Política

Ex-presidente Jacob Zuma, de 79 anos, é preso na África do Sul

Foto: Rogan Ward/Reuters

O ex-presidente da África do Sul, Jacob Zuma, foi preso nesta quarta-feira (7) para cumprir uma sentença de 15 meses de detenção por desacato à Justiça: ele se negou a comparecer a um interrogatório no final de junho. A prisão ocorre mais de três anos após Zuma renunciar ao mandato em meio a acusações de corrupção.

A família de Zuma afirma que ele se entregou voluntariamente para cumprir a sentença. O prazo final para que o ex-presidente se entregasse por conta própria terminou na meia-noite de quarta.

Zuma, de 79 anos, deveria ter começado a cumprir pena ainda no domingo, mas a Justiça do país aceitou ouvir seus argumentos em 12 de julho, e suspendeu a ordem até lá.

De veterano do apartheid a investigado

Zuma era tido como um veterano da luta contra o regime de apartheid. No entanto, desde que ele saiu da presidência, em 2018, foi citado em escândalos. O ex-presidente é acusado de corrupção antes e durante sua gestão. Ele presidiu a África do Sul entre 2009 e 2018. Na presidência, é suspeito de ter permitido que três empresários recebessem dinheiro de forma ilegal do Estado.

Ele só renunciou após ser forçado pelo seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), o mesmo de Nelson Mandela.

Antes disso, quando era vice-presidente do país, acumulou acusações de fraude, corrupção e crime organizado por causa da compra de equipamentos militares de cinco empresas europeias. As negociações ocorreram 1999 em um contrato de US$ 2 bilhões.

Condenação

A condenação de 15 meses de prisão por desacato à Justiça foi decidida após Zuma negar a comparecer a uma comissão anticorrupção no final de junho. O caso deo ex-presidente está sob responsabilidade do Tribunal Constitucional, máximo órgão judicial da África do Sul.

Zuma compareceu apenas uma vez diante da comissão e ignorou várias convocações posteriores. Ele alegava razões médicas ou que estava preparando sua defesa para outros casos.

O ex-líder pediu que a pena seja anulada por ser excessiva e também por expô-lo aos riscos de uma infecção pelo coronavírus. Para ele, a pena é uma declaração política. Ele diz ainda que é vítima de uma caça às bruxas e que a promotoria é enviesada.

G1

Opinião dos leitores

  1. Esses são os heróis do passado, aqui eram guerrilheiros, sequestardores, assaltantes de banco que viraram “heróis” e deu no que deu, corruptos, ladrões do dinheiro público, canalhas que viraram ministros, e presidentes de estatais e até presidente de república..

  2. Deveria ter seguido o exemplo de outro ex presidente que aparelhou uma suprema corte com seus partícipes. Assim garantiu que mesmo condenado, criariam gincanas, desvios jurídicos para soltá-lo e ir mais longe, cancelar as condenações feitas por outros tantos juízes e desembargadores, desmoralizando os outros magistrados. Se tivesse aprendido a lição, estaria livre, leve e fazendo campanha contra seus opositores, mentindo cada vez mais e enganado ainda mais seus seguidores. Não aprendeu, dançou!

  3. Aqui na Banânia, um ex-presidente condenado em 3ª instância, foi solto através de manobras ilegais da suprema corte.

    1. Que manobras ilegais? Ele foi solto porque ficou comprovado os crimes cometidos pelo moro, dallagnol e a turma da lava jato para tirar a Dilma, prender o Lula e tira-lo da eleição, para eleger esse ser inonimável que contribuiu para a morte de milhares de pessoas e que escancarou o Estado para a corrupção como estamos vendo agora. O supremo que foi parceiro de tudo isso, após aparecerem comprovação, escancarada para o mundo, não teve como manter a farsa e volta tudo como antes de 2018 quando o Lula ganharia no primeiro turno, mesmo preso.

    2. Bolsovirus saia da bolha, o mundo que a esquerda criou não é real, tudo nele é falso, fruto de desculpas pela corrupção e derrotas sofridas.
      Soltaram seu ídolo numa imoral decisão sem previsão jurídica anterior, criaram uma anomalia jurídica para beneficiá-lo e ainda tiraram dele a tornozeleira eletrônica de forma injustificável.
      Mas o povo sabe quem ele é, e o que fez, só vocês da esquerda esclerosada continuam defendendo seus corruptos de estimação, mas isso é só 8% do povo brasileiro, por mais pesquisas encomendadas que fabriquem, com apoio da mídia que sofre pela abstinência, falta dos recursos públicos

    3. Não percam tempo com esquerdopatas. Infelizmente, esses elementos são “casos perdidos” seja por seus cérebros já terem sido “abduzidos, seja por simples mal caráter e defesa de interesses escusos. E lembrem que há a militância digital PAGA, sujeitos remunerados para passar o dia inteiro na internet defendendo seu “lado” e seus “donos”.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Juiz absolve ex-presidente Michel Temer e mais cinco em acusação de corrupção no setor dos portos

Foto: André Coelho / Agência O Globo

O juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal do Distrito Federal, absolveu o ex-presidente Michel Temer (MDB) e outras cinco pessoas da acusação de corrupção no setor dos portos, apresentada no fim de 2018 pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Após o emedebista deixar a Presidência, o caso passou a tramitar na primeira instância, e agora teve uma sentença de absolvição sumária.

Também foram absolvidos o ex-deputado Rodrigo da Rocha Loures (MDB), o coronel João Baptista Lima, que era apontado como operador financeiro do ex-presidente, e os empresários Antonio Celso Grecco, Carlos Alberto Costa e Ricardo Mesquita.

A PGR acusava Temer de receber propina em troca da publicação de um decreto portuário, quando exerceu a Presidência, que beneficiou empresas do setor, por meio da prorrogação de contratos de concessão. Em sua sentença, o juiz apontou que a denúncia não trazia provas do pagamento de propina ao ex-presidente.

“O extenso arrazoado apresentado à guisa de acusação, contudo, não indica qual a vantagem recebida pelo agente público nem, tampouco, qual a promessa de vantagem que lhe foi dirigida. Dedica-se, ao invés, a empreender narrativa aludindo a um suposto relacionamento entre Michel Miguel Elias Temer Lulia, Antonio Celso Grecco e Ricardo Conrado Mesquita que teria perdurado por duas décadas. Durante esse período, presumivelmente, teriam sido pagas ‘vantagens indevidas’, tudo isso com vistas à prática de um ato de ofício, a saber, o Decreto nº 9.048/2017, cognominado ‘Decreto dos Portos'”, escreveu o juiz.

A sentença aponta que não faria sentido associar o decreto ao pagamentos de propina anteriores a Temer ter assumido a Presidência.

“A par de serem inverossímeis, os fatos indicados na denúncia não se fizeram acompanhar de elementos mínimos que os confirmassem. Não se apontou quais seriam as vantagens indevidas recebidas ou prometidas; não se indicou como teria se dado esse ajuste entre os Denunciados; não se apontou uma única razão pela qual terceiros iriam despender valores em favor de agente público por um período indefinido de tempo, ausente qualquer indicação de que teria atribuição para a prática do ato de ofício almejado. Essas informações são essenciais a qualquer denúncia que verse sobre o suposto cometimento do crime de corrupção passiva qualificada”, escreveu.

O mesmo juiz já havia absolvido Temer na acusação de que teria dado o aval ao empresário Joesley Batista para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB), baseada em uma gravação feita por Joesley de uma conversa com o então presidente. O diálogo ficou conhecido pela frase proferida pelo emedebista na ocasião: “Tem que manter isso, viu”. O juiz considerou, neste caso, que a gravação não comprovava que Temer praticou um crime.

Em nota, o advogado Fábio Tofic Simantob, que defende Celso Grecco e Ricardo Mesquita, afirmou que a sentença “recoloca os fatos e a Justiça nos seus devidos lugares”. “A decisão reconhece que a denúncia apresentava fatos aleatórios e nenhuma prova de crime cometido pelos empresários, como vínhamos apontando”, disse o advogado.

Os advogados Maurício Silva Leite, Alexandre Sinigallia e Paola Forzenigo, que defendem João Baptista Lima e Carlos Alberto Costa, afirmaram em nota que “as infundadas acusações apresentadas pelo Ministério Público trouxeram inúmeros problemas aos acusados, os quais tiveram suas vidas pessoais e profissionais devastadas. A decisão de absolvição sumária põe fim às descabidas acusações e faz justiça”.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. É preciso mais provas do que o vídeo do Loures com uma mala de dinheiro endereçada ao Temer? Que justiça de merda é essa?

  2. BRASIL! PAÍS DA SACANAGEM, Da CORRUPÇÃO . Da PUTARIA. Vai ser ÓTIMO ter que devolver o dinheiro que os LADRÕES roubaram . Só falta acontecer isso. Devolver e indenizar todos . Já estamos todos lascados , aí vai acabar de VEZ MESMO. Essa PORRA não tem mais Jeito ..

  3. Esse País só teria jeito se fosse redescoberto, o roubo aqui é fácil, só se prende os que não tem como comprar a liberdade, a sociedade está carcomida pelas traças do executivo, legislativo, judiciário e poderosos. Quem resolve afrontar essa realidade corre o risco de ser preso, abrir a boca, Deus nos livre.

    1. Bolsonaro é o Presidente mais honesto que o País já teve. Não rouba e nem deixa roubar. Tem gente que prefere vigarista, cachaceiro, mijado, ladrão, mentiroso…

  4. Nos últimos dias os corruptos estão com tudo, vencendo todos os processos, sendo soltos, tendo provas anuladas, processos anulados… E ainda tem gente que acredita que o MINTOmaníaco acabou com a corrupção… Ela está mais impune que antes!

  5. Estou muito curioso para ver quem vai se revoltar com esta notícia.
    Quero ver quantas manifestações contra a corrupção e pelo fechamento do TRF vai acontecer.
    Afinal, é mesmo contra a CORRUPÇÃO que lutamos, não é mesmo?
    Com a palavra os Patriotas, Revoltados On Line, Militares, Silas Malafaia, etc,, que não suportam a CORRUPÇÃO… Dos outros.

    1. E mesmo viu. Corrupção só é aceita se vier dos políticos amados por esses patetas.
      Cada povo tem o governo e os governantes que merece.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

Ex-presidente do Flamengo e mais 10 viram réus por incêndio do Ninho do Urubu

Foto: Agência Estado

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público (MP-RJ) no último dia 15 listando 11 réus após a conclusão das investigações sobre o incêndio no Ninho do Urubu que matou 10 adolescentes. Entre os acusados está o ex-presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello. A informação foi publicada inicialmente pelo site “Esporte News Mundo” e confirmada pelo ge.

O ofício comunicando o recebimento da denúncia foi expedido pelo juiz titular da 36ª Vara Criminal – onde transcorrerá o processo – Marcelo Laguna Duque Estrada. Os 11 réus responderão por incêndio culposo (sem intenção) qualificado, que terminou em morte (de dez pessoas) e lesão corporal, no caso dos três jovens que sobreviveram. Como não foram denunciados por homicídio, e sim por incêndio culposo, eles não vão a júri popular.

Para estes crimes, na forma culposa, o Código Penal não prevê pena de prisão em regime fechado, apenas detenção em regime aberto ou semi-aberto, que é quando o réu precisa dormir na prisão, mas pode sair durante o dia. As penas podem variar de 1 ano e quatro meses até 6 anos.

Na madrugada de 8 de fevereiro de 2019, as chamas causadas pelo curto-circuito atingiram as instalações onde dormiam os jogadores do Flamengo entre 14 e 17 anos que não tinham residência no Rio. O incêndio causou a morte de 10 jovens: Athila Paixão, de 14 anos; Arthur Vinícius de Barros Silva Freitas, 14 anos; Bernardo Pisetta, 14 anos; Christian Esmério, 15 anos; Gedson Santos, 14 anos; Jorge Eduardo Santos, 15 anos; Pablo Henrique da Silva Matos, 14 anos; Rykelmo de Souza Vianna, 16 anos; Samuel Thomas Rosa, 15 anos; Vitor Isaías, 15 anos.

Três garotos ficaram feridos: Cauan Emanuel Gomes Nunes, 14 anos; Francisco Diogo Bento Alves, 15 anos; Jhonatan Cruz Ventura, 15 anos.

Os 11 réus

Eduardo Bandeira de Mello – ex-presidente do Flamengo

Márcio Garotti – ex-diretor financeiro do Flamengo

Carlos Noval – ex-diretor da base do Flamengo, atual gerente de transição do clube

Luis Felipe Pondé – engenheiro do Flamengo

Marcelo Sá – engenheiro do Flamengo

Marcus Vinicius Medeiros – monitor do Flamengo

Claudia Pereira Rodrigues – NHJ (empresa que forneceu os contêineres)

Weslley Gimenes – NHJ

Danilo da Silva Duarte – NHJ

Fabio Hilário da Silva – NHJ

Edson Colman da Silva – técnico em refrigeração

Blog da Gabriela Moreira – Globo Esporte

 

Opinião dos leitores

  1. Mesmo sendo culposo e a justiça ser muito branda no tocante as penas, 10 vidas se foram, 10 sonhos de se tornarem jogadores profissionais não se concretizaram. No mínimo, a pena deve ser por indivíduo morto e feridos, o que poderia ser transformada em prisão em regime fechado, dado o número de vítimas. A pena informada, é mais uma vergonha pro judiciário brasileiro. Claro que não houve crime doloso, porém, a negligência e o descuido, no mínimo, contribuiram para ceifar a vida desses jovens. Que seja aplicada uma pena na proporção dessas perdas.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Justiça Federal decide pela extradição de Anthony Armstrong, ex-presidente do Alecrim

Foto: Reprodução

O juiz da 14ª Vara Federal no RN, Eduardo Guimarães, decidiu pela extradição do empresário e ex-presidente do Alecrim Futebol Clube, Anthony Armstrong, que responde a acusação de crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro e foi preso nos Emirados Árabes.

Na decisão, o juiz relatou que a denúncia formalizada em março pelo Ministério Público Federal foi aceita e havia sido determinada a prisão preventiva de Armstrong que permaneceu foragido e foi incluído na lista de procurados da INTERPOL.

De acordo com o MPF, o grupo liderado pelo empresário desviou, pelo menos, R$ 75 milhões de reais de quase dois mil investidores, entre 2012 e 2014.

Desde 2014, Anthony era investigado pela Polícia Federal na ‘Operação Godfather’ que apurava crimes de lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, crimes tributários e formação de quadrilha.

Após ser preso no final de outubro nós Emirados Árabes, o MPF requereu o procedimento de extradição para responder ao processo no país.

Leia todos os detalhes aqui em matéria completa no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Super Chibatazil, estou com vc, com relação ao comentário do nosso, Cidadão Indignado. João Macena.

  2. Kkkkkkkk nunca fizeram nada , agora que o vagabundo irá pegar uma verdadeira CADEIA, aparece os inteligentes, trazer o malandrão para ser SOLTO NO BRASIL , aqui é o paraíso de vagabundo e aonde a justiça é conivente , chefão do PCC saiu pela porta da frente, o ministro liberou

  3. Parabéns à honrosa Justiça Federal e ao Ministério Público Federal. Aí está a prova que os Órgãos acusadores e julgadores fazem muito bem à sociedade. Muito decente essa Justiça Federal e o MPF. PARABÉNS!

    1. Ou tu trabalhas em um dos citados órgãos, ou tens parentes e/ou amigos lá, ou, por ultimo, és um babão mesmo. Pelo que custam ao contribuinte, o MPF e a Justiça Federal prestam um serviço bem deficitário, eis a verdade.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

MPRN obtém na Justiça condenação de ex-presidente da Câmara de Guamaré por envolvimento em esquema de corrupção

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) conseguiu, na 2ª Vara da Comarca de Macau, a condenação de Emilson de Borba pelo envolvimento no esquema de desvio de dinheiro público através de fraudes em licitações na Câmara Municipal de Guamaré.

A operação 10º Mandamento, deflagrada pelo MPRN em maio de 2019, também teve o objetivo de apurar crimes contra o patrimônio público no período em que Emilson de Borba esteve à frente da Câmara de Guamaré.

O Juízo da 2ª Vara de Macau condenou o ex-gestor com culpabilidade acentuada. Para o magistrado, o parlamentar “valeu-se da sua posição de chefe do executivo municipal para praticar as condutas, violando, assim, a confiança nele depositada pelos cidadãos de Guamaré/RN e por seus pares, agindo, desta forma, com dolo intenso”. O MPRN apurou que o patrimônio de Emilson de Borba teve uma evolução patrimonial descomunal nos anos entre 2015 e 2017. O patrimônio dele era de R$ 0 em 2015, saltou para R$ 354.517,59 em 2016 e de R$ 348.000,00 em 2017.

Emilson de Borba foi condenado a uma pena definitiva de 06 anos de reclusão 120 dias multa pela prática do crime peculato (art. 312 do Código Penal), e de 02 anos e 11 meses de detenção e 130 dias multa pelo crime de fraude à licitação (art. 90 da Lei nº 8.666/1993)

O delito de peculato (art. 312 do Código Penal) consiste apropriação ou desvio de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, realizado por funcionário público, em proveito próprio ou alheio enquanto que a fraude à licitação compreende a frustração ou fraude do caráter competitivo de procedimento licitatório, mediante auste, combinação ou qualquer outro expediente, com o intuito de obter, para si ou para outrem, vantagem decorrente da adjudicação do objeto da licitação)

Na decisão, o magistrado reconheceu que, em relação ao delito de peculato, ocorreu continuidade delitiva (art. 71 do Código Penal), aumentando a pena base em 1/5, “vez que, embora os desvios fossem decorrentes de uma única causa (contrato administrativo), a conduta ilícita era renovada a cada pagamento feito pelo acusado, havendo, assim, tantos crimes quantos foram os desvios e não apenas um delito único, ocorrido quando da formalização do contrato administrativo”.

Por ter praticado o delito de peculato enquanto exercia a função de Presidente da Câmara, o juízo entendeu pela incidência da causa de aumento de 1/3 prevista no art. 327, §2º do Código Penal.

Em razão das condutas narradas acima, o juízo da 2ª Vara da Comarca de Macau condenou Emilson Borba em danos materiais, no valor de R$ 182.000,00 (cento e oitenta e dois mil reais), referente aos valores percebidos indevidamente, que lesionaram o erário.

Além disso, Emilson Borba também foi condenado em danos morais coletivos, no montante de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais). De acordo com o magistrado, “as condutas praticadas pelo acusado geram um mal estar na comunidade, um prejuízo à moral coletiva dos indivíduos, enquanto cidadãos considerados. Ademais, traz também prejuízos materiais à coletividade, uma vez que as verbas desviadas em favor do condenado e de terceiros as foram em desfavor da sociedade de Guamaré/RN. Ademais, para configuração do dano moral coletivo é desnecessária a comprovação de dor, sofrimento ou abalo psicológico, notadamente porque o ofendido, nestes casos, é a comunidade”.

A condenação trata de crimes cometidos entre 2017 e 2018, período em que Emilson de Borba Cunha, conhecido por “Lula”, era presidente da Câmara Municipal de Guamaré.

Durante as investigações, o MPRN levantou que o grupo agia de forma estruturalmente ordenada com objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagens indevidas derivadas da prática desvios de verbas feitos por meio de contratos com sobrepreço celebrados através de licitações fraudulentas. Sistematicamente, parte do dinheiro público destinado pela Câmara Municipal às empresas acabava indo para as contas bancárias dos chefes do esquema.

Emilson de Borba atuava como mentor intelectual da organização em razão do alto cargo que ocupava. Ele ordenava a produção dos processos licitatórios fraudulentos e a comunicação com os empresários ganhadores das licitações, dispensas ou inexigibilidades fora das hipóteses legais, tendo, em várias oportunidades, sido usado como referência para concretização dos negócios ilegais.

Para cometer os delitos, a organização criminosa, além de ser formada por agentes públicos, era estruturada por “empresários” que criaram empresas “fantasmas”, que não possuíam em seus registros dados sobre funcionários ou veículos. A investigação revelou que a maioria dos “empresários” ganhadores das licitações tinha vínculo afetivo ou familiar com funcionários da Câmara Municipal de Guamaré. Verificou-se, ainda, que parte do dinheiro destinado às empresas era repassado para laranjas que integravam o esquema, como forma de mascarar o real destino do numerário.

O esquema

O MPRN constatou que no ano de 2017 foram feitas 79 contratações, das quais somente 18 foram precedidas de alguma licitação, ou seja, pouco mais de 20%. A maioria dos contratos foi feita a partir de dispensa: 53, que representa 67% do montante total da quantidade de processos licitatórios. As investigações comprovam que as licitações na Câmara Municipal foram feitas de forma esporádica e excepcional, quando deveriam ser a regra para contratação, o que fragiliza os controles públicos.

A partir das fraudes na origem das contratações, ficou demonstrado que várias empresas, cujos proprietários faziam ou fazem parte da organização criminosa, foram constituídas em datas próximas às contratações com o fim único de superfaturamento e desvio de verbas ou bens públicos.

As contratações eram direcionadas a parceiros do grupo de servidores capitaneado pelo então presidente da Câmara e as empresas que, em troca, pagavam propinas aos servidores com dinheiro advindo do sobrepreço dos contratos públicos. A maioria das empresas ganhadoras eram apenas de “fachada”, tendo sido criadas para exclusivamente concorrem e ganharem os certames licitatórios.

MPRN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Morre, aos 71 anos, Edmilson Lima, ex-presidente da Câmara Municipal de Natal

A Câmara Municipal de Natal comunica, com profundo pesar, que a recebeu a informação do falecimento do ex-vereador e ex-presidente do Legislativo natalense, Edmilson Lima, aos 71 anos, ocorrido nesta sexta-feira (24).

Vereador por cinco mandatos, Edmilson Lima foi eleito presidente da Casa na 10ª (1985 – 1986) e 11ª (1991-1992) legislaturas, tendo assumido a Prefeitura de Natal por três vezes. Ao longo da sua vida pública, o parlamentar pautou sua conduta com base na ética e respeito à administração pública.

“Neste momento de luto, a Câmara Municipal de Natal, em nome do seu presidente, Paulinho Freire, e de todos os vereadores e servidores da Casa, se solidariza e presta condolências aos seus familiares e amigos”, diz nota da Casa.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Morre no Recife o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, aos 89 anos

FOTO: Foto: Guga Maia/JC Imagem

Faleceu nesta quarta-feira (15), aos 89 anos, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Severino Cavalcanti (PP).

Ainda não foi divulgada a causa da morte. Ele faleceu na sua residência, em Recife, nesta madrugada.

O velório e o sepultamento devem ocorrer ainda nesta quarta (15), no município de João Alfredo, terra natal de Severino Cavalcanti.

História

Severino Cavalcanti ocupou o cargo de presidente da Câmara dos Deputados entre os meses de fevereiro e setembro de 2005, além de ter sido deputado federal por três mandatos e também eleito sete vezes deputado estadual.

Ele deixa a esposa, Dona Amelia, e três filhos, Zé Mauricio, ex-deputado estadual Ana e Catharina.

Jornal do Commercio

Opinião dos leitores

    1. Mas agora virou santo……não é sempre assim. Morreu, limpa a biografia.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Sarney chega aos 90 anos com festa e autobiografia de 800 páginas

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

José Sarney faz 90 anos no dia 24 de abril e uma série de homenagens estão sendo preparadas para celebrar a data — ele é o mais velho entre os presidentes brasileiros vivos. Depois dele vem Fernando Henrique Cardoso, que completa 89 em junho.

FESTA

O Congresso Nacional fará uma sessão solene. Vai ainda abrigar uma exposição sobre a carreira literária de Sarney, além de exibir um documentário. Ele será homenageado pela Academia Brasileira de Letras e pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça).

ESTANTE

Dois livros devem ser lançados sobre o ex-presidente: “Sarney: 60 anos de Política”, do cientista político americano Ronald M. Schneider, e “A Receita de Sarney: Recessão Não”, do jornalista José Augusto Ribeiro.

MINHA HISTÓRIA

O próprio ex-presidente tem uma autobiografia pronta, de 800 páginas, chamada “Boa noite, Presidente”. Mas ele não publicou. Diz seguir conselho do ex-presidente Ernesto Geisel, segundo o qual ela não pode ser publicada enquanto o biografado está vivo.

SOBRE TUDO

Ele atualmente escreve um livro sobre a política brasileira, “O Brasil no seu Labirinto”, e um romance, “O Solar dos Tarquínios”.

Via MÔNICA BERGAMO

Opinião dos leitores

  1. Enquanto essa família se deu bem.
    Os maranhenses tudo na miséria.
    Acorda povo
    Deixem de serem otários e protejam suas famílias

  2. O melhor livro sobre nosso grande Presidente é, Honoráveis bandidos. Palmério Dória, mostro nos detalhes a vida de crimes do grande cacique do Maranhão.

  3. Com certeza o mais longevo ladrão do País, com isso fica provado que no Brasil o crime compensa.
    Deixou em vida uma família feliz e rica , deixa também uma legião de seguidores de suas práticas desonestas e um País arrasado e viciado.

  4. Entrou na história! Muita gente podia ser milionário na sua gestão. Quem foi dessa época, vai saber do que estou falando…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

STJ concede habeas corpus a ex-presidente paraguaio, amigo de Dario Messer, o doleiro dos doleiros

Santiago Armas | Presidência da República do Equador

O ministro Rogério Schietti, do STJ, concedeu um habeas corpus ao ex-presidente paraguaio Horácio Cartes.

Cartes teve mandado de prisão expedido pela Justiça brasileira há duas semanas e foi um dos alvos da operação Patron, da Lava-Jato fluminense, que investigou núcleos ligados a Dario Messer, o doleiros dos doleiros.

Cartes é acusado de ajudar o doleiro brasileiro a esconder no Paraguai. Mais: teria disponibilizado US$ 500 mil a Messer para ajudá-lo em seus tempos como foragido da Justiça brasileira.

Cartes é também dono de uma fabricante de cigarros no Paraguai. É o maior beneficiário do contrabando do produto para o Brasil. Uma das marcas que fabrica, a Eight, entra clandestinamente aqui e, mesmo assim, detém 16% do mercado — é uma das três marcas mais vendidas do país.

Lauro Jardim – O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PF prende ex-presidente do TJ da Bahia em nova fase de operação

Foto: Reprodução / TJ/Bahia

A Polícia Federal prendeu preventivamente na manhã desta sexta-feira a desembargadora Maria do Socorro Barreto Santiago, do Tribunal de Justiça da Bahia, em nova fase da Operação Faroeste, que investiga um esquema de corrupção no tribunal.

A ordem de prisão foi expedida pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Og Fernandes, relator do caso, após pedido da Procuradoria-Geral da República. Og também converteu as prisões temporárias cumpridas na semana passada em preventivas — sem prazo para terminar.

Maria do Socorro foi ex-presidente do TJ da Bahia e é suspeita de integrar o esquema de venda de decisões judiciais no tribunal, que permitiu grilagem de terra no oeste da Bahia.

De acordo com a investigação, a desembargadora movimentou cerca de R$ 17 milhões em suas contas entre 2013 e 2019, parte dos valores sem origem comprovada.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Não se trata só dos ganhos ilícitos, mas também das partes que não pagaram propina a essa quadrilha e foram prejudicadas em seus processos. O judiciário, a tábua de salvação do cidadão…

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ex-presidente do Paraguai deu R$ 500 mil para ajudar doleiro foragido

Conversas entre os doleiros Dario e Lucas — Foto: Reprodução

O ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes teria disponibilizado US$ 500 mil para o doleiro Lucas Lucio Meirelles Paredes, sócio da Casa de Câmbio Yrendague. Esse valor seria encaminhado de forma gradual a Dario Messer, considerado o doleiro dos doleiros, e na época já era considerado foragido. A operação está descrita na denúncia feita pelo Ministério Público Federal.

O ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes é alvo de mandado de prisão preventiva em um desdobramento da Lava Jato nesta terça-feira (19).

A suspeita é que ele tenha ajudado na fuga de Dario Messer, que está preso desde o fim de julho.

A decisão é do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal fluminense, que determinou a inclusão do nome de Cartes na Difusão Vermelha da Interpol — a lista de procurados distribuída em aeroportos do mundo todo.

A decisão diz que, em junho de 2018, quando estava foragido, Messer mandou uma carta ao ex-presidente do Paraguai pedindo US$ 500 mil para cobrir gastos jurídicos.

A força-tarefa da Lava Jato afirma que Dario Messer é amigo de longa data de Horacio Cartes.

Relação antiga

“O relacionamento da família Messer com a família Cartes se iniciou na década de 80, quando Dario fundou a Cambios Amambay SRL — atual Banco Basa –, tendo como acionista majoritário o pai do ex-presidente”, escreveu Bretas na decisão.

Ainda segundo o Ministério Público (MP) e a Polícia Federal, na década de 90, Horacio e Dario adquiriram uma fazenda juntos.

Em 2016, em um evento público, Horacio — já como presidente — declarou que Dario seria seu “irmão de alma” (“hermano de alma”).

Segundo imagens colhidas no celular de Dario em junho de 2018 — logo após a deflagração da Operação Câmbio Desligo —, o “doleiro dos doleiros” encaminhou uma carta para o “Patrão” solicitando US$ 500 mil para seus gastos iniciais jurídicos, que deveriam ser entregues a Roque.

O MP afirma que “Patrão” é Horacio Cartes. “A carta de fato foi entregue e Roque passou a ser intermediário entre Horacio e Dario”, detalha Bretas.

Nos diálogos, Roque informa que o melhor período, indicado por Horacio, para Dario se entregar às autoridades paraguaias seria após 15 de agosto, quando encerraria o mandato de Horacio.

Já em março de 2019, em conversa com a advogada, Dario assinala que Julio, seu irmão que mora em Nova York, conseguiu falar com seu “hermano de alma” e que as coisas iam ficar mais calmas.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes é alvo de mandado de prisão na Lava Jato

Foto: Reuters/Jorge Adorno

O ex-presidente do Paraguai Horacio Cartes é alvo de mandado de prisão preventiva em um desdobramento da Lava Jato nesta terça-feira (19). A suspeita é que ele tenha ajudado na fuga de Dario Messer, considerado o doleiro dos doleiros. Messer está preso desde o fim de julho.

A decisão é do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal fluminense, e Cartes terá o nome inserido na Difusão Vermelha da Interpol — a lista de procurados distribuída em aeroportos do mundo todo.

Até a última atualização desta reportagem, a Polícia Federal havia prendido três pessoas de um total de 19 mandados de prisão.

Myra Athayde, namorada de Dario Messer, presa no Rio;
Najun Azario Flato Turner, doleiro, preso em São Paulo;
Orlando Stedile, preso no Rio.

A Operação Patrón

A operação foi batizada de Patrón e é um desdobramento da Câmbio, Desligo. Em espanhol, a palavra significa “patrão” e é o termo reverencial que Messer se referia a Cartes. O ex-presidente é amigo da família Messer.

Desta vez, a ação tem como alvos pessoas que o ajudaram a fugir ou ocultar seu patrimônio.

A ação visa cumprir 37 mandados judiciais no Rio, em Búzios, em São Paulo e em Ponta Porã (MS), na fronteira com o Paraguai.

16 mandados de prisão preventiva
3 mandados de prisão temporária
18 mandados de busca e apreensão

O G1 não conseguiu contato com as defesas de Cartes e Turner.

Doleiro dos doleiros

Messer estava foragido desde maio de 2018, quando foi deflagrada a Operação Câmbio Desligo. A investigação descobriu que doleiros movimentaram US$ 1,6 bilhões em 52 países.

Na semana passada, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes negou um pedido de liberdade a Messer.

O doleiro responde a inquéritos policiais desde o fim dos anos de 1980. Neste período, movimentou dinheiro de forma suspeita de políticos, empresários e criminosos.

A investigação identificou que ele ocultou US$ 17 milhões em Bahamas e outros US$ 3 milhões pulverizou no Paraguai através de doleiros, casas de câmbio, empresários, políticos e uma advogada.

Cartes deixou o poder em 2018

O ex-presidente paraguaio Horacio Cartes deixou o poder em agosto de 2018 após cinco anos no poder.

O empresário, considerado um dos mais ricos do Paraguai, chegou ao poder em abril de 2013. Sua eleição representou o retorno ao poder do conservador Partido Colorado, que dominou a política local durante 60 anos, incluindo os mais de 30 anos da ditadura de Alfredo Stroessner.

A hegemonia do partido havia sido interrompida em 2008, ano da eleição de Fernando Lugo, deposto do cargo em 2012.

O ex-chefe de estado paraguaio é presidente do Grupo Cartes, um conglomerado de empresas que produzem bebidas, cigarros e charutos, roupas e carnes, além de gerenciar diversos centros médicos.

Ele se associou ao Partido Colorado apenas em 2009. Por isso, quando assumiu a presidência da república, aos 56 anos, ele era considerado novo na política.

Porém, ele já era muito conhecido por sua trajetória empresarial. Após cursar a universidade nos Estados Unidos, ele retornar ao Paraguai para iniciar sua vida no mundo dos negócios, na empresa do pai, Ramón Telmo Cartes Lind.

G1

Opinião dos leitores

  1. Isso eh tudo culpa de Moro! Foi inventar de combater a corrupção dos grandes bandidos do continente… Mas Lulaladrao eh o único inocente viu! Kkk

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PF pediu busca na casa de Dilma em operação que mirou ex-presidente do STJ

Foto: Presidência da República

Além de ter a prisão solicitada pela PF na investigação sobre propina da JBS para o MDB, Dilma Rousseff teve um pedido de busca e apreensão contra ela na Operação Appius, informa Fabio Leite na Crusoé.

A operação apura se Cesar Asfor Rocha, o presidente do STJ, recebeu propina para paralisar a Operação Castelo de Areia, em 2010.

O MPF, porém, se manifestou contra o pedido da PF por achar ainda frágeis os indícios contra a petista, e a 6ª Vara Criminal de São Paulo negou o pleito.

O Antagonista, com Crusoé

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ex-presidente Michel Temer é solto após seis dias preso

Foto: Reprodução/Record TV

O ex-presidente Michel Temer deixou por volta das 13h30 desta quarta-feira (15) a sede do Batalhão de Choque da Polícia Militar, na região central de São Paulo, local onde estava preso preventivamente.

O político foi beneficiado por uma decisão do STJ (Superior Tribunal Federal) que substituiu a prisão preventiva por medidas cautelares. O alvará de soltura foi expedido no fim da manhã pela juíza federal Caroline Figueiredo.

Ele havia sido preso na última quinta-feira (9), após o TRF2 (Tribunal Regional Federal da 2ª Região) revogar um habeas corpus que o mantinha em liberdade — o ex-presidente foi preso anteriormente em 21 de março e solto quatro dias depois.

Temer seguiu em um carro particular com batedores da Polícia Militar direto para a residência dele, no bairro do Alto de Pinheiros, zona oeste, mas não está impedido de sair de casa.

As medidas cautelares impostas pelo STJ para substituir a prisão foram:

• proibição de manter contato com outros investigados sobre os fatos em apuração, que possam interferir na produção probatória, ou seja, contato pessoal, telefônico ou por meio eletrônico ou virtual, enquanto durar a instrução, salvo aqueles que mantêm relação de afinidade ou parentesco entre si;

• proibição de mudança de endereço e de ausentar-se do país sem autorização judicial;

• entrega do passaporte;

• bloqueio dos bens, até o limite de sua responsabilidade, a ser apurada individualmente pelo juízo de origem competente;

• compromisso de comparecimento em juízo, para todos os atos designados pela autoridade competente;

• proibição de participar, diretamente ou por interposta pessoa, de operações com as pessoas jurídicas citadas na denúncia, e de ocupar cargos ou funções públicas, ou quaisquer cargos de direção em órgãos partidários.

O caso

Temer, Lima, a mulher dele (Maria Rita Fratezi), o ex-ministro Wellington Moreira Franco e outras quatro pessoas viraram réus pelo crime de corrupção, no começo de abril, no processo que teve origem a partir da operação Descontaminação, do Ministério Público Federal e da Polícia Federal.

A investigação apura um esquema de pagamento de propina e desvio de recursos públicos em contratos para as obras da usina nuclear de Angra 3, sob responsabilidade da estatal Eletronuclear.

Em março, o juiz federal Marcelo Bretas determinou a prisão preventiva de Temer, Lima e Moreira Franco, alegando risco à ordem pública, o que foi refutado pelos ministros na sessão de hoje.

O Ministério Público Federal afirma que uma empresa do coronel Lima participou de maneira fraudulenta da licitação da obra, tendo sido escolhida, apenas para repassar dinheiro público desviado ao ex-presidente Temer.

Os valores, pouco mais de R$ 1 milhão, sustenta o MPF, teriam sido usados na reforma da casa de uma das filhas de Temer, Maristela, em um bairro nobre de São Paulo.

R7

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Confira trecho da entrevista com Lula; ex-presidente preso fala em “farsa montada” e “vontade de desmascarar” Moro

O ex-presidente Lula afirmou nesta sexta (26), em entrevista exclusiva concedida à Folha e ao jornal El País, que o Brasil está sendo governado por “um bando de maluco”.

Assista trecho abaixo.

Via Folha de SP

Opinião dos leitores

  1. As próprias palavras dele, demonstram o que ele é, "Eu decidi ficar preso " ele se acha acima da lei, coisa de megalomaniaco ditador, ele tava mal acostumado com o poder, foi tirado do poder através do povo que votou e escolheu um presidente que realmente quer mudar a política e o país.

  2. Um ser superior. Um exemplo de dignidade!!!
    Quantos podem falar que superam o ódio. A mágoa profunda?
    Lula o Brasil lhe espera!!!

    1. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
      Piadista você?
      Bandido condenado ovacionado pelos asnos!

    2. Espera sim. Espera que ele fique preso por muito tempo.

    3. Um ser egocêntrico, megalomaníaco que se acha acima da lei. Lula o Brasil espera que vc cumpra as suas penas.

  3. Você não sabe o que há escrito nem na primeira página do processo, quanto mais as dezenas de extratos bancários, pouco mais de uma dezena de testemunhos, e outros tantos contratos simulados que apontam para a dissimulação da ocultação. Até o mais neófito no direito consegue chegar ao seu deus – Lula – como sendo o beneficiário. Só você e sua grei, que sequer têm a intenção de consultar o processo, que é público, diga-se de passagem, convencem-se da mentira repetida infinitas vezes por esse sociopata.
    Vocês não são malucos. Vocês são maus mesmo! Não conseguem raciocinar o mínimo e tem medo de ler o processo para não se convencer do contrário. Quantas vezes vários jornais publicaram algumas das provas do processo? Várias vezes! E a defesa do Lula, conseguiu contraditar? Nunca!
    Vocês são maus e precisam de cura!

  4. Esse petralhas incubado que usa u pseudo nome de real madrid, tá certo, ele realmente entende de pilantra. Jumento, esse ladrão está preso exatamente por ocultar provas dos seus roubos, ou será que todos os executivos das empreiteiras, tesoureiros do pt, ministros do pt, estão todos contra o ladrão mor? Tú tá comendo o que? Merda?

  5. Realmadridepium, faltou nessa sua lista ai o queiroz, os melicianos, a senhora do açaí lá no rio viu kkkk.

  6. Um dela da puta ladrão, vem falar que foi montagem,….onde uma revendedora da Avon se aposenta com 30mil….onde catadores de bostas virão super empresarial e uma justiça podre que está conrropida até o talo….o Brasil fuleiro

  7. Kkkk. Esse Lula eh muito empoderado mesmo! Ele que "decidiu" atender a polícia e ser preso! Eh um deus mesmo! Só pode! Pra ter tantos asseclas da sua seita só pode ser um deus… Lula, o deus da mentira…

  8. eu diria que ele é inocente se todos que estivessem na quadrilha dele não tivessem devolvido em torno de 50milhões cada um e não tivessem feito as delacões pra diminuirem as penas, alem do que todos apontaram ele como o chefão, querem mais o quê????

  9. Sinceramente o nosso País é uma piada. Presidiário agora pode dar entrevista com o aval do STF e tentar desqualificar quem teve a coragem e ousadia de desmantelar a maior quadrilha da História moderna da Humanidade. O que esse povo desqualificado roubou do Brasil,daria para avançarmos significativamente em diversos marcadores de índices de desenvolvimento humano. Até quando o discurso fácil dessa gente vai enganar os incautos?

    1. Só falta apresentar uma prova. Uma apenas. Uma gravação, um bilhete, uma carta, um recibo, um cheque, uma nota, uma filmagem, um bunker com 50 milhões, uma conta no exterior em seu nome, de filhos, da mulher, até dos netos e bisnetos, uma mala com 500 mil reais, um helicóptero com coca, um cheque na conta da mulher, um empregado ou assessor miliciano, um depósito feito por miliciano na conta dele ou de algum filho, um cheque depositado por miliciano na conta da mulher dele, uma gravação pedindo propina ou recebendo, querer abrir uma ong para receber bilhões de reais (chama-se isso de lavagem de dinheiro, legal(??), um empréstimo, uma ameaça de matar alguém, patrimônio não compatível com o que ganha. Tem mil maneiras de se apresentar uma prova. Espera-se que se apresente, nem que seja um depósito de 10 centavos, já serve como prova. Agora a justiça mandou a OAS devolver o dinheiro que a D. Marisa pagou pela compra do apartamento. Ué! mas não foi roubado? ou não foi? o dono do sítio pediu a justiça para vender o sítio. Ué! mas não é do Lula? Condenação por atos de ofícios indeterminados é o cacete.

    2. Amigo, vc quer que corrupto emita recibo, é isso? Vc quer transparência nos crimes de ocultação de patrimônio?

    3. Quem se dispôs a ler a sentença e o acórdão do TRF4 teve a certeza inabalável que se tem uma coisa que abunda nestes pronunciamentos são provas.
      Quem é covarde, quem prefere viver na escuridão, quem não quer enfrentar o fato de que foi e é feito de "idiota útil", quem se assume como membro da manada de jumentos, quem é só um defensor de corrupto, fica nesse mimimi de "cadê as provas".
      Não adianta jogar pérolas aos porcos. Não adianta esclarecer quem quer ser manobrado pelo partido.
      Eu só assisto, leio e morro de rir.
      LULA TÁ PRESO BABACA.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Senador Major Olímpio: “Ex presidente do Peru se suicidou ao ser preso. Tomara que está moda pegue no Brasil. Seria uma grande economia para o país”

Major Olimpio (PSL-SP) durante entrevista exclusiva ao UOL. Imagem: 18.jan.2019 – Simon Plestenjak/UOL

Líder do Partido Social Liberal (PSL) no Senado, Major Olímpio afirmou que espera que a “moda” de suicídios de ex-presidentes “pegue no Brasil”. O senador fez referência em seu Twitter ao ex-mandatário do Peru, Alan García, que se suicidou nessa quarta-feira(17) pela manhã após ser alvo de um pedido de prisão temporária por supostos envolvimento em casos de corrupção da Odebrecht.

“O ex presidente do Peru se suicidou ao ser preso. Tomara que está (sic) moda pegue aqui no Brasil. Seria uma grande economia para o pais [sic]”, escreveu Olímpio.

Parte dos seguidores do senador concordou com a opinião. “Concordo com você, Major, ponha ordem naquela bagunça chamada PSL, pelo amor de Deus”, respondeu um dos internautas. Outro foi mais longe: “Seria legal que os aliados do PT também fizessem isso ..principalmente os que se elegeram com votos da direita.”

Outros seguidores, no entanto, consideraram ofensiva a publicação de Olímpio, principalmente por desdenhar de um problema complexo como o suicídio.

“Respeito o senhor Mas uma das bandeiras do governo é a luta contra o suicídio principalmente entre os jovens. Pisou feio na bola hein…”, escreveu um usuário. “Esse povo de Deus a cada mostrando ensinamentos longe do Cristo”, disse outro.

UOL

Opinião dos leitores

  1. Concordo e super apoio, não t nada haver com apologia a suicídio e sim a gastos e uso de tanta brecha que temos nas nossas leis em defender bandidos, LULA PRESO …

  2. A patrulha do mimimi sempre alerta e atuante quando o assunto é o politicamente correto…Distorcendo e criando divisões entre doentes que se dizem de Direita e esquerda….

    1. Falar isso sendo político, espero que ele nunca seja indiciado por nada, pois vão repetir essa frase dele ad nauseaum.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *