VÍDEO: Delegado Waldir reconhece Eduardo Bolsonaro como novo líder do PSL e anuncia, “democraticamente”, retirada de suspensão de parlamentares

Foto: Reprodução

O deputado Delegado Waldir acaba de anunciar, em vídeo, que vai abrir mão da liderança do PSL na Câmara.

“O meu partido decidiu retirar a ação de suspensão de cinco parlamentares e aceitamos, democraticamente, uma nova lista que foi feita por parlamentares.”

Ele continua:

“Já estarei à disposição do novo líder.”

Assista vídeo clicando no link AQUI em matéria na íntegra.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arthur disse:

    Trouxa, enquanto Bolsonaro tava no hospital, esse delegado rodou o Brasil pedindo voto pra Bozo e agora levou essa rasteira, bem feito.

  2. Rafael disse:

    Kkkkk. Tudo combinado, lava a roupa suja na rua depois ganha o dinda e volta atras. Sempre assim. So falta Halseman declarar amor aos Bolsonaro hoje no Roda Viva

  3. Socorro disse:

    Não confio nesse papangú.

  4. Carlos disse:

    Jair Bolsonaro elegeu muitos "caronas", respeitem o Presisente , ele é que tem esse exército de quase 58 milhões de votos nas mãos .

Eduardo Bolsonaro ilustra post com “nota de R$ 3” com rosto de Joice Hasselmann

Foto: Reprodução

Eduardo Bolsonaro ilustrou o post em que ataca Joice Hasselmann nas redes sociais com uma imagem de uma cédula fictícia de R$ 3 estampada com o rosto da deputada.

No Twitter, Joice respondeu:

“Olha só mais um ‘presentinho’ da milícia digital para mim. Anota aí: NÃO TENHO MEDO DA MILÍCIA, NEM DE ROBÔS! Meus seguidores são DE VERDADE, orgânicos. E não se esqueçam que eu sei quem vocês são e o que fizeram no verão passado.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Abel disse:

    É isso aí Capitão MITO.
    Essa caroneira, quer ascender uma vela pra Deus outra pro diabo.
    Merece pé na bumda, pra deixar de ser oportunista.

  2. Arthur disse:

    Esse presidente não consegue controlar os filhos, organizar o partido, imagina o país. Pega fogo cabaré, ainda falta mais de 3 anos.

  3. Mica disse:

    #JB 2022

  4. S vericio disse:

    Vcs acha que Bolsonaro vai alimentar essa deputada pra morder ele lá na frente, ele fez certo tirar ela do bloco dele, veja pesquisa mostra Bolsonaro ganhando novamente, o homem fala a língua do povão, e não é ladrão, é o que importa.

  5. Greg disse:

    Bolsonaro em campanha disse que iria acabar com PT, pelo visto tá acabando com PSL…quem alimenta crocodilo no final é morto pelo bicho.

  6. Alexandre disse:

    Quanto mais mexe mais fede…….mito mito

  7. André Fortes disse:

    Se a Peppa contar o que sabe….Tic tac

LIMITES EXTRAPOLADOS: Grupo Globo diz ter errado em “investigação” da Época e pede desculpas à mulher de Eduardo Bolsonaro: “jornalismo não é imune a erros”

Foto: Reprodução / Instagram

O Conselho Editorial do Grupo Globo, responsável pela publicação da revista Época, divulgou nesta 2ª feira (16.set.2019) nota reconhecendo “erro” e “decisão editorial equivocada” na publicação de uma reportagem sobre a mulher do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), Heloísa Bolsonaro.

A reportagem “O coaching on-line de Heloísa Bolsonaro: as lições que podem ajudar Eduardo a ser embaixador”, escrita pelo jornalista João Paulo Saconi, foi publicada pela revista na última 6ª feira (13.set.2019). Saconi narra a experiência de vivenciar 5 sessões de coach com Heloísa via webcam.

Segundo a nota divulgada nesta 2ª, o Conselho Editorial do Grupo Globo avalia que o erro da Época foi “tomar Heloísa Bolsonaro como pessoa pública ao participar de seu coaching on-line“.

A revista ponderou que a mulher de Eduardo Bolsonaro leva uma vida discreta, não participa de atividades públicas, e que por isso, não pode ser considerada uma figura pública. “Foi um erro de interpretação que só com a repercussão negativa da reportagem se tornou evidente para a revista“, desculpou-se o Grupo Globo.

A nota do Conselho Editorial do Grupo Globo contradita totalmente o que a revista Época havia publicado anteriormente, em 13 de setembro de 2019.

Na nota da última 6ª feira, Época sustentou que a reportagem havia sido produzida com “respeito à ética e a retidão dos procedimentos jornalísticos”. Eis a íntegra da nota divulgada anteriormente:

“ÉPOCA reafirma o respeito à ética e a retidão dos procedimentos jornalísticos que sempre pautaram as publicações da revista. A reportagem em questão não recorreu a subterfúgios ou mentiras para relatar de maneira objetiva — a bem do interesse do leitor — um serviço oferecido publicamente, com cobrança de taxas divulgadas nas redes sociais.”

EIS A ÍNTEGRA DA NOVA NOTA DO GRUPO GLOBO:

“Como toda atividade humana, o jornalismo não é imune a erros. Os controles existem, são eficientes na maior parte das vezes, mas há casos em que uma sucessão de eventos na cadeia que vai da pauta à publicação de uma reportagem produz um equívoco.

Foi o que aconteceu com a reportagem “O coaching on-line de Heloisa Bolsonaro: as lições que podem ajudar Eduardo a ser embaixador”, publicada na última sexta-feira. ÉPOCA se norteia pelos Princípios Editoriais do Grupo Globo, de conhecimento dos leitores e de suas fontes desde 2011. Mas, ao decidir publicar a reportagem, a revista errou, sem dolo, na interpretação de uma série deles.

É certo que em sua seção II, item 2, letra “h”, está dito: “A privacidade das pessoas será respeitada, especialmente em seu lar e em seu lugar de trabalho. A menos que esteja agindo contra a lei, ninguém será obrigado a participar de reportagens”. A letra “i” da mesma seção abre a seguinte exceção: “Pessoas públicas – celebridades, artistas, políticos, autoridades religiosas, servidores públicos em cargos de direção, atletas e líderes empresariais, entre outros – por definição abdicam em larga medida de seu direito à privacidade. Além disso, aspectos de suas vidas privadas podem ser relevantes para o julgamento de suas vidas públicas e para a definição de suas personalidades e estilos de vida e, por isso, merecem atenção. Cada caso é um caso, e a decisão a respeito, como sempre, deve ser tomada após reflexão, de preferência que envolva o maior número possível de pessoas”.

“O erro da revista foi tomar Heloisa Bolsonaro como pessoa pública ao participar de seu coaching on-line. Heloisa leva, porém, uma vida discreta, não participa de atividades públicas e desempenha sua profissão de acordo com a lei. Não pode, portanto, ser considerada uma figura pública. Foi um erro de interpretação que só com a repercussão negativa da reportagem se tornou evidente para a revista.

Em sua seção 1, item 1, letra “r”, os Princípios Editoriais do Grupo Globo determinam: “Quando uma decisão editorial provocar questionamentos relevantes, abrangentes e legítimos, os motivos que levaram a tal decisão devem ser esclarecidos”. E o preâmbulo da mesma seção estabelece com clareza: “Não há fórmula, e nem jamais haverá, que torne o jornalismo imune a erros. Quando eles acontecem, é obrigação do veículo corrigi-los de maneira transparente”.

É ao que visa esta Carta aos Leitores. Explicar o que levou à decisão editorial equivocada, reconhecer publicamente o erro e pedir desculpas a Heloisa Bolsonaro e aos leitores de ÉPOCA.”

Com informações do Diário do Poder com Época

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Canhoto disse:

    Depois do acontecido, sacaneado a profissional, uma simples desculpa não conserta qualquer maldade. O jornalista fez toda a safadeza em comum acordo com a revista. O propósito era desmoralizar e atingir familiares do Presidente.

  2. Ivan disse:

    Matéria apelativa e sensacionalista…A grande imprensa, na ânsia de contra-atacar a diminuição de verbas públicas, segue perdendo credibilidade…e a ferida da péssima qualidade de nosso jornalismo segue aberta…

  3. Herculano disse:

    Esse grupo manipula as pessoas.
    Muitos fazem e acha normal a programação da emissora, precisa ser fechada, e não abrir nunca mais, em nome dos bons costumes.

  4. Carlúcio disse:

    BG
    Isso é fichinha em relação o que os meninos de Bolsonaro faz nos bastidores.

  5. joaozinho da escola disse:

    Tradicionais jornais estao perdendo leitores pra o novo jornalismo de pequenos jornais. Foice de SP, Estadao, O GLobo, Veja, Epoca etc ja nao convence mais o leitores porque manipulam com textos direcionados aos interesses de grupos politicos. E nao da pra viver apenas de paitrocinio eleitoreiro e dinheiro de estatais. A politica nao é visto pela populacao como algo serio, pq o voto obrigatorio faz com que se eleja de lulas a tiriricas.

  6. paulo disse:

    BG
    Isso é uma vergonha, essa rede esgoto precisa ser levada a justiça.

EMBAIXADA BRASIL-EUA: Parecer de Advocacia do Senado não vê nepotismo no caso de Eduardo Bolsonaro

Foto: Reprodução/Instagram

A Advocacia do Senado Federal deu parecer favorável, na terça-feira (3), à indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro, para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

A consulta ao órgão foi feita pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), para verificar a aplicabilidade da Súmula Vinculante nº 13 do STF (Supremo Tribunal Federal) à nomeação de chefe de missão diplomática permanente.

A decisão do tribunal trata sobre “a nomeação de cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção, chefia ou assessoramento, para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou, ainda, de função gratificada na administração pública direta e indireta em qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, compreendido o ajuste mediante designações recíprocas, viola a Constituição Federal’.

O parecer, publicado pelo órgão, considerou que a indicação de Eduardo não configura nepotismo e que não desrespeita a súmula.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rogério Rocha disse:

    Nem os maiores ditadores tiveram tamanha coragem…

  2. Bozó disse:

    Pra se dar bem na vida tem que saber fritar hamburger …. e tome peia…

  3. Delano disse:

    Só não é nepotismo, mandar Flávio bolsonaro pra papuda. Ele merece, sem sombra de dúvidas.

Eduardo Bolsonaro e ministro Ernesto Araújo terão encontro com Trump nos EUA nesta sexta

Foto: Reprodução/TV Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (29) que um dos seus filhos, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e o ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores) viajarão para os Estados Unidos, onde terão um encontro com o presidente Donald Trump.

Ele fez a afirmação em discurso no Palácio do Planalto, durante cerimônia de lançamento de um programa para enfrentamento de crimes violentos.

De acordo com o deputado Eduardo Bolsonaro, ele e o ministro viajam nesta quinta-feira para se encontrar com Trump na sexta-feira (30).

O parlamentar disse que deverá tratar na reunião da recente reunião de cúpula do G7, da preservação da Amazônia e de relações comerciais.

Bolsonaro já anunciou que pretende indicar o filho para comandar a embaixada do Brasil em Washington, mas ainda não oficializou a indicação ao Senado, responsável por aprovar nomes de embaixadores.

Trump já elogiou Eduardo Bolsonaro, e o governo norte-americano deu o aval formal para a indicação dele como embaixador, o chamado “agrément”.

Na cerimônia desta quinta, além de informar sobre a viagem, Bolsonaro agradeceu Trump pela “defesa do Brasil” durante a cúpula do G7 (grupo dos sete países mais ricos), marcada por críticas do presidente da França, Emmanuel Macron, ao aumento das queimadas na floresta amazônica. Bolsonaro e Macron trocaram farpas nos últimos dias em razão do assunto.

“Eduardo Bolsonaro daqui a pouco viaja para os Estados Unidos. Vai se encontrar com o Donald Trump. Eu quero agradecer publicamente aqui o senhor Donald Trump, a sua defesa do Brasil por ocasião do encontro do G7”, disse Bolsonaro.

“Espero que o Ernesto seja bem sucedido na viagem, bem como o Eduardo, nesse encontro nos Estados Unidos. Nosso governo, como mudou a direção, nós vamos cada vez mais nos aproximar de países que servem de exemplo para nós, que têm os índices melhores, levando-se em conta grande parte do mundo. São esses exemplos que devemos procurar”, acrescentou.

O presidente também agradeceu o trabalho de Trump para que o Brasil seja aliado extra-Otan [Organização do Tratado do Atlântico Norte], com benefícios na área de defesa, e para que o país ingresse na a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Claudio disse:

    Os dois vão sair assados, kkkk

  2. Alexandre disse:

    HOMI TIRA ESSE DOIDO DAI PELO AMOR DE DEUS….

    • #Lula Na Cadeia sempre disse:

      E coloca um ladrao condenado Lula

    • Bozo Encantador de Asno disse:

      Quem falou de Lula? Ele tá preso. Tem que colocar um profissional de carreira, preparado.

    • Ricardo disse:

      Verdade, bota os que eram de lula, que fizeram negociata com cuba, Venezuela, bolivia, nicaragua, ditaduras africanas, e provocaram um rombo no BNDES de 500 bilhões de reais. Esse aí, é amador.

Juiz federal não acolhe pedido para barrar nomeação de Eduardo Bolsonaro e diz que cabe aos senadores aprovarem ou não

Foto: Agência Câmara

A ação popular alegava que o deputado federal Eduardo Bolsonaro não tem mérito suficiente para ocupar o posto, tendo até dito que seu principal atributo seria saber falar inglês. A nomeação seria, portanto, uma atitude não republicana do presidente Jair Bolsonaro.

O magistrado da 1ª Vara Federal de Belém afirma que a lei determina que cabe ao presidente nomear o embaixador e aos senadores aprovarem ou não. Interferência do Judiciário iria ferir a separação dos Poderes.

Veja decisão aqui no portal Justiça Potiguar.

‘Serei embaixador mais cobrado do mundo’, diz Eduardo sobre possível aprovação

Foto: TV Globo/Reprodução

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou nesta sexta-feira, 9, que, se for aceita sua indicação à Embaixada do Brasil em Washington, será o embaixador “mais cobrado do mundo”. O parlamentar esteve em reuniões hoje no Itamaraty e no Senado para tratar de sua nomeação. Depois de se reunir com o chanceler Ernesto Araújo nesta manhã, o filho do presidente conversou à tarde com o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), provável relator de sua indicação no Senado.

“Independente da resposta que vier, sendo positiva ou negativa, eu vou aceitar. Caso positiva, irei para os Estados Unidos sabendo da responsabilidade. Sabendo que eu serei, provavelmente, o embaixador mais cobrado do mundo”, afirmou o filho do presidente Jair Bolsonaro.

O parlamentar afirmou que a visita a senadores é uma “praxe” e um “rito” de indicados a postos diplomáticos do País no exterior e que espera “quebrar o gelo” com os parlamentares que ainda não o conhecem.

“Vamos abrir um canal de comunicação, dialogar com alguns senadores como estou fazendo aqui agora com o senador Chico Rodrigues e tentar quebrar o gelo para com aqueles que ainda me conhecem pouco”, afirmou o deputado.

Na manhã desta sexta-feira, o presidente Bolsonaro afirmou que deve enviar o nome de Eduardo ao Congresso no início da semana que vem. “Pode ser segunda, terça”, disse à imprensa.

Eduardo Bolsonaro esteve pela manhã com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em uma reunião privada no Itamaraty. Nenhum dos dois falou com a imprensa. O filho do presidente afirmou que o agrément confirma o gesto de “apoio e a confiança já expressos” pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Em nota, o parlamentar falou que o “sinal verde” do governo americano para que ele assuma o cargo de embaixador é “motivo de o orgulho”. Na quinta-feira, o governo americano concedeu o agrément para que Eduardo assuma a embaixada brasileira em Washington.

A indicação de Eduardo Bolsonaro ainda precisa passar pelo Senado. O parlamentar tem que ser sabatinado na Comissão de Relações Exteriores e depois ter seu nome submetido ao Plenário da Casa. Independentemente da aprovação ou rejeição na comissão, o plenário pode aprovar ou rejeitar a indicação.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antônio disse:

    Palhaço 02

Trump elogia indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada

Foto: Reprodução/Eduardo Bolsonaro/Instagram

A repórter Raquel Krähenbühl, da GloboNews, perguntou a Donald Trump o que ele achava de Jair Bolsonaro ter indicado o filho Eduardo para ser embaixador do Brasil em Washington.

O presidente dos EUA deu a entender que não sabia da indicação, mas a elogiou: “grande escolha”. Afirmou que conhecia Eduardo e que, provavelmente, havia sido por isso que Bolsonaro o indicou.

Questionado sobre nepotismo, Trump disse achar que não era o caso e acrescentou que o deputado federal ajudara muito seu pai na campanha.

O Antagonista e Globo News

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julia disse:

    Claro o cara sabe fritar hambúrguer afinal.

Ministro italiano Salvini celebra indicação de Eduardo Bolsonaro à embaixada dos EUA

Foto: Diário do Rio

Matteo Salvini, vice-primeiro ministro da Itália, celebrou a indicação de Eduardo Bolsonaro para o posto de embaixador do Brasil nos Estados Unidos. “Feliz que o amigo Eduardo Bolsonaro tenha sido indicado como o próximo embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Nosso abraço da Itália”, publicou em uma rede social nesta quarta-feira (17).

O presidente Jair Bolsonaro disse que indicará seu filho Eduardo como embaixador do Brasil em Washington. Para que a nomeação seja efetivada, é preciso receber um aval do governo dos Estados Unidos em recebê-lo (o chamado agrément) e que a indicação seja aprovada pelo Senado brasileiro.

É raro que um ministro de um país celebre em público a possível nomeação de um embaixador estrangeiro, ainda mais para ocupar um posto em um terceiro país. Salvini também é ministro do Interior e líder do partido A Liga, de direita nacionalista. Considerado o homem mais forte do governo italiano, ele se reuniu com Eduardo em Roma em abril.

No encontro, transmitido em redes sociais, o italiano entregou ao brasileiro o texto de uma lei recém-aprovada que deixa de punir excessos em casos de legítima defesa, e disse esperar que a ideia seja copiada no Brasil. Como Eduardo, Salvini também faz parte do The Movement, projeto internacional criado pelo estrategista Steve Bannon para unir partidos de direita nacionalista de diversos países.

Em fevereiro, Bannon nomeou Eduardo como líder do grupo na América do Sul. Salvini havia se juntado à plataforma em setembro de 2018. Bannon foi estrategista do presidente dos EUA, Donald Trump, na campanha de 2016 e esteve no governo por sete meses. Ele renunciou após se desentender com Trump.

Salvini também é próximo do premiê húngaro Viktor Orbán e de Vladimir Putin. O presidente russo se visitou a Itália no início do mês e se reuniu com ele. Na semana passada, surgiram denúncias de que o partido de Salvini teria recebido US$ 65 milhões (R$ 244 milhões) enviados pela Rússia via caixa dois, o que o italiano nega.

Como ministro, Salvini adota uma postura dura contra a imigração. Seu governo fechou os portos da Itália a barcos de ONGs humanitárias que resgatam refugiados à deriva, por acusá-las de cumplicidade com traficantes de pessoas. A ONU condenou a medida.Na terça (15), o ministro anunciou que também pretende mapear e expulsar ciganos que estejam vivendo no país. Grupos itinerantes, como os Romanis e os Sintis, vivem na Europa desta forma há séculos.

Folhapress

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fagner disse:

    Assador de hambúrguer.

    • disse:

      Melhor são os que torraram 500 bilhões de reais do sangue e suor dos brasileiros, através de empréstimos autorizados fraudulentamente a cuba, Venezuela, Nicarágua e ditaduras africanas, objetivando propinas de bilhões, para engordar as contas bancárias no Brasil e mundo afora, além de muito dinheiro na cueca e em aviões da petralhada. Usurpadores!

  2. Carlos Bastos disse:

    Esse ministro babaca da Itália é da Extrema Direita.

  3. Bento disse:

    Olha os países se pronunciando favoravelmente.

    • Anti-Politico de estimação disse:

      Até agora só esse "parça" do boy de Bolsonaro se pronunciou.

  4. Dilmanta disse:

    Se o italiano desinformado está elogiando, é pq tem coisa muito perniciosa pra muitos e proveitosa para alguns e que vai cair nas mãos do Zero Dois… Nepotismo!!!!!

Alexandre Frota pede afastamento de Eduardo Bolsonaro como presidente do PSL paulista

Alexandre Frota pediu o afastamento de Eduardo Bolsonaro como presidente do diretório paulista do PSL.

Ele disse que Eduardo Bolsonaro nunca compareceu a uma reunião do partido.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    Nem o próprio partido se entende.

  2. Manoel disse:

    Muito falatório de ambas as partes.

Malafaia: Eduardo Bolsonaro ajudaria mais o governo ‘parando de falar asneira’

O pastor Silas Malafaia apoia o governo Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/YouTube

Apoiador do governo Jair Bolsonaro, o pastor Silas Malafaia publicou no Twitter críticas ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), um dos filhos do presidente. Ele fez menção à fala de Eduardo sobre brasileiros em situação ilegal nos Estados Unidos. Para Eduardo, essas pessoas são “uma vergonha” para o País.

“O filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, ajudaria muito mais ao governo do seu pai parando de falar asneira”, escreveu o pastor na noite de domingo, 17. “Poderia ter ficado de boca fechada na questão dos imigrantes ilegais brasileiros. Não conhece a realidade da questão. A maioria, quase que absoluta, vai para trabalhar.”

O pastor disse ainda não ter vergonha dos imigrantes em situação ilegal e afirmou que, na maioria dos casos, essas pessoas tentam fugir do desemprego. “Não tenho vergonha dos brasileiros ilegais q estão em diversas nações poderosas. Não são vagabundos nem pilantras, pelo contrário, trabalhadores que foram tentar a vida fugindo do desemprego”, escreveu.

A fala de Eduardo Bolsonaro aconteceu ao fim de evento organizado pelo ex-estrategista do presidente norte-americano Donald Trump, Steve Bannon, em Washington, prévio à chegada de Jair Bolsonaro à capital americana, no domingo, 17. Ele justificou o fato de os Estados Unidos não oferecerem reciprocidade ao Brasil para isentar turistas de visto para entrada no país. Segundo Eduardo, há mais brasileiros que passariam a viver ilegalmente nos EUA com isso

Não é a primeira vez que Silas Malafaia utiliza o Twitter para discordar do filho do presidente e sugerir a ele que se cale. No início do mês, o pastor criticou uma declaração de Eduardo sobre a saída do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da prisão para participar do enterro do neto Arthur.

“Perdeu uma ótima oportunidade de ficar de boca fechada”, disse. “O sábio Salomão já dizia que até o tolo quando se cala, se passa por sábio”. Eduardo havia escrito também no Twitter que o debate sobre a possibilidade de Lula deixar a prisão em Curitiba por causa do luto só o colocava “em voga posando de coitado”.

Diário de Pernambuco, com Agência Estado

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tico de Adauto disse:

    Acordou agora? Vc ajudou a eleger o presidente tosco.

  2. paulo martins disse:

    E Ricardo Boechat lá em cima, sentado naquela nuvem, só ouvindo.

  3. Sougaviao disse:

    O q o povo deseja e espera do governo é o básico, ou seja: governar, parar de falar mal dos outros, para de jogar pra galera, incentivando o ódio e a divisão da sociedade. Até agora foi uma trapalhada em cima de outra.

  4. QUEM? disse:

    Só mostra que o Malafaia se informa pela midia podre. kkkk

  5. Ceará-Mundão disse:

    Os dois calados são dois poetas.

    • Sougaviao disse:

      Caro Ceará Mundão,
      Feio ñ é errar, é permanecer no erro. Admita. Até agora, foi uma mancada em cima de outra do Bozo. Até o seu mentor intelectual (Olavo Carvalho), já admite. Só os fanáticos ñ enxergam.

    • Ceará-Mundão disse:

      Esse Ceará-Mundão acima é apenas um plágio. Seja mais criativo, amigo, e crie seu próprio pseudônimo. Quanto a esse tal gavião, vc e todos os demais esquerdopatas precisam adquirir algum juízo e deixar de torcer contra e dizer tanta bobagem. O novo governo já enviou ao Congresso duas excelentes propostas, a de Reforma da Previdência e a de segurança e combate à corrupção. Ministérios foram cortados, assim como muitos cargos comissionados. Muitos "bandidos vermelhos"já foram expurgados da máquina pública. Nesses dias foram privatizados aeroportos com quase 1.000% de ágio sobre o valor inicialmente previsto. Diversas licitações e contratos fraudulentos foram cancelados. Estamos iniciando uma "revolução branca" no país, desfazendo toda a desgraça cometida pelo PT e seus aliados. E gente como vc nunca irá mesmo gostar, é óbvio. Suas "boquinhas" estão acabando, "cumpanhero". Mas, ainda lhes restam recorrer a Fatão. Até quando?

Eduardo Bolsonaro condena ditaduras em Cuba e Venezuela: “escória da humanidade”

Foto: Ueslei Marcelino / Reuters

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, foi eleito presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara. Foram 25 votos a favor e 8 em branco. Por acordo entre os partidos, a comissão ficou com o PSL e Eduardo Bolsonaro foi candidato único.

Ao tomar posse como presidente da comissão, em um breve discurso, Eduardo Bolsonaro classificou “escória da humanidade” os governos autoritários em Cuba e Venezuela. O Globo, curiosamente, classificou e ainda estampou manchete dizendo que o filho do presidente “chamou Cuba e Venezuela de escória da humanidade”.

— Vamos virar a página de nos aliarmos apenas com a escória da humanidade, com países como Cuba e Venezuela, que têm um povo maravilhoso. No entanto, não podemos corroborar práticas autoritárias como ocorre com o povo cubano, onde há anos ocorre racionamento de alimentos, ou na Venezuela, onde as pessoas estão morrendo de fome em virtude de uma ditadura ligada ao tráfico de drogas e ao terrorismo — afirmou Eduardo Bolsonaro.

O que interessa da notícia

O deputado também afirmou na posse que uma das prioridades da comissão será “a crise humanitária que assola a Venezuela”, descrita por ele como “acima de qualquer discussão ideológica”. O “03”, como é chamado pelo presidente, disse que é necessário “ter compaixão com os venezuelanos”, que “já não encontram nem cachorros na rua para comer”.

— Com o presidente Jair Bolsonaro, ao lado de Iván Duque, na Colômbia, Donald Trump, nos Estados Unidos, Mauricio Macri, na Argentina, Sebastián Piñera, no Chile, e Mario Abdo Benítez, no Paraguai, há esperança — afirmou.

Ele também afirmou que a “abordagem com alguns parceiros estratégicos que nos últimos anos foram deixados de lado, como os Estados Unidos, com os quais podemos acrescentar muito em questões comerciais e de segurança, será retomada”.

O mandato à frente da comissão é de um ano e o deputado já declarou que não pretende se reeleger para o cargo. Eduardo decidiu presidir a comissão para reduzir críticas que vinha recebendo por sua atuação internacional como representante do pai, sem que tivesse nenhuma função ligada à diplomacia. Ele chegou a fazer um tour por Estados Unidos, Colômbia e Chile, após a eleição de Bolsonaro, sem acompanhamento de nenhum diplomata do Itamaraty, o que gerou críticas de funcionários de carreira da área.

Apesar disso, o deputado mantém boa relação com o ministro Ernesto Araújo, e vai acompanhar o pai na visita aos Estados Unidos, que começa no domingo.

O vice-presidente da comissão será o deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP), descendente da família real.

Com acréscimo de informações de O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fagner disse:

    Família toda desajustada.

  2. Antonio disse:

    Engraçado como ele esqueceu da ditadura dos laranjas que impuseram aos funcionários do gabinete do deputado uma "Mesada" para repassar ao chefe. KD o Queiroz que sumiu? O povo esqueceu ligeiro demais

  3. Tico de Adauto disse:

    Louco de pedra.

  4. Hudyson disse:

    Condena-se tanto as ditaduras em Cuba e Venezuela, no entanto, não ouço ninguém condenar a ditadura na Arábia Saudita. Interessante que, no país sul-americano, deporta-se jornalistas ou correspondentes dos EUA, que criticam o governo. Por sua vez, no país árabe, o jornalista que faz oposição, simplesmente, desaparece, como ocorreu com Jamal Khashoggi.

  5. HENRIQUE disse:

    Faltou ele comentar sobre o ditador da Bolívia Evo Moralez amiguinho do pai dele

Eduardo Bolsonaro nega que esteja negociando troca de partido; deputado diz em rede social que não participa da formação ou resgate da UDN

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), durante cerimônia de posse da Câmara Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/01-02-2019

O deputado federal Eduardo Bolsonaro , filho do presidente Jair Bolsonaro, negou que estivesse participando de qualquer negociação para a formação ou refundação de um novo partido. A negativa foi publicada em rede social, na manhã desta segunda-feira, após Marcos Vicenzo, representante da futura sigla União Democrática Nacional , que pretende ser uma reedição da antiga UDN , dizer ao GLOBO que enxergava como “via natural” a ida do clã Bolsonaro para o novo partido.

A aproximação e possível migração dos filhos do presidente para a nova UDN foi noticiada no domingo pelo jornal “Estado de S. Paulo”.

Ao GLOBO, Marcos Vicenzo, que é responsável por atrair parlamentares interessados em ingressar na sigla, negou que haja conversas concretas com interlocutores do PSL. Ele disse também que ainda não tratou do tema com o deputado Eduardo Bolsonaro (SP), uma das principais lideranças do partido, mas espera que as tratativas sejam iniciadas como desdobramento de convites que vem fazendo a diversos grupos.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mendes disse:

    Com esse 🍊🍊🍊🍊🍊🍊🍊será que esse GOVERNO vai ter moral para chegar pelos menos o fim dos primeiros 4 anos.

  2. Fagner disse:

    Um dos loucos da família.

  3. Manoel disse:

    Quando o povo brasileiro vai ver que a Globolixo e seus canais são contra o presidente, mais vão ter que engolir por 8 anos que o Brasil está indo no rumo certo.

    • Pedro disse:

      Kkkkkkkkkkk
      45 dias já tá pegando fogo o circo, não dou um ano
      🍊🍊🍊🍊🍊🍊🍊🍊🍊

Eduardo Bolsonaro: “É impressionante como parte da imprensa mente. Nunca namorei, beijei, saí ou segurei na mão dessa pessoa”, sobre matéria do Extra, com “indiretas” da polêmica jornalista Patrícia Lélis

Jornal Extra deu espaço a polêmica Patrícia Lélis, com a matéria “Jornalista que namorou Eduardo Bolsonaro posta indiretas, e deputado é apontado como alvo”, e revoltou filho do presidente da República.

“É impressionante como parte da imprensa mente. Nunca namorei, beijei, saí ou segurei na mão dessa pessoa que tem como profissão querer de todas as formas holofotes as custas de políticos – vide suas “estórias” e boatos com outros deputados. Lamentável tamanha baixaria”, encerrou em post na rede social Instagram.

Eduardo Bolsonaro viajará aos Estados Unidos para se reunir com representantes do governo de Donald Trump mirando aproximação

O deputado federal Eduardo Bolsonaro usou sua conta no Twitter para afirmar que viajará para os Estados Unidos para se reunir com representantes do governo de Donald Trump.

“A viagem que farei será parte de um esforço inicial de aproximação e boa vontade entre o Brasil e os EUA, duas nações amigas que foram afastadas nos últimos anos por motivos ideológicos. A iniciativa partiu de um think tank americano, que enviará mais detalhes da agenda em breve.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Capacho. O pai beijou a bandeira americana o filho agora vai tb