Ventiladores não são mais a primeira opção no tratamento de casos graves de coronavírus, diz pesquisa

Foto: Edilson Dantas

Para reduzir a mortalidade pela Covid-19, uma estratégia tem feito a diferença em UTIs. A velha e boa prática médica de qualidade, com recursos conhecidos, tem feito a diferença, afirmou ontem o pneumologista Carlos Alberto Barros Franco, um dos primeiros médicos do país a tratar a Covid-19.

— Dos primeiros casos no Brasil para cá, as coisas mudaram no que diz respeito ao procedimento com os pacientes graves. O tratamento mudou radicalmente e a sobrevivência aumentou. Ventiladores não são mais a primeira opção — disse Barros Franco, um dos pneumologistas mais respeitados do país, durante o simpósio “Covid-19 — Que doença é essa?”, organizado pela Academia Nacional de Medicina (ANM).

O evento, transmitido por plataformas digitais, reuniu alguns dos maiores especialistas do Brasil para avaliar o que se aprendeu e os desafios no combate à pandemia de coronavírus no país. O coordenador do simpósio, o hematologista e oncologista Daniel Tabak, destacou que a queda da mortalidade nas UTIs está relacionada ao melhor cuidado. Antes, os respiradores eram necessários, hoje pacientes recebem pronação (uma manobra para estimular a respiração) e fisioterapia e se recuperam melhor.

— O melhor tratamento não é um remédio. É a boa prática médica. Ventilação em prona, autoprona, oxigênio a baixo fluxo, fisioterapia, tudo isso tem sido usado. Hoje, a ventilação mecânica invasiva é o último recurso para tratar um paciente de Covid-19. Isso é uma mudança radical — observou Barros Franco.

Os respiradores, vistos como essenciais no início da pandemia, perderam o protagonismo à medida que os médicos aprendem mais sobre a doença. Ventilação precoce não é mais uma indicação médica na maioria dos casos, de acordo com o pneumologista, que destaca que ainda há muito o que descobrir para melhorar o tratamento.

Mais de 29 mil estudos foram publicados, mas o coronavírus e a doença que ele causa continuam um desafio e um mistério. Um desses mistérios é a possibilidade da existência da chamada persistência. Isto é, se o coronavírus consegue permanecer no organismo de uma pessoa mesmo após o desaparecimento dos sintomas da Covid-19.

Também discutida no evento da ANM, a persistência lança dúvidas desconcertantes. Ela gera incerteza sobre se uma pessoa recuperada, sem sintomas, mas ainda positiva, poderia continuar a transmitir o vírus ou corre o risco de adoecer de novo.

O professor titular de virologia da USP de Ribeirão Preto Eurico Arruda, considerado um dos maiores especialistas do país em vírus respiratórios e um dos poucos que já estudava os coronavírus antes da pandemia, está convencido de que a persistência existe. Mas sua dimensão precisa ser conhecida.

— Acho que existem pessoas com persistência viral. Pessoas que estão PCR positivas há um mês, 40 dias. E não têm mais doença. Vimos isso num estudo pequeno. Precisamos aprender mais — disse Arruda.

Para ele, o critério de alta de pacientes que tiveram um quadro grave de Covid-19 e já se recuperaram da doença deveria ser ter dois resultados negativos consecutivos de exames de PCR.

O professor titular de virologia da UFRJ Amílcar Tanuri, cujo grupo fez um dos maiores estudos de sorologia de Sars-CoV-2 do país, tem opinião semelhante.

— Nosso grupo investiga a possibilidade de uma “cronicidade” do vírus. É raro, mas acontece. É impressionante. Mas é esse o dado — frisou Tanuri, que observou que essas pesquisas estão no início.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gibira disse:

    Rapaz e os milhões gastos com respiradores? E os 5 milhões que o Desgoverno do Estado enviou para o consórcio Nordeste comprar os ventiladores, vai ficar por isso mesmo?

  2. Lvt disse:

    Ele tem razão jr pq sempre falou em prevenção!

  3. Teodósio disse:

    SE tivessem adotado o uso da hidroxicloroquina e os demais remédios do kit, logo nos primeiros sintomas dos pacientes, não seria necessário despesas com hospitais de campanha, roubalheira na compra de respiradores a preços superfaturados, pois mais de 90% das pessoas que se trataram logo no início se curaram em casa, sem a necessidade de se internar em hospitais. Mas claro que os governadores e prefeitos não queriam isso, pois como eles iriam receber os bilhões do governo federal?

  4. Francisco Lima disse:

    O Bolsonaro tem razão.

China alerta para nova pneumonia potencialmente mais mortal que a covid-19; Cazaquistão diz que informação é incorreta e que doença faz parte das já conhecidas

(Foto: Cnsphoto/Reuters)

Um novo surto de doença respiratória, potencialmente mais letal que a covid-19, pode estar começando na Ásia.

A embaixada chinesa no Cazaquistão alertou ontem seus cidadãos no país sobre uma nova “pneumonia desconhecida”.

Segundo a China, no primeiro semestre deste ano 1.772 pessoas morreram da doença este ano, 628 delas apenas em junho. Cerca de 100.000 pessoas já teriam sido contaminadas.

“Essa taxa de mortalidade da doença é muito maior que a da covid-19 e as autoridades do Cazaquistão estão conduzindo um estudo comparativo do vírus sobre o qual ainda não há definição”, afirmou a embaixada chinesa, segundo o jornal South China Morning Post.

O ministro da Saúde do Cazaquistão respondeu nesta sexta-feira, pelo Facebook. Alexei Tsoi afirmou que a informação divulgada pela China é “incorreta”.

Segundo ele, a conta oficial inclui todos os tipos de pneumonias já conhecidas, incluindo as causadas por vírus e bactérias.

Ele não especificou quantos dos casos tratados como pneumonia podem na verdade ser de covid-19, nem entrou em detalhes sobre se há ou não uma nova doença em circulação no país.

A Organização Mundial da Saúde afirmou ao diário chinês que tem conhecimento apenas da circulação da covid-19 no Cazaquistão, e que a doença causada pelo novo coronavírus pode explicar o aumento nos casos de pneumonia no país.

Segundo a CNN, a capital do país, Nursultan, mais que dobrou os casos de pneumonia em relação a junho de 2020. A China afirmou que pretende trabalhar junto com o país no combate ao surto.

O Cazaquistão tem oficialmente 50.000 casos de covid-19, e recentemente adotou medidas mais rigorosas de distanciamento social após um avanço no contágio — a quinta-feira foi o dia com mais novos casos, 1.962.

Romper a cortina de fumaça em torno do Cazaquistão não deve ser fácil. O país é um dos mais fechados do mundo. A capital foi rebatizada com o atual nome ano passado, em homenagem a Nursultan Nazabayev, que deixou o cargo um dia antes após governar o país desde o fim da União Soviética, 30 anos atrás.

Ele ainda é presidente do Conselho de Segurança e chefe do partido que domina o parlamento, o que lhe garante poder total sobre o país da Ásia Central. O Cazaquistão tem 17 milhões de habitantes e faz fronteira, entre outros, com a China e a Rússia (onde o atual presidente, Vladimir Putin, acabou de passar uma lei que lhe permite ficar no poder por mais duas décadas).

Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wilson disse:

    O que a a China está fazendo é uma tentativa de desviar a atenção do mundo para um problema que ela causou. Não vai conseguir.

  2. Manoel disse:

    A China depois do que fez ocultando a covid quer ficar cagando regra pro resto do mundo… kkk

Vacinação contra Influenza imunizou mais de 190 mil pessoas em Natal; doses remanescentes ficam disponíveis para qualquer pessoa

Foto: Divulgação/SMS

Encerrou nessa terça-feira (30) a campanha de vacinação contra Influenza. Mais de 190 mil pessoas foram atendidas pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS Natal) nas salas de vacinação do município. Com início em 23 de março, a campanha foi dividida em etapas que tinha público alvo composto de idosos acima de 60 anos, profissionais de saúde, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, doentes crônicos, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas, mães no pós-parto até 45 dias, pessoas de 55 a 59 anos e população indígena em geral. A partir de 01 de julho, as doses remanescentes nas unidades de saúde ficam disponíveis para qualquer pessoa que buscar a imunização.

Durante a campanha, 192.061 pessoas foram vacinadas na capital, totalizando uma média de 87,72% da população prioritária. Destas, 112.451 são idosos (131.70%), 33.909 trabalhadores da saúde (109.38%), 16.589 adultos de 55 a 59 anos (49.55%), 4.162 gestantes (48.18%), 619 puérperas (43.59%) e 24.920 crianças (41.84%). O Ministério da Saúde sugere cobertura vacinal de 90% para esses públicos e Natal conseguiu superar as metas para idosos e profissionais da saúde.

“Algumas estratégias foram utilizadas para alcançar as metas estabelecidas, como o drive para idosos no Arena das Dunas na primeira fase, que teve boa aceitação das pessoas. Por outro lado, devido à preocupação do público em comparecer aos postos de saúde com a pandemia do novo coronavírus, houve uma procura abaixo do esperado de adultos, gestantes, puérperas e crianças. Com isso, a partir de hoje, as doses que restarem nas unidades básicas de sáude ficam destinadas a todo e qualquer indivíduo que desejar se vacinar”, comenda Vaneska Gadelha, Chefe de Agravos Imunopreveníveis de Natal.

Governo do Estado transfere mais de R$ 1,8 milhão para cofinanciamento a municípios na pandemia; mais de R$ 256 mil para Natal

O Governo do Estado já transferiu R$ 1.856.393,00 (um milhão, oitocentos e cinquenta e seus mil, trezentos e noventa e três reais) dos R$ 3,6 milhões dos recursos do cofinanciamento que vai reforçar a rede de assistência social nos 167 municípios do Rio Grande do Norte. Os recursos foram depositados nas contas dos municípios já habilitados mediante o termo de adesão, uma das condicionantes para recebimento da transferência na conta dos Fundos Municipais de Assistência Social.

A Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) é quem executa as transferências dos recursos que o Governo do Estado destina aos municípios para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

No Rio Grande do Norte a Sethas é responsável pela gestão estadual do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), portanto, responsável pela execução do cofinanciamento de benefícios eventuais. Os recursos são auxiliares para que os municípios possam atender aos cidadãos e às famílias em situação de vulnerabilidade temporária próprias do contexto de emergência e calamidade pública como a que vivenciamos. Uma das necessidades mais urgentes que os municípios devem atender com este recurso é a do acesso destas pessoas a alimentação, um direito humano básico.

A secretária da Sethas, Iris Oliveira, explica que os recursos são essenciais para os municípios no momento em que os efeitos da pandemia recaem mais gravemente sobre os mais pobres. “O Governo tem atuado em várias frentes e o apoio financeiro por meio do cofinanciamento de benefícios eventuais é uma delas”. O cofinanciamento, complementou a secretária da Sethas, é um benefício do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) previsto na Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS). O benefício eventual tem caráter suplementar e provisório, é prestado a grupos populacionais em situação de vulnerabilidade como pessoas em situação de rua, migrantes e refugiados, comunidades rurais, comunidades de povos tradicionais, trabalhadores e trabalhadoras informais, acampados urbanos, diaristas e todos os que neste momento estão sem conseguir suprir o seu sustento.

Pelo Termo de Aceite o município se compromete em fornecer o benefício socioassistencial, com ações de proteção específica e especial às pessoas e famílias em situação de maior vulnerabilidade, e pelo Termo Aditivo de Aceite reafirma as responsabilidades de gestão, execução e prestação de contas que decorrem do cofinanciamento.

Transferência de recursos do Cofinanciamento aos municípios, primeira e segunda parcelas, com valores em R$ e situação de habilitação

ENCAMINHOU ADITIVO:

ACARI

R$ 3.229

ASSU

R$ 16.825

AFONSO BEZERRA

R$ 3.200

ANGICOS

R$ 3.397

APODI

R$ 10.395

AREIA BRANCA

R$ 8.054

ARES

R$ 4.149

BAÍA FORMOSA

R$ 2.689

BARAÚNA

R$ 8.228

BODÓ

R$ 645

BREJINHO

R$ 3.683

CAICÓ

R$ 19.706

CAMPO REDONDO

R$ 3.253

CANGUARETAMA

R$ 9.940

CARAÚBAS

R$ 5.943

CEARÁ-MIRIM

R$ 21.314

CERRO CORÁ

R$ 3.242

CURRAIS NOVOS

R$ 12.988

EXTREMOZ

R$ 8.289

FLORÂNIA

R$ 2.644

GOIANINHA

R$ 7.635

GUAMARÉ

R$ 4.541

BOA SAÚDE/JANUÁRIO CICCO

R$ 2.952

JARDIM DO SERIDÓ

R$ 3.595

JOÃO CÂMARA

R$ 10.137

JUCURUTU

R$ 5.306

LUÍS GOMES

R$ 2.934

MACAÍBA

R$ 23.430

MACAU

R$ 9.226

MONTANHAS

R$ 3.263

MONTE ALEGRE

R$ 6.511

MOSSORÓ

R$ 86.240

NATAL

R$ 256.395

NÍSIA FLORESTA

R$ 8.005

NOVA CRUZ

R$ 10.829

OURO BRANCO

R$ 1.395

PARELHAS

R$ 6.228

PARNAMIRIM

R$ 75.826

PATU

R$ 3.699

PAU DOS FERROS

R$ 8.814

RIACHO DE SANTANA

R$ 1.219

SANTA CRUZ

R$ 11.505

SANTO ANTÔNIO

R$ 6.999

SÃO GONÇALO DO AMARANTE

R$ 29.696

SÃO JOSÉ DO MIPIBU

R$ 12.731

SÃO MIGUEL

R$ 6.821

SÃO PAULO DO POTENGI

R$ 5.098

SÃO VICENTE

R$ 1.863

SERRA NEGRA DO NORTE

R$ 2.343

TIBAU

R$ 1.191

TOUROS

R$ 9.653

UMARIZAL

R$ 3.061

ENCAMINHOU ACEITE:

ÁGUA NOVA

R$ 943

ALEXANDRIA

R$ 3.937

ALMINO AFONSO

R$ 1.373

ALTO DO RODRIGUES

R$ 4.213

ANTÔNIO MARTINS

R$ 2.072

BARCELONA

R$ 1.159

BENTO FERNANDES

R$ 1.594

BOM JESUS

R$ 2.961

CAIÇARA DO RIO DO VENTO

R$ 1.068

CAMPO GRANDE

R$ 2.800

CARNAÚBA DOS DANTAS

R$ 2.372

CARNAUBAIS

R$ 3.120

CORONEL JOÃO PESSOA

R$ 1.424

CRUZETA

R$ 2.319

DOUTOR SEVERIANO

R$ 2.052

ENCANTO

R$ 1.635

EQUADOR

R$ 1.753

ESPÍRITO SANTO

R$ 3.046

FELIPE GUERRA

R$ 1.736

FRANCISCO DANTAS

R$ 819

GALINHOS

R$ 808

GROSSOS

R$ 3.011

IELMO MARINHO

R$ 3.992

IPANGUAÇU

R$ 4.492

IPUEIRA

R$ 650

ITAJÁ

R$ 2.189

JAÇANÃ

R$ 2.649

JANDAÍRA

R$ 1.995

JANDUÍS

R$ 1.528

JAPI

R$ 1.466

JARDIM DE PIRANHAS

R$ 4.303

JOSÉ DIAS

R$ 770

JOSÉ DA PENHA

R$ 1.726

LAGOA D’ANTA

R$ 1.963

LAGOA DE VELHOS

R$ 792

LAGOA NOVA

R$ 4.528

LAGOA SALGADA

R$ 2.391

LAJES

R$ 3.270

LAJES PINTADA

R$ 1.380

LUCRÉCIA

R$ 1.159

MAJOR SALES

R$ 1.166

MARCELINO VIEIRA

R$ 2.421

MARTINS

R$ 2.530

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. David disse:

    A cidade de Bodó ta em festa kkkk

  2. marcelo matias disse:

    Essa não é a verba recebida por cada município, isso é apenas aditivo.

  3. Said disse:

    Isso será mesmo verdade?vocês gestores estaduais tenham vergonha na cara esse valor não paga um café da manhã da governadora,guardem esses valores daqui a pouco ela vai dizer que ajudou os municípios com grande repasses de verbas. SACANAGEM

  4. Beemoth,leviatã,ziz disse:

    De fato a maioria dessas cidades não deveria nem existirem,de cidade mesmo só possuem os nomes,praticamente não existe diferença alguma entre os seus povoados rurais e esses chamados centros urbanos,(cidades),o estado do Rio Grande do Norte,só deveria ou poderia ter no máximo 20 ou 21 municípios com autonomia política-administrativa,principalmente as denominadas cidades polos cidades.

  5. Ivan disse:

    Galinhos se deu bem…

  6. Paulo Roberto disse:

    Isso é sério?!

  7. Ricardo Mendes disse:

    Coitadas das cidades do interior com essa verba q Fatão vai distribuir, pobres e cada vez mais pobres cidades!!!!

Mais de 100 especialistas alertaram para falhas em estudo que condenou o uso da cloroquina no mundo

Mais de 100 médicos e estatísticos de vários países lançaram um alerta sobre graves irregularidades no maior estudo sobre a eficácia da cloroquina e da hidroxicloroquina contra a covid-19. Os responsáveis pela iniciativa exigiram que os dados do trabalho sejam revistos para que ele seja corrigido ou retirado.

O estudo em questão provocou uma tempestade mundial em torno de dois possíveis tratamentos que há poucos meses eram considerados os mais promissores contra a doença, mas que agora parecem ter caído em desgraça. O trabalho foi uma análise de dados anônimos de mais de 96.000 pacientes em 600 hospitais do mundo todo. Concluiu que a cloroquina e a hidroxicloroquina não só não oferecem nenhum benefício para os pacientes, como também podem aumentar o risco de morte em 30%. O trabalho foi publicado na The Lancet, uma das revistas científicas de maior prestígio do mundo.

Como resultado desses dados, a Organização Mundial da Saúde (OMS) suspendeu o uso destes medicamentos no estudo clínico Solidarity, que tenta provar a eficácia de diversos tratamentos contra a Covid em hospitais do mundo inteiro. Foi uma suspensão temporária, até que um grupo independente analise os dados e responda se é seguro continuar. Mas depois do anúncio da OMS, a França proibiu o uso desses medicamentos como tratamento e parou os ensaios clínicos em andamento. A Itália também suspendeu seu uso como tratamento e a Bélgica alertou sobre sua utilização fora dos estudos clínicos, de acordo com a Reuters.

Na Espanha, a agência de medicamentos concluiu que o estudo não fornecia provas suficientemente sólidas sobre o risco associado aos dois medicamentos e recomendou que continuem em andamento os ensaios clínicos com esses fármacos no país. Um porta-voz da agência explicou ao EL PAÍS que até agora o órgão não havia recebido nenhum alerta de segurança por parte dos responsáveis por esses ensaios.

VEJA MAIS – Após The Lancet por em dúvida estudo contrário e repercussão de reportagem de jornal britânico ganhar o mundo, OMS anuncia retomada de testes com hidroxicloroquina para covid-19

MUITO GRAVE: The Lancet “põe em dúvida” estudo que levou OMS a suspender cloroquina; investigação do britânico The Guardian pode revelar escândalo

BOMBA: Governos e OMS mudaram suas políticas e tratamentos da Covid-19 com base em dados suspeitos de pequena empresa e estudo da Lancet é questionado, destaca reportagem do The Guardian

A origem inicial do boom que promoveu os dois medicamentos foi um estudo comandado pelo médico francês Didier Raoult, que encontrou benefícios no uso contra a covid-19. A pesquisa, no entanto, foi considerada posteriormente como irregular, mal projetada e muito pouco confiável. Isso não evitou que esses tratamentos fossem apontados como “revolucionários”, nas palavras do presidente dos EUA, Donald Trump, que anunciou que toma hidroxicloroquina para se proteger do coronavírus, sendo seguido, posteriormente, pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. No momento, não existe nenhuma prova sólida de que esses medicamentos funcionem contra a doença. Existem apenas dados parciais apontando que eles podem aumentar o risco de arritmias em pacientes graves.

O último estudo, que condenou o uso da cloroquina e hidroxicloroquina, “tem um nível de inconsistências alarmante”, alerta Pedro Alonso, diretor do programa de malária da OMS, ao EL PAÍS. “Há enormes dúvidas sobre a qualidade desse trabalho e tanto seus autores como a revista que o publicou vão ter de prestar contas”, ressalta.

A cloroquina e sua derivada são usadas para combater a malária há décadas e têm um perfil de segurança muito alto, lembra Alonso. Além disso, esses medicamentos são utilizados para combater doenças autoimunes como o lúpus. “Até agora não sabemos se funcionam ou não contra a covid-19, mas a solução não é interromper os ensaios com esses medicamentos e, sim, seguir adiante com eles, pois precisamos de bons ensaios clínicos controlados e randomizados para saber se oferecem algum benefício, principalmente para a segunda onda da doença”, considera Alonso.

O estudo em questão é assinado por Mandeep Mehra, do Hospital Brigham de Mulheres de Boston; Frank Ruschitzka, do Hospital Universitário de Zurique; Amit Patel, do departamento de bioengenharia da Universidade de Utah, e Sapan Desai, da empresa Surgisphere, que forneceu os dados anônimos dos 96.000 pacientes incluídos no estudo.

Mas o trabalho tem inconsistências, como o tratamento dos dados, que não foram publicados para que possam ser analisados pelo restante da comunidade científica, e a ausência de um comitê de ética para verificar se o tratamento dos dados dos pacientes está de acordo com a lei, segundo a carta aberta publicada quinta-feira, assinada por mais de 120 médicos, bioestatísticos e pesquisadores biomédicos e enviada à direção da revista The Lancet.

O estudo não dá informações detalhadas sobre os hospitais de cada país de onde vêm os dados, afirmam os signatários. Além disso, utiliza doses de cloroquina e hidroxicloroquina que são em média 100 miligramas mais altas do que as recomendadas pela agência de medicamentos dos EUA, acrescentam.

Na Austrália, o estudo considera um número de pacientes mortos (73 até 23 de abril) que é superior ao registrado em todo o país até essa data pela Universidade Johns Hopkins, segundo o jornal The Guardian. Na África, inclui 25% de todos os infectados que havia no continente e 40% de todos os falecidos, o que significaria, pela expressividade da amostra, que eles teriam acordos para poder acessar os dados computadorizados detalhados dos pacientes, algo que os signatários da carta consideram “pouco provável” —e Alonso considera “impossível”— dado o baixo grau de digitalização de muitos hospitais no continente. O estudo reúne informações de pacientes de seis continentes e, apesar das diferenças entre eles, a incidência de doenças prévias, como diabetes e os problemas cardiovasculares, é “extraordinariamente pequena”, assinala a carta.

Os signatários exigem que a empresa Surgisphere forneça todos os dados e que uma comissão independente da OMS ou outro organismo independente os analise. Também pedem à revista que cumpra os compromissos que assinou sobre dados públicos e publique também os detalhes da revisão desse estudo por especialistas independentes.

Na tarde de sexta-feira, a The Lancet publicou uma correção, alterando o número de pacientes analisados na Ásia (8.101 em vez de 4.402) e na Austrália (63), mas sem mudar os resultados principais do estudo.

Mandeep Mehra, cardiologista do Brigham e primeiro autor do estudo, disse ao EL PAÍS que, além das correções, foi iniciada uma “revisão independente dos dados”, acrescentando: “Os resultados e conclusões do trabalho continuam sendo os mesmos”. A Surgisphere, empresa responsável pelo banco de dados, defendeu em um comunicado enviado ao EL PAÍS a validade de seu sistema, baseado no estabelecimento de acordos de colaboração com 1.200 hospitais de 45 países para que lhe deem acesso a dados anônimos de pacientes, e garantiu que cumpre as principais normas internacionais de proteção de dados.

Bloqueio de ensaios clínicos

O trabalho deu um golpe fatal em muitos dos ensaios clínicos que estavam em andamento. Isto, por sua vez, pode fazer com que nunca se saiba se, de fato, esses medicamentos podem ajudar contra a covid-19, possivelmente em doses que não sejam altas e com pacientes que não apresentam anomalias no batimento cardíaco. Para isso, são necessários ensaios controlados —nos quais um grupo não toma o medicamento ou toma um placebo— e randomizados, ou seja, cada paciente é colocado aleatoriamente em um dos grupos.

“Uma questão muito importante agora é que as pessoas com poder científico na organização de saúde apostaram em diferentes medicamentos que estão sendo testados em estudos randomizados”, afirma Julián Pérez Villacastín, presidente eleito da Sociedade Espanhola de Cardiologia. “[Os estudiosos da cloroquina e hidroxicloroquina] fizeram um investimento enorme e estão no meio do caminho, e em alguns casos, estão sendo forçados a parar. Além disso, têm o problema de que no início havia muitos pacientes e, com isso, poderiam ser obtidos resultados confiáveis em um prazo relativamente curto. Mas o que aconteceu é que o recrutamento ficou muito mais lento porque o número de pacientes diminuiu. Está sendo muito difícil concluir os estudos e muitos poderão não ser concluídos nunca”, assinala. Alonso ressalta também que, devido aos dados do estudo publicado na The Lancet, os pacientes não queiram participar de ensaios por “medo”.

El País

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justus disse:

    Para vocês pensarem por que não vêem isso aqui nos jornais. Apreciem o Lancet la no final.
    1) May 20, 2020 – Times of India – Hydroxychloroquine research shows some promise in interim study conducted by Telangana Govt – An interim report prepared by the Telangana Government has yielded promising results on the efficacy of prophylactic use of Hydroxychloroquineor HCQ, as it s popularly known on preventing COVID-19…

    2) Este é o melhor relatório de todos, pois estabelece protocolos caso seja ministrada, embora não recomende o uso devido aos testes não serem ainda completos.
    Last Updated: May 12, 2020 – USA/NIH COVID-19 Treatment Guidelines – Potential Antiviral Drugs Under Evaluation for the Treatment of COVID-19 – Chloroquine/Hydroxychloroquine: The Panel recommends against using high-dose chloroquine (600 mg twice daily for 10 days) for the treatment of COVID-19 (AI), because the high dose carries a higher risk of toxicities than the lower dose.

    3) Este foi noticiado aqui com alarde, porque não recomenda o uso, e como sempre, aceito como verdade por quem não lê ou acredita na imprensa. Mas é só um artigo do professor de Epidemiologia e Bioestatistica, Rosemberg. Na conclusão ele mesmo diz que o estudo teve inúmeras limitações, principalmente na coleta de dados. A Dra. Elizabeth, co-autora, é esposa de um cientista que trabalha numa pesquisa financiada sobre o Rendesivir. Dá o que pensar.
    JAMA May 11, 2020 – Association of Treatment With Hydroxychloroquine or Azithromycin With In-Hospital Mortality in Patients With COVID-19 in New York State

    4) 07ABRIL2020 PFARMA – Hidroxicloroquina apresenta bons resultados contra o coronavírus – A hidroxicloroquina (HCD), um derivado menos tóxico da cloroquina, demonstrou boa eficácia na inibição do novocoronavírus SARS-CoV-2. – Um artigo publicado na Nature revisou sete estudos de ensaios clínicos, publicados no Chinese Clinical Trial Registry, para o uso do hidroxicloroquina no tratamento do COVID-19.

    5) Thursday, April 9, 2020
    NIH clinical trial of hydroxychloroquine, a potential therapy for COVID-19, begins. Search identifier NCT04332991

    6) 18 March 2020 – Nature – Hydroxychloroquine, a less toxic derivative of chloroquine, is effective in inhibiting SARS-CoV-2 infection in vitro

    7) E olha só. O Lancet hoje faz pouco caso da hidroxicloroqiuna/cloroquina, mas recomendava a aplicação sem mencionar os efeitos colaterais.
    February, 2006 – The Lancet – New insights into the antiviral effects of chloroquine. Effects of chloroquine on viral infections: an old drug against today's diseases?.
    2005 – Chloroquine is a potent inhibitor of SARS coronavirus infection and spread.
    2004 – In vitro inhibition of severe acute respiratory syndrome coronavirus by chloroquine.

  2. FAUSTO LIRA disse:

    Então deixaram morrer 100.000 nos EUA..

  3. ELEITOR E CONTRIBUINTE disse:

    Quantas vidas poderiam ser poupadas se não fossem essa resistência idiota de pseudo cientistas e imprensa tendenciosa, com viés ideológicos e extremista reverberando lorota contra as evidencias clinicas favoráveis ao protocolo na fase precoce !!!

  4. Antonio Turci disse:

    O Presidente esteve certo desde o início da Pandemia, ainda no mês de março. Mas aí veio à esquerda, politizou a Pandemia, inventou que a Cloroquina era da direita ……. Agora estamos vendo que a Cloroquina é o "cara"!

  5. Véi de Rui disse:

    Temos que correr contra o tempo e passar a usar a cloroquina urgente e a ivermectina, depois eu falo que Bolsonaro tem razão

  6. Messias disse:

    São corruptos que querem receber mais propina dos laboratórios com a venda de remédios mais caros. Viva o Presidente Bolsonaro.

Witzel prorroga por mais 15 dias o isolamento social no Rio de Janeiro

Foto: Tania Regô/Agência Brasil

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, prorrogou por 15 dias as medidas de isolamento social, com determinações para evitar a contaminação pelo novo coronavírus (covid-19) no estado, que terminariam amanhã (31), com base no decreto que tinha publicado no dia 17 de março. Conforme tinha prometido na sexta-feira (27), o governador publicou hoje (30) no Diário Oficial do estado um outro decreto com a prorrogação das medidas para reduzir a movimentação e aglomeração de pessoas no estado. Ainda nesta segunda-feira (30), Witzel dará uma coletiva às 12h, no Palácio Guanabara, sede do governo fluminense, para detalhar as medidas.

O decreto de hoje dispõe sobre as medidas de enfrentamento da propagação decorrente do novo coronavírus por causa da situação de emergência em saúde. O governador justifica a prorrogação pela necessidade de atualizar as medidas diante das mortes já confirmadas e o aumento de contaminados. Ele acrescentou que a omissão do estado poderia gerar um grave transtorno à saúde coletiva e a responsabilização dos seus agentes e do próprio estado.

Aulas

As aulas continuam suspensas, sem prejuízo do calendário recomendado pelo Ministério da Educação, nas escolas das redes pública e privada de ensino e nas universidades.

Transportes

A circulação de transportes intermunicipais de passageiros que liga a Região Metropolitana e a cidade do Rio de Janeiro, continua proibida. A exceção é para os trens e barcas, que operam sob restrições definidas pelo governo estadual para atender a serviços essenciais nos trajetos entre os municípios da Região Metropolitana e a capital.

Já nos transportes interestaduais ainda não foi permitida a circulação para os estados de Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Bahia, Distrito Federal e demais estados em que foram anotados casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus. Da mesma forma para os voos internacionais ou nacionais com origem nesses estados. Neste mesmo sentido, continua proibida a atracação de navios de cruzeiro.

Servidores

Todos os servidores e empregados públicos ou contratados por empresas que prestam serviço para o passam a ser considerados casos suspeitos se apresentarem sintomas como febre ou sintomas respiratórios como tosse seca, dor de garganta, cefaleia, dificuldade de respirar e prostração. Quem estiver nessa situação deve seguir os protocolos de atendimento específico da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Eventos

Permanecem proibidos eventos de qualquer atividade com presença de público, mesmo que tenham sido autorizadas anteriormente. Aí estão incluídos os eventos esportivos, shows, encontros em salões de festas e em casas de festas, visitas ao Pão de Açúcar, Corcovado, museus, Aquário Rio, a roda gigante Rio Star e demais pontos turísticos.

Também devem permanecer fechados os cinemas, teatros e foram mantidas as proibições de visitas às unidades prisionais, inclusive as íntimas. A entrada dos advogados deve seguir orientação da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). Estão proibidas ainda as visitas a pacientes diagnosticados com a Covid-19, internados em rede pública ou privada.

Com Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. De olho👀 disse:

    Os mesmos questionamentos faço para nossa governadora Fatima.

  2. Ciro Pinheiro Gerneiro disse:

    Além do isolamento e das críticas ao governo federal o que foi feito no Rio para o controle e tratamento do coronavírus?
    Quantos respiradores o governo comprou? Está esperando receber da iniciativa privada ou do governo federal?
    Quantos leitos ele já acrescentou a rede hospitalar? Está esperando cair do céu?
    Quanto de material hospitalar ele já adquiriu com a finalidade de tratar o coronavírus? Vai esperar que as empresas façam doação?
    Qual hospital está pronto, com área isolada para receber os infectados com o coronavírus?
    Vão ficar só nessa guerra medíocre e irresponsável da politica? P povo não precisa disso.
    Lembre-se governador, a manipulação da mídia não enrola o povo, os tempos são outros.

    • De olho 👀 disse:

      Esses mesmos questionamentos faço para a nossa governadora Fatima.

FOTOS: Mais de 50 cães são envenenados e mortos em lar temporário, na Região Metropolitana de BH

Cachorros sendo socorridos em clínica veterinária — Foto: Redes sociais

Pelo menos 52 cachorros morreram depois de ser envenenados, na tarde deste sábado (14), no Lar Temporário Entre Latidos e Miados, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Outros 14 animais estão internados em estado grave.

De acordo com a jornalista Bárbara Camilo, de 30 anos, os cães começaram a se sentir mal quando eram transportados de Ribeirão das Neves para Contagem, para onde o lar foi transferido.

Em princípio, os protetores acharam que o mal-estar tinha sido causado pelo deslocamento, mas depois os cães começaram a babar, a vomitar e a evacuar sangue. A partir daí, os protetores começaram a suspeitar que eles tinham sido envenenados.

Ainda segundo a protetora, a matança foi provocada por salsichas envenenadas.

Bárbara disse ao G1 que mantinha neste lar temporário, desde outubro de 2018, o cachorrinho vira-latas Led, resgatado com a bacia quebrada na Região da Pampulha.

Led sendo resgatado pela jornalista Bárbara Camilo — Foto: Bárbara Camilo/Arquivo pessoal

Led foi pego na Avenida Professor Magalhães Penido, com 5 meses, e levado a uma clínica veterinária, onde fez uma cirurgia por causa do ferimento e depois foi castrado.

Ainda de acordo com Bárbara, o lar temporário é administrado por Cláudia Araújo, que está abalada e em estado de choque.

De acordo com Bárbara, o Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH) se dispôs a fazer os exames de necropsia nos cachorros.

Neste sábado (14), Cláudia foi à Polícia Militar e registrou boletim de ocorrência.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Livia disse:

    Tem qdescobrir quem foi…para q seja punido! Absurdo!

Mais de R$ 4 bilhões recuperados pela Operação Lava-Jato em Curitiba

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

Em mais de cinco anos, a Operação Lava-Jato em Curitiba conseguiu recuperar R$ 4 bilhões por meio de delações premiadas de pessoas físicas, acordos de leniência de empresas, termos de ajustamento de conduta (TAC) e renúncias voluntárias de réus ou condenados. Os dados foram divulgados pelo Ministério Público Federal (MPF) no fim do ano passado.

No âmbito da Lava-Jato do Rio, a 7ª Vara Federal Criminal determinou em fevereiro deste ano a transferência de quase R$ 670 milhões recuperados de colaboradores para contas do governo do Estado do Rio e da União. A maior parte do montante —R$ 459,5 milhões — teve como destino a União e o restante — R$ 208,9 milhões —, os cofres fluminenses. Essa não é a primeira vez que o Estado do Rio recebe dinheiro recuperado da Lava-Jato. Em 2017, R$ 250 milhões foram utilizados para ajudar no pagamento do 13º dos servidores.

De acordo com o MPF, levando em conta apenas a força-tarefa em Curitiba, o total de valores previstos em acordos de leniência, colaboração, TAC e renúncias voluntárias ultrapassou no fim do ano passado a marca de R$ 14,3 bilhões, dos quais mais de R$ 4 bilhões já foram efetivamente restituídos.

Os acordos de leniência com as empresas respondem pela maior parte do valor divulgado pelo Ministério Público Federal: um total de R$ 12,4 bilhões, sendo outros R$ 2,1 bilhões previstos em multas compensatórias decorrentes de colaboração; R$ 111,5 milhões de denúncias voluntárias e R$ 4 milhões de um TAC.

Ainda segundo o balanço do MPF feito em Curitiba, o valor restituído segue em uma curva crescente desde 2015. Naquele ano, foram R$ 157 milhões e, em 2016, R$ 289 milhões. No ano de 2017, o valor subiu para R$ 868 milhões e, em 2018, alcançou R$ 1,062 bilhão.

Com informações de O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anônimo disse:

    Que ótimo, mas seria melhor ainda se investisse esse valor para retomar o caminho dos empregos pois foi retirado muito emprego de pai de família

    • Delano disse:

      O pt além de roubar também retirou o emprego, e o governo atual está trabalhando pela retomada dos empregos, mas o estrago foi enorme

  2. Luiz Antônio disse:

    A base da pirâmide brigando por seus senhores feudais, enquanto a farra continua nas altas esferas da República. Não tem um parente ou apadrinhado dos grandes que esteja desempregado, as filhas dos militares têm a sua pensão vitalícia – isso sem contribui com um centavo sequer.
    Idolatrem mais os seus carrascos.

    • Francisco disse:

      4 bilhões recuperados de parte dos carrascos e esse tonto não enaltece s ação da lava-jato, porquê o roubo recuperado em sua maioria estava de posse da esquerdalha, cujo comando era acionado por luladrão.

  3. Filipe Lima disse:

    Como assim? Recuperou de onde? Recuperou de quem?
    Se não existiu corrupção de 2003 até hoje, se não existe 01 prova por corrupção, se nenhum empresa foi beneficiada pelo governo, se ninguém recebeu recurso público, como a esquerda continua berrando aos 4 cantos, como podem ter recuperado R$ 4 Bilhões?
    Tem mais, isso não interessa, importante são os R$ 400 mil do Queiroz que quebrou a economia do país? Não vão investigar o Queiroz não? Ficam perseguindo o lulinha por ter recebido alguns milhões das operadoras de telefonia e não se preocupam com o Queiroz, onde vamos chegar!
    Muito pior é ver esse capitãozinho que não tem postura de presidente, o tal Bolsonaro, ir jantar com o presidente dos EUA, enquanto deveria dar apoio a prosperidade de Cuba, Venezuela, Irã e seguir a democracia desses países onde o povo é igual. Aimmmmmmmmm!!

  4. Véi de Rui disse:

    Esse dinheiro veio de onde? Se todo mundo é inocente?

  5. Vergonha disse:

    Quando um vagabundo PTralha le uma notícia dessa , ele jura que nunca foi roubado 1 real , é muita alienação e safadeza

FOTO: Segurança Pública do RN recebe mais 70 viaturas, coletes e armas

FOTO: ASSECOM

Dando continuidade aos investimentos na Segurança Pública, o Governo do Estado realizou mais uma entrega de viaturas, coletes e armas para a Polícia Militar do Rio Grande do Norte, nesta sexta-feira (28), somando R$ 13 milhões em aquisições de equipamentos. O evento ocorreu na Escola de Governo, no Centro Administrativo.

Durante a cerimônia foi assinado o termo de entrega dos 70 veículos, modelo Mitsubishi L200 Triton, 150 fuzis calibre 556, 100 submetralhadoras do tipo 40, 200 coletes balísticos, 16 miras holográficas e 16 magnificadores (equipamento utilizado para melhorar precisão de tiro) destinados à Polícia Militar.

Os veículos serão divididos de forma a beneficiar todo estado e as principais unidades de policiamento do RN. Receberam carros os cinco Comandos de Policiamento, 14 batalhões, sete companhias independentes, cinco distritos de policiamento rodoviário e mais duas unidades operacionais (ROCAM e Polícia Montada). De acordo com o secretário estadual de Segurança Pública e Defesa Social, coronel Francisco Araújo, “As viaturas foram distribuídas entre os municípios seguindo critérios técnicos e estratégicos como índices de criminalidade da região, total da população, área limítrofes. Devemos destacar que nossos agentes estão recebendo equipamentos de primeira geração garantindo também a segurança dos nossos homens e mulheres resultando uma melhor prestação de serviço à sociedade”.

O investimento é fruto do pacote de R$ 80 milhões em recursos para aplicação na segurança pública. Os valores são oriundos de convênios com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e da Segurança Pública (MJSP). No ato de entrega, a governadora destacou a importância da parceria com a Senasp em prol da segurança pública do Rio Grande do Norte: “Estamos colhendo os frutos dos investimentos na segurança pública do estado: já reduzimos os índices de criminalidade e violência. Estamos com um processo em andamento para a compra de um novo helicóptero e em breve entregaremos o equipamento”.

Além destes 80 milhões, o Governo do Estado assegurou no ano passado mais R$ 41 milhões de emendas impositivas que serão destinadas a segurança. “Com isso estamos somando R$ 121 milhões de investimentos destinados a equipamentos e valorização profissional de todo sistema de segurança pública, o maior da história do Rio Grande do Norte nos últimos anos. Também estamos investindo nos serviços de inteligência e integração das nossas polícias e a capacitação dos nossos agentes. Estamos trabalhando com gestão e foco para garantir a paz e segurança pública para o povo do Rio Grande do Norte e para os nossos agentes”, enfatizou Fátima Bezerra.

O evento teve a presença do secretário Nacional de Segurança Pública, representando o Governo Federal, general Guilherme Teófilo, que destacou o empenho e dedicação do Governo do Estado para reduzir os índices de violência. “Os bons resultados da Operação Carnaval são uma prova do empenho do Governo do Estado. O evento de hoje é uma pequena parcela do que ainda podemos fazer juntos em parceria com a Senasp para beneficiar e aparelhar o Rio Grande do Norte”.

Parte da verba já foi aplicada em viaturas, equipamentos, armas e cursos para as forças de segurança desde 2019. O pacote ainda inclui mais viaturas e equipamentos, como drones. Em breve o Governo realizará uma nova entrega de viaturas para a Polícia Civil.

Participaram do evento o vice-governador, Antenor Roberto, o senador Jean Paul Prates, Comandante da Polícia Militar, coronel Alarico Azevedo, do diretor-geral do Itep, Marcos Brandão, delegada geral da Polícia Civil, Ana Cláudia Saraiva, controlador Geral do Estado, Pedro Lopes, Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Luiz Monteiro Junior, secretário da Administração Penitenciária, Pedro Florêncio, o superintendente da Policia Rodoviária Federal, Djairlon Moura, e os deputados Isolda Dantas, Francisco Medeiros, Rafael Mota, General Girão, Kleber Rodrigues, Souza Neto, Eudiane Macedo, coronel Azevedo, Benes Leocádio, Ubaldo Fernandes, prefeitos e agentes de segurança.

Distribuição das viaturas

Comando de Policiamento Metropolitano – 1 viatura; Comando de Policiamento do Interior – 1 viatura; Comando de Policiamento Regional 1 (Mossoró) – 1 viatura; Comando de Policiamento Regional 2 (Caicó) – 1 viatura; Comando de Policiamento Regional 3 (Santa Cruz) – 1 viatura; 1º Batalhão de Polícia Militar – BPM (Zona Leste de Natal) – 2 viaturas ; 2º BPM (Mossoró) – 3 viaturas; 3º BPM (Parnamirim) – 5 viaturas; 4º BPM (Zona Norte de Natal)– 2 viaturas; 5º BPM (Zona Sul de Natal) – 2 viaturas; 6º BPM (Caicó) – 3 viaturas; 7º BPM (Pau dos Ferros) – 3 viaturas

8º BPM (Nova Cruz) – 3 viaturas; 9º BPM (Zona Oeste de Natal)– 1 viatura; 10º BPM (Assu) – 3 viaturas; 11º BPM (Macaíba) – 4 viaturas; 12º BPM (Mossoró) – 3 viaturas; 1ª Companhia Independente de Polícia Militar – CIPM (Macau) – 2 viaturas; 2ª CIPM (João Câmara) – 2 viaturas; 3ª CIPM (Currais Novos) – 2 viaturas; 4ª CIPM (Santa Cruz) – 2 viaturas; 5ª CIPM (Jardim de Piranhas) – 2 viaturas; Companhia Independente de Policiamento Turístico (CIPTUR) – 3 viaturas; Companhia Independente de Policiamento de Guarda (CIPGD) – 1 viatura; 1º Distrito de Polícia Rodoviária Estadual – DPRE (Natal) – 2 viaturas; 2º DPRE (Mossoró) – 1 viatura; 3º DPRE (Caicó) – 1 viatura; 4º DPRE (Pau dos Ferros) – 2 viaturas; 5º DPRE (Nova Cruz) – 2 viaturas; Batalhão de Polícia de (BPChoque) – 5 viaturas; Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicleta (ROCAM) – 1 viatura; Regimento de Polícia Montada (RPMON) – 1 viatura; Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) – 2 viaturas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Olimpio disse:

    A governadora alardeia que a segurança diminuiu e o cidadão de bem não pode sair da garagem de casa que seu veículo é tomado de assalto, quando não é assim fica apavorado nas ruas com medo de assalto.
    Isto também é violência.

  2. francisco nunes disse:

    É preciso deixar claro que essas viaturas e equipamentos foram patrocinados e financiados pelo governo federal.

  3. Luigi disse:

    Fruto do trabalho de Robinson Faria, Fábio Faria e dra Kalina Leite.
    Essa é a verdade!!

  4. Tulii disse:

    Esperamos que esses policiais sejam monitorados, pois os da zona norte vivem mais de conversa ao pé do ouvido….super despreparados…mal educados e agressivos

  5. mauricio disse:

    Vcs parecem papagaios, repetem a mesma coisa, evoluam. Obs quero q desonestos de direita e de esquerda se lasquem, entendam, desonestos

  6. Ceará-Mundão disse:

    Bolsonaro, o melhor "governador" que o RN já teve. Só em recursos, já veio quase 1 bilhão prá cá. É a governadora do PT fica posando de boazinha, como se fosse ação dela, e continua fazendo sua oposição irresponsável ao governo do "Bozo", sua única e eventual tábua de salvação. Até empréstimos do Banco Mundial o governo federal já pagou pelo RN.

  7. Pedro disse:

    É ela priorizando a segurança com os recursos federais e a marginalidade mostrando as unhas, estamos voltando a insegurança vivenciada a pouco tempo. A Governadora não tem credibilidade e isso se reflete na policia, não adianta viatura e armas. Outra, a saúde do estado está falida, temos 10.000 pessoas esperando uma cirurgia eletiva, as cirurgias ortopédicas de segundo tempo, tem uma fila de 2.000, estamos criando um exército de deficientes, os hospitais lotados e sem recursos, equipamentos quebrados a própria SESAP em estado de calamidade e Fatao GD pulando carnaval.

  8. José claudio disse:

    Parabéns Bolsonaro, a população de bem agradece pelo seu esforço em protegêla e os marginais cada vez mais lhe odeiam pois equipando as polícias é chumbo grosso no lombo da bandidagem

  9. Antonio Turci disse:

    Será que a Governadora lembrou de dizer "valeu, Bolsonaro, o RN agradece". É só uma pergunta…….

    • Augusto disse:

      As viaturas são do governo Temer ainda…..convênio com o MJ de 2018…..

    • Luiz Antônio disse:

      Isso é um convênio entre o governo do estado do RN com o Ministério da Justiça e Segurança Publica. Essa verba é decorrente dos impostos pagos por nós. Não tem na a ver com Fátima e nem com Bolsonaro.

    • Ceará-Mundão disse:

      Então, Augusto, de uma forma ou de outra, Fatão GD não tem ABSOLUTAMENTE NADA a ver com tais recursos. Devia dar os créditos a quem de direito e não tentar se apropriar de algo que não é obra dela. Mas, é graças a Bolsonaro sim. Aceite. Não fosse o governo dele, essa ajuda não viria. O presidente agora é ELE, não esquece, talkey?

    • Só tem papangu! disse:

      Ceará-Mundinho, esses recursos em nada tem haver com o Bozo ou Fatão, foram recursos assegurados ainda no governo Temer, então, independente de quem fosse o presidente ou o governador, esse recurso viria.

Comer mais no café da manhã do que no jantar queima o dobro de calorias, mostra estudo

Uma nova pesquisa da Universidade de Lübeck, na Alemanha, mostra que comer mais durante o café da manhã do que no jantar ajuda a perder duas vezes mais calorias. Segundo os pesquisadores, isso acontece porque uma boa refeição durante a manhã pode ajudar em um dos processos metabólicos do nosso corpo, chamado de termogênese induzida pela dieta (TID).

A TID é caracterizada pelo aumento no gasto de energia ao absorver, digerir, transportar e armazenar os nutrientes do alimento consumido. Como apontam estudos anteriores, ela pode variar de acordo com a hora que é feita a refeição e, em geral, é mais eficiente durante a manhã.

“Os resultados mostram que uma refeição consumida no café da manhã, independentemente da quantidade de calorias que contém, cria duas vezes mais TID do que a mesma refeição consumida no jantar”, explica Juliane Richter, a coautora estudo publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism.

Os pesquisadores conduziram o estudo em laboratório, por três dias, com 16 homens que consumiram um café da manhã pouco calórico e um jantar com muitas calorias. Em um segundo turno, o grupo se alimentou de forma contrária, com um café da manhã calórico e um jantar com poucas calorias.

Assim, os cientistas observaram que o consumo calórico levou a um TID 2,5 vezes maior pela manhã do que à noite.

Em comparação com o jantar, o café da manhã também apresentou uma diminuição no aumento das concentrações de açúcar induzidas pela ingestão dos alimentos. Além disso, os resultados mostram que comer um café da manhã com baixas calorias aumenta o apetite ao longo do dia, principalmente para doces.

“Recomendamos que pacientes com obesidade e pessoas saudáveis tomem um café da manhã completo ao invés de um jantar [abundante] para reduzir o peso corporal e prevenir doenças metabólicas”, sugere Richter. “Essa descoberta é significativa para todas as pessoas, pois enfatiza o valor de comer o suficiente no café da manhã.”

Galileu

 

Mais de 198 mil brasileiros tiveram WhatsApp clonado em janeiro

Foto: Getty Images

Um levantamento da statup PSafe estimou que 198,1 mil brasileiros tiveram o Whatsapp clonado em todo o país somente no mês de janeiro. De acordo com o estudo, São Paulo lidera a lista de estados mais afetados, com 41,2 mil vítimas. Em seguida, estão o Rio de Janeiro (24, 2 mil) e Minas Gerais (15,9 mil).

O Whatsapp tem sido alvo constante de clonagem. O golpe mais comum recentemente ficou conhecido como o golpe da festa.

“No golpe da festa, o criminoso pesquisa por eventos que terão a presença de pessoas famosas. Depois, se passando pelo organizador da festa, o golpista entra em contato com a potencial vítima para solicitar uma suposta confirmação de identidade. Para realizar a confirmação, a pessoa precisa informar um código enviado ao seu celular. Contudo, o que a vítima não percebe é que este código se trata de um PIN de seis dígitos que libera acesso à sua conta do WhatsApp. Ao fornecê-lo, ela tem a conta bloqueada em seu celular e liberada no aparelho do atacante. A partir daí, a vítima tem seu WhatsApp clonado”, explicou Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, no resultado da pesquisa.

Vaga de emprego foi golpe mais usado

Ainda segundo o levantamento, em janeiro foram detectados 7.590 mil golpes que impactaram 13,6 milhões de usuários em todo o país. A temática mais usada foi a de vaga de emprego falsa, atingindo mais de 5 milhões de pessoas.

Como se proteger

Emilio Simoni listou na divulgação da pesquisa alguns cuidados para não cair em golpes. Confira:

Tenha cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais. Sempre verifique as informações compartilhadas nos sites oficiais das empresas, e desconfie de promoções, brindes e descontos.

Para evitar ter o Whatsapp clonado, ative a autenticação em dois fatores. Disponível no próprio Whatsapp, a função aumenta a segurança da conta. Para ativar, abra seu Whatsapp e toque em Configuração (Android) ou Ajustes (iOS) > Conta > Confirmação em duas etapas > ativar

Utilize soluções de segurança no celular que disponibilizam proteção contra clonagem no Whatsapp

Ilustração/Arte UOL

UOL

Mais de 4 milhões de motoristas vão receber restituição da diferença do DPVAT; veja valores

Foto: Analice Paron

A Seguradora Líder, que administra os recursos do Seguro Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), estima que mais de 4 milhões de veículos em todo Brasil devem receber o pagamento da restituição do valor pago a mais pelo seguro obrigatório.

O número representa o dobro do calculado na semana passada, após atualização com pagamentos feitos através dos Departamentos de Trânsito Estaduais (Detran) ou das Secretarias de Estado da Fazenda (Sefaz). O dado ainda pode aumentar, a depender dos prazos de compensação bancária de cada instituição financeira.

Até às 15 horas desta segunda-feira, mais de 510 mil restituições já haviam sido processadas, sendo mais de 11.900 mil apenas no Estado do Rio de Janeiro. A maioria das requisições foi feita por automóveis, com cerca de 284 mil pedidos; motocicletas, aproximadamente 161 mil veículos; e caminhões, que acumularam mais de 35 mil solicitações.

Como pedir a devolução?

Os motoristas de todo o país que chegaram a pagar o valor do maior do DPVAT em 2020 — por conta de uma liminar obtida na Justiça pela Seguradora Líder, que posteriormente foi derrubada — podem pedir a restituição da diferença preenchendo um requerimento no site www.restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br.

Basta clicar no link “Informações sobre restituição do seguro DPVAT 2020 – Clique aqui” e informar dados como CPF ou CNPJ do proprietário; número do Renavam do veículo; e-mail e o telefone de contato; além da data em que foi realizado o pagamento maior; o valor pago; e as informações bancárias do interessado.

De acordo com a seguradora — que a gestora dos recursos do DPVAT — a devolução será feita por depósito na conta-corrente ou na caderneta de poupança do proprietário do veículo. Para isso, será preciso

Ainda segundo a Líder, ao enviar a solicitação, o proprietário receberá um número de protocolo para acompanhar o processo no site. Depois disso, o dinheiro deverá cair na conta em dois dias úteis, dependendo da compensação bancária.

Valores a serem restituídos

Automóvel, táxi e carro de aluguel: quem pagou o DPVAT no valor de R$ 16,21 deverá receber R$ 10,98.

Ciclomotor: quem pagou o seguro obrigatório no valor de R$ 19,65 deverá receber R$ 13,98.

Caminhão: proprietários que efetuaram o pagamento de R$ 16,77 serão restituídos em R$ 10,99.

Ônibus e micro-ônibus (sem frete): motoristas que pagaram a guia no valor de R$ 25,08 vão receber R$ 16,97 de volta.

Ônibus e micro-ônibus (com frete): quem pagou R$ 37,90 poderá ter de volta R$ 27,33.

Moto: motociclistas que pagaram o DPVAT de R$ 84,58 poderão receber R$ 72,28.

Indenização paga

O seguro DPVAT, instituído por lei desde 1974, cobre casos de morte, invalidez permanente ou despesas com assistências médica e suplementares (DAMS) por lesões de menor gravidade causadas por acidentes de trânsito em todo o país. O recolhimento do seguro é anual e obrigatório para todos os proprietários de veículos.

Do total arrecadado, 45% são destinados para para o Sistema Único de Saúde (SUS); 5% vão para o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran); e 50% vão para o pagamento de sinistros e despesas administrativas.

O DPVAT oferece cobertura em caso de morte, com indenização máxima de R$ 13.500; invalidez permanente R$ 13.500; e despesas médicas R$ 2.700. Esse valor permanecerá inalterado.

A data de vencimento é junto com a do IPVA, e o pagamento é requisito para o motorista obter o licenciamento anual do veículo.

Vítimas e seus herdeiros (no caso de morte) têm um prazo de três anos após o acidente para dar entrada no seguro. Informações de como receber o DPVAT podem ser obtidas pelo telefone 0800-022-1204.

Extra – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rafael disse:

    Kkkkkk nunca lí tanta bobagem.

  2. Bento disse:

    Viva o MITO
    2022 estamos juntos todos nós do Nordeste.
    No Nordeste nao tem espaço para corrupto cachaceiro e mentiroso
    Aliança pelo Brasil.

  3. Assis disse:

    Quem irá receber não são os motoristas e sim os proprietários de veículos automotores de via terrestre .

  4. Giba disse:

    O bozo só fez isso porque não ganhou a rachadinha da empresa kkkk.

    • Absurdo desse Brasil disse:

      Essa área os PTralhas são profissionais, ficaram 13 anos roubando de onde podiam , escreveu quem conhece de roubo ; PTRALHAS

    • David disse:

      Luladrão não fez pq recebeu foi? Vivendo e aprendendo com esses petralhas

  5. Thor Silva disse:

    Petistas, vcs são a resistência. Não queiram receber essa restituição desse governo ditador.

  6. Pedro disse:

    Chora PETISTAS, fechada mais um pouco a torneirinha das coisas erradas nesse velho e combalido Brasil. Por sinal vcs que são petistas deveriam pagar, o resto da população agradeceria.

  7. Luiz Soares Filho disse:

    Agradeça ao grande presidente, Jair Messias Bolsonaro.

Mais de 66 mil potiguares têm direito a sacar R$ 90 milhões em cotas do PIS

Mais de 66 mil trabalhadores do Rio Grande do Norte com direito às cotas do PIS ainda podem sacar os valores, um montante de R$ 90 milhões. Todos os participantes cadastrados no PIS até 04/10/1988 que possuam saldo de cotas do PIS podem sacar. O pagamento está disponível para os cotistas de todas as idades.

Diferentemente dos saques anteriores, não há prazo final para a retirada do dinheiro. Essa novidade atende à Medida Provisória (MP) 889/2019, que regulamenta o saque de cotas do PIS/Pasep. A MP traz como facilidade o saque com declaração, na hipótese de morte do titular da conta individual do PIS. Neste caso, o saldo poderá ser disponibilizado aos seus herdeiros ou sucessores, mediante apresentação de documentação.

Como sacar:

Os saques de até R$ 3 mil podem ser feitos com o Cartão do Cidadão e a Senha Cidadão nos terminais de Autoatendimento, Lotéricas e correspondentes CAIXA Aqui com documento de identificação oficial com foto.

Os valores acima de R$ 3 mil e de cotistas que não possuem Cartão do Cidadão e Senha devem ser sacados nas agências, mediante apresentação de documento oficial de identificação com foto.

O beneficiário legal, na condição de herdeiro, pode comparecer a qualquer agência portando documento oficial de identificação com foto e outro que comprove sua condição de sucessor para realizar o saque.

Em outros casos, como no caso de beneficiários que estejam no exterior, o representante legal do cotista pode retirar o saldo mediante procuração particular, com firma reconhecida, ou por instrumento público que contenha outorga de poderes para solicitação e saque das cotas.

Balanço:

São 10,4 milhões de pessoas com direito ao saque das cotas do PIS em todo o Brasil. O pagamento das contas poderá movimentar até R$ 18,3 bilhões. Até o momento, cerca de 9,6 milhões de trabalhadores ainda não realizaram o saque. Os recursos disponíveis somam R$ 17,4 bilhões.

Quanto ao perfil do trabalhador por faixa etária, 27% têm menos de 59 anos, 17% têm entre 60 e 64 anos, 14% têm entre 65 e 69 anos e 42% têm mais de 70 anos. Quando à distribuição das cotas por valor, 49% têm até R$ 1 mil, 45% têm entre R$ 1 mil e 5 mil e 6% têm saldo acima de R$ 5 mil.

Cotas do PIS não são Abono Salarial:

Abono Salarial é o benefício constitucional de direito do trabalhador que esteja cadastrado há pelo menos cinco anos no PIS e atendam às condições previstas em lei, como constar na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). O valor do Abono Salarial é de até um salário mínimo, proporcional aos meses trabalhados no ano-base.

O PIS corresponde aos valores de cotas destinadas aos trabalhadores que possuíram carteira assinada no período de 1971 a 04/10/1988.

Canais de atendimento:

Para atender aos trabalhadores com direito a cotas do PIS, a CAIXA disponibilizou um site exclusivo www.caixa.gov.br/cotaspis onde é possível consultar além de valores, calendário de pagamento, locais para o saque e documentação necessária.

O cotista também pode acessar as informações pelo aplicativo CAIXA Trabalhador e nos terminais de autoatendimento, por meio do Cartão e senha do Cidadão.

Dica de segurança:

A CAIXA alerta que não envia links e não solicita confirmação de dispositivo ou acesso à conta por e-mail, SMS ou Whatsapp. Os canais oficiais do banco são as únicas fontes seguras de informação ao trabalhador.

Carga com mais de 95 mil latas de cerveja é apreendida em Garanhuns-PE; mercadoria foi comprada no RN

Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

Uma carga com mais de 95 mil latas de cerveja foi apreendida na quarta-feira (1º) na BR-423, em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a mercadoria foi comprada em Natal, no Rio Grande do Norte, e seria entregue em Curitiba, no Paraná.

A apreensão aconteceu durante uma fiscalização no km 93 da rodovia. Durante a abordagem os policiais encontraram 7.920 caixas de cerveja sem a documentação fiscal. O motorista informou que adquiriu a mercadoria em um supermercado potiguar para entregar na capital paranaense.

O veículo foi conduzido ao pátio e a ocorrência foi encaminhada à Secretaria da Fazenda de Pernambuco (Sefaz-PE) para os procedimentos cabíveis.

G1 Caruaru e região

Mega da Virada teve arrecadação recorde de mais de R$ 1 bilhão

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

A Mega da Virada 2019, concurso especial 2.220 da Mega-Sena, registrou a maior arrecadação na história das loterias da Caixa. O valor total arrecadado atingiu o volume de R$ 1.028.882.101,50. Esse resultado é 16,12% superior ao total arrecadado em 2018.

Segundo a Caixa, só nos canais eletrônicos (portal Loterias Caixa, aplicativo Loterias Caixa e Internet Banking, a arrecadação ultrapassou R$ 77,8 milhões e correspondeu a 7,56% do total das apostas realizadas.

O total do prêmio de R$ 304,2 milhões, que será divido entre quatro apostas vencedoras, superou a estimativa de R$ 300 milhões feita pela Caixa. As dezenas sorteadas na terça-feira (31) foram as seguintes: 03 – 35 – 38 – 40 – 57 – 58. O prêmio saiu para quatro apostas, sendo uma delas um bolão de 26 cotas.

Das quatro apostas ganhadoras, duas são de São Paulo, uma de Criciúma, em Santa Catarina, e uma da cidade de Juscimeira, em Mato Grosso, onde foi registrado o Bolão Caixa. Cada aposta vencedora vai receber R$ 76,05 milhões.

A Caixa ainda não informou se os ganhadores do prêmio principal já apareceram hoje (2) para resgatar o dinheiro.

Agência Brasil

Holanda oferece mais de 80 bolsas de estudo exclusivas para brasileiros

Foto: (serts/Getty Images)

Pensando em cursar graduação, mestrado ou MBA na Holanda? A Orange Tulip Scholarships Brazil (OTS), iniciativa voltada especialmente a estudantes brasileiros, está com inscrições abertas. O prazo para se inscrever varia entre as universidades participantes, mas se encerra entre fevereiro e maio do ano que vem.

As bolsas (mais de 80) são destinadas a cursos ministrados em inglês com qualidade internacionalmente reconhecida. O OTS concede apoio integral ou parcial sobre o valor da anuidade (tuition fee), e em alguns casos, cobre também os custos do visto e seguro. São, no total, 27 universidades participantes — a lista pode ser vista aqui.

O que são as Orange Tulip Scholarships

As bolsas concedidas pelo governo holandês beneficiam alunos de graduação, mestrado e MBA. No Brasil, a Nuffic Neso, fundação que ajuda interessados em ter uma experiência acadêmica nos Países Baixos, administra desde 2012 o Orange Tulip Scholarship Brazil.

Para essa edição, mais de 80 bolsas estarão disponíveis. Os cursos para os quais o apoio financeiro é oferecido são das áreas de Artes, Ciências Biológicas e Saúde, Exatas, Tecnológicas e Humanas.

O auxílio pode ser integral ou compreender descontos no valor da anuidade – sendo que algumas universidades também oferecem uma ajuda de custo de até 50 mil euros para se manter na Holanda.

Como se candidatar às Orange Tulip Scholarships

Podem participar do Orange Tulip Scholarship Brazil 2020 candidatos que tenham cidadania brasileira; demonstrem excelente desempenho acadêmico e tenham obtido grau necessário para cursar o programa desejado. Interessados que também tenham cidadania em algum país europeu não podem concorrer.

Também é preciso que o estudante tenha fluência escrita e oral em inglês e esteja, atualmente, em processo de admissão – ou já admitido – em alguma instituição de ensino superior holandesa, que seja participante do programa de bolsa. Quem já estiver estudando ou trabalhando na Holanda não poderá participar.

Documentos necessários para candidatura

Os critérios de seleção variam conforme a universidade escolhida, mas alguns materiais frequentemente exigidos são:

Tradução juramentada, para o inglês, do(s) diploma(s) e histórico(s) escolar(es);

Certificado de proficiência em inglês, apresentando a pontuação obtida. São aceitos os testes: TOEFL iBT (oficial, não o institucional) ou IELTS (acadêmico);

Currículo mais recente, escrito em inglês;

Carta de motivação, em inglês;

Carta de recomendação;

Cópia autenticada do passaporte;

Via de regra, é necessário primeiro candidatar-se ao curso desejado e, em seguida, fazer a inscrição para as bolsas. Ao longo do processo, também será necessário enviar outros documentos, incluindo um formulário de inscrição.

Mais informações sobre o processo podem ser vistas aqui. O Nuffic Neso Brasil também disponibiliza uma página com respostas às dúvidas mais frequentes dos candidatos ao processo. As inscrições vão até, no máximo, maio de 2020. Também neste mês começarão a ser divulgados os resultados parciais da seleção, segundo o cronograma oficial. Os resultados finais serão divulgados até 17 de junho de 2020.

Mais dicas para bolsas da OTS na Holanda

Para ajudá-lo a conquistar uma bolsa do Orange Tulip, fizemos um vídeo com a diretora do Nuffic Neso Brazil, Simone Perez, que conta mais sobre o programa ao lado de Eduardo Faria, que estudou na Holanda com o apoio da iniciativa.

Este artigo foi originalmente publicado pelo Estudar Fora, portal da Fundação Estudar.

Exame