G7 diz que valor para combate a incêndios na Amazônia é de R$ 82 milhões

FOTO: NASA via EFE / 21.8.2019

O G7 anunciou nesta segunda-feira (26) que o valor mobilizado para o combate aos incêndios na Amazônia é de US$ 20 milhões (cerca de R$ 82 milhões).

O anúncio se trata de uma correção da quantia inicialmente divulgada pelo presidente da França, Emmanuel Macron, que havia dito que os membros doariam 20 milhões de euros — e não dólares — para a luta contra as queimadas. Se liberado em euros, o valor equivaleria a cerca de R$ 91 milhões.

Plano para países afetados

A medida compõe a primeira etapa de um plano em parceria com os países afetados para que essa região disponha dos meios necessários “agora que mais necessita”, disse Macron, em entrevista coletiva ao lado do presidente do Chile, Sebastián Piñera.

Além disso, Macron afirmou que a França oferecerá meios militares para as tarefas de controle do incêndio.

“No próximo mês, construiremos uma iniciativa para a Amazônia que será apresentada oficialmente na Assembleia Geral da ONU com todos os países da região”, manifestou.

Já Piñera se declarou “muito contente” pelo acordo com as democracias mais industrializadas e com os países amazônicos para o combate aos incêndios e lembrou que agora é muito necessário o reforço de cooperação pela Amazônia.

A segunda etapa, diante da Assembleia Geral da ONU, contará com a colaboração do Chile para iniciar o processo de reflorestamento, “respeitando a soberania, mas cooperando para cuidar melhor” da biodiversidade”, comentou Piñera.

R7, com EFE

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cade as respostas disse:

    Vou repetir as perguntas pertinentes que Renan fez nesse site, ele postou:
    VAMOS AOS FATOS:
    Informações OFICIAIS começam a ser divulgadas, pois até o final do ano de 2016, eram proibidas, escondidas, ignoradas, manipuladas.
    Dados do INPE revelam que a Amazônia teve 125 mil quilômetros quadrados desmatados nos 8 anos do governo Lula.
    O recorde foi em 2004, quando o INPE registrou em apenas um ano desmatamento de 27,7 mil quilômetros quadrados, equivalente ao Estado de Alagoas, SEM QUE TENHAMOS OUVIDO PROTESTOS DE ONGs ou líderes europeus.
    O Instituto Imazon diz que nos últimos 12 meses foram desmatados 05 mil km2, ou seja, 66% a MENOS que a média anual do governo Lula.
    Qual a fonte? Consultem os sites, blogs, está na mídia.
    Estão entendendo que a mídia paga fez? Omitiu os fatos, não revelou os acontecimentos, afinal eram agraciadas com os repasses milionários dos recursos públicos e ficavam omissas, caladas e indiferentes ao que acontecia na Amazônia.
    Não vi ninguém contestar, pois a situação da Amazônia era de "venda territorial" do Brasil, tudo nas mãos das ONGs, muitas estrangeiras, que apenas exploravam o solo brasileiro sem repor -1 árvore. Se estivessem repondo a vegetação, não existiria tanto desmatamento.

    • Said disse:

      Parabéns pela postagem, é isso mesmo onde rola dinheiro fácil rola sacanagem,vamos mudar essa triste realidade.

Motociclistas do RN deverão pagar apenas 50% do valor que é cobrado em estacionamentos particulares; lei entra em vigor nesta quinta

Foto: Ilustrativa

A partir desta quinta-feira(21) motociclistas de todo o Rio Grande do Norte deverão pagar, agora, apenas 50% do valor que é cobrado de motoristas de carro em estacionamentos particulares. A lei estadual proposta na Assembleia Legislativa pelo deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB) e sancionada em dezembro pelo então governador Robinson Faria vale para as tarifas de estacionamentos privados de shoppings, centros comerciais, supermercados, hospitais, clínicas, rodoviárias, aeroportos e estabelecimentos semelhantes.

Segundo a lei, os valores das tarifas deverão estar afixados na entrada dos estacionamentos e nos locais de pagamento. As autoridades poderão aplicar penalidades aos fornecedores do serviço que infringirem as novas disposições, obedecendo as seguintes regras: notificação para regularização em 15 dias; multa de R$ 3 mil após esse período; dobro da multa após 30 dias; e, em seguida, cassação do alvará de funcionamento.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Barbosa Santos disse:

    Admiro essa teimosia dos legisladores em tratar desse tipo de assunto. Não foram só três vezes que o TJRN disse que leis assim são inconstitucionais porque tratam de Direito Civil e esse tipo de matéria é privativa da União.
    Mas o importante é passar a imagem de "bom moço", de "preocupado" e com isso ganhar uns votinhos.
    Defendo a muito tempo que lei julgada inconstitucional deveria obrigar a quem a aprovou ao pagamento de multa. Num instante parava essa brincadeira.

    • Ricardo Arias disse:

      O RN precisa se manter no topo do ranking. É o Estado que teve mais leis declaradas inconstitucional.

‘Valor’: fiscais e MPT vão ignorar mudança na CLT

Apesar da alta expectativa com relação à entrada em vigor da reforma trabalhista, no dia 11 de novembro, as empresas poderão continuar a ser fiscalizadas, autuadas e sofrer novas ações civis públicas por práticas que estão previstas na Lei nº 13.467/2017. Depois dos juízes, fiscais do trabalho e procuradores do Ministério Público do Trabalho (MPT) declararam que não devem aplicar os principais pontos da reforma com o argumento de que há violação a princípios constitucionais, a outras leis trabalhistas e normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Entre os aspectos que poderão ser desconsiderados nas fiscalizações estão a predominância do negociado sobre o legislado, a terceirização ampla, o não reconhecimento de vínculo empregatício de trabalhadores autônomos, a contratação de trabalho intermitente para qualquer setor, a limitação de valores de indenização por danos morais e a possibilidade de se estabelecer a jornada de 12 horas de trabalho por 36 de descanso por acordo individual.

O posicionamento do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), da Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT) e da Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra) está previsto em 125 enunciados, editados em conjunto durante a 2ª Jornada de Direito Material e Processual do Trabalho, que ocorreu na semana passada, em Brasília.

O auditor fiscal do trabalho e representante do Sinait, Alex Myller, afirma que se deve harmonizar as previsões da reforma com a Constituição, com as outras disposições da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e tratados internacionais. “Podemos preservar o que for possível da reforma, mas não posso ir contra o que diz a Constituição. Senão estaria prevaricando”, diz. O sindicato levou 20 teses para discussão no evento e 18 delas foram aprovadas.

Entre os textos que Myller afirma ter participado da elaboração está o que trata do não reconhecimento de vínculo empregatício do empregado autônomo. “Temos que pensar no princípio da primazia da realidade e a própria Constituição diz que a relação de emprego é um direito dos trabalhadores. Por isso, quando a prestação de serviços é continua e exclusiva, tem que ser tradicionalmente considerada relação de emprego”, diz.

Segundo os organizadores do evento, participaram cerca de 600 pessoas na 2ª Jornada de Direito Material e Processual do Trabalho. Entre elas, aproximadamente 30 procuradores do MPT, 70 fiscais, 350 juízes e 120 advogados.

Diante do furor que a aprovação da reforma causou no meio jurídico, o evento foi recorde de público. Reuniu o dobro de participantes registrados na 1ª Jornada de Direito Material e Processual do Trabalho, ocorrida em 2007, quando foram levantados enunciados sobre a legislação trabalhista como um todo, segundo o presidente da Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra), Guilherme Guimarães Feliciano.

Os enunciados ainda consideraram inconstitucionais as previsões que tratam da cobrança dos valores de perícia e de honorários de sucumbência – pagos ao advogado da parte contrária com relação aos pedidos negados ao trabalhador. Também entenderam pela não aplicação da limitação mais restrita à assistência judiciária gratuita.

Para o presidente da Anamatra, não se trata de “um jogo de resistência ao aplicar a lei”. Segundo o magistrado, “se a lei fosse bem redigida, não haveria uma busca tão grande para interpretá-la. Agora o Poder Judiciário tem que fazer o seu trabalho de interpretar as normas de forma coerente com a Constituição.”

Com relação à terceirização, foi aprovada tese de que ela não se aplica à administração pública direta e indireta, restringindo-se às empresas privadas. Outro enunciado prevê que os empregados das empresas terceirizadas devem ter direito a receber o mesmo salário dos empregados das tomadoras de serviços, bem como usufruir de iguais serviços de alimentação e atendimento ambulatorial.

Ainda em outro texto, houve a proibição da prática da terceirização na atividade-fim (principal) das empresas. “A terceirização, ao nosso ver, só pode ser usada para atividades que são especializadas sem que signifique precarização do trabalho”, diz Feliciano.

A vice-coordenadora nacional de Combate às Fraudes nas Relações de Trabalho (Conafret), procuradora do trabalho Vanessa Patriota da Fonseca, afirma que o órgão apontou diversas inconstitucionalidades desde a tramitação do projeto de lei. “Sancionada a lei, cabe ao MPT, responsável pela defesa da ordem jurídica, atuar na interpretação de acordo com a Constituição”, diz.

A prevalência do negociado sobre o legislado, prevista na reforma, por exemplo, deverá ser relativizada. Para a procuradora, o artigo 7º da Constituição não foi revogado e estabelece os direitos dos trabalhadores e somente poderão ser admitidos negociados que sejam mais benéficos aos funcionários. De acordo com ela, os procuradores podem declarar a a inconstitucionalidade da lei incidentalmente, no bojo da ação civil pública, como prevê a própria Constituição. E assim, não aplicar dispositivos previstos na reforma.

A postura de magistrados, auditores fiscais do trabalho e procuradores do MPT é criticada pelo presidente do Conselho de Relações do Trabalho da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Alexandre Furlan. Ele afirma acreditar ser o pensamento da minoria. “Deve atrasar ainda mais o país, ao fazer um debate ideológico, baseado no que eles chamam de justiça social, sem fazer a aplicação da lei”, diz. Para Furlan, os juízes devem ser mais pragmáticos e adotar o que está previsto na legislação que modernizou as relações de trabalho.

O que tem ocorrido, na opinião de Furlan, é uma espécie de embate entre o Judiciário e o Legislativo. De acordo com ele, o Legislativo teria elaborado a reforma contrariando a jurisprudência da Justiça do Trabalho e, agora, o Judiciário afirma que não vai aplicar a lei. “O próximo passo seria pedir o fim da Justiça do Trabalho. Eu não quero o fim. Mas o trabalhador e o empresário que geram riqueza no país estão assistindo de fora essa discussão, que só atrapalha o crescimento da economia”, diz.

O advogado trabalhista e presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação e Tecelagem do Estado de São Paulo (Sinditêxtil-SP), Luiz Arthur Pacheco, afirma que a lei foi aprovada, seguindo todos os trâmites legais, foi sancionada e agora tem que ser aplicada. “As empresas não esperam nada diferente disso. Não se pode criar um viés corporativista em detrimento da visão jurídica.”

Globo, via Valor

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo martins disse:

    País nenhum no mundo tem um Judiciário tão agigantado e fragmentado, como o do Brasil. Portanto, que venha logo a extinção sumária e irrevogável, não somente da Justiça do Trabalho, mas também de toda a chamada Justiça Especializada – composta ainda pelas intencionalmente absurdas "justiças" Eleitoral, Militar e a Desportiva (!).
    A Justiça Federal e seus juizados especiais têm condições assaz suficientes de agregar todo esse farto penduricalho. Aliás, é para isso que serve a decantada "estabilidade funcional" – aliada ao direito de greve – do eficientíssimo, produtivo e veloz serviço público brasileiro.
    Para quem ainda não sabe, a Justiça do Trabalho tem 30 mil servidores, custa R$ 17 bilhões por ano (2016) e paga R$ 8 bilhões em condenações (2017). Ou seja, custa muito mais do que consegue transferir como realização de sua "justiça". Pronto. Agora pode rir.

  2. Waldemir disse:

    Tem que acabar com essa INjustiça do trabalho
    E o MPT já deveria ser extinto

  3. Augusto disse:

    Ora, se realmente há violação a princípios constitucionais, que entrem com uma ação no STF. Simples assim. Mas deixar de cumprir a Lei?! Não me parece correto.

  4. Bruno disse:

    Engraçado os comentários, parece até um bando de coxinhas conversando… Pra eles, justiça má é justiça que protege o desvalido.

    • Rômulo disse:

      Acho que só tem empresário escravocrata por aqui comentando. Ninguém deve trabalhar de fato. Certamente os comentaristas contrários à Justiça do Trabalho nunca levaram calote de salário de empresário escroto!

  5. Jv disse:

    Vivemos numa anarquia? As leis não serão obedecidas e nem obserdas pelos juízes. Eu achava que aos juízes cabia aplicar as leis, mas parece que eles também querem fazer as leis

  6. Xavier disse:

    Tem que acabar com essa justiça do trabalho

    Funciona nos outros países mas garanto que não é cara como aqui

    Bando de Marajá

    • Waldemir disse:

      Engano seu Xavier
      Só existe a justiça do trabalho aqui no Brasil em nenhum outro lugar do universo existe isso

    • Souza disse:

      Existe em vários países desenvolvidos sim.

  7. José neto disse:

    Em se tratando de Brasil, nada me surpreende

  8. Igor disse:

    Justiça do Trabalho gasta 22 bilhões por ano, enquanto toda a justiça Federal americana gasta 21 bilhões, tem que acabar com esses marajás da justiça do não trabalho, só assim o país irá para frente, há tem outras também, justiça eleitoral e por aí vai.

Na bolsa, Brasil vale menos que o Google

GoogleLogoPor Vera Magalhães, do Radar Online:Somadas, as empresas brasileiras listadas na Bovespa encerraram 2015 valendo menos do que o Google.

Segundo levantamento da consultoria Economática, ao fim do ano passado, o valor de mercado do gigante de buscas era de 528 bilhões de dólares, contra 463 bilhões de dólares da bolsa brasileira.

A queda na capitalização da bolsa foi de expressivos 41,9%. Entre os pares latinoamericanos, ficou atrás apenas da Colômbia, cujo valor das empresas listadas recuou 42,5%.

Com o desempenho, o mercado brasileiro vem perdendo relevância na América Latina. Em 2014, a capitalização das empresas brasileiras representava 42,6%, fatia que caiu a 36,2% em 2015, praticamente empatando o México, que hoje representa 34,16% do valor de mercado das companhais listadas na região.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. E pra acabar mesmo disse:

    Daqui a pouco o Brasil vai valer menos que 1KG de mortandela e tudo isso graças a Lula e Dilma

  2. Observador disse:

    O " valor real" do Brasil sempre foi manipulado pelos petralhas fronteiriços.

Preço da gasolina vai subir até o fim do ano, diz ministro da Fazenda, Guido Mantega

A gasolina vai ficar mais cara ainda este ano, afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Em entrevista ao G1, Mantega, que também é presidente do Conselho de Administração da Petrobras, disse também que o governo decidiu “sacrificar” o chamado “superávit primário” – que é a economia feita para pagar juros da dívida pública – em prol de gastos com investimentos, saúde e educação.

“Quem resolve o preço da gasolina é a Petrobras. Temos uma certa regularidade. Nos últimos anos, sempre teve aumento. Um ou dois. É um setor privilegiado. A maioria dos segmentos teve reajuste de preços uma vez por ano, e não duas vezes por ano. Ano passado [a gasolina] teve dois aumentos. Então, esse ano não será diferente. Vai ter aumento. Ano passado teve aumento em novembro. Quando houver a decisão, haverá um aumento. Não cabe a mim decidir isso”, disse Mantega ao G1.

No ano passado, houve dois reajustes nos preços da gasolina. O primeiro aconteceu em janeiro, quando a Petrobras reajustou o diesel em 5,4% e a gasolina, em 6,6%. O último reajuste aconteceu no fim de novembro de 2013 – momento no qual a Petrobras anunciou que os preços da gasolina e do diesel foram reajustados nas refinarias, sendo que a alta foi de 4% para a gasolina e de 8% para o diesel.

Com informações do G1
http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/10/gasolina-vai-subir-ainda-neste-ano-diz-ministro-da-fazenda.html

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vitor disse:

    Nunca visto na história do Brasil. Votem nos Petralhas.

  2. firino disse:

    PT à vergonha da nação nam basta basta fora ptsada

  3. Tiago Dias disse:

    Esses coxinhas precisam se decidir se são contra ou a favor do governo interferir nos preço dos combustíveis.

    BASTA COMPARAR!

    PREÇO DO COMBUSTÍVEL
    Em 1998 = R$ 0,85
    Em 2002 = R$ 2,25
    PSDB = AUMENTO DE 170% em 5 anos (Média de 34% de aumento ao ano)

    Gasolina tem 3° reajuste em 35 dias (Folha, 4 de abril de 2002) http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u45090.shtml

    Em 2003 = R$ 2,25
    Em 2013 = R$ 2,90
    PT = AUMENTO DE 29% em 10 anos (Média de 2,9% de aumento ao ano)

  4. junior disse:

    Esses PTralhas estão só deixando a eleição acabar , vai subir muitooo gasolina , ´luz e água , aguardem …… fora PT

  5. sergio santiago disse:

    Votem no PT !!! isso que vcs ganham

Medida do Governo Federal pode baixar passagem de ônibus em Natal para R$ 2.33

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou que o governo vai adotar medidas para desonerar do PIS e da Cofins as passagens de ônibus, em mais uma das iniciativas para combater a inflação. “Está confirmada sim, a retirada do PIS/Cofins das passagens de ônibus”, disse nesta quinta-feira (23) ao chegar ao Ministério da Fazenda.

O ministro indicou que a redução tributária poderá ser feita por medida provisória, mas não deu detalhes se a decisão incluirá as tarifas de metrô.

Ontem (22), a prefeitura de São Paulo anunciou reajuste de 6,67%, nas tarifas de ônibus, trem e metrô. A partir de 2 junho, o valor da passagem passa de R$ 3 para R$ 3,20. No mês passado, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, já tinha anunciado um reajuste de tarifas para a cidade.

Segundo a Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal(Semob), o valor da tarifa de ônibus em Natal, caso seja ofializado a medida federal, poderá cair para R$ 2.33, sete centavos a menos que o valor atual, de R$ 2.40.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. eliana torres disse:

    onde ele vai encontra moedas para o troco ele que é APARECER sete centavos?

  2. Carlo Cyprus disse:

    Me pergunto o motivo de não arredondarem o valor para R$ 2,30, e logo vem a resposta óbvia: os espertalhões vão me comer 5 centavos a mais, a menos que exijamos os 2 centavos de troco correndo o risco de receber "cara feia" e zombaria de motoristas e cobradores.

Turnê de Madonna no Brasil terá ingressos entre R$ 120 e R$ 850

A turnê brasileira de Madonna vai passar por Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre em dezembro, confimaram nesta segunda-feira (16) os produtores e o patrocinador do show. Em coletiva de imprensa realizada simultaneamente na internet e nas capitais gaúcha e paulista, foram confirmadas as datas das apresentações e do início das vendas de ingressos, além dos valores das entradas e locais.

O primeiro show será no dia 1º de dezembro, no Parque dos Atletas (local do Rock in Rio do ano passado), no Rio de Janeiro, com ingressos entre R$ 200 e R$ 850 (90 mil lugares). Em seguida, a popstar vai para São Paulo, onde canta no dia 4, no Morumbi, com entradas que vão de R$ 170 a R$ 850 (70 mil lugares). Por fim, encerra a turnê no dia 9, no estádio Olímpico, em Porto Alegre, com ingressos de R$ 120 a R$ 800 (43 mil lugares).

As vendas começam na próxima segunda-feira (23), em São Paulo e Porto Alegre, com dois dias de pré-venda para clientes Ourocard. No Rio, as vendas começam apenas no dia 2 de maio. Se a procura foi muito grande, é possível, segundo a produção, a possibilidade da marcação de shows extras.

A nova turnê promove o álbum “MDNA”, lançado há três semanas, e começa em Tel Aviv, em Israel, no dia 29 de maio. Esta é a terceira vez passagem da cantora pelo Brasil. A primeira foi em 1993, com a turnê “The girlie show”. A segunda foi em 2008, com “Sticky & sweet”.

Serviço:

Rio de Janeiro
1º de dezembro, no Parque dos Atletas
Pré-venda para clientes Ourocard: 2 e 3 de maio
Venda para o público em geral: a partir de 4 de maio
Internet: Tickets for Fun: a partir das 10h
Telefone: 4003-5588 (para todo o país), a partir das 10h
Pontos de venda: (veja a lista aqui), a partir das 10h
Bilheteria oficial (sem cobrança de taxa de conveniência): Engenhão, a partir das 10h
Setor laranja: R$ 200
Pista: R$ 360
Pista premium: R$ 850

São Paulo
4 de dezembro, no Morumbi
Pré-venda para clientes Ourocard: 23 e 24 de abril
Venda para o público em geral: a partir de 25 de abril
Internet: Tickets for Fun, a partir de oh
Telefone: 4003-5588 (para todo o país), a partir das 9h
Pontos de venda: (veja a lista aqui) a partir das 10h
Bilheteria oficial (sem cobrança de taxa de conveniência): Credicard Hall, a partir das 10h
Arquibancada laranja: R$ 170
Arquibancada azul e vermelha: R$ 280
Arquibancada especial: R$ 300
Pista: R$ 360
Inferior A e B: R$ 400
Superior 1 2 3 e 4: R$ 500
Pista premium: R$ 850

Porto Alegre
9 de dezembro, no estádio Olímpico
Pré-venda para clientes Ourocard nos dias 24 e 25 de abril
Venda para o público em geral para a partir de 26 de abril
Internet: Tickets for Fun, a partir da meia-noite
Telefone: 4003-5588 (para todo o país), a partir das 9h
Pontos de venda: (veja a lista aqui) a partir das 10h
Bilheteria oficial (sem cobrança de taxa de conveniência): no estádio Olímpico, a partir das 10h
Arquibancada lateral: R$ 120
Arquibancada: R$ 300
Pista: R$ 360
Cadeira superior: R$ 550
Pista premium: R$ 800

*Com informações do G1

Precatórios do TJ: Em apenas 5 processos foram desviados R$ 10 milhões

Apenas cinco dos 7 mil processos investigados no setor de precatórios do Tribunal de Justiça do RN revelaram à polícia um desvio de R$ 10 milhões.

O montante foi constatado pelo delegado de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deicot), Marcos Dayan, que entregou ontem um relatório de inquérito ao Ministério Público Estadual.

O delegado pediu o indiciamento de Carla Ubarana Leal, George Leal, Carlos Eduardo Palhares, Carlos Fasanaro e Claudia Suely Silva por peculato e formação de quadrilha.

Todos foram presos na Operação Judas, por indícios de fraudes no poder judiciário potiguar. Apenas Cláudia foi solta. Outro envolvido na operação, o bancário Pedro Luiz da Silva não teve participação comprovada no esquema, segundo o inquérito.

Marcos Dayan teve à disposição 7 mil processos de precatórios – ordens judiciais de pagamento a quem ganhou ação contra o poder público.

Porém, se restringiu a apenas cinco – segundo ele, os traziam provas concretas de fraudes.

Todos os processos analisados foram pagos entre os anos de 2007 e 2011.

No esquema de fraudes, a ex-chefe da Divisão de Precatórios, Carla Ubarana Leal, centralizava todas as atividades do setor. Somente ela tinha informações sobre os processos, bem como tinha em mãos as Guias de Depósito Judicial.

Estes documentos eram duplicados ou emitidos em nome de pessoas que não eram beneficiados, os “laranjas” do esquema. Ubarana também abriu uma conta judicial no Banco do Brasil onde recebia os recursos desviados das guias duplicadas.

O desfalque de R$ 10 milhões foi encontrado em ordens judiciais de pagamento cujo devedor era o Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

No entanto, Marcos Dayan não quis detalhar que tipos de processos eram, nem de que órgãos públicos eles pertenciam. Os precatórios geralmente são títulos judiciais referentes à uma indenização trabalhista ou correção do valor de uma aposentadoria. “A investigação ainda corre em segredo de justiça. Não posso revelar outros dados”, justificou.

Não existe estimativa para o total de recursos financeiros desviados no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.

Mas já se pode prever que este valor possa se aproximar dos R$ 72 milhões divulgados pelo NOVO JORNAL no último dia 01. Uma fonte ligada ao TJ revelou que era esta a expectativa do desfalque entre os 12 mil processos realizados pela Divisão de Precatórios nos últimos cinco anos.

O inquérito policial foi iniciado no dia 31 de janeiro. E os trabalhos foram fundamentados em análises documentais e depoimentos.

De acordo com Dayan, foram verificados ofícios, agendas e comprovantes de depósitos bancários. Também foram analisados computadores, notebooks e celulares.

Segundo o delegado, o esquema era liderado por Carla Ubarana Leal e pelo esposo dela, George Leal. O casal era auxiliado por três “laranjas”, Carlos Eduardo Palhares, Carlos Fasanaro e Claudia Suely Silva, que forneciam contas bancárias e retiravam o dinheiro desviado.

Fonte: Novo Jornal

Corinhthians é a marca mais valiosa do futebol brasileiro

O Corinthians é o clube com a marca mais valiosa do Brasil. A pesquisa foi feita pela consultoria BDO RCS, que publica anualmente um estudo avaliando as marcas dos maiores clubes de futebol brasileiro.

Os clubes que mais cresceram em valor gerado para as suas marcas entre 2004 e 2011 foram: Corinthians com evolução de R$ 581 milhões, Flamengo R$ 366,7 milhões, São Paulo R$ 324,3 milhões, Palmeiras R$ 244,5 milhões, Internacional R$ 195,7 milhões e Grêmio R$ 157,4 milhões. Esses seis clubes foram responsáveis por 79% dos R$ 2,3 bilhões de evolução do valor de marca registrado pelos maiores clubes brasileiros entre 2004 e 2011.

 

O método de trabalho na escolha e análise dos clubes foi à mesma das outras edições, com a utilização de dados financeiros, sondagens junto dos adeptos, informações de marketing de cada clube e dados econômicos e sociais dos brasileiros.

A liderança do ranking das marcas mais valiosas do futebol brasileiro apresentou alterações nesses últimos anos. O Corinthians, que figurou em segundo no ranking de 2009 e terceiro em 2004, liderou o ranking de 2010 e de 2011.

O Flamengo que foi líder em 2009, e que tinha perdido duas posições e figurou em terceiro no ano passado, ganhou uma posição e ficou na segunda posição nesse ano. Já o São Paulo que estava em terceiro lugar em 2009 e liderou o ranking em 2004 e tinha assumido a segunda posição no ano passado, caiu para a terceira posição em 2011.

 

OS CLUBES BRASILEIROS COM AS MARCAS MAIS VALIOSAS (valores em R$ milhões)

Pos 2011 Valor Var % 2010 Valor
1 Corinthians R$ 867,0 16% Corinthians R$ 749,0
2 Flamengo (+1) R$ 689,5 10% São Paulo R$ 659,8
3 São Paulo (-1) R$ 664,2 1% Flamengo R$ 625,3
4 Palmeiras R$ 452,9 2% Palmeiras R$ 444,1
5 Internacional R$ 277,9 3% Internacional R$ 268,7
6 Santos (+2) R$ 227,9 49% Grêmio R$ 222,8
7 Grêmio (-1) R$ 224,6 1% Vasco da Gama R$ 156,5
8 Vasco da Gama (-1) R$ 162,5 8% Santos R$ 153,3
9 Cruzeiro R$ 151,3 8% Cruzeiro R$ 139,6
10 Atlético Mineiro R$ 150,5 36% Atlético Mineiro R$ 110,3
11 Fluminense R$ 135,7 30% Fluminense R$ 104,2
12 Botafogo R$ 90,7 1% Botafogo R$ 89,9
OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Aougfhe disse:

    essa tabela tá um pouco confusa.

Gol compra Webjet por R$ 96 milhões

Isto É Dinheiro

A empresa aérea Gol confirmou a compra da Webjet, segundo comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O valor da aquisição, sujeito a reajustes, foi de R$ 96 milhões. A companhia adquirida foi avaliada em R$ 31o milhões. No entanto, o valor de compra foi  reduzido por conta das dívidas da empresa.

Fundada em 2007, Webjet passou a ser controlada pela GJP Participações, holding comandada por Guilherme Paulus, acionista da CVC Turismo e proprietário da GJP Hotéis e Resorts.

Dois anos depois, a empresa decidiu adotar o modelo de negócios que o setor de aviação chama de “low cost, low fare”, com tarifas a preços competitivos.É o mesmo posicionamento de mercado adotado pela Gol desde sua fundação.

A Webjet possui 24 aeronaves  Boeing 737, opera em 16 cidades do País e realiza mais de 1.000 voos semanais. Desde sua criação, ela já transportou mais de 11 milhões de passageiros.

Em agosto do ano passado, a TAM, principal concorrente da Gol, fechou um acordo de fusão com a chilena Lan, dando origem ao grupo Latam Airlines. O negócio criou o maior conglomerado de aviação da América do Sul e o 15o do setor no mundo com uma receita anual de US$ 8,5 bilhões.

A Gol chegou a ultrapassar a TAM e assumir a liderança no mercado doméstico em abril deste ano, quando alcançou 40% de participação no Brasil. Em maio, no entanto, ela acabou superada novamente pela concorrente, que ficou com 44% de participação, contra 35% da Gol.

Do Blog: Vamos nos preparando que até o biscoito no serviço de bordo vai acabar. Esse junção é muito prejudicial aos consumidores, mais do que nunca ficaremos dependente da TAM e GOL. Duas………….

Merchandising no CQC pode custar mais de R$ 2 milhões

Folha de São Paulo:

Enquanto a mídia repercute a polêmica em torno das piadas de Danilo Gentili no Twitter (sobre judeus, metrô e Auschwitz) e de Rafinha Bastos no seu solo de “stand-up” (sobre estupro e mulheres feias), a receita publicitária do programa que os projetou, o “CQC” (Band), não para de crescer.

Quem quiser desembolsar de R$ 360 mil a R$ 2,4 milhões (preço de tabela) por uma das ações de merchandising do programa terá de enfrentar uma fila de até seis meses, a depender de que algum dos 12 anunciantes atuais abra mão da vaga.

Já para anunciar nos intervalos, o custo é de R$ 108 mil (preço de tabela) por uma propaganda de 30 segundos.

Para um programa que vai ao ar na segunda à noite e tem audiência média de seis pontos no ibope, o valor é considerado alto. Cada ponto equivale a 58 mil domicílios na Grande São Paulo.

Uma propaganda de 30 segundos no “Pânico” (Rede TV!), que é exibido aos domingos, dia considerado mais nobre, com dez pontos de audiência, sai por R$ 179 mil (preço de tabela).

(mais…)