Dívida ativa estadual já aceita cartão de crédito como forma de pagamento

Foto: Ilustrativa

Os contribuintes cadastrados na Dívida Ativa do Estado passaram a dispor de mais um instrumento para quitar seus débitos. O saldo devedor já pode ser parcelado por meio do cartão de crédito do titular, seguindo as regras do mercado financeiro. A medida foi firmada por meio de contrato assinado na última segunda-feira (3) pela Procuradoria Geral do Estado – PGE-RN e pela Secretaria Estadual de Tributação com operadoras de cartões de crédito.

O objetivo é modernizar a cobrança da Dívida Ativa e alavancar a arrecadação, valendo-se dos instrumentos tecnológicos atualizados para aumentar os níveis de recuperação de ativos. Outro avanço é que já está disponível para o contribuinte em atraso o parcelamento online, no qual o devedor pode tomar conhecimento de seu débito e parcelar diretamente com a PGE-RN, em acordo com a legislação em vigor e com suas possibilidades financeiras. A simulação e a efetivação do pagamento podem ser feitos no site da PGE-RN: no canal “parcelamento online”.

A PGE-RN está promovendo a modernização dos instrumentos de cobrança e arrecadação cuja primeira medida foi colocada em prática no final de 2019, por meio de um contrato de cooperação direta com o Banco do Brasil que passou a utilizar sua estrutura de atendimento para acionar devedores, além de localizar ativos disponíveis para pagamentos das dividas. Toda expertise da instituição financeira passou a ser empregada, nos mecanismos tecnológicos de localização e acionamento de devedores.

Por meio de sua central de call center automatizada, o banco abastece a base de dados da Dívida Ativa do Estado com informações atualizadas sobre endereços e outros contatos dos devedores.

A Procuradoria da Dívida Ativa do RN seleciona os créditos sujeitos a esse tipo de cobrança administrativa e disponibiliza à instituição financeira o acesso aos sistemas para consulta, parcelamento e quitação dos débitos inscritos na Dívida Ativa do Estado. O instrumento permite que as negociações sejam realizadas de modo ágil, nos canais de atendimento utilizados pelo Banco do Brasil. O trabalho de cobrança administrativa da Dívida Ativa em parceria com o Banco do Brasil é inédito no RN.

Neste cenário, os devedores do Estado do Rio Grande do Norte devem estar cientes de que podem vir a ser contatados pelas centrais do Banco do Brasil ou podem empregar um dos vários instrumentos para regularizar sua situação. Os débitos em aberto estão sendo encaminhados ao Serasa, até que a situação seja regularizada através da quitação ou do parcelamento.

Em 2019, a PGE-RN aumentou o percentual de recuperação da dívida em 40,07% em relação ao ano anterior. Essas ações fazem parte dos esforços do Governo do RN para restabelecer o equilíbrio financeiro do Estado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Duarte Santana disse:

    A arrecadação da Dívida Ativa 2019 em relação ao ano de 2018 foi de 49,79%

FOTOS: Detran forma 600 profissionais pela Escola Pública de Trânsito

Fotos: Divulgação

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) finalizou o ano de 2019 formando gratuitamente cerca de 600 profissionais por meio da Escola Pública de Trânsito do órgão (Eptran). Os números foram apresentados nesta sexta-feira (03), num encontro que reuniu a Chefia de Gabinete do Detran, instrutores, coordenadores e profissionais formados pela Eptran.

Na oportunidade, foram mostrados os avanços das capacitações que abrangeram servidores públicos, policiais e profissionais da iniciativa privada, a exemplo dos motofretistas. As qualificações ministradas ao longo do ano contemplaram os cursos de Condutor de Veículo de Emergência (CVE); Atualização de Motofretista; Capacitação de Motofretista; Formação de Agente de Autoridade de Trânsito; Atualização de Instrutores de Trânsito; Complementação de Carga Horária de Instrutor de Trânsito; Pilotagem Defensiva; Vistoriador e Lacrador Veicular; e Atualização de Vistoriador Veicular.

O chefe de gabinete do Detran, Osmar Paiva Filho, acompanhou a apresentação e assegurou o plano da Direção do Órgão em ampliar as capacitações durante o ano com foco no fortalecimento da segurança no trânsito. “Nosso desejo é otimizar as instruções e formações profissionais no sentido da consolidação de um trânsito mais seguro, como também trabalhar para melhorar as condições dos servidores do Detran como um todo”, comentou.

Durante a exposição, o técnico da Eptran, Iaponi Gomes, também apresentou as diretrizes que devem ser seguidas ao longo do ano de 2020 onde o plano contempla a ampliação de cursos gratuitos envolvendo servidores públicos e a sociedade. “Nosso objetivo é expandir as ações com a apoio da Direção do Detran”, falou.

A Escola Pública de Trânsito do Rio Grande do Norte (EPTRAN/RN) é uma Assessoria de Cursos subordinada ao Denatran, vinculada ao Gabinete da Direção e com apoio da Coordenadoria de Educação e Fiscalização de Trânsito do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte (Detran/RN).

Ela fundamenta-se nos seguintes dispositivos legais: Código de Trânsito Brasileiro (Artigo 74, parágrafo 2º); Resolução do Contran nº 515, de 24 de dezembro de 2014; Portaria n° 1.697 (Detran/RN), de 16 setembro de 2016. Sua missão é ser uma ferramenta de desenvolvimento que contribua para um trânsito mais seguro, humanizado e com inclusão social através da qualificação contínua da sociedade. Localiza-se no prédio da Coordenadoria de Operações do Detran, em Natal.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flavio disse:

    Seria bom fazer uma reavaliação com o pessoal que faz os exames dos alunos no Natal shopping. É reprovação geral, apenas no intuito de arrecadar grana. Piscou, tá reprovado e tome mais 165 reais. Interessante que ninguém é reprovado na segunda avaliação, e é a mesma pessoa e com os mesmos problemas, portanto é só uma maneira de ganhar dinheiro de forma desonesta. O MP deveria investigar essa situação.

Pessoas compartilham fake news de forma consciente, mostra estudo

(LEBERUS/Getty Images)

As notícias falsas estão por toda a internet – e encontram nas redes sociais seu habitat mais fértil. Dificilmente você rola sua timeline do Facebook e não se depara com uma manchete sensacionalista compartilhada por algum parente. A situação é ainda mais caótica no Twitter: por lá, as fake news se disseminam seis vezes mais rápido do que notícias verdadeiras.

Quando esse assunto virou pauta pela primeira vez, a grande discussão era o quanto bots estavam ajudando a disseminar informações falaciosas. Mas, agora, um estudo da Universidade de Regina, no Canadá, concluiu que, ao contrário do que se imagina, usuários convencionais não estão sendo enganados e conseguem detectar facilmente quando algo é fake news. Só que, mesmo assim, boa parte opta por compartilhar a notícia.

De acordo com o estudo, existem algumas razões para isso: muita gente não pensa sobre a veracidade de uma informação antes de compartilhá-la numa rede social. E, muitas vezes, divulga notícias que podem ser falsas só porque elas vão de acordo com uma opinião própria.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores apresentaram uma série de manchetes reais a mais de 2500 pessoas dos Estados Unidos. Na lista, havia chamadas retiradas das principais notícias de jornais – mas também um conjunto de histórias que eram inteiramente falsas. Quem participava do estudo não sabia nada sobre os temas das notícias, claro, e tinha que julgar a partir do conteúdo que recebiam.

Na primeira parte do estudo, os participantes foram solicitados a indicar quais manchetes compartilhariam nas redes sociais. Foi aí que despontou um comportamento curioso: o critério utilizado por muitos não era averiguar a veracidade das histórias, mas seu conteúdo. Se o que o texto dizia concordasse com uma opinião pré-estabelecida da pessoa, pouco importava a fonte: ela tinha mais chances de compartilhar de qualquer forma.

Quando as notícias falavam especificamente de fatos políticos, não importando se fossem mais à direita ou à esquerda do espectro ideológico, participantes tinham 37,4% de chances de compartilhar histórias que concordavam com seu ponto de vista – mesmo se elas fossem fake news. A probabilidade de compartilhamento caía para 24% no caso de manchetes verdadeiras, mas que discordavam de crenças pessoais.

Numa segunda parte do estudo, a equipe perguntou a outro grupo de pessoas o que eles achavam sobre a precisão das manchetes antes. Isso, antes de questionar se eles a compartilhariam ou não nas mídias sociais. Os pesquisadores notaram que as pessoas que receberam um alerta com relação à veracidade dos fatos que liam tinham probabilidade significativamente menor de compartilhar informações falsas.

O estudo estou também se o fato de as pessoas estarem distraídas nas redes poderia fazê-las esquecer que há notícias falsas circulando por lá o tempo todo. Para ter certeza disso, cientistas enviaram mensagens para 5500 usuários do Twitter, que costumavam compartilhar notícias de sites não confiáveis em seu perfil.

Os pesquisadores pediram a esses usuários que avaliassem a precisão de uma única manchete. Depois disso, eles começaram a monitorar o que os perfis compartilhavam, e notaram que, nas 24 horas seguintes, as notícias que os participantes disseminaram em suas redes eram 3,5% mais confiáveis ​​do que anteriormente.

Por fim, os autores do estudo afirmam que a noção de que “as pessoas são facilmente enganadas” não condiz com a realidade. Em vez disso, há chance maior é que venham usando informações falsas para validar suas próprias opiniões. Assim, entre falar a verdade e ter razão, a segunda opção sempre acaba levando a melhor. Para ler na íntegra o estudo, é só clicar neste link.

Super Interessante

FOTOS: Governo forma mais 252 sargentos da Polícia Militar em Natal

Fotos: Sandro Menezes

O Governo do Estado realizou nesta terça-feira, 26,a solenidade de formatura de 253 alunos do Curso Formação de Sargentos (CFS) da Polícia Militar. No total, a diretoria de ensino da Polícia Militar do RN está formando 413 sargentos que irão atuar na capital e em todo o interior do Estado.Com a conclusão do curso, os formandos ficam aptos para promoções a sargentos.

O CFS tem carga horária de 720 horas/aula e é condição básica para o cabo da Polícia Militar ingressar no quadro de acesso para a promoção à graduação de sargento. O curso contempla disciplinas como tiro policial, gerenciamento de crises, abordagem policial, capacitação em policiamento comunitário e direitos humanos.

O governador em exercício, Antenor Roberto, participou da solenidade e parabenizou os concluintes. “Vocês estarão nas ruas para garantir a segurança da população. Estão todos de parabéns e preparados para exercerem as novas funções”, afirmou o governador que destacou o empenho da administração na valorização da segurança pública e dos seus profissionais. Ele citou a nova Lei que reestruturou as carreiras na Polícia Militar, o início, em janeiro próximo, do curso de formação de mil novos soldados para a PM e o lançamento de programa habitacional para os policiais, através da Companhia Estadual de Habitação (Cehab).

Antenor destacou também a iniciativa do Estado em integrar o Hospital Pedro Germano, da Polícia Militar, ao Sistema Único de Saúde. “É um grande reforço para o atendimento público de saúde. O Hospital vai realizar 400 cirurgias por mês melhorando o atendimento a toda a população”, afirmou.

O governador ainda se referiu ao trabalho integrado entre todos os órgãos estaduais de segurança. “O Governo faz segurança de forma integrada e se relaciona com toda a sociedade através do Conselho Estadual de Segurança Pública que tem representantes da administração estadual, dos órgãos de segurança, poderes judiciário e legislativo, ministérios público estadual e federal, representações civis. E temos conseguido reduzir os índices de violência”, registrou.

O comandante da Polícia Militar, coronel Alarico Azevedo, disse que os sargentos assumem funções de comando e gestão. “A sociedade confia em cada um de nós da PM.Temos que retribuir isso. Vocês estão prontos, treinados e capacitados para intervir na resolução de conflitos.”

A solenidade no auditório da Escola de Governo em Natal contou também com a presença do deputado estadual coronel Azevedo; do secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), Francisco Araújo; secretário adjunto da Sesed, Osmir Monte; ex-comandante da PM, coronel Angelo Mário; tenente coronel Arthur Emílio, sub-diretor de Ensino da PM; tenente coronel Vilela, comandante do CFAPM; coronel Demócrito, sub-diretor de Saúde da PM; coronel Spinolla, diretor de finanças da PM e o subtenente Eliabe Marques, padrinho da turma.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil disse:

    Essa turma aí de trás, todos com aposentados a vários anos. Aposentadorias precoces. Tenho pena do Brasil.

  2. Cigano Lulu disse:

    Governo bolivariano forma policiais? E eu pensava que essa fosse uma atribuição exclusiva da própria PM. Tem nada não, vivendo e aprendendo…

Defesa Civil de Natal forma voluntários para atuar em situações de crise

Foto: Divulgação

A Defesa Civil de Natal ministrando uma capacitação voltada ao aperfeiçoamento das ações de intervenções em situações de desastres. A capacitação iniciada nesta terça-feira (05) está acontecendo no Grupamento de Fuzileiros Navais da capital e segue até esta quarta-feira (06/11), com instruções teóricas e simulados.

O curso está sendo conduzido pelo psicólogo da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas), Stênio Stephanio de Oliveira, e pelo agente de Defesa Civil de Natal, Paulo Henrique. As instruções abrangem informações relacionadas ao Papel da Defesa Civil; Sistema integrado com as Forças Armadas; Tipos de desastres; Depoimentos; além de simulados focando atuações técnicas de como agir em diversos tipos de desastres aéreo e emprego de abrigos.

A diretora de Ações Preventivas da Defesa Civil de Natal, Luciana Medeiros, informou que a capacitação é uma parceria com a Associação de Veteranos do Exército Brasileiro e com o Corpo de Fuzileiros Navais de Natal. “É mais um aperfeiçoamento que a Defesa Civil está promovendo formando pessoas no Curso Básico de Defesa Civil e possibilitando que elas venham a atuar como voluntários em situações que envolvam a necessidade maior de pessoal para contribuir no atendimento a possíveis vítimas de desastres”, comentou.

NASA descobre planeta de ‘metal pesado’ que tem forma inusitada

REPRODUÇÃO NASA

Observações do Telescópio Espacial Hubble da NASA detectaram magnésio e gás de ferro fluindo do estranho mundo fora do nosso sistema solar conhecido como WASP-121b.

Os resultados representam a primeira vez que os chamados “metais pesados” foram vistos escapando de um grande exoplaneta gasoso muito próximo de sua estrela.

De acordo com a NASA, ele orbita tão perigosamente perto de sua estrela que sua atmosfera superior atinge uma temperatura de 4.500 graus Fahrenheit. O sistema WASP-121, no formato de uma bola de futebol americano, fica a cerca de 900 anos-luz da Terra.

A luz ultravioleta da estrela hospedeira, que é mais brilhante e mais quente que o Sol, aquece a atmosfera superior e ajuda a escapar. Além disso, o magnésio e o gás de ferro podem contribuir para o pico de temperatura.

Este exoplaneta é também um alvo perfeito para o próximo Telescópio Espacial James Webb, da Agência Espacial Americana, pesquisar na luz infravermelha por água e dióxido de carbono.

A combinação de observações de Hubble e Webb proporcionaria aos astrônomos um estudo mais completo dos elementos químicos que compõem a atmosfera do planeta.

As observações do WASP-121b também contribuem para o desenvolvimento da história de como os planetas perdem suas atmosferas primordiais.

Metro Jornal

Cientistas estudam forma de “curar” o envelhecimento e encaram período como uma doença que pode ser tratada

A CIÊNCIA DA VIDA ETERNA (ILUSTRAÇÃO: PEDRO CORRÊA)

Um dos mitos da Grécia Antiga, que remonta a 700 a.C., conta a história de amor de Eos, a deusa do amanhecer, e Titono, irmão mais velho do rei de Troia. Eos se apaixonou por Titono e pediu a Zeus que concedesse a ele a imortalidade dos deuses. Mas se esqueceu de pedir eterna juventude. Titono viveu por anos a fio, definhando, esquecido pela própria Eos, que o trancou em um quarto escuro até que, finalmente, ele se transformou em uma cigarra.

Alguns milênios depois, a longa busca da humanidade pela vida e juventude eternas ganha, pela primeira vez, contornos científicos. No Vale do Silício, pesquisadores têm tentado unir medicina e tecnologia para encontrar maneiras de nos fazer viver mais e mais jovens, encarando o envelhecimento como uma causa para as tantas doenças associadas a ele e, portanto, passível de tratamento ou mesmo cura.

“Depois de assegurar níveis sem precedentes de prosperidade, saúde e harmonia, e considerando nossa história pregressa com nossos valores atuais, as próximas metas da humanidade serão provavelmente a imortalidade, a felicidade e a divindade”, escreveu Yuval Harari em Homo Deus: Uma Breve História do Amanhã, best-seller publicado no Brasil em 2016 pela Companhia das Letras. “Reduzimos a mortalidade por inanição, a doença e a violência; objetivaremos agora superar a velhice e mesmo a morte”, sentencia o professor de História da Universidade Hebraica de Jerusalém.

O primeiro laboratório biomédico dos Estados Unidos dedicado inteiramente a pesquisar o envelhecimento foi criado em 1999 em Novato, na Baía de São Francisco, a poucos quilômetros do Vale do Silício. Com a missão de acabar com as doenças relacionadas à passagem do tempo, o Instituto Buck acredita que é possível as pessoas aproveitarem a vida aos 95 anos tanto quanto o faziam aos 25.

“Nesses anos de pesquisa, chegamos a duas conclusões: a primeira é de que podemos mudar o ritmo do envelhecimento em animais, modificando a genética e a alimentação”, diz o geneticista Gordon Lithgow, chefe de pesquisas no instituto. “A segunda é que o processo de envelhecimento é um gatilho — ou mesmo uma causa — para as doenças crônicas em idade avançada.” A grande hipótese, segundo Lithgow, é que a medicina talvez esteja olhando para as doenças crônicas associadas ao envelhecimento da forma errada — e, se conseguirmos reverter ou retardar o processo, talvez seja possível proteger o corpo dos danos causados por ele.

Além do Buck, laboratórios como o Calico e o Unity Biotechnology têm como objetivos explícitos “resolver a morte” e “combater os efeitos do envelhecimento” e são financiados pelos bilionários Sergey Brin e Larry Page, fundadores do Google, Jeff Bezos, da Amazon, e Peter Thiel, do PayPal. Mas é a Fundação SENS, criada em 2009 pelo cientista da computação inglês Aubrey de Grey, entre outros nomes, que desperta as maiores polêmicas na comunidade científica.

Na visão de Aubrey de Grey, de 56 anos, o envelhecimento deve ser tratado como um fenômeno simples, e nosso corpo visto como uma máquina ou uma engenhoca que pode ser consertada. “O motivo de termos carros que ainda rodam após cem anos é o fato de eliminarmos os estragos antes mesmo de as portas caírem. O mesmo vale para o corpo humano”, afirma o britânico em entrevista à GALILEU.

Para desenvolver o modelo que chama de SENS, sigla para Strategies for Engineered Negligible Senescence (estratégias para engenharia de uma senescência negligenciável, em tradução livre), ele olhou para os principais processos que levam ao envelhecimento conhecidos hoje: perda e degeneração das células; acúmulo de células indesejáveis, como de gordura ou senescentes (velhas); mutações nos cromossomos e nas mitocôndrias; acúmulo de “lixo” dentro e fora das células, o que pode causar problemas em seu funcionamento; ligações cruzadas em proteínas fora da célula, que podem gerar perda de elasticidade no tecido em questão.

Para De Grey, basta tratar cada um desses itens e pronto: nossos problemas de saúde que surgem com a idade acabariam — quase tão simples quanto aplicar e remover um filtro do FaceApp, aplicativo que se tornou febre nas redes sociais nas últimas semanas, com um algoritmo que faz uma simulação fotográfica da aparência que poderemos ter quando mais velhos. “Não haveria limite, assim como não há limite para os carros funcionarem. Morreríamos somente de causas que não têm a ver com quanto tempo atrás nascemos. Impactos de asteroides, acidentes etc.”, diz.

Esse é um trecho da reportagem de capa da edição de agosto de 2019 da GALILEU, que já está nas bancas.

FOTOS: Detran forma bombeiros militares no curso de Condutor de Veículo de Emergência

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) concluiu na sexta-feira (26) a formação de duas primeiras turmas de militares do Corpo de Bombeiros no curso de Condutor de Veículos de Emergência. A capacitação realizada pela Escola Pública de Trânsito do Detran (Eptran) vai formar um total de 90 militares até o final desta semana.

Os instrutores da Eptran concluíram a qualificação finalizando o último módulo do curso, que trata sobre meio ambiente e convívio social. Os militares passaram ainda por instruções modulares de “Legislação de Trânsito”; “Direção Defensiva”; “Noções de Primeiros Socorros”; além de “Relacionamento Interpessoal”. Foram 50h/aula de instruções.

A formação tem o objetivo de tornar o agente público apto a conduzir veículo de atendimento em situações emergências, onde existe a necessidade de deslocamento em velocidade dentro do trânsito urbano e rodoviário. O curso aponta os procedimentos de condução que tornam o tráfego do veículo de emergência seguro, atendendo as normas e processos de direção defensiva e demais itens relacionados com o tema.

O Curso é uma exigência legal prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), mais precisamente no artigo 145, e é regulamentado pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) por meio da resolução 168/2004, que determina a necessidade da capacitação para aqueles agentes que conduzem veículos do tipo policial, bombeiros, ambulâncias e outros.