Juiz manda reabrir restaurantes de BH e diz que mídia impõe ‘medo e desespero’

Magistrado ainda fez duras críticas ao prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil (PSD), a quem chamou de “tirano”. Foto: Amira Hissa/Prefeitura de Belo Horizonte

O juiz Wauner Batista Ferreira Machado, da 3ª Vara da Fazenda de Belo Horizonte, chamou o prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil (PSD), de “tirano” por baixar decreto que barrava o funcionamento de bares, lanchonetes e restaurantes na cidade durante a pandemia do novo coronavírus. Em decisão, o magistrado ordena a reabertura dos estabelecimentos e diz que a mídia impõe “medo e desespero” sobre a doença.

Na opinião do juiz, o decreto de Kalil violou o artigo da Constituição que prevê que “ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisas senão em virtude da lei”.

“Não é isso que estamos presenciando no município de Belo Horizonte, onde a Câmara Municipal está fechada, devido à pandemia, e o prefeito, paradoxalmente, exerce a tirania de fazer leis por decretos, ao bel prazer dele e de seus técnicos da saúde, sem qualquer participação dos cidadãos através de seus parlamentares, como se fossem os únicos que detivessem os dons da inteligência, da razão e da temperança e não vivessem numa democracia”, afirmou.

O magistrado afirma que a maioria da população “está cega pelo medo e o desespero, que diariamente lhe é imposta pela mídia com as suas veiculações”.

Machado determinou que cópias do processo sejam levadas, ‘com urgência’, para o Ministério Público mineiro e à Câmara de Vereadores de BH para que sejam apurados “crimes de responsabilidade e de atos de improbidade administrativa” praticados por Kalil ao “legislar por decretos”.

O juiz atendeu pedido da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Minas Gerais, que alegava prejuízos sofridos pelos seus filiados devido ao decreto de Kalil. A reabertura foi condicionada ao cumprimento de distanciamento social entre os clientes e condições sanitárias que evitem a propagação do coronavírus, como a suspensão do serviço de self-service.

UOL, com Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    Repito: a pandemia fez surgir ditadores por tudo quanto é lugar. Cada um dizendo o que o outro deve fazer. Haja saco. Esse prefeito de BH é uma "incelença".

Deputadas Caroline de Toni e Carla Zambelli criticam mídia: “Essa notícia é falsa. Moro não vai sair”

Foto: Reprodução/Twitter

A deputada federal de SC, Caroline de Toni, através das redes sociais nesta quinta-feira(23), disse nesta quinta-feira(23) que a imprensa tenta desgastar o governo Bolsonaro com a notícia de demissão de Sergio Moro, destacada pela Folha de São Paulo e reproduzida por veículos durante a tarde. “Essa notícia é falsa”, disse.

Nas redes sociais, a deputada federal Carla Zambelli(PSL) também reforçou a manifestação de Caroline de Toni, e deixou a sua queixa: “A mídia nos pregando uma peça mais uma vez. A bolsa chegou a cair com essas falácias. Moro não vai sair”. Veja abaixo:

 

Ver essa foto no Instagram

 

A mídia nos pregando uma peça mais uma vez. A bolsa chegou a cair com essas falácias. Moro não vai sair. 😉

Uma publicação compartilhada por Carla Zambelli (@carla.zambelli) em

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tony disse:

    Cai fora Moro…nao adianta ficar nas trevas…esse pandemônio é o DEMÔNIO

  2. Kledson disse:

    Se é mentira da 'Mídia " porque o ministro Segui Moto não desmente?

  3. M.D.R. disse:

    Com esse doido tudo é possível. Nada está descartado, ainda tem chão pela FRENTE.

  4. Santos disse:

    Fica?
    E ele ia sair?
    Então é vdd.
    🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

Eduardo Bolsonaro diz que exame para coronavírus do presidente ainda não foi concluído e critica mídia

O deputado federal Eduardo Bolsonaro criticou a mídia no fim da manhã desta sexta-feira(13), após a publicação de um colunista de O Dia, confirmando positivo para coronavírus em Jair Bolsonaro, ganhar repercussão.

“Mto boato e pouca informação. Teste para coronavírus feito com equipe que foi com JB para EUA ainda não foi concluído. Sempre há aqueles que soltam mentiras na mídia e caso a história se confirme eles dizem “eu falei”, caso contrário será só mais uma fake news para conta”.

Bolsonaro fala que fim da obrigatoriedade de empresas publicarem balanços pode fechar jornal “Valor”, e reclama que há briga da mídia na questão de deturpar informações

FOTO: ADRIANO MACHADO (REUTERS)

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar a imprensa nesta quinta-feira, 22, e afirmou que o jornal Valor Econômico “vai fechar”. O motivo, segundo o presidente, é o fim da obrigatoriedade de empresas de capital aberto publicarem seus balanços em jornais, previsto em medida provisória editada pelo seu governo no início do mês.

O comentário do presidente foi feito durante café da manhã com representantes da Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (ACAERT), no Palácio do Planalto. “Sabe o que eu posso fazer? Chamo o presidente da Petrobrás aqui e digo: ‘Vem cá, (Roberto) Castello Branco. Você vai mostrar seu balancete este ano no jornal O Globo’”, disse o presidente, acrescentando que, mesmo que custasse R$ 10 milhões, poderia determinar.

“Posso fazer ou não? Vinte páginas de jornais para isso (publicação de balanços).E o jornal Valor Econômico, que é da Globo, vai fechar. Não devia falar? Não devia falar, mas qual é o problema? Será que eu vou ser um presidente politicamente correto? Uai. É isso daí aqui no Brasil”, afirmou Bolsonaro durante o encontro.

A MP permite a empresas com ações em bolsa a publicação de seus balanços no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ou no Diário Oficial gratuitamente. Ao anunciar a medida, no dia 6 de agosto, Bolsonaro afirmou que era uma “retribuição” ao tratamento que recebeu da imprensa. Uma lei sancionada pelo próprio presidente em abril previa que os balanços fossem publicados de forma resumida nos jornais a partir de 2022.

“Há uma briga com a mídia tradicional, com a grande mídia, na questão de deturpar (informações)”, disse o presidente no encontro.

Mais cedo, Bolsonaro falou sobra a MP durante conversa com jornalistas. “Tirei de vocês (jornalistas) R$ 1,2 bilhão de reais com publicação de balancetes. Não é maldade. É bondade e Justiça com os empresários, que não aguentam pagar isso para publicar páginas e páginas que ninguém lê. Então, publica no site oficial, CVM, a custo zero”, disse.

O presidente afirmou ainda que “a imprensa” está acabando como acabou a profissão de datilógrafo. “Já estamos ajudando assim a não ter desmatamento, porque papel vem de árvore. Estamos em uma nova era. Assim como acabou no passado o datilógrafo, a imprensa está acabando também. Não é só por questão de poder aquisitivo do povo que não está bom. É porque não se acha a verdade ali.”

Com informações do Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Diego Nobrega disse:

    Bolsonaro além de ameaçar a PF para livrar o filho Flávio está fazendo acordo para emplacar Eduardo embaixador. Sério, põe o chinelo da humildade e assume logo que acreditou numa farsa. Não seja como petista que morra abraçado com Lula para não aceitar a desilusão. Tenham dignidade!

Dilma diz ao PT que fará regulação econômica da mídia

A presidente Dilma Rousseff continua contra a adoção de algum tipo de controle de conteúdo da imprensa, como defendem lideranças do PT, mas já cedeu em parte a seu partido e vai encampar, num eventual segundo mandato, a proposta de regulação econômica da mídia.

Em seu mandato, Dilma engavetou a proposta de regulação elaborada durante o governo Lula, de autoria do ex-ministro Franklin Martins (Comunicação Social), que tratava de normatizar o setor de radiodifusão. Na época, Martins defendeu também a criação de um Conselho de Comunicação para regular o conteúdo de rádios e TV.

A ideia tinha apoio de entidades que defendiam o “controle social da mídia”, mas foi amplamente criticada por representantes do setor. Para eles, a agência abriria brechas para cercear o jornalismo e a dramaturgia.

Segundo assessores, Dilma vai apoiar um projeto que regulamente e trate dos artigos 220 e 221 da Constituição.

Eles determinam que os meios de comunicação não podem ser objeto de monopólio ou oligopólio e que a produção e a programação de rádios e TVs devem atender os princípios de produção regional e independente. Trata ainda da definição de como deve ser a publicidade.

Em recente reunião no Palácio da Alvorada, Dilma deixou claro a petistas não ter a intenção de regular conteúdo, mas sinalizou que topava tratar da parte econômica: “Não há quem me faça aceitar discutir controle de conteúdo. Já a regulação econômica não só é possível discutir como desejável”, disse.

Na segunda (26), a Executiva do PT decidiu incluir a regulação dos meios de comunicação no programa do partido para a campanha presidencial. “A democratização da sociedade brasileira exige que todas e todos possam exercer plenamente a mais ampla e irrestrita liberdade de expressão, o que passa pela regulação dos meios de comunicação –impedindo práticas monopolistas– sem que isso implique qualquer forma de censura, limitação ou controle de conteúdos”, afirma.

A inclusão do tema no programa petista foi acertada com Dilma, desde que ficasse bem claro que não haveria nenhuma proposta de controle de conteúdo. Historicamente, o PT e setores da esquerda miram o domínio da Rede Globo. Líder de audiência, a emissora abocanha a maior fatia do mercado publicitário do setor.

A forma de tratar o assunto foi definida durante reunião da cúpula de campanha com a presidente há cerca de um mês, no Alvorada.

No encontro, líderes petistas comemoraram a fala do ex-presidente Lula no encontro nacional do partido, quando ele defendeu a regulação da mídia num tom interpretado como senha para debater também um controle de conteúdo da imprensa.

Segundo a Folha apurou, defensores do projeto de regulação da imprensa disseram na reunião: “Que bom que o Lula falou explicitamente que tem de regular a mídia”.

Dilma, sem criticar o ex-presidente, fez questão de definir até onde aceitava ir na discussão. Ela afirmou que muita gente “confunde regulação com controle de conteúdo, isso não posso aceitar”, acrescentando que “temos de qualificar esse discurso” e que o “presidente Lula está discutindo regulação”.

Na reunião, estava presente o comando da campanha pela reeleição –além de Dilma, o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil), o presidente do PT, Rui Falcão, e o ex-ministro Franklin Martins.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silvio disse:

    Começa assim…

Juízes recorrem à publicidade para se valorizar e melhorar imagem no PR

Num instante em que a magistratura encontra-se sob questionamento, os juízes do Paraná decidiram recorrer à publicidade para defender a classe.

Nesta segunda (31), a Amapar (Associação dos Magistrados do Paraná) lançará uma campanha batizada de “Olhos Abertos”.

Inclui anúncios de jornal, outdoors, cartazes e spots para rádio e TV. Peças como a do vídeo acima, cujo mote é: “Quem garante os nossos direitos merece o nosso respeito.”

Não há, por ora, informações disponíveis sobre o custo da iniciativa e a origem do dinheiro que custeia a produção e a veiculação dos anúncios.

A campanha chega nas pegadas da polêmica inaugurada pelas declarações de Eliana Calmon, corregedora-geral do CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

Eliana, que também é ministra do STJ, dissera em entrevista que há no Judiciário brasileiro “bandidos que se escondem atrás da toga.”

Presidente da Amapar, Gil Guerra afirma que o propósito da campanha publictária é o de elevar a autoestima, recuperando a confiança da sociedade nos juízes.

“Não se trata de querer que se coloque o juiz no Olimpo. Mas a população sempre teve muita confiança nos magistrados, e acreditamos que isso é importante.”

A associação dos magistrados paranaenses nega que suas propagandas sejam uma responsta à corregedora Eliana Calmon. Mas a vinculação tornou-se indissociável.

Um dos anúncios encomendados pela Amapar para veiculação em mídia impressa pergunta aos leitores:

“Já viu alguém ser condenado antes de qualquer julgamento?” E acrescenta: “Infelizmente, é o que tem acontecido com os juízes no Brasil.”

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Advthais34038 disse:

     Esse video é um exemplo de que se acham superiores a nós cidadão Se todos tivessem essa consciênciae criticassem esses videos o Brasil com certeza seria diferente. Juiz corrupto tem medo apenas de uma coisa: de um povo consciente! Mais uma vez, parabéns a MINISTRA ELIANA CALMON

  2. Thais silva disse:

    SÓ PODEMOS RESPEITAR PESSOAS QUE SE DÃO O RESPEITO E EXISTEM MAGISTRADOS QUE
    NÃO SE DÃO O RESPEITO. SE CONSIDERAM DEUSES. A PROFISSÃO DE JUIZ É PARA POUCOS
    QUE REALMENTE TEM VOCAÇÃO .JUIZES SÃO FUNCIONARIOS PUBLICOS QUE MERECEM RESPEITO
    ASSIM COMO OUTRAS PESSOAS TAMBÉM MERECEM INDEPENDE DA SUA PROFISSÃO. NO PARANÁ TEM

    JUIZES QUE AGEM COM PARCIALIDADE E SÃO PIORES QUE BANDIDOS

Cúpula do PT defende controle da mídia

O comando do PT elaborou documento em que ataca a imprensa e defende o controle da mídia no Brasil, informa reportagem de Natuza Nery, Catia Seabra e Bernardo Mello Franco, publicada na Folha desta sexta-feira.

Entre os itens do texto apresentado na quinta-feira (1º) à Executiva Nacional da legenda, estão o fim da propriedade cruzada em veículos de comunicação, a “democratização” da mídia e a “quebra do monopólio”. O texto foi apresentado como proposta de resolução para o 4º Congresso do partido, que começa nesta sexta-feira e vai até domingo (4) Brasília.

Em 2010, durante a campanha eleitoral, o PT chegou a incluir o combate ao “monopólio” da imprensa no programa de governo de Dilma Rousseff que foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O item, no entanto, foi excluído da versão final do programa.

Ontem, o presidente nacional do PT, Rui Falcão fez críticas à revista “Veja”. Ele disse estar “indignado” com a reportagem que acusou Dirceu de “conspirar” em um hotel de Brasília contra o governo Dilma Rousseff. O ex-ministro acusa um repórter da revista de tentar invadir seu quarto de hotel quando não estava presente. O hotel registrou um boletim de ocorrência. A revista nega a acusação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. […] more: Cúpula do PT defende controle da mídia Tweet This Post Mídia, Opiniao << Edmilson Rodrigues: Na mira da mídia – […]

  2. […] posted here: Cúpula do PT defende controle da mídia Tweet This Post Plurk This Post Buzz This Post Delicious Digg This Post Facebook MySpace […]

Entre as mortes, a maior tragédia é a da mídia.

O horror! É o que mais se aproxima pelo acontecido ontem na Noruega e espetacularizado para o mundo todo.

Um atentado terrorista matou pelo menos 90 pessoas e deflagrou uma crise sociopolítica num dos países líderes em IDH.  Primeiro, um ser humano da pior espécie que pode existir explodiu um carro-bomba no QG do governo, matando sete pessoas e alastrando o terrorismo por toda a capital, Oslo.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo Couto disse:

    Bruno, você tem razão ao lembrar que não podemos esquecer a tragédia ocorrida na Noruega, mas ao tratar da morte de Amy Winehouse, mostrando seus motivos, a mídia desempenha importante papel educativo dando ênfase ao mal que as drogas fazem.

O Oasis midiático de Micarla

Micarla ninguém pode negar que é uma mulher de fé. Em muitas das suas orações ela deve ter pedido ao seu Guardião ou sua Guardiã que tivesse PAZ para superar essa fase difícil e sai dessa sucessão de trapalhadas da sua administração.

Não é que a Prefeita foi atendida, e acho que até mais rápido do que esperava. O Governo Rosalba resolveu facilitar as coisas para a Prefeita. Faz uma semana que o Governo de Poucos tomou conta de todos os noticiários e de todas as notícias negativas. Vejam que até sobre o ITCI e o ex-secretário de saúde ninguém fala mais, a merenda então, essa foi esquecida por completo.

Os holofotes da imprensa mudaram de alvo, tudo que a Prefeita quer é que a Rosa fique pelo menos mais uns 30 dias mergulhada nesses dissabores para ela poder, quem sabe, tomar um folego e aí colocar sua agenda positiva para funcionar aos 15 minutos do 2º tempo.

Na política, os protagonistas podem até não admitir, mas as coisas funcionam assim.