Aluno paga cursinho com faxina por 2 anos e passa em medicina na USP

Foto: Nathalia Alcatrão/Divulgação

Passar no vestibular e conquistar uma vaga na faculdade de medicina em uma universidade pública é um sonho para muitos estudantes em todo o país. O santista Guilherme Nobre tornou esse sonho uma realidade ao garantir a entrada na USP (Universidade de São Paulo).

Porém, para frequentar o campus da universidade, em Ribeirão Preto, e enfrentar a maratona de estudos até se tornar um médico, Guilherme encarou um árduo caminho.

Para conseguir assistir às aulas do cursinho, o jovem teve de fazer faxina nas salas de aula — durante dois anos — para garantir a bolsa de estudos.

O sonho de cursar medicina surgiu ainda na infância, quando Guilherme acompanhava o pai nas consultas ao neurologista e nas várias internações em hospitais.

“Meu pai tinha hidrocefalia, fez ao menos cinco cirurgias para colocar e tirar válvulas na cabeça, retirar líquido, sofreu muito, chegou a ficar em coma”, conta. “E eu acompanhei o cuidado dos médicos, a atenção das enfermeiras e aquilo me marcou muito, achava incrível, queria ser médico também.”

A admiração do pai pelos profissionais da saúde também influenciou o menino. “Meu nome é uma homenagem a um médico, meu pai sempre falava com muita admiração dos cirurgiões que cuidaram dele e eu queria ser admirado também, queria que as pessoas se sentissem gratas, queria salvar vidas”, revela.

O desejo de cursar uma faculdade de medicina ganhou forças e no terceiro ano do ensino médio, quando ainda estudava computação em uma Etec (Escola Técnica Estadual), decidiu fazer um cursinho.

“Eu comecei a fazer as aulas a noite e entre o tempo da escola e o das aulas do cursinho, eu ficava no trabalho com a minha mãe, que é frentista.” Guilherme estudava no banheiro do posto de gasolina.

“Sabia que para passar no vestibular, em uma universidade pública, eu precisaria fazer um cursinho mais forte para ter mais chance”, explica. Foi aí que conheceu a professora Eliane Limonti, do cursinho Sapiência. “Um amigo estudava com ela e me indicou. Fui com meus pais conversar, mas o valor era muito acima do que poderíamos pagar, muito fora das nossas condições”, lembra. O desconto na mensalidade veio, mas com uma condição: Guilherme teria de limpar e arrumar as salas duas vezes por semana.

“Não tinha grana para participar daquele lugar. Não sou como aquelas pessoas, mas fiz o possível para alcançar o meu objetivo”, diz. “Todo esforço é válido quando você tem um sonho. Era cansativo, sim, mas não pesava limpar o cursinho. Valeu a pena totalmente, não foi um fardo. Era como se fosse uma continuação das aulas”.

Depois de dois anos estudando muito, Guilherme conseguiu uma vaga na faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto. No domingo (17), o rapaz deixará a casa dos pais, no litoral paulista, e seguirá para o interior do Estado. E quais os planos?

“Obviamente, por influência do meu pai, penso em ser neurocirurgião e quero ajudar as pessoas, principalmente quem não tem dinheiro, nem esperança”, diz. Guilherme também pretende viajar para a Amazônia e para a África. “Não tenho ambição, não quero status, apenas fazer a diferença na vida das pessoas.”

R7

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ceará-Mundão disse:

    Sem "vitimismo", com base em méritos próprios, em grande esforço pessoal. Esse é o Brasil que nós queremos e que começa a surgir com a derrocada da ORCRIM comandada pelo PT. Força, meu jovem, coragem para enfrentar as muitas dificuldades que ainda virão pela frente mas vc demonstra ter capacidade prá superar. E não se deixe iludir pelo discurso fácil, pelas promessas mentirosas e nem por utopias fracassadas dessa gente sem brios, sem vontade própria e desonesta, que tentaram destruir mas não conseguiram. Sucesso, meu jovem.

  2. LULADRÃO disse:

    Um belo exemplo de força de vontade,dedicação, persistência e superação. Que esse futuro médico continue com os seus ideais e não se deixe influenciar negativamente pelos que querem transformar a medicina em um negocio simplesmente.

    • Bruno Lira disse:

      Mais um estudante de Medicina para falar mal do PT. Em breve, vai esquecer-se do passado pobre dele, vai juntar-se a outros estudantes, fantasiados com a camisa da decadente seleção brasileira e bradar "LULADRÃO". Ah… Se você é rico ou se acha rico ou quer ser rico, ou quer se passar por rico, não precisa dizer que não gosta do PT, que o PT é corrupto ou que ele acabou com o país (como se o Brasil, antes do PT, fosse um Canadá, Noruega, Finlândia…) Procure outra forma de explicitar essa sua vaidade.

Aluno foi barrado por orientação do proprietário do Ciências Aplicadas; funcionário envolvido nega responsabilidade

É destaque no Blog do Dina – por Dinarte Assunção, nesta sexta-feira(8). O caso de um aluno barrado no curso de preparação vestibular do Ciências Aplicadas tomou proporção de crise, teve comunicado de demissão e contraponto do responsável pela instituição, Alexandre Pinto, ao longo dessa quinta-feira (7).

Mas, nesta sexta-feira (8), o caso ganhou novo episódio depois que o blog obteve com exclusividade o depoimento de um funcionário do curso Ciências Aplicadas sobre o assunto.

A fonte, que não terá seu nome revelado, isentou Carlos Dionísio, o coordenador do curso a quem foi atribuída a conduta de constranger o aluno barrado.

Dionísio foi execrado nas redes sociais. Procurado pelo Blog do Dina, ele afirmou abalado que entregaria o caso a um advogado antes de dar entrevista, mas confirmou que não barrou o aluno.

Orientação

No relato obtido pelo blog, a conduta que ganhou os ares de crise é normal no curso. A repercussão alcançada desta vez é que é inédita. O aluno que foi impedido de assistir aula, segundo o pai, não estava com matrícula vencida.

“O colaborador não é responsável por isso. As duas funcionárias estavam com a lista. Essa lista foi passada pelo professor Alexandre Pinto. Quando batia que um aluno não tinha entregue os sete cheques, eles iriam conversar com a coordenação, e é passado pelo professor Alexandre sobre como proceder”, explicou a fonte.

Parte da orientação é que os valores negociados com os pais sejam pagos em cheques ou transferidos para conta indicada por Alexandre.

“A orientação era: só entra quem tiver deixado os cheques ou feito o pagamento”, explicou o funcionário.

(Texto na íntegra pode ser conferido aqui)

DO BLOGDOBG

O BLOGDOBG falou com três pais que tem alunos no Cursinho do CIÊNCIAS APLICADAS. Todos confirmaram que lá o dono é Alexandre Pinto, o próprio se apresenta assim como também confirmaram que não existe boleto. Ou se paga à vista ou com cheque pré-datado. “Mesmo quem esteja em dia BG, se não tiver dado o cheque para os meses subsequentes o aluno fica sendo barrado”.

Abaixo segue o link de uma nota de esclarecimento enviada pela instituição de ensino na manhã desta sexta-feira(08).

Veja mais: Nota de esclarecimento – Ciências Aplicadas

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo martins disse:

    Incrível é que escolas como essa, que sem nenhum constrangimento recorrem a procedimentos administrativos atípicos, não sejam sequer alvo de averiguação por parte de órgãos como o Ministério Público, PROCONs (Natal possui um caçuá deles), Delegacia Regional do Ministério da Educação e que tais.

  2. Fagner disse:

    Kd o MP nesse caso?

  3. Curioso disse:

    Receita Federal, será que esse curso está pagando devidamente seus impostos?

  4. fabiola disse:

    e cadê o conselho tutelar? Expondo adolescente em situação vexatória… ahahah
    mais o CT sul … povo não trabalha …
    CONSELHEIRA Nubia passa tarde middway, ceiça só chega 14 e sai as 16h, edbergna vive usando carro para passear

  5. Marques disse:

    A maior punição que os pais podem dar e tirando os filhos desse local. Deixa ele sentir no bolso

  6. Everton disse:

    Tava muito suspeito essa conversinha do dono, se imiscuíndo de culpa e chamando de acusações levianas.
    Fora o fato de querer cheques ou transferências, nem para emitir um mero boleto.

  7. Marlos disse:

    Alguém precisa fiscalizar esses cursinhos. Estão cobrando preços abusivos e impondo uma série de condições aos pais de alunos, já sofridos com a crise econômica! Essa história de pagar em espécie ou deixar os cheques ´é só a ponta do iceberg. Investiguem!

  8. Joaquim disse:

    Tá sendo declarado a receita federal?

  9. Brasil disse:

    Esse cabra, esse Alexandre Pinto, parece ter virado um mero empresário de uma empresa fadada ao fracasso.

  10. Rivaldo disse:

    Sejamos INGÊNUOS MAIS NEM TANTO!
    Como um simples funcionário iria barrar o aluno por ele está, supostamente, com a mensalidade atrasada? É inquestionável que o funcionário teve orientação de alguém da diretoria ou setor financeiro. Ele foi pau mandado e agora paga o preço com a demissão, para se esconder o verdadeiro responsável.

FOTOS: Aluno que ficou em recuperação em inglês recebe 9,8 de nota após ter relacionamento sexual com sua professora

046Uma professora de Inglês de Oklahoma, nos EUA, terá de enfrentar a justiça depois de dar nota A após fazer sexo com aluno em recuperação.

Kalyn Thompson, 25, é acusada de ter repetidos relacionamentos sexuais com um estudante de 18 anos de idade (na época com 17), em uma aula de Inglês. Quando o caso foi descoberto, ela pediu demissão no mês passado.

O estudante em questão foi reprovado em Inglês durante o semestre de outono, quando ela começou a ter um relacionamento sexual com ele, mas milagrosamente suas péssimas notas aumentaram 98%, quase atingindo o máximo, pouco depois dele completar 18 anos.

Thompson foi acusada de estupro em segundo grau, porque uma professora em Oklahoma não pode ter um relacionamento sexual com um aluno ou ex-aluno, até que a pessoa atinja a idade de 21 anos.

046-1Ela se demitiu no início deste ano após descobrir uma investigação sobre suas atividades extracurriculares. A investigação começou quando funcionários encontraram mensagens eróticas no celular do rapaz.

“Você envia seus filhos para pequenas escolas na cidade do interior pensando que terão uma educação melhor e você encontra uma professora que ‘brinca’ com um aluno”, lamentou o pai Michael Sullivan.

A professora terá de pagar uma fiança equivalente a R$ 77.000 e aguardar julgamento em liberdade.

Jornal Ciência

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Palhares disse:

    Que inveja desse garoto! No meu tempo não tinha essa "recuperação"!

    Se as melhores notas da turma fossem premiadas com sexo, a menor nota seria um 10!

  2. zé Ninguém disse:

    Também destrói os lares e é, ao contrário do que a propaganda oficial chamada de mídia, a principal porta de entrada para outras drogas.

  3. paulo kasinsk disse:

    Calma, Fausto, eu sei que faço falta, a humildade me permite dizer isso. A questão, meu camarada, é que são mil projetos que eu tenho que dar conta. Então não dá, meu velho. Hoje, por exemplo, vi que o Barcelona do Nordeste ganhou tudo na festa promovida pela FNF, mas não deu para comentar nada. Tempo curto, curtíssimo. Forte abraço e obrigado pela lembrança. Como diria aquele slogan da rede Globo: a gente se vê por aqui.

  4. Paulo disse:

    Uma professora boa em língua

Aluno toca em parte íntima de professor e é agredido com soco no rosto em escola de Mossoró

Segundo matéria publicada na manhã desta terça-feira(19), no Jornal de Fato, o professor de Química, Márcio Fabrício, de 24 anos, agrediu um aluno com um soco, na noite dessa segunda-feira (18), na Escola Estadual Monsenhor Raimundo Gurgel, localizada no bairro Belo Horizonte, em Mossoró. O aluno é estudante do 1º ano e tem 17 anos. Segundo relato do vice-diretor da escola, Francinilson de Oliveira, a agressão aconteceu depois de uma brincadeira obscena do aluno com o professor, que perdeu o controle e o agrediu com um soco no rosto.

“A informação é que sempre havia brincadeiras exageradas entre professor e aluno. Daí, Rômulo apertou o peito do professor, que disse para não apertar porque tinha um piercing. O professor disse ainda que tinha outro nos testículos. O rapaz tocou os testículos do professor, que o agrediu com um soco”, declarou.

De acordo com o jornal, o vice-diretor da escola, Francinilson de Oliveira, relatou que se trata de um professor recém-contratado pela Diretoria Regional de Educação (Dired). Francinilson irá ter uma reunião com a coordenadora do Dired, Magali Delfino, na tarde desta terça-feira (19) para que Márcio Delfino seja desligado da escola.

“Ele não é concursado. A escola estava sem professor de Química, porque uma professora foi transferida para Pau dos Ferros. Daí, a Dired fez contrato com esse rapaz e nos mandou há uns 15 dias. Mas, depois desse acontecimento, não há mais condições dele continuar lecionando em nossa escola”, relatou Francinilson.

Ainda segundo o jornal, o vice-diretor não soube informar se o aluno procurou a Polícia para prestar queixa. O Jornal De Fato entrou em contato com a Delegacia de Plantão, que não tinha qualquer registro de denúncia do aluno.

Com informações do Jornal De Fato

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fernanda disse:

    Deixou vazar o nome do menino?

Estudante é indenizado após sofrer lesão em escola de Natal

O juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública de Natal, Airton Pinheiro, condenou o município de Natal ao pagamento de R$ 3 mil, por dano moral, a um ex-aluno da Escola Municipal Vera Lúcia de Souza. Em 2008, o então estudante sofreu uma lesão ocasionada pela queda de um portão de dois metros de altura em sua cabeça, quando se encontrava na quadra de esportes.

Além das consequências físicas, relatou o autor, o evento causou também sequelas psicológicas, o que motivou inclusive a saída do colégio. Os pais, então, tiveram que arcar, apesar da pouca renda familiar, o custo de uma escola particular com mensalidade de R$ 65.

Ao conceder o pedido, o magistrado determinou que o pagamento da indenização deve ser feito com atualização a partir da publicação da sentença (súmula 362 do STJ) e nos termos do art. 1º-F da lei 9494/97. “É inquestionável o dever do ente público demandado de zelar pelo bom estado de suas repartições, incluindo nestas suas escolas, de modo a proporcionar satisfatórias condições de segurança a todos que as frequentam. Em face desse dever, é patente a obrigação do réu de indenizar o autor pelo dano decorrente do acidente no âmbito escolar”, observou o juiz.

TJRN

Aluno é condenado a pagar R$ 10 mil por jogar casca de banana em professora

Casca-da-Banana-tem-muitas-utilidadesA Vara do Juizado Especial Cível de Bragança Paulista condenou um aluno (maior de idade) a pagar indenização por danos morais no valor de R$ 10 mil a uma professora, por ter arremessado uma casca de banana sobre ela. O caso aconteceu em outubro de 2012 numa turma de 3º ano do ensino médio, e a sentença foi divulgada nesta terça-feira (20).

De acordo com a decisão do juiz Juan Paulo Haye Biazevic, a conduta descrita na inicial atingiu a autora em seus atributos mais importantes da personalidade, expondo-a ao ridículo em um ambiente no qual ela deve deter a autoridade necessária e suficiente para ensinar e educar.

Em defesa, o aluno alegou que não teve a intenção de acertar a professora. Afirmou que brincava com um colega de jogar a casca no cesto de lixo, quando, acidentalmente, o material bateu no ventilador e se despedaçou. O juiz condenou, ainda, dois alunos por terem prestado informações inverídicas, e devem responder pelo crime de falso testemunho.

Na sentença Biazevic diz que “grande parte da desmotivação dos professores, e isso, é óbvio, também deve ser atribuída à postura dos nossos jovens. Lamentavelmente prolifera no país uma cultura de que ser estudioso e esforçado não é digno de admiração, o que se admira é ser malandro e insolente”.

O juiz alega ainda que “em um momento histórico onde as ruas do país são tomadas por pessoas exigindo melhorias na educação, jovens esquecem que, além de direitos, eles também têm deveres. Não basta bradar por investimentos em educação se, na sala de aula, quem se dedica à tarefa de ensinar não é respeitado. Qualquer esforço do Poder Público para melhorar a educação do país cairá por terra se os alunos não estiverem dispostos a aprender.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio Nogueira disse:

    Não sei como não apareceu algum "ólogo" qualquer para dizer que essa decisão trará um trauma insuperável ao menor, que provavelmente isso afetará seu desenvolvimento para sempre ou que não se deve punir um adolescente porque ele não tem noção do que faz.
    Parabéns a todos aqueles que cobram responsabilidade de todos, sem distinção.

Alunos do RN são desclassificados da Olimpíada de Biologia por "incompetência" dos coordenadores estaduais

Os três alunos do Rio Grande do Norte que se empenharam nos últimos meses para conseguirem boas notas na Olimpíada Brasileira de Biologia (OBB) para representar o país na Olimpíada Internacional de Biologia, que esse ano será realizada em Cingapura, estão oficialmente desclassificados. Não porque não conseguiram boas notas ou porque não se esforçaram o suficiente. O motivo real foi a “incompetência” dos coordenadores estaduais, que representam o concurso aqui no Estado, ao enviar os cartões de respostas dos alunos potiguares da etapa nacional.

Esses cartões deveriam ter sido enviados até o dia 29 do mês passado, por causa do calendário oficial previsto no edital para ser divulgado no dia 31 de maio. Como assim foi. O problema é que os cartões do RN só foram enviados no dia 9 desse mês, ou seja, mais de uma semana fora do prazo e ainda depois da divulgação dos gabaritos. Assim, a organização da OBB decidiu, pelo bem do concurso, eliminar todos os potiguares.

Alguns dos cartões de resposta, inclusive, ainda estão chegando segundo a nota oficial emitida pelo professor Rubens Oda, coordenador nacional da OBB. Os coordenadores daqui do Estado foram descredenciados por causa da irresponsabilidade.

“Sabemos do transtorno causado pela incompetência das coordenações estaduais responsáveis pelo transtorno – principalmente as dos estados do Espírito Santo e Rio Grande do Norte, que neste momento estão sendo descredenciadas pela ANBio. Pedimos desculpas aos alunos cujas provas não foram corrigidas por este motivo, mas sua inclusão na lista de classificados questionaria a transparência do processo de correção uma vez que os cartões resposta foram enviados após a data limite informada em nosso edital (dia 30 de maio de 2012), e conseqüentemente, após a divulgação do gabarito final em nossa home-page. Ressaltamos também que em todas as provas enviadas as coordenações estaduais determinávamos que o limite seria ainda mais curto (dia 29 de maio). Os pacotes referentes a cidade de Vitória foram postados no dia 4 de junho e o pacote do estado do Rio Grande do Norte postado somente no dia 9 de junho”, disse o coordenador”, escreveu. A ANBio em questão é a Associação Nacional de Biossegurança, responsável pela organização da Olimpíada.

Algo realmente lamentável. Essa situação de desclassificação que vai provocar (na verdade já está provocando) danos irreparáveis aos candidatos potiguares. Pais de alunos e professores já estão revoltados com a situação.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. francitonio disse:

    Aqui no RN e uma vergonha, não por culpa dos alunos mais das autoridades, não e atoa que o estado se da mal das competições.

  2. Letícia A. disse:

    O RN merece respeito! Enquanto queremos que a educação de nosso estado cresça e seja reconhecida, fica impossível para nossos alunos e professores se sentirem motivados a continuar essa luta quando há irresponsáveis que acabam com sonhos e objetivos! E os alunos potiguares que foram eliminados desta fase da Olimpíada não tiveram uma preparação de meses e sim de ANOS! Eles, mais do que ninguém, merecem uma explicação pra essa palhaçada!

  3. […] Alunos do RN são desclassificados da Olimpíada de Biologia por “incompetência” dos coordenado… Postado em: 14/06/2012 às 17:26 Deixe seu comentário Tweet stLight.options({ publisher:'wp.e5614253-674e-4af0-8262-7c08ebb4f316' }); /* […]

  4. Anônimo disse:

    Infelizmente a pessoa que postou esse comentário usou um nome que não o pertence, usou o nome de Pedro Fraiman em vão. O IP 200.217.214.66 foi passado para o Original Pedro Fraiman. Caro Fake, inclusive já sei de onde foi postado o comentário

  5. Marcus Vinicius disse:

    Quem são os coordenadores estaduais? Secretaria de Educação? Alguma entidade privada, alguma fundação? É importante sabermos quem cobrar!

    • Jonas Filho disse:

      O Coordenador estadual da OBB aqui no RN é o professor Evandro Brandão.

      A prova da 2ª fase da VIII Olimpíada Brasileira de Biologia ocorreu no dia 27 de maio no Overdose Colégio e Curso.

  6. Jonas Filho disse:

    O Blog do BG está de parabéns pela iniciativa de denunciar essa imensa irresponsabilidade. O Rio Grande do Norte perdeu a chance de ter, mais uma vez, representantes em olimpíadas internacionais de Biologia.

    É inadmissível que por aqui ainda exista tanto amadorismo na rede particular de ensino.

Universitário fica nu dentro da sala e processa a UFRN

Um caso bastante delicado e controverso resultou em processo administrativo e expulsão de um aluno do curso de Licenciatura em Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Wallace Albino da Silva queria o direito de assistir às aulas sem roupa e por algumas vezes chegou a exibir seu órgão sexual em sala, constrangendo estudantes e professores. Com sua expulsão justificada pela má conduta e quebra do decoro escolar, Wallace moveu processo judicial contra a universidade requerendo o direito de voltar a assistir aulas e alegando problemas mentais, mas o pedido foi julgado improcedente pelo juiz da 1ª Vara Federal, Magnus Augusto Costa Delgado.

O ato administrativo que acarretou no desligamento do estudante de Música foi a conduta tida como desrespeitosa dele ao abaixar suas calças em meio às aulas de Linguagem e Estruturação Musical III, ministradas pela professora Amélia Martins Santa Rosa durante o segundo semestre letivo de 2011. Segundo os autos do processo julgado pela Justiça Federal em 19 de abril deste ano, Wallace Albino aciona o artigo 214, VII do Regimento Interno da UFRN, dizendo que sua conduta era passível apenas de suspensão de um a 120 dias, não de expulsão como ocorreu, pelo fato ter ocorrido pela primeira vez.

Outro argumento usado pelo estudante é de que ele possui problemas psicológicos e dificuldades de integração social necessitando do apoio da universidade para “seu crescimento pessoal e acadêmico”, segundo os autos. Já a UFRN alegou que o ato foi de alta gravidade e constrangeu todos os presentes no local. No processo, a professora e outras testemunhas alegaram que essa não era a primeira vez que o aluno mostrava suas partes íntimas em sala de aula, outras vezes ocorreram em 2010 e no início de 2011, dando respaldo à decisão da UFRN de desligar o aluno.

Wallace Albino alegou que suas “fraquezas momentâneas”, como nomeia seus atos, não acontecem quando tem aula ministradas por professores homens ou professoras mais velhas, sendo ofator causador de sua conduta imprópria a presença de um professora “jovem e bonita”. A Justiça Federal julgou que o autor da ação possui problemas psicológicos mais graves do que os assumidos por ele e seus familiares, necessitando de acompanhamento profissional. Contudo, o jovem perdeu a ação por a Justiça considerar sua conduta incompatível com a vida acadêmica “de modo que ninguém é obrigado a conviver academicamente com um aluno que exibe sua genitália publicamente, ferindo totalmente não só as regras da instituição acadêmica, como principalmente as regras de bons costumes” e deu o caso por encerrado.

A reportagem do Diário de Natal entrou em contato com a Escola de Música da UFRN para ouvir seu posicionamento sobre o fato polêmico, bem como a professora envolvida no caso. Amélia Martins preferiu não se pronunciar como forma de não retomar todo o assunto e os constrangimentos aos quais se submeteu. O diretor da EmURFN, Zilmar Rodrigues, diz que essa foi a primeira vez que algo do tipo aconteceu e que a UFRN seguiu conforme prevê seu regimento interno. Segundo o diretor, a professora denunciou o caso à coordenação do curso, que o apurou juntamente com a Procuradoria da UFRN e ao ouvir todas as partes envolvidas e constatar a procedência da denúncia seguiu com a devida punição, que culminou na exclusão do estudante.

Fonte: DN Online

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tati disse:

    Melancia na cabeça tá fora de moda!

Aluno que defecou em sala de aula será indenizado em R$ 5 mil por danos morais

Um estudante da rede pública de ensino, em Natal, será indenizado em R$ 5 mil por danos morais, após fazer as necessidades fisiológicas em plena sala de aula por não ter obtido autorização do professor para ir ao banheiro. A defesa alegou que o cliente sofreu constrangimentos morais, quadro de angústia grave, o que culminou na perda do ano letivo pelo aluno e necessidade de acompanhamento psicológico.

A decisão é do juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública, Airton Pinheiro, e foi publicada no Diário da Justiça desta segunda-feira (16). O magistrado entendeu a atitude do professor como uma “interpretação restritiva” sobre as normas que proíbem que os alunos se ausentem da sala de aula “provavelmente decorrente da “falta de experiência do mesmo”.

O município de Natal chegou a fornecer assistência psicológica ao adolescente no período subsequente ao problema e segundo o juiz o adolescente não sofreu sequelas, e não há nexo de causalidade suficiente a associar o evento com a perda do ano letivo pelo autor. Ele entendeu suficiente a indenização de R$ 5 mil pelo constrangimento.

Fonte: TJRN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. minon disse:

    Quem estiver disposto a não levar a situação na galhofa, acredite: foi muito pouco! Vivi situação semelhante, apesar de menos grave, em colégio de freira "chique"  e afirmo: não tem dinheiro no mundo que pague a humilhação, o constrangimento e o tanto de "bullyng" que essa criança deve ter sofrido e ainda sofrerá por causa de gente despreparada e ignorante como devem ser os profissionais/escola em questão. Certas coisas são muito engraçadas quando acontecem com os outros, quando é com  com um filho nosso não tem graça nenhuma.

Polícia vai investigar causas do acidente no Colégio Marista, inclusive analisando imagens

O titular da 1ª Delegacia da Polícia Civil, Elivaldo Bezerra Jácome, deverá instaurar hoje inquérito civil para apurar as causas do incidente envolvendo um aluno do Colégio Marista de  Natal ontem pela manhã. A Polícia Civil não descartou nenhuma das possibilidades que possam ter contribuído para o fato. “Não excluiremos nenhuma linha de investigação. Iremos apurar todas as informações que recebemos até este momento”, afirmou o chefe de investigações da 1ª DP, Jairo Severo.

De acordo com informações contidas no Boletim de Ocorrência nº 3418/2011 registrado pelo diretor da escola, José Milton Dourado da Silva, após o ocorrido, o aluno do oitavo ano do ensino fundamental “se jogou do segundo andar por motivos até o presente momento não identificados”. De acordo com o documento, o incidente ocorreu às 11h11min de ontem. O estudante de 15 anos foi prontamente socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. EDUARDO MEDEIROS disse:

    E AÍ, SENHORES PROMOTORES, SERÁ QUE A PROFESSORA É CULPADA PELA AGRESSÃO QUE SOFREU?!
    26/08/2011 09h04 – Atualizado em 26/08/2011 09h04
    Testemunha grava em vídeo agressão de aluno a diretora na Grande BH
    A confusão aconteceu na noite desta quinta-feira, em Contagem.
    Diretora disse que o estudante a ameaçou de morte, ao sair da escola.

    Do G1 MG
    imprimir

    Uma testemunha gravou em um celular imagens da agressão de um aluno contra a diretora de uma escola pública de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na noite desta quinta-feira (25). A diretora levou um chute dentro da instituição, depois de flagrar o adolescente fora da sala de aula. No mesmo vídeo, o estudante ainda ameaça a mulher, dizendo que vai matá-la. Veja o flagrante da agressão no vídeo ao lado.

    “Ele estava fora de sala. Eu o encaminhei para a supervisão. E ao fazer o apontamento ele voltou, levantou e eu também me levantei, me aproximei dele. Ele me empurrou. No que ele me empurrou, eu saí para chamar a polícia. E quando eu estava entrando na minha sala eu senti o chute nas minhas pernas”, disse a diretora.

    Ainda segundo testemunhas, o estudante de 15 anos também ameaçou verbalmente a educadora. “Vou matar você”, disse o aluno no vídeo. O estudante tem um histórico de problemas na escola. “Esse é um complicado, falta limite e ele não tem senso de responsabilidade com a escola. Ele tem dificuldades pedagógicas, tem dificuldade no trato com os professores”, disse a diretora.

    Depois da agressão, segundo testemunhas e a própria educadora, o estudante saiu da escola fazendo mais ameaças. “Falou que ia buscar uma arma para me matar”, acrescentou a diretora. “Eu me senti agredida, física, mental e emocionalmente”, concluiu.

    No início da noite, pelo menos cinco rapazes tentaram invadir a escola pelos fundos. Os professores chamaram a polícia. Poucos minutos depois, a Guarda Municipal e a Polícia Militar chegaram ao local. Ninguém foi preso. A polícia investiga se a tentativa de invasão está ligada às ameaças.

    Um boletim de ocorrência foi registrado por causa da agressão. A pedido da direção da escola, a polícia foi até a casa do adolescente, mas não encontrou nem o estudante nem pais ou responsáveis. A reportagem também entrou em contato com a família, mas sem sucesso.
    NESTE CASO, O POBREZINHO DO ALUNO E DOS SEUS IRRESPONSÁVEIS DOS SEUS PAIS SOFRERAM CONSTRANGIMENTO ILEGAL, PERDAS E DANOS, LESÃO CORPORAL? O GAROTO OU SEUS PAIS IRRESPONSÁVEIS DEVEM OU NÃO SEREM PUNIDOS?

  2. EDUARDO MEDEIROS disse:

    VAMOS ANALISAR ESTA MATÉRIA, VEICULADA HOJE, EM OUTRO ESTADO:
    O GLOBO (on line)
    Edição do dia 25/08/2011

    26/08/2011 01h23 – Atualizado em 26/08/2011 01h40
    Menino de cinco anos é intimado após morder professora em SP
    Delegado, de Iaras, região centro-oeste, disse que o erro em intimar o aluno foi do escrivão. Agora, ele vai avaliar qual procedimento será tomado já que a criança e os pais não compareceram à delegacia.
    imprimir

    Quando Patrícia de Fátima Azevedo recebeu a intimação – para levar o filho Gustavo à delegacia essa semana – ela se assustou. "É um absurdo uma coisa dessas. Como que uma criança de cinco anos vai para uma delegacia depor. Não tem nem o que falar", disse.

    O menino estuda numa escola municipal de educação infantil em Iaras, no centro-oeste paulista. A mãe diz que no começo do ano o filho chegou em casa contando que tinha mordido a professora depois que ela o pegou pelo braço. Como a escola não informou o que tinha acontecido, a mãe pensou que o caso estava encerrado.

    "Aconteceu dentro da escola, a primeira coisa que o professor deveria ter feito era acionar a direção, a direção me comunicar e, se necessário, chamar o Conselho Tutelar para que eles tomassem as devidas providências", fala a mãe.

    A professora, Alessandra Pagliato, que tem 18 anos de magistério, diz o aluno estava brigando com um colega. Ao separá-los, ela conta que foi agredida pela criança. Alessandra afirma que avisou a direção da escola, o Conselho Tutelar e, para se preservar, registrou um Boletim de Ocorrência.

    O delegado de Iaras não gravou entrevista. Mas disse que o erro em intimar o aluno de cinco anos foi do escrivão. Agora, ele vai avaliar qual procedimento será tomado já que a criança e os pais não compareceram à delegacia.

    Para o representante do Conselho Tutelar, Avelino Rodrigues de Oliveira, o problema escolar poderia ter sido resolvido de outra maneira.

    "A criança não pode ter um tratamento vexatório. Quando acontece um fato envolvendo crianças e adolescentes é função do conselho de proteger seus direitos”.

    É ASSIM QUE COMEÇA UM COMPORTAMENTO INDISCIPLINADO E IMPUNE, QUE FATALMENTE CULMINARÁ NUM PRATICANTE DE BULLING. O GAROTO FAZ O QUE QUER, QUANDO QUER, ONDE QUER E COM QUEM QUER. OS PAIS, POR IGNORÂNCIA, INCOMPETÊNCIA, NEGLIGÊNCIA OU IRRESPONSABILIDADE (OU MESMO PARA QUE "OS FILHOS TENHAM O QUE ELES NÃO TIVERAM, OU SEJAM O QUE ELES NÃO FORAM…"), SÓ COMPARECEM, PARA FAZER CONFUSÃO COM A QUEM FOI CONFIADA A EDUCAÇÃO QUE A CRIANÇA NÃO TEM EM CASA. HOUVE O ERRO EM INTIMAR A CRIANÇA – DE 5 ANOS -, É LÓGICO. A NEGLIGÊNCIA DO ESCRIVÃO QUE LAVROU O B.O. E A INTIMAÇÃO É EXPLÍCITA, E ELE DEVERIA, TAMBÉM, SER PUNIDO, EXEMPLARMENTE. MAS A CONDUTA MAIS ADEQUADA SERIA PROCESSAR OS PAIS E/OU RESPONSÁVEIS POR ESTE MENOR, BEM COMO POR TODO E QUALQUER MENOR QUE TENHA UM COMPORTAMENTO INADEQUADO, DENTRO OU FORA DA ESCOLA, COMO SE FAZ NOS PAÍSES SÉRIOS, ONDE AS LEIS SÃO CUMPRIDAS. NÃO SE PODE FICAR À MERCÊ DESTA FÁBRICA DE PITTBOYS QUE TOMA CONTA DO PAÍS E DO MUNDO. SE CADA PAI OU RESPONSÁVEL FOSSE PUNIDO, NÃO HAVERIA TANTO MARGINAL COM E SEM COLARINHO BRANCO NO PAÍS. E A JUSTIÇA? COMO É QUE A JUSTIÇA SÓ DEFENDE OS AGRESSORES, E NEGLIGENCIA COM O "CONSTRANGIMENTO ILEGAL", AS "PERDAS E OS DANOS MORAIS", "LESÕES FÍSICAS E EMOCIONAIS", E TANTOS E TANTOS OUTROS ARTIGOS DA "E.C.A" (da, mesmo…) DAS VÍTIMAS DESSES INFRATORES DA MORAL E DOS BONS COSTUMES? NÃO ESTOU DEFENDENDO A PUNIÇÃO DO MENOR! QUE FIQUE BEM CLARO, ISTO! O QUE ESTOU DEFENDENDO É A PUNIÇÃO EXAMPLAR DOS SEUS PAIS E/OU RESPONSÁVEIS, PARA QUE, DESTA FORMA POSSA SER RESGATADA, PELO BEM OU À FORÇA, A IMPORTÂNCIA DO PAPEL DA FAMÍLIA NA EDUCAÇÃO DOS FILHOS. A ESCOLA NÃO É UM DEPÓSITO DE MAL-EDUCADOS NEM DE FUTUROS DELINQUENTES. A ESCOLA, VALE LEMBRAR, É RESPONSÁVEL PELA FORMAÇÃO ACADÊMICA E PELA COMPLEMENTAÇÃO DA FORMAÇÃO ÉTICA, QUE DEVE SER INICIADA DESDE A MAIS TENRA INFÂNCIA, PELA FAMÍLIA, ANTES QUE ALGUM TRAFICANTE OU OUTRO TIPO DE MARGINAL ADOTE A "RESPONSABILIDADE" DE ASSUMIR O "PAPEL" DOS PAIS DESSES MENORES DE COMPORTAMENTO, NO MÍNIMO, INADEQUADO.

  3. aubi disse:

    leiam apocalipse capitulo 24 todas estas coisas aconteceram para se cumprir o que diz a palavra do Senhor Jesus. E reino contra reino nação contra nação, pai contra filho irmão contra irmão. Este irmão, não é só irmão de sangue não. que a paz de Cristo esteja com todos vocês….

  4. Sandra disse:

    É lamentável este acontecimento…uma criança!!!! Os infinitos relatos de "amigos" ou mesmo de alunos próximos a série dele, relatam o sofrimento deste menino quanto ao bulling.
    Concordo plenamente com os relatos acima, um colégio com tantas câmeras e sem um mínimo de iniciativa da coordenação, dos professores ou mesmo dos funcionários que lá circulam sem parar!
    Os coordenadores indo às salas e "mentindo", ou melhor, justificando a ausência de um ato tão importante, dizendo que o menino não sofria bulling! Errado!!!!! Onde está a sinceridade, a lealdade, o amor ao próximo, enfim, tudo aquilo que "pregam" os Irmãos Marista???
    Levo meus filhos e vejo como eles ficam "soltos" em um colégio tão grande e com tantos lugares sem o menor controle e com tantos perigos! A única coisa que faço como mãe presente que sou, é esclarecer todas as coisas boas ou ruins que se pode ocorrer em locais como estes.
    A impressão que nos dá é exatamente esta: o descompromisso do colégio com os alunos, que coitados, realmente devem ser um número a mais para pagar o salário de cada um deles que passam olham, mas não vêem!!!!!
    É triste, a falta de sinceridade da escola com os próprios alunos.
    Deixo aqui como sugestão, que façam uma reunião com os alunos e pais desta turma, para sacudir, esclarecer e orientar quanto aos fatos que aconteceram, acontecem e que ainda acontecerão…infelizmente!!!!
    Termino como o meu profundo entristecimento e lástima ao acontecido. E, peço que Champangnat entre no coração de cada profissional e aluno desta escola e faça com que o amor e a compreensão volte a reinar.

  5. Luana disse:

    Eduardo medeiros vc falou tudo!!!concordo demais com seu post!!!!

  6. Eduardo Medeiros disse:

    É bastante cômodo minimizar um acontecimento de tal gravidade a uma "FATALIDADE"…Uma instituição que conclama-se contra o "Bullinng", que usa e abusa da midia para expor seus posicionamentos a este respeito, que mantém um treinamento ANUAL do "PROERD", que diz seguir a Doutrina do seu Fundador, o São Marcelino Champangnat, que afirma em todas as reuniões coletivas e individuais com os pais dos alunos que o trabalho segue rigorosamente os cuidados com o Respeito às Diversidades Pessoal, Familiar, Sócio-Cultural, Sócio-Econômica, jamais deveria nem poderia permitir que a situação de uma vítima deste tipo ABOMINÁVEL de RELACIONAMENTO chegasse a este desfecho. A discriminação existe, SIM, velada e declaradamente, em todas as turmas, em todos os cômodos da escola, no ar respirado sob as belas e tradicionais árvores de suas dependências, e, professores, supervisores, coordenadores e diretores permanecem à mercê de uma "LEI", aparentemente promulgada para defender, APENAS, os "direitos" dos alunos de conduta, no mínimo. questionável, oriundos de famílias abastadas, tradicionais, repletas de "ADVOGADOS", que defendem, apenas, os interesses relativos à justificativa de sua ausência no Seio Familiar, na Educação Doméstica, no cumprimento dos seus DEVERES PATERNAIS e MATERNAIS. Esses alunos, muitos oriundos de outras escolas onde existe uma DISCIPLINA A SER SEGUIDA, ou de outros turnos onde perturbaram o suficiente para serem transferidos, para não sairem do colégio, são os verdadeiros responsáveis por este tipo de reação desesperada deste jovem. Não se pode nem se deve minimizar a (ir)responsabilidade essencial dos pais do garoto, mas o ocorrido foi nas dependências do colégio. Um colégio de alto ônus para os pais, onde existem verdadeiros desertos de fiscalização e segurança dos alunos. Onde estão os "bedéis"? Cadê os "inspetores" de corredores? Para que tantas Câmeras, se não existe uma central de imagens para que sejam acionados funcionários capazes de inibir este e outros acontecimentos lastimáveis, frequentes em uma instituição de Ensino Religioso, como proclamam, para a vida, e não, apenas, para a formação profissional? Infelizmente um adolescente teve que imolar-se quase às últimas consequências. Mas, quando o DIREITO dos Bons Alunos vai passar a ser respeitado e protegido pelos que fazem esta Escola? Vai ser preciso algum aluno perder a vida, de verdade? Vão ser precisos quantos auto-sacrifícios, para que a Congregação faça valer os Direitos e os Deveres de e para todos? Senhores Gestores do Colégio Marista de Natal! Ponham as mãos em suas consciências, reflitam, e percebam que a grande maioria dos pais não pode estar equivocada com tamanha falta de compromisso de vossas excelências. Tenho certeza de que a Administração Central do Marista não compactua com tanta ausência de Administração. Para que tanta exigência aos alunos, se a escola não faz o seu dever de casa, nem de classe, nem do recreio? Cumprir quilômetros de conteudos programátiso de nada vale, se o valor maior da vida, da espiritualidade e do Criastianismo não é vivenciado no cotidiano acadêmico. Pensem. Mudem, enquanto é tempo. Caso contrário, estaremos vendo um Colégio de Excelência regridir aos idos anteriores ao do Criador da Congregação.

  7. alexandre disse:

    Teu blog é muito bom!

  8. 'MARCOS disse:

    Esse foi um caso mais sério, pq a criança não deve ter suportado tanta pressão…agora, deixar o filho no colégio, e este não saber o que aconteceu, tendo q esperarmos a polícia para esclarecimento, é no mínimo falta de compromisso do colégio em acompanhar seus alunos…que devem ser apenas um número a mais…lamentável!