Novo medicamento fitoterápico para aplicação tópica na pele é a mais nova descoberta científica de inovação desenvolvido dentro da UFRN

Foto: Reprodução

Um novo medicamento fitoterápico para aplicação tópica na pele, na forma de hidrogel, é a mais nova descoberta científica de inovação desenvolvido dentro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A substância tem na planta Aloe vera – conhecida como babosa – o principal elemento, haja vista as propriedades terapêuticas cicatrizantes e anti-inflamatórias da planta.

Um dos cientistas envolvidos no estudo, Túlio Flávio Accioly de Lima e Moura explica que o medicamento foi desenvolvido para pacientes com psoríase, enfermidade que acomete mais de 5 milhões de brasileiros, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia. De acordo com a mesma organização, a estimativa é que de 1 a 3% da população mundial apresente a doença, ou seja, mais de 125 milhões de pessoas.

“A babosa é uma planta de uso milenar muito utilizada na indústria cosmética, alimentícia e farmacêutica. Atualmente, consta da lista de medicamentos do componente básico da assistência farmacêutica da Relação Nacional de Medicamentos (Rename) no âmbito do SUS, na forma farmacêutica gel ou creme que possuam na sua composição o gel fresco da planta. Contudo, atualmente não há medicamentos fitoterápicos de Aloe vera registrados na ANVISA e, consequentemente, não há produtos disponíveis no mercado nacional”, frisou o professor do Departamento de Farmácia da UFRN.

Foto: Divulgação

Ao lado de Silvana Teresa Lacerda Jales, docente da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Túlio Moura realizou o pedido de patente da nova medicação, sob o título “Método de produção de hidrogel de babosa e carbopol para tratamento de psoríase”, a partir de pesquisa oriunda do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Inovação Tecnológica em Medicamentos, doutorado em associação entre a UFRN, UFPB, Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFPE).

Silvana Jales pontuou que o fato do hidrogel utilizar a babosa é um diferencial, pois a planta já possui monografia na Farmacopeia Brasileira, faz parte da lista de Denominação Comum Brasileira (DCB) e está inserida no mercado de fornecimento ao SUS, sendo esta umas das vantagens de registro junto a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Com relação à produção propriamente dita do hidrogel, os pesquisadores colocam o Nuplam como um dos possíveis responsáveis, já que é um laboratório oficial que possui instalações fabris adequadas às boas práticas de fabricação, faz parte da Associação dos Laboratórios Oficiais do Brasil (Alfob) e pertence à UFRN, instituição cotitular do invento junto com a UFPB.

Para o diretor da Agência de Inovação (AGIR), Daniel de Lima Pontes, este depósito de pedido de patente é um exemplo de criação de produtos e processos que ajudam no desenvolvimento econômico do país e regional. “É também uma espécie de utilização dos resultados encontrados nas pesquisas científicas que geram produtos que atendem à demanda de um mercado específico, um mercado grande. Na UFRN, temos uma vitrine tecnológica com mais de 200 pedidos de patente que podem ser fruto de parcerias publico-privadas, por exemplo, na qual os investidores podem ter vários benefícios ao associar-se à universidade, como o know-how e a expertise que nós detemos em vários âmbitos”, afirmou Daniel Pontes.

Foto: Divulgação

Os pedidos de patentes e as concessões já realizadas podem ser acessadas através do endereço www.agir.ufrn.br, mesmo local em que os interessados obtem informações a respeito do processo de licenciamento. O diretor da AGIR esclareceu que, mesmo durante a pandemia, a Agência está realizando atendimento e dando andamento aos depósitos de pedido de patente.

Agir/UFRN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Deixa o JB dar essa notícia para ver se não acaba com os benefícios da babosa, ela irá se tornar tóxica , venenosa e até matar o ser humano. Kkkkkkk

  2. Vicente de o. Neto disse:

    Excelente notícia!!!!,sofro de psoríase a 10 anos, e não existe um remédio eficiente. Uma nova esperança. Amém!!!.

  3. Vicente de o. Neto disse:

    Parabéns a UFRN, sofro de psoríase a 10 anos, e não existe um remédio eficiente. Uma nova esperança. Amém!!!.

  4. Alessandro disse:

    Grande descoberta, sabia disso desde que tinha 8 anos( hoje tenho 49). Rsrs

  5. Cigano Lulu disse:

    Quer dizer que babosa agora virou inovação? Ou seja, virou patente de pesquisador preguiçoso, né? Faz parte da farmacopeia popular desde que eu era criança! Minha égua Adelaide, que tem o útero baixo, até recentemente se automedicava com babosa.

  6. Pedro Henrique disse:

    Mas, segundo o Weintraub – Sinistro da Deseducação – é plantação de maconha e produção de droga sintética que produzem nas UF´s! VIVA A UFRN! Viva a Universidade Pública Brasileira!

    • Chibatazil disse:

      Pedro! Oh, pedrinho, acorda, jovem! A babosa é conhecida da medicina popular com todas essas propriedades há décadas, não há inovação ou novidade alguma nessa pesquisa aí. Se liga, filhote!!!

NOVOS PADRÕES DO DOCUMENTO: Governo prorroga prazo para aplicação da nova carteira de identidade

Foto: Divulgação/TSE

O governo prorrogou para março de 2021 a obrigatoriedade na adoção do novo modelo de carteira de identidade. É a segunda vez que o governo prorroga o prazo. O prazo anterior era março desde ano e o prazo original, do decreto 9.278/2018, era março de 2019. A prorrogação foi publicada hoje (28) no Diário Oficial da União.

Assim, os órgãos de identificação têm mais um ano para se adequar aos padrões da nova carteira de identidade. O novo modelo traz dispositivos para aumentar a segurança contra a falsificação e contém mais informações, como registros do título de eleitor, numeração da Carteira de Trabalho e Previdência Social, certificado militar, Carteira Nacional de Habilitação, documento de identidade profissional, carteira nacional de saúde e números de NIS/PIS/Pasep. Também poderá ser incluído o nome social sem a necessidade de alteração no registro civil.

Outra novidade é que poderão constar, no novo RG, indicativos para pessoas com necessidades especiais e códigos referentes ao Código Internacional de Doenças (CID). Todas as informações são facultativas, ou seja, cada cidadão poderá optar por incluir os registros complementares que julgar necessários.

Agência Brasil

Detran retoma aplicação de provas teóricas online em Parnamirim

Foto: Divulgação

A partir desta segunda-feira (20), a população de Parnamirim pode utilizar o sistema online de provas teóricas de direção veicular do Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran). O sistema online de monitoramento foi instalado numa sala específica na unidade do Detran localizada na Central do Cidadão do município.

Com a prova online, o candidato saberá se foi ou não aprovado logo após o término da avaliação. O exame é a primeira etapa após a conclusão do curso teórico realizado pelo usuário nos centros de formação de condutores. As provas passam a ser aplicadas de segunda a sexta-feira, no horário das 7h às 13h.

Os candidatos à CNH passam agora a fazer a avaliação teórica numa sala específica monitorada por sistema de câmeras, onde são utilizados computadores individuais que exibem a prova de conhecimento teórico versando sobre legislação e prática correta de conduzir veículo no trânsito. Os procedimentos de realização da prova são simples e o usuário precisa apenas utilizar o mouse para selecionar a resposta correta de cada questão.

O candidato ao clicar no botão que finaliza a prova, já tem acesso automaticamente ao resultado da avaliação, como também os dados são lançados no Registro Nacional de Carteira de Habilitação (Renach) e no site do Detran, no espaço com informações específicas do usuário.

A partir do resultado positivo do provão, o aluno poderá prosseguir para as aulas práticas de volante. No caso de nota abaixo de 7,0, o aluno é considerado inapto e pode repetir a avaliação após 15 dias, pagando a devida taxa. Na prova constam 30 questões e para ser aprovado o candidato precisa acertar no mínimo 21 perguntas.

Saiba quais vias nas zonas Leste, Sul e Norte de Natal recebem aplicação de asfalto nesta terça

Foto: Divulgação

Nesta terça-feira (29/10), as avenidas Antônio Basílio, em Morro Branco, Amintas Barros, em Lagoa Nova, 09, no Alecrim, e Fronteiras, no Panatis, recebem os serviços da Operação tapa buracos, da Prefeitura do Natal. O destaque é a aplicação de asfalto.

As equipes do setor de Conservação estão com o serviço em trechos dessas vias. “Será um grande trabalho. Fecharemos as partes mais danificadas dessas avenidas. Com isso, daremos melhores condições de tráfego aos locais”, ressaltou o secretário Tomaz Neto, titular da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov).

Ainda nesta terça, as equipes de trabalho estão com manutenção da rede de drenagem nas ruas Elesbão de Macedo, no Nossa Senhora da Apresentação, e Miguel de Cervantes, no loteamento Jardim Progresso e continuam com a manutenção de vias pavimentadas com paralelepípedos nas ruas Tório, em Potilândia, e Simon Bolívar, em Neópolis.

Os serviços desta terça-feira serão finalizados com a manutenção e limpeza da lagoa de captação de Ponta Negra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Breno Nobrega disse:

    E a Av. Miguel Castro, cheia de buracos?

  2. Yusuke urameshi disse:

    Termina na salgado filho.

  3. Luciana Morais Gama disse:

    E a Hermes da Fonseca termina quando (toda faixa sentido Tirol Petrópolis).?? Alô MINISTÉRIO PÚBLICO!!!

TRÂNSITO: Duas das principais vias de Natal, Bernardo Vieira e Xavantes recebem aplicação de asfalto nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira (22), duas das principais vias da cidade, as avenidas Bernardo Vieira, em Lagoa Seca, e Xavantes, na Cidade Satélite, recebem os serviços da Operação tapa buracos, da Prefeitura do Natal, por intermédio da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov). O destaque é a aplicação de asfalto.

De acordo com o secretário Tomaz Neto, titular da Semov, as equipes do setor de Conservação estão com o serviço nas duas vias. “Além dessas duas avenidas, também estamos nas ruas Solange Nunes, em Cidade Nova, Congo, no Nova Natal, e Túlio Fernandes de Melo, em Candelária”, ressaltou o secretário de Obras Públicas.

Ainda nesta segunda-feira, as equipes estão com manutenção de vias pavimentadas com paralelepípedos. “Estamos na rua da Papinha, em Nova Natal, Santa Cristina, no Felipe Camarão e, Av. Nascimento de Castro, em Dix Sept Rosado”, explicou Tomaz Neto.

Os serviços continuam com a manutenção de vias não pavimentadas. “Estamos nas ruas conjunto San Vale, na zona Sul”, informou o secretário Tomaz Neto.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Na Xavantes estão fazendo já faz bem 1 mês. Todo dia andam uns 100 metros de avenida. Daqui pro fim do ano terminam.

  2. Zé Garcez disse:

    E a Hermes da Fonseca / Salgado Filho???

JUDIAÇÃO – TRÂNSITO: Duas das mais movimentadas avenidas de Natal, Antônio Basílio e Felizardo Moura recebem aplicação de asfalto nesta segunda

Nesta segunda-feira (29), duas das principais avenidas da cidade, a Antônio Basílio, em Lagoa Nova, e Felizardo Moura, no Bairro Nordeste, recebem os serviços da Operação tapa buracos, da Prefeitura do Natal, e tocada pela Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semov). O destaque é a aplicação de asfalto.

De acordo com o secretário Tomaz Neto, titular da Semov, as equipes do setor de Conservação estão com o serviço nas duas avenidas. “As duas vias são de intenso fluxo, com destaque para os ônibus do transporte público. Por isso, a manutenção é salutar e fundamental. Fora elas, também estamos com o serviço nas ruas Ulisses Caldas e Mossoró, na Cidade Alta”, ressaltou o secretário de Obras Públicas.

Do Blog: necessário, sim, mas citando apenas o exemplo da Felizardo Moura, famosa pelo trânsito caótico, qualquer tipo de serviço já deixaria o local ainda mais lento – imagine com operação de homens e máquinas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Toni disse:

    Ta de Sacanagem Aplicação de Asfalto Um Tremendo de Um Tampão Que Daqui a Pouco Vira um Buraco Isso e Brincadeira Meu o Locooo!!!

Justiça considera legal aplicação de teste do bafômetro por empresas

Teste do bafômetro: empresa aplica teste em empregados e Justiça julga que prática é legal Foto: Pablo Jacob / Pablo Jacob/11-02-2018

Após ser submetido a um teste do bafômetro durante o trabalho, um caldeireiro de Itabirito (MG) entrou com uma ação por danos morais contra a empresa. Como o teste era aplicado de forma aleatória entre os empregados, no início da jornada, a Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho considerou que a prática não caracteriza ato ilícito passível de reparação.

“O teste foi direcionado a outros empregados, e a escolha do caldeireiro se deu de forma aleatória, ou seja, foi impessoal”, explicou a ministra e relatora Maria Helena Mallmann.

No processo, o funcionário alegou que a prática era uma invasão em sua vida privada e ter sido alvo de piadas entre os colegas. Segundo ele, a obrigatoriedade do teste do bafômetro se restringia aos motoristas profissionais, e não a ele, contratado como caldeireiro. A empresa, então, negou qualquer situação de humilhação, explicando que a medida visa à saúde e à segurança dos empregados e do ambiente de trabalho.

O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (MG) negou o pedido de indenização do caldeireiro por considerar que o ato da empresa pretende evitar a ocorrência de acidentes, não podendo, portanto, ser considerado ílicito.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Seimaisquevc disse:

    Se vier para o RN me lascou

  2. João B disse:

    O cara opera Caldeiras e ainda quer trabalhar mamado, brincadeira.

O TSE ameaça a Lei da Ficha Limpa e a sociedade Brasileira de corruptos

O Blog reproduz reportagem da Isto É desta semana, a Lei da Ficha Limpa foi uma das maiores conquistas da sociedade Brasileira. Não deveria ter “ameaças” nem “arranjos”a mesma. Segue:

Sem fazer barulho, Tribunal Superior Eleitoral libera candidatura de político que teve as contas de sua gestão rejeitadas. A decisão atinge a alma da lei da ficha limpa e cria jurisprudência que pode beneficiar dez mil candidatos barrados.

01.jpg

 

Considerada o caminho mais curto para livrar a política brasileira dos maus gestores e de gente acostumada a se apropriar de dinheiro público, a lei da ficha limpa começou a valer este ano, mas, na semana passada, uma resolução sem muito alarde do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) colocou sua aplicação sob ameaça. O TSE decidiu que o fato de um administrador ter as contas de sua gestão rejeitadas não é motivo para impedi-lo de ser candidato. Os ministros entenderam que a inelegibilidade somente pode ser declarada se houver provas suficientes de que o político teve culpa pelos desvios ou falhas no uso de recursos públicos. A decisão que atingiu a alma de uma das mais populares leis brasileiras foi tomada durante a análise da ação que impugnou a candidatura do vereador de Foz do Iguaçu, Valdir de Souza Maninho, por ordenamento irregular de despesas quando ele era secretário de Esportes do município. O TSE liberou o candidato alegando que o Tribunal de Contas não comprovou sua culpa. O mais paradoxal é que a jurisprudência criada prejudica a execução da ficha limpa no exato momento em que o próprio TSE investe mais de um milhão de reais em campanhas no rádio e na televisão em defesa da lei.

A interpretação abre uma brecha que pode beneficiar cerca de dez mil candidatos barrados com base no artigo da lei que exige a aprovação de contas durante gestões anteriores. “Foi aberto um flanco destrutivo na lei e isso partiu de quem menos se esperava: do próprio tribunal. A decisão dos ministros terá um efeito danoso porque a rejeição de contas é o principal item da norma, é o coração dela”, reclama o juiz eleitoral Marlon Reis, um dos maiores articuladores da lei da ficha limpa. No Rio Grande do Norte, por exemplo, nada menos do que 95% dos candidatos barrados podem se livrar dos processos. “Os ministros dilaceraram o papel e a importância das decisões dos órgãos de controle”, comenta o procurador do Rio Grande do Norte, Carlos Thompson. Em outros Estados, como Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo, as falhas na aplicação de recursos públicos são responsáveis por mais da metade dos pedidos de indeferimentos de candidaturas.

A lista de casos que guardam semelhanças à do verea­dor de Foz do Iguaçu é extensa e inclui especialmente prefeitos que tentam reeleição e ex-prefeitos em busca de um novo mandato. Em todo País, não faltam exemplos de quem agora têm boas chances de obter sucesso nos recursos ou até de inibir ações de opositores que insistam em falar desses processos. O senador Cícero Lucena (PSDB-PB), por exemplo, enfrenta a reação de adversários na disputa pela prefeitura de João Pessoa, que tentam impugnar sua candidatura no TSE com base em duas condenações do Tribunal de Contas da União referentes à gestão na capital paraibana. Problemas semelhantes enfrentam outros integrantes do Congresso Nacional. O deputado federal Oziel Oliveira (PDT-BA) tenta voltar ao comando da pequena Luís Eduardo Magalhães, apesar de ainda responder por irregularidades em um convênio assinado em 2004, quando era prefeito. Mesmo condenado pelo TCU, o deputado federal José Vieira (PR-MA) também disputa a prefeitura de Bacabal.

Um dos entraves à aplicação da lei da ficha limpa é que, ao exigir provas sobre a culpa dos gestores no mau uso de recursos públicos, o TSE entende que caberia aos Tribunais de Contas avançarem nas análises técnicas e nas argumentações jurídicas a ponto de produzirem provas, o que não é uma prerrogativa desses tribunais. Além disso, o TSE provoca insegurança jurídica ao dar argumentos aos políticos ficha suja a recorrer da condenação. Em alguns Estados, esses recursos podem anular completamente os efeitos da ficha limpa, uma vez que quase a totalidade dos pedidos de impugnação foi feita com base em pareceres técnicos de Tribunais de Contas.

Em resposta às reações contrárias, o TSE alega apenas que a exigência de provas mostrando a culpa dos gestores está prevista na própria lei. Para o ministro Arnaldo Versiani, quando a decisão do Tribunal de Contas não menciona a existência de dolo, “merece prevalecer o direito à elegibilidade”. “O problema é que esse argumento não leva em conta o fato de que esses tribunais fazem apenas a análise técnica”, contrapõe o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcanti.

Essa não é a única decisão do TSE comemorada por políticos encurralados pela Justiça. Em junho, os ministros determinaram que a rejeição das prestações de contas de campanhas eleitorais anteriores não é motivo de impugnação de candidaturas. A decisão dividiu a Corte e foi desempatada pelo ministro Dias Toffoli. O próprio Arnaldo Versiani foi criticado por ter definido que a responsabilidade por julgar a legalidade dos gastos dos prefeitos é das Câmaras Municipais e não dos Tribunais de Contas. O ministro ignorou o fato de que esses julgamentos, quando feitos por vereadores, se baseiam em critérios políticos e negociações partidárias. Práticas que, como tantas outras, poderiam ser expurgadas do País, não fossem decisões que colocam em risco os avanços da democracia.

02.jpg

MPF quer cumprimento multa diária de R$ 5 mil contra Município, Estado e União por déficit de leitos de UTI em Mossoró

O Ministério Público Federal em Mossoró ingressou ontem, 22 de março, com um pedido de execução provisória de sentença para que a Justiça Federal obrigue o município de Mossoró, o estado do Rio Grande do Norte e a União a adotar as medidas para garantir o aumento do número de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), na rede pública de saúde da cidade.

A determinação da Justiça Federal deveria ter sido cumprida desde o final de 2010, entretanto, estado, união e município, recorreram da decisão. No pedido de execução, assinado pelo procurador da República Fernando Rocha de Andrade, o MPF ressalta que, apesar dos réus terem recorrido, a sentença deve ser imediatamente cumprida. “O recurso apresentado foi recebido pela Justiça Federal apenas com efeito devolutivo, o que significa que a sentença não foi suspensa e deve ser executada”, destaca o procurador.

Dentre as determinações constantes na sentença, os réus devem promover, em conjunto, a instalação de novas unidades dedicadas aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), observando a quantidade mínima de nove leitos adicionais para adultos, seis de UTI pediátrica e outras seis unidades para atendimento neonatal.

A multa diária para o descumprimento é de R$ 5 mil para cada um dos réus. Além disso, a sentença determina multa diária pessoal ao ministro da Saúde e aos secretários estadual e municipal de saúde.

Morte de paciente

De acordo com informações veiculadas pela imprensa, a falta de uma UTI na rede pública de saúde em Mossoró levou a morte de uma mulher na tarde de ontem, 22 de março. Ela teria sido a segunda vítima somente este ano.

Para o Procurador da República Fernando Rocha de Andrade, “o lamentável episódio apenas reforça a necessidade de atuação urgente da Justiça Federal, obrigando os réus a promover a resolução efetiva do problema na cidade”.

Poupança já rende mais que aplicação de curto prazo

A caderneta de poupança já está mais vantajosa do que os fundos de renda fixa para investimentos de curto prazo. Em aplicações de até seis meses, só os raros fundos com taxa de administração inferior a 0,50% ao ano, rendem mais que a poupança. Entre seis meses e um ano de aplicação, os fundos com taxa superior a 1,50% anuais também perdem para a caderneta.

A maior atratividade da poupança se deu por causa da redução de 0,75 ponto porcentual feita na taxa básica de juro (Selic) na última quarta-feira, o que impacta a rentabilidade dos fundos. Como os fundos têm incidência de Imposto de Renda e taxa de administração, a redução do ganho líquido com a nova Selic (9,75% ao ano), dá vantagem à tradicional caderneta – que é isenta de IR e de outros custos.

Segundo cálculos da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac), quando a Selic chegar a 9% ao ano, a caderneta será mais vantajosa em todas as comparações com os fundos de renda fixa. O cenário deve ser alcançado na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, marcada para dia 18 de abril.

Rogério Bastos, sócio da consultoria FinPlan, esclarece que a rentabilidade da poupança – de 6,17% ao ano mais taxa referencial (TR) – é garantida por lei. “Se o governo não alterar a fórmula que calcula essa rentabilidade, o investidor deve fazer a conta antes de escolher entre renda fixa, ou mesmo outros fundos, e caderneta.”

A maior competitividade da poupança sobre outras aplicações pode provocar saída massiva de investidores dos fundos rumo à poupança. Para Miguel Ribeiro de Oliveira, vice-presidente da Anefac, como há perspectiva de novas quedas na Selic daqui em diante, a alteração das regras da caderneta poderá ser apressada pelo governo. Entre possíveis mudanças, diz Oliveira, está tributar o investimento na caderneta ou atrelar o rendimento da modalidade ao juro (assim como ocorre nos fundos).

Em 2009, com a Selic em 8,75% ao ano, o governo já tentou cobrar imposto sobre poupanças com mais de R$ 50 mil, mas desistiu por pressões políticas e porque a taxa de juros voltou a subir logo depois.

“Dessa vez o governo não tem alternativa. Para manter o equilíbrio do mercado, é importante que a poupança tenha uma nova fórmula de cálculo”, considera o matemático José Dutra Vieira Sobrinho. “Nos próximos 90 dias, no máximo, o governo tem de apresentar um plano”, diz, se referindo ao prazo para os próximos cortes esperados nos juros.

Mesmo com a Selic acima de 10% que vigorou até a última quarta-feira, os fundos que têm como referência o juro e cobram taxa superior a 2% ao ano já estavam em desvantagem, segundo André Oda, professor de Finanças da Fundação Instituto de Administração (FIA).

O que fazer

Embora os cálculos mostrem a vantagem da caderneta sobre os fundos de renda fixa, o investidor deve ter cautela na hora de tomar a decisão de sacar os recursos para colocá-los na poupança. Primeiro porque o cálculo do mercado usa uma média da rentabilidade dos fundos – portanto, alguns podem render mais e outros menos. Além disso, embora seja dada como certa mais uma redução na Selic, ainda não se sabe o rumo do juro, por exemplo, para o ano que vem. “Tem de esperar. Não adianta pular de galho em galho”, diz Fábio Colombo, administrador de investimentos.

Ele comenta também que a diferença porcentual dos ganhos é relativamente pequena – de cerca de 1,5% ao ano. “Para quem tem R$ 10 mil ou R$ 20 mil, esse porcentual não faz muita diferença. Portanto, repito, é melhor ter cautela e esperar.”

Para Colombo, o novo cenário importa mais para quem está iniciando o investimento. “Se a pessoa está com dinheiro e ia aplicar em fundo de renda fixa, recomendo que espere um pouco, para ver o que vai ocorrer”, sugere. “Enquanto espera, deixe os recursos na poupança”, completa o administrador de investimentos.

Fonte: Estadão