Polícia

Golpe pelo whatsapp usa nome de diretor da Caern

FOTO: CAERN/ASSECOM

A Caern alerta mais uma vez para a prática de estelionatários que estão usando o nome do diretor presidente da companhia, Roberto Sérgio Linhares, para aplicar golpes. Foram identificados casos de falsários que se passam pelo presidente a partir de um contato de whatsapp que simula ser Roberto Linhares. Nesta sexta-feira (23), foi constatado que o número 9196-3019, com DDD 83, da Paraíba, estava fazendo contato com empresários e autoridades.

O golpista tem feito tentativas de obter dinheiro ou outras vantagens, como se fosse o presidente. A Caern alerta que as pessoas devem desconsiderar qualquer tipo de mensagem dessa natureza e informar para a Ouvidoria da companhia, pelo número 3232-4562.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI da Covid quebra sigilo bancário de Pazuello e diretor citado em denúncia de propina

A CPI da Covid aprovou nesta quarta-feira (30) a quebra do sigilo bancário, fiscal, telefônico e telemático do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e do agora ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias.

A comissão já havia aprovado a quebra do sigilo telefônico e telemático do ex-ministro da Saúde, mas agora avançou para a transferência dos dados fiscais e bancários de Pazuello.

A transferência dos sigilos dos dados foi aprovada em meio a denúncias de irregularidades, cobrança de propina e pressões envolvendo a aquisição de vacinas contra a Covid-19.

Apontado como um dos que pressionaram pela liberação da vacina indiana Covaxin, Roberto Dias foi exonerado na noite desta terça-feira (29), após o jornal “Folha de S. Paulo” publicar entrevista com o representante da Davati Medical Supply no Brasil, Luiz Paulo Dominguetti.

Ao jornal, o empresário disse que o diretor da Saúde pediu propina de US$ 1 por dose da vacina AstraZeneca para a empresa assinar contrato com o ministério.

Também foram quebrados sigilos de empresários, assessores do governo e representantes do chamado “gabinete do ódio”, um dos objetos de apuração da CPI. O blogueiro Allan dos Santos também foi um dos atingidos.

Sigilos quebrados

A CPI aprovou requerimentos com diferentes alcances sobre a transferência dos sigilos. Confira lista abaixo.

Tiveram aprovadas as quebras de sigilo bancário, fiscal, telefônico e telemático:

Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde

George da Silva Diverio, ex-superintendente do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro

Marcelo Batista Costa, coordenador-geral substituto de aquisições do Ministério da Saúde

Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Ministério da Saúde

Empresas Cefa-3 e Lled Soluções

Celso Fernandes de Mattos, sócio das empresas Cefa-3 e Lled Soluções

Fábio Rezende Tonassi, sócio das empresas Cefa-3 e Lled Soluções

Leneir dos Santos Oliveira, sócio da S P Serviços e Locação

Jean dos Santos Oliveira, sócio-administrador da S P Serviços e Locação

Tiveram os sigilos telefônico e telemático quebrados:

Marcos Eraldo Arnaud, o “Markinhos Show”, publicitário ligado a Pazuello

Emanuela Medrades, diretora da Precisa Medicamentos

Carlos Eduardo Guimarães, assessor próximo à família Bolsonaro

Mateus de Carvalho Sposito, assessor no Ministério das Comunicações

Mateus Matos Diniz, assessor no Ministério das Comunicações

José Matheus Sales Gomes, assessor da Presidência

Tercio Arnaud Tomaz, assessor da Presidência

Lígia Nara Arnaud Tomaz, parente de Tercio

Allan dos Santos, blogueiro

Teve o sigilo bancário e fiscal quebrado:

A empresa S P Serviços e Locação

G1

Opinião dos leitores

  1. ATENÇÃO! NÃO HOUVE PROPINA!
    Simplesmente o governo ia receber um cashback de $1 dólar por vacina.
    Essa esquerda é mentirosa….kkkkkkkkkkkkk

  2. Já vi em vários sites que existe troca de e-mails citando o nome do genocida…
    Mourão já pode ir se aquecendo.
    Infartaço da boiada 🐂 vai ser em massa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Diretor de laboratório de Wuhan diz que relatório dos EUA sobre vários pesquisadores hospitalizados em novembro de 2019 é “mentira completa”

Foto: Reuters

O diretor do Laboratório Nacional de Biossegurança de Wuhan disse à mídia estatal chinesa na segunda-feira que a alegação em um novo relatório da inteligência dos Estados Unidos de que vários pesquisadores do laboratório foram hospitalizados em novembro de 2019 era “uma mentira completa”.

“Essas alegações são infundadas”, disse o diretor do laboratório, Yuan Zhiming, ao tablóide nacionalista Global Times. “O laboratório não tem conhecimento dessa situação, e eu nem sei de onde veio essa informação.”

A CNN entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores da China para obter uma resposta. O ministério realizará sua coletiva de imprensa diária na segunda-feira, às 15 horas, horário local (4h00, no horário de Brasília)

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. E alguém acharia que a DITADURA chinesa iria se incriminar? Dá prá acreditar que esse diretor do laboratório iria contrariar o Partido Comunista Chinês? Essa grande mídia é uma piada.

  2. O engraçado é que o texto notícia que a CNN entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores da China para obter resposta, como se a China não fosse uma ditadura e que, portanto, a resposta seria a verdadeira. Ridícula essa imprensa. Acham que o leitor é idiota.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Caso Henry: vídeo mostra Jairinho comendo sanduíche entregue pelas mãos do próprio diretor de presídio

Vereador Dr. Jairinho, preso, ao lado de diretor de presídio. Na imagem ele come um sanduíche que o diretor entregou para ele Foto: Reprodução

Imagens obtidas com exclusividade pelo GLOBO mostram o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (sem partido), no último dia 8, quando foi preso, no interior da Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. O vídeo revela Jairinho recebendo um sanduíche das mãos do próprio diretor da unidade, Ricardo Larrubia da Gama, por volta das 15h30. O vereador é investigado pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos, junto com a namorada Monique Medeiros, mãe da criança, que também está presa. (VÍDEO AQUI em matéria na íntegra).

As imagens são da recepção do Presídio Frederico Marques, em Benfica. Segundo o secretário de Administração Penitenciária, Raphael Montenegro, o lanche entregue por Larrubia é o mesmo que era servido no dia da filmagem para os demais detentos. Segundo ele, não há indícios de que houve regalias ao preso. O secretário explicou que não foi aberto nenhum procedimento para investigar as denúncias de que o vereador teve tratamento privilegiado na prisão, pois as imagens das câmeras de segurança da cadeia foram analisadas e nada foi constatado.

— Após análise das imagens do circuito interno de câmeras, a Secretaria de Administração Penitenciária decidiu não instaurar qualquer tipo de procedimento disciplinar contra o diretor da unidade. Qualquer pessoa que tiver acesso às imagens perceberá que, por volta da 15h30, em ambiente comum da unidade, foi entregue ao interno Jairo o mesmo “kit lanche” que se oferece a todos os internos que estejam em trânsito para audiências. De fato é o diretor quem entrega o lanche ao Vereador, mas se trata do mesmo lanche que se oferece aos presos em trânsito para audiência — afirmou o secretário.

Na tarde desta quinta-feira, a Seap mandou as imagens para o Ministério Público do Rio (MPRJ).

— Sem prejuízo das convicções pessoais, encaminhei na data de hoje, o que justifico pelo atraso na extração das imagens, fato este comunicado ao Ministério Público, todas a imagens referentes à acusação a fim de que possa o MP, no seu papel de órgão externo de controle de legalidade, analisar, formar sua própria convicção e investigar, se entender necessário _ disse o secretário, que elogiou Larrubia que pediu exoneração do cargo — Não posso deixar de prestar minhas sinceras homenagens ao policial penal Ricardo Larrubia, que com tantos anos de bons serviços prestados ao sistema penitenciário, diante das denúncias optou por pedir exoneração da função de direto do Presídio Frederico Marques — concluiu Montenegro.

Larrubia foi dirigir outra unidade, o Instituto Penal Cândido Mendes, no Centro. A exoneração dele do Presídio Frederico Marques saiu no mesmo dia em que foi nomeado para a nova unidade. Antes da casa de custódia de Benfica, o policial penal dirigiu o presídio de Volta Redonda. Por nota, a assessoria do MP do Rio informou que a “Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Sistema Prisional e Direitos Humanos esclarece que a SEAP, por iniciativa própria e por uma questão de transparência, informou que encaminhará ainda hoje (15/04) imagens da passagem dos presos Dr. Jairinho e Monique Medeiros pelo Presídio Frederico Marques, localizado no bairro de Benfica”.

O MPRJ confirmou ter recebido uma denúncia anônima “noticiando que Dr. Jairinho e Monique Medeiros teriam supostamente sido beneficiados com regalias irregulares na unidade”. A assessoria informou ainda que “a partir das informações trazidas na denúncia e providências de verificação, não foi encontrado nenhum elemento ou indício de irregularidade na recepção dos internos. O procedimento de isolamento foi observado para evitar riscos de instabilidade no ambiente prisional. A medida atende ao protocolo padrão adotado sempre que necessário e justificado como no caso”.

As denúncias sobre as irregularidades no presídio foram divulgadas na última segunda-feira no programa SBT Rio. De acordo com a informação da emissora, o casal teve um tratamento privilegiado na cadeia. Jairinho teria ficado na sala de um diretor durante o tempo em que ficou na unidade e Monique, em uma outra sala. Ambos não teriam ido para celas. Ainda segundo a emissora, o casal teria almoçado a mesma comida do diretor, e não o cardápio oferecido aos presos.

Segundo a Seap, Jairinho e Monique estão cumprindo o procedimento de ingresso no sistema penitenciário de isolamento de 14 dias, antes de se juntarem aos demais detentos. O vereador está no Presídio Pedrolino de Oliveira, Bangu 8, onde ficam os presos da Lava-Jato. Já Monique se encontra no Presídio Ismael Pereira Sirieiro, em Niterói.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. Presidido pelo Coisa Ruim não é de se esperar outra coisa, mr. Puxa saco de milicianos.

    2. Amigo bolsoloide, o Dr Jairinho é gente de bem, que defende a família, característica dos apoiadores de Jair Bolsonaro

    1. Lavagem deve ter na sala de jantar de seu chiqueiro.
      Seu comedor de fezes do PSOL.

    2. Você deve ser daqueles que fazem beijo grego em Maduro kkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Diretor da PF já foi comunicado por novo ministro que será trocado

Foto: Lúcio Bernardo Jr / Agência Brasília / Agência O Globo

O diretor-geral da Polícia Federal, Rolando de Souza, foi comunicado pelo novo ministro da Justiça, Anderson Torres, que será substituído no posto. A conversa entre os dois aconteceu ontem, quando Torres disse a Souza que precisaria do cargo.

Na cúpula da PF já era esperada a mudança, mas delegados acreditavam que qualquer alteração aconteceria mais para frente. O presidente Jair Bolsonaro deu o aval para que Anderson Torres nomeie um novo chefe para a corporação.

Segundo pessoas próximas a Torres, ele afirmou que o escolhido tem um perfil técnico e é uma indicação dele próprio. Com a mudança, o atual diretor-geral, Rolando de Souza, permanecerá menos de um ano no posto.

Entre os nomes que aparecem na bolsa de apostas da Polícia Federal para ocupar o cargo de diretor-geral estão Alessandro Moretti, que foi adjunto da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal na gestão Anderson Torres, o atual superintendente da PF no DF, Márcio Nunes de Oliveira, e o superintendente da PF em Minas Gerais, Cairo Duarte. Todos são próximos ao novo ministro da Justiça, que também é delegado da corporação.

Bela Megale – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Marrapaz… só foi a PF abrir investigação contra o 04(o mais novo) que o mito já vai trocar o Diretor… tá certo…quem tem, tem medo…sabe Deus onde isso pode parar…🤷

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

STF barra livre nomeação de diretor para centros técnicos federais

Foto: © Marcello Casal JrAgência Brasil

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, por 10 votos a 1, que o governo não pode nomear livremente o diretor interino de Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefet), em que se oferecem cursos superiores de graduação e pós-graduação em grau técnico. A decisão vale também para dezenas de Escolas Técnicas Federais e Agrotécnicas Federais.

O julgamento foi realizado no plenário virtual, ambiente digital em que os ministros do STF têm uma janela de tempo para votar somente por escrito, sem debate oral. A votação se encerrou às 23h59 de sexta-feira (26).

Com a decisão, o Supremo derrubou trecho de um decreto presidencial de 2019. A norma autorizava o ministro da Educação a nomear livremente o diretor pro tempore (interino) dos Cefets quando, “por qualquer motivo”, o cargo se encontrasse vago e não houvesse “condições de provimento regular imediato”. O único critério seria que o escolhido integrasse o Plano de Carreiras e Cargos de Magistério Federal.

O decreto havia sido questionado no Supremo pelo PSOL, em uma ação direta de inconstitucionalidade. Ao ser provocada, a Advocacia-Geral da União (AGU) defendeu a norma, argumentando que a escolha de diretores do Cefet é ato discricionário do ministro da Educação, a quem cabe supervisionar as instituições de ensino.

Ao final, a ministra Cármen Lúcia, relatora da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), entendeu que a previsão de livre nomeação é inconstitucional, por ferir a autonomia das instituições de ensino e por ser desproporcional. Ela votou por derrubar esse trecho do decreto, sendo seguida pelos demais ministros do Supremo, com a exceção do ministro Nunes Marques.

Voto

Em seu voto, Cármen Lúcia disse que o decreto 9.908/2019 não especificava as situações de vacância do cargo de diretor-geral que permitiriam a livre nomeação, tampouco estabelecia prazo para a direção interina dos Cefets.

Seria possível, por exemplo, que a vacância fosse provocada “por conta de óbices e atrasos dos órgãos mesmos do Poder Executivo na nomeação de profissional indicado pela comunidade escolar”, disse a ministra. Isso daria ao ministro da Educação a possibilidade de perpetuar um indicado pessoal no cargo, entendeu ela.

Nesses termos, a livre nomeação afrontaria os princípios constitucionais do pluralismo, da gestão democrática do ensino e da autonomia das entidades educacionais, concluiu Cármen Lúcia.

“A previsão normativa de preenchimento imediato da função por agente escolhido unilateralmente pelo ministro da Educação põe em sacrifício constitucional o processo democrático de escolha dos dirigentes da comunidade escolar, limitando, quando não esvaziando, os princípios constitucionais que regem a matéria”, escreveu a ministra.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Pede ao Governo para mandar as listas de nomeações para o STF logo,pois eles estão vendo que o Presidente é fraco e estão mandando em tudo.

  2. Quando um ministro do STF vota contra alegando autonomia de uma instituição como os If's eu fico me perguntando, os recursos pra se manterem vem de onde? Pelo que eu sei vem do Governo Federal, aí como vai tirar a autonomia se ele não o são, dependem do governo. Portanto, no meu entender quem banca tem todo direito de escolher quem vai administrar.

    1. Observe que o governo federal banca não por vontade própria mas por regra constitucional. Observe que há normas para escolha dos diretores dessas instituições, que não conferem ao presidente poder de nomear ou destituir diretores. Observe também que o governo federal deveria faz muito tempo, ter cuidado de problemas mais graves que afetam a população, como vacinas e insumos para a pandemia, auxílio para os prejudicados pela situação atual, combate à corrupção e ao desmatamento. Finalmente, meu caro, observe a partir de agora a derrocada do pior governo da história do nosso país. Observe bem, abra os olhos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Potiguar Gabriel Veron é elogiado por diretor do Barcelona: ‘Único no Brasil com perfil’

FOTO: CESAR GRECO/DIVULGAÇÃO PALMEIRAS

Gabriel Veron pode voltar à lista do Barcelona quando a nova direção assumir o clube. De acordo com o jornal espanhol “SPORT”, a joia do Palmeiras foi elogiada por um dirigente do clube catalão, que afirmou que o brasileiro “é o único jogador do Brasil com o perfil do Barça”.

Antes da Copa do Mundo Sub-17, em outubro de 2019, o secretário técnico do Barça elogiou o brasileiro ao jornal. Três semanas depois, ele conquistou o título mundial e foi eleito Bola de Ouro.

O Barça, porém, ainda não se mexeu por Veron. Sua versatilidade se enquadra no sistema implementado no clube catalão. Ele já foi procurado por Manchester United, City e Juventus.

Desde que completou 18 anos, em setembro de 2020, o jogador assinou um novo contrato com o Palmeiras até 2025. Sua cláusula de rescisão foi estipulada em 60 milhões de euros.

Lance

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Diretor do Campus de Natal é escolhido como candidato a vice-reitor da UERN

O professor Chico Dantas, diretor do Campus da UERN em Natal, foi o escolhido como companheiro de chapa da professora Cicília Maia, candidata à reitoria da UERN. A composição com a direção do Campus Natal potencializa a representatividade do projeto, já que a instituição é multicampi, presente em seis municípios, incluindo as duas maiores cidades do RN. A chapa tem o apoio do atual reitor Pedro Fernandes e da vice-reitora Fátima Raquel (atual reitora em exercício).

A campanha oficial só começa em março, mas as definições para a eleição já estão a todo vapor nos bastidores. Cicília e Chico contam com apoio da maioria dos diretores de faculdades e campi da instituição, além de estudantes, técnicos-administrativos e professores. A eleição para reitoria da Uern está marcada para 14 de abril.

Cicília Maia é chefe de gabinete da reitoria da Uern e já foi Pró-Reitora de Recursos Humanos e Assistência Estudantil, além de ter atuado por muito tempo na Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da universidade. Durante a pandemia do novo coronavírus, tem sido a principal auxiliar da reitora em exercício, Fátima Raquel, na condução e planejamento de ações da universidade.

Chico Dantas é professor do Departamento de Ciência da Computação e diretor do Campus da Uern, em Natal. Na direção do campus, tem realizado projetos com foco na promoção da qualidade de vida da comunidade acadêmica, e apresentado os resultados da universidade à classe política, recebendo no Campus vários deputados estaduais, federais e senadores convidados para um momento de interação com a comunidade acadêmica e conhecimento geral sobre a UERN.

Entre ntre os principais desafios da Uern para a próxima gestão está a conquista de sua autonomia financeira, assunto já tratado pela atual gestão da universidade com a governadora Fátima Bezerra, que assumiu compromisso com a instituição de implantar a autonomia ainda durante o mandato dela.

Opinião dos leitores

  1. O mundo todo mudou. Falta a UERN se livrar desse grupetos históricos que corroem a Instituição.
    Para transformar a UERN numa outra vem aí Paulo Silva (da FALA) e Kelânia Freire (da FANAT)

    A UERN será de fato uma Universidade.
    Uma outra UERN é possível

  2. Não apoio nem voto em candidato da atual gestão, que simplesmente não agrada a nenhum dos 3 segmentos! Votarei em Paulinho e em Kelânia, que serão candidatos.

  3. Melhor escolha impossível!!! Dois profissionais que valorizam e focam a educação. Me representam demais!!!

  4. Dois nomes de peso e de muita competência que não tenho dúvidas são a nossa melhor opção para os anos vindouros!!

  5. Dois profissionais altamente qualificados, enquanto docentes e gestores. A UERN só tem a ganhar com eles à frente.

  6. Pessoas competentes e que representam os três seguimentos da Universidade. Neste momento em que avançamos para a conquista da nossa autonomia, a experiência é indispensável para a concretização deste sonho. Avante Cicilia e Chico, avante UERN!

  7. Excelentes nomes !!! Profissionais altamente capacitados e com histórico de grande empenho em prol da UERN, além da vasta experiência administrativa acumulada por ambos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

América anuncia Ricardo Bezerra como diretor de futebol

O América anunciou em suas redes sociais nesta sexta-feira(02) que o empresário Ricardo Bezerra volta ao cargo de Diretor de Futebol do Alvirrubro para trabalhar ao lado do, agora presidente, Ricardo Valério.

Na manhã desta sexta (2), os dirigentes conversaram com o grupo americano antes do início dos trabalhos.

Opinião dos leitores

  1. Jogou bola,entende de futebol,tem boa capacidade de agregar,tenho certeza que agora o America vai subir.
    Parabéns!!!!

    1. Vai, vai virar, a Kombi kkkkkkkk mais um ano na D, se não for jogar o Jerns kkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Diretor da OMS chora em apelo contra covid-19: ‘Por que é tão difícil para humanos se unirem?

Tedros Adhanom Ghebreyesus durante coletiva da OMS em fevereiro de 2020 — Foto: Denis Balibouse/Reuters

Com 12 milhões de pessoas contaminadas por Covid-19 e 550 mil mortos no planeta até o dia 9 de julho, o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um apelo emocionado ao mundo.

Tedros Adhanom Ghebreyesus advertiu na quinta-feira (9) que a pandemia do novo coronavírus segue fora de controle e, em prantos, pediu unidade para a humanidade, dias depois de os Estados Unidos entrarem com pedido formal de saída da OMS.

“A grande ameaça que enfrentamos agora não é o vírus em si, mas a ameaça é a falta de liderança e solidariedade em níveis globais e nacionais”, disse o diretor da OMS em Genebra, na Suíça.

Em um discurso emocionado, cheio de pausas, ele disse: “Esta é uma tragédia que… na verdade… está nos fazendo sentir falta de nossos amigos. Perdendo vidas… E não podemos enfrentar essa pandemia com um mundo dividido”.

“Por que é tão difícil para os humanos se unirem, para lutar contra o inimigo?”

Nos últimos dois dias, foram 170 mil casos novos confirmados de Covid-19, o que representa uma queda em relação aos 200 mil do fim de semana anterior. Ainda assim, os números são considerados altos demais.

As Américas são o continente mais afetado, com 6,12 milhões de contágios confirmados e 272 mil mortes oficiais. Isso é metade de tudo que foi registrado no mundo. O Brasil segue sendo o país com o segundo maior número de casos e mortes no mundo, atrás apenas dos EUA.

Diante desse cenário, o direto da OMS disse que a pandemia “é uma prova de solidariedade e liderança global” e voltou a pedir a unidade de todos os países.

“Isso está matando pessoas de forma indiscriminada. Não podemos ser capazes de identificar um inimigo comum? Não podemos entender que as divisões ou separações entre nós são realmente vantajosas para o vírus? A única maneira é estarmos juntos.”

Enquanto isso, os Estados Unidos seguem com seu processo de saída da OMS. O presidente americano, Donald Trump, finalmente pôs em prática o plano depois de passar meses criticando a entidade.

Na visão americana, a OMS administrou mal a crise do coronavírus e se mantém subordinada à China.

A OMS anunciou nesta quinta-feira a formação de um painel para avaliar a sua resposta à crise de saúde, para responder aos questionamentos dos Estados Unidos.

G1, com BBC

Opinião dos leitores

  1. A única maneira é estarmos juntos.”
    Essa é a declaração do diretor da oms para o.mundo combater o coronavirus, por este tipo de informação é que todas as nações teriam que parar de contribuir com essa organização, totalmente inútil para a sociedade.

  2. Por três vezes o povo da Etiópia chorou as perdas dos seus filhos, em razão de endemias de cólera, entre 2006 e 2011, quando esse homem era ministro da Saúde daquele País! E agora, sua desastrosa e ideológica gestão frente à OMS, levou o mundo a 12.600 mil infectados e a perder mais de 560 mil vidas por conta do Covid 19. É um genocida!!

  3. Ele está chorando é com medo de ser associado ao regime corrupto e genocida do psicopata Xi Jinping.

  4. Homi, relaxe… chore não…
    Esqueceu o que fizeram com Jesus?
    Ele veio aqui, fez milagres, curou cegos e leprosos, ressuscitou mortos, alimentou milhares de pessoas e etc… e etc…
    O governo, com apoio do povo, humilhou, torturou, e o crucificou. Quando na cruz, quase sem vida, pediu água os soldados deram vinagre.
    Essa é a humanidade.
    Faz tua parte, quem quiser que acredite, quem não quiser deixe pra lá e vida que segue.
    Oxi…

  5. Não tem moral nenhuma pra nada! Sua gestão só atrapalhou o combate ao covid acobertando a China nessa pandemia…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Band demite diretor e afasta Lacombe de matinal, diz site; “pauta conservadora” teria provocado racha na emissora

Foto: Reprodução

A Band decidiu reformular completamente o programa Aqui na Band – que está no ar apenas há um ano. Segundo o site Notícias da TV, a emissora paulista demitiu o diretor Vildomar Batista e afastou os apresentadores Ernesto Lacombe e Nathália Batista da atração.

De acordo com a publicação, os apresentadores devem ser demitidos ainda nesta quinta-feira (25) e Mariana Godoy, recém-contratada da emissora, deve assumir o programa em julho ao lado de um novo apresentador. A partir desta quinta até o dia 3 de julho, serão exibidas reprises.

A intervenção teria sido ocasionada por conta de uma briga entre as áreas de entretenimento e jornalismo da emissora, devido as pautas conservadoras que são a bandeira do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Os diretores da Band inclusive estariam em “pé de guerra”. Segundo as informações do site, o agora demitido Vildomar Batista, teve uma discussão tensa com Fernando Mitre (diretor nacional) e Rodolfo Schneider (diretor de jornalismo), após o programa exibir, no começo de maio, um debate com o tema: “Quem mandou matar Jair Bolsonaro?”.

O ápice do conflito aconteceu na última terça-feira (23/06), quando o programa teve como tema o conservadorismo e Allan dos Santos, investigado pela Polícia Federal por disseminação de Fake News. A repercussão negativa foi tanta que Mitre chegou a esclarecer nas redes sociais que não tinha responsabilidade pelo programa.

Na tarde dessa quarta-feira (24/06), a emissora decidiu por suspender os programas inéditos e passar reprises, após a confirmação da contratação de Mariana Godoy. O diretor Vildomar teria se mostrado bastante incomodado por saber das informações através da imprensa e teria ameaçado rescindir seu contrato com a emissora.

Após a reformulação, o Aqui na Band deve ser tocado em conjunto pelas áreas de entretenimento e jornalismo, com o comando do diretor artístico e de programação, Antonio Zimmerle. O chef Dalton Rangel deve ser o único da atual equipe que continua no programa.

Com informações do Metrópoles

 

Opinião dos leitores

  1. Teorias da conspiração à parte, foi uma ótima decisão do staff da Band. Veículos de comunicação de grande capilaridade – sobretudo os concessionários de radiodifusão – não têm que ser progressistas ou conservadores. Como dizia o bruxo Golbery, os extremos estão mais próximos entre si do que em relação ao centro. Portanto, caldo de galinha e um pouco de equilíbrio não fazem mal a ninguém.

  2. Não foi pra isso que o partido comunista da China, através de seus laranjas, comprou a Band? Coloca a bola embaixo do sovaco e acaba a pelada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

GRAVE: “É como se pusessem uma tornozeleira eletrônica em todos os usuários no Brasil”, diz diretor do Whatsapp, sobre projeto de lei de fake news

Foto: Pixabay

É como se mais de 100 milhões de brasileiros passassem a ser monitorados por tornozeleira eletrônica. É assim que Pablo Bello, diretor de Políticas Públicas do WhatsApp para a América Latina, descreve os possíveis efeitos do projeto de lei sobre fake news que está em discussão no Senado.

O ponto do projeto que mais incomoda a plataforma é a rastreabilidade das mensagens, que obriga aplicativos a guardar as informações sobre todos os reencaminhamentos de cada mensagem, para que se possa identificar a origem de conteúdos potencialmente ilegais.

Há mais de cem emendas ao projeto de lei apresentado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e relatado pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA).

Ainda não se sabe qual será o texto final do relatório de Coronel, que será apresentado nesta quarta-feira (24), para ser votado na quinta (25). Mas, segundo apurou a Folha, o texto deve manter a rastreabilidade, ponto que mais incomoda o WhatsApp.

“É como se pusessem uma tornozeleira eletrônica em todos os usuários de WhatsApp no Brasil —poderão monitorar todos os movimentos das pessoas, saber com quem todo mundo fala por mensagem”, disse Bello à Folha.

Segundo os números mais recentes, de 2017, há mais de 120 milhões de usuários de WhatsApp no país. A legislação em discussão determina que o WhatsApp deve guardar os registros da cadeia de reencaminhamentos de mensagens até sua origem, e fornecer essas informações mediante pedido judicial.

“Tudo isso, essa coleta maciça de dados para que, no caso eventual de alguém cometer um crime, poderem obter essas informações…isso transformará todos em suspeitos, subverte a presunção de inocência.”

Segundo Bello, embora a medida não implique quebrar a criptografia, porque não revela o conteúdo das mensagens, ela representa violação de privacidade ao mostrar com quem todo mundo fala.

Bello afirma que o WhatsApp de hoje é muito diferente do aplicativo em 2018, quando foi usado para disseminação de notícias falsas durante as eleições. Na ocasião, a plataforma teve de suspender 400 mil contas. “Introduzimos várias modificações para reduzir a viralização de algumas mensagens.”

O número de vezes que uma mensagem pode ser reencaminhada foi reduzido de 20 para 5, o que, segundo Bello, já diminuiu em 30% o número de reencaminhamentos.

Em abril deste ano, o WhatsApp passou a permitir que as mensagens que estejam viralizando sejam reencaminhadas apenas uma vez. Bello voltou a enfatizar que apenas 5% de todas as mensagens trocadas pelo aplicativo são reencaminhadas.

A plataforma defendeu a proibição de envio em massa de mensagens de WhatsApp durante as eleições, o que foi incorporado na regulamentação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) adotada em novembro do ano passado.

A empresa também está acionando judicialmente agências que fazem disparos em massa, como a Yacows. E está cooperando com agências de checagem de fatos para criar chatbots no WhatsApp, como o da International Fact Checking Network, para combater fake news sobre a pandemia de Covid-19, e canais de informação reunindo ministérios da Saúde de vários países, entre eles o Brasil.

“Essa é nossa visão de como combater desinformação”, diz Bello.

Segundo ele, a coleta e o armazenamento maciço de dados exigidos pela lei vão contra o modelo de negócios do WhatsApp. “É muito arriscado guardar todas essas informações. Imagine um hacker?”, questiona.

Ele lembra que o WhatsApp é uma plataforma global e, eventualmente, essas mudanças poderiam passar a valer em países não democráticos. “Rastreabilidade de mensagens é um presente para governos autoritários; é um problema não apenas de privacidade, mas também de direitos humanos.”

Bello afirma que o WhatsApp colabora com a Justiça ao fornecer os dados já previstos pelo Marco Civil da Internet —os logs de acesso, detalhes sobre quando uma determinada pessoa entrou e saiu do aplicativo, e o IP usado. E que está disposto a aperfeiçoar isso, fornecendo essas informações de maneira mais eficaz e rápida, sempre a partir de pedido judicial.

Folha de São Paulo

 

Opinião dos leitores

  1. Liberdade total teve Lula, roubou o dinheiro do povo brasileiro, deu aos filhos aos comparsas e mandou pra onde quis e ninguém fez nada. Isso sim é liberdade total!

  2. Olha o que está na Constituição Federal, Art. 5°, IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo VEDADO O ANONIMATO; V – É ASSEGURADO O DIREITO DE RESPOSTA PROPORCIONAL AO AGRAVO, além da indenização por dano material, moral ou à imagem;

    1. Não entendi o que vc quis dizer, olhe que conheço da constituição do Brasil.

  3. Depois do gabinete do ódio, da privacidade raqueada (Ótimo filme no netflix) e da eleição de Trump/Bozo, qualquer atitude contra fake news é bem vinda.

  4. Não existe liberdade total numa democracia, isso é utopia. A liberdade tem limites, e esse limite é a Lei, a ordem jurídica. Divulgar mentiras e destruir reputações não é liberdade de expressão, é crime. Simples assim.

  5. Não sei quem tem medo de ser identificado, deve ser bandidos ou caluniadores. A liberdade de se expressar tai; más diga e assuma e essas redes sociais são um prato cheio pra criminosos de todos os ramos se esconderem no anonimato. Facebook, whatsapp etc…, documentos pra ter sua conta, sua liberdade de expressão. Internet e lugar de informação e não de fakes.

    1. Não é bem assim. É mais complicado. Pessoas podem ser perseguidas por meras opiniões políticas.

  6. Infelizmente, pela irresponsabilidade de alguns, todos terão que pagar. Que venha a lei. Está na hora de dar "um basta" em tantas Fake News.

  7. Tem gente batendo palma enquanto só se pegar bolsonarista (afinal, do outro lado não se diz mentira, né?). Num dia um desafeto vai usar isso contra vc. E nem vai precisar ser uma mentira.

    1. Interessante! O tal do devido processo legal só serve quando beneficia você ou um amigo seu. Quando Sérgio Moro indicava testemunhas para a acusação ninguém se importava… Onde vocês estavam nessa época?

  8. Qual problema de rastrear quem fez a notícia? Pode ser mentirosa e é crime, projeto de lei acertado.

    1. Quando vc ver o dono do facebook colocando um fita na cam do laptop que utiliza. Vai começar a entender o valor da liberdade. (mesmo sendo vc uma pessoa íntegra)

      Para o bem comum "vou monitora todos". Isso é liberdade? (por punhado de bandidos, todos pagam)

    2. Tem que ser muito ingênuo pra acreditar que esss lei visa só pegar bandido.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

FOTO: Diretor da Globo é flagrado descumprindo quarentena em praia

Foto: AgNews

A Organização Mundial da Saúde recomendou algumas medidas para conter o avanço da Pandemia do Coronavírus no mundo. A ideia é evitar que ocorra um congestionamento nos sistemas de saúde.

O isolamento social é a arma mais poderosa no momento, e vem sendo isso que as emissoras de televisão, como a Globo, estão reafirmando diariamente esse pensamento em seus telejornais.

No final da tarde de domingo (19), o diretor da Rege Globo, Amauri Soares, foi flagrado caminhando sem máscara pela praia, no Rio de Janeiro.

Segundo a jornalista, Fábia Oliveira, o chefe da emissora “chegou a apertar o passo quando percebeu que tinha sido reconhecido por fotógrafo de plantão”.

UOL – TNONLINE e TV Foco

https://tnonline.uol.com.br/noticias/cotidiano/67,492931,20,04,diretor-da-globo-e-flagrado-descumprindo-quarentena-em-praia

Opinião dos leitores

  1. Eu caminho no calçadão sem problemas, não há aglomeração de pessoas…alguém poderia me dizer qual o problema nisso…muito pior é qdo tenho que ir ao supermercado ou padaria..ai sim, mais preocupante.

  2. Atividade física solitária é permitida pelas autoridades sanitárias. Machete sensacionalista !!!

  3. São uns canalhas e hipócritas, ficar em casa é ótimo para eles, a audiência desse lixo subiu com essa pandemia, se a galera sair pra trabalhar ninguém assiste mais essa porcaria, aliás, cada dia mais as pessoas estão voltadas para a internet, o que é uma maravilha se tomados os devidos cuidados tb

  4. Ontem (19) aqui em Natal ocorreu uma concentração gigantesca de pessoas e ninguém tomou nenhuma providência???? Lentes de aumento para uns casos, e uma venda nos olhos para outros casos. Tem gente que engole um elefante e se engasga com um mosquito.

  5. Ontem aqui em Natal , nas praias da zona leste tinha muita gente e dezenas de carros. Muita gente mesmo em areia preta, praia do forte, do meio e artistas. Estão brincando com esse vírus .

  6. A PM só prende cidadão comum? A lei é para todos ou só para o trabalhador normal, sem costas largas? Prenderam uma senhora na praça, prenderam um militar da reserva na praia e o pessoal da globo, que a cada 01 minuto pede para o povo ficar trancafiado em casa, pode ir fazer caminhada na praia? Podem explicar se a lei é, a partir de agora, oficialmente seletiva?

  7. O “fiquem em casa” não serve pra eles… E quanto mais vc ficar em casa, mais eles ganham com isso! Desgrudem da TV gente!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Coronavírus: Após divergências, diretor da linha de frente do Ministério da Saúde se afasta e deve deixar cargo

O diretor do departamento de imunização do Ministério da Saúde, Júlio Croda Foto: Jorge William / Agência O Globo

O núcleo central do Ministério da Saúde de combate ao novo coronavírus sofreu uma baixa. Júlio Croda, diretor do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis da pasta, afastou-se de suas funções após divergências internas com a equipe. Ele está de férias até o começo de abril, mas não deverá retornar ao trabalho em razão de discordâncias com seu chefe, o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Wanderson de Oliveira.

Até seu afastamento, ele estava na linha de frente das ações contra o novo coronavírus, assim como Wanderson. Croda chegou a participar de algumas entrevistas coletivas sobre o tema ao lado do chefe direto e do próprio ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Oficialmente, o ministério informa apenas que ele está de férias.

Após “ruídos” internos, potencializados pelo estresse vivido pela equipe, Croda foi incentivado a se afastar por uns dias para baixar a temperatura.

Com informações de O Globo

Opinião dos leitores

  1. Calma , se o cara esta de férias até o começo de abril , como está na linha de frente??? Essa classe de jornalismo ??‍♂️

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Diretor de jornalismo da Globo elogia em “nota interna” reportagem sobre o porteiro e revela bastidores

Foto: Reprodução

O diretor de jornalismo da Rede Globo, Ali Kamel, divulgou uma nota interna de elogio aos jornalistas envolvidos na reportagem do Jornal Nacional que revelou a história do porteiro do condomínio de Jair Bolsonaro, depoente no caso do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes.

Eis a nota na íntegra:

“Há momentos em nossa vida de jornalistas em que devemos parar para celebrar nossos êxitos.

Eu me refiro à semana passada, quando um cuidadoso trabalho da editoria Rio levou ao ar no Jornal Nacional uma reportagem sobre o Caso Marielle que gerou grande repercussão. A origem da reportagem remonta ao dia 1° de outubro, quando a editoria teve acesso a uma página do livro de ocorrências do condomínio em que mora Ronnie Lessa, o acusado de matar Marielle. Ali, estava anotado que, para entrar no condomínio, o comparsa dele, Elcio Queiroz, dissera estar indo para a casa 58, residência do então deputado Jair Bolsonaro, hoje presidente da República. Isso era tudo, o ponto de partida.

Um meticuloso trabalho de investigação teve início: aquela página do livro existiu, constava de algum inquérito? No curso da investigação, a editoria confirmou que o documento existia e mais: comprovou que o porteiro que fez a anotação prestara dois depoimentos em que afirmou que ligara duas vezes para a casa 58, tendo sido atendido, nas palavras dele, pelo “seu Jair”. A investigação não parou. Onde estava o então deputado Jair Bolsonaro naquele dia? A editoria pesquisou os registros da Câmara e confirmou que o então deputado estava em Brasilia e participara de duas votações, em horários que tornavam impossível a sua presença no Rio. Pesquisou mais, e descobriu vídeos que o então deputado gravara na Câmara naquele dia e publicara em suas redes sociais. A realidade não batia com o depoimento do porteiro.

Em meio a essa apuração da Rio (que era feita de maneira sigilosa, com o conhecimento apenas de Bonner, Vinicius, as lideranças da Rio e os autores envolvidos, tudo para que a informação não vazasse para outros órgãos de imprensa), uma fonte absolutamente próxima da família do presidente Jair Bolsonaro (e que em respeito ao sigilo da fonte tem seu nome preservado), procurou nossa emissora em Brasilia para dizer que ia estourar uma grande bomba, pois a investigação do Caso Marielle esbarrara num personagem com foro privilegiado e que, por esse motivo, o caso tinha sido levado ao STF para que se decidisse se a investigação poderia ou não prosseguir. A editoria em Brasilia, àquela altura, não sabia das apurações da editoria Rio. Eu estranhei: por que uma fonte tão próxima ao presidente nos contava algo que era prejudicial ao presidente? Dias depois, a mesma fonte perguntava: a matéria não vai sair?

Isso nos fez redobrar os cuidados. Mandei voltar a apuração quase à estaca zero e checar tudo novamente, ao mesmo tempo em que a Editoria Rio foi informada sobre o STF. Confirmar se o caso realmente tinha ido parar no Supremo tornava tudo mais importante, pois o conturbado Caso Marielle poderia ser paralisado. Tudo foi novamente rechecado, a editoria tratou de se cercar de ainda mais cuidados sobre a existência do documento da portaria e dos depoimentos do porteiro. Na terça-feira, dia 29 de outubro, às 19 horas, a editoria Rio confirmou, sem chance de erro, que de fato o MP estadual consultara o STF.

De posse de todas esses fatos, informamos às autoridades envolvidas nas investigações que a reportagem seria publicada naquele dia, nos termos em que foi publicada. Elas apenas ouviram e soltaram notas que diziam que a investigação estava sob sigilo. Informamos, então, ao advogado do presidente Bolsonaro, Frederick Wassef, sobre o conteúdo da reportagem e pedimos uma entrevista, que prontamente aceitou dar em São Paulo. Nela, ele desmentiu o porteiro e, confirmando o que nós já sabíamos, disse que o presidente estava em Brasília no dia do crime. Era madrugada na Arábia Saudita e em nenhum momento o advogado ofereceu entrevista com o presidente.

A reportagem estava pronta para ir ao ar. Tudo nela era verdadeiro: o livro da portaria, a existência dos depoimentos do porteiro, a impossibilidade de Bolsonaro ter atendido o interfone (pois ele estava em Brasilia) e, mais importante, a possibilidade de o STF paralisar as investigações de um caso tão rumoroso. É importante frisar que nenhuma de nossas fontes vislumbrava a hipótese de o telefonema não ter sido dado para a casa 58. A dúvida era somente sobre quem atendeu e só seria solucionada após a decisão do STF e depois de uma perícia longa e demorada em um arquivo com mais de um ano de registros. E isso foi dito na reportagem. Quem, de posse de informações tão relevantes, não publica uma reportagem, com todas as cautelas devidas, não faz jornalismo profissional.

Hoje sabemos que o advogado do presidente, no momento em que nos concedeu entrevista, sabia da existência do áudio que mostrava que o telefonema fora dado, não à casa do presidente, mas à casa 65, de Ronnie Lessa. No último sábado, o próprio presidente Bolsonaro disse à imprensa: “Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar, pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano”.

Por que os principais interessados em esclarecer os fatos, sabendo com detalhes da existência do áudio, sonegaram essa informação?

A resposta pode estar no que aconteceu nos minutos subsequentes à publicação da reportagem do Jornal Nacional.

Patifes, canalhas e porcos foram alguns dos insultos, acompanhados de ameaças à cassação da concessão da Globo em 2022, dirigidos pelo presidente Bolsonaro ao nosso jornalismo, que só cumpriu a sua missão, oferecendo todas as chances aos interessados para desacreditar com mais elementos o porteiro do condomínio (já que sabiam do áudio).

Diante de uma estratégia assim, o nosso jornalismo não se vitimiza nem se intimida: segue fazendo jornalismo. É certo que em 37 anos de profissão, nunca imaginei que o jornalismo que pratico fosse usado de forma tão esquisita, mas sou daqueles que se empolgam diante de aprendizados. No dia seguinte, já não valia o sigilo em torno do assunto, alegado na véspera para não comentar a reportagem do JN antes de ela ir ao ar. Houve uma elucidativa entrevista das promotoras do caso, que divulgamos com o destaque merecido: o telefonema foi feito para a casa 65, quem o atendeu foi Ronnie Lessa, tudo isso levando as promotoras a afirmarem que o depoimento do porteiro e o registro que fez em livro não condizem com a realidade. O Jornal Nacional de quarta exibiu tudo, inclusive os ataques do presidente Bolsonaro ao nosso jornalismo, respondidos de forma eloquente e firme, mas também serena, pela própria Globo, que honra a sua tradição de prestigiar seus jornalistas. Estranhamente, nenhuma outra indagação da imprensa motivada por atitudes e declarações subsequentes do presidente foi respondida. O alegado sigilo voltou a prevalecer.

Mas continuamos a fazer jornalismo. Revelamos que a perícia no sistema de interfone foi feita apenas um dia depois da exibição da reportagem e num procedimento que durou somente duas horas e meia, o que tem sido alvo de críticas de diversas associações de peritos.

Conto tudo isso para dar os parabéns mais efusivos à editoria Rio. Seguiremos fazendo jornalismo, em busca da verdade. É a nossa missão. Para nós, é motivo de orgulho. Para outros, de irritação e medo.”

Ali Kamel

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Como justificar e qual a real motivação de soltar uma materia, como se admite, falsa, tendo bastante tempo não ter sido questionado, o alvo que se queria atingir, Sr. Ali Kamel, vcs deram uma barrigada, atiraram numa mosca e acertaram bem no peito de vcs, não se justifica o injustificável, pedir desculpas Seria mais educado, fino e honesto. Infelizmente ou felizmente vcs tem contas para acertar com o Brasil , que de passagem não é de vcs. A Globo como concessão deveria estar a serviço da verdade, seja lá de onde viesse. Vcs estão sempre a favor dos seus interesses, pena que agora o mandatário não está a seu soldo.

  2. A mesma postura da Globo, evidenciada desde a primeira entrevista com o então candidato Jair Bolsonaro: antipatia e hostilidade. O cofre um dia seca. A chave do cofre está do outro lado.

  3. Muito bem rede Globo, continuem investigando e informando à população os podres de TODOS os governos. Se não gosta da Globo vão assistir Edir Macedo e Sílvio Santos.

  4. O diretor de jornalismo ia dar uma de Carrile e detonar seus comandados? Claro que tá livrando o seu da reta!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Diretor do Detran participa do encerramento da Semana Nacional de Trânsito

Foto: Divulgação

O diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran), Jonielson Oliveira, participou na manhã desta quinta-feira (26) do encerramento da Semana Nacional de Trânsito (SNT), que aconteceu no Centro Municipal de Referência em Educação (Cemure), situado no bairro de Cidade da Esperança, em Natal. O evento organizado pela Policia Rodoviária Federal (PRF) reuniu as instituições que fazem parte do Programa Vida no Trânsito (PVT).

O momento destacou a participação de nove escolas públicas onde os estudantes realizaram diversas apresentações todas trabalhadas com ênfase a temática do tráfego de veículos e pessoas. O evento denominado 1º Festival Estudantil Temático de Trânsito (Fetran) inseriu crianças, adolescentes e jovens no contexto da segurança, respeito e conscientização do cidadão que faz parte do trânsito, seja ele motorista, motociclista, ciclista ou pedestre.

Para o diretor do Detran, Jonielson Oliveira, o evento fecha a Semana Nacional de Trânsito conscientizando os futuros condutores de veículos. “O Detran realizou uma semana intensa de atividades educativas contemplando a capital e as principais cidades do Estado, e agora fecha a semana da melhor maneira possível, trabalhando o trânsito na escola juntamente com as instituições parceiras”, comentou.

O trabalho desenvolvido pelo Detran durante a SNT abrangeu atividades nas escolas, ruas e avenidas. Foram realizadas blitzen educativas, palestras, debates, eventos lúdicos, entrega de material educativo, distribuição de brindes, amostras institucionais, além de treinamento de pilotagem, ações sobre trilhos e outras.

A SNT é prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e tem a finalidade de conscientizar a sociedade para a criação de um ambiente favorável de valorização da vida, focando o desenvolvimento de valores, posturas e atitudes, no sentido de garantir a segurança e o direito de ir e vir dos cidadãos no trânsito.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *