Judiciário

Presidente do Flamengo e mais quatro são denunciados pelo MPF de Brasília por prejuízo a fundos de pensão

Foto: Marcelo Cortes

O Ministério Público Federal de Brasília denunciou à Justiça o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e outras quatro pessoas pelo crime de gestão fraudulenta por terem atuado em uma operação financeira que teria causado prejuízo de R$ 100 milhões a fundos de pensão de funcionários de estatais.

O MPF também apontou que autoridades da Suíça comunicaram suspeitas de lavagem de dinheiro realizada por meio de uma conta que era da titularidade de Rodolfo Landim no banco Credit Suisse, mantida entre 2008 e 2012. O caso foi remetido para investigação da Polícia Federal.

Landim também recentemente foi nomeado pela Justiça como um dos interventores no comando da CBF. Procurada, sua defesa afirmou que ainda não tomou conhecimento da denúncia.

A investigação faz parte da Operação Greenfield, da Procuradoria da República no Distrito Federal, que apura prejuízos milionários aos fundos de pensão.

Landim e os demais eram gestores do Fundo de Investimento em Participações Brasil Petróleo 1, que captou recursos da Funcef (aposentados da Caixa), Petros (da Petrobras) e Previ (do Banco do Brasil). Na época dos fatos, entre 2011 e 2016, Landim atuou na empresa Mare Investimentos, que foi uma das responsáveis por gerir o FIP.

Cálculos efetuados pela Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar), órgão que fiscaliza os fundos de pensão, apontam que a Funcef investiu R$ 102 milhões no FIP Brasil Petróleo 1 e teve prejuízo de R$ 92 milhões; a Petros aportou também R$ 102 milhões e teve perda semelhante de R$ 92 milhões; a Previ investiu R$ 76 milhões e perdeu R$ 69 milhões.

Segundo a denúncia, o FIP Brasil Petróleo 1 realizou uma manobra ilegal para destinar esses recursos a uma empresa nos Estados Unidos, o que não é permitido pelo regulamento da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Landim, que integrava o comitê gestor do fundo, deu aval à manobra, segundo a acusação.

“A instrução normativa 391/2003 da Comissão de Valores Mobiliários é expressa ao vedar a aplicação de recursos de FIPS no exterior, ainda que de forma indireta”, diz a denúncia, apresentada pelo procurador Anselmo Lopes.

“Por todo o exposto, conclui-se que os acusados Luiz Rodolfo Landim Machado, Demian Fiocca, Nelson José Guitti Guimarães, Geoffrey David Cleaver e Gustavo Peixoto concorreram, conjuntamente, para a prática do crime previsto no art 4º, caput, da Lei 7.492/1986, ao atuarem ardilosamente para permitir o investimento em empresa estrangeira”, escreveu o procurador Anselmo Lopes, na denúncia enviada à 10ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal.

O crime prevê pena de reclusão de três a doze anos e multa. O MPF chegou a oferecer aos alvos a possibilidade de assinar um acordo de não persecução penal, por meio do qual seria possível confessar o crime e pagar uma multa para encerrar o processo, mas não recebeu resposta.

Procurada, a defesa de Landim afirmou que não teve conhecimento sobre a apresentação da denúncia. A assessoria de comunicação do Flamengo afirmou que o assunto “em nada diz respeito ao clube”.

O ex-presidente do BNDES também foi procurado, mas ainda não se manifestou.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

O GESTO E A PANCADA: Cristiano Ronaldo troca Coca-Cola por água, e empresa perde US$ 4 bilhões na Bolsa

Foto: Reprodução

Um gesto do jogador de futebol Cristiano Ronaldo durante uma coletiva de imprensa da Eurocopa, realizada ontem, fez as ações da Coca-Cola caírem abruptamente nesta terça-feira.

É que, ao se sentar para dar início à coletiva, o atacante afastou duas garrafas de Coca-Cola que estavam sobre a mesa. Em seguida, o craque ainda pegou uma garrafa de água e a exibiu com a mão, dando a entender que o ideal é beber água e não Coca-Cola.

O gesto, feito durante coletiva com jornalistas na véspera do jogo entre Portugal e Hungria, fez a marca sofrer uma desvalorização na bolsa de valores. Quando o mercado abriu nesta terça-feira, as ações da Coca-Cola custavam cerca de US$ 56,10 (R$ 284,43).

Pouco tempo depois, as ações caíram para 55.22 dólares (R$ 279,97), gerando um prejuízo bilionário para a marca americana patrocinadora da Eurocopa. Na prática, a Coca-Cola passou de um valor total de US$ 242 bilhões para US$ 238 bilhões, uma queda de US$ 4 bilhões.

A água exibida por CR7 também é produzida pela marca de refrigerantes. Mas isso não evitou a desvalorização de 1,6%.

Essa não é a primeira vez que o astro da seleção portuguesa alfineta a Coca-Cola. Quando o jogador recebeu o prêmio de melhor jogador do século pela pela Globe Soccer Awards, em dezembro, ele conversou com a imprensa sobre seu filho, Cristiano Junior, e deixou escapar que não gosta da bebida açucarada.

— Meu filho tem potencial. Vamos ver se ele se torna um grande jogador — comentou o atacante, que em seguida revelou sua maior dificuldade na educação do menino: — Às vezes ele bebe Coca-Cola e come batatas fritas, e isso me irrita. Ele sabe disso.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Como o ser humano se deixa levar por qualquer bobagem. Parece que ninguém é dono se si. Toma quem quer! Oh raça boba o tal do ser humano! Todos sabem o que é errado e o que é correto. Ninguém deveria ser influenciado por certas coisas.

    1. Isso é um papangu, coca é ótimo com uma burrinha então.. deliciaaa

    2. A Coca Cola deve ter pago milhões de dólares patrocinando a Euro, acho que o que lê fez foi uma cuspida no prato que come, pois se não são os patrocinadores a personalidade dele nem existiria. Tremendo babaca.
      Quanto a Coca Cola, todo ser humano sabe que ela é uma bebida sem nenhum nutriente benéfico pra saúde, mas existem tantas coisa que fazem mau também e por mais que se faça propaganda contra o povo consome, exemplo o cigarro.
      Acho que esse sujeito, quer chamar atenção da Coca Cola pra receber uns milhões de dólares ou euros pra fazer propaganda da marca.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Empresas do setor de eventos no RN têm prejuízo estimado de R$ 191 milhões

O Novo Notícias destaca que a sexta-feira 30 de abril foi marcada pelo Dia Nacional do Profissional de Eventos. Movimento provocado pelo Natal Convention Bureau com o objetivo de ocupar a mídia local, agendando vários profissionais de eventos para entrevistas e matérias jornalísticas, com o objetivo de sensibilizar as autoridades e a opinião pública acerca de milhares de pessoas absolutamente sem renda há um ano.

Na pauta, a situação crítica de um mercado que registrou prejuízo de R$ 270 bilhões com a pandemia do novo Coronavírus entre março e dezembro do ano passado no Brasil, onde perdas levaram ao desemprego de 3 milhões de pessoas. No Rio Grande do Norte, estima-se a alta cifra de R$ 191 milhões que deixaram de circular no último ano, com cálculos baseados nas pesquisas mais recentes.

O segmento, que tem um grande impacto na cadeia produtiva, já acumula 13 meses de uma crise sem precedentes e ainda com poucas possibilidades de soluções à vista. O próprio Ministério da Economia, na portaria 20.890, atesta que o Setor de Eventos foi o mais afetado na pandemia.

O mercado de eventos corporativos faz parte da cadeia econômica do Turismo através dos congressos, exposições comerciais e seminários, em razão de provocar fluxo de deslocamento entre cidades, estados e países, além da ocupação hoteleira. Por isso, atinge um número maior de naturezas de serviços, no caso, mais empresas que se nutrem dessa cadeia.

Outro dado interessante é que o ‘turista de evento’, comprovadamente deixa mais dinheiro na cidade-sede onde o evento acontece. Enquanto o turista que vem a lazer gasta cerca de R$ 322 por dia, o turista que vem para um evento gasta cerca de R$ 516,00, de acordo com os dados do Natal Convention Bureau.

O presidente Executivo do Natal Convention Bureau, George Gosson, destaca que a atividade de eventos abarca diversos tipos e formatos, e que, por exemplo, há eventos que são similares à dinâmica de um cinema, uma sala de aula, em ambientes controlados, que não oferecem o mesmo risco de um evento social ou um show, em que onde quase sempre há a bebida alcoólica e a inquietação do público como fatores complicadores do controle da programação.

Para Chirley Dantas, empresária proprietária da Crion Eventos, os eventos corporativos têm plena condição de serrem retomados, “porque seguimos protocolos, controlando efetivamente o número de pessoas e distanciamento social, dentre outras medidas de segurança que mantém esse tipo de evento, como uma extensão das corporações que nós atendemos como clientes”, explica.

Para ela, vários tipos de incentivos efetivos poderiam ser implementados, como a renegociação de possíveis dívidas, com interferência bancária, a paralisação temporária na cobrança de impostos, sem comprometer a emissão de certidões, e a isenção de taxas públicas, municipais e estaduais, por pelo menos 1 ano, para licenciamento e realização de eventos, como uso de espaço público, publicidade, estruturas, entre outras que se façam necessárias para a realização de um evento.

Com informações via Novo Notícias

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Turismo do RN sofre prejuízo de R$ 1,5 bilhão em um ano de pandemia

O turismo do Rio Grande do Norte sofreu um prejuízo de R$ 1,5 bilhão no período que compreende abril de 2020 e fevereiro deste ano. O dado foi revelado pela Câmara Empresarial do Turismo (CET), que é vinculada à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do RN (Fecomercio).

Para se ter uma ideia do que esse dado representa, entre abril de 2019 e fevereiro de 2020, houve uma arrecadação de R$ 2,5 bilhões. O montante apurado entre abril de 2020 e fevereiro deste ano foi de R$ 971 mil.

Para o coordenador da CET, George Costa, são números preocupantes e que mostram a situação real vivida pelo principal setor econômico do RN. “São informações reais e alarmantes”, comentou.

Outro número que mostra o impacto da pandemia no turismo potiguar é o gasto médio por dia do turista. Antes da pandemia, esse valor era de R$ 274,45. Agora, esse número é de R$ 216,41. “De uns tempos pra cá, a quantidade de cancelamentos cresceu e só aumentou o prejuízo acumulado”, disse Costa.

Para o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Rio Grande do Norte (SHRBS-RN), Habib Chalita, o turismo do estado como um todo tem sido muito atingido pela pandemia. “São prejuízos incalculáveis. Empresas fechando, funcionários demitidos, crise. É preciso que o poder público tenha iniciativa com aqueles que tanto contribuem para a economia”, afirmou.

Os representantes do setor têm buscado junto aos Poderes soluções para reerguer o turismo potiguar diante de um quadro tão grave e que já completa um ano sem qualquer solução concreta para o segmento. “É necessário algo urgente sob o risco de termos o principal potencial econômico do estado arruinado”, concluiu Chalita.

Opinião dos leitores

  1. Do jeito que estão os preços subindo, tipo cesta básica, gasolina, planos e saúde (quem paga) e o salário ficando defasado, não sei como ainda sobra dinheiro para turismo.

  2. O turismo do RN precisa de apoio, é a nossa maior indústria, toda a sociedade precisa olhar para este segmento gerador de empregos, renda e impostos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Heineken tem prejuízo de 204 milhões de euros em 2020

Foto: Divulgação / Heineken

A holandesa Heineken, segunda maior cervejaria do mundo, divulgou nesta quarta-feira, 10, que teve prejuízo líquido de 204 milhões de euros (US$ 247,3 milhões) em 2020, revertendo lucro de 2,17 bilhões de euros apurado em 2019, em meio aos efeitos da pandemia do novo coronavírus.

O lucro operacional ajustado – medida preferida da Heineken que desconsidera itens extraordinários – sofreu queda orgânica de 36% no ano passado, a 2,42 bilhões de euros, ficando um pouco abaixo do consenso de 2,45 bilhões de euros publicado no site da empresa. A receita líquida caiu para 19,72 bilhões de euros, ante 23,97 bilhões de euros em 2019.

Já o volume consolidado de cerveja sofreu um declínio orgânico anual de 8,1%, enquanto o da marca Heineken diminuiu 0,4%. Por volta das 6h30 (de Brasília), a ação da Heineken operava em baixa de 1,4% na Bolsa de Amsterdã.

Estado de Minas, com informações da Dow Jones Newswires

Opinião dos leitores

  1. Acredito que os motivos para o prejuízo vão além da pandemia… Os aumentos exagerados que a Heineken vem promovendo TB levaram a queda no consumo da cerveja… Os aumentos são inexplicáveis e bem acima do que as outras cervejarias vêm promovendo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

REFINARIA ABREU E LIMA: ‘Presente’ de Lula a Chávez deu prejuízo de US$ 14 bilhões à Petrobras, diz TCU

Hugo Chávez e Lula durante cerimônia de inauguração de uma refinaria de petróleo montada em acordo dos dois países no Recife Evaristo Sá/AFP/VEJA/VEJA

O TCU decidiu recentemente responsabilizar diretores da Petrobras pelo prejuízo de 14 bilhões de dólares na construção da refinaria Abreu e Lima.

O tribunal faz o que pode (no caso, pegar os bagrinhos ligados formalmente ao negócio), mas quem deveria pagar essa conta mesmo é Lula, que mandou construir o monstrengo para agradar a Hugo Chávez.

Radar – Veja

Opinião dos leitores

  1. Pois é, e hoje o desgoverno do genocida em conluio com o Paulo Jegues e o neoliberais vão doar para a "iniciativa privada " a refinaria.
    Quem são mesmo os bandidos dessa história?

  2. Falta responsabilizar os que autorizaram a compra da refinaria de Pasadena. Compraram um fusquinha 67 todo enferrujado pelo preço de uma Ferrari Testarossa (R$ 1,5 milhões).

  3. Essa alma mais honesta do mundo coleciona processos, dos quais se intitula como inocente, mas pelo contrário, o MP e demais órgãos judiciais, já conseguiram provar e repatriar valores altíssimos que foram destinados a outros países… Má gestão inclusive… E com todas estas provas, ainda tem gado proclamando a inocência dele… coitadooooo … e ainda não explicaram como o filho saiu de pastorador de elefante para alto empresário….

  4. Passagem de carroça de jegue, com destino a Cuba ou Venezuela, uma chibata de pimba de boi e muita peia em 05 vagabundos, Nove dedos, a Anta, Pixuleco, Boi Tungao e Manoel Mané Lusitano. O povo em vez de mandar esse vagabundo à cadeia, devia era comprar uma canga, botar esses cinco para rodar, como se fazia nos engenhos de cana, com burros.

  5. Cadê os defensores desses cafajestes? isso foi dinheiro que poderia diminuir o sofrimento e a miséria dos mais humildes. Os ditos progressistas não se manifestam?

  6. Em um País Sério,esse Ladrão Cachaceiro estaria em Prisão Perpétua,com a verba gasta nessa refinaria qtas pessoa morreram por falta de medicamento e hospitais no Brasil !!!

  7. Esse cachaceiro vivia dizendo que a refinaria era a PDVSA que ia bancar.
    Mentiroso, safado.
    Tem que voltar a prender esse bandido.

  8. Quem fez os investimentos foi a Petrobras, se tinha sobrepreço, o TCU e órgãos de controle não se manifestaram na época porque?
    Ladainha da P.
    Eu defendo o Presidente Lula.

    1. Com essa justificativa o ladrão mor já pode ser absolvido. Não vai precisar nem advogado. Muuuuuuuu

    2. Na época era aparelhado chifrudo.
      Hoje não.
      Lá dentro tem gente séria comprometida com o país.
      Entendeu???
      Em 2018 teve eleição presidencial, os ladrões do PT perderam.
      Não disseram isso a vc??
      Pois foi!!!
      O Brasil hoje é verde e amarelo.
      Essa é a diferença.

  9. Esse LADRÃO de alta periculosidade ainda esta solto, e tem muitos vagabundos que o defende, pra mim são piores do ele, alem do mais quem esta pagando essa conta somo nos brasileiros e esse verme impune, graças oa STF.

  10. Essa é a maior alma sebosa do planeta. O maior ladrão do mundo e ainda tem uma monte de jegues que ficam adorando esse vagabundo. Prisão perpétua para ele e seus comparsas.

    1. Concordo em número, grau e gênero.
      Ainda é muito idiota querendo fazer deste ladrão uma vítima. O famoso "vitimismo" da esquerda. Sempre foi assim, faz todas as merdas e depois quer se passar por vítima.
      Graças a Revolução Democrática de 1964 não caímos nas mãos desses comunistas safados… Viva as Forças Armadas.

    2. Esse ladrão tem o poder de encantar os asnos… somente um jumento acredita ou quer fazer acreditar nesse vagabundo.

    3. Pois é… Ladrão é Ladrão e Mané é Mané.
      E o STF sempre a favor desse ladrão.
      Viva a impunidade.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Prejuízo na Saúde do RJ com irregularidades pode chegar a R$ 1 bilhão

CGE detectou redução dos serviços oferecidos para a população após unidades de saúde começarem a ser geridas por OSs. — Foto: Reprodução

O Relatório de Auditoria 51/2019 da Controladoria Geral do Estado do Rio de Janeiro apontou 45 irregularidades encontradas na Secretaria de Estado de Saúde (SES). O prejuízo aos cofres públicos, segundo o documento, pode chegar a R$ 1,016 bilhão. Veja a lista no fim do texto.

O documento, elaborado entre 17 de fevereiro e 7 de agosto do ano passado, foi feito a pedido do então secretário de Saúde na época – Edmar Santos – e tinha como principal alvo de investigação a gestão das chamadas Organizações Sociais (OSs).

No levantamento, os auditores constataram que, entre 2012 e 2019, a passagem da gestão de unidades de saúde para as OSSs resultou na diminuição dos serviços prestados à população.

Nas palavras dos próprios auditores: “A extensão dos exames se enquadrou desde o início da publicização do serviço público de saúde até os dias atuais (2012 a 2019) e observou-se que a transferência da gestão das unidades de saúde resultou na redução do volume assistencial do serviço público de saúde ofertado, quando comparado ao anteriormente praticado pela SES, juntamente com o aumento dos valores envolvidos na operacionalização das unidades”.

Além disso, o estudo encontrou fragilidades e inconsistências no que se refere aos trabalhos de fiscalização do repasse de verbas públicas e efetivo trabalho feito por essas organizações.

De acordo com o texto do relatório, o setor de fiscalização também funciona de forma precária.

Segundo o relatório, apesar da relevância dos valores empregados com a contratação das OSSs representar 56% do orçamento da SES apenas entre janeiro e julho, os técnicos constataram graves problemas no que se refere à fiscalização e inexistência de sistemas informatizados que prestem auxílio no âmbito da prestação de contas e do controle dos gastos, além de falta de critérios de fiscalização.

Entre os pontos ressaltados pelo relatório, os auditores também apontam irregularidades como:

Falta de acompanhamento para o cumprimento da proposta econômica contratada;

Servidores com carga horária inferior a 40 horas semanais;

Inércia quanto à imputação de glosas (notas explicativas), descontos de produtividade e eventuais infrações pelo descumprimento de cláusulas contratuais ou legais;

Registro de dívidas em desconformidade aos mandamentos legais e contratuais;

Canal de Transparência deficiente;

Ouvidorias que não concluem as demandas nos prazos legais.

A avaliação feita pelos auditores da CGE detectou a presença de servidores que não cumprem a carga horária semanal de 40 horas:

Na Secretaria de Saúde há funcionários que não cumprem as 40 horas de trabalho semanal. — Foto: Reprodução

Outro problema é, nos termos do relatório da CGE, a inércia da Secretaria de Saúde no que se refere às infrações cometidas pelo descumprimento de cláusulas contratuais ou legais:

O estudo aponta que a secretaria se mostra inerte quanto ao descumprimento de cláusulas contratuais. — Foto: Reprodução

Os auditores concluem o relatório fazendo recomendações e mencionando o prejuízo que as irregularidades encontradas na SES podem causar ao Estado do Rio:

“Por todo exposto, são necessárias ações propositivas da Administração, em observância às Recomendações emitidas, no sentido de estruturar formalmente os fluxos e as rotinas a serem adotadas, que possibilitem a produção de informações tempestivas a serem utilizadas pela gestão oportunamente, evitando o acúmulo de irregularidades e o recorrente dano ao erário, que no âmbito do presente trabalho pode alcançar a marca de R$ 1,016 bilhões”.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) afirmou que tem tomado diversas medidas com o objetivo de adequar procedimentos administrativos e financeiros, conforme orientações de órgãos de controle.

As 45 irregularidades encontradas no relatório da CGE:

(mais…)

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Contrato do governo do RN com Arena das Dunas: prejuízo de R$ 421 milhões, aponta auditoria

Foto: Reprodução/site/Arena das Dunas

A auditoria realizada pela Controladoria Geral (Control), divulgada nesta segunda-feira (11), alerta que o Rio Grande do Norte poderá ter um prejuízo de até R$ 421.121.838,69 no fim da concessão pública da Arena das Dunas, erguida para a Copa do Mundo de 2014. O valor total diz respeito a recursos que podem ser “recuperados” e outros que podem ser economizados até o final dos 20 anos de vigência do contrato. Os prejuízos atuais já estariam em cerca de R$ 110 milhões. A Controladoria recomendou que o governo suspenda os pagamentos fixos mensais – de cerca de R$ 8,5 milhões – até que a diferença seja equalizada e que, ao retomá-los, o Estado reduza os valores pagos mensalmente. A empresa responsável pela Arena ainda teria deixado de repassar R$ 16 milhões de lucros em eventos.

O valor do prejuízo estimado é quase o mesmo do valor que foi gasto na obra. Na entrega da obra, o governo anunciava que a Arena tinha sido construída ao custo de R$ 423 milhões. “Tudo isso pode ser recuperado. Como o contrato ainda tem mais de 10 anos pela frente, é possível fazer isso. Seria bem mais difícil se a empresa já tivesse recebido todo o valor”, considerou o controlador geral do estado, Pedro Lopes.

Com acréscimo de informações do G1-RN

Opinião dos leitores

  1. Na época da tomada da decisão para demolir o velho Machadao, o único político contra a sandice foi o deputado José Adecio, os demais foram solidários ao governo Wilma de Faria, que foi executora inicial do projeto que foi concluído pelo governo Rosalba, os acontecimentos de lá até aqui todos sabem do que tem vindo a tona.

  2. Está auditoria descobriu o óbvio, pois todos já sabiam só não tenha acesso aos documentos para comprovar.
    Desde da festinha de R$ 1.100.000,00, só para lançar e apresentar o projeto, o descalabro só aumentou!

  3. O projeto MEGALOMANÍACO da época contemplava toda a demolição do CENTRO ADMINISTRATIVO DO ESTADO, inclusive demoliram a creche KATIA GARCIA e nunca mais fizeram outra para substituí-la… Os responsáveis continuam calados…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo do Estado cancela licitação para evitar prejuízo de até R$ 60 milhões

A Controladoria Geral do Estado detectou irregularidades na licitação realizada para contratação de empresa responsável pelo preparo, fornecimento e transporte de refeições ao abastecimento das penitenciárias do Rio Grande do Norte. O prejuízo poderia chegar a R$ 12 milhões ao ano ou R$ 60 milhões nos cinco anos, que é o tempo geralmente de vigência de contrato com empresa vencedora do certame. A requisição da auditoria veio da secretária de Administração do Estado, Virgínia Ferreira.

A ação foi conjunta com a Polícia Civil do RN, nos termos de cooperação na atividade de combate à corrupção. A auditoria constatou restrições à ampla e efetiva concorrência no pregão eletrônico (nº 018/2019) realizado pela Secretaria de Administração (SEAD) para atender demanda da Secretaria da Administração Penitenciária (SEAP). Dessa forma, a Control recomendou à Sead a anulação do processo licitatório, já acatado pela secretária Virgínia Ferreira.

Segundo o controlador-geral do Estado, Pedro Lopes, um novo Termo de Referência será construído, desta vez com o acompanhamento de uma equipe de fiscalização formada pela Controladoria, Polícia Civil, Gabinete Civil e Procuradoria Geral do Estado. A Polícia Civil do RN, por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Patrimônio Público e do Combate à Corrupção (DECCOR) abriu inquérito para apurar se houve improbidades pelos operadores do certame licitatório.

“Sobretudo a cláusula que exige à empresa vencedora uma estrutura pronta e com alvará expedido para atender demandas dos municípios potiguares precisa ser revista. Uma empresa de Natal, por exemplo, não pode fornecer o produto para uma penitenciária em Parnamirim. Essa estrutura precisa estar pronta após a conclusão da licitação, mas não como exigência antecipada”, informou Pedro Lopes.

Esta cláusula é a responsável pela desclassificação de empresas com valores mais baixos. A de menor valor apresentou lote por R$ 30 milhões, quando a vencedora ofereceu outro de quase R$ 42 milhões. E de acordo com outras cláusulas de exigência, essa empresa vencedora seria dada como inapta e a segunda colocada – a atual fornecedora do produto no Estado –, com proposta de R$ 46 milhões, seria vencedora. Uma diferença de R$ 16 milhões sob a menor proposta.

Pedro Lopes ressalta que esta vinha sendo uma prática comum na administração pública, mas combatida nesta nova gestão. “A política deste Governo preza pela legalidade dos seus atos. Então, o novo Termo de Referência para essa licitação será refeito sem cláusulas de restrição à competitividade e em obediência à legalidade, à impessoalidade e ao julgamento objetivo”, concluiu o Controlador-Geral.

Opinião dos leitores

  1. Bom dia
    Uma licitação de um porte dessa deveria ter solicitado uma planilha detalhada dos custo verdadeiros comprovando por nota fiscal de compra
    Esse contrato tem uma logística muito grande peça a planilha e mande os contadores da control analisar
    Verifica empresa que participou só pra baixar

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Comerciantes na Afonso Pena questionam limpeza de bueiros em Natal e relatam alagamento fora de controle e prejuízos

Fotos: Cedidas 

O Blog entrou em contato com três empresários que possuem estabelecimentos na Avenida Afonso Pena, na Zona Leste de Natal, para que descrevessem os prejuízos com o alagamento na via após as chuvas nas últimas horas na capital. Em resumo, disseram que estão acostumados. Contudo, destacam, conforme imagens, e a própria Prefeitura poderá constatar, que não está sendo feito uma manutenção adequada nos bueiros. Relatam que o a água subiu de forma avassaladora, na altura de interruptores, inclusive, causando até mesmo curto-circuitos.

Vejam mais: VÍDEO: Chuvas em Natal, mais uma vez, deixam a Avenida Afonso Pena “Ilhada”

Opinião dos leitores

  1. Dificil é defender a população nessa. Realmente o cidadão é muito porco. É comum o pedestre, ou ocupantes de veículos jogarem lixo na rua. Será que dentro de suas casas, fazem o mesmo?

  2. A própria população é culpada por jogar o lixa na rua, os órgãos fazem a parte deles e agente o nosso! Existe muita gente mal educada por ai que reclama sem ter razão. Por isso que esse Brasil nunca vai pra frente.

  3. Ora o Prefeito leva o tempo em fazer festas com bandas caras fazendo politicagem.

  4. Se o lixo chegou, por exemplo, numa boca de lobo, alguém o fez chegar. A população tem boa parte desta culpa. O lixo só está no meio da rua porque alguém ali o coloca. Infelizmente temos que reconhecer que somos uma sociedade mal educada.

    1. O governo Fátima através da caern tá sabotando o prefeito. Não limpando para desobstruir os canais e bueiros da cidade, principalmente os de ponta negra. É um absurdo

  5. O pior é a afonso pena com a mossoro, o iptu mais cara da cidade , basta uma chuvinha que alaga tudo, todo comercio local no prejuizo , imoveis devalorizados vai virar uma Ribeira da vida.

  6. Pior prefeitura da história de Natal. É ruim mesmo. Incompetentes é preguiçosos. Para dizer o mínimo. Natal nunca esteve tão ruim e feia.

    1. Nessas horas o povo só culpa à prefeitura ou governo do estado, a culpa maior é da população mal educada que joga todo tipo de lixo nas ruas da cidade, infelizmente nossa educação e nossa cultura faz com que coisas assim aconteçam, o poder público tem culpa sim, mais os maiores culpados são a população.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Criança de 3 anos arranha 10 Audis à venda e rende prejuízo de R$ 40 mil

Foto: Divulgação

A filha de um casal chinês acabou dando um belo prejuízo para uma concessionária da Audi após uma visita. Segundo o canal australiano 7News, a menina aproveitou a desatenção de seus pais, encontrou uma pedra e fez desenhos em nada menos que dez carros diferentes em exposição.

Entre as vítimas da pequena artista estiveram veículos como os SUVs Q3 e Q8. Para se ter uma ideia, o Q8 pode custar mais de R$ 500 mil no Brasil.

A concessionária acabou por processar o pai da criança. Grande prejudicado, o estabelecimento teve que repintar os carros e coloca-los novamente à venda como seminovos, já que este trabalho de retificação descaracteriza o modelo como sendo novo, de acordo com o comerciante.

Assim, mesmo com a pintura pouco danificada, todos os carros serão vendidos com valor abaixo do que deveriam apesar de serem novos.

A concessionária pediu 200 mil renmimbis (moeda chinesa), cerca de R$ 116 mil, para cobrir os prejuízos. Entretanto, depois de conversas, um acordo foi firmado em “apenas” 70 mil renmimbis, aproximadamente R$ 40 mil.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.

UOL

 

Opinião dos leitores

  1. Se eu fosse responsável pelo Marketing da Áudio já estaria pensando em um comercial explorando essa travessura da criança
    Kkkkk

    1. Perfeito. Renderia uma grana e ficaria massa agora no fim do ano.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Petrobras tem prejuízo de R$ 34,83 bilhões em 2015

petrobrasA Petrobras registrou prejuízo de R$ 34,836 bilhões em 2015. Em 2014, as perdas somaram R$ 21,587 bilhões. Os resultados financeiros foram anunciados, há pouco, pelo presidente da estatal, Aldemir Bendine.

Apenas no quarto trimestre de 2015, o prejuízo da empresa foi de R$ 36,938 bilhões. No terceiro trimestre, as perdas somaram R$ 3,8 bilhões. No primeiro e no segundo trimestres, houve lucro, respectivamente, de R$ 5,3 bilhões e de R$ 500 milhões, o que levou a um saldo de R$ 2 bilhões no ano. O prejuízo do último trimestre, no entanto, anulou o resultado positivo que vinha sendo registrado ao longo do ano.

Entre as causas do prejuízo, a empresa cita “o impairment (ajuste) de ativos e de investimentos, principalmente em função do declínio dos preços do petróleo e incremento nas taxas de desconto, reflexo do aumento do risco Brasil pela perda do grau de investimento (R$ 49,748 bilhões) e despesas de juros e perda cambial (R$ 32,908 bilhões)”.

O prejuízo operacional ficou em R$ 12,4 bilhões, o que significa queda de 42%, se comparado com o ano anterior.

Os investimentos somaram R$ 76,3 bilhões, representando redução de 12% em relação a 2014.

De acordo com a Petrobras, a queda do barril de petróleo tipo Brent provocou impacto negativo no resultado da empresa, que apontou ainda a desvalorização cambial como influência negativa.

O presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, disse que, apesar de um resultado contábil negativo, a empresa teve um resultado gerencial positivo. Segundo Bendine, depois de oito anos, a companhia apresentou geração de fluxo de caixa positivo e as despesas administrativas recuaram significativamente. “Mesmo em ano tão difícil, como foi 2015, com a valorização do dólar frente ao real, tivemos um recuo forte na nossa dívida líquida e uma disciplina muito forte, não só de capital, mas em uma busca de eficiência muito grande.”

Opinião dos leitores

  1. Mesmo com este prejuízo, ainda vai ser pago a PL (participação nos lucros) aos funcionários ??? Que lucros????

  2. Isso já era esperado, com uma politica sebosa e degradante como a exercida no Brasil. Simplesmente sinônimo de incompetência.

  3. Obrigado a todos os políticos que de alguma maneira contribuíram com a situação não só da Petobras mas do Brasil também com a sua conivência sabendo do que ocorria se calaram.
    À política hoje é sinônimo de desonestidade.
    Muita paz

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Latam Airlines tem prejuízo de US$ 219,2 milhões em 2015

latam_not1042A Latam Airlines, maior grupo de transporte aéreo da América Latina, divulgou nesta terça-feira (8) prejuízo de US$ 219,2 milhões em 2015, afetada pela retração econômica no Brasil, o que reduziu seu plano de aquisição de aviões nos próximos três anos.

O resultado anual do conglomerado, que inclui as operações da chilena LAN e da brasileira TAM, ocorreu após prejuízo de US$ 16 milhões entre outubro e dezembro.

A média das estimativas obtidas pela Reuters apontava lucro de US$ 27,6 milhões no trimestre.

Em meio ao cenário econômico negativo, a companhia anunciou que reduziu em US$ 2,9 bilhões seu compromisso de frota de aviões para o período 2016-2018 e buscará oportunidades para ajustar ainda mais seus investimentos.
Com matriz em Santiago, a Latam Airlines tem unidades de operação na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru.

Fonte: G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Chuva afeta atendimento em unidade de saúde de Natal

A Unidade de Saúde da Família de Planície das Mangueiras, em Nossa Senhora da Apresentação,  amanheceu com alagamentos e teve duas salas interditadas, por conta do efeito da forte chuva desta noite, em Natal. A sala de preparo, onde é feito o primeiro atendimento aos pacientes, teve que ser fechada. Por conta disso, pacientes estão sendo atendidos no corredor da unidade.
ImageProxy.mvc
A sala da farmácia (foto) também foi fechada. Servidores moviam as caixas com medicamentos, protegendo das goteiras. Não há informações se a chuva chegou a estragar parte dos medicamentos.

Além de prejudicar o atendimento, a chuva agravou a situação de mofo, que pode ser encontrado em várias salas, inclusive na sala de vacina, na odontologia e na de curativo.

CALAMIDADE – No final de novembro, o Ministério Público do Rio Grande do Norte divulgou relatórios de visitas em 49 unidades de saúde de Natal. Além de verificar o atendimento materno-infantil, também foram apuradas as condições físicas das unidades. Na Zona Norte de Natal, 90% das 18 unidades visitadas apresentavam mofo e infiltração.­­

A unidade de Planície das Mangueiras não foi visitada, mas apresenta os mesmos problemas. “Também está faltando gaze e atadura, material esterilizado. Falta até papel higiênico. Os servidores é que estão comprando. O caso só mostra que a calamidade continua na saúde de Natal”, afirma Célia Maria Dantas, diretora do Sindsaúde, que visitou a unidade na manhã desta quinta (30).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Prejuízo das empresas de Eike Batista passa de R$ 1 bilhão pela 1ª vez

O prejuízo das empresas do bilionário Eike Batista com ações na Bolsa aumentou mais de seis vezes no 1º trimestre do ano, na comparação com o mesmo período do ano passado.

Segundo levantamento da consultoria Economatica, as seis empresas do grupo EBX (OGX, MMX, MPX, OSX, LLX e CCX) perderam juntas R$ 1,154 bilhão de janeiro a março, contra R$ 180,6 milhões em 2012 (alta de 539%).

Pela primeira vez, desde 2006, quando as empresas do grupo EBX começaram a negociar ações na Bolsa, o prejuízo acumulado ultrapassou a marca de R$ 1 bilhão em um único trimestre.

A petrolífera OGX, maior empresa do grupo, teve o pior prejuízo em 2013. Com alta de mais de 500% em um ano, as perdas da empresa chegaram a R$ 798,8 milhões (contra R$ 132,4 mi, em 2012). O prejuízo é decorrente de despesas bilionárias com poços secos, ou seja, nos quias não foram encontrados petróleo ou gás.

Mais rico do mundo

Em maio de 2011, com uma fortuna estimada em US$ 30 bilhões, o brasileiro disse que se tornaria o mais rico do mundo até 2015 -mas o sonho tem ficado cada vez mais distante. De lá para cá, suas empresas deixaram de cumprir cronogramas e de atingir metas, as ações das empresas do grupo EBX vêm perdendo valor na Bolsa e, consequentemente, a fortuna de Eike vem encolhendo.

Do UOL Notícias

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Greve de fiscais federais causa prejuízo diário de R$ 15 mil a exportadora de atum do RN

Andrielle Mendes, da Tribuna do Norte

A greve dos fiscais agropecuários federais, deflagrada em todo o país na última segunda-feira, já causa prejuízos no Rio Grande do Norte. Os agentes – ligados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – suspenderam por tempo indeterminado inspeções, registro e certificação de produtos, afetando a importação e exportação de produtos de origem vegetal e animal. No Porto de Natal, um carregamento de 300 toneladas de atum foi retido. A carga, avaliada em US$ 2 milhões (o equivalente a R$4,05 milhões, considerando o dólar comercial a R$ 2,0280), seguiria já nesta quarta-feira para o destino final.

Cerca de 250 toneladas seguiriam para o Japão, principal consumidor, e o restante seria comercializado dentro do Brasil, como explica Gabriel Calzavara, presidente da Atlântico Tuna e responsável pelo carregamento, um dos maiores da empresa.

A empresa teve que alugar conteinners especiais para acondicionar o pescado resfriado a menos de 60 graus e também terá que pagar pela permanência da carga no porto. Gabriel estima que o prejuízo fique em torno de US$ 15 mil por dia (equivalente a R$ 30,4 mil por dia). “O problema é que a gente não sabe quando a greve vai terminar”, observa.

O pescado será transferido da embarcação pesqueira para conteinners especiais hoje pela manhã. Ainda não há previsão para liberação da carga, segundo Gabriel. A demora não afeta a qualidade do produto, mas provoca a quebra de contratos. “O pescado, que será acondicionado na câmara fria, pode esperar. O mercado  não”, diz ele, que passou a tarde inteira negociando a liberação da embarcação e ligando para os clientes. Dois novos desembarques da empresa, que captura atum no oceano Atlântico em parceria com a japonesa Japan Tuna, estão previstos para setembro.

De acordo com Januspablo Fonseca de Macêdo, delegado sindical do Sindicato dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) no Rio Grande do Norte, apenas cargas perecíveis e animais vivos – como frutas, principais itens da pauta de exportação – serão despachados. O restante ficará retido até segunda ordem. Só os serviços considerados essenciais serão mantidos.

Antes de ser informado do incidente, o presidente da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), responsável pelo porto, Pedro Terceiro de Melo, que estava em viagem, chegou a dizer que a greve dos fiscais agropecuários federais não afetaria a operação do porto. “Não afetou ainda e acredito que não vai afetar”, disse minutos antes de ser informado.

Reivindicações

Em todo o país, os fiscais reivindicam melhores condições de trabalho, reestruturação da carreira e contratação de profissionais mediante concurso público. No Brasil, são 3,2 mil profissionais. No RN, são 33 médicos-veterinários, engenheiros agrônomos, farmacêuticos, químicos e zootecnistas – 12 deles com idade suficiente para se aposentar. Segundo Januspablo, seriam necessários, pelo menos, 60, para atuar no porto, aeroporto, frigoríficos e indústrias de alimentos e bebidas.

Trinta e um fiscais aderiram à greve no Estado. “Trabalhamos sobrecarregados. Estamos no limite”, afirma o delegado sindical. A categoria, explica Januspablo, está em negociação com o governo federal desde janeiro de 2010. “O governo, no entanto, cancelou a última reunião, e nós decidimos iniciar o movimento”.

Em nota, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento afirmou que está disposto a dialogar desde que os serviços essenciais sejam mantidos. “O Mapa está monitorando dia a dia, por meio de relatórios das superintendências, o andamento das atividades”, afirma a nota.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *