Lula planeja viajar pelo Brasil para reorganizar oposição ao governo

Foto: Edilson Dantas / O Globo

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula vai pedir nesta sexta-feira sua imediata liberdade à 12ª Vara de Execuções Penais (VEP) de Curitiba. Caberá à juíza Carolina Lebbos autorizar a soltura do petista e de outros presos na mesma situação, como o ex-ministro José Dirceu .

A decisão, no entanto, não é automática. O juiz de execução pode ainda decretar prisão preventiva do petista, se assim for pedido pelo Ministério Público e se considerar que existem os requisitos previstos em lei para isso — como, por exemplo, periculosidade do réu e risco de fuga. Não há prazo definido em lei para que ele se manifeste.

Caso Lula seja solto hoje, ele terá ficado 580 dias na cadeia. Nas conversas que manteve nas semanas que antecederam a decisão de ontem do STF, Lula deixou claro aos seus aliados que, ao ganhar a liberdade, dois pontos vão marcar a sua atuação política: não fará inflexão ao centro nem empunhará a bandeira de deslegitimar o governo do presidente Jair Bolsonaro , como em eventual campanha por impeachment.

Nova oposição

Lula planeja viajar o país e tentar fortalecer a oposição ao governo. Também está previsto um giro internacional para se encontrar com personalidades que se manifestaram contra a sua prisão. Mas o primeiro ato do petista ao ser libertado será em Curitiba , em frente à Polícia Federal . O ex-presidente quer prestar uma homenagem aos simpatizantes que ficaram em vigília no local durante um ano e sete meses. A expectativa é que também ocorra um comício em São Paulo ou São Bernardo do Campo, em seguida.

— Ao sair daqui, ele está querendo preparar um grande pronunciamento à nação — afirmou João Paulo Rodrigues, da coordenação nacional do MST, depois de visitar o petista em sua cela na Polícia Federal do Paraná, na tarde ontem.

A possibilidade de adotar um caminho político de centro chegou a ser discutida por petistas próximos a Lula. Com Bolsonaro seguindo por uma linha que os dirigentes do partido classificam como de extrema-direita, uma inflexão ideológica poderia ajudar o PT a recuperar o terreno perdido na sociedade. Mas, após debates, a conclusão foi que a legenda enfrenta rejeição muito mais pelas denúncias de corrupção e pela acusação de que as medidas econômicas do governo Dilma Rousseff quebraram o país do que propriamente por questões ideológicas.

— O Lula me falou: avisa lá para os sem-terra que eu vou sair mais à esquerda do que eu entrei — disse Rodrigues.

A recuperação da imagem do PT se dará, na visão dos dirigentes partidários, aos poucos, impulsionada pelo desgaste de Bolsonaro. Na estratégia traçada, Lula pode impulsionar esse sentimento ao frisar em seus discursos as consequências para a população das medidas que vêm sendo adotadas, principalmente na área econômica. Um antigo aliado destaca a “capacidade de Lula de explicar de maneira simples um assunto complexo”. Esse mesmo aliado aposta que Lula evitará entrar em bate-bocas com o atual presidente.

Esses embates poderiam impulsionar um antipetismo e promover um reagrupamento do campo político de Bolsonaro, que vem se dividindo desde o início do mandato.

Moro na mira

Mesmo com o desgaste do governo, Lula e seus aliados não entendem que exista clima para mobilizar a sociedade para abreviar o mandato do atual presidente por meio de um impeachment. O PT tem 54 dos 513 deputados.

A mesma lógica vale para a decisão do partido de não tentar no momento levantar bandeira por mudanças na Lei da Ficha Limpa, o que permitiria a Lula recuperar os seus direitos políticos e se candidatar a presidente em 2022. A decisão de ontem do STF não mexeu nisso.

O caminho visto pelos petistas como mais possível para que Lula recupere o direito de se candidatar está no julgamento da suspeição do então juiz Sergio Moro. Assim, mesmo em liberdade, o ex-presidente manterá o discurso de que os processos contra ele são resultado de perseguição política para pressionar o Supremo a colocar em julgamento o habeas corpus que questiona a atuação do ex-magistrado na condução do processo do tríplex do Guarujá.

Mas, apesar de animar o partido, há gente no PT mais cuidadosa. Um deputado federal influente diz que parte da direção se ilude achando que basta Lula sair da cadeia para que todos os integrantes do partido se resolvam. O partido precisa, segundo esse parlamentar, definir a sua tática política e eleitoral e ter claro que ainda enfrenta resistência na sociedade.

Antes de eventualmente soltar o ex-presidente, a VEP ainda pode solicitar a manifestação do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal sobre o caso, e até mesmo acerca da logística de uma eventual saída do petista de Curitiba para São Paulo.

— Uma vez que existe um juiz de execução penal, cabe a este tomar a decisão sobre a necessidade de liberação do condenado. Ou seja, a defesa faz o pedido e o juiz da VEP o aprecia levando em consideração a decisão do STF. Não há um prazo definido em lei , mas a urgência das questões discutidas exige resposta rápida — diz o doutor em direito penal pela USP Conrado Gontijo.

O professor de Direito penal da USP Gustavo Badaró, por sua vez, entende que o pedido da defesa deve ser feito diretamente ao Tribunal Regional Federal da 4ª(TRF4), que foi quem manteve a condenação do ex-presidente no caso do tríplex do Guarujá e deu a ordem para a execução de sua prisão. Nesse caso, após ser questionado pela defesa, o TRF-4 comunicaria a VEP sobre a necessidade de cumprir a decisão do STF e soltar o petista.

O ex-presidente vinha evitando nos últimos dias falar diretamente sobre a possibilidade de liberdade para não correr o risco de se frustrar. Mesmo assim, deixou transparecer algumas estratégias e chegou pedir que as suas falas em entrevistas na cadeia fossem analisar para saber se o tom estava adequado.

Apoio da Argentina

Lula deve ajudar o PT a tentar viabilizar candidaturas para as eleições municipais do ano que vem. O partido tem enfrentado dificuldade para lançar nomes com boas chances em cidades importantes. A expectativa é que o ex-presidente seja um cabo eleitoral ativo. Dentro da linha de ação definida, os aliados de Lula entendem que será necessário recuperar o eleitorado pobre que aderiu ao bolsonarismo.

Na noite da quinta-feira, o presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, se comunicou com dirigentes do PT para expressar sua satisfação pela decisão do STF .

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flavio disse:

    Terminar de ensinar como roubar e não ser preso, porque o dele falhou. Kkkkkkk foi reprovado. Cadeia muito pra esse safado é pouco.

  2. Carlos disse:

    Ser oposição ao que está dando certo?
    Vai se aquietar, Lula.
    Vai curtir tua vida em paz.

  3. Sebastião disse:

    Escapa da justiça dos homens, agora da divina, que é a mais importante, jamais irá escapar.

Eduardo Bolsonaro defende edição de um novo AI-5 para conter excessos da oposição

Foto: Reprodução

Depois de propor fechar o Supremo com “um cabo e um soldado”, o deputado federal Eduardo Bolsonaro agora defende a edição de um novo AI-5 para conter excessos da oposição.

Ele disse isso em entrevista a Leda Nagle, divulgada há pouco em seu canal no Youtube.

“Tudo é culpa do Bolsonaro, percebeu? Fogo na Amazônia, que sempre ocorre nessa estação, culpa do Bolsonaro. Óleo no Nordeste, culpa do Bolsonaro. Daqui a pouco vai passar esse óleo, tudo vai ficar limpo e aí vai vir uma outra coisa, qualquer coisa e será culpa do Bolsonaro.”

Para Eduardo, “o que faz um país forte não é um Estado forte. São indivíduos fortes”.

“Se a esquerda radicalizar esse ponto, a gente vai precisar ter uma resposta. E uma resposta pode ser via um novo AI-5, pode ser via uma legislação aprovada através de um plebiscito como ocorreu na Itália. Alguma resposta vai ter que ser dada.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Infelizmente, essa declaração só prova que o mínimo que um parlamentar deveria entender ele não tem o mínimo de conhecimento que é a Constituição Federal de 1988.

  2. Ricardo disse:

    Bom era se fosse verdade mesmo!
    STF e congresso podre, acho que nem o ai 5 resolvia, tinha que ser uma bomba!
    O PT virou organização criminosa e a maioria dos políticos sao bandidos.”, deviam receber apebas seus salarios e nao existir essa história de verbas indenizatórias, um abuso de gasto de dinheiro público

  3. Ivan disse:

    Novo AI-5?? C´s não se lembram, naquela época não podíamos escuhambar o presidente, não tinha liberdade de expressão, cheio de polícia na rua, a bandidagem era executada, não tinha desemprego, não tinha greves recorrentes, as coisas funcionavam, não tinha desordem…C´s querem todo esse retrocesso de novo??? C´s tão doidos????

  4. Ricardo disse:

    O AI-5 praticamente instituiu a ditadura no Brasil viabilizando:
    – Censura ilimitada
    – Prisões sem julgamento
    – TORTURAS NÍVEL RATO NA VAGINA
    – ASSASSINATOS
    Eduardo Bolsonaro ameaçou hoje voltar com isso. Esse não é um tweet de piada. Isso não é uma piada.
    Isso é muito sério.

  5. Cristian disse:

    Forçou a barra, querer reprimir protestos é discutível, agora um AI-5 é declaração de anti-democracia.
    Regular mídia, governar por decreto, tá parecendo um certo partido que ficou 13 anos no poder…

  6. Pato disse:

    Abre a boca pra falar de Venezuela e Cuba, mas lá também são ditaduras! O que nos diferenciais deles?

  7. natalsofrida disse:

    INTERVENÇÃO já! Tenho dito.
    País onde o povo apoia bandidos, tem que ser jogo duro, pau nesses vagabundos Bolsonaro.

    • Gaius Baltar disse:

      E quem vai dar suporte a esse AI-5?
      O Congresso dominado por Maia (com quem o presidente disse querer casar) e Alcolumbre (colocado na presidência do Senado por Onyx Lorenzoni)?
      O STF com quem Bolsonaro fez um acordo: libertar Lula em troca de não mexerem com Flávio?
      Os militares que foram humilhados por Olavo de Carvalho, Filipe Martins e cia Ltda?
      Não se iluda, Bolsonaro conseguiu destruir o pouco apoio que tinha ao ser eleito. Ninguém vai apoiar essa bobagem.

  8. Melquizedequi disse:

    Será que o povo brasileiro merece passar por isso mesmo deputado?

    O Ato Institucional Número Cinco (AI-5) foi o quinto de dezessete grandes decretos emitidos pela ditadura militar nos anos que se seguiram ao golpe de estado de 1964 no Brasil. Os atos institucionais foram a maior forma de legislação durante o regime militar, dado que, em nome do "Comando Supremo da Revolução" (liderança do regime), derrubaram até a Constituição da Nação, e foram aplicadas sem a possibilidade de revisão judicial.
    O AI-5, o mais duro de todos os Atos Institucionais, foi emitido pelo presidente Artur da Costa e Silva em 13 de dezembro de 1968. Isso resultou na perda de mandatos de parlamentares contrários aos militares, intervenções ordenadas pelo presidente nos municípios e estados e também na suspensão de quaisquer garantias constitucionais que eventualmente resultaram na institucionalização da tortura, comumente usada como instrumento pelo Estado.

  9. BichA louca disse:

    Quem dirá PT 13 anos e não tivemos uma fagulha para ditadura, Bolsonaro em menos de 1 anos já tem ideia da ditadura , sedentos de poder, n querem mais largar

  10. Silvio. disse:

    E isso aí!!!
    Voto ligeiro no plebiscito, pra acabar de vez com esse cabaré que virou o país.
    Esses esquerdopatas ladrões, não pode de maneira alguma parar o País.

    • Gaius Baltar disse:

      A convocação de um plebiscito e um referendo é prerrogativa exclusiva do Congresso Nacional (art. 49, XV/CF) . É preciso que pelo menos um terço dos parlamentares de uma das Casas (no Senado, isso significa 27 senadores; na Câmara, 171 deputados) proponham um decreto legislativo convocando a consulta popular. Depois disso, o projeto de decreto deve ser aprovado pelas maioria simples do plenário do Congresso Nacional (metade mais um dos senadores e deputados presentes à sessão).
      Acha mesmo que vai acontecer?

  11. André Fortes disse:

    Se fosse qqr um ameaçando o país com um novo AI5, já seria grave. Mas trata-se do deputado federal mais votado da história do país. Filho do presidente da república. O mesmo q já falou sobre fechar o STF com um cabo e um soldado.

  12. Vitor Silva disse:

    O clã está engatilhando o golpe… colocaram um psicopata no poder, agora aguentem. Bolsonaro cismou em fundar um reino pra si. Depois dessa viagem pelo Oriente e a irmandade sentida e confessa pelo príncipe esquartejador, parece que o projeto ganhou a rubrica de urgente.

  13. Carlos Henrique Chal disse:

    Filho de louco, é louco ao quadrado.
    Este cara como os demais, Bolsoloucos, tem que ser interditado.
    Chegou ao limite de besteirol, o que tem que haver são melhores escolhas de políticos, para um desse desaparecer.

  14. Cidadão Indignado disse:

    Esse cara não tem noção do que fala. O próprio semblante dele é de uma pessoa totalmente desequilibrada.

  15. Olimpio disse:

    Já passou da hora das forças armadas colocar ordem nessa bagunça que vivemos.

    • Gaius Baltar disse:

      Sonho:
      “ Já passou da hora das forças armadas colocar ordem nessa bagunça que vivemos.”
      Realidade:
      Olavo de Carvalho, Filipe Martins e o próprio Eduardo Bolsonaro humilhando os generais Heleno, Santos Cruz, Mourão e Villas-Boas.
      ¯\_(ツ)_/¯

Após pedido da oposição, ministro do TCU manda suspender propaganda do pacote anticrime

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Vital do Rêgo acaba de determinar que o governo federal suspenda imediatamente a propaganda do pacote anticrime até que o plenário se posicione sobre o mérito da representação apresentada por deputados da oposição.

Em uma decisão de nove páginas, à qual O Antagonista teve acesso em primeira mão, o ministro considerou haver indícios de utilização irregular de recursos públicos na campanha publicitária.

“Entendo que há fortes indícios de que a contratação da campanha publicitária atinente ao denominado ‘pacote anticrime’ não se enquadra na ação orçamentária ‘Publicidade de Utilidade Pública’, justificando, assim a adoção de medida cautelar com vistas a suspender a execução do contrato publicitário firmado até que esta Corte de Contas se pronuncie no mérito a respeito dos fatos apontados, eis que, a continuar em vigência, o aludido contrato poderá redundar em despesa realizada fora da finalidade legal prevista.”

O pedido da oposição foi protocolado ontem no TCU pelos deputados Orlando Silva (PCdoB), Paulo Teixeira (PT) e Marcelo Freixo (PSOL), todos integrantes do grupo de trabalho do pacote anticrime, e pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede).

O ministro tomou a decisão sem consultar a unidade técnica. É algo inédito no tribunal.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lourdes Siqueira disse:

    Continuam fazendo mal ao Brasil….oh raça mesquinha. É essa a preocupação dessa corja com o país.
    Se o presidente soltasse 10 reais, eles abanariam o rabo.

  2. Ivan disse:

    Pq a esquerda é contra o "anti-crime", seriam a favor do "pró-crime"??? Defendem q bandidos sejam "livres"?????

  3. Francisco disse:

    Quem são os beneficiários dessa decisão? Os bandidos, criminosos e corruptos. E os prejudicados? A sociedade, a ética e ordem por conseguinte o povo. Quem são os representante dos beneficiários? Pt, psol… Oposição

Portaria define que pensão não será inferior ao salário mínimo e enfraquece argumentos da oposição na reforma da Previdência

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. FOTO: Lucio Bernardo Jr./12.04.2017/Câmara dos Deputados

O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, assinou nesta terça-feira (6), portaria que define conceito de renda formal para fins de recebimento de pensão por morte.

Conforme o texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Nova Previdência aprovado em primeiro turno na Câmara dos Deputados, o dependente de pensão por morte não poderá receber benefício inferior ao salário mínimo, caso sua renda formal seja menor que esse valor.

A norma define como renda formal a soma dos rendimentos recebidos por mês, igual ou superior a um salário mínimo, constantes no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS).

“O reconhecimento será automático, pois quem ganha menos que o mínimo não terá registro de renda formal no sistema e receberá a pensão por morte no valor de um salário mínimo”, afirmou Marinho, após reunião com deputados no Ministério da Economia.

A medida é uma forma de enfraquecer a estratégia da oposição, que poderia tentar mudar o texto da reforma da Previdência, que deverá ser votado até quinta-feira (8) na Câmara, em segundo turno.

O proposta da reforma prevê que a pessoa terá direito a 60% do benefício, mais 10% por dependente adicional, até o limite de 100%. Em alguns casos, portanto, a pensão por morte pode ser menor que um salário mínimo, o que não acontece hoje.

Atualmente, no Regime Geral de Previdência Social (que atende trabalhadores da iniciativa privada), o pensionista recebe 100% do benefício que o segurado recebia, limitado ao teto do INSS (atualmente R$ 5.839,45). Já no Regime Próprio de Previdência Social o pensionista ganha 100% do benefício até o teto, mais 70% da parcela que superar esse limite.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. escritor disse:

    E uma portaria vale mais que uma emenda a constituicao? Melhor alterar o texto.

    • Papo_Reto disse:

      Exatamente

    • Anti-Político de estimação disse:

      Concordo : uma portaria não significa ABOLUTAMENTE NADA em termos de segurança jurídica. Uma alteração no texto seria o correto a fazer.

Oposição promete obstrução total enquanto Moro permanecer no cargo e a PGR não afastar procuradores da Lava Jato

A oposição na Câmara vai fazer obstrução total enquanto Sergio Moro não renunciar ao cargo e a PGR não afastar procuradores da Lava Jato.

O anuncio foi feito pelo líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta.

Ele defendeu que algumas medidas cautelares sejam tomadas, como a saída de Moro e todos os relacionados a ele do Ministério da Justiça, para “garantir a lisura” do processo de investigação da PF.

A oposição pede também o afastamento de Deltan Dallagnol e outro procuradores expostos pelo vazamento.

Por último, a oposição também quer a apreensão dos celulares funcionais de todos os envolvidos no caso, para evitar “queima de arquivos.”

“Nós vamos entrar em obstrução total para que nenhuma matéria possa tramitar até que estas medidas administrativas e cautelares sejam adotadas, tanto em relação ao Moro quanto em relação aos procuradores.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ems disse:

    Do jeito que vai, a esquerda está fazendo campanha presidencial antecipada para Moro. Pode anotar !!!

  2. Ana leticia disse:

    Do mesmo jeito que os bandidos se organizam, a Polícia e a justiça não ficam esperando sentado que esses safados renunciem ao crime. Tem mesmo é que ser mais esperto que esses PTralhas e seus seguidores, peia nesses cabras. E aqui no estado um punhado Aínda vai mofar na cadeia tb.
    Esses safados são espertos, veja que mataram Toninho do pt e varios outros e nunca foram pegos, são uma quadrilha super organizada, por isso nada mais justo para destruir esse bando do que a PF, MP e o ministro da justiça atuarem todos juntos, portanto bota pra F nesses safados. Kkkkk

  3. Olavo disse:

    Quem é agora que tem bandido de estimação????

    • Lobo disse:

      Quem é o bandido? quem roubou 200 bilhões de reais, deixando um rastro de desemprego e miséria, ou quem prendeu parte da quadrilha que praticou esse furto, ao mesmo tempo, já recuperou pra os cofres públicos, uns 50 bilhões de reais desse dinheiro roubado? Fácil de responder o óbvio

  4. PABLO disse:

    Como sempre o PT querendo acabar com o Brasil.

  5. Sandro disse:

    A casa caiu e agora quero ver esses bandidos na cadeia: moro, dallagnol etc. Como dizia o bozo, bandido bom é bandido morto. Agora ele não diz mais porque chegou na sala da casa dele. Cadê o Flávio e o Queiroz?

    • Francisco disse:

      Bandidos é quem prende ladrões e consegue reaver o dinheiro roubado?

  6. Tuta disse:

    É a turma do barulho.
    Lula tá preso babacas MORO presidente!!

    Tchau queridos
    PT nunca mais, podem esperniarem. Kkkkkkk

  7. Zé Raimundo disse:

    Mt interessante os comentários de Mané e Vinícius. Ao invés de defenderem a completa elucidação das graves denúncias q atinge o estado democrático de direito, prefere desfiar o foco e politizar o problema.

    • Zé Roela disse:

      Zé, papai tá preso, tá? Chora não, meu fi. Só para, pensa e se liberta.

  8. Manoel disse:

    Esperado: PT sendo PT, são contra tudo e contra todos quando não estão no poder!

  9. M.Vinícius disse:

    A patologia que consome o cérebro desses esquerdistas deve ser estudada pela NASA!

    Vão conseguir obstruir a saída das fezes com tanta mortadela com pão francês!

Rogério Marinho pede que oposição apresente proposta para a Previdência

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, disse nesta terça-feira (30 de abril) que está ansioso para ouvir alternativas à proposta apresentada pelo governo federal para a nova Previdência Social. Ele propôs que os debates sobre o tema sejam feitos de forma técnica.

“Espero que a política, por mais importante que seja, e as paixões sejam sobrepostas pelo debate técnico. Os opositores já foram governo e sabem da necessidade de reestruturação [da Previdência Social]. Chegou a hora de a oposição mostrar qual é o seu projeto”, disse o secretário após participar do seminário Desafios para a Previdência e a Proteção Social no Brasil – evento promovido pelo Instituto Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). “Estamos sôfregos e ansiosos para escutar qual é a alternativa a ser apresentada por aqueles que se colocam contra”, acrescentou.

O secretário reiterou sua posição a favor da integralidade do projeto, que prevê uma economia de R$ 1,236 trilhão ao longo de 10 anos.

Marinho elogiou a forma como a questão tem sido tratada por parte do Parlamento. “Tenho sentido um clima muito propositivo no Congresso Nacional, ao contrário do que ocorria em outras épocas”.

Segundo ele, o projeto apresentado combate fraudes e cobra de quem deve à Previdência, além de estar focado em uma lei de responsabilidade voltada aos municípios. “Temos a responsabilidade de enfrentar esse problema e de não varrê-lo para debaixo do tapete. Quem tem mais paga mais. Quem tem menos paga menos. Mas todos pagam”, destacou.

De acordo com o pesquisador da Universidade Cândido Mendes Paulo Tafner, que já foi pesquisador do Ipea, em 1980 havia no mercado de trabalho 9,2 trabalhadores ativos para cada inativo. “Em 2020 serão 4,7 ativos para cada inativo; e em 2060 será 1,6 ativo para cada inativo. Isso coloca muita pressão sobre um sistema de sustentabilidade”, disse o economista.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruno Milla Tech disse:

    Perfeito!!!!👍 👏👏👏👏👏 isso mesmo, vamos ver o q aparece!!

  2. Carlos disse:

    Era bom que aparecesse um pra opinar com sabedoria e conteúdo, mais estes não entra pois quando vai ver os comentários , tem s aguentar este opinafores sem noção, só quer encontrar razão em agressão ao seu compatriota q está no mesmo barco e sofrendo do mesmo problema. E nós sabemos que o problema é muito mais profundo, e só uma unidade, uma união resolveria. E alguns tem olvidoi, ouça: uma casa dividida é sua ruína

  3. Bento disse:

    Secretario para RM é pouco merece ser Ministro por sua capacidade.

  4. George Linhares Couto de Melo disse:

    Tava lembrando das bandeiras do PT nas eleições e elas passavam pelas reformas tributárias e previdenciária.
    O PT ficou no poder, poder total, de 2003 a 2016, tendo o congresso e o senado nas mãos para fazer o que queria e desejava.
    Fez as reformas? Não!
    Agora aparecem dando palpite em tudo e dizendo que tem a solução.
    Qual a razão de não adotarem essas soluções para o bem do país quando tinham o poder nas mãos?
    Ficavam repetindo a cada eleição as promessas e nunca tornavam realidade, mas realizaram feitos que deram origem ao mensalão, ao petrolão e a lava jato.
    Alguém aí sabe quem matou Celso Daniel? Qual a motivação? Quem foram os mandantes?
    Por quê a esquerda não tem interesse em solucionar esse caso, como tiveram com Marielle?
    São apenas perguntas que poderiam ter as respostas devidas, ou seja, verdadeiras.

  5. realmadriddepiumgenerico disse:

    A reforma trabalhista ao tirar direitos e aumentar o desemprego também tirou muitos contribuintes do sistema previdenciário, diminuindo a arrecadação. Não se sustenta o discurso do governo, pois não criam nenhuma política de combate ao desemprego. Além de tirarem a obrigação dos patrões contribuírem com a previdência e aumentar a contribuição do trabalhador. Entendem o processo sádico deste governo. Reduzir a informalidade também deve fazer parte para melhorar e as políticas neoliberais empurram cada vez mais gente para informalidade. Basta ver nas ruas a quantidade de pessoas vendendo bugigangas, churrasquinho, etc. defendem o pão de cada dia, mas não contribuem para o sistema e o governo só pensa em mandar matar nos morros e agora, no campo.

  6. realmadriddepiumgenerico disse:

    Não é difícil. Eu que não sou nenhum especialista, posso apresentar uma: Divida as dívida que têm com a previdência para recebimento em dez anos, só ai´, já teriam metade do que eles querem arrecadar com a reforma nesses dez anos. Taxar as grandes fortunas e essa taxa ir para a seguridade social, só essas duas medidas, dariam mais do que eles pretendem arrecadar com a reforma em dez anos. O problema é que não querem tocar nos mais ricos e nem cobrar os devedores, que por acaso, são os mais ricos também.

    • Curioso disse:

      Sei que você é Lulista/petista, o que não sou mais, pois me enganaram, mas é uma boa pergunta: Por que não taxam as grandes fortunas?

    • M.Vinícius disse:

      Uma proposta boa, aquele ou aquela petista que receber salário acima de R$ 10.000 deve cumprir a risca a ideologias Marxista devolvendo para o Estado 50% do seu salário.

    • joao disse:

      Curioso, as grandes fortunas pertencem aos funcionarios publicos e aos amigos do rei… empresario so produz riqueza e gera emprego, somente isso…. Estado consome riqueza.

    • Ceará-Mundão disse:

      Quanto fanatismo, quanta falta de bom senso, quanto desconhecimento da realidade (ou má fé). O PT esteve por 13 anos no poder e fez o que? Criou esse tal imposto sobre grandes fortunas? Nos governos do PT, os bancos nunca ganharam tanto dinheiro, segundo seus próprios balanços. Lucros fantásticos. É só pesquisar na internet. Nosso dinheiro, ao invés de ser aplicado no Brasil, para diminuir nossas incontáveis carências, iam para ditaduras amigas do PT. As maiores empreiteiras do país e empresários como Eike Batista e os irmãos Batista (JBS/ Friboi), também foram muito beneficiados. E Lula fez 2 reformas da Previdência, em 2003 e 2005. Portanto, esses esquerdopatas só têm mesmo é papo furado. Incoerência, hipocrisia e mentiras são suas maiores armas.

Wilma de Faria defende postura de oposição do PSB nacional e cobra mais contundência

wilmadefariaA presidente do diretório estadual do PSB, a vice-prefeita Wilma de Faria, participou da reunião da executiva nacional do partido e defendeu uma postura mais independente com postura de oposição propositiva mais contundente.

O PSB se reuniu para reafirmar a independência crítica e propositiva em relação ao governo da presidente Dilma Rousseff, como vem fazendo desde 2013 e Wilma foi uma das que teve oportunidade de externar seu pensamento.

“O PSB sempre foi transparente, mas precisamos ser mais contundentes e colocar para o povo o que Governo Federal faz de errado. Não devemos só ter posição de independência, mas fazermos oposição propositiva, mostrando o nosso projeto p Brasil”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    O fato é que os brasileiros não aturam mais os partidos socialistas pelas suas propostas medíocres e pela incompetência e conchavos demonstrados em várias situações.
    O cidadão tem que apostar em partidos novos, figuras novas, propostas que sejam exequíveis e que garantam o progresso do país.
    Infelizmente o brasileiro trabalhou tanto por um país melhor e chega esse PT e seus partidos que dão apoio e destroem tudo que foi construído com muito suor e sacrifício, atrasando o país em vários aspectos por pelo menos 30 anos.
    E a situação vai piorar mais a cada momento em que a presidenta incompetenta permanecer no governo.

  2. Razão e Verdade disse:

    Politico não tem projeto para o Brasil, e sim pessoal, cara pálida.

Empresário potiguar critica governo Dilma e oposição: “O país continua à deriva”

O empresário potiguar Gustavo Rocha foi o participante da Resenha do programa Meio Dia Cidade desta segunda-feira (5). Conhecido pelos comentários ácidos, o empresário não mediu palavras e disparou contra o governo da presidente Dilma Rousseff, contra a oposição dela no Congresso Nacional e contra o presidente da Câmara dos Deputados, o deputado federal Eduardo Cunha, do PMDB do Rio de Janeiro.

Para o empresário, a reforma política que a presidente realizou com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva indica uma espécie de terceiro mandato do petista. Afinal, ele possui agora uma participação direta. Gustavo também criticou o aumento da fatia da divisão de ministérios nas mãos do PMDB. “O país continua à deriva. A posição é fraca. Virou um governo do PMDB com Lula”, pontuou.

Ele lembrou que o PMDB é um partido que sempre está no poder e que é divido em várias frentes, o que faz com que ele tenha sempre uma carta na manga para negociar cargos nos governos federais.

Mas Gustavo não parou por aí. Ele afirmou que o deputado Eduardo Cunha é ruim não apenas para a democracia, mas também para o país. “Detesto o Cunha. Acho ele nocivo para o país. Ele é péssimo”, afirmou ao lembrar que Cunha pode ter mentido em juízo, ocorrido que se ficar comprovado pode terminar fazendo com que o parlamentar perca o mandato por quebra de decoro. Ele ainda ponderou que, caso Cunha seja afastado, ele deve ser com mais pessoas: “Cunha deve ter um arsenal guardado. Se ele cair, ele não cai só”, lembrou.

O Meio Dia Cidade vai ao ar de segunda a sexta, sempre ao meio dia na Rádio Cidade, 94 FM. O programa tem uma hora e trinta minutos de duração e sempre com boas entrevistas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior pinheiro disse:

    É porque deveria estar ao bel-prazer do empresariado, sem regras e aumentos todos os dias , é só ir ao mercado!!!!!

Robinson diz que o único opositor ao governo Rosalba é ele

Em entrevista ao Jornal Verdade, da Rede TV e reproduzida no O Jornal de Hoje o candidato ao Governo do Estado Robinson Faria (PSD) afirmou ser o único candidato da oposição e explicou os motivos. “Nós ganhamos no voto e saímos do governo porque discordamos da gestão. Já o deputado Henrique perdeu no voto, aderiu e participou e mandou no governo Rosalba”.

Robinson deu essa declaração quando foi suscitado a responder sobre o assunto em que a jornalista levantou o questionamento “Seus adversários falam que você nunca rompeu de fato porque continua vice-governador. O que dizer a respeito disso?”

O candidato ao Governo pela coligação Liderados pelo Povo respondeu: “Muito boa essa pergunta, porque dá oportunidade do eleitor fazer a sua avaliação. Eu rompi com o Governo. Passei a dar entrevista e a me posicionar publicamente contrário ao atual governo, entregando todos os cargos que o meu grupo político tinha no atual governo, ao contrário do meu adversário, o candidato do acordão, o candidato do PMDB, que aderiu ao governo Rosalba, sem ter votado nela, sem ter doado nenhum capital para ela, aderiu a gestão, indicando seis ou sete cargos no primeiro escalão, assim como Rosalba falou em entrevista a revista Época, e participou do Conselho Político. Quem não se lembra do Conselho Político de Rosalba, quem fazia parte? O candidato Henrique Alves e o candidato a vice dele, João Maia.”

Depois, Robinson detalhou porque é oposição ao Governo. “Foram eles quem governaram nesses quatro anos o Governo Rosalba, participando de cargos importantes. Quando o governo perdeu a sua popularidade, muito embora eles tenham dito que iriam ajudar em cima de um cargo importante de presidente da Câmara Federal, mas de nada parece que serviu a “força política dele em Brasília” a prosperar. Então, o PMDB foi partícipe. O deputado Henrique foi partícipe do insucesso do Governo Rosalba. Então, há uma grande distinção: Robinson ganhou no voto e saiu do governo; o deputado Henrique perdeu no voto, aderiu e participou e mandou no governo Rosalba”,  disse.

IMG_1959

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Eduardo disse:

    Hj não senhor Arivaldo Costa. ele se diz oposição desde 2011 primeiro ano do mandato. e todos nos sabemos que o candidato que ele apoiasse ganharia a eleição. fale de Henrique que esta ha 44 anos no poder e so teve dois projetos. Boa Noite!!

  2. Arivaldo costa disse:

    Ele hj se diz oposição dela. Não esqueçamos que ele é vice dela.
    Conclusão: Na ultima campanha ele também pediu voto para a atual governadora jurando que ela era uma perola.

Cartilha do PT diz que maior partido de oposição é a imprensa

Cartilha de orientação política que o PT distribuiu com seus militantes durante o XIV encontro nacional do partido que se realizou em São Paulo, neste final de semana, afirma que a imprensa no Brasil é “monopolizada” e atua como “partido de oposição”.

Foi uma crítica direta e frontal aos principais jornais do país, que divulgam sistematicamente os escândalos ocorridos no governo petista e o partido não gosta.

No “Caderno de Teses” que foi distribuído com a militância, o documento se refere à imprensa como “mídia monopolizada, que funciona como verdadeiro partido de oposição”.

Com informações da Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cesar disse:

    Bg, quem afirmou que os meios de comunicação realizam no Brasil a oposição que deveria ser feita pelos partidos, foi ninguém menos que a presidente da Associação Nacional de Jornal – ANJ, executiva da Folha de São Paulo.
    Veja texto do Bolg da Cidadania.
    Para quem não sabe, em entrevista ao jornal O Globo, em 2010, no âmbito da campanha eleitoral à Presidência da República, a presidente da Associação Nacional de Jornais e executiva da Folha de S. Paulo, Maria Judith Brito, fez a seguinte declaração:
    “A liberdade de imprensa é um bem maior que não deve ser limitado. A esse direito geral, o contraponto é sempre a questão da responsabilidade dos meios de comunicação. E, obviamente, esses meios de comunicação estão fazendo de fato a posição oposicionista deste país, já que a oposição está profundamente fragilizada. E esse papel de oposição, de investigação, sem dúvida nenhuma incomoda sobremaneira o governo”

    “A declaração de Maria Judith Brito foi bastante criticada por repórteres e intelectuais, bem como por autoridades ligadas ao governo. As críticas focaram no aparente reconhecimento de que a imprensa estaria, de fato, assumindo um papel de oposição.

    Em artigo publicado na Carta Maior, Jorge Furtado afirmou que a presidente da associação teria assumido que a grande imprensa do país virou um ‘partido político’ e a criticou por não questionar a ‘moralidade de seus filiados [ao] assumirem a ‘posição oposicionista deste país’ enquanto, aos seus leitores, alegam praticar jornalismo’

    Luciano Martins Costa, do Observatório da Imprensa, fez crítica semelhante, afirmando que ‘o risco maior para a imprensa vem da própria imprensa, quando os jornais se associam para agir como um partido político’.

    O ministro Paulo Vannuchi, titular da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, também criticou a declaração, afirmando que a imprensa ‘vem confundindo um papel que é dela — informar, cobrar e denunciar — com o papel do protagonismo partidário’.

    Washington Araújo, no Observatório da Imprensa, questiona: ‘será papel dos meios de comunicação substituir a ação dos partidos políticos no Brasil, seja de situação ou de oposição? (…) Em isso acontecendo… não estaremos às voltas com clássica usurpação de função típica de partido político? E não seria esta uma gigantesca deformação do rito democrático?’”

  2. Carvalho disse:

    Será que se a Dilma do PT for reeleita o PT irá aprovar um mecanismo de censura à imprensa?
    Você que quer se livrar da droga, não vote mais no PT.

  3. ruarez disse:

    por que eu defendo censura na imprensa burguesa com esse blog

  4. Rafael Vale disse:

    O PT esta ficando doido!
    Não é porque a imprensa faz vista grossas para o escandâlo do Metrô se SP, esquema de corrupção que durou 20 anos na gestão do PSDB, que a imprensa é imparcial.
    É pura coincidência a Globo lançar uma novela no período eleitoral escrita "Geração Br45il" e esse número 45 que por conhecidência é o número do PSDB foi parar ai por acaso, isso jamais pode ser considerado mensagem subliminar.

  5. Luciano disse:

    Só quem é cego ou tem raiva ideológica para nao ver que boa parte da mídia, inclusive esse blog, faz o jogo políticos daqueles que quebraram duas vezes o país.
    O PT está correto e está apenas afirmando o que qualquer pessoa com o mínimo de discernimento já sabe.
    Se o PT fosse todo esse monstro que pintam, imaginem se o mesmo tivesse encampado a luta pela regulamentação dos meios de comunicação, conhecida como Lei dos Medios, assim como fez a Inglaterra, Venezuela e Argentina.

  6. Sergio Nogueira disse:

    O outrora democrático PT mostra cada vez mais sua face autoritária. Para eles imprensa livre é aquela que fala bem do Partido e do Governo petista. Se não fosse a imprensa, com todas as suas falhas, estaríamos vivendo em Cuba ou no mínimo na Venezuela.
    Sem esquecer que eles se orgulham de terem lutado contra ditadura quando na verdade lutavam para implantar a deles.
    Fora ditadores travestidos.

Oposição se reúne na próxima semana para discutir criação da CPI da Petrobrás

Partidos de oposição farão na próxima terça-feira, 25, reunião em Brasília a fim de articular uma estratégia para emplacar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobrás no Congresso. O encontro será liderado pelo pré-candidato à presidência e senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o presidente nacional do Solidariedade, deputado Paulinho da Força (SP).

Na quinta, o tucano defendeu a criação de uma CPI mista para aprofundar as investigações sobre a aquisição da refinaria de Pasadena (EUA) pela estatal brasileira. “Aqueles da base do governo que dizem querer investigar essa questão e que já nos ajudaram a aprovar a comissão externa envolvendo outras denúncias na Petrobrás, como no pagamento de propina por parte de uma empresa holandesa, esperamos que possam nos ajudar para que essa questão seja esclarecida”, declarou. Para ser instalada, a CPMI precisaria das assinaturas de 27 senadores e de 171 deputados.

O Estado revelou que, em 2006, a presidente Dilma Rousseff, então ministra e presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, votou a favor da compra de 50% da refinaria americana. Ao justificar seu voto, Dilma disse que só apoiou a medida porque recebeu “informações incompletas” de um parecer “técnica e juridicamente falho”. A Petrobrás acabou desembolsando US$ 1,18 bilhão na operação.

No mesmo dia em que Aécio “convocou” o blocão dos deputados insatisfeitos com o governo a trabalhar pela criação da comissão, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso se mostrou contra a iniciativa. “Acho que o momento eleitoral não é o mais propício. Não sou favorável a partidarizar. Mas se o governo não apurar direitinho, abre espaço (para CPI)”, disse FHC. O episódio da compra da refinaria está sendo investigado pelo Ministério Público Federal, Tribunal de Contas da União e pela Polícia Federal.

Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    Chega a ser cômico ver PTistas e seus simpatizantes viver do passado citando o governo FHC e o PSDB e não olha para o presente e pro descalabro e a incompetência do governo PTista.

  2. Rafael Vale disse:

    FHC é cobra criada, ele sabe que se o assunto render, as comparações do que era e o quanto valia a Petrobrás no seu governo e quanto vale agora serão inevitáveis, e esse debate não é bom para o PSDB.
    FHC sabe que a decisão da comprar da refinaria é tomada por um Conselho, no qual participa até os acionistas, e estava baseada em estudos técnicos e consultorias internacionais que apontavam que em 2006 aquele era um negócio vantajoso. Infelizmente houve um reves e o transação deixou de ser vantajosa.
    Mas o valor da PetroBRAX de FHC comparada com o valor da Petrobras de hoje supera os U$ 100 bilhões, então FHC sabe que se comparar um prejuízo de U$ 1 Bilhão com um prejuízo de mais de U$ 100 Bilhões caso a PetroBRAX tivesse sido vendida o debate não será nada bom para o PSDB.
    Será lembrando também que FHC torrou R$ 50 milhões de reais só para tentar mudar o nome para PETROBRAX e vende-la.
    Então essa ladainha toda é muito fogo de palha, melhor voltar a falar da escravidão dos médicos cubanos, para tentar abafar o Mensalão Mineiro e o Propinoduto no metrô de SP.

Oposição quer ouvir Petrobras e Dilma sobre compra de refinaria

O líder do PPS, deputado federal Rubens Bueno (PR), afirmou que vai protocolar ainda nesta quarta-feira nas comissões de Fiscalização e Controle e de Relações Exteriores da Câmara um pedido para ouvir o ex-diretor internacional da Petrobras, Nestor Cerveró. O executivo seria o autor de um relatório apresentado à presidente Dilma Rousseff sobre a compra da refinaria de Pasadena, no Texas. A presidente, à época, era ministra da Casa Civil e presidente do conselho de administração da Petrobras — e chancelou a compra com base no relatório de Cerveró. Também o pré-candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves, afirmou em sua página no Facebook que a presidente deve “explicações claras” ao país sobre sua aprovação do negócio. O caso, revelado por VEJA, está sob análise do Tribunal de Contas da União e do Ministério Público, que investigam suspeitas de superfaturamento.

Reportagem do jornal O Estado de S. Paulo publicada nesta quarta mostra que a presidente apoiou a compra de 50% da refinaria por um valor muito além do que os cálculos mais otimistas poderiam prever. A estatal arrematou o negócio por 360 milhões de dólares, sendo que um ano antes, a mesma refinaria havia sido adquirida (inteira) pela Astra Oil por 42,5 milhões de dólares. Se o negócio tivesse parado por aí, já estaria no campo do absurdo. Contudo, apenas piorou: em 2008, devido a uma cláusula no contrato, a Petrobras se viu obrigada a comprar os 50% restantes por 1,18 bilhão de dólares.

A presidente afirmou ao Estado que desconhecia tal cláusula, chamada de “Put Option”, que estabelecia que, em caso de desacordo entre os sócios da refinaria, uma das partes deveria comprar a outra. Outra cláusula que a presidente alegou desconhecer foi a chamada “Marlin”, que garantia à Astra Oil lucro de 6,9% ao ano mesmo que as condições de mercado não permitissem tal resultado.

Bueno, do PPS, afirmou que vai encaminhar ao Ministério de Minas e Energia um pedido para obter cópia do resumo executivo que teria induzido Dilma a chancelar a compra. “É de se estranhar que a presidente Dilma, chamada de ‘gerentona’, de uma executiva de excelência, tenha aprovado essa compra milionária sem ler o contrato. Mais estranho ainda é só agora, oito anos após o episódio, ela ter admitido que foi induzida a erro por um parecer falho”, questionou.

Já Aécio cobrou explicações da presidente afirmando que Dilma “não tem o direito de justificar-se apenas dizendo ter sido mal assessorada”. “O Brasil aguarda explicações do governo e da Petrobras sobre quais são os critérios utilizados para tomada de decisões de tamanha importância”, afirmou o tucano.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosaldo disse:

    Em um país sério a presidentE estaria em maus lençóis….. Prejuízo de mais de 1 BILHÃO de reais…. Mais um petista que não sabia de nada…………

  2. alexandre medeiros disse:

    Está aí um pequeno motivo pelo qual tanto boicotavam a CPI da propina da Petrobrás. Isto não são políticos, são as sete pragas do Egito.

  3. Carvalho disse:

    Esse PT tá acabando com tudo!

Oposição articula derrubada do veto do prefeito ao "Passe Livre"

Insatisfeitos com o veto integral do prefeito Carlos Eduardo (PDT) ao “Passe Livre” aprovado pela Câmara no final de outubro, os vereadores de oposição articulam a derrubada do veto do pedetista.

Além da bancada de esquerda – Sandro Pimentel (PSOL), Amanda Gurgel (PSTU) e Marcos do PSOL – os vereadores Maurício Gurgel (PHS), Fernando Lucena (PT), Hugo Manso (PT) e George Câmara (PCdoB) também deverão votar pela derrubada.

Os parlamentares tidos como independentes – Rafael Motta (PROS), Jacó Jácome (PMN), Felipe Alves (PMDB), Bertone Marinho (PMDB) e Eleika Bezerra (PSDC) – terão fundamental importância nessa votação.

As conversas entre os vereadores já estão a todo vapor.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Cláudio Pereira, Nova Parnamirim. disse:

    A câmara ficará sem crédito diante da população especialmente os estudantes, se os vereadores não derrubarem esse ABSURDO VETO DO PASSE LIVRE DESSE PREFEITO , que faz uma gastança danada com tudo que é supérfluo, entretanto, investimento na educação da juventude ela TAXA COMO DESPESA.

  2. TITICO disse:

    A PROFESSORA AGORA VIROU VEREADORA DO POVO. DALE, DALE, DALE, AMANDAAAAAAAAAAA………..

  3. Sergio Nogueira disse:

    E a professora que vivia de atestado não está afastada da CMN por 15 dias, segundo noticiou-se, por estar fadigada e que essa seria a razão para não aparecer na Comissão de Ética? Já ficou boa?

FHC critica postura da oposição: Estamos berrando pouco?

FHCZanoneFraissatFolha2Fernando Henrique Cardoso enxerga na conjuntura “sinais alarmantes”. É esse o título do artigo que o grão-mestre do PSDB levou às páginas neste domingo. Num texto em que chama Lula de “mago do ilusionismo” e trata os punhos erguidos dos presidiários José Dirceu e José Genoino como uma coreografia de “Lenines que receberam dinheiro sujo”, FHC lança um olhar pessimista sobre 2014.

“Estamos a ver as manobras preparatórias para mais uma campanha eleitoral sob o signo do embuste”, ele anotou, antes de alvejar Dilma Rousseff: “A candidata oficial, pela posição que ocupa, tem cada ato multiplicado pelos meios de comunicação. Como o exercício do poder se confundiu, na prática, com a campanha eleitoral, entramos já em período de disputa.”

A disputa é “desigual”, avalia FHC. “Só um lado fala”, lamenta. “As oposições, mesmo que berrem, não encontram eco”, constata. “E, sejamos francos: estamos berrando pouco”, critica. Ele não deu nome aos bons cabritos. Mas como falou em “oposições”, assim, no plural, supõe-se que sente falta tanto dos berros de Aécio Neves quanto dos de Eduardo Campos (PSB).

Paradoxalmente, FHC exercitou seu pessimismo ao tratar de um fato que considerou alvissareiro: “Finalmente fez-se justiça no caso do mensalão.” Num gesto de autocontenção, ele reteve o júbilo: “É triste ver na cadeia gente que em outras épocas lutou com desprendimento.”

Lamenta ver os membros do núcleo político do PT presos ao lado dos Valérios do núcleo publicitário e dos banqueiros do núcleo Rural, “que se dedicaram a encher os bolsos ou a pagar suas campanhas à custa do dinheiro público”. Mas não foi a promiscuidade das (más) companhias o que mais assustou FHC.

“Mais melancólico ainda é ver pessoas que outrora se jogavam por ideais – mesmo que controversos – erguerem os punhos como se vivessem uma situação revolucionária”, escreveu, numa alusão ao gesto encenado por Dirceu e Genoino no instante da rendição à Polícia Federal.

“Onde está a Revolução? Gesticulam como se fossem Lenines que receberam dinheiro sujo, mas usaram-no para construir a ‘nova sociedade’. Nada disso: apenas ajudaram a cimentar um bloco de forças que vive da mercantilização da política e do uso do Estado para perpetuar-se no poder.”

FHC enxerga na “encenação farsesca”, um “significado claro: eleições à vista. É preciso mentir, autoenganar-se e repetir o mantra. Não por acaso a direção do PT amplifica a encenação e Lula diz que a melhor resposta à condenação dos mensaleiros é reeleger Dilma Rousseff…”

Nas pegadas da expedição dos primeiros mandados de prisão de mensaleitos, a repórter Vera Rosa noticiou que Lula telefonou para Dirceu e Genoino. “Estamos juntos”, teria dito o morubixaba do PT. FHC evocou a frase em seu artigo.

Deu a entender que Lula, “o mago do ilusionismo”, traiu-se ao tentar tirar cartolas de dentro dos coelhos. “Neste caso, quem sabe, um lapso verbal expressou sinceridade: estamos juntos, disse Lula. Assumiu meio de raspão sua fatia de responsabilidade, ao menos em relação a companheiros a quem deve muito. E ao país, o que dizer?”

O que FHC afirmou nesse trecho, com outras palavras, foi que não merece crédito aquele Lula ‘não sabia nadinha’ da Silva do alvorecer da crise. Em seu artigo, o xamã do tucanato insinuou que, hoje, frequenta a cena um Lula condenado pelo domínio do fato à solidariedade perpétua.

FHC cobra dos antagonistas do petismo um comportamento, por assim dizer, joaquiniano. “É preciso dizer com coragem, simplicidade e de modo direto, como fizeram alguns ministros do Supremo, que a democracia não se compagina com a corrupção nem com as distorções que levam ao favorecimento dos amigos.”

Fez bem a FHC a mistura da experiência acumulada na Presidência com o descompromisso da ex-presidência. Munido do salvo-conduto que se autoconcedeu, FHC virou um trombone solitário. No fundo, ele sabe que desperdiça o latim. Quem vive de esperanças de ver o PSDB e o PSB tratando o mensalão com desassombro vai morrer muito magro.

Nessa matéria, a coragem do tucanato diminui na proporção direta da aproximação do dia do julgamento do mensalão emplumado de Minas Gerais. Ex-presidente do PSDB federal, Eduardo Azeredo é uma condenação esperando para acontecer. Quanto ao PSB, a covardia da legenda é proporcional à cumplicidade que exibiu enquanto esteve no governo, até anteontem.

Em setembro de 2012, quando os ministros do STF começaram a condenar os mensaleiros, Eduardo Campos subscreveu um manifesto em que o PT acusava a oposição e a mídia de transformar o mensalão num “julgamento político, golpear a democracia e reverter as conquistas que marcaram a gestão do presidente Lula”. Se levar a boca ao trombone agora, vai faltar sopro.

O que mais parece incomodar FHC é o fato de o silêncio se propagar em ondas. “É enorme o arco de alianças políticas no Congresso cujos membros se beneficiam por pertencer à ‘base aliada’ de apoio ao governo. Calam-se diante do mensalão e demais transgressões, como se o ‘hegemonismo petista’ que os mantém seja compatível com a democracia.” Shuááá!

“Que dizer então da parte da elite empresarial que se serve dos empréstimos públicos e emudece diante dos malfeitos do petismo e de seus acólitos?” Shuááá, shuááá!! “Ou da outrora combativa liderança sindical, hoje acomodada nas benesses do poder?” Shuááá, shuááá, shuááá!!! “Muitos sabem que o rei está nu e poucos bradam.”

Em timbre de desalento, FHC escreve: “Não estamos diante de um quadro eleitoral normal. A hegemonia de um partido que não consegue se deslindar de crenças salvacionistas e autoritárias, o acovardamento de outros e a impotência das oposições estão permitindo a montagem de um sistema de poder que, se duradouro, acarretará riscos de regressão irreversível.”

Que fazer?  “Só tem um caminho: as urnas”, lenciona FHC aos correligionários. “É preciso desfazer na consciência popular, com sinceridade e clareza, o manto de ilusões com que o lulo-petismo vendeu seu peixe. Com a palavra as oposições e quem mais tenha consciência dos perigos que corremos.”

O ex-ministro Sérgio Motta, velho amigo de FHC, morreu sonhando com a permanência do PSDB no poder federal por 20 anos. A julgar pela recuperação de Dilma nas pesquisas —lenta, mas contínua— não são negligenciáveis as chances de o petismo obter em 2014 a prorrogação do pesadelo do tucanato até 2018. Serão 16 anos corridos.

Lula estará autorizado a dizer: nunca antes na história desse país um partido conseguiu semelhante façanha. Os militares tiveram 21 anos, mas com um AI-5 de permeio. Getúlio Vargas teve 15, mas foi ditador num pedaço do enredo e se matou no final do filme.

Josias de Souza UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciano disse:

    Esse aí calado já causa náuseas, falando então….

  2. Carlos Augusto disse:

    O silêncio da oposição no BRASIL é tão grande que me faz sentir vergonha!
    O PT deita e rola nesse vácuo político, não tem quem saiba fazer oposição.
    Surge um e outro aqui e ali e logo se calam.
    Marina Silva, Aércio Neves, Educardo Campos e por aí vão são lampejos de oposição.
    Falam um dia, se calam nos outros 29 do mês.
    E tome crescimento do PT!!!

  3. fabio disse:

    Esse cara é uma piada de mal gosto… Depois de tudo que aprontou ainda se levanta para falar dos outros…. É como ver Collor criticando a ética de alguém…

Governo e oposição querem fim do mensalão ainda em 2013

A dois dias do fim da análise sobre a validade dos embargos infringentes, que pode colocar um ponto final ou prolongar por tempo indeterminado as dezenas de sessões do julgamento do mensalão, oposição e governo já começam a fazer o cálculo político sobre as consequências que a decisão do Supremo Tribunal Federal pode trazer. Enquanto petistas apostam na aceitação dos embargos, integrantes da oposição acreditam que o ministro Celso de Mello — o encarregado de desempatar o placar de 5 a 5 — votará contra os recursos. Os dois lados defendem porém que, seja qual for a decisão, o STF deve concluir todo o processo ainda em 2013.

Caso o recurso não seja aceito, a prisão dos mensaleiros não deve demorar. Mas, se houver nova análise dos casos, não existe previsão de quando o julgamento terminará. Essa etapa seria mais rápida, por serem menos réus e menos crimes sendo analisados, mas não existe data para que ela termine.

Este fim de semana, Celso de Mello disse ao jornal “O Estado de S. Paulo” que o adiamento da sessão, “longe de significar qualquer possibilidade de pressão externa, aprofundou ainda mais minha convicção”. O ministro afirmou que, apesar do que se fala no noticiário, não sente “nenhum tipo de pressão”. E completou: “Após 45 anos, seja como promotor ou juiz, é uma experiência que você tem e supera tranquilamente”.

O senador Jorge Viana (PT-AC), que aposta no reconhecimento dos embargos por Celso de Mello, cobrou celeridade na conclusão do julgamento. Setores do PT e o Planalto não querem ver a sombra do processo sobre as eleições de 2014.

— É uma possibilidade (o acolhimento dos embargos) de o Supremo ser mais zeloso na busca de justiça. Isso não significa que o julgamento não vá manter o rigor. Mas a condenação, exemplar para a classe política, está decidida. Minha expectativa é que conclua rápido e comece o julgamento do mensalão do PSDB — avaliou.

Candidato à presidência do PT e ex-líder do partido na Câmara dos Deputados, Paulo Teixeira (PT-SP) defende a aceitação dos embargos, mas quer a conclusão do caso ainda em 2013:

— O processo começou com 40 envolvidos e terminou com 25 condenados. Um último olhar para ver se foi aplicada a justiça de forma correta é importante, mas acredito que o processo deve terminar este ano.

Embora Celso de Mello já tenha se manifestado a favor dos embargos infringentes, integrantes da oposição esperam que a decisão seja pela recusa.

— Todos já percebemos que este deixou de ser um julgamento comum. É um julgamento que envolve a sociedade brasileira. A posição do ministro Celso tem um peso nacional. O Brasil não quer mais o prolongamento deste caso — defendeu o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

Líder do DEM no Senado, José Agripino (RN) espera que os embargos não sejam acolhidos, mas crê que Celso de Mello votará a favor do reconhecimento. Ainda assim, Maia defende que pouco mudará em relação à condenação dos réus:

— O que está em jogo é a credibilidade das instituições. Se os embargos forem aceitos, a maioria votará pela manutenção das sanções.

No PT, a esperança é que os embargos resultem na mudança da sentença, com ministros revendo alguns votos.

— O caso começou com 40 e teve 25 condenados. Os votos podem ser aperfeiçoados. Com os embargos, tudo é possível — avaliou Teixeira. (Guilherme Amado, Jailton de Carvalho e Luiza Damé)

O Globo

Novo orçamento ainda não será apreciado em sessão extraordinária de hoje

A sessão extraordinária na Assembleia Legislativa hoje pode terminar no zero-a-zero. Isso mesmo. Apesar de a governadora Rosalba Ciarlini ter, com a reunião, o propósito de aprovar em caráter de emergência a reordenação orçamentária que prevê a redução de 18% do valor das emendas coletivas relativas à Lei Orçamentária Anual 2013, a matéria pode não sair do lugar.

O problema é que os líderes dos blocos partidários ainda não entraram em um consenso com relação à votação do projeto com dispensa de tramitação. A maioria quer, primeiro, apreciar os vetos da governadora ao projeto de lei orçamentária para, apenas depois, mantê-lo na pauta das sessões ordinárias.

Diante da situação, até o líder do governo na Assembleia, Getúlio Rego (DEM) já se disse ser previsível que a matéria não seja votada na sessão.