Televisão

Ator Juliano Cazarré nega recusa à vacina, explica por que ainda não foi imunizado e manda recado ao ‘colega’ que se prontificou a assumir o seu lugar em Pantanal

Foto: Divulgação

Juliano Cazarré se pronunciou, na manhã desta quarta-feira (28), sobre supostamente ter se recusado a tomar a vacina contra a Covid-19. Os rumores apontavam que o ator estaria com seus dias contados na novela ‘Pantanal’ por conta da suposta recusa à imunização. Pois bem. Cazarré explicou que em momento algum que recusou se vacinar e explicou o motivo de ter parado para pesquisar mais sobre a vacina.

“Há alguns dias eu fiz uma consulta à produção de Pantanal sobre a situação da vacina, pois eu adquiri imunidade ano passado e já li textos falando que a vacina nesses casos pouco adianta e que uma nova carga viral pode ser prejudicial. Mas deixei bem claro que se for uma condição da casa para que eu participe de Pantanal, que eu tomaria. Ao longo do final de semana, conversei com um médico em quem confio, que me explicou mais sobre a vacina e tirou dúvidas sobre o processo como são feitas e eu já tinha me decidido a tomar, assumindo os mesmos riscos que todos os outros vacinados. No posto, me informaram que passasse lá na quinta-feira (amanhã à tarde). É o que farei”, afirma.

O ator ainda mandou um recado ao colega de profissão, Armando Babaioff, que se prontificou publicamente a assumir o lugar de Cazarré em ‘Pantanal’ por já estar vacinado. “Aos meus seguidores queridos, eu peço que rezem uma Ave Maria por todos aqueles que vieram desejar a minha morte, dos meus filhos. Rezem também uma Ave Maria pelo colega que sugeriu pegar meu lugar por estar vacinado. Ele é um grande ator e não merece estar nessa situação. Ao rebanho de muares que veio aqui me xingar por causa da vacina, podem voltar a me xingar apenas pelos motivos de antes: minha opção religiosa e por eu não acreditar na mesma ideologia que vocês. Estou em oração por vocês também”, finaliza.

Fábio Oliveira – O Dia

 

Opinião dos leitores

  1. Demonstrou consciência e conhecimento dos riscos envolvidos nas vacinas. Muita gente está politizando essa questão e tratando o assunto de forma irracional.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Recusa a tomar vacina contra Covid-19 e a retornar ao trabalho presencial pode levar à demissão por justa causa; entenda

Trabalhadores que se recusam a tomar a vacina contra a Covid-19 devem estar cientes de que podem ser demitidos por justa causa. A recusa ao retorno do trabalho presencial também pode ser motivo de demissão por justa causa.

Neste mês, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo confirmou a modalidade de demissão para uma auxiliar de limpeza de um hospital de São Caetano do Sul (SP) que se recusou a ser imunizada. Essa foi a primeira decisão em segunda instância sobre o tema na Justiça do Trabalho.

Segundo especialistas, a decisão foi acertada, principalmente, por se tratar de um ambiente de trabalho que oferece alto risco de contágio. Porém, em casos gerais, ainda não há consenso no Judiciário, já que não existe uma regulamentação específica sobre o assunto. Prevalece ainda o debate entre o direito de escolha do trabalhador e a segurança da coletividade, já que a recusa pode colocar os demais em risco.

Em fevereiro, o Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou orientação de que os trabalhadores que se recusarem a tomar a vacina contra a Covid-19 e não apresentarem razões médicas documentadas para isso poderiam ser demitidos por justa causa. O órgão sugere ainda que as empresas conscientizem os empregados sobre a importância da vacinação e abram diálogo sobre o assunto.

Os funcionários devem estar cientes do risco em recusar a vacina: a dispensa por justa causa exclui o direito ao aviso prévio, ao seguro-desemprego e à multa de 40% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Responsabilidades além da vacinação

Cíntia Fernandes, advogada especialista em Direito do Trabalho e sócia do escritório Mauro Menezes & Advogados, explica que os colegas do trabalhador que se recusa a ser vacinado também contam com o direito constitucional de atuar em um ambiente seguro e saudável, cuja responsabilidade é da empresa.

“A responsabilidade não se limita à vacinação, mas abrange todas as medidas de segurança que já têm sido reiteradas como o uso de máscara, disponibilidade de álcool em gel e o distanciamento”, aponta.

A advogada ressalta que, apesar da decisão do TRT, não é devida a aplicação de justa causa ao empregado que se recusar a vacinar nessa situação.

“Primeiro, é necessário que a empresa implemente a política de vacinação, faça a campanha, mas aplicar uma justa causa ao empregado que se recuse no momento em que estamos, sem que haja uma legislação sobre o assunto, é uma medida extrema inclusive com a violação de garantias constitucionais”, aponta.

Ela lembra que não há lei específica em relação à exigência da vacinação, mas uma orientação do Supremo Tribunal Federal (STF) destacando ser necessária a vacinação da população.

Para Ruslan Stuchi, advogado trabalhista e sócio do escritório Stuchi Advogados, “a decisão do TRT foi correta, tendo em vista que, por se tratar de um hospital, a recusa da trabalhadora coloca em risco a sua saúde e a dos demais colegas de trabalho. Para os trabalhadores de setores essenciais, que têm contato com muitas pessoas, bem como muitos materiais que podem estar contaminados com o vírus, o trabalhador deve ser obrigado a tomar a vacina”.

Cintia destaca que não há unanimidade na Justiça do Trabalho a respeito do limite de poder de imposição do empregador.

“Há a discussão sobre vários direitos. O Direito Público, o bem comum e o direito individual muitas vezes conflitam. O bem comum se relaciona a proteger a coletividade e há entendimentos que se sobrepõem ao direito individual”, observa.

No caso julgado pelo TRT, a auxiliar criticou o hospital por não ter realizado reuniões para informar sobre a necessidade de se imunizar. Também apontou que a falta grave foi registrada sem que tivesse sido instaurado processo administrativo. A imposição da vacina, conforme argumento apresentado pela trabalhadora no processo, ainda teria ferido a sua honra e dignidade humana.

Na visão do professor da pós-graduação da PUC-SP e doutor em Direito do Trabalho, Ricardo Pereira de Freitas Guimarães, foi correta a decisão, já que, além do elevado risco de contágio, a empresa comprovou a realização de campanhas de vacinação e concedeu todas as oportunidades para que a auxiliar fosse vacinada. Por outro lado, a trabalhadora não apresentou justificativa para não ser vacinada, mesmo sabendo que poderia sofrer a consequência da dispensa.

Empresa deve fazer sua parte

Daiane Almeida, advogada especialista em Direito do Trabalho do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, orienta que as empresas tenham cuidado na comunicação aos funcionários das possíveis sanções para quem não seguir as recomendações sanitárias e aderir à vacinação.

O alerta deve ser feito por escrito ou verbal, na presença de testemunhas, o que pode ser utilizado como prova pelo empregador em uma eventual ação trabalhista.

“Em caso de recusa, a empresa deve adotar, em um primeiro momento, a imposição de advertências e suspensões e, se persistir a negativa do funcionário em se imunizar, pode resultar na dispensa por justa causa”, orienta.

Retorno ao trabalho presencial

Outro tema que dá margem ao surgimento de disputas judiciais entre trabalhadores e empresas é o fim do regime de home office com o avanço da vacinação.

Julia Demeter, especialista em Direito do Trabalho do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, alerta que a recusa do trabalhador em abandonar o teletrabalho também justifica a dispensa por justa causa.

“É critério unilateral do empregador determinar que o funcionário deixe o home office. O empregado não pode se recusar sob a justificativa de não estar imunizado ou por receio de contaminação, uma vez que a recusa pode acarretar em abandono de emprego”, diz a especialista.

“Há exceções para aqueles que pertencem ao grupo de risco ou tenham comorbidades, devendo apresentar justificativa médica plausível e documentada. Já a empresa deve observar as disposições legais, respeitando o prazo mínimo de 48 horas entre a comunicação ao funcionário e o seu retorno”, explica Julia.

Apesar da discussão em torno da vacinação e do fim do home office, Lariane Del Vechio, advogada especialista em Direito do Trabalho do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, avalia que há uma tendência de que diminua o número de conflitos na Justiça sobre o assunto.

“Acredito que o impacto positivo da vacina, a diminuição da transmissão e das internações e a retomada da economia façam com que não tenhamos mais os mesmos problemas no próximo ano. Os benefícios vencem o negacionismo da importância de se vacinar”, opina.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: 19 policiais penais no RN se recusaram a receber vacina; 706 foram imunizados

FOTO: ASSECOM/RN

A Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) contabilizou, até essa segunda-feira (7), a vacinação de 706 policiais penais do Rio Grande do Norte — o equivalente a 52% do efetivo imunizado contra a covid-19. A imunização dos agentes segue o Plano Nacional de Imunização (PNI), com a aplicação da vacina sob responsabilidade dos municípios.

A Seap tem 1.358 servidores ativos e 19 deles se recusaram a receber o imunizante. Nesta terça-feira (8), a Secretaria registra quatro casos positivos entre os servidores e dois entre os internos. No País, apenas 10% da população foi vacinada com as duas doses e 23% com a primeira aplicação do imunizante.

A vacinação das forças de segurança pública teve início no dia 7 de abril. A vacina é distribuída de forma proporcional e escalonada para os servidores da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Instituto Técnico-científico de Perícia (ITEP), Polícia Penal, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Penal Federal, Defesa Civil, Forças Armadas, agentes públicos das guardas municipais e de trânsito.

Seguindo os critérios elaborados por nota técnica da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), em consonância com as orientações do Ministério da Saúde, a Seap está priorizando os profissionais em unidades mais expostas à covid-19. É o caso dos policiais penais que fazem escolta de presos para audiências judiciais, transferências entre unidades e atendimento hospitalar, além daqueles servidores que trabalham na custódia em hospitais como o Giselda Trigueiro, Monsenhor Walfredo Gurgel e Tarcísio Maia.

Seguindo esse critério, todos os policiais do Grupo de Escolta Penal (GEP), da capital e interior, do Grupo de Operações Especiais (GOE) e da Central de Recebimento e Triagem (CRT), em Parnamirim, já foram vacinados. A CRT é a porta de entrada dos novos internos na Grande Natal. O mesmo acontece na Cadeia Pública Dinorá Simas, em Ceará-Mirim, local de custódia de novos presos que chegam ao sistema prisional, onde doses do imunizante foram disponibilizadas para todos os servidores. Essas unidades tem alto fluxo de entrada de internos, diferente dos estabelecimentos com presos já condenados pela Justiça, sendo mais suscetíveis a pandemia do novo Coronavírus.

A policial penal Hindiane Saiures, ponto focal em Saúde Prisional da Seap, explica que a pasta mantém um esforço contínuo para que a vacina chegue da forma mais equânime possível aos servidores. “Esperamos que em breve todos os colegas tenham recebido a oportunidade da imunização. Destaco que a adesão à Campanha é essencial para a redução de casos de internações e quadros graves da doença, entretanto, não custa destacar que o uso contínuo de EPI’s e de técnicas de higienização contínua imprescindível, mesmo aos já imunizados. Só com a colaboração de todos, venceremos esse vírus”, destaca.

Todas as 17 unidades prisionais da Seap estão com as visitas presenciais aos presos suspensas. O motivo é a taxa de ocupação dos leitos de UTI acima de 80% nos municípios onde os estabelecimentos penais estão localizados. A Seap implementou uma série de medidas para prevenir e combater o novo coronavírus ainda em março de 2020. Através do Comitê de Crise da Seap, além de isolar o contato externo nos presídios, foram criados protocolos para uso de equipamentos de proteção, higienização de celas e ambientes de uso comum, reforço na alimentação e acompanhamento das equipes de saúde prisional.

A Administração Penitenciária registrou três óbitos entre os servidores, todos ocorridos neste ano de 2021. Uma das vítimas contraiu a doença afastada das funções. Não existe registro de óbito entre os internos. Foram registrados 320 casos de policiais penais infectados e curados, e 692 entre os detentos no acumulado dos últimos 15 meses, quando o Comitê de Crise da Seap passou a registrar os números da pandemia diariamente. A população carcerária do RN é de mais de 11 mil presos. A vacinação das pessoas privadas de liberdade consideradas do grupo de risco fica a cargo dos municípios, através das equipes de saúde prisional instaladas nas unidades prisionais. Trinta e dois internos foram vacinados seguindo esses critérios. Os municípios são os responsáveis pela logística e execução da vacinação.

Opinião dos leitores

  1. É cada comentário ESQUERDOPATA, fanáticos, incapazes de entender que quem já teve a doença está muitas vezes mais imunizados do que muitos que se vacinaram.
    Ninguém é obrigado a ser cobaia da ciência, nenhuma dessas vacinas foi testada a longo prazo. Quem já teve a doença e desenvolveu imunidade não precisa se arriscar com essas vacinação.
    A bem do serviço público deveriam ser demitidos muitos servidores INEFICIENTES que estão se aproveitando da pandemia para não trabalhar, mesmo já vacinados.

    1. Então pelo seu raciocínio, só se deve ou precisa tomar vacina da gripe uma vez na vida?

  2. Esses 19 deveriam ser afastados ou impedidos de atuar em atividades que exigissem contato com outras pessoas. Imbecilidade não deveria poder ser opção de agente público.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ludhmila Hajjar diz que não aceitou convite de Bolsonaro para Ministério da Saúde

Foto: Reprodução/TV Globo

A médica Ludhmila Rajjar disse ao blog nesta segunda-feira (15) que não aceitou o convite para assumir o Ministério da Saúde.

“Não aceitei”, disse a médica em mensagem de texto enviada ao blog.

Ludhmila, que se encontrou com Bolsonaro no domingo (14) em Brasília, voltará ainda nesta segunda para São Paulo.

Deputados do Centrão, grupo de partidos da base aliada do governo na Câmara, têm pressionado pela saída do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. A atuação do ministro é criticada em razão do agravamento da crise sanitária no país causada pela pandemia de Covid-19.

O nome de Ludhmila Hajjar encontrava respaldo entre parlamentares – entre eles, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que é uma das principais lideranças do Centrão.

No domingo, Lira disse numa rede social que o enfrentamento da pandemia “exige competência técnica” e “capacidade de diálogo político” e que enxerga essas qualidades em Ludhmila. A médica é supervisora da área de Cardio-Oncologia do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e coordenadora de cardiologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.

G1

Opinião dos leitores

  1. Ludhmila Hajjar mente, ela sequer chegou a ser convidada, ela foi apenas sondada e depois reprovada pelo presidente.

  2. Quem respeita a medicina e zela pelo seu próprio nome jamais aceitaria um convite desses .Sensata doutora.

  3. Ele fraquejou e chamou uma fraquejada, a fraquejada foi inteligente e não aceitou. Chama outro militar para ocupar esse cargo, de preferência um que tenha sido expulso da corporação por insubordinação! Aí, vai dar certo!

  4. Mais um general humilhado pelo capitão.
    Alguém em sã consciência acreditava que esse senhor teria competência para gerir o MS numa crise sanitária dessa magnitude?

  5. Claro que não aceitaria, estaria jogando uma carreira de sucesso e competência fora, só um médico que seja idiota e imbecil aceitaria, Ela não é negacionista, ou seja, é inteligente e defente isolamento social, máscara e vacina, coisa impossível de se colocar na cabeça de um jumento.

  6. Parece que ninguém quer deixar a zona de conforto, para ir para linha de frente.
    BOLSONARO TEM RAZÃO
    Eu continuo 100% BOLSONARO

    1. Isso. Rever conceitos e mudar de opinião são atitudes de pessoas inteligentes.

  7. A verdade é que ela foi queimada. Amiga da Dilma, contra tratamento precoce. Essa é a realidade do fato

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTO: Jogadora se recusa a homenagear Maradona, senta no gramado de costas e recebe ameaças de morte

Foto: Reprodução

Neste fim de semana, o mundo se encheu de homenagens a Diego Armando Maradona, falecido na última quarta-feira, aos 60 anos. Mas uma jogadora não quis fazer parte da série de homenagem e preferiu expressar claramente o seu descontentamento.

Paula Dapena, de 24 anos, que atua no Viajes Interrías, da Espanha, optou por sentar no gramado durante o minuto de silêncio. no último sábado. Isso aconteceu em um amistoso que terminou com a derrota da sua equipe para o Deportivo La Coruña por 10 a 0.

“As minhas colegas olharam para mim e riram, porque sabiam que não iria segui-las. Há poucos dias lutamos contra a violência de gênero e esses gestos não foram feitos. Não guardaram minuto de silêncio para as vítimas e não estou disposta a fazer para um agressor”, declarou, lembrando da acusação de estupro que Maradona enfrentou.

Além disso, Dapena, que rapidamente sofreu uma onda de críticas nas redes sociais e até ameaças de morte, disse: “Para ser jogadora, tenho que ser a primeira pessoa com valores além das habilidades que ele tinha, que sabemos serem qualidades e dons espetaculares no futebol”.

Extra – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Parabéns a essa jogadora, provou para o mundo que tem personalidade e que Maradona era apenas um destaque mas não tinha valores morais

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Comissão decide que segundo debate entre presidenciáveis nos EUA será virtual, e Trump diz que é “ridículo” e não vai participar

Foto: Reprodução/GloboNews

A comissão que organiza os debates entre os dois principais candidatos a presidente dos Estados Unidos, Joe Biden e Donald Trump, anunciou nesta quinta-feira (8) que o segundo confronto entre eles será feito remotamente, sem que os dois estejam no mesmo local. O encontro está agendado para o dia 15 de outubro.

Trump disse que se recusa a participar de um debate virtual. Ele deu uma entrevista por telefone a um programa da rede de TV Fox.

“Eu não vou perder meu tempo com um debate virtual, essa não é a ideia de um debate. Senta-se atrás de um computador e se debate, é ridículo. Isso não é aceitável para a gente”, disse ele.

O primeiro debate entre os dois aconteceu em 29 de setembro. Três dias depois, Trump anunciou que estava com Covid-19. Os candidatos a vice também tiveram seu confronto, que foi presencial, nesta quarta-feira.

O presidente afirmou que só soube da decisão de organizar um debate virtual nesta quinta-feira, minutos antes de sua participação por telefone no programa de TV. Ele acusou a comissão que organiza o debate de tentar proteger Biden.

O presidente foi hospitalizado no dia 3 de outubro e voltou à Casa Branca na segunda-feira. No dia de seu retorno, afirmou que estava ansioso para participar de um segundo debate com Biden. Nesta quinta, Trump disse que se sente “pronto para voltar a fazer campanha”, mesmo sem ter se curado.

Em nota, a comissão afirmou que o segundo debate terá o formato de um encontro com eleitores. Os candidatos vão participar de locações remotas e distintas. O texto cita a saúde e segurança de todos os envolvidos como um dos motivos para o formato.

O plano é que o moderador, Steve Scully, conduza o debate de um centro de convenções em Miami. Eleitores da região sul do estado da Flórida vão fazer perguntas aos candidatos.

Primeiro debate

O primeiro debate entre os dois candidatos aconteceu no dia 29 de setembro. O confronto foi marcado por interrupções e acusações entre os dois.

Falando muito desde o começo, Trump quase não deu espaço para o adversário, interrompendo inclusive o moderador e tornando difícil a distribuição do tempo.

Biden, irritado, chegou a pedir para que Trump se calasse para que pudesse falar: “Você quer se calar, homem?”.

Veja alguns dos temas que foram debatidos no primeiro encontro:

A indicação para a Suprema Corte da juíza Amy Coney Barrett;

A força dos grupos mais radicais de esquerda dentro do Partido Democrata;

Os impostos de Donald Trump, que teria contribuído com US$ 750 em 2016 e não pagou nada em dois anos anteriores;

Os protestos e atos políticos durante a presidência de Trump

Debate por transmissão em 1960

Esta não é a primeira vez que um debate de presidenciáveis nos EUA é organizado para ser realizado sem que os debatedores estejam em um mesmo local.

Em 1960, John F. Kennedy e Richard Nixon fizeram um encontro via transmissão (um deles estava em um estúdio na cidade de Nova York, e o outro, em Los Angeles).

G1

Opinião dos leitores

  1. Sr. Arthur lave a boca, educação, respeito e parcimônia advém da família e do caráter, esse seu comentário é grosseiro e despropositado, eivado de ignorância, lembre-se que vc muito parecido com um ser humano, pode eventualmente sofre uma queda ou acidente, aí vc vai implorar pela misericórdia de Deus e Justiça dos HOMENS.

    1. Você sempre se porta grosseiramente e debochado, agora tomou as dores do Pr.? Tenha vergonha na cara, hipócrita.

    1. A Dilma e o Lula não levaram facada e também fugiram dos debates.

  2. Trump tem razão. Debates, aulas, exames médicos têm que ser atividades presenciais entre outras centenas. O resto é medo, preguiça, impossibilidade…….

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

‘Não pretendo apoiar prefeito em lugar nenhum’, diz Bolsonaro sobre eleições

Foto: Reprodução/CNN Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (2) que não pretende apoiar prefeitos nas eleições municipais deste ano, previstas para ocorrer em dois turnos, nos dias 4 e 25 de outubro.

O comentário foi feito na portaria do Palácio da Alvorada ao responder a um apoiador que questionou se o presidente endossaria a campanha de algum prefeito.

“Não pretendo apoiar prefeito em lugar nenhum, não pretendo, [vou] deixar bem claro, não pretendo”, afirmou o presidente.

Após insistirem no assunto, ele complementou sua resposta: “Não tenho partido, pra exatamente para não me meter em política este ano. Tenho muito trabalho aqui em Brasília pra entrar em eleições municipais”.

Possibilidade de adiamento

O possível adiamento das eleições municipais deste ano ainda é tema de discussão entre os especialistas e autoridades brasileiras.

O tema está na mesa do novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, e deve ter uma decisão até o fim de junho.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O Deputado Coronel Azevedo hoje está na oposição de Bolsonaro. PSC de Vitzel e Azevedo deverá ter candidatos fortes sem precisar do apoio do presidente.

  2. Sabe porque ele nao vai apoiar nimguem pq o golpe nao saiu do pensamento dele e nao tera eleiçoes para prefeito … sendo assim ele indicara os militares para assumir as prefeituras.
    Acorda gado mascarado.

  3. Sabe q perdeu o encanto q só consegue actualmente iludir o gado. Nem o centrão q o imbecil apoiando os seus candidatos.

  4. "Esposando" a ala mais podre do Centrão o Presidente logo enfrentará denúncias e comprovações de corrupção no seu Governo. Triste ver o Presidente perdendo adeptos que acreditaram que ele traria uma nova forma de fazer política. Mas o que estamos vendo é o nivelamento, por baixo, do seu governo.

  5. Muito simples: quem ele apoiar , perde . Já está se blindando contra os desgastes . Agora e só ladeira abaixo até o
    Impeachment ou a derrota em 2022.

    1. Uma coisa são seus desejos. Outra coisa é o que acontece no mundo real. Vejo muitos vivendo num universo paralelo, alheios à realidade que os cerca. E quando os fatos atropelarem seus desejos? O impeachment não acontecendo e Bolsonaro sendo reeleito em 2022?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Mandetta não aceita pedido de secretário e diz: ‘Sairemos juntos’

Foto: Reprodução

Luiz Henrique Mandetta abriu a entrevista coletiva desta quarta-feira sobre a Covid-19 no Brasil manifestando apoio ao secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, que pediu demissão do cargo.

“Entramos no ministério juntos, estamos no ministério juntos e sairemos do ministério juntos”, afirmou o ministro.

Ele disse também:

“Hoje teve muito ruído por causa do Wanderson por conta de todo esse ambiente. [Wanderson] Já mandou para o setor dele que ele iria sair, aquilo chegou para mim e já falei que não aceito. Wanderson continua, ele está aqui e acabou esse assunto. Vamos trabalhar juntos até o momento de sairmos juntos do Ministério da Saúde.”

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Interessante é com a saída de mandetta Boa parte dos técnicos vão junto com ele, técnicos que tem vários anos de ministério, só posso tirar uma conclusão mandetta diz que esta "preocupado" com o Brasil e trabalha para o mesmo, já seus técnicos estão preocupados com mandetta…

  2. Herculano , não sei se ele será candidato . Na verdade isso pouco importa no momento , que o presidente , votei nele e me arrependo , seja iluminado para nomear uma pessoa capaz , segura como Mandetta . Sinceramente torço por isso . O Brasil merece o melhor , ,essa parte de eleição é reeleição não deve ser discutida agora . O presidente , votei nele e me arrependo , vai dormir hoje , amanhã cedo toma coragem , se arrocha e assina a demissão. Pronto , resolvido . Qual o problema ? Nomeia outro Espero que competente e assume o ônus e o bônus do seu ato .

  3. Esse Mandeta é um Pau Mandado Rodrigo Maia,Vulgo Botafogo da lista de propina da Odebrecht,e do Presidente do Senado Alcolumbre,se o Presidente Bolsonaro nao Exonerar esse cabra,o Pico do Covid 19 chega ao ano 2022……..

  4. Parabéns Mandetta,seu caráter e profissionalismo estão cada vez mais em evidência, consegue enfrentar um presidente inapto que não tem compromisso com a população, você defende o povo Brasileiro.

  5. Mas ele bem que poderia dar um curso rápido de oratória ao presidente antes de ser exonerado…

  6. Se esse Mandeta fosse um Homem de Moral,ja teria pedido EXONERAÇÃO do cargo ha um mes….quer fazer politicagem com o cargo!!!!

  7. Bota banca bem pouquinho esse picareta.
    Mas o dia dele chegou, só ele não viu ainda, mais vai vê.
    O povo já está nas ruas pedindo a saída dele.
    Então!!!
    É questão de tempo.
    Ou sai, ou é fritado.
    Bem empregado, o cara ministro da Saúde, e burro, quer mandar no patrão, quis se igualar ao presidente, sem ter nenhum voto, é so vê a entrevista no fantástico.
    Vai demorar muito arrumar um empregão desses.
    Muito, mad muito tempo mesmo.
    Arrisco dizer, nunca mais.

  8. Cabra bom. . Competente , sério , esclarecedor e arrochado sai de cabeça erguida . Parabéns ministro MANDETTA , obrigado pela aula de civilidade e bons serviços ao Brasil.

    1. Kkkkkkk, isso é porque vc diz que votou em Bolsonaro, mas torce pra o governo dá errado. É bom ter em mente que se fizer o isolamento defendido por mandeta, nenhum governo no mundo duraria 2 meses, tem mais, o pico da pandemia pra ele é sempre no mês seguinte, só que não diz o nome do mês. Esse só pode está com as digitais de Botafogo, sem dúvida nenhuma. Rsrsrs

    2. Vote com ele meu nobre.
      Vc é quem sabe que País vc quer pro futuro.
      O país de gente honesta, pra impedir a corrupção.
      Ou o dos picaretas.
      Vc que sabe.

    3. Francisco Se tem uma pessoa no mundo que torce para o governo dar certo sou eu , meu caro ,eu votei nele e me arrependo , espero que quem assumir faça melhor do que Mandetta , torço para que o presidente se comporte a altura do cargo , sou brasileiro cidadão e pagador de impostos

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Sindicato de trabalhadores em postos de combustíveis se recusa a fechar acordos para evitar demissões no setor, que vem perdendo até 70% das vendas

No meio de toda esta turbulência, um dos segmentos (entre os que estão funcionando) que mais vem amargando redução de vendas é o de combustíveis. Os postos no estado vêm tendo quedas de faturamento que variam de 25% a 70%. Pois bem. Como forma de evitar demissões no segmento (que emprega, direta e formalmente, cerca de 15 mil pessoas no RN), o Sindicato que representa os postos (patronal) enviou ao sindicato dos trabalhadores um documento, conforme prevê a Medida Provisória da Preservação do Emprego para dar início às conversas visando acordos coletivos e/ou individuais para redução de jornadas de trabalho e salário, pelo período de até 90 dias. O sindicato dos trabalhadores simplesmente se nega a sentar para conversar. O impasse deverá, infelizmente, provocar em breve uma onda de demissões de pais e mãe de família. Vai entender.

Opinião dos leitores

  1. A GASOLINA, TÁ BARATO, TÁ DE GRAÇA, TEM QUE AUMENTAR.
    01 LITRO DE GASOLINA, DA PRA VC ANDAR NATAL E GRANDE NATAL TODINHA, CURTINDO A BRISA DO MAR, EM UMA CINQUENTINHA.
    OK?
    CARO E UMA CERVEJA POR R$10.00 REAIS, SÓ TEM 600ML, VC TOMA E DEPOIS VAI MIJAR, NÃO VEJO NINGUÉM RECLAMAR DO PREÇO.
    AGORA COM A GASOLINA, É ESSA BESTEIRA TODA.
    PORQUE NÃO SE IMPORTAM COM OS REMÉDIOS? SOBE E NINGUEM DIZ NADA, ALGUEM JA FOI COMPRAR VERDURAS ESSA SEMANA??
    O 1KG DA TOMATE ERA R$ 2.00 REAIS, HOJE R$ 7.00, CADÊ NINGUEM DIZ NADA??
    PAREM DE BESTEIRAS, COM A GASOLINA.
    BOTA 150.000 CONTOS NUM CARRO, DA PRA IR 5 PESSOAS ATÉ MOSSORÓ E AINDA LEVANDO BAGAGENS.
    POR FIM, TÁ BARARO, TEM QUE SUBIR, QUEM NÃO QUISER COMPRAR, DEIXE O CARRO EM CASA E VÁ ANDAR A PÉ.
    SIMPLES ASSIM.
    NINGUÉM É OBRIGADO A COMPRAR.
    BLZ??.
    FUI!!!

  2. Em minha opinião…é não pensar em seus representados…uma vez que preferem ver país de família desempregados…não consigo entender essa resistência…

  3. Kd que os donos de postos baixam os preços pro povo encher o tanque, mesmo saindo menos de casa? Mas num baixa nem a pau, Juvenal…
    Preferem demitir a ter que baixar.

  4. As coisas já não estão fáceis e vcs dos postos não baixaram a gasolina acompanhado as refinarias que foi reduzido o preço três vezes agora querem ajuda tb do governo ? Ja ganharam muito dinheiro e ganho ainda com a a venda de combustíveis, cara de pau vcs

  5. Eu não conheço nenhum sindicato que ajude o trabalhador desempregado. Eles só querem sugar. Estamos num mundo globalizado e daqui pra frente é POSTO SELF SERVICE já!! Quanto mais complicam, menos emprego.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Decreto de isolamento descumprido: Homem é preso após se recusar a parar partida de futebol em Natal

Foto: PMRN/Divulgação

O portal G1-RN destaca. Um homem foi preso na quinta-feira (2) por descumprimento ao decreto estadual 29.583/2020, que proíbe aglomerações como norma de enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19). Ele fazia parte de um grupo de cerca de 30 pessoas que estavam jogando futebol na Praia do Meio, Zona Leste de Natal.

A atividade coletiva acontecia na tarde desta quinta quando foi interrompida por uma viatura da Companhia Independente de Policiamento Turístico da Polícia Militar. Das 30 pessoas, apenas uma se recusou a parar de jogar. Diante da desobediência, ele foi conduzido para a delegacia onde foi autuado em flagrante.

Matéria completa aqui.

Opinião dos leitores

  1. Não é ilegal não. Leiam o art. 268 do Código Penal . Por esse crime não vai preso mas Pode ser preso em flagrante.

  2. Um absurdo. Prisão ilegal. Desobedecendo um Decreto? Mostra um despreparo geral. Polícia Militar. Polícia Civil. Ministério Público e principalmente Judiciário.

    1. Art. 268 – Infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa

      A determinação do poder público está no decreto, então não há ilegalidade da prisão

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

CPI das Fake News: PF recusa denúncia contra ameaças a integrantes

Foto: Agência Brasil

A Polícia Federal arquivou o pedido de investigação de supostas ameaças a deputados e senadores que integram a CPI das Fake News. As denúncias, baseadas em informações do deputado Alexandre Frota (PSDB-SP), foram encaminhadas à PF em dezembro pelo presidente da comissão, senador Ângelo Coronel (PSD-BA).

No ofício que chegou ontem à CPI, o delegado Ademir Cardoso Júnior diz que “não se faz possível extrair uma narrativa que aponte, concretamente, para ações que envolvam o cometimento de ato delitivo”.

A PF interpretou os “prints” de redes sociais de supostos integrantes de milícias digitais  como “uma série de manifestações descontextualizadas”.

Hoje, a CPI ouve Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, investigada por fraudes na campanha eleitoral de 2018.

Coluna Esplanada

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Código Penal deve prevalecer sobre o de Trânsito em caso de recusa de bafômetro, decide Tribunal que anulou multa e devolveu CNH

Foto: Reprodução

No conflito entre o artigo 277, § 3º, do Código de Trânsito Brasileiro, que prevê sanções ao motorista que se recusa a fazer o teste do bafômetro, e o artigo 186 do Código de Processo Penal, que garante ao réu o direito de não produzir prova contra si próprio, deve prevalecer a segunda norma por ser mais benigna e próxima do critério in dubio pro reo.

Assim entendeu a 11ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo ao anular uma multa aplicada a um motorista acusado de ter se recusado a fazer o teste do bafômetro. Ele entrou na Justiça para anular o auto de infração alegando que fez o teste, com resultado negativo, mas, mesmo assim, foi multado e teve a CNH apreendida. Em primeiro grau, o juiz não vislumbrou vício na autuação e julgou a ação improcedente. No TJ-SP, o entendimento foi outro.

Matéria com todos os detalhes aqui no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Deltan Dallagnol recusa promoção para continuar na Lava-Jato em Curitiba

Foto: Geraldo Bubniak / Agência O Globo

Coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol decidiu não concorrer à promoção a uma vaga de procurador regional da República, responsável pela atuação na segunda instância da Justiça Federal. Ele apresentou nesta segunda-feira carta ao Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF) em que recusa a hipótese de promoção para poder continuar à frente da coordenação da força-tarefa Lava-Jato em Curitiba (PR). Ele exerce a função há pelo menos cinco anos.

Se não tivesse apresentado a carta, o procurador estaria apto a ser escolhido para umas das dez vagas em aberto — nove delas em Brasília (DF) e uma em Porto Alegre (RS) —, e com isso seria obrigado a deixar a força-tarefa no Paraná.

A escolha de nomes se dá por critérios de merecimento e antiguidade, analisados em reunião do Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF), marcada para o próximo dia 5 de novembro.

Atualmente, Deltan ocupa o posto de coordenador na condição de procurador natural de processos motivados por investigações originárias em Curitiba. Nos últimos anos, procuradores regionais foram cedidos à força-tarefa, mas sempre mediante autorização do Procurador-Geral da República (PGR).

Ele tinha até esta segunda-feira para apresentar uma recusa à promoção. No MPF desde 2003, o procurador integra o grupo que reúne um quinto dos procuradores mais antigos na carreira, aptos a serem promovidos por merecimento.

“A decisão foi tomada após conversar com os demais procuradores da força-tarefa e tomou em conta aspectos pessoais e profissionais”, informou Deltan na tarde desta segunda-feira, em nota divulgada por sua assessoria.

Procuradores próximos ao chefe da Lava-Jato vinham defendendo sua promoção como estratégia para tentar reduzir a pressão por sua saída do posto, em função do vazamento de suas mensagens particulares trocadas com diversos interlocutores por meio do aplicativo Telegram. O procurador resistia à ideia, por entender que o teor das mensagens não compromete o trabalho à frente do grupo anticorrupção.

O Conselho Superior do MPF é presidido pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, que nos últimos meses foi crítico ao que classificou de “personalismo” na atuação de procuradores em ações de combate à corrupção, citando o exemplo da Lava-Jato.

Atualmente Deltan é alvo de nove reclamações em outra instância: no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Nenhum deles tem relação com suas mensagens privadas que foram tornadas públicas, mas com manifestações públicas do procurador sobre temas relacionados ao combate à corrupção.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Homem probo e que tem vergonha na cara, age desta forma… mostra para todos que dinheiro e vaidade não cabem na sua bagagem.
    Pena que os componentes do "stf" não pensam e agem desta maneira.

  2. Alguém tem dúvidas que esse BRASILEIRO luta contra a corrupção na merda desse Brasil. Parabéns Deltan.

    1. Eu essa e para você
      Uma aranha morde um cidadao ele vira o HOMEN ARANHA
      Um gato morde uma cidadã ela vira
      MULHER GATO
      Um jumento morde um cidadão ele vira
      PETISTA

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Após recusa, Felipão desconvoca Diego Costa da Seleção Brasileira e diz: "Deu as costas para um sonho de milhões"

Scolari-Felipao-Brasil-Espanha-FerreiraLANCEPress_LANIMA20130630_0399_52Diante da recusa de Diego Costa em defender a Seleção Brasileira, o técnico Luiz Felipe Scolari decidiu desconvocar o jogador dos amistosos do Brasil contra Honduras e Chile, nos dias 16 e 19 de novembro.

– Um jogador brasileiro que se recusa a vestir a camisa da Seleção Brasileira e a disputar uma Copa do Mundo no seu país só pode estar automaticamente desconvocado. Ele está dando as costas para um sonho de milhões, o de representar a nossa seleção pentacampeã em uma Copa do Mundo no Brasil- disparou Felipão, ao site da CBF.

O posicionamento oficial de Diego Costa foi enviado ao secretário-geral da CBF, Julio Avelleda. Sem o atacante, Felipão vai divulgar o restante dos convocados para os jogos na próxima quinta-feira, no Rio. Daniel Alves, Hulk, Lucas Leiva e Marquinhos já haviam sido chamados para facilitar a liberação por parte dos respectivos clubes.

O curioso é que, apesar do corte feito pela comissão técnica do Brasil, o presidente da CBF, José Maria Marin, insiste em dizer que a entidade irá “até o fim” para evitar que Diego Costa defenda a Espanha.

Lance

Opinião dos leitores

  1. Felipão, o senhor está enganado, o sonho de milhões é ter acesso a educação (escola de qualidade), ter saúde (chegar e ter um atendimento digno) e segurança (poder andar sem ficar olhando para os lados).

  2. O Tribunal de Contas do Estado deveria determinar a devolução dos valores pelo Procurador Adjunto que assinou a ordem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *