Bruno Macedo falará sobre saída da Prefeitura e precatórios da Henasa daqui a pouco

O ex-procurador-Geral do Município (PGM) de Natal, Bruno Macedo, vai se reunir com a imprensa logo mais para conceder uma entrevista coletiva. O encontro será realizado na sala de reuniões do Hotel Arituba a partir das 16h30.

Bruno já avisou: vai responder a qualquer questionamento a cerca da sua saída da Prefeitura e a respeito dos precatórios do hotel Henasa.

A saída dele já foi motivada pelo polêmico tema dos precatórios do empreendimento. Depois da nota dos procuradores e de toda a manifestação de órgãos de fiscalização, essa coletiva promete.

Manoel Onofre diz que relatório do TJ está no mesmo caminho que o do MP e TCE

Os relatórios parciais das investigações realizadas pelo próprio Tribunal de Justiça, pelo Tribunal de Contas do Estado e pelo Ministério Público ainda divergem quanto valores. Essa divergência é de milhões, mas o procurador-Geral do Estado (PGE), Manoel Onofre Neto, ressaltou que as investigações estão seguindo os mesmos moldes, o que é um bom sinal.

“Destaco o papel do Poder Judiciário através de sua presidente [desembargadora Judite Nunes] e da comissão destacada para as investigações. Recebemos e pudemos perceber que o relatório do TJ está no mesmo caminho traçado até aqui pelo Ministério Público e TCE”, frisou.

Mesmo com as investigações correndo por caminhos semelhantes, para não dizer iguais, o promotor Flávio Sérgio, da Defesa do Patrimônio Público que acompanha o caso de perto desde o começo, falou da competência da Procurador Geral da República (PGR) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para a continuidade das investigações dos que tem foro privilegiado.

 

O jornalismo de Porta de cadeia anseia pelas explicações de Nicolelis

O hiato entre os cientistas Miguel Nicolelis e Sidarta Ribeiro ainda vai repercutir muito.

Para amanhã (não há hora confirmada e local ainda), o Nicolelis promete coletiva de imprensa na qual vai explicar sua versão do acontecido nas entranhas do Instituto Internacional de Neurociências de Natal. A Folha de São Paulo já deu o aperitivo.

Noticiou o racha na equipe. Nove, de dez cientistas, saíram em debandada. Pegaram os equipamentos da UFRN e foram para o campus, para a Cidade do Cérebro.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduardo disse:

    Independente de qualquer coisa, é uma pena que cientistas de qualidade e que estão trabalhando em nosso estado estajam brigando e divergindo. Só quem perde é o RN.

  2. Meu caro e inteligente blogueiro: "Nico" NUNCA me enganou. Falastrão, prepotente, midiático e egocêntrico. Como é que um cara que se auto-intitula candidato a um nobel, tem tempo de manejar uma ferramenta tão fútil e macunaímica quanto o twitter ??? Ele é, com sua promessa furada do homem cibernético na copa de 2014 (algo que já foi "pensado" muito antes dele, diga-se de passagem), a "cara" que permeia Natal !!!

  3. Freitas disse:

    Por favor, alguém pergunta aí a este nobre e popular cientista por que é que ele não deixa o seu laboratório nos EUA e vai trabalhar no Nordeste Brasileiro?! Por que ele não divide com os pesquisadores da UFRN as pesquisas feitam por aqui?

  4. Rafael Ferraz disse:

    nicodelis,nicodelis….tsc tsc

Movimento #ForaMicarla "é golpista"

DN Online:
Em entrevista concedida à imprensa, a manhã desta terça-feira (14), no Palácio Felipe Camarão, a prefeita Micarla de Sousa (PV) rebateu às acusações da oposição sobre sua gestão, referentes aos contratos de alugueis firmados pela administração municipal e ainda comentou o movimento intitulado #ForaMicarla.

Em tom incisivo, Micarla deu início a entrevista com 40 minutos de atraso e falou especialmente sobre a instalação da Comissão Especial de Investigação (CEI) dos alugueis. Sobre esse assunto, a prefeita se negou a responder alguns questionamentos, alegando que o assunto é de responsabilidade da Câmara Municipal de Natal (CMN). Disse ainda que a extinção da comissão se deu pelo esvaziamento da oposição.

Micarla disse ainda que em um prazo de 72 horas deve entregar os documentos referentes aos alugueis ao Ministério Público (MP).

Quanto ao movimento intitulado #ForaMicarla, que considerou golpista, a prefeita disse que o movimento não diz a que veio. Disse também que não vê nenhum propósito concreto na manifestação a não ser o de agredi-la. “Não vou permitir que atinjam a minha honra e a minha moral”, desabafou Micarla.

Em tom de irritação, ela desafiou a oposição a entregar qualquer prova que possa ir de encontro a transparência da sua gestão. “se a oposição tiver qualquer documento que possa comprometer a minha administração peço que encaminhe ao Ministério Público”, declarou.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. bruno disse:

    Agora só falta ela desmaiar durante uma entrevista, por exemplo, e sussurrar para os que estão ao seu lado: "Eles estão acreditando?"

  2. Pedro disse:

    entendamos então que a péssima administração da atual gestora não atende os requisitos mínimos para continuar em sua posição atual, para tal, usarei 2 das dezenas de argumentos.
    1 – a plataforma utilizada na eleição não teve nem um de seus pontos realizados, pelo contrário, se percebe o descaso da gestora para com as suas promessas de campanha relevante ao aumento da passagem dos transportes públicos e das péssimas condições dos hospitais e postos de saúde em todos os setores da cidade.
    2 – a simples e total incompetência apresentada pela atual gestora na qual em entrevistas a mídias locais, esta mesmo assumia que não tinha consciência da dificuldade de se administrar uma cidade de tal porte, e mesmo assim não consegue se segurar aqui por mais de 15 dias.

A coletiva dos 100 dias de Rosalba …

A coletiva pelos 100 dias da administração da governadora Rosalba começou morna, bem organizada ao extremo com bastante pré-requisitados para blindar a gestora de perguntas específicas que poderiam ser respondidas por secretários.

Rosalba começou em passo lento listando suas ações nestes 100 dias (na verdade hoje são 99 dias), sem atacar e salientando sempre que sua gestão “salvou a Copa do Mundo”.

Anunciando a criação do Samu no Seridó, um novo portal de transparência e o pagamento de R$ 100 milhões de dívidas da gestão passada.

A coletiva, apesar de algumas novidades boas em termos de promessas (veja mais embaixo), foi amarrada por regras determinadas para os jornalistas.

(mais…)