CNJ investiga enriquecimento de 62 magistrados

O principal órgão encarregado de fiscalizar o Poder Judiciário decidiu examinar com mais atenção o patrimônio pessoal de juízes acusados de vender sentenças e enriquecer ilicitamente, informa reportagem de Frederico Vasconcelos e Flávio Ferreira, publicada na Folha desta segunda.

A Corregedoria Nacional de Justiça, órgão ligado ao Conselho Nacional de Justiça, está fazendo um levantamento sigiloso sobre o patrimônio de 62 juízes atualmente sob investigação.

O trabalho amplia de forma significativa o alcance das investigações conduzidas pelos corregedores do CNJ, cuja atuação se tornou objeto de grande controvérsia nos últimos meses.

Associações de juízes acusaram o CNJ de abusar dos seus poderes e recorreram ao Supremo Tribunal Federal para impor limites à sua atuação. O Supremo ainda não decidiu a questão.

Repórter do Diário de Natal é agredida e ameaçada com arma por policial militar

Um evento lamentável no Nazarenão, durante o jogo do América e Paysandu, e que, por sorte, não terminou em tragédia.

A repórter fotográfica do Diário de Natal, Ana Amaral, foi agredida por um policial militar.

De acordo com uma matéria publicada há pouco no DN Online, Ana registrava um torcedor que estaria sendo espancado por policiais militares no momento em que um dos PM’s se aproximou da fotógrafa e empurrou, impedindo que ela registrasse as cenas.

A fotógrafa alegou que estava trabalhando. Em resposta, o PM teria apontado a arma para sua cabeça e exigiu que ela parasse de tirar fotos, intimidando o trabalho do Diário de Natal.
OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junior disse:

    Olha ontem na entrada, muitas senhoras, crianças principalmente o meu ficou barbarizado com a truculência de certos policiais, eles de longe atiravam balas de borrachas em direção quem não tinha nada haver com a confusão, são sim despreparados o comandante da PM tem que ver isso e punir esse que dizem PM, não são todos, mais quando tem uma laranja podre no meio dos bons atigem eles todos. policia para quem precisa, policia para quem precisa de policia.

    • Lúcia Azevedo disse:

      O que mais se espera dos responsáveis é a punição dessas laranjas podres…infelizmente não é o que a gente vê que acontece…

  2. Napoleandro disse:

    Tem que analisar muito bem essa história….Pode estar havendo corporativismo por parte da imprensa também

  3. Serapião disse:

    Por isso que defendo a exigência de curso de nível superior como pré requisito para concurso para as polícias civis e militares….Já que a imprensa é uma caixa de ressonância da sociedade poderia fazer bastante matérias nesse sentido…. No entanto, a Imprensa não vem cumprindo bem o seu papel, afundando na militância partidária, colonismo – É colonismo mesmo – social e outros coisas de menor importância…QUando não apelam para apelam para um jornalismo sórdido, mórbido e bárbaro, exalando gosto e cheiro de sangue.

  4. Breno Cardoso disse:

    às vezes fica difícil saber de que lado a polícia está

  5. Alexandre Cavalcante disse:

    Esse fato mostra a prepotência dos policiais Do estado, a arrogância e o despreparo causa o abuso de autoridade, quem eles pensam que são? 

  6. Eusir disse:

    Tem muitos policiais bons. mas muitos nem tem conhecimento da constituicao. A sociedade tera uma nova mentalidade, quando for reformulada a estrutura curricular e inserir o estudo do direito constitucional ao alunos do ensino medio para todos fazerem valer os seus direitos e deveres.

    • Lúcia Azevedo disse:

      Além do estudo de direito, deveriam fazer uma avaliação psicológica nesses policiais que cada vez estão extrapolando mais os limites de respeito a integridade física da pessoa humana, porque se acham superior…acima do bem e do mal…não generalizando, claro.

  7. LEILA disse:

    Infelizmente, hj tememos mais alguns policiais do q os bandidos, pq cm a farda da PM fica difícil imaginar q tenham atos tão absurdos…No início desse ano, uma família amiga minha foi vítima de uma ação muito semelhante na praia de Maracajaú…um policial militar simplesmente pq queria q a família retirasse o carro de um estacionamento PUBLICO, a pedido de um dono de restaurante apontou a arma para uma amiga minha e pasme, suas duas filhas, de 10 e 4 anos, pq a mesma teria dito q essa não era função da PM…o policial chegou a derrubá-la e puxar seus cabelostudo registrado em fotos)…foi aberto um inquérito administrativo contra o tal policial, com provas de ''exames de corpo delito"  e "fotos" do ocorrido, uma vez q uma pessoa presente registrou toda atrocidade desse policial…sabe no q deu???…até agora em NADA…alegam q tem muitos processos, e estão tomando depoimentos (há quase um ano!)…ms contra fatos e fotos não há argumento…na época do ocorrido, pedi p ver as fotos e a ampla documentação, inclusive depoimentos de moradores q ficaram indignados cm a situação…até sugeri q ela levasse o caso a imprensa e processasse o Estado já q esses PM'S são d responsabilidade deste, e ninguém toma providências…particularmente, acho q é por causa do coorporativismo q existe entre esses PM'S…se eu for autorizada, envio p vc as fotos absurdas e outros documentos por e-mail…eu fico muito triste cm isso tudo, as crianças ficaram tão traumatizadas q uma equipe do PROERD foi na escola q elas estudam, e as mesmas ficaram assustadas por causa do fardamento da PM….sei q nem todos tem esse comportamento, ms por causa da impunidade todos pagam….

    • Lúcia Azevedo disse:

      Cara Leila, também fui abordada por PM com armas, igual a esse caso e ao caso da repórter. O interessante é que ultimamente venho acompanhando casos de agressões desses policiais envolvendo mais mulheres e crianças. É lamentável como aqui esse processo fica impune. No meu caso, estou processando o Estado também, e como não morri quando apontaram a arma p mim, pois poderia ter acontecido até acidentalmente, pois os tais policiais diziam que o meu carro era roubado com arma apontada para mim,só vou sossegar quando houver justiça. Essa família deveria fazer o mesmo, pois acho que nem eles sabem qual a função deles. Apontar arma por causa de estacionamento? Isso só tem um nome: ABUSO. E no caso da fotógrafa? PM agora quer impor censura a imprensa? Esse tempo já passou, ou estamos voltando ao tempo da ditadura?

  8. Breno Cardoso disse:

    onde está a liberdade de imprensa????????? 

  9. Gledsonr disse:

    É a nossa polícia se preparando para 2014!

  10. O que é isso hem???? o que estar acontecendo com a humanidade ninguém respeita mais ninguém, em quem agente poderia confiar não confia mais POLICIAL hj agente ver um policial e corre comedo dele lógico toda regra tem excessão. Agente mãe q tem filho que gosta de esporte não tem segurança de deixa eles irem prestigiar o seu time espero que isso um dia acabe só DEUS.

"Torcedores" do América recebem torcida do Paysandu com pedradas em Goianinha

Falta só uma imagem, mas recebemos a informação de que a torcida do Paysandu foi recebida a pedradas por uma ala de vândalos que se diz torcedora do América.

Não acredito nesse tipo de torcedor.

A confusão começou quando os torcedores do time paraense chegaram cantando o hino da equipe. Aí começaram a arremessar e pedras para lá no ônibus dos adversários.

A polícia interviu.

As duas equipes se enfrentam pela Série C do Brasileirão.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mecão serie b disse:

    quando fomos ao estado do pará também fomos recebidos assim,então não devemos criticar a torcidas do America, porque em belem também tem marginal. 

  2. Breno Cardoso disse:

    lamentável que haja "torcedores" desse tipo  no feutebol, só fazem manchar o nome do futebol

  3. america disse:

    Lastimável.. Cenas que devem ser combatidas no futebol ! Agora o SR.
     recebeu essa informacao tambem ? Se nao , publique em seu Blog..
    Confronto com a PM em Goianinha
    20/11/2011 às 14:59 por Marcos Lopes
    Confusão no estádio José Nazareno. Torcedores do Paysandu tentaram derrubar portã e entraram em confronto com Policia Militar, que usa balas de borracha para tentar conter a invasão.

  4. Átila Pessoa Costa disse:

    100% vagabundagem. Não sabe torcer, fique em casa.

Acidente de trânsito na Avenida Engenheiro Roberto Freire

A imagem foi upada no site do Via Certa Natal. O acidente foi na noite de ontem, na Avenida Engenheiro Roberto Freire, altura do Shopping Cidade Jardim.

O Corpo de Bombeiros e o Samu foram acionados. Não há, contudo, informações de vítimas fatais.

 

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. cecilia disse:

    A Polícia de Trãnsito não trabalha no periodo da noite! fiscalização não ocorre de dia imaginem de noite.

  2. Leo disse:

    A Av. Roberto Freire está cada dia mais perigosa! Todo fds tem graves acidentes. Isto já está super comum no local.
    Ontem mesmo ao passar por este acidente, um rapaz dirigia seu carro com uma lata de cerveja na mão… e não estava nem aí.. era pra todo mundo ver que ele dirigia com uma lata de cerveja, pois com a janela do carro aberta, segurava a lata pelo lado de fora.Pessoas cada vez mais imprudentes! Absurdo!

Fila para reduzir estômago mata mais que a cirurgia

Por Mariana Lenharo, para o jornal O Estado de S. Paulo

Com artrite, artrose, pressão alta, esporão e depressão, Maria Oliveira, de 48 anos, espera há nove anos pela cirurgia de redução do estômago, ou bariátrica, na fila para o procedimento do Sistema Único de Saúde (SUS). Com 120 quilos e 1,65 metro de altura, ela tem dificuldade até mesmo para subir as escadas de casa. E não está sozinha em sua espera por tratamento, que deverá ser iniciado apenas em outubro de 2012, quando ela passará por uma triagem.

Na capital, os obesos costumam aguardar entre três e oito anos pelo procedimento na rede pública – frequentemente, dizem os médicos, morrem antes de conseguir uma vaga. Mesmo quem tem convênio médico enfrenta problemas: a liberação do procedimento, muitas vezes, só vem após intervenção judicial.

O problema já bateu à porta do Ministério da Saúde, que se comprometeu a rever a portaria que regulamenta o oferecimento da bariátrica pelo SUS, segundo apurou o Jornal da Tarde. Uma reunião entre o ministério e as sociedades médicas já está prevista com o objetivo de estabelecer as novas diretrizes. “A nova portaria deve entrar em vigor ainda no próximo ano”, conta o cirurgião Irineu Rasera, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica (SBCB).

Para ele, seria importante que fossem adotados critérios mais flexíveis para o credenciamento de centros dispostos a fazer a cirurgia pelo SUS. “O número de leitos para cirurgia bariátrica é pequeno e o procedimento não é atraente em termos de remuneração. É preciso rever a política de credenciamento e remuneração.”

Mais de dez anos após a regulamentação da cirurgia bariátrica pelo SUS, a fila de espera para o procedimento ultrapassa os sete anos na Santa Casa de São Paulo. A situação é a mesma no Conjunto Hospitalar do Mandaqui. Já no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HC), a espera varia entre três e quatro anos. O problema, dizem os médicos, é que o paciente obeso nem sempre pode aguardar: no HC, a taxa de óbito na fila de espera pela bariátrica é quase sete vezes maior que o índice de mortes provocadas pelo próprio procedimento.

Com o passar do tempo, doenças associadas ao excesso de peso tendem a se intensificar. A avaliação é do médico Alfredo Halpern, da Associação Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). De acordo com um levantamento feito por ele no Grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas, 2,7% dos pacientes morrem à espera da cirurgia – enquanto isso, a média dos que morrem por causa do procedimento é de 0,4%.

Assim como no HC, a mortalidade na fila da Santa Casa também é alta, segundo a percepção dos médicos, embora não exista levantamento oficial sobre o problema. Cirurgião na instituição, Carlos Alberto Malheiros conta que é comum ligar para pacientes que estão na espera há sete anos e descobrir que “eles morreram de enfarte ou de outra comorbidade”. Recentemente, o hospital convocou os mais de mil pacientes da fila de espera para fazer uma avaliação de seu estado de saúde e classificá-los entre graves e não graves. A ideia é, segundo o médico, formar duas filas para que os pacientes graves não tenham de aguardar tanto.

Para Malheiros, o aumento de demanda pela cirurgia nos últimos anos, motivado pelo avanço da obesidade entre a população brasileira, é um dos fatores responsáveis pelas longas esperas. Entre 2006 e 2010, por exemplo, o número de cirurgias bariátricas feitas no País mais que dobrou, segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), passando de 29.500 para 60 mil.

Outro motivo que ajuda a explicar a lentidão das filas é o fato de a cirurgia bariátrica exigir uma estrutura pré e pós-operatória muito grande. Além da preparação do paciente por uma equipe multidisciplinar, com endocrinologista, nutricionista, psiquiatra, psicólogo e cirurgião, quem passa pela cirurgia deve receber acompanhamento para o resto da vida.

“O grande funil é este. Não temos um corpo clínico com 20 psicólogas e 15 nutricionistas para acompanhar os pacientes para toda a vida. Fazemos a cirurgia desde 1998, imagine a quantidade de doentes que temos de acompanhar”, diz Malheiros. “É por isso que não se pode fazer um mutirão de cirurgia bariátrica, por exemplo, sem que se tenha estrutura para tratar esses pacientes no pós-operatório.”

Especialistas confirmam a importância do tratamento pré e pós-operatório para os obesos mórbidos. “Todos têm de passar por um preparo endocrinológico, nutricional, psicológico e pneumológico. Tudo isso demanda tempo e equipe”, avalia o cirurgião Almino Cardoso Ramos, diretor de uma clínica particular especializada em cirurgia bariátrica.

Assistir filme pornô faz bem ao relacionamento?

Se você já achou sua cara-metade, assistir vídeos pornôs faz mais mal do que bem.

O Ciência Maluca, da Super, repercutiu um estudo da Universidade de Denver (EUA), em que pesquisadores pegaram como cobaias 1291 pessoas comprometidas (45% delas assistiam a filmes pornôs com o parceiro, sendo que 77%dos homens e 32% das mulheres contaram que também viam pornografia sozinhos) e descobriram que o pessoal que nunca via os filminhos era mais feliz no relacionamento, mais comprometido, se comunicava melhor e estava mais satisfeito sexualmente.

Foram encontrados certos aspectos positivos no hábito de ver pornografia em casal (adedicação de um ao outro era maior e a vida sexual, mais animada), mas isso vinha com umefeito-colateral considerável: as taxas de infidelidade cresciam. E aí, vai arriscar?

Depois do sucesso, Amanda Gurgel será candidata à Câmara de Natal

Foto: R7

Tirando o lengalenga habitual da política, a novidade essa semana foi a confirmação que a projeção midiática alcançada pela professorinha Amanda Gurgel se transformou em capital político.

O PSOL, partido ao qual é filiada, deverá lançar sua candidatura à Câmara de Vereadores de Natal no próximo ano.

Amanda, que tanto criticou os políticos, tem agora sua chance de tentar provar que pode. Ou se tornar vidraça e morrer pelo boca depois do que tanto falou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos Tomaz disse:

    Ainda bem que foi no PSOL. O partido tava precisando de alguém sério o representando aqui em natal. Os melhores deputados federais são do PSOL, realmente ela terá  meu voto. Chega de PT, PSDB, DEM, PMDB, PSB…

  2. Breno Cardoso disse:

    espero que ela consiga sozinha os 20 mil votos para ela se eleger, pq pelo partido que ela está concorrendo fica difícil conseguir uma vaga no legislativo…

Jogar Tênis deixa a bunda desigual

Pesquisadores espanhóis mediram os glúteos de jogadores de tênis e de futebol e comprovaram: enquanto os futebolistas tendem a ter os dois lados do bumbum do mesmo tamanho, nos tenistas uma das nádegas costuma ser até 20% maior que a outra. A explicação é que os jogadores de futebol correm mais, e por isso desenvolvem igualmente os dois lados do corpo.

Revista Superinteressante

Nos últimos dez anos morreram 65 mil pessoas em acidentes com motos no Brasil. Mesmo número da Guerra do Vietnã

Desde 2007, moto mata mais que carro - Efrém Ribeiro/Meio Norte

Agência Estado

O aumento da frota de motos em circulação no Brasil se tornou responsável por uma das piores epidemias que o País já enfrentou. Foram 65 mil mortes em acidentes com motocicleta nos últimos dez anos – número equivalente ao total de americanos mortos na Guerra do Vietnã.

E não é nas grandes metrópoles litorâneas ou do Sudeste que as mortes têm maior peso nas estatísticas. São as pequenas cidades do interior, especialmente do Nordeste, Norte e Centro-Oeste do País, que concentram as maiores taxas de mortalidade por quantidade de motos ou motonetas em circulação – em municípios como São Gonçalo do Piauí (PI), Ribeirãozinho (MT) e Aurora do Tocantins (TO).

Em números absolutos, as mortes em cada uma dessas cidades podem não impressionar. São duas, três, dez por ano. Por isso, não provocam tanto barulho. Mas, quando somadas, configuram uma epidemia só comparável à provocada pelos assassinatos. E as vítimas têm o mesmo perfil: jovens de 20 a 29 anos, do sexo masculino e de baixa renda. Nessa faixa etária, nem câncer nem enfarte nem nenhuma outra doença mata mais do que as motos. Só as armas de fogo.

Entre as capitais, São Paulo ocupa apenas o 13.º lugar no ranking da mortalidade envolvendo motociclistas. O Rio fica em 15.º. A campeã, com uma taxa três vezes maior, é Boa Vista (RR), seguida de perto por Palmas (TO).

O Ministério da Saúde se diz preocupado com o crescimento das mortes, mas há poucos programas de abrangência nacional em curso para combater a epidemia.

O aumento das mortes está diretamente ligado ao avanço da frota sobre duas rodas que, de 2000 a 2010, cresceu quatro vezes de tamanho. É exatamente a mesma taxa de crescimento do número de mortes.

Restaurantes Populares atendem quase 20 mil pessoas por dia no RN

Excelente reportagem de Roberto Lucena para a Tribuna do Norte mostra a importância dos Restaurantes Populares para a comunidade onde ele atua.

São 11h15 de uma quinta-feira quente e ensolarada. No Alecrim, a movimentação é grande, mas muitos comerciantes e consumidores param as atividades para almoçar. São inúmeras as opções de restaurantes que oferecem refeições a preços variáveis. Porém, em um deles, a fila do lado de fora é tão grande que chama atenção. Na esquina das ruas Amaro Barreto e João Carlos, está localizada uma unidade do Restaurante Popular que serve almoço por apenas R$ 1,00. Em todo Rio Grande do Norte, são 24 unidades responsáveis pela comercialização de 19.700 refeições por dia. A secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas) é quem administra o programa. Nos próximos meses, os usuários serão cadastrados e cada um receberá um cartão de identificação. A Sethas quer saber qual o perfil daqueles que frequentam o restaurante.

Por mês, o Governo do Estado gasta R$ 2,5 milhões em pagamento de contratos com oito empresas que fornecem as refeições. Segundo Martinho Ferreira Netro, proprietário da Nutriti Refeições, cada almoço custa R$ 5,03. “O cidadão paga R$ 1,00 e o restante do valor é pago pelo Governo”, explica. A Nutriti é responsável por abastecer 11 restaurantes – os três da capital e nove no interior do estado.

Emanuel AmaralNo Restaurante Popular do Alecrim, um dos mais procurados, são servidas 1,4 mil refeições por dia

Inauguradas em 2003, as primeiras unidades dos restaurantes – Alecrim e Igapó – tinham como objetivo atender a população mais carente, especialmente aqueles que estavam desempregados. Porém, qualquer cidadão, desde que pague o valor cobrado, pode almoçar em um dos restaurantes. O autônomo João Pinheiro, 43 anos, é frequentador assíduo. “Sempre almoço por aqui. Se estiver pelas bandas da zona Sul, vou lá no Centro Administrativo. Se estiver na zona Norte, vou no restaurante de Igapó”, diz. João afirma que a comida é boa, “mas tem dias que não está lá essas coisas”, completa. O dia preferido é a quarta-feira, quando é servida a feijoada. “Aí é primeira”, diz.

Na última sexta-feira, a vendedora Carla Vírginia de Araújo, 20 anos, almoçou, pela primeira vez, no Restaurante Popular de Igapó. “Ouvia falar desses restaurantes mas nunca tive a oportunidade de conhecer. Hoje, deu certo”, contou. Carla mora em São Gonçalo e recebe um salário mínimo. Após almoçar, fez uma avaliação. “A comida é muito boa e fui bem recebida. Estava tudo ótimo. Para ficar melhor, só se colocassem ar condicionado, né?”, diz.

A estudante afirma que, mesmo com o calor, vai voltar ao local. O preço e qualidade da refeição são os principais motivos que fazem o aposentado Cícero Alves, 71 anos, sair de casa por volta das 10h, todos os dias, para almoçar no Alecrim. “É muito melhor do que fazer comida em casa. Eu não pago passagem de ônibus, então o único custo que tenho é só R$ 1,00 mesmo”, diz.

As refeições começam a ser servidas entre 10h30 e 11h, dependendo da unidade. Antes desse horário, uma fila já se forma do lado de fora. O sistema é simples: o consumidor paga R$ 1,00 e recebe uma ficha numerada. Em seguida, troca a ficha por uma bandeja com prato e talheres. O almoço é servido pelos funcionários. O cardápio varia a cada dia. Na última quinta-feira, arroz, macarrão, feijão, salada crua, carne guizada e farofa de cuscuz com linguiça eram as opções disponíveis no Alecrim. Suco de caju e um pedaço de rapadura completavam a refeição.

Na unidade do Alecrim, há cerca de 20 mesas. A rotatividade de clientes é alta. Logo um termina de almoçar e dá espaço para outro. Há algumas regras. Não pode entrar com bebidas nem outro tipo de comida. Ao terminar de comer, o consumidor deve levar sua bandeja até o local da limpeza. “Não deixam entrar nem com um tempero diferente, mas eu dou meu jeito”, diz João Pinheiro ao tirar do bolso um frasco de vidro contendo uma mistura de azeite com molho inglês. “É para a comida ficar mais gostosa”, explica.

Apesar de existir há oito anos, o Governo do Estado nunca fez um estudo para saber que tipo de pessoa frequenta os restaurantes populares. O controle, segundo Martinho Ferreira, é importante para saber onde investir e o que oferecer ao público. “Sei que vai gente de todo tipo, do mais simples ao mais exigente”, conta. De acordo com o titular da Sethas, Luiz Eduardo Carneiro Costa, a partir de fevereiro do próximo ano, será implantado um sistema de controle e cadastro do usuário. “Vamos começar com as unidades de Natal e Mossoró e depois, se tudo sair como previsto, estenderemos para os outros municípios”, diz.

A ideia, segundo o secretário, é criar um cartão magnético contendo o nome e foto do usuário. O cartão não será cobrado e o projeto, prevê Luiz Eduardo, não será caro. “Acredito que gastaremos pouco menos de R$ 100 mil para realizar esse projeto”.

Dívida com empresas é de R$ 4 milhões

As oito empresas que fornecem refeições para o programa Restaurante Popular aguardam o pagamento de uma dívida de R$ 4,48 milhões referente aos meses de novembro e dezembro do ano passado. O proprietário da Nutriti Refeições, Martinho Neto, afirma que a administração estadual passada cometeu um “crime”. “O pagamento já estava empenhado e eles [o Governo] simplesmente cancelaram o empenho”, diz. Segundo o empresário, o programa não foi cancelado porque o contrato ainda está em vigor e a atual administração comprometeu-se em fazer o pagamento do débito. “Temos a esperança de que vamos receber”, conclui.

No próximo mês, haverá renovação dos contratos vigentes. Segundo o secretário Luiz Eduardo, técnicos da Sethas estudam a possibilidade de realizar uma nova licitação. “Há o mecanismo automático de renovação do contrato, mas estamos analisando se é viável realizar uma licitação plena com o cuidado do serviço não ser cancelado”, afirma.
O secretário diz ainda que há a possibilidade de expansão dos programa Café do Trabalhador e Restaurante Popular. Para tanto, aguarda a celebração de parcerias com o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome. “Queremos aumentar o número de refeições bem como o número de restaurantes”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos Tomaz disse:

    Tá vendo aí quem Vilma deixou no lugar dela… Nem se quer pagou a dívida R$ 4,48 milhões, ainda há quem vote nela para prefeitura. Os candidatos da próxima eleição para prefeitura é muito saturado. Devemos acabar com essa oligarquia que perpetua no RN há décadas, Alves, maia, rosado, farias, de souza….

Reforma de Dilma pode atingir 10 Ministérios

Está pronto o esboço da reforma ministerial que Dilma Rousseff planeja fazer no início de 2012. Prevê, no máximo, mais dez expurgos, entre ministros e secretários com status ministerial.

Considerando-se as seis trocas já realizadas, as mudanças podem afetar até 42% das 38 nomeações feitas por Dilma ao tomar posse, em 1o de janeiro de 2011.

Antes de se converterem em fatos, as intenções da presidente terão de passar pela fricção de uma negociação com os partidos que a apoiam.

Se prevalecer a vontade de Dilma, o governo pode iniciar o segundo ano com uma Esplanada ligeiramente menor: em vez de 38, 35 pastas.

Abaixo, os detalhes da dança de cadeiras projetada pela presidente:

1. Trabalho: Carlos Lupi (PDT) será convidado a deixar o governo. Se não for abalroado por nenhuma nova denúncia, sairá junto com os demais.

Dilma está decidida a manter um representante do PDT em sua equipe. Porém, considera a hipótese de retirar a legenda do Trabalho.

2. Cultura: Ana de Hollanda deve ser afastada. O desempenho da irmã de Chico Buarque, escolha pessoal de Dilma, ficou aquém do que desejava a presidente.

3. Cidades: Imposto a Dilma pelo PP, Mário Negromonte será defenestrado expurgado por duas razões. Primeiro porque perdeu o apoio de sua legenda.

Segundo porque é visto no Planalto como gestor temerário de uma pasta convertida em escândalo esperando para acontecer.

4. Desenvolvimento Agrário: A cabeça de Afonso Florence (PT) deve descer à bandeja pela mesma razão invocada contra Ana de Hollanda: ineficiência.

5. Educação: Fernando Haddad (PT) trocará a Esplanada pelos palanques municipais de São Paulo.

6. Integração Nacional: Dilma não cogitava trocar Fernando Bezerra Coelho (PSB). O ministro foi à lista graças a uma jogada de seu padrinho político.

O governador pernambucano Eduardo Campos empina a candidatura de Fernando Bezerra à prefeitura do Recife. A troca está condicionada à efetivação do plano.

8. Fusão de secretarias: Dilma cogita incorporar duas secretarias (Igualdade Racial e Políticas para as Mulheres) em uma (Direitos Humanos).

Nessa hipótese, a secretaria “três em um” seria chefiada por Maria do Rosário (PT), atual ministra dos Direitos Humanos.

Luíza Bairros (PT), hoje à frente da secretaria de Igualdade Racial, perderia a função. Iriny Lopes (PT), gestora da pasta das Mulheres, também.

Iriny tenta viabilizar-se como candidata petista à prefeitura de Vitória (ES). Dilma sonha com o êxito da empreitada.

9. Pesca: É outra pasta que, por desnecessária, Dilma gostaria de riscar do organograma. A ideia é fundi-la ao Ministério da Agricultura.

Luiz Sérgio (PT), transferido para a Pesca quando perdeu a coordenação política do governo para Ideli Salvatti (PT), iria ao meio-fio.

10. Portos: Dilma deseja devolver os portos para a estrutura do Ministério dos Transportes. Algo que converteria Leônidas Cristino (PSB) em ex-ministro.

11. Micro e Pequenas Empresas: Dilma mantém de pé a intenção de criar um ministério para esse setor. Coisa já formalizada em projeto enviado ao Congresso.

Assim, se PT e PSB não atraplharem os planos da presidente de extinguir quatro pastas (Racial, Mulheres, Pesca e Portos), o ministério das empresas seria o 35o.

No gogó, a reforma é vendida por auxiliares de Dilma como uma virada de página. O novo time seria mais qualificado e teria as feições de Dilma.

Na prática, avizinha-se uma mexida convencional. Rendida à (i)lógica da coalizão, Dilma tende a render-se às indicações dos partidos que lhe dão suporte legislativo.

Hoje, o condomínio governista é composto por 14 legendas. Sete estão representadas no primeiro escalão.

O PT controla 18 pastas. O PMDB, cinco. O PSB, duas. PP, PDT, PR e PCdoB têm um ministério cada.

Josias de Souza