completa de O Globo aqui

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wilson disse:

    O mal se destroe por si mesmo…

  2. Wilson disse:

    Haddad pior prefeito que passou pela prefeitura de SP responde32 processos de roubalheira PT tá complicado …

  3. Melo disse:

    A petezada estrebuchando… seguuuuura!

  4. Bento disse:

    Hora de roer o osso.
    já comeram dois dedos de um.

  5. #Lula Na Cadeia sempre disse:

    Os Ratos Começaram a comerem uns aos outros 🤣🤣🤣🤣🤣

MPF quer suspensão de leis sobre abordagem de gênero e escola sem partido

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), do Ministério Público Federal (MPF), quer que o Supremo Tribunal Federal (STF) suspenda e julgue a inconstitucionalidade de duas leis municipais que tratam do ensino de questões de gênero e da escola sem partido. Para a procuradoria, as regras violam garantias fundamentais do direito à educação.

Uma das leis foi aprovada pelo município de Criciúma, em Santa Catarina, e cria o chamado Programa Escola Sem Partido. A norma n° 7.159/2018 diz que “o poder público não se imiscuirá no processo de amadurecimento sexual dos alunos nem permitirá qualquer forma de dogmatismo ou proselitismo na abordagem de gênero”. Também estabelece que o s professores não podem manifestar opinião política ou estimular a participação dos estudantes em protestos, entre outras regras.

A outra norma que o órgão do MPF pede que seja sustada é a do município de Ocauçu (SP). Nesta cidade, a Lei 1.725/2017 proibiu a distribuição, apresentação ou indicação de qualquer material, como livros e filmes, “contendo manifestação subliminar da igualdade (ideologia) de gênero nos locais Públicos, Privados de Acesso ao Público e Entidades de Ensino”. Entre os temas vetados, a norma cita explicitamente “igualdade ou desigualdade de gênero”.

Direito à educação

A Procuradoria afirma que as leis violam o direito à educação, a liberdade de ensino e o direito da criança, do adolescente e do jovem a ser colocado a salvo de toda forma de discriminação e violência. Afirma também que as normas ferem o direito de o estudante receber uma educação que o prepare para o exercício da cidadania, o respeito à diversidade e para o convívio em uma sociedade plural – princípios tratados como básicos pela Constituição Federal brasileira. Além disso, aponta que elas violam o pacto federativo por incidirem em uma área, a fixação de diretrizes e bases da educação, que é de competência federal.

Por outro lado, pondera que o Brasil é signatário de pactos que tratam da questão de gênero, como a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra Mulher, de 1994, que prevê a educação como instrumento imprescindível para o combate à violência contra a mulher.

Após exposição sobre os conceitos e a doutrina jurídica, a procuradoria conclui que “o propósito da lei impugnada de cercear a discussão, no ambiente escolar, de certos assuntos, contraria os princípios conformadores da educação brasileira, dentre os quais, as liberdades constitucionais de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; o pluralismo de ideias e de concepções religiosas e de concepções pedagógicas; e a gestão democrática do ensino público”.

As representações sobre as duas leis municipais foram entregues à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a quem cabe ingressar com ações perante o Supremo Tribunal Federal (STF). Não há data fixada para que Dodge manifeste-se sobre o pedido.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    O que a medicina diz sobre a ideologia de gênero ? O MPF está fazendo ativismo agora ???

MOSSORÓ: PSD realiza hoje convenção com aliança de 14 partidos

O Partido Social Democrático (PSD) realiza hoje (04) a convenção que homologará a candidatura do prefeito Francisco José Júnior (PSD) à reeleição em Mossoró. No evento, também será oficializado o nome de Micael Melo (PTN) como candidato a vice-prefeito.

Estão definidos os partidos que apoiam a pré-candidatura de Francisco José Júnior, com aliança de 14 legendas: PSD, PEN, PMB, PMN, PPL, PPS, PRB, PROS, PRTB, PSC, PTC, SDD, PTN e PV. Dessas legendas, apenas o Partido Verde já realizou sua convenção cartorial, mas estará presente no evento.

“Mais do que um número expressivo, a quantidade de apoios que recebemos mostra que o trabalho realizado ao longo dos últimos dois anos em Mossoró está no caminho certo”, destaca Francisco José Júnior.

A convenção do PSD, PEN, PMB, PMN, PPL, PPS, PRB, PROS, PRTB, PSC e PTC acontece no Hotel Villa Oeste, a partir das 18h, contando com a presença de lideranças políticas estaduais. PTN e Solidariedade promovem seus eventos em locais e horários diferentes.

“Nossa aliança possui ainda mais de 200 pré-candidatos a vereador, nomes qualificados e com serviço prestado a Mossoró. É com muita alegria, otimismo e disposição que iniciamos esse novo momento da nossa trajetória política”, pontua Francisco José Júnior, acrescentando: “Não se constrói um presente e um futuro melhor se não tivermos o apoio da população. É o povo quem conduz os caminhos de uma cidade cada vez mais justa”.

PSL passará a se chamar Livres e ficará sob o comando de Karol Diniz no RN

KarolDinizO PSL vai mudar de comando no Rio Grande do Norte e de nome nos próximos dias. O partido, que há muitos anos é comandado pelo advogado Araken Farias passará para o comando dos empresários Karol Diniz (presidente) e Gustavo Rocha (vice), ambos do Movimento Brasil Livre (MBL). Mas as mudanças não para por aí, o partido passará a se chamar Livres.

Com uma filosofia de política nova e sem políticos tradicionais, o partido já inicia os trabalhos políticos com o objetivo de eleger um vereador em Natal nas eleições desse ano.

Em conversa com o blog, os empresários Karol Diniz e Gustavo Rocha afirmaram que a ideia de montar um partido começou quando o grupo começou a pensar nos movimentos pós-Dilma e como agir. A partir daí, o grupo chegou a conclusão de que o caminho para reformar realmente o sistema, era entrando nele. Como os partidos já tinha práticas políticas tradicionais, o grupo partiu para um partido liberal e que tivessem pleno controle. Após negociações, o partido passou para as mãos do grupo.

As filiações do Livres seguem em processo rápido porque, pelo calendário eleitoral, os partidos só tem até a próxima sexta-feira (2) para filiar os possíveis candidatos a vereador.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Carlos Fernandes da Silva Junior disse:

    sou de são luis -ma e gostaria de saber se posso me filiar ao partido, mas gostaria de saber tbm se vcs tem algum site q mostrem as ideias do partido para melhor entender suas ideologias. de já agradeço.

  2. Kerginaldo Nunes disse:

    parabens tenho interesse em levar o partido ao meu municipio Ielmo Marinho

  3. JACKSOM MARTINS disse:

    Se mais gente indignada tivesse a coragem de lutar pelo nosso país estaríamos melhores com certeza.
    ANTES de CRITICAR… FAÇA a sua parte. Precisamos de uma mudança BRUSCA e URGENTE. VAMOS renovar tudo que está aí. A corrupção é GENERALIZADA. Temos EXPURGAR todos os POLÍTICOS que permanecem nesse sistema por anos e anos. A PRINCÍPIO, devido a FALTA de OPÇÃO. VAMOS VOTAR EM NOVOS POLÍTICOS…. mesmo que de partidos tradicionais. VOTE em novos partidos ou pelo menos em novos políticos. NÃO VOTE NA PERMANÊNCIA DA SITUAÇÃO ATUAL. TEMOS QUE MUDAR TODOS… TODOS…. na próxima eleição.

  4. Júnior Castro disse:

    Vixe, Vixe, Vixe…pois os "caba bons" que vão de Rádio em Rádio nos programas de entrevistas meter o sarrafo na classe política e no governo federal, agora querem tb uma "boquinha" nas tetas da viúvinha municipal, como diz a filósofa Narcisa Tamborindeguy: "Ninguém tá no mundo de graça" por mais que tentem possar de bons moços, corretos, limpinhos e educados, bem ali na frente acabamos descobrindo as verdadeiras intenções de cada um, para Natal não vejo avanço nesse tipo de perfil para compor a CMN.

  5. Nice disse:

    Mais um q não vai alterar em nada a porqueira q são os partidos desse pais, mais um pra rachar o FUNDO PARTIDÁRIO, dos BILHÕES pagos pra um monte de partidos que não fazem nada pra melhorar nosso país….Já entram pensando no quanto vão enriquecer as custas dos nossos trabalhos, dos nossos impostos….LAMENTÁVEL!!!!

  6. Francione disse:

    Votz! Não era são esses rapazes aqueles que vivem no Programa Meio Dia Cidade, dizendo que não são candidatos a nada! Estão apenas lutando pela moralidade do PAÍS! Os APROVEITADORES já começaram a mostra a cara!

  7. Wendell Fernandes disse:

    Podiam ter ficado quietos manifestando baboseiras mas querem entrar pra lama que tanto condenam. Mudar o sistema anda longe de ser possível nessa geração… O que de fato aconteceu aí foi que resolverem tirar as máscaras. Cuidado com as panelas e com o PMDB rsrsrs.

  8. Azevedo disse:

    Esses partidos políticos ineficientes que habitam a pobre e corrupta política partidária Brasileira, ficam cada dia mais ilariantes com suas novas siglas, isso chama-se farra com o dinheiro do contribuinte, pois se a política partidária brasileira fosse seria já teriam acabado com 80% desses antros que só servem para negociatas do tipo toma lá dá cá.

  9. Paulo André disse:

    É impressão minha ou esse caba tem a cabeça maior que o corpo?? Rsrs

    Em termos de estrutura craniana, já ganha do prefeito.

    Tem chances!

  10. Pedro disse:

    Empresário? Qual a empresa desse rapaz? Os eleitores dele cabem num fusca!

  11. Brasil, Meu país NÃO será dos fascistas! disse:

    Pelo jeito só será aceito, brancos, cabelos claros, conta recheada e se for morador da Zona Sul.
    De livres vcs não têm nada!

  12. Júnior disse:

    "o drama de quem dos oportunistas de plantão: como vivem? o que comem? como são vistos pela sociedade? amanhã no globo reporter"

  13. Marco Maia disse:

    Chegam com uma falsa negação a política e pior demonstrando o porque da necessidade de socialmente pousar de "protagonista", de movimentos, o partido nasce acéfalo e pior com gente como Fernando Mineiro que um dia foi caroneiro de movimentos sociais.

    O Nanico PSL deverá continuar Livres de representantes no RN, ou seja Nanico.

  14. marcus paulo disse:

    Por que esse cidadão estava pista do vídeos na internet. De onde vão tirar dinheiro para se eleger um vereador.? Quando estiver la dentro um vai coloca o outro como assessor e se sujeitará ao prefeito eleito, se for desses partidos de famílias dominadoras. Vcs não enganam ninguém, querem usufruir dessas benesses da politica…..

  15. Carla mendonca disse:

    CAMARADAS ESPERTOS.SE INFILTRARAM DE LÍDERES CONTRA DILMA,E AGORA VÃO SE APRESENTAR COMO DA SALVADORES DA PÁTRIA.

  16. José Carlos Guanabara disse:

    O PSL juntamente como NOVO trazem as bandeiras da liberdade econômica e individual, e a completa reforma do Estado. Parabéns Karol! !!

  17. Marcelo disse:

    Esse Gustavo Rocha eh aquele que tomou para si o posto de porta voz da sociedade no episódio dos servidores fantasmas da AL?
    Espero que nao.
    Do contrário mostra ter seguido no mesmo caminho que muitos dos políticos que aí estão.

  18. Amaro Júnior disse:

    Voltz, mas não era para fazer diferente ?? daí tomaram o comando de um partido só para eles…hahaha começaram bem…SQN

  19. ANHAM disse:

    Chegaram chegando. Parabéns!
    Começaram bem…
    Tiraram os "donos" do partido e se apoderaram…
    Essa é a política brasileira.

Temer e Renan fecham acordo e não haverá disputa pelo comando do PMDB

temer e calheirosO vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, Michel Temer, fechou um acordo com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), para que seja reconduzido à presidência da legenda. Os dois se reuniram na manhã dessa terça-feira (2) e conversaram sobre as eleições para o comando do partido, que ocorrem em março.

A composição do restante da chapa para a direção nacional ainda não está fechada, mas, durante a conversa, os dois fecharam como consenso o nome de Temer para continuar à frente do partido. Nesse caso, as chances de haver somente uma chapa na disputa são altas.

Segundo Renan, o encontrou foi importante para sinalizar a necessidade de “unidade partidária”. Em entrevista no fim da tarde de hoje (3), ele não quis confirmar diretamente a preferência por Temer, mas disse que essa configuração “é possível”.

“Fiz questão de dizer que a pior sinalização que o PMDB poderia dar nesse momento era, ao invés de colaborar para a solução dos problemas do Brasil, se voltar para disputa interna, uma guerrilha interna. Isso seria inconcebível.”

Unificação

Renan afirmou que “mais que um nome”, ele apoiará um conceito de unificação do partido, mas que ainda não está claro como a chapa única será formada. De acordo com um interlocutor de Temer, os dois decidiram que a Renan caberá articular as nomeações para composição de outros integrantes da chapa, entre eles a primeira vice-presidência, que assume o comando do partido na ausência de Temer.

Atualmente, o PMDB no Senado ocupa cinco cargos no Diretório Nacional. Os senadores Valdir Raupp (RO), Romero Jucá (RR) e Eunício Oliveira (CE) são primeiro vice, terceiro vice e tesoureiro, respectivamente. Outros dois senadores fazem parte da Executiva Nacional. Após conduzir as negociações com peemedebistas do Senado, Renan e Temer voltarão a se reunir com o objetivo de encontrar uma solução consensual.

O presidente do Senado já admite a possibilidade de alcançar a união do partido com Temer mais uma vez à frente do PMDB. “Acho que é [possível o Temer se manter na presidência]. Mais que o nome, apoio o conceito de nós reunificarmos o partido e de que a representação partidária se faça de todos os segmentos do PMDB. Que o presidente do PMDB seja presidente do PMDB e não presidente de uma facção.”

Com base nesse acordo, os aliados de Temer disseram acreditar que a hipótese de uma chapa adversária foi derrubada. A análise interna é que o atual presidente tem o controle de cerca de 70% do partido.

Câmara

Nas últimas semanas, cogitou-se a possibilidade de os senadores do partido conduzir uma chapa adversária para derrotar Temer na convenção de março. A insatisfação com a liderança de Temer ganhou força após a decisão da Executiva, em dezembro, de criar um filtro para a filiação de deputados federais à legenda.

A mudança nas regras evitou o ingresso no partido de novos membros que pudessem favorecer a disputa interna pela liderança da bancada na Câmara, que sofreu uma reviravolta após as indicações do líder Leonardo Picciani (PMDB-RJ) para compor a comissão especial que analisará o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Apesar da expectativa de unidade, Temer continuará as viagens iniciadas semana passada em busca de apoio. O objetivo da chamada “Caravana da Unidade” é reunir lideranças peemedebistas locais e empresários para, além de fazer campanha, discutir o documento Uma Ponte para o Futuro, que contém propostas do partido no campo econômico, e articular candidaturas para as eleições municipais deste ano.

Fonte: Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo disse:

    BG
    Pense numa dupla de dois, que estão "trabalhando" pelo Brasil. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKA.

Joanilson confirma convite de José Adécio para se filiar ao PSDC: “Mas sem presidência”

joanilson-de-paula-rego-wr-2-1024x679O vereador de Natal Joanilson de Paula Rego, presidente estadual do PSDC, confirmou ao blog que convidou o deputado estadual José Adécio para se filiar ao partido, mas foi enfático ao afirmar que o convite não envolve a presidência.

“José Adécio é um grande político. Sua experiência, história e força, com certeza, fortalecerão o partido e a ele mesmo. Esse convite foi feito para que ele se filie aos quadros do PSDC e esperamos que ele aceite, mas nada de presidência. A Presidência do partido continua comigo”, pontuou.

Segundo Joanilson, o partido ampliou as cadeiras em várias câmaras municipais espalhadas pelo estado, conquistou espaços importantes nesses últimos anos e que está trabalhando para manter ou ampliar as duas cadeiras na Câmara Municipal de Natal (CMN).

“O partido cresceu sob meu comando. Não faz sentido a troca na Presidência. Acho que houve um mal entendido nessa informação. continuo na Presidência”, afirmou.

Depois de ser excluído da executiva estadual do DEM sem qualquer comunicado prévio, José Adécio aguarda a janela de transferências sem perda do mandato para trocar de partido. Ele que sempre foi ligado politicamente ao presidente do DEM e senador José Agripino Maia, teve divergências nas eleições do ano passado ao decidir apoiar o governador Robinson Faria. Ele ainda estuda para qual partido ir.

Luiz Almir confirma que sairá do PV durante a janela de transferências no próximo ano

luizalmir
Foto: Elpídio Júnior

O vereador Luiz Almir já está de malas prontas para deixar o PV. Insatisfeito com a forma como vem sendo tratado, ele aguarda apenas a janela de transferências aberta para mudanças de partido sem a perda do mandato para escolher um novo rumo.

Ao blog, Luiz Almir escondeu qual o partido deve ir. Apenas disse que está “vendo todos os convites com muito carinho” e que recebeu convite de praticamente todas as legendas para ingressas. Entre os motivos alegados para deixar o partido está a “desautorização” para falar em pré-candidatura imposta pelo diretório estadual e a exclusão de participação no programa de televisão.

“Só não saio agora porque não sou burro de perder meu mandato. Se eu saio hoje, amanhã o partido vai atrás do mandato. Quando for lá pra fevereiro, quando a janela estiver aberta, eu vou me decidir pra onde vou”, disse.

Entre os partidos grandes que o vereador recebeu convite está o PMDB, o PR e o PSD. Mesmo reconhecendo que esses partidos estão montando nominatas fortes e com candidatos com grande potencial de voto, o parlamentar disse não ter medo de ninguém.

“Eu não vou ser candidato pra ter medo. O que vai definir minha escolha não é se o partido tem fulano ou sicrano como candidato. E sim o respeito. Já recebi convite de 90% dos partidos. Todos com bons projetos, mas o respeito vai definir meu futuro”, completou.

Após aproximação com Robério e divergências no PHS, Maurício Gurgel se filia ao PSOL

mauricio gurgel ft elpidio junior
Foto: Elpídio Júnior

O vereador Maurício Gurgel de Natal, eleito pelo PHS, já está devidamente filiado ao PSOL. O vereador ganhou o processo de desfiliação por justa causa que movimentou contra o PHS após divergências internas com o PHS.

Sem partido definido, Maurício passou os últimos dias de licença do mandato cuidando da mudança de partido. Como ele já vinha se aproximando do professor Robério Paulino, ele optou por se filiar ao PSOL. Vale lembrar que Robério é pré-candidato a prefeito de Natal e essa aproximação pode ser valiosa para ambos.

Maurício retoma o mandato no dia 13 de outubro e já volta no novo partido. Agora, a legenda conta com três vereadores. Além dele, também integram o PSOL na Câmara de Natal, os parlamentares Sandro Pimentel e Marcos Antônio.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maurício Giovani disse:

    Não tinha coisa melhor para este homem fazer do que se filiar ao PSOL? Melhor seria se ele deixasse o bigode crescer, aparar o cabelo, aprender a cantar e virar cover de Freddie Mercury. Era muito mais negócio.

  2. Ronaldo disse:

    Trocou seis por meia dúzia, saiu do nada prá o acabou-se. Nem quem fundou esse partido esta mais nele.

Ministério Público é contra concessão de registro ao Partido Liberal

O Ministério Público Eleitoral (MPE) encaminhou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parecer contrário ao registro do Partido Liberal (PL). O parecer foi motivado pelo recurso contra decisão do tribunal que, em maio, rejeitou pedido de criação da legenda por falta de assinaturas de apoiadores, um dos requisitos exigidos pela legislação para concessão do registro.

Para concorrer nas eleições municipais do ano que vem, o partido precisa obter o registro até sexta-feira (2), um ano antes do pleito, conforme regra estabelecida pela Lei Eleitoral. A questão deve ser julgada nesta semana.

De acordo com o MPE, o partido precisa validar 46 mil assinaturas para obter o número mínimo de 484 mil apoiamentos. De acordo com o parecer, o PL validou 440 mil.

Um partido político é criado após registrar a ata de fundação no cartório. Para participar das eleições, é preciso comprovar um mínimo de 484 mil assinaturas de eleitores. De acordo com a legislação eleitoral, o quantitativo corresponde a 0,5% dos votos registrados na última eleição para a Câmara dos Deputados, distribuídos em pelo menos nove estados.

A validade das assinaturas é conferida pelos cartórios eleitorais, que devem emitir parecer sobre a veracidade das informações, de modo a evitar fraudes.

O prazo para políticos que pretendem mudar de partido para disputar as eleições municipais ou que estão descontentes em suas legendas também termina na sexta-feira (2). Desde a semana passada, políticos começaram a migrar para outras legendas para cumprir o prazo.

Na semana passada, o deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ), o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) e a vereadora Heloisa Helena (PSOL-AL) deixaram os partidos pelos quais foram eleitos e ingressaram na Rede Sustentabilidade, legenda fundada pela ex-senadora Marina Silva, que teve registro concedido pelo TSE na terça-feira (22).

Em 2007, a Resolução 22.610 do TSE definiu quatro hipóteses em que todos os políticos eleitos podem mudar de partido sem perda do mandato. De acordo com o tribunal, é justa causa para desfiliação partidária a criação, incorporação ou fusão de partido, mudança ou desvio do programa partidário e discriminação pessoal.

Se o político não se enquadrar nas hipóteses, o partido poderá entrar na Justiça para requerer o mandato.

Apesar de a regra valer para todos políticos eleitos desde a aprovação pelo TSE, em maio o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a infidelidade partidária não se aplica a prefeitos, governadores, senadores e o presidente da República.

Fonte: Agência Brasil

PMDB está incomodado com articulação do Governo para criar o PL

Em conversas reservadas nesta segunda-feira (28), integrantes da cúpula do PMDB demonstraram contrariedade com a estratégia do ministro Gilberto Kassab de criar um novo partido, o Partido Liberal, para dar sustentação ao governo Dilma.

Peemedebistas estão incomodados com o aval do Palácio do Planalto para essa estratégia, já que não foi publicado no Diário Oficial de hoje a sanção de projeto da reforma eleitoral, o que dá tempo para a estratégia de Kassab de lançar o partido e conseguir filiações.

Caciques do PMDB já alertaram integrantes do Planalto de que essa parceria com Kassab pode gerar sequelas não só no PMDB, mas em outros partidos da base aliada, numa semana em que o Congresso vai votar vetos presidenciais.

A reação de peemedebistas já preocupa auxiliares próximos da presidente Dilma Rousseff, que agora tentam consertar o estrago da mobilização nos bastidores feito por Kassab. Para o PMDB, Dilma avalizou toda a operação quando adiou a publicação no Diário Oficial. A pedido do próprio Gilberto Kassab.

Partidos aliados como o PMDB temem perder parlamentares para a nova legenda, que pode ser fundida no futuro ao PSD.

Fonte: G1

Erick Pereira acredita que TSE aprovará o PL “em breve”

Erick Pereira foto JH
Foto: O Jornal de Hoje

O advogado Erick Pereira, com amplo conhecimento em Direito Eleitoral, acredita que o PL, partido em fase de criação e que será comandado pelo governador Robinson Faria no Rio Grande do Norte, deve ser criado em breve e já valendo para as eleições do próximo ano.

Erick lembrou, durante entrevista ao Jornal das 6, da 96 FM, que ontem, durante a sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que autorizou a criação do partido Novo, o ministro Gilmar Mendes realizou uma ampla discussão sobre os partidos no Brasil.

O jurista disse que, com as palavras do ministro, foi possível prever que o PL deve ser criado em breve e já valendo para as eleições 2016. Se criado, o PL pode se tornar um dos maiores partidos do Rio Grande do Norte.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joel Avelino de lima disse:

    Ele não é jurista é jurista é um simples advogado vc.

Quando criado, PL terá 88 como número do partido

Está confirmado. O novo PL, partido em criação sob o comando nacional do ministro das cidades Gilberto Kassab, terá o 88 como número de partido.

No Rio Grande do Norte, o partido será comandado pelo governador Robinson Faria, que preside o PSD. Quando criado, a legenda será uma das maiores do Rio Grande do Norte.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. charles disse:

    Se fosse um país de vergonha não criaria, pelo contrário acabaria com mais da metade dos que já existem. Só servem pra levar nosso dinheiro, através do gordo fundo partidário. Oh Brasil bom pra bandidos.

  2. Leonardo disse:

    Robson não pode ver um partido novo que pula em cima. Por que será?

  3. Maurício Giovani disse:

    Já que o DEM tem a arara, o PSDB, tem o tucano, o PT tem o Pixululeco, o PSB, a pomba, o PL deveria adotar como seu símbolo, a sardinha. É o PT alimentando a militância com pão e mortadela e o PL, se for no mesmo caminho poderá alimentar sua militância com pão e sardinha.

Solidariedade estreia programa partidário na TV sob a direção do publicitário Pedro Ratts

O SOLIDARIEDADE RN, partido presidido no estado pelo deputado Kelps Lima, está estreando na TV, neste início de janeiro, com suas inserções partidárias. Os programas defendem, ente outras coisas, o fim da política antiga praticada no Estado.

Para o SOLIDARIEDADE RN, essa política antiga condenou o Estado à pobreza administrativa que se assiste hoje em dia. O partido propõe o fim do uso do dinheiro público para promoção pessoal, o uso de critérios técnicos e ficha limpa para cargos comissionados, o fim da residência oficial e a profissionalização na administração pública, entre outras propostas inovadoras.

O partido acredita que a opinião pública potiguar tem a grande chance, em 2014, de definir novos critérios para a escolha de seus representantes.

São quatro tipos de inserções, todas bem produzidas e cuidadosamente finalizadas, cujos links de duas delas você pode assistir em http://youtu.be/ou7xTBjvrmIhttp://youtu.be/fxt94G9s8AI.

A criação e direção ficou a cargo do publicitário Pedro Ratts, da Ratts Ratis Comunicação, contratado pelo partido para planejar o seu marketing em todo o RN a partir de 2014.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fred disse:

    Com Pedro Ratts à frente, tenho a certeza de uma grande produção !

Lula: ‘Não tenho vergonha da política, do meu partido, dos meus deputados e da minha presidente’

O ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva aproveitou sua participação num seminário sobre responsabilidade social na província de Buenos Aires para defender a política e os políticos em momentos de “primavera árabe e manifestações sociais em países como Brasil, Espanha e Portugal”.

O ex-presidente disse que fora da via da política para solução de conflitos sobram poucas alternativas.

— Ou é autoritarismo, ou nazismo ou fascismo. Em vez de negar a política, dizer que Lula não presta, que Cristina Kirchner não presta, que Dilma não presta, pelo amor de Deus, entrem na política e descubram o político que pode estar dentro de vocês — declarou Lula, em recado a jovens argentinos, a grande maioria kirchneristas e admiradores do ex-presidente brasileiro.

— Não tenho vergonha da política, do meu partido, dos meus deputados e da minha presidente — frisou Lula.

Acompanhado por importantes membros do gabinete da presidente argentina, Cristina Kirchner, a quem Lula desejou uma rápida recuperação, o ex-presidente insistiu na necessidade de reforçar a aliança entre Brasil e Argentina e com todos os países da região, e aproveitou também para fazer um duro questionamento aos meios de comunicação brasileiros.

Nesta nova visita à Argentina, Lula foi, mais uma vez, tratado como uma celebridade internacional. O ex-presidente recebeu um prêmio honoris causa da Universidade Nacional de Buenos Aires, a mais importante do país, e foi apresentado como “o homem que combateu a fome no Brasil”.

A plateia que ouviu o discurso do ex-presidente foi convocada por setores do kirchnerismo e era, em sua grande maioria, fã de Lula. Uma das organizadoras do eventos é Alessandra Minicelli, funcionária K e mulher do ministro do Planejamento, Julio De Vido, um dos homens mais importantes do governo Kirchner.

— Algumas pessoas tentam negar os movimentos (sociais) e tentam negar a política. Se tem uma coisa importante na democracia e a movimentação da sociedade. A democracia não e um pacto de silêncio — afirmou Lula, em referência às recentes manifestações no Brasil e em outros países do mundo.

O ex-presidente homenageou seus ex-colegas Nestor Kirchner e Hugo Chávez e pediu uma rápida recuperação de Cristina, de licença até novembro para recuperar-se de uma cirurgia para retirar hematoma no crânio. Num país onde o governo enfrenta uma delicada disputa com meios de comunicação locais (principalmente o grupo Clarín), que chegou aos tribunais argentinos, Lula voltou a criticar a mídia, como fez em sua última visita, há um ano.

— Meus amigos da imprensa, donos de jornais e de TVs. Todos ganharam muito dinheiro em meu governo e nunca me deram trégua. Se apanhar deles fosse justificativa para não ser presidente, eu não teria sido presidente — disse Lula.

Lula disse ter aprendido a lição:

— O povo é mais esperto.

— Não lembro de uma manchete favorável a mim. O povo lê mais, estuda mais. Não é mais aquele tempo em que o que se dizia na TV era ordem — declarou o ex-presidente, que em 2005 disse ter comentado com sua mulher, Mariza, que se continuasse lendo os jornais e assistindo os noticiários de TV “morreria de azia”.

— Parei de ler e não desaprendi nada. Deixei a presidência com 87% de aprovação — enfatizou Lula.

O ex-presidente assegurou, porém, que “sou um homem que não teria chegado onde de cheguei sem a imprensa”.

— Apanho, mas reconheço o mérito — disse o ex-presidente, que acusou alguns meios de comunicação latino-americanos de atuarem “como se fossem um partido político”.

— Se acham que vou mover um dedo para prejudicar a imprensa, esse dedo já caiu — brincou Lula.

O ex-presidente, convidado de honra do evento realizado em Cidade Evita, na Grande Buenos Aires, falou durante quase duas horas. Lula enumerou os programas mais importantes de seu governo e disse ter conversado com empresários, sindicalistas e trabalhadores mais do que qualquer outro presidente brasileiro.

— Aprendi a ter capacidade de ouvir. Minha orelha é caída de tanto ouvir — brincou o ex-presidente, que encerrou seu discurso criticando os países que “não sabem mais viver sem guerra”, em clara referência aos Estados Unidos.

— Não fazemos parte disso. Queremos trabalhar e estudar. A impressão que tenho e quem está na mesa não quer paz — lamentou Lula, aplaudido de pé pela plateia kirchnerista.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio disse:

    Desde quando um mau caráter vai ter vergonha de alguma coisa? Afinal tudo ele sabia e era o mentor de tudo!!!

  2. caio fábio disse:

    A gente é que tem vergonha de você.

  3. Maurício Giovani disse:

    Esse discurso é igual ao discurso de mulher ou homem vadios que se orgulham de serem o que são, ou seja, simplesmente, sem vergonha.

  4. Eduardo disse:

    Isso é coerência. São todos companheiros

  5. FAUSTO CUNHA disse:

    CLARO QUE ELE NAO TEM VERGONHA DE TUDO ISSO E MUITO MAIS, SIMPLISMENTE POR SER UM SEM VERGONHA.