PF realiza operação em SE contra desvio de verbas públicas no Hospital de Campanha de Aracaju

Foto: Ascom/PF/Divulgação

A Polícia Federal realiza nesta terça-feira (7) a Operação Serôdio e cumpre nove mandados de busca e apreensão em Aracaju e Nossa Senhora do Socorro para apurar desvio de verbas públicas, associação criminosa, corrupção, fraudes na licitação e na execução do contrato para montagem da estrutura do Hospital de Campanha de Aracaju. Um dos alvos é a sede da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A investigação aponta indícios de que a empresa contratada foi favorecida.

Durante a análise, foi identificado que a proposta vencedora continha as mesmas incorreções gramaticais de outras duas propostas. A PF informou que “é improvável que a mesma falha de redação tenha sido cometida por três redatores diferentes de três empresas diversas” e que isso pode mostrar combinação entre elas para apresentar os orçamentos.

A unidade começou a funcionar no dia 21 de maio, atendendo pacientes com a Covid-19 em casos de baixa e média complexidade. O contrato investigado foi celebrado pela Secretaria de Saúde de Aracaju, por meio de dispensa de licitação, e é custeado com recursos da União, envolvendo o montante de R$ 3.258.000, repassados ao município para o enfrentamento à pandemia.

O G1 entrou em contato com a SMS, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.

A Controladoria-Geral da União (CGU/SE) também participa da investigação. Os órgãos solicitaram cópia de todo o procedimento licitatório à secretaria e a documentação foi enviada, segundo a PF, após o terceiro pedido, e depois de Recomendação do Ministério Público Federal. Na documentação havia cópias de e-mails, orçamentos, propostas, termos de referência, justificativas e outros. Após análise, foram revelados indícios de favorecimento a determinado empresário.

A Polícia Federal ainda disse que, no procedimento licitatório foi desconsiderada a divisão do objeto licitado, que envolvia a locação de cobertura e estrutura completa, a climatização das coberturas e a locação de contêineres. Os serviços foram agrupados, impedindo que licitantes oferecessem propostas separadamente para cada item. E que essa decisão restringiu excessivamente a concorrência e elevou o custo da contratação.

Há ainda indícios de que a empresa contratada teria apresentado estrutura de climatização insuficiente para o ambiente a ser instalado e, mesmo assim, foi aprovada.

Ainda são investigadas outras contratações para o hospital, a exemplo das redes de gases, elétrica e hidro sanitária.

A PF também informou que um laudo pericial indicou a existência de sobre preço na locação da estrutura de climatização e na locação de contêineres. O documento também apontou que a estrutura para implantação do hospital não está sendo executada conforme previsto no termo de referência. Os peritos federais identificaram as seguintes divergências:

Utilização de piso de marca divergente daquela que foi especificada em termo de referência;

Inexistência de instalações elétricas, hidráulicas, sanitárias, de dados e voz, sendo que – no projeto básico – havia previsão dessas instalações;

O custo da locação de cada aparelho de ar condicionado por seis meses chega a quase três vezes o custo de sua aquisição;

Pé-direito mínimo inferior ao previsto em projeto básico.

Covid-19 em Sergipe

O estado tem mais de 30,7 mil casos confirmados do novo coronavírus e 826 vítimas. A capital tem mais de 17,3 mil casos e 356 pessoas mortas pela doença.

Até o último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), o ocupação de unidades de terapia intensiva (UTIs) na rede pública era de 80,9% e na particular, ultrapassava os 118% – neste caso, pacientes excedentes vão para leitos de contingenciamento abertos pelos próprios hospitais em leitos que antes não eram destinados à Covid-19.

G1

Hospital de Campanha de Parnamirim será entregue na segunda-feira

FOTO: ASCOM

A Prefeitura de Parnamirim, através da Secretaria Municipal de Saúde (Sesad), entregará na próxima segunda-feira, (1), às 10 horas, o Hospital de Campanha da cidade. A estrutura foi montada no Centro Especializado em Reabilitação (CER), no bairro Vida Nova, e conta com 44 leitos de internação, para dar apoio aos pacientes de COVID-19 com sintomas leves e moderados.

Após a chegada e instalação de boa parte dos equipamentos, como também a etapa de contratação de profissionais em sua reta final, uma vistoria foi realizada no início desta semana para acertar os últimos detalhes da abertura do Hospital de Campanha. “Estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para combater a Covid-19. A chegada do Hospital de Campanha é um reforço muito importante. Sabemos das dificuldades do enfrentamento à pandemia, mas em conjunto com o trabalho do pessoal da linha de frente, apoio e conscientização da população, vamos superar essa batalha”, disse o prefeito Rosano Taveira.

Profissionais

De acordo com a Sesad, o Hospital de Campanha conta com uma equipe composta por médicos internistas, infectologistas, plantonistas e técnicos de enfermagem trabalhando em rodízio de 12 horas, e enfermeiros. Fisioterapeutas, funcionários de limpeza e duas secretárias também atuarão na unidade, além de profissionais de assistência social, psicologia, bioquímicos e recepcionistas.

Durante o período de estruturação da unidade, a Sesad realizou uma capacitação com os profissionais que atenderão a pacientes infectados pelo coronavírus. Fisioterapeutas, recepcionista e auxiliares de serviços gerais tiveram aulas de atendimento ao público, higienização, controle e fluxo de entrada e saída de pessoas e resíduos. Ensinamentos sobre uso correto dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), chamado de paramentação e desparamentação, que consiste na colocação e retirada dos mesmos, também foram ofertados.

Estrutura e equipamentos

Dos 44 leitos disponibilizados, dois leitos de estabilização são exclusivos para pacientes graves. A função desses leitos é, justamente, manter o paciente estável, até que ele possa ser transferido com segurança para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O espaço é diferenciado dos demais, pois conta com respiradores e outros equipamentos avançados.

A Secretaria de Saúde recebeu na última terça-feira (26) dois respiradores e três monitores que serão utilizados na unidade. Os equipamentos foram cedidos pelo Ministério da Saúde, através do Governo do Estado, e estarão à disposição do município como empréstimo até o fim da pandemia. Um dos respiradores será utilizado na ambulância e outro no Hospital de Campanha.

De acordo com a secretária de Saúde, Terezinha Rêgo, até sexta-feira (29) a unidade hospitalar receberá mais um respirador. Os monitores também são fundamentais pois avaliam frequências cardíaca e respiratória, pressão arterial e saturação (oxigenização).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JK disse:

    Parnamirim siiimm…

VÍDEO: Profissionais de saúde do Hospital de Campanha de Natal divulgam vídeo de primeira paciente curada por covid-19 em suas dependências

Profissionais de saúde do Hospital de Campanha de Natal, divulgaram vídeo(cedido) inspirador de quem luta contra a covid-19: o registro de alta do primeiro paciente de em suas dependências.

Trata-se de uma mulher de identidade não confirmada, aplaudida desde a saída do quarto em que estava internada. “Agradeço a cada um de vocês”, disse emocionada.

Por falta de UTI, paciente transferido para hospital de campanha de Natal é mandado de volta para UPA em menos de 24 horas

Foto: Cedida

Reportagem do portal G1-RN, que ganhou repercussão nacional, mostra o drama de um paciente de 37 anos com suspeita de coronavírus, que foi transferido para o Hospital de Campanha de Natal na noite de segunda (11) e “devolvido” para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Potengi, na Zona Norte de Natal, menos de 24 horas depois. A esposa dele, Joelma Lima, disse que o marido ligou durante a madrugada pedindo pra alguém levar um nebulizador pra “ele conseguir respirar”.

O Hospital de Campanha de Natal começou a funcionar nesta segunda, após uma determinação da Justiça para que a unidade abrisse “imediatamente”. Poucas horas após a decisão, a Prefeitura de Natal emitiu nota informando que o hospital tinha recebido os dois primeiros pacientes. Um deles é José Aroldo da Silva que foi devolvido à UPA na manhã desta terça.

De acordo com a esposa do paciente, Joelma Lima, a equipe do hospital de campanha afirmou apenas que não tinha alguns dos equipamentos necessários para atender o paciente, mas não informou quais seriam.

Todos os detalhes em reportagem aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antõnio Freire disse:

    Esse contrato está sendo questionado pelo preço elevado algo em torno de milhões e mesmo assim não está servindo para nada . O prefeito todo dia na televisão falando da obra como se fosse a salvação de todos. Coisa estranha.. Alô MP precisa ser investigado

  2. Zanoni disse:

    E ainda estão querendo abrir academias…

    • Francisco Alves disse:

      O fato é que não existe respiradores! Mas, cadê os respiradores comprados e pagos adiantados com o nosso dinheiro que não aparece?
      O consórcio Nordeste ficou responsável pela compra, mas o equipamento nunca chegou! E os milhões pagos irão receber de volta? Quando??? Quantos irão morrer por causa da falta de respiradores???

  3. Manoel disse:

    Estamos bem lascados hein!

Comunicado sobre contratação de profissionais de saúde em Natal

Em virtude do cancelamento do contrato com a empresa para terceirização de mão de obra destinada aos trabalhos no combate à Covid 19, a Prefeitura do Natal esclarece que, para não paralisar o Hospital de Campanha, e, tendo em vista a gravidade da situação, resolveu adotar a contratação direta temporária dos funcionários que trabalharão naquela unidade de saúde.

Diante da expansão no número de casos da Covid 19 na cidade, foi publicado decreto em edição extra do Diário Oficial do Município do dia 10/05/2020 autorizando a contratação temporária de pessoal pela Secretaria Municipal de Saúde. O objetivo é completar o quadro técnico que irá atuar no enfrentamento da pandemia, para se obter maior agilidade na contratação e aproveitamento dos profissionais que já foram capacitados para o trabalho no Hospital de Campanha de Natal.

Os médicos já estão contratados via Cooperativa Médica e, junto com as equipes de urgência e emergência, estão trabalhando e definindo protocolos de atendimento.

O decreto autoriza também a abertura de Processo Seletivo de caráter emergencial para atender necessidade de excepcional interesse público e garantir o funcionamento do Hospital de Campanha, Hospital Municipal de Natal, Hospital dos Pescadores e Hospital Infantil Sandra Celeste. O processo será destinado ao provimento temporário de vagas e formação de cadastro de reserva, a serem convocados de acordo com a necessidade do serviço.

As vagas a serem preenchidas serão para Nível superior: enfermeiro, fisioterapeuta, farmacêutico, farmacêutico bioquímico, nutricionista, assistente social, psicólogo e engenheiro clínico; e nível médio: técnico em enfermagem, técnico em radiologia, técnico de laboratório e auxiliar de farmácia.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio disse:

    Não tem servidor concursado esperando ser chamado Preceito?

PREFEITURA DEFENDE CONTRATAÇÃO E SUSPENDE DE NOVO CONTRATO: empresa forneceria mão de obra para hospital de campanha de Natal

Foto: Anna Alyne Cunha/Inter TV Cabugi

Reportagem do G1-RN nesta sexta-feira(08) destaca que a Prefeitura de Natal rescindiu pela segunda vez o contrato com a empresa T&N Serviços em Saúde LTDA-EPP, contratada para fornecer mão de obra para o Hospital de Campanha de Natal durante o combate à pandemia do novo coronavírus. A decisão foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial nessa quinta-feira (7).

“A Secretaria Municipal de Saúde deverá providenciar a imediata contratação de outra empresa para a prestação dos serviços visando o funcionamento do Hospital de Campanha do Município do Natal”, informa o decreto assinado pelo prefeito Álvaro Dias.

Vencedora de uma concorrência para contratação emergencial por meio de dispensa de licitação, a empresa foi contratada no dia 14 de abril, após vencer outras três empresas, ao custo de cerca de R$ 19 milhões – para fornecer mão de obra terceirizada para o hospital de campanha.

Veja todos os detalhes aqui em reportagem completa.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. […] em Saúde LTDA-EPP que forneceria mão de obra para que fosse possível abrir o hospital, como noticiamos aqui. A empresa, ao tomar conhecimento da rescisão contratual emitiu nota afirmando não entender a […]

  2. Emerson Fonseca disse:

    Se fosse no Governo do Estado o mundo já tinha vindo abaixo. Porém ? Mistério ?

  3. Lourdes Siqueira disse:

    Esse hospital só vai sair quando for na campanha para governo. Oh negócio enrolado. Deve ser em busca da propina mais robusta.

FOTOS: Prefeitura abre Hospital de Campanha de Natal

Fotos: Alex Régis

O Hospital de Campanha montado pela Prefeitura de Natal para receber exclusivamente pacientes com a Covid-19 começou a funcionar nesta segunda-feira (04). A unidade vai funcionar inicialmente com 100 leitos clínicos, além de duas unidades semi-intensivas. Outros 20 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) estão sendo preparados para funcionar nos próximos dias. Nenhum paciente está internado no local ainda.

A abertura do hospital contou com a presença do prefeito Álvaro Dias e do secretário municipal de Saúde, George Antunes. Na oportunidade, o padre Helenildo Marques, capelão dos Hospitais da Arquidiocese de Natal, e o pastor da Assembleia de Deus, Abel Moreno, abençoaram a unidade.

O prefeito Álvaro Dias destacou o empenho de toda a equipe da administração municipal para viabilizar a iniciativa que começou a ser gestada há pouco mais de um mês. “Foi um trabalho muito intenso até chegarmos a esse momento. Estamos entregando um Hospital de alta qualidade e ampliando a capacidade de atendimento da rede pública municipal. Quero deixar a mensagem para a população de que siga atendendo às recomendações para ficar em casa, saindo só em casos de extrema necessidade. A vitória contra essa doença virá com a união de toda sociedade. Todos devem contribuir”, ressaltou o prefeito. Álvaro Dias fez ainda um agradecimento especial ao Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região, que cedeu o prédio onde o Hospital de Campanha foi montado, um antigo hotel que estava em processo de leilão.

Para o secretário municipal de Saúde, George Antunes, o momento é de não relaxar, mesmo com a ampliação dos leitos exclusivos para atendimento dos pacientes com Covid-19. O titular da SMS informou que a Prefeitura já conseguiu consertar dois respiradores que estavam sem funcionar e está comprando peças para viabilizar o funcionamento dos outros oito. O gestor da Saúde em Natal explicou ainda como vai se dar a dinâmica de recebimentos dos pacientes. “Essa é uma unidade de porta fechada, ou seja, não é para o cidadão que está com os sintomas se dirigir direto para cá. Ele deve buscar primeiramente as Unidades Básicas de Saúde ou as Unidades de Pronto Atendimento (UPA), que irão fazer a avaliação dos casos e a posterior regulação do paciente para o Hospital de Campanha, se assim for preciso”, apontou o secretário.

Caso seja necessária usar toda a capacidade do Hospital, serão cerca de 300 a 400 profissionais de saúde entre médicos, enfermeiros, técnicos, maqueiros e pessoal de outras especialidades atuando no espaço. O Hospital de Campanha também dispõe de quatro aparelhos respiradores, sendo dois instalados na unidade semi-intensiva e mais dois para suporte à enfermaria. Os 20 leitos de UTI não foram abertos nesta segunda-feira em virtude da falta de equipamentos específicos como mais respiradores, monitores cardíacos e bombas de infusão. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) está trabalhando para adquirir esse material. Enquanto as UTIs do Hospital de Campanha não começam a operar, os pacientes de Natal que necessitarem de tratamento intensivo serão acolhidos no Hospital Municipal Doutor Newton Azevedo.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Breu disse:

    Interessante, o hospital municipal não está recebendo pacientes em estado grave precisando de UTI, conforme denuncia de jovem que perdeu seu marido na UPA do satélite e uma profissional da saúde de outra unidade que também confirmou que os natalenses estão ficando nas UPA's pela falta de EPI no municipal. A pergunta que não quer calar esse vai ser porta aberta? Ou vão continuar lotando as UPA e não recebendo os pacientes por falta de EPI!?!?

  2. Fábio disse:

    E o hospital de campanha do Estado, cadê?

  3. Silva disse:

    Parabéns a prefeitura ! Saiu do discurso e agiu.

  4. Rafael Franco disse:

    O Sinmed vai fazer zuada não??

  5. Az disse:

    A prefeitura de Natal dando uma aula pro desgoverno do estado, para os incompetentes é mais fácil colocar sempre culpa nos outros.

    • NILDO disse:

      A prefeitura de Natal dando uma aula pro desgoverno do estado, para os incompetentes é mais fácil colocar sempre culpa nos outros. antes de SEM OS RESPIRADORES

Covid-19: Estado e Município discutem instalação do Hospital de Campanha de São Gonçalo do Amarante

Foto: Ariel Dantas

Na segunda-feira (13), representantes das secretarias municipal e estadual de Saúde se reuniram com representantes da Fundação Sao Camilo para discutir a instalação do hospital campanha para enfrentamento da Covid-19 em São Gonçalo do Amarante/RN. A estrutura será montada no Centro Especializado em Reabilitação (CER) e contará com 100 leitos, sendo 30 para Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

De acordo com Jalmir Simões, o hospital campanha de São Gonçalo será uma parceria entre Município, Estado e Fundação São Camilo. “A prefeitura está entregando a estrutura física adequada com equipamentos básicos para funcionar, toda climatizada. Além de custear a energia elétrica e o consumo de água. Já a gestão do equipamento ficará por conta da São Camilo que também vai alocar os profissionais em caráter complementar”, observou o secretário de saúde do município.

O Governo do Estado vai ser responsável pelo custeio do funcionamento, incluindo equipe médica e os demais profissionais de saúde, pessoal e de apoio, sob recrutamento da São Camilo, como também a disponibilização, instalação e manutenção dos equipamentos especializados, incluindo respiradores para área de terapia intensiva.

Por videoconferência, o secretário adjunto de Saúde Pública do Rio Grande do Norte, Petrônio Souza, participou da reunião. Representando a São Camilo, a diretora Liziane Gurgel.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Almir Dionisio disse:

    Toquem o barco adiante, pq se for depender dessa turma da Sec. Saúde Estado, vcs irão ficar vendo a pandemia se alastrar sem nada resolver, façam como Natal, Parnamirim e Mossoró.
    Essa turma só sabe conversar e discutir e nada resolve, depois da desastrosa estatística de morte pelo Corona no RN.
    A saúde do Estado tá um caos na mão de pensadores do SUS.

  2. Luciana Morais Gama disse:

    Pq não houve essa parceria com a Prefeitura de Natal??

  3. Petralha arrependido disse:

    O governo sozinho não consegue fazer nada, se não fosse o governo federal ou uma prefeitura, estávamos f*****

    • Eduardo disse:

      Fatoca ta super alinhada com o governo federal: nao é necessario fazer nada, afinal de contas é so uma gripezinha! Quem diria, Fatoca e Bozo no mesmo proposito!

MP diz que está analisando contratação de empresa para Hospital de Campanha de Natal e também todos os contratos emergenciais para Covid-19 no RN

O Ministério Público do Rio Grande do Norte(MPRN) informou ao BG no fim da tarde desta terça-feira(14)|, através de sua assessoriam que está analisando a contratação da T&N pela Prefeitura do Natal pelo valor.

O MPRN também destacou que todas as demais contratações emergenciais feitas pelo poder público decorrentes da pandemia da Covid-19 no RN também estão sob análise.

Mandetta anuncia construção de hospital de campanha da União em Manaus

Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou neste sábado (11/4) que o próximo hospital de campanha da União será em Manaus (AM). A informação foi repassada em visita ao primeiro hospital de campanha do governo federal, que está sendo construído em Águas Lindas (GO), Entorno do Distrito Federal. Mandetta disse que assinará a ordem no domingo (12/4). A unidade terá a mesma capacidade que a de Águas Lindas, com 200 leitos para atender pacientes com a Covid-19.

O Amazonas tem um dos cenários mais preocupantes do país em relação ao coronavírus. O prefeito de Manaus chegou a dizer que a rede hospitalar estadual já entrou em colapso. Segundo o mais recente levantamento do Ministério da Saúde, o estado tem 981 casos confirmados — equivalente a 65% de todos os infectados da Região Norte — e 50 mortes, o que representa uma taxa de letalidade de 5,1%.

Na sexta-feira (10/4), o Brasil ultrapassou a barreira das mil mortes pelo novo coronavírus. São 19.638 casos confirmados de Covid-19 e 1.056 mortes, o que equivale a uma taxa de letalidade de 5,4%.

Correio Braziliense

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Anderson disse:

    Parabéns, Governo Federal! Nós, sob a permissão de Deus, venceremos esta guerra, ou o vírus comunista, como preferir.

  2. RICARDO LÚCIDO disse:

    Perfeito . Parabéns ao ministro . Ação digna de elogio . Na inauguração vá sozinho , “ pelas caridade “ , deixe o bibelô em Brasília .

Hospital de campanha na Arena das Dunas: equipe técnica do governo analisa sete propostas

Foto: reprodução/Arena das Dunas

Em entrevista coletiva no fim da manhã deste sábado (11), a assessora jurídica do Governo do RN, Luciana Daltro, comunicou que a equipe técnica responsável pela licitação para construção e operação do hospital de campanha na Arena das Dunas analisa sete propostas. O prazo para envio de propostas foi encerrado às 17h da sexta-feira (10).

A assessora jurídica informou que o edital não prevê prazo final para a análise das propostas, mas que devido a “emergência da situação”, é provável que na segunda-feira (13) o resultado seja anunciado e publicado no Diário Oficial.

Estão sob análise propostas parciais, atendendo a parte estrutural, a área recursos humanos e fornecimento de equipamentos, por exemplo, como também propostas que contemplam a administração do hospital em sua totalidade. O valor global do chamamento segue o mesmo, R$ 37,1 milhões.

Ainda segundo a assessora, a apresentação de mais propostas foi possibilitada depois do firmamento do Termo de Ajustamento de Conduta entre o MPRN, MPF e o Governo do Estado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Kiko disse:

    Sou morador de Nova Parnamirim e com isso me sinto a vontade pra comentar. A prefeitura de Natal já viabilizou um hospital de campanha, que certamente terá capacidade para atender as populações das zona sul leste e oeste. Então pergunto: Por que o Estado não constrói o seu hospital de campanha na zona norte? Com essa localização poderia atender, além da zona norte, os municípios de São Gonçalo, Estremoz e Ceará Mirim. Acredito que beneficiária aproximadamente 400.000 pessoas.
    Por outro lado, construir o hospital no Arena das Dunas é totalmente inadequado e dispendioso.
    Acredito que tem um monte de hoteleiro que alugaria seu hotéis para implantação do hospital, pois estão todos em uma pindaíba só, e comercialmente falando esse ano já morreu para o turismo.
    2020 é o ano que não existiu.

  2. Pedro disse:

    Alguém aí abaixo falou a coisa certa, primeiro o estado dispõe de estruturas prontas, hospital da polícia, hospital Ruy Pereira, diversas estruturas hoteleiras, inclusive o Barreira roxa. Quando terminarem de discutir e que era a roda foi inventada, estaremos livres dessa pandemia.

  3. Anderson disse:

    Porque não se constrói o hospital de campanha no centro de convenções que já tem uma estrutura e assim os custos seriam bem menores

  4. Azevedo disse:

    Como diz BG, Sucupira perde longe, quando esse hospital de campanha sair aqui em Natal, a pandemia já passou, pense num governo fraco, o secretário de saude não existe, é um zero à esquerda, fraco, muito fraco.

  5. Magno Odilon disse:

    Não poderia restruturar o Rui pereira, ou ainda ativar os leitos do hospital da PM?

  6. Ppaulo disse:

    37.000 milhões vào ser derretidos aqui.
    Depois chuta o pau da barraca, desarma tudo e ACABOU.
    Não seria melhor investir defenitivo nos hospitais já existentes??
    Abram Canguaretama, acudam o Deoclecio Marques, injetam o dinheiro, nos hospitais já existentes, abram as APAMES que fecharam, tem leitos e muito, só não tem quem use, tudo fechado.
    Imoral!!
    Falta de visão desse desgoverno do PT.
    Ôôô RN sem sorte!!

  7. Sergio disse:

    Se fizer é criticada. Se não fizer, também!

  8. Eduardo disse:

    Prefeituras de SP e RJ levantaram hospitais de campanha por 8 milhões cada e o nosso vai custar 37 milhões???
    Xiii… Fica de olho aberto, Tribunal de Contas!

    • Alyson disse:

      Esses 8 milhões são iniciais, tem reportagem falando em mais.
      Agora não concordo com esse gasto, poderia investir nos demais hospitais.

  9. Guilherme disse:

    Absurdo. O estado com poucos casos de coronavirus, torrar dinheiro desse jeito. O ideal seria investir nos hospitais já existentes.

  10. natalsofrida disse:

    Essa gópi, tá doida, esse hospital vai ficar pronto depois da pandemia. Povo sem compromisso com a população. Só pensam em política e dinheiro.

  11. Francisco disse:

    Mais uma vez, pq construir o HOSPITAL DE CAMPANHA no gramado se temos um estacionamento enorme no ARENA DAS DURNAS.

  12. Antonio Turci disse:

    Já que a Governadora parece não querer enxergar os "conselhos" do seu staf, o MP poderia orientar para que esses recursos fossem investidos, uma parte, na recuperação do Hospital Ruy Pereira e em outras unidades de saúde. Não tem porque torrar quase R$40 milhões se a pandemia terminará em poucas semanas.

  13. Np disse:

    Absurda essa construção nesse local. Já que não é definitiva, por quê não aproveita as estruturas dos hotéis que estão fechados. A ajuda seria mútua.

  14. Jailson disse:

    Arena das Dunas elefante branco de 1,5 bilhão, quem diria, vai virando hospital de campanha. Políticos safados, 1,5 bilhão queimando no sol sem serventia alguma. Passo por ali diariamente e dói ver aquele espaço sem vida alguma, estacionamento vazio 24 horas por dia e ainda ajudou a quebrar todo o comércio da vizinhança. Uma tragédia para o RN

  15. Nilson Oliveira disse:

    Vai passar a pandemia e não começa esse hospital no arena das dunas 😓

    • Nildo disse:

      Nao Vai precisar mais, pq vão morrer 11 mil, então não precisa mais.

Governo do Estado envia comunicado esclarecendo: “Porque um hospital de campanha no RN?”

Imagem: reprodução/Arena das Dunas

Confira abaixo a nota de esclarecimento do Governo do RN sobre a contratação a gestão do hospital de campanha que será erguido na Arena das Dunas. Ação que é alvo de investigação do Ministério Público por suspeita de favorecimento.

O Governo do RN, por meio da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e do seu titular, Cipriano Maia, vem a público mais uma vez esclarecer sobre a contratação em caráter emergencial de uma Instituição Filantrópica ou Organização Social para gestão do Hospital de Campanha. O complexo deverá ser erguido no estádio Arena das Dunas e terá a oferta de 100 leitos (sendo 53 de UTI adulto, 45 leitos de retaguarda clínica e 2 de isolamento) a serem utilizados exclusivamente para fins de tratamento de pacientes contaminados com o novo coronavírus.

O Hospital foi pensado inicialmente utilizando a área já coberta, interna do Arena das Dunas, tendo em vista que os custos e o tempo seriam otimizados. Dada a projeção dos casos e a oferta insuficiente de leitos na rede pública do Estado, a Secretaria de Estado optou por ampliar sua capacidade de atendimento hospitalar por meio de um Hospital de Campanha durante a pandemia. Ressalta-se que além do Hospital, também está em curso à ampliação de mais de 100 leitos de UTI nos Hospitais Regionais da Rede Pública, incluindo os leitos do Hospital Pedro Germano e os Hospitais Regionais. Para tanto, foram adquiridos equipamentos e a contratação (chamamento do concurso público e seleção temporária), reformas para adequação física dos hospitais, entretanto, essas medidas ainda são insuficientes dada a previsão inicial da necessidade estimada.

Essa estimativa de leito, foi realizado por profissionais da SESAP com expertise técnica na área e tomou como base aspectos relacionados ao:

* • Tempo de permanência do paciente no hospital, tempo de duração da crise;
* • Taxa de infecção;
* • Capacidade instalada da rede própria, incluindo leitos de UTI existentes;
* • Taxa de complicação dos casos;
* • Medidas de controle domiciliar
* • Equipamentos serão necessários para atendimento;
* • Número de pessoas que serão internadas;
* • Necessidade de recursos humanos;
* • Número de pessoas com complicações clínicas;
* • Hospitais aptos para receber os pacientes;
* • Itens serão necessários (materiais e medicamentos)
* • Número de leitos necessários
* • Pacientes com planos de saúde (saúde suplementar);
* • Taxa de internação esperada;
* • Capacidade dos hospitais privados;
* • Fontes extras de recurso;
* • Medidas de bloqueio da transmissão (propagação);
* • Complicações esperadas.
* • Além disso, essa estimativa se deu com base na análise do cenário internacional dos países já cometidos pela pandemia.
Há que se considerar a escassez de profissionais no Estado e as dificuldades estruturantes existentes no Sistema Único de Saúde, as quais não acontecem apenas em nível do Estado do RN. É notória a dificuldade mundial em prestar assistência adequada a população devido a escassez de equipamentos, EPIs, insumos e profissionais de saúde para atuar nesse contexto extremo.
Importante ressaltar que foram realizadas várias ações no sentido de buscar soluções e parcerias para a ampliação dos serviços, tais como parceria com o Exército e Hospital Universitário, contudo todos sofrem com as mesmas dificuldades para o enfrentamento dos casos. Além, disso essas Instituições já estão sobrecarregadas com as demandas cotidianas existentes. Segundo as informações obtidas junto ao Comando da 7ª. Brigada, a Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Militar se encontra em obras e o Hospital Universitário Onofre Lopes já está fazendo adequações, porém ainda não são suficientes para o número de casos esperados.

Vale ressaltar que esforços administrativos estão sendo feitos para se abrir leitos de UTI dentro dos hospitais da SESAP, entretanto, ainda levarão um razoável espaço de tempo (apesar do esforço conjunto entre as diversas Secretarias do Estado).
Já em operação novos leitos em Caicó, Pau dos Ferros, Currais Novos e em fase de finalização as obras em Mossoró, hospital Tarcísio Maia e em Natal, anexo clínico do hospital João Machado e Macaíba, com 20 leitos os dois primeiros serviços. Mossoró já possui equipamentos e RH. João Machado e Macaíba ainda não.

Em reunião no mês anterior com o Hospital da Polícia Militar, a SESAP assumiu o compromisso de colocá-lo em funcionamento, habilitando inclusive essa unidade para receber repasses do governo federal. Nessa unidade, pelo plano de leitos COVID, serão abertos 10 leitos de UTI e 30 leitos de enfermaria. Os equipamentos serão locados para 8 leitos com equipe de enfermagem.

No Hospital Giselda Trigueiro, ainda em fase de abertura de 25 leitos de internação. Recentemente foram nomeados por meio do chamamento do concurso público vários profissionais de saúde, entretanto, a abertura de novos leitos uma quantidade significativa de profissionais.

Conforme o Plano Estadual de Contingência para o enfrentamento ao COVID também serão abertos novos leitos em vários hospitais da rede pública, onde serão também abertos serviços de UCI, que exigem menos pessoal e menor número de equipamentos em relação a uma UTI.

Por que a contratação escolhida foi o de Organização Social

A opção do chamamento não se restringe ao modelo de Organização Social, visto que poderão concorrer também prestadores filantrópicos. Considerando o fato de que o contexto da pandemia exacerbou a demanda por serviços hospitalares entende-se que não é oportuna restringir a participação de outros modelos de gestão no certame, cujo objeto é de extrema relevância social e de caráter emergencial. Além disso, em contato com os outros Estados identificou-se que esse modelo já foi adota nos Estados do Ceará, Goiás, São Paulo, entre outros. É preciso considerar a dificuldade operacional (equipamentos, recursos humanos, insumos) do Estado em gerir uma estrutura desse porte, em curto espaço de tempo, dada a necessidade de resposta rápida que a situação exige, no sentido de preservar vidas.

Considerando o fato de que o contexto da pandemia exacerbou a demanda por serviços hospitalares entende-se que não é oportuna restringir a participação de outros modelos de gestão no certame, cujo objeto é de extrema relevância social e de caráter emergencial. Além disso, em contato com os outros Estados identificou-se que esse modelo já foi adota nos Estados do Ceará, Goiás, São Paulo, entre outros. É preciso considerar a dificuldade operacional (equipamentos, recursos humanos, insumos) do Estado em gerir uma estrutura desse porte, em curto espaço de tempo, dada a necessidade de resposta rápida que a situação exige, no sentido de preservar vidas. Nesse sentido, o Hospital deverá integrar, de forma provisória, como uma retaguarda a mais aos serviços já existentes.

Como foram estimados os preços

Em relação aos valores os preços foram estimados com base na média dos preços praticados em outros estados, nas propostas de valores recebidos por alguns Hospitais privados aqui no Estado e na estimativa dos valores dos leitos privados já contratados pelo Estado. Foi estimado um valor médio da diária global para leitos de UTI de R$2.560,00 e de leitos de clínica e isolamento de R$ 1.500,00.

Segue abaixo a memória de cálculo:

Estimativa Mensal

– Valor Mensal Leito UTI: R$ 2.560,00 (diária) x 30 dias x 53 leitos

– Valor Total Mensal dos Leitos de UTI: R$ 4.070.400,00 (quatro milhões e setenta mil
e quatrocentos reais)

-Valor Mensal Leitos Clínica+Isolamento = R$ 1.500,00 (diária) x 30dias x 47 leitos

– Valor Total Mensal Leitos Clínica+Isolamento = R$ 2.115.000,00 (dois milhões
cento e quinze mil reais)

Estimativa de Valores dos Leitos por 6 meses

– Valor Leitos de UTI por 6 meses = R$ 4.070.400,00 (30 dias) x 6 meses=
R$24.422.400,00 (vinte e quatro milhões, quatrocentos e vinte e dois mil e quatrocentos
reais)

– Valor Leitos Clínica +Isolamento por 6 meses: R$2.115.000,00(30 dias) x 6 meses =
R$12.690.000,00 (Doze milhões, seiscentos e noventa mil reais)

– VALOR GLOBAL DE TODO CONTRATO POR 6 MESES (LEITOS DE
UTI+CLÍNICA+ISOLAMENTO): R$37.112.400,00 (trinta e sete milhões, cento e
doze mil e quatrocentos reais)

– VALOR GLOBAL DE TODO CONTRATO MENSAL (LEITOS DE UTI+CLÍNICA+ISOLAMENTO): R$ 6.185.400,00 (seis milhões, cento e oitenta ecinco mil e quatrocentos reais)

A Sesap esclarece ainda que tem atuado em Natal, região metropolitana, Mossoró e demais cidades do interior para ampliar a assistência aos potiguares acometidos pela pandemia. Todos, absolutamente todos os leitos possíveis na rede própria serão reaproveitados, mas como explicado acima, são insuficientes para atender a demanda.

Por fim, o Governo do Estado reafirma o compromisso de seriedade, honestidade e transparência, marcas desta gestão, e reforça o convite aos órgãos de controle – Ministérios Públicos Estadual e Federal e Tribunal de Contas do Estado – por entender a importância dessas instituições participarem e acompanharem as ações que visam o atendimento à população em tempos de pandemia.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Justus disse:

    Tá bom. Se é assim, cadê a parte de sacrifício dessa ONG/entidade filantrópica em abrir mão de algum milhão para colaborar no "esforço de guerra".?

  2. Clara disse:

    Vocês estão doentes…

  3. Roberto disse:

    Há ptzada. JESUS SALVE A TODOS .

  4. Bel disse:

    Esse elefante branco, mais uma vez, palco da PROPINA.

  5. PT só CANALHAS disse:

    Não precisa explicar, pra fazer caixa pra campanha. Um estado que fecha hospitais e agora que criar hospitais provisórios.

  6. Lucianobrito disse:

    Vai enganar a judas e Barrabás.

  7. Cesar Augusto disse:

    Muito estranho, 2000 ( dois mil ) leitos distribuídos em dois hospitais de campanha em SP custar R$ 35.000.000,00 e 200 ( duzentos) leitos no RN para um hospital de campanha, custar R$ 37.000.000,00… Precisa muito esclarecimento, mesmo considerando que aqui são leitos de UTI, a conta não fecha, ou a informação não está correta.

  8. Ricardo Lúcido disse:

    Muito esclarecedor o comunicado . Agora pode ser que ainda um ou outro não entenda , nesse caso só desenhando . Não votei na governadora Fátima , mas acho que ela está gerindo bem a crise junto com o prefeito . O maior problema tem sido o BANANA , votei nele e me arrependo , esse não tem jeito e vai se complicar maus se perder Mandetta .

  9. Natal disse:

    Esse pessoal do PT não se cria, se for fazer um filme não vai ter um bandido, só mocinho! Ah, ladrão!

  10. Manoel disse:

    Que ótimo que já apresentaram justificativas… Vamos ver se convence o ministério público e a justiça…

    • Erlando martins disse:

      Vão usar o corona vírus pra roubar dinheiro público mais uma vez,assim fizeram com a copa,por que não investir nos hospitais já existentes,pelo menos no passar desta pandemia ficaria um legado para a população,pt sendo pt.