Desemprego em maio fica em 12,7% e atinge 13,2 milhões, diz IBGE

Desempregados enfrentam longas filas em busca de emprego. – Márcia Foletto / Agência O Globo

Graças a um aumento do trabalho informal e de vagas na administração pública, a taxa de desemprego ficou em 12,7% em maio, atingindo 13,2 milhões de pessoas, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad Contínua) do IBGE divulgada nesta sexta-feira. Há um ano, a taxa era de 13,3%, e o número de desocupados chegava a 13,7 milhões. As condições ainda difíceis do mercado de trabalho têm contribuído para a piora nas previsões para o crescimento da economia brasileira.

A redução do desemprego ocorreu por causa do aumento das vagas sem carteira e do trabalho por conta própria. Em relação a maio de 2017, o número total de ocupados aumentou em 1,2 milhão. As vagas sem carteira aumentaram em quase 600 mil e o número de trabalhadores por conta própria subiu quase 600 mil também. Por outro lado, o total de vagas com carteira no setor privado encolheu em quase 500 mil. Na administração pública, porém, houve aumento de contratação: mais 319 mil vagas entre maio de 2017 e maio deste ano.

– A queda no trabalho com carteira assinada está espalhada pelo comércio, comunicação e toda a parte de bancos e sistema financeiro. E percebemos aumento do grupo de administração pública, que é sazonal. Entre o fim do primeiro trimestre e início do segundo, isso ocorre por conta da contratação de professores e trabalhadores da área médica – explica Cimar Azeredo, coordenador de Trabalho e Rendimentos do IBGE.

Houve estabilidade na taxa de desemprego quando se compara o período de três meses encerrado em fevereiro, que serve como base de comparação para a taxa trimestral de maio. A taxa em fevereiro estava em 12,6%, atingindo 13,1 milhões de trabalhadores.

Nessa comparação, com fevereiro, houve queda no grupo de trabalhadores domésticos. Foram menos 155 mil pessoas nessa atividade, uma redução de 2,5%. Ao todo, o Brasil tem 6,13 milhões de trabalhadores domésticos.

– As famílias estão com o orçamento apertado e cortando custos, como esse serviço – afirma Azeredo.

Número de desempregados dobra em 4 anos

Apesar da taxa de desemprego ter recuado frente ao ano passado, em quatro anos, o número de desempregados no Brasil dobrou, passando de 6,88 milhões de pessoas no trimestre encerrado em maio de 2014 para 13,23 milhões no mesmo período de 2018. Isso quer dizer que, em quatro anos, mais 6,35 milhões de pessoas ficaram sem emprego no Brasil.

Ele disse ainda que não foi identificado na pesquisa nenhum efeito da greve dos caminhoneiros, que começou em 25 de maio e durou cerca de dez dias, sobre o mercado de trabalho.

Rendimento estagnado

O rendimento médio habitual mensal, estimado em R$ 2.187, ficou estável nas duas comparações (frente a maio de 2017 e frente ao último trimestre, encerrado em fevereiro), assim como a massa de rendimentos, que representa a soma dos ganhos de todos os trabalhadores, e que foi estimada em R$ 193,9 bilhões em maio.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dilmor disse:

    Batam palmas ao PT e ao ilegítimo sucessor…. 13,2 milhões de desempregados e outros subempregados, com salários pífios e outros sem salário….

Petrobras reduz em 0,45% o preço da gasolina na refinaria a partir desta quinta-feira

Por interino

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (6) uma nova redução do preço da gasolina nas refinarias de todo o país, a terceira queda consecutiva. Segundo o site da estatal, o preço da gasolina passará a custar, a partir desta quinta (7), R$ 1,9617, 0,45% inferior ao preço que vigorava no dia de hoje, de R$ 1,9706.

Desde a última alta anunciada para valer no dia 2, o preço da gasolina nas refinarias já caiu 2,45%.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. PEREIRA disse:

    Essa REDUÇÃO do preço da gasolina é só de mentirinha, o que é VERDADE são os AUMENTOS, para a sociedade pagar o que eles roubaram da petrobras.

  2. FRASQUEIRINO TRI CAMPEAO disse:

    Os preços não são reduzidos de imediato nas bombas pq aqui existe um cartel dos postos. Quando aumenta na refinaria, de imediato, o preço é alterado nas bombas, mas quando diminuem isso se reflete para o otário consumidor dias depois sob a complacência dos PROCONS Estadual, Municipal e de quebra o da Assembleia Legislativa, cabide de emprego para abrigar os correligionários dos 24 preguiçosos que detém mandatos por lá.

  3. Marcos Henrique Medeiros de Araújo disse:

    Concordo com tudo que Guilherme, colocou no seu comentário, realmente acontece isso diariamente

  4. Guilherme disse:

    Porque não baixa o preço nos postos, quando aumenta no outro dia os postos já faz reajuste nos preço quando a. Petrobras reduz nenhum posto faz redução, cadê os Procons só serve para receber salários pago por nós

Petrobras reduzirá preço da gasolina em 0,4% e do diesel em 2,3% a partir desta sexta

A Petrobras anuncia redução dos preços dos combustíveis para esta sexta-feira, 18 de agosto, nas refinarias, de 0,4% para a gasolina e 2,3% para o diesel. A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.

Maioridade penal: 87% dos brasileiros são a favor da redução, diz Datafolha

7hl2sqvqho_58hmn5sn1f_filePesquisa Datafolha, divulgada pela Folha de S.Paulo desta quarta-feira (15), mostra que 87% dos brasileiros são a favor da redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. Desde que fez a primeira pesquisa sobre o tema em 2003, o Datafolha registrou o maior percentual.

As pessoas que são contrárias à redução representam 11%. As pessoas que são indiferentes representam 1%, e 1% não sabem responder.

Uma comissão especial da Câmara está discutindo a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da maioridade penal e tem cerca de três meses para analisar a proposta. Caso seja aprovada, ela será levada para o Senado.

A maior aprovação está nas regiões Centro-Oeste, com 93%, e Norte, com 91%. A maior rejeição está entre as pessoas com maior escolaridade (23%), que têm ensino superior, e entre os mais ricos (25%). Essas pessoas têm renda familiar mensal superior a dez salários mínimos.

A porcentagem de pessoas que são favoráveis à redução para todos os tipos de crime também é a maior já registrada pela pesquisa, registrando 74%. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Porém, na comissão que analisa a PEC, 14 dos 27 deputados que defendem a mudança dizem que a redução deve ser apenas para jovens de 16 e 17 anos que cometerem crimes hediondos.

R7

AL reduz percentual de corte de despesas ao constatar erro do governo

08a52089a148722015732225fc235fc9A Assembleia Legislativa publicou, nesta sexta-feira, 29, ato no Diário Oficial do Estado (DOE) limitando a 4,72% o limite de cortes no seu orçamento. A decisão foi tomada após estudo da equipe financeira que constatou erros nos cálculos do Governo do Estado que definiram o corte linear de 10,74%, definido em decreto publicado no dia 26 de julho deste ano. A redução do percentual representa uma diferença de R$ 15.689.444,40 no orçamento anual do Poder Legislativo.

O ato da Mesa Diretora ainda autoriza o presidente a buscar as medidas necessárias para recuperar o valor cortado do orçamento da Assembleia Legislativa e da Fundação Djalma Marinho, atingidas pelo decreto governamental. O Ato 1140/2013 entra em vigor a partir da sua data de publicação, retroagindo seus efeitos orçamentários e financeiros a 27 de julho de 2013.

O secretário geral da ALRN, Frederico Menezes, explicou que para definir o percentual de 4,72% foram levados em consideração os dados publicados no DOE referentes ao quarto bimestre de 2013, e os referentes ao quinto bimestre publicados no Portal da Transparência do Governo do Estado e, quanto aos dois bimestres, os dados da Secretaria de Tesouro Nacional. Quanto ao sexto bimestre em curso, foi feita uma estimativa de receita, levando em conta os dados já disponíveis da Secretaria de Tesouro Nacional e a média história dos três últimos exercícios para os dois últimos meses do ano.

“A metodologia utilizada Executivo no decreto publicado em julho deste ano foi equivocada, não distinguindo receita de despesa. Com base nos dados apresentados pelo próprio governo, o percentual de corte seria de 7,72% e não 10,74%, como foi publicado”, explicou Frederico Menezes. Com os cálculos realizados pela equipe financeira da ALRN, chegou-se ao percentual considerado correto de 4,72%.

AL-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Flavio Veras disse:

    Faz mais de mais de uma década que a contabilidade do estado precisa ser auditada, tem "arrumado" pra todo gosto, e não será o TCE que vai moralizar isso. Quem avisa amigo é!!!

Crise dos Municípios: Prefeito de Touros reduz em 40% o próprio salário e do vice

Olha ai o Prefeito de Touros dando mais um exemplo. Segue release da assessoria:

A exoneração de todos os cargos comissionados e contratados, publicada no dia 30 de outubro de 2013, através do decreto nº 21, da Prefeitura Municipal de Touros, não foi a única ação emergencial realizada pelo chefe do Executivo, Ney Leite. O decreto também publica a redução de 40% do salário do atual prefeito e vice de Touros.

“Se temos que reduzir gastos, a ação deve ser coletiva. E o prefeito também tem que contribuir diretamente com a redução. Depois do estudo que fizemos sobre a situação financeira em Touros, fomos analisando cortes em todos os setores, claro, com responsabilidade para não comprometer a assistência básica do município. Nesta análise, decidi, junto com a equipe, que o meu salário e o do vice-prefeito também deveria sofrer uma redução”, explicou Ney Leite.

Com a redução na folha de pagamento do munícipio e exoneração de 499 pessoas, entre comissionados e contratados, a economia será em torno de R$ 500 mil. “Mesmo com a redução da equipe e redirecionamento dos efetivos para suprir as necessidades da prefeitura, ainda teremos um corte nos aluguéis de prédios, setor de compras, combustível e tudo que, neste momento, puder ser eliminado, sem comprometer o atendimento à população”, acrescentou o prefeito de Touros.

Nas duas últimas semanas, logo após o anúncio das exonerações e publicação do decreto no Diário Oficial da Femurn (Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte), o prefeito Ney Leite cumpriu uma intensa agenda de entrevistas nos principais meios de comunicação do Estado. O chefe do Executivo explicou as dificuldades financeiras para administrar um município turístico sem recursos para investimentos.

“Se não temos como manter a nossa estrutura, como podemos pensar em crescer?! Não sobra recurso para investir em áreas fundamentais na nossa cidade. Pela primeira vez, Touros tem 15 equipes do Programa Saúde da Familia (PSF), professores recebendo o piso nacional, hospital funcionando, agricultor satisfeito com as 3 mil horas de corte de terra, o retorno de mais de mil alunos à sala de aula, enfim, muita coisa foi feita, mas ainda é pouco para o tamanho do nosso município e necessidade da nossa população. Por isso, tivemos que agir rápido. Infelizmente, tivemos que demitir, isso é péssimo, mas acreditamos que esse quadro será mudado e teremos um 2014 bastante promissor”, declarou Ney Leite.

SOS Municípios

O prefeito de Touros, Ney Leite, se une nesta terça-feira (12), ao Movimento SOS Municípios em Brasília, onde a Confederação Nacional dos Municípios promoverá, conjuntamente com as Federações Estaduais, uma grande mobilização junto ao Congresso Nacional dos Municípios. Uma das medidas solicitadas ao Congresso Nacional é a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 39 que aumenta em 2 por cento a destinação dos recursos arrecadados com o Imposto de Renda e o Imposto sobre Produção Industrial (IPI) para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Femurn via Prefeitura de Touros

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. lenilson disse:

    Qualquer cidadão bem informado após analisar os altos gastos da prefeitura de Touros no ano de 2013, com mais de 500 cargos comissionados e contratos milionários terá a impressão de uma administração responsável. A culpa não é da queda de arrecadação, pois não houve no caso de Touros, mas sim de de um agasto fora do comum onde o TCE -RN enviou termo onde monstra que o município esta bem acima do limite prudencial. Terei a triste missão de contar para os meu filho que em Touros passou um prefeito contador de histórias, um excelente ator dignos dos dramas mexicanos.

  2. Maria Joana Alves de Albuquerque disse:

    – O PREFEITO DO MUNICÍPIO DO APODI / RN, SR – FLAVIANO MOREIRA MONTEIRO,TEM O SALÁRIO MENSAL E BRUTO DE R$ = 14.000,00 (QUATORZE MIL REAIS). O VICE-PREFEITO DO APODI / RN, SR JOSÉ MARIA DA SILVA (ZÉ MARIA DO PASTOR), TEM O SALÁRIO MENSAL E BRUTO DE R$ = 7.000,00 (SETE MIL REAIS). OS QUAIS, DEVERIAM SEGUIR ESTE GRANDE E EXTRAORDINÁRIO EXEMPLO DO SR PREFEITO DO MUNICÍPIO DE TOUROS / RN.
    – ADENDO = O NEPOTISMO NA SEDE PREFEITURA E SECRETARIAS DO MUNICÍPIO DE APODI / RN, ESTAR INCOMENSURÁVEL.
    -ACÚMULOS DE CARGOS E FUNÇÕES NA PREFEITURA MUNICIPAL DO APODI, DE FUNCIONÁRIOS(AS) DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE / E QUE DÃO EXPEDIENTES COMO SECRETÁRIOS(AS) DESTE MUNICÍPIO: – ULTRAPASSANDO 80 (OITENTA) HS / SEMANA. OUTROSSIM, ESSES(AS) MESMOS(AS) FUNCIONÁRIOS(AS), DESDE O DIA 01/JANEIRO/2013, QUE NÃO SE APRESENTAM PARA TRABALHAREM EM SUAS REPARTIÇÕES DE ORIGEM -(RN); TODAVIA, TODOS OS FINAIS DOS MESES, OS SALÁRIOS DESSES(AS) MESMOS(AS) FUNCIONÁRIOS(AS) ORIGINADOS DO ESTADO (RN) – SÃO DEPOSITADOS RELIGIOSAMENTE EM DIA, EM SUAS CONTAS BANCÁRIAS.
    – SEM COMENTARMOS DOS(AS)FUNCIONÁRIOS(AS) FANTASMAS DA PREFEITURA DO APODI / RN E, RESIDINDO EM BRASÍLIA -/ DF. E, EM OUTRAS CIDADES DO RN E, TAMBÉM EM OUTROS ESTADOS DO NOSSO IMENSO BRASIL.
    – A PARENTADA DO PREFEITO DO APODI – SR FLAVIANO MOREIRA E DO SEU VICE-PREFEITO – SR JOSÉ MARIA DA SILVA, ESTAR TODA EMPREGADA NA PREFEITURA MUNICIPAL, SECRETARIAS MUNICIPAIS E AUTARQUIAS DAQUELE MUNICÍPIO DO APODI / RN.
    – JÁ ESTAR NA HORA, DOS MINISTÉRIOS PÚBLICOS – ESTADUAL E FEDERAL; POLÍCIA FEDERAL E; CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO – INVESTIGAREM MINUCIOSAMENTE E A FUNDO . POR CONSEGUINTE, AS AUTORIDADES JUDICIÁRIAS – TOMAREM AS PROVIDÊNCIAS CABÍVEIS E NECESSÁRIAS – URGENTEMENTE.
    – TENHO DITO.
    MUITO OBRIGADA / GENIAL JORNALISTA E, EXCEPCIONAL BLOGUEIRO – BRUNO.

  3. Fina Ironia disse:

    É pegadinha do Faustão?

Tarifa de transporte em Natal com 50% de desconto no Feriado de Finados

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), informa que neste sábado (2) será aplicada a tarifa social no Sistema de Transporte Público de Passageiros de Natal. Com a determinação, ônibus e opcionais estarão operando com desconto de 50% na tarifa para deslocamentos urbanos.

A Semob informa ainda que no mês de novembro será aplicada também a tarifa social de transporte nos feriados da Proclamação da República (15) e Nossa Senhora da Apresentação (21).

Governo Rosalba reduz Programa do Leite de 110 mil litros para 60 mil por dia

A cúpula da secretaria de agricultura, convocou o Sindicato das indústrias de Laticínios do RN (Sindleite) nessa quarta-feira(30) e determinou que a partir desta sexta-feira(01/11), as usinas diminuíssem a distribuição do leite nos postos de entrega para o total máximo de 60.000 litros de leite/dia, redução que representa algo em torno de 50%.

Vale destacar que recentemente, devido aos últimos acontecimentos de seca no nordeste, a influência do clima permitiu uma queda natural do número de 155.000 litros leite/dia para algo em torno de 113.000 litros/dia de leite, diminuição até então compreensível por decorrências e fatores envolvendo a natureza.

De acordo com o Sindleite-RN, durante o encontro, o Estado informou que uma distribuição maior não seria possível pagar. Segundo os envolvidos no programa, essa redução representa também uma possibilidade da falta de recebimento de um litro de leite por parte dos beneficiados. O sindicato ainda alerta que vendo pelo lado das usinas, a diminuição representa uma ameaça as indústrias, que possuem funcionários e necessitam da manutenção de equipamentos.

Os beneficiados e usineiros  afirmam que o Governo não oficializou a medida, transmitida até então de forma verbal. Segundo o Sindleite-RN, ainda no encontro, foi informado um possível calendário de pagamento de atrasados em que, por exemplo, a segunda quinzena de outubro só será paga em meados de janeiro.  Segundo o sindicato, levando em consideração esse calendário, significa que, mesmo que o Governo cumpra rigorosamente o pagamento em dia, os atrasados só serão quitados em meados de março.

Taxa de mortalidade infantil no RN cai 78,9% desde 1990

A taxa de mortalidade infantil no Rio Grande do Norte caiu 78,9% entre 1990 e 2012, de acordo com os dados do Ministério da Saúde. Em 1990, o Estado registrou 76 mortes de crianças menores de 1 ano a cada mil nascidos vivos e, em 2012, a taxa foi de 16 mortes a cada mil nascidos vivos, apresentando-se como o 5º estado do Nordeste com maior redução da mortalidade infantil. Entre os estados com maior redução, estão: Alagoas, onde a queda foi de 84% e Ceará, onde o índice diminuiu (82%).

Fatores como a expansão da Estratégia Saúde da Família (ESF), com intervenções voltadas para as crianças, como o controle da Infecção Respiratória Aguda (reduzindo internações e mortes por pneumonias), atenção às diarréias, estímulo ao aleitamento materno, ações de planejamento reprodutivo, acompanhamento do Crescimento e Desenvolvimento, Vacinação, Vigilância Nutricional e, mais recentemente, o programa Bolsa Família, influenciaram diretamente para que esses indicadores sofressem considerável impacto nos últimos anos.

No entanto, a mortalidade neonatal, que corresponde às mortes ocorridas nos primeiros 28 dias de vida do bebê, também teve queda, ainda que um pouco menor, passando de 29 mortes a cada mil nascidos vivos em 1990 para 11 mortes a cada mil nascidos vivos em 2012, o que corresponde a uma diminuição de 62,0%, menor que a taxa nacional que é de 67,8%. As ações citadas, anteriormente, não causam impacto nesse grupo de risco, já que as principais causas de óbitos nos menores de 28 dias são as afecções originadas no período perinatal (81,0%), ou seja, entre as 22 semanas completas da gestação até os 7 dias após o nascimento, seguida pelas mal formações congênitas, deformidades e anomalias cromossômicas.

Causas evitáveis em 81% dos óbitos neonatal

No Rio Grande do Norte, em 2012, 81,3% dos óbitos de crianças menores de 28 dias ocorreram por causa evitáveis, sendo 44,0% relacionado à adequada atenção à gestação, seguido pela também adequada atenção ao recém-nascido (37%), atenção ao parto (18,0%) e ações de prevenção, diagnóstico e tratamentos precoces. Além desses fatores, a mortalidade infantil também está associada à educação, ao padrão de renda familiar, ao acesso aos serviços de saúde e ao grau de informação das mães.

A Subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde Pública, Stella Rosa de Sousa Leal, esclarece que tanto Estado quanto municípios devem implantar e manter ações constantes de impacto à redução da mortalidade neonatal.  Neste sentido, a SESAP vem desenvolvendo ações voltadas para atenção ao pré-natal como a garantia de todos os exames necessários à gestante através da Rede Cegonha, vinculação da gestante ao local do parto e direito à sete ou mais consultas de pré-natal, além de ações de atenção ao parto como: referência da gestante para o pré-natal e parto de alto risco em todo o estado, parto humanizado e direito ao acompanhante. No estado, quatro regiões de saúde possuem a Rede Cegonha e outras quatro encontram-se em fase de implantação.

Demais ações para redução da mortalidade infantil no RN

*      Acompanhar/monitorar os planos de Ação Regionais, com relação as ações propostas em todos os componentes da Rede Cegonha;

*      Visita aos serviços que compõem a Rede Cegonha nas Regiões com planos aprovados para avaliação/adequação as Diretrizes e objetivos da Rede Cegonha e monitoramento de indicadores;

*      Promover capacitações em saúde sexual e reprodutiva;

*      Promover capacitações sobre Pré Natal (risco habitual/alto risco);

*      Elaboração e implementação do Protocolo de Atenção Integral à Saúde Materna e Infantil do Rio Grande do Norte;

*      Acompanhamento da Implantação dos testes rápido em HIV e Sífilis nas Regiões – Rede Cegonha;

*      Implantação da fase III da triagem neonatal;

*      Ampliação/qualificação dos leitos de UTIN, UCIN, UCINca (canguru) nas maternidades das Regiões que já elaboraram planos de Ação da Rede Cegonha (Metropolitana, 2ª, 8ª e 6ª Regiões);

*      Iniciar capacitações em Triagem Neonatal para os profissionais da atenção básica dos 167 municípios do estado divididos por regiões de saúde;

*      Realização dos cursos de AIDPI Neonatal para profissionais da Atenção Básica do RN;

*      Projeto de Reanimação e transporte neonatal (aguardando aprovação).

José Dirceu na prisão: lavar roupa e cozinhar para progressão de regime para o semiaberto

josediceuA matemática do primeiro ministro da Casa Civil do governo Lula, personagem-símbolo do mensalão, condenado a 10 anos e 10 meses de detenção por comandar o esquema, é a seguinte: ele tem direito a pedir progressão de regime para o semiaberto – em que é obrigado a apenas dormir na cadeia – após um sexto da pena, mas quer cozinhar e lavar roupa na prisão para adiantar em seis meses esse benefício.

Assim, chega ao seu tempo de cárcere: 1 ano e 4 meses.

O petista tem dito aos mais próximos que não acredita num novo julgamento pelo Supremo, algo que lhe daria a chance de diminuir sua pena.

Diz, segundo relatos, que gostaria de ficar preso nas proximidades de Vinhedo, cidade onde mora, como no Centro de Ressocialização de Limeira, a 151 km da capital paulista.

Mas afirma que outra alternativa seria cumprir a pena no presídio de Tremembé, a 147 km de São Paulo, onde diz que a presença de integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) reduz o risco de rebeliões.

Nos últimos dias, Dirceu passou a se preparar para a prisão e a pensar como fará para se comunicar, para escrever e continuar a fazer política. Tem dito que já imaginava um resultado ruim quando o Supremo, seis anos atrás, recebeu a denúncia do Ministério Público Federal e abriu a ação penal contra 40 pessoas – 25 acabaram condenadas.

O ex-ministro tem afirmado ainda que desconfia que o tribunal possa decretar as prisões imediatamente, logo após o julgamento dos primeiros embargos de declaração, que devem ser concluídos hoje – normalmente, os ministros do STF mandam prender os condenados após uma segunda leva de recursos.

Entrevista. Nesse cenário de prisão imediata, Dirceu diz que concederá uma entrevista coletiva, apresentará documentos que mostrariam não ter havido desvio de dinheiro público do Banco do Brasil para o mensalão, tese que contraria o entendimento do STF, se autodeclararia preso político e aguardaria, em casa, a prisão pela Polícia Federal.

Os próximos passos seriam o pedido de revisão criminal no Supremo, quando ministros podem corrigir eventuais erros no julgamento e reduzir as penas, e um recurso à Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

Dirceu aposta que o julgamento televisionado, sob pressão da opinião pública e em única instância, será visto como de exceção no plano internacional. Nos dois casos, não há perspectiva, porém, de reverter a prisão. O objetivo seria uma “anistia política”, um plano para “5 ou 10 anos”, como afirma a pessoas próximas a ele.

Carta. Dirceu confidenciou a amigos que pretende publicar uma carta aberta ao ministro Celso de Mello, buscando rebater as acusações que diz ter sofrido.

Na semana passada, em seu voto, Celso de Mello afirmou que o ex-ministro não soube exercer a política com honestidade e integridade e que cometeu crimes para obter vantagens para si.

“O STF, longe do que se buscou afirmar, não incriminou a atividade política. É importante enfatizar que não se está a incriminar a atividade política, mas isto sim a punir aqueles, como o ora embargante (José Dirceu), que não se mostraram capazes de exercê-la com honestidade, com integridade e elevado interesse público, preferindo, ao contrário, longe de atuar com dignidade, transgredir as leis penais com o objetivo espúrio de conseguir vantagens indevidas e de controlar de maneira absolutamente ilegítima e criminosa o próprio funcionamento do aparelho de Estado”, disse Celso de Mello em seu voto ao julgar o recurso de Dirceu na semana passada.

A relação entre Dirceu e Celso de Mello remonta ao tempo em que moraram na mesma pensão, quando eram estudantes universitários. Os dois, no entanto, nunca foram próximos.

Estadão

Comer feijão pode reduzir risco de desenvolver demência, conclui estudo

2013-583656318-2013011746485.jpg_20130124Um estudo revelou que pessoas com anemia, uma condição em que o indivíduo tem níveis mais baixos de glóbulos vermelhos do que o normal, têm uma maior probabilidade de desenvolver demência.

A causa mais comum de anemia, além de perda de sangue, é a deficiência de ferro. Para evitar a anemia, recomenda-se a ingestão de alimentos ricos em ferro, como fígado, carne, feijão e nozes.

Mais de 2.500 pessoas com idade entre 70 e 79 anos participaram por 11 anos do estudo, em que foram feitos testes para anemia e testes de memória e raciocínio. No início do estudo, 393 pessoas tinham anemia e, por fim, 447 tinham desenvolvido demência. Aqueles que tinham anemia no início do estudo tinham uma quase 41% maior risco de desenvolver demência do que aqueles que não estavam anêmicos.

– A anemia é comum em idosos e ocorre em até 23 % dos adultos com idades entre 65 e mais velhos. A condição também foi ligada, de acordo com estudos, a um risco aumentado de morte antecipada – disse Kristine Yaffe, autora da pesquisa pela Universidade da Califórnia, em São Francisco, ao jornal britânico “The Telegraph“.

Das 393 pessoas com anemia, 89 pessoas, ou 23%, demência desenvolvido, em comparação com 366 das 2.159 pessoas que não tinham anemia, ou 17%. O estudo foi publicado na revista “Neurology”.

Kristine disse que há várias explicações possíveis para a ligação entre anemia e demência:

– Por exemplo, a anemia pode ser um marcador para a saúde debilitada em geral, outra possibilidade são os baixos os níveis de oxigênio resultantes da anemia. Reduções de oxigênio para o cérebro têm sido associadas à redução da memória e de habilidades de pensamento, além de contribuir para danificar os neurônios.

O Globo

POLÊMICA: TCE determina redução de teto dos funcionários do Estado

A Tribuna do Norte desta quinta-feira (23), publicou em seu site, que a Corte do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte (TCE/RN) determinou que o estado proceda o chamado “abate teto” de funcionários do poder Executivo que recebam além do valor equivalente ao subsídio dos desembargadores do Tribunal de Justiça do RN, de R$ 25 mil. Cerca de 600 funcionários estão nessa situação e, de acordo com a determinação, deverão ter seus salários reduzidos.

O Ministério Público havia solicitado que o teto dos servidores fosse o salário de quem ocupa o cargo de governador. Porém, no caso de negativa, o MP solicitava que limite fosse correspondente ao salário dos desembargadores, o que foi acatado pelo conselheiro Poti Júnior e por todos os membros da Corte do TCE.

Além da determinação do “abate teto”, o TCE também pediu à governadora Rosalba Ciarlini que seja feita uma Emenda Constitucional para que a situação do teto salarial no estado seja legalizada. Caberá ainda à Secretaria de Administração do Estado  a instalação de uma sindicância para apurar os motivos pelos quais os salários dos servidores estavam tão elevados.

Pela determinação do TCE, os salários já deverão estar regularizados a partir do próximo dia de pagamento. Em caso de descumprimento, o titular da secretaria de Administração, Álber Nóbrega, será multado em R$ 100 por dia de descumprimento.

Após energia, governo pretende diminuir preço do gás, diz ministro

Após diminuir o preço da energia elétrica, o governo pretende agora reduzir o preço do gás, disse nesta sexta-feira o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. “O preço da energia é objeto de um tratamento especial e diferenciado do governo. Trata-se, em um primeiro momento, dos preços de energia elétrica. Mas não é segredo que o governo pretende, e é uma determinação da presidente Dilma, ato contínuo, também trabalhar nos preços do gás”, declarou o ministro para uma plateia de empresários em um fórum realizado na capital paulista.

Ao falar sobre o novo programa, anunciado pelo governo dos Estados Unidos, de compras de títulos pelo Federal Reserve (FED – banco central americano) – o que pode elevar a entrada de dólares no Brasil e valorizar o real – Pimentel disse que o governo brasileiro não vai abrir mão de manter o câmbio em um nível que possibilite competitividade a indústria nacional.

“O governo tem um compromisso de atuar, e o Banco Central [BC] tem feito isso com muita competência para manter o dólar em um patamar ajustado. Hoje mesmo já houve intervenções do BC neste sentido. O governo não vai abrir mão da meta de manter a moeda nacional em um patamar competitivo. Nós vamos reagir a isto”, destacou.

Pimentel disse ainda que o Brasil respeita rigorosamente as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC), e não pode ser acusado de País protecionista. “Nós estamos rigorosamente dentro das normas da OMC. O Brasil é campeão em cumprir normas da OMC. Vamos continuar assim. Quem cumpre normas da OMC não está fazendo protecionismo”, disse.

Da Agência Brasil

Atendendo à decisão do STJ, polícia federal reduz inspeções em aeroportos

Os policiais federais do país acataram decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e reduziram a inspeção de documentos e bagagens nos aeroportos do país. Segundo o diretor de estratégia sindical da Federação Nacional dos Policias Federais (Fenapefe), Paulo Paes, a determinação judicial implica em “não fiscalização” por parte dos agentes, chamada informalmente de operação sem padrão.

“Temos que respeitar, mas é no mínimo questionável que a Justiça determine que a Polícia Federal não realize suas atribuições de competência constitucional”, argumentou. Paes destacou que não existe número suficiente de servidores para atender a demanda dos aeroportos e fronteiras. “Mostramos ao governo que os aeroportos estão fragilizados pela pouca efetividade de pessoal. Agora voltamos à fiscalização normal, que é não fiscalizar”, disse.

A decisão judicial considerou “ilegal” a operação-padrão dos agentes e determinou que a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal “se abstenham de realizar qualquer operação-padrão, que implique abuso ou desafio, de modo que mantenham o seu exercício profissional no nível da sua respeitável tradição”. O descumprimento da determinação implicará multa diária de R$ 200 mil aos sindicatos da categoria.

Ontem (16), os agentes da Polícia Federal intensificaram a checagem de documentos e bagagens nos principais aeroportos do país, em protestos por reestruturação de carreira. A medida provocou filas e atraso nos voos. “O governo não gostou porque mostramos a eles a fragilidade dos aeroportos e das fronteiras”, disse o diretor do Fenapefe.

Paes diz que a categoria continua em greve. Os únicos serviços prestados é segurança de instalação, custódia de presos e emissão de passaportes emergenciais. Os representantes da categoria têm uma nova reunião agendada com o governo na próxima terça-feira (21).

Fonte: Agência Brasil

IPI menor para carros novos derruba preço e vendas de usados

A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros novos provocou queda no preço dos veículos usados e retração no mercado. De acordo com a Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), o preço dos carros usados tem como referência o valor do veículo novo.

Com o IPI menor para os novos, houve uma desvalorização de 10% a 15% no preço dos usados, conforme a entidade. “Em maio, os estoques estavam lotados de carros comprados por um preço superior. Isso prejudicou os comerciantes, pois tiveram que vender por um valor mais baixo”, explica Ilídio Gonçalves dos Santos, presidente da Fenauto.

Cerca de 4,5 mil lojas de seminovos fecharam as portas em todo o país entre março e julho, segundo a Fenauto. De janeiro a maio, a redução nas vendas de usados em São Paulo chegou a 12,1%, na comparação com o mesmo período do ano passado. “Ainda vamos fazer o levantamento de maio a agosto, mas certamente a situação se agravou”, estima Santos.

Além do imposto menor, os revendedores avaliam que a restrição de crédito, provocada pela inadimplência, também contribuiu para a queda nas vendas. “De cada dez fichas para financiamento, cerca de sete são negadas. A exigência dos bancos aumentou”, argumenta.

Abílio Tastaldi, dono de uma loja de usados na zona oeste de São Paulo, conta que quem pretendia vender o carro usado para trocar por um zero, para aproveitar a redução do IPI, acabou ficando decepcionado. “As pessoas não queriam aceitar que o valor do carro tinha caído. Isso prejudicou as trocas. Se um carro valia R$ 18 mil, passamos a oferecer de R$14 a R$15 mil”, conta.

Para o consumidor que deseja comprar um carro usado, a situação é mais vantajosa, na opinião do comerciante Marlon Eden, que procura um seminovo há cerca de um mês. “Percebo que o mercado está parado e desesperado para se livrar do estoque. No caso de um carro zero, é muito grande [queda do valor de revenda]. Em compensação, o preço que eu pagar agora no usado, não deve desvalorizar muito depois”.

André Amorim, gerente de uma revenda de multimarcas de usados, aposta em uma recuperação dos preços com o fim da redução do IPI, previsto para o final deste mês. “Já estamos sentindo uma retomada das vendas nos últimos 15, 20 dias. Voltou a demanda, mas os preços ainda estão baixos”, explica.

Para o presidente da Fenauto, ainda não é possível prever os rumos do mercado de usados nos próximos meses. A federação apresentou ao Ministério da Fazenda propostas para impulsionar o setor de seminovos, como a retirada do Imposto sobre Operações de Crédito (IOF) por seis meses e linhas de financiamento para capital de giro.

Fonte: Agência Brasil

Governo não cogita prorrogar IPI reduzido para carros

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse hoje (31) que o governo não cogita prorrogar a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis.

“Não está em cogitação a prorrogação após agosto”, disse Mantega. No final de maio, o governo federal reduziu o IPI para os carros – os de motor 1.0 – até 31 de agosto. Porém, condicionou a medida à manutenção dos empregos no setor.

O setor pressiona o governo a prorrogar a redução do imposto. Na semana passada, a General Motors (GM) anunciou o plano de demissões na montadora em São José dos Campos (SP). Em protesto contra as demissões, funcionários da empresa começaram a trabalhar hoje (31) com uma hora de atraso.

Após reunião com representantes do setor automobilístico, Mantega disse que a GM  manteve o nível de funcionários e teve saldo positivo de contratações em junho, além de manter o acordo acertado com o governo, de manter os postos de trabalho em troca do IPI reduzido. Segundo Mantega, esse perfil se mantém também em relação ao setor automobilístico, que contratou 1,9 mil pessoas em junho.

“Foi cumprido o compromisso de não demissão e até de aumento de empregos. O total de emprego, na Anfavea [Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores] como um todo, era 144,9 mil empregos, em maio, 146,9 mil, em junho. O que nos interessa é que a GM tenha saldo positivo e esteja contratando, e isso está sendo cumprido “, disse Mantega.

Segundo o diretor de assuntos institucionais da GM e vice-presidente da Anfavea, Luiz Moan, o compromisso de não demitir em troca do IPI reduzido está mantido. De 2008 a junho deste ano, foram contratados 1.848 funcionários pela GM, conforme Moan. Até o fim do ano, o saldo de contratações deve chegar a 2.163. Segundo ele, está marcada uma reunião no próximo sábado (4) com os metalúrgicos de São José dos Campos.

Fonte: Agência Brasil