Polícia

Polícia Civil liberta reféns e prende suspeitos de roubo de carga no interior do RN

Policiais civis da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV), em ação conjunta com Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícia Militar e policiais civis das Delegacias Regional de São Paulo do Potengi e Municipal de Touros, deflagraram uma operação para localizar dois reféns e recuperar um caminhão roubado na terça-feira (24), no município de Lajes.

Durante as diligências, nesta quarta-feira (25), no município de Maxaranguape, foi possível localizar os reféns e libertá-los, bem como recuperar o veículo que havia sido roubado e parte da carga. Na ação, foram detidos José Douglas Alves de Carvalho, conhecido como “careca”, e Lucas Felipe Santos de Lino, conhecido como “Luquinha”, os quais estavam com um revólver.

Em continuidade às diligências, nesta quinta-feira (26), policiais civis da DEPROV prenderam Paula Rodrigues da Silva. Com ela, foi localizada parte da carga roubada, além de uma submetralhadora, porções de maconha, LSD e dinheiro em espécie.

Os suspeitos foram conduzidos à delegacia e, em seguida, encaminhados ao sistema prisional, onde se encontram à disposição da Justiça. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181 ou pelo número: (84) 3232-6312 (Whatsapp).

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

PRF interdita BR-304 na Grande Natal no fim da manhã desta terça para transporte de carga ‘superdimensionada’

A Polícia Rodoviária Federal no Rio Grande do Norte informou que vai interditar temporariamente a BR-304, na altura do município de Macaíba, na Grande Natal, por volta das 11h30 até o período das12h desta terça-feira (8). De acordo com a corporação, a medida é necessária para realização de escolta de “carga superdimensionada” e manter a segurança viária.

A interdição vai ocorrer entre o km 281 (no entroncamento com BR-226) e o km 296,7 – no acesso a Jundiaí.

“A PRF-RN empreenderá equipes dedicadas para o cumprimento em segurança da citada interdição. Lembramos que estamos à disposição através do nosso canal de emergência 191”, informou a corporação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTO: Carga com mais de 96 mil latas de cerveja é apreendida por sonegação fiscal na Grande Natal

Foto: Divulgação

O portal G1-RN destaca nesta quinta-feira(27) que um carregamento com mais de 96 mil latas de cerveja que estava sendo transportado com documentação fiscal irregular foi apreendido no fim da noite dessa quarta-feira (26) na BR-304, em Macaíba, na Grande Natal. Durante a abordagem e inspeção, policiais rodoviários federais e auditores fiscais constataram que toda a mercadoria estava irregular e indicava o não recolhimento do Imposto ICMS, o que é considerado crime contra a ordem tributária e sonegação fiscal. Cerca de R$ 76 mil deixariam de entrar nos cofres públicos.

A fiscalização conjunta da Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN) e Polícia Rodoviária Federal (PRF-RN) ocorreu por volta das 22h. Todo o volume foi avaliado em R$ 172 mil. Leia reportagem completa AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Essa carga deve pertencer a algum trabalhador formal com um contrato intermitente, pq eu duvido que seja de um empresário. Pense numa categoria pra ter santo.

  2. Conta de Bar: Carga avaliada em R$ 172k, imposto R$ 76k, isso dá pouco mais de 44% de tributação direta. Fora frete, margem de lucro do revendedor e da cadeia logistica, perdas por avarias e os impostos indiretos… Quanto isso dá? É por isso que abre margem para sonegação. O governo não taxa ele nos assalta.

    1. E a reforma tributária que o governo federal não bota pra frente mesmo “tratorando” (novo tipo de mensalão) BILHÕES pro Congresso… Só promessas!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Chefe da Interpol prevê mais casos de roubo de carga durante as semanas de transporte de vacinas

Foto: Ammar Awad/Reuters

Haverá um aumento significativo dos crimes de roubo de carga durante o translado das doses de vacinas contra o coronavírus, disse o diretor da Interpol, Jürgen Stock, afirmou, nesta segunda-feira (21).

“Com o translado das vacinas, o crime vai aumentar de maneira importante”, disse Stock à revista alemã “Wirtschaftswoche”.

“Vamos assistir a roubos, saques de armazéns e ataques durante o transporte das vacinas”, completou.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) deve se pronunciar nesta segunda-feira sobre a vacina da Pfizer-BioNTech.

O Comitê de Medicamentos de Usos Humanos (CHMP, na sigla em inglês) da EMA, com sede em Amsterdã, antecipou em uma semana a reunião inicialmente prevista para 29 de dezembro, durante a qual deve anunciar se autoriza ou não a vacina.

Distribuição nos EUA

Doses da vacina da Moderna contra a Covid-19 começaram a ser empacotadas para envio no domingo (20) nos Estados Unidos. A vacina foi autorizada para aplicação na população no sábado (19) pelo Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) americano.

Segundo o jornal “The New York Times”, 5,9 milhões de doses devem ser enviadas. A previsão é que a vacina comece a ser dada às pessoas nesta segunda-feira (21). Cada pessoa precisa de duas doses.

Até agora, 556 mil pessoas foram vacinadas e já houve a distribuição de 2,84 milhões de doses da vacina da Pfizer e da BioNTech.

A distribuição da vacina da Moderna para mais de 3.700 pontos nos EUA vai aumentar o volume de doses no país.

5,9 milhões de doses

O plano é entregar 5,9 milhões de doses dessa vacina nesta semana, e 2 milhões da Pfizer.

A vacina da Moderna pode ser mantida por até 30 dias em um refrigerador comum, e a da Pfizer precisa de uma temperatura de -70ºC.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Membros de quadrilha de roubo de carga que agia no RN, PB e PE eram investigados desde julho; delegado detalha

Operação da PRF no bairro do Bessa, em João Pessoa, apreendeu documentos e celulares de suspeitos de integrar grupo que atua no roubo de cargas — Foto: Walter Paparazzo/G1

O portal G1-RN destaca que uma operação contra uma quadrilha suspeita de roubos de cargas no Rio Grande do Norte, na Paraíba e em Pernambuco prendeu dois homens, na noite dessa quinta-feira (22) em Mamanguape, na Paraíba também deu voz de prisão a um homem que já estava detido em um presídio potiguar, nesta sexta-feira (23). A quadrilha é investigada desde julho e cometeu pelo menos sete crimes no RN, segundo o delegado responsável. O número total de crimes praticados nos três estados não foi informado.

A Operação Cargas, realizada em conjunto pela Polícia Civil e Polícia Rodoviária Federal, foi deflagrada na noite dessa quinta (22), com a prisão dos dois homens na Paraíba. O suspeito que recebeu voz de prisão no RN, na manhã desta sexta-feira (23), estava no presídio de Ceará-Mirim, na Grande Natal, desde o dia 15 de outubro, após ter sido preso em flagrante com uma carga de caixas de água roubada. Um quarto homem, que também teve mandado de prisão expedido pela Justiça potiguar, continua foragido.

Nesta sexta-feira (23), um mandado de busca e apreensão também foi cumprido em Parnamirim, na região metropolitana de Natal. Outros dois foram cumpridos pela PRF em João Pessoa.

De acordo com o delegado Joacir Rocha, da Delegacia Especializada de Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (Deprov) do RN, a quadrilha era investigada desde julho e os alvos dos mandados são apontados como os cabeças dos roubos. Veja todos os detalhes AQUI em reportagem na íntegra.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Fiscalização da Secretaria de Tributação com a PRF apreende carga de 45 mil litros de álcool em Mossoró

Foto: Divulgação/SET/RN

Auditores fiscais da Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN) e agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF-RN) apreenderam, nesta quinta-feira (8), uma carga irregular de álcool na região de Mossoró. Uma carreta com 45 mil litros do produto foi retida na rodovia BR-304 por transportar o álcool sem documentação fiscal. A carga foi avaliada em R$ 155 mil e, se não fosse abordada, o Rio Grande do Norte teria perdido R$ 65 mil em tributos sonegados.

Esta é a quarta autuação que o Fisco Estadual em parceria com a PRF faz de veículos transportando álcool de forma ilegal em menos de um mês. As quatro retenções desse tipo de mercadoria totalizam um volume de 205 mil litros de álcool e um montante de quase meio milhão de reais.

A apreensão ocorreu durante fiscalização de rotina que acontece nas principais rodovias que cruzam o território potiguar e faz parte das ações para fechar o cerco contra a sonegação de impostos, que gera danos ao erário público e também promove uma competição desleal no meio empresarial. Transitar com mercadorias sem notas fiscais é considerado um crime contra a ordem tributação e os responsáveis pela infração podem responder criminalmente pela sonegação.

“Como já anunciamos, não vamos afrouxar as fiscalizações. Ao contrário, vamos intensificá-las para que esse e outros crimes não venham acontecer. A nossa estratégia é de fato combater a sonegação de impostos para auxiliar no processo de recuperação financeira do estado”, declara o secretário ajunto da SET-RN, Álvaro Bezerra.

Opinião dos leitores

  1. A SET precisa intensificar a fiscalização na região Agreste, divisa do RN com a PB é a maior porta de entrada de produtos sem impostos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Operação da Guarda Municipal e Semurb apreende em Natal carga de madeira destinada a fogueiras

Foto: Divulgação/SEMDES

Uma operação da Guarda Municipal do Natal (GMN) e da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb) realizada nessa quarta-feira (17), apreendeu uma carrada de madeira destinada a produção de fogueiras juninas, que estava sendo comercializada na Avenida Prudente de Morais. As toras de lenha estavam sobre a calçada, expostas de forma enfileirada ao longo de um muro da via urbana.

De acordo com informações repassadas pelo patrulhamento preventivo da GMN, os guardas municipais foram acionados, juntamente com os fiscais da Semurb, por meio do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), que recebeu a denúncia da comercialização ilegal de lenha. “Fomos em apoio a fiscalização da Semurb e ao chegarmos na área indicada constatamos a denúncia, sendo toda a madeira apreendida e retirada do local”, relatou o guarda municipal J. Neto.

O ato de receber ou adquirir, para fins comerciais, madeira, lenha e outros produtos de origem vegetal, sem exigir a exibição de licença do vendedor, outorgada pela autoridade competente, e sem munir-se da via que deverá acompanhar o produto até final beneficiamento é crime tipificado na Lei Federal de Crimes Ambientais (Lei nº 9.605). A punição para essa prática é a detenção de seis meses a um ano, além de multa.

Outro agravante é que neste ano está proibido, por meio de decreto do Poder Executivo, o acendimento de fogueiras, sendo punido o infrator com multa de R$ 2 mil. Também não é permitido a realização de festejo junino e utilização de fogos de artifícios, com multa de R$ 1 mil. A madeira apreendida foi retirada do local com a utilização de um caminhão da Urbana, ficando o material sob custódia da Semurb.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Máscara de pano barra até 70% da carga de vírus

Mulheres usam máscara no Centro de Niterói | Fabiano Rocha

Neste tempo de pandemia da Covid-19 é muito importante discutir o uso das máscaras. Tudo em relação a virologia depende da quantidade de vírus presente no corpo da pessoa infectada. É a chamada carga de viral.

Para infectar o ser humano precisamos de um número de partículas virais definida ou dose infectante. Por exemplo, se tratarmos um paciente com Aids e baixamos sua carga viral no sangue, este paciente não é mais infeccioso. O mesmo quando utilizamos a camisinha.

Quando vamos para os vírus respiratórios, as coisas são semelhantes. Um paciente infectado por vírus respiratórios, como a influenza ou coronavírus, libera milhões de partículas de vírus em suas gotículas exaladas pela tosse ou espirros. Estas gotículas vão se depositar no rosto ou mãos de pessoas não-infectadas e podem agora infectá-las diretamente.

Outra via de infecção se dá pela deposição das gotículas em superfícies como mesas, banheiros, barras de ônibus, corrimões, elevadores, etc, e aí contaminam as mãos das pessoas não-infectadas que levam o vírus a boca ou olhos.

O uso da máscara por uma pessoa infectada seja sintomática ou assintomática diminui a dispersão das gotículas e por consequência a carga de vírus ambiental. Temos as máscaras de materiais sintéticos ou papel tratados que são utilizadas pelo pessoal de saúde e são essenciais nesses tempos de coronavírus. Essas máscaras industriais tipo N95 e as PPF2/3 têm um alto poder de filtração das tais gotículas suspensas, tanto para expelirmos quanto para inspirarmos os vírus.

A população não deve utilizar estas máscaras para poupá-las para os médicos, enfermeiros, e outros profissionais lidando diretamente com os pacientes internados com Covid-19. Porem, o resto da população deve se beneficiar também deste equipamento utilizando máscaras caseiras feitas de pano.

Vamos utilizar as máscaras de pano comerciais ou caseiras o tempo todo porque, mesmo que uma máscara de pano, dobrado 2 a 3 vezes, não barre 100% a carga de vírus exalada ou inalada no meio ambiente, ela pode barrar algo entre 60% e 70% . Assim, a carga de vírus depositada em superfícies diminui e consequentemente a transmissão do vírus também cai.

Este benefício se dá de duas formas: quem está infectado só deixa e só exala 30% da carga de vírus e os não infectados só recebem 30% dos 30% exalados, ou seja, 9% da dose infectante. Isto é uma queda formidável na dose infectante e, além desse benefício, a máscara caseira protege o nariz e boca contra uma autoinoculação. Assim o uso em larga escala da máscara baixaria drasticamente a carga de vírus circulante na comunidade.

Temos que lembrar que uma vacina muito eficaz imuniza 90% dos indivíduos e pode nos livrar de epidemias de sarampo, poliomielite etc. Em analogia, o uso em larga escala da máscara caseira, em casa ou na rua, seria como uma vacina contra o coronavírus. Porém, é uma vacina que deve ser utilizada todos os dias.

Mas, importante: o uso da máscara de pano não pode substituir o isolamento social, a higienização das mãos, e o cuidado de não levar as mãos ao rosto. Ela é uma medida de prevenção aditiva. Precisamos também perder esse estigma da máscara relacionando seu uso a doenças.

Acho que a população asiática lida bem com isso e vemos grande parte da população utilizando máscaras. Vamos todos usar máscara em casa e na rua. Os sintomáticos e os assintomáticos. A proteção dada pelas máscaras não é somente individual, mas, sim, comunitária.

Respeitem a si, respeitem ao próximo, mantenham isolamento social e usem máscaras o tempo inteiro. Todos devem ter, no mínimo, duas máscaras, uma para usar e outra de reserva limpa.

Lave-as com água, sabão e um pouco de água sanitária. Resumindo, a máscara, mesmo de pano, é uma vacina para vírus respiratórios. Porém, é uma vacina que temos que usar o tempo todo! E, reforçando: ela não substitui o isolamento social.

*Amilcar Tanuri é virologista chefe do Laboratório de Virologia Molecular do Departamento de Genética da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

A Hora da Ciência – O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Aqui é a Larissa Helena, eu gostei muito do seu artigo seu conteúdo vem me ajudando bastante, muito obrigada.

  2. Por isso que o povo adoece. kkkkkkkkkkkk
    Essa senhora de amarelo é um exemplo!!!!!
    Que mascara é esse homiii?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil prende suspeito de receptação e apreende carga avaliada em mais de R$ 300 mil em Nova Cruz

Foto: Ilustrativa

Policiais civis da Delegacia Municipal de Nova Cruz, com apoio do fisco estadual, prenderam em flagrante, nessa segunda-feira (10), um homem pela suspeita da prática do crime de receptação. O crime aconteceu no município de Nova Cruz. A carga apreendida ultrapassa o valor de R$ 300 mil reais, sem notas fiscais, proveniente de sonegação fiscal.

As diligências foram empreendidas após o recebimento de denúncias anônimas de que havia um caminhão descarregando carga roubada em um estabelecimento na localidade. Os policiais civis constataram que se tratava de sonegação fiscal e, no espaço, existia armazenados ilegalmente mais de 100 litros de combustível de procedência ignorada, acondicionados em desacordo com a legislação em vigor o que provocou a prisão em flagrante delito do responsável/proprietário.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

SET detalha operação

Policiais civis e auditores fiscais identificaram diversas caixas com gêneros alimentícios que iriam ser comercializados sem notas fiscais em estabelecimentos do município de Nova Cruz. Somente este ano, a SET já apreendeu quase R$ 4 milhões em mercadorias irregulares.

Uma operação conjunta da Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN) e da Polícia Civil da cidade de Nova Cruz identificou um depósito com dezenas de caixas, contendo gêneros alimentícios e itens da cesta básica, sem notas fiscais. A empresa foi autuada e terá de pagar uma multa de R$ 37,3 mil além do ICMS, que está orçado em quase R$ 45 mil. A ação ocorreu durante a segunda-feira (10).

A operação foi deflagrada após denúncias anônimas de depósito clandestino. Em diligências, agentes e auditores fiscais da SET descobriram o local e constataram que a empresa tinha Inscrição Estadual e, portanto não se tratava de um armazém clandestino. Entretanto, durante a vistoria as equipes verificaram que somente 27% dos itens tinham documentação fiscal. Na maioria dos produtos, o imposto foi sonegado e todo o material armazenado equivalia a R$ 344 mil.

Entre as mercadorias, havia massas, biscoitos, material de higiene pessoal, materiais de limpeza, temperos e até bebidas alcoólicas. Como a empresa tinha inscrição estadual idônea, o material não foi retido, no entanto, os responsáveis terão de pagar multa e o imposto sonegado, que totalizam R$ 94,9 mil. O caso está sendo conduzido pela polícia e por auditores fiscais da SET, em Nova Cruz.

Comprar, transportar, armazenar e comercializar mercadorias sem documentos fiscais é considerado crime contra a ordem tributária. A sonegação fiscal gera uma competição desleal com os contribuintes que cumprem as obrigações tributárias e prejudica serviços públicos essenciais, como policiamento, escolas e hospitais, que contam com esses recursos para o funcionamento adequado.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Carga com mais de 95 mil latas de cerveja é apreendida em Garanhuns-PE; mercadoria foi comprada no RN

Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

Uma carga com mais de 95 mil latas de cerveja foi apreendida na quarta-feira (1º) na BR-423, em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a mercadoria foi comprada em Natal, no Rio Grande do Norte, e seria entregue em Curitiba, no Paraná.

A apreensão aconteceu durante uma fiscalização no km 93 da rodovia. Durante a abordagem os policiais encontraram 7.920 caixas de cerveja sem a documentação fiscal. O motorista informou que adquiriu a mercadoria em um supermercado potiguar para entregar na capital paranaense.

O veículo foi conduzido ao pátio e a ocorrência foi encaminhada à Secretaria da Fazenda de Pernambuco (Sefaz-PE) para os procedimentos cabíveis.

G1 Caruaru e região

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Quadrilha é presa em PE com carga de produtos eletrônicos roubada no RN; caminhão transportava TVs, celulares, videogames e mais

Foto: Klênyo Galvão/Inter TV Cabugi

O portal G1-RN destaca nesta sexta-feira(16) que quatro homens suspeitos de terem roubado uma carga de produtos eletrônicos foram presos na noite dessa quinta-feira (15) em Itapissuma, na região Metropolitana do Recife. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a mercadoria estava sendo transportada em um caminhão-baú, que foi interceptado pela quadrilha quando passava pela BR-304, no município de Caiçara do Rio do Vento, na região Central potiguar. O caminhão transportava TVs, celulares, videogames e brinquedos, e foi trancado por três carros na altura do km 222. Veja todas as informações em texto na íntegra aqui.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Grupo rouba carga milionária de ouro no aeroporto de Guarulhos

Veículo usado pelos assaltantes foi abandonado em uma comunidade. Foto: Reprodução

 

Um grupo de homens fortemente armados invadiu o terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 14h30 desta quinta-feira (25), e roubou cerca de 750 quilos de ouro, avaliada em US$ 30 milhões (cerca R$ 113 milhões).

Eles entraram no aeroporto com duas viaturas clonadas da Polícia Federal, sem placas, uma modelo Triton e a outra, uma Pajero Dakar. No terminal, roubaram um carro-forte da Brink’s com ouro. Os quatro homens estavam com roupas de policiais federais, distintivos, encapuzados, com pistolas, fuzil e carabinas.

Segundo informações iniciais da polícia, um carro ficou na portaria e o outro entrou no terminal de cargas. O grupo rendeu o chefe da logística, colocou a carga no carro e levou o refém.

De acordo com informações iniciais da Polícia Rodoviária Federal, os bandidos mantiveram a família do supervisor da logística refém na noite anterior e tiveram acesso a informações privilegiadas.

Depois, as viaturas clonadas foram abandonadas no Jardim Pantanal, na Zona Leste de São Paulo, os ladrões entraram em uma camionete S-10 e em uma ambulância com a carga roubada. O helicóptero da polícia não pode sobrevoar a região do aeroporto, o que dificulta as buscas.

A carga estava indo para Zurique, na Suíça, e Nova York, nos Estados Unidos. O Departamento de Investigações Criminais (Deic) deve assumir a ocorrência.

A GRU Airport, concessionária responsável pelo Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, afirmou que o roubo não prejudica o embarque e desembarque de passageiros. Não houve tiroteio e nem feridos.

A Brink’s informa que está colaborando com as autoridades competentes para apuração do ocorrido na tarde desta quinta-feira, 25/7, no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Enquanto a polícia vai prender os perigosos hackers russos de Araraquara, vestidos de policiais, bandidos levam 120 milhões em ouro.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Empresa opta por avião para fugir de roubo de cargas nas estradas do Brasil

Remédios e celulares estão abandonando estradas e viajando só de avião no Brasil.

A escolha tem sido feita até para trajetos curtos, como São Paulo-Rio, em que por terra a carga chega no mesmo dia, relatam o diretor-geral da Latam Cargo Brasil, Diogo Elias, e o diretor de Cargas da Gol, Eduardo Calderon.

No aeroporto de Viracopos, segundo principal terminal de cargas do país, o valor dos itens transportados subiu 17% entre 2016 e 2017, e o volume, 11% —ou seja, cada metro cúbico foi ocupado por carga mais valiosa.

A concessionária BH Airport registrou em 2017 alta de aproximadamente 19% no volume de cargas domésticas.

O movimento é confirmado não só por empresas aéreas e aeroportos mas também pelas transportadoras, que, antes, enviavam parte desses produtos por terra.

O motivo é o roubo nas estradas, cujo número de ocorrências quase dobrou no país de 2011 a 2016, segundo a Firjan (federação das indústrias do Rio), para 22.547 em 2016.

Mais assaltos significam risco maior do frete terrestre, e, quanto mais valiosa for a carga, maiores serão as exigências das seguradoras para cobrir esse risco.

Folhapress

Opinião dos leitores

  1. Daqui a pouco vão inventar uma modalidade de roubo no ar ! Será que não aprenderam que o que está errado são a leis pra bandidos ?

  2. Se tivéssemos 1 boa rede ferroviária não teríamos este problema de roubos de cargas nas rodovias.Acho inadimissível 1 país com dimensões continentais não ter nas ferrovias seu principal meio de transportes de cargas e passageiros.Como seria bom pegar 1 trem como se faz na Europa ou America do Norte e percorrer grandes distancias,tipo Natal/São Paulo ou Rio de Janeiro,Salvador,etc.Acho investir em ferrovia deveria ser 1 prioridade.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

MPF quer condenação de empresa por danos materiais causados por excesso de carga em caminhões

Natal-Procuradoria-da-RepúblicaO Ministério Público Federal (MPF) na 5ª Região emitiu parecer em que opina pela condenação da Pedreira Potiguar Ltda., por danos materiais. A empresa é acusada de danificar as rodovias federais que cortam o Rio Grande do Norte, por frequentemente colocar em circulação caminhões com excesso de carga. O caso será julgado pela Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), no Recife.

A empresa foi absolvida pela 5ª Vara da Justiça Federal do Rio Grande do Norte, que, ao julgar ação civil pública proposta pelo MPF naquele estado, entendeu que o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) já prevê sanções adequadas para quem comete essa infração, sendo desnecessário estabelecer nova penalidade por meio de decisão judicial. O MPF/RN entrou com recurso para tentar reverter a sentença.

No parecer encaminhado ao TRF5, a Procuradoria Regional da República da 5ª Região, órgão do MPF que atua perante o Tribunal, argumenta que a empresa deve ser condenada. O fato de que o CTB prevê multa e medidas administrativas para essa infração não impede que o problema seja levado ao Judiciário quando se percebe que a norma de trânsito não é suficiente para impedir que as infrações continuem a ser cometidas. Inclusive, a Pedreira Potiguar já foi autuada 15 vezes por efetuar transporte de carga com excesso de peso e negou-se a firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o MPF, para corrigir administrativamente suas irregularidades.

No entendimento do MPF, o pagamento das multas aplicadas compensa para empresas como a ré, uma vez que há fortes chances dos caminhões não serem fiscalizados e, mesmo quando são, a vantagem financeira gerada pela carga excessiva é suficiente para pagar as multas administrativas e, ainda, continuar gerando lucro.

O procurador regional da república Domingos Sávio Amorim, responsável pelo parecer, ressalta que o excesso de peso provoca a deterioração do asfalto e a abertura de buracos nas rodovias. Isso tem como consequência imediata o dano material ao patrimônio público federal, pois leva o Estado a gastar um montante maior para a recuperação das rodovias. De acordo com o site do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), um excesso médio de 10% de peso por eixo reduz em até 40% a vida útil projetada para o pavimento.

A conduta irregular da empresa também aumenta o risco de acidentes, seja por conta dos danos causados à pista e ao acostamento, como também porque a sobrecarga compromete o sistema de frenagem dos caminhões, obrigando-os a transitar em velocidade abaixo da mínima permitida para a via, o que pode ocasionar o aumento do número de ultrapassagens perigosas e, muitas vezes, proibidas. Existe ainda dano ambiental, tanto pela maior liberação de fumaça dos veículos que transportam mercadorias acima do peso, quanto pelos dejetos, transtornos e prejuízos oriundos da reforma prematura das rodovias.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Polícia apreende 10 mil maços de cigarros contrabandeados no RN

Policiais civis e militares da região de Alexandria, alto oeste do Rio Grande do Norte, apreenderam no final da tarde desta segunda-feira (27) 10 mil maços de cigarro da marca US na cidade de Antônio Martins.  A equipe que realizou a apreensão contou com agentes de polícia da 8ª.Delegacia Regional de Alexandria e da Delegacia de Marcelino Vieira, com apoio de policiais militares do Grupo Tático Operacional (GTO) da 3ª. Companhia de Polícia Militar de Alexandria. A mercadoria apreendida pela Polícia pertencia a Glenio Alves de Andrade, 31, dono de um caminhão-baú que era usado para realizar transporte de mudanças pelo Brasil.  Os maços de cigarro, acondicionados em 157 caixas de papelão e em 40 sacos de nylon, estavam guardados na residência de um morador da cidade, conhecido por Chicão.

Policiais civis, da Delegacia Regional de Alexandria e da Delegacia de Marcelino Vieira, com apoio de policiais militares do Grupo Tático Operacional (GTO) da 3ª. Companhia de Polícia Militar de Alexandria apreenderam no final da tarde desta segunda-feira (27) 10 mil maços de cigarro da marca US na cidade de Antônio Martins. A mercadoria apreendida pertencia a Glenio Alves de Andrade, 31, dono de um caminhão-baú que era usado para realizar transporte de mudanças pelo Brasil.  Os maços de cigarro, acondicionados em 157 caixas de papelão e em 40 sacos de nylon, estavam guardados na residência de um morador da cidade, conhecido por Chicão.

A equipe da Polícia Civil chegou até o esconderijo das mercadorias  contrabandeadas através de denúncias anônimas repassadas no domingo (26). “Recebi um telefonema que dava conta de que uma carga com cigarros estava sendo descarregada na cidade de Antônio Martins. No domingo fizemos uma pequena apreensão e chegamos até o Glenio”, detalhou o Delegado Regional de Alexandria, Célio Fonseca.  Quando o acusado tomou conhecimento de que a carga já estava sendo monitorada, pediu que os cigarros fossem redirecionado para outro endereço.

No final da tarde desta segunda (27,) quando a equipe de policiais realizava a “Operação Fronteira” chegou a notícia do local exato do esconderijo. “Enviamos a nossos policiais e encontramos  toda a mercadoria  contrabandeada dentro de um quarto”, disse o delegado Célio Fonseca.  Glenio Fonseca confessou na manhã desta terça (28) ser  o dono da carga e que comprava os cigarros na Feira da Madrugada, no bairro do Brás, na capital paulista.  A Polícia descobriu que Glenio usava o caminhão-baú para mudanças e camuflava as mercadorias juntamente com os objetos que transportava.

De acordo com a investigação, a carga de cigarros, que será encaminhada para a Polícia Federal, seria distribuída em Mossoró.“Devemos o êxito desta apreensão à população que nos acionou. A Polícia Civil agradece o apoio, pois as informações repassadas foram fundamentais para o sucesso desta grande apreensão”, frisou o delegado Célio Fonseca.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

[FOTO] Polícia prende integrante de quadrilha interestadual de receptação de cargas roubadas

Francisco Evaniel da Silva e Nailton Rodrigues dos Santos (Foto: Degepol)

Policiais civis da Delegacia Especializada na Defesa da Propriedade de Veículos e Cargas (DEPROV) com o Núcleo de Inteligência da Polícia Civil do Estado em conjunto com a Polícia Civil da Bahia realizaram a prisão de Francisco Evaniel da Silva. Ele é acusado de fazer parte de uma quadrilha interestadual acusada de receptação de cargas roubadas.

Os outros acusados foram identificados como Wendell Dantas, vulgo “Guel”, Nailton Rodrigues dos Santos, Patricia Souza, vulgo “Paty”, Cícero Barros da Silva, além do comerciante Lucelio de Melo Marinho. Eles aliciavam motoristas que faziam transporte de cargas para se apropriar do material, para que pudessem fazer a revenda. Feita a negociação com os receptadores, eles dividam o lucro da venda entre si. Os motoristas prestavam queixa alegando roubo da carga, mas ficavam com parte do dinheiro da venda do material feita pela quadrilha.

Wendell foi o primeiro a ser preso na cidade de Paulo Afonso (BA) na última terça-feira (21). A partir da prisão dele, a polícia conseguiu capturar o restante do bando. Nailton, a esposa dele Patricia e Cícero foram presos em Caruaru (PE) nesse último sábado, juntamente com o Lucelio, preso na cidade de São Bento do Una/PE. Já Francisco Evaniel foi preso ontem em Parnamirim (RN). As prisões se deram em cumprimento a mandados de prisão temporária expedidos pela justiça.

As investigações que culminaram com a prisão de Evaniel foram iniciadas há cerca de três meses pela equipe da Delegacia de Furtos e Cargas da Polícia Civil da Bahia a partir de denúncias de desvio de cargas. No último dia 28 de julho, os policiais daquele estado descobriram o esquema da quadrilha que tinha ramificações nos estados do RN, Bahia, Alagoas e Pernambuco. Os acusados estavam tentando revender por email, inclusive com a nota fiscal do produto, uma carga de óleo lubrificante de veículos avaliada em aproximadamente R$ 200 mil, que vinha de São Paulo para Salvador. O motorista que levava a referida carga chegou a prestar queixa à Polícia Civil baiana dias depois da descoberta do crime.

Evaniel era considerado um dos mentores da quadrilha, bem como o elo de ligação entre os integrantes do bando e os receptadores. O delegado da Bahia, Jean Silva Souza ressaltou que o apoio da Polícia Civil do RN foi fundamental para prender esse elemento. Ainda segundo o delegado, os acusados repassavam esses materiais para comerciantes de vários estados do nordeste.

Na última sexta-feira (24), parte de uma carga de sandálias foi recuperada pela polícia em Pernambuco que estava em poder de Lucelio de Melo.  Todo o material estava avaliado em R$ 900 mil. A Polícia Civil baiana ainda está à procura de outro integrante que seria o motorista Cleyton Luiz de Queiroz, acusado de fazer parte do esquema.

Pelos menos cinco crimes dessa modalidade feitos pela quadrilha estão investigados pela polícia, a maior parte relacionada com carga de combustíveis.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *