Dia dos Pais pode ter influenciado na liberação de vendas de operadoras de telefonia

A proximidade do Dia dos Pais, quando costuma aumentar a venda de celulares, pode ter influenciado a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) a liberar a comercialização de chips e modems pelas empresas de telefonia. O fato de a liberação ter ocorrido sem que nenhuma medida prática tenha sido tomada em favor do consumidor reforça essa possibilidade, diz a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (ProTeste).

“Basta observar a conversa que estamos tendo agora: em diversos momentos o sinal está falhando”, disse, em meio à entrevista concedida por celular à Agência Brasil, a coordenadora Institucional da ProTeste, Maria Inês Dolci. “Para o consumidor, nada mudou porque o problema é sistêmico. As empresas não têm como melhorar sinal e qualidade do serviço em prazo tão curto, nem como fazer investimentos para solucionar os problemas denunciados, em especial os relativos a falhas do sinal.”

Segundo ela, a Anatel “demorou demais” para punir as operadoras. “E depois, em apenas 11 dias, voltou a liberar as vendas, mesmo com um quadro com tantas reclamações não atendidas e problemas não solucionados”, afirmou.

“Um ponto que nos chama muito a atenção é a liberação das vendas em data próxima ao Dia dos Pais, data que representa uma grande oportunidade de vendas para as operadoras. A Anatel perdeu a oportunidade de aproveitar a data. Mantendo a proibição, puniria de forma mais efetiva as empresas e mostraria que, de fato, atua em prol do consumidor”, disse Maria Inês.

Ela critica o fato de ter bastado às empresas apresentar um plano de investimentos futuros para ter suas vendas liberadas. “Este era o momento ideal de obrigá-las a melhorar de imediato a qualidade dos serviços e do atendimento. É com ações desse tipo [que resultam na diminuição, ainda que momentânea, dos lucros das empresas] que se pode aumentar, nas operadoras, o interesse pela melhora dos serviços”, afirmou. “Com isso, os problemas verificados e não solucionados não deixaram de ocorrer. Ou seja, os consumidores continuarão a ter problemas.”

De acordo com o superintendente de Serviços Privados da Anatel, Bruno Ramos, serão necessários seis meses para que os usuários de telefone celular percebam melhoria nos serviços de transmissão de voz e dados.

Com 11 anos de existência, a organização não governamental ProTeste tem, segundo Maria Inês, 250 mil pessoas físicas associadas. A entidade integra o Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, grupo que é formado por Procons, Defensoria Pública, Ministério Público e entidades civis de defesa do consumidor.

Fonte: Agência Brasil

OI, Claro e TIM poderão retomar venda de chips a partir de amanhã

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) autorizou nesta quinta-feira (2) que as três operadoras de telefonia móvel suspensas retomem, a partir desta sexta-feira (3), a venda de novos chips para serviços de voz e dados. Desde o dia 23 de julho, estava em vigor a medida cautelar que proibia a venda de linhas da TIM (18 Estados e Distrito Federal), Oi (cinco Estados) e Claro (três Estados) — a suspensão teve validade por 11 dias.

Nos planos apresentados pelas empresas, a Claro afirmou que vai investir R$ 6,3 bilhões, a Oi R$ 5,5 bilhões e a TIM, R$ 8,2 bilhões. Segundo a Anatel, o total é de R$ 20 bilhões de investimento nos próximos dois anos. Desse montante, cerca de R$ 4 bilhões são decorrentes da medida cautelar, ou seja, as empresas anteciparam e remanejaram alguns investimentos para atender à exigência de melhoria nos serviços.

Isso significa que as operadoras terão de aumentar o número de antenas e também a capacidade de transmissão, para garantir o bom funcionamento do tráfego de voz e dados. Também será avaliada a taxa de interrupção de chamadas (quando a ligação cai). Além disso, as empresas serão obrigadas a aumentar e melhorar o atendimento em seus call centers, para que haja maior taxa de resolução de reclamações.

Ao anunciar a liberação, a Anatel afirmou que fará um monitoramento trimestral para conferir se as empresas estão trabalhando de acordo com os parâmetros de qualidade apresentados. Caso a agência encontre problemas, já existe um protocolo de ação contra as operadoras: elas podem, inclusive, voltar a ter as vendas suspensas.

Bruno Ramos, superintendente da agência, destacou que os relatórios foram avaliados segundo os fatores que levaram à medida cautelar de suspensão de vendas. Ramos disse ainda que não faria sentido verificar o atendimento desses projetos só daqui a dois anos, portanto a avaliação da implementação dos planos será feita trimestralmente.

“O serviço não vai melhorar amanhã”, disse João Rezende, presidente da Anatel, durante o anúncio. Ele afirmou que a melhoria nas centrais de atendimento deve ser vista pelos usuários no período de 30 dias. Já os indicadores relacionados à rede devem apresentar melhoras de quatro a seis meses.

A primeira avaliação das operadoras será em novembro e terá como base os últimos dados colhidos sobre o serviço de dados e voz — os mesmos utilizados na medida cautelar. Nos municípios com mais de 300 mil habitantes, disse Rezende, o controle será feito de “antena por antena”.

Dia dos Pais: Quase 70% dos natalenses vão comprar presentes e média dos gastos deve superar R$ 100

Tida como uma das cinco principais datas de vendas para o comércio, o Dia dos Pais – que será comemorado no próximo dia 12 de agosto – já movimenta o comércio de todo o país. Em Natal, os consumidores se mostram otimistas (66,8% dizem que vão, sim, às compras) e afirmam que pretendem gastar R$ 107,82, em média, com presentes para marcar a data. A maioria (66,4%) deve ir às lojas somente na semana que vem (anterior ao Dia dos Pais). Também é maioria (57,6%) o número de pessoas que afirmam que irão comprar em shopping.  Os números fazem parte de uma pesquisa feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do RN, através do seu Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC), que ouviu 600 pessoas nas quatro regiões da capital.

De acordo com a pesquisa, os pagamentos à vista (em dinheiro ou cartão de débito) terão prioridade. A modalidade foi citada por 58,1% dos entrevistados. A pesquisa também procurou saber dos consumidores, quais ações eventualmente adotadas pelas empresas poderiam atraí-los às compras. Pouco mais de um terço dos entrevistados (36,1%) se disseram atraídos ela oferta de descontos. Os programas de fidelização (que também ofertem descontos) foram citados por outros 35,3%. O atendimento personalizado foi lembrado como diferencial de escolha por 13,3% dos consumidores. 

Itens mais procurados

Roupas, calçados e acessórios serão os itens mais procurados pelos filhos. A pesquisa do IPDC/Fecomércio mostra que 50,1% dos natalenses pretendem presentear o pai com peças de vestuário. Os calçados e acessórios aparecem com 14,6% da preferência. Os perfumes e cosméticos foram citados por 8,6% das pessoas ouvidas.

O levantamento também procurou saber se os entrevistados pretendem levar seus pais a algum local especial para comemorar o domingo dedicado a eles. A maioria prefere algo mais familiar, afirmando que uma boa opção é almoçar ou jantar na casa de familiares (63,6%). Apenas 17,6% disseram que pretendem levar os pais para almoçar ou jantar em restaurantes.

Otimismo

Outro dado da pesquisa IPDC/Fecomércio que ratifica o otimismo dos consumidores natalenses é o fato de que, questionados sobre como avalia o atual momento para compras de produtos, 46,7% responderam que ele é ótimo ou bom. Outros 41,7% afirmaram que o momento é regular e apenas 11,5% disseram que a situação é ruim ou péssima. Quando perguntados como está a sua situação financeira, comparada com a que tinha há um ano,  51,4% dos entrevistados disseram que está melhor, 36,2% afirmaram está igual e apenas 12,4% relataram que a situação financeira piorou.

“Os números da pesquisa nos deixaram bastante otimistas. No plano nacional, o que temos visto é que o comércio aposta em aumento de vendas na casa dos 3% a 3,5%. Pelo que vimos na pesquisa, acho que podemos ser mais otimistas e falar em alta acima dos 6% sobre 2011”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz. Pelos números do IBGE, o mês de agosto do ano passado registrou alta de 9,6% sobre 2010. Vale ressaltar que, em 2011, os três últimos dias de agosto foram reforçados com a campanha Liquida Natal.

A íntegra da pesquisa do IPDC/Fecomércio pode também ser conferida no site www.fecomerciorn.com.br.

TIM: suspensão das vendas fez a empresa perder US$ 2,5 bilhões

O ministro das Comunicações, Paulo Bernado, disse após receber a cúpula da Telecom Itália, controladora da TIM, que foi informado que a perda no valor de capital do grupo na bolsa foi de US$ 2,5 bilhões, desde que a Anatel suspendeu as vendas de chips da operadora. Segundo o ministro, o presidente da Telecom Itália, Franco Bernabè, reclamou da severidade das medidas e que seria mais adequado que o governo brasileiro adotasse ações menos drásticas.

Paulo Bernardo justificou que há meses o governo tenta resolver com a operadora medidas para melhorar o atendimento aos consumidores. O ministro repetiu, porém, que as medidas são severas mas que o governo não tem interesse de “demonizar” as empresas e prolongar a interrupção das vendas mais do que o necessário.

Na avaliação do ministro, a perda de capital para o grupo é momentâneas. Segundo ele, a decisão da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) somente será revertida com a apresentação de um plano que resolva os problemas para os consumidores.

– Somente com compromisso público ( das operadoras) é que a Anatel poderá voltar atrás – disse o ministro.

Para Paulo Bernardo, além da falta de investimentos faltam ações de gestão por parte das operadoras. O ministro afirmou que já está praticamente pronto um decreto que vai obrigar as empresas de telefonia a compartilharem o uso da infraestrutura.

– As empresas vão ter que dar passagem uma as outras em postes e torres, por exemplo – afirmou.

O decreto, segundo ele, vai determinar que todas as obras públicas federais já contemple a construção de dutos para serviços de telecomunicações.

Fonte: O Globo

Comércio potiguar emplaca boa alta de vendas em maio

Os números das vendas do comércio potiguar em maio ficaram dentro das boas perspectivas do empresariado, projetadas em abril. De acordo com os dados divulgados nesta quarta-feira, 11.07, pelo IBGE, o RN registrou aumentos de 7% e 6,9%, respectivamente para os varejos Restrito e Ampliado, este último que contempla os segmentos de Materiais de Construção e de Automóveis. As médias nacionais ficaram em 8,2% no Restrito e 4,2% no Ampliado.

No acumulado do ano, o Varejo Ampliado potiguar emplaca alta de 3,6%. Já o Varejo Restrito tem um desempenho um pouco melhor, com alta de 4,3% no mesmo período. No caso do Varejo Ampliado, o desempenho do Rio Grande do Norte no mês ficou acima da média nacional e foi o terceiro melhor do Nordeste, atrás apenas do Piauí (13,4%) e Alagoas (9,9%).

“Os números deixam duas coisas bem claras para explicar esta retomada do varejo potiguar. A primeira é que os segmentos de Automóveis e Materiais de Construção, ambos na esteira dos incentivos fiscais – sobretudo a redução de IPI para os carros zero – puxaram o desempenho geral do comércio potiguar para cima. A segunda é que o Dia das Mães continua sendo uma data de grande apelo comercial, já que o Varejo Restrito, no qual se insere o leque de itens mais procurados pelos consumidores naquela data, também teve um desempenho bastante animador em maio. E vale ressaltar que o crescimento que vimos agora se deu sobre uma alta bastante significativa que tivemos em 2011. No ano passado, as vendas de maio, no Varejo Ampliado, cresceram 11,1% no RN, um dos melhores resultados do ano”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Fernandes de Queiroz.

O empresário afirma que, para junho, os números devem seguir em alta. “No Nordeste, o mês de junho tem um apelo extra que são as festas juninas, além do Dia dos Namorados. Ambas as datas impactam muito bem no Comércio e também nos Serviços. Além disso, os dados de maio ainda não trazem o reflexo da maior oferta de crédito, frutodas medidas mais recentes do governo federal. Tudo isso deve concorrer para bons números no último mês do primeiro semestre. Com isso, poderemos esperar que a média dos seis primeiros meses de 2012 chegue próxima dos 5% (hoje ela está em 2,9%)”, diz ele.

Já para o segundo semestre, o empresário prefere aguardar um pouco mais antes de fazer qualquer previsão. “Depende de diversos fatores. É preciso acompanhar como vai evoluir a questão da inadimplência, que é uma espécie de efeito colateral da maior oferta de crédito, e também precisamos verificar os números do movimento turístico no estado durante esta meia estação, agora em julho. A efetivação dos investimentos públicos nas obras estruturantes visando a Copa de 2014 também é fundamental para que os números das vendas decolem”, ressalta Queiroz.

Gravações mostram vendas de emendas na Câmara dos Deputados

A semana começa sob os ruídos de um novo velho escândalo. O caso é novo porque ainda não havia chegado às manchetes. É velho porque é feito de uma matéria prima muito comum no noticiário sobre corrupção: as famigeradas emendas parlamentares.

Deve-se a revelação da encrenca ao repórter Paulo Celso Pereira. Ele obteve um par de gravações. Soam nos áudios as vozes de duas pessoas ligadas a um deputado chamado João Bacelar (PR-BA). Uma, Isabela Suarez, é ex-mulher do parlamentar. A outra, Lílian Bacelar, é irmã dele.

Lílian mede forças com o irmão deputado um litígio judicial pela partilha da herança do pai. Gravou conversas mantidas com Isabela. Sem saber que estava sob escuta, a ex-mulher relata detalhes de um esquema operado por João Bacelar. O deputado compra emendas de colegas, ela contou.

Isabela detalhou para Lílian os negócios atribuídos a Bacelar. Num trecho da conversa, declarou: “Desse cara do PT, com certeza ele compra emenda. O nome dele é Geraldo alguma coisa. Federal da Bahia. Se procurar, na hora você vai achar: Geraldo. Com certeza, com certeza. Eles operavam com o filho dele.”

Na bancada do PT baiano há um único deputado chamado Geraldo. O nome completo é Geraldo Simões. A prosa de Isabela orna com o teor de uma planilha apalpada pelo repórter junto com um lote de e-mails trocados pelo deputado João Bacelar.

Nesse tabela, aparecem os nomes de sete municípios baianos que receberam verbas da Codevasf (Cia. de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba). Dinheiro provido por meio de emendas empurradas para dentro do Orçamento da União.

Cada município aparece no documento associado a uma cifra e às iniciais de cinco autores de emendas: GS, FS, JB, MM e FF. Dessas siglas, apenas FS não foi identificada. Quanto às demais, um cruzamento feito com as emendas direcionadas à Codefasf permitiu descobrir os rostos escondidos atrás das letras.

GS é Geraldo Simões (PT-BA), JB é o próprio João Bacelar (PR-BA), MM é Marcos Medrado (PDT-BA) e FF é o ex-deputado Fernando Fabinho. Os parlamentares negam que tenham cometido irregularidades.

Está no Blog de Josias de Souza. O que se comenta há muitos anos agora aparece com provas:

Normalmente, deputados costumam direcionar verbas do Orçamento para cidades onde colecionam votos. Por mal dos pecados, a planilha baiana revela um fenômeno inusitado.

O dinheiro foi mandado para redutos eleitorais de João Bacelar, não dos autores das emendas. Em cinco dos sete municípios mencionados Bacelar foi o primeiro ou o segundo deputado mais votado na eleição de 2010.

Por exemplo: Defronte da sigla GS, lê-se o nome da cidade de Casa Nova e o montante de R$ 3 milhões. Ouvida, a Codevasf confirmou a existência da emenda, o nome do autor (Geraldo Simões), o valor e o município. Em Casa Nova, Bacelar amealhou 7.599 votos. Simões, o signatário da emenda, apenas quatro.

João Bacelar é herdeiro de uma construtora, a Embratec. Suspeita-se que as verbas são direcionadas para prefeituras que, na sequência, contratam a empresa da família Bacelar para a realização das obras. Numa das conversas gravadas pela irmã Lílian, a ex-mulher Isabela Suarez explica o porquê do comércio de emendas:

“Época de campanha política, neguinho está sem dinheiro. Aí pega um deputado que esteja mais capitalizado. Como ele [Bacelar] tem construtora, aí vende as emendas para ele antecipadamente com o compromisso. Aí, ele vai lá e aporta dinheiro na campanha do cara. Aí, quando ele entrar no mandato, vai lá e paga as emendas. […] Quem negocia emenda, todo mundo sabe. Ele deve negociar emenda com todos os deputados. Porque o cara precisa disso para poder financiar sua campanha.”

O caso de Bacelar não é original. No ano passado, os ministérios do Turismo, do Trabalho e dos Esportes revezaram-se nas manchetes em escândalos envolvendo desvios de emendas parlamentares que destinaram verbas públicas para ONGs.

Nem toda emenda de parlamentar resulta em corrupção. Mas quase toda a corrupção de Brasília carrega as emendas no DNA. Algo como 80% dos 513 deputados e dos 81 senadores resumem os seus mandatos a duas tarefas.

A primeira é atender aos interesses dos grupos políticos e econômicos que os elegeram. A segunda, preparar a caixa da próxima reeleição. Essas duas prioridades terminam por conduzir os deputados para o balcão.

Em troca de apoio congressual ao governo, exige-se a liberação das emendas e a acomodação de apadrinhados em cargos com poder para virar a chave do cofre. O primeiro grande escândalo, o caso dos “Anões do Orçamento”, é de 1993.

O país vinha do impeachment de Fernando Collor. Itamar Franco mal assumira a Presidência quando se descobriu que também o Legislativo caminhava sobre o pântano.

Deputados cobravam propinas de empreteiras e prefeituras para injetar no Orçamento da União recursos destinados a obras públicas. Criou-se uma CPI. Seis deputados tiveram os mandatos passados na lâmina. Outros quatro renunciaram. Alteraram-se as regras de elaboração do Orçamento.

Há cinco anos, em 2007, no alvorecer do segundo reinado de Lula, a “Operação Navalha” demonstrou que a mudança de normas não deteve os malfeitos. Sob supervisão do Ministério Público, a Polícia Federal gravou 585 diálogos telefônicos. Conversas vadias, que desnudaram um esquema similar ao dos anões.

A transcrição das fitas recheia um processo de 52 mil folhas. Descrevem o modo como o empreiteiro Zuleido Veras e a sua Gautama beliscavam verbas públicas. Numa ponta, compravam-se os políticos com poder para destinar verbas às obras. Noutra, subornavam-se servidores públicos responsáveis pelas liberações.

A navalha correu em quatro ministérios, seis governos de Estados nordestinos, e dezenas de prefeituras. A vítima mais vistosa foi Silas Rondeau. Acomodado por Lula na pasta de Minas e Energia a pedido de José Sarney (PMDB-AP), Rondeau foi acusado de receber propina de R$ 100 mil.

Entre os anões e a navalha, houve o caso das “Sanguessugas”. Nasceu em 2001, sob Fernando Henrique Cardoso, e explodiu em 2006, no final do primeiro reinado de Lula. Envolvia a pasta da Saúde.

Na origem do roubo, de novo, as emendas. Destinavam-se à compra de ambulâncias para prefeituras. A propina aos parlamentares era provida pela empresa Planan, que superfaturava os veículos em até 250%. Uma CPI apontou o envolvimento de 71 congressistas. Nenhum foi cassado. Mas poucos se reelegeram.

Além da origem parlamentar, os escândalos têm muito em comum: produzem operações espalhafatosas da PF, dezenas de prisões e quantidade idêntica de habeas corpus. Passado o estrondo, as cadeias se esvaziam e os escaninhos do Judiciário ficam apinhados. Não há vestígio de condenação definitiva. Grassa a impunidade. Daí a reiteração dos desvios.

Restaurantes natalenses incrementam as vendas no Dia Nacional de Respeito ao Contribuinte e Liberdade de Imposto

Os restaurantes que participaram do Dia Nacional de Respeito ao Contribuinte e Liberdade de Imposto na sexta-feira passada, 25 de maio, estão impressionados com os resultados. Os pratos que foram vendidos livres dos 32% de impostos tiveram crescimento, superior a 100%.  No restaurante Camarões Potiguar do Midway Mall  prato que entrou na ação, o Camarão a Grega, vendou 1.325% a mais que a média história.  Já o Tábua de Carne da Via Costeira registrou um aumento de 300% nas vendas no prato Risoto Sertanejo. Outro estabelecimento que comemora as vendas é  Fast Grill, nesta sexta-feira  Espaguete Ao Molho Bechamel Com Filé Ao Molho Madeira, teve aumento de 500% de vendas.

Esse ano a ação teve uma adesão maior dos restaurantes aqui em Natal. Ao todo 10 participaram, fato comemorado pelo coordenador do Dia Nacional de Respeito ao Contribuinte e da Liberdade de Impostos em Natal, João Henrique Moura. “A participação dos restaurantes esse ano foi muito boa, conquistamos novos parceiros, e isso fez muita diferença nos resultados. Sem dúvida os números são impressionantes e fica muito claro como a carga tributária pesa realmente no bolso de todos os contribuintes, pois se houvesse uma redução nos impostos, o mercado estaria mais aquecido e a redução tributária seria compensada com o aumento do volume financeiro das vendas”, enfatizou João Henrique.

O Dia Nacional do Respeito ao Contribuinte é uma ação da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), CDL Jovem, CDL Natal e Confederação Nacional de Jovens Empresários (CONAJE). Ele foi instituído pelo Governo Federal, através da Lei nº 12.325/2010, com o propósito de conscientização e reflexão da sociedade e dos poderes públicos sobre a importância do respeito ao contribuinte. A data corresponde ao dia exato em que o brasileiro encerra o período do ano em que só trabalha para pagar tributos.

Acompanhe o resultado das vendas no Dia Nacional de Respeito ao Contribuinte e Liberdade de Imposto

Camarões Potiguar do Midway Mall – 1.325% de aumento  nas vendas do prato Camarão a Grega.

Tábua de Carne Via Costeira – 300% de aumento nas vendas do prato Risoto Sertanejo.

Galo do Alto – 100% de aumento nas vendas do prato Frango Indiano.

Fast Grill –  500% de aumento nas vendas do prato Espaguete Ao Molho Bechamel Com Filé Ao Molho Madeira.

Chinatown – 300% de aumento de vendas do prato  Macarrão Chop Suey.

Only Pizza – 200% de aumento de vendas do prato Pizza Calabresa Gigante.

#CriseGrande: 40% dos hotéis de Pipa estão à venda e taxa de ocupação média não chega a 30%

Quarenta por cento dos 135  hotéis de Pipa, que já foi o roteiro turístico mais festejado do Rio Grande do Norte, estão à venda. A informação é das três imobiliárias da cidade que trabalham na captação de interessados.

Com cinco mil leitos e uma histoória de sucessos entre os principais destinos turísticos do Brasil, Pipa hoje, segundo reconhecem os próprios hoteleiros, não consegue obter mais de 20% de ocupação em média na sua rede durante o ano inteiro.

“Com os custos galopantes da atividade, essa é uma tragédia não só para a hotelaria, mas para toda a economia potiguar”, afirma o presidente da Associação dos Hoteleiros de Pipa, Jean Claude Progin.

Sem qualquer investimento do Estado para proteger essa “galinha dos ovos de ovo” do turismo, lembra Jean Claude, Pipa padece de falta de infraestrutura urbana, de segurança – deficiências compensadas por um zelo excessivo das autoridades ambientais, que multam sem parar hotéis instalados lá há mais de 20 anos.

No ano passado, preocupados com a desconstrução de Pipa como o mais importante destino do Rio Grande do Norte, uma comissão de hoteleiros e empresários que integram a cadeia produtiva do turismo local estiveram com a governadora Rosalba Ciarlini. “Infelizmente, de lá para cá, nada aconteceu”, lamenta Jean Claude.

Empregando 2.500 pessoas, segundo Claude, a cadeia produtiva do turismo em Pipa movimenta tem condições de movimentar até R$ 300 milhões por ano. A crise européia afastou muitos turistas, mas a falta de segurança e episódios evolvendo o assassinato de estrangeiros tem afugentado muita mais gente.

“Já entregamos aos órgãos de segurança um dossiê completo, com nome e endereço, de pessoas envolvidas com tráfico de drogas, mas até agora nada aconteceu”, denuncia Jean Claude.

José Odécio, empresário de turismo de Pipa, diz que a mesma falta de zelo observado na segurança não acontece com os órgãos ambientais, que insistem em aplicar critérios rígidos de proteção a áreas ocupadas há muitos anos. “Daqui a pouco vão querer que qualquer hotel se instale a 100 metros das falésias e, nesse momento, podem fechar Pipa”, desabafa.

Segundo ele, o próprio Ministério Público ignora licenças já concedidas tanto pela Prefeitura quanto pelo Idema e ameaça fechar estabelecimentos que funcionam há anos. “Com toda essa insegurança jurídica não é possível imaginar nenhum empresário se instalando em Pipa”, acrescenta.

Para Jean Claude, com uma Copa à vista em 2014, “não precisaremos de nenhuma bola de cristal para entender que este cenário levará à descapitalização e a decadência da maioria dos hotéis que tiverem uma ocupação inferir a 60% ano, ou seja, quase todos que estiverem instalados em estâncias predominantemente turísticas”.

Fonte: Jornal de Hoje

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Diego_euro disse:

    os gringos donos d maioria dos hóteis, comprados para lavar seu dinheiro sujo sao os próprios culpados, quando da época do boom de pipa triplicaram os preços das diárias e agora estão chorando porque europeu nao tem mais grana pra vir à Pipa!!!
    Nem conseguem chamar o público nacional porque nós preferimos pagar 200 a 300 reais numa diária em Buenos Aires/Santiago ou Miame/Nova York !!!

  2. Diego_euro disse:

    os gringos donos d maioria dos hóteis, comprados para lavar seu dinheiro sujo sao os próprios culpados, quando da época do boom de pipa triplicaram os preços das diárias e agora estão chorando porque europeu nao tem mais grana pra vir à Pipa!!!
    Nem conseguem chamar o público nacional porque nós preferimos pagar 200 a 300 reais numa diária em Buenos Aires/Santiago ou Miame/Nova York !!!

  3. Omar Salgado disse:

    Bruno, vc tem deixado de postar meus comentários, sem motivo aparente. Mas acho que é equívoco, por conta da própria dinâmica célere das atualizações. Bom, vou tentar em relação a este post: a "galinha dos ovos de ouro" está pondo ovos chocos, completamente podres. Isso por conta de uma mistura implacável: ganância e falta de senso de realidade dos empresários e absoluta ausência de governo estadual ou municipal (na educação, saúde, estradas, segurança, etc.). Simples assim. 
    Mas as eleições vêm aí, e tudo vai mudar…

  4. Omar Salgado disse:

    Bruno, vc tem deixado de postar meus comentários, sem motivo aparente. Mas acho que é equívoco, por conta da própria dinâmica célere das atualizações. Bom, vou tentar em relação a este post: a "galinha dos ovos de ouro" está pondo ovos chocos, completamente podres. Isso por conta de uma mistura implacável: ganância e falta de senso de realidade dos empresários e absoluta ausência de governo estadual ou municipal (na educação, saúde, estradas, segurança, etc.). Simples assim. 
    Mas as eleições vêm aí, e tudo vai mudar…

  5. João disse:

    Pousadas cobrando preços de hoteis em capitais.   Restaurantes caros.  Resultado:  João Pessoa, Porto de Galinhas, Maceió ou Aracaju. 

  6. João disse:

    Pousadas cobrando preços de hoteis em capitais.   Restaurantes caros.  Resultado:  João Pessoa, Porto de Galinhas, Maceió ou Aracaju. 

  7. Carlinhos disse:

    Os empresários estão fazendo com Pipa o que fizeram com Ponta Negra, Primeiro transforam em um puteiro, depois passam a cobrar preços proibitivos, gradativamente as pessoas que vão lá não voltam mais. Não é uma coisa de governo, é uma coisa de quem gerencia tais hotéis e posadas, quem dita o preço são os donos, as pessoas não estão deixando de ir por causa das estradas (que é uma porcaria), por causa da segurança ( que é uma fantasia), por causa da saúde ( que não existe). As pessoas deixam de ir porque sabe que com o que gastam em Pipa, é o dobro em qualquer outro destino turístico, até no  exterior. Estive em Montividéu, uma pessoa, filha do dono de um resutarante me disse que esva vindo morar em Pipa e me fez a seguinte pergunta: é verdade que as coisas lá são caras? O que vocês acham?

  8. Carlinhos disse:

    Os empresários estão fazendo com Pipa o que fizeram com Ponta Negra, Primeiro transforam em um puteiro, depois passam a cobrar preços proibitivos, gradativamente as pessoas que vão lá não voltam mais. Não é uma coisa de governo, é uma coisa de quem gerencia tais hotéis e posadas, quem dita o preço são os donos, as pessoas não estão deixando de ir por causa das estradas (que é uma porcaria), por causa da segurança ( que é uma fantasia), por causa da saúde ( que não existe). As pessoas deixam de ir porque sabe que com o que gastam em Pipa, é o dobro em qualquer outro destino turístico, até no  exterior. Estive em Montividéu, uma pessoa, filha do dono de um resutarante me disse que esva vindo morar em Pipa e me fez a seguinte pergunta: é verdade que as coisas lá são caras? O que vocês acham?

  9. Daniel disse:

    A culpa é dos proprios empresários, o custo em Pipa é absurdo, um verdadeiro roubo, eles querem roubar dos gringos e acabam afujentando os Potiguares, que nesse período de baixa de visitantes extrangeiros poderiam ser a salvação deles, o turismo local.

  10. Daniel disse:

    A culpa é dos proprios empresários, o custo em Pipa é absurdo, um verdadeiro roubo, eles querem roubar dos gringos e acabam afujentando os Potiguares, que nesse período de baixa de visitantes extrangeiros poderiam ser a salvação deles, o turismo local.

  11. Adalberto disse:

    Bruno, sempre frequentei Pipa, hoje já não frequento em virtude dos PREÇOS praticados naquela bela praia, por parte de hoteis, comerciantes, passeios, etc.   Além disso vem a violência que é assustadora.   Pela sua reportagem vejo que além de mim, muitas pessoas também deixaram de frequentá-la.

  12. Adalberto disse:

    Bruno, sempre frequentei Pipa, hoje já não frequento em virtude dos PREÇOS praticados naquela bela praia, por parte de hoteis, comerciantes, passeios, etc.   Além disso vem a violência que é assustadora.   Pela sua reportagem vejo que além de mim, muitas pessoas também deixaram de frequentá-la.

Veja os 100 carros mais vendidos no mundo em 2011

O site “gringo” Best Selling Cars Blog publicou, no ultimo sábado (24), uma curiosa lista com os 100 carros mais vendidos do mundo em 2011. Segundo o blog, o ranking foi elaborado com base nos números das próprias montadoras de veículos e de entidades ligadas à indústria automobilística de certos países e regiões. A Toyota já havia alardeado a notícia, e a lista confirmou: o sedã médio Corolla foi o modelo mais emplacado no planeta no ano passado, com um volume impressionante de 1.141.709 unidades.

Embora o primeiro lugar do Corolla tenha não tenha “surpreendido”, o ranking do Best Selling Cars Blog reservou marcas interessantes, a começar pelo segundo lugar da lista. O médio Ford Focus – vendido nas configurações hatch, sedã e perua – foi o nº 2 mundial com 882.551 unidades entregues entre janeiro e dezembro de 2011. Já a terceira e a quarta colocações ficaram com a dupla Golf (864.452) e Polo (788.789), os dois campeões de vendas da Volkswagen ao redor do mundo.

Brasil é representado por Gol, Celta, Uno e Palio

A lista do Best Selling Cars Blog também apontou modelos populares do mercado brasileiro entre os “best sellers” mundiais. O líder Volkswagen Gol apareceu na 24ª posição, amparado pelos emplacamentos da sua versão sedã, o Voyage. A dupla somou 479.135 unidades. Fiat Mille e Novo Uno, outra dupla bastante conhecida dos brasileiros, também consta na lista, na 54ª colocação com 297.234 modelos vendidos. Pouco mais à frente está mais um carro da italiana: o Palio, 63º com 260.279 unidades entregues.

Fechando a participação dos populares nacionais aparece mais uma dupla, os Chevrolet Celta e Prisma. Na relação, os modelos da General Motors brasileira ficaram com a 77ª, garantida pelas 218.628 unidades negociadas. O ranking do Best Selling Cars Blog também traz muitos outros modelos vendidos no Brasil e que fizeram sucesso pelo mundo, entre eles Ford New Fiesta (5º, 767.465), Hyundai Elantra (6º, 751.967), Chevrolet Cruze (8º, 704.691), VW Jetta (10º, 695.159), Honda Civic (17º, 555.071), Toyota Hilux (22º, 490.000) e os Dacia/Renault Logan (44º, 352.424) e Sandero (59º, 282.045).

Confira abaixo os 105 carros mais vendidos do mundo (em unidades), segundo a lista publicada pelo site Best Selling Cars Blog

1) Toyota Corolla – 1.141.709
2) Ford Focus – 882.551
3) VW Golf – 864.452
4) VW Polo – 788.789
5) Ford Fiesta – 767.465
6) Hyundai Elantra – 751.967
7) Wuling Sunshine – 731.689
8) Chevrolet Cruze – 704.691
9) Ford F-Series – 698.319
10) VW Jetta – 695.159
11) VW Passat – 628.097
12) Toyota Camry – 621.679
13) Saipa Pride – 618.265
14) Opel Corsa – 591.505
15) Nissan Tiida/Versa – 568.319
16) Toyota Yaris/Vios – 556.092
17) Honda Civic – 555.071
18) Suzuki Alto – 549.931
19) Hyundai Accent – 541.519
20) Honda CR-V – 530.000
21) Hyundai Sonata – 499.168
22) Toyota Hilux – 490.000
23) Honda Accord – 488.000
24) VW Gol/Voyage – 479.135
25) Chevrolet Silverado – 468.977
26) Renault Clio – 460.000
27) Opel Astra – 457.957
28) Hyundai Tucson/ix35 – 420.649
29) Kia Cerato/Forte – 410.709
30) Foton Forland – 403.000
31) Suzuki Swift/Dzire – 399.446
32) Honda Fit – 399.000
33) Toyota RAV4 – 395.244
34) Skoda Octavia – 389.000
35) Buick Excelle – 388.657
36) BMW 3 Series – 384.464
37) Wuling Rongguang/Xingwang – 382.762
38) Nissan Qashqai – 382.741
39) Chevrolet Aveo – 373.888
40) Mercedes C-Class – 371.382
41) Toyota Prius – 367.627
42) Chevrolet Spark – 362.377
43) Changan Mini Bus – 354.000
44) Dacia Logan – 352.424
45) Mazda3 – 335.000
46) BMW 5 Series/GT – 332.601
47) Kia Sportage – 331.033
48) Audi A4 – 326.427
49) Ford Escape – 323.305
50) Dodge RAM 1500-5500 – 310.368
51) Suzuki Wagon R – 307.739
52) Peugeot 405/Pars – 306.000
53) VW Tiguan – 299.632
54) Fiat Uno – 297.234
55) Citroen C4 – 290.000
56) Nissan Altima – 287.990
57) Peugeot 207 – 285.000
58) Fiat Punto – 282.188
59) Dacia Sandero – 282.045
60) Renault Megane – 281.575
61) Ford Fusion – 279.699
62) Skoda Fabia – 266.800
63) Fiat Palio – 260.279
64) Ford Transit – 254.403
65) Nissan Micra – 254.294
66) DongFeng Mini Bus – 253.000
67) Citroen C3 – 252.000
68) VW Lavida – 247.475
69) Mecedes E-Class – 244.341
70) Nissan Teana/Maxima – 241.233
71) Hyundai i10 – 227.666
72) Chevrolet Malibu – 225.101
73) Honda City – 225.000
74) Audi A6 – 221.805
75) Kia Sorento – 220.783
76) Nissan Sentra/Tsuru – 219.747
77) Chevrolet Celta/Prisma – 218.628
78) Kia Optima – 218.020
79) Nissan Juke – 217.673
80) Chevrolet Equinox – 215.743
81) Toyota Highlander – 215.692
82) Kia Picanto – 213.250
83) FAW Xiali N3/N5 – 207.000
84) Peugeot 308 – 204.000
85) GMC Sierra – 202.965
86) Hyundai i30 – 201.648
87) Chevrolet Sail – 200.946
88) Mini Cooper – 196.024
89) Fiat Panda – 191.365
90) Fiat 500 – 190.969
91) Hyundai Santa Fe – 190.866
92) BYD F3 – 190.000
93) Kia Rio/Pride – 187.717
94) Renault Kangoo – 187.284
95) Seat Ibiza – 183.889
96) Kia Soul – 180.109
97) Hyundai i20 – 179.863
98) Chevrolet Impala – 179.817
99) Dacia Duster – 179.520
100) Ford Mondeo – 178.134

Indústria de veículos bate recorde global de vendas. 75 milhões de carros vendidos em 2011

Apesar de um ano marcado pelo terremoto no Japão -que prejudicou o fornecimento de peças e componentes eletrônicos- e pela crise financeira na Europa, a indústria de veículos mundial se prepara para fechar o ano com um desempenho comercial recorde.

Estudo das consultorias IHS e LMC Automotive estima que as vendas de automóveis e caminhões leves vá terminar o ano com 75 milhões de unidades, alta de 4% em relação a 2010. Crescimento de dois dígitos, como o do ano passado, está descartado.

O Leste Europeu -incluindo os dados da Rússia e da Turquia- e a América do Sul foram as regiões com crescimento mais expressivo.

Para 2012, a IHS prevê aumento de 4% nas vendas, enquanto a LMC arrisca percentual ligeiramente maior, 5%.

Financial Times

Gigante do setor de alimentos compra metade da ALE de Marcelo Alecrim

O empresário potiguar Marcelo Alecrim perdeu 50% do seu maior patrimônio, a rede de postos de combustíveis ALE. Aliás dizer perder seria até uma ofensa para o visionário extrategista gente boa Marcelo Alecrim. Ele e seus sócios, de fato, vendeu 50% da empresa para a multinacional americana Bunge, gigante do setor de alimentos.

O valor do negócio não foi divulgado, mas com uma boa leitura e pesquisa, o blog conseguiu descobrir que o negócio fechado na última semana de novembro foi estimado em R$ 1,2 bilhão. Valor pago parte em dinheiro vivo (R$ 800 milhões) e parte em títulos do Bradesco (R$ 400 milhões).

A rede de postos ALE é a quarta maior do Brasil com mais de 1,8 mil postos espalhados por 21 estados e dona de um faturamento anual superior a R$ 7 bilhões por ano. O negócio ainda não foi divulgado oficialmente no mercado.  Aliás, só será divulgado mesmo em fevereiro, após o grupo Bunge fazer uma auditoria interna para finalizar a compra.

Na antiga composição acionária, 50% do capital da ALE era do grupo mineiro Asamar, do setor de construção civil. O fundo de investimento Darby Overseas Investments detinha a fatia de 26%. Os 24% restantes pertenciam ao potiguar Marcelo Alecrim. Ele, inclusive, foi procurado pelo blog por telefone para confirmar ou não a negocição e como se deu, mas não conseguimos falar com ele.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julio_souza disse:

    lorota

TIM diz que já vendeu mais de 2 mil Iphone 4S em menos de 24 horas

As vendas do iPhone 4S foram iniciadas à meia-noite de quinta-feira mas milhares de fãs do smartphones da Apple já conseguiram garantir o seu celular antes do Natal. Segundo a TIM, foram vendidas mais de duas mil unidades do novo iPhone 4S. Outras operadoras não revelaram números mas afirmaram que a demanda superou as expectativas.

Nas primeiras horas de venda no Brasil, a TIM – que abriu nove lojas durante a madrugada – comercializou dois mil celulares. Segundo a operadora, que teve filas com centenas de pessoas se formando nas portas de suas lojas, em São Paulo, aproximadamente 600 pessoas estiveram no Shopping Eldorado, em busca do aparelho. A TIM disse ainda que adquiriu o triplo de aparelhos em comparação com o lançamento do iPhone 4, em 2010, quando foi resposável por 40% do volume de vendas do aparelho da Apple no país, segundo levantamento do Gartner.

De acordo com as operadora que operam no país, ainda há smartphones iPhone 4S em estoque.

As vendas continuam pelo Brasil, agora com mais lojas vendendo o 4S. Durante a madrugada, apenas os principais estabelecimentos de Oi, Vivo, Claro e Tim iniciaram as vendas. Alguns deles com coquetéis e a presença de celebridades.

O novo iPhone 4S é vendido em três modelos 16GB, 32GB e 64GB. Na Tim são comercializados desbloqueados, com preços a partir de R$ 1.899. Na Oi, o smartphone estará disponível por R$ 1.999,00 para a versão mais barata, de 16 GB, em planos pré-pagos. O aparelho também pode ser resgatados pelo Oi Pontos.

Na Vivo, o aparelho de 16 GB no modelo pré-pago custa R$2.049. Já a Claro oferece o iPhone 4S desbloqueado por R$ 2.149. As operadoras afirmam que as vendas superaram as expectativas e não divulgaram informações sobre o volume de aparelhos em estoque.

A loja da Apple on-line está vendendo o aparelho desbloqueado de 16 GB por R$ 2.599. A versão mais cara, de 64 GB chega a custar R$ 3.399 mil.

Fonte: O Globo

Itunes versão Brasileira já está no AR

Está na folha de hoje,

A versão brasileira da iTunes Store dá sinais de vida.

A página inicial da loja já está toda em português e lista músicas e filmes entre o conteúdo disponível para os clientes do Brasil. Também aparece na página o serviço iTunes Match, que permite ao usuário sincronizar sua discoteca particular com a vasta oferta de música da loja da Apple.

Entre os artistas com álbuns à venda, Roberto Carlos e Marisa Monte aparecem com grande destaque. A lista inclui também, entre outros brasileiros, Nação Zumbi, Belo, Maria Bethânia, Chico Buarque, Maria Rita, Sandy e Victor & Leo.

Reprodução
Reprodução da versão brasileira da iTunes Store
Reprodução da versão brasileira da iTunes Store

Boa parte dos álbuns está à venda por US$ 9,99, mas os preços são variados. Há singles por US$ 0,99 e um box set do Pink Floyd por US$ 119,99, por exemplo.

Vários álbuns já aparecem com sua própria página, que inclui botões para comprar o “disco” inteiro ou canções individuais, além de resenha (atualmente em inglês), trechos das músicas e outras informações da obra.

A seleção de filmes é variada e dá destaque para “Tropa de Elite 2”. Há títulos legendados e dublados. Aparentemente, os preços para aluguel variam de US$ 2,99 a US$ 3,99. Para comprar, o cliente desembolsa de US$ 9,99 a US$ 14,99.

Clientes já estão conseguindo comprar músicas e alugar filmes, segundo o MacMagazine.

Editoria de Arte/Folhapress

iPhone 4S bate recorde de vendas e os estoques já estão esgotados

Está na Ipod School

Mal o iPhone 4S começou a ser comercializado ontem nos Estados Unidos, onde já era possível fazer a pré-reserva, hoje vem a notícia de que os estoques para a entrega no dia 14 de Outubro já estão esgotados.

Hoje quem acessar a página, vai perceber que os prazos para as entregas aumentaram, variando de 1 a 2 semanas.

Ontem quem tentou fazer a pré-reserva e conseguiu, vai receber o iPhone 4S no dia 14 de Outubro, mas ao que parece o número de acessos foi tão grande, que a página da firma de Cupertino  chegou a sair do ar e consequentemente as pré-reservas foram muitas, tantas que rapidamente acabaram os estoques iniciais.

 

A fiél legião de fãs que no início torceram o nariz para o iPhone 4S, aparentemente se deram conta de que realmente esta nova geração do iPhone veio com melhorias importantes no seu hardware, isto sem falar do iOS 5, com todas as suas grandes novidades já conhecidas.

(mais…)

Venda de imóveis no país despenca em 2011

Algumas das maiores construtoras do país venderam menos imóveis novos no primeiro semestre deste ano que no mesmo período de 2010, informa reportagem de Carolina Matos para a Folha.

É o que mostram os balanços das empresas divulgados nesta semana.

A Rossi foi a que teve o maior percentual de redução (26%), seguida por Gafisa (22,1%), Cyrela (10,6%) e MRV (0,6%). A Tecnisa não informou os dados referentes a número de unidades.

Ontem, as ações da Rossi, Gafisa e Cyrela lideraram as baixas do Ibovespa, o principal índice da Bolsa do país.

(mais…)

Redes Sociais ajudam a vender

Renato Cruz – O Estado de S.Paulo

Muita gente fala sobre o protagonismo do Brasil em mídias sociais. Segundo a empresa de pesquisas de mercado comScore, 79,1% dos usuários brasileiros de internet visitaram o Orkut em junho, serviço em que o País é líder. Cinquenta e dois por cento usaram o Facebook e 27% o Twitter. Nos microblogs, o Brasil fica atrás somente da Holanda, em que 31,1% utilizaram o Twitter em junho.

Diante desse cenário, as empresas querem que sua presença nas redes sociais deixe de ser somente um canal de relacionamento com os clientes para transformá-la numa ferramenta de negócios. Ainda no início no Brasil, o chamado “social commerce” já é uma realidade em outros países, como os Estados Unidos.

No mercado americano, uma empresa chamada Payvment é a principal fornecedora de tecnologia para lojas no Facebook. Recentemente, ela lançou um shopping center virtual que reúne mais de 60 mil lojas, criadas por terceiros com o seu aplicativo.

“A expectativa é que, até 2015, o social commerce alcance um faturamento anual de US$ 30 bilhões nos Estados Unidos, o equivalente a 15% do comércio eletrônico americano”, disse Gabriel Borges, fundador da LikeStore, que se inspirou em serviços internacionais como a Payvment para criar uma ferramenta de loja virtual no Facebook para brasileiros. “Nos EUA não é modinha, já pegou.”

(mais…)