Denúncia

VÍDEO: Governo do Estado envia máscaras transparentes para os trabalhadores da saúde do Walfredo Gurgel, mostra denúncia do SindSaúde-RN

Os servidores da saúde do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel denunciaram ao Sindsaúde/RN no último sábado (13), o EPI (Equipamento de Uso Individual) de péssima qualidade entregue na unidade pelo Governo do Estado. O material em questão, são máscaras cirúrgicas quase transparentes, destinadas aos profissionais da saúde que trabalham no hospital e que estão na linha de frente no combate a Covid-19. As máscaras enviadas para o Walfredo Gurgel, como mostrada no vídeo feito pelo diretor do Sindsaúde/RN, Carlos Alexandre, não aparentam ser seguras, sobretudo para o uso em um ambiente hospitalar, dada a transparência do tecido.

Como afirmou o próprio Secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia, na manhã desta segunda-feira (15) em entrevista ao Bom Dia RN, vivemos “a pior situação da pandemia no estado em termos de agravamento nessa segunda onda”, e ainda sim, o Governo Fátima Bezerra (PT) “não respeita nem valoriza a vida dos trabalhadores da saúde ao distribuir máscaras totalmente transparentes e que machucam os profissionais”, como afirma o diretor do sindicato e também servidor do hospital, Carlos Alexandre.

Para o Sindsaúde/RN não basta criar novos leitos, ou editar novos decretos com medidas restritivas, como propõe o Governo do RN, quando sequer os EPI’s fornecidos para os trabalhadores da saúde – que atendem todos os dias pacientes com Covid-19 – são seguros para barrar a disseminação do vírus.

Vídeo cedido pelo SindSaúde-RN abaixo:

Opinião dos leitores

  1. Depois quem é genocida é o presidente, bando de hipócritas essa turma de Fatão é golpi, é golpi, é golpi

  2. Bora lá SESAP, EPI pro pessoal da saúde tem que ser o melhor possível pois nos hospitais é o único lugar que se tem certeza da presença do vírus. Mas observando a imagem me parece mascara cirúrgica descartável comum. O sindicato está agindo corretamente.

  3. Se a luz passa com tanta facilidade , é por que a trama é aberta … imagine a facilidade do vírus passar …

  4. Fátima Bezerra está muito preocupada com a saúde da população. Será que ela usaria esse tipo de máscara?????? Fazer isso é desumano com qualquer pessoa, ainda mais com profissionais da saúde que estão na linha de frente, fazendo um esforço enorme para salvar vidas. Se tivéssemos um Ministério Público atuante nas suas obrigações, esse descaso seria apurado e punido, mas o cidadão sabe que isso jamais acontecerá devido ao aparelhamento realizado pela governadora com os órgãos de fiscalização, desde o início de sua gestão.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governador do Texas-EUA extingue uso obrigatório de máscaras e manda abrir empresas

Foto: Getty Images

O governador Greg Abbott anunciou nessa terça-feira (2) que está retirando a determinação do uso de máscara de proteção contra a Covid-19 no Texas (EUA), mesmo com as autoridades de saúde alertando que não se podem diminuir as restrições de segurança.

Abbott fez o anúncio durante um evento da Câmara de Comércio de Lubbock, onde emitiu uma ordem executiva rescindindo a maioria de suas ordens executivas anteriores, como o decreto da máscara.

Ele também disse que negócios de qualquer tipo poderão abrir 100% a partir de 10 de março. “Muitos texanos foram excluídos das oportunidades de emprego. Muitos proprietários de pequenas empresas têm lutado para pagar suas contas. Isso deve acabar. Agora é hora de abrir o Texas 100%”, disse ele.

O governador do Mississippi, Tate Reeves, também anunciou na terça-feira o fim de todos os decretos de máscara do condado e disse que as empresas podem reabrir a 100% da capacidade. As novas medidas entrarão em vigor nesta quarta-feira (3), disse Tate.

“Nossas hospitalizações e o número de casos despencaram e a vacina está sendo rapidamente distribuída. Está na hora!”, tuitou Reeves na terça-feira.

Os texanos ‘dominaram’ a luta contra a Covid-19, diz Abbott

O anúncio da Abbott ocorre enquanto os casos de Covid-19 e as hospitalizações continuam diminuindo em todo o país. No entanto, especialistas em saúde dizem que relaxar as restrições agora pode levar a outro aumento, especialmente com a disseminação das variantes.

No ano passado, os texanos “dominaram os hábitos diários para evitar pegar Covid”, disse Abbott. Na segunda-feira, 6,57% dos texanos foram totalmente vacinados, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

A Abbott disse na terça-feira que 5,7 milhões de vacinas foram administradas no estado, há um excedente de equipamentos de proteção individual (PPE) e “10 milhões de texanos se recuperaram da Covid”.

“A remoção de mandatos estaduais não encerra a responsabilidade pessoal e o cuidado com seus familiares, amigos e outras pessoas em sua comunidade”, disse Abbott. “Pessoas e empresas não precisam que o estado lhes diga como operar.”

Em um comunicado na terça-feira, a juíza do condado de Harris, Lina Hidalgo, disse discordar da decisão do governador.

“Retirar as intervenções críticas de saúde pública” que estão funcionando não tornará as comunidades do Texas mais seguras ou acelerará o retorno à normalidade, disse Hidalgo.

“Cada vez que as medidas de saúde pública foram retiradas, vimos um aumento nas hospitalizações”, dizia o comunicado dela.

Hildago disse que o país está “cada vez mais perto da linha de chegada desta pandemia”. “Agora não é o momento de reverter os ganhos que trabalhamos tanto para alcançar”, diz a declaração da juíza. “Na melhor das hipóteses, a decisão de hoje é uma ilusão. Na pior, é uma tentativa cínica de distrair os texanos das falhas de supervisão estatal de nossa rede elétrica.”

Jason Brewer, porta-voz do grupo de lobby de varejo Retail Industry Leaders Association, disse em um comunicado que “relaxar os protocolos de segurança de bom senso, como usar máscaras, é um erro”.

“Retroceder nas medidas de segurança colocará injustamente os funcionários do varejo de volta ao papel de fazer cumprir as diretrizes ainda recomendadas pelo CDC e outros defensores da saúde pública”, dizia a declaração de Brewer.

“Isso também pode comprometer a segurança das farmácias e mercearias que estão se preparando como centros de vacinação.”

Pessoas que não usarem máscaras não serão penalizadas

Abbott disse que sabe que algumas autoridades temerão que a abertura 100% do estado leve ao agravamento da Covid em suas comunidades. Ele diz que sua ordem executiva trata dessa preocupação.

“Se as hospitalizações da Covid em qualquer uma das 22 regiões hospitalares no Texas subirem acima de 15% da capacidade de leitos do hospital naquela região por sete dias consecutivos, então um juiz do condado dessa região pode usar estratégias de mitigação da Covid em seu condado”, disse Abbott.

No nível do condado, porém, um juiz não pode colocar ninguém na prisão por não seguir as ordens da Covid e nenhuma penalidade pode ser imposta a pessoas que não usam máscaras, disse Abbott.

“Se as restrições forem impostas em nível de condado, todas as entidades devem ser autorizadas a operar pelo menos 50% da capacidade”, disse ele.

Os prefeitos de Mission, Houston e Dallas disseram que continuariam a incentivar o uso de máscaras ou exigiriam máscaras em seus respectivos prédios urbanos, apesar da ordem executiva da Abbott.

O prefeito de Houston, Sylvester Turner, disse que o anúncio do Abbott “realmente mina todos os sacrifícios que foram feitos por profissionais médicos, médicos, enfermeiras, trabalhadores do EMS, bombeiros, policiais, funcionários municipais e pessoas da comunidade”.

O prefeito de Austin, Steve Adler, disse a Anderson Cooper da CNN, na noite de terça-feira, que todos na cidade estavam “simplesmente pasmos” com o anúncio de Abbott.

“É incompreensível, considerando onde estamos”, disse Adler. Ele disse que trabalharam muito para “arriscar” o Covid-19 na cidade e no condado de Travis.

Adler disse que ele e o juiz do condado de Travis, Andy Brown, enviaram uma carta ao gabinete do governador na terça de manhã “implorando para que ele não o fizesse”.

A cidade continuará seu mandato de máscara e a câmara de comércio em Travis County emitiu um comunicado instando seus negócios membros a continuar a exigir máscaras também, disse Adler.
“Isso é autoajuda neste momento”, disse Adler.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. “Nossas hospitalizações e o número de casos despencaram e a vacina está sendo rapidamente distribuída. Está na hora!”, tuitou Reeves na terça-feira.
    A pergunta é : PRECISA DESENHAR ??????????

  2. Vcs leram a matéria, burrominions?
    A hospitalização despencou e a vacina tá sendo aplicada a todo vapor… NÃO SE APLICA AQUI!
    Meu Deus..?…vcs são burros assim mesmo ou fizeram o curso de medicina pelo whatsapp com o Dr Bolsominto?

  3. Governador Macho, cunhudo, cunhão rôxo.
    Certíssimo.
    A Governadora Fátima do RN trata os potiguares como cachorros, com funcinheiras na face.
    #BOLSONARO TEM RAZÃO
    É MITO 2022

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Máscara na praia? Sim, recomendam especialistas

DE QUEM É A CULPA? - Praia lotada no Rio em meio à pandemia: o brasileiro passou a responsabilizar mais a população por mortes – Gabriel Bastos/Futura Press

Pense bem antes de ir a uma praia durante a pandemia. O Brasil ultrapassou ontem a marca de 10 milhões de casos de Covid-19 e registrou o 29º dia seguido em que a média móvel de mortes se mantém acima da casa dos mil. Diante da descoberta de que é altamente mais provável se contaminar com o novo coronavírus por partículas presentes no ar do que em superfícies, como mesas e sacolinhas de mercado, ambientes ventilados são, sim, uma das atitudes mais sensatas a desenvolvermos no novo normal. Mas e na praia? É mesmo necessário usar máscaras de proteção?

A resposta é sim, dizem especialistas. E máscaras mesmo, daquelas bem ajustadas ao rosto e sem escape de ar por cima ou pelos lados. Não vale face shield nem máscara de mergulho. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, máscaras devem ser usadas pelos funcionários que trabalham em quiosques na praia e também pelos visitantes. O distanciamento social entre os guarda-sóis também é mais do que recomendado.

“Mesmo que seja um ambiente ao ar livre, onde a chance de transmissão está um pouco mais reduzida, já que quanto maior a ventilação, maior a dissipação das gotículas, o uso da máscara deve ser mantido enquanto as pessoas estiverem próximas”, disse ao blog a bióloga e especialista em Biossegurança Melissa Markoski, integrante da Rede Análise Covid-19.

“Se supormos, por exemplo, uma situação como a ocorrida nas praias durante o carnaval, onde havia alta aglomeração de pessoas na areia, sem máscara, muito próximas umas das outras, as chances de transmissão estão muito aumentadas, pois as nuvens de aerossóis permanecem certo tempo entre essas pessoas”, completou ela.

De novo: pense bem antes de ir a uma praia durante a pandemia. Mas se decidir mesmo, aqui vão algumas dicas:

Leve mais de uma máscara e a troque sempre que estiver molhada, suada ou suja (o que vai acontecer com frequência);

Não use máscaras de proteção contra o vírus durante o mergulho no mar e, quando estiver nadando, mantenha distanciamento social na água;

Use máscaras sempre que for aos banheiros públicos, aos quiosques ou a qualquer local que não seja debaixo do seu guarda-sol;

Para remover e colocar a máscara, lave as mãos ou use álcool em gel 70% e evite tocá-la na parte da frente para não haver contaminação da máscara ou da sua mão;

Se cair filtro solar na máscara a ponto de a deixar molhada ou suja, troque-a por uma reserva.

Filtro solar, suor, areia, temperaturas escaldantes e máscara? Sim. Parece complicado, mas especialistas dizem que sua proteção e a de todos os frequentadores da praia precisam prevalecer sobre qualquer desconforto ou desejo de estar bronzeado. Não é fácil estar em uma pandemia e quanto mais eficiente formos nas medidas de contenção da propagação do vírus, mais rápido sairemos dessa.

Por isso, máscaras na praia? Sim, por favor.

Veja

Opinião dos leitores

  1. BG!!
    Um emaranhados de gente dessa aí da foto, tem que andar é de tapa sexo.
    Por caridade.
    Rsrsrs

  2. Aqui será Mais um FAZ de CONTA. NÃO Houve. NÃO Há e NUNCA Haverá INTERESSE, CORAGEM, DETERMINAÇÃO e VONTADE POLÍTICA para EXIGIR da população Irresponsável e Inconsequente o Cumprimento dos Protocolos para EVITAR a Disseminação do covid-19. ISOLAMENTO e Distânciamento Social bem como o USO Obrigatório de Máscaras é só de Mentirinha. Que DEUS tenha MISERICÓRDIA de NÓS.

  3. Lembro de uma espécie que não gosta de usar bem locais determinados, desrespeitando tudo, imagina na praia.

  4. Sol escaldante, vento, o mar infinito, distanciamento entre as pessoas (espaço não falta)… Para que mesmo essa máscara, que nem sequer comprovação científica tem? Aliás, muita coisa nessa epidemia está sendo imposta às pessoas sem qualquer comprovação científica de eficácia. Essa tem se mostrado a epidemia da fraude, da roubalheira e da hipocrisia.

    1. Você sabe bem disso, tem enorme experiência. Não tire a sua, pode transmitir doença infecciosa e transmitir o vírus da falta de raciocínio, junto com a cegueira ideológica. Se isso se espalha estaremos perdidos, afinal todos irão ter seus bandidos de estimação e ditador a obedecer.

    2. Você usa há muito tempo, mesmo assim, não se cansa de falar merda nessa bosta. Aqui, poderia ser permitido somente argumentos plausíveis e com algum conteúdo, mas o que é permitido chega a ser medíocre, pernóstico e patético.

  5. Lotar as praia pode, aglomeração total! Mas está de máscara! É sério isso genteeeeeee!!!!
    Tão cedo não sairemos desta pandemia!

    1. Você sabe ao menos quem é sua mãe? Ou até disso você dúvida?
      A propósito, assine seus posts, você deve ter um nome de batismo,
      Não seja covarde, não se esconda atrás de um codinome.

    2. O mundo todo está equivocado, só vc está certo. Respeite a ciência kara pálida

    3. As máscaras de tecido comum que é a grande maioria, não servem pra nada mesmo, até por isso, países europeus estão exigindo o uso das descartáveis ou tecidos especiais triplos. Pra se ter uma idéia, a malha de um tecido comum é 2.000 (duas mil vezes maior que o tamanho do vírus, então como é que protege????

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RECOMENDAÇÃO ANVISA: Máscaras de tecido não funcionam para sempre; indicação é descartá-las após 30 lavagens

Foto: Nick Bradshaw/Reprodução

Depois de quase um ano de pandemia, você certamente já conversou com alguém que a cada 30 segundos tem de arrumar a máscara de proteção. Ora ela teima em deixar o nariz descoberto, ora vai subindo pelo queixo e destapa a boca, ora os elásticos atrás da orelha estão mais frouxos que roupa surrada. Com o agravamento da pandemia e a descoberta de variantes mais transmissíveis, as máscaras do início de 2020 são cada vez menos recomendadas. Essas que parecem um cobertor curto demais para cobrir todo o rosto nunca foram bem-vindas, mas são as mais comuns entre as precárias versões caseiras. Para ajudarmos a nossa proteção e a das pessoas que nos circundam, o blog ouviu especialistas e colheu recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre como escolher os melhores modelos, como cuidar das máscaras, lavá-las, armazená-las, substituí-las e – importante – como saber se, ao optar por um modelo PPF2 ou N-95, são originais ou falsificados.

Lição número 1: máscaras de tecido não são eternas. Se as que você está usando hoje foram compradas e utilizadas desde o início da pandemia, descarte-as. As fibras do tecido de fabricação provavelmente se esgarçaram de tal maneira que a proteção já não é lá essas coisas. A Anvisa recomenda que não se utilize uma máscara de tecido que foi submetida a mais de 30 lavagens porque as fibras do tecido podem ter sido comprometidas a ponto de não conferir mais a barreira física contra o vírus.

Caso elas ainda sejam novas, lave com água e sabão neutro antes de utilizá-las pela primeira vez. E nas lavagens futuras, deixe de molho em uma solução de água com desinfetante (pode ser água sanitária) por pelo menos 20 minutos. Passe com ferro depois de secas e guarde em um saco plástico. Ao escolher um modelo, opte por aqueles com elástico atrás da cabeça, porque tem melhor vedação, e não as que se prendem atrás das orelhas.

Outro importante alerta de especialistas em saúde: máscaras com válvulas não protegem as pessoas ao seu redor e não são recomendadas. Mesmo que você considere que, com elas, “respire melhor”, não use. Elas não resolvem.

Passageiros de primeira viagem e mulheres que não abrem mão de retocar o batom na pandemia, outro aviso um tanto quanto óbvio: face shield não é máscara, não a substitui como acessório de proteção e usado sozinho não serve para nada.

Máscaras cirúrgicas e os modelos PFF2 (com filtragem aproximada de 94% contra partículas de 0,3 mícron de diâmetro) e N-95 (com proteção de 95% contra essas mesmas micropartículas), procuradas a rodo em farmácias e lojas especializadas, já estão sendo indicadas largamente por países europeus em substituição às caseiras de outrora. A PFF2 e a N-95 são equivalentes. Na Europa atendem pelo nome de FFP2; na China, KN95. A França, por exemplo, proibiu acessórios caseiros, como os de algodão cerzidos pela vizinha costureira. O imunologista Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos, recomenda fortemente o uso de máscaras profissionais acrescidas de uma de tecido por cima. Elas são descartáveis, mas especialistas dizem que, na pandemia, é possível reutilizá-las tomando algumas precauções.

O ideal é ter de cinco a sete máscaras PFF2 ou N-95, uma para cada dia da semana. Depois de utilizá-la, deixe pendurada em um local arejado e longe da exposição do sol. É possível usar o acessório, revezando-o a cada dia, enquanto ele não estiver sujo e houver integridade dos elásticos. Isso pode dar sobrevida de mais ou menos cinco utilizações por máscara. Importante: só compre as que tiverem o selo do Inmetro. Caso contrário, podem ser falsificadas ou não terem tido sua taxa de filtragem aferida por órgãos de regulação.

Máscaras com tecido antiviral passam a impressão de que são seguras, certo? Mas não são como as PPF2 e N-95 porque o fato de se proporem a inativar o vírus que eventualmente grude no tecido não significa que eles vedem bem as laterais ou que filtrem bem. Lembre-se que o novo coronavírus está no ar por meio de aerossóis, e uma filtragem boa, com três camadas de proteção, por exemplo, é mais do que necessário.

DIÁRIO DA VACINA – Laryssa Borges – Veja

Opinião dos leitores

    1. Só por ter a foto daquele LADRÃO já não serve pra nada, e inclusive, a sua deve estar imunda.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

OMS desaconselha uso de máscaras com válvula

Foto: Reprodução/Pixabay

A OMS (Organização Mundial de Saúde) emitiu nesta quarta-feira (2) novas recomendações sobre o uso de máscaras durante a pandemia da covid-19, que entre outras coisas, desaconselham o uso daquelas que contam com válvulas.

De acordo com o nova guia sobre a utilização do item, o usuário, seja funcionário da saúde ou integrante da população em geral, poderia exalar um ar não suficientemente filtrado.

A OMS, dessa forma, mantém a recomendação para que médicos, enfermeiros, entre outros, sigam usando as máscaras específicas, com maior capacidade de proteção e risco de contágio aéreo, como N95, FFP2, FFP3, por exemplo, em áreas de atendimento a pacientes com sintomas da covid-19.

Para o público em geral, em áreas de transmissão comunitária do novo coronavírus, a agência recomenda o uso de máscaras não médicas (por exemplo, máscaras de pano) em áreas internas como lojas, escritórios ou escolas, se uma distância física de pelo menos um metro entre os presentes não puder ser garantida.

As máscaras médicas são recomendadas, principalmente, para grupos de risco, como idosos e pessoas com doenças pulmonares crônicas, câncer, diabetes ou problemas cardiovasculares, em contextos onde a distância física de pelo menos um metro não possa ser garantida.

Finalmente, a OMS não recomenda o uso de máscaras para crianças menores de cinco anos de idade, enquanto para aquelas entre seis e 11, as decisões devem ser tomadas levando em conta diferentes fatores, como a transmissão do vírus na comunidade, capacidade das crianças de usar o aparato, ambiente social e cultural.

As mesmas recomendações são aplicadas para crianças acima de 12 anos de idade e a adultos, conclui a OMS.

Nas máscaras de pano, a organização mantém a orientação de que, idealmente, sejam feitas com três camadas: uma exterior impermeável, uma interior que permita a passagem de umidade e uma camada filtrante intermediária.

R7

Opinião dos leitores

  1. Esse pessoal da OMS quer saber mais que o presidente, que estudou na AMAN?
    Sem comentários

  2. A OMS desaconselha o uso de máscara com válvula e Tonho da Lua ?, desaconselha o uso de todo tipi de máscara ?. Aí Papai ! Me segura GERTRUDES, trás logo minha dose de conhaque de alcatrão de São João da Barra ! Ai Papai .

  3. "EXALAR UM AR NÃO SUFICIENTEMENTE FILTRADO"

    OMS tá se superando a cada dia.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  4. OMS que vá pro inferno. Eles diziam que não era pra usar mascara no início da pandemia esse bando de ladrao safado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Candidatos ao Enem 2020 terão que usar máscaras desde a entrada até a saída, segundo novo edital do MEC

Foto: André Melo Andrade/Myphoto Press/Estadão Conteúdo

O Ministério da Educação (MEC) publicou uma retificação ao edital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, em que afirma que os candidatos terão que usar máscaras desde a entrada nos estabelecimentos da prova até a saída, tanto na prova impressa quanto na digital.

Os participantes poderão levar máscara reserva para trocar durante a aplicação. Caso se recuse a usar máscara, o candidato poderá ser eliminado. A publicação está no “Diário Oficial da União” desta sexta-feira (31).

Ao todo, 5,8 milhões de candidatos estão inscritos. Destes, 96 mil farão a prova digital. Além do uso de máscaras, o edital cita o respeito ao distanciamento quando o candidato for apresentar-se na sala de aplicação da prova.

O edital do Enem foi atualizado para alterar a data de realização do exame, já divulgada anteriormente. Em vez de novembro, como estava previsto antes da pandemia, a prova será feita em janeiro e fevereiro, com resultados divulgados em março (veja cronograma abaixo).

As regras também foram reescritas para incluir os cuidados sanitários para evitar a proliferação do coronavírus. O uso constante da máscara é uma das mudanças e, agora, é uma das obrigações do participante.

“Comparecer ao local de provas utilizando máscara para proteção à Covid-19. A máscara deve cobrir totalmente o nariz e a boca do participante, desde a sua entrada até sua saída do local de provas. Será permitido que o participante leve máscara reserva para troca durante a aplicação”, diz o edital.

O único momento em que será permitida a retirada do acessório é durante a identificação do estudante – ainda assim, o edital afirma que o manuseio da máscara deverá ser feito pelas laterais, sem tocar na parte protetora, como é preconizado por infectologistas. Acompanhantes de lactantes também deverão usar o acessório o tempo todo.

O uso da máscara é dispensado para pessoas com autismo, deficiência intelectual, deficiências sensoriais ou outras deficiências que as impeçam o uso adequado.

Cronograma do Enem

Adiado após pressão de estudantes e parlamentares por causa da pandemia de Covid-19, o novo cronograma do Enem prevê:

Provas impressas: 17 e 24 de janeiro, para 5,7 milhões inscritos

Prova digital: 31 de janeiro e 7 de fevereiro, para 96 mil inscritos

Reaplicação da prova: 24 e 25 de fevereiro (para pessoas afetadas por eventuais problemas de estrutura)

Resultados: a partir de 29 de março

Com G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Usuários agridem e ameaçam motoristas de ônibus que cobram uso de máscaras na Grande Belo Horizonte – MG

Motorista de ônibus é agredido por passageiro que foi cobrado por estar sem máscara. — Foto: Arquivo pessoal

O uso de máscaras é fundamental para evitar a contaminação pelo novo coronavírus e frear o aumento no número de casos. Em Belo Horizonte, seu uso é obrigatório desde 22 de abril e passou a valer multa em caso de descumprimento desde esta terça-feira (14). Mesmo assim, motoristas de ônibus estão sofrendo violência ao exigir que os passageiros usem máscaras dentro dos veículos. Na capital mineira, dois casos terminaram em agressões físicas.

Em um dos casos de violência, o condutor levou soco de um passageiro que se negou a usar a proteção.

Um motorista de Ibirité, na Região Metropolitana de BH, também ficou com o rosto machucado depois de levar socos de um passageiro que se recusou a colocar a máscara. E uma pedra foi jogada no vidro de um ônibus na capital mineira por uma pessoa que se negou a usar a proteção no rosto. Os dois casos aconteceram em maio, quando o uso da máscara já era obrigatório. Mas as ameaças embarcam nas linhas diariamente.

De acordo com Paulo César da Silva, presidente do STTR-BH, as ameaças têm ocorrido com frequência.

“Ameaça do tipo: ‘Chegando lá no final você vai ver’, ‘Amanhã você tá aqui de novo’, ‘Olha, olha, motorista, sabe com quem você tá mexendo?’ Sem contar alguns palavrões também que são proferidos por quem não quer usar o equipamento”, detalhou o presidente do sindicato.

A maioria das pessoas que circulam pelas ruas usa o transporte coletivo. Dentro do ônibus, o espaço é limitado, a possibilidade de aglomeração é maior. Mas nem todos têm essa consciência. Os rodoviários reclamam que está difícil trabalhar.

O Sindicato dos Rodoviários de BH (STTR-BH) já registrou a morte de um motorista de ônibus na capital por coronavírus. Cinco profissionais da mesma empresa testaram positivo para a doença.

Sindicato pede ajuda

O presidente do sindicato dos rodoviários fez um apelo para que a população ajude, denunciando à Guarda Municipal ou à Polícia Militar os casos de agressão ou de descumprimento das regras sanitárias. E lembra que, a partir do momento em que está dentro do ônibus, o passageiro corre os mesmos riscos do motorista ou de qualquer outra pessoa sem proteção.

“Você não sabe quem é que tá contagiado. Estamos todo mundo correndo risco. No momento que nós estamos vivendo, é todo mundo lutar pra gente sair dessa pandemia o mais rápido possível ou controlar essa disseminação que tá assustadoramente não só no nosso município como o estado todo”, finalizou Paulo César.

G1

Opinião dos leitores

  1. O negacionismo incentivado na cabecinha dos boçais dá nisso. Quem só xinga e não tem sustentação sólida nos argumentos deixa transparecer a besta fera que há em cada um .

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo do Estado distribui máscaras a 800 mil pessoas e doações somam R$ 2,4 milhões em doações

Foto: Demis Roussos

Os programas RN+Unido e RN+Protegido mantêm o foco no trabalho de arrecadação de alimentos, material de limpeza e higiene e de proteção facial para distribuição em todo o Estado. No balanço divulgado nesta quinta-feira (21), a soma já alcança mais de R$ 2,4 milhões em doações, sendo R$ 100 mil apenas entre os dias 13 e 19 de maio.

O controlador-geral do Estado, Pedro Lopes, coordenador das campanhas governamentais de doação, apresentou os produtos e doadores desta última arrecadação à Central de Controle de Doações, criada em 26 de março, durante coletiva transmitida ao vivo pelas redes do Governo.

“Destacamos a doação de 2.000 protetores faciais pela Potigás, já distribuídos em barreiras sanitárias e outras atividades do Governo, além de hospitais. Outra parceria com o Governo, desta vez com a UFRN, arrecadou 7.200 litros de álcool etílico, também distribuído para diversos programas assistenciais e hospitais”, destacou o controlador.

Outra doação relevante pelo viés do programa RN+Protegido e enaltecida durante a transmissão foi de 12.000 litros de água mineral pela Coca-Cola. Todo esse material será entregue ao Hospital Giselda Trigueiro.

Máscaras arrecadadas e distribuídas

Ao todo já foram arrecadadas e distribuídas 1,6 milhão de máscaras, desde o início do programa, realizado em parceria com indústrias têxteis, em especial a Guararapes, a Coteminas e Sindicato da Construção Civil. Dessas, 900 mil foram entregues em municípios do Estado potiguar. Foram mais de 800 mil pessoas alcançadas. “Até próxima semana chegaremos a mais de um milhão”.

Pedro Lopes lembrou ainda o acordo de cooperação realizado com os motoristas por aplicativo e, já agendado para esta sexta-feira (22), um acordo com os taxistas de Natal. Para essas duas ações serão destinadas 70 mil máscaras para uso dos motoristas e dos clientes que entrarem no veículo sem essa proteção.

Também foi realizada uma ação para distribuição de 100 mil máscaras nas filas de atendimento da Caixa Econômica Federal. “Nosso esforço é que toda essa distribuição chegue o mais rápido possível às pessoas mais vulneráveis e possamos proteger a população ao Covid-19”.

Em outras ações foram distribuídas ainda 10 mil máscaras à Segurança Pública, 40 mil para a comunidade católica e evangélica, e 50 mil destinadas à Associação dos Supermercados do RN (Assurn) e Câmara dos Dirigentes Logistas para distribuição aos funcionários em atividade.

RN+Unido

Pelo RN+Unido, Pedro Lopes lembrou a retirada de duas toneladas de alimentos dos supermercados associados à Assurn, parceira do Governo do Estado neste programa. E ainda a entrega de 610 cestas básicas, 312 kits de higiene pessoal, 340 litros de álcool e 6.600 máscaras, alcançando pelo menos 700 famílias com a ação.

Turismo

Afora o trabalho de arrecadação pelos programas RN+Unido e RN+Protegido, o controlador lembrou ainda a campanha promovida em prol dos trabalhadores do turismo em situação social mais vulnerável. Uma ação encabeçada pela Setur RN em parceria com a Embratur e Sindicato das Empresas do Turismo.

Para essa campanha foi realizada uma “vakinha” online, com arrecadação de mais de R$ 14 mil. A banda Graffith foi convidada a promover uma live beneficente para ajudar nessa sensibilização, que destinou 381 cestas básicas a esses profissionais.

Opinião dos leitores

  1. As pessoas se amontoando infectadas com a covid a espera de UTIs com respiradores, e a governadora entregando máscara. Isso devia ter sido feito antes da contaminação, será também que as UTI vão ser disponibilizadas aos potiguares, quando atingirem os números de mortos idealizado pelos petralhas do governo do RN?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Uso obrigatório de máscaras em locais públicos de Natal entrará em vigor a partir desta quinta

Foto: Ilustrativa

O portal G1-RN destaca que o prefeito Álvaro Dias (MDB) anunciou na manhã desta quarta-feira (29) em entrevista ao Bom Dia RN, da Inter TV Cabugi, que irá publicar um decreto para estabelecer o uso obrigatório de máscaras em locais públicos de Natal. A determinação entrará em vigor a partir de quinta (30).

Segundo o prefeito, a medida é uma forma de evitar aglomerações em bancos, indústrias, empresas, pontos comerciais e qualquer local público para tentar conter o avanço da Covid-19 na capital. Até a manhã desta quarta (29), Natal tem 402 casos confirmados de coronavírus e 11 mortes, segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesap). Leia todos os detalhes aqui em reportagem na íntegra.

Opinião dos leitores

  1. Era pra ter resolvido logo no início e máscara tem pessoas confeccionando à 2,00 R$ e muito Boa.

  2. Esses políticos são verdadeiros palhaços, decretam as coisas sem estrutura para fiscalizar. O cara pálida desse prefeito sabe que a prefeitura de Natal não fiscaliza nem ela própria, quanto maisena população flutuante de mais ou menos oitocentas mil pessoas.

  3. Comentaram aí sobre o carnaval, com aglomerações e tal; na época por volta de 20 de fevereiro não existia esse frisson sobre o vírus e outra, a explosão dos casos agora, se deve a contaminação ocorrida há 2 semanas, o carnaval acabou há cerca de 60 dias.

  4. Já era para ter sido obrigatório há mas tempo ? Odeio qdo saio e vejo pessoas sem máscaras ! Falta de respeito aos seus familiares e a comunidade ! Agora em todos os lugares se vende máscaras caseiras, até de 2 reais, tem até gente fazendo e doando. Se cada um fizer a sua parte, não teremos tanta contaminação !

  5. *O grupo dos 90% que não são do grupo de risco, tem que se contaminarem para desenvolver anticorpos e destruírem o vírus, só assim vão proteger os grupos dos 10℅ de riscos… Que tem que ficarem em casa…. Não tem jeito, o vírus está por aí só aguardando, pois não morreu ainda… Parabéns a PMN, mesmo não sendo obrigação da mesma, a saúde de média e alta complexidade, já criou novos leitos em hospital de campanha, deixou os supermercados abertos com regras e criou mais uma barreira de proteção para minimizar os riscos de contaminação, com uso de máscaras… E o governo do RN é os outros municípios, o que agregaram???? Fiquem em casa… Fiquei 50 dias em casa e acharei a curva de contaminação, e agora governo do RN??? Única coisa que fez foi contratar leitos na liga( já existe) super caro pelo valor de mercado normal… vão sair?

  6. Engraçado no carnaval se usaram outras máscaras, erro do governo libera o carnaval agora vamos pagar o preço e com a vida

  7. Gostaria tambem que o prefeito distribuice material nas UPAS e hospital municipal pq esta faltando, depois que ele fiizer isso que disponibilizase as mascaras para populaçao poder comprar porque nao tem.

    1. Agora se vende máscaras caseiras, e so ter higiene necessária.

  8. Quando um gestor do executivo institui o uso de máscara de forma obrigatória é porque o povo não possui consciência social.
    O prefeito de Natal-RN está de parabéns. As pessoas têm que ter a consciência de fazer sua parte minimamente possível. Quem não tem dinheiro para comprar uma máscara ou não a encontrar no mercado, improvisa um pedaço de pano. O objetivo é evitar o contágio e, portanto, toda ação de contenção da disseminação do vírus é louvável.

  9. Tanto que se pede para o povo ficar em ksa, para se proteger, aí todos os dias se mostram as filas enormes em frente as agências das caixas, eu fico a pensar se o ministério público federal, estadual, os gestores municipais, sec. de saúde estadual, municipais, procons e outros, não estão vendo esse absurdo que é o provável contágio desse povo e tantos outros. De que vale meu esforço e de meus familiares diante de tamanho descaso com a saúde do povo. Os reflexos disso esses órgãos esperem daqui a 10 ou 15 dias a explosão nas estatísticas de infectados na capital e no interior. Deus nos proteja.

  10. As máscaras evitam aglomeração? Bacana.
    Jurava que elas protegiam, em alguma escala, as pessoas.

    1. As máscaras não evitam aglomeração mas, minimizam os riscos de contato com em ambientes coletivos. Mas isso é difícil de entender para algumas "cabeças pensantes". O pior é que vão dizer não ter condições de adquirir uma máscara pra preservar sua saúde mas, dinheiro pra comprar cana pra tomar nas "lives da vida" tem.

    1. Máscara tem pra vender,mas tem muita gente oportunista vendendo aos olhos da cara. Vendo,mas a preço popular pois não viso lucro e sim ajudar as pessoas. R$ 3,00 pode ser muito,mas é pra algo útil.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Organização vende máscaras com desenhos de pênis para arrecadar fundos

Mindy Vincent, diretora de uma organização de assistência social, publicou uma foto com a máscara em sua conta no Twitter Foto: Twitter / @MindyVi90992223

A diretora de uma instituição de redução de danos que atua em Utah, nos Estados Unidos, publicou uma foto no Twitter em que aparece usando uma máscara com diversos pênis desenhados. A repercussão da publicação de Mindy Vincent deu a ela a ideia de usar o produto para arrecadar doações para a organização que chefia.

“Minhas máscaras chegaram! Usei elas no Walmart e no Petco hoje. Quando alguém me diz que minha máscara tem pênis nela, eu gentilmente deixo a pessoa saber que é assim que eu determino que ele está muito perto, e peço para eles gentilmente se f*******”, disse Mindy na publicação, feita em 10 de abril.

Em entrevista para o E+, Mindy conta que comprou as máscaras pois “precisava de equipamentos de proteção para mim e minha equipe. Essas [com os desenhos] estavam sendo vendidas e seriam entregues rapidamente. E elas são hilárias”.

Com a repercussão da publicação, o filho de Mindy sugeriu que eles passassem a vender o produto, que saiu do ar no site em que ela fez a compra, e destinassem o valor das vendas para o Utah Harm Reduction Coalition (Coalizão de Redução de Danos de Utah), organização dirigida por Mindy.

A organização realiza diversos serviços de redução de danos, ajudando no tratamento de pessoas viciadas em substâncias químicas, além de atividades educativas sobre a redução de danos. A ideia é que as doações sejam usadas na compra de máscaras para pessoas em situação de rua.

Até o momento já foram arrecadados mais de 60 mil dólares (cerca de R$ 314 mil na cotação atual), e também estão sendo vendidas outras máscaras com desenhos de seios e vaginas. “Quando elas esgotarem, nós pararemos as vendas”, comentou Mindy.

Emais – Estadão

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Em parceria com indústrias, Governo lança campanha RN+Protegido para fornecer cerca de 3 milhões de máscaras à população

Foto: Elisa Elsie

O Governo do Estado lançou hoje o programa RN+Protegido, que será criado em decreto assinado pela governadora Fátima Bezerra para distribuir máscaras de tecido para a população potiguar e ampliar sua proteção frente à pandemia de coronavírus. A campanha foi anunciada durante coletiva de imprensa na Escola de Governo nesta sexta-feira (17), com a participação de representantes do setor produtivo parceiros da ação. Na ocasião, foram entregues as primeiras 100 mil máscaras doadas pela indústria têxtil Guararapes; outras 100 mil estão sendo finalizadas, totalizando as 200 mil unidades que dão início à campanha.

A governadora Fátima Bezerra participou de todas as tratativas para a efetivação da campanha que considera “Muito importante, de colaboração do setor privado com o Estado, beneficiando trabalhadores que estão na linha de frente nesse período de pandemia e também a população em geral”.

O secretário do Desenvolvimento Econômico Jaime Calado destacou que “Foram muitas mãos para construir esse programa”, pois coordenou a formulação da campanha em consonância à proposição do deputado estadual Francisco Medeiros. “Além destas 200 mil máscaras que estarão sendo distribuídas hoje, o Sinduscon, o Sindicato da Indústria da Construção Civil, está fazendo uma doação de 2,2 milhões de unidades de máscaras; a Coteminas está doando material para serem confeccionadas 500 mil máscaras; a Nortex está doando material para 120 mil máscaras; e nós agradecemos em nome deles e muitos outros que estão fazendo essa corrente de solidariedade”, informou o secretário.

Além das doações, o programa prevê a aquisição de novas máscaras pelo Governo do Estado. A equipe do projeto Governo Cidadão está em tratativa com o Banco Mundial, com perspectiva de financiamento para aproximadamente 3 milhões de itens. As máscaras serão produzidas pelas oficinas de costura do programa Pró-Sertão, coordenadas pela indústria-âncora Guararapes. O diretor executivo da empresa, Jaime Amorim, falou sobre a importância da ação para garantir a renda dos trabalhadores das 78 oficinas que estão sendo reativadas no interior do Estado, e ressaltou ainda os cuidados sanitários que estão sendo empregados na ação.

O diretor executivo informou também que todo o dinheiro investido pelo Governo do Estado na obtenção das máscaras será utilizado para pagar o salário das costureiras, e que a Guararapes irá subsidiar o material, os insumos e a logística da produção. “Para se ter uma ideia, em 3 milhões de peças são usadas 45 toneladas de tecido, o que equivale ao custo de pouco mais de R$ 1,2 milhão”, explicou. “O grupo está envolvido neste esforço humanitário, em solidariedade não só ao Governo do Estado, mas principalmente à população que mais precisa”.

Para a distribuição das máscaras, foi criado um comitê formado pela Controladoria Geral do Estado (Control) e as secretarias de Estado do Desenvolvimento Econômico (Sedec) e do Trabalho, da Habitação e da Ação Social (Sethas). O objetivo é articular a entrega para a população a partir dos setores prioritários, com apoio das secretarias, órgãos e entidades públicas, unidades de saúdes, instituições, organizações da sociedade civil e entidades classistas realizando as entregas ao seu público alvo.

As primeiras 100 mil unidades serão distribuídas pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (20 mil); pela Secretaria de Estado da Segurança Pública: polícias Civil e Militar, Itep-RN e Corpo de Bombeiros Militar (20 mil); Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (6 mil); Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Ação Social: servidores, distribuição nos Restaurantes Populares, Programa do Leite, trabalhadores que atuam no SUAS (12 mil); Programa RN + UNIDO (4 mil); Sindicatos (15 mil); Associação dos Supermercados do RN (15 mil); Ceasa e Cecafes (3 mil) e Feiras livres (6 mil).

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Asseio, Conservação, Higienização e Limpeza Urbana (SindLimp), Wilson Duarte, agradeceu em nome da categoria pela entrega dos itens. “Os trabalhadores da limpeza estão na linha de frente tanto quanto os profissionais da saúde, então é uma forma de a gente minimizar os riscos que estes trabalhadores estão correndo”, disse.

Também estão sendo firmadas parcerias com a sociedade civil organizada, a exemplo de entidades religiosas, organizações comunitárias e assistenciais, dentre outras, para distribuir as máscaras para a população. Além disso, o Governo irá destinar até 40% da produção aos municípios do Rio Grande do Norte por meio de orientação das suas secretarias de Assistência Social e de Saúde Pública. Também foi disponibilizado um endereço de e-mail (rnmaisprotegido@gmail.com) para onde deverão ser direcionados pedidos de órgãos e entidades interessadas. Dúvidas poderão ser esclarecidas pela Central de Atendimento (84) 3190-0700, opção 3 (três).

Máscaras de tecido

As máscaras distribuídas pelo RN + Produtivo serão fabricadas em tecido. O objetivo é dar maior agilidade na produção e obter melhor aproveitamento de materiais disponíveis no mercado que podem ser destinados à população em geral. Com isso, o Estado garante que outras máscaras, homologadas pela Anvisa (Cirúrgicas e N95), cheguem aos médicos e enfermeiros, expostos a uma carga viral bem maior, e ao mesmo tempo fornece uma opção viável para a população.

Segundo Jaime Calado, que também é médico sanitarista, “o importante é que a máscara cubra a região da boca e do nariz, sem deixar espaços nas laterais, e seja dupla, para impedir com eficiência a penetração do vírus”. O secretário ainda lembrou que as máscaras de tecido podem ser higienizadas e reaproveitadas pelos usuários.

Opinião dos leitores

  1. Sejamos otimistas, a pandemia tem também seu lado bom: está servindo para revelar a competência de Jaime Calado como… secretário de Desenvolvimento Econômico.

    1. Traga um urinol depressa, Terra! Tô me mijando de rir… Diz o cigano que a pandemia tá desmascarando a competência de Calado.

  2. Com a palavra a turma da canhota.
    Abra a boca fale alguma coisa.
    Cadê aquela deputada federal, que mais parece uma Fátima piorada????
    Vamos falar, vamos gastar o dinheiro do Fundão, e dos penduricalhos.
    Cadê??
    Tão tudo de boca cozida.
    Não falam e não ajudam em nada.
    Ôôô classe miserável essa política.
    Ôôô povo ruim!!!

  3. Pelo que corre nas redes sociais,inclusive existe um vídeo de Flávio Rocha dando os parabéns e mencionando quem iniciou essa campanha foi @jeroninodosertao, o governo mais uma vez pega carona nas ações dos outros.

  4. Além de destribuir a máscara tem como obrigar a usar e de forma correta, é um absurdo como as pessoas não sabem usar máscara

  5. Os empresários tão criticados pelo PTismo numa hora dessa é fundamental. Isso serve para a esquerda saber que quem domina o mundo ainda é a direita, que gera empregos e renda.

    1. Pense num comentário vazio . Quem está falando de direita e esquerda num momento desse criatura ? Deixe de politizar assunto sério . Pronto quem domina o mundo é a direita e daí ? Tenha sensibilidade . As boas ações são sempre elogiadas é isso chama-se parceria ,. Reflita , medite e seja proativa para o bem . Não esqueça de lavar bem as mãos , usar máscara ao sair quando extremamente necessário e ficar em casa e já ia esquecendo bochecho com peróxido de hidrogênio diluído é bom também .

    2. Ricardo, faltou vc dizer que votou no Bolsonaro, MAS se arrependeu.

  6. A Guararapes, aquela que a anta bizarra queria que fosse embora daqui? O mundo dá muitas voltas. Está ajudando o governo? É assim que se faz, o bem contra a maldade.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Governo Federal pode usar até 50 voos comerciais para trazer máscaras da China


Foto: Ina Fassbender / AFP / CP

Com pressa por conta do avanço da pandemia do novo coronavírus, o governo prepara uma “operação de guerra” para trazer, de forma mais rápida, as 240 milhões de máscaras que o Ministério da Saúde está comprando na China.

Poderão ser contratados de 20 a 50 voos em aviões comerciais para buscar os produtos. De acordo com fontes do governo, seriam necessárias de 15 a 20 aeronaves distintas para a operação que, em volume, é considerada a maior compra governamental do exterior da história – são quatro mil metros cúbicos e 960 toneladas.

Outra opção seria usar aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), mas a avaliação é que as aeronaves da força são menores e demandariam mais voos, o que custaria mais aos cofres públicos. Mesmo em aviões comerciais, os voos poderiam ganhar status de “voo de Estado”, o que implicaria em maior segurança e menos burocracia no transporte da carga.

A operação é encabeçada pelo Ministério da Infraestrutura com o envolvimento de vários órgãos, inclusive a Controladoria Geral da União (CGU). A pasta da Infraestrutura já começou a fazer cotações com empresas aéreas. Uma das interessadas é a Latam, que poderá ter preferência, por ser brasileira.

O Itamaraty estuda agora onde seria o melhor local para que as aeronaves façam escalas. Israel, Dubai e Nova Zelândia são os destinos mais prováveis no momento. Os aviões precisam parar para reabastecer, mas a maior dificuldade é que a carga transportada é cobiçada por vários países neste momento e poderia ser interceptada.

A preocupação aumentou depois de depois de uma carga de respiradores comprada pelo governo da Bahia ter ficado retida em Miami (EUA). O negócio foi cancelado pela empresa fornecedora e a suspeita é que o material tenha sido destinado para uso no país norte-americano.

Por conta disso, os aviões brasileiros devem evitar paradas nos Estados Unidos e também na Europa, que foi fortemente impactada pela pandemia. A expectativa é que cada voo leve cerca de 40 horas. Usualmente, uma carga com esse volume seria transportada por navio, mas isso levaria até 45 dias, um prazo que o governo não pode esperar no momento.

Na última sexta-feira, o governo publicou no Diário Oficial da União o extrato de dispensa de licitação informando a compra de 200 milhões de máscaras cirúrgicas e 40 milhões de máscaras N95 com filtro, no valor de R$ 694,320 milhões. O produto é essencial para proteger profissionais de saúde no atendimento a suspeitos e infectados por coronavírus.

A compra já foi publicada no Diário Oficial da União, mas ainda não foi confirmada pelo fornecedor. O contrato foi firmado com uma empresa de Wuhan, onde iniciou a epidemia de coronavírus. O embarque da mercadoria será no aeroporto de Guangzhou.

Apesar dos contratos, não há a certeza de que os produtos chegarão. Em entrevista coletiva na semana passada, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse que a pasta fez a compra e espera a China “pacificar o mercado” para buscar os produtos. “Quando o mundo acabar dessa epidemia, eu espero que nunca mais o mundo cometa o desatino de fazer 95% da produção de insumos que decidem a vida das pessoas em um único país”, declarou o ministro.

Até agora, contratos para a compra de medicamentos e insumos de saúde eram feitos já com o frete incluído. Com a pandemia, no entanto, os países passaram a ser responsáveis por buscar os produtos na China, o principal fabricante mundial. (Colaborou Vinícius Valfré)

O Globo

Opinião dos leitores

  1. VIVA A CHINA!
    VIVA OS COMUNISTAS!
    É NA HORA DAS DIFICULDADES QUE SE CONHECE AS PESSOAS, AS INSTITUIÇÕES E OS PAÍSES.
    Nessa hora, enquanto os Estados Unidos só pensa neles, tentando comprar tudo pra eles, outros países tão críticados, como China e Cuba, saem para o mundo ajudando a combater esse mal que atinge a todos.
    Onde estão as preocupações e missões para salvar os povos pobres do mundo?
    Onde estão os salvadores da Terra e os nossos heróis?
    Vejam quem está se expondo e participando de alguma forma dessa luta para salvar vidas humanas e os que estão agora escondidos, ou refugiados em suas mansões.
    Onde estão nossos ricos e milionários jogadores de Futebol, artistas, cantores, atores e apresentadores de televisão, empresários , latifundiários e banqueiros?
    É nesse hora que vemos quem é quem.
    Por isso é bom abrir os olhos para ver e saber quem estará ao nosso lado quando o "bicho pegar" e não se enganar mais nas próximas eleições.

  2. Manter relações comerciais com a China, tornou-se instável, parceiro comercial com potencial enorme pra exportar nossos produtos, entretanto temos que urgentemente que pensar em outras opções. até nós, brasileiros, teremos que evitar produtos chineses, mesmo que tenham enormes vantagens econômicas. É o barato que sai caro

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Trump faz acordo e 3M poderá exportar máscaras ao Brasil

Profissional da saúde participa de protesto por equipamentos de proteção adequados Foto: BRYAN R. SMITH / AFP

O governo dos Estados Unidos chegou, na segunda-feira, a um acordo com a 3M, uma das maiores produtoras de artigos hospitalares do mundo, permitindo que a empresa continue a exportar máscaras para a América Latina e o Canadá, algo que um decreto do presidente Donald Trump buscou suspender. Aliviando as tensões entre a companhia e a Casa Branca, o pacto prevê a importação de 166,5 milhões de máscaras nos próximos meses.

Anunciado durante a entrevista coletiva diária da força-tarefa do governo americano, o acordo estabelece que a 3M importará 55 milhões de máscaras ao mês por três meses, vindas majoritariamente de sua fábrica na China. As remessas serão somadas à produção doméstica da empresa nos EUA, que foi aumentada para 35 milhões ao mês e deverá crescer ainda mais. A multinacional, por sua vez, ficará livre para continuar a vender os equipamentos produzidos nos EUA para outros mercados, entre eles o canadense e o latino-americano.

— Posso anunciar que hoje chegamos a um acordo amigável com a 3M para a entrega de 55 milhões de máscaras adicionais, a cada mês, de alta qualidade — disse Trump, afirmando que “a saga 3M” terminará de maneira “muito feliz”.

Os detalhes foram confirmados horas depois pela 3M, que disse compartilhar “os mesmos objetivos” da Casa Branca de fornecer máscaras para os americanos “e combater criminosos que buscam tirar vantagem da crise atual”. O executivo-chefe da empresa, Mike Roman, disse ainda que sua companhia “continuará a trabalhar com governos para direcionar máscaras e outros utensílios para as áreas mais necessitadas”.

Um dos carros-chefe da multinacional, as máscaras N95 são essenciais para aqueles que estão na linha de frente do combate ao vírus, sendo capazes de filtrar 95% das partículas transportadas pelo ar. Muitos países, no entanto — entre eles os EUA — descobriram tardiamente que não tinham estoque suficiente do produto para lidar com a pandemia.

Lei de guerra

Apesar de uma relação inicialmente amistosa entre a 3M e a Casa Branca — o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, chegou a visitar a sede da empresa no início da crise — os impasses se acentuaram no último dia 2. Na ocasião, Trump invocou a Lei de Produção de Defesa, uma legislação de guerra criada em 1950, para acelerar o ritmo de fabricação de máscaras, respiradores e equipamentos hospitalares.

Uma segunda parte do decreto, no entanto, obrigava a 3M a suspender as exportações dos produtos, hoje destinados majoritariamente para os mercados da América Latina e do Canadá. A empresa questionou a decisão, apontando para “implicações humanitárias significativas decorrentes da suspensão do fornecimento” para estes países, dos quais “são fornecedores críticos”.

“Ao se suspenderem as exportações de máscaras produzidas nos EUA, outros países poderão retaliar e fazer o mesmo, como já fizeram. Se isso ocorrer, o número de máscaras disponíveis para os EUA diminuiria na prática. É o oposto do que nós e o governo, em nome do povo americano, queremos”, disse na ocasião.

Conforme se tornaram epicentro da Covid-19, os EUA assumiram protagonismo na disputa global por equipamentos médicos. Após uma pausa nas disputas comerciais com a China, os americanos fecharam um acordo para a compra de luvas, máscaras e roupas de proteção que serão transportadas em ao menos 20 voos fretados. Países como Brasil, França e Canadá, no entanto, viram suas encomendas canceladas. No caso do país europeu, os americanos chegaram a oferecer três vezes mais pelos utensílios.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Vai vir um lote da Venezuela também ao que tudo indica.
    Só para petralhas, vem sob medida, o elástico tem que ser grande, que é pra poder passar por detrás das orelhas.
    Kkkkkkkkk
    Da lhe MITO.

  2. Três remédios contra a Covid : fucar em casa , se possível , higiene geral e permanente e obuso de máscara até dentro de casa.
    É bom também , gargarejar tudo morno ou quente várias x ao dia.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

PROCURA INSANA E COMPRA DE CAIXAS: Farmácias limitam compra de álcool em gel e máscaras

A procura insana por álcool em gel e máscaras nas farmácias de todo o Brasil fez várias redes limitarem a compra por cliente.

O Antagonista apurou que as lojas estão tendo dificuldade na compra do produto, principalmente, em razão da falta de embalagens nas fábricas para atender a toda a demanda.

Um empresário do setor, que preferiu não ser identificado, disse à nossa reportagem que os governos deveriam acalmar a população.

“Você tem uma demanda que não é real. Ninguém precisa comprar caixas de álcool em gel, como está acontecendo. Ninguém precisa de 20 máscaras. As máscaras só deveriam estar sendo usadas por quem está contaminado. Mas está todo mundo comprando, o que já resulta na falta do produto para os profissionais da saúde. É uma demanda irracional.”

Em Brasília, o álcool em gel está em falta até mesmo na famosa Rua das Farmácias.

Opinião dos leitores

  1. esse empresario falando….
    abra os jornais online da europa e VEJA e LEIA,
    as pessoas estao sendo ajudada a fabricar mascaras ARTESANAIS
    por medicos e enfermeiros, e ele vem dizer que nao precisa?
    uma pessoa infectada que nao tem sintoma infecta outrsas!!!!!!!!!!!!!!!
    EU V O U U S A R M A S C A R A S i M!!!!!!!!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Manifestantes com máscaras serão identificados civil e criminalmente

protesto-alerjRIO – A partir desta terça-feira todos os manifestantes que estiverem usando máscara na linha de frente dos protestos serão identificados civil e criminalmente e podem até ser levados para a delegacia. A medida judicial que autoriza a identificação criminal dos manifestantes foi publicada nesta segunda-feira pela Justiça no Diário Oficial e é um pedido da comissão especial que investiga atos de vandalismo em manifestações públicas.

Essa comissão é formada pelo Ministério Público e as polícias Civil e Militar. Segundo o promotor Décio Alonso Gomes, a medida judicial tem como objetivo ajudar a comissão a dar nomes a centenas de rostos já fotografados promovendo atos de vandalismo em passeatas. Até o momento, 50 rostos sem identificação civil já foram cadastrados pelo Ministério Público, além de 18 pessoas identificadas com nome e rosto pela Polícia Civil.

Existem hoje na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática dez inquéritos que apuram a atuação desses vândalos nas manifestações.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Uso de máscaras em manifestações é proibido em Pernambuco

Diante das últimas ocorrências registradas na manifestação realizada em Pernambuco na tarde da última quarta-feira, a Secretaria de Defesa Social (SDS) adotou uma nova postura para coibir as manifestações. Segundo a Secretaria, não irá tolerar “qualquer ato de vandalismo e presença de pessoas mascaradas e as mochilas serão revistadas”.

“A Constituição Federal no seu Artigo 5° garante a livre manifestação, porém veda o anonimato”, lembrou o secretário Wilson Damázio durante coletiva de Imprensa. A presença do Batalhão de Choque que em outros atos permanecia apenas na retaguarda, passará a atuar em todas as manifestações.

“A polícia estava retraída, apenas acompanhando e oferecendo seguranças aos manifestações, desde o dia 20 de junho, mas agora foi surpreendida com esse ato de vandalismo que não será permito em hipótese alguma” contou Damázio. Segundo o secretário, a ação desta quinta-feira pegou a polícia de surpresa. “Nossos movimentos sempre foram considerados os mais pacíficos em relação aos outros estados e não esperávamos que o movimento fosse radicalizado como aconteceu”, revelou.

À caça dos Black Bloc

De acordo com o Chefe Geral da Polícia Civil, Osvaldo Morais um inquérito policial foi instaurado para investigar as ações praticadas nesta quinta, quando três pessoas chegaram a ser detidas, mas liberadas por falta de provas. “O delegado Darlison Macedo, foi designado para ficar à frente das investigações e tem um prazo de 30 dias para concluir os trabalhos”, informou.

“O serviço de inteligência da polícia está atuando com a troca de informações entre as policiais de São Paulo e Rio de Janeiro, para tentar identificar os integrantes de grupos conhecidos como Black Bloc”, contou Osvaldo.

Durante a coletiva foram mostradas as imagens captadas pelas câmaras do Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciods) e ainda pedras que teriam sido jogadas pelos manifestantes e bexigas cheias de material inflamável.

O Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Carlos Pereira também participou da coletiva e garantiu que o efetivo foi orientado não apenas no Recife, mas também em Petrolina e demais cidades para endurecer com os as de protestos.

O Dia

Opinião dos leitores

  1. O uso de mascaras nas manifestaçoes deveria ser proibido em todo Brasil, quem nao quer mostrar a cara ta mal intencionado.

    1. Tem razão!!! É como no carnaval!!! Todos mal-intencionados!!! Céus!!!

    2. Manuel, comparar uma festa popular com as depredações travestidas de movimento popular foi o cúmulo. Se seu carnaval é quebrando vidraça, queimando ônibus e pichando muros, vê-se a razão de sua opinião: você não é um carnavalesco. É um vândalo.

    3. Não, Luciana… alguns apenas querem poder protestar de foram legítima mas com segurança… ou tu acha que a polícia poupa os "bons manifestantes" que não estão mascarados?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *