Benito Gama: secretário que ainda não disse a que veio

Quando a governadora Rosalba Ciarlini anunciou seu secretariado, um nome causou estranhamento: Benito Gama. Era difícil acreditar que era o mesmo Benito Gama,  baiano que foi Deputado por quatro vezes, candidato a prefeito de Salvador, secretário na Bahia em três pastas diferentes, auditor fiscal aposentado e, que chegou a ser especulado para ser candidato a vice-presidente na chapa de José Serra em 2010.

O que danado Benito vem fazer aqui no minúsculo Ereenee vei de guerra? O que danado faz um homem com um currículo desses e situação financeira resolvida querer ser secretário do Desenvolvimento Econômico de um estado de terceira linha econômica no Brasil?

Agora, passados mais de 500 dias do Governo da Rosa, e da gestão de Benito a frente da importante pasta, a pergunta é refeita, mas de outra maneira: o que danado Benito está fazendo aqui?

O questionamento permanece porque é difícil enxergar qual foi a agenda positiva ou propositiva do secretário neste tempo. Qual o projeto de desenvolvimento novo apresentado ou trazido por Bendito da Bahia? Qual a grande pauta da Sedec na gestão dele?

Tem o IMPORT-RN, dirão. Tem mesmo. Um projeto que morreu antes de nascer, derrubado pelo Senado. Todos os portos terão as mesmas condições fiscais a partir de 1º de Janeiro de 2013 e, é do conhecimento de todos, que o Porto de Natal está bem atrás em infraestrutura. Quem vai deixar de importar por Pecém ou Suape para importar por aqui?

Mas tem a Copa e o Aeroporto de São Gonçalo do Amarante, insistirão. Por sinal, projetos muito importantes, mas que tanto um como o outro são herdados da gestão anterior.

Tudo bem, dizem que ele viabilizou a chegada da OAS, construtora responsável por erguer o estádio de Natal no mundial de futebol. Mas em todo Nordeste só quem vai construir os estádios da Copa mesmo é a OAS e a Queiroz Galvão.

Geração de empregos

A geração de empregos é, sem dúvida,  um bom indicador do crescimento da Economia. Mas no primeiro ano de gestão de Benito Gama, o que se viu foi um retrocesso neste quesito. Números do Caged apontam que em 2011 o RN gerou 12.269 empregos formais no estado, uma redução de 58,74% em relação ao ano de 2010, quando foram geradas 29.739 novas vagas.

E esse número deve continuar em queda para 2012. O RN acaba de perder para a vizinha Paraíba, a instalação de uma fábrica de carros do grupo Caoa. Além disso, já perdeu a Coteminas e parte da produção da Riachuelo. Falando em Riachuelo, o Governo do RN fez alguma coisa para mudar o “ambiente hostil” que o empresário Flávio Rocha afirmou em entrevista que se encotra no RN para quem queria investir?

Tá explicado o que o Grande Benito faz no RN

Benito gama na certa não tem do que reclamar. Ele está em Natal, cumpre expediente apenas de terça a sexta e volta para Bahia, onde passa todo final de semana com sua família. Além disso, quando se leva em consideração o quesito salário, aí ele tem é o que comemorar!

Do governo Rosalba ele é, no final das contas, o mais bem remunerado secretário, chega a receber do estado mais do que a própria Governadora. O blog apurou que além dos R$ 11,5 mil que recebe por ser titular de uma pasta, ele ainda recebe outras boladas por está inserido em entidades vinculadas ao governo.

Benito é presidente do Conselho da Potigás, o que lhe rende um salário fixo em torno de R$ 3 mil. Caso seja realizada outra reunião extraordinária, ele ainda recebe mais uma ‘besteirinha’.

Ele também é presidente do conselho administrativo da Agência de Fomento do RN (AGN), cargo que joga na sua conta mais R$ 3 mil.

Já pela Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Norte (Jucern), onde também é membro  do conselho, ele recebe outros R$ 2 mil. E tem a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do RN (Fapern) ainda, mas nesta entidade, ele faz trabalho voluntário.

Silêncio Absoluto

Este post poderia estar completo, com a versão do próprio secretário Benito Gama sobre o assunto. Mas apesar das várias investidas do Blog pelo Twitter, o titular do Desenvolvimento Econômico deu as costas e preferiu permanecer no mais absoluto silêncio.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Faccml disse:

    se ele só trabalha de terça a sexta e quinta é feriado, deve ter resolvido imprensar a semana inteira, rsrs

  2. XICO ABC10 disse:

    Bruno esse é a peixada mais estranha de que eu já ouvi falar, trazer um cidadão desse que não conhece nem o RN, não conhece seus problemas, e fazê-lo um  SUPER SECRETÁRIO, só sendo muito peixe mesmo kkkkk

Médico Esaú Gerino deve ser o próximo secretário de Saúde do RN

Pelo andar da carruagem, ou melhor, das conversas realizadas na manhã desta segunda-feira (4) na Governadoria, o médico Esaú Gerino deve ser o novo secretário de Saúde Pública (Sesap). O blog teve a informação de que hoje haveriam rodadas de conversas e negociações para tentar se definir um nome, mas a blogueira Eliana Lima teve a confirmação de que Esaú deve ser nomeado titular da pasta já nos próximos dias.

Esaú Gerino é médico considerado de confiança pela base governista. Atualmente, ele está desempenhando a função de diretor do Hospital Santa Catarina (Hospital Dr. José Pedro Bezerra), na Zona Norte.

O cargo de secretário de Saúde se encontra vago desde o dia 2 de maio, quando o então secretário Domício Arruda foi exonerado após polêmicas de repercussão nacional envolvendo o feriado do Dia do Trabalhador. Desde então, várias foram as negociações da governadora, vários foram os nomes sondados, mas ninguém queria aceitar o pepino de segurar uma pasta tão problemática e tãocheia de problema como a Saúde.

Se for confirmado, boa sorte a Esaú nessa jornada que, com certeza, não será fácil.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Kyvia Mota disse:

    O DRAMA DOS MÉDICOS DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

    Por Raquel W SantosGineco-obstetra do Hospital das Clínicas da UFMG.
    “Era uma vez uma menina brasileira, nascida em família de classe baixa, que morou por 20 anos na beira de uma rodovia, na entrada de uma favela.Ela era inteligente e adorava estudar. Sabendo disso, seus pais resolveram investir nos seus estudos. Abriram mão do seu próprio conforto e de suas aspirações para realizar o sonho da filha: ser médica.Por causa de seu desempenho escolar, ela estudou por onze anos com bolsa num colégio particular. Mas os gastos com transporte e material escolar sacrificaram financeiramente seus pais.Na escola ela sofreu bullying, por suas roupas simples, porque carregava seu material numa sacola de feira e passava vergonha na casa das colegas por não conhecer TV com controle remoto e outras modernidades da época.Mas tudo isso valeu a pena, pois ela entrou “de primeira” numa faculdade pública. Durante a graduação, o sacrifício não foi menor: estudando em horário integral, não podia trabalhar para se sustentar e dependia do esforço dos pais, os quais também bancavam os estudos da irmã caçula.Horas incansáveis de estudo, madrugada adentro, se privando do convívio com a família, para, finalmente, ao final de seis anos, receber seu diploma: médica!Mais dedicação para o concurso de residência médica e ela inicia sua especialização de três anos. Depois, passa num concurso para trabalhar naquele que foi o hospital universitário federal onde ela teve toda sua formação, desde a graduação até a especialização. O salário era baixo, mas havia quatro grandes pilares de sustentação de um “castelo”: 1) trabalhar para a população carente; 2) ajudar na formação de novos médicos; 3) dedicar à ciência e 4) a estabilidade e os benefícios de um cargo público, coisa tão incomum no meio médico em geral e que lhe traria alguma segurança financeira.Empolgada, logo entrou para o mestrado. Aí o castelo começou a desmoronar: o governo não dá a mínima pra ciência. Abandonando sua veia de pesquisadora, ela pelo menos se sentiu consolada por ter tido uma grande experiência profissional e por essa qualificação ter melhorado seu vergonhoso salário.De alguns anos pra cá, outro pilar de sustentação do castelo desabou: enquanto os governantes – verdadeiros responsáveis pelo descaso e caos da saúde pública no Brasil – estão protegidos em seus palácios e gabinetes, os médicos, sobrecarregados e mal remunerados, ficam na linha de frente encarando a insatisfação da população. O que deveria ser apenas uma batalha contra as doenças, virou uma grande guerra: contra as condições precárias das instituições de saúde, equipes médicas desfalcadas, falta de estrutura, de medicamentos e de leitos, ameaças e agressões físicas e verbais.Na tentativa de superar tais condições, nossa personagem precisa improvisar como o “Mac Gyver” e se munir de “super-poderes” para atender a demanda do serviço e fazer seu trabalho da melhor maneira possível.A parcialidade da mídia corrobora para que a população se volte contra a classe médica, bombardeando os noticiários com matérias sensacionalistas. A exploração de situações protagonizadas por “laranjas podres do cesto” rotulou toda uma classe, tornando o médico um vilão. Nenhum veículo da mídia retrata o cotidiano do médico do serviço público, que luta arduamente naquela guerra e precisa ter múltiplos empregos para complementar sua renda, para sustentar os seus e fazer jus aos anos de estudo e dedicação. Nessa empreitada, ele se priva dos momentos com família e amigos. Não sabe o que é horário comercial, lazer, final de semana ou feriado.Mas nossa personagem ainda alimenta sua alma com os pacientes que reconhecem seu trabalho. Ela se sente estimulada com a nobre função de formar médicos e especialistas. Submete-se a tais condições pensando que tem o privilégio de ter um emprego federal, com férias, décimo terceiro, aposentadoria e alguns benefícios (que são ínfimos se comparados àqueles do judiciário, por exemplo).E então, estranha e inusitadamente, sua governante aparece com uma medida provisória que reduzirá seu salário em 50% e aos poucos extinguirá seus benefícios e plano de carreira. Bum! O castelo desabou! Uma MP tão estrategicamente bolada que a colocaria num beco sem saída. Sua reação inicial foi de indignação e revolta. Depois, começou a racionalizar e imaginar como isso afetaria seu dia-a-dia e seu futuro. Por fim, caiu em profundo desgosto, por perceber sua insignificância aos olhos do governo.Ela olhou para trás, reviveu cada momento da sua história de esforços e sacrifícios, lembrou da privação de seus pais, pensou em cada centavo investido em sua formação, em cada hora de sono perdida, em cada dia ausente do convívio familiar. E chorou.Olhou para frente e vislumbrou aquele hospital universitário sofrendo com exoneração em massa; profissionais extremamente capacitados abandonando seus cargos. A população sofrendo sem atendimento de qualidade num serviço terciário. Graduandos de medicina e médicos residentes órfãos de aprendizado. E se entristeceu.Olhou num contexto mais global, tentando entender as razões de tal medida e se alertou com as mazelas de outros profissionais de saúde, dos professores, dos policias, etc. Imaginou o futuro deste país que não valoriza aqueles que são a base de uma sociedade decente e verdadeiramente rica. E teve medo.Só não perdeu a esperança porque valoriza o ser humano. Se esse texto te sensibilizou ou te fez pensar, então há esperança. Trata-se de uma história real.”

Reunião fecha nomes de secretário e de adjunto da Sejuc

Em uma reunião realizada agora há pouco com a governadora, ficou acertado o nome dos novos comandantes da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), pasta que estava sem titulares desde a saída de Fábio Hollanda.

O delegado federal Kécio Pinto, será o novo titular da pasta. Ele foi uma indicação pessoal do também delegado federal Aldair da Rocha, secretário de Segurança (Sesed), que estava respondendo interinamente pela Sejuc. Um nome bastante técnico, já que a Sejuc trabalha quase que em parceria com a Sesed.

Além dele, também ficou acertado o nome do adjunto que será Júlio César Queiroz, que chegou a ser cotado para disputar a prefeitura de Jucurutu, mas foi preterido. Júlio é sobrinho do deputado estadual Nélter Queiroz e um bom articulador.

Os novos dos novos titular e adjunto da Secretaria de Justiça e Cidadania deve ser publicado nos próximos dias no Diário Oficial do Estado (DOE).

Decisões no Hospital Walfredo Gurgel esperam por secretário

No momento, os problemas mais críticos da Saúde Pública ainda não estão sendo enfrentados como deveriam. Foi o que ficou evidente na plenária do Conselho Estadual de Saúde (CES-RN), que aconteceu na manhã de ontem. À frente da Sesap, como interina, a mossoroense Dorinha Bularmaqui afirmou aos conselheiros, que “está fazendo o que pode”, mas que está no cargo à espera do novo titular da pasta. Um exemplo é a falta de definição quanto aos novos diretores geral e médico do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, um ponto que para a promotora de Justiça da Saúde, Iara Pinheiro, é prioritário e urgente.

Essa posição foi externada pelo MP, na segunda-feira, 7, em documento entregue à governadora Rosalba Ciarlini. Ela pediu oito dias para dar retorno às promotoras de Saúde, Iara Pinheiro, Kaline Correia e Danielle Carvalho, e ao procurador-geral em substituição do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado, Luciano Ramos. Uma nova audiência deve acontecer na próxima semana.

Na plenária do CES-RN Dorinha afirmou que está aguardando a governadora chegar de Brasília para conversar sobre a “escolha do novo titular da pasta e da pessoa ou do grupo para ficar administrando o Walfredo Gurgel”. O complexo hospitalar está sem diretor geral e médico há mais de 30 dias. Pela primeira vez, depois que assumiu, interinamente, a Sesap, Dorinha Bularmaqui, falou à TRIBUNA DO NORTE, após a plenária, e afirmou  não ter intenção de assumir o cargo de titular da Saúde Estadual.

“Já falei para a governadora, na sexta-feira”, revelou Dorinha, “que me deixe na retaguarda, na execução das ações, e que veja uma outra pessoa para assumir o cargo”. A possibilidade de terceirização da gestão do HMWG, levantada durante a plenária do CES-RN, foi negada por Dorinha Bularmaqui. “Hoje não existe intenção de terceirizar a gestão do Walfredo. Não existe essa determinação”, garantiu a gestora, que assumiu, há uma semana, após a exoneração do titular Domício Arruda, em meio a uma crise de assistência e de gestão na Saúde, principalmente no Walfredo Gurgel, onde a superlotação alcançou um pico de 93 pacientes em corredores e o lixo se acumular em um dos acessos do complexo.

Na terça-feira, 8, o complexo hospitalar teve a Unidade de Emergência (a Reanimação) interditada eticamente, pelo Conselho Regional de Medicina (Cremern), por internação de pacientes graves em leitos improvisados para terapia intensiva. No dia da inspeção feita pelo Cremern (4 de maio) nove pacientes entubados estavam em leitos improvisados de UTI, nesta unidade. Na terça-feira, 8, o número havia caído para seis.

Ontem, a secretária interina disse que as providências recomendadas pelo conselho já estão sendo adotadas. Uma equipe técnica foi enviada para o HMWG, após a oficialização da interdição ética, na terça-feira, 8. “Já estamos fazendo a adaptação do ambiente, a substituição de alguns leitos, e a medicação já tinha sido providenciada, antes da recomendação”, afirmou Dorinha Bularmaqui.

Segundo ela, o mais difícil, que é a parte da garantia de mais leitos, “está sendo visto”, para que a transferência dos pacientes, conforme recomendado pelo Cremern, seja feita. A interina da Saúde admitiu que a efetividade da transferência de pacientes  depende da nomeação dos diretores do HMWG.

“Estamos aguardando uma definição por parte do governo quanto à nomeação dos diretores geral e médico, “que vão poder responder melhor pela unidade”. Dorinha  ressaltou que “o  desejo é que os pacientes fiquem internados em condições humanas” e que tem “angústia por ver o tipo de assistência que está sendo prestada aqui”.

Segundo ela, a Sesap estuda como disponibilizar técnicos, em número suficiente, para ativar 25 leitos de clínica médica e seis de UTI, no Hospital Dr. Ruy Pereira, em Natal. Outra alternativa é a utilização dos leitos disponíveis no Hospital Regional Alfredo Mesquita, em Macaíba.  Mas lá tem plantonista e tem condição de receber os pacientes e vamos investir nessa solução”.

Fonte: Tribuna do Norte

Batata de secretário deve assar no próximo encontro do Conselho Político

Que a governadora Rosalba Ciarlini e seu marido Carlos Augusto Rosado estão descontentes com as constantes correntes que circulam negativamente nas redes sociais e que os dois pensam em exonerar o secretário de Comunicação, jornalista Alexandre Mulatinho, isso  tudo mundo já sabia, mas a batata de Mulatinho deve assar no próximo encontro do Conselho Político.

Ele, que é considerada uma pessoa de confiança de ambos, está sendo tratado como se fosse o responsável pela crise que atinge o Governo do Estado. Pelos corredores da Governadoria já circula a informação de que se uma nova crise for instalada e o nome do secretário discutido na próxima reunião do Conselho, dificilmente ele continua no cargo. Mulatinho é secretário, e não santo milagreiro. Quer dizer que a saída de Mulatinho mudaria a crise?

Mas nem tudo estaria perdido. Ao que tudo indica, se realmente deixar o cargo em comissão de secretário, ele deve ser utilizado em uma área estratégica pelo seu grau de confiança.

Nos bastidores, alguns nomes já estão sendo cotados como o do jornalista Héverton de Freitas, do Novo Jornal, e o do ex-secretário Rubens Lemos Filho, o “Rubinho”.

Se esses nomes ganharem força entre os líderes governistas, existe a possibilidade de Mulatinho sequer resistir até o próximo encontro do Conselho Político.

Domício pede desculpas for não gravar entrevista e dá explicações ao vivo

O secretário Domício Arruda, titular da pasta de Saúde Pública (Sesap), ganhou destaque nas redes sociais negativamente após não dar entrevista ontem a Intertv Cabugi por se tratar do feriado do Dia do Trabalhador, mas hoje ele pediu desculpas e deu a volta por cima com uma entrevista ao vivo no RN TV 1ª Edição.

No programa, o secretário pediu desculpas e disse que não agendou a entrevista com a equipe de reportagem porque estava no ambiente familiar sem condições de se deslocar até o hospital Walfredo Gurgel onde foi gravada a matéria.

Minutos depois ele foi até os estúdios da TV Ponta Negra onde novamente deu uma entrevista ao vivo para e novamente deu explicações sobre os problemas na saúde, porém ele lembrou que sua relação com a Cabugi não é das melhores. Uma simples referência ao desentendimento que ele e Michelle Rincón tiveram ao vivo durante o Bom Dia RN.

Ontem, a reportagem que não teve a participação de Domício foi ao ar no Jornal Nacional e o apresentador Márcio Gomes contou, no ar, a justificativa da “falta” do secretário. O fato provocou a criação da hastag #porquehojeéferiado, que viralizou nas redes sociais e entrou no hall dos assuntos mas comentados no Brasil, através dos Trend Topics Brazil.

José Augusto Peres confirma que não vai para a Sejuc

Mesmo com as conversas bastante avançadas, o promotor José Augusto Peres, conhecido em todo o estado pelo excelente trabalho desempenhado a frente do Ministério Público (MP) em defesa dos direitos dos consumidores, confirmou que não vai assumir a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc).

O membro do MP não foi liberado pelo Conselho Superior do Ministério Público para assumir a pasta e o principal argumento foi a incompatibilidade de funções.

A informação já circulava desde a manhã de hoje na imprensa, mas a confirmação veio agora através do Twitter do próprio promotor.

Uma grande perda para a população, já que gabarito, competência e força de vontade de fazer não iriam faltar a Peres. Mesmo fora da Sejuc, ele continuará rendendo bons frutos no MP.

Em seu discurso Peres lamentou a falta de oportunidade de tentar e lembrou que existem outros membros do MP pelo Brasil a fora que desempenham atividades junto ao Poder Executivo.

Enquanto isso, a Sejuc continua em meio a um caos.

Após suposta ligação, Flávio Rocha exime Rosalba e Benito Gama de culpa

O empresário Flávio Rocha, do grupo Guararapes/Riachuelo, tratou de amenizar as críticas que vinham sendo desferidas contra a governadora Rosalba Ciarlini e o secretário Benito Gama, do Desenvolvimento Econômico (Sedec) tão logo a reportagem negativou a imagem dos dois.

Flávio eximiu Rosalba e Benito de culpa através do Twitter logo após a suposta ligação que recebeu dos dois.

Mas se a culpa da hostilidade não é diretamente da governadora e do secretário, de quem seria? O próprio Flávio não especificou.

Após entrevista bombástica, Flávio Rocha é procurado pela governadora e pelo secretário

O domingo foi realmente movimentado para a economia potiguar. Logo nas primeiras horas, a entrevista do empresário Flávio Rocha, do Grupo Guararapes/Riachuelo, já tinha tomado conta das redes sociais.

Todos aproveitaram para dar uma descascada em cima do Governo do Estado quanto ao empenho do desenvolvimento na área no RN. Isso porque, na entrevista, Flávio contou que o grupo já demitiu cerca de sete mil pessoas em apenas um ano, interrompendo um crescimento, e também contou que optou por abrir uma nova fábrica no vizinho Ceará, porque o RN é hostil. Enfim, foi um soco na boca do estômago. E olhe que o empresário tem laços de amizade com várias pessoas ligadas ao governo. Imagine se não tivesse.

Mas assim que a entrevista ganhou notoriedade, a governadora Rosalba Ciarlini e o secretário baiano Benito Gama, titular da pasta de Desenvolvimento Econômico (Sedec), trataram logo de ligar pra Fávio Rocha para acalmar os ânimos e colocar um ponto final na história.

Quanto a conversa da Rosa, o blog não teve acesso aos detalhes, mas fontes governistas confirmaram que ela ligou para reafirmar o apoio do governo às empresas e para colocar o Governo como parceiro do desenvolvimento da economia potiguar.

Quanto ao secretário, confira a postagem que a jornalista Thaisa Galão publicou em seu blog:

Da forma como o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico Benito Gama define a entrevista do empresário Flávio Rocha à TN de hoje, engana-se quem aposta numa crise entre o Grupo Guararapes-Riachuelo e o governo Rosalba Ciarlini.

Em suas declarações fortes sobre o clima do Estado ao empresariado, considerado hostil, Flávio deixa claro que a governadora e o secretariado são receptivos, mas o clima é hostil no estado, o que faz seu grupo se sentir ‘expulso’.

Conversando agora com o secretário Benito Gama, ele afirmou que tem falado com muita frequência com Flávio, visitou a fábrica em Natal, e entendeu da seguinte forma o clima ‘hostil’ a que ele se refere:

“Natal não ia mais ter Copa, nós provamos que vai. Não vai ter o estádio, mas vai. Não vai ser construído com dinheiro do BNDES; vai. Agora essa greve dos trabalhadores do estádio, que a gente sabe o porquê. Não vai ter mobilidade urbana, mas vai. O aeroporto de São Gonçalo não vai sair, vai; não fica pronto para a Copa; fica. Então é esse ambiente que é negativo”, declarou Benito Gama, afirmando ser esse o seu sentimento, já que não falou com Flávio depois da entrevista.

“Acho que Pernambuco e Ceará fizeram ataques fortes ao Rio Grande do Norte nos últimos anos e realmente, o clima é muito negativo no Estado, temos que reconhecer isso”, disse Benito, concordando com as declarações de Flávio Rocha.

“Estamos lutando muito para mudar isso, eu tenho a impressão que Flávio se referiu a isso e essa é uma análise dos últimos anos que a gente tenta mudar. A única obra grande que se fez nos últimos anos foi uma ponte”, relatou Benito Gama, deixando claro que as reclamações do empresário Flávio Rocha remetem a um passado mais longo do que o pouco mais de um ano do atual governo.

Rodrigo Cintra terá que devolver mais de R$ 44 mil ao erário municipal

O secretário municipal da Juventude, Esporte e Lazer de Natal, Rodrigo Martins Cintra, teve as contas de 2011 referentes a passagens aéreas e diárias consideradas irregulares pelo Tribunal de Contas e foi condenado a ressarcir ao erário a importância de R$ 44.023,69. O voto foi relatado pela conselheira Maria Adélia Sales na sessão da Primeira Câmara da última quinta-feira (19/04) pela manhã.

          A conselheira relatou ainda processo da prefeitura de Serra de São Bento – 2003, documentação comprobatória de despesa a cargo do sr. Ionas Carvalho de Araújo Filho. O voto foi pela irregularidade, com restituição ao erário do valor de R$ 193.973,00, referente a doações sem a comprovação de recebimento por parte dos beneficiários e aquisição de material sem destinação específica.
          O conselheiro Marco Antônio de Moraes Rego Montenegro relatou os seguintes processos: da prefeitura de Almino Afonso, Balancete do Fundef – exercício de 2002, responsável Bernardo Carlos Belarmino de Amorim. O voto foi pela irregularidade na prestação de contas, com restituição pelo gestor à época dos fatos da quantia de R$ 19.875,71 referente à ausência de documentação comprobatória de despesa, além de remanejamento pelo atual gestor do município das quantias de R$ 21.847,95, referente a valor não utilizado do percentual mínimo de 60% destinado ao magistério e R$ 45.244,24 concernente a execução de despesas alheias ao Fundef.
          Da prefeitura de Ipanguaçu, Balancete do Fundef referente a janeiro de 1999, a cargo do sr. José Wilson de Souza. O voto foi pelo remanejamento, por parte do atual gestor das quantias de R$ 35.473,00, alusivo a despesas alheias ao Fundef e R$ 13.700,81, referente à realização de despesas do exercício anterior.
          Da prefeitura de Equador, inspeção extraordinária – exercício de 2002, responsável Vanildo Fernandes Bezerra. O voto foi pela restituição de R$ 130.098,83 referente à documentação comprobatória de despesa e remanejamento de  R$ 74.481,87 não aplicado ao percentual de 60% destinado ao Fundef. Também de Equador, prestação de contas do 1º bimestre de 2007, sendo o responsável o sr. Zenon Sabino de Oliveira. O voto foi pela irregularidade, com restituição de R$ 80.251,00, correspondente à totalidade dos valores cuja legalidade de seu emprego não foi comprovada.
          Da prefeitura do Paraná, prestação de contas referente ao 1° bimestre de 2007, responsável Geraldo Alexandre Maia. Diante da inércia do ordenador da despesa em responder aos questionamentos do TCE, o voto foi pelo ressarcimento de R$ 287.343,35 pertinente a valores gastos e não comprovados. Da Câmara Municipal de Almino Afonso, prestação de contas referente ao 1º bimestre de 2006, responsabilizando José Nunes de Araújo. O voto foi pela restituição aos cofres públicos da quantia de R$ 135.655,39, referente a valores gastos e não comprovados.
          Relativa à prefeitura de João Dias, apuração de responsabilidade referente aos exercícios de 2004 e 2005, sendo os responsáveis Irene Florência de Oliveira e Paulo de Tarso Veríssimo. O voto foi pela aplicação de multa de R$ 10.850,00 e R$ 33.450,00, correspondentes ao atraso na entrega das prestações de contas, relatórios de gestão fiscal e relatórios dos anos fiscalizados. É bom ressaltar que os ordenadores de despesas ainda podem recorrer das decisões.
OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Reginaldo Filho01 disse:

    Isso é mais do que certo! Passeou muito e não plantou nada… nunca se reuniu com os representantes dos centros esportivos dos bairros…nenhum projeto! so fazia mentir…. que pague mesmo e COM JUROSSSS…. e esse cidadão ainda quer dar um de correto.

  2. Reginaldo Filho01 disse:

    Isso é mais do que certo! Passeou muito e não plantou nada… nunca se reuniu com os representantes dos centros esportivos dos bairros…nenhum projeto! so fazia mentir…. que pague mesmo e COM JUROSSSS…. e esse cidadão ainda quer dar um de correto.

Secretário de Comunicação nega vaias a Micarla durante evento

O secretário municipal de Comunicação (Secom), Gerson de Castro, enviou uma nota de esclarecimento nesta tarde negando qualquer tipo de vaia contra a prefeita Micarla de Sousa durante o evento Motores do Desenvolvimento. Caso noticiado por este blog.

No documento, o titular da Secom negou a existência de vaias contra a chefe do Executivo municipal. De acordo com ele, o que se ouviram foram aplausos, e não vaias. Ele também nega qualquer tipo de constrangimento.

Segue a nota na íntegra

Caro Bruno,

A respeito de suposto constrangimento a que a prefeita Micarla de Sousa teria sido submetida na manhã de hoje  ao participar, no Hotel Pestana, do seminário Motores do Desenvolvimento, tão bem concebido e organizado, esclareço que não se ouviu, em qualquer momento da participação da prefeita, qualquer vaia ou algo parecido. Pelo contrário, o discurso da prefeita foi aplaudido principalmente quando ela assegurou que vai cumprir sua missão até o final. Como acompanhei a prefeita da chegada à saída do local do evento, repasso a vocês esta informação.

Faço isso apenas porque a vaia não existiu. Afinal, entendo que vaias e aplausos fazem da Democracia, guardiã da liberdade, o maior valor que o ser humano e uma sociedade podem ter e praticar.

Saudações
Gerson de Castro”

João Maia se diz surpreso com revelações de Fábio Hollanda

O deputado federal João Maia, presidente estadual do PR, disse que ficou surpreso com o fato do secretário estadual de Justiça e Cidadania, Fábio Hollanda, ter exposto os problemas da pasta em entrevista publicada hoje na TRIBUNA DO NORTE.

“O que ele disse na entrevista não é surpresa para mim, mas a surpresa é o fato dele ter tornado público”, disse o deputado, que foi responsável pela indicação de Fábio Hollanda ao cargo de primeiro escalão no Governo Rosalba Ciarlini.

João Maia afirmou que o secretário já havia exposto para ele toda problemática da Secretaria de Justiça e Cidadania. “Fábio (Fábio Hollanda) conversou muito comigo e externou a situação dizendo da precariedade do sistema, da situação das Centrais do Cidadão e dizendo que é preciso implementar outro modelo de gestão”, destacou João Maia. Ele embarcará no início da tarde de hoje para Natal e ainda nesta sexta-feira conversará pessoalmente com o secretário Fábio Hollanda.

Em entrevista a TN, o titular da SEJUC disse que a fuga no presídio de Alcaçuz ocorreu por falta de cuidado e negligência. Hollanda também afirmou que não teria qualquer problema em deixar a Secretaria. “Eu não terei nenhum constrangimento em deixar a Secretaria. Eu terei constrangimento em ficar na Secretaria e não conseguir desenvolver um bom trabalho com o dinheiro do contribuinte do Rio Grande do Norte. Se dependesse de mim, na condição de presidente do PR em Natal, o partido entregaria a Secretaria e manteria uma posição independente do ponto de vista administrativo do Governo Rosalba Ciarlini”, disse.

Fonte: Panorama Político

Fábio Hollanda ameaça deixar a Secretária de Justiça

O secretário de Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte (Sejuc), Fábio Hollanda, está disposto a deixar o  cargo. Insatisfeito com o quadro de auxiliares e com a falta de estrutura estatal no que diz respeito principalmente à política de ressocialização de presos, Hollanda já comunicou à governadora Rosalba Ciarlini (DEM) e ao deputado João Maia – presidente estadual do Partido da República (PR) e tutor da ida dele à Sejuc – que pretende deixar a pasta.

Adriano AbreuFábio Holanda: sem apoio para nomear e alvo de ameaças na Sejuc

“Não é um ultimato. O cargo, juridicamente, é da governadora. Eu não terei nenhum constrangimento em deixar a Secretaria. Eu terei constrangimento em ficar na Secretaria e não conseguir desenvolver um bom trabalho com o dinheiro do contribuinte do Rio Grande do Norte. Se dependesse de mim, na condição de presidente do PR em Natal, o partido entregaria a Secretaria e manteria uma posição independente do ponto de vista administrativo do Governo Rosalba Ciarlini”, falou Hollanda, em entrevista exclusiva à TRIBUNA DO NORTE  na tarde de ontem.

Sobre a fuga da penitenciária de Alcaçuz ocorrida poucos dias após ele assumir a Sejuc, Hollanda foi incisivo: “Os presos fugiram por um enfrentamento, fugiram por falta de cuidado, fugiram por negligência e fugiram porque alguns agentes públicos fizeram de conta que estavam segurando os presos e resolveram abrir a porta pra eles saírem”.

Empossado secretário de Justiça e Cidadania há exatos dois meses, Hollanda ainda não recebeu nenhum salário, assim como as diárias das viagens que fez. Além disso, o homem que comanda o sistema prisional do Rio Grande do Norte vem sofrendo ameaças por telefone, sente-se seguido nas ruas e não conta com escolta da Polícia Militar.

Fábio Hollanda disse não temer pela própria vida, mas está receoso pelas dos filhos. “Eu soube através de informações oficiais do Ministério da Justiça que como o Comando Vermelho está aqui é necessário que se tenha cuidado e eu não tenho  escolta. Por quê? Porque essa escolta precisa ser feita pela Polícia Militar, através de homens do Bope e eu os pedi, e eles não foram enviados. Até a minha vida eu aceito colocar em risco, desde que eu veja o sistema evoluindo, mas as dos meus filhos não”.

Fonte: Tribuna do Norte

Dois secretários do Governo Rosalba partem para missão oficial nos Estados Unidos

Dois auxiliares de primeiro escalão do Governo Rosalba Ciarlini partirão em viagem aos Estados Unidos. Os titulares do Planejamento, Obery Rodrigues, e do Desenvolvimento Econômico, Benito Gama, passarão nove dias afastados das funções no Governo. O ato foi assinado pela governadora Rosalba Ciarlini e publicado hoje no Diário Oficial.

Os dois secretários participarão do Road Show sobre os Investimentos do Rio Grande do Norte, nas Cidades de New York e Las Vegas, nos Estados Unidos.

Fonte: Panorama Político

Gerson na Comunicação, Márcio na Semob e Jean Valério na Secopa

Nos bastidores, os nomes dos novos secretários de Micarla de Sousa já está definido, mas até esse momento ninguém confirma. Uma reunião está marcada para a tarde desta sexta-feira (3) somente para confirmar os nomes da reforma do secretariado.

O atual secretário de Comunicação (Secom) Jean Valério deixará a pasta e partirá para a Secretaria da Juventude, Esporte, Lazer e Copa do Mundo Fifa 2014 (Sejel/Secopa) ocupando o cargo do árbitro Rodrigo Cintra, que volta para a Bahia em definitivo para apitar os jogos do Baianão. No lugar de Jean, quem assume é o também jornalista Gerson de Castro, que vinha desempenhando um excelente trabalho na Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn).

Outras duas mudanças certas são: a saída de Elizabeth Thé, da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), que deixará a cadeira de titular da pasta para o atual diretor de Fiscalização de Trânsito Márcio Sá; e a Secretaria de Gabinete da Prefeitura (Segap), que terá o vereador Heráclito Noé ocupando o cargo de secretário-chefe de Gabinete deixado por Kalazans Bezerra.

Até agora, nenhum dos novos secretários confirmou a escolha. Mas, o blog já sabe. Somente uma tempestade daquelas para mudar esses nomes.

Ah! Nunca é demais lembrar que os bem avaliados Walter Fonseca (Educação), Maria do Perpétuo Socorro Nogueira (Saúde) e Antônio Luna (Planejamento) dificilmente largarão o osso do primeiro escalão da Borboleta.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. caio fábio disse:

    Só se for bem avaliado pela prefeita, porque a educação está um caos.

Governo investiga infarto de secretário que morreu por falta de atendimento médico

As imagens das câmeras de segurança dos três hospitais por onde o secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Ferreira, passou antes de morrer vão ajudar a Polícia Civil do Distrito Federal a esclarecer o caso.

Segundo a delegada-chefe de Defesa do Consumidor, Alessandra Figueredo, um inquérito foi instaurado para apurar se houve ou não omissão de socorro.

“A imagens vão comprovar o estado em que ele entrou nos hospitais e a dinâmica dos fatos”, disse a delegada.

De acordo com ela, um laudo do Instituto Médico-Legal também vai ajudar a esclarecer as causas da morte e se ele poderia ter sobrevivido caso fosse atendido no momento em que procurou o primeiro hospital.

Ferreira, de 56 anos de idade, morreu em consequência de um infarto, após ter o atendimento negado em dois hospitais particulares de Brasília, o Santa Lúcia e o Santa Luzia.

O plano de saúde não era aceito pelas instituições.

Para atendê-lo, os hospitais exigiram um cheque caução, mas como ele estava sem cheque, o atendimento foi recusado.

Duvanier só foi atendido em um terceiro hospital, o Hospital Planalto, mas o seu estado se agravou.

Os médicos ainda tentaram reanimá-lo, mas sem sucesso.

Com informações da Agência Brasil.