Geral

Cueca menstrual e mais: marcas criam peças íntimas para pessoas trans

Foto: Divulgação Pantys

Você já parou para pensar que não é só mulher que menstrua? Homens trans e pessoas não-binárias também. Foi pensando nisso que a marca de calcinhas absorventes Pantys lançou, na última semana, a primeira cueca menstrual brasileira, um produto com tecnologia ecologicamente correta para conter o sangue.

O lançamento quer atender quem procura conforto durante o período menstrual. O produto chega ao mercado custando R$ 99. As calcinhas absorventes da marca custam a partir de R$ 55 e contam com variedade de modelos, tamanhos e estampas.

Agora, Pantys entra para o grupo de marcas brasileiras que produzem peças íntimas desenvolvidas especialmente para o público trans, com preocupações relacionadas à modelagem e aos tecidos. A seguir, conheça algumas:

A cearense Cris Cabana é uma estilista autodidata que fabrica peças íntimas, biquínis e vestidos para o público transexual. Há mais de 30 anos no mercado brasileiro, as roupas da marca são usadas pela cantora Pabllo Vittar e artistas internacionais, como Kimora Blac, drag queen que participou da série Ru Paul’s Drag Race. O best-seller é a calcinha “aquengar”, que tem modelagem específica para acomodar o pênis.

O nome “Cabana Store” é uma ironia em referência à grife italiana Dolce & Gabanna. A loja surgiu em 1990 da união da força de trabalho de mãe e filha, dona Terezinha Pereira e Iolanda Cristiane Pereira Cruz, respectivamente. Hoje, a marca brasileira exporta produtos para a Europa, os Estados Unidos, a Ásia e Austrália.

Dani Bel Moda Trans

Na descrição do perfil da loja, ela já conta a que veio. “Especializada em lingerie para meninas e mulheres trans”, diz o texto. Foi fundada pela empresária catarinense Daniela Beltrami depois de atuar por cerca de 20 anos no mercado da lingerie.

Desde que investiu no mercado “T”, o seu negócio deslanchou e já soma quase 10 mil seguidores no Instagram. Dani chega a fabricar mais de 80 calcinhas por dia, a maioria em lycra, um tecido resistente e confortável.

Woggan Moda Trans

Para fugir do óbvio, tecidos com texturas e estampas “diferentonas” fazem parte do estilo da Woggan Moda Trans. A loja paulistana oferece peças íntimas confeccionadas com materiais pouco convencionais, como cirrê e camurça.

Mais uma vez, as modelagens também são pensadas para oferecer conforto e o suporte adequado às áreas íntimas

Savage X Fenty mandou o seu recado

Além de fundadora da Fenty Beauty, a Rihanna também lidera a Savage X Fenty, etiqueta especializada em underwear. Desde o início, propôs coleções com uma ampla grade de tamanhos para abarcar um maior número de formatos de corpos.

Hoje, as peças variam do PP ao extra GG e as modelagens, bem como o design dos itens, desafiam os padrões e os estereótipos de gênero.

Universa – UOL

Opinião dos leitores

  1. Os eleitores do Lula.
    É esse povo e os militontos que corre atrás do ladrão.
    Mas não chega a 1% do eleitorado não.
    O povo decente ainda é maioria.

  2. Tão querendo empurrar essas porcarias goela abaixo mesmo. Deus tenha misericórdia da humanidade!!!

    1. Estao moldando verdadeiras quimeras Humanas , qual a vantagem evolutiva ?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Liderada por Google, lista das dez empresas mais influentes no país tem uma brasileira

Foto: Divulgação / Unsplash

Pela quinta vez consecutiva, o Google lidera a lista de empresas mais influentes no Brasil, publicada nesta quarta-feira (14) pela empresa de pesquisa Ipsos.

A empresa de buscas é seguida por Youtube e Samsung nesta 8ª edição do ranking “The Most Influential Brasil”, que avaliou 107 nomes. No top 10, só há uma brasileira, O Boticário.

Um grupo de 2 mil pessoas respondeu em dezembro questões sobre inovação, confiança, presença, responsabilidade social e engajamento para que o ranking fosse formulado.

Destaque para Covid-19

Por causa da pandemia, a consultoria responsável pelo ranking acrescentou a categoria “Covid-19”, que avaliou o desempenho das companhias frente a crise sanitária.

Desta forma, segundo o estudo, o Google foi destaque por desenvolver uma plataforma voltada a informações e recursos de saúde sobre a Covid-19.

O documento também destaca a mobilização de políticas de segurança durante as eleições municipais e a mobilização de recursos para diferentes iniciativas de inclusão social no ano passado.

Na análise do CEO da Ipsos Brasil, Marcos Calliari, as empresas estão transformando a sociedade que vivemos e tiveram um papel fundamental durante o impacto do novo coronavírus.

“Algumas marcas usam sua influência econômica para aliviar problemas sociais e melhorar o planeta. Por meio de um propósito que enxerga a pessoa e a comunidade por trás do consumidor, essas marcas visionárias vão muito além da venda de um produto ou serviço. A influência é um dos ativos mais valiosos que uma marca pode ter”, avalia.

Sobre O Boticário, a consultoria ressaltou em apresentação sobre o ranking que a marca é reconhecida no país pela relevância que dá à diversidade, e isso refletiu nos pilares de influência da pesquisa.

Cita ainda que, no final de 2019, O Boticário comprou a Beleza na Web, “um canal bastante importante no e-commerce, que fez com que ela navegasse muito bem no meio digital”, destaca Ana Hashizume, diretora de saúde de marca na Ipsos.

Veja o top 10:

1º Google

2º YouTube

3º Samsung

4º Microsoft

5º Facebook

6º Colgate

7º Nestlé

8º O Boticário

9º Mercado Livre

10º Mastercard

Consumidores mais preocupados

Outro resultado mapeado pela pesquisa do Ipsos foi em relação à preocupação dos brasileiros. Seis em cada 10 pessoas indicaram que estão muito preocupadas com o futuro, o maior índice entre os 14 países onde a pesquisa foi conduzida.

A expectativa dos consumidores na atuação das empresas na transformação social também foi mensionada. Entre os entrevistados, 77% disseram que as marcas devem contribuir muito mais com a sociedade e investir em causas sociais que não investiam antes.

“A relevância da responsabilidade social dentro da influência de uma marca vem crescendo ao longo dos anos, e, neste ano, ficou ainda mais evidente. Ela se constrói não só participando de forma ativa na sociedade, mas também refletindo valores que as pessoas admiram e se identificam”, diz Hashizume.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Reinfecção por Covid-19 pode ser mais agressiva mesmo sem variantes, diz estudo

Foto: CNN

As pessoas assintomáticas e as que apresentaram sintomas leves ou moderados de Covid-19 correm risco de reinfecção pela doença, mesmo que não tenham sido contaminadas por uma das variantes de preocupação, como a amazônica P1, além das cepas de Reino Unido e África do Sul.

Nestes casos, o segundo contágio provoca uma resposta corporal inflamatória mais intensa e com sintomas mais fortes, mostra um estudo pré-publicado, ou seja, ainda não revisado por pares, de pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa (Idor).

Esse estudo usou exemplos de reinfecções ocorridas no estado do Rio de Janeiro que mostraram que pacientes desenvolveram sintomas mais agudos em relação à primeira infecção, mesmo não sendo contaminados com algumas dessas variantes.

De acordo com Fernando Bozza, um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo que atua na Fiocruz e no Idor, esse risco de reinfecção em relação às novas variantes é maior, mas o foco do estudo, que não abordou essas cepas, foi os casos de infecção por cepas não variantes, algo novo até então.

O dado preocupa, pois derruba a ideia de que a reinfecção só ocorre devido às novas variantes como a P.1, a B.1.1.9 (do Reino Unido) e a B.1351 (de origem na África do Sul).

Conforme Bozza, o dado reforça ainda mais a necessidade de manutenção das medidas de contenção do novo coronavírus, como isolamento social, redução de circulação de pessoas, uso de máscaras e higienização.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Vamos esperar os excepcionais, ilustrativos, científicos, arrazoado dos peritos em COVID, Dr Manoel F e Dr Santos, com aval do excepcional comitê científico Dr. Laís Íon Marise.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro destaca levantamento internacional que coloca o Brasil entre os países que mais aplicaram vacinas contra a covid no mundo

O presidente Jair Bolsonaro, em suas redes sociais, destaca que o Brasil é o 5º país que mais vacina no mundo, com 13 milhões de doses aplicadas.

“Para o corrente ano, já foram contratadas mais de 400 milhões de doses de vacinas para ser distribuído de forma voluntária para a população”, detalhou o presidente.

O Instagram de Bolsonaro ainda destacou o link com a atualização através de site que monitora o número de aplicações de vacinas contra a covid pelo mundo, feito por pesquisadores da Universidade de Oxford.

https://ourworldindata.org/covid-vaccinations

Opinião dos leitores

  1. Kkkkkkk
    A família pixuleco ze gado titico de adauto.
    Podem ficar a vontade pra criticar nao tem problemas.
    AGORA, QUE É O QUINTO NO MUNDO É!!!!!
    KKKKKKKKKKKKKKKKKK
    Chupa petezada derrotada.

  2. Contra fatos não há argumentos!!! Como os opositores não conseguem rebater, então partem para a calúnia e difamação!!! Em nada contribuem para a solução do problema. Apenas propagam o caos.

  3. Os dados estão expostos, mas a militância esquerdista só sabe rosnar e destilar ódio nas redes. Deixem de fanatismo !!!

  4. Só no Brasil fizeram politicagem com o vírus.
    Aguardemos o final dessa tragédia.
    Enquanto isso o potiguar aguardando a vacina sob o comando da Gov.

  5. A realidade se impõe e não serão mentiras que irão modificá-la. Os fatos sempre se sobrepõem às narrativas.

  6. Os ESQUERDOPATAS são uma comédia, criticam sem olhar os dados. O Brasil está entre os seis países que mais vacinam no mundo, mesmo sem ter desenvolvido uma única vacina e estando dependente de outros países.
    O Canadá comprou vacina antecipada para atender 10 vezes a sua população, no entanto dependem de outros países e não conseguem receber as vacinas e a vacinação segue lenta.
    Os EUA são os que mais vacinam, mas eles têm as fábricas que desenvolveram as vacinas produzindo lá. Não dependem de nenhum outro país.
    Se os governos de esquerda que governaram esse país tivessem investido em ciência e tecnologia, invés de gastar bilhões com COPA DO MUNDO e OLIMPÍADAS, talvez tivéssemos nossa própria vacina e com ela estivéssemos vacinando todos com maior rapidez.
    Mesmo assim estamos melhor do que muitos países ricos da Europa.
    Mas para os ESQUERDOPATAS a única coisa que importa é ser oposição a tudo.

  7. Ôôôhh véi macho!!
    Esse é meu presidente.
    A fábrica vem aí!!!!!!!
    Esquerdalhada derrotada pira.
    Vão perder de novo.
    Depois da inauguração desse complexo, o ladrão Lula da Silva retira a candidatura.
    hihihihihihihi
    Parece que estou vendo no horário eleitoral as imagens do drone lá em cima.
    Sem falar no canteiro de obras em todo o Brasil desatoladas e inauguradas.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkkkkk
    Kkkkkkkkkk
    Primeiro turno sem dúvidas alguma.
    Quem não quiser passar por derrotas, venham pro nosso lado, abandone os esquerdistas que eles não tem o que dá, a não ser capim pros jumentos emprenhados pelis ouvidos.
    Kkklkkk
    Qual o poder que não pode????
    É nós!!

    1. Eu prifiru acreditar em LULADRAO, o ome mais onesto do Brasil. Kkkkk

    2. Não precisa acreditar nele. Consulte o site Our World Data e veja você mesmo.

    3. Esse pelo menos não rouba.. é o caso do seu líder Luladrão Kkkkk seu comedor de capim

  8. Tire do total as vacinas de Dória (76%) do total que vamos ver a mediocridade do governo federal em relação as vacinas.

  9. Presidente covarde e negacionista , que não comprou as vacinas quando DEVIA!!
    Agora mande a PF na minha casa, para me prender porque falei mal de você, duvido!!

  10. Esse só sabe passar o dia mentindo…
    11,8 milhões de doses aplicadas, o que corresponde a 5,58% da população.
    O que eu acho mais absurdo de tudo isso, é que acreditam.

  11. Em termos absolutos estamos bem, mas em termos relativos, não chegamos nem a 5% da população vacinada com a PRIMEIRA DOSE… Só uns 2% tomaram as Duas doses. O MINTOmaníaco esqueceu de enfatizar essa parte!

  12. O governo federal vem fazendo sua parte mesmo com toda a oposição que enfrenta. Resta aó povo cobrar de governadores e prefeitos que façam o que tem de ser feito. É inadmissível que, mesmo após UM ANO convivendo com esse vírus, alguns governantes não tenham feito o que era preciso e insistam nesse "lockdown" criminoso. Deixem de usar esse vírus para fazer política e TRABALHEM.

    1. Com o escritório fechado, o palestrante pensa que aqui é o butiquim da esquina.

    2. Terminou ? Pode voltar para o curral o feno já está pronto .

    3. Muitos que foram na sua onda de tomar ivermectina e se aglomerar hoje jaz no cemiterio. Se ivermectina fosse bom, ja estariamos livres da pandemia

    4. Outra meia verdade do mito que falaciosos como DH gostam de ouvir e repetir. O Brasil vacinou APENAS 5% de sua população. 75% das vacinas existentes foram compradas por Dória. Ou seja, somente 1,5% das vacinas aplicadas foram compradas pelo Exmo. Sr. Presidente Bozo. Demorou a ir às compras e só se resolveu pra não perder pro governador de SP. É muito pouco, o povo está morrendo na porta dos hospitais e não há motivo pro presidente se vangloriar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo de Pernambuco decreta quarentena mais rígida a partir de quinta para tentar conter avanço da covid

(Foto: Hélia Scheppa/SEI/Divulgação)

Pernambuco vai entrar em uma quarentena mais rígida a partir da próxima quinta-feira (dia 18), como anunciado pelo governador Paulo Câmara nesta segunda-feira. Até o dia 28, apenas os serviços essenciais estarão autorizados para funcionar em todo o estado. O objetivo é conter a disseminação do coronavírus e a alta taxa de ocupação dos leitos de UTI, que está acima dos 95% em Pernambuco.

Entre os dias 18 e 28 de março, ficarão proibidos de funcionar os serviços de bares e restaurantes, shoppings e galerias comerciais, óticas; salas de cinema e teatros, academias, salão de beleza e similares, comércio varejista de vestuário, calçados, eletroeletrônicos e linha branca, cama, mesa e banho e produtos de armarinho, escolas e universidades (públicas e privadas), clubes sociais, esportivos e agremiações, práticas e competições esportivas, praias, parques e praças, ciclofaixas de lazer, eventos culturais e de lazer, além dos sociais. Já as igrejas e demais templos religiosos só poderão funcionar para atividades administrativas e para preparação e realização de celebrações online.

Apesar da proibição da abertura dos bares e restaurantes, eles poderão atender através de delivery e retirada. Já entre os serviços considerados essenciais pelo Governo de Pernambuco e liberados para funcionar neste período estão supermercados, padarias, farmácias, postos de combustíveis, petshop, clínicas, ambulatórios e similares, bancos e lotéricas, transporte público, indústrias, atacado e termoelétricas, construção civil, material de construção, materiais e equipamentos de informática, lojas de materiais e equipamentos agrícolas, oficinas e assistências técnicas e lojas de veículos.

Desde o último dia 3 de março, Pernambuco já estava com medidas mais restritivas e apenas os serviços essenciais podiam funcionar entre 20h e 5h nos dias de semana e durante todo o final de semana. Como o decreto tinha validade até esta quarta-feira, o Governo de Pernambuco anunciou regras ainda mais rígidas no estado com o objetivo de conter um novo pico de contaminação do coronavírus e de sobrecarga no sistema de saúde estadual.

Em 2020

Em maio de 2020, o Governo de Pernambuco decretou uma quarentena mais rígida no Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata, com restrição da circulação das pessoas nesses municípios durante 15 dias. Na ocasião, o governador Paulo Câmara não utilizou o termo lockdown, mas o decreto proibia que as pessoas saíssem de casa sem necessidade. Além disso, houve rodízio de veículos e pontos de bloqueio nas cidades. Os serviços essenciais ficaram autorizados de funcionar durante o período. No ano passado, o decreto começou no dia 12 de maio, de forma educativa, e no dia 16 para valer, com validade até o dia 31.

Diário de Pernambuco

 

Opinião dos leitores

  1. Todos os governadores dos partidos da esquerda estão mantendo as mesmas medidas, o que um faz, o outro segue no mesmo sentido.
    Onde o lockdown funcionou?
    Porquê ninguém comenta do covid na Africa, India, Peru e México?
    O quê a Africa, India, México e Peru tem em comum no combate a pandemia?
    Quantas UTI foram disponibilizadas a mais em cada estado que está adotando o lockdown?

    1. Os governadores de SP, RS e MG são de esquerda?
      Vamos continuar lascados enquanto continuarem falando lados ao se referirem a covid.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Mais 19,4 mil doses da vacina CoronaVac chegam ao RN

 Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

O Rio Grande do Norte recebeu na tarde desta quinta-feira (25) um novo lote de vacinas com mais 19,4 mil doses da CoronaVac. O voo desembarcou por volta das 15h30 no Aeroporto de Natal.

O lote agora soma com as 35,5 mil doses da vacina de Oxford/AstraZeneca que chegaram ao estado nessa quarta-feira(24).

As novas doses serão utilizadas para começar a vacinação de indígenas e também dos idosos a partir dos 80 anos no estado.

O lote das 35,5 mil doses de Oxford começou a ser distribuído para os municípios do RN já nesta quinta-feira (25).

Opinião dos leitores

  1. Só me canso de agradecer : “OBRIGADO MEU GRANDE GOVERNADOR DORIA , O SENHOR É K GOVERNADOR DO ??.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Novo vazamento expõe mais de 100 milhões de contas de celular do Brasil

Vivo e Claro não detectaram invasão, mas abriram investigação interna Sebatião Moreira/EFE/VEJA

O Brasil está sob ataque constante de hackers. Dias depois revelar o maior vazamento de dados pessoais já registrado no país, que incluiu 223 milhões de CPFs, 40 milhões de CNPJs e 104 milhões de registros de veículos, a a empresa de cibersegurança PSafe informou nesta quarta-feira, 10, que mais de 100 milhões de contas de celular de brasileiros foram encontradas na dark web. As informações são do site NeoFeed e foram confirmadas por VEJA junto à PSafe.

A empresa com base no Brasil e nos EUA montou um laboratório, o dfndr lab, que vem descobrindo vazamento de proporções gigantescas, evidenciando a vulnerabilidade das empresas e órgãos governamentais. As 102.828.814 de contas de celular vazados na dark web incluem informações sensíveis como tempo de duração das ligações, número de celular, e outros dados pessoais como endereço e telefone.

O carioca Marco DeMello, CEO e fundador da PSafe, disse que ainda hoje enviará um detalhado documento com a investigação realizada para a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), vinculada ao Governo Federal. Dentre as vítimas, estão o presidente Jair Bolsonaro e também os apresentadores globais William Bonner e Fátima Bernardes. No caso de Bolsonaro, há detalhes como valor da conta, volume de minutos gastos por dia, o número do celular, filiação, data de nascimento e CPF.

Os relatórios apontam para vazamento de dados das contas de duas operadoras de telefonia não identificadas. Os dados são vendidos na dark web, a parte mais sinistra da deep web, na qual os domínios são voltados para práticas criminosas como tráfico de drogas, exploração infantil, serviços de assassinos de aluguel, pedofilia e os mais diversos crimes virtuais.

A Psafe conseguiu contato com o cibercriminoso, que não é o mesmo dos vazamentos de CPF e CNPJ. Ele alegou ter extraído os dados dos sistemas da Vivo (57, 2 milhões de registros) e da Claro (45, 6 milhões), mas não foi possível descobrir a identidade do hacker, justamente pelo fato de a conversa ter ocorrido na zona de difícil rastreamento.

Tanto a Vivo quanto a Claro disseram não ter identificado nenhum tipo de vazamento, mas dizem cumprir rígidos controles de acesso a dados e que investigações internas serão abertas. Marco De Mello informou que hacker é estrangeiro, vive fora do Brasil, e está vendendo cada registro por 1 dólar, por meio da criptomoeda bitcoin. A PSafe informou que enviará uma nota oficial sobre o assunto ainda nesta quarta-feira.

No fim de janeiro, a PSafe revelou que detectou a divulgação indevida de 40 milhões de CNPJs de empresas nacionais, além de 222 milhões de CPFs – maior que toda a população brasileira, pois incluía documentos de pessoas mortas –, e outras informações valiosas. Na ocasião, a A Psafe também conseguiu contato com o cibercriminoso responsável, que alegou ter extraído os dados do sistema da Serasa Experian.

O Serasa diz ter realizado uma investigação interna e nega ser a origem do vazamento. “Apesar das investigações detalhadas conduzidas até o momento, não há evidências de que nossos sistemas tenham sido comprometidos”, informou em nota. O caso, tratado como gravíssimo pelo presidente do Superior Tribunal Federal, Luiz Fux, vem sendo investigado pela ANPD.

Veja

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Barragem Armando Ribeiro Gonçalves permanece com mais de 50% da sua capacidade; veja situação de outros reservatórios pelo RN

Foto: ASCOM/IGARN

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta segunda-feira (18), indica que a barragem Armando Ribeiro Gonçalves acumula 1.243.465.049 m³, que correspondem a 52,4% da sua capacidade total que é de 2.373.066.510 m³. No dia 18 de janeiro de 2020, o manancial acumulava 550.374.210 m³, equivalentes a 23,19% da sua capacidade total.

As reservas hídricas superficiais totais do Estado acumulam 1.914.191.968 m³, que correspondem a 43,73% da capacidade total do RN, que é de 4.376.444.842 m³. No mesmo período do ano passado as reservas estaduais, dos reservatórios monitorados pelo Igarn, eram de 977.582.375 m³, equivalentes a 22,33% do volume máximo de águas do estado.

A barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior reservatório do RN, acumula 168.662.820 m³, percentualmente 28,12% da sua capacidade total que é de 599.712.000 m³. Em meados de janeiro de 2020 o reservatório estava com 113.133.263 m³, correspondentes a 18,86% da sua capacidade.

A barragem Umari, localizada em Upanema, acumula 211.745.321 m³, que equivalem a 72,31% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No mesmo período de janeiro do ano passado o manancial estava com 84.495.083 m³, percentualmente, 28,86% do seu volume total.

O reservatório Marechal Dutra, conhecido como Gargalheiras, acumula 9.542.403 m³, correspondentes a 21,48% da sua capacidade total, que é de 44.421.480 m³. Em janeiro de 2020 o manancial estava completamente seco.

O Açude Bonito II, localizado em São Miguel, acumula 1.676.950 m³, equivalentes a 15,43% da sua capacidade total, que é de 10.865.000 m³. No dia 18 de janeiro de 2020 o reservatório estava com 275.780 m³, correspondentes a 2,54% da sua capacidade.

A barragem de Pau dos Ferros acumula 11.478.218 m³, correspondentes a 20,93% da sua capacidade total, que é de 54.846.000 m³. Em janeiro do ano passado o reservatório estava seco.

Dos 47 reservatórios monitorados pelo Igarn, além da Armando Ribeiro Gonçalves e Umari, outros 12 ainda permanecem com mais de 50% da sua capacidade: Dourado, localizado em Currais Novos, com 51,68%; Beldroega, localizado em Paraú, com 51,76%; Santo Antônio de Caraúbas, localizado em Caraúbas, com 53,15%; Pataxó, localizado em Ipanguaçu, com 54,03%; Morcego, localizado em Campo Grande, com 55,91%; Rodeador, localizado em Umarizal, com 60,06%; Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes, com 61,23%; Encanto, localizado no município de Encanto, com 63,11%; Santana, localizado em Rafael Fernandes, com 70,67%; Riacho da Cruz II, localizado em Riacho da Cruz, com 73,01%, Mendubim, localizado em Assu, com 74,36% e Apanha Peixe, localizado em Caraúbas, com 79,67% do seu volume total.

Entre os mananciais monitorados pelo Igarn, 4 estão em nível de alerta, acumulando menos de 10% da sua capacidade. São eles: Esguicho, localizado em Ouro Branco, com 0,76% Flechas, localizado em José da Penha, com 5,53%; Itans, localizado em Caicó, com 8,13% e Zangalheiras, localizado em Jardim do Seridó, com 7,8%.

Os açudes que estão secos são: Inharé, localizado em Santa Cruz e Trairi, localizado em Tangará.

Situação das Lagoas

A lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte de Natal, está com 10.546.283 m³, correspondentes a 95,71% da sua capacidade total, que é de 11.019.525 m³.

Já a lagoa do Bonfim, localizada em Nísia Floresta, que fornece água para a adutora Monsenhor Expedito, acumula 42.698.071 m³, equivalentes a 50,67% da sua capacidade total, que é de 84.268.200 m³.

A lagoa do Boqueirão, localizada em Touros, acumula 9.702.179 m³, correspondentes a 87,61% da sua capacidade total, que é de 11.074.800 m³.

Opinião dos leitores

  1. Engraçado a lagoa do Bonfim com toda essa capacidade mas a cidade de jaçanã RN faz 30 dias que não recebe água nas torneiras,e só Deus sabe quando chegará, até lá estaremos comprando água.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Elon Musk passa Jeff Bezos e se torna o homem mais rico do mundo

Elon Musk, agora, é o home mais rico do mundo na lista de bilionários da Bloomberg. Foto: EPA

O diretor executivo da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, passou o fundador da Amazon, Jeff Bezos, e se tornou o homem mais rico do mundo, segundo a Bloomberg. Com o salto das ações da montadora em 4,8% nesta quinta-feira, a fortuna de Musk chegou a US$ 188 bilhões, desbancando Bezos, que ocupava a liderança do ranking de bilionários desde 2017.

Segundo a Bloomberg, o patrimônio líquido do engenheiro nascido na África do Sul era de US$ 188,5 bilhões às 10h15 em Nova York, US$ 1,5 bilhão a mais do que Bezos, que ocupa o primeiro lugar desde outubro de 2017. Como diretor executivo da SpaceX, Musk também é rival de Bezos, dono da Blue Origin, na corrida espacial de empresas privadas.

O marco marca 12 meses extraordinários para Musk. No ano passado, seu patrimônio líquido disparou em mais de US$ 150 bilhões, possivelmente no mais rápido surto de criação de riqueza da história.

O que alimentou sua ascensão foi uma recuperação sem precedentes no preço das ações da Tesla, que subiu 743% no ano passado devido a lucros consistentes, inclusão no Índice S&P 500 e ao entusiasmo de Wall Street e de investidores de varejo.

Bezos ainda teria uma grande vantagem sobre Musk se não fosse por seu divórcio, que o viu ceder cerca de um quarto de sua participação na Amazon para sua ex-mulher, MacKenzie Scott, e sua filantropia. Ele doou ações no valor de cerca de US$ 680 milhões em novembro.

Salto nos papéis

A Tesla está preparada para mais ganhos a curto prazo, já que os democratas conquistaram mais assentos no Senado da Geórgia e entregaram o controle do Congresso para o partido — que defende a adoção mais rápida de veículos elétricos nos EUA.

Musk, 49 anos, se beneficiou do aumento estratosférico dos papéis da Tesla de mais de uma maneira. Além de sua participação de 20% na montadora, ele detém cerca de US$ 42 bilhões em ganhos não realizados em opções de ações adquiridas. Esses títulos vêm de dois financiamentos que ele recebeu em 2012 e 2018, o último dos quais foi o maior acordo de pagamento já fechado entre um CEO e um conselho corporativo.

Apesar de seus ganhos astronômicos, Musk disse que tem pouco interesse em coisas materiais e tem poucos ativos fora de suas participações na Tesla e na SpaceX. Ele disse em uma entrevista no mês passado que o objetivo principal de sua riqueza é acelerar a evolução da humanidade para uma civilização espacial.

“Quero poder contribuir o máximo possível para uma cidade em Marte”, disse Musk. “Isso significa muito capital.”

Musk tuitou “Que estranho”, depois que relatórios sobre seu novo status foram publicados, e acrescentou “Bem, vamos voltar ao trabalho”.

As 500 pessoas mais ricas do mundo adicionaram um recorde de US$ 1,8 trilhão ao seu patrimônio líquido combinado no ano passado, o equivalente a um aumento de 31%. No topo do ranking, ciinco indivíduos possuem fortunas superiores a US$ 100 bilhões e outros 20 valem pelo menos US$ 50 bilhões.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bancos e cervejas no topo: confira as marcas mais valiosas do Brasil em 2020

Foto: Pixabay

Bancos e cervejas, mais uma vez, se destacam no ranking das marcas mais valiosas do Brasil. O Itaú (ITUB3 e ITUB4) tem a liderança do levantamento da Interbrand mais uma vez, com uma marca avaliada em R$ 37,4 bilhões. O crescimento foi de 11% em relação ao ano anterior. Logo depois, vem o rival Bradesco (BBDC3 e BBDC4), com R$ 26,3 bilhões, aumento de 6%.

Enquanto a liderança é disputada entre dois concorrentes do setor financeiro, o terceiro e o quarto lugares estão entre duas marcas irmãs do setor de bebidas, a Skol, que vale R$ 17,6 bilhões, e a Brahma, R$ 12,1 bilhões. Ambas são da Ambev (ABEV3).

A novidade entre os cinco primeiros é a Natura (NTCO3), que cresceu 16%, chegando a R$ 9,7 bilhões. Somadas, as cinco marcas mais valiosas representam 77% dos R$ 135 bilhões das 25 empresas do ranking.

O Banco do Brasil (BBAS3) está agora na sexta posição depois de uma queda de 12% no valor da sua marca, a maior redução entre as empresas ranqueadas. O valor do nome do BB está em R$ 9,8 bilhões.

Com relação ao tamanho do crescimento, o grande destaque ficou para o Magazine Luiza (MGLU3), com 62% de incremento no valor da marca. Em seguida, entre as marcas que mais se valorizaram estão a Natura, com 16%, o Itaú, com 11%, e as Lojas Americanas (LAME3), com 10%.

O ranking também trouxe estreantes. São elas: XP Inc., Drogasil (RADL3) e PagSeguro. A corretora de investimentos estreou ultrapassando a marca bilionário, avaliada em R$ 1,6 bilhão. A rede de drogarias alcançou a marca de R$ 996 milhões e a empresa de meios de pagamentos bateu R$ 543 milhões.

Confira o ranking com a posição de cada empresa, valor da marca e crescimento comparado a 2019:

1ª Itaú: R$ 37,3 bilhões (+11%)

2ª Bradesco: R$ 26,2 bilhões (+6%)

3ª Skol: R$ 17,6 bilhões (+2%)

4ª Brahma: R$ 12,1 bilhões (+6%)

5ª Natura: R$ 9,7 bilhões (+16%)

6ª Banco do Brasil: R$ 9,5 bilhões (-12%)

7ª Petrobrás: R$ 3,1 bilhões (+1%)

8ª Vivo: R$ 2,6 bilhões (+6%)

9ª Magalu: R$ 1,7 bilhão (+62%)

10ª XP Inc.: R$ 1,6 bilhão (Nova)

11ª Renner: R$ 1,5 bilhão (+2%)

12ª Lojas Americanas: R$ 1,4 bilhão (+10%)

13ª Ipiranga: R$ 1,144 bilhão (+1%)

14ª Cielo: R$ 1,116 bilhão (-3%)

15ª Drogasil: R$ 997 milhões (Nova)

16ª Porto Seguro: R$ 856 milhões (+4%)

17ª Havaianas: R$ 740 milhões (+1%)

18ª Casas Bahia: R$ 689 milhões (+2%)

19ª Assaí: R$ 580 milhões (+5%)

20ª Atacadão: R$ 558 milhões (+5%)

21ª SulAmérica: R$ 550 milhões (-1%)

22ª PagSeguro: R$ 543 milhões (Nova)

23ª Localiza: R$ 529 milhões (-6%)

24ª Fleury: R$ 516 milhões (+7%)

25ª Totvs: R$ 504 milhões (+5%)

CNN Brasil

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

São Gonçalo suspende queima de fogos e eventos com mais de 30 pessoas

Em decreto publicado nessa quarta-feira (9), a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN suspendeu a realização de shows, festas e eventos de fim de ano com mais de 30 pessoas no município. A determinação, que segue orientação do Comitê Gestor de Combate e Enfrentamento à Covid-19, vale também para fogos de artifício, de origem pública ou privada, que gerem aglomeração.

Ainda de acordo com o documento, os eventos realizados nas áreas comuns de condomínios deverão observar os limites e as restrições orientadas pelo decreto. A fiscalização caberá à Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Secretaria de Serviços Urbanos (Semsur) e à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que poderão, inclusive, interditar o estabelecimento por descumprimento.

Boletim

Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde Pública (Sesap), São Gonçalo é o município da Região Metropolitana com menor índice de transmissibilidade (0,60). Atualmente são 2333 casos confirmados e 81, óbitos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

ARTIGO: As fake news matam mais que a Covid, por Marcus Aragão

Hoje vamos viajar. Não é para Gramado nem para o Monte das Gameleiras — destinos obrigatórios dos natalenses devido a pandemia. Vamos embarcar num #tbt de sexta-feira com destino à Europa para conhecermos duas fake news históricas.

Aterrizaremos em 1232. Veremos o Papa Gregório IX, fundar a Santa Inquisição perseguir mulheres, homossexuais, judeus, ateus e gatos. Gregório devia ter uma alma de cachorro pois detestava os felinos. Afirmava que “o diabólico gato preto, cor do mal e da vergonha, havia caído das nuvens para a infelicidade dos homens”. Esta será nossa primeira fake news disfarçada de fé.

— Santa inquisição, Batman!

A estratégia oculta era atacar os celtas pregando que eles eram bruxos. Como os celtas costumavam viver isolados e rodeados de gatos, os animais foram associados as trevas, especialmente por terem hábitos noturnos. Para se ter uma ideia da barbárie cometida contra os gatos basta citar que foram emparedados vivos para garantir a solidez de casas, igrejas e castelos. Já pensou? As paredes europeias, além de ouvidos, tem esqueletos de gatinhos. Os bixanos foram ainda lançados do alto de muralhas e, como todos sabem, queimados vivos junto com as bruxas.

Um dia a conta chega — e chegou feito a peste. O extermínio dos gatos teve graves consequências. Fazendo uma escala em 1348, vimos que a Europa sofreu enormemente com a Peste Negra. A bactéria Yersinia pestis residia na pulga do rato preto indiano que chegou ao velho continente por meio de embarcações. Como última alternativa de controle da doença os gatos foram readmitidos nas cidades e somente assim a epidemia teve fim.

Pasmem. Essa missão tão nobre poderia ter absolvido os felinos de novas perseguições. É difícil de acreditar mas a Igreja continuou culpando os gatos pela peste e deu continuidade a uma dura perseguição. As fakes news não param jamais — Devem ter 7 vidas.

Lendo sobre nosso passado percebemos que a verdade é sempre óbvia demais. Porém, quando se está inserido no contexto da época, sabemos que não é nada fácil ter discernimento. Seguir narrativas é mais fácil. Geralmente nos deixamos levar, sem sentir, por correntezas ideológicas.

Não precisamos viajar para conhecermos as fake news. Elas sempre estiveram e continuam por toda parte. As mais perigosas são as que estimulam os instintos primitivos como a raiva e a violência pois é sempre mais fácil contagiar do que construir o espírito altruísta. Por isso, o mal é mais fácil de se propagar, de transmitir.

A única arma contra isso é a educação, o ensino, a cultura. Quanto mais evoluída uma sociedade mais ela fica blindada contra discursos de intolerância porque sabemos que devemos ser tolerantes não porque somos bonzinhos — mas porque somos espertos. Afinal, a conta sempre chega. Não aceite intolerância nem contra um gato porque um dia quem pode pagar o pato, é você.

Marcus Aragão
Publicitário
@aragao01

Opinião dos leitores

  1. Parabéns pelo enfoque do artigo. Na mosca. Vivemos terríveis tempos de intolerância disseminados pelo ódio e revanchismo via falsas premissas.

  2. O boato e a fofoca , atualmente, denominados de "FAKE NEWS" são históricos e continuam despertando os instintos mais selvagens na humanidade. Eu confesso que tenho dúvida se a " única arma é a educação, ensino e a cultura", considerando que esse "mal" está presente no mundo inteiro.

  3. Muito bom texto. A gente precisa nos educar melhor a buscar informações em fontes confiáveis e seguras, para não acreditar em qualquer coisa e não disseminar fake News. Muito bom texto!! ??????

  4. Excelente reflexão, ainda que a fome mate mais pessoas que a atual situação de pandemia, a intolerância humana advém de tempos e se não mudarmos essa mentalidade mesquinha, não evoluiremos e a fome , a marginalização e todas as outras mazelas continuarão a existir

  5. Escrever não é pra todo mundo não. Deus te deu esse dom, com certeza. Como sempre texto muito bom, agradável de ler e com muita clareza. ?

  6. Quem mata dez vezes mais do que o covid no mundo é a FOME, não vejo governo nenhum preocupado e distribuindo comida.
    Porque esse safado do João Doria e Rodrigo botafogo, não levanta esse bandeira aqui no Brasil???

  7. Homi quando o cabra nao tem o que dizer é melhor ficar calado, tu sabe o que é 176 mil familias chorando

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

NORDESTE É A REGIÃO BRASILEIRA QUE MAIS LÊ: Pesquisa mostra João Pessoa na liderança entre capitais, com Teresina, São Luís, Aracaju e Salvador no top 10; Natal é 21º

Jovem lendo em biblioteca – iStock/Getty Images

Entre as dez capitais brasileiras que mais leram em 2019, cinco delas ficam no Nordeste. O ranking é parte de um novo dado divulgado pela 5ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto pró-livro, divulgado em primeira mão pela VEJA. Na campeã João Pessoa, capital da Paraíba, 64% da população é considerada leitora, seguida de perto por Curitiba, com 63%, Manaus, com 62%, Belém, 61%, e São Paulo, 60%. Os dez primeiros lugares do ranking ficam completos com Teresina (59%); São Luís (59%); Aracaju (58%); Salvador (57%); e Florianópolis (56%), respectivamente.

Para chegar ao resultado, o órgão consultou mais de 8.000 pessoas em todos os estados brasileiros, entre outubro de 2019 e janeiro de 2020, tomando como leitor aqueles que leram ao menos um livro nos três meses que antecederam a consulta. Na líder João Pessoa, a média no trimestre foi de 4,09 livros, número que sobe para 8 analisando-se os doze meses antecessores, mais da metade deles lidos por vontade própria. Na ponta oposta, Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, amargou uma média de 3,09 livros por ano — menos do que a marca de João Pessoa em três meses, e só 26% de leitores entre a população. Boa Vista, Roraima, é a única capital que continua em análise, por isso não integra a pesquisa (veja ranking abaixo).

Os dados ainda mostram que, entre os pessoenses, 75% dos leitores são da classe B ou C, enquanto a classe A fica na lanterna, representando apenas 8%, situação que se repete no contexto geral. Em todo o Brasil, a classe C detém, sozinha, 49% dos leitores, contra apenas 4% dos mais ricos. Esse resultado, porém, deve-se mais ao fato de a classe A ser minoria no país, em números absolutos, do que a um baixo índice de leitura. Em um comparativo proporcional, embora tenha registrado a maior queda percentual de 2015 para 2019, 67% da classe A declarou-se leitora, contra 63%, 53% e 38% nas classes B, C e D/E, respectivamente.

Nesse contexto, a proposta de taxação de livros do ministro Paulo Guedes pode estreitar ainda mais a diferença de acesso entre as classes sociais, afetando negativamente o mercado editorial. Desde 2004, vigora uma lei que desonera a indústria do livro. A proposta de Guedes, no entanto, é extinguir os benefícios em troca da colaboração com a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), com alíquota de 12%. Caso isso aconteça, os livros ficarão mais caros, o que ameaça o consumo das classes C e D/E, que correspondem a 70% dos leitores do país. Com isso em mente, a Associação Brasileira de Editores e Produtores de Conteúdo e Tecnologia Educacional (Abrelivro), a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) enviarão, nessa semana, uma carta compromisso aos candidatos à prefeitura das capitais brasileiras, com cinco propostas de estimulo à leitura.

Confira o percentual de leitores por capital:

João Pessoa (64%)

Curitiba (63%)

Manaus (62%)

Belém (61%)

São Paulo (60%)

Teresina (59%)

São Luís (59%)

Aracaju (58%)

Salvador (57%)

Florianópolis (56%)

Vitória (55%)

Fortaleza (54%)

Belo Horizonte (53%)

Porto Alegre (52%)

Recife (52%)

Cuiabá (52%)

Palmas (52%)

Macapá (51%)

Porto Velho (51%)

Rio Branco (49%)

Natal (48%)

Rio de Janeiro (47%)

Goiânia (42%)

Maceió (37%)

Campo Grande (26%)

Boa Vista (em apuração)

Veja

Opinião dos leitores

  1. Tá explicado pq Bolsonaro tem tantos fãs em Natal, grande espaço na mídia, principalmente em programas de rádio.
    Nada é ao acaso.
    kkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. NÃO E ATOA Q A PARAÍBA ESTÁ ANOS LUZ NA FRENTE DO POBRE RIO GRANDE DO NORTE
    OS ÚLTIMOS TREIS GOVERNADORES E UM POVO EXIBIDOS NOS SEUS CARROES E CABEÇAS VAZIAS

    POBRE RN

  3. Vale salientar que ler livro é diferente de se informar pelo "zap zap" ou fake news…é um exercício contínuo,.

    1. É POR ISSO Q NATAL VIROU UMA PROVÍNCIA DE JOÃO PESSOA, JÁ ULTRAPASSOU NATAL EM TUDO E O ? DO RN AINDA ELEGE FÁTIMA GOPI ?? DO PETÊ PARA CONTINUAR O ESTRAGO FEITO EM 60 ANOS DE ALVES E MAIAS OH POVINHO BURRROOOOO REALMENTE O ? TEM OS POLÍTICOS Q MERECEM

  4. Entendi a pessima posicao de Natal! Na capital do RN tem gado demais, e esse pessoal nem sabe ler…kkkkkkkkkkk

    1. IMBECIL TEM PETISTAS ANALFABETOS DEMAIS POIS A GOVERNADORA ESCOLHIDA E UMA PESSOAS Q SE DIZ PROFESSOR MAS NUNCA DEU AULA E FALA ERRADO PRA DEDEU RETRATO DO POVO POTIGUAR

    1. João Pessoa deu quase 55% de votos para Bolso no 2T.
      Próxima…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Descoberta brasileira torna a cannabis medicinal mais eficiente

Caio Santos Abreu, CEO da ENTOURAGE PHITOLAB Alexandre Battibugli/Divulgação

Em qualquer mercado que envolva commodities, quem produz a matéria-prima normalmente fica com as menores margens de lucro. Para recuperar o investimento e ganhar algum dinheiro, o agricultor, o pecuarista, o minerador e o pescador precisam produzir e vender grandes volumes. Com a cannabis não é diferente. Nos locais onde é permitido plantá-la, o preço da erva in natura vem caindo consistentemente, principalmente porque a demanda pelo produto legal não acompanha o crescimento da oferta, cada vez maior. Essa foi uma das primeiras lições que aprendi quando comecei a acompanhar esse universo mais de perto. As melhores oportunidades estão nas atividades que agregam valor aos insumos e entregam produtos mais sofisticados aos consumidores: remédios, concentrados, comestíveis, cosméticos etc.

Aqui no Brasil, o plantio de cannabis segue proibido, mas a dinâmica é a mesma. Os negócios mais atrativos para investidores e lucrativos para seus donos estão na indústria, não na agricultura (a afirmação aqui é um tanto óbvia, mas no mundo da cannabis ainda há uma tendência de supervalorização do cultivo). Nesse contexto, avalio como extremamente positivo o anúncio feito pela brasileira Entourage Phytolab na semana passada. A startup de biotecnologia, com sede em Valinhos (SP), desenvolveu uma fórmula que dobra o potencial de absorção do canabidiol (CBD) pelos pacientes. Na prática, significa que o mesmo efeito terapêutico pode ser obtido com metade da dose, tornando o tratamento mais barato e mais eficiente.

Os resultados da Fase 1 dos testes com o novo produto, selecionado entre mais de 50 formulações, foram apresentados durante o International Cannabinoid-Derived Pharmaceuticals Summit (ICDP), um dos principais eventos globais dedicados à pesquisa com canabinoides. Para Caio Santos Abreu, CEO da Entourage, o custo dos tratamentos pode cair até 60% com a nova tecnologia. “Trata-se de uma conquista inédita não só no Brasil, mas no mundo. Os cientistas que acompanharam o anúncio ficaram bastante impressionados com os nossos resultados”, contou Abreu. O produto segue agora para as fases finais de teste e devem chegar ao mercado no ano que vem, segundo as estimativas da empresa. “O processo é lento, mas tem que ser assim, esse é o caminho que escolhemos, a via farmacêutica. Estamos confiantes de que em breve vamos oferecer aos brasileiros um produto de alta qualidade, eficaz e com preços justos”, diz o executivo.

Além da absorção mais eficiente, os ensaios mostraram que a nova fórmula da Entourage reduz a variação dos efeitos do medicamento entre os diferentes pacientes. “Em geral, os tratamentos à base de canabinoides produzem efeitos diferentes de pessoa para pessoa”, afirma Manuel De Prá, chefe de pesquisa e desenvolvimento da empresa. “A variabilidade dos nossos resultados é três vezes menor que a dos produtos disponíveis no mercado atualmente. É um grande avanço, que dá mais confiança aos médicos na hora de prescrever”, completou. Ao que tudo indica, a Entourage acertou ao apostar na biotecnologia para se diferenciar, aqui e lá fora. Apesar de todo o nosso potencial agrícola, há também outros caminhos para que o Brasil se torne uma referência no mercado global de cannabis, agregando conhecimento em uma área ainda pouco explorada pela ciência.

Veja

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Seguro-desemprego para demitidos na pandemia poderá ter mais duas parcelas

Foto: Davi Pinheiro/Divulgação

Representantes do governo, dos trabalhadores e das empresas decidem nesta quinta-feira, 24, se prorrogam os pagamentos de seguro-desemprego a quem for demitido durante a calamidade provocada pela pandemia da covid-19. Se aprovada, a medida pode beneficiar 6 milhões de trabalhadores.

O custo de cada parcela adicional é estimado em R$ 8,35 bilhões, segundo cálculos da equipe econômica obtidos pelo Estadão/Broadcast. A proposta das centrais sindicais é pagar duas parcelas adicionais, o que levaria a uma despesa extra de R$ 16,7 bilhões.

A medida será votada no Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), responsável por operar políticas como abono salarial e seguro-desemprego. O colegiado tem 18 integrantes indicados por trabalhadores, empresas e governo. Cada categoria tem seis assentos no conselho.

A bancada dos empregadores deve ser o fiel da balança na votação, já que tanto governo quanto trabalhadores devem votar em bloco e em direções opostas. Na última reunião do Codefat, representantes dos setores de agricultura e turismo sinalizaram apoio à prorrogação do seguro-desemprego, enquanto a indústria foi contra, segundo apurou o Estadão/Broadcast. Com o placar indefinido, tanto o governo quanto as centrais deflagraram uma ofensiva para tentar angariar votos das confederações empresariais.

As centrais precisam conseguir ao menos três aliados dentro do conselho, já que, em caso de empate, o voto de minerva é do presidente do Codefat. A presidência hoje é exercida por Francisco Pegado, indicado da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

Em defesa da medida, as centrais justificam que a crise no mercado de trabalho já dura seis meses desde a decretação de calamidade, enquanto o número médio de parcelas do seguro desemprego está em quatro (o máximo é cinco, a depender da duração do contrato rescindido). Quem foi dispensado no início da crise pode já estar sem o benefício e, ao mesmo tempo, sem poder solicitar o auxílio emergencial criado para socorrer os mais vulneráveis, uma vez que o cadastro foi finalizado no início de julho.

“Há um desespero, uma preocupação e uma comoção grande por parte dos desempregados”, diz Sérgio Leite, representante da Força Sindical no Codefat. Entre março e agosto de 2020, 3,9 milhões de trabalhadores que tinham carteira assinada solicitaram o seguro-desemprego, 12,4% a mais do que em igual período do ano passado.

O representante da Confederação Nacional do Turismo (CNTur), Virgílio Carvalho, disse que o tema será analisado “com muito cuidado e carinho” para não comprometer a sustentabilidade do fundo nem deixar os trabalhadores desamparados.

Autorização

A lei do seguro-desemprego autoriza o Codefat a pagar duas parcelas adicionais de seguro desemprego para grupos específicos de segurados, desde que o gasto adicional da medida não ultrapasse, em cada semestre, 10% da reserva mínima de liquidez que o fundo mantém para honrar suas obrigações. Essa reserva é calculada ao redor de R$ 13 bilhões – ou seja, a despesa extra não poderia passar de R$ 1,3 bilhão.

Um parecer da própria Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), no entanto, avalia que o orçamento de guerra, aprovado pelo Congresso Nacional para abrir caminho às despesas de combate à pandemia, afasta a restrição dos 10%. Além disso, o órgão jurídico do Ministério da Economia também vê elementos suficientes para justificar a abertura de um crédito extraordinário e permitir que a despesa fique fora do teto de gastos, mecanismo que limita o avanço das despesas à inflação, já que as parcelas extras ficariam restritas a 2020.

Na prática, a prorrogação do seguro-desemprego depende apenas da aprovação do Codefat e da edição de uma Medida Provisória (MP) para abrir o crédito.

Embora não haja qualquer impedimento jurídico, a área econômica do governo manifestou resistências à aprovação da medida. Sem receitas suficientes, o governo tem emitido mais títulos da dívida pública para financiar seus gastos, e parcelas extras do seguro-desemprego pressionariam ainda mais nessa direção.

A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia alertou “para o agravamento do resultado fiscal já previsto e consequente aumento do endividamento público, comprometendo as contas públicas não somente no atual exercício, mas no médio prazo”, segundo documento ao qual o Estadão/Broadcast teve acesso.

A SPE justificou ainda que políticas governamentais que desmotivem ou atrasem a “realocação dos fatores produtivos” (neste caso, a procura de emprego pelo trabalhador) pode atrasar o processo de retomada da economia.

O Tesouro Nacional também ponderou que a aprovação da medida “contribuiria para o agravamento do resultado fiscal e o consequente aumento do endividamento público, o qual já se encontra em níveis bastante elevados”. O órgão prevê que a dívida encerre o ano em 93,5% do PIB.

Estadão

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo indica ex-ministro Abraham Weintraub para mais dois anos no Banco Mundial

 Foto: Jorge William/Agência O Globo

O governo brasileiro enviou nova indicação do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub para o cargo de diretor-executivo do Banco Mundial.

Weintraub já ocupa essa posição no Banco Mundial desde julho, mas para um mandato-tampão que se encerra em 31 de outubro.

A nova indicação do governo brasileiro é para que ele permaneça no cargo após essa data e para um mandato de dois anos, até 2022.

O governo precisava enviar nova indicação aos países que compõem o grupo de países representado pelo Brasil, a chamada “constituency”, para a eleição que ocorre nas próximas semanas.

O Brasil coordena o grupo formado por Colômbia, República Dominicana, Equador, Haiti, Filipinas, Suriname e Trinidad e Tobago.

Uma vez indicado, o nome brasileiro está virtualmente eleito, já que o país tem mais de 50% dos votos no grupo.

O que pode ocorrer, se algum país vier a se opor ao nome indicado, é a saída desse país do grupo representado pelo Brasil — o que já ocorreu no passado recente com um representante brasileiro em cargo semelhante no Fundo Monetário Internacional (FMI).

Weintraub, que sempre criticou Brasília e a forma de fazer política, com distribuição de cargos por indicação de governos, terá um salário anual de US$ 250 mil em Washington.

A partir da confirmação para o novo mandato, de dois anos, o cargo passa a ser de Weintraub, que só deixará o posto antes desse prazo se renunciar.

Irmão do ex-ministro da Educação, Arthur Weintraub, também anunciou recentemente que deixaria o posto de assessor especial do presidente Jair Bolsonaro para ocupar um cargo na OEA (Organização dos Estados Americanos).

Blog da Ana Flor – G1

Opinião dos leitores

  1. "FAÇA O QUE EU DIGO, MAS NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO"!
    Para os que ainda acreditam e abrem a boca para dizer que são contra as "ideologias" e os apadrinhamentos, indicações políticas e de amigos, o que será que dizem disso?
    Será que isso só é errado e portanto insuportável se for a oposição ou os adversários que fazem?
    Qual é a nossa moral?

    OBS: Já são 10 (dez) Universidades "aparelhadas com pessoas partidárias do presidente, que foram indicadas mesmo perdendo as eleições internas, sem legitimidade da maioria e contra o impulso primordial de qualquer Democracia.
    POR QUE NOS CALAMOS?

  2. De férias por lá, com grupo que é só potência, pois aqui só fez e falou bosta…#fica por lá….#

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *