Mulher vai à Justiça pedir os 1.000 dólares que Bolsonaro disse ter pago de auxílio; juíza dá 10 dias para União se manifestar

Foto: Reprodução

Após o pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro, na Organização das Nações Unidas (ONU), em que ele afirmou que pagou cerca de US$ 1 mil de auxílio emergencial por pessoa, uma dona de casa do Rio foi à Justiça para receber a diferença. Ela relata que só ganhou R$ 2,4 mil, em quatro parcelas de R$ 600, assim como os outros beneficiados.

Um levantamento apontou que trabalhador aprovado no programa recebeu, no máximo e somando as parcelas, R$ 4,2 mil, o que equivale a US$ 766. As advogadas da dona de casa escrevem na petição que, na atual cotação do dólar, o valor total do auxílio que deveria ter sido recebido pela cliente é de R$ 5.540, se considerados os mil dólares.

Notícia completa AQUI no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Salves da Silva disse:

    Primeiro que ele não falou isso! Segundo que essa mulher deve ser só mais esquerdalha inbecil querendo aparecer! Terceiro Quem dar ibope a uma pessoa dessa, e mais imbecil que ela.

    • Sérgio disse:

      José Salves da Silva, vai estudar metralha, imbecil é com "m", coisa que você é! não esqueça de limpar os cabelos na sua boca, baba ovo!

  2. Júnior Fonseca disse:

    Olha esse país é uma grande piada,pede pra o Luladrao devolver nosso dinheiro que foi investimento em outros países, Juíza imbecil TB…

  3. Camila Lellis disse:

    Se brincar, essa é uma daquelas que nem teria direito ao auxílio.

  4. Neco disse:

    Uma multazinha por litigância de má-fé nas fuças cairia bem.

  5. Santos disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Gente, somando todas as parcelas do benefício total de R$4.200,00, na cotação do dolar hj R$5,66, dá aproximadamente $ 750,00, arredondando pra mais. Se ele disse que dá aproximadamente R$ 1.000,00, então complete o dinheiro da mulher antes desses 10 dias e pronto.
    Pq tanto mimimi?

  6. Richard disse:

    Isso é sinal que Bolsonaro tá incomodando os esquerdistas, que aliás só sabem fazer oposição.

  7. Luciana Morais Gama disse:

    Pq ela não vai pra Justiça pedir pra Lula devolver o que roubou de cada brasileiro??

  8. Pedro disse:

    Essa é a maneira dos esquerdistas verem as coisas, no tempo deles não se via nada, viver fácil era o objetivo de nove dedos.

  9. Um, dois, três de Oliveira quatro disse:

    Deve ser uma esquerdopata….e os 5 milhões que fatão pagou pelos respiradores?

  10. Greg disse:

    Bolsonaro tenta explicar os $1.000 em benefícios, o gado faz conta e explica também….mas ninguém explica os 89 mil na conta de Michele que Queiroz depositou…que estranho mundo do "não tenho bandido de estimação"…agora tem sim.

  11. Alex disse:

    Como é o Nome do circo? Será que é aqueles sem lona? Uma coisa eu sei,o palhaço somos todos nós. Brincadeira, Bolsonaro 2022.

  12. Alguém disse:

    Não defendendo o presidente, nem criticando muito enos idolatrando, mas que advogado mais escroto né, usar uma pessoa que creio eu não saiba nem o que esta pedindo só para aparecer.

    Se for assim, vamos pedir tudo o que os outros governos prometeram e não cumpriram.
    Não tenho politico de estimação, mas ficar procurando o que reclamar é foda, quero ver no próximo presidente se será assim.

    • Baraki Hobama disse:

      Você defende o presidente sim e nem seguer tem carater pra admitir.

  13. Chico 200 disse:

    Essa é brincadeira. Nem da mulher, da juíza kkk

  14. Edison Cunha disse:

    O difícil vai ser esses advogados encontrar alguma fala do presidente Jair Bolsonaro fazendo tal afirmação. A que eu vi, o presidente Jair Bolsonaro falava em "aproximadamente mil dólares".

  15. Pedro disse:

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Normal e natural. Se teve senador que perguntou por isso, imagine uma pessoa comum.
    No atual nível do ensino brasileiro, isso não deve causar surpresa, tem muitos que sequer
    sabem o significado de média dos valores.
    Só saber multiplicar e dividir usando uma calculadora e somam usando os dedos. Não?
    Qual a posição do ensino brasileiro no ranking mundial?
    Quem está a frente dos sindicatos da educação a mais de 20 anos?
    Quando houve pauta reivindicatória visando a melhoria na qualidade do ensino público?

Decreto de Bolsonaro detalha regras para auxílio emergencial de R$ 300 em até 4 parcelas

Foto: Pilar Olivares – 29.abr.2020/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou, nesta quarta-feira (16), decreto que regulamenta a prorrogação do auxílio emergencial até o final deste ano, com novo valor de R$ 300 pagas em até quatro parcelas, conforme edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

O ato normativo detalha as regras necessárias para análise de elegibilidade, manutenção e pagamento do auxílio, confimando a continuação do pagamento – agora na modalidade residual. Inicialmente, o benefício pago era de R$ 600 mensais. A prorrogação, que foi feita por medida provisória, prevê repasses adicionais de quatro parcelas com o valor mais baixo.

As normas preveem uma série de condições para que uma pessoa seja elegível para receber o benefício, como não poder acumular o auxílio residual com qualquer outra ajuda emergencial federal, exceto Bolsa Família, ou ter conseguido emprego formal após receber a ajuda.

O auxílio emergencial tem sido um dos principais instrumentos do governo para amenizar os efeitos da crise econômica decorrente da pandemia de Covid-19 no país.

O decreto publicado nesta quarta-feira delimita os critérios de verificação de elegibilidade dos atuais beneficiários do auxílio emergencial para fins de percepção do auxílio emergencial residual. Assim, segundo a Secretaria-Geral da Presidência, “questões sensíveis serão resolvidas, levando em conta as recomendações dos órgãos de controle externo e interno, tais como o pagamento indevido do auxílio a cidadãos inseridos no mercado formal de trabalho, ou que possuam rendimento incompatível com o corte de renda adotado para fins de percepção do auxílio, seja por meio da verificação dos rendimentos anuais auferidos, seja por meio da verificação do patrimônio a ele relacionado”

No caso, são propostas de mudanças no processo de verificação de elegibilidade e manutenção do auxílio emergencial residual, decorrentes, principalmente, de apontamentos do Tribunal de Contas da União (TCU), que visam melhor focar o público-alvo do programa e promover maior eficiência na distribuição dos recursos públicos.

Leia, abaixo, todas as regras publicadas no Diário Oficial da União:

(mais…)

STJ mantém exigência de CPF regular para recebimento de auxílio de R$ 600,00

Foto: Reprodução

O ministro João Otávio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), acolheu pedido da União nesta segunda-feira (20/04) e cancelou os efeitos da liminar do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) que havia suspendido a exigência de regularização do CPF para o recebimento do auxílio emergencial durante a pandemia do novo coronavírus. Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Matheus disse:

    O que tem de gente que passa looonge de precisar, recebendo esse beneficio… vai faltar pra muita gente, tem gente conhecida, de classe média, trabalhando e ganhado muito bem q receberam primeiro q os pobres, essas mesmas que estão torrando os 600 em cachaça e farras em ksa. Incrível como Brasileiro n tem jeito. Essas mesmas pessoas são aquelas q criticam todo mundo, q reclamam de políticos corruptos e etc.
    Ficaremos no aguardo esperando as punições a qual Onix afirmou q iriam sofrer.

“NÃO É PARA BANDIDO”: Onyx diz que 76 mil presidiários tentaram receber auxílio emergencial de R$ 600; pedidos que configuram fraude foram cancelados

Foto: Marcello Casal Jr /Agência Brasil

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou nessa quinta-feira (16) que o governo identificou cerca de 76 mil pessoas que estão no sistema carcerário e que tentaram receber o auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais. Segundo o ministro, as tentativas configuram fraude e os pedidos não foram aceitos.

“O auxílio não é para bandido nem para presidiário. Os R$ 600 são para trabalhadores, pessoas de bem, vulneráveis, para pessoas que precisam ser protegidas”, declarou, durante coletiva de imprensa do Palácio do Planalto.

De acordo com dados fornecidos pelo governo, há no Brasil hoje 690 mil presos, sendo que 577 mil possuem CPF, incluindo os em situação irregular, cancelados ou suspensos. Destes, foram mapeados 76.624 tentativas de recebimento do auxílio por pessoas que estão presas.

De acordo com o ministério da Cidadania, esse grupo de detentos se cadastrou no sistema para receber o pagamento, mas quando foi identificado que estavam no sistema carcerário as transferências foram canceladas.

O cruzamento de dados para identificar possíveis fraudes em presídios foi citado por Onyx para criticar decisão judicial que determinou que a ajuda seja paga inclusive a pessoas com o CPF em situação irregular.

O juiz federal Ilan Presser, do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da Primeira Região), concedeu liminar (decisão provisória) na quarta-feira suspendendo a exigência de regularização do CPF imposta pelo governo federal a quem tenta receber o auxílio emergencial de R$ 600 na pandemia da covid-19.

A decisão, que tem extensão nacional, foi tomada a pedido do governo do Pará, que alegou excessiva burocracia para o acesso ao benefício, além de risco às medidas de isolamento social necessárias para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Onyx disse na quinta que pediu à AGU (Advocacia-Geral da União) a interposição de um recurso para reverter a decisão do TRF-1.

“Temos a notícia da questão de um juiz que quer cancelar a exigência de que exista o CPF para nós fazermos a seleção das pessoas elegíveis. Se o CPF for cancelado, tem 577 mil presidiários que poderão organizar nos presídios usinas de fraude”, argumentou o ministro.

Também participaram da coletiva no Planalto os presidentes da Caixa, Pedro Guimarães, e da Dataprev, Gustavo Canuto, além do secretário executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto.

Eles disseram que o governo tem trabalhado para regularizar números de CPF inabilitados por alguma pendência, para possibilitar que essas pessoas acessem o benefício. Como exemplo citaram a ação da Receita Federal para regularizar a situação de cadastros de pessoa física suspensos por pendências eleitorais.

O benefício, pago por três meses, será de R$ 600 a trabalhadores informais e de R$ 1.200 para mães responsáveis pelo sustento da família.

A intenção do auxílio é amenizar o impacto da crise do coronavírus sobre a situação financeira dos trabalhadores que estão na informalidade, considerados mais vulneráveis aos efeitos econômicos da pandemia.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Papa Jerry Moon disse:

    Ou seja, políticos, ministros e vários empresários não têm direito.

  2. Lucas disse:

    Será que o Queiroz recebe esse dinheiro junto com o Lula?

  3. Graça Teixeira disse:

    Concordo com as ações responsáveis do governo federal. Tem que dá o número do CPF sim pessoal. O dinheiro é nosso, dos impostos escorchantes que nos são cobrados. O governo federal tem critérios para fazer o pagamento desse benefício, se não o fizer sob forma da lei de responsabildade fiscal, corre i risco de impeachment. Nós pessoas racionais, que querem um governo limpo, honesto e responsável em suas deliberações o apoiamos.

  4. Ojuara disse:

    Já basta ter soltado esses FDP, agora ainda dá dinheiro a eles, é o cúmulo da sacanagem.

  5. Manoel disse:

    Parabéns, mais uma prova o porque esse governo e odiado porque ele e a favor dos mais carentes e contra bandidos não só bandidos presos mais também os bandidos de colarinho branco.

  6. EDILSON disse:

    O governo esta de parabéns, os presos já tiveram muitos direitos em gestões passada.

Beneficiário de últimas parcelas do seguro-desemprego pode ter auxílio emergencial de R$ 600,00

FOTO: CAIO ROCHA/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Trabalhadores que foram dispensados recentemente e receberão em abril a última parcela do seguro-desemprego poderão, após o fim do benefício, solicitar o auxílio emergencial de R$ 600 criado para dar suporte a informais e desempregados durante a crise do novo coronavírus.

A informação foi prestada pelo Ministério da Cidadania a pedido do Estadão/Broadcast. A única diferença, segundo a pasta, é que a solicitação do auxílio emergencial só poderá ser feita para o período em que o seguro-desemprego não for mais devido a esse trabalhador.

“Se parou de receber o seguro-desemprego em abril, pode receber o auxílio em maio e junho. Mas só essas duas parcelas”, explica o ministério.

A lei que criou o auxílio emergencial veda o recebimento do benefício por quem já ganha o seguro-desemprego, cuja parcela pode ir de R$ 1.045 a R$ 1.813,03. Apesar disso, havia dúvida dos trabalhadores que foram dispensados há alguns meses e estão prestes a receber a última parcela do benefício. O temor era ficar sem amparo algum devido à proibição da lei.

A legislação do auxílio emergencial também veda seu pagamento a quem recebe aposentadoria ou Benefício de Prestação Continuada (BPC), pago a idosos ou pessoas com deficiência de baixa renda. Apesar disso, o recebimento de um desses benefícios não impede que outro integrante da família peça a ajuda emergencial, desde que respeitados os demais critérios (veja abaixo).

O auxílio emergencial será pago a trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais e desempregados que tenham renda de até R$ 522,50 por pessoa ou até R$ 3.135 considerando a família como um todo.

Não é preciso preencher os dois critérios de renda cumulativamente para ter direito ao auxílio emergencial, mas apena um deles. Por exemplo, no caso de uma família composta por duas pessoas sem emprego formal e com renda total de R$ 2,5 mil mensais, os dois poderiam receber o benefício de ao menos R$ 600 cada – que pode chegar a R$ 1,2 mil em caso de mulher chefe de família. É preciso, porém, observar os demais critérios da lei.

Caso algum brasileiro peça o auxílio após a realização do primeiro pagamento, referente ao mês de abril, não haverá prejuízo. “A pessoa terá direito às três parcelas, mesmo que faça a solicitação depois do pagamento da parcela de abril”, diz o Ministério da Cidadania. A exceção é justamente o caso do trabalhador que vinha recebendo o seguro-desemprego, que terá direito apenas às parcelas referentes aos meses seguintes à cessação do benefício pela demissão sem justa causa.

A Caixa começou na última quinta-feira a efetuar os primeiros pagamentos, a trabalhadores que estão inscritos no Cadastro Único de programas sociais, mas não recebem o Bolsa Família. A Dataprev está identificando automaticamente quem entre os que estão no CadÚnico têm direito ao auxílio. Já foram localizados 5,7 milhões de beneficiários.

Para eles, não há necessidade de fazer o cadastro no portal criado para receber os pedidos do benefício, que é este aqui. No entanto, é possível acessar o site ou o aplicativo “CAIXA | Auxílio Emergencial” para consultar se foi ou não beneficiário, por meio do campo “Acompanhe sua solicitação”. A central telefônica 111 também está disponível para consultas.

Quem pode receber o auxílio emergencial?

O benefício será pago a trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais e desempregados.

Será preciso se enquadrar em uma das condições abaixo:

-Ter CNPJ como Microempreendedor Individual (MEI)

-Estar inscrito no Cadastro Único (CadÚnico) para programas sociais do governo até o dia 20 de março

-Ser contribuinte individual ou facultativo do INSS

-Ser trabalhador informal ou desempregado e preencher a autodeclaração no site ou app da Caixa

-Além disso, todos os beneficiários deverão preencher as seguintes condições de forma cumulativa:

-Ter mais de 18 anos de idade

-Não ter emprego com carteira assinada

-Não receber aposentadoria, BPC, seguro-desemprego, nem ser beneficiário de programa de transferência de renda (exceção é Bolsa Família)

-Não ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.

-Ter renda mensal de até meio salário mínimo (R$ 522,50) por pessoa ou de até três salários mínimos (R$ 3.135) no total da família.

R7, com Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tertu disse:

    Governo com responsabilidade em momento de pandemia. Valeu MITO

Golpe sobre falso cadastro no auxílio de R$ 600 já fez 6,7 milhões de vítimas; saiba como se proteger

Imagem: reprodução

Um golpe que circula na internet com falso link para, supostamente, fazer o cadastramento na plataforma do auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal já fez 6,7 milhões de vítimas desde março, alertou o dfndr lab — laboratório especializado em segurança digital da PSafe.

A mensagem afirma que os pagamentos começam nesta terça-feira (dia 7), o que não é verdade, e que é possível sacar a quantia imediatamente após preencher as informações, o que também é falso.

Ao clicar no site indicado, o usuário é levado um questionário com três perguntas: “Você recebe Bolsa Família?”; “Você é autônomo?”; “Você quer receber o auxílio?”. Após respondê-las afirmativamente, aparece uma mensagem dizendo que o benefício foi aprovado, mas que, antes, é necessário enviar o link para seus contatos no WhatsApp.

“Para tornar o ataque mais verídico, alguns golpes se aproveitam de ações reais que grandes empresas e o governo estão realizando para enfrentar o coronavírus, como a doação de álcool em gel e pagamento de benefícios à população. E a tendência é que o número de ataques e de vítimas aumente nos próximos dias, principalmente em decorrência do agravamento da situação do país neste momento de crise”, explicou Emilio Simoni, diretor do dfndr lab.

A PSafe, no entanto, informou que existem diversos links por onde o ataque de criminosos virtuais vem sendo disseminado.

Alguns dos links FALSOS são:

auxilio-corona.info
auxiliocorona.com
auxiliocidadao.com
auxiliocidadao.archivezap.live/
bit.ly/AuxilioCidadao

Grande parte deles têm o objetivo de roubar dados pessoais e financeiros das vítimas ou levá-las a páginas falsas para visualizar publicidades excessivas.

Golpe do chocolate de Páscoa

Outro golpe recente identificado pelo laboratório de segurança digital da PSafe é o do ovo de Páscoa, que atingiu mais de 560 mil brasileiros em apenas três dias de circulação. Os números continuam aumentando.

Foram identificados seis links maliciosos que utilizam o indevidamente o nome das empresas de chocolate Nestlé e Cacau Show para enganar vítimas com a oferta de ovos de Páscoa grátis. A suposta promoção contemplaria cinco mil participantes com ovos entregues em casa.

As mensagens utilizam inclusive a hashtag #ficaemcasa, da campanha pelo isolamento social, como justificativa para a falsa promoção.

Saiba como evitar cair em golpes

– Evite clicar em links de mensagens que ofereçam brindes, prêmios ou benefícios;

– Desconfie de informações sensacionalistas ou ofertas muito vantajosas e busque fontes confiáveis;

– No caso de mensagens que tratam de assuntos governamentais, como benefícios sociais e questões de saúde pública, busque a informação em sites oficiais, como do Ministério da Economia e do Ministério da Saúde;

– Não compartilhe mensagens sem antes verificar se a informação é verídica e se os links são seguros;

– Utilize soluções de segurança no celular que oferecem a função de detecção automática de ‘phishing’ (roubo de dados) em aplicativos de mensagem e redes sociais;

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucas disse:

    Será que foi o mesmo pessoal que caiu no conto da mamadeira de piroca?

Governo vai usar aplicativo para cadastrar informais que têm direito a auxílio de R$ 600

Foto: Ilustrativa

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse nesta sexta-feira (3) que será usado um aplicativo para celulares para identificar os trabalhadores informais que não estão em nenhum cadastro do governo mas têm direito de receber o auxílio de R$ 600.

Esse aplicativo, informou, poderá ser baixado a partir da terça-feira (7).

O benefício é uma das medidas de alívio à crise econômica provocada pela pandemia do coronavírus.

Segundo o ministro, entre 15 milhões e 20 milhões de trabalhadores que têm direito ao auxílio não estão atualmente em nenhum cadastro usado pelo governo.

Devem fazer o cadastramento pelo aplicativo:

trabalhadores que não estão no Cadastro Único único do governo;
contribuintes individuais do INSS;
microempreendedores individuais.

De acordo com o ministro, trabalhadores que já estão nos cadastros do governo mas que não sabem disso e venham a tentar fazer o credenciamento pelo aplicativo, vão ser informados de que precisam fazer esse registro.

Onyx informou ainda que:

o dinheiro será creditado na conta bancária informada pelo trabalhador;
ou ele receberá uma autorização para fazer o saque nas lotéricas.

“Futuramente vamos evoluir para disponibilizar nos caixas eletrônicos também”, afirmou o ministro.

Onyx afirmou que a previsão é que esses trabalhadores possam começar a receber o auxílio 48 horas depois de concluírem o cadastramento pelo aplicativo.

“Queremos dar tranquilidade ao taxista, ao vendedor de pipoca, à diarista, de que ela, a partir de terça-feira (7), terá as condições de fazer o cadastramento e, em poucas horas, receber os recursos”, disse o ministro da Cidadania.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dione disse:

    E qual plicativo

Bolsonaro anuncia sanção de auxílio a trabalhadores e R$ 200 bilhões para saúde e empregos

Foto: Reprodução/Globo News

O governo federal anunciou que vai desembolsar cerca de R$ 200 bilhões para combater os efeitos da pandemia do novo coronavírus na economia. Segundo o ministro Paulo Guedes (Economia), o montante inclui o pagamento de R$ 600 para trabalhadores e pessoas de baixa renda (o “coronavoucher”), os valores que já foram liberados e medidas que ainda serão adotadas.

Em pronunciamento no Palácio do Planalto nesta quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que irá sancionar o auxílio aprovado pelo Congresso Nacional ainda hoje. Entretanto, o próprio Bolsonaro havia dito que sancionaria a medida ontem, segunda-feira. Segundo ele, o “coronavoucher” vai contar com R$ 98 milhões do Tesouro Nacional e irá beneficiar 54 milhões de pessoas.

O presidente abriu seu pronunciamento dizendo ter conversado por telefone com Donald Trump. “Obviamente estamos juntos buscando o melhor para os dois países”, disse, no Salão Oeste do Planalto, ao lado dos ministros Paulo Guedes (Economia), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Walter Braga Netto (Casa Civil) e Onyx Lorenzoni (Cidadania). O ministro Henrique Mandetta (Saúde) não estava presente.

Bolsonaro ainda prometeu a edição de novas medidas provisórias voltadas para empresas, trabalhadores, estados e municípios. As companhias deverão contar com R$ 34 bilhões em socorro e, estados e municípios, R$ 16 bilhões.

Segundo Guedes, um programa voltado para a área trabalhista deverá contar com R$ 51 bilhões e irá prever a redução de jornada. “Nosso programa trabalhista dá às empresas várias possibilidades: pode diminuir jornada de trabalho de 20%, 25%, 30%, que o governo cobre essa diferença de salário”, afirmou Guedes.

Com CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. BOZOlóide disse:

    A cara de felicidade dele é IMPAGÁVEL….KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  2. Elizabeth disse:

    Pra que tanta pressa… o Codiv 19 não mata de imediato., come tipo mingau, pelas beiradas. Nosso Governante não é frouxo, banana, nem fala sem mostrar a cara. JMB é nosso Presidente. um cara de coragem, inteligente e grande estrategista. Quer alguém concorde ou não é o nosso MITO!!! 🇧🇷🇧🇷🇧🇷

  3. Lucas disse:

    Assinou já? Não! Vai esperar morrer quantos brasileiros pra dar a canetada? Banana incompetente

  4. Luis disse:

    ESSE É O MEU PRESIDENTEEEEEEEEEEEEEEE……MITOOOOOOOOO

Parte de cirurgia é feita com auxílio de lanternas de celulares durante apagão em hospital de Mossoró

Foto: Redes sociais

O portal G1-RN destaca nesta segunda-feira(02) uma cirurgia que precisou ser feita sob luzes de lanternas de celulares, por alguns minutos, por causa de um apagão que aconteceu no Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, no fim de semana. De acordo com a unidade, não houve prejuízo ao paciente.

O caso aconteceu durante as fortes chuvas que caíram no município da região Oeste potiguar no sábado (29). O gerador de energia teria ligado automaticamente, logo após a queda no fornecimento público, porém, ainda de acordo com o hospital, um gambá entrou no equipamento e morreu eletrocutado, interrompendo o trabalho do gerador. Leia matéria completa aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Ninguém nesse hospibunda sabe que em toda sala de cirurgia tem que haver um foco auxiliar, dotado de bateria carregada, para essas interferências. Digo um., mais podem ser dois, ademais, faltou eletricidade na unidade hospitalar, onde estavam os geradores obrigatórios que são automaticamente acionados nessas situações? Provavelmente quebrados, sem manutenção, rotina semanal de acionamento, mesmo em normalidade, falta de diesel, ou incompetência da gestão em saber desses detalhes. Essa é a qualidade dos gestores de Fatao GD, Deus nos acuda.

  2. Manoel disse:

    Esta é a saúde pública do estado do RN, será que Fátima Bezerra não está vendo ? o HRTM caindo os pedaços, no último sábado o pessoal dentro do hospital tinha que andar de guarda chuva pra não se molhar nas milhares de goteiras, essa cirurgia a luz de lanterna foi o fim da picada.

Pesquisador da UFRN desenvolve aplicativo que facilita a vida dos alunos no Campus e serviços

Pesquisador é orientado pelo professor Marcelo Rique e por Patrícia Borba, coordenadora do MPGPI – Foto: Wallacy Medeiros

Como uma pesquisa científica realizada em uma universidade pode afetar a vida e o cotidiano das pessoas? No contexto atual, no qual se escutam tantos comentários críticos – por vezes até agressivos – que desvalorizam o ambiente acadêmico e a defesa de ideias preconceituosas, como a de que a universidade não é produtiva e não tem utilidade real para a sociedade, é importante tomar conhecimento sobre o desenvolvimento e o impacto das pesquisas realizadas na academia para não correr o risco de reproduzir opiniões de senso comum que podem não condizer com a realidade.

O servidor e mestrando Marcelo Cavalcanti é um dos muitos pesquisadores atuantes na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Ele trabalha na Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) da UFRN e está concluindo o Mestrado Profissional em Gestão de Processos Institucionais (MPGPI), um programa de pós-graduação da UFRN que tem como objetivo melhorar a qualificação e a capacitação dos servidores. Sobre o programa, a pró-reitora de Graduação, professora Maria das Vitórias Almeida, afirma que “os servidores que fazem o MPGPI voltam com melhor autoestima e motivação e uma percepção muito maior de como eles podem contribuir, pois, sendo um mestrado profissional, é aplicável.”

A partir de sua experiência na Prograd, Marcelo percebeu que poderia trabalhar em um projeto que melhorasse e ampliasse os serviços informacionais da universidade. “Estou aqui desde 2004, passei por várias áreas, e desde quando era aluno identificava a universidade como um ambiente extremamente complexo, cheio de oportunidades. A parte territorial também é grande e muitas vezes encontrar um setor é algo desafiador para o aluno. Como servidor, atendendo ao público todos os dias, identifiquei essa necessidade de uma maneira mais clara ainda”, explica Marcelo sobre como começou a pensar no seu projeto no MPGPI: o aplicativo Cognos.

O Cognos, nome escolhido por fazer referência à palavra do latim cognitionis, que significa conhecimento, é atualmente o protótipo de um aplicativo que tem o objetivo de facilitar a vida do aluno da UFRN. Segundo Marcelo, estão entre as principais funções ajudar a se localizar geograficamente no campus; apresentar os serviços existentes, como Restaurante Universitário, bibliotecas, auxílios e cursos de língua estrangeira; mostrar documentos importantes para o estudante, como regulamento, calendário, direitos e deveres do aluno; e facilitar o contato com os setores da instituição.

A pesquisa está na fase final, o que não significa que o aplicativo está finalizado, pois uma característica deste projeto é a integração de diferentes pesquisas para que o produto final seja de qualidade, como explica a professora Patrícia Borba, coordenadora do MPGPI e co-orientadora de Marcelo. “O Cognos começou com o Marcelo e hoje agrega outros alunos do mestrado com projetos correlatos. Tem o Felipe Rodrigues, que atua na Superintendência de Informática (Sinfo) e colabora na área da Tecnologia da Informação e no mapeamento dos serviços, e o Rafael Souza, que é secretário de coordenação e traz essa contribuição da ótica da secretaria de curso”.

Orientado pelo professor Marcelo Rique e também com a ajuda do professor João Guilherme Santa Rosa, Marcelo adotou uma perspectiva integradora e de um desenvolvimento colaborativo do seu projeto. Na etapa final, estava em andamento a escuta dos estudantes de graduação, cujas opiniões e feedbacks se tornam essenciais num processo como este de co-criação. Os perfis dos alunos ouvidos neste processo são estratégicos. “Se baseiam em dois critérios. Um é o temporal; o estudante que ingressa na universidade e o que está concluindo o curso têm diferentes necessidades informacionais. Há também os que são voltados para pesquisa ou para o empreendedorismo”, explica Marcelo.

De acordo com Marcelo, estudantes vão poder contribuir com atualização das informações do aplicativo – Foto: Wallacy Medeiros

Atualmente são distribuídas cartilhas e manuais do calouro no campus, que reúnem informações importantes e ajudam os alunos a se localizarem no campus, no entanto a vantagem de um aplicativo em relação ao papel é que as informações podem sempre ser atualizadas quando necessário sem que haja perda do material já produzido. Além disso, os próprios estudantes sempre vão poder contribuir com a atualização das informações disponíveis no aplicativo.

Para a professora Maria das Vitórias, o projeto de Marcelo é de extrema importância para a Prograd. “Vai disponibilizar um produto que facilita a vida do aluno dentro da UFRN, desde localizar uma sala de aula, entender um horário, a utilização do Sigaa, como saber de que maneira funciona um auxílio e quais são os serviços oferecidos pela universidade. Queremos também conectar com outras pesquisas de mestrados para alimentar essa plataforma; nós vemos um potencial muito grande nesse projeto. Essa pesquisa traz uma oportunidade de vivenciar a universidade, principalmente nos primeiros semestres, de uma forma mais rápida e em uma linguagem mais acessível”, afirma.

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    E o desgoverno querendo cortas a verba das universidades.

  2. Antonio Barbosa Santos disse:

    Só tem alguma serventia para o público da UFRN. É isso mesmo produção?

    • joao disse:

      Sao os tais fins sociais da aplicacao de recurso publico.. mestrado deve ter custo justificavel. Entao se aplica apenas pra uso deles proprios.

Raquel Dodge não quer auxílio-moradia

A futura PGR, Raquel Dodge, enviou ofício ao atual, Rodrigo Janot, pedindo a suspensão imediata de seu auxílio-moradia, informa Lauro Jardim.

A ideia era suspendê-lo até que fosse analisada a LDO de 2017, mas a possibilidade de a futura procuradora-geral abrir mão do benefício alvoroçou outros procuradores.

A consultoria jurídica da PGR, a quem Janot encaminhou o caso, disse não ver razão para sustar o pagamento.

Dodge toma posse na PGR no dia 18 de setembro.

O ANTAGONISTA

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JUNIOR PINHEIRO disse:

    ALVOROÇOU OUTROS PROCURADORES COMO SE OS POBRES HOMENS E MULHERES DESSA INSTITUIÇAO GANHASSEM SALÁRIO MÍNIMO E NAO PUDESSEM NEM COMPRAR UMA CASINHA PELO MINHA CASA MINHA VIDA!!!!

  2. Romualdo disse:

    Suspensão não é exoneração ou desistência.

  3. Jeferson disse:

    Exemplo a ser seguido pelos demais. Assim espero.

Alunos da UFRN terão bolsas de auxílios creche, óculos e atleta

Com o objetivo de consolidar a política de assistência estudantil, a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (PROAE) abre inscrição na próxima segunda-feira, 13, para processos seletivos de bolsas de auxílios creche, óculos e atleta, destinadas aos alunos da graduação, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

O auxílio-creche destina-se aos alunos de graduação presencial que apresentem situação de vulnerabilidade socioeconômica, com guarda e responsabilidade legal de crianças com idade de 0 a 6 anos.

Essa bolsa, no valor de R$ 100, será concedida a 200 alunos, com vigência semestral, prorrogável por mais seis meses. A concessão do auxílio beneficiará somente um dos pais ou responsável legal, mesmo que ambos sejam alunos de graduação na UFRN.

O auxílio-atleta deverá atender os estudantes de graduação que estejam em plena atividade esportiva e que também atendam aos critérios socioeconômicos estabelecidos em resolução do Conselho de Administração (CONSAD).

Um dos critérios exigidos é a vinculação em federação estadual, filiada à respectiva confederação, reconhecida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

O aluno receberá bolsa no valor de R$ 350 mensais, no período de agosto a dezembro de 2012, dependendo a renovação do benefício de um novo processo seletivo.

Serão oferecidos 10 auxílios, nas modalidades de Atletismo, Karatê, Judô, Natação e Xadrez.

A concessão do auxílio-óculos segue alguns dos critérios dos auxílios anteriores, como a comprovação da situação de vulnerabilidade econômica, tendo como um dos objetivos minimizar os efeitos das desigualdades sociais e regionais e favorecer a permanência dos estudantes na Instituição, até a conclusão dos respectivos cursos.

Esse auxílio, que beneficiará 150 alunos, será no valor de R$ 200 e poderá ser solicitado levando em consideração a periodicidade mínima de 12 meses.

As inscrições para participar dos processos seletivos para os três auxílios estarão abertas até o dia 24 de agosto, na Coordenadoria de Apoio Pedagógico e Ações de Permanência, da Pró-reitoria de Assuntos Estudantis, no horário de 8 às 12 e das 14 às 18h, ou através do preenchimento do cadastro único, disponível no site WWW.proae.ufrn.br.

Os editais (Auxílio-creche, Auxílio-óculos e Auxílio-atleta) estão publicados nos sites da PROAE(WWW.proae.ufrn.br), no Sigaa e nos quadros de aviso do Departamento de Serviço Social da PROAE(Prédio da Reitoria).

Fonte: Agecom

Auxílio-Reclusão

Toda família de um cidadão que cometeu crimes e está cumprindo sua sentença tem direito ao chamado Auxílio-Reclusão, mecanismo criado pelo Governo Federal para atender às famílias dos condenados.

Nos últimos anos, o que vem chamando a atenção é o aumento nos valores deste benefício, pago com nosso dinheiro. O fato é que as famílias dos criminosos têm direito a este benefício, mas as vítimas atingidas pelo crime, não. Assim como as famílias que foram destruídas pelos crimes cometidos pelos bandidos.

Estas, o governo não indeniza. Não há Auxílio para Famílias Destruídas, nem Auxílio para Pai de Família Assassinado ou ainda Auxílio para Mãe ou Pai que perdeu filho num assalto à mão armada.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alexandre disse:

    *Seres humanos cometem falhas* ???
    Ja teve algum parente ou amigo proximo morto pelas mão de vagabundo amigo? Espero que não.

  2. Todo cidadão que tiver contribuído com a previdencial social recebe isso… é um direito de qualquer um. Não é necessário ser bandido ou filho de bandido para receber esse direto, só basta contribuir com a previdência social. No entanto é muito pequeno o número de bandidos que pagam previdência social, já que na maioria das vezes eles já cometem crimes por não terem oportunidades. Filho de bandido não deve pagar pelo o pai que tem ou teve não.. Mais que certo!

  3. Luciano disse:

    MEsmo o MArcus já informando acima, acredito que o discussão tem que ser outra: Não é tirando o direito dos filhos de bandidos que vamos melhorar o sistema. Os filhos dos bandidos não têm nada a ver com o que seu pai ou mãe fizeram e eacho justo uma ajuda especial para esses garoto(a)s já tão traumatizados. Devemos tb exigir que os filhos dos pais mortos sejam tb agraciados com essa ajuda!

  4. Marcus disse:

    A desinformação aqui é por quilo ou a la carte? Tem direito ao auxílio-reclusão apenas quem já tiver contribuido com a Previdência Social. É um benefício previdenciário, pago a trabalhadores que por algum motivo venham a ser presos. Acreditem, seres humanos cometem falhas.