Política

Bolsonaro recupera parte da popularidade mesmo com CPI, mostra pesquisa Atlas

Foto: Pablo Jacob/Ag O Globo

Pesquisa nacional da Consultoria Atlas divulgada nesta segunda-feira mostra que, mesmo em meio à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o presidente Jair Bolsonaro recupera parte da popularidade perdida nos meses anteriores.

No levantamento feito entre os dias 6 e 9 de maio, o percentual dos que avaliam o governo Bolsonaro como ótimo ou bom subiu de 25% para 31% na comparação com março. Na contramão disso, o grupo de quem o avalia como ruim ou péssimo recuou de 57% para 53%. Outros 15% classificam como regular.

O Atlas também pergunta aos entrevistados se aprovam ou desaprovam o desempenho do presidente, questão sem o oferecimento da alternativa intermediária equivalente ao regular. A aprovação avançou de 35% para 40% desde março. A desaprovação caiu de 60% para 57%.

Nesta rodada, o Atlas colheu 3.828 respostas de eleitores em todo o país por meio de um questionário online aplicado via convites randomizados. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Valor

Opinião dos leitores

  1. A CPI nem começou a investigar ainda. Os blogs e influencers bolsonaristas vão tentar diminuir a importância da CPI e bla bla bla. O povo brasileiro está pagando com a vida pelos erros gestores e do próprio presidente que certamente não ficarão impunes. Eu creio! Quem for podre que se tore!

  2. Com tantos nomes na disputa pela presidência, eu nao acredito que o brasileiro ainda vai escolher esse burroooooooo e genocida do Bozo de novo de presidente …. ah Brasil 🇧🇷 véi sem jeito

    1. Kkkkkkkk chora neném, 2026 não demora! Kkkkkkk… vai roubar enquanto a mamata não volta!

  3. Bolsonaro não está recuperando a popularidade “mesmo com CPI”, ele está recuperando “por conta da CPI”… todo mundo já entendeu que essa “CPI da Cloroquina” comandada por corruptos tem o único objetivo de derrubar o presidente. Além de não derrubar, vai reeleger o “MITO”… KKKKKKKKKKK

  4. Essa CPI para ser justa, tem que chegar na miudezas dos governadores e prefeitos, razão maior para não dar em nada.

  5. Eu estou dizendo antes de acontecer, Bolsonaro ganha no primeiro turno e o nordeste vai dar uma surra de votos em lula, anotem

    1. Se for uma surra do tamanho da que os conservadores de Natal prometeram na eleição pra prefeito…kkkkkkkkkkkkkk
      Somando Cel Hélio e o delegado (44.579, somados) perderam para o Senador Jean (49.494)…
      Eita cambada de “patriotas” ruim de voto…kkkkkk

  6. Uma pergunta: que instituto de pesquisa não vende resultados de pesquisas, a mais de um ano das eleições e favorável ao contratante? nesse país de Impunidades em que corruptos sentenciados, após serem flagrados, tem processos anulado. Só um idiota pra acreditar nessas pesquisas.

  7. O povo brasileiro parece que está compreendendo o que está se passando. O presidente Bolsonaro faz mesmo jus ao apelido de “mito”. Bombardeado diuturnamente por todos os lados, ainda consegue manter e até melhorar sua popularidade. É incrível!

  8. o desespero da turma que apoia o ladrão é grande , por que todo mundo sabe que a melhor pesquisa é a da urna , e todos vêem pelas movimentações que o percentual positivo do presidente é maior que o que as pesquisas dizem , não esqueçam que a maioria das pesquisas diziam que Bolsinaro não seria eleito , e teve uma que noticiou que nem pra o sengundo turno ele ia , pois se preparem daqui pra frente essa turma vai soltar mentiras e fake News em banda de lata.

  9. Cadê os esquerdopatas de plantão, todos jumentos, comendo capim, pra dizer algo sobre a pesquisa?

  10. O sonho do blog: fazer com que o miliciano chegue “vivo” nas eleições de 2022…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Rogério Marinho diz que são falsas as informações de matéria sobre “orçamento paralelo” e mostra documentos

Através das redes sociais, o ministro Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) desmentiu as informações de matéria do jornal Estadão que diz que o Governo Bolsonaro criou, por meio da pasta sob o comando do potiguar, um orçamento paralelo, a fim de liberar verbas para emendas parlamentares a aliados no Congresso Nacional, em um esquema que teria movimentado R$ 3 bilhões desde o final do ano passado.

“São falsas as informações do Estadão que acusa o governo de ter criado um orçamento secreto. Basta analisar que parlamentares da oposição (PT, PCdoB e PDT) tiveram indicações contempladas. Inclusive o senador Humberto Costa, que parece estar com amnésia. Vou lembrá-lo. Segue”, escreveu o ministro ao anexar um ofício do senador na postagem do Twitter.

Conforme escreve o jornal, o próprio Bolsonaro vetou a tentativa do Congresso de impor o destino de um novo tipo de emenda (chamada RP9), criado no seu governo, por “contrariar o interesse público” e estimular o “personalismo”.

O ministro explicou sobre esse assunto: “Não seria diferente, pois os recursos do RP9 são de indicação do parlamento. Isso começou em 2019 e é sabido. O que há é tentativa de construção de uma narrativa. A reportagem teve acesso aos documentos de indicação dos parlamentares da oposição, mas os ignorou. Qual o motivo?”, questionou.

Rogério Marinho ainda ironizou o senador petista Humberto Costa. “Será que o senador Humberto Costa passou a integrar a base do governo Jair Bolsonaro? O senhor participou de algum #tratoraço senador? Pois o senhor teve uma indicação para a compra de máquinas contemplada. E isso não poderia ser diferente”, finalizou Rogério Marinho.

Com acréscimo do Grande Ponto

 

Opinião dos leitores

  1. Senador petista “um certo bosta” foi beneficiário dessas verbas. É incrível a cara-de-pau desses mentirosos.

  2. “Orçamento paralelo”? O senador petista conhecido por “vampiro” nas planilhas da Odebrecht foi um dos beneficiados. Então,xo governo Bolsonaro está beneficiando senador corrupto do PT? É incrível o apego dessa gente a mentiras. Não vivem sem elas.

  3. Tá com medo da CPI, ministro? A acusação de Lavagem de dinheiro bateu na sua porta antes, alguém lembra?

    1. Melhor usar argola, sinal de aspereza, do que usar chifre, sinal de desmantelo. Vcs tem memória curta e seletiva, o maior ladrão do planeta teve o fórum modificado, no entanto, não foi absolvido das suas falcatruas, precisa ler mais. Ignorância e cegueira mental também é doença.

  4. Mais uma narrativa criada pelos membros da bandidolatria que dizem que não existem provas contra Lula e que ele é inocente.
    São os mesmos trouxólogos que ficam repetindo as mentiras criadas nos porões onde os ratos de nossa política habitam e querem tomar o poder, afirmando que os do bem são perigosos e contra a democracia.

    1. Tenha calma. Tem muito mais coisa para aparecer. Fique nervoso não.

    1. Tem provas amigo? É sua OBRIGAÇÃO apresentá-la ao MPF ou entrar com uma ação. Não tem? É melhor ficar calado, pois poderá responder a um processo por calúnia e difamação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Estudo russo mostra efetividade de 97,6% da Sputnik V contra a Covid-19

Foto: ROBERT ATANASOVSKI / AFP

O cientista russo Denis Logunov, um dos principais desenvolvedores da vacina contra a Covid-19 Sputnik V, disse nesta segunda-feira que o imunizante mostrou uma efetividade de 97,6% contra a doença em uma avaliação de dados do mundo real, com base na análise de 3,8 milhões de pessoas.

Usando um banco de dados de pessoas que receberam as duas doses da vacina, os cientistas do Instituto Gamaleya de Moscou, que a desenvolveu, calcularam a taxa de efetividade no mundo real, disse Logunov durante uma apresentação para a Academia Russa de Ciências.

A nova taxa é maior do que a eficácia de 91,6% descrita nos resultados de um ensaio clínico em grande escala da Sputnik V, publicado na revista científica Lancet no início deste ano.

Enquanto os dados de eficácia de uma vacina se referem ao seu desempenho dentro de um ensaio clínico, os de efetividade se referem ao desempenho em condições reais de uso.

Segundo comunicado do Instituto Gamaleya e do Fundo de Investimento Direto Russo, responsável pelo financiamento do desenvolvimento do imunizante, os novos dados serão publicados em uma revista científica revisada por pares no próximo mês.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ainda não aprovou o uso emergencial da vacina russa. Na semana passada, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, determinou que a Anvisa tem até o dia 28 de abril para decidir sobre a importação excepcional e temporária do imunizante.

A decisão ocorre no âmbito de uma ação movida pelo Maranhão para solicitar a autorização para importar e distribuir 4,5 milhões de doses da Sputnik V. O Consórcio Nordeste, que reúne governadores da região, tem um contrato para compra de cerca de 37 milhões de doses da vacina russa.

Na terça-feira, dia 13, o consórcio Conectar, que reúne prefeitos de cerca de 2 mil municípios brasileiros, manifestou ao Fundo Soberano Russo a intenção de compra de 30 milhões de doses da Sputnik V. Além disso, em março, o Ministério da Saúde anunciou a compra de 10 milhões de doses da vacina.

Na semana passada, Anvisa relatou ao STF dificuldade para ter acesso aos dados do imunizante e demora dos fabricantes em responder questionamentos.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Por que o Nordeste registra a menor taxa de mortalidade pela covid em 2021?
    Com medidas mais rígidas e uma comunicação mais forte do que em outras regiões, o Nordeste registra hoje a menor taxa de mortalidade pela covid-19. Em 2021, por exemplo, essa taxa está em 49 por 100 mil habitantes, 37% menor do que a média nacional no mesmo período, que chega a 78 por 100 mil habitantes. No Sul, líder no índice, o número chega a 109 por 100 mil. “O Nordeste hoje é quem puxa hoje a mortalidade do Brasil para baixo”.

  2. Putin disse que era para anunciar eficácia de 80%, mas os caras, com medo da fera, resolveram anunciar quase 100%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Caso Henry: vídeo mostra Jairinho comendo sanduíche entregue pelas mãos do próprio diretor de presídio

Vereador Dr. Jairinho, preso, ao lado de diretor de presídio. Na imagem ele come um sanduíche que o diretor entregou para ele Foto: Reprodução

Imagens obtidas com exclusividade pelo GLOBO mostram o médico e vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho (sem partido), no último dia 8, quando foi preso, no interior da Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. O vídeo revela Jairinho recebendo um sanduíche das mãos do próprio diretor da unidade, Ricardo Larrubia da Gama, por volta das 15h30. O vereador é investigado pela morte do menino Henry Borel, de 4 anos, junto com a namorada Monique Medeiros, mãe da criança, que também está presa. (VÍDEO AQUI em matéria na íntegra).

As imagens são da recepção do Presídio Frederico Marques, em Benfica. Segundo o secretário de Administração Penitenciária, Raphael Montenegro, o lanche entregue por Larrubia é o mesmo que era servido no dia da filmagem para os demais detentos. Segundo ele, não há indícios de que houve regalias ao preso. O secretário explicou que não foi aberto nenhum procedimento para investigar as denúncias de que o vereador teve tratamento privilegiado na prisão, pois as imagens das câmeras de segurança da cadeia foram analisadas e nada foi constatado.

— Após análise das imagens do circuito interno de câmeras, a Secretaria de Administração Penitenciária decidiu não instaurar qualquer tipo de procedimento disciplinar contra o diretor da unidade. Qualquer pessoa que tiver acesso às imagens perceberá que, por volta da 15h30, em ambiente comum da unidade, foi entregue ao interno Jairo o mesmo “kit lanche” que se oferece a todos os internos que estejam em trânsito para audiências. De fato é o diretor quem entrega o lanche ao Vereador, mas se trata do mesmo lanche que se oferece aos presos em trânsito para audiência — afirmou o secretário.

Na tarde desta quinta-feira, a Seap mandou as imagens para o Ministério Público do Rio (MPRJ).

— Sem prejuízo das convicções pessoais, encaminhei na data de hoje, o que justifico pelo atraso na extração das imagens, fato este comunicado ao Ministério Público, todas a imagens referentes à acusação a fim de que possa o MP, no seu papel de órgão externo de controle de legalidade, analisar, formar sua própria convicção e investigar, se entender necessário _ disse o secretário, que elogiou Larrubia que pediu exoneração do cargo — Não posso deixar de prestar minhas sinceras homenagens ao policial penal Ricardo Larrubia, que com tantos anos de bons serviços prestados ao sistema penitenciário, diante das denúncias optou por pedir exoneração da função de direto do Presídio Frederico Marques — concluiu Montenegro.

Larrubia foi dirigir outra unidade, o Instituto Penal Cândido Mendes, no Centro. A exoneração dele do Presídio Frederico Marques saiu no mesmo dia em que foi nomeado para a nova unidade. Antes da casa de custódia de Benfica, o policial penal dirigiu o presídio de Volta Redonda. Por nota, a assessoria do MP do Rio informou que a “Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Sistema Prisional e Direitos Humanos esclarece que a SEAP, por iniciativa própria e por uma questão de transparência, informou que encaminhará ainda hoje (15/04) imagens da passagem dos presos Dr. Jairinho e Monique Medeiros pelo Presídio Frederico Marques, localizado no bairro de Benfica”.

O MPRJ confirmou ter recebido uma denúncia anônima “noticiando que Dr. Jairinho e Monique Medeiros teriam supostamente sido beneficiados com regalias irregulares na unidade”. A assessoria informou ainda que “a partir das informações trazidas na denúncia e providências de verificação, não foi encontrado nenhum elemento ou indício de irregularidade na recepção dos internos. O procedimento de isolamento foi observado para evitar riscos de instabilidade no ambiente prisional. A medida atende ao protocolo padrão adotado sempre que necessário e justificado como no caso”.

As denúncias sobre as irregularidades no presídio foram divulgadas na última segunda-feira no programa SBT Rio. De acordo com a informação da emissora, o casal teve um tratamento privilegiado na cadeia. Jairinho teria ficado na sala de um diretor durante o tempo em que ficou na unidade e Monique, em uma outra sala. Ambos não teriam ido para celas. Ainda segundo a emissora, o casal teria almoçado a mesma comida do diretor, e não o cardápio oferecido aos presos.

Segundo a Seap, Jairinho e Monique estão cumprindo o procedimento de ingresso no sistema penitenciário de isolamento de 14 dias, antes de se juntarem aos demais detentos. O vereador está no Presídio Pedrolino de Oliveira, Bangu 8, onde ficam os presos da Lava-Jato. Já Monique se encontra no Presídio Ismael Pereira Sirieiro, em Niterói.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. Presidido pelo Coisa Ruim não é de se esperar outra coisa, mr. Puxa saco de milicianos.

    2. Amigo bolsoloide, o Dr Jairinho é gente de bem, que defende a família, característica dos apoiadores de Jair Bolsonaro

    1. Lavagem deve ter na sala de jantar de seu chiqueiro.
      Seu comedor de fezes do PSOL.

    2. Você deve ser daqueles que fazem beijo grego em Maduro kkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pesquisa mostra que contágio por coronavírus aumenta quando há mais pólen no ar

Foto: OGNEN TEOFILOVSKI/Reuters

A concentração de pólen no ar parece ter relação com a disseminação do coronavírus: quanto mais grãos em suspensão, maior o número de infecções. A conclusão é de um estudo realizado entre março e abril do ano passado, mas que se baseia em dados de quase 250 estações espalhadas por todo o planeta, várias delas na Espanha. A explicação seria a de que o material polínico enfraquece a primeira linha de defesa contra os vírus respiratórios. E isso ocorre independentemente de a pessoa ser alérgica ou não.

– Quando o pólen aumenta, aumenta o contágio. E quando a concentração de pólen cai, cai o contágio – diz María del Mar Trigo, especialista em botânica e fisiologia vegetal da Universidade de Málaga e coautora do estudo.

Os pesquisadores compararam a quantidade diária de grãos de 248 estações aerobiológicas em 31 países com o número de infecções na área mais próxima. Essas estações captam as partículas presentes no ar, sejam elas pólen, bactérias ou poeira inorgânica. Depois de coletados, os materiais são identificados em laboratório.

A correlação entre pólen e o contágio pelo coronavírus foi verificada em quase todas as áreas estudadas, a maioria delas na Europa. O estudo dá até percentuais concretos: para cada aumento de cem grãos por metro cúbico de ar, os pesquisadores observaram um aumento de 4% no número de casos após três ou quatro dias.

María del Mar Trigo destaca a correlação de aumento e queda (de pólen no ar e de casos), que é quase universal. Estavam fora desse padrão apenas as dez estações participantes localizadas no Hemisfério Sul, onde era outono (estação com menos pólen em circulação) quando foram feitas as medições para o estudo, recém-publicado na revista científica PNAS.

O objetivo inicial do trabalho era coletar mais dados pelo mundo, mas em muitos pontos os pesquisadores tiveram de interromper a coleta por causa da pandemia e das medidas de isolamento. Alguns levaram microscópios para casa para determinar a concentração e o tipo de pólen coletado.

Athanasios Damialis, chefe de aerobiologia da Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, é o principal destinatário dos dados de concentração de pólen enviados por mais de uma centena de colegas de todo o mundo. Para ele, embora o confinamento tenha sido um retrocesso, foi possível introduzi-lo como variável no estudo e focar no momento em que coincidiam os dois fenômenos de interesse dos cientistas: a primeira onda da pandemia no mundo e a concentração de pólen.

Para Damialis, o fim do confinamento, a reabertura de fronteiras e das escolas teriam obscurecido a influência do pólen. Além disso, em áreas mediterrâneas, como a maior parte da Espanha, “as altas temperaturas e a seca podem eliminar o efeito do vírus, independentemente de outros fatores, como o pólen”. No final do verão e início do outono ocorreu a segunda onda da pandemia, impulsionada pelo turismo, a volta às aulas ou a chegada do frio. E é o momento da menor concentração relativa de pólen. Há também outro detalhe importante: as máscaras. Como uma defesa eficaz que os alergistas vêm recomendando há anos, seu uso generalizado após a primeira onda estaria distorcendo o efeito do pólen. Por fim, os autores do estudo lembram que o fator chave sempre foi o contato interpessoal, a concentração de pólen é um elemento secundário.

Mesmo assim, colegas do Hemisfério Sul enviaram ao grupo de Damialis dados do início da primavera austral. Eles não foram incluídos na redação final do estudo, mas lá também viram a conexão entre o pólen e o coronavírus. Além disso, agora estão verificando os dados de alguns locais selecionados, como a área de Augsburg, na Alemanha, áreas da Holanda e também de climas mediterrâneos, como Salónica, na Grécia.

— Vemos em todos esses lugares que, de fevereiro ao último domingo, há uma correlação positiva consistente e significativa entre o pólen e o número de infecções — disse Damialis.

Por quê? Isso é o que eles tentam responder no restante do estudo. Eles apostam na possibilidade de o pólen enfraquecer o sistema imunológico, facilitando o funcionamento do coronavírus. Para apoiar essa tese (no trabalho, não há um experimento nesse sentido), os pesquisadores recuperam os últimos ensaios feitos por alguns dos coautores do estudo. Em setembro de 2019, por exemplo, a cientista Stefanie Gilles publicou um artigo científico sobre a relação entre a concentração de pólen e dois vírus respiratórios, os rinovírus (causadores do resfriado comum) e o vírus sincicial respiratório.

O trabalho de Gilles, publicado na revista Allergy, apoiou-se em três pilares. De um lado, o acompanhamento de 20 mil pessoas durante três anos, medindo sua exposição ao pólen e os casos de rinovírus. Do outro lado, expuseram as células epiteliais das vias aéreas humanas (das paredes internas) primeiro a três tipos de pólen e depois ao rinovírus. Em um terceiro experimento, com camundongos, eles os envolveram com pólen e os infectaram com o vírus sincicial respiratório. Descobriram que tanto as células humanas quanto a dos camundongos aumentaram a replicação viral.

— O pólen é conhecido principalmente como um alérgeno, mas o que investigamos é como ele também afeta indivíduos não alérgicos. Sabemos, por exemplo, que se borrifarmos extrato de pólen de bétula no nariz de pessoas não alérgicas, muitos genes envolvidos na defesa contra os vírus são desregulados, o que implica na diminuição da resposta imune antiviral — explica Gilles.

Os pesquisadores ainda não sabem qual componente do pólen é a causa, mas sabem “que não é o mesmo que causa a alergia”, como diz Gilles. Esse elemento desconhecido “causa uma menor produção de interferons antivirais durante uma infecção viral”. Eles também não sabem se o que observaram em dois vírus respiratórios seria válido para o coronavírus, outro vírus respiratório.

O imunologista do Hospital Universitário de Canarias, Yvelise Barrios, destaca o papel desses interferons:

— Eles dão o primeiro sinal de alarme, recrutando também outros elementos do sistema imunológico inato.

Barrios, membro da Sociedade Espanhola de Imunologia, acrescenta que uma menor produção dessas proteínas “impede que o sistema imunológico perceba e gere uma resposta em tempo”. Mas, esclarece ele, os estudos sobre a conexão entre o pólen e essa desregulação são tão recentes que pouco se sabe a respeito.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. vou consultar meu comitê científico para acrescentar no decreto, teremos que destruir as plantas que produzem flores.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pesquisa XP/Ipespe mostra empate técnico entre Bolsonaro e Lula

Foto: Reprodução/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estariam empatados tecnicamente tanto no primeiro quanto no segundo turno, segundo a pesquisa XP/Ipespe divulgada hoje. Num eventual primeiro turno, Bolsonaro teria 27% dos votos, ante 25% de Lula. Num segundo turno, Bolsonaro teria 41%, em empate técnico com Lula, com 40%.

A pesquisa reflete a decisão do ministro do STF Edson Fachin que anulou os processos contra Lula, o que na prática liberou a sua candidatura. Na pesquisa espontânea, quando os nomes dos candidatos não são citados, Lula tinha 5% das citações até o mês passado e passou para 17% depois do STF.

A pesquisa é ruim para os demais candidatos. Somados, os outros candidatos tem 16%. O ex-juiz Sergio Moro aparece com apenas 10%, empatado tecnicamente com o ex-ministro Ciro Gomes, 9%, e à frente do apresentador Luciano Huck, 6%. Empatados com 3% estão o governador João Doria, João Amoedo e Guilherme Boulos. Em último está o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com 2%. Apenas 13% dos eleitores disseram que votariam em branco ou anulariam o voto.

A sondagem tem indicações ruins para o governo Bolsonaro. Os que consideram seu governo ruim ou péssimo são 45% (3 pontos percentuais acima da última sondagem, em fevereiro). Os que aprovam o governo estão estáveis em 30%. Outros dados:

· 63% acham que a economia está no caminho errado

· 61% acham a gestão de Bolsonaro na pandemia ruim ou péssima

· 52% acham que vão manter o emprego nos próximos 6 meses (eram 60% em fevereiro)

· 45% acreditam que o restante do governo Bolsonaro será péssimo ou ruim

· 49% estão com muito medo do coranavírus (eram 39%)

Veja

Opinião dos leitores

  1. A vida é dura, amigo bolsonarista. Mas se mudar o voto pro Ciro Gomes, eu garanto que Lula não ganha e você também sabe disso.

  2. Tinha que ser da espia kkkkkk
    A que grupo essa revista pertence? Kkk
    Acham que o povo ainda é besta?

  3. BG, desse jeito vc vai acabar com o fim de semana de Calígula, CACÁ para os íntimos . Logo hoje que a ninhada de sobrinhos musculosos está se preparando para a festa da máscara. Todo mundo vai seguir a orientação do bananinha . Ai papai !

  4. SEGUNDO O SALDOSO AGNELO ALVES PESQUISAS SE RESPONDE COM PESQUISAS.
    TÁ TENDO PRA TODOS OS GOSTOS.
    JÁ JÁ SAI UMA JOÃO DORIA NA FRENTE.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    tá igual as das eleições do RN.
    Até lá, vou botando no vaso e dando descarga.
    Uma coisa tenho certeza.
    A grande maioria dos brasileiros não quer a volta da quadrilha do PT.
    Não vota em ladrão.
    Vcs vão vê!!
    Nos encontramos nas urnas, mas só no final de 2022.
    Vamos vencer primeiro a pandemia tá?
    Depois os ladrões.

  5. BOLSOBOSTA prepare as macas e o HOSPICIO
    Prepare as fraldas que a caganeira vai ser grande
    Prepare os patetas pra irem embora do Brasil

    Nosso orgulho esta vindo ai

    Lula
    Lula
    Lula
    Melhor presidente do Brasil

    1. Não vejo a hora dele ganhar novamente pra ver se ele termina as obras paralisadas, se aparece os dinheiros desviados ou pra ver se o povo não se arrepemde de ser partidário e para de ser besta.

  6. Tem muita gente com saudade de ser ROUBADO ! Por isso esse país não vai p frente. O povo é tão burro quanto o Lula pensa que é..

  7. Daqui pra frente serão pesquisas para todos os gostos e bolsos! Lembrando que pelas pesquisas, o presidente seria o "poste" do larápio de 9 dedos!

  8. Se derem IBOPE a esse Ladrão ele vence antes de acontecer a eleição. O povo gosta da sacanagem, da putaria. Segundo ele o Brasil vai virar um " PARAÍSO"

    1. Vamos resolver a questão do covid e da econômia, porque seu ZéBoi até lá seu corrupto de estimação ainda vai estar bem errolado, melhor ele se recolher na casa em Morro de São Paulo na BA, que custou 14 milhões, os amigos companheiros emprestaram para ele.

    2. Prepare o estoque de lenços vivi, com a gente, até o choro é livre.

    3. Seria bom LULA ganhar pra ver se os dinheiros desviados, obras inacabadas, e até quem sabe ele faça uma casa pra ele morar comecem a aprecer. O atraso do Brasil é o partidarismo que deixa o povo sem noção. Uns apoiando o presidente e outros apoiando presidiário.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO que roda em redes sociais mostra motorista de rede de postos roubando combustível de caminhão da empresa

Fotos: Reprodução

A rede de postos Domingos e a Transportadora Domingos, que pertencem ao grupo de empresa Domingos, esclarece que foi vítima de furto de combustíveis praticados pelo seu ex-motorista, com ajuda de outros meliantes.

A nota ainda esclarece que a polícia impediu que infratores conseguisse lograr êxito total no delito.

O grupo ainda informa que sua assessoria jurídica representará judicialmente aqueles que caluniosamente fizeram publicar ou republicar vídeos nas redes sociais por prática de crime previsto na legislação brasileira, diante acusações inverídicas sobre o posto, inclusive, de adulteração de combustíveis.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Prática de atividade física aumentou no Brasil em 2020, mostra pesquisa

Foto: Ilustrativa

A pandemia do novo coronavírus alterou os hábitos de praticantes de esporte no mundo inteiro.

Sem poder realizar treinos ao ar livre e na academia por um período, ou sem sentir-se seguro para isso, além de precisar lidar com os efeitos emocionais do isolamento, parte dos atletas teve sua rotina de exercícios virada de ponta cabeça.

Mas por mais que os hábitos tenham mudado, a comunidade esportiva conseguiu se adaptar à nova rotina, criar novos hábitos e se manter ativa em meio às restrições impostas pelo vírus. É o que mostra o Year in Sport, relatório anual divulgado nesta quarta-feira, 16, pelo Strava, plataforma online de registro de atividades físicas.

O Strava conta com uma comunidade esportiva com mais de 73 milhões de atletas no mundo — mais de 9,5 milhões só no Brasil.

Nos 12 meses avaliados – boa parte vividos em meio à pandemia –, a comunidade global realizou 21,5 milhões de atividades por semana e percorreu 17 bilhões de quilômetros, números muito acima das previsões iniciais.

No mesmo período, a plataforma recebeu dois milhões de novos integrantes, somando, ao todo, mais de 73 milhões de usuários.

No começo da pandemia no Brasil, em março, os registros no Strava caíram no início do mês, mas, mesmo após algumas restrições impostas pela pandemia, cresceram 5% acima do esperado.

Só no Brasil, em 2020, foram percorridos 133,1 milhões de km, comparados aos 98,4 milhões de km registrados em 2019. Os homens tiveram a maior distância média percorrida este ano: 5,9 km, contra 5,3 km das mulheres.

No ciclismo, com 1,2 bilhão de quilômetros percorridos no país, os homens tiveram uma distância média de 29,3 km, com e as mulheres, de 22,9 km.

Mulheres aumentaram mais a frequência de treinos

Globalmente, as mulheres jovens, com idade entre 18 e 29 anos aumentaram a frequência de atividades em 45,2%, quando comparadas ao ano passado, enquanto os homens cresceram 27,3%.

No Brasil, esse dado também tem as mulheres na frente, com um aumento de 43,8% de registros contra 30% a mais feito pelos homens na mesma faixa etária.

As brasileiras, em todas as faixas etárias, superaram ou se igualaram aos em relação ao número de atividades registradas na plataforma. Também houve crescimento no registro de atividades em todas as faixas de idade dos dois sexos, quando comparado 2019 e 2020.

Viva Bem – UOL

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Vem aí uma Mostra de casamentos na Praia diferente de tudo que Natal já viu!


Cheia de novidades e tendências, a mostra de Casamentos na praia organizada pela  cerimonialista Tathy Varela da empresa Realize Cerimoniais e pela empresária Juliana Protásio, proprietária do Empireo Recepções, promete surpreender todas as noivas e noivos natalenses!

As organizadoras já revelaram: essa mostra terá como inspiração os grandes eventos Paulistas e Cariocas! “Queremos inovar e trazer cenografias diferentes e inovadoras para quem quer casar na Praia” disse Tathy Varela, idealizadora do evento.

E para receber esse evento, o local escolhido foi o Empireo Recepções, com uma localização privilegiada a beira mar da praia da Redinha, coração de Natal, além de ficar aos pés do maior cartão postal da nossa cidade: a belíssima Ponte Newton Navarro. “Queremos mostrar toda sofisticação, qualidade e leveza que o Empireo pode oferecer para quem quer casar na praia” afirmou Juliana Protásio, proprietária do espaço.

Com grandes nomes do setor de eventos, essa mostra tem uma grande equipe de fornecedores por trás somando esforços para
fazer acontecer! Não podemos deixar de mencionar a equipe Casa da Noiva Dress que está preparando um desfile temático
de vestidos de noiva o qual ocorrerá durante a mostra.

Quer participar? Já deixa na sua agenda, a Mostra ocorrerá no dia 13/12/2020 das 15h às 20h. As inscrições são online pelo link abaixo: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScmEzRK54DUbS-6CffVjgHQjnhtxIXKXxQm8XOowp1iih6WOA/viewform?usp=sf_link

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Estudo em hospital mostra que mais de 80% dos pacientes internados com covid-19 tinham deficiência de vitamina D

Foto: Getty Images via BBC

Uma pesquisa científica publicada no periódico Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism trouxe nessa terça-feira (27/10) novas respostas sobre o papel da vitamina D no adoecimento pela Covid-19.

Os resultados mostram que baixos níveis da vitamina D — que, apesar do nome, é um hormônio — foram mais frequentes em um grupo de 216 pacientes internados com a nova doença em um hospital na Espanha na comparação com 197 pessoas fora do hospital, sem registro da doença.

Mais precisamente, a deficiência de vitamina D foi constatada entre 82,2% das pessoas hospitalizadas, contra 47,2% no grupo chamado “controle” — usado para comparação.

Considerando apenas o universo de pessoas hospitalizadas, aquelas com baixos níveis de vitamina D mostraram um percentual maior de internação em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) do que pessoas com níveis satisfatórios de vitamina D (≥20 ng/ml): 26,6% versus 12,8%. O tempo no hospital também foi maior, de 12 dias contra 8 dias.

Entretanto, em relação à mortalidade por covid-19, a diferença não foi significativa — o que pode ter a ver com limitações nos dados ou métodos desta pesquisa em particular.

Os autores do estudo, membros da Universidade de Cantábria e do Hospital Marqués de Valdecilla, em Santander, Espanha, alertam que conseguiram demonstrar uma associação entre a presença da vitamina D e a covid-19, mas não uma causalidade. Ou seja, não é possível fazer afirmações de que a deficiência de vitamina D leva ao adoecimento ou que o reforço de vitamina D possa proteger contra a doença.

Uma ponderação nesse sentido apresentada pelo estudo é que níveis mais baixos de vitamina D já tendem a ser mais frequentemente encontrados em idosos e pessoas com doenças crônicas como hipertensão, diabetes e câncer — que por sua vez são também fatores de risco para a covid-19.

No estudo, os hospitalizados com covid-19 e com baixos níveis de vitamina D tinham justamente maior probabilidade de terem também doenças crônicas.

“Portanto, os níveis de vitamina D devem ser interpretados com cautela, uma vez que a população sob risco de uma infecção pelo (vírus) Sars-CoV-2 grave é provavelmente a mesma sob risco de deficiência de vitamina D”, diz o artigo.

Esta deficiência é considerada comum no Brasil e no mundo, por motivos ainda em estudo. A vitamina D já presente no nosso corpo é ativada na exposição a o sol, mas pode ser adquirida também através da alimentação. Há ainda a possibilidade de suplementação, mas associações médicas só recomendam isto para pessoas com condições específicas — idosos com mais de 60 anos; gestantes e lactantes; pessoas com osteoporose; pessoas com as chamadas doenças osteometabólicas, como raquitismo; entre outras.

Baixos níveis do hormônio já foram ligados a outras doenças virais, como influenza, HIV e hepatite C, por isso, esta associação está em pleno estudo no campo científico. Pesquisadores de todo o mundo também buscam entender o papel da vitamina D no sistema imunológico, já que receptores do hormônio são encontrados nas células de defesa.

Para a equipe espanhola, os resultados do estudo publicado nesta terça-feira indicam que o reforço de vitamina D pode ser importante para grupos sob risco — como idosos vulneráveis a fraturas, osteroporose e perda muscular.

Por outro lado, os autores destacam que os resultados do estudo se limitam a um hospital — o Marqués de Valdecilla —, não podendo ser generalizados para outros países, contextos e grupos étnicos.

G1, via BBC

 

Opinião dos leitores

  1. Não só sobre covid. 100% dos casos de mortes por câncer tem vitamina D baixa. Agora médicos querem os pacientes com baixas vitamina D e testosterona…. Mercado de medicamentos $$$. Quem pesquisa sobre assunto em publicações internacionais (Não bancadas por laboratórios) verificam sua importância para manter corpo sadio. Vitamina D acima de 60 e testosterona 800, terá apenas benefícios.

  2. Pesquisa muito fraca.
    Só 200 pacientes…
    A ciência está demonstrando muita fragilidade para enfrentar a pandemia.
    No mundo todo.
    Mas vejam no Rio Grande Norte.
    Que pesquisa seria foi feita?
    Pesquisa que realmente faça a diferença?
    A covid é uma das doenças que, pela sua importância e características, é uma das mais fáceis da história para se pesquisar.
    Nunca uma doença, em tempos modernos afetou tanto o mundo nem foi gasto tanto dinheiro.
    Campo fértil para pesquisas.
    Morre 1,2 milhão de pessoas e os "cientistas" de braços cruzados só falando mal da cloroquina e de Bolsonaro.

    1. Mas leve um solzinho todo dia, pode ser na varanda, quintal…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

ÁUDIO mostra como funciona o Golpe de clonagem do WhatsApp

Foto: Ilustrativa

Manjado golpe de clonagem do WhatsApp ainda continua fazendo muitas vítimas. Em destaque, um desses que a pessoa pega em sites de anúncios.

Conforme conversa anda, golpista tenta manipular usuário do aplicativo a mandar os 6 dígitos de validação pelo telefone. No exemplo abaixo, áudio que viralizou mostra quando criminoso é desmascarado por vítima em potencial, e ainda consegue falar sobre o “negócio”.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Lista obtida pelo NYT mostra que Europa vai barrar brasileiros, russos e americanos; bloco vai abrir fronteiras externas em 1º de julho

Foto: STEPHANE DE SAKUTIN / AFP

Os brasileiros, assim como os americanos e os russos, serão impedidos de entrar nos países da União Europeia quando eles reabrirem suas fronteiras externas que foram fechadas por causa da pandemia da Covid-19. A reabertura está prevista para acontecer a partir de 1° de julho. Brasil, EUA e Rússia estão nos rascunhos das lista de países cujos cidadãos continuarão impedidos de entrar no território do bloco, obtidos pelo New York Times.

O jornal americano teve acesso a uma série de listas elaboradas pelos Estados-membros da União Europeia, baseadas na maneira como nações mundo afora estão lidando com a pandemia. O Brasil, com mais de 50 mil mortos e um milhão de casos, aparece em todas as listagens de nações cujos cidadãos continuarão barrados, assim como os EUA, com 120 mil mortos e mais de 2,3 milhões de contaminados, e a Rússia, com meio milhão de infecções.

Não há uma confirmação oficial por parte dos governos — os documentos foram obtidos de forma anônima, por causa da sensibilidade do tema e por conta dos detalhes das negociações para a elaboração da lista final de todo o bloco, que deve ser divulgada no inicio da próxima semana. Tal decisão poderá ter um impacto político e econômico considerável, uma vez que americanos e russos, em especial, estão entre os principais visitantes do bloco.

Ao mesmo tempo, os países europeus estão discutindo listas de países cujos cidadãos estariam liberados para entrar no bloco, incluindo China, Uganda, Cuba e Vietnã.

As fronteiras da União Europeia estão fechadas a praticamente todos os estrangeiros desde o começo de março, assim como as fronteiras internas, entre os 27 países do bloco. Estas últimas começaram a ser reabertas em 14 de junho, à medida que nações como Itália, França e Espanha, que já foram o epicentro da pandemia, começaram a controlar o número de novas contaminações e mortes.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Cadê os vira-latas reativos dizendo que o Brasil é o único perseguido pelos gringos?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

George Floyd foi infectado pelo coronavírus, mostra autópsia

Foto: Reprodução / Facebook

O relatório oficial da autópsia de George Floyd, morto sufocado pela polícia durante uma abordagem em Minneapolis, indica que ele teve contato com o novo coronavírus, mas não está claro se ele teria desenvolvido sintomas da doença.

O assassinato de Floyd detonou uma onda de protestos contra o racismo nos EUA e em outros países. As grandes aglomerações preocupam autoridades, pois podem se tornar focos de propagação da covid-19.

De acordo com a rede de TV NBC, o documento registra que Floyd teria tido um resultado positivo para covid-19 em 3 de abril. Um segundo teste, feito após a sua morte, apontou a presença do RNA do vírus no organismo.

O CDC (Centro de Controle de Doenças, na sigla em inglês) afirma que a presença de RNA do novo coronavírus não significa que uma pessoa pode infectar outras.

O médico-chefe da equipe, Andrew Baker, destacou que o tipo de teste realizado na autópsia, o chamado PCR, pode seguir apontando a presença do RNA do novo coronavírus semanas após a doença ter sido superada, informa a CNN.

“O resultado da autópsia muito provavelmente revela um caso de infecção prévia assintomática com presença persistente do RNA”, disse Baker, o que significa que o novo coronavírus não desempenhou nenhum papel na morte de Floyd.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil reduziu taxa de reprodução do novo coronavírus a menos da metade, mostra estudo

Foto: Amanda Perobelli – 6.mai.2020/Reuters

O Brasil conseguiu reduzir a sua taxa de reprodução do coronavírus para menos da metade desde o início da pandemia. Em fevereiro, quando foi registrado o primeiro caso no país, uma pessoa que contraísse a doença a transmitia para outras 3,5 na média. Hoje, o número está em 1,4. Em São Paulo, esse índice é menor, de 1,3.

Essa é uma das conclusões de um estudo feito pelo físico nuclear Rubens Lichtenthaler Filho, da Universidade de São Paulo, e do médico Daniel Lichtenthaler. O levantamento foi feito com base nos números oficiais divulgados pelo Ministério da Saúde. “Ficou claro que a política de distanciamento social é essencial para reduzir o número total de casos e controlar a epidemia”, diz o estudo.

“É consequência dessas medidas de afastamento social que foram tomadas. Mas ainda é pouco. Em termos de epidemia, o número tem que ficar abaixo de um. Ao olharmos os dados da Alemanha, por exemplo, está em 0,8. Lá eles conseguem controlar. E aqui o número de casos ainda está crescendo”, diz um dos autores do estudo, Rubens Lichtentaler, do departamento de Física Nuclear da USP. O estudo ainda é um manuscrito (pré-print), que ainda não passou por revisão de pares.

O levantamento aponta que um relaxamento nas medidas de isolamento aumentará essa taxa de reprodução de forma “imprevisível”, apontando que tais mudanças para o retorno da atividade econômica e social devem ocorrer de forma “gradual”, mantendo o monitoramento das curvas da epidemia.

O estudo também defende que sejam feitas pesquisas amostrais com a população para determinar a quantidade de pessoas com a doença, como forma de determinar em que momento da epidemia o país está e a que distância do pico. Se não houver conhecimento de quantos estão realmente infectados, ficaria muito difícil de fazer previsões confiáveis sobre controle do novo coronavírus, diz o texto.

Os pesquisadores defendem que o lockdown é uma forma de reduzir essa taxa para abaixo de 1, e que tal decisão deve ser tomada a partir da análise de dados de cada cidade ou comunidade. O governo federal é contrário a essa medida e tem defendido, inclusive, o relaxamento das políticas atuais de isolamento social.

Em São Paulo, estado com mais casos, o governador João Doria (PSDB) já afirmou que havia a possibilidade, mas ainda não decidiu nada a respeito. Alguns municípios no país já adotaram a política de lockdown. Segundo levantamento da CNN, a medida já vale em São Gonçalo e Campos (RJ), Belém e outras 16 cidades do Pará, Fortaleza (CE), Recife e outras 4 cidades de Pernambuco, três cidades na Bahia, três no Paraná, em todo o estado do Amapá e em 4 municípios do Amazonas.

De acordo com os dados mais recentes do Ministério da Saúde, às 18h deste domingo, o Brasil tinha 347,3 mil casos confirmados de coronavírus e 22.013 mortes. É o segundo no mundo em número de casos, atrás apenas dos Estados Unidos, e o sexto no mundo em mortes, atrás de EUA, Reino Unido, Itália, Espanha e França.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. BG, quando dispor de Estudos , por favour, dispor no link do referido ou o mesmo em PDF, se puder, um abraço

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Animação mostra como coronavírus se espalha rapidamente dentro de avião

Como a Covid-19 se espalha dentro de um avião (Foto: Reprodução)

Enquanto o mundo espera ansiosamente voltar à normalidade, as empresas aéreas aguardam o fim da pandemia do coronavírus para colocar seus aviões no ar, mas isso pode demorar um pouco mais. Um pequeno vídeo publicado pelo jornal DailyMail mostra como a Covid-19 pode se espalhar rapidamente entre os passsageiros quando apenas uma pessoa infectada estiver no voo.

A Universidade Purdue, nos Estados Unidos, criou uma simulação que mostra que se uma pessoa contaminada pelo novo vírus tossir sem estar usando máscara, o o coronavírus pode se espalhar por toda a cabine e todos podem ficar doentes. A sequência explica que as pequenas gotas de saliva (em roxo) cheias do vírus atinge rapidamente as pessoas mais próximas e sepois segue para as outras dentro da aeronave.

A simulação é baseada em vírus aéreos que permanecem no ar e os cientistas ainda não têm certeza se o SARS-CoV-2, o vírus que causa a Covid-19, se encaixa nessa categoria. Os cientistas fizeram a simulação para estudar a transmissão de doenças infecciosas em aviões para ajudar a informar os sistemas de ventilação ideais e seguros.

“Doenças infecciosas, como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e gripe aviária, podem causar perturbações sociais e econômicas significativas. O modelo foi baseado na suposição de que o vírus SARS de 2003 era uma doença transmitida pelo ar. Isso significa que os germes da respiração, espirro ou tosse de uma pessoa podem permanecer no ar e viajar porque as gotículas são muito pequenas”, comenta o pesquisador Qingyan Chen.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a Covid-19 é transmitida principalmente por meio de gotículas que viajam distâncias curtas antes de cair no chão, motivo pelo qual o distanciamento social impede a expansão.

O ar condicionado dentro dos aviões pode ajudar a impulsionar um vírus, já que o espaço é confinado e não tem janelas.

Globo, via Marie Claire

Opinião dos leitores

  1. Por que Bolsonaro insiste em dizer que não foi contaminado pelo Covid, se veio no mesmo avião e ao menos 20 pessoas da comitiva contrairam o vírus?????

    1. Não distorça as palavras dele. É um direito dele.
      Só isso.
      Ele, nós e você, acredito que temos mais com que se preocupar.
      Vamos ajudar o País a sair desse buraxo/crise/pandemia.
      Pense nisso.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Revisada por cientistas, vacina contra covid-19 se mostra promissora

Coronavírus: o vírus se liga a células ACE-2 com espinhos de proteína ao entrar no corpo humano (dowell/Getty Images)

Um novo estudo publicado por pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, traz um projeto de vacina contra o novo coronavírus que já foi avaliado pela comunidade científica. A pesquisa mostra avanços promissores na criação de uma vacina contra o vírus ao atacar as células ACE-2, às quais o novo coronavírus se liga ao corpo humano para se reproduzir e atacar o organismo, causando sintomas como febre, dores no corpo e dificuldade de respirar.

Os pesquisadores atribuem a velocidade de identificação de um método para conter o novo coronavírus à pesquisa prévia sobre outros tipos de coronavírus que já infectaram humanos anos atrás.

“Tínhamos experiência anterior em Sars-CoV em 2003 e Mers-CoV em 2014. Esses dois vírus, que estão intimamente relacionados ao Sars-CoV-2 [o novo coronavírus causador da doença covid-19], nos ensinam que uma proteína específica, chamada de proteína-espinho [em inglês, spike], é importante para induzir imunidade contra o vírus. Sabíamos exatamente onde combater esse novo vírus”, afirmou Andrea Gambotto, professora associada de cirurgia na Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh. “Por isso que é importante financiar a pesquisa de vacinas. Você nunca sabe de onde virá a próxima pandemia”.

O projeto de vacina é chamado de PittCoVacc, uma abreviação do nome Pittsburgh Coronavirus Vaccine, usa um método parecido com o usado na vacina contra a gripe, causada pelo vírus influenza. Os pesquisadores propõem o uso de pedaços de proteína viral para a criação de imunidade contra seu contágio.

O estudo foi publicado ontem no periódico EBioMedicine, publicado pelo jornal científico The Lancet. Esse é o primeiro estudo a ser publicado após ser revisado e criticado por pesquisadores de outras universidades, um processo de validação conhecido no meio como peer review (revisão dos pares).

Em vez de ser aplicada por uma agulha comum, o projeto prevê que a vacina seja aplicada por meio de um pequeno adesivo, do tamanho de uma moeda de 5 centavos, que contém cerca de 400 microagulhas. O método facilita a absorção da vacina.

A vacina foi testada em ratos e os anticorpos surgiram duas semanas após a aplicação. Apesar de ainda não ter sido testado em humanos, o projeto de vacina manteve sua potência mesmo ao ser esterilizado com radiação gama, o que indica chances de aceitação da vacina no corpo humano.

Ainda não se sabe por quanto tempo a vacina pode imunizar contra a covid-19. Os pesquisadores afirmam que os testes em ratos indicam que aqueles que criaram anticorpos contra a Mers-CoV ficaram imunes por, pelo menos, um ano. Os pesquisadores acreditam que o mesmo se aplique à vacina contra o novo coronavírus.

A vacina será agora encaminhada para os testes rigorosos da Food and Drug Admistration, uma agência análoga à Anvisa brasileira. Somente após vencer essa etapa, que pode levar vários meses, a vacina poderá ser produzida em massa — considerando que tudo saia como esperam os cientistas.

Pesquisadores do mundo todo buscam uma vacina contra o novo coronavírus, que já infectou 1 milhão de pessoas e impôs uma quarentena global inédita para poupar vidas e não superlotar hospitais e serviços de saúde, tanto públicos quanto privados. Em Israel, pesquisadores também já testaram um projeto de vacina em roedores. Ainda assim, pesquisadores estimam que os testes clínicos e a produção em massa de vacinas contra o novo coronavírus ainda devem levar, com otimismo, cerca de um ano. Por ora, pesquisas mostram que o distanciamento social é a medida mais eficaz para conter tanto o avanço do vírus quanto os danos à economia.

Exame

 

Opinião dos leitores

  1. Este é o grande problema! a demora da chegada da vacina! daqui a um ano se não conseguirem frear esse vírus, é provável que mais de 100 milhões de vidas tenham ido para o beleleu!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *