Após duplicação Via Costeira ficou mais perigosa

Tribuna do Norte:

Nos primeiros cinco meses deste ano, o número de acidentes na Via Costeira diminui 43% em comparação ao mesmo período do ano passado. Os dados são do Comando de Policia Rodoviária Estadual. De janeiro a maio deste ano, foram registrados 26 acidentes no trecho, deixando 10 feridos e uma vítima fatal. No mesmo período de 2010, foram 46 acidentes, com sete feridos e nenhuma morte.

A queda no número de acidente vai de encontro a sensação de insegurança dos que trafegam pela via, principalmente após a sua ampliação – entregue no ano passado. Os próprios policiais que trabalham no posto de fiscalização compartilham dessa sensação e – sem conhecer os dados oficiais do CPRE – disseram à reportagem da TRIBUNA DO NORTE que tinham a impressão que a quantidade de acidente havia crescido.

Trabalhando há quatro anos no posto fixo de fiscalização da Polícia Rodoviária Estadual, o soldado PM Bezerra explica que o número de colisão de veículos apostes tem preocupado. “Desde a duplicação, o número de colisões entre veículos, envolvendo postes, aumentou muito. Quase toda semana registramos esse tipo de acidentes.” Para ele a imprudência e o desrespeito à sinalização por parte dos motoristas, são os maiores causadores de acidentes.

O policial tem mesmo razão quando levanta o problema das colisões de veículos com postes.  Entre os que caíram e os que se sustentam, mesmo tortos, a TRIBUNA DO NORTE contabilizou quatro ao longo da rodovia estadual. O que restou de um deles está na saída de uma curva no sentido centro-zona sul, a menos de 50 metros do posto permanente da Polícia Rodoviária Estadual.

O último acidente desse tipo ocorreu no final-de-semana passado, quando um condutor colidiu contra um poste de iluminação no canteiro central, há poucos metros da fiscalização policial. A maioria dos acidentes ocorrem em áreas próximas às curvas.

Na manhã da última segunda-feira, também era possível observar destroços de um veículo e restos de um poste caído nas proximidades do Hotel Pestana. As placas de trânsito e os radares medidores de velocidade não são suficientes para inibir o condutor que opta por dirigir em alta velocidade.

Viatura

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Romeiro disse:

    Alguns apelidam de "via posteira" e dizem que ficou muito perigosa depois da ultima intervenção. Utilizo todos os dias a via costeira e não acho que ficou mais perigosa. O perigo esta na irresponsabilidade de muitos que a utilizam como auto estrada.

  2. Aristótelles disse:

    Carlos vc está completamente correto.

  3. Carlos disse:

    NENHUMA estrada é perigosa! Basta dirigirmos com prudência! Se a via Costeira (ou qualquer outra) tivesse 50 vias de rolamento, nenhum buraco e sendo uma reta, todos iam dizer que era perigosa também.

Raios mataram 89 pessoas no Brasil em 2010

Carolina Spillari – estadão.com.brEm 2010, 89 pessoas morreram em todo o País, vítimas de raios. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número é inferior a média registrada entre 2000 e 2009. De acordo com dados preliminares, neste ano já foram registrados 28 mortes no Brasil.

Maioria das vítimas de raios em 2010 foram homens

Do ano passado, São Paulo é o Estado líder em vítimas, com 12 mortes. Em seguida vem o Pará, com oito, seguido de Minas Gerais e Tocantins, com sete, cada.

Das pessoas mortas por raios, 82% eram homens. A faixa etária entre 20 e 39 anos predominou em quase metade das vítimas. A maioria das mortes no ano passado ocorreu durante a primavera: 40%, quase o mesmo registrado no verão, de 36%.

A média, porém, é que a maioria das mortes aconteceram no verão: 45%, de acordo com o levantamento feito entre 2000 e 2009. É nessa estação que caem mais raios no Brasil, informa o Inpe.

O Sudeste teve 29% das ocorrências na última década. Em 61% dos casos, a morte foi registrada em alguma zona rural do País.

Acidente envolvendo ônibus na Bernardo Vieira acaba com três mortes

Com informações do Blog de Jackson Damasceno:

Um grave acidente na Bernardo Vieira deixou três mulheres mortas por volta das 18h30. Um ônibus da linha Extremoz-Igapó, da empresa Oceano, bateu em um outro veículo e atropelou sete pessoas.

As três mulheres morreram na hora. O ônibus vinha no sentido zona Norte-Midway e estaria em alta velocidade. Segundo informou o Ten. Augusto, oficial de operações do 9º Batalhão, testemunhas relataram que o ônibus ultrapassou o sinal vermelho de uma das faixas de pedestres, bateu em um carro que estava parado junto ao meio-fio. “É o que as pessoas aqui estão dizendo”, disse o oficial.

As outras quatro pessoas foram levadas para o Clóvis Sarinho. O motorista do ônibus foi preso em  flagrante, e levado para a delegacia de plantão da Zona Sul.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aninha disse:

    a maioria dos motoristas dessas empresas só andam desembestados,
    quando não está com uma boyzinha de lado no maior bate papo… desconcentrando-se do transito ….

  2. Estas empresas tem que fazer treinamentos e reciclagem com seus colaboradores,mas só objetivam o lucro puro e incessante, esquecendo o sócio-ambiental.