VÍDEO: BG questiona a necessidade da implementação dos novos semáforos pelo STTU em Natal

Confira trecho do programa Meio-Dia RN nesta quinta-feira(05) em que o BG questiona a necessidade da implementação dos novos semáforos pelo STTU em Natal.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rivanilton disse:

    Ficou uma beleza. Só sabe quem fica no engarrafamento. Só tem gênio na STTU.

  2. Tarcísio Eimar disse:

    Concordo plenamente, agora vamos retirar o IPVA dos carros e colocar para os três primeiros

  3. Sebastião Vasconcelos disse:

    Parabéns BG!!!
    Essa medida tosca há de ser criticada!
    O pior é ouvir dos responsáveis pela genial alteração que tudo foi feito ao estilo avenida paulista?!
    Como comparar a paulista a uma das duas principais artérias da cidade (prudente e Hermes/salgado/101)?
    Se quer comparar, que o faça, por justiça e igualdade, com as 2 principais avenidas de São Paulo (marginais pinheiros e Tietê). A diferença é que lá não tem um sinal!!!! E ai do doido que o fizer…
    Socorro!!!

  4. berg disse:

    BG pegou ar!!
    Mas tem toda razão viu Bruno.
    Esses poderes pra multar é 100% agora pra esse dinheiro retornar em benefícios pra população, não chegam 10%.
    A rigor, o nome dessa senhora, mais parece nome de remédio né não?

  5. Julia disse:

    Quero saber cadê os engenheiros de trânsito que colocando 7 sinais na Hermes e Salgado Filho iria resolver a situação do transito, então me explique porque colocaram um sinal em frente da Padaria Nacre para poder facilitar a travessia do estacionamento do estabelecimento, se tem dois sinais colados, juro que fiquei sem entender

  6. Manoel disse:

    As ruas e calçadas (em que muitos veículos também se apossam) não são de uso único e exclusivo de automóveis. O pedestre tem que ter como transitar em segurança (inclusive atravessar ruas), e para isso, tem que haver respeito dos motoristas. Se os motoristas daqui fossem educados como são os de países de primeiro mundo, para atravessar uma rua, bastaria a faixa de pedestres. Mas no Brasil, tem que haver semáforos e pardais para que o pedestre possa atravessar em segurança sem perder a vida… No mais, o que movimenta o comércio, é o pedestre (exceto nos comércios drive-thru). Na atual conjuntura, os comércios de rua estão fechando por falta de clientes… Mas espero que as botoeiras dos novos semáforos sejam mantidas em pleno funcionamento para que o semáforo feche quando efetivamente houver pedestre para atravessar a rua…

  7. Djalma disse:

    O creio que foi para justificar o semáforo que instalaram na passagem da igreja universal da salgado filho. Já que cederam para a universal, visando ganhos políticos, teriam que colocar outros semáforos em outros pontos para justificar o desvio de finalidade. É sempre assim a má política, troca obscura de favores em prejuízo de muitos …. quando a população protestar ao ponto de incomodar, retirarão os excedentes deixando o da universal…É a repetição da já manjada estória do bode na sala… quem viver, verá…

  8. Cabo Silva disse:

    O caos se instala, o prefeito decide retirar e eis que sai como HEROI e com mais votos!

  9. Absurdo esses sinais …..

TRF-5 concede Habeas Corpus e questiona investigação da Operação Balcão

É destaque no portal Justiça Potiguar nesta sexta-feira(09). O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5) concedeu, em parte, Habeas Corpus relatado pelo desembargador federal Manoel de Oliveira Erhardt, que foi aprovado por unanimidade, referente à Operação Balcão. “Afasto as buscas e apreensões, por entender que não se demonstrou concretamente a viabilidade de se encontrar algo”, diz o magistrado em trecho de sua decisão, que é definitiva e sem possibilidade de recurso. Leia notícia completa aqui.

Presidente da Fifa questiona clubes brasileiros: se faturam tanto, por que os jovens vão embora tão cedo?

Foto: Getty Images

Em sua primeira entrevista coletiva depois de ter sido reeleito presidente da Fifa, Gianni Infantino lançou um questionamento aos clubes sul-americanos, em especial aos brasileiros:

– As receitas dos grandes clubes brasileiros não estão longe dos europeus. Ainda quero saber por que os bons jogadores deixam o Brasil – disse, ao responder a uma pergunta sobre a desigualdade entre os clubes europeus e seus pares da América do Sul.

Minutos mais tarde, o dirigente detalhou seu raciocínio. Para ele, é natural que os melhores jogadores de países como o Brasil atraiam o interesse dos grandes europeus. O problema, disse, é que os países exportadores perdem jogadores para “o segundo, o terceiro e o quarto nível” de clubes para a Europa.

– Se os jogadores vão embora para o Real Madrid, então ok. Mas nem todos vão para o Real Madrid. Então por que não ficam no Flamengo? No Fluminense? No Santos? O garoto que surge num clube brasileiro ou português, se ele fica um pouco mais, se ele tem a chance de jogar um Mundial de Clubes e aí sim ir direto para o Real Madrid.

Embora a arrecadação de clubes brasileiros venha crescendo ininterruptamente nos últimos anos, os times que mais faturam, como Flamengo e Palmeiras, não estariam nem entre os 20 primeiros de um hipotético “ranking mundial de faturamento”. Os demais estariam distantes do top 30.

O discurso de Infantino serve para defender o novo Mundial de Clubes, que será disputado a cada quatro anos por 24 participantes – oito da Europa, seis da América do Sul e fez outros times dos demais continentes. O torneio enfrenta oposição da ECA, a Associação que representa os clubes ricos da Europa.

– O futebol hoje é global, mas todas as receitas vão para o mesmo lugar. O grupo muito pequeno de clubes, eu diria 10, ou nem 10, concentram todas as chances de serem campeões do mundo. Eu quero que 50 clubes possam ter essa chance, e pode ser 25 da Europa, mas os demais do México, do Brasil, dos EUA, da China e de outros lugares – disse Infantino.

Mudanças no calendário

O presidente da Fifa também deu a entender que pode promover mudanças no calendário do futebol mundial nos próximos anos.

– Eu trabalhei 16 anos na Uefa, então passei muito tempo defendendo uma parte do mundo, contra as outras cinco. Aqui na Fifa não temos que reduzir o poder da Europa, mas sim aumentar o poder dos demais continentes. O calendário hoje é muito eurocêntrico.

Globo Esporte