Saúde

Butantan entrega ao Ministério da Saúde lote de um milhão de doses da CoronaVac

Foto: © Walterson Rosa/MS

O Instituto Butantan entregou nesta quarta-feira (16) ao Ministério da Saúde um lote de um milhão de doses da vacina CoronaVac contra covid-19. Essa remessa é parte das 5 milhões de doses previstas para serem liberadas ao longo do mês de junho para o Programa Nacional de Imunizações (PNI). As doses entregues hoje já contemplam o segundo contrato firmado com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de vacinas. O primeiro, de 46 milhões, foi cumprido no dia 12 de maio.

O novo lote de 5 milhões de doses está sendo produzido a partir dos 3 mil litros de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) recebidos no dia 5 de maio. Desse total, já houve a liberação de 2,8 milhões de vacinas desde o dia 11, quando foram entregues 800 mil doses e, no dia 14, mais 1 milhão.

Segundo informações do Instituto Butantan, o envase da matéria-prima foi iniciado no dia 27 e terminou na madrugada do dia 30. Parte das doses já envasadas está em outras etapas do processo produtivo, como inspeção de controle de qualidade. O Butantan informou, ainda, que até o fim de junho receberá um novo lote de 6 mil litros de IFA para a produção de mais 10 milhões de doses.

Ainda de acordo com o Butantan, com a entrega de hoje, já foram fornecidas ao PNI 50,012 milhões de doses desde 17 de janeiro, quando o uso emergencial do imunizante foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Outra vacina que vai bóiar kkk igual a Sputnik V.
    Que a Rainha Fátima V , vai adquirir em conluio com o consórcio Nordeste.

    1. Tu.tem.problema.mental.macho.Vai.arrumar.alguma.coisa.pra.fazer.seu.desocupado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

FOTOS: Mais um lote da Pfizer com 9.630 doses chega ao RN

Fotos: Sandro Menezes

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) recebeu na tarde desta quinta-feira (27) o segundo lote de vacinas contra a Covid-19 desta semana. As 9.630 doses do imunizante produzido pela Pfizer se somam às 122.250 vacinas da Astrazeneca/Fiocruz que chegaram na madrugada de quarta-feira (26) e foram distribuídas nesta manhã.

As vacinas, seguindo o Programa Nacional de Imunização (PNI), serão voltadas para atender com a primeira dose as gestantes e puérperas, pessoas com comorbidades e com deficiência permanente.

A distribuição do lote aos municípios será feita ao longo da semana, pois o Ministério da Saúde, responsável por operacionalizar o PNI, ainda não encaminhou as seringas e agulhas específicas que são necessárias para aplicação da vacina feita pela Pfizer.

Esta semana o Rio Grande do Norte cruzou a marca de 1 milhão de doses aplicadas. A plataforma RN+ Vacina registra que até o início desta tarde foram aplicadas 1.083.590 vacinas, sendo 671.459 pessoas atendidas com pelo menos uma dose e 352.946 potiguares com o esquema vacinal completo, representando 9,98% da população total do estado.

Opinião dos leitores

  1. Não entendo a logística da prefeitura, desde segunda-feira não tem praticamente nínguem se vacinando, sabemos que tem vacinas disponíveis, que lógica é essa, massacrar o povo??? porque essa fila não anda?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

MAIS 10,5 MIL DOSES: Vacinação no RN será ampliada com novo lote da Pfizer que chegou na tarde desta terça

Foto: Reprodução

O Rio Grande do Norte vai reforçar sua campanha de vacinação contra a Covid-19. Após receber lotes de Coronavac/Butantan e Astrazeneca/Fiocruz durante a madrugada, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) encerrou a tarde com mais um carregamento de imunizantes a ser entregue aos municípios potiguares. As 10.530 doses da Pfizer foram recebidas no Aeroporto Internacional Aluízio Alves às 15h.

O lote de vacinas será, de acordo com a orientação do Ministério da Saúde, para a primeira dose de pessoas com comorbidades, com deficiência permanente e grávidas. Por conta do esquema diferenciado de armazenagem, a distribuição das doses ainda será coordenada junto aos municípios.

Na tarde dessa segunda-feira (17), a Sesap encaminhou a Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Macaiba e Extremoz um lote com mais de 18 mil vacinas da Pfizer. A opção por deixar as doses na Região Metropolitana se dá por conta da infraestrutura da rede de frio da área, pois a vacina precisa ser mantida a -20ºC para uma validade de duas semanas.

Com esse carregamento, o RN ultrapassa as 100 mil doses recebidas em apenas um dia. Durante a madrugada foram as 38.200 unidades da Coronavac, que devem encerrar o déficit da 2ª dose em atraso, e 55.300 doses da Astrazeneca, destinadas também para completar o esquema vacinal dos potiguares.

A plataforma RN+ Vacina registra, até a tarde desta terça, que foram aplicadas 904.278 vacinas em todo o estado, tendo atingido 599.965 mil potiguares com ao menos uma dose do imunizante contra a Covid-19.

 

Opinião dos leitores

  1. Sou professor e só quero me vacinar com a CORONAVAC, que é da China. A do Bozo Aztrazeneca e a dos EUA Pfizer não quero.

  2. Com tanta vacina chegando e a GOVERNADORA querendo deixar de fora da vacinação os professores da rede privada, que seguiram trabalhando durante a pandemia sem abandonar as escolas.
    VERGONHA essa prioridade que querem dar aos professores da rede pública que abandonaram as escolas e deixaram os alunos sem aulas presenciais. Em momento algum correram qualquer risco para justificar essa prioridade.
    CADÊ o MINISTÉRIO PÚBLICO para questionar essa discriminação, será que só a base eleitoral da GOVERNADORA tem prioridade na vacinação?
    Será que ninguém ver a INJUSTIÇA que esse governo quer fazer?

    1. O membros do MP estão em suas Varandas Gourmet olhando a paisagem.

    2. Prezado Cesar…
      Essa atitude da Governadora não me causa espanto…
      Esse câncer que se instalou em na Pátria, implantou uma política perversa, onde temos a discordância entre pais e filhos, mulheres e homens, brancos e negros, heteros e homossexuais e por aí vai…
      Eles, como um câncer, se alimenta desse ódio implantado para permanecer no poder…
      Rede privada é vista como elite e não gera votos para eles…
      Aliás, esse câncer acabou com a educação em nosso País…
      Nas próximas eleições, votarei naquele que tenha força de impedir que esse “câncer” volte ao poder…
      Minha filha é da rede privada…
      Espero que mudem esse posicionamento e todos tenham acesso a vacina, independentemente serem da rede privada ou pública…

    3. Ricardo, vc vive em que mundo, em Marte? Quem vem dividindo o Brasil há muito tempo é a esquerda brasileira, principalmente o PT. Quem separou os professores da rede pública e da rede privada, prometendo vacinar exatamente aqueles que NÃO QUEREM voltar ao trabalho e discriminando os que estão trabalhando (da rede privada, claro), foi a governado Fátima do PT. Que comentário sem noção foi esse? É real?

    4. Prezado “Direita honesta”…
      Talvez não tenha me expressado bem…
      Eu disse que “Nas próximas eleições, votarei naquele que tenha força de impedir que esse “câncer” volte ao poder…”
      Esse câncer é o PT…

    5. Ricardo, sendo assim, peço desculpas por meu equívoco.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Produção da CoronaVac será paralisada nesta sexta, diz Butantan, que aguarda lote retido na China

Foto: Amanda Perobelli/Reuters

O Instituto Butantan vai suspender completamente a produção da CoronaVac, vacina contra a Covid-19, por falta de matéria-prima nesta sexta-feira (13).

O Instituto aguarda a liberação pelo governo chinês de um lote com 10 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) para retomar a produção.

No final de abril, o Instituto já havia suspendido o envase do imunizante na fábrica do Brasil, mas os setores de rotulagem e controle de qualidade ainda funcionavam para entregar as doses para o Ministério da Saúde.

Com a entrega estimada para esta sexta-feira (14) de mais 1,1 milhão de doses da CoronaVac para o governo federal, não há mais material para processamento em nenhuma etapa de produção.

De acordo com o Butantan, até a chegada de novos lotes do IFA, os setores vão assumir a produção da vacina da gripe.

O Butantan aguardava a liberação de ao menos 3 mil litros de IFA até o sábado (15). No entanto, o diretor do Instituto, Dimas Covas, afirmou nesta quarta (12) que não há mais previsão de quando a matéria-prima deve chegar.

“Até o final da semana passada, havia a perspectiva de autorização de exportação [do IFA] no dia 13. Na reunião de hoje [com o laboratório Sinovac], vimos que essa previsão não vai se cumprir. Portanto, não temos data neste momento para essa autorização. Estamos aguardando, isso pode acontecer a qualquer momento, mas por enquanto não há essa previsão”, disse em coletiva de imprensa na quarta-feira (12).

Com G1

 

Opinião dos leitores

  1. Ainda bem que o Brasil não ficou na dependência só do instituto Butantã. Entendo que Dimas Covas
    e Doria estão fazendo corpo mole, uma espécie de chantagem, para produzir as coronavacs. Teriam que ser chamados a CPI para explicar a morosidade uma vez que não estão cumprindo o contrato com o ministério da saude.

  2. BG
    E calçinha apertada por onde anda????, né “amiguinho” da ditadura chinesa, deve estar atrás das comissões($$$$$$$$$$$$) dos cretinos que arrasaram o mundo com esse virus. Bandidos.

  3. A fábrica de narrativas da esquerda faliu. Até a CPI tá sendo palanque pra Bolsonaro. Isso tudo é narrativa falida .

  4. Tem que abrir investigação contra o governador calça apertada. Isso é bem a cara dele. Quer instalar o caos! Pra atribuir culpa ao Governo federal; em especial ao Presidente Bolsonaro. Ele dá ordem para parar a produção, mesmo tendo ainda os insumos. Mal caráter! Na tentativa de criar dificuldades para a reeleição do Presidente. Somassr à ele, um monte de institutos de pesquisas, compradas, mostrando que o Bolsonaro está ameaçado nas próximas eleições. Mad, quem decide é o povo. E o povo continua dando demonstrações de apoio; onde ele chega a multidão é grande!kkkkk.

    1. Nada disso. Deixa com Bananinha , Ernesto Araujo e Bozo. São adorados na China. Chama também o Aécio pra conferir honestidade ao processo.

  5. O PCC, partido comunista chinês,ESTÁ ba ganhando e fazendo chantagem com vários países, inclusive o Brasil( Paraguai, Costa Rica, El Salvador, etc) , só libera os insumos para produção, se seguir parte de sua cartilha… os idiotas dd LULADRÃO e Bolsolouco ndm sabem do dque sd trata….inúteis!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

SEGUNDA DOSE – CORONAVAC: Secretaria Municipal de Saúde em Natal aguarda chegada de novo lote para retomar imunização

Foto: Alex Régis/Secom

Conforme divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, em virtude do quantitativo de doses recebidas a SMS Natal só iria vacinar as pessoas que tomaram a primeira dose de Coronavac até o dia 27 de março. Durante o fim de semana, a capital potiguar aplicou 4.514 doses da Coronavac, das 5 mil doses recebidas no último sábado. Houve ainda uma perda de 136 doses.

Esta perda se deu pelo fato dos frascos que devem conter 10 doses e só tinham nove. Todo esse quantitativo será notificado no site da Anvisa e no RN Mais Vacinas. As 350 doses que a SMS-Natal possui em estoque foram destinadas para a vacinação da segunda dose dos idosos acamados.

Remessas

A Prefeitura de Natal recebeu no sábado (24), 5 mil doses da vacina Coronavac e as utilizou no final de semana. Dessas, 2.110 doses foram da remessa do Ministério da Saúde e 2.890 da reserva técnica do Estado. A Secretaria de Saúde de Natal disponibilizou dois pontos de vacinação neste fim de semana para atender o público que tomou a primeira dose da Coronavac até o dia 27 de março.

A SMS-Natal aguarda o envio de novas doses pelo Ministério da Saúde para retomar a vacinação da segunda dose da Coronavac. O Ministério da Saúde, inclusive, tem admitido dificuldade no fornecimento de vacinas para a segunda dose da Coronavac. Os estados de AL, AP, PB, PE e SP, também limitaram a imunização por falta de doses.

Nesta segunda-feira (26), a SMS-Natal iniciou a vacinação dos idosos de 61 anos e mais em seis pontos de vacinação e 35 drives, com vacina da Oxford.

Opinião dos leitores

  1. O prefeito até nas vacinas faz maquiagem..fez politicagem e olha no que deu?? Imunizaram de porteiro de clinica oftalmológica a arquiteto predial só porque trabalhava em um hospital privado..ai agora o povo está pagando o pato e tudo pode voltar a estaca zero.
    Natal sabia que não tinha vacina pra todos..

  2. Para quem não fez a leitura completa do texto:
    “A SMS-Natal aguarda o envio de novas doses pelo Ministério da Saúde para retomar a vacinação da segunda dose da Coronavac. O Ministério da Saúde, inclusive, tem admitido dificuldade no fornecimento de vacinas para a segunda dose da Coronavac. Os estados de AL, AP, PB, PE e SP, também limitaram a imunização por falta de doses.”
    Entederam, agora?

    1. o ministério da saúde mandou aplicar todas as vacinas de primeira dose e depois errou a conta, procure se informar melhor para não falar asneira

    1. Você não entendeu titia. Precisa estudar mais. Estudar, não isto dar. A redução da vacinação é porque está faltando o envio de vacinas do governo federal. Peça ajuda a seus sobrinhos para interpretar a notícia. E por favor, pare de vomitar ignorância por aqui. Ninguém aguenta mais. Idiota já basta o seu mito, aquele véio decrépito dos cunhão roxo e mole.

    2. Titia Cacá, a senhora não cansa de passar vergonha.

    3. Tá faltando em AL, PB, PB e a culpa é de Fatão. O ministério da saúde admitiu a a dificuldade para conseguir insumos, e a culpa é de Fatão? Tu conversa muita besteira, é um comentário sem fundamento, sem base, sem dados, simplesmente por escrever asneiras.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CoronaVac e Oxford/AstraZeneca: RN recebe nesta sexta-feira mais 66,1 mil doses de vacinas contra Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e a superintendência do Ministério da Saúde no estado confirmaram que o Rio Grande do Norte vai receber nesta sexta-feira (25) um novo lote com mais 66,1 mil doses de vacina contra a Covid-19.

Serão 48,2 mil doses da CoronaVac e outras 17,9 mil de Oxford/AstraZeneca. A carga mais recente recebida foi no sábado passado. O avião com as novas doses vai desembarcar no Aeroporto de Natal às 15h20.

Opinião dos leitores

  1. De que adianta?

    O Governo do estado vai iniciar segunda a vacinação de balconista de farmácia, asg, vigilante e claro os donos.
    Idosos que esperem.

  2. Pode receber um bilhão, vacina só pra 75 acima, na Paraíba ja vacinam 64 anos acima. Não sei se fatão tá fazendo jogo, destruindo, vacinando a petralhada. Queria essa resposta e não tem um órgão de controle que trabalhe nisso. Vergonha

    1. Os canalhas do PT, estão vacinando primeiro os comparsas do MST e da CUT, dizendo que são ribeirinhos ou índios. Isso são umas pragas, ais desse jeito não vão concluir nunca a vacinação acima dos 60 anos, sinda estão nos 73, tá longe.

    2. Se vc deixar de assistir somente Corolla, Alan dos santos, Olavo e outros q só trás desinformação, vc teria lido q o envio é proporcional ao número de habitantes casos, porém o RN vem bem menos vacina q outros estados. Talvez seja pq é do PT e os 2 ministros Rogério Marinho e Jequiti tenha aí um pontinho pra pedirem ao mor maior essa redução para o RN, o ministro Jequiti deseja q o gov do RN seja pior do q o pai dele,l faz de tudo pra boicotar além de falar asneiras fale news, porém essa culpa ele vai carregar

    3. Já chegou nos 70 em praticamente todas as cidades do RN, não venha com conversa fiada, se chegar vacina em todos as cidades do RN todo mundo vai ser imunizado, depende do BOI MOR, o gado também será vacinado.

    4. Carlos, vou te chamar de mygé, porque mentisse descaradamente, no quadro de distribuição está a quantidade de vacinas distribuídas por estado, o RN no nordeste foi o estado que mais recebeu vacinas, bem acima da PB e de AL, estado em que já se vacinam idosos com 62 anos, está no quadro de distribuição de vacinas do MS. É incompetência ou assassinos propósital?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sete países europeus suspendem provisoriamente uso de lote da vacina Oxford para investigar supostos coágulos mortais

Foto: MIGUEL MEDINA / AFP

Sete países europeus suspenderam temporariamente o uso de um lote da vacina contra a Covid-19 de Oxford/AstraZeneca como medida preventiva, para investigar se há relação com efeitos colaterais graves. Foram eles Dinamarca, Islândia, Áustria, Luxemburgo, Letônia, Estônia e , Lituânia. Além disso, Itália e Noruega também suspenderam a vacinação com o imunizante enquanto aguardam investigações.

No caso da Dinamarca, que anunciou a suspensão nesta quinta-feira (11), o ministro da Saúde Magnus Heunicke disse no Twitter que esta é uma medida de precaução, seguindo “sinais de um possível efeito colateral sério na forma de coágulos sanguíneos mortais”. O país não informou quantos relatos de coágulos sanguíneos ocorreram. A Dinamarca suspenderá o uso da vacina por duas semanas, com nova avaliação marcada a partir do dia 22 de março.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) disse que está investigando, mas até o momento não encontrou nenhuma evidência ligando a vacina aos casos.

Os anúncios não interrompem o uso do imunizante na campanha de vacinação brasileira.

“A segurança da vacina foi extensivamente estudada em ensaios clínicos de fase 3 e dados revisados por pares confirmam que a vacina é geralmente bem tolerada”, disse a AstraZeneca em um comunicado.

A Autoridade Sanitária Dinamarquesa destacou, em comunicado, que o país não abandonou a vacina de Oxford/AstraZeneca. “Mas estamos pausando seu uso. Há uma boa documentação de que a vacina é segura e eficaz”, acrescentou.

Stephen Evans, professor de farmacoepidemiologia da Escola de Higiene e Medicina Tropical de Londres, afirmou que a suspensão na Dinamarca representa uma “abordagem super cuidadosa, com base em alguns relatórios isolados na Europa”.

— O problema com relatos espontâneos de suspeitas de reações adversas a uma vacina é a enorme dificuldade de distinguir um efeito causal de uma coincidência — afirmou.

Suspensão pela Europa

O lote número ABV5300 da vacina foi entregue a 17 países da União Europeia e compreende 1 milhão de doses.

No final de semana passado as autoridades da Áustria já haviam pausado o uso do lote do imunizante após relato de morte por distúrbios de coagulação e de um caso de embolia pulmonar entre pessoas que haviam sido vacinadas.

A EMA disse na quarta-feira que seu comitê de segurança está investigando os casos relatados no país, mas atualmente não há indicação de que tenham sido provocados pela vacina.

A agência afirmou que o número de eventos tromboembólicos — marcados pela formação de coágulos sanguíneos — em pessoas que receberam a vacina de Oxford/AstraZeneca não é maior do que o observado na população em geral, com 22 casos de tais eventos sendo relatados entre 3 milhões de pessoas que foram vacinadas até 9 de março.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo de SP recebe lote com o equivalente a 5,5 milhões de doses da vacina CoronaVac

Secretário estadual de Saúde e diretor do Butantan acompanharam a chegada da CoronaVac — Foto: Imprensa/Governo do Estado de São Paulo

O governo estadual, recebeu, na manhã desta quinta-feira (24), véspera de Natal, um carregamento que totaliza 5,5 milhões de doses da CoronaVac. De acordo com o Executivo, é a maior remessa do imunizante desembarcada no Brasil. A vacina contra o novo coronavírus, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, concluiu a fase 3 de testes e ainda precisa de aprovação Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

As doses chegaram no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), por volta de 5h30 em um voo da China que fez escala na Suíça, e em seguida foram descarregadas no terminal de cargas. O desembarque contou com a presença do secretário de Saúde do estado, Jean Gorinchteyn, e do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas. O material deixou o terminal com destino a São Paulo às 7h30.

Ainda segundo o estado, o novo carregamento é formado por 2,1 milhões de doses já prontas para aplicação e mais 2,1 mil litros de insumos, correspondentes a 3,4 milhões de doses. Até o final do ano, a previsão é que São Paulo receba mais 400 mil no dia 28 e 1,6 milhão no dia 30. A carga que chegou hoje ao Brasil faz parte do 4º lote da vacina, o terceiro de material pronto . Todas as outras remessas desembarcaram no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

O terceiro lote chegou na última sexta-feira (18) com 2 milhões de doses. Em novembro, desembarcaram as primeiras vacinas prontas e, no começo do mês, o governo paulista recebeu 600 litros de matéria-prima para produzir até 1 milhão de doses do imunizante.

A programação do governador João Doria (PSDB) é para que até o dia 31 de dezembro tenham 10,8 milhões de doses do CoronaVac em solo brasileiro.

Novo adiamento

O governo de São Paulo afirmou na quarta-feira (23) que a CoronaVac adiou, novamente, a divulgação dos resultados detalhados dos testes da vacina. O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou apenas que, além de comprovar a segurança, o que já havia sido demonstrado nas fases anteriores, o estudo de fase 3 mostrou que ela é eficaz.

“Recebemos também os dados de eficácia. Nós atingimos o limiar da eficácia que permite o processo de solicitação de uso emergencial, seja aqui no Brasil, seja na China”, disse. Segundo Covas, a divulgação dos dados foi adiada devido a uma cláusula existente no contrato assinado entre a Sinovac e o governo de São Paulo.

O secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, informou que, apesar do atraso, a vacinação no estado terá início no dia 25 de janeiro. O começo da campanha estadual, no entanto, depende da aprovação da vacina pela agência regulatória. O pedido de registro do imunizante, segundo o governo, só será feito após o fim de todos os “trâmites burocráticos” e da análise dos estudos.

Histórico

A CoronaVac está na terceira fase de testes, estágio em que a eficácia precisa ser comprovada antes da liberação. Para que a vacina comece a ser distribuída, é necessário que o Instituto Butantan envie o relatório à Anvisa e que o órgão aprove o uso do imunizante.

Se aprovada, a CoronaVac pode se tornar a primeira vacina contra o novo coronavírus disponível no Brasil. O acordo entre o laboratório chinês e o Instituto Butantan foi anunciado pelo governo de São Paulo em junho e prevê, além do envio de doses prontas, os insumos e tecnologia para que a vacina possa ser produzida e comercializada.

No Brasil, a vacina foi testada em 16 centros de pesquisas, em sete estados e no Distrito Federal.12,5 mil voluntários brasileiros participaram dos testes.

Envase

No dia 9 de dezembro, o Instituto Butantan começou o processo de envase da vacina a partir da matéria-prima importada da China. A produção é feita na fábrica do Butantan, que tem 1.880 metros quadrados, e contará com o reforço de 120 novos profissionais, além dos 245 que normalmente atuam no instituto.

G1

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Lote com as primeiras 120 mil doses da vacina CoronaVac chega a São Paulo trazido da China

Governador João Doria acompanha chegada dos lotes — Foto: Reprodução/TV Globo

O governo do estado de São Paulo recebeu na manhã desta quinta-feira (19) as 120 mil primeiras doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19. O material foi importado da China e desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan.

O governador João Doria (PSDB), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchtey, acompanharam a chegada do lote, que foi trazido em um voo da China que desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo.

A CoronaVac é uma das quatro candidatas a vacina contra o novo coronavírus (Sars-CoV-2) que estão sendo testadas no Brasil. O governo de São Paulo firmou acordo para a compra de 46 milhões de doses e para a transferência de tecnologia para o Instituto Butantan.

Para ser aplicada na população, a vacina ainda precisa ser autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Isso só pode ocorrer após a conclusão da realização de testes.

Atualmente, a CoronaVac está na terceira e última fase de testes, quando é avaliada em humanos. O estudo mais recente sobre a vacina aponta que ela mostrou segurança e resposta imune satisfatória durante as fases 1 e 2 de testes. Não há ainda, no entanto, estudos conclusivos sobre a fase 3 dos testes.

Até 6 milhões de doses até o fim do ano

As 120 mil doses fazem parte de um lote de 6 milhões previsto para chegar até o final de dezembro. Elas serão armazenadas em um local que não foi divulgado pelo governo paulista por questões de segurança.

Além das vacinas, que já virão prontas, o Instituto Butantan deve receber ainda este ano parte da matéria-prima para fabricar outras 40 milhões de doses, também de acordo com o governo do estado.

Na madrugada desta quinta (19), o diretor-geral do Instituto Butantan, Dimas Covas, comemorou a chegada da vacina da Sinovac em solo nacional e disse que os testes clínicos da Coronavac estão avançados. A expectativa dele é enviar os resultados da última fase dos estudos sobre a vacina para aprovação pela Anvisa ainda em 2020.

“Ficamos, portanto, só no aguardo do registro da Anvisa. É a primeira vacina que aporta em solo nacional. Isso é importante: o Brasil já tem a sua vacina, que vai estar aguardando os trâmites junto à Anvisa e junto ao Ministério da Saúde para poder iniciar o programa de vacinação. E esperamos que comece aí em meados de janeiro no máximo até fevereiro e aguardamos as definições do Ministério da Saúde”, disse Dimas Covas ao Jornal da Globo.

Na manhã desta quinta, o governador João Doria disse que a CoronaVac “é uma das vacinas que vai ajudar a salvar a vida de milhões de brasileiros”.

“Até o final de dezembro serão 6 milhões [de doses], até janeiro, 46 milhões. E, muito em breve, podemos chegar a 100 milhões de doses. Nós temos, sim, outras vacinas também. A vacina salva, a vacina pode colocar a normalidade na vida do pais”, disse Doria após receber o lote.

Eficácia da Coronavac

Um estudo feito com 743 pacientes apontou que a CoronaVac mostrou segurança e resposta imune satisfatória durante as fases 1 e 2 de testes.

A fase 2 dos testes de uma vacina verifica a segurança e a capacidade de gerar uma resposta do sistema de defesa. Normalmente, ela é feita com centenas de voluntários. Já a fase 1 é feita em dezenas de pessoas, e a 3, em milhares. É na fase 3, a atual, que é medida a eficácia da vacina.

Os participantes eram adultos saudáveis de 18 a 59 anos e foram escolhidos aleatoriamente para receber duas doses da vacina experimental: dose baixa de 3 microgramas, dose alta de 6 microgramas, ou placebo. Segundo a pesquisa, as respostas de anticorpos foram induzidas no prazo de até 28 dias após a primeira imunização.

Destaques do estudo:

Fases 1 e 2 envolveram 743 voluntários saudáveis na China, de 18 a 59 anos. Na fase 1, foram 143; na fase 2, 600.

Vacina tem duas doses e parece ser segura e bem tolerada.

Efeito colateral mais comum relatado foi dor no local da injeção.

Objetivo principal desta etapa da pesquisa foi avaliar a resposta imune e segurança da vacina.

Estudo não avaliou a eficácia na prevenção da infecção por Covid-19.

Novos estudos serão necessários para testar a vacina em outras faixas etárias, bem como em pessoas que tenham condições médicas pré-existentes.

“Nossas descobertas mostram que a CoronaVac é capaz de induzir uma resposta rápida de anticorpos dentro de quatro semanas de imunização, dando duas doses de vacina em um intervalo de 14 dias”, disse o professor Fengcai Zhu, autor principal do estudo.

Liberação da importação

No final de outubro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a importação de 6 milhões do imunizante.

“As primeiras doses da vacina CoronaVac chegam ao Brasil no dia 20 de novembro e esta data está confirmada. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já havia autorizado, nós já tínhamos comentado isso com vocês, a própria Anvisa já havia emitido comunicado também, e agora as autoridades sanitárias da China a Anvisa chinesa também deu autorização para importação, pelo instituto Butantan, dos lotes 6 milhões de vacinas, sendo que as primeiras 120 mil doses chegam no dia 20 de novembro no aeroporto internacional de Guarulhos em São Paulo”, afirmou Doria durante coletiva de imprensa no início da tarde desta segunda.

Ainda de acordo com o governador, o Butantan receberá as doses em lotes e até o dia 30 de dezembro o Instituto terá as 6 milhões de vacinas previstas.

O diretor do Instituto, Dimas Covas, disse que o local onde o imunizante ficará armazenado será mantido em sigilo por motivos de segurança.

No final de setembro, Doria chegou a dizer que as primeiras doses chegariam em outubro.

Vacina chinesa

A CoronaVac está atualmente na terceira fase de testes. A Sinovac, farmacêutica chinesa responsável pela vacina, ainda não obteve o registro para aplicação do imunizante, que não pode ser utilizado na população.

“Quero esclarecer aqui que nós seguimos e vamos continuar a seguir rigorosamente os protocolos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para a aplicação da vacina. A vacina só será levada ao público às pessoas após autorização final da Anvisa”, disse Doria.

Até momento, apenas dados parciais referentes à segurança da vacina foram apresentados pelo governo de São Paulo, mas eles não foram enviados ao órgão ou publicados em revistas científicas.

A CoronaVac é alvo de disputa política envolvendo o Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria.

No final de outubro, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou a negociação para adquirir as 46 milhões de doses. Contrariado, Bolsonaro mandou cancelar a compra – e o ministério, por sua vez, afirmou que “não há intenção de compra” e substituiu o comunicado no site.

46 milhões de doses previstas

No total, o governo paulista fechou contrato com a chinesa Sinovac para a aquisição das 46 milhões de doses da CoronaVac. Essas primeiras 6 milhões virão prontas da China, e as outras 40 milhões serão envasadas e rotuladas no Instituto Butantan a partir de material que será importado.

Segundo o diretor do Butantan, Dimas Covas, o cronograma estipulado pelo governo de São Paulo está mantido, independentemente do que as autoridades paulistas apontam como um atraso da Anvisa na liberação da importação de matéria-prima da China.

Centros de pesquisa

A CoronaVac está na terceira fase de testes. O grupo de voluntários é formado exclusivamente por profissionais de saúde. Até agora, 15 mil vacinações foram aplicadas em nove mil voluntários. Cada voluntário recebe duas doses. Com a abertura dos novos centros, a meta é ampliar a pesquisa para o total de 13 mil voluntários.

Nessa fase final da pesquisa, metade dos participantes é inoculada com a vacina e a outra metade recebe placebo. Para determinar a eficácia da CoronaVac, é preciso que ao menos 61 participantes sejam contaminados pelo coronavírus.

Se o imunizante atingir os índices necessários de eficácia e segurança, poderá ser submetido à avaliação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para registro e posterior uso na população.

Para agilizar o processo de análise de potenciais imunizantes contra o coronavírus, A Anvisa reduziu a exigência da documentação inicial e simplificou o processo de registro para que os dados dos estudos sejam enviados durante os trabalhos, e não somente ao final.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Pura Campanha eleitoral esse Cara tá fazendo com essa vacina. A todo custo quer ser o pioneiro, pra se amostrar de que foi o primeiro governador a vacinar o povo.

  2. Gadolândia circulado ! Vacina só para os homens de boa fé e que acreditam na ciência . MUMMMMMMM

  3. A importação de 6 milhões de doses até dezembro este jornaleco do G1 , postou 4 vezes, mas o mais importante na aplicação da fase 3 não informaram, crianças estão tomando?idosos estão tomando?, (que na minha opinião são os mais importantes por terem maior risco de morte)
    As pessoas com doenças pré existentes tipo, diabete, câncer, hipertensão estão tomando?, há alguma comprovação clínica que estas pessoas realmente tem a doença?
    Há testes clínicos aprofundados do antes e depois nessas pessoas ou é só " como você está se sentindo" , "sentiu alguma alteração" A Anvisa irá verifica através de testes clínicos ou vai acreditar nos cientistas chineses e nos cientistas paulistano ($) do calça apertada.
    Temos como péssimo exemplo um dos mais famosos infectologista brasileiro David uip, lembram dele, que disse não ter tomado a HidroxoCloroquina e depois foi constatado que tomou.
    Vocês acham que o calça apertada e sua turma irão tomar a vachina?
    Óbvio que não, só as cobaias dos esquerdopatas Irão tomar essa vachina.

  4. Esse cara é literalmente um preposto da economia chinesa no Brasill. Tem mais de uma dezena de vacinas em testes e esse elemento não se cansa de alardear essa vachina.

  5. É desse forma mesmo que vc colocou ( Acorda Brasil). Queria ver Diria e os seus tomando essa vacina antes do povo

  6. Como a maioria dos políticos só pensa em se dar bem é de se imaginar as filas que eles farão pra tomar essa vacina antes de qualquer um mortal…sim. pois o importante é levar vantagem….
    Já posso imaginar Boulos e Covas e Doria madrugandoa na fila para serem os primeiros.
    Mas eles que se cuidem pois poderão perder as vagas na fila pra jornalistas do Globo News e alguns da CNN.

  7. Quem quiser proteção toma vacina de qualquer país, sem ideologia. Para o gado a gente dá vacina contra febre aftosa!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Lote da vacina de Oxford já chegou ao Brasil; saiba quem pode ser voluntário e como será o teste contra a Covid-19

Foto: CDC/Unsplash

O primeiro lote da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, que será testada em dois mil brasileiros já chegou ao Brasil. As doses serão aplicadas nas próximas três semanas em testes conduzidos no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Antonio Carlos Moraes, um dos pesquisadores da equipe do Idor, responsável pelos testes no Rio, disse ao G1 que parte da imunização já chegou ao país e está armazenada em temperaturas negativas até que seja iniciado o estudo. O Brasil é o primeiro país fora do Reino Unido que vai começar a testar a eficácia da imunização contra o Sars-CoV-2.

“A vacina está congelada, ela já está chegando para a gente operacionalizar. Parte já chegou e fica em congelamento de onde a gente vai tirando, progressivamente, com a necessidade da demanda”, disse o pesquisador do grupo que testará a vacina ChAdOx1 no Rio de Janeiro.

No Rio de Janeiro, os testes em mil voluntários serão feitos pela Rede D’Or São Luiz, com custo de cerca de R$ 5 milhões bancados pela Rede e sob coordenação do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (Idor).

Em São Paulo, os testes em outros mil voluntários serão conduzidos pelo Centro de Referência para Imunológicos Especiais (Crie) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), com financiamento da Fundação Lemann.

Três semanas de vacinação

Ele explicou que seu grupo se prepara para, a partir da semana que vem, em um esforço que deve ir até a última semana de junho, começar a triagem de voluntários para a pesquisa. Segundo ele, os escolhidos serão submetidos a testes para confirmar que não foram infectados pela Covid-19 para poder seguir com o experimento.

“Primeiro precisamos seguir as regras de segurança”, disse o especialista que espera receber muitos voluntários interessados em participar da pesquisa. Neste momento, são os profissionais da saúde –que estão em maior contato com pacientes infectados – que têm a prioridade para os testes.

A regra é a mesma para os dois centros de testagem, tanto no Rio como em São Paulo, poderão se inscrever como voluntários profissionais da saúde que atuam na linha de frente de combate à Covid-19, além de adultos entre 18 e 55 anos que também trabalhem em ambientes de alto risco para exposição ao vírus.

A Unifesp especificou por meio de um comunicado, que motoristas de ambulâncias, seguranças que trabalhem em hospitais e agentes de limpeza de hospitais também poderão se inscrever. Entretanto, a entidade esclareceu que ainda não foi iniciado o processo de recrutamento.

“A previsão é de que os procedimentos no Brasil comecem ainda em junho”, garantiu em nota.

Um ano de acompanhamento

O pesquisador explicou que após as primeiras três semanas, os voluntários serão acompanhados por sua equipe durante um ano. Neste período irão por cinco vezes ao centro de investigação onde passarão por consultas, terão o sangue coletado e serão examinados para possíveis efeitos colaterais.

“Depois de um ano vamos avaliar os resultados a partir de dois parâmetros: primeiro a eficácia, a partir da porcentagem de infectados e segundo a segurança, porque não se justifica usar uma vacina que apresente mais riscos do que a própria doença.” – Antonio Carlos Moraes, pesquisador do Idor

O chefe do serviço de clínica médica do Hospital Copa D’Or também explicou que o procedimento é seguro, já que a vacina usa apenas parte da proteína que reveste o material genético do vírus, e não o vírus em si, e por isso não há o risco da duplicação do Sars-Cov-2 no paciente.

Vacina e placebo

Para ser um estudo válido, Moraes explicou que há uma série de protocolos e regras que devem ser seguidos por todos os centros de investigação. Entre eles está o uso de placebo em parte dos voluntários, o que significa que nem todos receberão, num primeiro momento, essa dose da vacina contra a Covid-19.

“Dos mil participantes, 500 recebem a vacina ChAdOx1 e 500 recebem a vacina para meningite”, disse o pesquisador. “Isso porque esse é um estudo extremamente importante precisa de um alto índice ético. No final do estudo, os 500 que receberam a vacina para meningite receberão a vacina da Covid-19 caso ela tenha sido eficaz, como a gente acredita que será.”

No Rio de Janeiro, voluntários que façam parte do público-alvo da pesquisa devem procurar o Idor e perguntar sobre como participar do experimento. Em São Paulo, a seleção está a cargo do Crie, da Unifesp.

Aprovado pela Anvisa

Para ser conduzido no Brasil, o procedimento foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com o apoio do Ministério da Saúde. Os voluntários serão pessoas na linha de frente do combate ao coronavírus, com uma chance maior de exposição ao Sars-CoV-2. Eles também não podem ter sido infectados em outra ocasião. Os resultados serão importantes para conhecer a segurança da vacina.

Testes já começaram no Reino Unido

Com a previsão otimista de ficar pronta ainda em 2020, a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford ofereceu proteção em um estudo pequeno com seis macacos, resultado que levou ao início de testes em humanos no final de abril.

Em humanos, os testes têm apenas 50% de chance de sucesso. Adrian Hill, diretor do Jenner Institute de Oxford, que se associou à farmacêutica AstraZeneca para desenvolver a vacina, disse que os resultados da fase atual, envolvendo milhares de voluntários, podem não garantir que a imunização seja eficaz e pede cautela.

A vacina já está sendo aplicada em 10 mil voluntários no Reino Unido. A dificuldade para provar a possível eficácia está no fato de os cientistas dependerem da continuidade da circulação do vírus entre a população para que os voluntários sejam expostos ao coronavírus Sars-Cov-2.

A busca pela vacina

Para chegar a uma vacina efetiva, os pesquisadores precisam percorrer diversas etapas para testar segurança e resposta imune. Primeiro há uma fase exploratória, com pesquisa e identificação de moléculas promissoras (antígenos). O segundo momento é de fase pré-clínica, em que ocorre a validação da vacina em organismos vivos, usando animais (ratos, por exemplo). Só então é chegada à fase clínica, em humanos, em três fases de testes:

Fase 1: avaliação preliminar com poucos voluntários adultos monitorados de perto;

Fase 2: testes em centenas de participantes que indicam informações sobre doses e horários que serão usados na fase 3. Pacientes são escolhidos de forma randomizada (aleatória) e são bem controlados;

Fase 3: ensaio em larga escala (com milhares de indivíduos) que precisa fornecer uma avaliação definitiva da eficácia/segurança e prever eventos adversos; só então há um registro sanitário.

Depois disso, as agências reguladoras precisam aprovar o produto, liberar a produção e distribuição. Das dez vacinas em testes em fase clínica, algumas aparecem em estágio mais avançado, como a desenvolvida por Oxford, em fase 3.

A vacina do Reino Unido é produzida a partir de um vírus (ChAdOx1), que é uma versão enfraquecida de um adenovírus que causa resfriado em chimpanzés. A esse imunizante foi adicionado material genético usado para produzir a proteína Spike do SARS-Cov-2 (que ele usa para invadir as células), induzindo a criação de anticorpos.

A empresa AstraZeneca fechou com EUA e Reino Unido para cuidar da produção em escala mundial. O CEO da farmacêutica disse à rede britânica BBC, no domingo (31), que a população pode ter acesso a 100 milhões de doses da vacina já em setembro.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTOS: Após comprar lote de álcool gel adulterado, PF faz operação na Região de Curitiba

Fotos: Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF ) deflagrou uma operação, na manhã desta quinta-feira (30), contra a produção e a venda de álcool gel adulterado no Paraná. Isso aconteceu depois de a PF comprar um lote do produto que tinha menos álcool do que o indicado no rótulo.

De acordo com a PF, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em Fazenda Rio Grande e em São José dos Pinhais – que ficam na Região Metropolitana de Curitiba. Ninguém foi preso.

A ação foi batizada de “Acqua Gel” e verificou lotes de álcool gel, que estavam à venda, com o percentual de álcool enganoso, diferente do que dizia na embalagem.

O objetivo da operação, segundo a PF, é apurar outros se outros lotes têm o mesmo problema e se foram vendidos a mais órgãos governamentais e hospitais.

Lotes foram apreendidos, durante a operação, e vão ser submetidos à análise pericial.

Investigação

A investigação começou há 15 dias, segundo a PF.

O ponto de partida, conforme a PF, foi quando o Setor Técnico Científico (SETEC) identificou que um lote de álcool gel 65% – vendido à Superintendência Regional da Polícia Federal no Paraná – tinha, na verdade, 30% do álcool. Essa quantidade faz com que o produto perca a função de desinfecção e assepsia.

De acordo com a PF, exames periciais adicionais confirmaram o baixo percentual de álcool em todo o lote comprado pela corporação.

Assim que a adulteração foi percebida, o lote de álcool gel foi recolhido e substituído. Os novos produtos adquiridos pela PF também passaram por teste, sendo aprovados.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Receita paga hoje as restituições do 1º lote do Imposto de Renda

A Receita Federal começa a pagar hoje (17) as restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2019. Serão depositados R$ 5,1 bilhões nas contas de 2.573.186 contribuintes. Neste lote, receberão a restituição os 245.552 contribuintes idosos acima de 80 anos, 2.174.038 contribuintes entre 60 e 79 anos e 153.596 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Ao todo, serão desembolsados R$ 4,99 bilhões, do lote deste ano, a 2.551.099 contribuintes. A Receita também pagará R$ 109,6 milhões a 20.087 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2018, mas estavam na malha fina.

As restituições terão correção de 1,54%, para o lote de 2019, a 109,82% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a data de entrega da declaração até este mês.

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

A restituição ficará disponível durante um ano. Se o resgate não for feito no prazo, a solicitação deverá ser feita por meio do formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição, ou diretamente no e-CAC , no serviço extrato de processamento, na página da Receita na internet. Para quem não sabe usar os serviços no e-CAC, a Receita produziu um vídeo com instruções.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Receita abre consulta a lote da malha fina do Imposto de Renda

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

A Receita Federal abre nesta segunda-feira (8) consulta ao lote residual de restituição do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física de abril. Ao todo, serão desembolsados R$ 210 milhões para 91,3 mil contribuintes que estavam na malha fina das declarações de 2008 a 2018, mas regularizaram as pendências com o Fisco.

A lista com os nomes estará disponível a partir das 9h no site da Receita na internet. A consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições.

As restituições terão correção de 6,64%, para o lote de 2018, a 108,76% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a entrega da declaração até este mês.

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração no próximo dia 15. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Receita libera consulta ao primeiro lote da malha fina do IR 2012

Agência Brasil

A Receita Federal libera amanhã (8) a consulta ao primeiro lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2012 da malha fina. A consulta estará disponível no site da Receita. Serão liberadas também declarações dos exercícios de 2011, 2010, 2009 e 2008. O dinheiro será depositado no banco no dia 15 de janeiro de 2013.

Para o exercício de 2012, serão creditadas restituições um total de 79.484 contribuintes, com correção de 6%. Do exercício de 2011, serão creditadas restituições para um total de 11.513 contribuintes, com correção de 16,75 %.

De 2010, serão 6.781 restituições, com correção de 26,9% e de 2009, o número chega a 4.613 , corrigidas em 35,36%.Do exercício de 2008, serão creditadas restituições para um total de 4.703 contribuintes, com correção de 47,43%.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone, 146. Outra alternativa para as pessoas físicas, informou a Receita, é utilizar um aplicativo para tablets esmartphones que permite, entre outras coisas, a consulta das restituições desde 1999 e a situação cadastral de inscrição no CPF.

O aplicativo, desenvolvido pelo Serpro, é gratuito e pode ser utilizado para o Android, sistema dGoogle, e o iOS, criadopela Apple. Para fazer o download do aplicativo, o contribuinte tem as seguintes opções:

Versão para o sistema operacional Android

Versão para o sistema operacional iOS

A Receita lembra que a restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la por meio da internet, mediante o Formulário Eletrônico.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá procurar qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento do banco por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (deficientes auditivos), para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em qualquer banco.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Receita abre amanhã consulta ao terceiro lote do Imposto de Renda 2012

A Receita Federal libera amanhã (8), às 9h, a consulta terceiro lote de restituições do Imposto de Renda Pessoa Física 2012. No lote, também há restituições que caíram na malha fina em 2011, 2010, 2009 e 2008. O dinheiro será depositado no banco no próximo dia 15. No total, serão depositados R$ 2,2 bilhões, dos quais R$ 2,134 bilhões se referem ao exercício de 2012.
Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet(http://www.receita.fazenda.gov.br/) ou ligar para o Receitafone (146).

Para o exercício de 2012, serão creditadas restituições para 2.286.395 contribuintes, com correção de 3,06%. Para o exercício de 2011, serão creditadas restituições para 16.051, com correção de 13,81%.

Do lote de 2010, serão creditadas restituições para 7.664 contribuintes, corrigidas em 23,96%. Em relação ao lote residual de 2009, serão creditadas restituições para um total de 5.427 contribuintes, corrigidas em 32,42%. No caso do de 2008, serão creditadas restituições para 2.582 contribuintes, com correção de 44,49%.

Caso a restituição não seja creditada no banco, o contribuinte poderá entrar em contato com qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento da instituição por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (pessoas com deficientes auditivos), para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Restituição do segundo lote do Imposto de Renda é paga hoje

A Receita Federal libera hoje o pagamento da restituição do segundo lote multiexercício do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (exercícios 2012, 2011, 2010, 2009 e 2008). O valor total da restituição será de R$ 2,6 bilhões, uma soma recorde.

É o maior volume de recursos liberados em segundo lote (mês de julho), superando, em R$ 100 milhões o do mês anterior, que já havia sido recorde, em valor absoluto de impostos restituídos.

Para o exercício de 2012, serão creditadas restituições para um total de 2.433.190 contribuintes, totalizando R$ 2,5 bilhões, já acrescidos da taxa Selic de 2,38 % (maio de 2012 a julho de 2012). Desse total, 30.575 referem-se aos contribuintes de que trata a Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso).

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na Internet, ou ligar para o Receitafone 146. A restituição ficará disponível no banco durante um ano.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *