Homem é suspeito de vender carro de mulher que conheceu em Natal através de aplicativo de relacionamentos e fugir com dinheiro

O portal G1-RN destaca nesta terça-feira(23). Uma mulher de 29 anos e um casal que estava comprando seu carro encerraram a segunda-feira (22) na Delegacia de Plantão da Polícia Civil, na Zona Sul de Natal. De acordo com a denúncia, eles caíram em um golpe realizado por um homem que conheceu a dona do veículo no último sábado (20) na capital potiguar, através de um aplicativo de relacionamentos.

A reportagem diz que segundo o relato feito à polícia, a dona do veículo conheceu e marcou um encontro com o suspeito, através do aplicativo Tinder, no último sábado (20). O encontro foi marcado no hotel em que ele estava hospedado, no bairro Ponta Negra, Zona Sul da capital. Ainda segundo a reportagem, ao longo do fim de semana, o homem convenceu a mulher a vender o seu carro usado e se propôs a ajudar na venda. Com a anuência da vítima, ele anunciou o veículo modelo Corsa Sedan em uma loja virtual, ao preço de R$ 13 mil. Um casal apareceu interessado na compra, nesta segunda-feira (22). O desfecho, após uma negociação confusa, resultou no sumiço do homem.

Veja reportagem aqui

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bosco disse:

    Ahh meu Deus! Pra cada trouxa, há dois sabidos.

  2. Bosco disse:

    Meu Deus! Pra cada trouxa, há dois sabidos.

FOTOS: Vaquinha para homem que ajudou idosa de 86 anos com “ponte” durante temporal no RJ arrecada quase R$ 100 mil; guardador desmente comentários maldosos e diz que senhora agradeceu gentileza e ainda deu ajuda em dinheiro

Fotos: Marcos Serra Lima/G1

A vaquinha online feita para ajudar Varlei Rocha Alves, guardador de carros que ajudou uma senhora atravessar a enchente, já ultrapassou o dobro da meta em menos de 24 horas. A campanha tinha como objetivo arrecadar R$ 40 mil para ajudar Capoeira, como é conhecido, a comprar uma casa e auxiliar nos estudos do filho, Darlei, de 10 anos.

Com o dinheiro arrecadado, além do objetivo de ter a própria casa, Capoeira sonha em aprender a ler e escrever e dar uma festa para o filho, que fez aniversário em fevereiro. Até o momento, mais de 1.600 pessoas fizeram doações e a arrecadação online está perto de chegar aos R$ 100 mil.

O gesto de solidariedade do guardador de carros, que se espalhou nas redes sociais, chamou atenção para a história de Capoeira. Morador da Pavuna, na Zona Norte do Rio de Janeiro, ele trabalha como guardador de carros na Rua Viveiros de Castro há 20 anos. No dia do temporal, Capoeira dormiu na chuva, assim como em outros dias em que não tem o dinheiro de voltar para casa.

Após a polêmica criada pelo vídeo, onde internautas criticaram a senhora ajudada por Capoeira no vídeo por não ter agradecido, Anúzia Corrêa, de 86 anos, retornou ao local para agradecer falar com o guardador . O ambulante contou que recebeu R$ 4 da moradora para ajudá-la a passar pela rua sem molhar os pés.

IDOSA AGRADECEU, SIM

O guardador reencontrou a idosa na tarde dessa quarta-feira (10) e saiu em defesa dela, ressaltando que, embora não apareça no vídeo, ela agradeceu, sim, o gesto e também deu uma “caixinha” (uma contribuição em dinheiro).

“Ele foi muito gentil. É difícil encontrar pessoas assim.”

Idosa, inclusive, ainda reencontrou com o homem no dia seguinte e voltou a agradecer.

Sobre a ponte

“Tava chovendo bastante. Muitas pessoas estavam precisando de ajuda. Como eram muitas pessoas, a minha ideia foi criar uma ‘ponte criativa’ pra qualquer um passar, pra ajudar qualquer um, homem, mulher, criança”, explicou Capoeira.

Com informações do G1 e O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruno disse:

    Lula livre

  2. RCMelo disse:

    EM UM PAÍS DE DESONESTO , ESSE HOMEM DEVERIA GANHAR 200 MIL.
    ELE ESTÁ DE PARABÉNS!!!

Após ereção de dois dias, homem tem parte do pênis amputado

(FOTO: PIXABAY/HOLGERSFOTOGRAFIE/CREATIVE COMMONS)

Um homem de 52 anos chegou em um centro médico em Delhi, na Índia, afirmando que estava com o pênis ereto e dolorido por 48 horas. Imediatamente, os médicos usaram um bisturi para criar um orifício de escape para que o sangue preso no órgão pudesse ser liberado. Desta maneira, o inchaço diminuiu.

Em seguida, o paciente ficou com um cateter e curativo. Os efeitos colaterais mais prováveis ​​deste procedimento são inchaço e hematomas, ou uma ereção semi-rígida que pode durar dias. Infelizmente, neste caso, no dia seguinte a cabeça de seu pênis começou a ficar com a coloração preta.

O homem foi transferido para o Departamento de Urologia da King George’s Medical University, onde foi examinado e tratado. Primeiro, os médicos removeram o cateter e realizaram uma cistostomia suprapúbica (inserindo cirurgicamente um cateter no abdome para drenar a bexiga) a fim de reduzir o risco de infecções.

Contudo, a gangrena – quando a perda de sangue faz o tecido morrer – continuou a se espalhar. “A cor preta do pênis se aprofundou no dia seguinte”, escreveu Saqib Mehdi no relatório do caso, publicado no BMJ Case Reports. “E uma linha clara de demarcação tornou-se visível entre a cabeça e o eixo do pênis.”

A equipe médica decidiu que, para interromper a gangrena, teria que realizar uma glansectomia (amputação).

Não se sabe o que causou o priapismo – ereção prolongada e muitas vezes dolorosa –, embora os médicos sugiram que o primeiro tratamento do paciente possa ter sido causador da gangrena. “Cateter uretral, curativo de pressão apertada e infecção local, isoladamente ou em combinação, podem causar gangrena peniana em casos de priapismo”, escreveram os especialistas. “Neste caso, o paciente foi cateterizado e um curativo compressivo foi aplicado em torno de seu pênis.”

Após a operação, o homem se recuperou rapidamente e recebeu alta do hospital em 48 horas. Três semanas depois, ele já estava bem.

O relatório do caso contém uma fotografia do pênis com gangrena – para ver, basta acessar este link do BMJ Case Reports. A imagem é forte.

Galileu

 

Homem indenizará mulher que conheceu no Tinder por estelionato sentimental

Foto: Ilustrativa

Um homem que se aproveitou de uma mulher apaixonada, que conheceu no Tinder, para tomar seu dinheiro, foi condenado a indenizá-la por danos morais e materiais que juntos somam mais de R$ 40 mil. A decisão é do juiz de Direito Gustavo Dall’olio, da 8ª vara Cível de São Bernardo do Campo/SP.

A mulher contou na ação que conheceu o réu, com quem teve relacionamento, por meio do aplicativo. Aproveitando-se de sua fragilidade emocional, ele solicitava quantias e alegava que somente firmaria compromisso sério, perante amigos e familiares, quando conseguisse emprego.

A autora, apaixonada, passou a ajudá-lo, cedendo a pedidos de empréstimos para saldar dívidas, pagar passagens aéreas, compra de ferramentas, celulares, e até o custeio de velório da avó.

Ao apresentar contestação, o homem alegou que não pediu empréstimos e que “se é verdade que em algum momento ele pediu dinheiro a ela, deveria a autora ter negado imediatamente e ter promovido um diálogo para deixar bem claro que o propulsor do relacionamento seria o amor e não o dinheiro”.

Ao analisar a demanda, o magistrado observou que houve manipulação do sentimento da autora quando disparou diversos entraves financeiros para o relacionamento. Assim, somente superadas as “dificuldades financeiras”, o relacionamento alcançaria o patamar esperado.

O juiz ainda destacou parte relevante da fraude: o “cuidado” do homem em dizer que seria melhor ela seguir sua vida, se afastar dele, em vez de ficar com alguém com tantos problemas.

“A receita me propôs pagar 4 mil até o dia 20 de junho ou dar 350 no dia 1 e mais 36 de 190 ou eu aceito algumas das formas ou posso ir preso ou CPF bloqueado. E vc quer que eu tenha cabeça de assumir Re. Pro seu bem eu acho melhor vc se afastar de mim pq eu só tenho problemas.”

Em um dos pedidos de compra de passagem aérea, o réu atuou de modo mais incisivo:

“Compra essa passagem que eu vou te assumir. Pro domingo. Compra hj e vc vai vê como vou te assumir.”

Para o magistrado, trata-se do chamado “estelionato sentimental”. “Abusando da boa-fé da autora, que no réu acreditou, tomou dela muito dinheiro, tudo a pretexto de situações de necessidade que não existiam. Foram criadas; engodo, puro e simples.”

Como não há controvérsia sobre os valores desembolsados pela autora, eles foram acolhidos pelo juiz, que fixou indenização por danos materiais no importe de R$ 15.861,97. Ele também acolheu o pedido de reparação por dano moral, porquanto o autor “causou lesão à honra e sentimento da autora”. A indenização foi fixada em R$ 25 mil.

A banca Ayme Oliveira & Thaís Sousa Consultoria & Advocacia representou a autora na causa.

O número do processo não será divulgado em razão de segredo judicial.

Migalhas

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junin disse:

    Que presepada é essa ??? A justiça é pra isso???

Homem é preso com chupa-cabra, cartões de crédito e R$ 9 mil dentro de banco na Av. Engenheiro Roberto Freire

A Polícia Militar prendeu um homem na madrugada desta quarta-feira (03) com um chupa-cabra, equipamento utilizado para clonagem de cartões de crédito e captura de senhas, instalado em um terminal eletrônico na agência da Caixa Econômica Federal que fica na Avenida Engenheiro Roberto Freire, no bairro de Ponta Negra, na Zona Sul de Natal.

Segundo a PM, com o acusado foram apreendidos vários cartões de crédito, documentos e ainda R$ 9 mil. Ainda segundo os policiais militares, outros dois homens também participavam da ação criminosa no banco, mas conseguiram fugir assim que a guarnição chegou ao local.

O preso e o material apreendido foram encaminhados para a Polícia Federal.

Homem invade batalhão do Exército em Natal durante a madrugada, rende militar e rouba fuzil

O portal G1-RN destaca nesta segunda-feira(01) que um homem invadiu o 7º Batalhão de Engenharia e Combate do Exército Brasileiro, no bairro de Nova Descoberta, na Zona Sul de Natal, rendeu um militar que estava de guarda em uma guarita e roubou um fuzil calibre 7.62.

Segundo a Polícia Militar, o crime aconteceu na madrugada desta segunda-feira (1º). Buscas estão sendo feitas na tentativa de recuperar a arma e prender o criminoso.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Papudim disse:

    Se foi fácil assim roubar um fuzil, podem esperar que o bonde do crime vai voltar lá e roubar o paiol de armas todo…. podem esperar …

  2. Maricelio disse:

    Esse é um dos motivos que o serviço militar não pode ser obrigatório

  3. WASHINGTON disse:

    NO MINIMO TAVA DORMINDO.

  4. Potiguar disse:

    Se o militar estivesse armado…ops foi mal.

  5. LULADRÃO disse:

    Esse tirou na mega sena acumulada. Vai se arrepender desde o dia que nasceu. Vamos ajudar a encontrar. Quem souber alguma informação liga o quanto antes.

  6. Sem noção disse:

    Fui militar por anos ….podem investigar que com certeza tem militar envolvidos

  7. disse:

    OXENTE!!
    Mas la tem armas… e armas não trazem segurança?????

    • Fabio disse:

      Só traz segurança se você puder atirar. Óbvio né?

    • Rafael disse:

      Uma pessoa que se auto declara Ze querendo ser coerente.

    • papamike disse:

      Posso te garantir que sim! muito mais que teus livros de marx, gramsci..etc.

    • Saler disse:

      Traz sim, posto que é muito raro acontecer um troço desse. A bandidagem pensa duas em roubar um quartel.

Recapturado em ação do MPRN, homem que matou publicitária em Natal é condenado

Em ação penal ajuizada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), a Justiça potiguar sentenciou o pedreiro Gilson Pegado a 21 anos e seis meses de prisão em regime fechado. Ele foi condenado pela morte de uma publicitária em Natal, após tentar roubá-la, tendo o crime ocorrido em 1997. O réu estava foragido e foi preso no Rio de Janeiro em outubro de 2018. Desde então, aguardava esse julgamento.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do MPRN, passou a diligenciar o paradeiro de Gilson Pegado da Silva, atendendo a pedido da 75.ª Promotoria de Justiça de Natal. Quando Gilson Pegado foi preso pela Polícia Civil do RJ, ele usava documentos falsos e só foi identificado após um reconhecimento facial feito pela Polícia Civil de Goiás, por meio de avançadas técnicas de identificação humana por comparação de imagens, realizado pela Seção de Inovação em Identificação Humana (SIIH), que é referência no Brasil na matéria.

No dia 23 de setembro de 1997, Gilson Pegado invadiu uma residência no bairro de Ponta Negra, zona Sul de Natal, para praticar um roubo. A dona da casa, a publicitária Sílvia Mannu, à época com 34 anos, reagiu e acabou assassinada com 23 facadas na frente da filha, que tinha apenas 3 anos. O crime chocou a sociedade potiguar pela brutalidade com que foi cometido.

Depois do crime, Gilson Pegado foi preso, mas passou a responder em liberdade. Ele fugiu e até então não havia sido localizado, o que prejudicou a continuidade da ação penal. Gilson nunca tinha sido julgado pelo crime que cometeu, pois a legislação determina a suspensão do andamento do processo nesses casos. Somente após a prisão dele no ano passado, a ação penal foi retomada.

Ação Penal n.º 0900215-24.1997.8.20.0001

Homem, esposa e filho de ano foram feitos reféns durante assalto na Zona Sul de Natal

O portal BO destaca momentos de terror que uma família passou na noite dessa terça-feira(12) na capital potiguar. Na ocasião, um homem, a esposa e o filho de um ano de idade foram mantidos reféns, durante um assalto na rua Escritor Alceu Amoroso Lima, no conjunto Satélite, zona Sul de Natal. De acordo com a reportagem, os assaltantes surpreenderam as vítimas que tinham ido ao endereço procurar uma casa de aluguel. Durante a ação criminosa, dois bandidos armados entraram no carro exigindo que o homem dirigisse para a dupla, sob força de ameaça.

Segundo a reportagem, sem escolha, o motorista obedeceu as ordens dos bandidos e seguiu durante dez minutos percorrendo ruas do conjunto Satélite. Logo após, todos foram liberados no meio de uma estrada de terra. Os assaltantes fugiram com destino ignorado levando o carro da família, um modelo Tracker de cor branca e placas JIE 6945.

Homem que passou 40 anos preso por erro ganha R$ 78 milhões de indenização

Craig Coley foi condenado em 1978 e recebeu o indulto do então governador da Califórnia, Jerry Brown, em 2017 – Reuters

Um homem que passou 40 anos preso por assassinato e depois foi perdoado conseguiu um acordo de US$ 21 milhões (cerca de R$ 78 milhões) com a cidade de Simi Valley, na Califórnia, segundo autoridades locais.

Em 1980, um júri considerou Craig Coley culpado pelo assassinato de sua ex-namorada, Rhonda Wicht, 24, e de seu filho de 4 anos, Donald, crime que ele afirmou não ter cometido.

Em 2017, Coley, 71, foi perdoado por Jerry Brown, então governador, e libertado da prisão depois que investigadores encontraram novas provas de DNA de que ele não foi o assassino.

Um comunicado da prefeitura no sábado (23) disse que o acordo foi alcançado para evitar um processo judicial longo e caro.

“Embora nenhuma quantia em dinheiro possa compensar o que aconteceu com o senhor Coley, celebrar esse acordo é a coisa certa a se fazer por ele e nossa comunidade”, afirmou o administrador da cidade de Simi Valley, Eric Levitt, no comunicado.

“A despesa para levarmos o caso a julgamento seria astronômica, e seria irresponsável nós seguirmos nessa direção.”

Em entrevista na segunda-feira (25), Levitt disse que Coley e seus representantes informaram à cidade no ano passado sobre sua intenção de processar Simi Valley por detenção arbitrária.

Levitt disse que os representantes jurídicos da cidade advertiram que ela poderia ser obrigada a pagar até US$ 80 milhões se perdesse o julgamento. “Foi melhor para ele e para nós pôr o assunto para trás”, disse.

Tentativas de contato com Coley na segunda-feira foram infrutíferas. Representantes do Departamento de Polícia de Simi Valley e o gabinete do promotor da cidade não responderam a um pedido de comentários.

O período de prisão de Coley foi o mais longo já revogado na Califórnia, segundo a declaração, citando a iniciativa do Departamento de Polícia de reabrir o caso que levou à descoberta da prova de DNA que o inocentou.

A prefeitura disse que pagará cerca de US$ 4,9 milhões dos US$ 21 milhões acordados, e o restante virá de seguros e outras fontes.

Coley foi preso em 11 de novembro de 1978, depois que Wicht foi encontrada espancada e estrangulada em sua casa, aparentemente com uma corda. Seu filho tinha sido sufocado.

O primeiro julgamento de Coley terminou com o júri suspenso por indecisão em 1979, mas ele foi considerado culpado no ano seguinte e condenado à prisão perpétua sem direito a liberdade condicional.

Em 2017, entretanto, o promotor distrital Gregory Totten, do condado de Ventura, e o delegado David Livingstone, da polícia municipal, disseram que apoiariam um pedido de clemência feito por Coley dois anos antes, citando novos testes de DNA que provavam sua inocência.

O teste de DNA fez parte de uma investigação de um ano iniciada em outubro de 2016 a pedido de policiais que duvidavam da culpa de Coley.

Coley, que não tinha antecedentes criminais na época de sua detenção, foi um preso “modelo” durante suas décadas no presídio, disse Brown quando o indultou.

Investigadores encontraram em um laboratório particular amostras biológicas que haviam sido consideradas perdidas.

Novos testes mostraram que o DNA encontrado em uma das provas do caso não combinava com o de Coley. “Não temos mais confiança no peso das evidências usadas para condenar Coley”, disseram Totten e Livingstone em um comunicado na época.

Os dois chamaram o caso de “trágico”, acrescentando que “Craig Coley passou 39 anos preso por um crime que provavelmente não cometeu”.

Na segunda-feira, Levitt disse que o Departamento de Polícia ainda seguia pistas da morte de Wicht e seu filho.

No ano passado, autoridades da Califórnia concederam a Coley US$ 1,95 milhão —US$ 140 para cada dia que ele passou na prisão.

FOLHA DE SÃO PAULO – THE NEW YORK TIMES

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. VTNC disse:

    Por esse e outros casos , pena de morte é complicado !!!

  2. Sérgio disse:

    Por essas e outras que nunca deve existir pena de morte…

    • breno nobrega disse:

      Concordo. Não há como reparar uma vida depois de perdê-la.

Homem é morto a tiros dentro de caminhonete na Zona Sul de Natal; sogra é baleada

Foto: Reprodução/Redes Sociais

A Polícia Militar registrou o assassinato a tiros de um homem, dentro do próprio carro, no início da tarde desta quarta-feira (27), próximo ao CCAB Sul, no bairro de Capim Macio, na Zona Sul de Natal. Informações preliminares dão conta que Vitor Martins Lima dirigia o automóvel, uma caminhonete Amarok, quando foi abordado pelos criminosos, que se aproximaram atirando. Em decorrência, a vítima perdeu o controle do carro e bateu em uma árvore no canteiro central. Não bastasse, os bandidos ainda seguiram até o veículo e atiraram mais vezes na direção dele. Logo após,  empreenderam fuga.

Segundo a PM, uma mulher, sogra da vítima, também estava no veículo e foi baleada na região da perna. O condutor da caminhonete, atingido por diversos tiros, chegou sem vida no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel.

A Polícia Militar também apurou que momentos antes do crime Vitor saía com a sogra e a esposa dele de um estabelecimento que pertence à família e fica no Centro Comercial.

Homem que espancou paisagista por quatro horas já foi denunciado por agredir irmão deficiente; pai também foi vítima

O universitário Vinícius Batista Serra Foto: Instagram / Reprodução

O estudante Vinícius Serra, que espancou a paisagista Elaine Peres Caparroz por quatro horas, já foi denunciado uma vez pelo próprio pai, Zacarias Batista de Lima, depois de agredir o irmão Diego, que é deficiente. A agressão ocorreu no dia 8 de fevereiro de 2016.

De acordo com a queixa, por volta de 2h30m daquele dia, Zacarias foi despertado por gritos. Ao chegar ao quarto dos filhos, viu que Vinicius estava em cima do irmão aplicando golpes de jiu-jítsu.

Ainda de acordo com o pai, a razão da agressão era a suspeita de que o irmão tivesse pegado R$1.200 que pertenceriam a Vinicius. Na briga, Vinícius acabou acertando também um golpe no rosto do pai. No fim das contas, a quantia estava numa caixa de remédios que a mãe havia jogado no lixo.

Na delegacia, Zacarias contou que o filho era faixa roxa de jiu-jítsu e andava “muito destemperado”. O caso chegou ao Juizado Especial Criminal depois que a vítima, o pai, desistiu da denúncia contra o filho.

Como atleta de jiu-jítsu, Vinicius frequentava a academia BTT, na Lagoa, e chegou a conquistar o primeiro lugar naquele ano na categoria medio-pesado.

Além de espancar Elaine, Vinícius ameaçou funcionários do condomínio na Barra, na Zona Oeste: “Entra então aqui para você ver o que acontece”. A informação foi passada pelo irmão da vítima, Rogério Peres. Segundo ele, Elaine foi socorrida por funcionários e vizinhos:

— Um dos funcionários chegou a passar pela porta da minha irmã e dizer “vamos parar com isso”. Aí o Vinícius teria dito “entra então aqui para você ver o que acontece”. Nesse momento, eles foram pedir reforço para os seguranças e pegaram o Vinicius já na portaria, onde ele foi algemado pela polícia e preso em flagrante — conta Rogério, ainda abalado.

Inicialmente, as pessoas acharam que se tratava de uma briga de casal. Somente quando os gritos de socorro ficaram mais fortes, é que os seguranças foram até o local e já encontraram a porta entreaberta e Elaine deitada em uma poça de sangue. As agressões contra Elaine ocorreram no sábado. Elas começaram por volta de 1h e se estenderam até quase 5h30m. Foram socos e mordidas, entre outros golpes. À polícia, Vinícius alegou que havia tomado vinho antes de dormir com Elaine e surtou.

Paisagista segue internada

Elaine permanece internada no Hospital Casa de Portugal, no Rio Comprido, na Zona Norte do Rio. Segundo Rogério, ela levou quase 40 pontos dentro da boca. Também sofreu fratura no nariz e nos ossos da órbita (região próxima aos olhos). Elaine passará por uma avaliação nesta segunda-feira com um médico bucomaxilofacial. Ela fez uma tomografia, que não apontou danos neurológicos. Elaine também perdeu um dente.

— Domingo à noite ela estava estável, e os médicos estão acompanhando a evolução do caso. Os traumas em si é que estão muito ruins.

Um boletim médico divulgado na manhã desta segunda-feira informou que Elaine será transferida da UTI para um quarto. Segundo o informe, ela segue em estado estável e permanecerá em observação. Apesar do coordenador da clínica médica do hospital, Hélio Primo, ter afirmado que não há necessidade de cirurgias, já que o tratamento será feito com medicamentos, a família buscou outro médico e decidiu pela operação.

Elaine vai ser operada por um especialista conhecido da família, que já atendeu Elaine outras vezes. A decisão é por motivos estéticos. Rogério Peres, irmão da vítima, explica que serão reconstruídos ossos da face, do nariz e da boca, já que a parte superior da gengiva afundou com os golpes.

Nome falso

Rogério obteve no condomínio o documento que registra as entradas no local, mostrando que Vinícius usou um nome falso . Segundo o registro, ele se identificou como Felipe quando teve o nome questionado.

— Vou entregar o papel para a polícia hoje (segunda-feira). Não o consegui antes porque o porteiro que estava de plantão só voltou no domingo. Minha irmã já havia me contado que o porteiro falou que o nome do rapaz era Felipe. Ela achou estranho mas liberou porque estava esperando alguém e achou que o porteiro havia se enganado.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ilo disse:

    Um safado dese merese leva um tiro ns cara fazer uma coisa desa com uma mulher eso e um luco não merece ta na sociedade

CASO CHOCA O PAÍS – (FOTO): Mulher é espancada por quatro horas no primeiro encontro com homem que conheceu na internet

Foto: Reprodução

Uma mulher foi espancada durante quase quatro horas por um homem que conheceu pelas redes sociais no primeiro encontro do casal, na Barra da Tijuca. A empresária Elaine Caparróz, de 55 anos, foi encontrada desacordada por policiais militares em seu apartamento, depois que vizinhos ouviram seus gritos de socorro e alertaram o zelador.

O agressor foi identificado como Vinícius Batista Serra, de 27 anos, preso em flagrante. Elaine contou ao “Fantástico”, da Rede Globo, que acordou de madrugada com socos desferidos por Vinícius, que ainda tentou aplicar um golpe conhecido como mata-leão. Ela reagiu e, então, levou uma mordida no braço. A vítima ficou com o rosto desfigurado e vai precisar passar por cirurgia. Ela foi internada em estado grave no Hospital Lourenço Jorge, na Barra, e, em seguida, transferida para uma unidade particular.

— Ela está com uma fratura no nariz, que está causando problemas de respiração. Quebrou o maxilar, quebrou os dentes. É inacreditável que isso possa acontecer tão perto da gente — contou o irmão de Elaine, Rogério Peres, ao “Fantástico”.

O delegado-adjunto Rodrigo Freitas de Oliveira, da 16ª DP (Barra), afirma que, pela gravidade das agressões e pela desproporcionalidade física, Vinícius tentou matar Elaine. Ele vai responder por tentativa de feminicídio. No pedido de prisão preventiva, o delegado afirma que Vinícius é perigoso e que precisa ficar preso por representar ameaça. Ele foi transferido para a Cadeia Pública Frederico Marques, em Benfica. À polícia, o agressor disse que tomou vinho, dormiu e acordou em surto.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Andrade disse:

    Deveriam deixar ao menos duas o filho dela brincar com esse safado! Ele deve pagar na mesma moeda, e não ser preso!

  2. LUTEMBERG DE SOUZA PESSOA disse:

    É evidente que esse marginal planejava matar a mulher pra depois roubar dinheiro e objetos do apartamento. Que apodreça na cadeia, miserável!

  3. LULADRÃO disse:

    Que mais esse caso, sirva de alerta para as mulheres no sentido de não confiar em príncipes encantados das redes sociais. Esse covarde, monstro tem que ser condenado de preferência a morte. Espero que nenhum dono da justiça solte esse fdp em uma audiência de custódia.

Após audiência de custódia, homem que tentou assaltar lutadora de MMA no RJ tem prisão em flagrante convertida para preventiva

Polyana Viana mostra como imobilizou ladrão em Jacarepaguá Foto: Marcos Ramos – Extra

A Justiça do Rio converteu para preventiva a prisão em flagrante de Max Gadelha Barbosa. Ele tentou assaltar a lutadora de MMA pareanse Polyana Viana, no último domingo, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Na ocasião, ela dominou homem que tentou roubar o seu celular — Max foi imobilizado e acertado por chutes e socos pela vítima.

A decisão da Justiça foi tomada após a audiência de custódia, que ocorreu nesta segunda-feira. Max já havia sido condenado duas vezes pelo crime de roubo.

“Os fatos narrados, especialmente a grave ameaça com emprego de um simulacro de arma de fogo, revelam a alta periculosidade do agente e a necessidade da prisão como garantia da ordem pública”, consta de um trecho da decisão do juiz Alex Quaresma Ravache.

O magistrado destacou na decisão as duas condenações de Max, justificando a sua prisão preventiva.

Texto falso ganha repercussão

Após o caso envolvendo a lutadora ganhar repercussão, um texto afirmando que um procurador de Justiça havia pedido a prisão de Polyana, “pelos crimes de lesão corporal grave e excesso de legítima defesa”, viralizou na internet — foram mais de 20 mil compartilhamentos no Facebook. A mensagem é #Fake.

A mensagem compartilhada diz que o promotor que decretou a prisão da lutadora se chama Jean Carlos Rosário e que o assaltante foi liberado, mas o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) afirma que não existe nenhum promotor com esse nome em seus quadros e que a prisão do assaltante, Max Gadelha Barbosa, foi mantida.

O Globo

Homem é morto a tiros na Avenida Maria Lacerda

É destaque no portal G1-RN. Um homem foi morto a tiros no início da manhã desta quinta-feira (27) na Avenida Maria Lacerda, no bairro Nova Parnamirim, em Parnamirim, na Grande Natal. O morto, que vestia uma camiseta de uma construtora, ainda não foi identificado e não há muitas informações sobre como aconteceu o crime nem qual seria a motivação.

Segundo a PM, a vítima e um outro homem estariam nas motos e ambos estariam em fuga após uma tentativa de assalto. Na fuga, as duas motos teriam batido em um carro que estava em um semáforo quase em frente ao supermercado Extra. Com o impacto, os dois homens caíram no chão. Foi quando uma terceira pessoa, que também estava em uma moto e perseguia a dupla, começou a atirar. Um foi atingido e morreu no local, no meio da avenida. O outro escapou.

Veja reportagem na íntegra aqui

FOTO: Homem se apresenta como surdo, entrega bilhete anunciando assalto e vai preso, no PR

Homem entregou bilhete anunciando assalto Foto: Divulgação/Polícia Civil do Paraná

Funcionários de um posto de combustíveis em Curitiba foram surpreendidos na manhã desta quarta-feira por um homem que se apresentou como surdo e entregou um bilhete anunciando um assalto. Segundo informações preliminares da Polícia Civil do Paraná, ele foi preso em flagrante no estabelecimento, localizado na Avenida Presidente Getúlio Vargas.

Quando uma atendente leu a mensagem do suspeito, que anunciava um assalto e avisava que ele estava armado, se afastou dele e chamou o gerente. Em seguida, o homem foi contido e encaminhado para a Central de Flagrante da capital paranaense, onde testemunhas estão sendo ouvidas pelo delegado de plantão Fábio Machado.

Segundo consta no boletim de ocorrência, a vítima relatou que o homem se dirigiu ao caixa e lhe entregou um bilhete com os dizeres: “Fique quieto não mexe eu tenho arma aqui na cintura passa dinheiro rápido eu não quero mostra arma quieto (sic)”.

Demonstrando não poder ouvir ou falar, simulou estar armado. No entanto, ao ser abordado por policiais militares, foi constatado que não havia arma de fogo com ele. Ainda de acordo com o registro policial, o suspeito usou um pedaço de papel para se identificar como Rafael Susin.

Homem se apresentou como surdo e entregou bilhete anunciando assalto Foto: Reprodução/Google Maps

Extra – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge disse:

    Kkkkkkk lembrei de Chico Anísio, tem episódio semelhante. No episódio, o chefe pede ao comparsa para colocar o endereço fictício, como ele não sabia o que era fictício, colocou o deles mesmo. Kkkkkkkresultado foram presos. Isso é Cultura tb.kkkkkk

  2. M.Vinícius disse:

    Vixe, lembrei logo de Lula!

MPRN obtém condenação de homem que estuprou e matou menina em Jenipabu

Carlos Alexandre de Andrade foi condenado a 29 anos de prisão. Maria Eduarda Lima da Silva, de 10 anos, foi morta em julho de 2015

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) obteve a condenação do caseiro Carlos Alexandre de Andrade pelo estupro, assassinato e ocultação do cadáver de Maria Eduarda Lima da Silva, de 10 anos. Os crimes foram cometidos em 12 de julho de 2015, em Jenipabu, praia de Extremoz. Carlos Alexandre foi condenado a 29 anos de prisão em regime fechado.

De acordo com a denúncia do MPRN, Carlos Alexandre de Andrade praticou atos libidinosos com a criança e a matou por asfixia mecânica. Em seguida, ele ocultou o cadáver de Maria Eduarda Lima da Silva próximo à granja onde trabalhava. No dia 14 de julho de 2015, foi registrado o boletim de ocorrência pelo desaparecimento da menina. O corpo dela foi encontrado no dia 16 de julho daquele ano, já em estado de putrefação. Ela estava amordaçada e tinha marcas de agressão física.

Carlos Alexandre está preso desde a época dos crimes, que tiveram grande repercussão na imprensa potiguar. Na denúncia, que teve como base o inquérito policial, o MPRN conseguiu comprovar que Carlos Alexandre estuprou, matou e ocultou o cadáver da menina Maria Eduarda. Os crimes foram cometidos por motivo torpe, de forma cruel e ainda com o objetivo de dificultar a investigação. O criminoso poderá recorrer da sentença, mas continuará preso