Diversos

Mourão diz que Bolsonaro autorizou nova operação militar na Amazônia contra crimes ambientais

© Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasilia

O vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta sexta-feira(11) que o presidente Jair Bolsonaro autorizou uma nova operação das Forças Armadas para combater crimes ambientais na região da Amazônia.

“Conversei com o presidente ontem. Ele autorizou. Estamos fechando o planejamento”, disse Mourão nesta manhã, ao ser questionado por jornalistas na chegada ao Palácio do Planalto. O vice-presidente chefia o Conselho Nacional da Amazônia Legal que, entre outros assuntos, trata do combate aos crimes ambientais na região amazônica.

O custo da nova operação, que deve durar dois meses, é de R$ 50 milhões, disse Mourão. Ele acrescentou já ter conversado com o ministro da Economia, Paulo Guedes, que teria garantido os recursos. O início da missão deve se dar, “em princípio”, já na próxima semana, acrescentou o vice-presidente.

Desde 2019, foram autorizadas duas operações das Forças Armadas na Amazônia, chamadas Verde Brasil 1 e 2. A mais recente delas se encerrou em abril. A ideia é que a nova operação dure dois meses, disse Mourão. O planejamento da missão fica a cargo do Ministério da Defesa, que deve definir a área de atuação dos militares.

Mourão disse que é necessário também o alinhamento com os órgãos ambientais. “Preciso que o Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis]e o ICMBio [Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade] cheguem junto, porque senão não tem sucesso”, afirmou.

Para que a operação Garantia da Lei e da Ordem (GLO) com as Forças Armadas na Amazônia seja efetivada é preciso a publicação no Diário Oficial da União de decreto presidencial que autorize a medida.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Então diga lá, Deco Bolsonarista da República Ruminante da Bovínia: mantém um investigado em 2 inquéritos abertos pela PF no cargo ou o afasta até a apuração dos fatos? É o mínimo de quem se elegeu nas costas do Sérgio Moro.

  2. Acham que isso vai apagar os dois anos e meio de falcatruas que ocorreram no meio ambiente, onde passaram a boiada?

  3. Bolsonaro é o Presidente que mais combateu e combate o desmatamento na Amazônia e no Pantanal Matogrossense.

    1. Mais que isso, é o melhor brasileiro que ja existiu na existencia do Brasil. E se ele tivesse nascido na epoca de Jesus, Jesus não tinha sido ninguém. O Mito é o Mito!

  4. Não exista nada que condene o ministro Sales;E até agora faz um excelente trabalho .Como tb o governo federal que moralizou os órgãos ligados à fiscalização e do meio ambiente . As forças armadas devem sim executar operações na Amazônia para acabar com os crimes de incêndios ilegais e boicotes de ogns e opositores.Parabéns Bolsonaro.

    1. Pois é, as Forças Armadas podem também botar moral na tua casa e na tua empresa, não é Carlos Alberto? As Forças Armadas agora são a cloroquina do serviço público: muito gasto mas sem efeito.

  5. Segundo a PF, está mais do que concreto a participação no ministro do meio ambiente num crime gigantesco contra a floresta Amazônia. Não seria a hora de afasta-lo pra mostrar que existe seriedade nesse propósito?

    1. É OBVIO QUE NÃO PODE AFASTÁ-LO. SE VC AFIRMA QUE A PF AFIRMA E GARANTE QUE O MINISTRO COMETEU UM CRIME ENTÃO SERIA O CASO DA PF PRENDER IMEDIATAMENTE O DIRETIR DA PF POR PREVARICÃO.. POIS NESTE CASO ELE SABE CONCRETAMENTE DE UM CRIME E NÃO PRENDEU EM FLAGRATE O CRIMINOSO.
      SE NÃO SABE NÀO CHUTA…

    2. Segundo a PF, Lula deveria estar preso.
      O STF soltou o chefão…
      Por falar nisso, Rondônia e Pára tem dois dos maiores rebanhos de gado do Brasil.
      Isso na Amazônia e geralmente exige muita terra.
      E não é da época de Bolsonaro.
      E o Ibama e a Globo não falaram nada…
      Esquerda cinismo e deboche.

    3. Esse Manuel Fila, é discípulo de Renan Calheiros e Jader Barbalho…

    4. Paulo: e vc? Eh discípulo do MINTOmaníaco das rachadinhas que cometeu peculato ou de Lulaladrao?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PGR opina que militar da ativa pode ocupar cargo de ministro no governo Bolsonaro e arquiva representação

Cerimônia de posse de Eduardo Pazuello, ministro ministro da Saúde, no Palácio do Planalto com a presença do presidente Jair Bolsonaro Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) arquivou uma representação que apontava ser inconstitucional a nomeação de militares da ativa para exercer o cargo de ministros de Estado no governo de Jair Bolsonaro. Na avaliação da PGR, não existe impedimento para essa atuação.

Atualmente, o ministro da Saúde do governo Bolsonaro é um general da ativa, Eduardo Pazuello. Também o titular da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, chegou a ocupar o cargo enquanto ainda estava na ativa, mas foi transferido para a reserva em julho deste ano. Se a PGR tivesse acolhido a argumentação, o órgão teria que propor uma ação ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que a nomeação desses militares fosse declarada nula e inconstitucional. Essa atribuição, entretanto, não é exclusiva da PGR -outras entidades podem fazer o questionamento ao Supremo.

Governos anteriores já tiveram militares como ministros em postos ligados à área da segurança, como por exemplo no Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Em áreas como Saúde e Secretaria de Governo, entretanto, a presença é inédita desde o regime militar.

A representação enviada em maio à equipe do procurador-geral da República Augusto Aras citava que a Constituição impede aos militares a atuação “político-partidária” e que o cargo de ministro de Estado tem natureza essencialmente política, por isso não deveria ser permitido a integrantes do quadro ativo das Forças Armadas. O documento citou um julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), de agosto de 2016, que concluiu ser incompatível a nomeação de membros do Ministério Público para o cargo de ministro de Estado.

Nesse julgamento, o ministro Luís Roberto Barroso apontou que “ser Ministro de Estado e ser Secretário de Estado não deixa de ser, em alguma medida, uma atuação político-partidária. O papel de um Ministro de Estado, além da sua subordinação à vontade do Presidente da República, é fazer valer o programa de governo, seja do partido, seja da Administração, que tem uma dimensão essencialmente política”. Barroso também citou que “quem tem armas não pode ter poder político”.

A PGR, entretanto, manifestou entendimento diverso e arquivou a representação, em despacho proferido em 17 de agosto. A manifestação de arquivamento, inédita até então, é assinada pela subprocuradora-geral da República Maria das Mercês de Castro Gordilho Aras, coordenadora da assessoria jurídica constitucional da atual gestão –ela é casada com o procurador-geral.

“O exercício de cargo, emprego ou função pública civil, de maneira temporária e não eletiva, como de Ministro de Estado, Secretário Estadual ou Municipal, não guarda semelhança com o exercício de atividade político-partidária”, escreveu a subprocuradora em sua manifestação.

Para a subprocuradora, o texto da Constituição não impede que os militares ocupem cargos de ministros. “Como cediço, a Constituição Federal deve ser interpretada levando-se em conta o conjunto de peculiaridades que singularizam os seus preceitos, destacando-se a supremacia de suas normas, a natureza da linguagem que adota, o seu conteúdo específico e o seu forte caráter político. A expressão ‘atividade político-partidária’ compreende qualquer ato que se refira à filiação partidária – vedada ao militar, enquanto em serviço ativo -, participação em campanhas eleitorais, exercício de cargos ou funções nos órgãos dos partidos políticos, bem como o registro de candidatura em pleito eleitoral”.

Um mês após a manifestação de arquivamento feita pela PGR, Bolsonaro oficializou Pazuello como ministro da Saúde –até 16 de setembro, ele comandava a pasta de forma interina.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. nada disto, manda QUEM TEM DINHEIRO, obedece QUEM NÃO TEM o QUEM QUER MAIS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

RELATOS CHOCANTES: Polícias Civil e Militar prendem suspeito e apreendem adolescente por estupros no interior do RN

Foto: Ilustrativa

Policiais civis da Delegacia Municipal de São José do Campestre, com apoio da Polícia Militar, deram cumprimento, nesta segunda-feira (07), a um mandado de prisão temporária (30 dias) em desfavor de Gênesis José Pereira Dias, 25 anos, e a um mandado de internação provisória (45 dias) em desfavor de um adolescente de 17 anos, suspeitos de diversos estupros na Zona Rural de São José de Campestre. Segundo as investigações, a prática dos estupros estava acontecendo há mais de um ano.

De acordo com relatos das vítimas, os suspeitos realizavam as abordagens dentro de estradas carroçáveis e ordenavam que elas entrassem na área de matagal, como se fosse praticar o crime de roubo, declarando portar arma de fogo, e praticavam o crime de estupro; além disso, roubavam ainda os aparelhos celulares das mulheres. Em alguns casos, a vítima era estuprada pelos dois suspeitos, na mesma ocasião.

Segundo as denúncias, os suspeitos apresentavam as seguintes características: Gênesis José como sendo alto, forte/gordo, negro, sempre vestindo camisa preta de sol e bermuda jeans, utilizando como veículo uma moto preta e capacete preto; já o adolescente foi retratado como estatura média, magro, branco, não falava muito e seguia as ordens do mais velho. Uma das mulheres declarou que o suspeito estava utilizando no rosto uma máscara de proteção com o símbolo de determinado time de futebol.

Ainda de acordo com as investigações, em dez dias, os dois suspeitos estupraram duas vítimas no distrito “Volta do Rio”. Para que a prisão fosse realizada, foram realizadas campanas pela Polícia Militar, no local onde havia o registro de ocorrência do crime. Nesta segunda-feira (07), a Polícia Militar encontrou os suspeitos com as mesmas características; uma moto encontrada na região foi ligada com a chave que estava com o adolescente, a máscara do time relatado pela vítima estava com Gênesis José. Na delegacia, os dois suspeitos foram reconhecidos pelas mulheres e confessaram a autoria dos crimes.

Em razão disso, o delegado responsável pela ocorrência solicitou ao plantão judiciário a decretação da prisão temporária e internação provisória dos suspeitos, que foram concedidas pela Justiça e cumpridas pelos policiais ainda na segunda-feira (07). Logo após a prisão deles, mais quatro vítimas procuraram a delegacia para efetuar a denúncia e reconhecer os suspeitos. Durante a prática do crime, segundo as denúncias, o suspeito ameaçava ainda que, caso efetuassem denúncia, ele disseminaria as fotos íntimas, registradas durante o crime, na internet.

Gênesis José foi conduzido até a delegacia e encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça; o adolescente foi internado no Centro de Recuperação de Adolescentes, para a aplicação de medidas socioeducativas.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. Só coloquem Eles juntos com os outros presos, para que os mesmos voltem a socializar com a sociedade dos apenados.

    1. Vira o disco boião.!!! Tudo é pt,lula,vai p Venezuela….tá chato já cabeça de boi !

  2. Se fosse nos Estados Unidos eles teriam duas opções: prisão perpétua ou pena de morte. Aqui logo estarão soltos para praticar mais crimes. E viva o garantismo penal.

    1. Lula disse que adolescentes roubam celular para vender, ganhar um dinheirinho e ir tomar cerveja com amigos.
      Essa é a ideologia da esquerda.
      Maria do Rosário defendeu Champinha…
      Depois ninguém entende porque a criminalidade no Brasil é alta depois de décadas de lulopetismo…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

RECURSOS DE CONVÊNIO ESTADUAL E FEDERAL (FOTO): Governo entrega mais 56 veículos para equipar polícias Civil e Militar

FOTO: SANDRO MENEZES/ASSECOM/RN

As polícias Militar e Civil do Rio Grande do Norte passam a contar a partir desta terça-feira, 21, com 56 novos veículos para suas ações na capital e no interior. Com recursos provenientes de convênio entre os governos Estadual e Federal, os veículos representam um investimento de R$ 3,6 milhões – são 50 Renault Duster destinados à Polícia Civil e seis Volkswagen Gol para a atuação da Polícia Militar no Programa Educacional de Resistência às Drogas (PROERD).

Na solenidade de entrega das novas aquisições, no pátio externo da Escola de Governo em Natal, a governadora Fátima Bezerra disse que desde o início da gestão, em janeiro de 2019, a segurança pública é tratada como prioridade e vem recebendo novos investimentos. “Colhemos bons resultados já no primeiro ano. Tivemos redução de 26,3% nos Crimes Violentos Letais Intencionais (CLVIS), que resultou em 517 vidas salvas em relação aos casos registrados em 2018″, destacou. Ela também citou as reduções de 21% no roubo de veículos, de 70% nos assaltos a bancos e 30% nos feminicídios. “Tudo isso é trabalho feito com abnegação e dedicação por uma equipe muito preparada e competente”, registrou Fátima.

A governadora também se referiu ao controle implantado no sistema prisional. “Criamos uma secretaria específica, a Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP), que está fazendo um trabalho extraordinário, inclusive com ações visando a ressocialização dos internos. E vamos cada vez mais promover a redução da criminalidade e da violência. Ações como a de hoje melhoram as condições de trabalho e dão dignidade aos operadores do sistema de segurança. Temos consciência de que estamos no caminho certo. Os resultados já alcançados provam isso”, afirmou a chefe do Executivo.

Fátima Bezerra lembrou os investimentos em diárias operacionais, que apenas na atual Operação Verão (meses de janeiro e fevereiro) representam R$ 6 milhões, a reestruturação das carreiras dos policiais militares e dos bombeiros, a contratação 127 novos policiais penais concursados e o início do curso de formação de mil novos policiais militares concursados.

A delegada geral de Polícia Civil Ana Cláudia, disse que “é com satisfação que recebemos essas viaturas para 27 cidades em todo o RN. São 24 delegacias no interior e 23 em Natal. O Governo está renovando a nossa frota que tem muitos veículos ainda do ano de 2012, em condições precárias. Agora temos melhora nas condições de trabalho da polícia investigativa, reforçando o nosso trabalho que em 2019 fez do RN um dos quatro Estados que mais reduziram violência no país”.

Coordenadora do Proerd, a major Soraia Castelo Branco considerou que os seis novos veículos tipo Gol “permitirão melhor deslocamento em todo o estado dos policiais instrutores na missão de prevenção ao uso de drogas junto às crianças e jovens”.

O secretário de Estado da Segurança e Defesa Social, coronel Francisco Araújo, acrescentou que o trabalho de prevenção realizado pelo Proerd evita que crianças e adolescentes caiam no mundo das drogas. “Já são 89 veículos novos entregues à Polícia Civil. São veículos pagos com recursos da União e do Governo do Estado, o que mostra o compromisso da gestão com todo o sistema de segurança pública”, disse.

Também participaram do ato de entrega dos veículos: deputado federal Benes Leocádio; deputados estaduais Eudiane Macedo e Ubaldo Fernandes; representante do deputado estadual Francisco Medeiros; vice-governador Antenor Roberto; comandante da Polícia Militar, coronel Alarico Azevedo; comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Luiz Monteiro; diretor do Itep, Marcos Brandão e vereadora em Natal, Divaneide Basílio. Também compareceram prefeitos, vice-prefeitos e vereadores dos municípios que serão beneficiados com os novos equipamentos, como Baraúnas, Lajes, Bom Jesus, São José de Campestre, Luiz Gomes, São Tomé, Taipu, Acari e Jardim de Piranhas.

Opinião dos leitores

  1. Verdade – Aceita que dói menos
    Os resultados ocorridos na GESTÃO da segurança pública do Estado são incontestáveis e começaram a aparecer.
    Os Parabéns vai para Governadora Fátima Bezerra e sua equipe. Não adianta espernear. O Governo tem que receber os créditos pelo bom desempenho na área da segurança pública do RN

  2. Gozando com o p… alheio. A desonestidade é algo que já faz parte da índole petista. A ponto de, não tendo qualquer feito a exibir, tentarem se apropriar dos feitos alheios. O RN está recebendo MUITA ajuda do governo Bolsonaro. Devia ao menos expressar um pouco de gratidão. Seria o mínimo de decência, coisa rara em petista.

    1. Voltou com tudo, como sempre vociferando ódio contra os que pensam diferente. Sem a menor alteridade cristã.

  3. Exaltamos os atos que são OBRIGAÇÃO dos governos simplesmente porque não eram feitos anteriormente. Não foi Bolsonaro nem Fátima. Vamos também cobrar ações desse tipo para SAÚDE e EDUCAÇÃO.

  4. Muda o governo estadual, federal e a velha política de segurança pública, viatura e armamento permamece.

    Que Deus nos ajude e proteja!

  5. Até parece que é a primeira vez na História, que o governo federal libera recursos para a compra de veículos; o gado vai mugindo feliz.

    1. Kkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Chora que Luladrão canta para você!!! Kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  6. Essas viaturas não foram "doadas" nem por Bolsonaro, nem por Fátima e nem por político nenhum. São fruto do suor do nosso trabalho e dos impostos que somos obrigados por Lei a pagar .
    Esse negócio de ficar idolatrando político já está ficando doentio.

  7. Da lhe MITO, PT ladrãonunca mais.
    O dinheiro dos brasileiros, revertido pros brasileiros.
    É isso aí!!
    Show de bola!!
    Já já esse país empina de novo, basta não roubar.

  8. A Governadora tem a obrigação de falar que o Governo Bolsonaro foi quem fez a doação das viaturas para Secretaria de Segurança Pública. Fica calada como se fosse com recursos próprios.

    1. Kkkkkkk
      93% foram recursos do Governo do RN. Somente 7% veio do governo federal (dinheiro da agenda positiva, carimbado para ser usado em segurança, obrigatório de ser distribuído).
      A maior parte que deveria ser destinada ao Nordeste, foi desviada ilegalmente para estados do Sul/Sudeste/Centro-oeste. É só consultar o orçamento federal no Portal da Transparência.
      Aqui vemos o crime seguir impunemente. Muuuuuuu!

  9. Mais viaturas compradas com recursos do governo federal.
    Obrigado Moro
    Obrigado Bolsonaro
    Brasil no rumo certo
    PT nunca mais.
    Fatão GD do gopi aproveitando pra fazer de conta que é dela essa ação.

  10. A melhor governadora da Segurança do RN. Avante RN . Fátima será um exemplo para esse Estado tão surrupiado ao longo dos anos pelas oligarquias do RN.

  11. Viva o Governo FEDERAL.Bolsonaro vai liberar mais verbas, vamos fazer um governo diferente com ajuda Federal!!!!

  12. A matéria foi escrita de maneira dúbia. É preciso informar com qual valor contribuiu cada ente (Estado e União). É o famoso convênio "Caracu". Fátima e seus asseclas, ao que tudo indica, entra com a "Cara".

    1. O governo do estado não entrou com 1%, já o ministro de Justiça, através de Sérgio Moro, 99%. Pior que como ele é o principal na participação do dinheiro, nem questão de representar faz. Enquanto isso a governadora… Rsrsrs

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Mourão discorda do termo “ditadura” para período e minimiza AI-5: ‘Passam a ideia que todo dia alguém era cassado, e não foi assim’

Foto: Bruno Batista / VPR

O vice-presidente da República, Antônio Hamilton Mourão, minimizou em entrevista ao site Huffpost Brasil o Ato Institucional número 5 (AI-5), considerado pelos historiadores como a medida mais dura da ditadura militar, na qual se constituiu de uma espécie de carta branca para o governo punir como bem entendesse os opositores políticos. Mourão afirmou que é preciso ver quantas vezes o ato, que permitiu fechar o Congresso e cassar parlamentares, foi efetivamente usado.

— O Ato Institucional número 5 surgiu fruto de uma situação que se vivia aqui no País no final dos anos 60. Foi o grande instrumento autoritário que os presidentes militares tiveram à mão. É importante que depois se pesquise quantas vezes ele foi utilizado efetivamente durante os 10 anos que ele vigorou. Porque muitas vezes se passa a ideia que todo dia alguém era cassado, alguém era afastado. E não funcionou dessa forma. É importante ainda que a História venha à luz de forma correta — afirmou Mourão.

Nesta sexta-feira, o AI-5 completa 51 anos. O Ato foi baixado pelo governo do general Arthur da Costa e Silva, em 1968, que ficou conhecido como o “o ano que não acabou”. Uma das medidas previstas pelo Ato Institucional aumentava os poderes do presidente da República, que passava a ter autonomia para decretar, sem intermédio do Judiciário, o fechamento do Congresso Nacional e intervir nos estados e municípios. Era permitida também a cassação de mandatos parlamentares e a suspensão dos direitos políticos de qualquer cidadão por 10 anos.

Questionado se sabia dizer então quantas vezes foi usado, disse desconhecer e citou ele próprio o fato de o ato ter sido usado para fechar o Congresso em dezembro de 1968, quando foi editado, e em 1977 com a criação da figura de senador biônico.

— Nem eu sei. Mas não foi a quantidade que se diz. Por exemplo, o fechamento do Congresso acho que houve duas vezes. Foi logo que ele foi implementado, no final de 68, início de 69, e em 77, quando o presidente [Ernesto] Geisel colocou aquele famoso Pacote de Abril, que colocou a figura do senador biônico. Foram as duas vezes que o Congresso foi fechado com o uso do AI-5 — afirmou o vice-presidente.

Mourão afirmou que o AI-5 foi um “instrumento de exceção”, mas na mesma entrevista refutou o termo “ditadura” para se referir ao período de regime militar.

—Vamos colocar a coisa da seguinte forma: em primeiro lugar eu discordo do termo “ditadura” para o período de presidentes militares. Para mim foi um período autoritário, com uma legislação de exceção, em que se teve que enfrentar uma guerrilha comunista e que terminou por levar que essa legislação vigorasse durante 10 anos – disse.

O vice-presidente disse que Eduardo Bolsonaro e Paulo Guedes “não foram felizes” ao citar o AI-5 e afirmou que hoje o Brasil vive uma “plenitude democrática”.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Comparar a Revolução Democrática de 1964 com o Nazismo é muita canhalice.

  2. Críticar o Regime Militar brasileiro e aplaudir a ditadura sanguinária da China. É falta de coerência, burrice, cegueira ideológica ou o que?

  3. Sobre o regime militar, os jornalistas e as universidades criaram versões dos fatos e venderam o período como se aqui tivesse ocorrido situações que acontecem em Cuba e houve na Argentina.
    Passaram aos alunos que não se dão ao trabalho de ler versões distorcidas sobre o regime militar, como se os militares tivessem combatido contra pessoas inocentes e desarmadas.
    Não falaram aos alunos o que houve sequestro, assaltos, assassinatos, troca de tiros por parte daqueles que se vendiam como "salvadores da pátria" mas queriam apenas tomar o poder e implantar no Brasil um regime totalitário.
    Tanto que os mesmos que foram banidos e depois "perdoados", voltaram e passaram a ocupar cargos e funções públicas, atuando como antes, só que sem arma de fogo, visando tomar o poder e nele permanecer eternamente. A história se repete, só que hoje o povo sabe quem são, como agem e o que querem, só permanece o modus operandi de mentir, enrolar, dissimular para vender o que nunca irão fazer.

  4. deixo uma sugestão: peça a folha seca que faça uma pesquisa em pessoas com mais 50 anos e pergunte se ele se sentia segura durante o regime militar

    1. A população alemã apoiava Hitler. Muitos morreram por ele.

    2. Como também a população se sentia segura antes do golpe militar. A violência absurda teve início a partir de 1988

  5. Ah, como seria bom se não tivessem combatidos os comunistas com as mesmas armas que eles usavam, menos sequestros, assaltos a bancos e terrorismo(nem tanto, teve o caso rio centro e outros menos expressivo), hoje seríamos uma cuba mais arrasada ou mesmo uma Venezuela mais precoce. Era uma maravilha

    1. Ou talvez uma China, aliás esse era o medo do presidente americano John Kenedy.

    2. Essa petralhada sempre sonham com ditaduras assassinas, mau tse Tung e sua carnificina eram sonhos de consumo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Especial

SEM TABU: Diretor do ITEP desmistifica ‘estórias macabras’ do necrotério e revela bastidores da perícia criminal

Foto: Cedida/José Aldenir

Todo mundo vai morrer. Isso é fato. Alguns com idade avançada, outros não. Mas, duvido que você queira fechar esse ciclo natural da vida, deitado sobre uma mesa cadavérica. Só de ouvir a palavra necrotério, a maioria torce o nariz, sente repulsa. E se um dia alguém estiver lá, realmente algo de trágico aconteceu. Seguramente, essa pessoa não irá observar, mas muita gente estará de olhos bem abertos nela – investigando a causa da morte e quem a provocou. Esta é a rotina de profissionais do setor de Medicina Legal do Instituto Técnico e Científico de Perícia (ITEP), que começam o dia, quando o de algum mortal termina.

Nossa entrevista é com o diretor-geral da instituição, o engenheiro mecânico Marcos José Brandão Guimarães, 44 anos, que também é perito criminal. A partir de agora, ele irá ‘abrir as portas do necrotério’ ao leitor do Blog do BG, relatando curiosidades da Medicina Forense, bem como desmistificando as insólitas ‘lendas urbanas’ que perduram no imaginário popular. A reportagem é de Wagner Guerra.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Amei essa matéria.PARABENS AO DIRETOR E SERVIDORES DO ITEP PELO GRANDE TRABALHO Q TODOS OS DIAS REALIZAM.

  2. Demorou mas apareceu uma postagem decente!! Parabéns Wagner Guerra, pelo texto e construção da matéria.

  3. Parabéns, o jornalismo no RN está carecendo de reportagens assim, hoje só se noticia mortes e violência. Matérias mesmo é uma coisa rara, principalmente na TV.

  4. Pouco se fala sobre o risco que sofrem os peritos, sendo normal serem recebidos a bala, coagidos e etc. Alguns sofrem tentativas de agressão no próprio Itep que recebe presos para exames, esse ano houve ate tiroteio. É uma atividade policial, exercida por não policiais. Um absurdo que só se vê no RN. Devem estar esperando alguém morrer em serviço para rever a legislação.

  5. Parabéns pela matéria, pois esse assunto é pouco explorado. Fico imaginando o quanto deve ser difícil para os profissionais se acostumaram com esse serviço. A gente nunca imagina que pode um dia está sendo examinado lá. Este é um assunto bastante sinistro. Parabéns pela matéria.

  6. Excelente a reportagem do ITEP, matéria com perguntas e respostas muito esclarecedoras. Parabéns aos envolvidos no blogdobg.

  7. Excelente reportagem sobre o ITEP, Gostei muita das perguntas muito bem colocadas que me ajudaram a entender coisas que era leigo. Parabéns BG, seu blog sempre atualizado e com certeza uma rica fonte de informações para informar a população. Grande abraço. E parabéns ao jornalista da matéria.

  8. Parabens pela materia, eh um tema pouco galado e que pouco sabiamos desse assunto e veio nos trazer a luz dessa rotina que nos passa dispercebida cotidianamente. Muito esclarecedor!

  9. Incrível a burocracia e falt de agilidade do ITEP, tem um caso de nossa secretaria que seu tio foi encontrado degolado e já faz mais de um mês que se encontra naquele órgão sem que o corpos seja liberado para família fazer o sepultamento. Absurdo

  10. "Maioria jovens de 15 a 24 anos, da periferia" como falou o diretor. São esses as maiores vítimas do lulopetismo, que escantearam o ensino de 1o e 2o a mera burocracia, esqueceram do ser humano, que ali estaria um jovem se formando e não derão a atenção de devida e o investimento nescessário, e insensívelmente, transformaram esses jovens em órfãos da esquerdalha, onde sem amparo estatal, migraram ou foram cooptados pelas facções criminosos, como um exército de suicidas, que morrem aos montes, sem que o estado os protegessem. Essa constatação foi reforçada pelo resultado do último PISA, onde mostrou o abandono que o Brasil teve na educação nos últimos 20 anos, além de outros dados já coletados com mesmos resultados. Mesmo assim, ainda tem metido a intelectualizados defendo esse tipo de governo, chamam-o de progressistas, agrave-se a isso, a implantação do modelo deb corrupção sistêmica entranhada nas veias de toda administração do estado brasileiro. Ora, aonde está a racionalidade humana, que não consegue ver óbvio, e excluir de sua vida o que é nefasto pra ele e sua família e seu mundo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Cabo do Exército é preso suspeito de assaltos na zona leste de Natal; amigo também é detido

Um cabo do Exército identificado como Sid Gutierrez Santana Costa, de 20 anos, do 17º Batalhão de Artilharia, foi preso na noite dessa segunda-feira (27), suspeito de assaltos. De acordo com a Polícia Militar, ele estava acompanhado de um amigo, identificado como Marcos Vinicius Varela da Silva, de 18 anos, em um veículo Celta, de cor vermelha. Na ocasião, a dupla foi denunciada por populares após realizar cerca de quatro assaltos nas mediações do bairro Petrópolis, zona leste de Natal. Eles foram encontrados na Avenida Alexandrino de Alencar, no Alecrim, e flagrados com um revólver calibre 38, além de pertences das vítimas.

Segundo a PM, a dupla foi encaminhada para a delegacia de Plantão Zona Sul. Lá, o militar fez uma alegação no mínimo estranha. Que estaria sendo coagido por bandidos do bairro das Quintas a realizar assaltos e entregar o que for roubador a eles. Os supostos bandidos, por sua vez, tiveram seus nomes preservados por preferência do militar. Além dele, o seu amigo também foi autuado após ser reconhecido pelas vítimas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Prazo para o alistamento militar obrigatório vai até 28 de junho

O Ministério da Defesa publicou hoje (15) no Diário Oficial da União o cronograma de convocação para o alistamento militar obrigatório em 2013. O prazo para os nascidos no ano de 1995 se apresentarem a uma Junta de Serviço Militar começou em 2 de janeiro e vai até 28 de junho, último dia útil do primeiro semestre.

Quem não se apresentar até essa data terá que pagar multa e, se convocado, prestará serviço apenas no ano de 2015. Quem nasceu antes de 1995 e não se apresentou no ano passado também deverá comparecer às juntas de serviço militar e pagar multa de R$ 1,38 por ano de atraso.

O documento exigido para o alistamento é certidão de nascimento e uma foto 3×4. Os homens com mais de 18 anos em falta com o serviço militar não conseguem ingressar em universidades, não podem ter a carteira de trabalho assinada e são impedidos de tirar documentos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Situação das Forças Armadas Brasileira é crítica

O governo divulgou nesta terça (24) os papéis que expõem a Estratégia Nacional de Defesa do Brasil para os próximos quatro anos. Os documentos vieram à luz graças à lei 136, aprovada em 2010. Prevê o envio ao Congresso, a cada quatro anos, começando por 2012, de três documentos: o PND (Política Nacional de Defesa), a END (Estratégia Nacional de Defesa) e o LBDN (Livro Branco da Defesa Nacional).

O papelório foi entregue ao presidente do Congresso, José Sarney, em 17 de julho, um dia antes do início do recesso parlamentar do meio do ano. As ações do Executivo na área da defesa estão agora  condicionadas à aprovação das diretrizes pelo Legislativo. O miolo das preocupações está exposto em dois trechos da Estratégia Nacional de Defesa.

Num, ilumina-se a filosofia que guia o Exército, a Marinha e Aeronáutica: “Convém organizar as Forças Armadas em torno de capacidades, não em torno de inimigos específicos. O Brasil não tem inimigos no presente. Para não tê-los no futuro, é preciso preservar a paz e preparar-se para a guerra.”

Noutro, listam-se as debilidades que inibem a capacidade de reação militar Brasil contra eventuais inimigos. Anota-se que “apesar dos esforços desenvolvidos nos últimos anos”, a defesa do país ainda convive com “vulnerabilidades”. O texto menciona dez deficiências.

Três são especialmente reveladoras: 1) “A desatualização tecnológica de alguns equipamentos das Forças Armadas”, associada à “dependência em relação a produtos de defesa estrangeiros”; 2) A baixa capacidade atual das Forças Armadas para reagir “contra os efeitos causados por agentes contaminantes químicos, biológicos, radiológicos e nucleares”; e 3) os desajustes na “distribuição espacial das Forças Armadas no território nacional”.

Em relação a esse último tópico, o texto realça a necessidade “reposicionar os efetivos” do Exército, da Marinha e da Aeronáutica. A distribuição atual, informa o documento, não condiz com as necessidades de defesa do país. As ameaças concentram-se em pedaços do mapa diferentes dos locais onde se encontram as tropas.

Diz o texto: “As principais unidades do Exército estacionam no Sudeste e no Sul do Brasil. A esquadra da Marinha concentra-se na cidade do Rio de Janeiro. Algumas instalações tecnológicas da Força Aérea estão localizadas em São José dos Campos, em São Paulo. As preocupações mais agudas de defesa estão, porém, no Norte, no Oeste e no Atlântico Sul.”

O documento prossegue: “Sem desconsiderar a necessidade de defender as maiores concentrações demográficas e os maiores centros industriais do país, a Marinha deverá estar mais presente na região da foz do Rio Amazonas e nas grandes bacias fluviais do Amazonas e do Paraguai-Paraná. Deverá o Exército agrupar suas reservas regionais nas respectivas áreas, para possibilitar a resposta imediata na crise ou na guerra.”

Para atenuar as debilidades de equipamento, o governo informa que age para “capacitar a base industrial de defesa.” Visa-se a conquista de “autonomia” tecnológica na produção de armamentos. “Regimes jurídico, regulatório e tributário especiais protegerão as empresas privadas nacionais de produtos de defesa.” Em contrapartida aos privilégios, o Estado exercerá “poder estratégico” sobre as empresas do setor.

Quanto às estatais que se dedicam a produzir artefatos militares, vai-se cuidar para que operem “no teto tecnológico, desenvolvendo as tecnologias que as empresas privadas não possam alcançar ou obter, a curto ou médio prazo, de maneira rentável.” O Ministério da Defesa centraliza “a formulação e a execução da política de obtenção de produtos de defesa.”

O plano de defesa guinda à condição de prioridade o fortalecimento de “três setores de importância estratégica: o espacial, o cibernético e o nuclear.” Afirma-se que as Forças Armadas brasileiras não podem continuar dependendo de “tecnologia estrangeira” para monitorar, “a partir do espaço”, as ameaças ao seu próprio território. Daí o relevo dado aos equipamentos espaciais e cibernéticos.

O texto reafirma o compromisso do Brasil de só utilizar a energia nuclear para fins pacíficos. Invoca-se a “necessidade estratégica de desenvolver e dominar essa tecnologia.” Por quê? “O Brasil precisa garantir o equilíbrio e a versatilidade da sua matriz energética e avançar em áreas tais como as de agricultura e saúde, que podem se beneficiar da tecnologia de energia nuclear.” De resto, menciona-se o velho projeto do submarino de propulsão nuclear da Marinha.

Em termos territoriais, a política de defesa do governo repisa a prioridade à proteção da Amazônia, “um dos focos de maior interesse para a defesa.” Nesse ponto, o texto tem um quê de nacionalismo ideológico. Sacode nas entrelinhas o lençol de um fantasma que atormenta os militares brasileiros: o risco de internacionalização da região Amazônica.

O fantasma aparece nesse trecho: “O Brasil será vigilante na reafirmação incondicional de sua soberania sobre a Amazônia brasileira. Repudiará, pela prática de atos de desenvolvimento e de defesa, qualquer tentativa de tutela sobre as suas decisões a respeito de preservação, de desenvolvimento e de defesa da Amazônia. Não permitirá que organizações ou indivíduos sirvam de instrumentos para interesses estrangeiros – políticos ou econômicos – que queiram enfraquecer a soberania brasileira. Quem cuida da Amazônia brasileira, a serviço da humanidade e de si mesmo, é o Brasil.”

Menciona-se também a preocupação com a defesa das fronteiras marítimas do país. No caso brasileiro, diz o texto, “o direito de jurisdição sobre os recursos econômicos” se entende por “cerca de 4,5 milhões de quilômetros quadrados”. No dizer do documento, trata-se de “uma verdadeira Amazônia Azul.” Uma área em que estão mergulhadas, entre outras riquezas, as reservas petrolíferas do pré-sal.

Em várias passagens, adota-se nos documentos um tom de lamúria em relação à falta de percepção da sociedade brasileira sobre a importância da política de defesa. Num desses trechos, anotou-se o seguinte: “Após longo período livre de conflitos que tenham afetado diretamente o território e a soberania nacional, a percepção das ameaças está desvanecida para muitos brasileiros.”

O texto acrescenta: “É imprudente imaginar que um país com o potencial do Brasil não enfrente antagonismos ao perseguir seus legítimos interesses. Um dos propósitos da Política Nacional de Defesa é conscientizar todos os segmentos da sociedade brasileira da importância da defesa do país e de que esta é um dever de todos os brasileiros.”

Os documentos não fazem menções explícitas ao volume de recursos que se pretende gastar para pôr em pé a estratégia. Na lista de “vulnerabilidades” que infelicitam as Forças Armadas, incluiu-se “a histórica descontinuidade na alocação de recursos orçamentários para a defesa.”

No Livro Branco da Defesa Nacional, novidade criada pela Lei 136, de 2010, são mencionadas informações antes sonegadas. Em 276 páginas, misturam-se dados geográficos e históricos a descrições sobre o posicionamento de unidades militares, quantidade de embarcações, veículos e aeronaves e tipos de armas à disposição para o uso em caso de guerra.

A submissão da política de defesa à deliberação do Congresso constitui uma novidade alvissareira. Incluídos no Orçamento da União, os gastos militares, como todos os demais, já dependem de aprovação legislativa. Mas é a primeira vez que a estratégia do setor é condicionada ao crivo de congressistas que, em tese, representam a sociedade brasileira.

Fonte: Josias de Souza

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Corpo de capitão da Aeronáutica é encontrado na Redinha

Foto: Canindé Soares

 

O corpo supostamente de um capitão da Aeronáutica foi localizado ontem a noite sobre o quebra-mar da Redinha, nas proximidades da ponte Newton Navarro.

O homem não foi oficialmente identificado, mas ele estava com o fardamento militar que indica a patente. Tudo indica que esse é o corpo de um militar que se jogou da ponte na manhã da última segunda-feira (9). O corpo desse militar ainda não havia sido localizado.

A Polícia Militar (PM) foi acionada para fazer o isolamento do local, enquanto o Instituto Técnico-científico de Polícia (Itep) fazia a perícia e o recolhimento do corpo.

As informações foram obtidas junto ao jornalista Jacson Damasceno e ao repórter fotográfico Canindé Soares. Agora pela manhã o BG entrou em contato com o Itep que não confirmou ainda a identidade do rapaz.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Polícia Civil não faz recolhimento e máquinas caça-níquel são arrombadas

O blog acaba de ser informado de uma situação realmente lamentável, reflexo do descaso e da crise na segurança que passa o Estado.

Na madrugada da última sexta-feira (11), após denúncias anônimas, policiais do 5º Batalhão de Polícia Militar (5º BPM) fecharam um bingo que funcionava na rua Neusa Farache, situado no bairro de Capim Macio. No local, foram encontradas cerca de 90 máquinas caça-níquel. Como de padrão, a Polícia Civil é acionada para dar andamento ao procedimento.

O delegado de plantão Custódio Arraes, agindo corretamente dentro de suas atribuições, foi ao local e deu andamento a ocorrência. Só que ele não tinha como fazer o transporte do material apreendido por falta de veículo e fez o isolamento do local com aquela faixa zebrada em preto e amarelo.

Para não deixar o local ao Deus dará, os policiais do 5º BPM passaram a ter uma rotina de fiscalização à residência para evitar o furto, extravio ou qualquer tipo de interferência nas máquinas, haja vista que elas se encontravam, em tese, sob a custódia do Estado. Até aí, tudo bem.

A confusão começou durante a semana. Todos os dias os PMs solicitavam à Civil o recolhimento das máquinas. O problema é que o caminhão que realizaria o recolhimento do material nunca chegou. A Polícia Civil alegava que não dispunha do veículo para realizar o transporte. Conclusão? As máquinas ficaram toda a semana (e estão lá até hoje).

Mas tenham calma. Essa demora é apenas a primeira parte do problema. Nesta sexta-feira (18), o delegado de Costumes Silvio Andrade foi até o endereço onde estavam as máquinas e constatou que todas estavam arrombadas exatamente no dispositivo que armazena o dinheiro do jogo. Cadê o dinheiro? Ninguém sabe, ninguém viu!

Está besta? estarrecido? indignado? A novela ainda não acabou. Ao fazer a constatação, o delegado acionou o Instituto Técnico-científico de Polícia (Itep) para que fizesse uma perícia no local e nas máquinas, porque estava configurado um segundo crime dentro de um local sob a guarda do Estado, e sabe o que aconteceu? Nada. Isso mesmo: nada! Até agora, nenhum dos peritos esteve no local.

Enquanto isso, as viaturas do 5º Batalhão continuam sendo obrigadas a fazer ronda pela região fazendo um rodízio na frente da casa, deixando o bairro o policiamento ostensivo do bairro desfalcado de uma viatura.

Se é assim que algumas autoridades e agentes tomam conta da nossa segurança, imaginem como estamos bem seguros.

Opinião dos leitores

  1. Unificação das Polícias?Na unificação, os delegados ganhariam status de Promotor de Justiça, os Oficiais PMs, Agentes e Escrivães de Polícia, status de Delegado e os Praças das PMs se tornariam Agentes de Polícias Estaduais…
    Assim, todos ficariam satisfeitos e a escassez de Promotores, Delegados e Policiais seria bastante atenuada…Saliento que antes haveriam cursos para aperfeiçoar esse profissionais, habilitando-os para as respectivas funções, que muitas vezes eles já exercem de forma irregular…
    Por exemplo: Há muitos Sargentos, Agentes, Escrivães e Oficiais de Polícia exercendo função de Delegado em várias cidades do Brasil…Fala-se muito em preservação das tradições… Mas, o que é mais importante? as tradições, ou a eficiência nas estruturas da segurança pública? Para quê serve o militarismo nas policias?
    Não seria o momento de dar aos agentes da segurança um caráter profissional desprovido do cerimonialismo e apêndices?Assim, a Segurança pública no Brasil melhoraria substancialmente…Para isso basta aprovar uma emenda constitucional…A segurança pública deverá atender os anseios da sociedade antes de qualquer interesse corporativo….
    O modelo de segurança vigente já se mostrou incapaz de atender com qualidade aos anseios da sociedade…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Polícias Civil e Militar prendem bando acusado de tráfico de drogas em Santa Cruz

Uma operação conjunta entre as Polícias Civil e Militar prendeu em flagrante na noite desta quinta-feira (17), sete pessoas envolvidas com o tráfico de drogas em Santa Cruz, cidade distante a 115 km da capital. Além disso, um menor também foi apreendido. O bando vinha sendo investigado a cerca de dois meses.

Os acusados são: Altemir Jeverson da Silva Oliveira, o chefe da quadrilha, e sua esposa Shauana Stephane Oliveira da Silva; João Carlos da Silva Lopes, mais conhecido como “Kiko”; Jenerson Rocha, vulgo “Décio”; Francisco Alexandre da Silva, o “Magão”; Marcondes Rodrigues da Silva e Ronaldo Soares da Silva Aureliano.

Com o bando foram apreendidos um punhal, quatro munições de revólver calibre 32, 40 pedras de crack prontas para consumo e uma pedra maior de 15 gramas, meio quilo de maconha e aproximadamente cinco gramas de cocaína. Além de oito celulares, duas TVs de 20 polegadas, um aparelho de som, um relógio, duas pulseiras e uma quantia de R$ 480 reais, em notas de R$ 2, R$ 10 e R$ 20.

Altemir Jeverson  é natural de Macaíba e estava morando em Santa Cruz há dois meses, após ter sido ameaçado de morte em sua cidade.

Os acusados encontram-se presos na 9ª Delegacia Regional de Polícia à disposição da justiça.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Polícia desmonta quadrilha especializadas em assaltos na Grande Natal

A equipe de policiais civis da 1ªDP de Parnamirim, comandada pelo delegado Graciliano Lordão, efetuou a prisão de quatro pessoas suspeitas de praticarem assaltos a residências, granjas e comércios na Grande Natal. Os detalhes da prisão foram divulgados na manhã dessa sexta-feira (30) durante coletiva de imprensa na Delegacia Geral de Polícia Civil (Degepol).

Os presos foram identificados como Cláudio Henrique de Oliveira, 25 anos, vulgo “Fit”, Djack Djohnson Moura dos Santos, o “Manchinha”, o soldado da aeronáutica Tarciso Henriques Pessoa, 23 anos, e, Renato da Silva Santos, 20, vulgo “Renato Beiço”.  As prisões se deram em cumprimento a mandados de prisão preventiva expedidos pela 2ª Vara Criminal de Parnamirim,que foram cumpridos nos último dia 07 de março.

De acordo com o delegado Graciliano Lordão, as investigações tiveram início após um arrastão a uma residência localizada no bairro Nova Esperança, em Parnamirim, ocorrido no dia 31 daquele mês. A partir de informações colhidas pela polícia, foram apreendidos dois menores de idade suspeitos de envolvimento no crime, que possibilitaram a identificação da quadrilha. “A partir da apreensão dos adolescentes identificamos primeiramente o Fit, em seguida o restante da quadrilha, e com o reconhecimento das vítimas pedimos a prisão preventiva deles”, explicou.

Os acusados foram identificados pelas vítimas desse assalto como também de outros roubos. “Investigamos pelo menos oito assaltos praticados pelo bando. Eles vinham agindo desde o ano passado”, revelou Lordão. Uma das ações da quadrilha aconteceu no último dia 09 de fevereiro, quando eles teriam assaltado um bar e em um mercadinho localizados em São José de Mipibu e em seguida, no mesmo dia, tomaram um carro de assalto pertencente a uma cervejaria na BR-101, nas proximidades do aeroporto Augusto Severo.  O veículo, segundo o delegado, teria sido usado em um assalto a uma granja em São José de Mipibu cometido no dia seguinte.

O delegado contou ainda que um dos membros da quadrilha identificado como Erivaldo Lima Silva, vulgo “Ferrinho”, de 20 anos, foi morto no último dia 14 de fevereiro durante um dos assaltos praticados pelos acusados a uma granja. Durante a ação, o vigilante reagiu e efetuou disparos contra o bandido que veio a óbito. Na ocasião, os comparsas pegaram o corpo e jogaram na frente da residência do pai dele para que fosse socorrido. Ferrinho era conhecido da polícia por praticar inúmeros assaltos desde que era menor e era considerado um bandido bastante violento.

Graciliano Lordão investiga agora a participação de outros possíveis integrantes da quadrilha. Há a suspeita de que mais dois adolescentes e um adulto estejam envolvidos nos assaltos praticados pelo grupo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura

[FOTO POLÊMICA] Fuzileiro protagoniza cena de beijo gay público em chegada do Afeganistão

(Por Interino)

O fuzileiro gay cuja foto de um beijo de boas-vindas com o namorado se espalhou pela internet e provocou polêmica na terça-feira (28) nos EUA, revelou que foi o primeiro beijo do casal.

O sargento Brandon Morgan, de Oakdale, Califórnia, contou ao site “Khon2.com” como a amizade de quatro anos com o artista Dalan Wells se tornou um amor à distância enquanto ele servia nas forças norte-americanas no Afeganistão.

“Nós não podíamos falar, como mal podemos falar agora, as mãos dele estavam dormentes, minhas pernas tremiam, nosso primeiro beijo aconteceu logo depois de descobrirmos o que sentíamos um pelo o outro”, disse Morgan, segundo o “Daily Mail”.

A imagem já famosa do sargento erguido pelos braços do namorado durante desembarque no Havaí foi feita pelo amigo Dave Lewis e postado no Facebook no sábado. Desde então, recebeu milhares de comentários e foi “curtida” e compartilhada por milhares de internautas.

Em junho do ano passado, o presidente Barack Obama assinou o fim da lei de 1994 que impedia que soldados abertamente homossexuais servissem às forças armadas do país, após receber a aprovação do Pentágono. Tradicionalmente, predomina no país a política do “Don’t ask, don’t tell” (“Não pergunte, não diga”) no que diz respeito a gays ou lésbicas nas forças armadas.

Fonte: G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

PM recaptura fugitivo de Alcaçuz e prende militar da Marinha na Zona Norte

Um fugitivo da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, identificado como Joab da Silva, foi recapturado no início da tarde desta sexta-feira (10), por volta das 14h, após uma denúncia anônima de sua presença em uma residência situada na rua Santa Júlia, por trás da Guararapes, no Jardim Progresso, zona Norte de Natal. A informação foi confirmada pelo tenente Ulisses, oficial da Polícia Militar em serviço.

Segundo o oficial da PM, os policiais militares junto com a Força Tática da Zona Norte, chegaram até a residência e realizaram o cerco do local. Na ocasião, a porta estava aberta e próximo dela estava Joab, que recebeu voz de prisão e foi detido. Ele estava na companhia de um recruta da Marinha e um adolescente de 16 anos, e foram flagrados com uma pequena porção de maconha e um revólver calibre 38, com seis munições.

Os três foram encaminhados para a 9ª Delegacia de Polícia (DP), do Pajuçara.

Fonte: DN Online

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

PM recaptura mais um dos fugitivos de Alcaçuz

O número exato de presos que fugiram do presídio de Alcaçuz ainda é uma incógnita, porque a unidade prisional sequer tinha o controle de quem realmente estava preso, mas o fato é que a Polícia Militar segue trabalhando com a ajuda da população.

O major Kennedy, comandante do 4º BPM, da Zona Norte, confirmou que uma equipe comandada pelo tenente Tales efetuou a recaptura do fugitivo Gustavo Nicácio Alves, na Rua São Geraldo, no bairro Nossa Senhora da Apresentação.

De acordo com informações do comandante, populares repassaram a informação ao 190 de que o fugitivo estaria traficando drogas no endereço. Munidos da informação, o tenente Tales que estava de folga reuniu a equipe de PMs do 4º BPM e foi até o local apontado. Chegando lá, Gustavo foi flagrado com uma pequena quantidade de maconha.

O fugitivo terminou se entregando e confessando ser afugado de Alcaçuz. Após recapturado, ele foi encaminhado para a Polícia Civil para ser lavrado o flagrante pelo crime de tráfico de entorpecentes e ele deve voltar para o presídio ainda hoje, após passar pelo exame de corpo de delito.

O coronel Mendonça, novo diretor do presídio, que vem desempenhando um bo trabalho a frente da unidade prisional está fazendo uma espécie de censo para identificar exatamente quais presos se encontram preso e quais já fugiram.

Outra recaptura

Ainda na tarde de hoje, policiais do 1º BPM, da Zona Leste, realizaram a captura de Ricardo Domingues do Nascimento, no conjunto Paço da Pátria. Durante um trabalho de patrulhamento ostensivo e reconhecimento, ele foi flagrado pelos PMs e ainda tentou fugir. O helicóptero Potiguar 1, da Secretaria de Segurança (Sesed), foi acionado. Com o apoio aéreo, Ricardo terminou se entregando.

O tenente Cláudio falou por telefone que contra o rapaz havia um mandado de prisão em aberto. Com o mandado cumprido, ele deve ser encaminhado a um dos Centros de Detenção Provisória (CDPs) da região metropolitana de Natal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *