Elon Musk passa Jeff Bezos e se torna o homem mais rico do mundo

Elon Musk, agora, é o home mais rico do mundo na lista de bilionários da Bloomberg. Foto: EPA

O diretor executivo da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, passou o fundador da Amazon, Jeff Bezos, e se tornou o homem mais rico do mundo, segundo a Bloomberg. Com o salto das ações da montadora em 4,8% nesta quinta-feira, a fortuna de Musk chegou a US$ 188 bilhões, desbancando Bezos, que ocupava a liderança do ranking de bilionários desde 2017.

Segundo a Bloomberg, o patrimônio líquido do engenheiro nascido na África do Sul era de US$ 188,5 bilhões às 10h15 em Nova York, US$ 1,5 bilhão a mais do que Bezos, que ocupa o primeiro lugar desde outubro de 2017. Como diretor executivo da SpaceX, Musk também é rival de Bezos, dono da Blue Origin, na corrida espacial de empresas privadas.

O marco marca 12 meses extraordinários para Musk. No ano passado, seu patrimônio líquido disparou em mais de US$ 150 bilhões, possivelmente no mais rápido surto de criação de riqueza da história.

O que alimentou sua ascensão foi uma recuperação sem precedentes no preço das ações da Tesla, que subiu 743% no ano passado devido a lucros consistentes, inclusão no Índice S&P 500 e ao entusiasmo de Wall Street e de investidores de varejo.

Bezos ainda teria uma grande vantagem sobre Musk se não fosse por seu divórcio, que o viu ceder cerca de um quarto de sua participação na Amazon para sua ex-mulher, MacKenzie Scott, e sua filantropia. Ele doou ações no valor de cerca de US$ 680 milhões em novembro.

Salto nos papéis

A Tesla está preparada para mais ganhos a curto prazo, já que os democratas conquistaram mais assentos no Senado da Geórgia e entregaram o controle do Congresso para o partido — que defende a adoção mais rápida de veículos elétricos nos EUA.

Musk, 49 anos, se beneficiou do aumento estratosférico dos papéis da Tesla de mais de uma maneira. Além de sua participação de 20% na montadora, ele detém cerca de US$ 42 bilhões em ganhos não realizados em opções de ações adquiridas. Esses títulos vêm de dois financiamentos que ele recebeu em 2012 e 2018, o último dos quais foi o maior acordo de pagamento já fechado entre um CEO e um conselho corporativo.

Apesar de seus ganhos astronômicos, Musk disse que tem pouco interesse em coisas materiais e tem poucos ativos fora de suas participações na Tesla e na SpaceX. Ele disse em uma entrevista no mês passado que o objetivo principal de sua riqueza é acelerar a evolução da humanidade para uma civilização espacial.

“Quero poder contribuir o máximo possível para uma cidade em Marte”, disse Musk. “Isso significa muito capital.”

Musk tuitou “Que estranho”, depois que relatórios sobre seu novo status foram publicados, e acrescentou “Bem, vamos voltar ao trabalho”.

As 500 pessoas mais ricas do mundo adicionaram um recorde de US$ 1,8 trilhão ao seu patrimônio líquido combinado no ano passado, o equivalente a um aumento de 31%. No topo do ranking, ciinco indivíduos possuem fortunas superiores a US$ 100 bilhões e outros 20 valem pelo menos US$ 50 bilhões.

O Globo

Bancos e cervejas no topo: confira as marcas mais valiosas do Brasil em 2020

Foto: Pixabay

Bancos e cervejas, mais uma vez, se destacam no ranking das marcas mais valiosas do Brasil. O Itaú (ITUB3 e ITUB4) tem a liderança do levantamento da Interbrand mais uma vez, com uma marca avaliada em R$ 37,4 bilhões. O crescimento foi de 11% em relação ao ano anterior. Logo depois, vem o rival Bradesco (BBDC3 e BBDC4), com R$ 26,3 bilhões, aumento de 6%.

Enquanto a liderança é disputada entre dois concorrentes do setor financeiro, o terceiro e o quarto lugares estão entre duas marcas irmãs do setor de bebidas, a Skol, que vale R$ 17,6 bilhões, e a Brahma, R$ 12,1 bilhões. Ambas são da Ambev (ABEV3).

A novidade entre os cinco primeiros é a Natura (NTCO3), que cresceu 16%, chegando a R$ 9,7 bilhões. Somadas, as cinco marcas mais valiosas representam 77% dos R$ 135 bilhões das 25 empresas do ranking.

O Banco do Brasil (BBAS3) está agora na sexta posição depois de uma queda de 12% no valor da sua marca, a maior redução entre as empresas ranqueadas. O valor do nome do BB está em R$ 9,8 bilhões.

Com relação ao tamanho do crescimento, o grande destaque ficou para o Magazine Luiza (MGLU3), com 62% de incremento no valor da marca. Em seguida, entre as marcas que mais se valorizaram estão a Natura, com 16%, o Itaú, com 11%, e as Lojas Americanas (LAME3), com 10%.

O ranking também trouxe estreantes. São elas: XP Inc., Drogasil (RADL3) e PagSeguro. A corretora de investimentos estreou ultrapassando a marca bilionário, avaliada em R$ 1,6 bilhão. A rede de drogarias alcançou a marca de R$ 996 milhões e a empresa de meios de pagamentos bateu R$ 543 milhões.

Confira o ranking com a posição de cada empresa, valor da marca e crescimento comparado a 2019:

1ª Itaú: R$ 37,3 bilhões (+11%)

2ª Bradesco: R$ 26,2 bilhões (+6%)

3ª Skol: R$ 17,6 bilhões (+2%)

4ª Brahma: R$ 12,1 bilhões (+6%)

5ª Natura: R$ 9,7 bilhões (+16%)

6ª Banco do Brasil: R$ 9,5 bilhões (-12%)

7ª Petrobrás: R$ 3,1 bilhões (+1%)

8ª Vivo: R$ 2,6 bilhões (+6%)

9ª Magalu: R$ 1,7 bilhão (+62%)

10ª XP Inc.: R$ 1,6 bilhão (Nova)

11ª Renner: R$ 1,5 bilhão (+2%)

12ª Lojas Americanas: R$ 1,4 bilhão (+10%)

13ª Ipiranga: R$ 1,144 bilhão (+1%)

14ª Cielo: R$ 1,116 bilhão (-3%)

15ª Drogasil: R$ 997 milhões (Nova)

16ª Porto Seguro: R$ 856 milhões (+4%)

17ª Havaianas: R$ 740 milhões (+1%)

18ª Casas Bahia: R$ 689 milhões (+2%)

19ª Assaí: R$ 580 milhões (+5%)

20ª Atacadão: R$ 558 milhões (+5%)

21ª SulAmérica: R$ 550 milhões (-1%)

22ª PagSeguro: R$ 543 milhões (Nova)

23ª Localiza: R$ 529 milhões (-6%)

24ª Fleury: R$ 516 milhões (+7%)

25ª Totvs: R$ 504 milhões (+5%)

CNN Brasil

 

São Gonçalo suspende queima de fogos e eventos com mais de 30 pessoas

Em decreto publicado nessa quarta-feira (9), a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN suspendeu a realização de shows, festas e eventos de fim de ano com mais de 30 pessoas no município. A determinação, que segue orientação do Comitê Gestor de Combate e Enfrentamento à Covid-19, vale também para fogos de artifício, de origem pública ou privada, que gerem aglomeração.

Ainda de acordo com o documento, os eventos realizados nas áreas comuns de condomínios deverão observar os limites e as restrições orientadas pelo decreto. A fiscalização caberá à Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Secretaria de Serviços Urbanos (Semsur) e à Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que poderão, inclusive, interditar o estabelecimento por descumprimento.

Boletim

Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde Pública (Sesap), São Gonçalo é o município da Região Metropolitana com menor índice de transmissibilidade (0,60). Atualmente são 2333 casos confirmados e 81, óbitos.

ARTIGO: As fake news matam mais que a Covid, por Marcus Aragão

Hoje vamos viajar. Não é para Gramado nem para o Monte das Gameleiras — destinos obrigatórios dos natalenses devido a pandemia. Vamos embarcar num #tbt de sexta-feira com destino à Europa para conhecermos duas fake news históricas.

Aterrizaremos em 1232. Veremos o Papa Gregório IX, fundar a Santa Inquisição perseguir mulheres, homossexuais, judeus, ateus e gatos. Gregório devia ter uma alma de cachorro pois detestava os felinos. Afirmava que “o diabólico gato preto, cor do mal e da vergonha, havia caído das nuvens para a infelicidade dos homens”. Esta será nossa primeira fake news disfarçada de fé.

— Santa inquisição, Batman!

A estratégia oculta era atacar os celtas pregando que eles eram bruxos. Como os celtas costumavam viver isolados e rodeados de gatos, os animais foram associados as trevas, especialmente por terem hábitos noturnos. Para se ter uma ideia da barbárie cometida contra os gatos basta citar que foram emparedados vivos para garantir a solidez de casas, igrejas e castelos. Já pensou? As paredes europeias, além de ouvidos, tem esqueletos de gatinhos. Os bixanos foram ainda lançados do alto de muralhas e, como todos sabem, queimados vivos junto com as bruxas.

Um dia a conta chega — e chegou feito a peste. O extermínio dos gatos teve graves consequências. Fazendo uma escala em 1348, vimos que a Europa sofreu enormemente com a Peste Negra. A bactéria Yersinia pestis residia na pulga do rato preto indiano que chegou ao velho continente por meio de embarcações. Como última alternativa de controle da doença os gatos foram readmitidos nas cidades e somente assim a epidemia teve fim.

Pasmem. Essa missão tão nobre poderia ter absolvido os felinos de novas perseguições. É difícil de acreditar mas a Igreja continuou culpando os gatos pela peste e deu continuidade a uma dura perseguição. As fakes news não param jamais — Devem ter 7 vidas.

Lendo sobre nosso passado percebemos que a verdade é sempre óbvia demais. Porém, quando se está inserido no contexto da época, sabemos que não é nada fácil ter discernimento. Seguir narrativas é mais fácil. Geralmente nos deixamos levar, sem sentir, por correntezas ideológicas.

Não precisamos viajar para conhecermos as fake news. Elas sempre estiveram e continuam por toda parte. As mais perigosas são as que estimulam os instintos primitivos como a raiva e a violência pois é sempre mais fácil contagiar do que construir o espírito altruísta. Por isso, o mal é mais fácil de se propagar, de transmitir.

A única arma contra isso é a educação, o ensino, a cultura. Quanto mais evoluída uma sociedade mais ela fica blindada contra discursos de intolerância porque sabemos que devemos ser tolerantes não porque somos bonzinhos — mas porque somos espertos. Afinal, a conta sempre chega. Não aceite intolerância nem contra um gato porque um dia quem pode pagar o pato, é você.

Marcus Aragão
Publicitário
@aragao01

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcella disse:

    Nada como aprender com um texto inteligente. Muito Bom Aragão!

  2. Luciano disse:

    Parabéns pelo enfoque do artigo. Na mosca. Vivemos terríveis tempos de intolerância disseminados pelo ódio e revanchismo via falsas premissas.

  3. Albanisa disse:

    O boato e a fofoca , atualmente, denominados de "FAKE NEWS" são históricos e continuam despertando os instintos mais selvagens na humanidade. Eu confesso que tenho dúvida se a " única arma é a educação, ensino e a cultura", considerando que esse "mal" está presente no mundo inteiro.

  4. Larissa disse:

    Muito bom texto. A gente precisa nos educar melhor a buscar informações em fontes confiáveis e seguras, para não acreditar em qualquer coisa e não disseminar fake News. Muito bom texto!! 👏🏻👏🏻👏🏻

  5. Paula disse:

    Excelente reflexão, ainda que a fome mate mais pessoas que a atual situação de pandemia, a intolerância humana advém de tempos e se não mudarmos essa mentalidade mesquinha, não evoluiremos e a fome , a marginalização e todas as outras mazelas continuarão a existir

  6. Luana disse:

    Muito bom!!

  7. Carlos disse:

    Grande professor.

  8. Fernanda disse:

    Escrever não é pra todo mundo não. Deus te deu esse dom, com certeza. Como sempre texto muito bom, agradável de ler e com muita clareza. 👏

  9. Luciana disse:

    Excelente texto, apartidário e uma verdadeira aula! Mais uma vez brilhante

  10. Marília disse:

    Texto excelente. Como sempre…… Parabéns 👏👏👏👏👏

  11. Gustavo disse:

    Mas é muita ignorância desse senhor, a pior coisa desse blog toda semana.

  12. Julian disse:

    Quem mata dez vezes mais do que o covid no mundo é a FOME, não vejo governo nenhum preocupado e distribuindo comida.
    Porque esse safado do João Doria e Rodrigo botafogo, não levanta esse bandeira aqui no Brasil???

  13. Ze mane disse:

    Homi quando o cabra nao tem o que dizer é melhor ficar calado, tu sabe o que é 176 mil familias chorando

NORDESTE É A REGIÃO BRASILEIRA QUE MAIS LÊ: Pesquisa mostra João Pessoa na liderança entre capitais, com Teresina, São Luís, Aracaju e Salvador no top 10; Natal é 21º

Jovem lendo em biblioteca – iStock/Getty Images

Entre as dez capitais brasileiras que mais leram em 2019, cinco delas ficam no Nordeste. O ranking é parte de um novo dado divulgado pela 5ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto pró-livro, divulgado em primeira mão pela VEJA. Na campeã João Pessoa, capital da Paraíba, 64% da população é considerada leitora, seguida de perto por Curitiba, com 63%, Manaus, com 62%, Belém, 61%, e São Paulo, 60%. Os dez primeiros lugares do ranking ficam completos com Teresina (59%); São Luís (59%); Aracaju (58%); Salvador (57%); e Florianópolis (56%), respectivamente.

Para chegar ao resultado, o órgão consultou mais de 8.000 pessoas em todos os estados brasileiros, entre outubro de 2019 e janeiro de 2020, tomando como leitor aqueles que leram ao menos um livro nos três meses que antecederam a consulta. Na líder João Pessoa, a média no trimestre foi de 4,09 livros, número que sobe para 8 analisando-se os doze meses antecessores, mais da metade deles lidos por vontade própria. Na ponta oposta, Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, amargou uma média de 3,09 livros por ano — menos do que a marca de João Pessoa em três meses, e só 26% de leitores entre a população. Boa Vista, Roraima, é a única capital que continua em análise, por isso não integra a pesquisa (veja ranking abaixo).

Os dados ainda mostram que, entre os pessoenses, 75% dos leitores são da classe B ou C, enquanto a classe A fica na lanterna, representando apenas 8%, situação que se repete no contexto geral. Em todo o Brasil, a classe C detém, sozinha, 49% dos leitores, contra apenas 4% dos mais ricos. Esse resultado, porém, deve-se mais ao fato de a classe A ser minoria no país, em números absolutos, do que a um baixo índice de leitura. Em um comparativo proporcional, embora tenha registrado a maior queda percentual de 2015 para 2019, 67% da classe A declarou-se leitora, contra 63%, 53% e 38% nas classes B, C e D/E, respectivamente.

Nesse contexto, a proposta de taxação de livros do ministro Paulo Guedes pode estreitar ainda mais a diferença de acesso entre as classes sociais, afetando negativamente o mercado editorial. Desde 2004, vigora uma lei que desonera a indústria do livro. A proposta de Guedes, no entanto, é extinguir os benefícios em troca da colaboração com a Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), com alíquota de 12%. Caso isso aconteça, os livros ficarão mais caros, o que ameaça o consumo das classes C e D/E, que correspondem a 70% dos leitores do país. Com isso em mente, a Associação Brasileira de Editores e Produtores de Conteúdo e Tecnologia Educacional (Abrelivro), a Câmara Brasileira do Livro (CBL) e o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) enviarão, nessa semana, uma carta compromisso aos candidatos à prefeitura das capitais brasileiras, com cinco propostas de estimulo à leitura.

Confira o percentual de leitores por capital:

João Pessoa (64%)

Curitiba (63%)

Manaus (62%)

Belém (61%)

São Paulo (60%)

Teresina (59%)

São Luís (59%)

Aracaju (58%)

Salvador (57%)

Florianópolis (56%)

Vitória (55%)

Fortaleza (54%)

Belo Horizonte (53%)

Porto Alegre (52%)

Recife (52%)

Cuiabá (52%)

Palmas (52%)

Macapá (51%)

Porto Velho (51%)

Rio Branco (49%)

Natal (48%)

Rio de Janeiro (47%)

Goiânia (42%)

Maceió (37%)

Campo Grande (26%)

Boa Vista (em apuração)

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Tá explicado pq Bolsonaro tem tantos fãs em Natal, grande espaço na mídia, principalmente em programas de rádio.
    Nada é ao acaso.
    kkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. ROOSEVELT ARILMES MUNIZ DE ALBUQUERQUE disse:

    NÃO E ATOA Q A PARAÍBA ESTÁ ANOS LUZ NA FRENTE DO POBRE RIO GRANDE DO NORTE
    OS ÚLTIMOS TREIS GOVERNADORES E UM POVO EXIBIDOS NOS SEUS CARROES E CABEÇAS VAZIAS

    POBRE RN

  3. Greg disse:

    Vale salientar que ler livro é diferente de se informar pelo "zap zap" ou fake news…é um exercício contínuo,.

  4. H4CK3R disse:

    Resta saber se entendem o que lêem. ..

    • Ricardo disse:

      E o que andam lendo.
      Quantidade não é qualidade.

    • João deixem o Brasil urgente disse:

      É POR ISSO Q NATAL VIROU UMA PROVÍNCIA DE JOÃO PESSOA, JÁ ULTRAPASSOU NATAL EM TUDO E O 🐙 DO RN AINDA ELEGE FÁTIMA GOPI 😈😈 DO PETÊ PARA CONTINUAR O ESTRAGO FEITO EM 60 ANOS DE ALVES E MAIAS OH POVINHO BURRROOOOO REALMENTE O 🐙 TEM OS POLÍTICOS Q MERECEM

  5. Rivaldo Antônio disse:

    Entendi a pessima posicao de Natal! Na capital do RN tem gado demais, e esse pessoal nem sabe ler…kkkkkkkkkkk

    • ROOSEVELT ARILMES MUNIZ DE ALBUQUERQUE disse:

      IMBECIL TEM PETISTAS ANALFABETOS DEMAIS POIS A GOVERNADORA ESCOLHIDA E UMA PESSOAS Q SE DIZ PROFESSOR MAS NUNCA DEU AULA E FALA ERRADO PRA DEDEU RETRATO DO POVO POTIGUAR

  6. Lúcia Vasconcelos disse:

    Acredito em papai Noel.

  7. Neto disse:

    Que lê o Instagram, só se for. Kkkkkkkkk…

  8. BurroMinion disse:

    Aí a explicação para a derrota do BurroNaro no Nordeste…

    • Minion de Peixeira disse:

      João Pessoa deu quase 55% de votos para Bolso no 2T.
      Próxima…

Descoberta brasileira torna a cannabis medicinal mais eficiente

Caio Santos Abreu, CEO da ENTOURAGE PHITOLAB Alexandre Battibugli/Divulgação

Em qualquer mercado que envolva commodities, quem produz a matéria-prima normalmente fica com as menores margens de lucro. Para recuperar o investimento e ganhar algum dinheiro, o agricultor, o pecuarista, o minerador e o pescador precisam produzir e vender grandes volumes. Com a cannabis não é diferente. Nos locais onde é permitido plantá-la, o preço da erva in natura vem caindo consistentemente, principalmente porque a demanda pelo produto legal não acompanha o crescimento da oferta, cada vez maior. Essa foi uma das primeiras lições que aprendi quando comecei a acompanhar esse universo mais de perto. As melhores oportunidades estão nas atividades que agregam valor aos insumos e entregam produtos mais sofisticados aos consumidores: remédios, concentrados, comestíveis, cosméticos etc.

Aqui no Brasil, o plantio de cannabis segue proibido, mas a dinâmica é a mesma. Os negócios mais atrativos para investidores e lucrativos para seus donos estão na indústria, não na agricultura (a afirmação aqui é um tanto óbvia, mas no mundo da cannabis ainda há uma tendência de supervalorização do cultivo). Nesse contexto, avalio como extremamente positivo o anúncio feito pela brasileira Entourage Phytolab na semana passada. A startup de biotecnologia, com sede em Valinhos (SP), desenvolveu uma fórmula que dobra o potencial de absorção do canabidiol (CBD) pelos pacientes. Na prática, significa que o mesmo efeito terapêutico pode ser obtido com metade da dose, tornando o tratamento mais barato e mais eficiente.

Os resultados da Fase 1 dos testes com o novo produto, selecionado entre mais de 50 formulações, foram apresentados durante o International Cannabinoid-Derived Pharmaceuticals Summit (ICDP), um dos principais eventos globais dedicados à pesquisa com canabinoides. Para Caio Santos Abreu, CEO da Entourage, o custo dos tratamentos pode cair até 60% com a nova tecnologia. “Trata-se de uma conquista inédita não só no Brasil, mas no mundo. Os cientistas que acompanharam o anúncio ficaram bastante impressionados com os nossos resultados”, contou Abreu. O produto segue agora para as fases finais de teste e devem chegar ao mercado no ano que vem, segundo as estimativas da empresa. “O processo é lento, mas tem que ser assim, esse é o caminho que escolhemos, a via farmacêutica. Estamos confiantes de que em breve vamos oferecer aos brasileiros um produto de alta qualidade, eficaz e com preços justos”, diz o executivo.

Além da absorção mais eficiente, os ensaios mostraram que a nova fórmula da Entourage reduz a variação dos efeitos do medicamento entre os diferentes pacientes. “Em geral, os tratamentos à base de canabinoides produzem efeitos diferentes de pessoa para pessoa”, afirma Manuel De Prá, chefe de pesquisa e desenvolvimento da empresa. “A variabilidade dos nossos resultados é três vezes menor que a dos produtos disponíveis no mercado atualmente. É um grande avanço, que dá mais confiança aos médicos na hora de prescrever”, completou. Ao que tudo indica, a Entourage acertou ao apostar na biotecnologia para se diferenciar, aqui e lá fora. Apesar de todo o nosso potencial agrícola, há também outros caminhos para que o Brasil se torne uma referência no mercado global de cannabis, agregando conhecimento em uma área ainda pouco explorada pela ciência.

Veja

Seguro-desemprego para demitidos na pandemia poderá ter mais duas parcelas

Foto: Davi Pinheiro/Divulgação

Representantes do governo, dos trabalhadores e das empresas decidem nesta quinta-feira, 24, se prorrogam os pagamentos de seguro-desemprego a quem for demitido durante a calamidade provocada pela pandemia da covid-19. Se aprovada, a medida pode beneficiar 6 milhões de trabalhadores.

O custo de cada parcela adicional é estimado em R$ 8,35 bilhões, segundo cálculos da equipe econômica obtidos pelo Estadão/Broadcast. A proposta das centrais sindicais é pagar duas parcelas adicionais, o que levaria a uma despesa extra de R$ 16,7 bilhões.

A medida será votada no Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), responsável por operar políticas como abono salarial e seguro-desemprego. O colegiado tem 18 integrantes indicados por trabalhadores, empresas e governo. Cada categoria tem seis assentos no conselho.

A bancada dos empregadores deve ser o fiel da balança na votação, já que tanto governo quanto trabalhadores devem votar em bloco e em direções opostas. Na última reunião do Codefat, representantes dos setores de agricultura e turismo sinalizaram apoio à prorrogação do seguro-desemprego, enquanto a indústria foi contra, segundo apurou o Estadão/Broadcast. Com o placar indefinido, tanto o governo quanto as centrais deflagraram uma ofensiva para tentar angariar votos das confederações empresariais.

As centrais precisam conseguir ao menos três aliados dentro do conselho, já que, em caso de empate, o voto de minerva é do presidente do Codefat. A presidência hoje é exercida por Francisco Pegado, indicado da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

Em defesa da medida, as centrais justificam que a crise no mercado de trabalho já dura seis meses desde a decretação de calamidade, enquanto o número médio de parcelas do seguro desemprego está em quatro (o máximo é cinco, a depender da duração do contrato rescindido). Quem foi dispensado no início da crise pode já estar sem o benefício e, ao mesmo tempo, sem poder solicitar o auxílio emergencial criado para socorrer os mais vulneráveis, uma vez que o cadastro foi finalizado no início de julho.

“Há um desespero, uma preocupação e uma comoção grande por parte dos desempregados”, diz Sérgio Leite, representante da Força Sindical no Codefat. Entre março e agosto de 2020, 3,9 milhões de trabalhadores que tinham carteira assinada solicitaram o seguro-desemprego, 12,4% a mais do que em igual período do ano passado.

O representante da Confederação Nacional do Turismo (CNTur), Virgílio Carvalho, disse que o tema será analisado “com muito cuidado e carinho” para não comprometer a sustentabilidade do fundo nem deixar os trabalhadores desamparados.

Autorização

A lei do seguro-desemprego autoriza o Codefat a pagar duas parcelas adicionais de seguro desemprego para grupos específicos de segurados, desde que o gasto adicional da medida não ultrapasse, em cada semestre, 10% da reserva mínima de liquidez que o fundo mantém para honrar suas obrigações. Essa reserva é calculada ao redor de R$ 13 bilhões – ou seja, a despesa extra não poderia passar de R$ 1,3 bilhão.

Um parecer da própria Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), no entanto, avalia que o orçamento de guerra, aprovado pelo Congresso Nacional para abrir caminho às despesas de combate à pandemia, afasta a restrição dos 10%. Além disso, o órgão jurídico do Ministério da Economia também vê elementos suficientes para justificar a abertura de um crédito extraordinário e permitir que a despesa fique fora do teto de gastos, mecanismo que limita o avanço das despesas à inflação, já que as parcelas extras ficariam restritas a 2020.

Na prática, a prorrogação do seguro-desemprego depende apenas da aprovação do Codefat e da edição de uma Medida Provisória (MP) para abrir o crédito.

Embora não haja qualquer impedimento jurídico, a área econômica do governo manifestou resistências à aprovação da medida. Sem receitas suficientes, o governo tem emitido mais títulos da dívida pública para financiar seus gastos, e parcelas extras do seguro-desemprego pressionariam ainda mais nessa direção.

A Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia alertou “para o agravamento do resultado fiscal já previsto e consequente aumento do endividamento público, comprometendo as contas públicas não somente no atual exercício, mas no médio prazo”, segundo documento ao qual o Estadão/Broadcast teve acesso.

A SPE justificou ainda que políticas governamentais que desmotivem ou atrasem a “realocação dos fatores produtivos” (neste caso, a procura de emprego pelo trabalhador) pode atrasar o processo de retomada da economia.

O Tesouro Nacional também ponderou que a aprovação da medida “contribuiria para o agravamento do resultado fiscal e o consequente aumento do endividamento público, o qual já se encontra em níveis bastante elevados”. O órgão prevê que a dívida encerre o ano em 93,5% do PIB.

Estadão

Governo indica ex-ministro Abraham Weintraub para mais dois anos no Banco Mundial

 Foto: Jorge William/Agência O Globo

O governo brasileiro enviou nova indicação do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub para o cargo de diretor-executivo do Banco Mundial.

Weintraub já ocupa essa posição no Banco Mundial desde julho, mas para um mandato-tampão que se encerra em 31 de outubro.

A nova indicação do governo brasileiro é para que ele permaneça no cargo após essa data e para um mandato de dois anos, até 2022.

O governo precisava enviar nova indicação aos países que compõem o grupo de países representado pelo Brasil, a chamada “constituency”, para a eleição que ocorre nas próximas semanas.

O Brasil coordena o grupo formado por Colômbia, República Dominicana, Equador, Haiti, Filipinas, Suriname e Trinidad e Tobago.

Uma vez indicado, o nome brasileiro está virtualmente eleito, já que o país tem mais de 50% dos votos no grupo.

O que pode ocorrer, se algum país vier a se opor ao nome indicado, é a saída desse país do grupo representado pelo Brasil — o que já ocorreu no passado recente com um representante brasileiro em cargo semelhante no Fundo Monetário Internacional (FMI).

Weintraub, que sempre criticou Brasília e a forma de fazer política, com distribuição de cargos por indicação de governos, terá um salário anual de US$ 250 mil em Washington.

A partir da confirmação para o novo mandato, de dois anos, o cargo passa a ser de Weintraub, que só deixará o posto antes desse prazo se renunciar.

Irmão do ex-ministro da Educação, Arthur Weintraub, também anunciou recentemente que deixaria o posto de assessor especial do presidente Jair Bolsonaro para ocupar um cargo na OEA (Organização dos Estados Americanos).

Blog da Ana Flor – G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Feliciano disse:

    "FAÇA O QUE EU DIGO, MAS NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO"!
    Para os que ainda acreditam e abrem a boca para dizer que são contra as "ideologias" e os apadrinhamentos, indicações políticas e de amigos, o que será que dizem disso?
    Será que isso só é errado e portanto insuportável se for a oposição ou os adversários que fazem?
    Qual é a nossa moral?

    OBS: Já são 10 (dez) Universidades "aparelhadas com pessoas partidárias do presidente, que foram indicadas mesmo perdendo as eleições internas, sem legitimidade da maioria e contra o impulso primordial de qualquer Democracia.
    POR QUE NOS CALAMOS?

  2. Junin disse:

    De férias por lá, com grupo que é só potência, pois aqui só fez e falou bosta…#fica por lá….#

  3. Um brasileiro disse:

    Aos amigos do rei, tudo!

  4. Ciro Espítama disse:

    A mamata acabou!
    A mamata acabou.
    A mamata acabou?
    A mamata…

  5. João V disse:

    Próxima parada: Palácio dos Bandeirantes

  6. Anti PT disse:

    O Véio Bolsonaro é duro.

  7. Lula na cadeia já disse:

    #GrandeDia

Criminoso mais procurado do Brasil tem prisão ‘cinematográfica’

Foto: Reprodução

A polícia prendeu, na manhã desta quinta-feira (17), Luciano Castro de Oliveira, conhecido como o “Zequinha”, o criminoso mais procurado do Brasil. O homem foi encontrado vivendo em um sítio na cidade de Tejupá, no interior de São Paulo.

A ação, considerada cinematográfica, contou com o policiamento náutico para atravessar um rio, uso de drones para ter uma vista aérea do local e várias viaturas. Cães da polícia também foram levados para farejar caso o criminoso fugisse.

Zequinha é suspeito de ser o autor e líder de quadrilhas que atuam em roubos contra empresas de transportes de valores, agências bancárias e redes varejistas de eletroeletrônicos na região de Campinas. Para tais crimes, usava de explosivos e armamentos de grosso calibre.

Casa onde Zequinha foi preso nesta quinta-feira (17). Foto: Reprodução

Currículo extenso

Zequinha, tem 46 anos, e é natural de Campo Mourão, no Paraná. Ele aparece na lista dos criminosos mais procurados do país pelos crimes de roubos e associação criminosa.

Ele é suspeito de envolvimento no assalto que ocorreu no Paraguai em 2018, que deixou um prejuízo de cerca de R$ 120 milhões a uma transportadora de valores.

Segundo o Ministério da Justiça, em 1992, Zequinha foi condenado por roubo ao BIC (Banco Comercial Industrial) em Campinas. Foi libertado em 1994, por indulto presidencial. Ele também foi condenado, em outros processos judiciais, por porte ilegal de arma, uso de documento falso, roubo, formação de quadrilha, latrocínio, extorsão e sequestro.

Em 2005, foi preso novamente por formação de quadrilha e uso de nome falso. A quadrilha estava cavando um túnel em direção a um banco em São Paulo. Logo em seguida, obteve liberdade. Em 2006, foi investigado pela tentativa de furto ao ABN Amro.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aof disse:

    Com esse historico, alguem acredita que esse bandido quer se "ressocializar"?

  2. Gérson Canhota disse:

    Já foi solto meia dúzia de vezes… mais uma daqui a pouco.

  3. Cunhaú disse:

    Pelo histórico, será solto quando?

  4. Manoel disse:

    Daqui a pouco essa vítima da sociedade estará solta novamente…

CNJ aprova novo benefício para juiz com mais processos para julgar

Conselho Nacional de Justiça Foto: Gil Ferreira / Agência CNJ

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou nessa terça-feira um novo benefício para a magistratura. Agora, o juiz que acumular mais de uma vara de Justiça, receberá o adicional de acervo – uma espécie de recompensa para quem tem mais processos para decidir. O penduricalho foi aprovado na última sessão comandada pelo ministro Dias Toffoli, que na quinta-feira deixará a presidência do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF).

O magistrado que tiver direito ao novo benefício receberá um terço do salário a mais por mês que acumular mais de uma vara. Esse adicional já é pago na Justiça Federal e na Justiça do Trabalho. A pedido da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), o CNJ aprovou uma recomendação para que o adicional seja pago a todos os juízes do país.

Foi o próprio Toffoli que levou a sugestão ao plenário. Ele argumentou que existe jurisprudência do STF no sentido de que todos os juízes têm o mesmo direito. Portanto, não seria correto apenas dois ramos do Judiciário terem direito ao benefício, em detrimento dos demais.

Toffoli também lembrou que, em 2016, o CNJ editou resolução uniformizando o regime remuneratório da magistratura nacional, que reconhece o direito do juiz à “compensação pelo exercício cumulativo de atribuições”. E que duas leis de 2015 instituíram formas para compensar esse acúmulo para a Justiça Federal e para a Justiça do Trabalho de primeiro e segundo graus.

Ainda na justificativa apresentada, Toffoli afirmou que, conforme dados do CNJ, o número de juízes cresceu 7,2% entre 2010 e 2019. No mesmo período, a quantidade de processos novos aumentou 26%. Ainda assim, o número de julgamentos cresceu 37,1%. Portanto, os magistrados estariam em um “cenário de sobrecarga de trabalho e excesso de acervo”. E concluiu: “Exsurge nítido, assim, o reconhecimento do direito de todos os magistrados a formas de compensação por assunção de acervo”.

Como se trata de recomendação, os tribunais não têm obrigação de pagar o novo benefício. O texto da nova norma dá carta branca aos tribunais – inclusive sobre as “diretrizes” do pagamento. “Os tribunais que optarem por instituir a compensação por exercício cumulativo de jurisdição de que trata esta Recomendação deverão estabelecer, por ato normativo próprio, as diretrizes e os critérios para sua implementação”, diz a recomendação do CNJ.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jonatas Calaça dos Santos disse:

    Por que não acabam com as folgas e licença que duram mais de 90 dias. Se produzissem neste período, era muito trabalho realizados. Judiciário Brasileiro continua uma vergonha. Pior que os políticos.

  2. João Macena disse:

    Concordo com o seu comentário, Edison Cunha. Casta maldita, o judiciário brasileiro. João Macena.

  3. Jailson disse:

    E a reforma administrativa chicoteando os servidores mais humildes, q são os q realmente carregam o piano nas costas

  4. Haters gonna hate disse:

    Trabalho na justiça e vou dizer o que realmente acontece: os juízes e promotores acumulam essas varas/pmjs, inclusive a eleitoral (nesse, eles já ganham uma gorjeta modesta) e passam tudo pro assessor (servidor, sem direito a ganhar nada e não tem 60 dias de férias). Ou seja, agora vão ganhar 1/3 do subsídio baixinho de 30 mil + Ou- e passar tudo pro escravo que não ganha nada e muitas vezes nem recebe um obrigado.

  5. Porto Mirim bicha encubad......... disse:

    Poxa!Devia ter estudado mais.

  6. Incubado porto mirim vilagge flat disse:

    Poxa !era para ter estudado mais.

  7. Vitor Silva disse:

    "Ministro do TCU em qualquer banco vai ganhar 4 milhões de dólares por ano. É difícil convencer a ficar no TCU"

    "Presidente ou ministro do STF tem que receber muito mais"

    Paulo Guedes hoje. O mesmo que propôs auxílio emergencial de 200 reais.

  8. Edison Cunha disse:

    EU TENHO VERGONHA DO JUDICIÁRIO BRASILEIRO!

  9. Joaquim Aveiro disse:

    REMEM, ESCRAVOS!
    MAIS RÁPIDO!

SP coloca 95% do estado na fase mais branda da reabertura

Foto: Divulgação/Governo do estado

O governo de São Paulo atualizou nesta sexta-feira (4) a classificação das regiões no plano de reabertura gradual das atividades econômicas durante a pandemia do coronavírus e anunciou o avanço de cinco regiões e o retrocesso de uma.

Com isso, 95% da população do estado está na fase amarela de classificação do plano, a qual permite o funcionamento de bares, restaurantes, comércio e outras atividades não essenciais. O governo também prorrogou a quarentena pela décima vez e o estado segue sob restrições até o dia 19 de setembro.

Marília, Presidente Prudente, São João da Boa Vista, Registro e São José do Rio Preto passaram da fase laranja para amarela. A única região que regrediu foi Ribeirão Preto que passou da fase amarela para laranja. O estado permanece sem nenhuma região na fase vermelha, a mais restritiva do plano de flexibilização econômica.

As alterações do Plano São Paulo acontecem a cada 2 semanas, quando é permitido que as regiões evoluam de fase. No entanto, caso exista piora nos índices, as regiões podem regredir na semana de intervalo. Na última sexta-feira (28) nenhuma região regrediu de fase.

O governador João Doria (PSDB) disse nesta sexta-feira (4) que a progressão de cinco regiões se deve a melhora no índices destes locais.

“A progressão destas regiões é uma tendência de melhora dos indicadores que temos observado no estado como um todo e já estamos na quarta semana consecutiva de queda de óbitos, um fato inédito desde o início da pandemia. Quatro semanas consecutivas com índices de infecção em queda, índices de óbito em queda, índices de ocupação de leitos de UTI em queda”, disse o governador.

A Secretária de Desenvolvimento Econômico Patrícia Ellen, disse nesta sexta-feira (4) que a região de Franca se manteve na fase laranja e a de Ribeirão regrediu à ela devido ao número de óbitos nas regiões.

“Então temos 5 regiões que avançam de fase e temos aqui Franca e Ribeirão Preto que se mantém na etapa de controle, principalmente pelo número que nós temos registrado em óbitos nessas regiões. O que também é um sinal positivo olhando pra frente porque há estabilização de internação nessas regiões que se reduzindo agora podemos ter uma maior abertura também pra fase amarela”, diz.

A única região que regrediu nesta sexta (4), Ribeirão Preto, registrou uma alta de 43,1%no número de casos, 48,3% nos óbitos na variação semanal. As novas internações, no entanto, tiveram queda de 8,2%.

Nesta sexta (21), o estado registrou 186 novas mortes por coronavírus em 24 horas, chegando ao total de 31.091 óbitos desde o início da pandemia. A marca dos 30 mil óbitos, número maior do que o registrado em toda a Espanha, foi ultrapassada na segunda-feira (31).

O governo de São Paulo anunciou também nesta sexta-feira (4) o início da Operação Independência, que vai reforçar o policiamento em cidades turísticas do estado para tentar evitar aglomerações durante a pandemia de Covid-19.

As cidades do litoral paulista e outras estâncias turísticas no interior do estado vão receber reforço de 20 mil policiais ao dia durante o feriado prolongado do dia 7 de setembro. Também serão utilizadas 7,2 mil viaturas e 880 motos, além de helicópteros e drones.

Interior x capital

(mais…)

TERRA DEVASTADA: Setor do turismo do RN demitiu mais de 60% dos funcionários durante pandemia

Na série de contatos que o Blog vem fazendo com empresários do setor de turismo, desde essa quarta-feira(15), no qual chegamos a conversar com 12 de diversos segmentos, impressionam os relatos de demissões e de falta de perspectivas. ASSUSTADOR.

Para se ter ideia, teve hotel grande que já demitiu 80% dos funcionários. Não bastasse, também teve pequenos restaurantes ou pequenas empresas que fecharam para não reabrir.

Contactada pelo Blog, a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio Grande do Norte(ABIH-RN) confirmou a devastação do segmento no estado do Rio Grande do Norte, que é o inclusive, o mais afetado – sendo disparado o mais importante para a economia potiguar.

A ABIH-RN fez uma pesquisa com seus associados, e confirma, somente pelos seus dados, que oficialmente foram mais 60% de demissões nos seus associados.

Portanto, existem empresas que, de fato, não mais reabrirão. Estão endividadas. E algumas que vão reabrir, não tem noção como será a volta e não tem estrutura financeira, precisando de auxílio não só para o equipamento voltar a funcionar como também para atender os protocolos exigidos.

No seguimento de serviços relacionados ao turismo, a situação ainda é pior, é de sobrevivência pessoal.

Guias, Bugueiros, Agentes de Viagens, Receptivos, Casa de Câmbio a situação ainda é pior.

Precisamos lembrar ainda do encerramento das atividades do Hotel Thermas e do Manoa Park.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Enquanto o estado perde uma de suas principais fontes de ingressos de recursos, vejo alguns Dep Estaduais preocupados em não fazer a reforma previdênciária p/não "prejudicar" servidor…Precisamos produzir recursos, isso é que precisa ser o nosso foco!!! Não culpo o atual governo petista, o foco desse estado SEMPRE FOI o bem estar do servidor, outrora meio ambiente, enquanto isso seguimos empobrecendo…Outros estados começam à voltar a crescer, a economia reagindo, mas o RN, rumo à devastação…

  2. TAÍ O RESULTADO disse:

    Antes da pandemia já vinha devagar. Algumas agências de receptivo de Natal só pensa em explorar, ao invés de pensar em prestar um bom serviço.

  3. Ivanildo disse:

    Turismo no RN = Andar de Buggy sem segurança em duna, conhecer delegacia depois de ser assaltado, ser explorado nas praias pagando a metade do quíntuplo, atendimento porcaria, orla de PN fedendo a urina e por aí vai!

    • Esdras disse:

      Com todas essas mazelas que você citou, ainda somos um dos 5 destinos mais procurados no Brasil, imagine se houvesse melhoras e o Turismo fosse levado com a importância que merece.

    • Gibira disse:

      Sem falar nos preços absurdos.

  4. Flávio Araújo disse:

    BG o RN, em todos os segmentos empresariais, está morto há muito tempo e agora a situação agravou-se com uma administração estadual inepta e incompetente. Não temos indústrias, o comércio era sofrível e o turismo já vive a maior crise da história, principalmente pela inoperância administrativa da governadora.

  5. Juliano bugueiro disse:

    Aqui nunca teve turismo.

  6. Mario Roberto Barreto disse:

    Mas com certeza a Secretaria de Turismo e o Presidente da Emprotur, estão elaborando um plano com alternativas de sobrevivência do setor, com novos produtos e outros mercados. Ê o que todos esperam.

    • Pão com mortadela vencida disse:

      Vc acredita em papo Noel? Pé grande? Monstro do lago Ness? Sucupira? Saco? Boi Tá tá?
      O RN está as traças e agora que ela vem salvar ou elaborar um plano?
      Tem que ter gente competente e não é neste governo tenho certeza.

  7. Manoel C disse:

    O manoa já vinha decadente, aproveitou a pandemia para fechar "sem culpa".

Ventiladores não são mais a primeira opção no tratamento de casos graves de coronavírus, diz pesquisa

Foto: Edilson Dantas

Para reduzir a mortalidade pela Covid-19, uma estratégia tem feito a diferença em UTIs. A velha e boa prática médica de qualidade, com recursos conhecidos, tem feito a diferença, afirmou ontem o pneumologista Carlos Alberto Barros Franco, um dos primeiros médicos do país a tratar a Covid-19.

— Dos primeiros casos no Brasil para cá, as coisas mudaram no que diz respeito ao procedimento com os pacientes graves. O tratamento mudou radicalmente e a sobrevivência aumentou. Ventiladores não são mais a primeira opção — disse Barros Franco, um dos pneumologistas mais respeitados do país, durante o simpósio “Covid-19 — Que doença é essa?”, organizado pela Academia Nacional de Medicina (ANM).

O evento, transmitido por plataformas digitais, reuniu alguns dos maiores especialistas do Brasil para avaliar o que se aprendeu e os desafios no combate à pandemia de coronavírus no país. O coordenador do simpósio, o hematologista e oncologista Daniel Tabak, destacou que a queda da mortalidade nas UTIs está relacionada ao melhor cuidado. Antes, os respiradores eram necessários, hoje pacientes recebem pronação (uma manobra para estimular a respiração) e fisioterapia e se recuperam melhor.

— O melhor tratamento não é um remédio. É a boa prática médica. Ventilação em prona, autoprona, oxigênio a baixo fluxo, fisioterapia, tudo isso tem sido usado. Hoje, a ventilação mecânica invasiva é o último recurso para tratar um paciente de Covid-19. Isso é uma mudança radical — observou Barros Franco.

Os respiradores, vistos como essenciais no início da pandemia, perderam o protagonismo à medida que os médicos aprendem mais sobre a doença. Ventilação precoce não é mais uma indicação médica na maioria dos casos, de acordo com o pneumologista, que destaca que ainda há muito o que descobrir para melhorar o tratamento.

Mais de 29 mil estudos foram publicados, mas o coronavírus e a doença que ele causa continuam um desafio e um mistério. Um desses mistérios é a possibilidade da existência da chamada persistência. Isto é, se o coronavírus consegue permanecer no organismo de uma pessoa mesmo após o desaparecimento dos sintomas da Covid-19.

Também discutida no evento da ANM, a persistência lança dúvidas desconcertantes. Ela gera incerteza sobre se uma pessoa recuperada, sem sintomas, mas ainda positiva, poderia continuar a transmitir o vírus ou corre o risco de adoecer de novo.

O professor titular de virologia da USP de Ribeirão Preto Eurico Arruda, considerado um dos maiores especialistas do país em vírus respiratórios e um dos poucos que já estudava os coronavírus antes da pandemia, está convencido de que a persistência existe. Mas sua dimensão precisa ser conhecida.

— Acho que existem pessoas com persistência viral. Pessoas que estão PCR positivas há um mês, 40 dias. E não têm mais doença. Vimos isso num estudo pequeno. Precisamos aprender mais — disse Arruda.

Para ele, o critério de alta de pacientes que tiveram um quadro grave de Covid-19 e já se recuperaram da doença deveria ser ter dois resultados negativos consecutivos de exames de PCR.

O professor titular de virologia da UFRJ Amílcar Tanuri, cujo grupo fez um dos maiores estudos de sorologia de Sars-CoV-2 do país, tem opinião semelhante.

— Nosso grupo investiga a possibilidade de uma “cronicidade” do vírus. É raro, mas acontece. É impressionante. Mas é esse o dado — frisou Tanuri, que observou que essas pesquisas estão no início.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    — O melhor tratamento não é um remédio. É a boa prática médica. Ventilação em prona, autoprona, oxigênio a baixo fluxo, fisioterapia, tudo isso tem sido usado. Hoje.
    Esse texto acima foi o que o médico relatou. Ele diz que o remédio não é o melhor tratamento, esse cidadão nunca teve covid se pegar eu dúvido que não tome nenhum medicamento e que fique somente na ventilação em prona.
    Não precisa nem ser médico para dizer que irá morrer se seguir este tratamento.

  2. Gibira disse:

    Rapaz e os milhões gastos com respiradores? E os 5 milhões que o Desgoverno do Estado enviou para o consórcio Nordeste comprar os ventiladores, vai ficar por isso mesmo?

  3. Lvt disse:

    Ele tem razão jr pq sempre falou em prevenção!

  4. Teodósio disse:

    SE tivessem adotado o uso da hidroxicloroquina e os demais remédios do kit, logo nos primeiros sintomas dos pacientes, não seria necessário despesas com hospitais de campanha, roubalheira na compra de respiradores a preços superfaturados, pois mais de 90% das pessoas que se trataram logo no início se curaram em casa, sem a necessidade de se internar em hospitais. Mas claro que os governadores e prefeitos não queriam isso, pois como eles iriam receber os bilhões do governo federal?

  5. Francisco Lima disse:

    O Bolsonaro tem razão.

China alerta para nova pneumonia potencialmente mais mortal que a covid-19; Cazaquistão diz que informação é incorreta e que doença faz parte das já conhecidas

(Foto: Cnsphoto/Reuters)

Um novo surto de doença respiratória, potencialmente mais letal que a covid-19, pode estar começando na Ásia.

A embaixada chinesa no Cazaquistão alertou ontem seus cidadãos no país sobre uma nova “pneumonia desconhecida”.

Segundo a China, no primeiro semestre deste ano 1.772 pessoas morreram da doença este ano, 628 delas apenas em junho. Cerca de 100.000 pessoas já teriam sido contaminadas.

“Essa taxa de mortalidade da doença é muito maior que a da covid-19 e as autoridades do Cazaquistão estão conduzindo um estudo comparativo do vírus sobre o qual ainda não há definição”, afirmou a embaixada chinesa, segundo o jornal South China Morning Post.

O ministro da Saúde do Cazaquistão respondeu nesta sexta-feira, pelo Facebook. Alexei Tsoi afirmou que a informação divulgada pela China é “incorreta”.

Segundo ele, a conta oficial inclui todos os tipos de pneumonias já conhecidas, incluindo as causadas por vírus e bactérias.

Ele não especificou quantos dos casos tratados como pneumonia podem na verdade ser de covid-19, nem entrou em detalhes sobre se há ou não uma nova doença em circulação no país.

A Organização Mundial da Saúde afirmou ao diário chinês que tem conhecimento apenas da circulação da covid-19 no Cazaquistão, e que a doença causada pelo novo coronavírus pode explicar o aumento nos casos de pneumonia no país.

Segundo a CNN, a capital do país, Nursultan, mais que dobrou os casos de pneumonia em relação a junho de 2020. A China afirmou que pretende trabalhar junto com o país no combate ao surto.

O Cazaquistão tem oficialmente 50.000 casos de covid-19, e recentemente adotou medidas mais rigorosas de distanciamento social após um avanço no contágio — a quinta-feira foi o dia com mais novos casos, 1.962.

Romper a cortina de fumaça em torno do Cazaquistão não deve ser fácil. O país é um dos mais fechados do mundo. A capital foi rebatizada com o atual nome ano passado, em homenagem a Nursultan Nazabayev, que deixou o cargo um dia antes após governar o país desde o fim da União Soviética, 30 anos atrás.

Ele ainda é presidente do Conselho de Segurança e chefe do partido que domina o parlamento, o que lhe garante poder total sobre o país da Ásia Central. O Cazaquistão tem 17 milhões de habitantes e faz fronteira, entre outros, com a China e a Rússia (onde o atual presidente, Vladimir Putin, acabou de passar uma lei que lhe permite ficar no poder por mais duas décadas).

Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wilson disse:

    O que a a China está fazendo é uma tentativa de desviar a atenção do mundo para um problema que ela causou. Não vai conseguir.

  2. Manoel disse:

    A China depois do que fez ocultando a covid quer ficar cagando regra pro resto do mundo… kkk

Vacinação contra Influenza imunizou mais de 190 mil pessoas em Natal; doses remanescentes ficam disponíveis para qualquer pessoa

Foto: Divulgação/SMS

Encerrou nessa terça-feira (30) a campanha de vacinação contra Influenza. Mais de 190 mil pessoas foram atendidas pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS Natal) nas salas de vacinação do município. Com início em 23 de março, a campanha foi dividida em etapas que tinha público alvo composto de idosos acima de 60 anos, profissionais de saúde, professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, doentes crônicos, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas, mães no pós-parto até 45 dias, pessoas de 55 a 59 anos e população indígena em geral. A partir de 01 de julho, as doses remanescentes nas unidades de saúde ficam disponíveis para qualquer pessoa que buscar a imunização.

Durante a campanha, 192.061 pessoas foram vacinadas na capital, totalizando uma média de 87,72% da população prioritária. Destas, 112.451 são idosos (131.70%), 33.909 trabalhadores da saúde (109.38%), 16.589 adultos de 55 a 59 anos (49.55%), 4.162 gestantes (48.18%), 619 puérperas (43.59%) e 24.920 crianças (41.84%). O Ministério da Saúde sugere cobertura vacinal de 90% para esses públicos e Natal conseguiu superar as metas para idosos e profissionais da saúde.

“Algumas estratégias foram utilizadas para alcançar as metas estabelecidas, como o drive para idosos no Arena das Dunas na primeira fase, que teve boa aceitação das pessoas. Por outro lado, devido à preocupação do público em comparecer aos postos de saúde com a pandemia do novo coronavírus, houve uma procura abaixo do esperado de adultos, gestantes, puérperas e crianças. Com isso, a partir de hoje, as doses que restarem nas unidades básicas de sáude ficam destinadas a todo e qualquer indivíduo que desejar se vacinar”, comenda Vaneska Gadelha, Chefe de Agravos Imunopreveníveis de Natal.

Governo do Estado transfere mais de R$ 1,8 milhão para cofinanciamento a municípios na pandemia; mais de R$ 256 mil para Natal

O Governo do Estado já transferiu R$ 1.856.393,00 (um milhão, oitocentos e cinquenta e seus mil, trezentos e noventa e três reais) dos R$ 3,6 milhões dos recursos do cofinanciamento que vai reforçar a rede de assistência social nos 167 municípios do Rio Grande do Norte. Os recursos foram depositados nas contas dos municípios já habilitados mediante o termo de adesão, uma das condicionantes para recebimento da transferência na conta dos Fundos Municipais de Assistência Social.

A Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) é quem executa as transferências dos recursos que o Governo do Estado destina aos municípios para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

No Rio Grande do Norte a Sethas é responsável pela gestão estadual do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), portanto, responsável pela execução do cofinanciamento de benefícios eventuais. Os recursos são auxiliares para que os municípios possam atender aos cidadãos e às famílias em situação de vulnerabilidade temporária próprias do contexto de emergência e calamidade pública como a que vivenciamos. Uma das necessidades mais urgentes que os municípios devem atender com este recurso é a do acesso destas pessoas a alimentação, um direito humano básico.

A secretária da Sethas, Iris Oliveira, explica que os recursos são essenciais para os municípios no momento em que os efeitos da pandemia recaem mais gravemente sobre os mais pobres. “O Governo tem atuado em várias frentes e o apoio financeiro por meio do cofinanciamento de benefícios eventuais é uma delas”. O cofinanciamento, complementou a secretária da Sethas, é um benefício do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) previsto na Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS). O benefício eventual tem caráter suplementar e provisório, é prestado a grupos populacionais em situação de vulnerabilidade como pessoas em situação de rua, migrantes e refugiados, comunidades rurais, comunidades de povos tradicionais, trabalhadores e trabalhadoras informais, acampados urbanos, diaristas e todos os que neste momento estão sem conseguir suprir o seu sustento.

Pelo Termo de Aceite o município se compromete em fornecer o benefício socioassistencial, com ações de proteção específica e especial às pessoas e famílias em situação de maior vulnerabilidade, e pelo Termo Aditivo de Aceite reafirma as responsabilidades de gestão, execução e prestação de contas que decorrem do cofinanciamento.

Transferência de recursos do Cofinanciamento aos municípios, primeira e segunda parcelas, com valores em R$ e situação de habilitação

ENCAMINHOU ADITIVO:

ACARI

R$ 3.229

ASSU

R$ 16.825

AFONSO BEZERRA

R$ 3.200

ANGICOS

R$ 3.397

APODI

R$ 10.395

AREIA BRANCA

R$ 8.054

ARES

R$ 4.149

BAÍA FORMOSA

R$ 2.689

BARAÚNA

R$ 8.228

BODÓ

R$ 645

BREJINHO

R$ 3.683

CAICÓ

R$ 19.706

CAMPO REDONDO

R$ 3.253

CANGUARETAMA

R$ 9.940

CARAÚBAS

R$ 5.943

CEARÁ-MIRIM

R$ 21.314

CERRO CORÁ

R$ 3.242

CURRAIS NOVOS

R$ 12.988

EXTREMOZ

R$ 8.289

FLORÂNIA

R$ 2.644

GOIANINHA

R$ 7.635

GUAMARÉ

R$ 4.541

BOA SAÚDE/JANUÁRIO CICCO

R$ 2.952

JARDIM DO SERIDÓ

R$ 3.595

JOÃO CÂMARA

R$ 10.137

JUCURUTU

R$ 5.306

LUÍS GOMES

R$ 2.934

MACAÍBA

R$ 23.430

MACAU

R$ 9.226

MONTANHAS

R$ 3.263

MONTE ALEGRE

R$ 6.511

MOSSORÓ

R$ 86.240

NATAL

R$ 256.395

NÍSIA FLORESTA

R$ 8.005

NOVA CRUZ

R$ 10.829

OURO BRANCO

R$ 1.395

PARELHAS

R$ 6.228

PARNAMIRIM

R$ 75.826

PATU

R$ 3.699

PAU DOS FERROS

R$ 8.814

RIACHO DE SANTANA

R$ 1.219

SANTA CRUZ

R$ 11.505

SANTO ANTÔNIO

R$ 6.999

SÃO GONÇALO DO AMARANTE

R$ 29.696

SÃO JOSÉ DO MIPIBU

R$ 12.731

SÃO MIGUEL

R$ 6.821

SÃO PAULO DO POTENGI

R$ 5.098

SÃO VICENTE

R$ 1.863

SERRA NEGRA DO NORTE

R$ 2.343

TIBAU

R$ 1.191

TOUROS

R$ 9.653

UMARIZAL

R$ 3.061

ENCAMINHOU ACEITE:

ÁGUA NOVA

R$ 943

ALEXANDRIA

R$ 3.937

ALMINO AFONSO

R$ 1.373

ALTO DO RODRIGUES

R$ 4.213

ANTÔNIO MARTINS

R$ 2.072

BARCELONA

R$ 1.159

BENTO FERNANDES

R$ 1.594

BOM JESUS

R$ 2.961

CAIÇARA DO RIO DO VENTO

R$ 1.068

CAMPO GRANDE

R$ 2.800

CARNAÚBA DOS DANTAS

R$ 2.372

CARNAUBAIS

R$ 3.120

CORONEL JOÃO PESSOA

R$ 1.424

CRUZETA

R$ 2.319

DOUTOR SEVERIANO

R$ 2.052

ENCANTO

R$ 1.635

EQUADOR

R$ 1.753

ESPÍRITO SANTO

R$ 3.046

FELIPE GUERRA

R$ 1.736

FRANCISCO DANTAS

R$ 819

GALINHOS

R$ 808

GROSSOS

R$ 3.011

IELMO MARINHO

R$ 3.992

IPANGUAÇU

R$ 4.492

IPUEIRA

R$ 650

ITAJÁ

R$ 2.189

JAÇANÃ

R$ 2.649

JANDAÍRA

R$ 1.995

JANDUÍS

R$ 1.528

JAPI

R$ 1.466

JARDIM DE PIRANHAS

R$ 4.303

JOSÉ DIAS

R$ 770

JOSÉ DA PENHA

R$ 1.726

LAGOA D’ANTA

R$ 1.963

LAGOA DE VELHOS

R$ 792

LAGOA NOVA

R$ 4.528

LAGOA SALGADA

R$ 2.391

LAJES

R$ 3.270

LAJES PINTADA

R$ 1.380

LUCRÉCIA

R$ 1.159

MAJOR SALES

R$ 1.166

MARCELINO VIEIRA

R$ 2.421

MARTINS

R$ 2.530

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. David disse:

    A cidade de Bodó ta em festa kkkk

  2. marcelo matias disse:

    Essa não é a verba recebida por cada município, isso é apenas aditivo.

  3. Said disse:

    Isso será mesmo verdade?vocês gestores estaduais tenham vergonha na cara esse valor não paga um café da manhã da governadora,guardem esses valores daqui a pouco ela vai dizer que ajudou os municípios com grande repasses de verbas. SACANAGEM

  4. Beemoth,leviatã,ziz disse:

    De fato a maioria dessas cidades não deveria nem existirem,de cidade mesmo só possuem os nomes,praticamente não existe diferença alguma entre os seus povoados rurais e esses chamados centros urbanos,(cidades),o estado do Rio Grande do Norte,só deveria ou poderia ter no máximo 20 ou 21 municípios com autonomia política-administrativa,principalmente as denominadas cidades polos cidades.

  5. Ivan disse:

    Galinhos se deu bem…

  6. Paulo Roberto disse:

    Isso é sério?!

  7. Ricardo Mendes disse:

    Coitadas das cidades do interior com essa verba q Fatão vai distribuir, pobres e cada vez mais pobres cidades!!!!